Você está na página 1de 21

5 ESTRATÉGIAS PARA REDUZIR A

CARGA TRIBUTÁRIA DAS EMPRESAS


CONSIDERAÇÕES INICIAIS

O Planejamento Tributário visa obter menor carga


tributária para a pessoa jurídica.

Tem reflexo no preço de seus produtos/serviços.

Contribui para que a empresa possa ser mais


competitiva no mercado, pois irá incluir valor
menor de tributos e contribuições no preço a ser
cobrado por seus produtos ou serviços.

Deve ter também a participação dos dirigentes da


pessoa jurídica.

Deve ser constante tendo em vista mudanças na


legislação, conjuntura econômica/política.
AS 5 ESTRATÉGIAS

Ponto de partida: O Regime de tributação

Estratégia 1) Juros remuneratórios do


capital próprio

Estratégia 2) Prejuízo fiscal e Base de


cálculo negativa da CSLL

Estratégia 3) PAT - Programa de


Alimentação do Trabalhador

Estratégia 4) Depreciação acelerada


contábil em função de turnos de uso

Estratégia 5) Descontos incondicionais


A ESCOLHA DO REGIME DE TRIBUTAÇÃO

É feita no início de cada ano-calendário.

Deve levar em conta as projeções de receitas e


despesas da empresa para o ano que se inicia.

Requer troca de informações entre a Direção da


Empresa e sua Contabilidade (interna ou externa).

Temos, basicamente, três regimes de tributação no


Brasil: Simples Nacional, Lucro Presumido e Lucro
Real.

SIMPLES NACIONAL – imposto único; limite de


faturamento de R$ 3.600.000,00; nem todas
atividades podem enquadrar.
A ESCOLHA DO REGIME DE TRIBUTAÇÃO

LUCRO PRESUMIDO - a empresa tributa sobre o


faturamento (IRPJ, CSLL, PIS e COFINS).

LUCRO REAL – a empresa tributa sobre o resultado


(IRPJ/CSLL) e sobre o faturamento PIS e COFINS.

A abertura de Filiais em Estados com Benefícios


Regionais pode fazer parte do Planejamento
Tributário da empresa.
JUROS REMUNERATÓRIOS
DO CAPITAL PRÓPRIO
JUROS REMUNERATÓRIOS
DO CAPITAL PRÓPRIO

Conceito:

Até o ano-calendário de 1995, o Capital Social dos


sócios estavam sujeitos à correção monetária. A
partir de 1º de janeiro de 1996, terminou essa
correção. Então foi criada a possibilidade das
empresas “tributadas pelas regras do Lucro Real”
calcular e pagar aos sócios juros sobre o capital
que está integralizado na empresa.

Base Legal.
Lei 9.249/95.
  Art. 9º A pessoa jurídica poderá deduzir, para efeitos da apuração do lucro real, os juros pagos ou creditados
individualizadamente a titular, sócios ou acionistas, a título de remuneração do capital próprio, calculados sobre as
contas do patrimônio líquido e limitados à variação, pro rata dia, da Taxa de Juros de Longo Prazo - TJLP.
JUROS REMUNERATÓRIOS
DO CAPITAL PRÓPRIO

Condições:

A dedutibilidade da despesa “independe” do


pagamento dos juros, pois a retenção do IR já se dá
no momento da apropriação da despesa. IN RF
41/98. Portanto, a critério dos sócios, os valores dos
juros ao invés de serem pagos aos sócios, poderão,
por exemplo, serem usados para aumento de
capital, por decisão dos sócios em “ata de reunião
para esse fim”.
JUROS REMUNERATÓRIOS
DO CAPITAL PRÓPRIO

Exemplo:

Receitas do Ano: R$ 1.000.000,00.


Despesas do Ano: R$ 600.000,00.
As receitas são tributáveis e as despesas são
dedutíveis.
Não há PF e BCN CSLL a serem compensados.
Juros Remuneratórios Calculados: R$ 100.000,00.
IR-Fonte Sobre JRCP: R$ 15.000,00.
JUROS REMUNERATÓRIOS
DO CAPITAL PRÓPRIO

Apuração sem JRCP Apuração com JRCP Economia de

. Receitas: 1.000.000,00 . Receitas: 1.000.000,00


. Despesas: (600.000,00) . Despesas: (600.000,00)
(=) Lucro: 400.000,00 (=) Subtotal: 400.000,00
(-) JRCP: (100.000,00)
(=) Lucro: 300.000,00

. Cálculo da CSLL: . Cálculo da CSLL: CSLL = R$ 9.000,00


. 400.000,00 (x) 9% = 36.000,00. . 300.000,00 (x) 9% = 27.000,00. (economia)

. Cálculo do IRPJ: . Cálculo do IRPJ:


. 400.000,00 (x) 15% = 60.000,00 . 300.000,00 (x) 15% = 45.000,00
. Adicional de 10%: . Adicional de 10%:
[400.000,00 (-) 240.000,00] = [300.000,00 (-) 240.000,00] =
160.000,00 (x) 10% = 16.000,00 60.000,00 (x) 10% = 6.000,00

. Total IRPJ: 60.000,00 (+) 16.000,00 = . Total IRPJ: 45.000,00 (+) 6.000,00 = IRPJ: 25.000,00
R$ 76.000,00. R$ 51.000,00. (economia)

. [CSLL (+) IRPJ] = 36.000,00 (+) . [CSLL (+) IRPJ] = 27.000,00 (+) De CSLL e IRPJ:
76.000,00 = R$ 112.000,00 51.000,00 = R$ 78.000,00. R$ 34.000,00
(economia total).

. Lucro Isento: Lucro Isento: --


. R$ 400.000,00 (-) 36.000,00 (-) . R$ 300.000,00 (-) 78.000,00 =
76.000,00 = R$ 288.000,00. R$ 222.000,00.

-- Juro Remuneratório Líquido:


[despesa (-) 15%] =
R$ 100.000,00 (-) R$ 15.000,00 =
R$ 85.000,00.
JUROS REMUNERATÓRIOS
DO CAPITAL PRÓPRIO
Valor Disponibilizado aos Sócios: Valor Disponibilizado aos Sócios: Valor a Maior a ser
R$ 288.000,00 R$ 222.000,00 (+) 85.000,00 =
disponibilizado aos
R$ 307.000,00.
sócios:
[307.000,00 (-)
288.000,00] = 19.000,00

Conclusão:

I – No exemplo acima, pode-se observar uma


economia tributária para a empresa com a
utilização dos juros remuneratórios do capital
próprio da ordem de R$ 34.000,00.
 
II – Observa-se também uma vantagem para os
sócios na ordem de R$ 19.000,00 pela utilização
dos juros remuneratórios do capital próprio.
JUROS REMUNERATÓRIOS
DO CAPITAL PRÓPRIO
Conclusão:

I – No exemplo acima, pode-se observar uma economia


tributária para a empresa com a utilização dos juros
remuneratórios do capital próprio da ordem de R$ 34.000,00.
 
II – Observa-se também uma vantagem para os sócios na
ordem de R$ 19.000,00 pela utilização dos juros
remuneratórios do capital próprio.

III - Como se pode observar, o Juro Remuneratório do Capital


Próprio, além de trazer uma redução de IRPJ e CSLL para a
empresa, também disponibiliza para os sócios um
rendimento líquido do IR Fonte.

IV - Se observarmos no exemplo acima, o valor a ser


disponibilizado aos sócios quando a empresa adota o JRCP
é maior do que quando não utilizada.

V - Caso os sócios deliberem não retirar o valor dos juros,


esses poderão ser utilizados para “aumento de capital”.
PREJUÍZO FISCAL E BASE DE
CÁLCULO NEGATIVA DA CSLL
PREJUÍZO FISCAL E BASE DE
CÁLCULO NEGATIVA DA CSLL

O Prejuízo Fiscal, nada mais é que o Resultado


Contábil ajustado por “adições e exclusões”, ou
seja, na maioria das vezes valores que passaram pelo
resultado contábil, mas que, pela legislação
tributária, não são tributáveis (no caso de receitas)
ou não são dedutíveis (no caso de despesas).
De acordo com as Leis 8.981/95 e 9.065/95, a pessoa jurídica tributada pelas regras do Lucro Real poderá
compensar “Prejuízo Fiscal” com seus resultados positivos, limitado a 30% desse resultado positivo. Não há essa
limitação de 30% quando a atividade exercida pela empresa for “rural”. Se a empresa tiver, além da atividade rural,
outra atividade, terá que proporcionalizar.

Base de Cálculo Negativa da CSLL

Utiliza-se para a Contribuição Social Sobre o Lucro as


mesmas regras do Prejuízo Fiscal.
PAT – Programa de Alimentação do Trabalhador.
PAT – Programa de Alimentação do Trabalhador.

O Incentivo Fiscal do PAT é privativo para empresas


tributadas pelas regras do Lucro Real, tendo como
limite 4% do IRPJ devido sem o adicional.

Condição:

A empresa deverá estar cadastrada no PAT para


poder usufruir o benefício desse incentivo.

Exemplo:
IRPJ Devido sem o adicional: R$ 100.000,00.
15% da Despesa com PAT: R$ 6.000,00
Limite de aproveitamento: 4% de R$ 100.000,00 = R$ 4.000,00
IRPJ a Pagar: [100.000,00 (-) 4.000,00] = R$ 96.000,00

Nota: o valor do incentivo não aproveitado poderá sê-lo até o


final do segundo ano seguinte.
DEPRECIAÇÃO ACELERADA CONTÁBIL
EM FUNÇÃO DE TURNOS DE USO
DEPRECIAÇÃO ACELERADA CONTÁBIL
EM FUNÇÃO DE TURNOS DE USO

Em relação aos bens móveis, poderão ser adotados,


em função do número de horas diárias de operação,
os seguintes coeficientes de depreciação acelerada
(art. 312 do Decreto º 3.000/99 – RIR/99):

I - um turno de oito horas - 1,0;

II - dois turnos de oito horas - 1,5;

III - três turnos de oito horas - 2,0.

Nota: Esse encargo será registrado na escrituração comercial.


DESCONTOS INCONDICIONAIS
DESCONTOS INCONDICIONAIS

São aqueles concedidos na emissão do


documento fiscal. Por consequência, reduz o
valor da nota fiscal , gerando uma redução no
valor da despesa de PIS e COFINS e, conforme o
caso, de IRPJ e CSLL.

Já no caso de desconto “condicional” que é


aquele concedido após a emissão do
documento fiscal, esse benefício não acontece.
Nessa situação, a tributação de PIS e COFINS
será sobre o valor da Nota Fiscal, mesmo que a
empresa receba valor menor.

Nota: Esse encargo será registrado na escrituração comercial.


A STUDIO FISCAL E
O PLANEJAMENTO TRIBUTÁRIO

Oferecendo serviços em esfera administrativa,


a Studio Fiscal atua na area tributária há 18
anos, com mais de 2.000 clientes atendidos e
mais de R$ 850 milões de créditos
recuperados em tributos pagos a maior.
Realize o seu planejamento tributário com
segurança e dentro da legislação vigente.

ACESSE: WWW.STUDIOFISCAL.COM.BR
Av. Nove de Julho, 4400 - Jardim Paulista - São Paulo (SP)
Rua Coronel Bordini, 1158 - Auxiliadora - Porto Alegre (RS)