Você está na página 1de 9

UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA

CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS


DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA
DISCIPLINA DE ELETRÔNICA DE POTÊNCIA I
PROF.: LEANDRO MICHELS

PROJETO DE ELETRÔNICA DE POTÊNCIA I – 2009/1

O projeto da disciplina de EPO-I consiste em projetar um conversor estático de potência. O trabalho


é em equipe, sendo a turma dividida em 6 grupos (31 alunos – cinco grupos de 5 alunos e um grupo
de 6 alunos), cujas composições do grupo são de livre escolha dos alunos. Não serão aceitas
composições distintas de grupos.

Datas importantes:
Entrega do trabalho escrito: 25/06/09 – até as 12h
Defesa do trabalho: 26/06/09

Grupos de trabalho:
1) A escolha dos trabalhos é livre, sendo realizada por ordem de inscrição.

Avaliação do trabalho:
1) Relatório técnico
a. Deve ser entregue de forma impressa
b. Deve apresentar, de forma seqüencial, cada um dos itens descrito na lista de tarefas,
como mostrado abaixo
c. Devem ser anexadas as folhas de referência (datasheets) empregadas nos projetos
com os parâmetros utilizados (grifados com marca-texto). Estas folhas devem ser
numeradas, e quando forem empregadas no texto o seu número deve ser destacado.
2) Programas de simulação do circuito realizadas no PSIM (entregue na forma de simulação,
sendo apresentado junto com a defesa do trabalho)
3) Defesa do trabalho, envolvendo todos os membros do grupo, para os quais serão realizadas
perguntas sobre o trabalho efetuado. Serão dadas notas individuais sobre a apresentação do
trabalho.
Objetivos do trabalho:
Introduzir os alunos a um projeto completo de um conversor estático de potência. Este projeto é
dividido nas seguintes etapas:
1) Projeto do circuito de potência
2) Projeto do sistema de proteção
3) Projeto do sistema de controle

Lista de fabricantes de dispositivos


• Semicondutores: Semikron Power Semiconductors - www.semikron.com
• Dissipadores: HS Dissipadores - www.hsdissipadores.com.br
• Capacitores: Epcos Capacitors for Power Electronics DC Link – www.epcos.com
• Indutores Waltec Transformadores a seco TTE / RESIGLAS - www.waltec.com.br
• Transformadores Waltec Transformadores a seco TTE / RESIGLAS -
www.waltec.com.br
• Supressores de surto: Phoenix Contact Trabtech – www.phoenixcontact.com.br
• Fusíveis: Hill Tech Semiconductor Fuses – http://www.hilltech.com/
• Disjuntores/Relés/Contactoras Weg Disjuntores em caixa moldada ou aberta / Relés
de falta de fase/ Contactoras - www.weg.com
• Resistores de potência: Eletele – www.eletele.com.br
• Sensores de corrente isolados: LEM AC and DC current transducers for protection,
monitoring and control systems – www.lem.com
• Sensores de tensão isolados: LEM Voltage measurement in industrial applications –
www.lem.com

Dica: Muitos fabricantes possuem vasto material de apoio ao projeto técnico.


LISTA DE TAREFAS

Confeccionar relatório técnico descrevendo, de forma organizada e detalhada, cada uma das etapas
de projeto, mostrando o equacionamento utilizado e os resultados de simulação. É importante
descrever como foram efetuadas as decisões (escolha dos componentes) durante o projeto do
conversor.

ETAPA 1 - Projeto do circuito de potência

1.1) Descrição do sistema


Determinar, em diagrama de blocos, todos os elementos que compõe o sistema como um todo
(circuito de potência, proteções, circuito de auxílio à partida, instrumentação, sistema de controle,
drivers, fontes auxiliares). Fazer uma figura mostrando o conversor e os diversos subsistemas
interconectados entre si.

1.2) Descrição das especificações completas do conversor


Apresentar uma tabela com TODAS as especificações empregadas no projeto (tensão de entrada,
saída, corrente de carga, variação na carga, variação na tensão da rede, margens de tolerância usada
no dimensionamento dos dispositivos, etc)

1.3) Projeto do circuito de potência


O projeto deve garantir que o circuito funcione nas os piores casos de operação: variações da tensão
da rede e variação da resistência de carga. Projeto considerando o conversor ideal, tal como
mostrado em aula.
• Dimensionar relação de transformação (quando for o caso)
• Dimensionar indutores (quando for o caso)
• Determinar o ângulo de disparo dos tiristores

1.4) Simulação do conversor projetado


Simular no PSIM o circuito projetado na etapa 1.3 nas seguintes condições de operação:
1) Em condições nominais (tensão nominal e carga nominal)
2) Simular nas situações extremas de operação: tensão da rede máxima e carga máxima,
tensão da rede mínima e carga máxima, tensão da rede máxima e carga mínima, tensão da rede
mínima e carga mínima.
OBS.: A simulação deve considerar o conversor ideal, tal como mostrado em aula.
1.5) Determinação dos esforços máximos nos elementos do circuito (valores máximos para todas
as condições de operação)
1. Tensão direta e reversa de pico e corrente média e eficaz máxima em cada tiristor e
diodos
2. Corrente eficaz e pico e tensão máxima em indutores
3. Tensão máxima e corrente eficaz nos capacitores
4. Potência aparente máxima nos transformadores, corrente máxima no primário e
secundário, distorção harmônica nas correntes.
OBS.: Indicar em que condição de operação ocorre tal valor (ex.: tensão máxima de entrada e
corrente máxima de saída).
Os valores podem ser obtidos diretamente com base em simulações no PSIM.

1.6) Dimensionamento dos dispositivos do circuito, com base nos valores determinados nos itens
1.5, deixando a margem de tolerância especificada:
1. Escolha dos dispositivos semicondutores (diodos, tiristores) a serem empregados.
2. Escolha dos capacitores
3. Especificar os indutores. Determinar a potência aparente nos enrolamentos, corrente
máxima nos enrolamentos, fator K, classe de isolação, proteção dos invólucros - ver no catálogo da
Waltec.
4. Especificar os transformadores a seco de baixa tensão a serem empregados. Determinar a
potência aparente nos enrolamentos, corrente máxima nos enrolamentos, relação de transformação,
fator K, classe de isolação, proteção dos invólucros - ver no catálogo da Waltec.
OBS.: O fator K é um fator usado para considerar o aquecimento adicional causado pelas
harmônicas em transformadores:
34
2
( ih .h )
K= h =1
34
onde h é a ordem da harmônica e i é a corrente do enrolamento.
ih
h =1

OBS.: Obter informações nos datasheets dos fabricantes (lista em anexo).

1.7) Dimensionar termicamente o conversor, com base nos semicondutores empregados


1. Dimensionar as perdas nos semicondutores
2. Dimensionar o dissipador o dissipador de calor e ventiladores.
OBS.: Obter informações nos datasheets dos fabricantes.
1.8) Tabelar as especificações finais de todos os componentes projetados, incluindo código,
fabricante, quantidade, tensões máximas suportadas, correntes máximas, etc.

ETAPA 2 - Projeto do sistema de proteção

2.1) Projetar o sistema de proteção contra curto-circuito, composto por fusíveis (apenas na entrada).
Obter informações nos datasheets dos fabricantes (web).

2.2) Projetar o sistema de proteção contra sobrecarga, composto por disjuntor de caixa moldada ou
aberta (apenas na entrada). Obter informações nos datasheets dos fabricantes (web).

2.3) Projetar o sistema de proteção contra sobretensões, composto por supressores de surto (apenas
na entrada). Obter informações nos datasheets dos fabricantes (web).

2.4) Indicar o sistema de proteção contra subtensão, composto por relé de falta de fase (apenas na
entrada). Obter informações nos datasheets dos fabricantes (web).

2.5) Projetar os snubber para os semicondutores (em cada tiristor). Obter informações nos
datasheets dos fabricantes dos semicondutores.

2.6) Tabelar as especificações finais de todos os dispositivos de proteção projetados, incluindo


código, fabricante, quantidade, tensões máximas suportadas, correntes máximas, etc.

ETAPA 3 - Projeto do sistema de comando e controle

3.1) Projetar o sistema de controle realimentado para manter a regulação da variável de saída
independente da variação da carga (controle PI). Determinar os ganhos do controlador

3.2) Simular o sistema de controle em malha fechada, testando que variações na rede e na carga
não alteram o comportamento em regime permanente.

3.3) Projetar o circuito de medição, sincronismo, e disparo dos tiristores empregando o TCA785
(vide datasheet)
3.4) Implementar o circuito de controle, que inclui a referência, subtrator e o PI implementado
com amplificadores operacionais.

3.5) Projetar a fonte linear com regulador linear para alimentação do circuito de comando e
controle (+15V – 1A, -15V – 1A). Mostrar passo a passo o procedimento de projeto.

3.6) Simulação da fonte linear com regulador linear para alimentação do circuito de comando e
controle (pode ser independente do circuito de potência)

3.7) Tabelar as especificações finais de todo o sistemas de controle projetados, incluindo código,
fabricante, quantidade, tensões máximas suportadas, correntes máximas, etc.
PROJETO DE ELETRÔNICA DE POTÊNCIA I – 2008/2

Grupo 1 – Nome Assinatura

Grupo 2 – Nome Assinatura

Grupo 3 – Nome Assinatura

Grupo 4 – Nome Assinatura

Grupo 5 – Nome Assinatura


Grupo 6 – Nome Assinatura

TRABALHOS

Grupo 1
Retificador trifásico a três fios, a tiristor, utilizando transformador de entrada conectado em Y-∆,
totalmente controlado
Especificações:
Tensão de entrada (linha): 380V (+10%/-15%) – 60Hz
Carga: Comportamento resistivo
Tensão de saída média: 12 V
Corrente de saída máxima: 1000A
Ondulação máxima tolerável na corrente de carga: 10% em 500A
Obs.: Projetar filtro indutivo

Grupo 2
Retificador trifásico a três fios, a tiristor, utilizando transformador de entrada conectado em ∆-Y,
totalmente controlado
Especificações:
Tensão de entrada (linha): 220V (+10%/-10%) – 60Hz
Carga: Comportamento resistivo-indutivo
Tensão de saída ajustável (média): 400V-500V
Potência de saída (nominal): 30kW
Indutância de carga: 20mH

Grupo 3
Retificador trifásico a três fios, a tiristor, utilizando transformador de entrada conectado em
∆-∆, totalmente controlado
Tensão de entrada (linha): 220V (+15%/-15%) – 60Hz
Carga: Comportamento resistivo-indutivo
Tensão de saída ajustável (média): 0-500V
Indutância de carga: 100mH
Resistência de carga: 25
Grupo 4
Retificador trifásico a três fios, a tiristor, utilizando transformador de entrada conectado em
∆-Y, semicontrolado
Tensão de entrada (linha): 220V (+15%/-15%) – 60Hz
Carga: Baterias (RE)
Tensão nominal da bateria (média): 192V
Tensão mínima da bateria (média): 170V
Resistência interna: 0,5
Corrente de carga (média): 50A
Ondulação máxima tolerável na corrente de carga: 10%
Obs.: Projetar filtro indutivo

Grupo 5
Retificador trifásico a três fios, a tiristor, utilizando transformador de entrada conectado em
Y-∆, semicontrolado
Tensão de entrada (linha): 380V (+15%/-15%) – 60Hz
Carga: Baterias (RE)
Tensão nominal da bateria (média): 48V
Tensão mínima da bateria (média): 36V
Resistência interna: 0,5
Corrente de carga (média): 100A
Ondulação máxima tolerável na corrente de carga: 10%
Obs.: Projetar filtro indutivo

Grupo 6
Retificador trifásico a três fios, a tiristor, utilizando transformador de entrada conectado em
∆-Y, totalmente controlado
Tensão de entrada (linha): 380V (+10%/-15%) – 60Hz
Carga: Baterias (RE)
Tensão nominal da bateria (média): 92V
Tensão mínima da bateria (média): 85V
Resistência interna: 0,5
Corrente de carga (média): 100A
Ondulação máxima tolerável na corrente de carga: 20%
Obs.: Projetar filtro indutivo