Você está na página 1de 4

Aula 01

A Literatura no Período Colonial Brasileiro

Estudar literatura é, basicamente, ampliar nossas habilidades de leitura do texto


literário.
No Ensino Médio, esse estudo é acrescido dahistória literária, que objetiva acompanhar
aevolução cronológica da literatura dedeterminado povo e cultura, observando suas
transformações de acordo com o momentohistórico. Por isso, a história da literatura
organiza-a em movimentos, períodos e gerações.
Quinhentismo (Século XVI)
“Viemos buscar cristão e especiarias” O Quinhentismo corresponde à época do
descobrimento do Brasil, movimento paralelo ao Classicismo Português que, por sua
vez,possui ideias relacionadas diretamente ao Renascimento. A literatura do
Quinhentismo tem como tema central os próprios objetivos da expansão marítima: a
conquista espiritual e a conquista marítima.
Literatura Informativa
A literatura informativa se refere aos relatos dos viajantes, que eram enviados a corte
portuguesa. O conteúdo deste tipo de literatura descrevia a natureza brasileira, com
foco nos aspectos exóticos, nos nativos e nas riquezas naturais. Dentre os autores destes
relatos, destacam-se: Pero Vaz de Caminha – Carta a El-Rei Dom Manuel; Fernandes
Brandão – Diálogos das Grandezas do Brasil;Pero Magalhães Gândavo – História da
Província de Santa Cruz.
Viagem ao Brasil – Jean de Léry
Entre os Tupinambás – Hans Staden
Literatura de Catequese
Ligada à Contrar-reforma a literatura de catequese tinha como objetivo de ampliar a fé
cristã, através da catequização dos nativos.Utilizava como recursos o teatro e a
compreensão da língua Tupi, por parte de seusautores. Dentre os escritores desta
literatura,destacam-se:O Padre José de Anchieta – que utilizava oteatro e a poesia como
forma de expressão.Padre Manuel da Nóbrega – conhecido por“Cartas do Brasil” e
“Diálogo sobre aconversão do gentio”.
Barroco (século XVII)
Principais características:
Convivendo com o sensualismo e os prazeres trazidos pelo Renascimento, os valores
espirituais – tão fortes na Idade Média edesprezados pelo Renascimento – voltaram a
exercer forte influência sobre a mentalidadeda época. Uma nova onda de religiosidade
foitrazida pela Contra-Reforma e pela fundaçãoda Companhia de Jesus. Neste sentido,
ohomem do século XVII era um homem divididoentre duas mentalidades, duas formas
diferentes de ver o mundo:
Renascimento – influência dos clássicos(racionalismo, equilíbrio, clareza, linearidade
de contornos), visão antropocêntrica ouhumanista, sensualismo, valorização da vida
corpórea, etc.; Idade Média – teocentrismo,valorização da vida espiritual, fé, etc.
A Arte Barroca irá expressar esta tensão entreideias e sentimentos opostos. Destacam-
sedois autores da literatura barroca no Brasil:
Gregório de Matos Guerra, nascido na Bahia em 1633, também conhecido como “Boca
de Inferno”, é o primeiro poeta brasileiro e o
maior poeta do Período Colonial. Sua obra costuma ser dividida em três vertentes
básicas: lírico-amorosa, lírico-religiosa e satírica.Abaixo citamos alguns poemas de
Gregório deMatos Guerra:
E quem um Anjo vira tão luzente,
A Jesus Cristo Nosso Senhor Que por seu Deus, o não idolatrara?
Pequei, Senhor; mas não porque hei Se como Anjo sois dos meus altares,
pecado, Fôreis o meu custódio, e minha guarda,
Da vossa alta clemência me despido; Livrara eu de diabólicos azares.
Porque, quanto mais tenho delinqüido, Mas vejo, que tão bela, e tão galharda,
Vos tenho a perdoar mais empenhado. Posto que os Anjos nunca dão pesares,
Se basta a vos irar tanto pecado, Sois Anjo, que me tenta, e não me guarda.
A abrandar- vos sobeja um só gemido:
Que a mesma culpa, que vos há ofendido, Moraliza o poeta nos ocidentes do Sol a
Vos tem para o perdão lisonjeado. inconstância dos bens do mundo
Se uma ovelha perdida e já cobrada, Nasce o Sol, e não dura mais que um dia,
Glória tal e prazer tão repentino Depois da Luz se segue a noite escura,
Vos deu, como afirmais na Sacra Historia, Em tristes sombras morre a formosura,
Eu sou, senhor, a ovelha desgarrada; Em contínuas tristezas a alegria.
Cobrai-a; e não queirais, pastor divino, Porém se acaba o Sol, por que nascia?
Perder na vossa ovelha a vossa glória. Se formosa a luz é, por que não dura?
A Cidade da Bahia Como a beleza assim se transfigura?
“A cada canto um grande conselheiro Como o gosto da pena assim se fia?
Que nos quer governar cabana e vinha Mas no Sol, e na Luz, falte a firmeza,
Não sabem governar sua cozinha Na formosura não se dê constância,
E podem governar o mundo inteiro E na alegria sinta-se a tristeza.
Em cada porta um freqüentado olheiro Começa o mundo enfim pela ignorância,
Que a vida do vizinho, e da vizinha E tem qualquer dos bens da natureza
Pesquisa, escuta, espreita e esquadrinha A firmeza somente na inconstância.
Para levar à Praça e ao Terreiro
Muitos mulatos desavergonhados Padre Antônio Viera (1608 – 1697)
Trazidos pelos pés os homens nobres Considerado o maior orador sacro da nossa
Posta nas palmas toda picardia* história, Vieira escreveu cerca de duzentos
Estupendas usuras nos mercados sermões. Foi uma espécie de cronista da
Todos os que não furtam, muito pobres história imediata. Foi também um defensor
E eis aqui a cidade da Bahia.” dos índios e dos cristãos-novos. Sua obra se
divide em quatro temáticas básicas: a arte
À Mesma Dona Ângela de
Anjo no nome, Angélica na cara, pregar, a causa do indígena, o problema da
Isso é ser flor, e Anjo juntamente, escravização do africano e a questão
Ser Angélica flor, e Anjo florente, holandesa. Em todas elas, evidentemente,
Em quem, senão em vós se uniformara? são
Quem veria uma flor, que a não cortara debatidas questões existenciais e religiosas.
De verde pé, de rama florescente? Obra Principal: Sermões
Exercícios sobre o QUINHENTISMO – PROF.MARIA ELISA (A) o caráter de jogo verbal próprio do estilo
Instrução: após a leitura do texto abaixo barroco, a serviço de uma crítica, em tom de
(extraído da Carta de Caminha), responda à sátira, do perfil moral da cidade da Bahia.
questão 1.
(B) o caráter de jogo verbal próprio da poesia
“Nela até agora não pudemos saber que haja religiosa do século XVI, sustentando piedosa
ouro nem prata, nem nenhuma cousa de lamentação pela falta de fé do gentio.
metal, nem de ferro; nem lho vimos. A terra, (C) o estilo pedagógico da poesia neoclássica,
porém, em si, é de muito bons ares.”(...) por meio da qual o poeta se investe das
“Mas o melhor fruto que nela se pode fazer funções de um autêntico moralizador.
me parece que será salvar esta gente. E esta (D) o caráter de jogo verbal próprio do estilo
deve ser a principal semente que vossa Alteza barroco, a serviço da expressão lírica do
em ela deve lançar. E que não houvesse mais arrependimento do poeta pecador.
ter aqui esta pousada para esta navegação de (E) o estilo pedagógico da poesia neoclássica,
Calecute, bastaria, quanto mais, disposição sustentando em tom lírico as reflexões do
para se nela cumprir e fazer o que Vossa poeta sobre o perfil moral da cidade da Bahia.
Alteza tanto deseja, a saber, acrescentando de
nossa santa fé.” 4) Quanto ao período barroco e seus
representantes na literatura colonial
1) A respeito da Carta, de Caminha, podemos brasileira, é correto afirmar que
afirmar que
(A) não há preocupação com a conquista (A) os sermões de Antônio Vieira apresentam
material. uma retórica complexa pela exuberância de
(B) a única preocupação era a catequese dos imagens e pelos postulados morais e
índios. religiosos.
(C) é representativa do Barroco brasileiro. (B) a obra de Gregório de Matos se distingue
(D) apresenta tanto preocupação material pela sua unidade temática, expressa por um
quanto espiritual. tom satírico.
(E) não cita, em momento algum, os nativos (C) a poesia irreverente de Gregório de Matos
brasileiros. satiriza diferentes tipos sociais, exceção feita
aos representantes da Igreja.
2) Considere as seguintes afirmações sobre o (D) o predomínio dos valores transcendentais,
Barroco brasileiro. motivados pela Reforma, marca o estilo
I.A arte barroca caracteriza-se por apresentar barroco da obra de Vieira.
dualidades, conflitos, paradoxos e contrastes, (E) Gregório de Matos se ateve ao uso da língua
que convivem tensamente na unidade da obra. culta da Metrópole, ao contrário de Vieira, que
II. O conceptismo e o cultismo, expressões da utilizou termos indígenas, africanos e populares.
poesia barroca, apresentam um imaginário
bucólico, sempre povoado de pastoras e 5) Leia as afirmações abaixo sobre o
ninfas. Arcadismo brasileiro.
III. A oposição entre Reforma e Contra-- I. Os poetas árcades colocavam-se como
Reforma expressa, no plano religioso, os pastores para realizarem, dessa forma, o ideal
mesmos dilemas de que o Barroco se ocupa. de uma vida simples em contato com a
Quais estão corretas? natureza.
(A) Apenas I. II. O Arcadismo brasileiro, embora tenha
(B) Apenas II. reproduzido muito dos modelos europeus,
(C) Apenas III. apresentou características próprias, como a
(D) Apenas l e III. incorporação do elemento indígena e a sátira
(E) I, II e III. política.
III. O tema do Carpe diem, em que o poeta
3) Pode-se reconhecer nos versos abaixo, de expressa o desejo de aproveitar intensamente
Gregório de Matos, o momento presente, fugaz e passageiro, foi
“Que falta nesta cidade? Verdade”. ignorado pelos árcades brasileiros,
Que mais por sua desonra? Honra. excessivamente racionalistas.
Falta mais que se lhe ponha? Vergonha. Quais estão corretas?
O demo a viver se exponha, (A) Apenas I.
Por mais que a fama a exalta, (B) Apenas III.
Numa cidade onde falta (C) Apenas I e II.
Verdade, honra, vergonha." (D) Apenas II e III.
(E) I, II e III.
Gabarito
1–D2–D3–A4–A5–C

Você também pode gostar