Você está na página 1de 9

10/02/2014

Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri Solução: é uma mistura homogênea de soluto e
Bacharelado em Ciência e Tecnologia
solvente.
Diamantina - MG

Solvente: Componente cujo estado físico é


preservado.

Soluto: Dissolvido no solvente.

Observação: Se todos os componentes estiverem


no mesmo estado físico,o solvente é aquele
presente em maior quantidade.
Profa. Dra. Flaviana Tavares Vieira

Exemplos de Soluções

-Como soluções líquidas são as mais comuns, daremos O Processo de Dissolução


atenção a elas.
-Uma solução é formada quando uma substância se
-Principal objetivo: examinar as propriedades físicas das dispersa uniformemente em outra.
soluções, comparando-as com as propriedades de seus
componentes. -As forças intermoleculares agem entre partículas de
soluto e em moléculas de solventes.

-Forças íon-dipolo predominam em soluções de


substâncias iônicas em água.

1
10/02/2014

Preparando uma Solução de NaCl em Água -Quando o NaCl é adicionado à água, as moléculas de água se
orientam na superfície dos cristais de NaCl.

-A extremidade positiva do dipolo da água é orientada no sentido


dos íons Cl- e a extremidade negativa do dipolo da água é orientada
no sentida dos íons Na+.

A substância iônica NaCl se dissolve rapidamente em água porque


as interações atrativas entre os íons e as moléculas polares de H2O
superam a energia de rede de NaCl(s)

-As atrações íons-dipolo entre os íons e as moléculas de água são


suficientemente fortes para puxar os íons de suas posições no cristal
-As interações entre moléculas de soluto e de
solvente são solvente são conhecidas como
SOLVATAÇÃO.

-Quando é a água, as interações são conhecidas como


HIDRATAÇÃO.

Solubilidade, em gramas, de algumas substâncias Curvas de Solubilidade em função da temperatura


por 100g de água em diferentes temperaturas para algumas substâncias em água

2
10/02/2014

Mudanças de energia
e formação de solução
• Há 3 fases de energia na formação de uma solução:
– a separação das moléculas do soluto (H1),
– a separação das moléculas do solvente (H2) e
a formação das interações soluto-solvente (H3).
• Definimos a variação de entalpia no processo de
dissolução como
Hdissol = H1 + H2 + H3
• O Hsol pode tanto ser positivo como negativo,
dependendo das forças intermoleculares.

Mudanças de energia e Mudanças de energia e


formação de solução formação de solução

• Para determinar se o Hdissol é positivo ou


• A quebra de forças intermoleculares é
negativo, consider-se os comprimentos de todas as
sempre endotérmica. interações soluto-soluto e soluto-solvente:
– H1 e H2 são ambos positivos.
• A formação de forças intermoleculares – H3 é sempre negativo.
atrativas é sempre exotérmica. – É possível termos tanto H3 > (H1 + H2)
quanto H3 < (H1 + H2).

Mudanças de energia e formação de solução


• Ex.: O NaOH adicionado à água tem Hdissol = -44,48
kJ/mol.
• O NH4NO3 adicionado à água tem Hdissol = + 26,4
kJ/mol.
• ‘Regra’: os solventes polares dissolvem solutos polares.
Os solventes apolares dissolvem solutos apolares.
Por quê?
-Se o Hdissol é demasiadamente endotérmico, não haverá a
formação de uma solução.
-NaCl em gasolina: as forças íon-dipolo são fracas, uma vez
que a gasolina é apolar. Conseqüentemente, as forças íon-
dipolo não são compensadas pela separação de íons.

3
10/02/2014

Mudanças de energia e Formação de Solução,


formação de solução Espontaneidade e Desordem

– Água em octano: a água tem ligações de H • Um processo espontâneo ocorre sem intervenção
fortes. externa.
• Quando a energia do sistema diminui (por exemplo,
deixar um livro cair e permitir que ele caia para uma
– Não há forças atrativas entre a água e o octano energia potencial mais baixa), o processo é
para compensar as ligações de H. espontâneo.
• Alguns processos espontâneos não envolvem a
variação do sistema para um estado de energia mais
baixa (por exemplo, uma reação endotérmica).

Formação de Solução,
Espontâneidade e Desordem
Formação de Solução,
• Se o processo leva a um maior estado de desordem, Espontaneidade e Desordem
então o processo é espontâneo.
• Exemplo: um mistura de CCl4 e C6H14 é menos
ordenada do que os dois líquidos separados.
Conseqüentemente, eles se misturam
espontaneamente, apesar do Hdissol ser muito
próximo de zero.
• Há soluções que se formam a partir de processos
físicos e outras por processos químicos.

Formação de Solução e Reações Químicas Formação de Solução e Reações Químicas


• Exemplo: uma mistura de CCl4 e C6H14 é menos
ordenada. • Exemplo:
• Considere: NaCl(s) + H2O (l)  Na+(aq) + Cl-(aq).
Ni(s) + 2HCl(aq)  NiCl2(aq) + H2(g)
• Observe que a forma química da substância sendo • Quando a água é removida da solução, encontra-se
dissolvida se alterou (Ni  NiCl2). NaCl. Conseqüentemente, a dissolução do NaCl é um
• Quando toda a água é removida da solução, não se processo físico.
encontra o Ni, apenas NiCl2·6H2O(s).
Conseqüentemente, a dissolução do Ni em HCl é um
processo químico.

4
10/02/2014

Soluções Saturadas e Solubilidade Fatores que afetam a solubilidade


• Dissolva: soluto + solvente  solução. Interações soluto-solvente
• Os líquidos polares tendem a se disssolver em
• Cristalização: solução  soluto + solvente. solventes polares.
• Saturação: a cristalização e a dissolução estão em • Líquidos miscíveis: misturam-se em quaisquer
equilíbrio. proporções.
• Solubilidade: é a quantidade de soluto necessária para • Líquidos imiscíveis: não se misturam.
formar uma solução saturada. • As forças intermoleculares são importantes: água e
etanol são miscíveis porque as ligações de hidrogênio
• Supersaturada: é uma solução formada quando quebradas em ambos os líquidos puros são
dissolve-se mais soluto do que em uma solução reestabelecidas na mistura.
saturada. • O número de átomos de carbono em uma cadeia afeta
a solubilidade: quanto mais átomos de C, menos
solúvel em água.

Fatores que afetam a solubilidade Fatores


Fatores que afetam que afetam
a solubilidade
a solubilidde
Interações soluto-solvente
Interação soluto-solvente
• O número de grupos -OH dentro de uma molécula
aumenta a solubilidade em água.

• Generalização: “semelhante dissolve semelhante”.

• Quanto mais ligações polares na molécula, mais


facilmente ela se dissolve em um solvente polar.

• Quanto menos polar for a molécula, mais


dificilmente ela se dissolve em um solvente polar e
melhor ela se dissolve em um solvente apolar.

Interações soluto-solvente
Interações soluto-solvente
• As redes sólidas não se dissolvem porque as forças
intermoleculares fortes no sólido não são
reestabelecidas em nenhuma solução.

Efeitos da pressão

• A solubilidade de um gás em um líquido é uma


função da pressão do gás.

5
10/02/2014

Efeitos da Pressão
• Quanto maior a pressão, mais próximas as moléculas de
gás estarão do solvente e maior a chance da molécula de
Efeitos da Pressão gás atingir a superfície e entrar na solução.
– Conseqüentemente, quanto maior for a pressão, maior
a solubilidade.
– Quanto menor a pressão, menor a quantidade de
moléculas de gás próximas ao solvente e menor a
solubilidade.
• Se Sg é a solubilidade de um gás, k é uma constante e Pg é
a pressão parcial de um gás, então, a Lei de Henry nos
fornece:
S g  kPg

Efeitos da Pressão Efeitos de Temperatura

• As bebidas carbonadas são engarrafadas com uma • A experiência nos mostra que o açúcar se dissolve
pressão parcial de CO2 > 1 atm. melhor em água quente do que em água fria.
• Ao abrirmos a garrafa, a pressão parcial de CO2
• Geralmente, à medida que a temperatura aumenta, a
diminui e a solubilidade do CO2 também diminui.
solubilidade dos sólidos aumenta.
• Conseqüentemente, bolhas de CO2 escapam da
solução. • Algumas vezes, a solubilidade diminui quando a
temperatura aumenta

Exemplo: [Ce2(SO4)3].

Efeitos de Temperatura

• A experiência nos mostra que as bebidas carbonadas


ficam insípidas ao serem aquecidas.

• Conseqüentemente, os gases se tornam menos


solúveis à medida que a temperatura aumenta.

• A poluição térmica: se os lagos se aquecem muito, o


CO2 e o O2 tornam-se menos solúveis e ficam
indisponíveis para as plantas ou animais.

6
10/02/2014

Formas de Expressar a Porcentagem de massa, ppm e ppb


Concentração
Porcentagem de massa, ppm e ppb
• Todos os métodos envolvem medir a quantidade de
soluto em função da quantidade de solvente (ou da
solução).
• Partes por milhão (ppm) podem ser expressas como 1 mg
• Geralmente, as quantidades ou medidas são massas,
de soluto por quilograma de solução.
quantidade de matéria ou litros.
– Se a densidade da solução é 1g mL-1, então 1 ppm = 1
• Qualitativamente, as soluções são dilutas ou
mg de soluto por litro de solução.
concentradas.
• Definições:
• Partes por bilhão (ppb) são 1 g de soluto por quilograma
de solução.

Fração em quantidade de matéria, concentração em


quantidade de matéria e molalidade

 Lembre-se que a massa pode ser convertida em


quantidade de matéria usando a massa molar.

Fração em quantidade de matéria, concentração em


quantidade de matéria e molalidade

A conversão entre concentração em quantidade de matéria


(c) e molalidade (m) necessita da densidade.

7
10/02/2014

Porcentagem em Massa Molalidade

Parte por Milhão

Diluições das Soluções Titulação


-Frequentemente temos que preparar uma nova solução, Objetivo: Sabendo a concentração de uma solução
menos concentrada, a partir de uma solução estoque. padrão (ex. NaOH), pode-se determinar a concentração
de uma solução com concentração desconhecida (ex.
-Para diluir uma solução, basta adicionar mais solvente. HCl) e portanto a quantidade de matéria (ex. HCl).

-O volume da solução aumenta, mas a quantidade, em


mol, permanece a mesma.
Na equação de neutralização:
1HCl(aq) + 1NaOH(aq) → NaCl(aq) + H2O(l)
A quantidade de matéria de HCl é igual a de NaOH
(1:1), portanto:

Titulação

BROWN, T.L.; Jr, H.E.L. Química a Ciência Central,


9ª ed. . Ed. Prentice Hall. São Paulo, 2005. 972p.

CHANG, R. Química. 5ª ed. Ed. McGraw-Hill.


Portugal, 1994. 1.117p.

48

8
10/02/2014

Você também pode gostar