Você está na página 1de 84

Ser

Mamã
Passos, respostas e sugestões
para a etapa que se aproxima.

1
Olá mamã,
A gravidez é um período privilegiado
na sua vida de mulher. Esperar um
bebé suscita momentos mágicos e
muitas emoções, mas também muitas
interrogações.
Colocam-se muitas questões sobre qual
a melhor maneira de preparar a chegada
do bebé e de como lhe poder oferecer
o melhor de si mesma. Para permitir que
se sinta tranquila e que viva serenamente
estes meses de espera e transformação,
a NESTLÉ vai acompanhá-la a partir de
hoje. Os nossos especialistas estão perto
de si para a aconselhar.

Visite-nos em:

www.nestlebebe.pt

2
3
A Nestle´
deseja sinceramente
que o seu bebeé´
cresca são e feliz.

4
Na fase inicial
de uma gravidez
deve ter em conta
diversos aspetos,
tal como a marcação
rápida de uma consulta
focada em planeamento
familiar onde o seu médico
irá analisar a sua condição e
orientá-la para situações que
poderão ser importantes para a
boa evolução do seu bebé.

5
O primeiro sinal de
uma possível gravidez
é o atraso menstrual e
para comprová-la, terá
que fazer um exame
conhecido como teste
de gravidez a partir
de uma semana de
atraso. Porém hoje, a
prova mais evidente é
dada pela ecografia.

A gravidez traz mudanças radicais para o organismo, que se


manifestam em sintomas muito característicos e perceptíveis desde
o começo da gestação, como seios mais sensíveis, necessidade de ir
mais vezes à casa de banho, em especial à noite, sonolência, pouco
apetite, enjoos, vómitos e outros sintomas que são diferentes de
gravidez para gravidez e de mulher para mulher.

São muitas as alterações e as sensações vividas durante a gravidez,


pelo o que se torna necessário escolher o médico que será o seu
orientador nesta maravilhosa viagem que é a sua gravidez. Uma vez
diagnosticada que está grávida, precisa de conhecer o calendário
estabelecido para o nascimento do seu filho.

6
É mais fácil contar 280 dias (40 semanas)
a partir do 1º dia da última menstruação
como orientador da Data Provável do
Parto (normalmente assinalado DPP). O
seu médico irá falar-lhe em semanas. Não
se preocupe, porque as semanas
obtêm-se contando os dias Como os ciclos
desde a última menstruação e menstruais não são
dividindo-os (por exemplo: iguais, variando de mulher para
última menstruação – U.M. mulher, é regra ser considerado
– 25 de Junho; hoje 22 o termo de uma gravidez o espaço
de tempo que varia entre as 38 e 42
de Outubro – passaram-
semanas. Por isso não estranhe que o
se 140 dias; divide os 140
seu médico, quando estiver tudo dentro
dias por 7 dias, terá as da normalidade, mande aguardar mais
20 semanas de gravidez). uma ou duas semanas para além das
Ele irá orientá-la segundo 40. Depois da certeza da gravidez,
os conhecimentos que tem é necessário consultar o médico
da sua história pessoal e assistente, em especial o seu
sobretudo estreitar a relação médico de família.
de confiança, porque não sendo
a gravidez uma doença, no seu
decurso podem surgir alterações de que
não se apercebe e que poderão ter alguma
repercussão na sua evolução.

7
Não havendo nenhum problema pessoal
anterior, as consultas poderão começara partir
do segundo mês para que o seu médico possa
certificar em tempo útil a idade da sua gravidez
e programar com certeza a
data do parto. As consultas
têm um calendário que
deverá respeitar sempre que
for marcado. Os exames que
lhe serão pedidos durante
a gravidez, as chamadas de
rotinas, são do conhecimento
do seu médico que no
devido tempo, segundo o
calendário estabelecido e
as necessidades que forem
surgindo, a irá informando e
solicitando.

8
As ecografias, hoje em dia de grande utilidade
no estudo do seu bebé, como uma técnica de
apoio ao médico, também têm o seu tempo útil.
É preciso saber utilizá-las e compreender as
informações que trazem.

Alguns medicamentos, durante a gravidez,


têm uma aplicação dirigida. É o caso do ácido
fólico, do ferro, das vitaminas, do cálcio, cujas
prescrições são da competência do médico que a
acompanha e que quando for
altura apropriada, lhe indicará.
Toda outra medicação será
consoante as necessidades e
sempre sob sua orientação ou
conhecimento.

9
Calendário de
nascimento

10
A duração média da gravidez são 266 dias desde o momento da
concepção ou 280 dias desde o primeiro dia da última menstruação.
Estes cálculos são meramente orientativos, por isso não estranhe se
houver um adiamento ou um atraso de cerca de 10 dias. Procure a
data em que começou a última menstruação, o número abaixo (azul)
indica a data aproximada para o nascimento do bebé.

Janeiro
Última Menstruação 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 31
Data prevista nascimento 1 0 1 1 1 2 1 3 1 4 1 5 1 6 1 7 1 8 1 9 2 0 2 1 2 2 2 3 2 4 2 5 2 6 2 7 2 8 2 9 3 0 3 1 1 2 3 4 5 6 7 9
Outubro Novembro

Fevereiro
Última Menstruação 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28
Data prevista nascimento 1 0 1 1 1 2 1 3 1 4 1 5 1 6 1 7 1 8 1 9 2 0 2 1 2 2 2 3 2 4 2 5 2 6 2 7 2 8 2 9 3 0 1 2 3 4 5 6 7
Novembro Dezembro

Março
Última Menstruação 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 31
Data prevista nascimento 8 9 1 0 1 1 1 2 1 3 1 4 1 5 1 6 1 7 1 8 1 9 2 0 2 1 2 2 2 3 2 4 2 5 2 6 2 7 2 8 2 9 3 0 3 1 1 2 3 4 5 7
Dezembro Janeiro

Abril
Última Menstruação 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29
Data prevista nascimento 8 9 1 0 1 1 1 2 1 3 1 4 1 5 1 6 1 7 1 8 1 9 2 0 2 1 2 2 2 3 2 4 2 5 2 6 2 7 2 8 2 9 3 0 3 1 1 2 3 4 5
Janeiro Fevereiro

Maio
Última Menstruação 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 31
Data prevista nascimento 7 8 9 1 0 1 1 1 2 1 3 1 4 1 5 1 6 1 7 1 8 1 9 2 0 2 1 2 2 2 3 2 4 2 5 2 6 2 7 2 8 1 2 3 4 5 6 7 9
Fevereiro Março

11
Junho
Última Menstruação 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29
Data prevista nascimento 1 0 1 1 1 2 1 3 1 4 1 6 1 7 1 8 1 9 1 7 2 0 2 1 2 2 2 3 2 4 2 5 2 6 2 7 2 8 2 9 3 0 3 1 1 2 3 4 5 6 7
Março Abril

Julho
Última Menstruação 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 31
Data prevista nascimento 9 1 0 1 1 1 2 1 3 1 4 1 5 1 6 1 7 1 8 1 9 2 0 2 1 2 2 2 3 2 4 2 5 2 6 2 7 2 8 2 9 3 0 1 2 3 4 5 6 7 9
Abril Maio

Agosto
Última Menstruação 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 31
Data prevista nascimento 1 0 1 1 1 2 1 3 1 4 1 6 1 7 1 8 1 9 1 7 2 0 2 1 2 2 2 3 2 4 2 5 2 6 2 7 2 8 2 9 3 0 3 1 1 2 3 4 5 6 7 9
Maio Junho

Setembro
Última Menstruação 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29
Data prevista nascimento 1 0 1 1 1 2 1 3 1 4 1 5 1 6 1 7 1 8 1 9 2 0 2 1 2 2 2 3 2 4 2 5 2 6 2 7 2 8 2 9 3 0 1 2 3 4 5 6 7 8
Junho Julho

Outobro
Última Menstruação 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 31
Data prevista nascimento 1 0 1 1 1 2 1 3 1 4 1 6 1 7 1 8 1 9 1 7 2 0 2 1 2 2 2 3 2 4 2 5 2 6 2 7 2 8 2 9 3 0 3 1 1 2 3 4 5 6 7 9
Julho Agosto

Novembro
Última Menstruação 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29
Data prevista nascimento 1 0 1 1 1 2 1 3 1 4 1 5 1 6 1 7 1 8 1 9 2 0 2 1 2 2 2 3 2 4 2 5 2 6 2 7 2 8 2 9 3 0 3 1 1 2 3 4 5 6 7
Agosto Setembro

Dezembro
Última Menstruação 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 31
Data prevista nascimento 1 0 1 1 1 2 1 3 1 4 1 6 1 7 1 8 1 9 1 7 2 0 2 1 2 2 2 3 2 4 2 5 2 6 2 7 2 8 2 9 3 0 3 1 1 2 3 4 5 6 7 9
Setembro Outubro

12
A
EVOLUÇÃO
DO BEBÉ durante
a gravidez.

A futura mamã tem o privilégio


de ter dentro de si um novo ser
a desenvolver-se. São 9 meses
intensos que se revestem de
momentos únicos.

13
É durante os 9 meses de gravidez que o bebé
ganha forma e acontece o milagre da vida. Uma
pequena célula desenvolve-se dentro do útero
da mãe, ao qual está ligado pela placenta, órgão
fundamental no seu desenvolvimento, pois é
através dos seus vasos, do seu cordão umbilical,
que vai chegar tudo quanto lhe é necessário. A
completar o seu ambiente, o feto vive no meio
líquido a que chamamos de forma genérica
“Líquido Amniótico”, que é fonte
de informação, assim como de uma
avaliação geral do seu bem-estar
e de protecção, até ao nascimento.

Acompanhe esse desenvolvimento passo-a-passo...

14
1 o mês 2 o mês
5/6 semanas
- O embrião já tem aparência
- Ao fim do 1º mês, o seu bebé humana, mede 30mm e pesa
mede 4/5mm, pesa menos de entre 2 a 8g. Os olhos, a boca,
1g e tem o nome de embrião. as fossas nasais e os outros
- A cabeça já se destaca do orgãos ganham forma.
tronco e começa a ser possível - A cabeça ganha dimensão e
distinguir o esboço dos olhos, há um desenvolvimento dos
das orelhas e da boca, assim membros.
como do estômago, do fígado, - O embrião já começa a mexer
do pâncreas, dos pulmões, do os braços e as pernas.
intestino e do sistema urinário. - O cordão umbilical permite
- Um coração rudimentar a passagem do sangue da
começa a bater por volta do placenta da mãe para o bebé,
25º dia, fazendo assim circular transportando assim energia e
o sangue no embrião através oxigénio.
de um sistema provisório e - As estruturas principais do
autónomo. futuro bebé estão no seu lugar
e a funcionar.

O seu bebé tem o O seu bebé tem o


tamanho de uma tamanho de uma
pequena ervilha. framboesa.

15
3 o mês
- O embrião passa a chamar-se - Os órgãos do sistema
de feto, mede entre 80 e 100 digestivo desenvolvem-se um
mm (cabeça - nádegas) e pesa pouco mais.
entre 40 e 45g. - O feto abre e fecha a boca, este
- A sua cabeça, que constitui processo faz com que engula
metade do seu comprimento quantidades consideráveis de
total e um terço do seu líquido amniótico.
volume, endireita-se e a sua - O coração já se consegue
face adquire um aspeto mais ouvir perfeitamente através do
humano. sistema ultra-som e também
- Constituiem-se as cordas se manifestam movimentos
vocais, os braços e as pernas respiratórios esporádicos.
estendem-se e as unhas dos
Semana 9
pés aparecem.
O seu bebé tem o
- Os órgãos genitais externos, tamanho de uma uva.
nesta fase de desenvolvimento,
encontram-se completamente
Semana 10
diferenciados, apesar de por
O seu bebé tem o
vezes não serem visíveis na tamanho de um figo.
ecografia.

Semana 11
O seu bebé tem o
tamanho de uma lima.

16
4 o mês 5 o mês
20 semanas 24 semanas

- O seu bebé já mede 15 cm e - O feto começa a tomar


pesa 240g. formas definitivas.
- Nesta fase, através de uma - Mede 30 cm da cabeça aos
ecografia, já é possível saber o pés e pesa 600g.
sexo do bebé. - A pele do bebé é vermelha e
- O corpo do feto cobre-se com o corpo dá a sensação de ser
uma espécie de pilosidade, muito magro, por ainda não
formando, na cabeça, uma possuir a reserva de gordura
cabeleira provisória. subcutânea.
- Os globos oculares executam - Aparecem as impressões
alguns movimentos lentos e digitais e o bebé treina os
esporádicos. movimentos respiratórios.
- O coração do bebé já está no - Nesta fase, forma-se a parte
lugar definitivo e bate muito mais evoluída do cérebro e os
depressa (120 pulsações por
alvéolos pulmonares.
minuto).
- O bebé navega no líquido
amniótico, chupa nos dedos e
muda rapidamente de posição.

O seu bebé tem o O seu bebé tem o


tamanho de uma tamanho de uma
banana. meloa.

17
6 o mês 7 o mês
28 semanas 32 semanas
- Mede entre 30 e 35 cm e - O feto mede cerca de 40 cm
pesa de 1000 a 1200g. e pesa cerca de 1700g.
- Já se apercebe da luz, ouve - O bebé começa a ficar mais
os sons e abre os olhos. rechonchudo, os seus olhos
- Começa a “exercitar” alguns abrem e fecham apesar de não
músculos, cerrando os punhos verem mais que a obscuridade.
e mexendo-se imenso todos - Os cabelos tornam-se mais
os dias. abundantes e a sua pele fica
- Possui todos os orgãos enrugada.
necessários à vida e engole 3 - Os 5 sentidos estão bastante
a 4 litros de líquido amniótico. apurados e o bebé não está
mais do que 1 hora sem se
mexer.

O seu bebé tem o O seu bebé tem o


tamanho de uma tamanho de uma
beringela. abóbora-menina.

18
8 o mês 9 o mês
36 semanas 40 semanas
- Nesta fase, o bebé aumenta - No decorrer deste mês, o
consideravelmente de peso, bebé aumenta todos os dias
cerca de 800g, ficando mais de 30g, pesa em média
aproximadamente a rondar 3,3kg e mede 50cm.
- O espaço no útero já é
os 2,5kg, com 45 a 47cm de
reduzido e o seu crescimento
comprimento.
é muito mais lento.
- Este aumento de peso
- O seu crânio ainda não está
corresponde a um confortável completamente solidificado,
panículo adiposo destinado pode inclusivamente mudar
a protegê-lo do frio após o de forma durante o parto.
nascimento. - Assemelha-se bastante ao
recém-nascido que vai ser,
estando já pronto para o
grande acontecimento.

O seu bebé tem O seu bebé tem o


o tamanho de um tamanho de uma
repolho. melancia.

19
Cuidados
escpeciais

20
Coluna Vertebral
Deve combater a tendência natural de dobrar as costas
para a frente quando aumentar o peso do abdómen
porque ao fazê-lo vai forçar a coluna vertebral.

Higiene

É um fator muito importante pois tem uma relação


direta com a saúde. Seis semanas antes do parto
recomenda-se substituir o banho pelo duche para
evitar possíveis infeções.

Edemas
A retenção de líquidos pode ser responsável pelos
inchaços e para os prevenir, deve evitar permanecer
de pé parada e deve beber muita água.

Varizes
As varizes podem evitar-se com grandes e calmos
passeios, que ativarão a circulação do sangue.
Repousar com as pernas para cima também alivia
bastante.

21
Cáries
Outra medida aconselhável é ir ao dentista, visto que
os dentes requerem um controlo exaustivo durante a
gravidez. Não tenha receio de os tratar.

Cançaso e Insónias
Motivado pela falta de ferro nos glóbulos vermelhos
e pelo excesso de peso que o organismo suporta,
o cansaço aparece sempre numa mulher grávida.
Curiosamente, o cansaço da gravidez, sobretudo a
partir do 7o mês, impede o sono em vez de o favorecer.

Sono
Deve dormir pelo menos 8 horas; a falta de sono vai
refletir-se no seu estado geral.

Peso e Alimentação
O seu aumento de peso deverá ser cerca de 20% do
habitual.

22
A
ALIMENTAÇÃO
DA MÃE durante
a gravidez.

A alimentação é um dos fatores que mais influencia o


nosso estado de saúde e essa influência começa muito
antes do nascimento. Isto significa que a alimentação
durante a gravidez é da maior importância não só
para a grávida, mas também para o futuro bebé. É daí
que provêm as matérias-primas para a formação do
novo ser.
Comer bem não é comer por
dois mas sim comer duas vezes
melhor.

23
Este aumento de peso é
muito discreto nos primeiros
meses, acentuando-se no
último trimestre:
• Durante os primeiros 4
meses – cerca de 1,5 – 2kg.
• 5 º e 6º mês – 3kg.
• Último trimestre – 6kg.

Esta situação reflete o


desenvolvimento do bebé
que evolui lentamente no
início, ganhando depois peso
de uma forma muito mais
acentuada:
• Às 10 semanas pesa cerca de 5g.
• Às 30 semanas pesa cerca de 1,5kg (aumento de 300 vezes!).
• Às 40 semanas pesa em média cerca de 3, kg.

O acréscimo de peso no final da gravidez resulta da soma dos


seguintes fatores:
• Peso do bebé – 3,5kg (em média).
• Placenta, líquido amniótico e outras alterações fisiológicas – 4kg.
• Gordura de reserva (destinada à amamentação) – 3,5kg.

24
Um aumento excessivo de peso
não significa necessariamente um
bebé maior e pode mesmo trazer
inconvenientes para o trabalho de
parto e para a própria saúde de
ambos, significando ainda uma
maior dificuldade de recuperação
do peso anterior à gravidez. Por
outro lado, um aumento deficiente
de peso pode interferir no
normal desenvolvimento do
bebé, aumentando o risco
de prematuridade e de
bebés com muito baixo
peso. É importante
referir ainda que
a gravidez não é
uma boa altura para
corrigir problemas
de peso. Mulheres
com excesso de peso
não deverão “fazer
dieta” para emagrecer
durante a gravidez, mas
sim controlar aumentos
excessivos de peso.

25
A alimentação durante a
gravidez deve ser variada
e, em pequenas frações,
ter na sua composição
todos os alimentos
que constituem a
roda dos alimentos.

As Vitaminas
Ácido Fólico
É uma vitamina presente nas folhas verdes, nas carnes, e em especial
nos cereais enriquecidos. A sua importância é grande na prevenção
de algumas malformações do feto, pelo que deve ser administrado
ainda antes da gravidez. É uma das vitaminas cujas necessidades mais
aumentam durante este período.

26
Vitamina C
É essencial para o bom aproveitamento do ferro, ajudando a prevenir
a anemia. Está presente nos frutos, especialmente nos citrinos e no
kiwi.

Vitamina D
É importante para a absorção e fixação do cálcio nos ossos da grávida
e adicionalmente para a formação do esqueleto e dos próprios esboços
dentários do bebé. Está presente nos produtos lácteos gordos ou
meio gordos ou magros enriquecidos.

Água e Fibra
Por razões diversas a obstipação é muito frequente durante a
gravidez. Para a prevenir é essencial uma ingestão adequada de fibra
alimentar, presente nos legumes, frutos e cereais pouco refinados.
Simultaneamente é indispensável beber cerca de 2 litros de água
por dia. Os sumos de fruta naturais e preparados no momento são
também excelentes.

27
Os Minerais
Ferro
É um componente dos glóbulos vermelhos do sangue, que tem a
função de transportar o oxigénio a todas as células e a sua carência
resulta em anemia. A grávida tem necessidades acrescidas de ferro
uma vez que, para além das suas próprias necessidades, está a formar
os glóbulos vermelhos do bebé. Para além da ingestão alimentar de
ferro presente nomeadamente nas carnes vermelhas, é frequente
tomar-se como suplemento.

O Calcio
´
Cálcio
É um componente dos glóbulos vermelhos do sangue, que tem a
função de transportar o oxigénio a todas as células e a sua carência
resulta em anemia. A grávida tem necessidades acrescidas de ferro
uma vez que, para além das suas próprias necessidades, está a formar
os glóbulos vermelhos do bebé. Para além da ingestão alimentar de
ferro presente nomeadamente nas carnes vermelhas, é frequente
tomar-se como suplemento.

28
Como
compor a
alimentaçao
~

diaria
´
29
A alimentação deve ser variada e conter alimentos
de todos os grupos de Alimentos:

Os legumes e a fruta são essenciais pela sua


riqueza em vitaminas, fibra alimentar e água
e simultaneamente baixo valor calórico. Tenha
especial atenção aos legumes crus, que devem
ser muito bem lavados. Fora de casa pode ser
preferível optar pelos legumes cozinhados em vez
das saladas, dada o possibilidade de transmissão
de algumas doenças.

Os cereais e derivados são importantes como


fonte de energia, glícidos complexos, fibra
alimentar, vitaminas e minerais. Neste grupo
deve preferir alimentos pouco refinados por
serem mais ricos em fibra, vitaminas e minerais,
por exemplo o pão de mistura é preferível ao
pão branco. Os cereais de pequeno-almoço
são igualmente uma excelente opção, ricos em
fibra, minerais e vitaminas, nomeadamente ácido
fólico. Ajudando também ao bom funcionamento
intestinal, mantêm uma sensação de saciedade
mais duradoura.

30
Os lacticínios são excelentes fontes de cálcio,
proteínas e vitaminas. A grávida deve beber
diariamente entre 500 e 750 ml de leite ou
equivalentes. O iogurte, para além dos benefícios
do leite como o seu teor em cálcio e em diversas
vitaminas, tem a vantagem de ser de digestão
muito fácil e ajudar a um bom funcionamento
intestinal. Opte por lacticínios meio gordos ou
magros mas enriquecidos, nomeadamente em
vitaminas.

Queijos: no caso do queijo fresco, assegure-se de


que é pasteurizado e verifique as condições de
higiene em que é vendido. Dos restantes queijos
escolha os menos gordos e com menos sal.

As carnes e o peixe são fontes de proteínas por


excelência e diversas vitaminas. As carnes são
igualmente uma fonte de ferro por excelência.
O peixe é rico em gorduras polinsaturadas e em
ácidos gordos essenciais, de extrema importância
para o desenvolvimento do cérebro e da visão do
bebé, essencialmente durante o último trimestre
de gravidez.

31
As gorduras são muito importantes e estão
presentes em praticamente todos os alimentos.
A sua qualidade é particularmente importante
neste período: as gorduras de origem vegetal
como o azeite, são boas fontes de ácidos gordos
essenciais e de preferência devem ser utilizadas
em cru para não perderem as suas qualidades.
Para cozinhar, o azeite continua a ser a melhor
escolha, embora deva ser o menos aquecido
possível.

O que deve privilegiar?


Frutas e legumes (muito bem lavados ou cozinhados).

Cereais (privilegiando os mais ricos em fibra).

Lacticínios (500 – 750ml de leite ou equivalentes por dia, por


exemplo iogurtes).

Um consumo regular de peixe (idealmente 1 refeição por dia)

Água (pelo menos 2 litros por dia).

Refeições regulares (com intervalos de 3 a 3,5 horas).

Comer devagar mastigando bem os alimentos.

32
O que deve evitar?
x Gorduras, principalmente aquecidas (ex. fritos e refogados).

x Açúcar e doces em geral (reservados para ocasiões especiais).

x Sal e produtos salgados (ex. charcutarias, snacks).

x Álcool, café e outras bebidas estimulantes (evitar os refrigerantes


e gaseificadas).

x Carnes mal passadas e legumes crus mal lavados. Eles podem ser
fontes de transmissão de doenças.

x Intervalos longos entre as refeições.

33
Como evitar a obstipação?

A obstipação (prisão de ventre) é um


problema muito comum durante a
gravidez, com tendência para se
agravar ao longo deste periodo.
Devido às alterações hormonais,
próprias da gravidez e da pressão
que o útero em crescimento vai
exercendo sobre o intestino, é
frequente surgir dificuldade no
funcionamento intestinal. Para
evitar esta situação é importante:

• Beber muita água ao longo do dia


(2 litros).

• Consumir diariamente fruta, legumes


e cereais ricos em fibra.

• Fazer exercício físico regularmente.

34
Como lidar com as naúsias e vómitos?

As naúseas e os vómitos são mmuito


frequentes no primeiro trimestre
de gravidez embora por vezes
se prolonguem até mais tarde.
Para lidar com este incómodo é
aconselhável:


• Comer várias vezes ao dia e


pouco de cada vez.

• Evitar refeições com muita gordura.

• Beber muita água em pequenas


quantidades de cada vez.

• Comer alimentos secos como tostas


ou bolachas de água e sal que ajudam
a aliviar as naúseas.

35
Atenção: Tomar medicamentos sem aconselhamento médico é
sempre uma atitude de risco mas durante a gravidez há mais alguém
a sofrer as consequências. Não tome qualquer medicamento sem
consultar o seu médico.

Vida Laboral Outra boa medida para manter o bom ânimo é


continuar a fazer a vida normal. Às mulheres
trabalhadoras a continuidade da sua vida laboral
proporciona-lhes confiança e estabilidade, tendo
em conta as situações em que o repouso seja
indicado pelo médico, ou que o cansaço físico
dificulte a sua actividade.

Vida Diária Rodeie-se de um clima de tranquilidade durante


toda a gravidez. Evite discussões, procure
descansar bastante longe de barulho e ouça
música relaxante. Lembre-se que o seu bebé
ouve os sons exteriores a partir dos 5 meses e
proporcionar-lhe esses momentos de harmonia é
benéfico para ele.

36
O bem-estar Não podemos falar da saúde corporal sem referir
emocional o equilíbrio emocional. A maternidade é, sem
dúvida, umas das experiências mais maravilhosas
e enriquecedoras que uma mulher pode viver.
Contudo, da mesma forma que aparecem
sentimentos de ternura, também surgem receios,
temores e até uma certa hostilidade face ao novo
estado, que a tornam confusa. Deve recordar-se que
todas estas alterações são um reflexo de intensas
secreções hormonais, que provocam na grávida
uma maior instabilidade emocional. Por outro lado,
é normal que uma pessoa adulta se interrogue a
si mesma sobre a sua capacidade para assumir a
responsabilidade de ser mãe. Tente ultrapassar
estas questões, falando com o seu médico e se
necessário poderá ter apoio de um Psicólogo:
sentir-se-á melhor e o bebé será o primeiro a
beneficiar.

37
Em
forma e beleza
durante a gravidez

38
Especialmente durante a
gravidez, é muito importante
que se sinta bem consigo e
com o seu corpo.

39
Beba bastante água para estimular o metabolismo e
tratar muito bem da pele, que se torna mais elástica
e livre de impurezas. Massajar o corpo com um óleo
ou um creme hidratante vai fazer maravilhas.

A aplicação diária de uma loção no rosto e no


pescoço deve fazer parte dos cuidados diários. O
corpo vai mudar consideravelmente, pelo que é
essencial começar por aceitar bem essas mudanças,
sentindo-se bela e resplandecente. Um pouco de
psicologia e desporto vão ser uma ajuda preciosa.
O medo da dor que o parto provoca é um exemplo
daquilo que pode perturbar psicologicamente a
grávida. É essencial que saiba pormenorizadamente
tudo o que se vai passar durante a gravidez e na
altura do nascimento. Se estiver bem informada,
não se vai surpreender nem assustar, aprenderá
a antecipar reações e a ter muita confiança e
tranquilidade.

A prática regular de exercício físico promete um


período de gestação repleto de bem-estar e um
parto mais tranquilo. Os exercícios melhoram
a circulação sanguínea, relaxam, aumentam a
capacidade pulmonar e garantem-lhe energia extra.

40
9
boas razões
para fazer
exercicio
´
41
A ginástica e outros desportos fazem maravilhas pela futura
1 mamã. Atuam fundamentalmente no sistema cardiovascular
da grávida, que nesse período tem um volume muito maior
de sangue em circulação e a ajudam na oxigenação das
células.

Além de melhorar a circulação, a ginástica proporciona


2
um estado de relaxamento que é fundamental nesta fase.
O organismo está a ser submetido constantemente a
situações naturais de stress e emoções.

Ao fazer exercício, vai adquirindo uma maior perceção


3
do seu próprio corpo. Essa consciência faz com que
compreenda melhor todas as transformações que estão
a ocorrer consigo, se sinta mais segura e esteja mais
preparada para o parto.

A ginástica, quando é praticada com frequência, ajuda


4
a queimar calorias e, consequentemente, impede que
aumente muito o seu peso além do necessário.

O corpo em movimento garante um melhor funcionamento


5 dos intestinos, que durante o período da gravidez e no pós-
parto, costumam ficar “preguiçosos”.

42
Os exercícios constantes aumentam a sua capacidade
6
pulmonar e também a ajudam a controlar o ritmo da
respiração.

A ginástica fortalece os músculos das pernas e da barriga,


7
favorece o bom posicionamento da coluna e ajuda a
suportar melhor o peso do bebé.

Com a musculatura fortalecida, o seu desempenho no


8
momento da expulsão do bebé durante o parto será
certamente melhor. A recuperação pós-parto também
é muito mais rápida numa mulher que tenha praticado
exercício físico durante a gravidez.

Exercícios constantes dão uma maior flexibilidade ao corpo


9
e também contribuem com uma dose de energia extra. A
boa forma física deve ser uma meta a alcançar por todas as
futuras mamãs.

Os exercícios de respiração e relaxamento, bem como os exercícios


de solo para a bacia, reforçam os músculos que vão estar implicados
no parto. É, por isso, aconselhável a participação num curso de
preparação para o parto.

O exercício físico é sempre saudável, para o corpo e para o espírito.

43
A Ginástica Pré-Natal

Durante o Parto o trabalho muscular é um fator importante. O útero é


um músculo oco que contém o feto e que se desenvolve junto com ele.
O seu colo, fechado durante a gravidez, dilata-se no momento chave
devido às contrações do músculo uterino. É, assim, necessária uma
boa preparação física para facilitar o parto e torná-lo menos doloroso.
É da opinião consensual entre os médicos e profissionais de educação
física que as mulheres que praticam
exercício físico durante a gravidez têm
um trabalho de parto mais rápido e
suportam melhor as contrações. Se
antes de engravidar já era adepta de
atividades desportivas procure manter
esse hábito, no entanto modere o
ritmo e avalie com o seu professor o
conjunto de exercícios que melhor se
adeque ao seu novo estado. Se nunca
fez ginástica, esta é uma boa altura
para começar. Contudo, antes de se
iniciar converse com o seu médico
para avaliarem a sua condição física e
excluírem a hipótese de a sua gravidez
ser de risco.

44
Ficam aqui algumas sugestões de desportos que se podem
praticar durante a gravidez e outros a evitar.

Quais os desportos a praticar?


Natação;

Passeios a pé;

Jogging (sem esforçar);

Andar de bicicleta (em terreno plano e a um ritmo moderado).

Quais os desportos a evitar?


x Ski;

x Desportos de combate (judo, karaté...);

x Ténis;

x Equitação;

x Aeróbica;

x Desportos onde exista risco de queda.

45
Deve ter escolhido
a Maternidade que
deseja como local para
o nascimento do seu filho,
calmamente, decidida e
pesando todas as vantagens
e inconvenientes. O local deve
sobretudo inspirar-lhe confiança e
possuír o mínimo de condições para
avaliação do seu bem-estar e do seu
filho. O parto em casa, embora com a
vantagem inegável da futura mãe estar
no ambiente mais familiar e caloroso, tem
grandes inconvenientes sobretudo na
capacidade de resoluções de problemas
médicos que porventura possam surgir.

46
Como
saber que o
trabalho de parto
esta´ a começar

47
Não é fácil perceber a proximidade do trabalho de parto, uma vez
que os sinais variam muito de grávida para grávida e de gravidez
para gravidez. Nas últimas semanas de gravidez, é habitual surgirem
contrações uterinas (que se traduzem por um endurecimento)
irregulares, espaçadas, com algum desconforto que podem durar
dias, o que leva a um certo nervosismo ea ansiedade de grávida, que
a pode levar a procurar a maternidade. Porém, podem ter valor e
necessitar de avaliação.

1 Contrações uterinas ritmadas e dolorosas,


inicialmente fracas, mas que vão aumentando de
intensidade e cada vez

2 Rotura das membranas (“saco das águas”) que


pode ser repentina ou lentamente, sem qualquer
outro sinal e que se traduz numa perda de líquido
sempre constante.

3 Expulsão do rolhão mucoso (mais conhecido


como “sinal de parto”).

4 Perdas sanguíneas vaginais.

Diminuição dos movimentos do feto (menos de


5
10 movimentos ao dia).

48
Deverá ter preparado tudo o
que é necessário tanto para o
bebé como para si, (segundo
as orientações que lhe foram
dadas pela enfermeira que
fez o acompanhamento
durante a gravidez), os
contactos do seu médico,
a sua maternidade, o
acompanhante e não se
esqueça do BOLETIM DA
GRÁVIDA, que é o Bilhete de
Identidade da sua gravidez e
do seu filho. E finalmente é o
culminar de 9 meses de espera.

O grande dia aproxima-se e a sua curiosidade aumenta! É um momento


de inegável beleza e realização para a mãe. Uma recordação que irá
acompanhá-la para toda a vida. É o começo de um novo ciclo que se
quer repleto de momentos especiais! Por isso, mantenha-se confiante
e sem medos. A sua colaboração é fundamental para um trabalho de
parto calmo. Vai encontrar uma equipa pronta a ajudá-la, constituída
por médicos obstetras, neonatologistas (médicos pediatras dedicados
aos bebés), anestesistas, enfermeiras especialistas em partos, enfim,
todo um conjunto de profissionais.

49
É fundamental a presença do seu
companheiro, que neste momento vai
continuar o papel determinante de apoio
e incentivo, iniciado já durante toda a
gravidez. Contudo, deve ser uma decisão
conjunta, uma preparação prévia da
parte do pai. A Lei Portuguesa permite
o acompanhamento do pai durante o
trabalho de parto, salvo em situações
contra-indicadas pelo médico que assiste
ao parto.

50
Numa gravidez com uma
“evolução normal” tudo
leva a crer que será
um parto normal mas,
contudo podem ocorrer
situações durante o
trabalho de parto que
desviem o caminho que
foi inicialmente traçado.

O trabalho de parto é um conjunto de modificações ao nível do útero,


que se traduzem por dores, podendo ser lombares ou abdominais,
intermitentes, cuja intensidade varia segundo a fase de dilatação e
da capacidade de tolerância à dor própria de cada grávida. O tempo
é igualmente variável, diminuindo em princípio, com o número de
partos anteriores.

51
O parto vai processar-se em quatro fases, período durante o qual toda
a atenção da equipa está concentrada na mãe e no feto, valorizando
todo o processo, normalmente através de aparelhos, que por vezes
são incómodos, mas necessários.

Dilatação até 5 cm em que as contrações são ainda


pouco intensas, mais espaçadas e normalmente
1ª Fase a fase mais demorada; se não houver nenhuma
contra-indicação, a mãe poderá passear ou estar
sentada.

Até dilatação completa– 10cm, norw


2ª Fase

52
Período expulsivo- serão cerca de 30 minutos,
dependendo do acompanhamento da descida
do feto e de se tratar do 1º parto ou não. O útero
vai contrair no máximo da sua capacidade e é
este o momento mais importante da colaboração
activa da mãe para o parto. Este é o momento
único O NASCIMENTO. O médico e a enfermeira
presentes vão prestar os cuidados imediatos
3ª Fase ao seu bebé, como limpar a boca, aspirar as
secreções das vias respiratórias para facilitar o
choro e a respiração, laquear o cordão umbilical.
Se tudo estiver bem, peça à enfermeira que lhe
coloque o bebé ainda nú sobre a sua barriga. O
seu calor será a continuação da bela relação já
existente entre os dois e na descoberta do seu
bebé, tudo a vai maravilhar: o seu cabelo macio,
as suas orelhas delicadas, as pequeninas mãos e

53
Por
vezes há
necessidade do seu
bebé ser levado para a
Unidade de Cuidados
Intensivos do Recém-Nascido,
por ser prematuro ou ser portador
de algum problema que exija
cuidados especiais. Mantenha-se
calma porque será informada
da situação e terá todo o
apoio do pessoal
da unidade.
A partir desse momento o médico
Neonatologista vai cuidar do seu bebé,
fazer os primeiros exames, pesá-lo.
Normalmente ao nascer não se faz o
1º banho para evitar o arrefecimento
do corpo, embora o ambiente esteja
habitualmente aquecido. Os cuidados
pós-nascimento vão continuar durante o
periodo de internamento.

54
Dequitadura ou seja saída da placenta– cerca
de 20 a 60 min. após o nascimento. A maior
parte das vezes é necessário cortar a região do
períneo para aumentar o espaço e facilitar a saída
do feto. Não tenha medo porque normalmente
esse acto médico é antecedido de anestesia,
o que geralmente evita dores. A sua sutura e
cicatrização são simples, embora por vezes
cause algum incómodo. Mas se não for feita,
poderá trazer mais tarde algumas complicações.
Presentemente a maior parte das Maternidades
têm possibilidades de o parto se realizar
praticamente sem dor mediante a Analgesia
4ª Fase
Epidural. Como qualquer acto médico exige
ponderação, de modo a que a sua aplicação
cumpra os requisitos exigidos. Assim sendo,
se possível, antes do trabalho de parto, deverá
conversar com o seu médico assistente que lhe
poderá dar algumas informações ou orientá-la
para uma consulta com o médico anestesista.
Caso contrário, ao chegar à maternidade informe-
se da sua presença e solicite a informação que
necessita para a sua decisão. Para o seu bem, não
traga ideias formadas por indicação de alguém
que não tenha conhecimentos. Cada pessoa é um
caso e não se transmite.

55
Tipos
de
Parto

Habitualmente os partos dão-se entre as


38 e 40 semanas. Por vezes, há situações
em que ocorrem antes das 37 semanas
e são “Partos Pré-termo” ou Pós-termo
quando atinge as 42 semanas. Uma
vigilância pré-natal é importante para
prevenir estas situações.

56
A grande maioria dos partos termina, segundo se diz, “normal”.
Acontece em algumas situações haver necessidade de ajudas ou de
outras técnicas, o que muitas vezes assusta e angustia a mãe. Estas
situações serão comunicadas à mãe e explicado o motivo. Partos por
via vaginal podem ser ajudados com forceps ou ventosa mediante
indicações, condições, regras previamente conhecidas e sempre no
período expulsivo, o que pressupõe dilatação completa do colo.

Situações em que
o feto apresenta:

1- O sofrimento agudo com necessidade


rápida de nascer.

2- Tem dificuldades em rodar a cabeça.

3- À mãe estão contra-indicados esforços


que possam ser expulsivos ou a sua
colaboração é deficiente.

Às vezes há necessidade de recurso à cesariana. Serão casos bem


identificados, estudados e personalizados.

57
A determinação da idade da sua gravidez é um ponto muito importante,
porque pode acontecer o período destinado para o nascimento, ser
ultrapassado e haver necessidade de o parto ser “desencadeado”,
querendo isto dizer, serem provocadas as dores.

Não fique ansiosa, nem tenha medo porque tudo deverá decorrer como
num parto iniciado espontaneamente. Todas as fases do trabalho de
parto, a intensidade das dores e a sua evolução serão respeitadas. A
paciência e a colaboração materna, assim como a dos familiares, são
importantes e fundamentais.

Na descoberta de um recém-nascido tudo nos maravilha e preocupa:


o seu cabelo macio, as suas orelhas delicadas, as mãos pequenas quase
transparentes, com os dedos e as unhas perfeitamente formados.
Também o médico quer fazer uma exploração do bebé e assegura-se
de que começa a sua caminhada com o pé direito.

O primeiro reconhecimento feito pelo


O pediatra, além de pesar e de medir o
bebé, chama-se “teste de APGAR” e
primeiro serve para determinar a sua vitalidade
geral. Ao longo do internamento o
exame recém-nascido será objeto de um
exame sempre minucioso.

58
O regresso
a casa

59
A chegada do bebé a casa
é sempre motivo de muita
felicidade. Assim se concluem
nove longos meses de espera e de
ilusões, iniciando-se também uma nova
etapa. Mesmo que tenha outros filhos, cada um
deles representa um acontecimento que enche
de alegria e ternura todos os que o rodeiam. É
muito importante que o seu bebé tenha uma
receção calorosa e acolhedora.

60
A integração de um novo ser na rotina doméstica provoca alterações
substanciais. Nas primeiras semanas, é normal que se sinta um pouco
desorientada pela balbúrdia que reina em toda a casa, o choro do
recém-nascido, e os conselhos que receberá de outras mães e amigas;
sem dúvida, antes que se dê conta, o bebé tornou-se um membro da
família, plenamente integrado no seu mundo e que fará as delícias de
todos.

Uma das maiores alegrias que o bebé proporciona aos seus pais é
a oportunidade de observarem os grandes avanços e progressos
que, como ser humano, realiza no seu primeiro ano de existência. É
assombroso, quase um milagre, como em tão pouco tempo pode
passar a assimilar tudo o que se passa à sua volta, pega em objetos,
brinca, reconhece a sua mãe, relaciona-se afetivamente, gatinha e
anda, numa progressiva conquista da sua própria independência

61
Um requisito que intervém decisivamente na formação de uma criança
é, evidentemente, a sua saúde. Cabe-lhe a si zelar por ela, embora deva
fazê-lo não com a inquietação ou insegurança que muitas vezes afeta
as mulheres que são mães pela primeira vez, mas sim com a confiança
proporcionada pelo conhecimento. Para isso, é importante ter o
médico do seu filho que estará sempre apto a ajudá-la a compreender
que a saúde de um bebé assenta na relação entre as suas necessidades
físicas e o seu bem-estar emocional. Seria inútil tratar de uma sem
tentar atender à outra. Nada melhor do que o carinho, manifestar-lhe
um amor intenso, através da voz e das palavras, pelas carícias, e o
contato. Trata-se, portanto, de prolongar essas ligações tão íntimas
que uniram a mãe ao filho durante os nove meses de gravidez.

62
Para que uma criança cresça bem física e mentalmente, tem que
alimentar-se adequadamente. Desde a primeira mamada até à
introdução de uma alimentação variada passam vários meses, durante
os quais a criança se habitua, quase sem dar por isso, a diferentes
sabores e texturas, com a consequente transformação do seu corpo e
das suas capacidades. Esta é a melhor recompensa para a dedicação
e a paciência que lhe consagraram a sua mãe e o seu pai ao lhe darem
de comer. Durante o aleitamento a mãe necessita de beber muitos
líquidos e de comer frequentemente.

É 
muito importante que a chegada da mãe a casa seja calorosa e


acolhedora. O seu companheiro deve encarregar-se disso.

63
CONSELHOS
PARA A
MÃE
durante a
amamentação.

64
A amamentação é a consequência natural da gravidez. Como vimos
anteriormente o organismo prepara-se para esta nobre tarefa,
criando reservas de gordura e quer a mãe, quer o bebé, beneficiam
extraordinariamente com a amamentação. Quando amamenta, a mãe
tem necessidades nutricionais e de energia superiores às do último
trimestre de gravidez, que deve representar um aumento na ordem
das 500 kcal por dia. Por isso, os cuidados com a alimentação deverão
continuar durante este período garantindo o fornecimento adequado
de energia, proteínas, cálcio, vitaminas e com a ingestão de fibras e
água em abundância.
 O leite e derivados, a carne, peixe e ovos, a
fruta, os legumes e os cereais deverão continuar a marcar presença
no dia-a-dia alimentar da mãe.
 Dado que amamentar representa uma
importante perda de água, convém ingerir muitos líquidos (2 a 2,5
litros diários).

Depois do parto, a alimentação da


recém-mamã continua a ser um factor
determinante para ambos:
• Para a mãe, já que deve fornecer tudo
o que o organismo necessita ajudando a
recuperar saudavelmente a forma física;

• E para o bebé, uma vez que, em


princípio, a mãe assegura-lhe a melhor
nutrição que ele pode desejar: o leite
materno.

65
´
Um rapido olhar pelo seu prato

Consuma
frequentemente:
• Fruta fresca e vegetais
Consuma pelo menos 5
porções diárias de vegetais
e frutas. Prefira fruta fresca e
limite o consumo de sumos de
fruta. São fonte de vitaminas,
minerais, fibra e glícidos.

• Pão e Cereais • Leite e derivados lácteos


Coma com abundância pão Opte por leite, iogurtes e
e cereais, incluindo arroz, queijos meio-gordos ou de
massa e leguminosas. Prefira conteúdo com baixo teor de
variedades integrais e tenha gordura. Fornecem proteína,
em atenção aquilo que coloca cálcio e iodo.
no pão. Fornece vitaminas,
minerais, fibra e glícidos.

66
Consuma regularmente mas com moderação:

• Água • Peixe
Tente beber um copo de água Fonte de proteínas e iodo,
de cada vez que amamenta. importantes para o crescimento
Diariamente, tente beber 2 e desenvolvimento. Os ácidos
litros de água. gordos essenciais (como o
ómega 3 e 6), podem ser
encontrados nas gorduras
• Carnes magras, aves e ovos. vegetais (como o azeite) e nos
Opte pelas variedades de peixes de águas frias – tais
carnes mais magras. Contêm como a cavala, o arenque, o
proteína, ferro e vitaminas do salmão e o bacalhau.
complexo B.

Consumo limitado: Use com moderação:


Bebidas com cafeína, como Carnes gordas, molhos muito
café, chá, bebidas energéticas, gordurosos, doces, salgados e
refrigerantes e sumos de fruta fritos.
com elevado teor de açúcar.
Não deverá ainda consumir
álcool e/ou drogas ilícitas e
não deverá fumar.

67
Cuidados com o peito
Algumas dicas Os seios da mãe requerem
muitos cuidados. Para além
importantes da higiene normal com um
sabonete pouco perfumado,
no momento da amamentação,
Posição correta
é muito importante que a mãe
A posição da mãe durante o tenha as mãos bem limpas.
ato de amamentar é muito O peito não necessita de
importante, quer para que o ser limpo antes e depois da
bebé mame sem dificuldades, amamentar o bebé, pois estará
quer para evitar desconforto a retirar a “gordura” produzida
para a mãe, nomeadamente pelas glândulas subcutâneas
dores nas costas. A posição da auréola, que servem de
mais aconselhável é aquela que barreira protetora. Após ter
lhe seja a mais confortável para amamentado cubra os mamilos
si e para o seu bebé. Poderá, com uma gaze esterilizada
por exemplo, ser sentada numa ou um disco protetor. Dado
cadeira ou sofá cómodos, o aumento de volume dos
com os pés apoiados em seios durante a amamentação,
planos ligeiramente elevados devem ser usados soutiens que
e as costas bem apoiadas. À se adaptem perfeitamente ao
medida que vai conhecendo seu peito e reduzam a tensão
o seu bebé, encontrará com tanto da pele, como dos
certeza a posição que mais músculos do peito.
convém a ambos.

68
“O leite e o amor da mãe
são insubstituíveis”, diz
um velho provérbio. Com
efeito, as autoridades sanitárias
de todo o mundo aconselham
amamentar as crianças, pelo menos durante os primeiros
meses, chamando a atenção para o valor do contacto precoce
mãe-filho logo na sala de parto. As razões são várias e põem
em evidência as extraordinárias qualidades do leite materno.

O leite materno, o alimento ideal

69
O Leite materno é o melhor Por outro lado, no decorrer
presente para o seu bebé. Nos de cada mamada, a sua
primeiros meses de vida e até composição também varia;
o mais tarde possível, o ideal é já se comprovou que no final
que o bebé seja amamentado. é quatro vezes mais rico em
Para além do fortalecimento gorduras do que no princípio.
da relação mãe-filho, as O leite digere-se e assimila-se
qualidades do leite materno facilmente. A digestão do leite
proporcionam o alimento ideal materno é muito rápida, porque
ao bebé. Responde a qualquer tem a propriedade de coagular
momento às necessidades no estômago do bebé em
de crescimento do bebé, flocos ligeiros e muito finos que
visto que a sua composição permitem a ação imediata dos
vai evoluindo à medida que sucos gástricos. Além disso,
decorre a amamentação. O favorece o desenvolvimento de
colostro dos primeiros dias uma flora intestinal equilibrada
–cuja secreção é estimulada que se traduz nas caraterísticas
pondo o bebé “ao peito” fezes de cor amarelada e
logo a seguir ao nascimento– consistência semi-líquida.
carateriza-se pela sua riqueza
em proteínas, sais minerais e
substâncias imunoprotetoras.
Sendo que ao fim de vinte
dias a sua composição é mais
constante, tomando então o
nome de leite completo.

70
Protege o bebé de determinadas infeções graças à presença de
anticorpos ou substâncias imunoprotetoras. É naturalmente limpo
e está sempre disponível, à temperatura adequada e pronto onde
quer que esteja, pois passa diretamente do peito da mãe para o
aparelho digestivo. Por outro lado, a amamentação tem a inegável
vantagem de proporcionar à mãe e ao filho momentos de intimidade,
de total comunhão. A criança é particularmente sensível ao contacto
do mamilo materno de onde extrai o seu alimento e muitas vezes
acontece que durante a mamada, enquanto descansa das repetidas
sucções, procure a mãe com o olhar e se sinta seguro com esse calor,
essa proteção, que ela lhe transmite quando o tem nos seus braços.

Para as situações em que não


é possível dar de mamar, há
leites infantis que respondem
perfeitamente às necessidades
O alimentares do seu bebé.
Atualmente existem muitas
aleitamento opções, com diferenças
importantes entre si e por isso
~
a biberao não deve tomar a iniciativa de
procurar um leite para o seu
bebé. Aconselhe-se com o seu
médico ou outro profissional
de saúde que lhe dará todas as
indicações.

71
Em termos gerais podemos agrupar os leites infantis da
seguinte forma:

• Leites para lactentes (Leites 1), desde o nascimento até aos


6 meses de idade. 

• Leites de Transição (Leites 2 e 3) para lactentes a partir dos


6 meses de idade.

• Leites Hipoalergénicos (HA), indicados para lactentes em


risco de desenvolver alergias, por exemplo, lactentes com
familiares alérgicos.

• Leites Especiais, destinados a fins medicinais específicos,


por exemplo, intolerância à lactose ou regurgitação.

• Leites de Crescimento, destinado a crianças entre o 1º e o


3º ano de idade.

72
73
À medida que cresce e se desenvolve, torna-se necessário introduzir,
gradualmente outros alimentos na alimentação do bebé.

Existem várias razões para que assim seja:


• O leite, materno ou de biberão, deixa de ser suficiente para satisfazer
todas as suas necessidades nutricionais;
• É importante que contacte com texturas mais sólidas para que possa
posteriormente mastigar e engolir corretamente os novos alimentos;
• Deve habituar-se a receber alimentos através da colher, o que não é
tão simples como nos parece;

A diversificação alimentar tem


início habitualmente entre os 4
e os 6 meses de idade do bebé
e representa mais uma etapa
do seu desenvolvimento e por
isso mesmo é normalmente
muito desejada pelas mamãs.
Para que tudo corra bem reúna
alguma paciência e muito carinho
e vai ver como é gratificante
ver o seu bebé crescer.

Para saber mais sobre diversificação alimentar, consulte o Guia “A Introdução


dos Sólidos” disponível em www.nestlebebe.pt

74
A higiene
do bebe
´

75
Limpeza dos ouvidos
Limpe com um algodão a zona externa da orelha, sem nunca introduzir
o que quer que seja (por exemplo um cotonete) no canal auditivo.

Limpeza do nariz
Com um cotonete ou ponta de uma toalha humedecidos limpe sem
ir ao fundo das narinas. Se estiverem muito obstruídas, aplique umas
gotas de soro fisiológico para desentupir o nariz e seguidamente
aspire com um aspirador nasal aconselhado pelo seu médico.

Limpeza da cabeça
Deve fazer-se no início do banho, com um sabonete líquido muito
suave e especial para a sua idade e com movimentos circulares que
alcancem a totalidade do couro cabeludo. Ao enxaguar o cabelo, a
cabeça deve estar para cima para que não entre espuma nem nos
olhos, nem na boca.

Limpeza dos olhos


Utilize um algodão humedecido em água previamente fervida, tendo
em atenção que se deve trocá-lo na limpeza de cada olho e sempre
do lado de fora para o nariz.

76
Zona envolvida pela fralda
Lave sempre que necessário com sabonete neutro, evitando
inflamações e irritações provocadas pelo contacto com a urina e as
fezes. Se já se deu a irritação, a melhor solução é aplicar uma solução
aquosa de eosina e deixar algum tempo o rabinho destapado. Se
detetar um eczema ou irritação da pele fora do normal ou prolongados,
deve consultar o médico.

Limpeza dos orgãos genitais


Nas meninas basta limpar a parte externa que se encontra em contacto
com a fralda, sempre no sentido vagina-ânus para não arrastar
micróbios. Nos meninos limpa-se unicamente a zona do prepúcio
deslocada da glande, sem forçar muito e sem puxar para trás a pele
que cobre a glande.

O cuidado com as unhas


Para que o bebé não se arranhe, convém cortar-lhe as unhas das mãos
e dos pés uma vez por semana, com uma tesoura de pontas redondas.
É recomendável fazê-lo depois do banho, visto que a água terá
amolecido as unhas e o bebé ao estar relaxado tem menos tendência
a mexer-se.

77
A festa do banho
O banho é um dos momentos mais divertidos na vida de um bebé.
É, tanto como sentir-se nú, uma fonte de bem-estar. Além disso, o
banho irá ajudá-lo a adquirir hábitos de higiene. Também o iniciará na
brincadeira, tão importante para o desenvolvimento e no conhecimento
do seu próprio corpo. Fortalece igualmente a sua relação com os
adultos. O banho pode realizar-se a qualquer hora do dia, sempre
antes das refeições. Dado o seu caráter relaxante, é recomendável
dar banho aos bebés muito nervosos à noite, o que, somado à última
ingestão de alimentos, proporcionará um sono tranquilo e prolongado.
É importante ter preparada com antecedência a roupa que se vai usar,
bem como todos os utensílios necessários. A duração do banho varia
consoante a idade e os desejos de cada bebé. Ao princípio não se
deve prolongar mais do que cinco minutos, uma vez que os bebés
recém-nascidos são mais sensíveis
ao frio e à fadiga dum banho que
é demasiado prolongado. Mais
tarde, quando já aprecia melhor
o contacto com a água e brinca
com ela, poderá prolongar-se a
sua permanência na banheira.

78
O conhecimento passa
em primeiro lugar pela
captação sensorial. Os
cheiros, as texturas, os
sons, a cor, a temperatura e
a mobilidade dos objetos, tudo
é percebido e progressivamente
assimilado pela criança até adquirir
uma noção completa de tudo o
que a rodeia. No final da gestação,
os sentidos já estão prontos para
começarem a exercitar-se. Vejamos
como se desenvolvem esses sentidos
tão fundamentais no processo de
crescimento.

79
O paladar
Um bebé tem um paladar bem diferente do nosso.
À medida que experimenta novos alimentos, o seu
sentido do paladar vai-se desenvolvendo. Por este
motivo, é aconselhável restringir os alimentos

O olfato
O sentido do olfato está muito desenvolvido
desde o início da vida. Graças a ele, a criança
pode orientar-se nos primeiros dias quando quer
alimentar-se, reconhecendo o mamilo materno e,
mais tarde, a sua própria mãe. O apurado olfato
do bebé vai ajudá-lo a familiarizar-se com o
mundo que o rodeia, permitindo que identifique
os cheiros, tanto dos alimentos, como os da
natureza.

80
A visão
No começo da vida, a visão tem um campo
limitado, pelo que os outros sentidos surgem
mais aperfeiçoados. O recém-nascido só vê a
uma distância de cerca de 25 cm, ainda que já
seja capaz de perceber formas e movimentos. 0
seu maior centro de interesse é o rosto humano,
de tal forma que uma criança de três dias já
identifica a sua mãe com o olhar. Nos primeiros
meses, quando o seu filho passa longas horas
no berço, observa tudo o que o rodeia. A partir
dos seis meses, idade em que já permanece
sentado, a sua visão desenvolver-se-á e além
disso, começará a descobrir-se a si próprio. É o
momento oportuno para o colocar frente a um
espelho, para que comece a identificar-se como
um ser único e autónomo, o que pressupõe um
grande passo em frente na sua evolução, não só
física mas também psicológica.

81
A audição
Este é o sentido que desde o início exerce uma
grande influência na criança porque a ajuda a
concentrar a sua atenção e a assimilar as suas
primeiras e desordenadas sensações. Ainda
no útero, os batimentos cardíacos da mãe
tranquilizavam o feto e, já durante a amamentação,
é aconselhável apoiar o bebé sobre o peito para
que continue a ouvir esses batimentos que lhe
são familiares e que o acalmam nos momentos
de excitação. Além disso, os bebés reconhecem
a voz da mãe desde os primeiros dias, sendo que
desde muito cedo vão começar a virar a cabeça
sempre que a ouvem. Fale ao seu filho perto do
ouvido, com voz suave, o que fortalecerá a relação
afectiva. Dada a intensidade com que o bebé se
apercebe das vibrações sonoras, convém evitar
os sons e ruídos fortes. Não o isole do mundo;
lembre-se que não deve criar um universo
artificial. A música desempenha um papel crucial.
É bom que o bebé comece a ouvi-la e se habitue
a ela desde os primeiros meses de vida, de modo
a que mais tarde faça parte dos seus hábitos.

82
O Tato

Este sentido é fundamental para a percepção do


bebé e está simultaneamente relacionado com a
progressiva coordenação dos movimentos. Não é
em vão que a roca é um dos primeiros brinquedos
do bebé, visto que as suas cores, a facilidade
de manuseamento e a sonoridade permitem
conjugar as sensações visuais, táteis e auditivas.
No aspeto da coordenação, o tato dá-nos a
referência do desenvolvimento infantil. A partir
das seis ou oito semanas o bebé tenta coordenar
os movimentos dos dedos e das mãos, mas os
objetos ainda lhe caiem pois os dedos e a visão
não estão coordenados. Em contrapartida, aos
seis meses, quando já mede bem as distâncias,
a capacidade de agarrar torna-se mais ágil e o
bebé já é capaz de levar à boca uma bolachinha
com toda a facilidade.
Aos nove meses utiliza o dedo polegar e o
indicador como pinça e a partir dos onze meses,
fará a proeza de dar à sua mãe o objeto que
tem na mão. Estimule estes progressos dando
ao seu filho vários objetos para que ele lhes
toque, sempre sob a sua supervisão e aprenda a
distinguir formas e texturas.

83
www.nestlebebe.pt

84