Você está na página 1de 80

APROVISIONAMENTO, LOGÍSTICA E

GESTÃO DE STOCKS
Sandra Tralhão
stralhao@gmail.com
2018

1
OBJETIVOS

Identificar as diferentes etapas da compra e

201

estratégias de negociação com os fornecedores.

Sandra Tralhão
 Estabelecer e implementar metodologias de gestão
de aprovisionamentos e de logística industrial.
 Identificar e analisar os diferentes custos
associados aos stocks e armazenamento.
 Utilizar os principais instrumentos de controlo e
informação de stocks.
 Identificar e caracterizar técnicas de gestão de
stocks. 2
CONTEÚDOS
Logística
Aprovisionamento

201
 A compra na cadeia de abastecimento
 Gestão de fornecedores

Sandra Tralhão
 Etapas do processo de compra
Gestão de stocks
 Introdução e objetivos
 Filosofia de gestão (Abordagem push e pull) e modelos de gestão
 Noção e tipos de stocks
Custos associados aos stocks
 Classificação genérica dos custos
 Tipos de custos
 Descontos/promoções (quantidade, valor, cruzados)e sobrestockagem
Gestão da variação da procura e do nível de stock
 Procura conhecida
 Procura desconhecida 3
AVALIAÇÃO

Instrumentos de avaliação

201
Sandra Tralhão
o Exercícios e fichas de trabalho
o Teste de avaliação

4
LOGÍSTICA

201
Sandra Tralhão
5
https://www.youtube.com/watch?v=JkJoeqLvrYg
LOGÍSTICA

201
Sandra Tralhão
6
https://www.youtube.com/watch?v=5Ec592_jk2s
LOGÍSTICA

A logística é um sistema de atividades relacionadas

201

entre si com o propósito de gerir a ordem dos fluxos

Sandra Tralhão
materiais e do pessoal dentro e ao longo do canal
logístico para se produzir ou comercializar um
determinado bem ou serviço.

7
201 Sandra Tralhão
8
LOGÍSTICA
O QUE É A LOGÍSTICA?

A logística é o processo de planear, implementar e

201

controlar, de forma adequada e eficiente o fluxo e

Sandra Tralhão
armazenamento de bens, do ponto de origem ao
ponto de consumo, de acordo com as necessidades
dos consumidores.

9
OBJETIVO DA LOGÍSTICA
 Tem objetivo colocar a quantidade certa do produto
certo no local certo e no momento certo, nas

201
condições desejadas, contribuindo o mais possível

Sandra Tralhão
para os objetivos da empresa.

10
MISSÃO DA LOGÍSTICA
 A missão da logística implica que as empresas
tenham que conhecer o mercado de modo a prever a

201
procura que se vai registar para que assim possam

Sandra Tralhão
ser calculadas as necessidades.

Mas o que é o mercado?


Haverá vários mercados?

11
DESAFIOS DA CADEIA LOGÍSTICA

Novas realidades …

201
Sandra Tralhão
o liberalização e desregulamentação dos transportes
o pressão competitiva
o evolução das tecnologias de informação e
comunicação
o mudanças nos canais de distribuição

12
DESAFIOS DA CADEIA LOGÍSTICA
Novos desafios …

201
 O aumento de custos de investimento face à necessidade

Sandra Tralhão
de automação e informatização de sistemas de
abastecimento mais integrados e complexos (por vezes
com abrangência internacional);
 O fraco índice de aumento de rentabilidade produzido
pelos elevados investimentos realizados em novas
tecnologias;
 Aumento da concorrência;
 Adoção de estratégias globais com maiores exigências de
qualidade serviço/produto;
 Redução do lead time, e 13
 Adaptação a sistemas de produção mais exigentes (JIT).
ÁREA DE DESENVOLVIMENTO DA
LOGÍSTICA

A otimização das atividades logísticas implica a

201
tomada de decisões que devem ter em conta o carácter

Sandra Tralhão
sistémico e transversal destas atividades.

Para que seja possível a tomada de decisões neste


ambiente de planeamento integrado, é necessário
aprofundar o conhecimento acerca de cada uma das
atividades principais a ter em conta.

14
ÁREA DE DESENVOLVIMENTO DA
LOGÍSTICA

201
Serviço ao cliente

Sandra Tralhão

Engloba ter o produto certo para o cliente certo, no


local certo, nas condições certas e ao tempo certo, ao
custo total mais baixo. Bons serviços ao cliente
implicam a satisfação do mesmo.

15
ÁREA DE DESENVOLVIMENTO DA
LOGÍSTICA

Planeamento e previsão da procura

201

Saber quanto e o que deve ser encomendado aos

Sandra Tralhão
fornecedores, para fazer face às exigências da procura
de produtos finais. Prever as necessidades de cada
mercado da empresa, e planear o transporte e
suprimento do mesmo.

16
ÁREA DE DESENVOLVIMENTO DA
LOGÍSTICA

Gestão de existências

201

Implica gerir o nível do inventário para atingir o nível

Sandra Tralhão
de serviço pretendido pelo cliente.

 Gestão da comunicação
Garantir sistemas de comunicação eficazes e
eficientes, entre fornecedores, clientes, níveis de
venda, por forma a obter vantagens competitivas.
Desta forma será mais fácil conhecer o nível de
procura e providenciar o abastecimento. 17
ÁREA DE DESENVOLVIMENTO DA
LOGÍSTICA

201
Manuseamento dos materiais

Sandra Tralhão

O principal objetivo da gestão dos materiais é


eliminar o manuseamento sempre que possível, o que
inclui a minimização da distância da viagem, níveis
de inventário, estragos, desperdícios, recursos
humanos, etc.

18
ÁREA DE DESENVOLVIMENTO DA
LOGÍSTICA

201
 Processamento das encomendas

Sandra Tralhão
Sistema que decorre desde que a organização aceita
ou faz a encomenda, e a coloca ao dispor do cliente.

 Embalamento
Processos associados ao acondicionamento, proteção e
conservação do produto na perspetiva da logística.
Esta atividade pode incluir objetivo relacionados com
o plano de marketing, nomeadamente na publicidade.
19
ÁREA DE DESENVOLVIMENTO DA
LOGÍSTICA

Localização e transporte

201

Sandra Tralhão
Processos associados à decisão estratégica, de
localização da empresa, armazéns ou entrepostos
comerciais, que afeta os custos de transporte das
matérias-primas e de produtos acabados, o nível de
serviço ao cliente e a velocidade de resposta.
Neste contexto é necessário considerar a localização
dos consumidores, dos fornecedores, dos serviços de
transporte, da cooperação (incentivos ou penalizações)
20
governamentais.
ÁREA DE DESENVOLVIMENTO DA
LOGÍSTICA

Armazenagem e stocks

201

Refere-se aos processos associados à gestão de stocks

Sandra Tralhão
e armazenamento dos produtos, bem como o controlo
de armazém.

o Serviço pós venda


Processos que se iniciam após o momento da
aquisição de um bem ou serviço. Empresas focadas na
satisfação do Cliente não finalizam a relação de
consumo com a aquisição. 21
ÁREA DE DESENVOLVIMENTO DA
LOGÍSTICA

201
Procurement ou aprovisionamento

Sandra Tralhão

Refere-se à aquisição de bens ou serviços fora da


organização com o objetivo de servirem de suporte as
operações normais da empresa. Gere todo o ciclo
logístico entre empresa e fornecedores e os produtos a
adquirir, procurando o melhor processo de negociação.

22
ÁREA DE DESENVOLVIMENTO DA
LOGÍSTICA

201
Logística inversa

Sandra Tralhão

Diz respeito aos processos relacionados com a


distribuição e a remoção dos desperdícios e resíduos
para um local onde possam ser reciclados ou
reutilizados.

23
APROVISIONAMENTO

201
Sandra Tralhão
24
APROVISIONAMENTO

É um processo que tem como foco a relação entre

201

fornecedores e a empresa, composto por um

Sandra Tralhão
conjunto de atividades de gestão e negociação com
vista ao abastecimento da empresa quer de
matérias-primas, componentes de produção,
serviços, produtos acabados e semiacabados,
transportes, etc.

25
APROVISIONAMENTO

Para garantir a disponibilidade das existências no

201

momento certo, é necessário, por um lado, ter um

Sandra Tralhão
sistema logístico de abastecimento eficaz e, por
outro, constituir stocks de artigos que, na sua falta,
possam comprometer o pleno funcionamento da
empresa.

 O aprovisionamento compreende, assim, numa


primeira fase as funções de compra e
posteriormente de gestão e organização
26
administrativa e económica dos stocks.
APROVISIONAMENTO

Isto implica analisar:

201

- quantidades mínimas de encomenda impostas

Sandra Tralhão
pelos fornecedores,
- quantidades económicas de encomenda,
- lead time dos fornecedores,
- oscilações de consumo/procura,
- Mercado

27
SERÁ ISTO O MERCADO?

201
Sandra Tralhão
28
MERCADO
 Designa-se por mercado o local onde os
compradores e vendedores procedem à troca de bens

201
por uma unidade monetária ou por outros bens.

Sandra Tralhão
29
MERCADO
Os mercados tendem a equilibrar-se pela lei da oferta
e da procura no entanto a sua estrutura varia em

201
função:

Sandra Tralhão
 Da quantidade de vendedores (refletem a
oferta)
 Da quantidade de compradores (refletem a
procura)
 Do tipo de produto

 Do acesso a informação

30
PROCURA
 Procura é o conjunto de bens e serviços que os
consumidores estão dispostos a comprar.

201
Sandra Tralhão
 A quantidade procurada depende da quantidade de
moeda que os consumidores estão dispostos a entregar
para obter determinada quantidade de bens.

 A lei da procura afirma que a quantidade procurada de


um bem diminui sempre que o preço do bem aumenta.

 À medida que o preço desce as quantidades procuradas


31

aumentam.
201 Sandra Tralhão
32
PROCURA
OFERTA
A oferta define o conjunto de bens e serviços que os
produtores estão dispostos a vender, no mercado,

201
para cada preço.

Sandra Tralhão
 O produtor só estará disposto a colocar bens e
serviços no mercado desde que o respetivo preço de
venda seja superior ao custo de produção, de modo a
obter um lucro para a empresa.

33
OFERTA
 A Lei da Oferta refere que a quantidade oferecida de
um bem varia na razão direta do respetivo preço.

201
Sandra Tralhão
- À medida que o preço aumenta as quantidades
oferecidas aumentam.
- À medida que o preço diminui as quantidades
oferecidas diminuem.

34
O aprovisionamento implica ir ao mercado,
negociar e comprar!

201
Sandra Tralhão
35
A COMPRA NA CADEIA DE ABASTECIMENTO
A cadeia de abastecimento ocupa-se de todo o circuito
logístico característico de uma aquisição desde a pré

201
compra à avaliação dos fornecedores, geralmente

Sandra Tralhão
designado por compras. O processo de compras tem
como principais objetivos:

 A procura de materiais ao mais baixo custo, em


consonância com a qualidade e serviço pretendidos
pela empresa;
 Atingir os objetivos com o mínimo investimento em
stock;
36
A COMPRA NA CADEIA DE ABASTECIMENTO
 A garantia de continuidade de fornecimento, de
forma a cumprir o planeamento de produção (no

201
caso de empresas produtoras) ou os níveis de

Sandra Tralhão
serviços prestados (empresas prestadoras de
serviços);

 Evitar duplicação, desperdício e obsolescência dos


materiais;

 Manter a posição competitiva da empresa, com uma


constante motivação para os resultados,
37
principalmente no que se refere a materiais;
A COMPRA NA CADEIA DE ABASTECIMENTO

Analisar periodicamente outras possibilidades de

201

fornecimento e custos de aquisição dos artigos mais

Sandra Tralhão
comprados, e

 Sondar continuamente o mercado em busca de


soluções, produtos e serviços novos e alternativas
cuja adoção permita melhorar a eficiência da
empresa e seus resultados.

38
O PROCESSO DE COMPRA
No processo de compra podemos identificar fases
distintas. A divisão que se apresenta em cinco fases,

201
tem por base o momento, linha temporal, de

Sandra Tralhão
ocorrência.
 Pré compra

 Pedido de cotação

 Avaliação de propostas e seleção de fornecedores

 Contrato ou encomenda

 Avaliação de fornecedores

39
O PROCESSO DE COMPRA
Pré compra

201
A fase prévia à formalização da compra propriamente dita

Sandra Tralhão
implica:
 Identificação das necessidades – Identificação dos
recursos disponíveis e dos necessários para o
desenvolvimento da atividade. Os recursos necessários
podem ser mercadoria ou bens de consumo.
 Especificação dos requisitos - identificar com exatidão os
requisitos associados ao fornecimento de existências ou
serviços a adquirir. Estes requisitos podem ser legais,
organizacionais, de produto ou contratuais.
40
O PROCESSO DE COMPRA

Os requisitos legais dizem respeito ao cumprimento

201

da legislação que possa ser aplicada ou à

Sandra Tralhão
necessidade de formalização de seguros (legislação
de saúde e segurança, direitos humanos,
discriminação com base no sexo, relações raciais,
cláusulas por incumprimento, seguros contra roubo,
catástrofes, etc.).

41
O PROCESSO DE COMPRA

Os requisitos organizacionais dizem respeito às

201

políticas e processos implementados nas

Sandra Tralhão
organizações (fornecedora e cliente) relacionados
com o aprovisionamento como por exemplo: método
de encomenda, mecanismos de distribuição, prazos
de entrega, locais de entrega, métodos de
pagamento, publicidade, possibilidade de cedência
de recursos (exemplo mesas, chávenas de café, etc),
descontos comerciais, etc.

42
O PROCESSO DE COMPRA
 Os requisitos do produto permitem uma descrição
pormenorizada das características do bem ou serviço a

201
adquirir. Para que um fornecedor seja capaz de determinar se
tem ou não capacidade para responder às necessidades da

Sandra Tralhão
organização é imperativo que saiba exatamente quais são.

43
O PROCESSO DE COMPRA
 Os requisitos contratuais permitem determinar os termos e
condições do contrato no que se refere a pagamento, condições

201
de pagamento, mercadoria defeituosa, prazos de entrega.

Sandra Tralhão
44
O PROCESSO DE COMPRA
Pedido de cotação – solicitação de propostas

201
 Conhecidas as necessidades e definidos os requisitos são

Sandra Tralhão
analisados os potenciais fornecedores e identificados
aqueles que se enquadram nos requisitos definidos.

 Depois de identificados os fornecedores que podem


suprir as necessidades são solicitadas propostas de
fornecimento de bens ou serviços. Nos convites são
especificados os requisitos dos produtos/recursos a
adquirir e os termos e condições da aquisição.
45
O PROCESSO DE COMPRA
Avaliação de propostas

201
Para tal utilizam-se:

Sandra Tralhão
 Critérios de avaliação (que devem corresponder aos
requisitos identificados)
 Ponderação de cada critério.
 Critérios de veto de proposta.
 implementação de estratégias de negociação (descontos
comerciais, alargamento de prazos de pagamento,
revisão do preço em função da quantidade, …)

Em função da avaliação efetuada será identificado o


fornecedor a quem deve ser dirigida a encomenda. 46
O PROCESSO DE COMPRA

O CONTRATO DE FORNECIMENTO OU ENCOMENDA

201
 Depois de identificado o fornecedor mais adequado e que preenche todos

Sandra Tralhão
os requisitos passa-se à formalização do contrato de fornecimento.

 O contrato incluirá o resumo do fornecimento que foi negociado e


acordado, além de especificar pormenores exatos relativos à data em que
fornecimento deve ser efetuado e à forma como deve ser realizado.

 Caso as entidades envolvidas dispensem esta formalidade poder-se-á


apenas efetuar a encomenda onde são especificados os requisitos
associados ao fornecimento.

47
O PROCESSO DE COMPRA

AVALIAÇÃO DE FORNECEDORES

201
Sandra Tralhão
 Depois de efetuado o fornecimento poderá proceder-se à
avaliação do fornecedor relativamente ao fornecimento
efetuado e atualizar a base de dados de fornecedor caso
haja alterações face à avaliação efetuada anteriormente.

48
TRABALHO DE GRUPO

A fase de pré compra envolve a identificação das

201
necessidades e a especificação dos requisitos (legais,

Sandra Tralhão
organizacionais, de produto ou contratuais)
associados ao fornecimento.

 Imagine que numa determinada empresa é


responsável pelo aprovisionamento de um
determinado bem ou serviço e defina as
necessidades e os requisitos de fornecimento. Com
base nestes elementos elabore um pedido de
49
cotação.
CUSTOS DE
APROVISIONAMENTO DE EXISTÊNCIAS

201
Sandra Tralhão
50
MISSÃO DA ORGANIZAÇÕES
Objetivo principal:
 Prestar um serviço de qualidade aos seus

201
clientes internos e externos.

Sandra Tralhão
 Para prestar um serviço satisfatório a organização
tem que assegurar a disponibilidade dos produtos,
mesmo que a sua produção seja sazonal. Deste
modo, torna-se necessário a constituição de stocks
que permitam manter o produto disponível quando
solicitado.
51
O QUE É UM STOCK?
 Um stock é todo o bem armazenado por
determinado período de tempo, que tem como

201
finalidade o consumo interno da empresa ou a

Sandra Tralhão
satisfação da procura dos clientes.

52
TIPOS DE STOCKS

Os stocks podem ser de:

201
Sandra Tralhão
- Matérias-primas;
- Produtos em curso de fabrico (conjunto de bens que
se encontram em fase de fabrico);
- Produtos acabados;
- Mercadorias;
- Material de consumo corrente;

- etc.
53
IMPORTÂNCIA DA GESTÃO DE STOCKS

A gestão dos stocks é hoje um dos aspetos principais

201

ao nível da gestão das organizações devido:

Sandra Tralhão
- Aos custos que lhe estão associados

- Aos impactos que a gestão pode ter


ao nível da produção e das vendas em
caso de rutura.

54
RAZÕES PARA A CONSTITUIÇÃO DE STOCKS

Possibilidade de usufruir de descontos associados a

201

encomendas de grande quantidade;

Sandra Tralhão
 Necessidade de fazer face às irregularidades das
entregas
 Necessidade de fazer face à variabilidade da
procura.
 Incómodo e os custos associados às encomendas
frequentes.

55
DESVANTAGENS DA MANUTENÇÃO DE
STOCK

201
Sandra Tralhão
- Custos mais elevados
_ Custo de aquisição
– Custos de posse

- Dificuldade de gestão
- Pode esconder problemas de produção

56
O QUE SÃO EXISTÊNCIAS?

•Matérias-primas, componentes, bens em processamento,

201
bens que aparecem em inúmeros pontos desde a

Sandra Tralhão
produção até à distribuição.

•Constituem um investimento muito significativo em


quase todos os ramos de atividade quer esta seja
produtiva ou comercial.

57
TIPOS DE EXISTÊNCIAS

201
1. Em trânsito

Sandra Tralhão
 Existências em trânsito entre níveis do processo
produtivo ou cadeia de abastecimento.

2. Especulativas
 Algumas matérias-primas, por exemplo, podem ser
compradas por razões de especulação de preço.

58
TIPOS DE EXISTÊNCIAS

3. Regulares ou cíclicas

201
 Existências necessárias para satisfazer a procura

Sandra Tralhão
média durante um intervalo de tempo entre
reposições.

4. Stock de Segurança
 Existências para lidar com a incerteza

59
CLASSIFICAÇÃO DOS CUSTOS

201
Custos

Sandra Tralhão
Incidência Variação

Diretos Indiretos Fixos Variáveis


60
CLASSIFICAÇÃO DOS CUSTOS

Custos diretos – São aqueles podem ser imputados

201
diretamente a um determinado bem ou serviço

Sandra Tralhão
produzido pela empresa.

 Matérias primas
 Mão de obra direta
 Custo de transporte

61
CLASSIFICAÇÃO DOS CUSTOS

Custos indiretos – são os custos que estão fora do

201
processo produtivo e que não podem ser imputados

Sandra Tralhão
diretamente ao serviço ou produto produzido devido à
dificuldade de apurar o seu valor.

 Custos administrativos
 Custos financeiros (juros de empréstimos)

 Custos com tecnologia

 Custo com máquinas do processo produtivo

62
CLASSIFICAÇÃO DOS CUSTOS

Custos fixos – São independentes do volume de

201
produção. Existem quer a produção da empresa seja

Sandra Tralhão
elevada ou reduzida, quer se venda muito ou pouco.

 Salários
 Renda de armazém
 Amortização de empréstimos
 Seguros
 Processamento de encomendas
63
CLASSIFICAÇÃO DOS CUSTOS

Custos variáveis – são custos que variam em função

201
do volume de vendas ou unidades produzidas.

Sandra Tralhão
 Matérias primas
 Eletricidade
 Água
 Contratação de serviços
 Transporte

64
OBJETIVO
Disponibilidade de Minimização de Custos
produtos

201
Sandra Tralhão
65
CUSTOS DAS EXISTÊNCIAS
Custos de
aquisição
Custos de

201
obtenção

Sandra Tralhão
Custos de
encomenda

Custos das Custos de Custos diretos


existências posse ou
manutenção
Custos de
oportunidade
Custos de
66
rutura
CUSTOS DAS EXISTÊNCIAS

201
Custos totais das existências

Sandra Tralhão
=
Total dos custos de obtenção
+
Total dos custos de posse
+
Custos de rutura
67
CUSTOS DE OBTENÇÃO DE EXISTÊNCIAS

CUSTOS DE AQUISIÇÃO

201
Sandra Tralhão
 Custo variável associado à compra de uma
determinada quantidade de existências.
 Usualmente proporcional à quantidade
adquirida, podendo haver desconto de
quantidade.

Custo de aquisição = Preço unitário x Quantidade

68
EXERCÍCIO 1

A Papelaria da Esquina fez uma encomenda.

201
Produto Quantidade Preço unitário

Sandra Tralhão
Cadernos pautados 30 0,5 €
Canetas 20 0,2 €
Caixas de lápis de 12 1€
cor

a) Calcule o custo de aquisição da encomenda.


b) Se forem encomendados 50 cadernos o fornecedor faz
um desconto de quantidade de 10%. Qual seria agora
69
o custo de aquisição?
CUSTOS DE OBTENÇÃO DE EXISTÊNCIAS
CUSTOS DE ENCOMENDA

201
 Preenchimento e envio da nota de encomenda,

Sandra Tralhão
 Consulta a fornecedores (preço e prazos)
 Receção de mercadoria
 Controlo de quantidade e qualidade da
mercadoria recebida
 Transporte e manuseamento do produto

O custo administrativo da encomenda e a consulta


a fornecedores não depende da quantidade 70
adquirida. Os restantes variáveis.
EXERCÍCIO 2

Uma empresa de fabrico de móveis precisa de comprar


pau preto para fazer face a uma encomenda de um

201
cliente.

Sandra Tralhão
Funcionário Operação Preço Tempo
hora gasto
Maria Consulta a fornecedores 6€ 4 horas
Manuel Receção de mercadoria 5€ 3 horas
António Processamento da encomenda 6€ 30
minutos

O custo de transporte da madeira foi de 200€ 71


Calcule os custos de encomenda.
CUSTOS DE POSSE DE EXISTÊNCIAS

CUSTOS DE POSSE DIRETOS

201
Sandra Tralhão
É o custo associado à manutenção do artigo em
stock.
 Amortização ou renda de armazém / espaço,

 Encargos com pessoal de armazém

 Equipamento para movimentação (empilhadores)

 Seguros

 Impostos (IVA)

 riscos das existências: deterioração, roubos, 72

danos, obsolescência.
EXERCÍCIO 3
A adega cooperativa de Oiã tem em stock 6000 garrafas de vinho
tinto em processo de envelhecimento durante 3 anos. Cada
garrafa é vendida por 20 euros.

201
 Por mês a adega estima em 100€ o valor da renda do espaço que

Sandra Tralhão
as garrafas ocupam.
 As garrafas têm que ser giradas a cada mês. Esta operação dura
cerca de 3 dias (8 horas cada). O funcionário responsável por este
serviço recebe 3€ / hora.
 A cooperativa paga por ano um seguro contra roubo de 200€.
 Regra geral cerca de 2% das garrafas, ao fim dos 3 anos, não
reúne a qualidade desejada, Deste modo o vinho destas garrafas é
inutilizado.

73
a) Calcule os custos de posse dos 3 anos.
CUSTOS DE POSSE DE EXISTÊNCIAS

201
CUSTO DE OPORTUNIDADE

Sandra Tralhão
É o custo associado ao facto de não ter o capital
disponível para outros investimentos.
Usualmente proporcionais ao stock médio e ao
tempo dos bens em stock.

74
EXERCÍCIO 4
O Manuel dedica-se à compra e venda de propriedades. A semana
passada comprou um terreno por 50.000€ e anda à procura de

201
alguém interessado para proceder à venda.

Sandra Tralhão
Hoje, o José seu amigo, pediu para lhe emprestar 40.000€
prometendo pagar esse valor em quinze dias com juros de 5%.
O Manuel não tinha o dinheiro disponível porque estava investido
no terreno.

Qual o custo de oportunidade desta transação?

75
CUSTOS DE RUTURA DE EXISTÊNCIAS

CUSTOS DE RUTURA

201
Custos provocados pela falta de artigo. Os Custos de

Sandra Tralhão
rutura acontecem quando existe procura não
satisfeita, ou seja, não existem stocks suficientes para
garantir as vendas a todos os clientes.
 Valor das vendas perdidas

 encomenda e transporte de produtos


procurados que não existem em stock
(encomenda especial para satisfazer o cliente)
 imagem da empresa
76
 Perda de cliente
EXERCÍCIO 5
A Batina dedica-se à venda de trajes académicos.
Estranhamente este ano na altura do Natal vários clientes

201
compraram capas para oferecer o que provocou uma rutura de
Stock a 20 de Dezembro.

Sandra Tralhão
Como a procura se manteve nos dias seguintes (cerca de 5
clientes por dia) no dia 22 foi feita uma encomenda de capas.

Para que a encomenda fosse entregue no dia 23 o proprietário


teve de pagar 80€ a um transporte urgente.

Calcule os custos de rutura sabendo que cada capa é vendida a


40€. 77
MINIMIZAÇÃO DOS CUSTOS

201
Sandra Tralhão
78
EXERCÍCIO 6: COMPORTAMENTO DOS
CUSTOS

201
a) Como se comportam os custos de obtenção e rutura

Sandra Tralhão
face à quantidade encomendada?

b) Como se comportam os custos de manutenção (posse)


face à quantidade encomendada?

c) Quando se encontra a quantidade ótima da


encomenda?
79
EXERCÍCIO 7

201
Calcule os custos totais sabendo que:

Sandra Tralhão
 Foram compradas 1000 unidades a um custo
unitário de 3€.
 Os custos de encomenda estão avaliados em 50€.

 Os custos de transporte são de 100€.

 Nos custos de posse deve ser contabilizado o IVA a


pagar que é de 6%.
 Os restantes custos estão contabilizados em 120€.
80