Você está na página 1de 12

Desenvolvimento Pessoal e Promoção de Hábitos de Vida

Saudável

Desenvolvimento Pessoal
Desenvolvimento Pessoal

IDENTIFICAÇÃO DO CURSO

CURSO: DESENVOLVIMENTO PESSOAL E PROMOÇÃO DE HÁBITOS DE VIDA SAUDÁVEL

DURAÇÃO: 25 HORAS DATA: (MÊS/ANO): SETEMBRO DE 2018 LOCAL DE REALIZAÇÃO: RESENDE

FORMADOR/A: CARLOS ALBERTO PEREIRA MOURA

OBJETIVOS

Objetivos Gerais 1. Definir os conceitos de competência, transferibilidade e contextos de aprendizagem.

2. Identificar competências adquiridas ao longo da vida.

Objetivos Específicos 1. Conceitos de competência, transferibilidade e contextos de aprendizagem (formal e informal) – aplicação
(no final da formação do destes conceitos na compreensão da sua história de vida, identificação e valorização das competências
formando deverá ser adquiridas.
capaz de…)
2. Explicar a importância da adoção de uma atitude empreendedora.
3. Reconhecer a importância das principais competências de desenvolvimento pessoal.

CONDIÇÕES DE UTILIZAÇÃO

Todos os conteúdos disponibilizados pelo formador e pela AGITO são propriedade dos mesmos e não podem ser copiados, reproduzidos, citados
ou manipulados, no todo ou em parte.

A AGITO fornece este suporte teórico de forma a possibilitar o acesso dos formandos à informação relativa ao curso que frequenta. Não obstante
o esforço permanente desenvolvido pela AGITO para assegurar a qualidade deste suporte e seus conteúdos, estes assumem um carácter geral,
podendo, eventualmente traduzir alguma informação desatualizada.

A AGITO não pode garantir que a informação disponível neste manual reproduza exatamente as fontes consultadas, pelo que a sua
disponibilização não dispensa a consulta dos documentos de origem, disponibilizados em bibliografia no final deste documento. A informação
apresentada neste manual não pode ser alterada ou explorada comercialmente sob qualquer forma.

A AGITO não pode garantir que os conteúdos deste manual estejam isentos de erros ou falhas técnicas, declinando qualquer responsabilidade
por eventuais prejuízos que possam surgir na sequência deste suporte teórico.

FORMADOR/A: CARLOS ALBERTO PEREIRA MOURA PÁGINA 2 de 12


Desenvolvimento Pessoal

ÍNDICE

Onde apostar para promovermos o nosso desenvolvimento pessoal?……....……..…………………...………………5

Inteligência emocional......................................................................................................................................................6

Tipos de competências.....................................................................................................................................................7

Identificar competências a desenvolver..........................................................................................................................7

Aprendizagem informal.....................................................................................................................................................7

Aprendizagem não-formal................................................................................................................................................8

Aprendizagem formal........................................................................................................................................................8

A importância da comprovação das competências.......................................................................................................9

Mas que aprendizagens, que competências desenvolver?..........................................................................................9

Identificar os seus constrangimentos.............................................................................................................................9

Avaliação sobre Atitudes e Crenças que promovem o Desenvolvimento Pessoal..................................................10

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS.................................................................................................................................12

FORMADOR/A: CARLOS ALBERTO PEREIRA MOURA PÁGINA 3 de 12


Desenvolvimento Pessoal

SUPORTE TEÓRICO DO CURSO/MODULO

O Desenvolvimento pessoal é uma área de estudo do “Ser” que abarca diversos conhecimentos,
conceitos, recursos e técnicas relacionadas com o desenvolvimento do potencial humano.

Cada “Ser” tem um potencial inato, poderoso e ilimitado que, quando consciencializado e colocado
ao serviço de intenções positivas e grandiosas, dá origem a grandes feitos e grandes realizações dignas do
reconhecimento geral e fundamentais para a auto motivação.

É, assim, essencial apostarmos continuamente no nosso desenvolvimento pessoal e na nossa


formação pois ambas promovem um maior conhecimento de nós próprios e, consequentemente, do nosso
bem-estar.

FORMADOR/A: CARLOS ALBERTO PEREIRA MOURA PÁGINA 4 de 12


Desenvolvimento Pessoal

ONDE APOSTAR PARA PROMOVERMOS O NOSSO DESENVOLVIMENTO PESSOAL?


AUTO-CONHECIMENTO

Devemos procurar ter um profundo conhecimento de nós próprios, das nossas atitudes e do nosso estilo
comunicacional pois a relação que estabelecemos connosco próprios é fundamental para crescermos e, também, para
a qualidade da relação que se consegue estabelecer com os outros indivíduos ao nosso redor.

PLANEAMENTO PESSOAL

Devemos estabelecer metas pessoais ao longo da vida pois as mesmas ajudar-nos-ão a concentrarmo-nos
no que é essencial e a melhorar a nossa gestão pessoal. Saber investir tempo no que é útil para o crescimento interior
e bem-estar.

COMUNICAÇÃO INTERPESSOAL

Promover uma comunicação clara e objetiva com os nossos interlocutores, para o sucesso do processo e
para uma maior e mais eficaz partilha de informações e experiências. Apostar no nosso lado “social” e procurar estar
com pessoas que nos deem a devida atenção, nos façam sentir especiais e nos impulsionem para o que é positivo, nos
motivem e nos chamem a atenção de uma forma construtiva.

EMPREENDEDORISMO

Desenvolver o nosso lado empreendedor, procurando e criando novas soluções que gerem mais riqueza, o
que promoverá o conhecimento e a capacidade de decisão.

MOTIVAÇÃO

Assegurar a nossa motivação intrínseca pois a mesma representa a força interior que nos move e nos
permite explorar e alcançar mais.

(AUTO) FORMAÇÃO

Ter presente que o saber não ocupa lugar e que há sempre coisas novas para aprender. A formação é uma
ferramenta importante para o desenvolvimento e consolidação de competências e a auto-aprendizagem e a pesquisa
de informações são alavancas para a atualização de conhecimentos e para o despertar para novas áreas.

Sair da zona de conforto é dar oportunidade ao desenvolvimento, a novas experiências, à evolução!

FORMADOR/A: CARLOS ALBERTO PEREIRA MOURA PÁGINA 5 de 12


Desenvolvimento Pessoal

INTELIGÊNCIA EMOCIONAL
Um dos principais motores para o desenvolvimento pessoal é a inteligência emocional a qual é definida como
“a capacidade para perceber, gerar e regular as nossas emoções de modo a promover-se o crescimento emocional e
intelectual”.

Como podemos, então, promover a nossa inteligência emocional?

Mudar os nossos hábitos não é tarefa fácil mas é possível. Podemos começar a trabalhar a nossa
inteligência emocional selecionando a atitude que terá maior impacto imediato na nossa vida, atuando repetidamente
até se tornar um hábito e depois seguir a mesma lógica para a atitude seguinte.

Lenta mas seguramente, iremos começar a sentir as mudanças no dia-a-dia, desde que se reserve algum
tempo para gravar estes novos comportamentos, ao mesmo tempo que se fortalece a nossa inteligência emocional.

Aceitar entrar num processo de desenvolvimento pessoal é permitir-se analisar todas as questões vivenciais
que o envolvem, ter uma perceção de quais estão em défice, onde estão os desafios, o que deve ser alterado e o que
pode fazer para obter resultados diferentes e bem-sucedidos.

Um dos principais motores para o desenvolvimento pessoal é a inteligência emocional a qual é definida como
“a capacidade para perceber, gerar e regular as nossas emoções de modo a promover-se o crescimento emocional e
intelectual”.

FORMADOR/A: CARLOS ALBERTO PEREIRA MOURA PÁGINA 6 de 12


Desenvolvimento Pessoal

TIPOS DE COMPETÊNCIAS
As competências podem agrupar-se em diferentes tipos:

1. Competências pessoais, mais ligadas às características e capacidades individuais;


2. Competências sociais, mais utilizadas na relação com os outros;
3. Competências profissionais, mais relacionadas com o desempenho das profissões.

As competências possuídas são recursos para a ação. É fundamental conseguir identificar quais são as
competências possuídas e perceber de que forma podem ser utilizadas para concretizar objetivos.

IDENTIFICAR COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER


A reflexão (pensamento e análise) sobre os conhecimentos e capacidades que possui, permite-lhe identificar
também as competências a desenvolver para concretizar os seus objetivos.

Aprender é melhorar

É importante querer fazer novas aprendizagens e saber que se pode melhorar sempre em tudo o que se faz. Ter
presente que todos os indivíduos estão em constante processo de aprendizagem - na família, no local de trabalho, na
escola ou na comunidade local - desde que nascem, até ao momento em que morrem. As aprendizagens podem ser
informais, não formais ou formais. Todas elas são importantes.

As diferenças que existem entre estes 3 tipos de aprendizagem têm a ver com:

O contexto: as características do meio em que a aprendizagem acontece;

A intenção: a consciência e vontade de aprendizagem por parte das pessoas;

A certificação: o reconhecimento/prova formal da aprendizagem realizada.

Por ano concluem o ensino básico mais de 100 mil alunos?

A taxa de escolarização do ensino secundário (percentagem de pessoas que concluem o secundário) mais do que
sextuplicou (6 vezes mais) nos últimos trinta anos em Portugal?

Todos os anos concluem o ensino superior mais de 60 mil alunos?

Alguns exemplos de indicadores de competências, são:

1. Competências pessoais e para a vida diária;


2. Competência para a formação;
3. Competências em contexto laboral.

APRENDIZAGEM INFORMAL
A aprendizagem informal acompanha de uma forma natural a vida das pessoas e acontece nas atividades do
dia-a-dia, quando se está em casa, ou na rua, sozinho/a ou acompanhado/a, a jogar um jogo ou a preparar o jantar.

Normalmente, este tipo de atividades não é feito com uma intenção clara e objetiva de aprendizagem. Por
isso, na maioria das vezes, as pessoas também não se dão conta de que estão a desenvolver conhecimentos e
aptidões quando estão a realizar as referidas atividades.

FORMADOR/A: CARLOS ALBERTO PEREIRA MOURA PÁGINA 7 de 12


Desenvolvimento Pessoal

Por exemplo, tal como fazer um puzzle ou uma omelete.

Sabia que as aprendizagens que as pessoas fazem ao longo da vida em diversos contextos fora da escola
ou de centros de formação profissional podem ser reconhecidas e valorizadas através de uma certificação?

http://www.iefp.pt/formacao/RVCC/Paginas/RVCC.aspx

APRENDIZAGEM NÃO-FORMAL
A aprendizagem não-formal acontece em contextos como o local de trabalho ou organizações e grupos da
sociedade civil, onde são planeadas atividades educativas e/ou formativas com o objetivo claro da aprendizagem.

No entanto, nem sempre existe um reconhecimento e comprovação formal da aprendizagem através da


atribuição de certificados/diplomas.

Exemplo de aprendizagem não formal: Fazer uma aula de surf ou um curso de topografia.

APRENDIZAGEM FORMAL
A aprendizagem formal é aquela que acontece na escola, local onde as pessoas vão ou sabem que podem ir
com o objetivo específico de aprender e podem ver as suas competências oficialmente reconhecidas e comprovadas
através de diplomas e certificados de habilitações.

Exemplo de aprendizagem formal: Frequentar uma escola do ensino básico ou uma universidade.

FORMADOR/A: CARLOS ALBERTO PEREIRA MOURA PÁGINA 8 de 12


Desenvolvimento Pessoal

A IMPORTÂNCIA DA COMPROVAÇÃO DAS COMPETÊNCIAS


A comprovação de competências é muito importante porque é necessária para o acesso a diversos recursos
e serviços.

Por exemplo, quando se faz uma candidatura de emprego, é exigido um certificado de habilitações que
confirma o nível de escolaridade possuído pela pessoa.

Para poder desempenhar a maioria das profissões é preciso ter a escolaridade mínima obrigatória. Isto quer
dizer que é preciso estudar durante nove anos na escola, ou completar o 9º ano de escolaridade através de outros
programas de aprendizagem não formal e informal que garantam a equivalência ao sistema de ensino formal.

Sabia que a escolaridade mínima obrigatória tem variado ao longo dos anos?

A escolaridade mínima obrigatória não tem sido sempre a mesma, ela tem aumentado ao longo
dos anos.

MAS QUE APRENDIZAGENS, QUE COMPETÊNCIAS DESENVOLVER?


Todas as aprendizagens são importantes!

Perante as várias possibilidades existentes é necessário pensar sobre as competências específicas que se
quer desenvolver.

Que competências são essas?

De que forma podem ser desenvolvidas?

Onde é que esse desenvolvimento de competências pode acontecer?

Atualmente, existe uma oferta formativa muito diversificada que se ajusta às necessidades de cada pessoa e
que permite, por exemplo, que sejam reconhecidas, validadas e certificadas aprendizagens anteriormente realizadas
fora do sistema formal de ensino, isto é, fora do contexto escolar.

IDENTIFICAR OS CONSTRANGIMENTOS DAS APRENDIZAGENS E DAS COMPETÊNCIAS


CONSTRANGIMENTOS À AÇÃO
Os objetivos e metas através dos quais as pessoas se aproximam dos seus sonhos têm de ser viáveis, isto
é, têm de ser possíveis de alcançar, mas devem ser sempre ambiciosos, desafiantes. É natural, por isso, que surjam
dificuldades, que existam alguns constrangimentos à ação que se quer desenvolver.

É importante conseguir identificar esses constrangimentos e ter uma atitude positiva que possa funcionar
como um motor de crescimento pessoal, dando força às pessoas para continuarem empenhados na concretização dos
seus objetivos.

FORMADOR/A: CARLOS ALBERTO PEREIRA MOURA PÁGINA 9 de 12


Desenvolvimento Pessoal

ATITUDES POSITIVAS, COMPORTAMENTOS POSITIVOS


As crenças e atitudes que as pessoas têm perante a vida influenciam a sua própria capacidade de ação e
têm consequências ao nível dos seus comportamentos.

Um iceberg pode ser encarado como um símbolo das nossas atitudes e comportamentos: são as nossas
crenças, valores e atitudes, parte invisível do iceberg, que geram os nossos comportamentos, a parte visível do
iceberg!

É bom encarar os problemas como desafios estimulantes e os erros e falhas como parte integrante do nosso
processo de desenvolvimento. Só assim podemos crescer como pessoas!

Exemplo de procura de emprego - Olhar os problemas como desafios e os erros como aprendizagens.

Teste os seus conhecimentos sobre Atitudes e Crenças que promovem o Desenvolvimento Pessoal.

AVALIAÇÃO SOBRE ATITUDES E CRENÇAS QUE PROMOVEM O DESENVOLVIMENTO PESSOAL


Na seguinte listagem de crenças e atitudes perante a vida que promovem o desenvolvimento pessoal
dos indivíduos, identifique quais são as frases verdadeiras (V) e as frases falsas (F).

1.“Posso dizer não…”


Verdadeiro Falso

2."Vou aumentar a colaboração com aquelas pessoas."


Verdadeiro Falso

3."Tudo o que faço tem erros."


Verdadeiro Falso

4."Eu sou responsável pela minha vida."


Verdadeiro Falso

5."Todas as pessoas têm que gostar de mim."


Verdadeiro Falso

6."Eu não sei nem quero saber!"


Verdadeiro Falso

7."Eu consigo..."
Verdadeiro Falso

FORMADOR/A: CARLOS ALBERTO PEREIRA MOURA PÁGINA 10 de 12


Desenvolvimento Pessoal

8."Devo controlar sempre as minhas emoções."


Verdadeiro Falso

9."Custa-me dizer "não" e quando o faço sinto-me culpado/a."


Verdadeiro Falso

10."Para mim tanto faz! Também quando falo, não me ouvem!"


Verdadeiro Falso

11."Tenho de me sentir sempre bem comigo mesmo."


Verdadeiro Falso

12."Não devo mudar de opinião."


Verdadeiro Falso

13."Não posso fazer pedidos."


Verdadeiro Falso

14."Posso dizer aquilo que sinto e penso desde que seja de uma forma adequada..."
Verdadeiro Falso

15."Eu não consigo!"


Verdadeiro Falso

FORMADOR/A: CARLOS ALBERTO PEREIRA MOURA PÁGINA 11 de 12


Desenvolvimento Pessoal

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

1. Http://www.humanus.pt
2. CHIAVENATO, Idalberto. Gestão de Pessoas. O novo papel do recursos Humanos nas organizações.
4º Edição. 3º Reimpressão. Barueri – SP: Manole, 2015.

FORMADOR/A: CARLOS ALBERTO PEREIRA MOURA PÁGINA 12 de 12