Você está na página 1de 4

1

DISCIPLINA: Noções de Direito

ALUNO Gabriel Frechiani de Oliveira


POLO Alto Longá

Cada questão vale 1,0 (um ponto)


1. Para o Direito Civil, personalidade é um conjunto de características próprias da pessoa
reconhecida pela ordem jurídica, como forma de garantir a aptidão para aquisição de
direitos e deveres. Contudo apesar de ser essa uma discursão antiga, ainda há muita
polêmica doutrinária envolvendo o início da personalidade civil. Quais as teorias que
falam sobre o início da personalidade e o que cada uma delas apresenta.

R:. De acordo com apostila de Noções de Direito público e privado para a administração,
existem três principais sobre o início da personalidade: 1) Teoria natalista que a personalidade
jurídica inicia-se a partir do nascimento da vida, assim tendo expectativa de vida e direitos; 2)
Teoria concepcionista que a personalidade inicia-se no momento da concepção, mais
especificamente no momento de fecundação, assim detendo todos os direitos garantidos por lei,
logo sendo um sujeitos de direitos ; 3) Teoria da Personalidade Condicional que a personalidade
é aplicada ao pretérito do nascimento, assim conferindo uma proteção jurídica que alçando no
passado, sendo sujeitos de direitos.

2. O termo nascituro significa “aquele que há de nascer”. É o ser que já foi gerado ou
concebido, mas ainda não nasceu, embora tenha vida intrauterina e natureza humana. O
ordenamento jurídico garante alguns direitos ao nascituro. Cite alguns exemplos.

R:. O nascituro é termo utilizado para designar há de nascer, destarte, possuindo uma
expectativa de direito, como: a) o nascituro é titular de direitos personalíssimos (vida, honra e
imagem); b) receber doação ou testamento (herança e legado); c) pode ser parte em um processo
judicial (ativa ou passiva)
2

3. Em termos técnicos Pessoa Jurídica pode ser definida como a união de pessoas naturais
ou de patrimônios, com o objetivo de atingir determinadas finalidades, sendo reconhecida
pela ordem jurídica como sujeito de direitos e obrigações. Porém existem alguns
pressupostos para a constituição de uma pessoa jurídica. Quais são eles?

R:. De acordo com a apostila da disciplina de Noções de direito, os pressupostos de existência


da pessoa jurídica são: a) vontade humana criadora: interesse de indivíduos na formação de uma
entidade; b) licitude de sua finalidade: possuir um objeto licito em concordância a moralidade
dos atos e objetivos almejados; c) obediência aos requisitos impostos pela lei: necessidade das
pessoas jurídicas em se submeter as legislações jurídicas vigentes.

4. Se procurarmos o sentido comum da palavra obrigação encontraremos como sinônimo


o termo responsabilidade. Entretanto, para o direito, obrigação e responsabilidade são
coisas distintas, podendo inclusive existir obrigação sem responsabilidade e
responsabilidade sem obrigação. Dentro desse contexto diferencie obrigação de
responsabilidade.
R:. De acordo com a apostila de Noções de direito a obrigação é “o vínculo jurídico que confere
ao credor (sujeito ativo) o direito de exigir do devedor (sujeito passivo) o cumprimento de
determinada prestação”, enquanto a responsabilidade é a “autorização dada pela leia ao credor
que não foi satisfeito, de acionar o devedor, alcançando seu patrimônio que responderá pela
obrigação”.

5. Em uma classificação básica das obrigações essas podem ser divididas em obrigação de
dar, fazer e não fazer. Nas obrigações de fazer interessa ao credor a própria atividade do
devedor se subdividindo em obrigações de fazer fungível ou infungível. Qual a diferença
entre elas?
R:. Essas duas obrigações de fazer fungível ou infungível estão relacionados na obrigação de
fazer: a) fungível: basicamente quando um bem é emprestado e em outra pode ser devolvido
um outro bem compensando o mesmo valor do bem emprestado, exemplo, você emprestou 10
reais para uma pessoa, ela não tem condição de te pagar em dinheiro, dando uma galinha em
troca da dívida, pagando a dívida e zerando o compromisso (aplica-se a coisa do cotidiano e
valor de troca); b) infungível, um bem não pode ser substituído por outro devido as suas
característicos, tipo um obra de arte, um filho, um imóvel especifico, um objeto de afeto. Isso
são coisas que dificilmente se aplica a teoria da fungibilidade, logo e por isso são infungíveis.
3

6. Contrato pode ser definido como um acordo de vontades (negócio jurídico bilateral ou
plurilateral) que tem por fim a aquisição, resguardo, transformação, modificação ou
extinção de relações jurídicas de natureza patrimonial. Cite quais os elementos essenciais
para a constituição de um contrato.

R:. De acordo com a apostila da disciplina de Noções de Direito, os elementos essenciais para
a existência de um contrato: a) duas ou mais pessoas (naturais ou jurídicas); b) capacidade plena
das partes (representações ou assistência dos incapazes); c) consentimento sem vícios; d) objeto
lícito, possível determinando ou determinável e economicamente apreciável; e) forma prescrita
ou não defesa em lei.

7. Entre os princípios aplicados as relações contratuais tem o princípio da obrigatoriedade


das convenções, também consagrado pela expressão em latim pacta sunt servanda. Sobre
o que trata tal princípio?

R:. De acordo com a apostila de Noções de Direto, esse princípio trata da obrigatoriedade das
convenções, onde o simples acordo de duas ou mais pessoas é o suficiente para a elaboração de
um contrato (princípio de consensualismo) e ligar as partes para cumprimento das obrigações
pactuadas.
8. Uma das espécies mais comuns de contrato é o contrato de compra e venda. Qual a
obrigação das partes nessa espécie de contrato?

R:. A obrigação de um dos contratantes se obriga a transferir o domínio de certo objeto e outro
a pagar pelo valor acordado para adquirir um certo objeto.

9. Como são denominadas as partes de um contrato de locação?

R:. De acordo com a apostila de Noções de direito, as partes de um contrato de locação são
locador ou senhorio (dono do imóvel alugado) e locatário ou inquilino (quem aluga o imóvel).

10. O empréstimo é o negócio pelo qual uma das partes recebe coisa alheia para utilizá-la,
obrigando-se a devolver a mesma coisa ou devolver outra da mesma espécie e quantidade.
4

Existe duas modalidades de empréstimo, o mútuo e o comodato. Qual a diferença entre


elas?

R:. A primeira modalidade de empréstimos: 1) empréstimo mutuo existe uma transferência de


uma propriedade emprestada, obrigando o mutuante a restituir alguma forma de pagamento
pelo empréstimo do bem fungível no mesmo gênero, quantidade e qualidade; 2) empréstimo de
comodato é uma forma de cessão gratuita e temporária de uma coisa infungível (casa,
automóvel), ao termino do emprego devendo restituir o bem a pessoa que emprestou.