Você está na página 1de 991

Motores Diesel

PowerTech™ E de 4,5
e 6,8 L: Sistema Eletrônico
de Comb. Nível 16 com
HPCR Denso

MANUAL TÉCNICO
Motores Diesel PowerTech E de 4,5 e 6,8
L — Sistema Eletrônico de Combustível
Nível 16 com HPCR Denso
CTM507 16JUL09 (PORTUGUESE)

Para informações completas sobre manutenção


consulte também:

Motores Diesel PowerTech de 4,5 L e


6,8 L—Motor Base ............................................... CTM206
Alternadores e Motores de Partida .................... CTM77
(Disponível
Somente em
Inglês)
Acessórios de Motores OEM.............................. CTM67
(Disponível
Somente em
Inglês)

John Deere Power Systems


LITHO IN U.S.A.
Introdução
Introdução
Este manual foi escrito para técnicos experientes. As
As informações são organizadas em grupos e seções
ferramentas necessárias para executar determinados
para os diversos componentes que requerem instruções
trabalhos de manutenção são identificadas neste manual
de serviço. No início de cada grupo estão os resumos do
e recomendadas para esses fins.
que será abordado.
Este manual (CTM502) cobre somente o Sistema
Antes de iniciar reparos em um motor, limpe­o.
Eletrônico de Combustível Nível 16 com Linha Comum de
Alta Pressão (HPCR) Denso e 2 válvulas por cilindro para Este manual contém as unidades Métricas do SI,
motores PowerTech “E”. É um de sete volumes sobre imediatamente seguidas pelas unidades de medida
motores de 4,5 L e 6,8 L. O manual complementar a habituais dos EUA. A maior parte do maquinário destes
seguir aborda o motor base. motores é dimensionada pelo sistema métrico.
• CTM206—Motor Base Alguns componentes deste motor podem passar por
manutenção sem a remoção do motor da máquina. Veja
Viva com segurança: Leia as mensagens de segurança o manual técnico específico para obter informações sobre
contidas na introdução deste manual e os avisos de componentes que podem passar por manutenção sem
cuidado apresentados por todo o texto. remover o motor da máquina e para procedimentos de
remoção e instalação do motor.
Este é o símbolo de alerta de segurança. Quando vir
este símbolo na máquina ou neste manual, fique atento Leia completamente cada bloco do material antes de
à possibilidade de lesões pessoais. realizar manutenção para verificar as diferenças nos
procedimentos ou especificações.
Use este manual técnico de componentes em conjunto
com o manual técnico da máquina. Uma lista de AVISO, "PROPOSITION 65" DO ESTADO DA
aplicações, na Seção 01, Grupo 001, identifica a relação CALIFÓRNIA: O Estado da Califórnia alerta que os
modelo­produto/modelo­tipo de componente. Consulte o gases de escape dos motores Diesel e alguns de
manual técnico da máquina para obter informações sobre seus componentes podem causar câncer, defeitos
remoção e instalação de componentes e como acessar congênitos e outros danos reprodutivos.
os componentes.
CD03523,000016D ­54­30MAY07­1/1

CTM507 (16JUL09) Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=2
Conteúdo
Seção 01—Informações Gerais
Grupo 000—Regulamentos de Segurança
Grupo 001—Identificação do Motor
Grupo 002—Combustíveis, Lubrificantes e Líquido de
Arrefecimento

Seção 02—Reparos e Ajustes


Grupo 090—Reparações e Ajustes no Sistema
Eletrônico de Combustível
Grupo 110—Reparação e Ajuste do Controle Eletrônico
do Motor

Seção 03—Teoria da Operação


Grupo 130—Operação do Sistema Eletrônico de
Combustível
Grupo 135—Operação do Escape e da Admissão de Ar
Grupo 140—Operação do Sistema de Controle
Eletrônico

Seção 04—Diagnósticos
Grupo 150—Testes e Diagnósticos Observáveis
Grupo 160—Diagnósticos de Código de Problemas e
Testes

Seção 05—Ferramentas
Grupo 170—Ferramentas e Outros Materiais
Grupo 180—Ferramentas de Serviços de Diagnóstico

Seção 06—Especificações
Grupo 200—Dados de conserto
Grupo 210—Especificações de Diagnóstico

Instrução original. Todas as informações, ilustrações e especificações


neste manual são baseadas nas informações mais recentes disponíveis
no momento da publicação. Reservamo­nos o direito de efetuar
alterações a qualquer momento sem aviso prévio.
COPYRIGHT © 2009
DEERE & COMPANY
Moline, Illinois
All rights reserved.
A John Deere ILLUSTRUCTION ® Manual
Previous Editions
Copyright © 2006, 2007, 2008

CTM507 (16JUL09) i Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8082709
L
PN=1
Conteúdo

CTM507 (16JUL09) ii Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=2
Seção 01
Informações Gerais
Conteúdo

Página Página

Grupo 000—Regulamentos de Segurança Evite o Contato Com Peças


Trabalhe em Área Ventilada ........................ 01­000­1 Quentes ................................................. 01­000­13
Reconheça as Informações de
Segurança ............................................... 01­000­1 Grupo 001—Identificação do Motor
Limpeza da Área de Trabalho ..................... 01­000­1 Informação da Placa de Número
Descarte Adequado dos Resíduos de Série do Motor .................................... 01­001­1
................................................................. 01­000­2 Etiqueta do Código de Opção do
Poeiras de Amianto Prejudiciais.................. 01­000­2 Motor OEM .............................................. 01­001­2
Manipulação de Combustível com Informações Relativas a
Cuidado—Evite Incêndios ....................... 01­000­2 Regulamentos sobre
Emergências................................................ 01­000­3 Emissões ................................................. 01­001­3
Manuseio do Fluido de Partida a Etiqueta da Certificação do Sistema
Frio com Segurança ............................... 01­000­3 de Controle de Emissão .......................... 01­001­3
Manuseio de Fluidos com Cuidado Tabelas de Aplicações do Motor.................. 01­001­4
­ Evite Incêndios ...................................... 01­000­3
Fluidos de Alta Pressão............................... 01­000­4 Grupo 002—Combustíveis, Lubrificantes e
Equipamento Adequado Para Líquido de Arrefecimento
Levantar e Suspender ............................. 01­000­4 Combustível Diesel...................................... 01­002­1
Iluminação da Área de Trabalho Combustível Biodiesel ................................. 01­002­2
com Segurança ....................................... 01­000­4 Minimizar efeitos do inverno nos
Viva com Segurança ................................... 01­000­5 motores diesel ......................................... 01­002­3
Manutenção de Máquinas com Manuseio e Armazenagem do
Segurança ............................................... 01­000­5 Combustível Diesel.................................. 01­002­4
Manusear Produtos Químicos com Lubricidade do Combustível
Segurança ............................................... 01­000­5 Diesel....................................................... 01­002­4
Proteção Contra Ruído................................ 01­000­6 Teste do Combustível Diesel ....................... 01­002­4
Remova a Tinta Antes de Soldar Intervalos de Manutenção de Óleo
ou Aquecer .............................................. 01­000­6 do Motor e do Filtro ................................. 01­002­5
Mantenha Distância de Eixos em Óleo para motores diesel ............................ 01­002­5
Movimento ............................................... 01­000­6 Óleo para amaciamento do motor
Manutenção com Segurança no diesel ....................................................... 01­002­6
Sistema de Arrefecimento ....................... 01­000­7 Filtros de Óleo ............................................. 01­002­6
Siga as Instruções de Segurança................ 01­000­7 Graxa........................................................... 01­002­7
Uso de Ferramentas Adequadas................. 01­000­7 Lubrificantes Alternativos e
Construção de Ferramentas com Sintéticos ................................................. 01­002­7
Segurança no Concessionário ................ 01­000­8 Armazenamento de Lubrificantes................ 01­002­7
Prática de Manutenção Segura ................... 01­000­8 Mistura de Lubrificantes .............................. 01­002­8
Palavras de Aviso........................................ 01­000­9 Líquido de Arrefecimento de
Substituir etiquetas com avisos de Motores Diesel de Serviço
segurança................................................ 01­000­9 Pesado .................................................... 01­002­8
Evite Explosões da Bateria.......................... 01­000­9 Aditivos Complementares............................ 01­002­9
Proteção Contra Borrifos a Alta Operar em Climas de Temperatura
Pressão ................................................. 01­000­10 Quente..................................................... 01­002­9
Evite Aquecer Áreas Próximas às Informações sobre John
Linhas de Fluido Pressurizado .............. 01­000­10 Deere LIQUID COOLANT
Uso de Roupa de Proteção ....................... 01­000­10 CONDITIONER e Líq. de
Esperar Antes de Abrir o Sistema Arrefecimento de Motor Diesel .............. 01­002­10
de Injeção de Combustível de Líquido de Refrigeração para
Alta Pressão .......................................... 01­000­11 Motor a Diesel ....................................... 01­002­11
Manuseio de Produtos Químicos Testar Líquido de Arrefecimento de
Agrícolas com Segurança ..................... 01­000­11 Motor Diesel .......................................... 01­002­11
Manuseio Seguro das Baterias ................. 01­000­12 Intervalos Para Troca do Líquido
Instalação das Proteções do de Arrefecimento de Motores
Ventilador............................................... 01­000­13 Diesel..................................................... 01­002­12

CTM507 (16JUL09) 01­1 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=1
Conteúdo

CTM507 (16JUL09) 01­2 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=2
Grupo 000
Regulamentos de Segurança

Trabalhe em Área Ventilada


O gás de escape do motor pode causar doenças ou até
mesmo a morte. Na necessidade de ligar um motor
em uma área fechada, remova o gás da área com uma
extensão do tubo de escape.

TS220 —UN—23AUG88
Se você não tiver uma extensão do tubo de escape, abra
as portas para a circulação do ar.

DX,AIR ­54­17FEB99­1/1

Reconheça as Informações de Segurança


Este é o símbolo de alerta de segurança. Ao ver este
símbolo em sua máquina ou neste manual, fique atento a
possíveis ferimentos pessoais.
Siga as precauções e práticas seguras de operação

T81389 —UN—07DEC88
recomendadas.

DX,ALERT ­54­29SEP98­1/1

Limpeza da Área de Trabalho


Antes de começar um trabalho:
• Limpe a área de trabalho e a máquina.
• Certifique­se de que todas as ferramentas necessárias
para seu trabalho estejam disponíveis.

T6642EJ —UN—18OCT88
• Tenha as peças certas à disposição.
• Leia todas as instruções completamente; não tente
simplificar o processo.

DX,CLEAN ­54­04JUN90­1/1

CTM507 (16JUL09) 01­000­1 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=7
Regulamentos de Segurança

Descarte Adequado dos Resíduos


Descartar os resíduos de forma inadequada pode
ameaçar o meio­ambiente e a ecologia. Resíduos
potencialmente prejudiciais usados com os equipamentos
da John Deere incluem produtos tais como óleo,
combustível, líquido de refrigeração, fluido para freios,

TS1133 —UN—26NOV90
filtros e baterias.
Use vasilhame à prova de vazamento e fugas ao drenar
os fluidos. Não use vasilhame para alimentos ou bebidas,
pois alguém pode enganar­se e usá­los para a ingestão
de alimento ou bebida.
Não despeje os resíduos sobre o solo, pelo sistema de
drenagem e nem em cursos de água.
Pergunte ao seu centro local do meio ambiente ou de
O vazamento de líquidos refrigerantes do ar condicionado
reciclagem, ou ainda ao seu concessionário John Deere
podem danificar a atmosfera da Terra. Os regulamentos
sobre a maneira adequada de reciclar ou de descartar
do governo podem requerer um centro autorizado de
os resíduos.
manutenção de ar condicionado para recuperar e reciclar
os líquidos refrigerantes usados no ar condicionado.
DX,DRAIN ­54­03MAR93­1/1

Poeiras de Amianto Prejudiciais


Evite respirar a poeira que pode ser produzida ao
manusear componentes que contém fibras de amianto.
A inalação das fibras de amianto pode causar câncer de
pulmão.

TS220 —UN—23AUG88
Os componentes de produtos que podem conter fibras
de amianto são as pastilhas dos freios, os calços
e revestimentos dos freios, as placas e discos de
embreagens, e algumas juntas. O amianto usado nestes
componentes normalmente é contido numa resina ou
isolado de alguma maneira. O manuseio normal não é
perigoso desde que não se produza pó de amianto para
o ar.
Evite produzir pó. Nunca use ar comprimido para limpar. disponível, aplique um borrifo de óleo ou água no material
Evite escovar ou moer material que contém amianto. contendo amianto.
Ao fazer a manutenção, use um aparelho respirador Mantenha as pessoas não envolvidas fora da área de
aprovado. Um aspirador de pó especial é recomendado trabalho.
para limpar amianto. Caso o aspirador não esteja
DX,DUST ­54­15MAR91­1/1

Manipulação de Combustível com


Cuidado—Evite Incêndios
Manipule o combustível com cuidado: é altamente
inflamável. Não reabasteça a máquina enquanto
estiver fumando e nem próximo de chamas ou faíscas
descobertas.
TS202 —UN—23AUG88

Sempre desligue o motor antes de reabastecer a


máquina. Encha o tanque de combustível ao ar livre.
Previna incêndios mantendo a máquina limpa e retirando
acúmulos de lixo, graxa lubrificante e resíduos. Sempre
limpe o combustível derramado na superfície da máquina.
DX,FIRE1 ­54­03MAR93­1/1

CTM507 (16JUL09) 01­000­2 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=8
Regulamentos de Segurança

Emergências
Esteja preparado para qualquer incêndio.
Mantenha um kit de primeiros socorros e o extintor de
incêndio sempre à mão.
Mantenha os números de emergência dos médicos,

TS291 —UN—23AUG88
serviço de ambulância, hospital e bombeiros próximos
do seu telefone.

DX,FIRE2 ­54­03MAR93­1/1

Manuseio do Fluido de Partida a Frio


com Segurança
O fluido de partida a frio é altamente inflamável.
Ao usá­lo mantenha todas as faíscas e chamas afastadas.
Mantenha o fluido de partida a frio longe das baterias e

TS1356 —UN—18MAR92
cabos.
Para prevenir a descarga acidental, ao guardar a lata
pressurizada, mantenha a tampa no contentor e guarde­o
em um local fresco e protegido.
Não incinere ou perfure um contentor com fluido de
partida a frio.
DX,FIRE3 ­54­16APR92­1/1

Manuseio de Fluidos com Cuidado


­ Evite Incêndios
Quando transferir ou utilizar combustível, evite fazê­lo na
proximidade de aquecedores, chamas ou faíscas e não
fumar.

TS227 —UN—23AUG88
Armazene os líquidos inflamáveis em lugar seguro onde
não exista perigo de incêndio. Não perfure nem incinere
vasilhames pressurizados.
Limpe a máquina e retire dela qualquer sujeira, graxas e
outros resíduos.
Não guarde tecidos impregnados de óleo, pois eles
podem inflamar­se espontaneamente.
DX,FLAME ­54­29SEP98­1/1

CTM507 (16JUL09) 01­000­3 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=9
Regulamentos de Segurança

Fluidos de Alta Pressão


As fugas de fluidos sob pressão podem penetrar na pele
e causar ferimentos sérios.
Evite o perigo diminuindo a pressão antes de desligar
uma tubulação hidráulica ou outras linhas. Aperte todas

X9811 —UN—23AUG88
as ligações antes de aplicar pressão.
Procure fugas com um pedaço de cartão. Protega as
mãos e o corpo dos fluidos a alta pressão.
Em caso de acidente, consulte um médico imediatamente.
Qualquer fluido injetado na pele deve ser removido
cirurgicamente dentro de algumas horas ou poderá
resultar em gangrena. Os médicos com pouca
experiência neste tipo de ferimento devem procurar uma Tal informação pode ser obtida no departamento médico
fonte adequada de conhecimentos médicos nesta área. da Deere & Company em Moline, Illinois, E.U.A.
DX,FLUID ­54­03MAR93­1/1

Equipamento Adequado Para Levantar


e Suspender
Levantar e suspender componentes pesados de maneira
incorreta pode causar ferimentos graves ou danos à
máquina.

TS226 —UN—23AUG88
Siga os procedimentos recomendados no manual para a
remoção e instalação de componentes.

DX,LIFT ­54­04JUN90­1/1

Iluminação da Área de Trabalho com


Segurança
Ilumine sua área de trabalho adequadamente e com
segurança. Use uma luz portátil de segurança para
trabalhar dentro ou sob a máquina. Certifique­se de que
a lâmpada esteja em volta de uma carcaça de arame.

TS223 —UN—23AUG88
O filamento quente ou uma lâmpada acidentalmente
quebrada pode inflamar o combustível ou o óleo em
contato.

DX,LIGHT ­54­04JUN90­1/1

CTM507 (16JUL09) 01­000­4 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=10
Regulamentos de Segurança

Viva com Segurança


Antes de devolver a máquina ao cliente, certifique­se
de que a máquina esteja funcionando adequadamente,
especialmente os sistemas de segurança. Instale todos
os protetores e blindagens.

TS231 —54—07OCT88
DX,LIVE ­54­25SEP92­1/1

Manutenção de Máquinas com Segurança


Prenda o cabelo longo atrás da cabeça. Não use gravata,
cachecol, roupas soltas e nem colares quando trabalhar
próximo de máquinas, ferramentas ou de peças móveis
de uma máquina. Se estes objetos se prenderem no
equipamento, poderão resultar em graves ferimentos.

TS228 —UN—23AUG88
Remova anéis e outras jóias para prevenir choques
elétricos ou enroscamento em peças móveis.

DX,LOOSE ­54­04JUN90­1/1

Manusear Produtos Químicos com


Segurança
A exposição direta a produtos químicos nocivos pode
causar graves danos à saúde. Produtos químicos
potencialmente nocivos usados com equipamentos John
Deere incluem itens como lubrificantes, líquidos de

TS1132 —UN—26NOV90
arrefecimento, tintas e adesivos.
Uma Planilha de Dados de Segurança de Materiais
fornece detalhes específicos sobre produtos químicos:
danos físicos e perigos à saúde, procedimentos de
segurança e técnicas de respostas de emergência.
Consulte a Planilha de Dados de Segurança de Materiais
antes de iniciar qualquer tarefa que envolva o uso de
produtos químicos nocivos. Desta maneira será possível (Consulte seu concessionário John Deere para
conhecer exatamente os riscos e como executar as informações sobre Planilhas de Segurança de Dados
tarefas com segurança. Portanto, siga os procedimentos de Materiais para produtos químicos usados com
e use o equipamento recomendado. equipamento John Deere.)
DX,MSDS,NA ­54­03MAR93­1/1

CTM507 (16JUL09) 01­000­5 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=11
Regulamentos de Segurança

Proteção Contra Ruído


A exposição prolongada ao ruído pode causar danos ou
perda de audição.
Use dispositivos de proteção a audição apropriados,
tais como protetores de ouvidos, para proteger contra

TS207 —UN—23AUG88
barulhos altos ou incômodos.

DX,NOISE ­54­03MAR93­1/1

Remova a Tinta Antes de Soldar ou Aquecer


Evite gases e pó potencialmente tóxicos.
Gases perigosos podem ser gerados quando a tinta é
aquecida por solda ou maçarico.
Remova a tinta antes de aquecer:

TS220 —UN—23AUG88
• Remova a tinta no mínimo a 100 mm (4 in.) da área
a ser afetada pelo aquecimento. Se não for possível
remova a tinta, utilize um protetor respiratório aprovado
antes de aquecer ou soldar.
• Se for lixar ou raspar a tinta, evite respirar o pó. Use
um respirador aprovado.
• Se usar solvente ou removedor de tinta, retire o
removedor com água e sabão antes de soldar. Retire
da área os vasilhames de solvente ou de removedor de Faça todo o trabalho de solda em uma área bem ventilada
tinta e outros materiais inflamáveis. Permita que os para dispersar os gases tóxicos e o pó.
gases se dispersem por pelo menos 15 minutos antes Jogue fora a tinta e o solvente adequadamente.
de soldar ou aquecer.
Não use solvente clorado em áreas onde serão feitas
soldas.
DX,PAINT ­54­24JUL02­1/1

Mantenha Distância de Eixos em Movimento


O enrolamento em eixos e cardãs que estejam em
rotação podem causar ferimentos sérios ou morte.
Mantenha a blindagem do trator e as da transmissão no
lugar certo durante o tempo todo. Certifique­se de que as
TS1644 —UN—22AUG95

proteções do cardã girem livremente.


Use roupa justa apropriada. Desligue o motor e
certifique­se de que a transmissão da tomada de potência
(TDP) esteja parada, antes de sejam feitos quaisquer
ajustes e ligações, ou limpeza de qualquer equipamento
acionado pela tomada de potência (TDP).

DX,PTO ­54­12SEP95­1/1

CTM507 (16JUL09) 01­000­6 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=12
Regulamentos de Segurança

Manutenção com Segurança no Sistema


de Arrefecimento
O escape de fluidos pressurizados do sistema de
arrefecimento podem causar queimaduras graves.
Desligue o motor. Remova o tampão de enchimento

TS281 —UN—23AUG88
do reservatório de expansão somente quando o motor
estiver suficientemente frio para tocar­lhe com as mãos.
Afrouxe a tampa lentamente até o primeiro batente para
aliviar a pressão antes de removê­la completamente.

DX,RCAP ­54­04JUN90­1/1

Siga as Instruções de Segurança


Leia atentamente todas as mensagens de segurança
neste manual e os avisos de segurança em sua máquina.
Mantenha os avisos de segurança em boas condições.
Substitua avisos de segurança danificados ou perdidos.
Certifique­se de que novos componentes e peças

TS201 —UN—23AUG88
de reposição do equipamento incluam os avisos de
segurança atualizados. Avisos de segurança para
reposição podem ser encontrados no seu concessionário
John Deere.
Pode haver informações de segurança adicionais não
reproduzidas neste manual do operador, contidas em
peças e componentes oriundos de outros fornecedores.
Aprenda como operar a máquina e como usar os podem prejudicar o funcionamento e/ou a segurança e
comandos corretamente. Não deixe ninguém operar a afetar a vida útil.
máquina sem que tenha sido treinado. Caso não compreenda alguma parte deste manual
Mantenha sua máquina em condições de operação e precisar de assistência, entre em contato com seu
corretas. Modificações não autorizadas na máquina concessionário John Deere.
DX,READ ­54­16JUN09­1/1

Uso de Ferramentas Adequadas


Use as ferramentas apropriadas para o trabalho.
Ferramentas e procedimentos improvisados podem
ameaçar a segurança.
Use ferramentas elétricas somente para afrouxar as TS779 —UN—08NOV89

peças rosqueadas e parafusos.


Para afrouxar e apertar os parafusos, use as ferramentas
de tamanho correto. NÃO use ferramentas de medida
dos E.U.A. em parafusos em milímetros. Evite ferimentos
devido a queda de chaves.
Use somente as peças de manutenção que estão de
acordo com as especificações da John Deere.
DX,REPAIR ­54­17FEB99­1/1

CTM507 (16JUL09) 01­000­7 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=13
Regulamentos de Segurança

Construção de Ferramentas com Segurança


no Concessionário
Ferramentas defeituosas ou partidas podem produzir
ferimentos sérios. Ao construir ferramentas, use materiais
apropriados de boa qualidade e boas técnicas de trabalho.

LX1016749 —UN—01JUL97
Não solde ferramentas a não ser que tenha equipamento
apropriado e a experiência necessária para executar o
trabalho.

DX,SAFE,TOOLS ­54­10OCT97­1/1

Prática de Manutenção Segura


Compreenda o procedimento de manutenção antes de
executar qualquer trabalho. Mantenha a área de trabalho
limpa e seca.
Nunca lubrifique, ajuste ou faça manutenção na máquina
quando esta estiver em movimento. Mantenha mãos, pés
e vestimentas longe de peças acionadas por potência
elétrica ou hidráulica. Desengate todas as fontes de
potência, e opere os controles para aliviar a pressão.
Baixe o equipamento até ao solo. Desligue o motor.
Remova a chave. Permita que a máquina arrefeça.
Apoie de forma segura quaisquer elementos da máquina
que tenham que ser levantados para que a manutenção
possa ser feita.
Mantenha todas as peças em bom estado e
adequadamente instaladas. Repare danos
imediatamente. Substitua as peças gastas ou partidas.
Remova quaisquer acumulações de massa lubrificante,
óleo ou detritos.

TS218 —UN—23AUG88
Em equipamentos com motor, desligue o cabo terra da
bateria (­) antes de fazer quaisquer ajustes nos sistemas
elétricos ou antes de soldar na máquina.
Em implementos rebocados, desligue o conjunto de
cabos de ligação do trator antes de fazer manutenção
nos componentes do sistema elétrico ou antes de soldar
na máquina.
DX,SERV ­54­17FEB99­1/1

CTM507 (16JUL09) 01­000­8 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=14
Regulamentos de Segurança

Palavras de Aviso
Uma palavra de aviso—PERIGO, ATENÇÃO OU
CUIDADO—é usada como símbolo de alerta de
segurança. PERIGO identifica os riscos graves.
Avisos de segurança como PERIGO ou ATENÇÃO estão
localizados próximos de perigos específicos. Precauções

TS187 —54—27JUN08
gerais são indicadas nos avisos de segurança de
CUIDADO. A palavra CUIDADO também chama atenção
para as mensagens de segurança neste manual.

DX,SIGNAL ­54­03MAR93­1/1

Substituir etiquetas com avisos de segurança


Substituir etiquetas com avisos de segurança que estão
em falta ou danificados. Consultar o manual do operador
da máquina para a colocação correcta de etiquetas com
avisos de segurança.

TS201 —UN—23AUG88
DX,SIGNS1 ­54­04JUN90­1/1

Evite Explosões da Bateria


Mantenha faíscas, fósforos acesos ou chamas
descobertas longe da bateria. O gás formado pela bateria
pode explodir.
Nunca verifique a carga da bateria colocando um objeto

TS204 —UN—23AUG88
de metal ligando os bornes. Use um voltímetro ou
densímetro.
Não carregue uma bateria congelada; ela pode explodir.
Aqueça a bateria a 16°C (60°F).

DX,SPARKS ­54­03MAR93­1/1

CTM507 (16JUL09) 01­000­9 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=15
Regulamentos de Segurança

Proteção Contra Borrifos a Alta Pressão


Os borrifos ou spray de bicos de alta pressão podem
penetrar na pele e causar graves ferimentos. Mantenha o
spray longe do contato das mãos e do corpo.
Em caso de acidente, consulte um médico imediatamente.

TS1343 —UN—18MAR92
Qualquer spray de alta pressão injetado na pele deve
ser removido cirurgicamente dentro de algumas horas ou
poderá resultar em gangrena. Os médicos com pouca
experiência neste tipo de ferimento devem procurar uma
fonte adequada de conhecimentos médicos nesta área.
Tal informação pode ser obtida no departamento médico
da Deere & Company em Moline, Illinois, E.U.A.
DX,SPRAY ­54­16APR92­1/1

Evite Aquecer Áreas Próximas às Linhas


de Fluido Pressurizado
A pulverização inflamável pode ser gerada pelo
aquecimento próximo às linhas de fluido pressurizado,
resultando em queimaduras graves para você e outras
pessoas. Não aqueça por soldagem elétrica ou autógena

TS953 —UN—15MAY90
ou com maçarico próximo a linhas de fluido pressurizado
ou outros materiais inflamáveis. As linhas pressurizadas
podem explodir acidentalmente quando o calor se
estender para além da área próxima da chama.

DX,TORCH ­54­10DEC04­1/1

Uso de Roupa de Proteção


Use roupa e equipamento de segurança apropriados ao
trabalho.
A exposição prolongada ao ruído pode causar dano ou
perda de audição.

TS206 —UN—23AUG88
Use dispositivos de proteção da audição apropriados
tais como protetores de ouvidos para proteger contra
barulhos altos ou incômodos.
Operar o equipamento com segurança requer a plena
atenção do operador. Não use rádios nem auscultadores
enquanto estiver operando a máquina.
DX,WEAR ­54­10SEP90­1/1

CTM507 (16JUL09) 01­000­10 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=16
Regulamentos de Segurança

Esperar Antes de Abrir o Sistema de Injeção


de Combustível de Alta Pressão
O fluido a alta pressão que ficar nas linhas de combustível
pode causar ferimentos graves. Só os técnicos
familiarizados com este tipo de sistema devem efetuar
consertos. Em motores com sistema de combustível de

TS1343 —UN—18MAR92
High Pressure Common Rail (HPCR) (Coletor de Alta
Pressão), espere pelo menos 15 minutos (depois do motor
ter parado) antes de desligar as linhas de combustível,
os sensores ou quaisquer outros componentes entre a
bomba de combustível de alta pressão e os bocais.

DX,WW,HPCR2 ­54­07JAN03­1/1

Manuseio de Produtos Químicos Agrícolas


com Segurança
Produtos químicos usados em aplicações agrícolas
como fungicidas, herbicidas, inseticidas, pesticidas,
rodenticidas e fertilizantes podem ser prejudiciais à sua
saúde ou ao meio­ambiente se não forem utilizados com

TS220 —UN—23AUG88
cuidado.
Siga sempre todas as instruções das etiquetas para usar
os produtos químicos agrícolas de maneira eficaz, segura
e legal.
Para reduzir o risco de exposição e ferimentos:
• Use equipamentos de proteção individual adequados
conforme recomendação do fabricante. Na falta de
instruções do fabricante, siga estas diretrizes:
­ Produtos químicos com etiqueta ’Perigo’: Muito
tóxico. Geralmente exigem o uso de óculos de
proteção, máscara respiratória, luvas e proteção para

A34471 —UN—11OCT88
a pele.
­ Produtos químicos com etiqueta ’Atenção’:
Toxicidade intermediária. Geralmente exigem o uso
de óculos de proteção, luvas e proteção para a pele.
­ Produtos químicos com etiqueta ’Cuidado’: Pouco
tóxico. Geralmente requerem o uso de luvas e
proteção para pele.
• Evite inalar vapores, aerossóis ou poeira.
• Tenha sempre sabão, água e toalha disponíveis ao
• Mantenha os produtos químicos em seus recipientes
trabalhar com produtos químicos. Se o produto químico originais. Não transfira os produtos químicos para
entrar em contato com a pele, mãos ou face, lave recipientes sem identificação nem para recipientes
imediatamente com água e sabão. Se o produto usados para alimentos e bebidas.
químico atingir os olhos, lave imediatamente com água.
• Lave as mãos e o rosto após usar produtos químicos e
• Armazene produtos químicos em uma área segura e
trancada longe de alimentos para gado ou pessoas.
antes de comer, beber, fumar ou urinar. Mantenha afastado de crianças.
• Não fume nem coma durante a aplicação de produtos
• Sempre descarte os recipientes da maneira adequada.
químicos. Lave três vezes os recipientes vazios e perfure ou
• Após o manuseio de produtos químicos, sempre tome esmague­os e descarte­os da maneira correta.
um banho e troque suas roupas. Lave as roupas antes
de vesti­las novamente.
• Procure imediatamente atendimento médico caso
tenha sintomas de doença durante ou logo após o uso
de produtos químicos.
DX,WW,CHEM01 ­54­25MAR09­1/1

CTM507 (16JUL09) 01­000­11 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=17
Regulamentos de Segurança

Manuseio Seguro das Baterias

CUIDADO: O gás contido na bateria pode


explodir. Mantenha faíscas e chamas longe
das baterias. Use uma lanterna para verificar
o nível de eletrólito da bateria.

TS204 —UN—23AUG88
Nunca verifique a carga da bateria colocando
um objeto de metal entre os pólos. Use um
voltímetro ou um hidrômetro.
Remova sempre a presilha aterrada (–) da bateria
primeiro e recoloque por último.
Explosão

DPSG,OUO1004,2758 ­54­15OCT07­1/2

CUIDADO: O ácido sulfúrico do eletrólito da


bateria é venenoso. Ele é suficientemente
concentrado para queimar a pele, corroer roupas
e causar cegueira se for respingado nos olhos.
Evite o perigo:
1. Carregando as baterias em uma área
bem ventilada.
2. Usando proteção para os olhos e luvas
de borracha.
3. Evitando respirar os gases quando adicionar
eletrólito na bateria.
4. Evitando derramar ou respingar o eletrólito.
5. Usando o devido procedimento de
ligação direta.
Em caso de contato com ácido por derramamento:
1. Lave a pele com água corrente.
2. Aplique bicarbonato de sódio ou cal na área
atingida para neutralizar os ácidos.
3. Lave os olhos com água durante 15
a 30 minutos. Procure atendimento

TS203 —UN—23AUG88
médico imediatamente.
Se houver ingestão de ácido:
1. Não induza o vômito.
2. Beba grandes quantidades de água
ou leite, porém não mais do que 2 L Ácido
(2 quartos de galão).
3. Procure atendimento médico imediatamente.
produtos químicos reconhecidos pelo estado da Califórnia
como causadores de câncer e danos ao sistema
AVISO: Os pólos, terminais e acessórios relacionados
reprodutor. Lave as mãos após o manuseio.
às baterias contêm chumbo e compostos de chumbo,
DPSG,OUO1004,2758 ­54­15OCT07­2/2

CTM507 (16JUL09) 01­000­12 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=18
Regulamentos de Segurança

Instalação das Proteções do Ventilador


Os ventiladores do sistema de arrefecimento podem
causar sérias lesões quando em rotação.
Mantenha sempre as proteções do ventilador em seus
devidos lugares durante a operação do motor. Use
roupas justas. Desligue o motor e certifique­se de que o

TS677 —UN—21SEP89
ventilador esteja parado antes de fazer ajustes, conexões
ou limpeza próximo à parte dianteira do motor.

Ventilador Giratório
OUO1083,00005FE ­54­15OCT07­1/1

Evite o Contato Com Peças Quentes


Evite o contato da pele com os coletores de escape,
turbocompressores e silenciosos. Mantenha materiais
inflamáveis afastados do turbocompressor.
As peças de escape secas e externas ficam muito

TS271 —UN—23AUG88
quentes durante a operação. O turbocompressor pode
atingir temperaturas de até 500°C (932°F) em carga
total, e coletores de escape aspirados podem chegar
a 600°C (1112°F) em carga total. Isso pode provocar
incêndio em materiais como papel, pano ou madeira.
Peças em motores que estavam em plena carga e foram
reduzidos à marcha lenta sem carga se manterão em
Superfície Quente
aproximadamente 150°C (302°F).
OUO1083,00005FF ­54­22DEC05­1/1

CTM507 (16JUL09) 01­000­13 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=19
Regulamentos de Segurança

CTM507 (16JUL09) 01­000­14 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=20
Grupo 001
Identificação do Motor

Informação da Placa de Número de Série do Motor

CD30857 —UN—21AUG06
RG7778 —UN—11NOV97
Placa de Dados da Aplicação/Número de Série do Motor

A—Placa de Número de Série do B—Número de Série do Motor (13 C—Tipo ou Dados de Aplicação D—Identificação Interna da
Motor dígitos) Fábrica (somente motores de
Saran)

IMPORTANTE: A placa do número de série do motor Cada motor tem um número de série de motor John
pode ser destruída com facilidade. Remova a Deere com 13 dígitos identificando a fábrica que o
placa ou registre a informação em outro local produziu, a cilindrada do motor, o nível de "Classe"
antes de limpar o bloco em "tanque quente". ("Tier") de emissão e um número seqüencial. Veja o
exemplo a seguir:
Número de Série do Motor (B)
CD6068L123456
CD ................................................. Fábrica Que Produz o Motor
6 ..................................................... Número de Cilindros
068 .................................................. Cilindrada em Litros (6,8 Litros)
L ..................................................... Nível de Classe de Emissão
123456 ............................................. Número Seqüencial de 6 Dígitos do Motor
Fábrica Que Produz o Motor
CD ................................................. Saran, França
JO ................................................... Rosario, Argentina
PE................................................... Torreon, México
Nível de Classe de Emissão
L, M ou N .......................................... Motor Com Certificado de Emissão Série 3/Estágio IIIA

Dados da Aplicação do Motor (C) motor/máquina. Veja, mais adiante neste grupo,
TABELAS DE APLICAÇÃO DO MOTOR. Veja o exemplo
A segunda linha de informação na placa do número a seguir:
de série do motor identifica a relação OEM ou
6068HF285
6 ..................................................... Número de Cilindros
068 .................................................. Cilindrada em Litros (6,8 Litros)
H .................................................... Código de Aspiração
F ..................................................... Código de Fábrica do Usuário
285 .................................................. Código da Aplicação
Código de Aspiração
A..................................................... Turbocomprimido e Pós­Refrigerado Ar­a­Líquido de Arrefecimento
D .................................................... Naturalmente aspirado
H .................................................... Turbocomprimido e Pós­Refrigerado Ar a Ar
T ..................................................... Turbocomprimido, Sem Resfriamento Posterior
Código de Fábrica do Usuário
AP................................................... Industries John Deere Mexico S.A. de C.V. (Saltillo/Monterrey, México)

Continua na página seguinte CD03523,000016E ­54­05SEP07­1/2

CTM507 (16JUL09) 01­001­1 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=21
Identificação do Motor

AT .................................................. Agritalia srl (Vittoria, Sicília, Itália)


BE................................................... Bell EquipmentCo. (Richards Bay, África do Sul)
CQ .................................................. John Deere do Brasil (Horizontina, Brasil)
DW .................................................. John Deere Davenport Works (Davenport, Iowa)
E..................................................... John Deere Ottumwa Works (Ottumwa, Iowa)
F ..................................................... OEM (Fabricantes Externos de Equipamentos)
FF ................................................... Deere­Hitachi (Kernersville, Carolina do Norte)
FG .................................................. Goldoni S.P.A. (Modena, Itália)
FM .................................................. Motores Marítimos
FS ................................................... Aplicações SDMO
FU................................................... Unidade de Potência para Conjunto de Geradores
H .................................................... John Deere Harvester Works (East Moline, Illinois)
KV................................................... John Deere Commercial Worksite Products (Knoxville, Tennessee/ Dubuque, Iowa)
L ..................................................... John Deere Werke Mannheim (Alemanha)
LV ................................................... John Deere Commercial Products (Augusta, Geórgia)
N .................................................... John Deere Des Moines Works (Des Moines, Iowa)
P..................................................... Industrias John Deere Mexico S.A. de C.V. (Saltillo/Monterrey, México)
PY................................................... Larson & Toubro Ltd. (Pune, Índia)
RW .................................................. John Deere Waterloo Tractor Works (Waterloo, Iowa)
T ..................................................... John Deere Dubuque Works (Dubuque, Iowa)
T8 ................................................... Cameco Industries (Thibodaux, Louisiana)
TJ ................................................... John Deere Forestry (Timberjack) (Suécia/Finlândia/Canadá/EUA)
YC .................................................. John Deere Jialian Harvester Co. Limited (China)
Z ..................................................... John Deere WERKE Zweibrucken (Alemanha)
Código da Aplicação
285, etc. .......................................... Este é o modelo específico de motor para determinada aplicação. Neste exemplo (285), "2" indica 2
válvulas por cilindro e "85" indica motores Classe 3.
CD03523,000016E ­54­05SEP07­2/2

Etiqueta do Código de Opção do Motor OEM

CD30858 —UN—21AUG06

Etiqueta do Código de Opção do Motor OEM


A—Código de Base do Motor

Uma etiqueta com código de opção está afixada no topo de reparação. Nos catálogos de peças e manuais do
da tampa da válvula e identifica as opções instaladas na operador há listagens de códigos de opção.
fábrica em cada motor OEM, para garantir a aquisição
das peças corretas. NOTA: Antes da limpeza em “tanque quente”,
certifique­se de registrar os códigos de opção
Forneça sempre a informação do código de opção e em algum outro lugar.
código de base do motor quando encomendar peças
CD03523,000016F ­54­21AUG06­1/1

CTM507 (16JUL09) 01­001­2 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=22
Identificação do Motor

Informações Relativas a Regulamentos sobre Emissões


Dependendo do destino final, os motores podem estar componente cujo principal efeito é fazer um atalho,
em conformidade com os regulamentos de emissões, inutilizar ou tornar inoperante qualquer componente do
de acordo com a Agência de Proteção do Ambiente motor ou dispositivo que afete a conformidade do motor
dos EUA (EPA), a Comissão de Recursos Aéreos da com os regulamentos de emissão. Resumindo, é ilegal
Califórnia (CARB) e, para a Europa, a Diretiva 97/68/EC, fazer qualquer operação que não seja recuperar as
relacionada com as medições de emissões de partículas especificações originais do motor.
e gases poluentes a partir de motores de combustão
interna. Tais motores são designados “CERTIFICADOS” Lista de componentes relacionados com emissões:
e recebem uma etiqueta de emissão, afixada no motor. • Sistema de injeção de combustível
Os regulamentos proíbem a alteração de componentes • Coletor de entrada
relacionados com a emissão listados a seguir, o que • Turbocompressor
tornaria esse componente inoperativo, ou a realização de • Sistema de arrefecimento de ar
qualquer ajuste no motor para além das especificações • Pistão
publicadas. Também é ilegal instalar uma peça ou
RG40854,0000007 ­54­15OCT07­1/1

Etiqueta da Certificação do Sistema de Controle de Emissão

RG14852 —UN—26APR06
Etiqueta de Emissões do Motor 6,8L

se aplicam somente aos motores novos que possuam


CUIDADO: A interferência no controle de emissão a etiqueta de certificação afixada ao motor e vendidos
de poluentes pode implicar severas multas no conforme especificado acima nas áreas geográficas.
local onde o usuário utiliza a máquina. A presença de um número da CE na terceira linha
da etiqueta significa que o motor foi certificado pela
A garantia de emissões de poluentes descrita a seguir Comunidade Européia através da Diretiva 97/68/EC. A
refere­se apenas aos motores comercializados pela John garantia de emissões de poluentes não se aplica aos
Deere e aprovados pela United States Environmental países da CE.
Protection Agency (EPA) (Agência de Proteção Ambiental
dos Estados Unidos) e/ou pela California Air Resources NOTA: O valor de hp/kW da etiqueta de certificação de
Board (CARB) (Comissão de Recursos do Ar da emissões especifica o valor bruto de hp/kW do
Califórnia) e utilizados nos Estados Unidos e no Canadá. motor, que é a potência do volante do motor sem o
A presença de uma etiqueta de emissões de poluentes, ventilador. Na maioria das aplicações, esse valor de
como a mostrada, significa que o motor foi aprovado pela hp/kW não será o mesmo anunciado para o veículo.
EPA e/ou pela CARB. As garantias da EPA e da CARB
RG19661,000022E ­54­17APR07­1/1

CTM507 (16JUL09) 01­001­3 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=23
Identificação do Motor

Tabelas de Aplicações do Motor


Este manual técnico de componentes (CTM507) trata das tabela a seguir para saber quais aplicações são tratadas
reparações e dos diagnósticos do Sistema Eletrônico neste manual.
de Combustível Nível 16 em motores PowerTech “E” de
4,5 e 6,8 L produzidos pela John Deere SARAN “CD” NOTA: As informações sobre como remover e
(França) e John Deere TORREON “PE” (México). Veja a reinstalar o motor no veículo estão no respectivo
Manual Técnico da máquina.

EQUIPAMENTOS AGRÍCOLAS JOHN DEERE


Modelo do Motor Modelo do Motor
Trator
Trator 5430 (Augusta) PE4045HLV52
Trator 5530 (Augusta) PE4045HLV53
Trator 5630 (Augusta) PE4045HLV50
Trator 6130 CD4045HL282
Trator 6225 CD4045HL282
Trator 6230 CD4045HL282
Trator Advantage 6230 CD4045HL282
Trator Premium 6230 (América do Norte) CD4045HL280
Trator 6325 CD4045HL283
Trator 6330 CD4045HL283
Trator Advantage 6330 CD4045HL283
Trator Premium 6330 (América do Norte) CD4045HL281
Trator 6425 CD4045HL283
Trator 6430 CD4045HL283
Trator Advantage 6430 CD4045HL283
Trator Premium 6430 (América do Norte) CD4045HL281
Trator 6525 CD6068HL280
Trator 6530 CD6068HL282
Trator 6630 CD6068HL280
Trator 6830 CD6068HL281
Trator 6930 CD6068HL281
Trator Advantage 7130 CD6068HL280
Trator Premium 7130 (América do Norte) PE6068HRW72
Trator Advantage 7230 CD6068HL280
Trator Premium 7230 (América do Norte) PE6068HRW72
Trator Premium 7330 (América do Norte) PE6068HRW74
Trator Premium 7430 (América do Norte) PE6068HRW74
Cosechadoras
Colheitadeira CWS 1450 CD6068HCQ82
Colheitadeira W330 CD6068HCQ82

EQUIPAMENTOS DE CONSTRUÇÃO e FLORESTAMENTO JOHN DEERE


Modelo do Motor Modelo do Motor
Carregadeira, 4x4
Carregadeira 344J CD4045HT281
Carregadeira 444J PE4045HDW53
Carregadeira 544J PE4045HDW70
Trator de Esteiras, Carregadeira de Esteiras
Carregadeira de Esteiras 605D CD4045HT280
Trator de Esteiras 700J PE6068HT066
Trator de Esteiras 750J PE6068HT063
Escavadeira

Continua na página seguinte CD03523,0000170 ­54­28OCT08­1/2

CTM507 (16JUL09) 01­001­4 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=24
Identificação do Motor

EQUIPAMENTOS DE CONSTRUÇÃO e FLORESTAMENTO JOHN DEERE


Escavadeira 160D PE4045HT056
Escavadeira 160DLC PE4045HT056
Escavadeira 200D PE6068HT069
Escavadeira 200DLC PE6068HT069
Retroescavadeira
Retroescavadeira 210LJ PE4045HT054
Retroescavadeira 310SG PE4045HT054
Retroescavadeira 310J PE4045HT054
Retroescavadeira 310SJ PE4045HT054
Retroescavadeira 315SJ PE4045HT054
Retroescavadeira 410J PE4045HT054
Retroescavadeira 710J PE6068HT067

JOHN DEERE OEM (FABRICANTES ORIGINAIS DE EQUIPAMENTOS)


Modelo do Motor Aplicação
4045TF285
4045HF285
4045HF279 Grupo gerador
4045HFS73 Grupo gerador
4045HFS82 Grupo gerador
4045HFS83 Grupo gerador
4045HFU79 Grupo gerador
6068HF285
6068HF279 Grupo gerador
6068HFS73 Grupo gerador
6068HFS82 Grupo gerador
6068HFS83 Grupo gerador
6068HFU79 Grupo gerador
6068HFC28 Industrial (Aplicações Redundantes da ECU)
CD03523,0000170 ­54­28OCT08­2/2

CTM507 (16JUL09) 01­001­5 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=25
Identificação do Motor

CTM507 (16JUL09) 01­001­6 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=26
Grupo 002
Combustíveis, Lubrificantes e Líquido de Arrefecimento

Combustível Diesel
Procure o seu distribuidor local de combustível para se
Teor de Enxofre para Motores Interim Tier
informar sobre as propriedades do diesel disponível em
4 e (UE) Stage IIIB
sua área.
De um modo geral, o diesel é combinado para satisfazer • A qualidade e o teor de enxofre do diesel devem
às exigências de baixa temperatura da região na qual estar de acordo com todas as normas de emissões
são comercializados. existentes para a região em que o motor vai operar.
• Use SOMENTE diesel com teor ultra­baixo de enxofre
Os combustíveis diesel recomendados são os (ULSD) com teor inferior a 0,0015% (15 mg/kg).
especificados segundo as normas EN 590 ou ASTM
D975. Diesel renovável produzido por hidrotratamento de Teor de Enxofre para Outros Motores
gordura animal e óleos vegetais é basicamente idêntico
a diesel de petróleo. Diesel renovável de acordo com a
• A qualidade e o teor de enxofre do diesel devem
estar de acordo com todas as normas de emissões
norma EN 590 ou ASTM D975 é aceitável para uso em existentes para a região em que o motor vai operar.
todos os níveis de percentual de mistura.
• Recomenda­se EXPRESSAMENTE o uso de diesel
Propriedades Exigidas do Combustível com teor de enxofre menor que 0,10% (1000 mg/kg).
• O uso de diesel com teor de enxofre entre 0,10%
Em todos os casos, o combustível deve estar de acordo (1000 mg/kg) e 0,50% (5000 mg/kg) pode REDUZIR os
com as seguintes propriedades: intervalos de manutenção de filtro e óleo. Consulte a
tabela em Intervalos de Manutenção de Filtro e Óleo
Índice de cetano mínimo de 43. É preferível um do Motor Diesel.
índice de cetano maior que 47, especialmente para • ANTES de usar diesel com teor de enxofre superior
temperaturas abaixo de ­20° C (­4° F) ou elevações acima a 0,50% (5000 mg/kg), consulte seu concessionário
de 1500 m (5000 ft). John Deere.
Ponto de Entupimento do Filtro a Frio (PEFF) pelo IMPORTANTE: NÃO misture óleo do motor ou
menos 5° C (9° F) abaixo da temperatura mínima prevista qualquer outro tipo de lubrificante com diesel.
OU Ponto de Névoa (Turvação) abaixo da temperatura
mínima prevista. O uso impróprio de aditivo pode danificar
o equipamento de injeção de combustível
Lubricidade do combustível deve passar um diâmetro dos motores diesel.
de marca de desgaste máximo de 0,45 mm conforme
medido segundo a norma ASTM D6079 ou ISO 12156­1.
DX,FUEL1 ­54­03AUG09­1/1

CTM507 (16JUL09) 01­002­1 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=27
Combustíveis, Lubrificantes e Líquido de Arrefecimento

Combustível Biodiesel
O biodiesel é um combustível constituído de ésteres o armazenamento e o desempenho com combustíveis
monoalquílicos de ácidos graxos de cadeia longa de óleos biodiesel.
vegetais ou gordura animal. As misturas de biodiesel são
misturas de biodiesel com combustível diesel de petróleo Ao usar combustível biodiesel, o nível de óleo do motor
numa base de volume. deve ser verificado diariamente. Se o óleo se diluir com
o combustível, reduza os intervalos de troca do óleo.
Os usuários de biodiesel nos Estados Unidos são Consulte Intervalos de Manutenção de Óleo para Motor
enfaticamente encorajados a comprar misturas de Diesel e Filtro para mais detalhes a respeito de biodiesel
biodiesel de comerciantes com Certificado BQ­9000 e intervalos de troca de óleo.
e originados de produtores com Credencial BQ­9000
(conforme certificado pelo National Biodiesel Board). Os O seguinte deve ser considerado ao usar misturas de
comerciantes certificados e os produtores credenciados biodiesel até B20:
podem ser encontrados no seguinte site da web: • Diminuição de fluxo por clima frio
http://www.bq­9000.org. • Problemas de estabilidade e armazenamento (absorção
Embora as misturas de 5% (B5) são preferidas, de umidade, oxidação, desenvolvimento microbiano)
concentrações de mistura de biodiesel de até 20% (B20) • Possível restrição e obstrução do filtro (normalmente
no combustível diesel de petróleo podem ser usados em um problema na primeira mudança para biodiesel nos
todos os motores John Deere. As misturas de biodiesel motores usados).
até B20 podem ser usadas SOMENTE se o biodiesel • Possível vazamento de combustível pelas vedações e
(100% de biodiesel ou B100) satisfazer a ASTM D6751 mangueiras
(EUA), EN 14214 (UE), ou especificação equivalente. • Posível redução da vida útil dos componentes do motor
Espera­se uma redução de 2% na potência e um redução O seguinte também deve ser considerado ao usar
de 3% na economia de combustível ao usar o B20. misturas de biodiesel acima de B20:
Os condicionadores de combustível aprovados pela John • Possível carbonização e/ou obstrução dos bicos
Deere, contendo aditivos detergentes/dispersantes, são injetores, resultando em perda de potência e falha
recomendados ao usar misturas de biodiesel mais baixas, de ignição do motor, se não forem usados os
mas são necessários quando usar misturas de B20 ou condicionadores de combustível aprovados pela John
maiores. Deere, contendo aditivos detergentes/dispersivos
Os motores John Deere podem também operar com • Possível diluição do óleo do cárter, necessitando trocas
misturas de biodiesel acima de B20 (até 100% de de óleo mais freqüentes
biodiesel) SOMENTE se o biodiesel satisfazer a • Possível corrosão do equipamento de injeção de
especificação EN 14214 (disponível principalmente combustível
na Europa). Os motores que operam com misturas • Possível laqueação e/ou entupimento dos componentes
de biodiesel acima de B20 podem não satisfazer internos
completamente todos os regulamentos de emissões • Possível formação de borra e sedimentos
aplicáveis. Espera­se uma redução de até 12% na • Possível oxidação térmica do combustível em
potência e uma redução de 18% na economia de temperaturas elevadas
combustível ao usar 100% de biodiesel. São necessários • Possível degenaração de vedação em elastômero e
condicionadores de combustível aprovados pela John material de gaxeta (um problema principalmente com
Deere, contendo aditivos detergentes/dispersantes. motores mais antigos)
• Possíveis problemas de compatibilidade com outros
A porção de diesel de petróleo das misturas de biodiesel materiais (incluindo cobre, chumbo, zinco, estanho,
devem satisfazer os requisitos das normas comerciais latão e bronze) usados nos sistemas de combustível e
ASTM D975 (EUA) ou EN 590 (UE). equipamentos de manuseio de combustível
As misturas de biodiesel até B20 devem ser usados
• Possível redução na eficiência do separador de água
dentro de 90 dias da data da fabricação do biodiesel. As
• Níveis de acidez potencialmente altos dentro do
sistema de combustível
misturas de biodiesel de B21 a B100 devem ser usados
dentro de 45 dias da data da fabricação do biodiesel.
• Possíveis danos à pintura se exposta ao biodiesel
IMPORTANTE: Os óleos vegetais prensados a frio
Solicite um certificado de análise do seu distribuidor de NÃO são aceitáveis para utilização como
combustíveis para assegurar que o combustível esteja combustível em nenhuma concentração
conforme as especificações acima. em motores John Deere. O uso deles
Consulte a sua concessionária John Deere a respeito de pode causar falha de motor.
condicionadores de combustível biodiesel para melhorar
DX,FUEL7 ­54­01OCT07­1/1

CTM507 (16JUL09) 01­002­2 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=28
Combustíveis, Lubrificantes e Líquido de Arrefecimento

Minimizar efeitos do inverno nos motores diesel


Os motores Diesel John Deere são projetados para ARREFECIMENTO PARA MOTORES DIESEL nesta
trabalhar eficazmente durante o inverno. seção.)
Contudo, para o arranque e funcionamento eficazes Aditivo de circulação do diesel
no inverno, são necessários alguns cuidados
complementares. As informações a seguir descrevem Use John Deere PREMIUM DIESEL FUEL
os passos que podem minimizar o efeito do inverno CONDITIONER (fórmula de inverno) contendo
sobre o arranque e o funcionamento do motor. Consulte anti­congelante ou condicionador equivalente para tratar
o concessionário John Deere para mais informações e combustível de clima quente (Nº 2­D na América do
disponibilidade local para auxílios de partida em clima frio. Norte) durante o inverno. Isto geralmente estende a
operacionalidade em cerca de 10°C (18°F) abaixo do
Usar combustível de inverno ponto de névoa do combustível. Para operacionalidade
em temperaturas inferiores, use combustível de inverno.
Quando a temperatura é inferior a 0°C (32°F), o
combustível de inverno (Grau 1­D na América do Norte) é IMPORTANTE: Trate o combustível quando a
o mais adequado para o funcionamento em clima frio. O temperatura exterior estiver abaixo dos 0°C
combustível de inverno tem um ponto inferior de névoa (32°F). Para os melhores resultados, usar com
e de fluidez. combustível não tratado. Seguir todas as
instruções recomendadas no rótulo.
O ponto de névoa é o ponto em que se começa a
formar a parafina no combustível que obstrui os filtros Biodiesel
do combustível. Ponto de fluidez é a temperatura mais
baixa em que o movimento do combustível é observado. Ao operar com misturas ("blends") de biodiesel, pode
ocorrer formação de cera em temperaturas mais quentes.
NOTA: Em média, o diesel de inverno tem a taxa de Comece usando John Deere PREMIUM BIODIESEL
BTU (conteúdo de calor) inferior. A utilização do FUEL CONDITIONER (fórmula de inverno) a 5°C (41°F)
combustível de inverno pode reduzir a potência para tratar biodiesel durante o inverno. Use B5 ou
e a eficiência do combustível, mas não afeta misturas mais baixas em temperaturas abaixo de 0°C
o desempenho do motor. Verificar o tipo de (32°F). Use somente diesel de petróleo de inverno em
combustível usado antes de procurar pequenas temperaturas abaixo de ­10°C (14°F).
avarias por baixa potência no inverno.
Dianteiras de Inverno
Aquecedor da admissão de ar
O uso de dianteiras de inverno de tecido, papelão
O aquecedor da admissão de ar é um opcional disponível ou sólidas não é recomendado para nenhum motor
para auxiliar a partida de alguns motores em clima frio. John Deere. Seu uso pode resultar em temperaturas
excessivas do ar de carga, óleo e líq. de arrefecimento.
Éter Isto pode reduzir a vida útil do motor, a potência e
Há um bocal de éter na admissão disponível para auxiliar aumentar o consumo. Dianteiras de inverno também
a partida em clima frio. podem impor carga excessiva ao ventilador, levando a
falhas prematuras.
CUIDADO: Éter é altamente inflamável. Não Se usar dianteiras de inverno, elas nunca devem fechar
use éter na partida de um motor equipado totalmente a grade dianteira. Aprox. 25% de área no
com velas de pré­aquecimento ou aquecedor centro da grade deve permanecer sempre aberta. Os
da admissão de ar. dispositivos de bloqueio de ar nunca devem ser aplicados
diretamente no núcleo do radiador.
Aquecedor do líquido de arrefecimento
Cortinas de radiadores
O aquecedor do bloco do motor (aquecedor do líquido de
arrefecimento) é um opcional disponível para auxiliar a Se equipado com sistema de cortina de radiador
partida em clima frio. controlado por termostato, este sistema deve ser regulado
de maneira que as cortinas estejam completamente
Óleo de viscosidade sazonal e concentração abertas quando o liq. de arrefecimento atingir 93°C
adequada de líq. de arrefecimento (200°F) para evitar aquecimento excessivo do coletor de
admissão. Sistemas manualmente controlados não são
Use óleo para motores com grau de viscosidade recomendados.
sazonal, com base na variação da temperatura
esperada entre as trocas de óleo, e uma concentração Se for usado pós resfriamento ar­ar, as cortinas devem
adequada de anticongelante com baixo teor de ser completamente abertas quando a temperatura do
silicato, conforme recomendado. (Veja os requisitos de ar do coletor de admissão atingir a temperatura máx.
ÓLEO PARA MOTORES DIESEL e de LÍQUIDO DE permitida fora do resfriador do ar de carga.
Continua na página seguinte DX,FUEL10 ­54­03AUG09­1/2

CTM507 (16JUL09) 01­002­3 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=29
Combustíveis, Lubrificantes e Líquido de Arrefecimento

Para mais informações, consulte seu concessionário


John Deere.
DX,FUEL10 ­54­03AUG09­2/2

Manuseio e Armazenagem do Combustível Diesel

CUIDADO: Manuseie o combustível com cuidado. Verifique diariamente o nível de óleo do motor antes de
Não encha o tanque de combustível quando ligar o motor. Um aumento no nível de óleo pode indicar
o motor estiver em funcionamento. diluição do óleo do motor pelo combustível.
NÃO fume ao encher o tanque de combustível ou IMPORTANTE: O tanque de combustível é
fazer manutenção do sistema de combustível. ventilado através da tampa de enchimento.
Se for necessária uma nova tampa de
Encha o tanque de combustível no final de cada operação enchimento, sempre substitua por uma
diária para evitar condensação de água e congelamento tampa original com respiro.
em baixas temperaturas.
Quando o combustível for armazenado durante um
Mantenha todos os tanques de armazenagem sempre longo período ou se o consumo de combustível for
cheios para evitar condensação. lento, adicione um condicionador de combustível para
Verifique se todas as tampas e coberturas dos tanques de estabilizar o combustível e para impedir a condensação
combustível estão corretamente instaladas para impedir a de água. Contate o seu fornecedor de combustível para
entrada de umidade. obter recomendações.

Monitore regularmente o teor de água do combustível.


Ao usar o combustível bio­diesel, o filtro de combustível
pode exigir uma substituição mais freqüente devido ao
entupimento prematuro.
DX,FUEL4 ­54­19DEC03­1/1

Lubricidade do Combustível Diesel


A maioria dos combustíveis diesel fabricados nos
Estados Unidos, no Canadá e pela União Européia Se for usado um combustível de lubricidade baixa
têm lubricidade adequada para garantir a operação e a ou desconhecida, adicione PREMIUM DIESEL FUEL
durabilidade corretas dos componentes do sistema de CONDITIONER (CONDICIONADOR DE COMBUSTÍVEL
injeção de combustível. Entretanto, os combustíveis DIESEL PREMIUM) John Deere (ou equivalente) na
diesel fabricados em algumas partes do mundo podem concentração especificada.
não ter a lubricidade necessária. Lubricidade do Combustível Biodiesel
IMPORTANTE: Certifique­se de que o combustível A lubricidade do combustível pode melhorar
diesel usado em sua máquina demonstre significativamente com misturas de biodiesel até B20
boas características de lubricidade. (20% de biodiesel). Aumento adicional na lubricidade é
limitada para misturas de biodiesel maiores que B20.
A lubricidade do combustível deve passar um diâmetro
máximo de cicatriz de 0,45 mm conforme medido pela
ASTM D6079 ou ISO 12156­1.
DX,FUEL5 ­54­29OCT07­1/1

Teste do Combustível Diesel o teor de água, a adequação para operação em baixas


temperaturas e se o combustível está dentro das
DIESELSCAN™ é um programa de análise de especificações.
combustível da John Deere que pode ser usado para
monitorar a qualidade do seu combustível. A análise Verifique se seu concessionário John Deere tem
DIESELSCAN verifica o tipo de combustível, a limpeza, disponibilidade de kits DIESELSCAN.
DIESELSCAN é uma marca registrada da Deere & Company
DX,FUEL6 ­54­14NOV05­1/1

CTM507 (16JUL09) 01­002­4 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=30
Combustíveis, Lubrificantes e Líquido de Arrefecimento

Intervalos de Manutenção de Óleo


do Motor e do Filtro
Veja o manual aplicável do operador para informar­se
sobre os intervalos de manutenção.
DM80898,000025E ­54­15OCT07­1/1

Óleo para motores diesel 50 o C 122o F


Usar óleo com viscosidade apropriada, baseando­se na
variação esperada da temperatura do ar entre as trocas 40 o C 104o F
de óleo.
30 o C 86 o F
John Deere Plus­50™ II é o óleo preferível.

SAE 15W-40
SAE 10W-40
20 o C 68 o F
John Deere PLUS­50™ também é recomendado.

SAE 10W-30

SAE 0W-40
SAE 5W-30
Podem ser usados outros óleos se cumprirem uma ou 10 o C 50 o F
mais das seguintes normas:
0o C 32 o F
• John Deere TORQ­GARD SUPREME™
• Categoria de serviço API CJ­4 -10 o C 14 o F
• Categoria de serviço API CI­4 PLUS
• Categoria de serviço API CI­4 -20 o C -4 o F
• Sequência de óleos ACEA E9

TS1691 —UN—18JUL07
• Sequência de óleos ACEA E7 -30 o C -22 o F
• Sequência de óleos ACEA E6
• Sequência de óleos ACEA E5
• Sequência de óleos ACEA E4 -40 o C -40 o F

São preferíveis óleos de motor diesel de


multi­viscosidade. Viscosidades do óleo para temperaturas variadas

A qualidade e o teor de enxofre do diesel devem estar


de acordo com todas as normas de emissões existentes NÃO utilize combustível diesel com teor de enxofre
para a região em que o motor vai operar. superior a 1,0% (10 000 mg/kg).
Plus­50 é uma marca registrada da Deere & Company
Torq­Gard Supreme é uma marca registrada da Deere & Company
DX,ENOIL11 ­54­03AUG09­1/1

CTM507 (16JUL09) 01­002­5 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=31
Combustíveis, Lubrificantes e Líquido de Arrefecimento

Óleo para amaciamento do motor diesel


Os motores novos são abastecidos na fábrica com o óleo • Sequência de óleos ACEA E1
de amaciamento do motor John Deere BREAK­IN™ ou
BREAK­IN™ PLUS. Durante o período de amaciamento, IMPORTANTE: Não use o óleo Plus­50™ II, Plus­50
adicione o óleo de motor John Deere BREAK­IN PLUS ou ou óleos para motores que estejam de acordo
BREAK­IN PLUS, respectivamente, conforme necessário com uma das seguintes normas durante
para manter o nível do óleo especificado. o período de amaciamento de motores
novos ou recondicionados:
Opere o motor sob várias condições, sobretudo cargas API CJ­4 ACEA E9
pesadas com uso mínimo de marcha lenta, para auxiliar o
API CI­4 PLUS ACEA E7
devido assentamento dos componentes do motor.
API CI­4 ACEA E6
Troque o óleo e o filtro no máximo em 100 horas para API CH­4 ACEA E5
o óleo BREAK­IN e no máximo em 500 horas para o
API CG­4 ACEA E4
BREAK­IN PLUS durante a operação inicial de um motor
novo ou recondicionado. API CF­4 ACEA E3
API CF­2
Após a retífica do motor, abasteça com o óleo do motor API CF
John Deere ENGINE BREAK­IN ou BREAK­IN PLUS.
Se o óleo do motor John Deere BREAK­IN ou John Estes óleos não permitem que o motor
Deere BREAK­IN PLUS não estiver disponível, durante seja devidamente amaciado.
as primeiras 100 horas de funcionamento use um óleo
para motor diesel 10W­30 que cumpra uma das seguintes O óleo do motor John Deere BREAK­IN PLUS pode ser
especificações: usado em todos os motores diesel John Deere em todos
os níveis de certificação de emissões.
• Classificação de Serviço API CE Após o período de amaciamento, use o óleo John Deere
• Classificação de Serviço API CD Plus­50 ™ II, John Deere Plus­50 ou um outro óleo de
• Classificação de Serviço API CC motor diesel recomendado neste manual.
• Sequência de óleos ACEA E2
Plus­50 é uma marca registrada Deere & Company.
DX,ENOIL4 ­54­03AUG09­1/1

Filtros de Óleo Use filtros que cumpram com as especificações de


A filtragem dos óleos é muito importante para uma performance da John Deere.
lubrificação adequada.
Substitua sempre os filtros regularmente conforme
especificado neste manual.
DX,FILT ­54­18MAR96­1/1

CTM507 (16JUL09) 01­002­6 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=32
Combustíveis, Lubrificantes e Líquido de Arrefecimento

Graxa
Use uma graxa baseada nos números de consistência
NLGI e na variação esperada da temperatura do ambiente
durante o intervalo de manutenção.
Prefere­se a John Deere SD POLYUREA GREASE.
As seguintes graxas também são recomendadas:
• John Deere HD LITHIUM COMPLEX GREASE.
• John Deere HD WATER RESISTANT GREASE.
• John Deere GREASE­GARD.™
Podem ser usadas outras graxas se elas estiverem de
acordo com o seguinte:
NLGI Classificação de Desempenho GC­LB

TS1673 —UN—31OCT03
IMPORTANTE: Alguns tipos de graxas não são
compatíveis com outros. Consulte o seu
fornecedor de graxa antes de misturar
diferentes tipos de graxas.

GREASE­GARD é uma marca registrada da Deere & Company


DX,GREA1 ­54­07NOV03­1/1

Lubrificantes Alternativos e Sintéticos


As condições em certas áreas geográficas podem
requerer recomendações de lubrificantes diferentes das Os limites de temperatura e os intervalos de manutenção
descritas neste manual. descritos neste manual aplicam­se tanto aos óleos
convencionais como aos óleos sintéticos.
Alguns dos líquidos de refrigeração de marca e
lubrificantes da John Deere podem não estar disponíveis Os produtos base de refinaria, refinados pela segunda
na sua região. vez podem ser usados se o lubrificante acabado cumprir
com os requisitos de performance.
Consulte o seu concessionário John Deere para obter
informações e recomendações.
Os lubrificantes sintéticos podem ser usados se estiverem
de acordo com as especificações de eficiência descritas
neste manual.
DX,ALTER ­54­15JUN00­1/1

Armazenamento de Lubrificantes
O seu equipamento só funcionará com a máxima e de outras contaminações. Armazene os recipientes
eficiência se forem usados lubrificantes limpos. deitados, para evitar a acumulação de água e de pó.
Use recipientes limpos para manusear todos os Certifique­se de que todos os recipientes estão
lubrificantes. corretamente marcados para identificar o seu conteúdo.
Sempre que possível, guarde os lubrificantes e os Descarte de forma correta todos os recipientes velhos e
recipientes numa área protegida do pó, da humidade quaisquer restos de lubrificantes que eles possam conter.
DX,LUBST ­54­18MAR96­1/1

CTM507 (16JUL09) 01­002­7 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=33
Combustíveis, Lubrificantes e Líquido de Arrefecimento

Mistura de Lubrificantes
De um modo geral, evite misturar marcas ou tipos de
Consulte o seu concessionário John Deere para obter
óleos diferentes. Os fabricantes de óleo misturam aditivos
informações e recomendações específicas.
nos óleos para que estejam de acordo com certas
especificações e requisitos de performance.
A mistura de óleos diferentes pode interferir com o
funcionamento adequado destes aditivos e degradar o
desempenho do lubrificante.
DX,LUBMIX ­54­18MAR96­1/1

Líquido de Arrefecimento de Motores Diesel de Serviço Pesado


O sistema de arrefecimento do motor é abastecido Se estes líq. de arrefecimento não estiverem disponíveis,
para o proteger durante todo o ano contra a corrosão e use um líq. de arrefecimento concentrado ou pré­diluído
escoriações das camisas dos cilindros, e para proteção para uso em motores diesel de serviço pesado com as
anti­congelamento no inverno até ­37°C (­34°F). Para seguintes propriedades físicas e químicas:
proteção a temperaturas inferiores, consulte seu
concessionário John Deere. • Formulado com um conjunto de aditivos livres de
nitritos.
John Deere COOL­GARD™ II Premix é preferido. • Garante proteção contra cavitação na camisa do
John Deere COOL­GARD II Premix está disponível em cilindro de acordo com o Método de Teste de Cavitação
uma concentração de 50% de etilenoglicol. John Deere ou um teste de frota acima de 60% da
capacidade de carga.
Líq. de Arrefecimento Adicionalmente Recomendados • Protege os metais do sistema de arrefecimento (ferro
fundido, ligas de alumínio e ligas de cobre como latão)
Os seguintes líq. de arrefecimento também são contra corrosão.
recomendados:
O conjunto de aditivos deve fazer parte de uma das
• John Deere COOL­GARD II Concentrate em uma seguintes misturas de líq. de arrefecimento:
mistura de 40% a 60% de concentrado com água de
qualidade. • líq. de arrefecimento de serviço pesado com base de
• John Deere COOL­GARDI Premix (disponível em uma etilenoglicol ou propilenoglicol pré­diluído (40% to 60%)
concentração de 50% de etilenoglicol). • concentrado de líq. de arrefecimento com base em
• John Deere COOL­GARD Concentrate em uma mistura propilenoglicol em uma mistura de 40 a 60% de
de 40% a 60% de concentrado com água de qualidade. concentrado com água de qualidade
• John Deere COOL­GARD PG Premix (disponível em
Qualidade da Água
uma concentração de 55% de propilenoglicol).
John Deere COOL­GARD II Premix e COOL­GARD A qualidade da água é importante para o desempenho do
II Concentrate não exigem o uso de aditivos sistema de arrefecimento. A água destilada, desionizada
complementares. ou desmineralizada é recomendada para a mistura com o
líq. de arrefecimento concentrado à base de etilenoglicol
John Deere COOL­GARD Premix, COOL­GARD ou propilenoglicol para motores.
Concentrate, e COOL­GARD PG Premix não exigem o
uso de aditivos complementares, exceto para a reposição IMPORTANTE: Não use aditivos de vedação
periódica de aditivos durante o intervalo de troca. para o sistema de arrefecimento nem
anticongelantes que os contenham.
Use John Deere COOL­GARD PG Premix quando uma
fórmula não­tóxica for exigida. Não misture líq. de arrefecimento com base
em propilenoglicol e etilenoglicol.
Outros Líq. de Arrefecimento
Não use líq. de arrefecimento que
É possível que John Deere COOL­GARD II, COOL­GARD, contenha nitritos.
e COOL­GARD PG estejam indisponíveis na região onde
a manutenção for efetuada.
COOL­GARD é uma marca registrada da Deere & Company
DX,COOL3 ­54­03NOV08­1/1

CTM507 (16JUL09) 01­002­8 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=34
Combustíveis, Lubrificantes e Líquido de Arrefecimento

Aditivos Complementares
Alguns aditivos gradualmente se esgotam durante a
operação do motor. Para John Deere COOL­GARD™
• John Deere COOL­GARD II
Premix e o Concentrado COOL­GARD II, reponha os
• John Deere COOL­GARD
aditivos do líq. de arrefecimento entre os intervalos de
• John Deere COOL­GARD PG
troca adicionando um aditivo conforme determine o teste Se outros líq. de arrefecimento forem usados, consulte o
de líq. de arrefecimento. fornecedor e siga as recomendações do fabricante para
O John Deere LIQUID COOLANT CONDITIONER é uso de aditivos complementares.
recomendado como aditivo complementar para John O uso de aditivos complementares não recomendados
Deere COOL­GARD Premix, COOL­GARD Concentrate, pode resultar em deterioração e coagulação do aditivo.
e COOL­GARD PG Premix.
Adicione a concentração recomendada pelo fabricante
John Deere LIQUID COOLANT CONDITIONER não é de aditivo complementar. NÃO adicione mais do que a
especificado para uso com COOL­GARD II Premix ou quantidade recomendada.
COOL­GARD II Concentrate.
IMPORTANTE: Não adicione um aditivo complementar
quando o sistema de arrefecimento for drenado
e reabastecido com um dos seguintes:
COOL­GARD é uma marca registrada da Deere & Company
DX,COOL4 ­54­03NOV08­1/1

Operar em Climas de Temperatura Quente


Os motores John Deere são concebidos para funcionar IMPORTANTE: Pode­se usar água como líq.
usando líq. de arrefecimento de motor à base de glicol. de arrefecimento mas somente em
Use sempre um líq. de arrefecimento de motor à base de situações de emergência.
glicol, mesmo quando trabalhar em regiões em que não Quando for usada água como líq. de
seja necessária a proteção contra congelamento. arrefecimento, ocorrerão espuma, corrosão
John Deere COOL­GARD™ II Premix está disponível nas superfícies quentes de alumínio e ferro,
em uma concentração de 50% de etilenoglicol. Porém, oxidação profunda e cavitação, mesmo quando
há situações em climas quentes nas quais um líq. de forem adicionados condicionadores.
arrefecimento com baixo teor de glicol (aprox. 20% de Drene o sistema de arrefecimento e encha
etilenoglicol) foi aprovada. Em tais casos, a fórmula com novamente logo que possível com o líq. de
baixo glicol foi modificada para o mesmo nível do inibidor arrefecimento recomendado à base de glicol.
de corrosão do John Deere COOL­GARD II Premix
(50/50).

COOL­GARD é uma marca registrada da Deere & Company


DX,COOL6 ­54­03NOV08­1/1

CTM507 (16JUL09) 01­002­9 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=35
Combustíveis, Lubrificantes e Líquido de Arrefecimento

Informações sobre John Deere LIQUID COOLANT CONDITIONER e Líq.


de Arrefecimento de Motor Diesel
Os líq. de arrefecimento são uma combinação de três
Evitar Líq. de Arrefecimento Automotivo
componentes químicos: etilenoglicol ou propilenoglicol
(anticongelante), aditivos inibidores e água de boa Nunca use líq. de arrefecimento automotivo (como os de
qualidade. acordo com ASTM D3306). Estes líq. de arrefecimento
não contêm os aditivos corretos para proteger os motores
Especificações do Líq. de Arrefecimento
diesel de serviço pesado. Eles muitas vezes contêm uma
Alguns produtos, incluindo o líq. de arrefecimento concentração elevada de silicatos e podem danificar
pré­diluído COOL­GARD John Deere™, são líq. de o motor ou o sistema de refrigeração. Não trate um
arrefecimento totalmente formulados que contêm todos os líq. de arrefecimento de motor automotivo com aditivos
três componentes em suas concentrações corretas. Não complementares porque a alta concentração de aditivos
adicione uma carga inicial de aditivos complementares ou causará a deterioração dos aditivos.
água no John Deere COOL­GARD Premix.
Qualidade da Água
O John Deere COOL­GARD II Concentrate contém
etilenoglicol e aditivos inibidores. Misture COOL­GARD A qualidade da água é importante para o desempenho do
Concentrate com água de boa qualidade, mas não sistema de arrefecimento. A água destilada, desionizada
adicione uma carga inicial de aditivos complementares. ou desmineralizada é recomendada para a mistura com o
líq. de arrefecimento concentrado à base de etilenoglicol
Repor Aditivos de Líq. de Arrefecimento ou propilenoglicol para motores. Toda a água usada no
sistema de arrefecimento deverá estar de acordo com as
Alguns aditivos gradualmente se esgotam durante a seguintes especificações de qualidade:
operação do motor. É necessário repor os inibidores
Cloretos <40 mg/l
periodicamente, mesmo quando se usar John Deere
COOL­GARD Premix, COOL­GARD Concentrate, ou Sulfatos <100 mg/l
COOL­GARD PG Premix. Siga as recomendações Total de sólidos dissolvidos <340 mg/l
indicadas neste manual para o uso de aditivos Dureza total <170 mg/l
complementares. pH 5,5 a 9,0
Por que usar John Deere LIQUID COOLANT
CONDITIONER? Proteção Anti­Congelamento

A operação sem os aditivos apropriados resultará em As concentrações relativas de glicol e água no líq. de
aumento da corrosão, da erosão e de escoriações nas arrefecimento determinam o seu limite de proteção contra
camisas dos cilindros e outros danos ao motor e ao o congelamento.
sistema de arrefecimento. Uma mistura simples de Etilenoglicol Limite de Proteção
etilenoglicol ou propilenoglicol e água não fornecerá uma Anti­Congelamento
proteção adequada. 40% ­24°C (­12°F)
50% ­37°C (­34°F)
O John Deere LIQUID COOLANT CONDITIONER
é um sistema de aditivos projetado para reduzir a 60% ­52°C (­62°F)
corrosão, erosão e escoriações quando usado com líq. Propilenoglicol Limite de Proteção
de arrefecimento contendo nitrito como John Deere Anti­Congelamento
COOL­GARD Premix, COOL­GARD Concentrate, e 40% ­21°C (­6°F)
COOL­GARD PG Premix. Manter líq. de arrefecimento 50% ­33°C (­27°F)
John Deere COOL­GARD com John Deere LIQUID 60% ­49°C (­56°F)
COOLANT CONDITIONER garante a melhor proteção
para até 5 anos ou 5000 horas de operação. NÃO usar mistura de líq. de arrefecimento­água superior
a 60% de etilenoglicol ou a 60% de propilenoglicol.
COOL­GARD é uma marca registrada Deere & Company
DX,COOL7 ­54­03NOV08­1/1

CTM507 (16JUL09) 01­002­10 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=36
Combustíveis, Lubrificantes e Líquido de Arrefecimento

Líquido de Refrigeração para Motor a Diesel


O sistema de refrigeração do motor é abastecido para Uma mistura de 50% de líquido de refrigeração de motor
proporcionar proteção durante o ano todo contra a à base de propileno­glicol em água proporciona proteção
corrosão e erosão das camisas dos cilindros e no inverno contra o congelamento até ­33°C (­27°F).
a proteção contra o congelamento até ­37°C (­34°F).
Se for necessária uma proteção a temperaturas mais
O COOL­GARD da John Deere é preferível para a baixas, consultar a sua concessionária John Deere para
manutenção. obter recomendações.
Se o COOL­GARD da John Deere não estiver disponível, Qualidade da água
usar um concentrado de líquido de refrigeração à base
de etileno­glicol ou propileno­glicol com baixo teor de A boa qualidade da água é importante para a eficiência do
silicatos, numa mistura de 50% de concentrado com água sistema de refrigeração. Recomenda­se água destilada,
de boa qualidade. desionizada ou desmineralizada para a mistura com o
concentrado de líquido de refrigeração do motor à base
Uma das qualidades que o concentrado de líquido de de etileno­glicol ou propileno­glicol.
refrigeração deverá ter é a de proteger as peças de ferro
fundido e de alumínio, que fazem parte do sistema de IMPORTANTE: Não usar aditivos vedantes para o
refrigeração, contra a cavitação. O COOL­GARD da John sistema de refrigeração ou anticongelante
Deere preenche este requisito. que contenha aditivos vedantes.
Proteção contra o congelamento IMPORTANTE: Não misturar líquidos de refrigeração
Uma mistura de 50% de líquido de refrigeração de motor à base de etileno­glicol e propileno­glicol.
à base de etileno­glicol em água proporciona proteção
contra o congelamento até ­37°C (­34°F).
DX,COOL8 ­54­16NOV01­1/1

Testar Líquido de Arrefecimento de Motor Diesel


Manter as concentrações adequadas de glicol e aditivos da fita de teste indicar que é necessário aditivo, adicione
inibidores no líq. de arrefecimento é vital para proteger o John Deere COOL­GARD II COOLANT EXTENDER
motor e o sistema de arrefecimento contra congelamento, conforme orientado.
corrosão, e erosão e escoriações da camisa do cilindro.
Adicione somente a concentração recomendada do John
Teste a solução de líq. de arrefecimento a cada 12 meses Deere COOL­GARD II COOLANT EXTENDER. NÃO
ou menos e sempre que houver perda excessiva de líq. adicione mais do que a quantidade recomendada.
de arrefecimento por vazamentos ou superaquecimento.
Quando Usar John Deere COOL­GARD
Fitas de Teste de Líq. de Arrefecimento
Compare os resultados da fita de teste com a tabela
As fitas de teste de líq. de arrefecimento estão disponíveis de aditivos complementares (SCA) para determinar
no concessionário John Deere. Estas fitas de teste a quantidade de aditivos inibidores em seu líq. de
permitem um método simples e eficaz para verificar o arrefecimento e se é necessário adicionar mais John
ponto de congelamento e os níveis de aditivo do líq. de Deere LIQUID COOLANT CONDITIONER.
arrefecimento do motor.
Adicione somente a concentração recomendada do John
Quando Usar John Deere COOL­GARD II Deere LIQUID COOLANT CONDITIONER. NÃO adicione
mais do que a quantidade recomendada.
John Deere COOL­GARD™ II Premix e o Concentrado
COOL­GARD II são líq. de arrefecimento livres de CoolScan e CoolScan PLUS
manutenção por até 6 anos ou 6000 horas de operação,
desde que o sistema seja completado com somente com Para uma avaliação mais completa do seu líq. de
John Deere COOL­GARD II Premix. Teste as condições arrefecimento, execute uma análise CoolScan™
do líq. de arrefecimento anualmente com as fitas de teste ou CoolScan PLUS™ se disponível. Consulte seu
projetadas para John Deere COOL­GARD II. Se a tabela concessionário John Deere p/ mais informações.

COOL­GARD é uma marca registrada da Deere & Company


CoolScan é uma marca registrada da Deere & Company
CoolScan PLUS é uma marca registrada da Deere & Company
DX,COOL9 ­54­03NOV08­1/1

CTM507 (16JUL09) 01­002­11 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=37
Combustíveis, Lubrificantes e Líquido de Arrefecimento

Intervalos Para Troca do Líquido de Arrefecimento de Motores Diesel


Drene e lave o sistema de arrefecimento e reabasteça não tiver sido testado OU os aditivos não forem repostos
com um novo líq. de arrefecimento no intervalo indicado, adicionando­se aditivo complementar, o intervalo de troca
que varia conforme o líq. de arrefecimento. é de 4 anos ou 4000 horas de operação. Este intervalo
de troca se aplica somente a líq. de arrefecimento
John Deere COOL­GARD™ II Premix e o Concentrado COOL­GARD II mantido com proporção de 40% a 60%
COOL­GARD II são líq. de arrefecimento livres de de concentrado com água de qualidade.
manutenção por até 6 anos ou 6000 horas de operação,
desde que o sistema seja completado com somente com Se forem usados o John Deere COOL­GARD Premix,
John Deere COOL­GARD II Premix. Teste as condições COOL­GARD Concentrate, ou COOL­GARD PG Premix,
do líq. de arrefecimento anualmente com as fitas de teste mas o líq. de arrefecimento não tiver sido testado OU
projetadas para John Deere COOL­GARD II. Se a tabela os aditivos não forem repostos adicionando­se aditivo
da fita de teste indicar que é necessário aditivo, adicione complementar, o intervalo de troca é de 3 anos ou
John Deere COOL­GARD II COOLANT EXTENDER 3000 horas de operação. Este intervalo de troca se
conforme orientado. aplica somente a COOL­GARD Premix, COOL­GARD
Concentrate, e COOL­GARD PG Premix mantido com
Quando o John Deere COOL­GARD Premix, proporção de 40% a 60% de concentrado com água de
COOL­GARD Concentrate ou John Deere COOL­GARD qualidade.
PG Premix forem usados, o intervalo de troca pode ser
estendido para 5 anos ou 5000 horas de operação, desde Se utilizar outro líq. de arrefecimento que não o
que o líq. de arrefecimento seja testado anualmente COOL­GARD II, COOL­GARD, ou COOL­GARD PG, o
E os aditivos sejam repostos, conforme necessário, intervalo de troca é de 2 anos ou 2000 horas de operação.
adicionando um aditivo complementar.
Se forem usados o John Deere COOL­GARD II Premix ou
COOL­GARD II Concentrate, mas o líq. de arrefecimento
COOL­GARD é uma marca registrada da Deere & Company
DX,COOL11 ­54­08JAN09­1/1

CTM507 (16JUL09) 01­002­12 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=38
Seção 02
Reparos e Ajustes
Conteúdo

Página Página

Grupo 090—Reparações e Ajustes no Remoção e Instalação da Unidade


Sistema Eletrônico de Combustível de Controle do Motor (ECU) no
Sistema de Combustível ­ Motor (Equipamento Opcional)................ 02­110­3
Informações Gerais ................................. 02­090­1 Remoção e Instalação de
Alívio da Pressão do Sistema de Peças de Adaptação da
Combustível............................................. 02­090­1 Unidade de Controle do Motor
Componentes do Sistema de (ECU) Montadas no Motor
Combustível............................................. 02­090­2 (Equipamento Opcional).......................... 02­110­4
Substituição do Elemento do Filtro Remoção e Instalação do Sensor
de Combustível (Primário ou de Temperatura do Líquido de
Final)........................................................ 02­090­3 Arrefecimento do Motor (ECT) ................ 02­110­5
Remoção e Instalação da Base do Remoção e Instalação do
Filtro de Combustível (Primário Sensor de Temperatura do
ou Final)................................................... 02­090­5 Combustível............................................. 02­110­5
Remoção da Bomba de Remoção e Instalação do Sensor
Transferência de Combustível................. 02­090­6 de Temperatura do Ar do Coletor
Instalar Bomba de Transferência (MAT) ....................................................... 02­110­6
de Combustível........................................ 02­090­7 Remoção e Instalação do Sensor
Remoção e Instalação da de Pressão do Óleo................................. 02­110­6
Bomba de Combustível de Remoção e Instalação do Sensor
Alta Pressão ............................................ 02­090­8 de Pressão da Linha de
Remoção e Instalação da Válvula Combustível............................................. 02­110­7
de Controle de Sucção .......................... 02­090­11 Remoção e Instalação do Sensor
Remoção e Instalação do Common de Pressão da Bomba de
Rail de Alta Pressão .............................. 02­090­15 Transferência de Combustível................. 02­110­8
Remoção e Instalação dos Remoção e Instalação do Sensor
Amortecedores de Fluxo ....................... 02­090­16 de Posição do Virabrequim ..................... 02­110­8
Remoção e Instalação do Limitador Remoção e Instalação do Sensor
de Pressão ............................................ 02­090­18 de Posição da Bomba ............................. 02­110­9
Remoção e Instalação do Conjunto Remoção e Instalação do Sensor
do Chicote Elétrico da Injeção de Água no Combustível (WIF)................ 02­110­9
de Combustível...................................... 02­090­19 Instalação do Chicote Elétrico na
Informações da Etiqueta de ECU Montada no Motor......................... 02­110­10
Identificação do Injetor .......................... 02­090­22 Instalação do Chicote Elétrico da
Remoção do Injetor Eletrônico ECU Remota ......................................... 02­110­17
(IE)......................................................... 02­090­23 Conectores ................................................ 02­110­28
Limpeza do Orifício do Injetor Reparo do Conector .................................. 02­110­29
Eletrônico (IE)........................................ 02­090­26 Reparação do Conector
Limpeza do Orifício do Injetor WEATHERPACK™................................ 02­110­30
Eletrônico (IE)........................................ 02­090­26 Reparação do Conector Cinch Flex
Limpeza do Corpo do Injetor Box ........................................................ 02­110­32
Eletrônico (IE)........................................ 02­090­26 Reparar Conectores METRI­PACK
Inspeção do Corpo do Injetor (de Pressionar) .................................... 02­110­39
Eletrônico (IE)........................................ 02­090­26 Reparação dos Conectores
Instalar Injetor Eletrônico (IE) .................... 02­090­27 Deutsch Série DT .................................. 02­110­40
Remover e Instalar Linha de Reparação dos Conectores
Retorno de Combustível........................ 02­090­31 Deutsch Série HD.................................. 02­110­44

Grupo 110—Reparação e Ajuste do Controle


Eletrônico do Motor
Manutenção da Unidade de
Controle do Motor (ECU)......................... 02­110­1
Soldar .......................................................... 02­110­1
Lavagem com Alta Pressão......................... 02­110­2

CTM507 (16JUL09) 02­1 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=1
Conteúdo

CTM507 (16JUL09) 02­2 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=2
Grupo 090
Reparações e Ajustes no Sistema Eletrônico de Combustível

Sistema de Combustível ­ Informações Gerais


A Unidade de Controle do Motor (ECU) de Nível 16 é
Durante a manutenção dos injetores, é importante que o
utilizada para controlar o sistema de combustível do
procedimento de calibração seja concluído. Cada injetor
Common Rail de Alta Pressão (HPCR). O sistema de
tem uma calibração específica e essa informação pode
combustível HPCR inclui a bomba de combustível de alta
ser obtida efetuando­se a leitura óptica do código de
pressão, o common rail de alta pressão e os injetores
barras da caixa do injetor de serviço e fazendo o download
eletrônicos.
das informações do injetor pelo site John Deere Custom
Os injetores eletrônicos não podem ser reparados. Se Performance™. Outra alternativa é inserir o número de
alguma peça do componente falhar, todo o injetor deverá série do injetor e o número de peça indicado no injetor. Se
ser substituído. a ECU não for programada com as informações corretas
de cada injetor e o cilindro correto correspondente, o
Os injetores eletrônicos não podem ter a pressão de desempenho do motor e as emissões serão afetados.
abertura testada, pois são controlados eletronicamente.
CD03523,0000172 ­54­15FEB07­1/1

Alívio da Pressão do Sistema de Combustível


CUIDADO: O fluido a alta pressão retido nas linhas
de combustível pode causar ferimentos graves.
Em motores com sistema de combustível de Linha
Comum de Alta Pressão (HPCR, "High Pressure

TS1343 —UN—18MAR92
Common Rail"), espere pelo menos 15 minutos
após a parada do motor para desconectar
as linhas de combustível, os sensores ou
quaisquer outros componentes entre a bomba
de combustível de alta pressão e os bicos.

Sempre que o sistema de combustível for aberto para


manutenção (linhas desconectadas ou filtros removidos),
será necessário sangrar o ar do sistema. Ver SANGRIA
DO SISTEMA DE COMBUSTÍVEL, na Seção 04, Grupo
150, neste manual.
CD03523,0000173 ­54­06AUG07­1/1

CTM507 (16JUL09) 02­090­1 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=41
Reparações e Ajustes no Sistema Eletrônico de Combustível

Componentes do Sistema de Combustível

CD30897 —UN—05OCT06
Componentes do Sistema de Combustível
A—Filtro Primário de E—Common Rail de Alta Pressão I— Injetor Eletrônico (IE) M—Bomba ao Common Rail de
Combustível (HPCR) J— Linha de Retorno de Alta de Pressão
B—Bomba de Transferência de F— Amortecedor de Fluxo Combustível N—Conexão da Linha de Alta
Combustível G—Limitador de Pressão do K—Chicote Elétrico Pressão
C—Filtro Final de Combustível Combustível L— Linha de Abastecimento de
D—Bomba de Combustível de H—Sensor de Pressão de Combustível
Alta Pressão Combustível
CD03523,000017A ­54­09OCT06­1/1

CTM507 (16JUL09) 02­090­2 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=42
Reparações e Ajustes no Sistema Eletrônico de Combustível

Substituição do Elemento do Filtro de Combustível (Primário ou Final)

CD30859 —UN—07SEP06
Localização Normal do Filtro do Combustível

CD30860 —UN—07SEP06
Substituição do Elemento do Filtro do Combustível ­ Vista Detalhada

Continua na página seguinte CD03523,0000174 ­54­19DEC06­1/2

CTM507 (16JUL09) 02­090­3 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=43
Reparações e Ajustes no Sistema Eletrônico de Combustível

NOTA: Veja o manual do operador para informar­se


sobre a realização da manutenção adequada e
os intervalos (de horas) de substituição.

1. Quando aplicável, desencaixe o conector de água no


combustível (H).

CD30667 —UN—17JUN98
2. Afrouxe o anel de retenção (C) levantando­o e remova
o elemento do filtro (D).
NOTA: Para evitar respingos de combustível,
vede o antigo elemento do filtro usando o
bujão do elemento novo.

3. Se equipada, remova a câmara de sedimentação Substituição do Elemento do Filtro do Combustível ­


Vedação Contra Poeira
de vidro (E) do elemento do filtro anterior e volte a
instalar a câmara no elemento novo.
A—Filtro Primário de F— Vedação Contra Poeira
IMPORTANTE: Instale o elemento do filtro do Combustível G—Parafuso de Drenagem
combustível seco. Não encha os novos B—Filtro Final de Combustível H—Conector de Água no
filtros de combustível anteriormente pois isto C—Anel de Retenção Combustível
pode contaminar o sistema de combustível D—Elemento do Filtro I— Parafuso de Sangria
E—Câmara de Sedimentação
com combustível não­filtrado.

4. Instale a vedação contra poeira (F) conforme


mostrado. 6. Se aplicável, encaixe o conector de água no
combustível (H).
5. Coloque o novo elemento do filtro na localização
adequada, dentro da base de montagem, e aperte o 7. Purgue o sistema de combustível.
anel de retenção dando cerca de 1/3 de volta até que
ele encaixe no ressalto. NÃO aperte demais.
CD03523,0000174 ­54­19DEC06­2/2

CTM507 (16JUL09) 02­090­4 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=44
Reparações e Ajustes no Sistema Eletrônico de Combustível

Remoção e Instalação da Base do Filtro de Combustível (Primário ou Final)

CD30861 —UN—24AUG06
Base de montagem do filtro de combustível (primário e final)
A—Linhas de Combustível C—Conexão E—Suporte G—Base do filtro de combustível
B—Parafusos de fixação da base D—Bujão F— Parafuso de fixação do
do filtro de combustível ao suporte ao cabeçote de
motor cilindros

NOTA: a base do filtro de combustível pode ser removida


NOTA: as linhas de combustível podem ser conectadas
com ou sem o elemento do filtro instalado.
em diferentes aberturas de entrada e saída,
dependendo da aplicação.
1. Desconecte as linhas de combustível (A).
2. Afrouxe os parafusos (B) e remova a base do filtro 5. Instale as conexões (C) e os bujões (D) ou acessórios
de combustível (G). opcionais, como o sensor de pressão do combustível
ou aquecedor de combustível, na base do filtro
3. Remova o suporte (E) do cabeçote de cilindros se conforme necessário. Aperte de acordo com a
necessário. especificação.
4. Substitua e reinstale as peças conforme necessário. Especificação
Aperte os parafusos de acordo com as especificações. Conexões, bujões ou
acessórios à base do filtro
Base do filtro de combustível—Especificação
de combustível—Torque............................................. 10 N∙m (3,18 kg­ft)
Parafuso de fixação do
suporte ao cabeçote de 6. Instale as linhas de combustível e então aperte as
cilindros—Torque...................................................... 70 N∙m (23,59 kg­ft) porcas do tubo até que se assentem no rebaixo da
Parafuso de fixação conexão.
da base do filtro
de combustível ao 7. Se tiverem sido removidas previamente, instale
suporte—Torque....................................................... 50 N∙m (16,78 kg­ft) o elemento do filtro e então sangre o sistema de
combustível.
CD03523,0000175 ­54­08SEP06­1/1

CTM507 (16JUL09) 02­090­5 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=45
Reparações e Ajustes no Sistema Eletrônico de Combustível

Remoção da Bomba de Transferência


de Combustível
IMPORTANTE: Para evitar danos às conexões, sempre
utilize uma chave reserva ao desconectar as
conexões ou linhas de combustível da

RG12453A —UN—14JUN02
bomba de alimentação.

1. Para manter os detritos fora do sistema de


combustível, desconecte a linha de entrada de
combustível (A) e a linha de saída (B) e tampe as
conexões na bomba de transferência e linhas de
combustível.
Linhas de Abastecimento da Bomba de Transferência
2. Remova os parafusos de fixação (C) e remova o Mecânica de Combustível
conjunto da bomba de transferência de combustível
do bloco de cilindros.
NOTA: A bomba de transferência de combustível é
acionada por uma haste de impulso (D) que é
conduzida em uma saliência do eixo de comando
do excêntrico. O cabeçote de cilindros deve ser

RG9051 —UN—16MAR98
removido para retirar esta haste de impulso.

3. Tampe a abertura no bloco de cilindros para evitar


que entre sujeira no motor.
4. Verifique se há desgaste na superfície da alavanca
da bomba. Se a superfície da alavanca estiver
desgastada, plana ou côncava, substitua a bomba. Remoção da Bomba de Transferência Mecânica de Combustível

A—Entrada da Bomba de C—Parafusos de Fixação


Transferência a Partir do D—Haste de Impulso
Pré­Filtro
B—Saída da Bomba de
Transferência Para o
Filtro Final de Combustível

RG12022 —UN—27NOV01
Haste de Impulso da Bomba de Transferência Mecânica de Combustível
RG41183,00000CF ­54­22JAN07­1/1

CTM507 (16JUL09) 02­090­6 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=46
Reparações e Ajustes no Sistema Eletrônico de Combustível

Instalar Bomba de Transferência de


Combustível
Montar Bomba de Transferência de Combustível
NOTA: Se a bomba de transferência está sendo

CD30924 —UN—18OCT06
substituída, a conexão de entrada (A), a conexão
de saída (B) e os respectivos anéis de vedação
(C) não são fornecidos com a bomba.

1. Remova e guarde as conexões de entrada (A) e saída


(B) da antiga bomba. Descarte os anéis de vedação
(C).
Montar Bomba de Transferência de Combustível
2. Instale as conexões e novos anéis de vedação na
nova bomba de transferência. Aperte as conexões à
especificação. A—Conexão de entrada C—Anel de vedação
B—Conexão de saída
Especificação
Conexões de entrada
e saída à bomba
de transferência de
combustível—Torque........................................................ 10 N∙m (7 lb­ft)

RG41183,00000D0 ­54­06AUG07­1/2

IMPORTANTE: Aplique LOCTITE 242 nas roscas


dos parafusos (C) da bomba de alimentação e
nas conexões da linha de combustível quando
reinstalar a bomba de alimentação. NÃO permita
que o vedante entre no sistema de combustível.

RG12453A —UN—14JUN02
1. Instale a bomba de transferência de combustível no
bloco de cilindros com a alavanca de bombeamento
apoiada sobre a parte superior da haste de impulso
usando um anel de vedação novo. Aperte os
parafusos (C) conforme as especificações.
Especificação
Parafusos da Bomba
Linhas da Bomba de Transferência de Combustível
de Transferência de
Combustível—Torque..................................................... 30 N∙m (22 lb­ft)
A—Entrada da Bomba C—Parafusos
IMPORTANTE: Sempre use uma segunda chave de Transferência de
ao instalar conexões e/ou linhas de Combustível a partir do
combustível na bomba de alimentação para Pré­filtro
evitar danos às conexões. B—Saída da Bomba
de Transferência de
Combustível para o Filtro
2. Conecte a linha de entrada (A) e a linha de saída (B) Final de Combustível
da bomba de alimentação e aperte a porca do tubo
até que se assente no rebordo da conexão.
3. Sangre o sistema de combustível. Ver SANGRIA DO
SISTEMA DE COMBUSTÍVEL, na Seção 04, Grupo
150, neste manual.
RG41183,00000D0 ­54­06AUG07­2/2

CTM507 (16JUL09) 02­090­7 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=47
Reparações e Ajustes no Sistema Eletrônico de Combustível

Remoção e Instalação da Bomba de Combustível de Alta Pressão


Remoção da Bomba de Combustível de Alta Pressão

CD30862 —UN—04SEP06
Remova a Bomba de Combustível de Alta Pressão

1. Desconecte o chicote elétrico da válvula de controle de


sucção (A), do sensor de temperatura do combustível
(B) e do sensor de posição da bomba (C).
2. Remova as linhas de combustível de alta pressão (D).
3. Remova a linha de retorno de combustível (E).

CD30886 —UN—04SEP06
4. Desconecte a linha de alimentação de combustível
(F).
5. Remova as 3 porcas (G) fixando a placa adaptadora
na placa dianteira do motor.
6. Remova com cuidado o conjunto da bomba de alta
pressão do motor. Sensor de Posição da Bomba (Bomba de Alta Pressão Removida)

A—Válvula de Controle de E—Conexão da Linha de


Sucção Retorno
B—Sensor de Temperatura de F— Entrada da Alimentação de
Combustível Combustível
C—Sensor de Posição da G—Porca da Placa Adaptadora
Bomba
CD30863 —UN—04SEP06

D—Saída do Combustível de
Alta Pressão

Remova a Bomba de Combustível de Alta Pressão

Continua na página seguinte CD03523,0000176 ­54­01FEB07­1/3

CTM507 (16JUL09) 02­090­8 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=48
Reparações e Ajustes no Sistema Eletrônico de Combustível

CD30864 —UN—04SEP06
Vista Ampliada da Bomba de Combustível de Alta Pressão
A—Bomba de Combustível de D—Porca G—Conexão de Alimentação de
Alta Pressão E—Anel O Combustível
B—Placa Adaptadora F— Sensor de Posição da Bomba H—Conexão de Retorno de
C—Engrenagem de Acionamento Combustível
I— Parafuso (da Bomba de Alta
Pressão à Placa Adaptadora)

Desmontagem e Remontagem da Bomba de


3. Instale o sensor de posição da bomba (F) na placa
Combustível de Alta Pressão
adaptadora e aperte conforme as especificações.
A) Desmontagem Especificação
Sensor de Posição
1. Remova a engrenagem (C) usando a ferramenta
da Bomba à Placa
JDG1560. Utilize uma morsa com garras para
Adaptadora—Torque.......................................................15 N∙m (11 lb­ft)
bloquear a engrenagem ao removê­la.
2. Remova os dois parafusos (I) e separe a bomba de 4. Instale a conexão em cotovelo da alimentação de
alta pressão (A) da placa adaptadora (B). combustível (G) na bomba de alta pressão. Direcione
a conexão para que fique alinhada à linha de
3. Substitua as peças conforme a necessidade. combustível. Aperte a porca da conexão conforme
as especificações.
B) Remontagem
Especificação
1. Instale a bomba de alta pressão (A) na placa Porca da Conexão do
adaptadora (B) com um novo anel O (E). Aperte os 2 Cotovelo de Alimentação
parafusos (I) conforme as especificações. de Combustível
Especificação à Bomba de Alta
Bomba de Alta Pressão—Torque............................................................ 20 N∙m (15 lb­ft)
Pressão à Placa 5. Instale a conexão de retorno de combustível (H) na
Adaptadora—Torque...................................................... 40 N∙m (30 lb­ft) bomba de alta pressão. Direcione a conexão na
2. Instale a engrenagem (C) no eixo da bomba e aperte vertical, apontando para baixo. Aperte a porca da
a porca (D) conforme as especificações. Utilize uma conexão conforme as especificações.
morsa com garras para bloquear a engrenagem ao Especificação
apertá­la. Porca da Conexão de
Especificação Retorno de Combustível
Porca da Engrenagem à Bomba de Alta
da Bomba de Alta Pressão—Torque.............................................................15 N∙m (11 lb­ft)
Pressão—Torque............................................................ 70 N∙m (52 lb­ft)
Continua na página seguinte CD03523,0000176 ­54­01FEB07­2/3

CTM507 (16JUL09) 02­090­9 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=49
Reparações e Ajustes no Sistema Eletrônico de Combustível

Instalação da Bomba de Combustível de Alta Pressão


1. Gire o motor para o Centro de Topo Morto (TDC) do
cilindro número 1 e instale o Pino de Sincronização
JDG1571 no volante.
2. Remova o bujão (A) para acessar a marca de

CD30868 —UN—05SEP06
sincronização da engrenagem.
3. Substitua os anéis O (B e C) na placa adaptadora e
instale a bomba de alta pressão de modo que a marca
de sincronização (D) possa ser vista pela abertura
da tampa da engrenagem de sincronização como
mostrado.
Instale os Anéis O na Placa Adaptadora
4. Instale as 3 porcas (H) e aperte conforme as
especificações.
Especificação
Placa Adaptadora à
Placa Dianteira do
Motor—Torque................................................................ 40 N∙m (30 lb­ft)

CD30865 —UN—05SEP06
5. Instale as linhas de combustível de alta pressão (E) e
aperte conforme as especificações.
Especificação
Linha de Combustível de
Alta Pressão (Ambas as
Extremidades)—Torque.................................................. 30 N∙m (22 lb­ft)
Bujão de Acesso à Marca de Sincronização da Engrenagem
6. Instale a linha de retorno (F) e aperte as porcas do
tubo até que se assentem no rebaixo da conexão.
7. Instale a linha de alimentação de combustível (G) e
aperte a porca do tubo até que se assente no rebaixo
da conexão.

CD30866 —UN—05SEP06
8. Reconecte o chicote elétrico na válvula de controle de
sucção (I), no sensor de temperatura do combustível
(J) e no sensor do eixo de comando (K).
9. Reinstale o bujão (A). Aperte de acordo com as
especificações.
Especificação
Bujão de Acesso à Marca Marca de Sincronização da Engrenagem
de Sincronização da
Engrenagem—Torque.................................................... 50 N∙m (37 lb­ft)

10. Sangre o sistema de combustível.

A—Bujão de Acesso à Marca G—Linha de Alimentação de


CD30867 —UN—05SEP06

de Sincronização da Combustível
Engrenagem H—Porca da Placa Adaptadora
B—Anel O (da Placa I— Válvula de Controle de
Adaptadora à Placa Sucção
Dianteira) J— Sensor de Temperatura de
C—Anel O (Sensor do Eixo de Combustível
Comando) K—Sensor do Eixo de
D—Marca de Sincronização da Comando
Engrenagem da Bomba de
Alta Pressão Instale a Bomba de Alta Pressão
E—Linha de Combustível de
Alta Pressão
F— Linha de Retorno

CD03523,0000176 ­54­01FEB07­3/3

CTM507 (16JUL09) 02­090­10 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=50
Reparações e Ajustes no Sistema Eletrônico de Combustível

Remoção e Instalação da Válvula de


Controle de Sucção
IMPORTANTE: Evite a contaminação da bomba de
combustível de alta pressão ou da válvula
de controle de sucção durante a remoção
e a recolocação. Mantenha um alto nível
de limpeza, do contrário poderão ocorrer

RG15101 —UN—01SEP06
danos à bomba e aos outros componentes
do sistema de combustível.

IMPORTANTE: A bomba de combustível de alta


pressão não precisa ser removida do motor
para a troca da válvula de controle de sucção.
No entanto, se o compartimento do motor
estiver muito contaminado, recomenda­se que Remoção do Conjunto da Válvula de Controle de Sucção
a bomba seja completamente removida para
que a manutenção e a limpeza sejam feitas A—Conector do Fio da Válvula B—Cavilha Retentora da
fora do motor. A limpeza é muito importante. de Controle de Sucção Válvula de Controle de
Assim que a válvula de controle de sucção for Sucção
substituída, instale a bomba de volta no motor e
monte novamente o sistema de combustível.
mm. Não remova as cavilhas completamente.
1. Limpe bem a área da válvula de controle de sucção Cuidado com restos de tinta e outras possíveis
­ o conector do solenóide, a área de montagem da fontes de contaminação. Se for necessário, limpe
válvula de controle de sucção e as superfícies ao novamente a área de união.
redor da bomba e do motor com um limpador de
4. Com as duas cavilhas retentoras frouxas, mas não
motores e um removedor de graxa. Certifique­se
removidas, retire a válvula de controle de sucção do
de que a área da válvula de controle de sucção
corpo da bomba com as mãos, puxando­a para fora
esteja limpa e sem sujeira/detritos/poeira. Se
da bomba. NÃO torça nem force a válvula com
for possível, remova a tinta da área de união da
alguma ferramenta.
válvula de controle de sucção entre a válvula de
controle de sucção e o alojamento da bomba. IMPORTANTE: Instale um bujão de tamanho adequado
na abertura da válvula no corpo da bomba para
2. Desconecte o conector do fio da válvula de controle
proteger a bomba contra contaminações.
de sucção (A). Evite danificar o conector e a tampa
plástica. NÃO torça o conector.
5. Com a válvula de controle de sucção separada da
3. Solte as duas cavilhas retentoras da válvula de bomba, retire e descarte as duas cavilhas retentoras.
controle de sucção (B) com uma chave Allen de 5
RE38635,000013D ­54­06OCT08­1/6

6. Verifique a superfície de montagem da válvula no


alojamento da bomba. Remova qualquer material
de vedação restante na superfície de montagem da
válvula. Tome muito cuidado para não danificar a
superfície de montagem. Remova o anel de vedação
(C) caso ele fique preso na superfície da caixa da
bomba ao invés de se prender à válvula de controle
de sucção.
RG15102 —UN—01SEP06

7. Certifique­se de que a fenda do anel O no


compartimento da bomba esteja limpa e sem detritos.

C—Anel de Vedação

Anel de Vedação Entre a Válvula de Controle de Sucção


e a Caixa da Bomba

Continua na página seguinte RE38635,000013D ­54­06OCT08­2/6

CTM507 (16JUL09) 02­090­11 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=51
Reparações e Ajustes no Sistema Eletrônico de Combustível

NOTA: Se o comprimento da válvula nova não for de 27,6


mm, ela não se adequará às bombas de 4,5L & 6,8L.

8. Verifique se o comprimento de referência geral da


válvula é de 27,6 mm (1,09 pol.)

A—27,6 mm (1.09 in.)

RG15103 —UN—01SEP06
Comprimento de Referência da Válvula

RE38635,000013D ­54­06OCT08­3/6

9. Além de conferir o comprimento da válvula, pode ser


feita uma verificação visual para garantir que a válvula
correta esteja no kit. Como mostrado, a válvula de 9L

RG15156 —UN—13NOV06
(A) possui um sulco (C) no corpo da válvula. A válvula
para 4.5 L e 6.8 L (B) não tem. Além disso, a válvula
para o 9 L tem uma geometria de porta (D) diferente
da válvula para 4.5 L e 6.8 L.

A—Válvula de 9 L C—Ranhura no Corpo da


B—Válvula de 4.5 L/ 6.8L Válvula
D—Geometria do Pórtico

Continua na página seguinte RE38635,000013D ­54­06OCT08­4/6

CTM507 (16JUL09) 02­090­12 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=52
Reparações e Ajustes no Sistema Eletrônico de Combustível

IMPORTANTE: NÃO manuseie as peças de reposição


da válvula com as mãos ou as luvas sujas.

IMPORTANTE: NÃO permita que o líquido de


arrefecimento do motor ou o fluído de freio
entrem em contato com os anéis O.

10. Confirme as peças de reposição no kit, como


demonstrado.
11. Lubrifique os anéis O grandes e pequenos com uma

RG14877A —UN—01OCT08
pequena quantidade de diesel. Use combustível
suficiente apenas para cobrir as superfícies do
anel O.
12. Instale o anel O grande no sulco do alojamento da
bomba.

A—Válvula de Controle de C—Anel de Vedação (Válvula à


Sucção Superfície de Montagem da Kit Controle de Sucção 4.5 L/6.8 L
B—Junta Bomba)
D—Parafusos de Retenção da
Válvula ­2­

Continua na página seguinte RE38635,000013D ­54­06OCT08­5/6

CTM507 (16JUL09) 02­090­13 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=53
Reparações e Ajustes no Sistema Eletrônico de Combustível

13. Instale o novo conjunto da válvula de controle de


sucção no corpo da bomba com as mãos, até que o
flange da válvula fique bem próximo do alojamento
da bomba. O flange não pode tocar a superfície por
causa do anel O. Durante a instalação, NÃO torça a
válvula. Os anéis O podem se danificar. Empurre
a válvula para dentro do alojamento da bomba da
mesma forma usada para removê­la. O conector

RG15101 —UN—01SEP06
elétrico (A) deve estar no lado de cima, voltado
para a traseira do motor, como ilustrado (A).
14. Instale as cavilhas retentoras (B) novas através do
flange da válvula e dentro do alojamento da bomba.
Aperte as cavilhas por igual, de acordo com as
especificações.
Especificação Instalar Conjunto da Válvula de Controle de Sucção
Válvula de Controle de
Sucção ao Alojamento da A—Conector do Fio da Válvula B—Cavilha Retentora da
Bomba—Torque........................................................... 9 N∙m (3,18 kg­ft) de Controle de Sucção Válvula de Controle de
Sucção
IMPORTANTE: NÃO use nenhuma ferramenta
para conectar o chicote. O conector pode
ser danificado. CERTIFIQUE­SE de que a
18. Verifique se há vazamentos de combustível na
orientação do conector elétrico esteja correta.
válvula de controle de sucção ­ união com a bomba.
O conector elétrico deve estar posicionado
Verifique se há vazamentos na parte inferior da
no lado superior, voltado para a traseira do
junta da válvula de controle de sucção com as
motor. Se a válvula de controle de sucção
mãos e visualmente, com o auxílio de um espelho
não for instalada corretamente, ela não
pequeno.
funcionará de maneira apropriada.
19. Execute o procedimento de diagnóstico, como na
15. Conecte o chicote da válvula de controle de sucção detecção e solução de problemas, para verificar se a
no conector elétrico (A). nova válvula de controle de sucção está funcionando
corretamente e para comprovar que o problema foi
16. Conecte o cabo negativo (—) da bateria.
solucionado.
17. Ligue o motor e execute os diagnósticos
computadorizados.
RE38635,000013D ­54­06OCT08­6/6

CTM507 (16JUL09) 02­090­14 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=54
Reparações e Ajustes no Sistema Eletrônico de Combustível

Remoção e Instalação do Common Rail de Alta Pressão


Remoção do Common Rail de Alta Pressão

CD30869 —UN—07SEP06
Remoção do Common Rail de Alta Pressão (HPCR)
A—Common Rail de Alta Pressão C—Linha de fuga E—Sensor de pressão G—Braçadeira
(HPCR) D—Linha de alta pressão F— Parafuso H—Amortecedor de fluxo
B—Bomba ao common rail de
alta de pressão

Common rail de
CUIDADO: Aguarde pelo menos 15 minutos após alta pressão à
o motor ter sido desligado para desconectar as braçadeira—Torque......................................................... 70 Nm (52 lb­ft)
linhas de combustível de alta pressão.
2. Instale as linhas de alta pressão (D). Aperte de acordo
1. Desconecte o chicote elétrico do sensor de pressão. com a especificação.
2. Desconecte a linha de fuga (C) da conexão em Especificação
cotovelo. Linhas de alta pressão à
linha—Torque.................................................................. 30 Nm (22 lb­ft)
3. Remova as linhas de alta de pressão da bomba à
linha (B) 3. Instale as linhas de alta pressão da bomba à linha (B).
Aperte de acordo com a especificação.
4. Remova as linhas de alta pressão (D) da linha. Não
remova o amortecedor de fluxo (H). Especificação
Linhas de alta pressão da
5. Solte o parafuso (F) e remova o common rail de alta bomba à linha—Torque................................................... 30 Nm (22 lb­ft)
pressão (A) do motor.
4. Conecte a linha de fuga (C) à conexão em cotovelo.
Instalação do Common Rail de Alta Pressão Aperte a porca do tubo até que se encaixe no rebaixo
da conexão.
1. Instale a braçadeira (G) no motor (se previamente
removida). Instale o common rail de alta pressão na 5. Conecte o chicote ao sensor de pressão (E).
braçadeira e aperte os parafusos de acordo com as
6. Sangre o sistema de combustível.
especificações.
Especificação
Braçadeira do common
rail de alta pressão ao
motor—Torque................................................................. 70 Nm (52 lb­ft)
RG41183,00000D3 ­54­07SEP06­1/1

CTM507 (16JUL09) 02­090­15 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=55
Reparações e Ajustes no Sistema Eletrônico de Combustível

Remoção e Instalação dos Amortecedores


de Fluxo
CUIDADO: Aguarde pelo menos 15 minutos depois
que o motor for desligado para desconectar
quaisquer linhas de combustível de alta pressão.

CD30871 —UN—07SEP06
Remoção dos Amortecedores de Fluxo
IMPORTANTE: Execute as etapas a seguir em
um ambiente limpo. Mantenha a área de
trabalho limpa de forma que não entre sujeira
ou detritos no sistema de combustível que
possam causar falhas no injetor. Remoção do Amortecedor de Fluxo

1. Limpe completamente todas as linhas de combustível,


conexões, componentes e área chanfrada ao redor do
amortecedor de fluxo com defeito.
2. Coloque uma chave de segurança no amortecedor de

RG11760A —UN—26JUL01
fluxo e afrouxe a conexão da linha de combustível (A).
IMPORTANTE: NÃO dobre ou force as linhas
fora de seu curso.

3. Afrouxe a conexão da linha de combustível no


conector de entrada do injetor. A linha não precisa
ser removida.
Componentes Internos dos Amortecedores de Fluxo
4. Remova o amortecedor de fluxo (B) mantendo os
componentes internos (C) juntos.
IMPORTANTE: Certifique­se de que o ímã esteja
limpo antes de usá­lo.

5. Remova a chapa de orifícios (E) de dentro do orifício

RG11761A —UN—26JUL01
do amortecedor de fluxo usando um imã limpo (D).
6. Substitua o amortecedor de fluxo completo como um
conjunto.

A—Conexão da Linha de D—Ímã


Combustível E—Placa de Orifícios
B—Amortecedor de Fluxo
Remoção da Placa de Orifícios
C—Componentes Internos

Continua na página seguinte RG41183,00000D4 ­54­22JAN07­1/2

CTM507 (16JUL09) 02­090­16 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=56
Reparações e Ajustes no Sistema Eletrônico de Combustível

Instale os Amortecedores de Fluxo


IMPORTANTE: Execute as etapas a seguir em
um ambiente limpo. Mantenha a área de
trabalho limpa de forma que não entre sujeira
ou detritos no sistema de combustível que

RG11845A —UN—31AUG01
possam causar falhas no injetor.

1. Insira uma nova chapa de orifícios (A) dentro do


orifício do common rail de alta pressão.
2. Segurando a mola (C) e o pistão (B) dentro do
corpo do amortecedor de fluxo (D), instale um
novo amortecedor de fluxo no common rail de alta
pressão. Aperte o amortecedor de fluxo conforme as Vista Detalhada do Amortecedor de Fluxo
especificações.
Especificação A—Placa de Orifícios C—Mola
B—Pistões D—Corpo do Amortecedor de
Amortecedor de
Fluxo
Fluxo—SCV................................................................ 176 N∙m (130 lb­ft)

3. Usando uma chave de segurança, conecte a linha de


injeção de alta pressão no amortecedor de fluxo e no 4. Purgue o sistema de combustível.
conector de entrada do injetor. Aperte de acordo com
as especificações.
Especificação
Linha de Injeção de
Alta Pressão nas Duas
Extremidades—SCV...................................................... 30 N∙m (22 lb­ft)
RG41183,00000D4 ­54­22JAN07­2/2

CTM507 (16JUL09) 02­090­17 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=57
Reparações e Ajustes no Sistema Eletrônico de Combustível

Remoção e Instalação do Limitador de Pressão


Remoção do Limitador de Pressão

CD30870 —UN—07SEP06
Remoção/Instalação do Limitador de Pressão do Combustível
A—Common Rail de Alta Pressão B—Limitador de Pressão do C—Conexão da Linha de Retorno
(HPCR) Combustível

CUIDADO: Aguarde pelo menos 15 minutos depois 4. Descarte o limitador de pressão já que ele não é
que o motor for desligado para desconectar reutilizável devido ao conceito de vedação metal com
quaisquer linhas de combustível de alta pressão. metal.

IMPORTANTE: Execute as etapas a seguir em Instalação do Limitador de Pressão


um ambiente limpo. Mantenha a área de
IMPORTANTE: NÃO reutilize o limitador de pressão
trabalho limpa de forma que não entre sujeira
uma vez que ele tenha sido removido da
ou detritos no sistema de combustível que
linha. Instale um limitador novo.
possam causar falhas no injetor.
1. Instale o limitador de pressão (B) no common rail (A).
1. Limpe completamente todas as linhas de combustível,
Aperte de acordo com as especificações.
as conexões, os componentes e a área chanfrada ao
redor do limitador de pressão. Especificação
Limitador de
2. Desconecte a linha de retorno e retire a conexão Pressão—SCV........................................................... 176 N∙m (130 lb­ft)
(C) do limitador de pressão (B) usando uma chave
reserva no limitador de pressão. 2. Instale a conexão da linha de retorno (C) no limitador
de pressão usando uma chave reserva. Direcione
IMPORTANTE: Limpe o ímã antes de remover a conexão para que fique alinhada com a linha de
o limitador de pressão. retorno e aperte a porca conforme a especificação.
3. Remova o limitador de pressão. O limitador de Especificação
pressão vem como um conjunto. Devido ao torque Conexão da Linha de
durante a instalação, os frisos da extremidade do Retorno do Common Rail
conjunto podem se soltar. Ao remover o limitador de de Alta Pressão—SCV......................................................6 N∙m (11 lb­ft)
pressão, verifique se o conjunto inteiro está montado. 3. Conecte a linha de retorno e então aperte as porcas
Se não estiver, use um ímã limpo para remover os do tubo até que se assentem no rebaixo da conexão.
componentes soltos do orifício. Certifique­se de que a
válvula esférica não caiu na linha. 4. Purgue o sistema de combustível.
RG41183,00000D5 ­54­19DEC06­1/1

CTM507 (16JUL09) 02­090­18 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=58
Reparações e Ajustes no Sistema Eletrônico de Combustível

Remoção e Instalação do Conjunto do


Chicote Elétrico da Injeção de Combustível
Processos de Remoção
NOTA: Não é necessário remover o chicote para
ajustar a folga da válvula.

CD30935 —UN—11MAY07

Conjunto do Chicote Elétrico da Injeção de Combustível


A—Parafuso F— Conector do Conjunto do K—Abas da Tampa P—Terminal do IE
B—Porca Chicote Elétrico do Motor L— Ranhura da Tampa da Válvula Q—Porca do Terminal do IE
C—Braçadeira G—Parafuso M—Tampa Antipoeira do R—Vedação
D—Tampa da Válvula H—Grampo P Conector do Prisioneiro S—Etiqueta de Identificação (se
E—Conector do Conjunto do I— Parafuso N—Aba houver)
Chicote Elétrico da Injeção de J— Tampa do IE O—Corpo do Conector do
Combustível Prisioneiro do Injetor
Continua na página seguinte DB92450,000005A ­54­26SEP07­1/4

CTM507 (16JUL09) 02­090­19 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=59
Reparações e Ajustes no Sistema Eletrônico de Combustível

1. Remova o parafuso (A) e a porca (B) da braçadeira garantir que a etiqueta de identificação corresponda
(C) fixada na tampa da válvula (D) e guarde para a ao injetor apropriado, remova­a.
instalação.
a. Insira uma ferramenta pequena, como um extrator
2. Solte o conector do conjunto do chicote elétrico da de anel de vedação, no orifício retangular de uma
injeção de combustível (E) do conector do conjunto do das abas (N) do conjunto da tampa do prisioneiro
chicote elétrico do motor (F). do injetor.
3. Remova os dois parafusos (G) de cada um dos b. Puxe cuidadosamente a aba para fora do corpo até
grampos P (H) de fixação na tampa da válvula e que a lateral da tampa possa ser deslocada além
guarde­os para a instalação. da posição de travamento da aba.
4. Remova os dois grampos P (H) do conjunto do chicote c. Repita a etapa b no lado oposto do conjunto da
elétrico do injetor de combustível e guarde­os para tampa do prisioneiro do injetor.
instalação.
d. Remova a tampa do corpo do conector do
5. Remova os três parafusos (I) que fixam a tampa de IE prisioneiro do injetor (O).
(J) na tampa da válvula e guarde­os para a instalação.
e. Solte as porcas do terminal do IE (Q), duas por IE,
6. Levante a tampa do IE até liberar as abas (K) das dos terminais do IE (P) e guarde para a instalação.
ranhuras (L) da tampa da válvula, remova e guarde
para instalação. NOTA: Se o problema for de vazamento nas vedações
(R), elas pode ser removidas e substituídas
7. Remova a tampa antipoeira do prisioneiro do conector individualmente sem a necessidade de remover
(M). todo o conjunto do chicote elétrico. Neste caso,
NOTA: A tampa antipoeira do prisioneiro do conector execute somente as etapas que permitem a
não é reutilizável. Sempre instale uma nova remoção e a substituição das vedações danificadas.
quando for removida do injetor.
8. Retire o corpo do conector do prisioneiro do injetor do
NOTA: Alguns injetores têm uma etiqueta de identificação IE. A vedação (R) e o corpo do conector do prisioneiro
(S) encaixada na tampa antiopoeira (M). Esta do injetor são removidos como uma única peça.
etiqueta é necessária para facilitar a identificação 9. Remova e descarte o conjunto do chicote elétrico da
durante a montagem do motor na fábrica. Se injeção de combustível.
estiver presente, ela também pode ser usada
durante a manutenção. Se não for possível
Continua na página seguinte DB92450,000005A ­54­26SEP07­2/4

CTM507 (16JUL09) 02­090­20 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=60
Reparações e Ajustes no Sistema Eletrônico de Combustível

Procedimentos de Instalação

CD30935 —UN—11MAY07

Conjunto do Chicote Elétrico da Injeção de Combustível


A—Parafuso F— Conector do Conjunto do K—Abas da Tampa P—Terminal do IE
B—Porca Chicote Elétrico do Motor L— Ranhura da Tampa da Válvula Q—Porca do Terminal do IE
C—Braçadeira G—Parafuso M—Tampa Antipoeira do R—Vedação
D—Tampa da Válvula H—Grampo P Conector do Prisioneiro S—Etiqueta de Identificação (se
E—Conector do Conjunto do I— Parafuso N—Aba houver)
Chicote Elétrico da Injeção de J— Anteparo Corta­Fogo O—Corpo do Conector do
Combustível Prisioneiro do Injetor

1. Usando um conjunto de chicote elétrico de injeção cada corpo do conector do prisioneiro do injetor do
de combustível, e com uma vedação (R) inserida em conjunto sobre cada terminal do IE (P).
cada corpo do conector do prisioneiro (O), posicione

Continua na página seguinte DB92450,000005A ­54­26SEP07­3/4

CTM507 (16JUL09) 02­090­21 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=61
Reparações e Ajustes no Sistema Eletrônico de Combustível

2. Aplique uma camada fina de loctite 222 nas roscas da 7. Prenda o anteparo corta­fogo na tampa da válvula
porca do terminal do injetor (Q), guardada durante o usando os parafusos (I) guardados durante o
procedimento de remoção, e instale duas porcas do procedimento de remoção. Aplique o torque aos
terminal do IE nos dois terminais do IE em cada IE. parafusos de acordo com a especificação.
Aperte de acordo com as especificações.
Especificação
Especificação Parafuso—Torque............................... 12,0 ± 1,0 N∙m (106.0 ± 9.0 lb­in)
Porca do Terminal do
Injetor—Torque........................................ 2,2 ± 0,2 N∙m (19.5 ± 1.8 lb­in) 8. Encaixe o conector do conjunto do chicote elétrico da
injeção de combustível (E) no conector no conjunto do
3. Instale uma nova tampa antipoeira (M) em cada chicote elétrico do motor (F).
injetor.
9. Usando parafusos (A) e porcas (B), guardados
4. Fixe os grampos P (H), guardados durante o durante o procedimento de remoção, prenda o
procedimento de remoção, no conjunto do chicote conector do conjunto do chicote elétrico da fiação da
elétrico. injeção de combustível à braçadeira (C), fixada na
tampa da válvula. Aperte o parafuso e a porca de
5. Fixe os grampos P na tampa da válvula (D), usando acordo com as especificações.
os parafusos (G). Aplique o torque aos parafusos de
acordo com a especificação. Especificação
Parafuso—Torque.................................. 25,0 ± 5,0 N∙m (18.4 ± 3.7 lb­ft)
Especificação
Parafuso—Torque............................... 12,0 ± 1,0 N∙m (106.0 ± 9.0 lb­in)

6. Insira as abas (K) no anteparo corta­fogo (J) nas


ranhuras (L) da tampa da válvula.
DB92450,000005A ­54­26SEP07­4/4

Informações da Etiqueta de Identificação do Injetor


CD30933 —UN—04MAY07

CD30934 —UN—04MAY07

Etiqueta de identificação encaixada na tampa anti­pó Etiqueta de identificação removida

A—Etiqueta de Identificação B—Tampa Anti­Pó

NOTA: Alguns injetores têm uma etiqueta de identificação etiqueta deve ser mantida junto com o respectivo
(A) encaixada na tampa anti­pó (B). Esta etiqueta injetor. Se não for possível assegurar que
identifica o número de série do injetor e os a etiqueta de identificação corresponda ao
dados de desempenho usados para programas injetor apropriado, descarte­a.
a ECU na fábrica. Quando estiver presente, a
CD03523,0000195 ­54­25MAY07­1/1

CTM507 (16JUL09) 02­090­22 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=62
Reparações e Ajustes no Sistema Eletrônico de Combustível

Remoção do Injetor Eletrônico (IE)


NOTA: O injetor e o cilindro do motor são emparelhados ECU tem que ser atualizada com a nova informação
no banco de dados da ECU. Se for instalado um via Service ADVISOR. Veja CALIBRAÇÃO DO
novo injetor ou algum injetor for trocado por outro, a INJETOR ELETRÔNICO na Seção 04, Grupo 160.

CD30872 —UN—07SEP06

CD30873 —UN—07SEP06
Remova o anteparo corta­fogo Remova a vedação da tampa e as porcas

A—Anteparo corta­fogo B—Tampa antipoeira do conector C—Porcas do terminal


do prisioneiro

IMPORTANTE: Execute as etapas a seguir em um insira uma ferramenta pequena na abertura superior
ambiente limpo. Mantenha limpa a área de do conjunto da tampa. Enquanto pressiona a
trabalho para evitar a entrada de detritos ferramenta, levante o conjunto da tampa. Repita esta
no sistema de combustível que possam ação na aba oposta.
causar falhas no injetor.
NOTA: A tampa antipoeira do prisioneiro do conector
1. Retire o anteparo corta­fogo (A). não é reutilizável. Sempre instale uma nova
quando ela for removida do injetor.
2. Remova a vedação da tampa do conector do
prisioneiro (B). Para desencaixar a aba de travamento, 3. Remova as porcas do terminal (C).
Continua na página seguinte RE38635,0000041 ­54­30AUG07­1/3

CTM507 (16JUL09) 02­090­23 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=63
Reparações e Ajustes no Sistema Eletrônico de Combustível

4. Remova o chicote elétrico (D) do injetor.

CUIDADO: Aguarde pelo menos 15 minutos após


o motor ter sido desligado para desconectar as
linhas de combustível de alta pressão.

CD30874A —UN—25SEP06
5. Retire a linha de combustível de alta pressão (E).
6. Remova o parafuso da conexão tipo banjo (F) da linha
de fuga de combustível.

D—Chicote Elétrico F— Parafuso da conexão tipo


E—Linha de combustível de banjo do fuga
alta pressão Remova o chicote elétrico

CD30887 —UN—25SEP06
Remova a linha de fuga de combustível

CD30888 —UN—25SEP06
Retire o parafuso da conexão tipo banjo

Continua na página seguinte RE38635,0000041 ­54­30AUG07­2/3

CTM507 (16JUL09) 02­090­24 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=64
Reparações e Ajustes no Sistema Eletrônico de Combustível

NOTA: Não é necessário remover a linha de fuga


de combustível por completo.

7. Remova o parafuso da braçadeira de retenção (G).


IMPORTANTE: Durante a remoção do injetor
eletrônico, não gire o topo do injetor, isto

CD30889 —UN—25SEP06
pode danificar o solenóide.

8. Usando a braçadeira (H), gire o injetor no sentido


anti­horário até que a entrada de combustível do
injetor (I) fique entre a tampa do braço oscilante e a
linha de fuga de combustível.
Remova o parafuso da braçadeira
9. Retire a arruela de vedação banjo dupla (J).
10. Instale a braçadeira de cabeça para baixo conforme
mostrado (K), e então pressione a sua extremidade
para ajudar o injetor a sair.
11. Cubra imediatamente todas as aberturas no cabeçote
do cilindro e no injetor.

CD30890 —UN—25SEP06
NOTA: Não é possível reparar ou testar a pressão da
abertura do injetor eletrônico, pois ele é controlado
eletronicamente. O injetor inteiro deverá ser
substituído caso algum de seus componentes falhe.

G—Parafuso da braçadeira de J— Arruela de Vedação tipo


retenção banjo dupla Gire o injetor usando a braçadeira
H—Braçadeira do Injetor K—Braçadeira do injetor
I— Entrada de combustível do invertida
injetor

CD30891 —UN—25SEP06
Coloque a entrada de combustível do injetor entre a linha de
fuga e a tampa do braço oscilante

CD30892 —UN—25SEP06

Puxe o injetor usando a braçadeira de cabeça para baixo

RE38635,0000041 ­54­30AUG07­3/3

CTM507 (16JUL09) 02­090­25 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=65
Reparações e Ajustes no Sistema Eletrônico de Combustível

Limpeza do Orifício do Injetor Eletrônico (IE)


1. Limpe os depósitos leves do orifício do injetor
2. Passe a escova para cima e para baixo várias vezes
eletrônico usando uma furadeira elétrica e a Escova
para limpar o orifício.
de Limpeza de Roscas D17030BR.
RG40854,0000118 ­54­22JAN07­1/1

Limpeza do Orifício do Injetor Eletrônico (IE)

Não é possível limpar o orifício do injetor eletrônico. Se o


orifício estiver obstruído, substitua o injetor eletrônico.
RG40854,0000117 ­54­22JAN07­1/1

Limpeza do Corpo do Injetor Eletrônico (IE)


IMPORTANTE: Nunca use uma escova de aço para 1. Limpe os injetores eletrônicos novos ou usados
limpar os injetores eletrônicos. Escovas de aço lavando­os em combustível diesel.
podem danificar os injetores eletrônicos.
2. Se necessário, use uma escova de cerdas de latão
para remover os depósitos de carbono.
RG40854,0000116 ­54­22JAN07­1/1

Inspeção do Corpo do Injetor Eletrônico (IE)


1. Inspecione se o corpo do injetor eletrônico apresenta
marcas ou arranhões. 2. Se o injetor eletrônico estiver arranhado ou marcado,
substitua­o.
RG40854,0000115 ­54­22JAN07­1/1

CTM507 (16JUL09) 02­090­26 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=66
Reparações e Ajustes no Sistema Eletrônico de Combustível

Instalar Injetor Eletrônico (IE)


NOTA: Durante a manutenção dos injetores, é importante correspondente, o desempenho do motor e
concluir o procedimento de calibração usando o as emissões serão afetados.
Service ADVISOR. Cada injetor tem uma calibração
específica e essa informação pode ser obtida NOTA: Anote o número de peça e o número de série
efetuando a leitura óptica do código de barras na do injetor para futura referência.
caixa do injetor do serviço de peças e fazendo o
download das informações do injetor pelo site John IMPORTANTE: Execute os passos a seguir em um
Deere Custom Performance™. Como alternativa ambiente limpo. Mantenha limpa a área de
para obter os dados de calibração do Custom trabalho para evitar a entrada de detritos
Performance, é possível usar o número de peça e o no sistema de combustível que possam
número de série do injetor estampados no injetor. A causar falhas no injetor.
ECU pode ser diretamente carregada com o código
de 30 dígitos da etiqueta de identificação.
Se a ECU não for programada com as informações
corretas de cada injetor e o cilindro correto

CD30878 —UN—07SEP06

CD30893 —UN—25SEP06
Substitua a vedação e o anel de vedação
Instalar injetor

A—Anel de vedação B—Arruela de vedação da


combustão

1. Substitua o anel de vedação (C) e a arruela de


3. Insira cuidadosamente o injetor no orifício até que ele
vedação da combustão (B).
se encaixe no lugar.
2. Lubrifique o anel de vedação com vaselina.
Continua na página seguinte RE38635,0000042 ­54­06AUG07­1/4

CTM507 (16JUL09) 02­090­27 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=67
Reparações e Ajustes no Sistema Eletrônico de Combustível

4. Usando a braçadeira (C), gire o injetor no sentido


horário até que ele se alinhe com o orifício do parafuso
banjo da linha de retorno de combustível (D).
5. Mergulhe o parafuso com arruela esférica (E) da
braçadeira em óleo de motor. Instale e aperte o
parafuso com as mãos.

CD30894 —UN—25SEP06
6. Instale o parafuso da junta banjo com as novas
arruelas duplas banjo de vedação (F). Neste estágio,
aperte manualmente.
7. Instale a linha de combustível de alta pressão (G).
Aperte manualmente a porca da conexão.
Gire o injetor usando a braçadeira
C—Braçadeira do injetor F— Arruela de vedação banjo
D—Linha de retorno de dupla
combustível G—Linha de combustível de
E—Parafuso da braçadeira alta pressão
com arruela esférica

CD30895 —UN—25SEP06
Instale a braçadeira do injetor

CD30881A —UN—25SEP06
Instale a arruela de vedação banjo dupla

Continua na página seguinte RE38635,0000042 ­54­06AUG07­2/4

CTM507 (16JUL09) 02­090­28 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=68
Reparações e Ajustes no Sistema Eletrônico de Combustível

CD30882A —UN—25SEP06

CD30883A —UN—25SEP06
Aperte as Conexões Desconecte o Chicote Elétrico

E—Parafuso da braçadeira H—Parafuso banjo do retorno J— Porca do terminal


G—Linha de combustível de alta I— Chicote elétrico
pressão

8. Aperte a braçadeira do injetor (E) conforme as


11. Instale o chicote elétrico (I) nos pinos do injetor.
especificações.
Injetor Eletrônico—Especificação IMPORTANTE: NÃO use LOCTITE vermelho
Parafuso da ou azul nos pinos da solenóide. A
braçadeira—Torque.........................................................15 N∙m (11 lb­ft) força de adesão é muito alta para pinos
Giro do Aperto ........................................................................... 90 graus pequenos, tornando impossível fazer futuras
remoções sem torcê­los.
9. Aperte o parafuso banjo do retorno de combustível (H)
conforme as especificações. 12. Aplique LOCTITE 222 Trava­Roscas Pequenas
Especificação
(PM38653) nas porcas do injetor (J). Instale e aperte
Parafuso banjo do retorno
as porcas conforme a especificação.
de combustível—Torque................................................. 25 N∙m (18 lb­ft) Especificação
Porca do
10. Aperte a linha de combustível de alta pressão injetor—Torque................................................................ 2 N∙m (1.5 lb­ft)
(G) conforme as especificações em ambas as
extremidades.
Especificação
Linha de combustível de
alta pressão—Torque..................................................... 30 N∙m (22 lb­ft)
Continua na página seguinte RE38635,0000042 ­54­06AUG07­3/4

CTM507 (16JUL09) 02­090­29 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=69
Reparações e Ajustes no Sistema Eletrônico de Combustível

CD30884A —UN—25SEP06

CD30885A —UN—25SEP06
Instale a vedação da tampa Instale a proteção contra calor

K—Tampa anti­pó do conector L— Proteção contra calor M—Parafuso da proteção contra


do pino calor

13. Instale uma nova tampa anti­pó (K) no conector do


15. Calibre a ECU para a alimentação correta de
injetor.
combustível do injetor eletrônico. Ver CALIBRAÇÃO
14. Instale a proteção contra calor (L). Aperte o parafuso DO INJETOR ELETRÔNICO na Seção 04, Grupo 160.
(M) conforme a especificação.
Especificação
Parafuso da proteção
contra calor—Torque........................................................ 10 N∙m (7 lb­ft)
RE38635,0000042 ­54­06AUG07­4/4

CTM507 (16JUL09) 02­090­30 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=70
Reparações e Ajustes no Sistema Eletrônico de Combustível

Remover e Instalar Linha de Retorno


de Combustível
NOTA: A linha de retorno compõe­se de várias partes
que podem ser reparadas separadamente.

Partes inferiores entre a linha comum e a bomba de


alta pressão
1. Remova a parte desejada da linha de retorno
2. Verifique e substitua as peças conforme for
necessário.
3. Instale as peças, depois aperte a porca do tubo até se
assentar no rebordo da conexão.
Parte superior entre a conexão T (C) e o injetor (D)
1. Desconecte a linha de retorno da conexão T (C) e dos
injetores (D).

CD30898 —UN—09OCT06
2. Remova a parte superior da linha de retorno (E).
3. Verifique e substitua as peças conforme for
necessário.
4. Instale o parafuso da conexão banjo (G) com novas
arruelas duplas banjo de vedação (F) em cada porta
de injetor. Linha de retorno de combustível

5. Aperte o parafuso banjo do retorno de combustível à


especificação.
Especificação
Parafuso banjo do retorno

CD30875A —UN—09OCT06
de combustível—Torque................................................. 25 N∙m (18 lb­ft)

6. Instale a linha de retorno na conexão T (C), depois


aperte a porca do tubo até assentar no rebordo da
conexão.

A—Conexão da linha E—Parte superior da linha de


B—Conexão da bomba de alta retorno
pressão F— Arruela de vedação banjo Remover/instalar linha de retorno de combustível
C—Conexão T dupla
D—Conexão do injetor G—Parafuso da conexão banjo
do retorno

CD30888A —UN—09OCT06

Instale a arruela de vedação banjo dupla e o parafuso da conexão banjo


CD03523,000017B ­54­30MAY07­1/1

CTM507 (16JUL09) 02­090­31 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=71
Reparações e Ajustes no Sistema Eletrônico de Combustível

CTM507 (16JUL09) 02­090­32 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=72
Grupo 110
Reparação e Ajuste do Controle Eletrônico do Motor

Manutenção da Unidade de Controle do Motor (ECU)


IMPORTANTE: NÃO ABRA A UNIDADE DE
CONTROLE DO MOTOR.

IMPORTANTE: Não lave a Unidade de Controle do


Motor (ECU) com jato d’água.

IMPORTANTE: Antes de soldar motores equipados


com a ECU, proteja­a contra danos de alta
corrente da seguinte maneira:

CD30896 —UN—05OCT06
1. Desconecte o aterramento entre a ECU
e a estrutura do veículo.
2. Desconecte todos os outros conec­
tores da ECU.
3. Conecte o terra do soldador perto do ponto
de soldagem e certifique­se de que a ECU
e os outros componentes elétricos não Unidade de Controle do Motor, Nível 16
estejam no caminho do aterramento.
IMPORTANTE: Se uma ECU não for programada
NOTA: Para diagnóstico e teste do controle eletrônico de forma idêntica à original (que demonstrou
do motor e dos sensores, vá para a Seção falha), é possível que ocorram mensagens
04, Grupo 160, CÓDIGO DE DIAGNÓSTICO de erros de diagnóstico, desempenho
DE FALHAS E TESTES. inferior ou danos ao motor.
NOTA: O conjunto lacrado da ECU é o componente do Para a teoria da operação da ECU, veja UNIDADE DE
sistema com MENOR probabilidade de falhas. Antes CONTROLE DO MOTOR (ECU) na Seção 03, Grupo
de substituir a unidade, verifique se ela foi isolada e 140, na seqüência deste manual.
identificada como o componente defeituoso.

Não é possível reparar a ECU. Se estiver com defeito,


substitua a ECU.
Os conectores da fiação da ECU podem ser reparados.
Veja REPARAÇÃO DO CONECTOR CINCH FLEX
BOX na seqüência deste grupo.
CD03523,0000179 ­54­30AUG07­1/1

Soldar
IMPORTANTE: Antes de soldar motores equipados 3. Remova a ECU dos chassis das aplicações.
com a ECU, proteja­a contra danos de alta 4. Conecte o terra do soldador perto do
corrente da seguinte maneira: ponto de soldagem e longe da ECU.
Certifique­se de que a ECU não esteja no
1. Desconecte todos os conectores da ECU. caminho do terra do soldador.
2. Desconecte o conector dos injetores
eletrônicos.
DM59778,0000024 ­54­15OCT07­1/1

CTM507 (16JUL09) 02­110­1 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=73
Reparação e Ajuste do Controle Eletrônico do Motor

Lavagem com Alta Pressão


IMPORTANTE: NÃO ABRA A UNIDADE DE
CONTROLE DO MOTOR.

IMPORTANTE: Não lave a Unidade de Controle do


Motor (ECU) com jato d’água.

IMPORTANTE: Antes de soldar motores equipados


com a ECU, proteja­a contra danos de alta
corrente da seguinte maneira:

CD30896 —UN—05OCT06
1. Desconecte o aterramento entre a ECU
e a estrutura do veículo.
2. Desconecte todos os outros conec­
tores da ECU.
3. Conecte o terra do soldador perto do ponto
de soldagem e certifique­se de que a ECU
e os outros componentes elétricos não Unidade de Controle do Motor, Nível 16
estejam no caminho do aterramento.
IMPORTANTE: Se uma ECU não for programada
NOTA: Para diagnóstico e teste do controle eletrônico de forma idêntica à original (que demonstrou
do motor e dos sensores, vá para a Seção falha), é possível que ocorram mensagens
04, Grupo 160, CÓDIGO DE DIAGNÓSTICO de erros de diagnóstico, desempenho
DE FALHAS E TESTES. inferior ou danos ao motor.
NOTA: O conjunto lacrado da ECU é o componente do Para a teoria da operação da ECU, veja UNIDADE DE
sistema com MENOR probabilidade de falhas. Antes CONTROLE DO MOTOR (ECU) na Seção 03, Grupo
de substituir a unidade, verifique se ela foi isolada e 140, na seqüência deste manual.
identificada como o componente defeituoso.

Não é possível reparar a ECU. Se estiver com defeito,


substitua a ECU.
Os conectores da fiação da ECU podem ser reparados.
Veja REPARAÇÃO DO CONECTOR CINCH FLEX
BOX na seqüência deste grupo.
DM59778,0000017 ­54­06JUN07­1/1

CTM507 (16JUL09) 02­110­2 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=74
Reparação e Ajuste do Controle Eletrônico do Motor

Remoção e Instalação da Unidade de


Controle do Motor (ECU) no Motor
(Equipamento Opcional)
NOTA: A Unidade de Controle do Motor (ECU)
pode ser montada no motor ou instalada

CD30899 —UN—10OCT06
remotamente na máquina.

1. Desconecte o chicote elétrico (B) da ECU (A).


2. Retire a ECU da braçadeira.
3. Instale a ECU com o bujão de ventilação (D) voltado
para o defletor da braçadeira (E). Aperte os parafusos
(C) conforme as especificações.
Especificação
Parafuso da
ECU—Torque..................................................................15 N∙m (11 lb­ft)

CD30923 —UN—17OCT06
A—Unidade de Controle do D—Bujão de Ventilação
Motor (ECU) E—Defletor da Braçadeira
B—Chicote elétrico
C—Parafuso

Instalação da ECU
CD03523,000017C ­54­17OCT06­1/1

CTM507 (16JUL09) 02­110­3 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=75
Reparação e Ajuste do Controle Eletrônico do Motor

Remoção e Instalação de Peças de Adaptação da Unidade de Controle do Motor


(ECU) Montadas no Motor (Equipamento Opcional)

CD30901 —UN—09OCT06
CD30900 —UN—09OCT06
Remova/Instale a Braçadeira da ECU

Peças de Adaptação da ECU

NOTA: Dependendo da configuração do motor,


o adaptador (A) pode ser usado como um
gargalo de abastecimento.

1. Retire os grampos do chicote elétrico da braçadeira


(F).

CD30902 —UN—09OCT06
2. Remova a braçadeira (F).
3. Retire o conjunto do adaptador (A)/isolante (D).
4. Substitua as peças conforme a necessidade.
Aperte os parafusos do isolante (E) conforme as
especificações.
Remova/Instale o Adaptador Com Isolantes
Especificação
Parafusos entre
o isolante e o
adaptador—Torque......................................................... 35 N∙m (26 lb­ft)

5. Instale o conjunto do adaptador (A)/isolante (D) com


um anel O (B) no bloco do cilindro. Aperte o parafuso

CD30903 —UN—09OCT06
(C) conforme as especificações.
Especificação
Parafusos entre
o conjunto do
adaptador/isolante
e o bloco do
cilindro—Torque............................................................. 40 N∙m (30 lb­ft)
Instale o Anel O no Conjunto do Adaptador/Isolante da ECU
6. Instale a braçadeira (F) no adaptador. Aperte as
porcas (H) conforme a especificação. A—Adaptador E—Parafuso Entre o Isolante e
B—Anel O o Adaptador
Especificação
C—Parafuso Entre o Adaptador F— Braçadeira da ECU
Porcas Entre a e o Bloco do Cilindro G—Parafuso Entre a
Braçadeira da ECU e D—Isolante Braçadeira da ECU e o
o Adaptador—Torque..................................................... 35 N∙m (26 lb­ft) Isolante
H—Porca

CD03523,000017D ­54­15FEB07­1/1

CTM507 (16JUL09) 02­110­4 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=76
Reparação e Ajuste do Controle Eletrônico do Motor

Remoção e Instalação do Sensor de


Temperatura do Líquido de Arrefecimento
do Motor (ECT)
NOTA: Para obter uma ilustração expandida das
localizações dos componentes, veja LOCALIZAÇÃO
DO COMPONENTE 1 para o motor de 4,5L
LOCALIZAÇÃO DO COMPONENTE 7 para o motor
de 6,8L na Seção 03, Grupo 140 deste manual.

1. Desconecte o conector da fiação do sensor de ECT


(A) e remova o sensor.
2. Substitua as peças conforme necessário.
3. Aplique Graxa para Alta Temperatura TY6333 no novo

CD30904 —UN—12OCT06
anel O do sensor e instale o sensor no alojamento do
termostato. Aperte de acordo com as especificações.
Especificação
Sensor de temperatura
do líquido de
arrefecimento (na tampa
do termostato)—Torque.................................................... 10 N∙m (7 lb­ft) Sensor de Temperatura do Líquido de Arrefecimento do Motor

4. Reconecte a conexão da fiação do sensor.


A—Sensor de temperatura do
líquido de arrefecimento do
motor

CD03523,000017E ­54­18APR08­1/1

Remoção e Instalação do Sensor de


Temperatura do Combustível
NOTA: Para obter uma ilustração expandida das
localizações dos componentes, veja LOCALIZAÇÃO
DO COMPONENTE 2 para o motor de 4,5L
LOCALIZAÇÃO DO COMPONENTE 6 para o motor
de 6,8L na Seção 03, Grupo 140 deste manual.

1. Desconecte o conector da fiação do sensor de


temperatura do combustível (A) e remova o sensor.
2. Substitua as peças conforme necessário.
3. Aplique Graxa para Alta Temperatura TY6333 no novo
anel O do sensor e instale o sensor na bomba de alta CD30905 —UN—12OCT06
pressão. Aperte de acordo com as especificações.
Especificação
Sensor de temperatura
do combustível
(na bomba de alta
pressão)—Torque............................................................. 10 N∙m (7 lb­ft)
Sensor de Temperatura do Combustível
4. Reconecte a conexão da fiação do sensor.

A—Sensor de temperatura do
combustível

CD03523,000017F ­54­18APR08­1/1

CTM507 (16JUL09) 02­110­5 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=77
Reparação e Ajuste do Controle Eletrônico do Motor

Remoção e Instalação do Sensor de


Temperatura do Ar do Coletor (MAT)
NOTA: Para obter uma ilustração expandida das
localizações dos componentes, veja LOCALIZAÇÃO
DO COMPONENTE 4 para o motor de 4,5L

CD30906 —UN—12OCT06
LOCALIZAÇÃO DO COMPONENTE 8 para o motor
de 6,8L na Seção 03, Grupo 140 deste manual.

1. Desconecte o conector da fiação do sensor de


temperatura do ar do coletor (A) e remova o sensor.
2. Substitua as peças conforme necessário.
Sensor de Temperatura do Ar do Coletor
3. Aplique Graxa para Alta Temperatura PM37418 no
novo anel O do sensor e instale o sensor no cabeçote
do cilindro. Aperte de acordo com as especificações. A—Sensor de temperatura do
ar do coletor
Especificação
Sensor de temperatura
do ar do coletor
(no cabeçote do 4. Reconecte a conexão da fiação do sensor.
cilindro)—Torque.............................................................. 10 N∙m (7 lb­ft)
CD03523,0000180 ­54­18APR08­1/1

Remoção e Instalação do Sensor de


Pressão do Óleo
NOTA: Para obter uma ilustração expandida das
localizações dos componentes, veja LOCALIZAÇÃO
DO COMPONENTE 1 para o motor de 4,5L
LOCALIZAÇÃO DO COMPONENTE 5 para o motor
de 6,8L na Seção 03, Grupo 140 deste manual.

1. Desconecte o conector da fiação (A) do sensor de


pressão do óleo e remova o sensor.
2. Substitua o sensor se necessário.
3. Cubra as roscas do sensor com Trava­Rosca TY9370
(Resistência Média) e instale o sensor no bloco do

CD30907 —UN—12OCT06
cilindro. Aperte de acordo com as especificações.
Especificação
Sensor de pressão
do óleo (no bloco do
cilindro)—Torque.............................................................. 10 N∙m (7 lb­ft)

4. Reconecte a conexão da fiação do sensor.


Sensor de Pressão do Óleo

A—Sensor de pressão do óleo

CD03523,0000181 ­54­18APR08­1/1

CTM507 (16JUL09) 02­110­6 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=78
Reparação e Ajuste do Controle Eletrônico do Motor

Remoção e Instalação do Sensor de Pressão


da Linha de Combustível
CUIDADO: Aguarde pelo menos 15 minutos
depois de desligar o motor antes de remover o
sensor de pressão da linha de combustível.

CD30908 —UN—12OCT06
IMPORTANTE: Execute as etapas a seguir em um
ambiente limpo. Mantenha limpa a área de
trabalho para evitar a entrada de detritos
no sistema de combustível que possam
causar falhas no injetor.
Sensor de Pressão da Linha de Combustível
NOTA: Para obter uma ilustração expandida das
localizações dos componentes, veja LOCALIZAÇÃO
A—Sensor de pressão da linha
DO COMPONENTE 3 para o motor de 4,5L de combustível
LOCALIZAÇÃO DO COMPONENTE 5 para o motor
de 6,8L na Seção 03, Grupo 140 deste manual.
instale­o na linha de combustível. Aperte de acordo
1. Desconecte o conector da fiação do sensor de com as especificações.
pressão do combustível (A) e remova o sensor.
Especificação
2. Substitua as peças conforme necessário. Sensor de pressão da
linha de combustível
IMPORTANTE: NÃO reutilize o sensor de pressão
(na linha de
da linha de combustível depois de removê­lo
combustível)—Torque.................................................. 100 N∙m (74 lb­ft)
da linha. Instale um novo.
4. Reconecte a conexão da fiação do sensor.
3. Aplique uma pequena quantidade de Graxa para Alta
Temperatura TY6333 nas roscas do novo sensor e 5. Sangre o sistema de combustível.
CD03523,0000186 ­54­18APR08­1/1

CTM507 (16JUL09) 02­110­7 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=79
Reparação e Ajuste do Controle Eletrônico do Motor

Remoção e Instalação do Sensor de Pressão


da Bomba de Transferência de Combustível
IMPORTANTE: Execute as etapas a seguir em um
ambiente limpo. Mantenha limpa a área de
trabalho para evitar a entrada de detritos

CD30909 —UN—12OCT06
no sistema de combustível que possam
causar falhas no injetor.

NOTA: Para obter uma ilustração expandida das


localizações dos componentes, veja LOCALIZAÇÃO
DO COMPONENTE 4 para o motor de 4,5L
LOCALIZAÇÃO DO COMPONENTE 4 para o motor
de 6,8L na Seção 03, Grupo 140 deste manual. Sensor de Pressão da Bomba de Transferência de Combustível

1. Desconecte o conector da fiação do sensor de A—Sensor de pressão da


pressão do combustível (A) e remova o sensor. bomba de transferência de
combustível
2. Substitua as peças conforme necessário.
3. Aplique Graxa para Alta Temperatura TY6333 no
novo anel O do sensor e instale o sensor na base 4. Reconecte a conexão da fiação do sensor.
do filtro de combustível. Aperte de acordo com as
especificações. 5. Sangre o sistema de combustível.
Especificação
Sensor de pressão da
bomba de transferência
de combustível (na
base do filtro de
combustível)—Torque...................................................... 10 N∙m (7 lb­ft)
CD03523,0000182 ­54­18APR08­1/1

Remoção e Instalação do Sensor de


Posição do Virabrequim
NOTA: Para obter uma ilustração expandida das
localizações dos componentes, veja LOCALIZAÇÃO
DO COMPONENTE 3 para o motor de 4,5L
LOCALIZAÇÃO DO COMPONENTE 7 para o motor
de 6,8L na Seção 03, Grupo 140 deste manual.

1. Desconecte o conector da fiação do sensor de posição


do virabrequim (A) e remova o sensor.
2. Substitua as peças conforme necessário.
3. Aplique Graxa para Alta Temperatura TY6333 no novo
anel O do sensor e instale o sensor na tampa da
CD30910 —UN—12OCT06

engrenagem de distribuição. Aperte de acordo com


as especificações.
Especificação
Sensor de posição do
virabrequim (na tampa
da engrenagem de
distribuição)—Torque......................................................15 N∙m (11 lb­ft) Sensor de Posição do Virabrequim
4. Reconecte a conexão da fiação do sensor.
A—Sensor de posição do
virabrequim

CD03523,0000183 ­54­18APR08­1/1

CTM507 (16JUL09) 02­110­8 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=80
Reparação e Ajuste do Controle Eletrônico do Motor

Remoção e Instalação do Sensor de


Posição da Bomba
NOTA: Para obter uma ilustração expandida das
localizações dos componentes, veja LOCALIZAÇÃO
DO COMPONENTE 2 para o motor de 4,5L

CD30911 —UN—12OCT06
LOCALIZAÇÃO DO COMPONENTE 6 para o motor
de 6,8L na Seção 03, Grupo 140 deste manual.

1. Desconecte o conector da fiação do sensor de posição


da bomba (A) e remova o sensor.
2. Substitua as peças conforme necessário.
3. Aplique Graxa para Alta Temperatura TY6333 no Sensor de Posição da Bomba
novo anel O do sensor e instale o sensor na placa
adaptadora da bomba de alta pressão. Aperte de A—Sensor de posição da
acordo com as especificações. bomba

Especificação
Sensor de posição
da bomba (na placa 4. Reconecte a conexão da fiação do sensor.
adaptadora da bomba de
alta pressão)—Torque.....................................................15 N∙m (11 lb­ft)
CD03523,0000184 ­54­18APR08­1/1

Remoção e Instalação do Sensor de


Água no Combustível (WIF)
NOTA: Para obter uma ilustração expandida das
localizações dos componentes, veja LOCALIZAÇÃO
DO COMPONENTE 4 para o motor de 4,5L

CD30912 —UN—12OCT06
LOCALIZAÇÃO DO COMPONENTE 4 para o motor
de 6,8L na Seção 03, Grupo 140 deste manual.

1. Desconecte o conector da fiação do sensor de água


no combustível (A) e remova o sensor.
2. Substitua as peças conforme necessário.
Sensor de Água no Combustível
3. Instale o sensor no filtro de combustível e aperte
manualmente.
4. Reconecte a conexão da fiação do sensor.

A—Sensor de água no C—Anel O


combustível
B—Arruela de vedação CD30913 —UN—12OCT06

Sensor de Água no Combustível (removido)

CD03523,0000185 ­54­18APR08­1/1

CTM507 (16JUL09) 02­110­9 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=81
Reparação e Ajuste do Controle Eletrônico do Motor

Instalação do Chicote Elétrico na ECU Montada no Motor


Percurso do Chicote no Lado Esquerdo do Motor
NOTA: O procedimento abaixo é destinado para o
chicote da ECU montada no motor fornecido
pelo fabricante do motor.

CD30914 —UN—17OCT06
Percurso do Chicote no Lado Esquerdo do Motor
Continua na página seguinte CD03523,0000188 ­54­16OCT06­1/8

CTM507 (16JUL09) 02­110­10 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=82
Reparação e Ajuste do Controle Eletrônico do Motor

CD30915 —UN—17OCT06
Percurso do Chicote no Lado Esquerdo Traseiro do Motor
A—Conector da ECU (J01) C—Conector de Força Auxiliar E—Grampo do Chicote
B—Conector de Pressão da (C02) F— ECU
Linha de Combustível (P05) D—Acessório Entre o Chicote
Elétrico e a Braçadeira da
ECU

1. Passe e conecte o chicote do motor nos lados c. Ligue o chicote elétrico na braçadeira da ECU (D).
esquerdo e traseiro do motor, conforme mostrado e
em seguida: d. Insira o grampo do chicote (E) na braçadeira de
montagem do chicote.
a. Instale o conector da ECU (A).
b. Conecte o sensor de pressão da linha de
combustível (B).
Continua na página seguinte CD03523,0000188 ­54­16OCT06­2/8

CTM507 (16JUL09) 02­110­11 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=83
Reparação e Ajuste do Controle Eletrônico do Motor

CD30917 —UN—17OCT06
CD30916 —UN—17OCT06

Percurso do Chicote no Lado Esquerdo do Motor Percurso do Chicote na Área da Bomba de Alta Pressão

A—Conector de Temperatura C—Grampo do Chicote E—Conector de Temperatura do


do Líquido de Arrefecimento D—Conector da Válvula de Combustível (T05)
(T04) Controle de Sucção (Y01) F— Conector da Posição da
B—Conector de Pressão do Óleo Bomba (X02)
(P04)

2. Passe e conecte o chicote do motor nos lados d. Conecte o sensor da válvula de controle de sucção
esquerdo e dianteiro do motor, conforme mostrado (D).
e em seguida:
e. Conecte o sensor de temperatura do combustível
a. Conecte o sensor de temperatura do líquido de (E).
arrefecimento (A).
f. Conecte o sensor de posição da bomba (F).
b. Conecte o sensor de pressão de óleo (B).
c. Insira o grampo do chicote (C) na braçadeira de
montagem do chicote.
Continua na página seguinte CD03523,0000188 ­54­16OCT06­3/8

CTM507 (16JUL09) 02­110­12 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=84
Reparação e Ajuste do Controle Eletrônico do Motor

g.

CD30918 —UN—17OCT06
Percurso do Chicote na Dianteira do Motor
A—Conector do Virabrequim do B—Acessório Entre o Chicote
Motor (X01) Elétrico e a Chapa Dianteira

Conecte o sensor de posição do virabrequim do h. Ligue o chicote elétrico na placa dianteira do motor
motor (A). (B).
Continua na página seguinte CD03523,0000188 ­54­16OCT06­4/8

CTM507 (16JUL09) 02­110­13 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=85
Reparação e Ajuste do Controle Eletrônico do Motor

Percurso do Chicote no Lado Direito do Motor

CD30919 —UN—17OCT06
Percurso do Chicote no Lado Direito do Motor
Continua na página seguinte CD03523,0000188 ­54­16OCT06­5/8

CTM507 (16JUL09) 02­110­14 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=86
Reparação e Ajuste do Controle Eletrônico do Motor

CD30920 —UN—17OCT06
Percurso do Chicote no Lado Direito Traseiro do Motor
A—Conector do Injetor de C—Conector de pPessão E—Grampos do Chicote
Combustível (C01) do Combustível (P03) ­
B—Conector de Temperatura de Equipamento Opcional
Ar do Coletor (T02) D—Conector do Aquecedor de Ar
(C03) ­ Instalação no Veículo

1. Passe e conecte o chicote do motor nos lados direito


d. Ligue o conector do aquecedor de ar (D) na
e traseiro do motor, conforme mostrado e em seguida:
conexão do veículo.
a. Conecte o chicote do motor no conector do injetor
e. Insira os grampos do chicote (E) na braçadeira de
de combustível (A).
montagem do chicote.
b. Conecte o sensor de temperatura do ar do coletor
(MAT) (B).
c. Opção do sensor de pressão de combustível:
ligue o conector de pressão de combustível (C) no
chicote da ponte do sensor de pressão de óleo.
Continua na página seguinte CD03523,0000188 ­54­16OCT06­6/8

CTM507 (16JUL09) 02­110­15 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=87
Reparação e Ajuste do Controle Eletrônico do Motor

CD30921 —UN—17OCT06
Percurso do Chicote no Lado Direito Dianteiro do Motor
A—Conector de Excitação do B—Acessório Entre o Chicote
Alternador (C06) Elétrico e a Tampa do Braço
Oscilante

2. Passe e conecte o chicote do motor nos lados direito e


dianteiro do motor, conforme mostrado e em seguida: b. Ligue o chicote elétrico na tampa do braço oscilante
(B).
a. Ligue o conector de excitação do alternador (A) no
chicote do alternador.
CD03523,0000188 ­54­16OCT06­7/8

CD30922 —UN—17OCT06

Conecte o Sensor de Água no Combustível


A—Sensor de Água no
Combustível (D01)

3. Conecte o Sensor de Água no Combustível (A).


CD03523,0000188 ­54­16OCT06­8/8

CTM507 (16JUL09) 02­110­16 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=88
Reparação e Ajuste do Controle Eletrônico do Motor

Instalação do Chicote Elétrico da ECU Remota


Percurso do Chicote no Lado Direito do Motor
NOTA: O procedimento abaixo é destinado para o chicote
remoto fornecido pelo fabricante do motor.

RG14817 —UN—04APR06
Percurso do Chicote no Lado Direito do Motor
Continua na página seguinte CD03523,0000187 ­54­17JAN07­1/11

CTM507 (16JUL09) 02­110­17 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=89
Reparação e Ajuste do Controle Eletrônico do Motor

RG14818 —UN—04APR06
Conectores do Chicote no Lado Direito Traseiro do Motor
A—Conector do Chicote do B—Conector do Sensor de C—Conector do Sensor de
Injetor de Combustível (C01) Temperatura de Ar do Coletor Pressão do Combustível
(T02) (P03)

1. Passe e conecte o chicote do motor nos lados direito


e traseiro do motor, conforme mostrado e em seguida: c. Opção do sensor de pressão de combustível:
Ligue o conector de pressão de combustível (C) no
a. Ligue o conector do chicote do injetor de chicote da ponte do sensor de pressão de óleo.
combustível (A).
b. Ligue o conector (B) do sensor de temperatura do
ar do coletor (MAT) no sensor de temperatura do ar
do coletor.
Continua na página seguinte CD03523,0000187 ­54­17JAN07­2/11

CTM507 (16JUL09) 02­110­18 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=90
Reparação e Ajuste do Controle Eletrônico do Motor

RG14819 —UN—04APR06
Conexão do Chicote, Lado Direito do Motor, Área do Filtro Primário
A—Conector de Excitação do C—Conector do Sensor de Água E—Braçadeira do Filtro
Alternador (C06) no Combustível (D01) F— Parafuso M8
B—Conector do Aquecedor de D—Grampo em P
Ar (C03)

2. Conecte o chicote do motor na área do filtro primário,


conforme mostrado e em seguida: c. Ligue o conector (C) de água no combustível (WIF)
no condutor WIF do filtro primário de combustível.
a. Ligue o conector de excitação do alternador (A) no
chicote da ponte de excitação do alternador.
b. Ligue o conector do aquecedor de ar (B) na
conexão do cliente.
Continua na página seguinte CD03523,0000187 ­54­17JAN07­3/11

CTM507 (16JUL09) 02­110­19 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=91
Reparação e Ajuste do Controle Eletrônico do Motor

Percurso do Chicote na Dianteira do Motor

RG14821 —UN—04APR06
Percurso do Chicote na Dianteira do Motor
A—Presilhas da Fiação C—Grampo em P E—Parafuso M8
B—Braçadeira de Montagem do D—Braçadeira de Montagem do F— Porca M8
Chicote Próxima à Entrada de Chicote, Parte Dianteira do
Ar Motor

1. Em motores de 6,8L, conecte o chicote do motor na inserindo um parafuso (E) através do grampo
parte dianteira do motor conforme mostrado e em P e da braçadeira de montagem na porca (F).
seguida: Aperte o parafuso e a porca de acordo com as
especificações.
a. Insira os grampos do chicote (A) na braçadeira de
montagem do chicote (B). Especificação
Parafuso e Porca—SCV................................................. 30 N∙m (22 lb­ft)
b. Prenda o grampo P (C) no chicote do motor
na braçadeira de montagem do chicote (D),
Continua na página seguinte CD03523,0000187 ­54­17JAN07­4/11

CTM507 (16JUL09) 02­110­20 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=92
Reparação e Ajuste do Controle Eletrônico do Motor

RG14822 —UN—04APR06
Percurso do Chicote Próximo à Entrada de Ar ­ 4,5L
A—Grampo do Chicote C—Grampo P E—Parafuso M6
B—Braçadeira de Montagem do D—Tampa do Braço Oscilante
Chicote do Motor, Próxima à
Entrada de Ar

2. Em motores de 4,5L, conecte o chicote do motor na (C) na tampa do braço oscilante (D) inserindo o
parte dianteira do motor conforme mostrado e em parafuso (E) através do grampo P dentro da tampa
seguida: do braço oscilante.
a. Insira os grampos do chicote (A) na braçadeira
de montagem do chicote (B). Prenda o grampo P
Continua na página seguinte CD03523,0000187 ­54­17JAN07­5/11

CTM507 (16JUL09) 02­110­21 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=93
Reparação e Ajuste do Controle Eletrônico do Motor

b.

RG14823 —UN—04APR06
Elevação do Chicote do Motor
A—Braçadeira do Chicote B—Braçadeira do Chicote no
no Topo da Braçadeira Topo da Parte Fundida do
do Ventilador, Para um Suporte do Ventilador, Para
Ventilador Com 402 mm de Ventiladores de Alturas
Altura Menores do que 402 mm, ou
Com a Opção de Braçadeira
de Alumínio Para Ventiladores

Antes de apertar o parafuso e a porca, posicione Especificação


a altura do chicote do motor para permitir a Parafuso—SCV................................................................ 10 N∙m (7 lb­ft)
altura do ventilador ­ 402 mm (A) ou outra (B),
conforme mostrado. Aperte o parafuso conforme
as especificações.
Continua na página seguinte CD03523,0000187 ­54­17JAN07­6/11

CTM507 (16JUL09) 02­110­22 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=94
Reparação e Ajuste do Controle Eletrônico do Motor

c.

RG14826 —UN—04APR06
Percurso do Chicote na Dianteira do Motor
A—Conector do Sensor do
Virabrequim do Motor

Passe o chicote do motor pela parte dianteira do


d. Ligue o conector do sensor do virabrequim do motor
motor, conforme mostrado.
(A) no sensor do virabrequim do motor.
Continua na página seguinte CD03523,0000187 ­54­17JAN07­7/11

CTM507 (16JUL09) 02­110­23 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=95
Reparação e Ajuste do Controle Eletrônico do Motor

RG14824 —UN—04APR06
Percurso do Chicote na Dianteira Direita do Motor
A—Grampos P B—Braçadeira de Montagem do C—Parafuso M8 D—Conector do Sensor de
Chicote do Lado Dianteiro, Temperatura do Líquido de
Direito Arrefecimento do Motor (D)

3. Prenda o chicote do motor nos lados direito e dianteiro


do motor, conforme mostrado e em seguida: c. Insira os parafusos (C) através dos grampos P e
para dentro da braçadeira de montagem. Aperte os
a. Prenda os grampos P (A) no chicote do motor. parafusos conforme as especificações.
b. Alinhe os orifícios dos grampos P com os orifícios Especificação
na braçadeira de montagem (B). Pressione as Parafuso—SCV.............................................................. 30 N∙m (22 lb­ft)
braçadeiras e chicotes em direção ao motor, o d. Ligue o conector do sensor de temperatura do
quanto for possível para deixar uma folga máxima líquido de arrefecimento do motor (D) no sensor de
entre o chicote e a correia do ventilador. temperatura do líquido de arrefecimento do motor.
Continua na página seguinte CD03523,0000187 ­54­17JAN07­8/11

CTM507 (16JUL09) 02­110­24 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=96
Reparação e Ajuste do Controle Eletrônico do Motor

e. Posicione o espaçador (A) entre o grampo do


chicote (B) e a placa dianteira (C), conforme
mostrado.
f. Insira o parafuso (D) através do grampo do chicote,
do espaçador e da placa dianteira. Aperte a porca
conforme as especificações.
Especificação
Instalação da Porca do
Espaçador—SCV........................................................... 40 N∙m (30 lb­ft)

A—Espaçador D—Parafuso M8
B—Grampo do Chicote E—Porca M8
C—Chapa Anterior

RG14825 —UN—04APR06
Instalação do Espaçador

Continua na página seguinte CD03523,0000187 ­54­17JAN07­9/11

CTM507 (16JUL09) 02­110­25 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=97
Reparação e Ajuste do Controle Eletrônico do Motor

Percurso do Chicote no Lado Esquerdo do Motor

RG14827 —UN—04APR06

Percurso do Chicote no Lado Esquerdo do Motor


A—Grampo em P C—Parafuso M10 E—Conector do Sensor de
B—Arruela Plana D—Orifício de Montagem no Pressão do Óleo (P04)
Bloco

1. Instale o grampo P (A) no Chicote do Motor e insira Especificação


o parafuso (C) através da arruela plana (B) e do Parafuso—SCV.............................................................. 70 N∙m (52 lb­ft)
grampo P para dentro do orifício de montagem
rosqueado no bloco (D). Aperte o parafuso conforme 2. Ligue o conector de pressão de óleo (E) no sensor
as especificações. de pressão de óleo.
Continua na página seguinte CD03523,0000187 ­54­17JAN07­10/11

CTM507 (16JUL09) 02­110­26 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=98
Reparação e Ajuste do Controle Eletrônico do Motor

RG14828 —UN—04APR06
Percurso do Chicote na Área da Bomba de Alta Pressão e da Linha
A—Conector da Válvula de B—Conector do Sensor de C—Conector do Sensor de D—Conector do Sensor de
Controle de Sucção (Y01) Posição da Bomba (X02) Temperatura do Combustível Pressão da Linha (P02)

3. Passe o chicote do motor e prenda a bomba de injeção c. Ligue o conector do sensor de pressão de
de pressão alta do combustível e os conectores de combustível (C) no sensor de temperatura do
linha, conforme mostrado em seguida: combustível.
a. Fixe o conector (A) da válvula de controle de d. Ligue o conector do sensor de pressão da linha de
sucção na válvula de controle. combustível (D) no sensor de pressão da linha de
b. Ligue o conector do sensor de posição da bomba combustível.
(B) no sensor de posição da bomba.
CD03523,0000187 ­54­17JAN07­11/11

CTM507 (16JUL09) 02­110­27 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=99
Reparação e Ajuste do Controle Eletrônico do Motor

Conectores
Os conectores fornecem condutividade elétrica entre dois • Mantenha o conector livre de sujeira ou graxa.
dispositivos. Os conectores compõem­se normalmente de • Antes de reconectar, certifique­se de que o conector
uma concha externa, terminais e às vezes um dispositivo esteja bem seco.
de travamento e vedação. Conectores podem ser de • Não faça medições através do isolamento do fio nem
muitos formatos e tamanhos, com diferentes números e pela parte posterior do conector.
tipos de terminais, voltagem e amperagem nominais e • Sempre use o Kit de Teste de Terminais JT07328 ao
características ambientais. Os conectores unem­se como efetuar medidas em um terminal de conector.
pares, um é o receptáculo e o outro é o plugue.
NOTA: Para as localizações de sensores e conectores,
Para um conector funcionar corretamente, os terminais veja LOCALIZAÇÃO DOS COMPONENTES na
devem estar limpos e livres de quaisquer detritos. Com o Seção 03, Grupo 140 na seqüência deste manual.
tempo, umidade, sujeira e outras contaminações podem
corroer o conector e causar mau contato elétrico. É NOTA: Para diagramas de fiação de conectores e
importante que as vedações em volta dos pares de chicotes, veja DIAGRAMAS DA FIAÇÃO DA ECU
conectores estejam funcionais na reconexão. na Seção 06, Grupo 210 na seqüência deste manual.
São necessárias certas precauções quando trabalhar IMPORTANTE: Não faça medições inserindo
com conectores. coisas como clipes de papel ou arames nos
• Não desconecte os conectores puxando pelo fio. terminais de conectores. O conector ou o
• Observe o mecanismo de travamento do conector terminal podem se danificar.
quando desconectar e reconectar um conector.
• Reconecte­os sem forçar um contra o outro. IMPORTANTE: Se um conector não estiver sendo
• Antes de reconectar, verifique se há terminais tortos. usado, proteja­o de detritos com a tampa
• Substitua qualquer terminal corroído. antipoeira apropriada.
DB92450,0000048 ­54­15OCT07­1/1

CTM507 (16JUL09) 02­110­28 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=100
Reparação e Ajuste do Controle Eletrônico do Motor

Reparo do Conector
Exposição a condições extremas de clima, vibração • Se aplicável, use uma vedação apropriada antes de
excessiva e alterações ambientais tornam importante crimpar o fio no terminal.
a aplicação das técnicas corretas de reparações do • Para um conector funcionar corretamente, o fio deve
conector para manter um aplicação devidamente ser devidamente conectado, ou crimpado, no terminal.
funcional. Fios partidos, terminais sujos ou corroídos ­ Crimpagem muito frouxa permite que o fio seja
e terminais rompidos ou tortos podem gerar problemas. puxado do terminal e crimpagem muito apertada
O desgaste pelo uso dos terminais pode causar mau causa rompimento do fio na área do terminal. Um
contato entre os pares de terminais. teste simples é puxar levemente o fio para garantir
que esteja seguramente crimpado no terminal.
A reparação do conector normalmente requer a extração ­ Em muitos terminais, o fio é crimpado duas vezes,
do terminal da concha do conector, colocação de vedação uma em volta do isolamento e outra em volta do
de fio, crimpagem de um novo terminal em um fio e metal exposto. Inspecione visualmente o alinhamento
recolocação do terminal na concha do conector. Se correto de cada crimpagem.
uma concha de conector precisar ser substituída, todos • Ao inserir um terminal no alojamento do conector, o
os terminais devem ser retirados e colocados na nova travamento no lugar deve ser sentido. Puxe e empurre
concha. Conectores de diferentes modelos requerem suavemente o fio para assegurar que o terminal
procedimentos e ferramentas específicas. Embora haja permaneça travado no alojamento do conector.
muitos modelos de conectores, certos procedimentos se • Evite força excessiva ao remover ou inserir terminais
aplicam a todos os conectores. em um alojamento de conector.
Algumas orientações gerais a seguir são: • Certifique­se de que haja folga suficiente nos fios
para neutralizar vibrações quando o sistema está em
• Antes de remover um terminal, identifique onde o fio funcionamento.
será religado posteriormente.
• Antes de crimpar um novo terminal em um fio, NOTA: Para informações sobre inspeção em conectores,
assegure­se de que o fio tenha comprimento suficiente veja TESTE DE TERMINAIS na Seção 04, Grupo
para encaixar no conector sem esticar demais. Não 160 na seqüência deste manual.
tente esticar demais o fio puxando­o pelo chicote. Pode
ser necessário emendar um fio ao existente. NOTA: Para procedimentos de reparação de conectores
­ Use uma emenda isolada termo­retrátil para unir fios. de fabricantes específicos, veja as seções
A peça recomendada é a JDP PM05240 para fios Reparação do Conector nesta seção do manual.
bitola 10­12 e PM05220 para bitolas menores.
­ Se não usar uma emenda termo­retrátil, aplique uma
tubagem termo­retrátil sobre a emenda para proteger
o fio de umidade e outras contaminações.
DB92450,0000049 ­54­15OCT07­1/1

CTM507 (16JUL09) 02­110­29 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=101
Reparação e Ajuste do Controle Eletrônico do Motor

Reparação do Conector WEATHERPACK™


1. Desconecte o conector WEATHERPACK™. Remova
os tirantes e a fita.
2. Abra a trava secundária na parte de trás do conector.
3. Identifique a cor/número do fio na cavidade do

TS0128 —UN—23AUG88
conector. Certifique­se de que cada fio volte para
a cavidade correta.
4. Insira a 1Ferramenta de Extração JDG364 sobre
o contato do terminal no corpo do conector. A
ferramenta de extração deve estar completamente
assentada para destravar as lingüetas do terminal
do corpo do conector. Quando a ferramenta estiver
assentada, puxe suavemente o fio de trás do conector.
Se os fios ou os terminais estiverem em reparação, vá vedação do terminal. Se qualquer parte da vedação
para a etapa 5. Se os fios e terminais estiverem em ainda estiver no fio, descarte­a.
ordem e houver somente a substituição do conector, 6. Com o 2Alicate Universal para Eletricidade JDG145,
vá para a etapa 9. desencape 6 mm (1/4 in.) de isolamento do final do fio.
5. Utilizando o 2 Alicate Universal para Eletricidade
JDG145, corte o fio diretamente atrás da frisagem da
WEATHERPACK é uma marca registrada da Packard Electric
1
Incluído no Kit de Reparação Elétrica JT07195B
2
Incluído no Kit de Ferramentas de Reparação Elétrica JDG155
DB92450,000004A ­54­15OCT07­1/4

7. Selecione o tamanho correto da vedação. Deslize


a vedação sobre o isolamento do fio com o lado de
menor diâmetro apontando para a extremidade do fio.
O lado de menor diâmetro da vedação deve estar
alinhado com a borda externa do isolamento.

TS0136 —UN—23AUG88
IMPORTANTE: A vedação deve encaixar­se
exatamente sobre o isolamento do cabo, sem
espaço entre a vedação do cabo e o isolamento.

NOTA: As vedações do cabo são codificados por


cor para três tamanhos de fio:
• Verde – Fio de Bitola 18—20
• Cinza ­ Fio de bitola 14—16
• Azul ­ Fio de bitola 10—12
Continua na página seguinte DB92450,000004A ­54­15OCT07­2/4

CTM507 (16JUL09) 02­110­30 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=102
Reparação e Ajuste do Controle Eletrônico do Motor

8. Selecione um terminal de bitola correto no fio e frise na


posição com friso do tipo W, usando uma Ferramenta
de Compressão WEATHER PACK™ JDG783.
NOTA: Os terminais têm identificação por número
para duas bitolas de fios:
• Nº 15 ­ Fio de bitola 14—16

TS1623 —UN—02NOV94
• Nº 19 ­ Fio de bitola 18—20

WEATHERPACK é uma marca comercial da Packard Electric.


DB92450,000004A ­54­15OCT07­3/4

9. Insira o terminal no conector. O terminal deve fazer


um clique quando estiver totalmente assentado.
Certifique­se de que o fio seja inserido na cavidade
correta do conector.
IMPORTANTE: As lingüetas do terminal devem ser
espalhadas cuidadosamente para garantir um

TS0130 —UN—23AUG88
bom assentamento no corpo do conector.
No caso da reutilização do terminal em
um novo conector, certifique­se de que as
lingüetas estejam esticadas.

NOTA: Os corpos do conector são "codificados" para


terminais corretos. Certifique­se de que os
terminais estejam alinhados corretamente.
A instalação correta do terminal da luva (A)
e do pino (B) está ilustrada.

10. Puxe o fio suavemente para garantir que o terminal

TS0139 —UN—02DEC88
seja travado na posição.
11. Repare ou transfira os fios restantes.
12. Feche a trava secundária na traseira do conector.
13. Passe fita novamente nos fios e acrescente os tirantes
necessários no chicote.

A—Manga B—Pino

DB92450,000004A ­54­15OCT07­4/4

CTM507 (16JUL09) 02­110­31 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=103
Reparação e Ajuste do Controle Eletrônico do Motor

Reparação do Conector Cinch Flex Box


Ferramentas Necessárias para Reparação

RG14578 —UN—07MAR08
• Ferramenta de Crimpagem CINCH JDG1727

Ferramenta de Crimpagem CINCH

RG41183,00000E9 ­54­01OCT08­1/16

• Ferramenta para Remoção de Terminal CINCH JDG RG14579 —UN—21NOV05

1725
• Desencapador de Fio JDG145
• Chave de fenda de joalheiro (ou ferramenta equivalente,
estreita, com lâmina plana)
Ferramenta de Liberação da Trava Secundária

Ferramenta para Remoção de Terminal CINCH

RG15122 —UN—13JUN07
Ferramenta de Liberação da Trava Secundária

Continua na página seguinte RG41183,00000E9 ­54­01OCT08­2/16

CTM507 (16JUL09) 02­110­32 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=104
Reparação e Ajuste do Controle Eletrônico do Motor

Reparação do Conector CINCH Substituindo


o Terminal (0,6 ou 1,5 mm)
1. Para destravar o conector CINCH do conector da
ECU, pressione a aba (A) e empurre a trava do
conector (B) atrás da aba, permitindo o giro da trava.

RG14580 —UN—21NOV05
Trava do Conector e Aba

RG41183,00000E9 ­54­01OCT08­3/16

2. Continue empurrando a trava do conector até girá­la


90° no sentido horário (clicado no lugar).
3. Remova o conector CINCH do conector da ECU.

Gire a Trava 90 Graus RG14592 —UN—01DEC05

Continua na página seguinte RG41183,00000E9 ­54­01OCT08­4/16

CTM507 (16JUL09) 02­110­33 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=105
Reparação e Ajuste do Controle Eletrônico do Motor

4. Destrave as abas para liberar proteção do fio. Insira


a ferramenta de liberação da trava (B) entre as abas
e o corpo do conector, ou use chave de fendas
de joalheiro para abrir e afastar as abas do corpo
do conector. Cuidado para não arrancar as abas
do corpo do conector, abra as abas para liberar a

RG15123 —UN—13JUN07
proteção do fio.

Destravar Abas para Liberar proteção do Fio

RG41183,00000E9 ­54­01OCT08­5/16

5. Do lado do fio no conector, pressione a proteção (C)


e remova­a do conector.

RG14581 —UN—21NOV05
Deslizar Proteção para a Frente

RG41183,00000E9 ­54­01OCT08­6/16

6. Insira a ferramenta de lâmina fina (D) na fenda da


extremidade de contato do conector e sob a aba
colorida (E), conforme mostrado.

RG14582 —UN—21NOV05

Inserir Ferramenta de Lâmina Fina Sob a Aba

Continua na página seguinte RG41183,00000E9 ­54­01OCT08­7/16

CTM507 (16JUL09) 02­110­34 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=106
Reparação e Ajuste do Controle Eletrônico do Motor

7. Pressione suavemente a aba para fora e deslize o


retentor do terminal (F) para fora da extremidade do

RG14583 —UN—01DEC05
corpo do conector. O retentor não se separa do corpo
do conector.

Deslizar Retentor do Terminal Para Fora

RG41183,00000E9 ­54­01OCT08­8/16

8. Insira a ferramenta de extração de terminal CINCH


(G), conforme exibido, nos furos de desvio (H) em um
dos lados do terminal a ser extraído, tamanho do fio
da ferramenta, extremidade de 1,5 mm para tamanho
de fio maior e extremidade de 0,6 mm para tamanho
de fio menor (I). Pressione até que a superfície da
ferramenta toque a superfície do conector.

RG14595 —UN—21NOV05
Inserção da Ferramenta de Extração do Terminal

RG41183,00000E9 ­54­01OCT08­9/16

RG14585 —UN—05DEC05
9. Com uma mão segure o conector e com a outra
segure o fio do terminal a ser extraído (J), puxe
firmemente o fio até que o terminal tenha sido
removido do conector.
10. Remova a ferramenta de extração de terminais do
conector. Se o fio foi retirado durante a etapa 8 ou
se já estava rompido, deixando o terminal dentro do
conector, faça o seguinte:
Remover Terminal e Fio
a. Insira um pedaço de fio rígido de 0,813 a 0,643 mm
de diâmetro (20­22 AWG) no lado do contato (lado
oposto do fio) do conector. 11. Corte a parte isolada do fio, próximo da extremidade
b. Continue pressionando o terminal com o fio, até do terminal, mas depois da parte danificada do fio ou
que ele seja completamente expulso ou até que do isolamento.
fique exposto na lateral do fio do conector.
c. Se o terminal estiver apenas exposto, use um
alicate de bico longo para puxá­lo do conector.
Continua na página seguinte RG41183,00000E9 ­54­01OCT08­10/16

CTM507 (16JUL09) 02­110­35 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=107
Reparação e Ajuste do Controle Eletrônico do Motor

C
H I

E
D

F
16
18 20

AWG

RG14613A —UN—01OCT08
G

A B
Elementos da Ferramenta de Crimpagem CINCH.
A—Vista Lateral da Ferramenta D—Bloco do Terminal (Fechado) G—Rebaixo do Terminal de 0,6 J— Fio no Terminal (Extremidade
de Crimpagem E—Bloco do Terminal (Aberto) mm do Isolamento)
B—Vista Dianteira da Ferramenta F— Rebaixo do Terminal de 1,5 H—Terminal Assentado no
de Crimpagem mm Rebaixo do Bloco
C—Detalhe do Fio no Terminal I— Fio no Terminal (4,0 mm de
Isolamento Desencapado)

Continua na página seguinte RG41183,00000E9 ­54­01OCT08­11/16

CTM507 (16JUL09) 02­110­36 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=108
Reparação e Ajuste do Controle Eletrônico do Motor

RG14597 —UN—21NOV05
Desencapamento de 4,0 mm do Isolamento do Fio

NOTA: A imagem acima visa apenas ilustrar a ferramenta 12. Com desencapadores de fios, remova o isolamento
de crimpagem e os elementos pressores dos para expor aproximadamente 4,0 mm (0.16 pol.) de
fios. As indicações referem­se apenas a comprimento, conforme mostrado.
suas próprias legendas e não às indicações
das etapas do procedimento.
RG41183,00000E9 ­54­01OCT08­12/16

IMPORTANTE: use somente Ferramenta de


Crimpagem JDG1727. O uso de outra
ferramenta pode resultar em uma crimpagem
inadequada. A tentativa de se inserir um borne
crimpado inadequadamente pode resultar na
impossibilidade de assentá­lo totalmente e de
se apertar o borne dentro do conector. Isto
exigiria a substituição do conector inteiro.

13. Coloque o terminal fêmea no rebaixo correspondente


(K) no bloco do terminal da ferramenta de crimpagem,
conforme mostrado.

RG14598 —UN—21NOV05

Terminal no Recesso Correspondente do Bloco do Terminal


da Ferramenta de Crimpagem

Continua na página seguinte RG41183,00000E9 ­54­01OCT08­13/16

CTM507 (16JUL09) 02­110­37 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=109
Reparação e Ajuste do Controle Eletrônico do Motor

14. Coloque a extremidade desencapada do fio na


extremidade do terminal a ser crimpado, com o
isolamento sobreposto, conforme exibido (L).
15. Aperte os cabos da ferramenta de crimpagem até que
eles se destravem automaticamente. Remova o fio e
o terminal da ferramenta de crimpagem.

RG14588 —UN—01DEC05
Fio no Terminal no Alicate de Crimpagem

RG41183,00000E9 ­54­01OCT08­14/16

16. Insira o terminal no conector (M) com o lado crimpado


voltado para o lado oposto do retentor do terminal
do conector e as abas do terminal alinhadas com os
orifícios no terminal conector, conforme mostrado.

RG14589 —UN—02DEC05
Posição Correta Para a Inserção do Terminal

Continua na página seguinte RG41183,00000E9 ­54­01OCT08­15/16

CTM507 (16JUL09) 02­110­38 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=110
Reparação e Ajuste do Controle Eletrônico do Motor

NOTA: Se o fixador não deslizar totalmente até sua


posição, o terminal não foi totalmente assentado.
Verifique o assentamento novamente. Não
force a retenção. O retentor desliza e trava
apenas quando todos os terminais do conector
estão totalmente assentados

17. Feche o retentor do terminal verde até que sua aba


(N) esteja nivelada à superfície do conector.
18. Deslize a proteção do fio de volta no conector até que
ele encaixe em seu lugar.

RG14599 —UN—01DEC05
19. Reconecte o conector CINCH no conector da ECU.
20. Pressione a trava em direção ao lado do fio do
conector e continue a girar 90 graus no sentido
anti­horário, até que ele encaixe em seu lugar, atrás
da aba.

Pressionar Aba Nivelada com o Conector

RG41183,00000E9 ­54­01OCT08­16/16

Reparar Conectores METRI­PACK


(de Pressionar)
1. Desconecte o conector METRI­PACK. Remova as
cintas plásticas e a fita.
2. Remova a trava secundária (A).

RW77137 —UN—08DEC98
3. Identifique a cor/número do fio na cavidade do
conector. Certifique­se de que cada fio volte à
cavidade correta.
4. Insira a 1Ferramenta de Extração JDG776
ou JDG777 (B) na cavidade do conector (C)
pressionando a aba de travamento do terminal para
dentro.
NOTA: Use a Ferramenta de Extração JDG776 com
os terminais METRI­PACK das Séries 56, 280 e
630. Use a Ferramenta de Extração JDG777 com
os terminais METRI­PACK série 150.

TS0136 —UN—23AUG88
5. Remova a ferramenta de extração e puxe o fio da
parte traseira do conector.
6. Com o 2Alicate Universal para Eletricidade JDG145,
corte o fio logo atrás da crimpagem da vedação do
terminal.
7. Com o 2Alicate Universal para Eletricidade
JDG145 desencape 6 mm (1/4 pol.) de isolamento A—Trava Secundária do C—Soquete do Corpo do
Conector Conector
do final do fio. B—Ferramenta de Extração D—Terminal

1
Incluído no Kit de Reparos Elétricos JT07195B
2
Incluído no Kit de Ferramentas de Reparos Elétricos JDG155
Continua na página seguinte DB92450,000004B ­54­27JUL07­1/2

CTM507 (16JUL09) 02­110­39 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=111
Reparação e Ajuste do Controle Eletrônico do Motor

8. Selecione a vedação apropriada para a bitola do fio


(veja anotação a seguir). Deslize a vedação sobre
o isolamento do fio com o lado de menor diâmetro
apontando para a extremidade do fio. O lado de
menor diâmetro da vedação deve estar alinhado com
a borda externa do isolamento.

RW77139 —UN—07DEC98
IMPORTANTE: A vedação deve ter um encaixe justo
sobre o isolamento do cabo, sem folgas entre
a vedação do cabo e o isolamento.

NOTA: As vedações dos cabos têm código de cores


para as três bitolas de fios:
• Verde – Fio de Bitola 18—20
• Cinza ­ Fio de Bitola 14—16
• Azul ­ Fio de Bitola 10—12
Crimpe o contato (A) no fio com uma crimpagem do
tipo “W” usando a Ferramenta de Crimpagem (B).

RW77138A —UN—15MAR02
9. Crimpe a vedação do cabo (C) no contato usando a
Ferramenta de Crimpagem JDG865 (B).
10. Certifique­se de que a lingüeta de travamento (D) no
novo terminal esteja voltada para fora.
11. Empurre o terminal na cavidade correta até que ele
trave.
12. Puxe o fio suavemente para verificar se o terminal
está travado no conector.
13. Recoloque a trava secundária no conector.
14. Passe fita novamente nos fios e acrescente as cintas

RW77140A —UN—15MAR02
plásticas necessárias no chicote.

A—Contato C—Vedação de Cabo


B—Ferramenta D—Lingüeta de Travamento do
Terminal

DB92450,000004B ­54­27JUL07­2/2

Reparação dos Conectores Deutsch Série DT


Etapas para remover, crimpar e inserir um novo terminal.
1. Desconecte o conector Deutsch. Remova os tirantes
e a fita.
2. Identifique a cor/número do fio na cavidade do
conector. Certifique­se de que cada fio volte para
RG15073 —UN—26JUN07

a cavidade correta.
3. Remova a cunha usando alicates de bico fino ou um
fio rígido em forma de gancho. Puxe a cunha em
linha reta. Para conectores com chaveta retangular
(terminais fêmea), use chave de fendas de joalheiro
para remover a cunha do corpo do conector.

Continua na página seguinte DM59778,000000A ­54­15OCT07­1/9

CTM507 (16JUL09) 02­110­40 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=112
Reparação e Ajuste do Controle Eletrônico do Motor

4.
Para remover o terminal, libere a aba de travamento
(A) do terminal usando chave de fendas de joalheiro.
Comece a puxar suavemente o fio do conector.

RG15074 —UN—26JUN07
A—Aba de Travamento

DM59778,000000A ­54­15OCT07­2/9

5. Segure a vedação traseira no lugar conforme o fio é


puxado do conector.

RG15046 —UN—26JUN07
DM59778,000000A ­54­15OCT07­3/9

6. Depois de remover o terminal do conector, corte o fio


logo atrás do terminal. Desencape 6 mm (1/4 pol.)
de isolamento do fio. O fio desencapado deve ter o
mesmo comprimento do cilindro no terminal e deve
aparecer no orifício de inspeção (A) quando inserido
no terminal. O isolamento do fio não deve penetrar

RG15070 —UN—26JUN07
no terminal.

A—Orifício de Inspeção

Continua na página seguinte DM59778,000000A ­54­15OCT07­4/9

CTM507 (16JUL09) 02­110­41 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=113
Reparação e Ajuste do Controle Eletrônico do Motor

7. Ajuste o seletor (A) na 1Ferramenta de Crimpagem


JDG360 para a bitola correta do fio.
8. Afrouxe a porca autofrenante (B) e gire o parafuso de
ajuste (C) para dentro até o limite.

A—Seletor C—Parafuso de Ajuste

TS117 —UN—23AUG88
B—Porca Autrofenante

1
Incluído no Kit de Reparações Elétricas Deutsch JDG359
DM59778,000000A ­54­15OCT07­5/9

9. Insira o terminal (A) e gire o parafuso de ajuste (D) até


que o terminal fique nivelado à tampa (B).
IMPORTANTE: Selecione o tamanho correto de
terminal para encaixar no corpo do conector.

10. Aperte a porca autofrenante (C).

TS0134 —UN—23AUG88
A—Borne C—Porca Autrofenante
B—Tampa D—Parafuso de Ajuste

Continua na página seguinte DM59778,000000A ­54­15OCT07­6/9

CTM507 (16JUL09) 02­110­42 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=114
Reparação e Ajuste do Controle Eletrônico do Motor

11. Insira o fio no terminal e crimpe até o cabo tocar o


batente.
IMPORTANTE: O terminal deve permanecer
centralizado entre os mordentes durante
a crimpagem. Uma crimpagem iniciada
tem que ser concluída.

TS118 —UN—23AUG88
12. Libere o cabo e remova o terminal.
13. Inspecione o terminal para garantir que todos os fios
estejam no cilindro crimpado e o isolamento toque
o terminal. O fio deve estar visível pelo orifício de
inspeção do terminal.

TS0135 —UN—23AUG88
DM59778,000000A ­54­15OCT07­7/9

14. Segure o conector com a vedação traseira apontando


para fora. Empurre o terminal em linha reta à cavidade
do conector até sentir o limite. Puxe o fio suavemente
para verificar se o terminal está travado no conector.

RG15071 —UN—26JUN07
Continua na página seguinte DM59778,000000A ­54­15OCT07­8/9

CTM507 (16JUL09) 02­110­43 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=115
Reparação e Ajuste do Controle Eletrônico do Motor

15. Insira a chaveta com a seta apontando em direção à


aba de travamento externa. A chaveta encaixará no
lugar. Chavetas retangulares encaixam em qualquer
orientação.
16. Após a substituição de todos os terminais, passe fita
nos fios e acrescente as cintas plásticas ao chicote.

RG15072 —UN—26JUN07
A—Aba de Travamento B—Localização da Seta

DM59778,000000A ­54­15OCT07­9/9

Reparação dos Conectores Deutsch Série HD


1. Desconecte o conector Deutsch. Remova os tirantes
e a fita.
2. Identifique a cor/número do fio na cavidade do
conector. Certifique­se de que cada fio volte para
a cavidade correta.

RW77142 —UN—07DEC98
3. Selecione a ferramenta de extração de tamanho
correto para a bitola do fio a ser removido:
• 1Ferramenta de Extração JDG361 ­ Fio de bitola
12—14
• 2Ferramenta de Extração JDG362 ­ Fio de bitola
16—18
• 34Ferramenta de Extração JDG363 ­ Fio de bitola 20
• Ferramenta de Extração JDG785 ­ Fio de bitola 6­8
A—Ferramenta de Extração

4. Insira a ferramenta de extração (A) sobre fio a ser


6. Deslize o extrator no corpo do conector até a
removido.
ferramenta posicionar­se sobre o contato do terminal.
5. Deslize a ferramenta de extração ao longo do fio até a
7. Puxe o fio do corpo do conector com a ferramenta
ponta da ferramenta encaixar no fio.
de extração.
IMPORTANTE: NÃO torça a ferramenta quando
inserir no conector.
1
Incluída no Kit de Reparações Elétricas JT07195B e no Kit de
Reparações Elétricas DEUTSCH JDG359.
2
Incluída no Kit de Reparações Elétricas JT07195B e no Kit de
Reparações Elétricas DEUTSCH JDG359.
3
Incluída no Kit de Reparações Elétricas DEUTSCH JDG359
4
Incluída no Kit de Ferramentas de Reparações Elétricas JT07195B
Continua na página seguinte RG40854,00000CB ­54­15OCT07­1/5

CTM507 (16JUL09) 02­110­44 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=116
Reparação e Ajuste do Controle Eletrônico do Motor

1
8. Depois de remover o terminal do conector, corte o fio
logo atrás do terminal com o Alicate Universal para
Eletricidade JDG145 . Desencape 6 mm (1/4 pol.)
de isolamento do fio. O fio desencapado deve ter o
mesmo comprimento do cilindro no terminal e deve
aparecer no orifício de inspeção (A) quando inserido

RG15070 —UN—26JUN07
no terminal. O isolamento do fio não deve penetrar
no terminal.

A—Orifício de Inspeção

1
Incluído no Kit de Ferramentas de Reparação Elétrica JDG155
RG40854,00000CB ­54­15OCT07­2/5

9. Ajuste o seletor (A) na 1Ferramenta de Crimpagem


JDG360 para a bitola correta do fio.
10. Afrouxe a porca autofrenante (B) e gire o parafuso de
ajuste (C) para dentro até o limite.

A—Seletor C—Parafuso de Ajuste

TS117 —UN—23AUG88
B—Porca Autrofenante

1
Incluído no Kit de Reparações Elétricas Deutsch JDG359
RG40854,00000CB ­54­15OCT07­3/5

11. Insira o terminal (A) e gire o parafuso de ajuste (D) até


que o terminal fique nivelado à tampa (B).
IMPORTANTE: Selecione o tamanho correto de
terminal para encaixar no corpo do conector.

12. Aperte a porca autofrenante (C).

A—Borne C—Porca Autrofenante TS0134 —UN—23AUG88


B—Tampa D—Parafuso de Ajuste

Continua na página seguinte RG40854,00000CB ­54­15OCT07­4/5

CTM507 (16JUL09) 02­110­45 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=117
Reparação e Ajuste do Controle Eletrônico do Motor

13. Insira o fio no terminal e crimpe até o cabo tocar o


batente.
IMPORTANTE: O terminal deve permanecer
centralizado entre os mordentes durante
a crimpagem. Uma crimpagem iniciada
tem que ser concluída.

TS118 —UN—23AUG88
14. Libere o cabo e remova o terminal.
15. Inspecione o terminal para garantir que todos os fios
estejam no cilindro crimpado e o isolamento toque
o terminal. O fio deve estar visível pelo orifício de
inspeção do terminal.
16. Empurre o terminal em linha reta à cavidade do
conector até sentir o limite.
17. Puxe o fio suavemente para verificar se o terminal
está travado no conector.

TS0135 —UN—23AUG88
18. Após a substituição de todos os terminais, passe fita
nos fios e acrescente as cintas plásticas ao chicote.

RW77141 —UN—07DEC98
RG40854,00000CB ­54­15OCT07­5/5

CTM507 (16JUL09) 02­110­46 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=118
Seção 03
Teoria da Operação
Conteúdo

Página Página

Grupo 130—Operação do Sistema Diagrama 10 da Localização dos


Eletrônico de Combustível Componentes ........................................ 03­140­17
Sobre Este Grupo........................................ 03­130­1 Diagrama 11 da Localização dos
Operação do Sistema de Componentes ........................................ 03­140­18
Combustível............................................. 03­130­2 Diagrama 12 da Localização dos
Operação do Pré­Filtro ................................ 03­130­3 Componentes ........................................ 03­140­19
Operação da Bomba Mecânica de Diagrama 13 da Localização dos
Transferência de Combustível................. 03­130­4 Componentes ........................................ 03­140­20
Operação do Filtro Final de Diagrama 14 da Localização dos
Combustível............................................. 03­130­5 Componentes ........................................ 03­140­21
Operação da Bomba de Diagrama 15 da Localização dos
Combustível de Alta Pressão Componentes ........................................ 03­140­22
Tipo 1....................................................... 03­130­6 Diagrama 16 da Localização dos
Operação do Common Rail de Alta Componentes ........................................ 03­140­23
Pressão (HPCR)...................................... 03­130­7 Unidade de Controle do Motor
Operação do Injetor Eletrônico (ECU)..................................................... 03­140­24
(IE)........................................................... 03­130­8 Rede da Área do Controlador
(CAN)..................................................... 03­140­24
Grupo 135—Operação do Escape e da Parâmetros de Monitoramento do
Admissão de Ar Motor ..................................................... 03­140­25
Operação do Sistema de Escape e Medição de Temperatura........................... 03­140­25
Admissão de Ar ....................................... 03­135­1 Sensor de Temperatura da Unidade
Operação do Purificador de Ar .................... 03­135­2 de Controle do Motor (ECU).................. 03­140­25
Operação do Turbocompressor................... 03­135­3 Sensor de Temperatura do Líquido
Como o Turbocompressor é de Arrefecimento do Motor
Lubrificado ............................................... 03­135­3 (ECT) ..................................................... 03­140­26
Sensor de Temperatura de
Grupo 140—Operação do Sistema de Combustível........................................... 03­140­26
Controle Eletrônico Temperatura do Ar do Coletor de
Sobre Este Grupo........................................ 03­140­1 Entrada (MAT) ....................................... 03­140­26
Terminologia do Sistema de Temperatura de Entrada da Turbina
Controle Eletrônico .................................. 03­140­2 do Turbo ................................................ 03­140­27
Operação do Sistema da Unidade Medição da Pressão.................................. 03­140­28
de Controle Eletrônico (ECU) .................. 03­140­4 Sensor da Pressão Barométrica do
Diagrama 1 da Localização dos Ar (BAP) ................................................ 03­140­28
Componentes .......................................... 03­140­7 Sensor de Pressão da Linha de
Diagrama 2 da Localização dos Combustível........................................... 03­140­28
Componentes .......................................... 03­140­8 Sensor de Pressão da Bomba de
Diagrama 3 da Localização dos Transferência de Combustível............... 03­140­29
Componentes .......................................... 03­140­9 Sensor de Pressão do Ar no
Diagrama 4 da Localização dos Coletor (MAP)........................................ 03­140­29
Componentes ........................................ 03­140­10 Sensor de Pressão do Óleo ...................... 03­140­29
Diagrama 5 da Localização dos Sensor de Pressão da Linha de
Componentes ........................................ 03­140­11 Combustível Dupla (Aplicações
Diagrama 6 da Localização dos Redundantes da ECU) .......................... 03­140­30
Componentes ........................................ 03­140­12 Medição da Rotação.................................. 03­140­31
Diagrama 7 da Localização dos Sensor de Posição da Manivela ................ 03­140­31
Componentes ........................................ 03­140­13 Sensor de Posição da Bomba ................... 03­140­31
Diagrama 8 da Localização dos Descrições do Acelerador ......................... 03­140­32
Componentes ........................................ 03­140­15 Acelerador CAN......................................... 03­140­32
Diagrama 9 da Localização dos Acelerador Com Modulação da
Componentes ........................................ 03­140­16 Largura de Pulso (PWM) ....................... 03­140­33

Continua na página seguinte

CTM507 (16JUL09) 03­1 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=1
Conteúdo

Página

Acelerador Analógico ................................ 03­140­33


Acelerador Digital de Múltiplos
Estágios................................................. 03­140­33
Acelerador de Duplo Estágio..................... 03­140­34
Acelerador de Triplo Estágio ..................... 03­140­34
Acelerador Progressivo ............................. 03­140­35
Ajustes do Acelerador ............................... 03­140­36
Deslocamentos do Acelerador .................. 03­140­37
Auto­Calibração......................................... 03­140­37
Acelerador Combinado.............................. 03­140­38
Acelerador Marítimo .................................. 03­140­39
Redução do Motor e Desligamento
de Proteção ........................................... 03­140­40
Conector do Chicote do Injetor
Eletrônico (IE)........................................ 03­140­41
Operação do Aquecedor do Ar de
Admissão............................................... 03­140­41
Seleção da Curva de Torque ..................... 03­140­42
Seleção do Modo de Queda de
Rendimento do Comando...................... 03­140­42
Válvula de Controle de Sucção ................. 03­140­43
Sensor de Água no Combustível
(WIF)...................................................... 03­140­43
Operação do Controle de
Cruzeiro ................................................. 03­140­43
Alimentação de Energia #1 ....................... 03­140­43
Alimentação de Energia #2 ....................... 03­140­44
Alimentação de Energia #3 ....................... 03­140­44

CTM507 (16JUL09) 03­2 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=2
Grupo 130
Operação do Sistema Eletrônico de Combustível

Sobre Este Grupo • Operação do Filtro Final de Combustível


Neste grupo, as informações sobre o sistema de
• Operação da Bomba de Combustível de Alta Pressão
combustível são descritas nas seguintes categorias:
• Common Rail de Alta Pressão (HPCR)
• Operação do Injetor Eletrônico (IE)
• Operação do Sistema de Combustível ­ IE ­ Sem Injeção
• Operação do Pré­filtro ­ IE ­ Início da Injeção
• Operação da Bomba de Transferência de Combustível ­ IE ­ Final da Injeção
OUOD006,0000050 ­54­19DEC06­1/1

CTM507 (16JUL09) 03­130­1 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=121
Operação do Sistema Eletrônico de Combustível

Operação do Sistema de Combustível


K

N A

B
C
D

RG15036 —UN—12SEP06
F L

H
I
Operação do Sistema de Combustível
A—Pré­Filtro (Combustível) E—Bomba de Combustível de I— Amortecedor de Fluxo M—Orifício de Transbordo
B—Entrada de Combustível Alta Pressão J— Injetor Eletrônico (IE) N—Chicote Elétrico
C—Bomba de Transferência de F— Linhas de Combustível de K—Linha Antivazamento de
Combustível (Mecânica) Alta Pressão Combustível
D—Filtro Final de Combustível G—Sensor de Pressão da Linha L— Limitador de Pressão
de Combustível
H—Linha Comum de Alta Pressão
(HPCR)

Combustível de Baixa Pressão Comum de Alta Pressão (HPCR) (H). A HPCR distribui o
combustível uniformemente através dos amortecedores
A bomba de transferência de combustível (C) suga o de fluxo (I) para todos os Injetores Eletrônicos (IEs) (J).
combustível do tanque através do pré­filtro (A) e o envia A HPCR usa os amortecedores de fluxo para regular
pelo filtro final de combustível (D) a caminho da bomba uma pressão constante para os IEs. Os IEs produzem
de combustível de alta pressão (E). O tipo e a localização quantidades uniformes de combustível para dentro dos
do pré­filtro e da bomba de transferência de combustível respectivos cilindros a serem abastecidos.
podem variar conforme as exigências da aplicação.
Combustível Antivazamento
Combustível de Alta Pressão
Se houver excesso de pressão no combustível na HPCR,
Essa bomba é sincronizada de forma compatível o limitador de pressão (L) se abre e sangra o combustível
com a sincronização do motor a fim de assegurar a através da linha antivazamento de combustível de volta
quantidade correta de suprimento de combustível para o para o tanque. O excesso de combustível na bomba de
abastecimento ideal do cilindro. A bomba de combustível combustível de alta pressão sai pelo orifício de transbordo
de alta pressão eleva a pressão do combustível para (M) e é encaminhado de volta ao tanque através da linha
a quantidade exigida para injeção. Esse combustível antivazamento de combustível (K).
de alta pressão é encaminhado através das linhas de
combustível pressurizado (F) e para dentro da Linha

Continua na página seguinte RE38635,0000131 ­54­19SEP06­1/2

CTM507 (16JUL09) 03­130­2 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=122
Operação do Sistema Eletrônico de Combustível

A Unidade de Controle do Motor (ECU) (A) envia um se pulverize dentro do respectivo cilindro. O excesso de
sinal em uma seqüência específica para cada IE. Isso combustível dos bicos é direcionado através da linha
controla o volume de combustível, a sincronização do de refluxo de combustível (K) e volta ao tanque de
fornecimento e a taxa de fornecimento para cada IE. combustível. Em algumas aplicações, o combustível se
Depois que o combustível entra no IE, a alta pressão desloca através de um resfriador de combustível antes
vence a válvula do bico permitindo que o combustível de retornar para o tanque.
RE38635,0000131 ­54­19SEP06­2/2

Operação do Pré­Filtro
O filtro primário está posicionado para proteger a bomba H
de transferência de combustível contra contaminantes
ásperos que possam danificar, obstruir ou ficar presos no
seu diafragma. I
A
O combustível entra no filtro pela entrada (A) no cabeçote
do filtro (B) e flui pelo tubo (C) no centro do recipiente (D). B
A água e contaminantes mais pesados de combustível se
assentam no fundo do recipiente e, a partir daí, passam
para a câmara de água/sedimentos (E). A água pode ser
drenada e os contaminantes removidos da câmara sem C
remover o conjunto do filtro. G
D
O combustível flui para cima por uma passagem (F) entre
a parte externa do elemento do filtro e a parte interna do
recipiente, e sobe através do elemento do filtro (G) da
partícula de 30 mícrons e sai pelos orifícios do elemento
do filtro. A partir daí, o combustível sai através da saída
(H) no cabeçote do filtro. F
O ar pode ser sangrado dessa parte do sistema de

RG13767 —UN—29MAR05
combustível afrouxando­se o bujão (I) na frente do
cabeçote do filtro.

A—Entrada de Combustível F— Passagem Entre o Filtro e


B—Cabeçote do Filtro o Recipiente
C—Tubo G—Elemento do Filtro
D—Recipiente H—Saída de Combustível E
E—Câmara de Água/Sedimen­ I— Parafuso de Sangria
tos (Pré) Filtro Primário de Combustível

RE38635,0000132 ­54­08SEP06­1/1

CTM507 (16JUL09) 03­130­3 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=123
Operação do Sistema Eletrônico de Combustível

Operação da Bomba Mecânica de Transferência de Combustível


A B C D

I G

RG9119A —UN—29MAR05
H K
L

Bomba de Transferência de Combustível


A—Saída de Combustível D—Entrada de Combustível G—Braço da Alavanca J— Haste de Impulso
B—Válvula de Retenção de Saída E—Mola de Retorno H—Alavanca de Escorva Manual K—Lóbulo Excêntrico
C—Válvula de Retenção de F— Haste I— Diafragma L— Eixo de Comando do Motor
Entrada

A bomba mecânica de transferência de combustível volume aumentado de combustível na câmara acima


é acionada por um lóbulo excêntrico (K) no eixo de do diafragma fecha a válvula de retenção de entrada
comando do motor (L). Uma haste de impulso (J), e abre a válvula de retenção de saída, permitindo que
posicionada entre o lóbulo e a alavanca da bomba o combustível entre na câmara de saída. A repetição
(G), move­se para cima e para baixo, uma vez a cada desta seqüência desenvolve a pressão do combustível na
revolução do motor, correspondendo à excentricidade do câmara de saída, levando o combustível a sair da bomba
lóbulo. Esta ação move o braço da alavanca da bomba de transferência e fluir para o filtro final.
de transferência para cima e para baixo. Quando o lado
da haste de impulso da alavanca sobe, o lado oposto Quando o lóbulo do eixo de comando gira para o lado
da alavanca desce. Quando o lado oposto desce, ele baixo, a mola de retorno (E) força o diafragma para cima.
puxa para baixo a haste (F) e o diafragma (I) conectado à A pressão de combustível resultante fecha a válvula de
haste, e a mola de retorno (E) é comprimida. A pressão retenção de entrada e abre a válvula de retenção de
de sucção do diafragma abre a válvula de retenção de saída (B), fornecendo combustível através da saída (A)
entrada (C) e puxa combustível para a câmara acima do para o filtro final.
diafragma. Conforme o lóbulo excêntrico gira e passa Há uma alavanca de escorva manual (H) para forçar
seu pico de altura, a mola de retorno descomprime, manualmente o combustível através do sistema e sangrar
pressionando o diafragma de volta à posição original. o ar do filtro e das linhas de combustível, etc.
Quando o diafragma retorna à posição original, o
RG40854,0000127 ­54­25JUN07­1/1

CTM507 (16JUL09) 03­130­4 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=124
Operação do Sistema Eletrônico de Combustível

Operação do Filtro Final de Combustível


O combustível entra no filtro na entrada (C), flui através
de um elemento do filtro (D) e sai pela saída (B) para a
bomba injetora de combustível. O elemento de filtro de
2 mícrons fica alojado em uma câmara de sedimentos
presa à base com um anel de retenção rosqueado.
Uma vez que a água e os contaminantes se assentam
na parte inferior da câmara de sedimentos, é fornecido
um bujão de drenagem (E). Em algumas opções, uma
câmara de água é presa à parte inferior da câmara de
sedimentos.
O ar no sistema pode ser expelido através da ventilação
de ar quando o parafuso de sangria (A) for afrouxado.
Uma bomba de escorva opcional (F) extrai combustível
do tanque de combustível para abastecer a câmara do
filtro quando o elemento do filtro é trocado. A bomba
de escorva também fornece combustível do filtro para a
bomba injetora.

A—Parafuso de Sangria D—Elemento do Filtro


B—Saída de Combustível E—Bujão de Dreno
C—Entrada de Combustível F— Bomba de Escorva

RG9090 —UN—27MAR98
RE38635,0000133 ­54­08SEP06­1/1

CTM507 (16JUL09) 03­130­5 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=125
Operação do Sistema Eletrônico de Combustível

Operação da Bomba de Combustível de Alta Pressão Tipo 1

RG12465B —UN—18JUN02
A—Entrada de Combustível C—Saídas de Combustível E—Solenóide da Válvula de
B—Válvula de Transbordo D—Sensor de Temperatura do Controle de Sucção
Combustível

Os motores de common rail de alta pressão usam a em cima da bomba e outra câmara na parte de baixo da
bomba de combustível de alta pressão Denso HP3. O bomba. O combustível de cada câmara é pressurizado
combustível filtrado entra na bomba de alta pressão quando o eixo de comando da bomba gira. O excesso
pela entrada de combustível (A). Assim que passa pela de combustível deixa a bomba através da válvula de
entrada, o combustível atravessa um filtro de entrada de transbordo (B), assim, o combustível pode retornar para
combustível e continua através de uma bomba interna o tanque de combustível.
de transferência. O combustível é então direcionado
para lubrificar o cárter da bomba ou para a Válvula de Um sensor de temperatura do combustível (D) está
Controle de Sucção (E). A ECU fornece a corrente da incluído na bomba para medir a temperatura do
válvula de controle de sucção no momento da liberação combustível no compartimento da bomba. Para
de combustível para o common rail de alta pressão. mais informações sobre o sensor de temperatura do
Para mais informações sobre o Solenóide da Válvula de combustível, veja SENSOR DE TEMPERATURA DO
Controle de Sucção, veja VÁLVULA DE CONTROLE DE COMBUSTÍVEL na Seção 03, Grupo 140 deste manual.
SUCÇÃO no Grupo 140 deste manual. Há uma câmara
RG40854,0000154 ­54­01FEB08­1/1

CTM507 (16JUL09) 03­130­6 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=126
Operação do Sistema Eletrônico de Combustível

Operação do Common Rail de Alta Pressão (HPCR)


O combustível de alta pressão é fornecido ao common
rail de alta pressão (HPCR) através de duas linhas de
pressão da bomba de alta pressão (A). As linhas de
pressão do common rail de alta pressão (E) transportam
o combustível para os Injetores Eletrônicos (IEs). O
sensor de pressão da linha de combustível (B) detecta

RG12459C —UN—18JUN02
a pressão do combustível dentro da linha. A Unidade
de Controle do Motor (ECU) utiliza este sensor para
monitorar a pressão do combustível para determinar
sincronização da válvula de controle de sucção na
bomba de combustível de alta pressão. Para obter mais
informações sobre o sensor de pressão da linha de
combustível, veja SENSOR DE PRESSÃO DA LINHA DE
COMBUSTÍVEL na Seção 03, Grupo 140 neste manual.
Se uma pressão excepcionalmente alta for gerada dentro
do HPCR, o limitador de pressão (C) se abre para liberar A—Linhas de Pressão da D—Amortecedor de Fluxo
o excesso de pressão e drenar o combustível de volta ao Bomba de Alta Pressão E—Linhas de Pressão do
B—Sensor de Pressão da Common Rail de Alta
tanque. Os amortecedores de fluxo (D) são usados para Linha de Combustível Pressão
controlar o fluxo máximo de combustível para os IEs e C—Limitador de Pressão
para evitar danos no caso de falha do IE, ou se ocorrer
um vazamento de alta pressão, desativando o fluxo de
combustível para o IE defeituoso.
RG40854,0000153 ­54­30AUG07­1/1

CTM507 (16JUL09) 03­130­7 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=127
Operação do Sistema Eletrônico de Combustível

Operação do Injetor Eletrônico (IE)


NOTA: para gráficos com diagramas, consulte a
Seção 6 Grupo 210 Diagramas do Motor da A
ECU posteriormente neste grupo.

Os injetores eletrônicos (IEs) localizam­se dentro do


cabeçote de cilindros do motor e são controlados D
eletronicamente pela ECU. A quantidade de combustível B
fornecida ao cilindro é controlada pelo tempo em que a
corrente é fornecida à válvula eletromagnética de duas
vias (TWV) em cada IE. A ECU envia sinais em uma C E
seqüência específica para cada IE. Isso controla o volume G
de combustível, a sincronização do fornecimento e a taxa
de fornecimento para cada IE.

RG11556A —UN—16FEB01
IE ­ Sem Injeção H
O combustível da HPCR entra no IE pela entrada de
combustível (C). Quando não houver corrente fornecida à
TWV (A), a mola da válvula (H) e a pressão hidráulica do F
combustível na câmara de controle (G) fazem com que o
pistão hidráulico empurre a agulha para baixo e feche o
bico. Isso mantém o combustível a alta pressão da linha Injeção Ausente/Acabando
comum dentro do bico até a injeção.
A—Válvula de Duas Vias (TWV) E—Antivazamento de
B—Válvula Solenóide Combustível
C—Entrada de Combustível F— Bico
D—Assento do Orifício G—Câmara de Controle
H—Mola da Válvula

RE38635,0000134 ­54­08SEP06­1/3

IE ­ Início da Injeção A
A injeção se inicia quando a corrente é suprida da ECU
para a TWV (A). A força eletromagnética puxa a válvula
solenóide (B) para cima, fazendo com que o assento do
orifício (D) se abra. O combustível na câmara de controle D
B
(G) flui para fora do injetor para a linha antivazamento do
combustível (E). O combustível é então direcionado de
volta ao tanque de combustível. Enquanto o combustível
sai do injetor, a força é removida do pistão hidráulico, C E
a agulha do bico sobe, permitindo a passagem de G
combustível pelo bico (F) para iniciar o processo de
injeção. RG11557A —UN—26FEB01

A—Válvula de Duas Vias (TWV) E—Antivazamento de


H
B—Válvula Solenóide Combustível
C—Entrada de Combustível F— Bico
D—Assento do Orifício G—Câmara de Controle
H—Mola da Válvula
F

Início da Injeção

Continua na página seguinte RE38635,0000134 ­54­08SEP06­2/3

CTM507 (16JUL09) 03­130­8 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=128
Operação do Sistema Eletrônico de Combustível

IE ­ Final da Injeção
A
A injeção termina quando a corrente é removida da TWV
(A). A válvula solenóide (B) se fecha, fazendo com que o
combustível encha a câmara de controle (G). A mola da
válvula e a força hidráulica do combustível na câmara
de controle fazem com que o pistão hidráulico empurre D
B
o ponteiro para baixo e feche o bico. Neste momento, a
injeção está completa.
C E
A—Válvula de Duas Vias (TWV) E—Antivazamento de
B—Válvula Solenóide Combustível
G
C—Entrada de Combustível F— Bico
D—Assento do Orifício G—Câmara de Controle

RG11556A —UN—16FEB01
H—Mola da Válvula
H

Injeção Ausente/Acabando
RE38635,0000134 ­54­08SEP06­3/3

CTM507 (16JUL09) 03­130­9 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=129
Operação do Sistema Eletrônico de Combustível

CTM507 (16JUL09) 03­130­10 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=130
Grupo 135
Operação do Escape e da Admissão de Ar

Operação do Sistema de Escape e Admissão de Ar

RG12438 —UN—25NOV03

Como Funcionam os Sistemas de Escape e Admissão de Ar ­ Válvula de Duas Vias Mostrada


A—Ar Externo para a Admissão C—Turbocompressor E—Escape
B—Filtro de Ar D—Lado da Admissão do
Cabeçote do Cilindro

A sucção do motor puxa o ar externo carregado de poeira do motor do que poderia ser entregue em motores
(A) através de um módulo de entrada de ar para um naturalmente aspirados (sem turbocompressor).
filtro de ar (B). O ar é filtrado por elementos de filtragem
primária e secundária (segurança) secos no recipiente Em alguns motores, um pós­resfriador ar­ar resfria o ar
do filtro de ar. O ar limpo se desloca pela mangueira de descarregado pelo turbocompressor fazendo­o passar
admissão de ar até o turbocompressor (C) e o lado de por um trocador de calor antes que entre no motor. O
admissão do cabeçote do cilindro (D). trocador de calor não usa líquido de arrefecimento, resfria
o ar de carga com o fluxo de ar.
O escape (E) impele o turbocompressor a entregar uma
quantidade maior de ar para atender as demandas
Continua na página seguinte RG19661,0000239 ­54­22MAY07­1/2

CTM507 (16JUL09) 03­135­1 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=131
Operação do Escape e da Admissão de Ar

Os motores PowerTech E™ não são equipados com Classe 3/Estágio III. Os sensores no sistema de escape
sistema de recirculação dos gases de escape (EGR) e admissão monitoram as condições operacionais e
ou turbocompressor de geometria variável (VGT), mas fornecem informações à unidade de controle do motor.
estão em conformidade com os níveis de emissão da
RG19661,0000239 ­54­22MAY07­2/2

Operação do Purificador de Ar
Sob a sucção gerada pelo motor, o ar não filtrado flui
através do tubo de entrada de ar (A) e é forçado para
um movimento centrífugo de alta velocidade por aletas
inclinadas do elemento. Por esta ação circulante, a maior
parte da poeira e das partículas de sujeira são separadas

RG9097 —UN—27MAR98
do ar e coletadas pela válvula de descarga de poeira (D).
A sujeira remanescente é removida quando o ar flui
através do elemento primário (C) e através do filtro
(segurança) secundário (B) antes de ser puxado para
dentro do motor.
O filtro (segurança) secundário assegura que, se o Conjunto do Purificador de Ar
elemento primário falhar, o ar não filtrado não é puxado
para dentro do motor.

A—Tubo de Entrada de Ar C—Elemento Primário


B—Filtro (de Segurança) D—Válvula de Descarga de
Secundário Poeira

RG7766B —UN—10NOV97
Elementos Primário e Secundário do Purificador de Ar
RG,110,JW7672 ­54­24NOV97­1/1

CTM507 (16JUL09) 03­135­2 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=132
Operação do Escape e da Admissão de Ar

Operação do Turbocompressor
O turbocompressor, que é basicamente uma bomba
de ar acionada pelos gases de escape, permite que o
motor produza potência adicional sem o aumento da
cilindrada. Os turbocompressores são especialmente
compatibilizados com as necessidades da razão de
potência de cada aplicação específica.

RG9098 —UN—27MAR98
A roda da turbina (C) é acionada pelos gases quentes
de escape do motor. Esses gases fluindo através do
alojamento do turbina (B) agem na roda da turbina
fazendo o eixo (A) girar.
A roda do compressor (E) traz ar filtrado para dentro
e descarrega o ar comprimido dentro do coletor de
admissão onde ele é entregue aos cilindros do motor. Componentes do Turbocompressor
O óleo do motor sob pressão do sistema de lubrificação
é forçado através das passagens do alojamento central A—Eixo D—Alojamento Central
(D) até os mancais. B—Alojamento da Turbina E—Roda do Compressor
C—Roda da Turbina F— Alojamento do Compressor

RG,110,JW7669 ­54­24NOV97­1/1

Como o Turbocompressor é Lubrificado


O óleo do motor sob pressão do sistema de lubrificação
é bombeado através de uma passagem no alojamento
do mancal e direcionado aos mancais, placa de encosto
e manga de encosto. O óleo é vedado do compressor
e da turbina por um anel de pistão nos dois lados do

RG8099 —UN—18NOV97
alojamento do mancal.
O turbocompressor contém dois mancais flutuantes.
Esses mancais têm uma folga entre o diâmetro externo
do mancal e o furo do alojamento além de uma folga entre
o diâmetro interno do mancal e o diâmetro externo do
eixo. Essas folgas são lubrificadas pelo óleo sob pressão
Pressão do Turbocompressor e Descarrega de Óleo
do suprimento de óleo (A) e os mancais são protegidos
por uma camada de óleo. Descarregue os drenos de óleo
(B) por gravidade do alojamento do mancal no cárter do A—Óleo sob Pressão B—Descarga de Óleo
motor.
RG,110,JW7668 ­54­23MAY00­1/1

CTM507 (16JUL09) 03­135­3 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=133
Operação do Escape e da Admissão de Ar

CTM507 (16JUL09) 03­135­4 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=134
Grupo 140
Operação do Sistema de Controle Eletrônico

Sobre Este Grupo


Neste Grupo, as informações sobre o sistema de controle • Acelerador de CAN
eletrônico estão descritas nas seguintes categorias: • Acelerador do Modulador da Largura de Pulso (PWM)
• Acelerador Analógico
• Terminologia do Sistema de Controle Eletrônico • Acelerador Multiestado Digital
• Operação do Sistema de Controle Eletrônico • Acelerador de Estado Duplo
• Localização do Componente • Acelerador de Estado Triplo
• Unidade de Controle do Motor (ECU) • Acelerador de Rampa
• Rede de Área do Controlador (CAN) • Ajustes do Acelerador
• Parâmetros de Monitoramento do Motor • Deslocamentos do Acelerador
• Medição da Temperatura • Autocalibração
• Sensor de Temperatura da Unidade de Controle do • Acelerador Combinado
Motor (ECU) • Acelerador Marítimo
• Sensor de Temperatura do Líquido de Arrefecimento • Proteção de Redução de Potência e Desligamento do
do Motor (ECT) Motor
• Sensor de Temperatura de Combustível • Conector do Chicote do Injetor Eletrônico (IE)
• Temperatura do Ar do Coletor de Admissão • Operação do Aquecedor do Ar de Admissão (Opcional)
• Temperatura de Entrada da Turbina do Turbo • Seleção de Curvas de Torque
• Medição da Pressão • Seleção do Modo de Queda de Rendimento do
• Sensor da Pressão Barométrica do Ar (BAP) Comando
• Sensor de Pressão da Linha de Combustível • Válvula de Controle de Sucção
• Sensor de Pressão da Bomba de Transferência de • Sensor de Água no Combustível (WIF)
Combustível (opcional) • Interruptor do Nível de Líquido de Arrefecimento do
• Sensor de Pressão do Ar do Coletor (Opcional) Motor (opcional)
• Sensor de Pressão do Óleo • Operação de Controle de Cruzeiro
• Medição da Velocidade • Alimentação Elétrica Nº 1
• Sensor de Posição da Manivela • Alimentação Elétrica Nº 2
• Sensor de Posição da Bomba • Alimentação Elétrica Nº 3
• Descrições do Acelerador
DM80898,0000128 ­54­18DEC06­1/1

CTM507 (16JUL09) 03­140­1 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=135
Operação do Sistema de Controle Eletrônico

Terminologia do Sistema de Controle Eletrônico

Atuador Dispositivo controlado pela ECU para executar determinada função.

Analógico Sinal que possui uma faixa contínua de voltagens possíveis, geralmente de 0 V (baixa) a 24 V (alta).

Aplicação Uma peça móvel ou estacionária do equipamento em que o motor está instalado. As aplicações incluem Tratores,
Colhedoras, Carregadeiras, Bombas de Irrigação, Grupos Geradores, etc.
BAP Pressão Barométrica do Ar. Pressão da atmosfera (pressão atmosférica).

Auxiliar Ar pressurizado no coletor de admissão.

CAN Controller Area Network. A rede nos veículos que permite a comunicação entre os controladores.

Energia do Circuito É a energia fornecida a um dispositivo para uso dos circuitos de seus componentes internos.
Sensor do Usado para determinar a posição angular e a rotação do virabrequim no campo de rotação de 360°.
Virabrequim

Analisador Sinal que consiste em somente dois níveis de tensão — geralmente 0 V (baixa) a 24 V (alta).

DTC Código de Diagnóstico de Falhas. Este é um código que é armazenado na memória da ECU quando esta detecta um
problema no sistema de controle eletrônico. Existem dois tipos de códigos: Ativo e Armazenado. Esses códigos são
exibidos nos painéis do monitor e podem ser recuperados pela ferramenta de serviço.

ECT Temperatura do Líquido de Arrefecimento do Motor (ECT, "Engine Coolant Temperature"). A temperatura do líquido de
arrefecimento do motor.

ECU Unidade de Controle do Motor. Computador que controla os sistemas de combustível, ar e ignição do motor.

IE Um Injetor Eletrônico que é regulado pela ECU para controlar a quantidade apropriada de combustível.

FMI Identificador de Modo de Falha. A segunda parte de um código de duas partes que identifica os códigos de diagnóstico
de falhas do sistema de controle de acordo com o padrão J1939. Esse código de dois dígitos identifica o tipo de falha
ocorrido. A primeira metade do código é o Número do Parâmetro Suspeito (Suspect Parameter Number ­ SPN).

Ponte H Os circuitos da ECU são organizados em uma configuração em H. Isso permite que a corrente seja invertida para
acionar motores DC para a frente e para trás.
HPCR Trilho Comum de Alta Pressão. Um dispositivo que distribui o combustível a alta pressão para os injetores.

Input Identifica um sinal como uma entrada para um dispositivo ou controlador.

J1939 Norma da Sociedade de Engenheiros Automotivos (SAE, "Society of Automotive Engineers") para a comunicação entre
controladores eletrônicos de veículos para serviço pesado, seja dentro ou fora da estrada.
JDCP O Programa John Deere Custom Performance permite que o cliente selecione os recursos de software e combinações
de recursos antes de carregar o software na ECU. Também é uma forma pela qual o software incorporado é gerenciado
e atualizado nos controladores sem a remoção do controlador da máquina.

JDPS Sistemas de Alimentação John Deere (JDPS, "John Deere Power Systems").

MAP Pressão do Ar do Coletor. A pressão do ar no coletor de admissão, às vezes citada como pressão "auxiliar”.

MAT Temperatura do Ar no Coletor (MAT, "Manifold Air Temperature"). A temperatura do ar no coletor de entrada.

Zero do Medidor Este é o valor que o multímetro lê na posição "ohm" quando as pontas do medidor são unidas.
OOR Fora da Faixa (OOR, "Out­of­Range"). O sinal recebido pela ECU está fora da faixa esperada do dispositivo.
OORH Acima do Limite Superior (OORH, "Out­of­Range High"). O sinal detectado pela ECU é maior do que o componente
pode produzir (fora do limite aceitável). Em alguns tipos de circuito, isso pode ocorrer devido a um fio de entrada aberto,
um fio terra aberto ou um fio de entrada em curto com uma tensão maior do que a ECU espera (+ bateria).

Continua na página seguinte DM80898,0000121 ­54­17MAR09­1/2

CTM507 (16JUL09) 03­140­2 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=136
Operação do Sistema de Controle Eletrônico

OORL Abaixo do Limite Inferior (OORL, "Out­of­Range Low"). O sinal detectado pela ECU é menor do que o componente
pode produzir (fora do limite aceitável). Em alguns tipos de circuito, isso pode ser causado por um fio de entrada
ou fio de alimentação do circuito em curto com o terra.

Saída Identifica um sinal como uma saída de um dispositivo ou controlador.

Pino Um tipo de terminal que faz conexão elétrica com um conector. Também chamado de terminal macho.
PROM Memória Programável, Somente Leitura. Um chip de computador dentro da ECU que contém as informações de
calibração para o sistema de controle do motor.
Sensor de Posição da O sensor usado para identificar o cilindro que está no tempo de compressão.
Bomba
PWM Modulação da Largura de Pulso. Um sinal eletrônico digital de uma frequência fixa. O tempo de atividade do sinal é
aumentado ou diminuído (modulado) para indicar uma alteração na condição.

RAM Memória RAM. A parte da memória do computador dentro da ECU que é usada quando a ECU está funcionando. Todos
os dados nessa memória são perdidos quando a ECU é "DESLIGADA".

Soquete Um tipo de terminal que faz conexão elétrica com um conector. Também chamado de terminal fêmea ou receptáculo.

Válvula de Controle A Válvula de Controle da Sucção regula a quantidade de combustível que a bomba de combustível de alta pressão
de Sucção fornece à HPCR.

SDS Sistema de Distribuição de Software. Usado pelos JDPS para manter os registros de software e programação.

Sensor Dispositivo usado pela ECU para monitorar os diversos parâmetros do motor.

SPN Número de Parâmetro Suspeito. A primeira parte de um código de duas partes que identifica os códigos de diagnóstico
de falha do sistema de controle de acordo com o padrão J1939. O SPN identifica o sistema ou componente que falhou.
A segunda metade do código é o Identificador de Modo de Falha (FMI).

PMS Ponto Morto Superior. Ponto mais alto do curso do pistão.


Taxa de Aceleração Com que rapidez a ECU altera a taxa de combustível do motor em resposta a um sinal de aumento na aceleração. A
taxa de aceleração não tem nenhum impacto na desaceleração.

Opções Ajustáveis Opções que podem ser ativadas ou desativadas na programação da ECU, tais como seleção do acelerador, ajuste de
torque, aumentos, reduções e desligamentos do comando etc.
TWV Válvula de Duas Vias. Um componente no Injetor Eletrônico (EI).

WIF Água no Combustível (WIF, "Water In Fuel"). O sensor de WIF envia um sinal para a ECU quando é detectada água no
combustível.
DM80898,0000121 ­54­17MAR09­2/2

CTM507 (16JUL09) 03­140­3 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=137
Operação do Sistema de Controle Eletrônico

Operação do Sistema da Unidade de Controle Eletrônico (ECU)


J3
1 2 3 4
H H
G G
F F
E E
D D
C C
B B
A A
1 2 3 4

J2
4 3 2 1
A A
B B
C C
D D
E E
F F
G G
H H
J J
K K
L L
M M
4 3 2 1

J1
4 3 2 1
A A
B B

RG15090A —UN—03OCT08
C C
D D
E E
F F
G G
H H
4 3 2 1

Unidade de Controle do Motor (ECU)


J1— Conector de 32 Pinos ­ J2— Conector de 48 Pinos ­ J3— Conector de 32 Pinos ­
Ponta Preta Ponta Vermelha Ponta Azul

Componentes Principais da Unidade de Controle do • Memória (armazenamento)


Motor (ECU). • Alimentações Internas para Componentes Externos
A ECU é o controlador que segue um programa definido Conversores Analógico­Digital (A/D) e
para fazer o motor funcionar no ponto de operação Digital­Analógico (D/A)
desejado enquanto o mantém dentro dos regulamentos
de emissões O sistema é composto de componentes O A/D pega as informações analógicas de entrada dos
de entrada (ex. temperatura e sensores de pressão), e componentes externos e converte­as para um valor digital
componentes controlados (ex. injetores e atuadores) A que a CPU seja capaz de compreender. O D/A converte
ECU é composta de: a informação digital da CPU em informação analógica
usada pelos componentes externos.
• Conversores analógico digitais (A/D) Microprocessador (CPU)
• Conversores digital­analógicos (D/A)
• Microprocessador (CPU)

Continua na página seguinte DM80898,00000F4 ­54­06OCT08­1/2

CTM507 (16JUL09) 03­140­4 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=138
Operação do Sistema de Controle Eletrônico

A CPU é considerada o "cérebro" da ECU. Ela lê e Modo de Diagnóstico do Sistema que pode ser executado
interpreta as instruções de armazenamento (memória). do Service ADVISOR para ajudar a diagnosticar
Ela recebe informações de componentes externos, como alguns dos problemas. (Veja TESTE DE MODO DE
sensores, através do A/D. Ela manda informações de DIAGNÓSTICO DO SISTEMA nesta seção).
saída para componentes externos de controle, como Monitoração do Sensor
atuadores. Além disso, ela executa cálculos matemáticos
e funções lógicas. A ECU monitora sua temperatura interna para assegurar
que o motor não superaqueça e cause danos aos
Memória componentes. Ela monitora as alimentações para
A memória é um componente capaz de reter informações assegurar que estejam operando na tensão apropriada.
digitais. Tais informações podem ser o código de Monitora a execução apropriada dos programas
operação, arquivos de dados ou fragmentos de dados. armazenados. Quando a chave é desligada, ela monitora
até mesmo seu processo de desligamento para assegurar
A memória temporária (RAM) é usada para guardar que ele ocorra apropriadamente. Se existe um problema,
dados por um período curto de tempo. Estes dados são a ECU gera um Código de Diagnóstico de Falhas (CDF).
perdidos quando a chave é desligada.
A ECU recebe continuamente entradas em tempo real
A memória permanente (Flash) armazena informações da temperatura, pressão, velocidade e dos sensores de
durante longos períodos de tempo. É lá que são posição. A ECU compara estes valores com os valores
armazenados o programa e as informações de calibração. esperados para as condições de operação. Se a ECU
Neste tipo de memória as informações não são perdidas detecta um problema, era gera um DTC.
quando não há energia nem quando o controlador é
removido do chicote do motor. Códigos de Diagnóstico de Falhas (DTCs)

Alimentações Internas para Componentes Externos São códigos que a ECU envia pelo barramento CAN para
informar ao operador ou equipamento de manutenção
A ECU possui várias alimentações internas comumente que existe um problema (Veja LISTA DE CÓDIGOS
chamadas de alimentações do sensor, as quais enviam DE DIAGNÓSTICO DE FALHA mais adiante neste
tensões de referência para os sensores do motor, grupo). Alguns desses códigos contêm um instantâneo
aceleradores e interruptores. Existem códigos de de certos parâmetros no momento da definição dos
diagnóstico de falhas de tensão fora da faixa alta e fora da códigos que serão armazenados na ECU. É possível
faixa baixa associados a cada alimentação. São utilizadas que exista também um registro de dados adicionais
múltiplas alimentações, pois há vários componentes armazenados, dependendo do DTC (Veja INSTRUÇÕES
externos. Isto também previne que os componentes INSTANTÂNEAS adiante nesta seção).
críticos sejam afetados por curto em outros componentes.
Modo de Partida do Motor
Funções da ECU
Quando a chave é colocada na posição “ON”, uma tensão
Funções Básicas do Sistema de Controle do Motor de alimentação não permanente é enviada à Unidade de
Controle do Motor (ECU). Isto energiza a ECU e permite
O sistema de controle eletrônico funciona como um que ela “inicialize” e se prepare para a partida do motor.
comando do motor, que controla os Injetores Eletrônicos
(IEs), para que o combustível seja distribuído de NOTA: Caso algum problema de fiação impedir o sinal de
acordo com um dado conjunto de condições do motor, ligado da chave de chegar na ECU, o motor não liga.
quantidades precisas e tempo preciso em relação à
posição do pistão. Para alcançar este objetivo, o sistema Assim que a ECU determinar, com a informação do
de controle executa as seguintes funções: Sensor de Posição do Virabrequim, que o motor está
girando para dar partida, ela determinará a chegada
• Monitora constantemente as condições de operação do cilindro número 1 ao ponto morto superior no final
do motor. do curso de compressão, utilizando a informação do
• Determina com precisão a posição do pistão Sensor de Posição da Bomba. Então começa a injetar
• Distribui a quantidade ideal de combustível para um combustível quando o próximo cilindro na seqüência de
dado conjunto de condições de operação ignição (cilindro número 5) estiver na posição correta.
• Distribui combustível com o pistão na posição ideal Neste ponto, o motor dará partida e a ECU começará
• Fornece múltiplos modos de controle a funcionar. Para fornecer o aumento da temperatura
• Faz diagnóstico no sistema fria, a quantidade de combustível injetada é baseada
Diagnóstico de Falhas no Sistema na temperatura medida pelo Sensor de Temperatura do
Líquido de Arrefecimento do Motor (ETC)
A ECU consegue detectar problemas nos componentes
externos e na fiação dos mesmos. Existe um Teste de Modo de Funcionamento do Motor

DM80898,00000F4 ­54­06OCT08­2/2

CTM507 (16JUL09) 03­140­5 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=139
Operação do Sistema de Controle Eletrônico

ativar cada IE da sincronização e da taxa da injeção.


No modo de funcionamento, os sensores de posição da A ECU controla o envio de combustível energizando e
manivela e da bomba permitem que a ECU determine desenergizando a válvula de duas vias (TWV), que está
com precisão a posição do pistão em relação ao centro localizada na IE.
de topo morto. A ECU utiliza esta informação para
DM80898,00000F4 ­54­06OCT08­3/2

CTM507 (16JUL09) 03­140­6 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=140
Operação do Sistema de Controle Eletrônico

Diagrama 1 da Localização dos Componentes


NOTA: Alguns dos componentes mostrados são opcionais
e NÃO são utilizados em todas as aplicações.

RG16188 —UN—28MAR08

Motor de 4,5 L
A—Sensor de Temperatura do B—Sensor de Pressão do Óleo C—ECU
Líquido de Arrefecimento
BK53208,000007A ­54­31MAR08­1/1

CTM507 (16JUL09) 03­140­7 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=141
Operação do Sistema de Controle Eletrônico

Diagrama 2 da Localização dos Componentes


NOTA: Alguns dos componentes mostrados são opcionais
e NÃO são utilizados em todas as aplicações.

RG16189 —UN—28MAR08
Motor de 4,5 L
A—Válvula de Controle de B—Sensor de Temperatura do C—Sensor de Posição da Bomba
Sucção Combustível
BK53208,000007B ­54­31MAR08­1/1

CTM507 (16JUL09) 03­140­8 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=142
Operação do Sistema de Controle Eletrônico

Diagrama 3 da Localização dos Componentes


NOTA: Alguns dos componentes mostrados são opcionais
e NÃO são utilizados em todas as aplicações.

RG16190 —UN—28MAR08

Motor de 4,5 L
A—Limitador de Combustível B—Limitador de Pressão C—Sensor de Pressão da Linha D—Sensor de Posição da
de Combustível Manivela
BK53208,000007C ­54­31MAR08­1/1

CTM507 (16JUL09) 03­140­9 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=143
Operação do Sistema de Controle Eletrônico

Diagrama 4 da Localização dos Componentes


NOTA: Alguns dos componentes mostrados são opcionais
e NÃO são utilizados em todas as aplicações.

RG16191 —UN—28MAR08

Motor de 4,5 L
A—Sensor de Temperatura do Ar B—Sensor do Combustível de C—Sensor de Água no
do Coletor (MAT) Baixa Pressão Combustível (WIF)
BK53208,000007D ­54­31MAR08­1/1

CTM507 (16JUL09) 03­140­10 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=144
Operação do Sistema de Controle Eletrônico

Diagrama 5 da Localização dos Componentes


NOTA: Alguns dos componentes mostrados são opcionais
e NÃO são utilizados em todas as aplicações.

RG16195 —UN—28MAR08

Motor 6,8L
A—Sensor de Pressão da Linha B—Sensor de Pressão do Óleo C—ECU
de Combustível
BK53208,000007E ­54­31MAR08­1/1

CTM507 (16JUL09) 03­140­11 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=145
Operação do Sistema de Controle Eletrônico

Diagrama 6 da Localização dos Componentes


NOTA: Alguns dos componentes mostrados são opcionais
e NÃO são utilizados em todas as aplicações.

RG16194 —UN—28MAR08
Motor 6,8L
A—Válvula de Controle de B—Sensor de Temperatura do C—Sensor de Posição da Bomba
Sucção Combustível
BK53208,000007F ­54­31MAR08­1/1

CTM507 (16JUL09) 03­140­12 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=146
Operação do Sistema de Controle Eletrônico

Diagrama 7 da Localização dos Componentes


NOTA: Alguns dos componentes mostrados são opcionais
e NÃO são utilizados em todas as aplicações.

RG16193 —UN—28MAR08

Motor 6,8L

Continua na página seguinte BK53208,0000080 ­54­31MAR08­1/2

CTM507 (16JUL09) 03­140­13 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=147
Operação do Sistema de Controle Eletrônico

A—Sensor de Temperatura do B—Sensor de Posição da C—Limitador de Combustível D—Limitador de Pressão


Líquido de Arrefecimento Manivela
BK53208,0000080 ­54­31MAR08­2/2

CTM507 (16JUL09) 03­140­14 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=148
Operação do Sistema de Controle Eletrônico

Diagrama 8 da Localização dos Componentes


NOTA: Alguns dos componentes mostrados são opcionais
e NÃO são utilizados em todas as aplicações.

RG16192 —UN—28MAR08

Motor 6,8L

Continua na página seguinte BK53208,0000081 ­54­31MAR08­1/2

CTM507 (16JUL09) 03­140­15 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=149
Operação do Sistema de Controle Eletrônico

A—Sensor de Temperatura do Ar B—Sensor do Combustível de C—Sensor de Água no


do Coletor (MAT) Baixa Pressão Combustível (WIF)
BK53208,0000081 ­54­31MAR08­2/2

Diagrama 9 da Localização dos Componentes

NOTA: Alguns dos componentes mostrados são opcionais


e NÃO são utilizados em todas as aplicações.

RG16196 —UN—28MAR08
Motor de 4,5 L
C02— Conector de Acessório A C10— Terminador do CAN C14— Bobina do Relé de Partida, F02— Fusível, 20 Amp
C07— Conector de Acessório B C11— Conector de Diagnóstico Sinal J01— Conector do Chicote da
C08— Conector Auxiliar do CAN C15— Ativação/Desativação ECU, Superfície Preta
C09— Conector do Painel de C12— Protetor de Tensão Remota J02— Conector do Chicote da
Controle Transitória C18— Conector do Aquecedor de ECU, Superfície Vermelha
C13— Bobina do Relé de Partida, Combustível
Retorno F01— Fusível, 30 Amp
BK53208,0000082 ­54­31MAR08­1/1

CTM507 (16JUL09) 03­140­16 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=150
Operação do Sistema de Controle Eletrônico

Diagrama 10 da Localização dos Componentes


NOTA: Alguns dos componentes mostrados são opcionais
e NÃO são utilizados em todas as aplicações.

RG16197 —UN—28MAR08
Motor de 4,5 L
C02— Conector de Acessório A P05— Conector do Sensor de X01— Conector do Sensor de
J01— Conector do Chicote da Pressão da Linha de Posição da Manivela
ECU, Superfície Preta Combustível X02— Conector do Sensor de
P04— Conector do Sensor de T04— Conector do Sensor de Posição da Bomba
Pressão do Óleo Temperatura do Líquido de Y01— Conector da Válvula de
Arrefecimento Controle de Sucção
T05— Conector do Sensor
de Temperatura do
Combustível
BK53208,0000083 ­54­31MAR08­1/1

CTM507 (16JUL09) 03­140­17 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=151
Operação do Sistema de Controle Eletrônico

Diagrama 11 da Localização dos Componentes


NOTA: Alguns dos componentes mostrados são opcionais
e NÃO são utilizados em todas as aplicações.

RG16198 —UN—28MAR08
Motor de 4,5 L
C01— Conector do Injetor de C06— Excitação do Alternador P03— Conector do Sensor do T02— Conector do Sensor de
Combustível D01— Conector do Sensor de Combustível de Baixa Temperatura do Ar do
C03— Conector do Aquecedor de Água no Combustível Pressão Coletor
Ar P03A— Interconexão do Sensor
do Combustível de Baixa
Pressão
BK53208,0000084 ­54­31MAR08­1/1

CTM507 (16JUL09) 03­140­18 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=152
Operação do Sistema de Controle Eletrônico

Diagrama 12 da Localização dos Componentes


NOTA: Alguns dos componentes mostrados são opcionais
e NÃO são utilizados em todas as aplicações.

RG16199 —UN—28MAR08
Motor de 4,5 L
A—Cilindro Nº 4 C—Cilindro Nº 2 D—Cilindro Nº 1
B—Cilindro Nº 3 C01— Conector do Injetor de
Combustível
BK53208,0000085 ­54­31MAR08­1/1

CTM507 (16JUL09) 03­140­19 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=153
Operação do Sistema de Controle Eletrônico

Diagrama 13 da Localização dos Componentes


NOTA: Alguns dos componentes mostrados são opcionais
e NÃO são utilizados em todas as aplicações.

RG16200 —UN—28MAR08
Motor 6,8L
C02— Conector de Acessório A C10— Terminador do CAN C14— Bobina do Relé de Partida, F02— Fusível, 20 Amp
C07— Conector de Acessório B C11— Conector de Diagnóstico Sinal J01— Conector do Chicote da
C08— Conector Auxiliar do CAN C15— Ativação/Desativação ECU, Superfície Preta
C09— Conector do Painel de C12— Protetor de Tensão Remota J02— Conector do Chicote da
Controle Transitória C18— Conector do Aquecedor de ECU, Superfície Vermelha
C13— Bobina do Relé de Partida, Combustível
Retorno F01— Fusível, 30 Amp
BK53208,0000086 ­54­31MAR08­1/1

CTM507 (16JUL09) 03­140­20 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=154
Operação do Sistema de Controle Eletrônico

Diagrama 14 da Localização dos Componentes


NOTA: Alguns dos componentes mostrados são opcionais
e NÃO são utilizados em todas as aplicações.

RG16201 —UN—28MAR08
Motor 6,8L
C02— Conector de Acessório A P05— Conector do Sensor de X01— Conector do Sensor de
J01— Conector do Chicote da Pressão da Linha de Posição da Manivela
ECU, Superfície Preta Combustível X02— Conector do Sensor de
P04— Conector do Sensor de T04— Conector do Sensor de Posição da Bomba
Pressão do Óleo Temperatura do Líquido de Y01— Conector da Válvula de
Arrefecimento Controle de Sucção
T05— Conector do Sensor
de Temperatura do
Combustível
BK53208,0000087 ­54­31MAR08­1/1

CTM507 (16JUL09) 03­140­21 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=155
Operação do Sistema de Controle Eletrônico

Diagrama 15 da Localização dos Componentes


NOTA: Alguns dos componentes mostrados são opcionais
e NÃO são utilizados em todas as aplicações.

RG16202 —UN—28MAR08
Motor 6,8L
C01— Conector do Injetor de C06— Excitação do Alternador P03— Conector do Sensor do T02— Conector do Sensor de
Combustível D01— Conector do Sensor de Combustível de Baixa Temperatura do Ar do
C03— Conector do Aquecedor de Água no Combustível Pressão Coletor
Ar P03A— Interconexão do Sensor
do Combustível de Baixa
Pressão
BK53208,0000088 ­54­31MAR08­1/1

CTM507 (16JUL09) 03­140­22 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=156
Operação do Sistema de Controle Eletrônico

Diagrama 16 da Localização dos Componentes


NOTA: Alguns dos componentes mostrados são opcionais
e NÃO são utilizados em todas as aplicações.

RG16206 —UN—28MAR08
Motor 6,8L
A—Cilindro Nº 6 C—Cilindro Nº 4 D—Cilindro Nº 3 F— Cilindro Nº 1
B—Cilindro Nº 5 C01— Conector do Injetor de E—Cilindro Nº 2
Combustível
BK53208,0000089 ­54­31MAR08­1/1

CTM507 (16JUL09) 03­140­23 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=157
Operação do Sistema de Controle Eletrônico

Unidade de Controle do Motor (ECU)

J2
4 3 2 1
A A
B B
C C
D D
E E
F F
G G
H H
J J
K K
L L
M M
4 3 2 1

J1
4 3 2 1
A A
B B

RG15045 —UN—19SEP07
C C
D D
E E
F F
G G
H H
4 3 2 1

Unidade de Controle do Motor (ECU)


J1— Conector de 32 Pinos ­ J2— Conector de 48 Pinos ­
Inserção Preta Inserção Marrom
DM80898,000011F ­54­18DEC06­1/1

Rede da Área do Controlador (CAN)


O barramento CAN.é uma rede de conexão aberta de comunicar com laptops e outros acessórios Informações
alta velocidade para sistemas eletrônicos do veículo. sobre a rede podem ser exibidas ao operador em um
Permite que os sistemas eletrônicos se comuniquem painel de exibição ou retransmitidas para outro local
entre si por uma arquitetura padrão de sinais eletrônicos via telemetria. É possível conectar até 30 módulos ou
em cabos de pares trançados com proteção. Quaisquer Unidades de Controle Eletrônico por um único segmento
tipo de informações.podem ser comunicadas pelo de rede CAN. Uma conexão CAN (SEA J1939) é fornecida
barramento CAN. Informações sobre posição do no chicote do veículo. Um conector Deutsch alemão
acelerador, sistemas de segurança, condição do motor, redondo de 9 pinos é fornecido principalmente para fins
sistema de combustível, etc, podem ser transferidas de diagnóstico/serviço. A CAN também permite que o
entre os controladores do veículo. Os veículos podem se software de diagnóstico se comunique com o veículo.
DM80898,00000E1 ­54­15OCT07­1/1

CTM507 (16JUL09) 03­140­24 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=158
Operação do Sistema de Controle Eletrônico

Parâmetros de Monitoramento do Motor


Para o sistema de controle eletrônico distribuir o • Pressão da Bomba de Transferência de Combustível
combustível de acordo com um determinado conjunto de (opcional)
condições operacionais e, em algumas aplicações, para • Pressão do ar do tubo (MAP ­ opcional)
proporcionar proteção ao motor, os seguintes parâmetros • Pressão do Óleo
do motor são monitorados pela ECU: • Posição do Virabrequim
• Temperatura da Unidade de Controle do Motor (ECU) • Posição da Bomba
• Temperatura do Líquido de Arrefecimento do Motor • Água no Combustível (WIF)
(ECT)
• Posição do Acelerador
• Temperatura do Combustível • Alimentação de Energia #1
• Temperatura do Ar no Coletor de Admissão (MAT) • Alimentação de Energia #2
• Pressão Barométrica do Ar (BAP) • Alimentação de Energia #3
• Pressão da Linha de Combustível • Comandos Externos de Redução
• Posição do Acelerador • Comandos Externos de Desligamento
DM80898,00000F6 ­54­22MAY07­1/1

Medição de Temperatura
Sensores de temperatura são geralmente B ECU
termistores—resistores variáveis sensíveis à
temperatura. A resistência do sensor diminui quando A Temperature Sensor
Ref Voltage
a temperatura aumenta (coeficiente negativo de
temperatura). A mudança de temperatura acarreta a C
mudança da tensão (C). A ECU compara esta tensão com

RG15043 —UN—12DEC06
valores programados na sua memória. Se o valor medido
estiver perto do valor esperado, a ECU entende que está
tudo certo. Se o valor estiver acima ou abaixo do valor D
esperado, a ECU, estabelece o código de diagnóstico Signal
de falha (CDF) apropriado. Para informações adicionais E Input
sobre CDFs, veja LISTA DE CÓDIGO DE DIAGNÓSTICO Ground
DE FALHA na Seção 4, Grupo 160.
Figura 1
A ECU tem capacidade de reduzir a potência do motor, a
velocidade do motor,.ou de desligar o motor na tentativa
A—Sensor de Temperatura D—Entrada de Sinal
de proteger o mesmo e seus componentes. Se alguma B—ECU E—Terra
temperatura exceder o limite, a ECU ativa a proteção do C—Tensão de Referência
motor. Para obter mais informações sobre a proteção
do motor e os programas de redução, veja REDUÇÃO
DO MOTOR E DESLIGAMENTO DE PROTEÇÃO, mais
adiante neste Grupo.
RG40854,00000E4 ­54­15OCT07­1/1

Sensor de Temperatura da Unidade de Controle do Motor (ECU)


O sensor de temperatura da ECU.fica localizado na parte ECU. Se a temperatura ultrapassar a especificação de
interna da ECU. Esse sensor não pode ser reparado temperatura, a ECU limitará a rotação do motor em uma
ou substituído sem a substituição da ECU inteira. Este tentativa de proteger a ECU contra danos permanentes.
sensor é usado para determinar a temperatura interna da
RG41221,00002A7 ­54­15OCT07­1/1

CTM507 (16JUL09) 03­140­25 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=159
Operação do Sistema de Controle Eletrônico

Sensor de Temperatura do Líquido de Arrefecimento do Motor (ECT)


A ECU monitora a temperatura do líquido de arrefecimento Para obter mais informações sobre como os sensores
do motor para: de temperatura funcionam, veja MEDIÇÃO DA
• Proteger o motor Dependendo do nível de aumento da TEMPERATURA anteriormente neste Grupo.
temperatura, a ECU transmite um código de diagnóstico Para obter mais informações sobre a proteção do motor e
para níveis moderados ou extremos. O motor reduz os programas de redução, veja REDUÇÃO DO MOTOR
conforme o nível de gravidade do problema.
E DESLIGAMENTO DE PROTEÇÃO, mais adiante neste
• Se a ECU determinar que a temperatura do líquido Grupo.
de arrefecimento está muito baixa para as condições
de operação correntes, ela estabelece um código de Para obter mais informações sobre a localização dos
diagnóstico de falhas. Isto normalmente indica que um sensores, veja LOCALIZAÇÃO DOS COMPONENTES
termostato.está travado na posição aberta. anteriormente neste Grupo.
DB92450,000000F ­54­15OCT07­1/1

Sensor de Temperatura de Combustível


A ECU utiliza esta entrada do sensor para calcular a E DESLIGAMENTO DE PROTEÇÃO, mais adiante neste
densidade e ajustar o envio de combustível. A ECU Grupo.
também utiliza o sensor de temperatura do combustível
para fins de proteção do motor. Além disso, a operação Para obter mais informações sobre a localização dos
do aquecedor de ar não age sobre a temperatura do sensores, veja LOCALIZAÇÃO DE COMPONENTES
combustível. Se a temperatura do combustível diminuir e 2para os modelos de 4,5 L e LOCALIZAÇÃO DE
ficar abaixo da especificação, o aquecedor do ar irá ligar COMPONENTES 6para motores de 6,8 L anteriormente
por um período predeterminado de tempo. neste Grupo.

Para obter mais informações sobre como os sensores Para mais informações sobre o aquecedor de ar,
de temperatura funcionam, veja MEDIÇÃO DA veja OPERAÇÃO DO AQUECEDOR DO AR DE
TEMPERATURA anteriormente neste Grupo. ENTRADA adiante neste Grupo.

Para obter mais informações sobre a proteção do motor e


os programas de redução, veja REDUÇÃO DO MOTOR
DM80898,00000F7 ­54­18APR08­1/1

Temperatura do Ar do Coletor de Entrada (MAT)


O sensor de MAT localiza­se no coletor de entrada de Para obter mais informações sobre a proteção do motor e
ar. A ECU usa esse sensor para medir a temperatura do os programas de redução, veja REDUÇÃO DO MOTOR
ar no coletor de entrada. A MAT ajuda a ECU a calcular E DESLIGAMENTO DE PROTEÇÃO, mais adiante neste
o abastecimento correto de combustível para o motor. Grupo.
O ar do coletor é o ar que será usado no cilindro para a
combustão do motor. A ECU também utiliza esse sensor Para obter mais informações sobre a localização dos
para fins de proteção do motor. sensores, veja LOCALIZAÇÃO DE COMPONENTES
4para os modelos de 4,5 L e LOCALIZAÇÃO DE
Para obter mais informações sobre como os sensores COMPONENTES 6para motores de 6,8 L anteriormente
de temperatura funcionam, veja MEDIÇÃO DA neste Grupo.
TEMPERATURA anteriormente neste Grupo.
DM80898,0000439 ­54­18APR08­1/1

CTM507 (16JUL09) 03­140­26 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=160
Operação do Sistema de Controle Eletrônico

Temperatura de Entrada da Turbina do Turbo


Não há sensor de temperatura da turbina do turbo. Esta • Um filtro de software para representar um atraso de
temperatura é calculada pela ECU. A ECU utiliza os tempo na taxa de aquecimento de componente.
seguintes parâmetros para gerar a temperatura baseada
no modelo: A ECU também utiliza esse sensor para fins de proteção
do motor.
• Pressão do Ar do Coletor Para obter mais informações sobre a proteção do motor e
• Base de sincronia no sensor de posição da manivela os programas de redução, veja REDUÇÃO DO MOTOR
ou da bomba
E DESLIGAMENTO DE PROTEÇÃO, mais adiante neste
• Pressão da Linha de Combustível Grupo.
• Rotação do Motor
• Relação entre Ar Fresco e Combustível
RG41221,00002A8 ­54­15OCT07­1/1

CTM507 (16JUL09) 03­140­27 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=161
Operação do Sistema de Controle Eletrônico

Medição da Pressão
Todos os sensores de pressão do motor (A) são
dispositivos com 3 fios. À medida que a pressão se A Pressure
altera, a saída também é alterada. A ECU (B) fornece Sensor B ECU
ao sensor a tensão de referência (C) e o aterramento
(F). Monitora a tensão de saída a partir da fiação de
saída do fio do sensor (D). À medida que a pressão C Ref Voltage

RG15044 —UN—05DEC06
muda, ela faz com que a entrada para a ECU também I
D Signal Input
mude. A ECU compara o valor de entrada com um valor C
pré­programado na memória da ECU.
F Ground
Existem vários tipos de dispositivos e, dependendo
dos circuitos (E) no dispositivo, a ECU determina como E
processar o sinal de entrada.
Esquema Padrão do Sensor de Pressão
Se o valor da entrada estiver próximo do valor esperado,
a ECU assumirá que tudo está funcionando corretamente.
Se o valor estiver acima ou abaixo do valor esperado, a A—Sensor de Pressão D—Entrada de Sinal
ECU, estabelece o código de diagnóstico de falha (CDF) B—ECU E—CI (Circuit Integrado)
C—Tensão de Referência F— Terra
apropriado.
A ECU pode reduzir a potência e a velocidade do motor
ou desligá­lo em uma tentativa de proteger o motor E DESLIGAMENTO DE PROTEÇÃO, mais adiante neste
e seus componentes. Se alguns valores de pressão Grupo.
ultrapassarem o limiar, a ECU ativará a proteção do motor. Para informações adicionais sobre DTC, veja LISTA DE
Para obter mais informações sobre a proteção do motor e CÓDIGO DE DIAGNÓSTICO DE FALHA na Seção 4,
os programas de redução, veja REDUÇÃO DO MOTOR Grupo 160.
RG40854,00000E5 ­54­04JAN08­1/1

Sensor da Pressão Barométrica do Ar (BAP)


O sensor BAP localiza­se internamente na ECU. Esse densidade do ar para calcular a proporção correta de
sensor não pode ser reparado ou substituído sem a combustível/ar.
substituição da ECU inteira. Esse sensor é usado
para determinar a pressão do ar ambiente no local de Para obter mais informações sobre a operação
montagem da ECU. Isso ajuda a ECU a determinar a dos sensores de pressão, veja MEDIÇÃO DA
PRESSÃO anteriormente neste Grupo.
RG41221,00002A9 ­54­15OCT07­1/1

Sensor de Pressão da Linha de Combustível


O sensor de pressão da linha de combustível envia Para obter mais informações sobre a operação
um sinal equivalente de pressão para a ECU. A ECU dos sensores de pressão, veja MEDIÇÃO DA
monitora a pressão do combustível para controlar a PRESSÃO anteriormente neste Grupo.
quantidade e a sincronização do combustível transferido
da bomba de combustível de alta pressão para o HPCR. Para obter mais informações sobre a proteção do motor e
A ECU usa essa entrada do sinal para determinar se a os programas de redução, veja REDUÇÃO DO MOTOR
pressão da linha de combustível é adequada à condição E DESLIGAMENTO DE PROTEÇÃO, mais adiante neste
de operação atual. A ECU comandará mais ou menos Grupo.
combustível a partir da bomba de combustível de alta
pressão alterando o sinal para a válvula de controle de Para obter mais informações sobre a localização dos
sucção. A ECU também usa esse sensor para determinar sensores, veja LOCALIZAÇÃO DOS COMPONENTES
se há um problema no injetor eletrônico medindo a queda anteriormente neste Grupo.
de pressão toda vez que o motor injetar combustível Para obter mais informações sobre a válvula de
em um cilindro específico. Esse sensor é usado para controle de sucção, veja VÁLVULA DE CONTROLE DE
proteger o motor. SUCÇÃO posteriormente neste Grupo.
DB92450,0000015 ­54­30AUG07­1/1

CTM507 (16JUL09) 03­140­28 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=162
Operação do Sistema de Controle Eletrônico

Sensor de Pressão da Bomba de Transferência de Combustível


O sensor de pressão de combustível envia um sinal
Para obter mais informações sobre a operação
equivalente de pressão para a ECU. A ECU monitora a
dos sensores de pressão, veja MEDIÇÃO DA
pressão do combustível para determinar se o combustível
PRESSÃO anteriormente neste Grupo.
está passando continuamente pelo lado de baixa pressão
do sistema de combustível ou se há um vazamento ou Para obter mais informações sobre a localização dos
um bloqueio nele. sensores, veja LOCALIZAÇÃO DOS COMPONENTES
anteriormente neste Grupo.
DM80898,0000420 ­54­27AUG07­1/1

Sensor de Pressão do Ar no Coletor (MAP)


A ECU usa a pressão absoluta do coletor para ajudar a
calcular a quantidade do fluxo de ar que vai para o motor. Para obter mais informações sobre a operação
O sensor da pressão do ar do coletor também fornece à dos sensores de pressão, veja MEDIÇÃO DA
ECU uma medição direta do reforço do turbo. PRESSÃO anteriormente neste Grupo.

A ECU calcula a MAP apropriada baseada nas condições Para obter mais informações sobre a localização dos
de operação do motor e na velocidade do turbo. Se o sensores, veja LOCALIZAÇÃO DOS COMPONENTES
valor real da MAP a partir do sensor for muito diferente anteriormente neste Grupo.
para as condições vigentes de operação, a ECU retorna a
MAP a um valor padrão e gera o DTC 000102.02.
As causas mais prováveis deste erro são vazamentos do
ar da reserva de alimentação ("boost") e restrições na
admissão de ar.
DM80898,0000422 ­54­15OCT07­1/1

Sensor de Pressão do Óleo


O sensor de pressão do óleo envia um sinal equivalente Para obter mais informações sobre a proteção do motor e
de pressão do óleo para a ECU. A ECU usa esse os programas de redução, veja REDUÇÃO DO MOTOR
sinal para determinar se a pressão do óleo do motor é E DESLIGAMENTO DE PROTEÇÃO, mais adiante neste
adequada para a condição de operação atual. A ECU Grupo.
monitora a pressão do óleo para proteger o motor.
Para obter mais informações sobre a localização dos
Para obter mais informações sobre a operação sensores, veja LOCALIZAÇÃO DOS COMPONENTES
dos sensores de pressão, veja MEDIÇÃO DA anteriormente neste Grupo.
PRESSÃO anteriormente neste Grupo.
DB92450,0000016 ­54­15OCT07­1/1

CTM507 (16JUL09) 03­140­29 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=163
Operação do Sistema de Controle Eletrônico

Sensor de Pressão da Linha de Combustível Dupla (Aplicações Redundantes da ECU)


C 13 33
D
A B 1 23 43

1 29 29 D3 1 2 3 4
A A
2 1 1 E3 B B
17 37
27 C C
3 26 6 48 26 E2 D D
P 3 2 1
6 5 4
1 2 3
4 5 6 4 6
7 49
6 D2
E
F
E
F

RG16542 —UN—27OCT08
5 52 28 52 C3
18 38 G G
6 47 47 F3 H H
1 2 3 4
12 32 54
22 42

Sensor de Pressão da Linha de Combustível Dupla


A—Sensor de Pressão da Linha B—Conector do Sensor P05 C—Conector da Caixa de D—Conector Redundante da ECU
de Combustível Dupla Interruptores ou ECU J01

O sensor de pressão da linha de combustível dupla envia Para obter mais informações sobre a proteção do motor e
sinais equivalentes de pressão redundante para a ECU. A os programas de redução, veja REDUÇÃO DO MOTOR
ECU monitora a pressão do combustível para controlar a E DESLIGAMENTO DE PROTEÇÃO, mais adiante neste
quantidade e a sincronização do combustível transferido Grupo.
da bomba de combustível de alta pressão para o HPCR.
A ECU usa essa entrada do sinal para determinar se a Para obter mais informações sobre a localização dos
pressão da linha de combustível é adequada à condição sensores, veja LOCALIZAÇÃO DOS COMPONENTES
de operação atual. A ECU comandará mais ou menos anteriormente neste Grupo.
combustível a partir da bomba de combustível de alta
pressão alterando o sinal para a válvula de controle de NOTA: O sensor de pressão da linha de combustível
sucção. A ECU também usa esse sensor para determinar dupla é usado em um número limitado de
se há um problema no injetor eletrônico medindo a queda motores e está no mesmo local do sensor de
de pressão toda vez que o motor injetar combustível pressão da linha de combustível.
em um cilindro específico. Esse sensor é usado para
proteger o motor. Para obter mais informações sobre a válvula de
controle de sucção, veja VÁLVULA DE CONTROLE DE
Para obter mais informações sobre a operação SUCÇÃO posteriormente neste Grupo.
dos sensores de pressão, veja MEDIÇÃO DA
PRESSÃO anteriormente neste Grupo.
BB78437,0000150 ­54­28OCT08­1/1

CTM507 (16JUL09) 03­140­30 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=164
Operação do Sistema de Controle Eletrônico

Medição da Rotação
O sensor de posição do comando de válvulas mede a roda sincronizadora diretamente sob o sensor, o campo
rotação do motor detectando os dentes de rotação de magnético passa pelo dente. Conforme o dente passa
uma roda sincronizadora montada na parte dianteira pelo sensor, o campo magnético retorna em direção ao
da engrenagem de acionamento do comando de sensor. Isto cria uma tensão na bobina que é enviada
válvulas. Ele também mede a posição da rotação do para a ECU. Monitorando a freqüência destes sinais, a
motor, pois pode detectar uma folga nos dentes da roda ECU calcula a rotação do componente. Quando a folga
sincronizadora onde dois dos dentes foram removidos. no dente da roda sincronizadora é detectada, a ECU
Esta folga corresponde ao ponto morto superior do pistão interpreta a mudança no padrão de tensão como ponto
#1. morto superior.
O sensor utiliza uma bobina em volta do ímã para criar
um sinal de tensão elétrica. Conforme o dente passa pela
RG40854,00000E8 ­54­15OCT07­1/1

Sensor de Posição da Manivela


É um sensor de coleta do tipo indutivo que detecta os para determinar a sincronização do motor. Isso pode
dentes na engrenagem de sincronização do virabrequim. exigir um arranque prolongado do motor para dar a
A ECU usa as informações de posição da manivela partida. A ECU fornece proteção ao motor no caso de
para determinar a rotação do motor e a posição angular problemas com o sensor de posição da manivela.
do virabrequim no seu campo de rotação de 360°. A
engrenagem de sincronização do virabrequim é composta Para obter mais informações sobre como os
por 45 dentes espaçados igualmente. Existe uma seção sensores de rotação funcionam, veja MEDIÇÃO DA
com 3 dentes sem nenhum entalhe. A seção de 3 dentes ROTAÇÃO anteriormente neste Grupo.
ajuda a ECU a determinar quando o cilindro #1 está no Para obter mais informações sobre a proteção do motor e
Ponto Morto Superior (PMS). os programas de redução, veja REDUÇÃO DO MOTOR
A ECU usa as informações dos sensores de posição da E DESLIGAMENTO DE PROTEÇÃO, mais adiante neste
bomba e de posição da manivela para controlar com Grupo.
precisão a sincronização e a duração da injeção de Para obter mais informações sobre a localização dos
combustível. sensores, veja LOCALIZAÇÃO DOS COMPONENTES
Se houver um problema com o sensor de posição da anteriormente neste Grupo.
manivela, a ECU usará o sensor de posição da bomba
RG41221,00002AF ­54­30AUG07­1/1

Sensor de Posição da Bomba


É um sensor de coleta do tipo indutivo que detecta exigir um arranque prolongado do motor para dar a
os dentes na engrenagem intermediária superior. A partida.
engrenagem intermediária superior consiste em 12
entalhes espaçados igualmente com um entalhe adicional Para obter mais informações sobre como os
deslocado para informar à ECU que o cilindro nº 1 está se sensores de rotação funcionam, veja MEDIÇÃO DA
aproximando do Centro de Topo Morto. ROTAÇÃO anteriormente neste Grupo.

Se houver um problema com o Sensor de Posição da Para obter mais informações sobre a localização dos
Bomba, a ECU usará o Sensor de Posição da Manivela sensores, veja LOCALIZAÇÃO DOS COMPONENTES
para determinar a sincronização do motor. Isso pode anteriormente neste Grupo.
DM80898,00000FB ­54­30AUG07­1/1

CTM507 (16JUL09) 03­140­31 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=165
Operação do Sistema de Controle Eletrônico

Descrições do Acelerador
Os motores John Deere aceitam vários tipos de entradas rotação do motor, um acelerador combinado pode ser
de acelerador em diversos esquemas de conexão habilitado no software da ECU (discutido posteriormente
dependendo da aplicação. Os tipos de acelerador são: neste grupo).
• Analógico Uma descrição de cada tipo de acelerador é fornecida
• Digital mais adiante neste grupo.
• Modulado com Largura de Pulso (MLP)
• CAN (mensagens no barramento CAN)
Mais de um acelerador pode ser habilitado por vez no
software da ECU. Para um controle mais preciso da
DM80898,0000003 ­54­15OCT07­1/1

Acelerador CAN

O acelerador CAN (Rede de Área do Controlador) é a


informado da posição desejada de aceleração enviada
para a ECU por outro controlador através do barramento
da CAN.
A B
C
A—Controle do Acelerador C—ECU Throttle CAN Throttle Signal

RG15038 —UN—12OCT06
B—Sinal do Acelerador CAN ECU
Controller

Diagrama do Acelerador CAN

DM80898,0000045 ­54­15OCT07­1/1

CTM507 (16JUL09) 03­140­32 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=166
Operação do Sistema de Controle Eletrônico

Acelerador Com Modulação da Largura de Pulso (PWM)


O sinal do acelerador PWM é enviado à ECU por outro
controlador. O sinal PWM é de onda quadrada com uma A B C
freqüência constante. A largura do pulso do sinal varia
para indicar a abertura desejada do acelerador. Throttle
CAN Throttle Signal ECU
Controller
A—Controle do Acelerador C—ECU

RG15076 —UN—13OCT06
B—Sinal do Acelerador do
Barramento de CAN

Constant Frequency

Variable Pulse
Width

Diagrama do Acelerador PWM

DM80898,000012A ­54­15OCT07­1/1

Acelerador Analógico
Um acelerador analógico usa um resistor variável B ECU
Analog
(potenciômetro) para fornecer tensão à ECU. Uma A Throttle
tensão de referência é enviada para o acelerador pela
ECU. A resistência se altera à medida que a posição do
Ref
acelerador muda. Por sua vez, a tensão da entrada para C Voltage
a ECU irá variar conforme a posição do acelerador. A

RG15037 —UN—12OCT06
tensão da entrada é monitorada pela ECU, que responde
Signal
enviando os sinais apropriados de controle conforme sua D Input
programação.
Um segundo acelerador analógico também pode ser
habilitado com o primeiro acelerador analógico (primário)
se esta opção foi selecionada no software da ECU.
Sensor de Posição
A—Acelerador Analógico C—Tensão de Referência
B—ECU D—Entrada de Sinal

RG41221,00002B7 ­54­15OCT07­1/1

Acelerador Digital de Múltiplos Estágios


O acelerador multiestado é usado quando algumas • Acelerador de Estado Triplo ­ Veja ACELERADOR DE
rotações fixas no motor são necessárias. Existem três ESTADO TRIPLO posteriormente neste Grupo.
tipos de aceleradores multiestado: • Acelerador de Rampa ­ Veja ACELERADOR DE
RAMPA posteriormente neste Grupo.
• Acelerador de Estado Duplo ­ Veja ACELERADOR DE
ESTADO DUPLO posteriormente neste Grupo.
DM80898,0000046 ­54­15OCT07­1/1

CTM507 (16JUL09) 03­140­33 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=167
Operação do Sistema de Controle Eletrônico

Acelerador de Duplo Estágio


O acelerador de estado duplo é usado em aplicações
que usam duas rotações fixas do motor. As posições
disponíveis são "Marcha Lenta" (tartaruga) e "Alta B ECU
A Multi state throttle Switch
Rotação" (coelho). O interruptor seletor padrão de estado
triplo pode ser substituído por um interruptor seletor de 2
1
posições que tenha apenas os ajustes "tartaruga/marcha
lenta" e "coelho/alta rotação". 2 Signal
C Input
O interruptor usa dois resistores diferentes para alterar
3
a tensão retornada à ECU. A ECU usa uma tabela de 3000

RG15039 —UN—11OCT06
conversão interna para converter a tensão em uma 1300
rotação específica do motor. Quando o interruptor está 390
na posição de marcha lenta, a corrente é direcionada
através de um resistor de 390 ohms. A posição de alta
rotação usa um resistor de 3000 ohms.
Se o painel possuir um acelerador analógico, a rotação
do motor pode ser ajustada quando o interruptor do Diagrama do Interruptor do Acelerador de Estado Duplo
acelerador de estado duplo estiver na posição de marcha
lenta.
A—Interruptor do acelerador C—Entrada de sinal
NOTA: O interruptor do acelerador multiestado de multiestado
três posições pode ser usado. A posição B—ECU
intermediária é ignorada.

DM80898,0000047 ­54­15OCT07­1/1

Acelerador de Triplo Estágio

O acelerador digital de estado triplo (ou de “3 estados”)


funciona de forma similar ao de dois estados. Este
acelerador usa um comando com três posições: B ECU
A Multi state throttle Switch
Aceleração mínima (tartaruga–3), aceleração máxima
(adj–2) e rotação alta (coelho–1). Na posição de
1
aceleração mínima, o giro do motor assume como padrão
uma rotação que foi definida na ECU de acordo com as 2 Signal
necessidades da aplicação. A rotação da posição de alta C Input
rotação (sem carga) é definida na ECU de acordo com as 3
necessidades da aplicação. Na posição de aceleração 3000

RG15039 —UN—11OCT06
máxima (Adj­2), a rotação do motor pode ser ajustada 1300
dentro de uma faixa programada na ECU. 390

O interruptor usa três resistores diferentes para alterar


a tensão retornada à ECU. Quando o comando está na
posição de aceleração mínima, a corrente é direcionada
através de um resistor de 390 ohms. A posição de
aceleração máxima usa um resistor de 1300 ohm e a
posição de alta rotação usa um resistor de 3000 ohm.
A—Acelerador Multiestado C — Entrada de Sinal
Para mudar a rotação do motor, o acelerador de estado B—ECU
triplo deve estar na posição ADJ e o interruptor de
"Habilitação de Incremento" deve estar na posição
"habilitar para cima" ou "habilitar para baixo" enquanto o
interruptor "Seleção de Rotação"é mantido na posição
aumentar (+) ou reduzir (­).
DM80898,0000049 ­54­15OCT07­1/1

CTM507 (16JUL09) 03­140­34 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=168
Operação do Sistema de Controle Eletrônico

Acelerador Progressivo

A Multi state throttle Switch B ECU

2 Signal
C Input
3
3000

RG15039 —UN—11OCT06
1300
390

A—Acelerador Multiestado B—ECU C—Entrada de Sinal

O acelerador digital de rampa opera entre a aceleração • Linear de 7 Segundos: A rotação do motor irá
mínima e a marcha lenta rápida, usando um interruptor diminuir/aumentar a uma taxa constante. Neste ajuste,
do "Acelerador de Rampa" de três posições. Se o o ajuste da aceleração do motor irá de 0% a 100% em
interruptor for mantido na posição "Aumentar Aceleração" 7 segundos.
(coelho–1), a rotação do motor aumentará em pequenos • Linear de 9 Segundos: A rotação do motor irá
incrementos. Se o interruptor for mantido na posição diminuir/aumentar a uma taxa constante. Neste ajuste,
"Reduzir Aceleração" (tartaruga–3), a rotação do motor o ajuste da aceleração do motor irá de 0% a 100% em
diminuirá progressivamente. Enquanto este comando for 9 segundos.
mantido em uma posição temporária, o motor continuará • Linear de 25 Segundos: A rotação do motor irá
aumentando ou diminuindo até alcançar o ajuste máximo diminuir/aumentar a uma taxa constante. Neste ajuste,
de rotação alta ou baixa. Quando liberado, o interruptor o ajuste da aceleração do motor irá de 0% a 100% em
voltará para a posição central "Manter Aceleração". 25 segundos.
Este é um interruptor de 3 posições, com uma mola
• Linear Personalizado: A rotação do motor irá
aumentar/diminuir de acordo com uma taxa definida
para centralizá­lo. A posição Aumentar Rotação (1) usa pelo usuário. Com este ajuste, a aceleração do motor
um resistor de 3000 ohms. A posição "Reduzir" rotação irá de 0% a 100% a uma taxa entre 5 e 30 segundos
(3) usa um resistor de 390 ohms e a posição "Manter" determinada pelo usuário.
rotação (2) usa um resistor de 1300 ohms. Os ajustes do
acelerador progressivo retornam aos ajustes de fábrica Os "incrementos" ou passos da progressão são
quando a chave é desligada e ligada novamente. os menores valores diferenciais dos aumentos ou
diminuições na faixa de aceleração. Quando o interruptor
A seleção da taxa de progressão é uma opção ajustável do acelerador progressivo é mantido temporariamente
e define a taxa de mudança para aumentos ou reduções nas posições "Aumentar Aceleração" ou "Reduzir
da rotação do motor. Existem quatro opções de taxa de Aceleração", a rotação do motor irá aumentar/diminuir
progressão disponíveis. em um percentual de faixa de aceleração selecionado. A
• Exponencial de 3 Segundos: A rotação do motor alteração real da rotação do motor irá variar para cada
começa a aumentar/diminuir em uma taxa baixa e irá ajuste.
acelerar/desacelerar em uma taxa cada vez mais rápida Quatro taxas de incrementos da progressão estão
de acordo com o tempo em que o comando for mantido disponíveis:
pressionado. O ajuste da aceleração do acelerador do
motor irá de 0% a 100% de 3 a 5 segundos. • 0,4% da faixa de aceleração
• Linear de 5 Segundos: A rotação do motor irá • 0,8% da faixa de aceleração
diminuir/aumentar a uma taxa constante. Neste ajuste, • 1,6% da faixa de aceleração
o ajuste da aceleração do motor irá de 0% a 100% em • 2.8% da faixa de aceleração
5 segundos.
DM80898,000004A ­54­15OCT07­1/1

CTM507 (16JUL09) 03­140­35 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=169
Operação do Sistema de Controle Eletrônico

Ajustes do Acelerador
Taxa de Aceleração detectada, apenas este acelerador OOR será definido
em 0% até que uma entrada válida seja recebida. O
A taxa de aceleração é a rapidez com que a ECU altera a acelerador OOR imediatamente funcionará de novo,
taxa de combustível do motor em resposta a um sinal de assim que a entrada for válida.
aumento na aceleração. A taxa de aceleração não tem
nenhum impacto na desaceleração. A ECU é enviada IMPORTANTE: Este ajuste pode causar rápidas
com a taxa Máxima já selecionada. Quatro taxas estão alterações na aceleração se houver uma
disponíveis: Máxima, Rápida, Média e Baixa. condição OOR intermitente.
NOTA: Se o Acelerador Progressivo estiver ativado,
o recurso de Taxa de Aceleração é desativado
• Recuperação de Marcha: Quando uma condição de
acelerador OOR for detectada, apenas o acelerador
para todos os aceleradores. OOR será ajustado para 0%. Se a entrada tornar­se
válida novamente após a condição OOR, o acelerador
Recuperação do Acelerador Fora da Faixa (OOR) OOR deverá ser colocado na posição de marcha lenta
Uma aceleração é determinada como "Fora de Faixa" baixa (aceleração 0%) antes de permitir que a saída do
(OOR) quando a ECU detecta que o sinal de entrada acelerador suba acima de 0%.
do dispositivo está fora dos limites normais (inválido). • Recuperação Travada: Quando uma condição de
Quando uma condição OOR é detectada, a ECU ativará acelerador OOR for detectada, apenas o acelerador
um código de diagnóstico de falha. A ECU irá ignorar a OOR será ajustado para 0% e não poderá operar
entrada do acelerador OOR até que ela se torne válida, novamente até que a energia seja restabelecida na
essencialmente definindo sua entrada para 0%. Quando ECU e a entrada do acelerador seja válida.
a entrada se torna válida novamente, a ECU irá tomar as A Recuperação do Acelerador Fora­de­Faixa (OOR)
ações apropriadas, que são determinadas pelo tipo de se aplica a todos os aceleradores exceto o acelerador
recuperação programada na ECU. Normalmente, esses progressivo. Uma vez que ele se redefine sozinho para
erros ocorrem quando os pontos extremos do acelerador aceleração mínima em qualquer condição fora­de­faixa,
analógico estão alinhados incorretamente, mas também a seleção de uma "Recuperação de Acelerador
podem ser causados por uma fiação com defeito. Fora­de­Faixa" não terá efeito sobre o acelerador
Os tipos de recuperação são: progressivo.

• Recuperação em Retomada: Quando uma condição


de Erro Fora da Faixa (OOR) em um acelerador for
DM80898,000004B ­54­15OCT07­1/1

CTM507 (16JUL09) 03­140­36 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=170
Operação do Sistema de Controle Eletrônico

Deslocamentos do Acelerador
Compensação da Aceleração Mínima
A B C D

RG15075A —UN—03OCT08
Low Idle Speed 1300 rpm 1500 rpm Fast Idle

Minimum Throttle Offset Range Maximum Throttle Offset Range

F E

O Deslocamento Mínimo do Acelerador é usado para O Deslocamento Máximo do Acelerador é usado para
pré­ajustar o incremento em baixa rotação. O número pré­ajustar o incremento em alta rotação. O número
inserido no campo na Página de Opções Ajustáveis inserido no campo da Página de Opções Ajustáveis será
será o aumento de rpm a partir da configuração padrão a quantidade de rotações abaixo da marcha lenta alta.
de fábrica para a marcha lenta. Este deslocamento se O motor irá operar na posição intermediária apenas se
aplicará a todos os aceleradores ativos. O ajuste máximo a opção de acelerador de estado triplo for selecionada.
do Deslocamento Mínimo do Acelerador é a diferença Este deslocamento se aplicará a todos os aceleradores
entre marcha lenta baixa e 1300 rpm. ativos, mas somente se o acelerador de 3 estados estiver
ativo. O ajuste máximo da Compensação do Acelerador
Deslocamento Máximo do Acelerador (Apenas Para Máximo é a diferença entre a alta rotação e 1500 rpm.
Aceleradores de Estado Triplo)
DM80898,000004C ­54­03OCT08­1/1

Auto­Calibração
RG15048A —UN—02OCT08
OOR Low OOR High
A B C D E

Self- Calibration Self- Calibration


Range Default Analog Throttle Range Range

5% 20% 80% 95%


Faixa de Entrada do Acelerador Analógico
A—Abaixo do Limite Inferior C—Faixa Padrão de Acelerador E—Acima do Limite Superior
B—Faixa de Auto­calibração Analógico
D—Faixa de Auto­calibração

Este recurso, quando ativado, ajustará automaticamente ser definido entre 80% e 95% da Faixa de Entrada do
a zona morta do acelerador em cada variação do Acelerador Analógico.
acelerador da marcha lenta baixa até a aceleração
máxima. O recurso de Auto­Calibração pode definir o Se o recurso de Auto­Calibração estiver desativado, a
ponto de ajuste de 0% de aceleração entre 20% e 5% da faixa de operação do acelerador estará limitada à Faixa
Faixa de Entrada do Acelerador Analógico. Da mesma do Acelerador Analógico Padrão.
forma, o ponto de ajuste de 100% de aceleração pode
DM80898,0000004 ­54­02OCT08­1/1

CTM507 (16JUL09) 03­140­37 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=171
Operação do Sistema de Controle Eletrônico

Acelerador Combinado
O acelerador combinado é a utilização de dois ou mais combinada com 2 aceleradores estiver ativada, bem
controles de aceleração em uma aplicação para fornecer como um terceiro acelerador, a ECU observará a entrada
controle comum/preciso/extra preciso. Um máximo de do acelerador combinado e a comparará com o terceiro
três aceleradores podem ser combinados. Normalmente, acelerador. A rotação do motor será então definida para
são usados apenas dois. aquela que for maior.
Se o acelerador combinado estiver ativado, um acelerador A função básica dos controles do acelerador é atuar como
principal e um secundário serão selecionados. Um aceleradores. Isso significa que, à medida que a entrada
terceiro acelerador adicional pode ser selecionado do acelerador aumenta, a rotação do motor aumenta. O
como parte da combinação. Cada acelerador pode acelerador principal sempre funciona desta maneira.
ser usado somente uma vez na série de combinação
(i.e., o Acelerador Analógico Primário selecionado como Embora não seja comum, há controles de aceleração
acelerador principal não pode ser selecionado como o que funcionam como desaceleradores. Isso significa
segundo ou terceiro acelerador na combinação). que, à medida que a entrada do acelerador aumenta, a
rotação do motor diminui. Entretanto, esta função não é
Pode ser usado qualquer tipo de acelerador na compatível com aceleradores de 3 estados.
combinação. Atualmente, os únicos tipos de acelerador
OEM usados são os de 2 estados, de 3 estados, O acelerador combinado opera da seguinte maneira:
progressivo e analógico. Os aceleradores de MLP e cada acelerador possui uma faixa de aceleração que
CAN podem ser usados, mas atualmente não estão varia de 0 a 100% (marcha lenta a alta rotação), e à
configurados para serem usados no software. medida que cada acelerador é adicionado ao principal, é
definida uma resolução mais precisa na rotação do motor
A ECU usa entradas de todos os aceleradores ativados (veja figura abaixo).
para definir a rotação do motor. Se uma aceleração
800 RPM 1800 RPM 2800 RPM
25% 50% 75% 87.5%

0 100%

A Master B
Master Throttle
Throttle Setpoint 0 100%
50%
Range
Second 50%
C

RG15049 —UN—09OCT06
Throttle
Range
D 0 100%
Second Third
Throttle Throttle Third
Setpoint
E F Throttle
Range
Setpoint

A—Faixa do Acelerador Mestre C—Faixa do Segundo Acelerador E—Faixa do Terceiro Acelerador


B—Ponto de Ajuste do D—Ponto de Ajuste do Segundo F— Ponto de Ajuste do Terceiro
Acelerador Mestre Acelerador Acelerador
DM80898,0000005 ­54­15OCT07­1/1

CTM507 (16JUL09) 03­140­38 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=172
Operação do Sistema de Controle Eletrônico

Acelerador Marítimo
O motor marítimo possui duas opções de acelerador acender rapidamente, substitua­a. O teste da lâmpada
duplo: ocorrerá somente se a chave for DESLIGADA por pelo
menos 30 segundos.
• Aceleradores duplos com controle de transferência
• Controle de sincronização do motor. Controle da Sincronização de Motores
A operação de qualquer uma dessas opções requer uma O recurso de Sincronização de Motores é selecionado
variação do chicote de transição marítimo. Cada variação através das opções de acessórios e é configurado na
depende das configurações do recurso. As duas opções ECU durante a programação. Este recurso permite
não podem ser operadas simultaneamente. A operação a operação simultânea de dois motores através de
de cada opção é descrita a seguir: um sistema de líder­seguidor, com dois aceleradores;
uma ECU é programada para ser a Líder e a outra, a
Controle de Transferência do Acelerador Duplo Seguidora. Quando o sistema for acionado com sucesso,
Este recurso permite o controle de aceleração a partir a ECU seguidora sai do sinal da ECU líder. Em motores
de um destes dois locais: a cabine de comando ou que também possuem a opção de acelerador duplo
uma estação secundária (auxiliar). Quando a ECU é descrito acima, a entrada da localização do acelerador
inicializada com a chave na posição LIGADA, o controle auxiliar é automaticamente desmarcada quando a
de aceleração é padronizado para a estação selecionada sincronização do motor está em operação.
pelas opções de acessórios além de ser configurado na A fim de ativar este sistema, o três critérios a seguir
ECU durante a programação. devem ser atendidos e mantidos por pelo menos dois
Para mudar o local do controle de aceleração durante a segundos:
operação do motor, pressione e segure o interruptor do 1. Os dois motores devem estar rodando a 975 rpm ou
botão de seleção de estação do acelerador solicitado. A mais.
lâmpada indicadora piscará brevemente, indicando que 2. Os motores devem estar rodando entre 100 rpm, ou
a transferência de controle do acelerador foi iniciada. menos, um do outro.
O botão é mantido pressionado até que a lâmpada 3. Os comandos de aceleração individuais de cada ECU
indicadora de estação permaneça fixa, indicando que a devem estar entre 5% do valor do outro.
transferência de controle de aceleração foi bem­sucedida.
Quando o comando de aceleração simultânea é ligado e
Para que a transferência do controle do acelerador seja os critérios iniciais são atendidos, a lâmpada da estação
bem­sucedida, a posição da aceleração solicitada deve de aceleração acende. Se pelo menos um dos três
estar na faixa de 2% da posição do acelerador ativo. Por critérios não for atendido, a lâmpada da estação do
exemplo, se a ECU fornecer a amostra de um comando acelerador pisca até a correção da condição de falha.
de aceleração de 55% do acelerador ativo, então a ECU
deve receber um comando de aceleração entre 53% e Quando a sincronização do motor for bem­sucedida, a
57% do acelerador solicitante. Se o acelerador solicitante ECU desativará automaticamente o taquímetro do motor
não estiver dentro dos 2% (aproximadamente 33 rpm) seguidor e terá ajustado cada motor para uma operação
de aceleração ativa, a lâmpada acende e apaga. Se o de controle isócrona. Quando o motor estiver acima
interruptor de seleção de estação é mantido pressionado ou abaixo da demanda de rpm do motor, o controlador
e o operador mover o acelerador solicitante para dentro enviará um sinal de volta à ECU do motor e a ECU fará o
dos 2%, a transferência irá ocorrer. A lâmpada pára de ajuste adequado.
piscar e torna­se constante e o comando do acelerador
solicitante pode ser liberado. Durante grandes demandas de aceleração ou
desaceleração, é normal que o sistema de sincronização
Se a posição do acelerador solicitante estiver fora da faixa se desligue. A operação simultânea pode, a qualquer
de operação normal, a lâmpada acende temporariamente, momento, ser reativada, desde que os critérios iniciais
e depois desliga e permanece desligada. Se o sejam atendidos.
comando entrar em contato com dois aceleradores
simultaneamente fechados, a ECU seleciona o “local Ao LIGAR a chave, ocorrerá um teste das lâmpadas na(s)
de maior prioridade”, que foi designado durante a estação(ões) do acelerador. Se alguma lâmpada não
programação da ECU pelas opções de acessórios. acender rapidamente, substitua­a. O teste da lâmpada
ocorrerá somente se a chave estiver DESLIGADA por
Ao LIGAR a chave, ocorrerá um teste das lâmpadas na(s) pelo menos 30 segundos.
estação(ões) do acelerador. Se alguma lâmpada não
DM80898,0000007 ­54­15OCT07­1/1

CTM507 (16JUL09) 03­140­39 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=173
Operação do Sistema de Controle Eletrônico

Redução do Motor e Desligamento de Proteção


A Unidade de Controle do Motor (ECU) reduzirá a reajustado por mais 30 segundos e o motor funcionará
quantidade de combustível fornecida ao motor (redução em modo de potência reduzida.
de combustível) ou ajustará o motor para uma certa
velocidade (redução de velocidade) ou desligará o motor Da mesma forma, se a chave de partida for desligada,
quando as entradas do sensor ultrapassarem as faixas o recurso de Desligamento do motor será restaurado,
normais de operação. Um Código de Diagnóstico de mas, quando ele for religado, serão permitidos apenas
Falha (DTC) sempre acompanha uma redução. 30 segundos de funcionamento até que o motor
desligue novamente. O motor permanecerá no modo de
Veja MOTORES OEM ­ ESPECIFICAÇÕES DE desligamento até que a falha tenha sido resolvida.
APLICAÇÃO na Seção 06, Grupo 210 posteriormente
neste manual para obter especificações de redução de Desaceleração Externa
potência por aplicação. Uma fiação é fornecida no chicote elétrico do motor para
A ECU oferece três opções de proteção do motor: interruptores adicionais que controlam a redução do
motor. Esses interruptores externos adicionais podem
• Sem Proteção– A ECU do motor "Sem Proteção" fornecer um nível adicional de controle do motor. É
não irá reduzir ou desligar o motor se uma falha possível selecionar o tipo de interruptor externo e de taxa
ocorrer. A lâmpada de falha padrão acenderá de redução:
quando uma falha "Alerta" for detectada pela ECU e
a lâmpada padrão "Parar Motor" acenderá quando • Redução Externa Ativa: O recurso de redução
uma falha "Desligamento" for detectada. O operador externa provocará a redução do motor ativada por um
do motor é responsável pela redução na rotação e dispositivo externo, quando ativado por um circuito
potência do motor quando uma falha "Alerta" ocorrer ativo de redução externa.
e pelo desligamento do motor quando uma falha • Entrada de Redução Externa: A entrada pode variar
"Desligamento" ocorrer. de terra para 24V, dependendo da voltagem da bateria
da aplicação. Tanto um interruptor normalmente aberto
• Proteção por Redução do Motor SEM Desligamento–
como um normalmente fechado podem ser usados
Além de acender as luzes padrão de indicação de
falha, a ECU irá reduzir o motor quando certas falhas para a entrada de redução externa.
"Alerta" forem detectadas (dependendo da aplicação). • Taxa de Redução Externa: Três taxas de redução
É responsabilidade do operador decidir se é necessário externa estão disponíveis: redução de 20% em 10
desligar o motor. minutos, redução de 20% em 1 minuto e redução de
50% em 1 minuto. Cada uma fornece uma redução
• Proteção por Redução do Motor com Desligamento–
linear da potência do motor no tempo selecionado. As
Além de acender as luzes padrão de indicação de
falha, a ECU reduzirá o motor quando certas reduções têm como base um valor de curva de torque
falhas "Alerta" e "Desligamento" forem detectadas de 100%, assim ainda é possível a operação abaixo do
(dependendo da aplicação). Se surgir um DTC que nível de potência reduzida.
exija desligamento, a ECU reduzirá radicalmente a NOTA: A Redução Externa não é compatível com
potência do motor e o desligará imediatamente ou em o controle de cruzeiro.
30 segundos, dependendo do ajuste do temporizador
de desligamento da ECU. Se a falha tiver um atraso Corte Externo
de 30 segundos no desligamento e o problema for
corrigido dentro desse período de 30 segundos, a O chicote elétrico do motor possui fiação para
potência aumentará a uma taxa determinada pela falha, interruptores adicionais de desligamento do motor. Um
até que seja alcançada a potência total. interruptor normalmente fechado ou aberto pode ser
usado para a entrada de desligamento externo. Quando
NOTA: O recurso "esperar para partida" da CAN ativado e com o circuito externo de desligamento ativado,
ativa as mensagens do barramento CAN para a ECU desligará o motor. Os recursos incluem:
o desligamento e a espera para partida. A
desativação deste recurso desativa as opções de • Temporizador Externo de Desligamento: O
esperar para partida e de desligamento geral. temporizador de desligamento externo pode ser
ajustado para o desligamento imediato ou para um
Cancelamento do Desligamento desligamento com atraso de 30 segundos. Se o
interruptor de desligamento voltar ao normal antes do
NOTA: Pressionar e manter o interruptor de cancelamento término do período de 30 segundos, o motor irá retomar
do desligamento na posição "LIGADO" não a operação normal.
redefinirá o temporizador de 30 segundos. • Cancelamento do Desligamento Externo na Partida
do Motor: Alguns desligamentos externos podem ser
Os desligamentos podem ser cancelados por 30 cancelados quando se dá partida no motor. Quando
segundos de cada vez. Isso pode ser usado para mover ativada, a ECU desabilitará desligamentos externos
o veículo até um local seguro. Cada vez que o interruptor durante a partida do motor.
for pressionado, o temporizador de desligamento será
Continua na página seguinte DM80898,00000E5 ­54­15OCT07­1/2

CTM507 (16JUL09) 03­140­40 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=174
Operação do Sistema de Controle Eletrônico

• Tempo de Cancelamento de Desligamento Externo: o desligamento externo pelo tempo que ele foi
Uma vez que o motor mude para o motor de operação selecionado. Três tempos de cancelamento estão
(alcance marcha lenta), a ECU continuará a desengatar disponíveis: 5 segundos, 30 segundos e 1 minuto.
DM80898,00000E5 ­54­15OCT07­2/2

Conector do Chicote do Injetor Eletrônico (IE)


O conector do chicote elétrico do IE está localizado
Para obter informações sobre a fiação, veja OPERAÇÃO
próximo ao Cilindro 1. Este conector fornece tensão e
DO INJETOR ELETRÔNICO (IE) na Seção 03, Grupo
aterramento a partir da ECU para o chicote elétrico dentro
130, anteriormente neste manual.
do porta­cabeçote.
DM80898,0000101 ­54­30AUG07­1/1

Operação do Aquecedor do Ar de Admissão


A função Aquecedor do Ar de Admissão não está incluída “START” (partida) nesse momento, o motor vai girar e
em todos os motores. O aquecedor do ar de admissão dar partida.
é usado para aumentar a temperatura do ar no coletor
de admissão para melhorar a partida a frio. Quando o Se o operador girar a chave de “partida” para “ligar”
operador gira a chave de “DESLIGADO” para “LIGADO”, sem esperar que a luz “Indicador do Aquecedor de ar”
a ECU calcula o combustível, determina se a temperatura desligue, a ECU vai cortar a alimentação do relé do
está abaixo do ponto de ajuste, acende a luz “Indicador aquecedor de ar e será necessário desligar/religar a
do Aquecedor de Ar” no painel e ativa o relé do aquecedor chave antes de efetuar o pré­aquecimento novamente.
do ar. O relé do aquecedor de ar, por sua vez, energiza Sempre que o motor girar mas não der a partida,
as bobinas do aquecedor de ar localizadas no coletor de será necessário desligar/religar a chave antes que o
admissão. A ECU manterá o relé do aquecedor de ar pré­aquecimento seja efetuado novamente.
energizado por um período de tempo determinado pela
temperatura medida. Quando a ECU determinar que o Para informações específicas de aplicação sobre
tempo de pré­aquecimento é adequado, ela desliga a luz tempos de pré­aquecimento X temperaturas, ver
Indicadora do Aquecedor de Ar e o relé do aquecedor ESPECIFICAÇÕES DA APLICAÇÃO na Seção 06, Grupo
de ar. Se o operador girar a ignição de “ON” (ligar) para 210 posteriormente neste manual.
RG41221,00002C3 ­54­30AUG07­1/1

CTM507 (16JUL09) 03­140­41 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=175
Operação do Sistema de Controle Eletrônico

Seleção da Curva de Torque


A ECU possui a capacidade de selecionar uma das várias
curvas de torque armazenadas em sua memória. A ECU
pode alternar entre as curvas de torque com o motor
em operação. Isto oferece a rotação e torque corretos
para as condições vigentes. Os outros controladores no
veículo também podem enviar mensagens CAN para a
ECU para alterar as curvas de torque. Geralmente, existe
uma curva de torque normal e outras que reduzem a
potência para proteger os componentes (como levantes,
eixos, transmissões). Em algumas situações, um reforço
de potência durante um curto período é uma opção (ex.
descarregar uma colheitadeira durante a colheita).
NOTA: As aplicações OEM só têm uma curva de torque.

RG8552 —54—24SEP02
Curvas de Torque

RG40854,00000F2 ­54­15OCT07­1/1

Seleção do Modo de Queda de Rendimento do Comando


O sistema de controle eletrônico fornece regulador a o regulador é definido em 0% e não há alteração na
todas as velocidades. A Unidade de Controle do Motor rotação do motor com a variação de carga até que o
(ECU) controla a rotação do motor com base no sinal do limite de torque do motor seja alcançado. A marcha lenta
acelerador analógico. de fábrica é sempre ajustada para regulador isócrono.
A seleção do modo do regulador pode ser determinada
A ECU também tem a capacidade de fornecer um pela rotação do motor, carga e controle de cruzeiro,
regulador de velocidade normal e isócrono (0%). O dependendo da aplicação.
regulador normal reduz a rotação do motor com um
aumento de carga ou aumenta a rotação do motor com Consulte o manual da aplicação para informações sobre
uma redução de carga. Quando estiver em isócrono, parâmetros do modo do regulador.
RG40854,00000F3 ­54­15OCT07­1/1

CTM507 (16JUL09) 03­140­42 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=176
Operação do Sistema de Controle Eletrônico

Válvula de Controle de Sucção


A Válvula de Controle de Sucção localiza­se na bomba tempo em que esse sinal permanece ativo para garantir a
de combustível de alta pressão. A ECU envia um sinal disponibilidade da quantidade correta de combustível.
eletrônico à Válvula de Controle de Sucção através da
solenóide para regular a entrega de combustível à Linha Para obter mais informações sobre a proteção do motor e
Comum de Alta Pressão (HPCR). Quando a Válvula de os programas de redução, veja REDUÇÃO DO MOTOR
Controle de Sucção é energizada, o combustível entra E DESLIGAMENTO DE PROTEÇÃO, mais adiante neste
na câmara de bombeamento da bomba de alta pressão. Grupo.
O combustível pressurizado é então enviado para a Para obter mais informações sobre a localização dos
linha comum de alta pressão (HPCR). A ECU varia o sensores, veja LOCALIZAÇÃO DOS COMPONENTES
anteriormente neste Grupo.
RG40854,00000EA ­54­27AUG07­1/1

Sensor de Água no Combustível (WIF)


O sensor de água no combustível (WIF) localiza­se
na parte inferior do filtro de combustível na câmara Para obter mais informações sobre a proteção do motor e
do separador de água. Quando detecta água no os programas de redução, veja REDUÇÃO DO MOTOR
combustível, um sinal é enviado à ECU. O sensor de WIF E DESLIGAMENTO DE PROTEÇÃO, mais adiante neste
usa a resistência do combustível e da água no sistema Grupo.
de combustível junto com o princípio de que a água é Para obter mais informações sobre a localização dos
melhor condutora do que o combustível. Se houver água, sensores, veja LOCALIZAÇÃO DOS COMPONENTES
a tensão será menor. A ECU o monitora para proteger o anteriormente neste Grupo.
motor.
RG41221,00000A8 ­54­15OCT07­1/1

Operação do Controle de Cruzeiro


A ECU está disponível com e sem a função de controle
do cruzeiro. É um controle de cruzeiro fora de estrada
• Alimentação do controle do cruzeiro "LIGADA" ou
"DESLIGADA"
que mantém a rotação do motor constante sob condições
variáveis de carga. Esta função destina­se especialmente • "Ajustar" ou "Aumentar" a rotação do motor
a aplicações de campo onde o operador enfrenta a • "Retomar" ou "Diminuir" a rotação do motor
necessidade de esterçar o veículo ao final de cada linha. • Pedal do freio ou da embreagem do veículo para
desligar o controle de cruzeiro
Este controle de cruzeiro permite que o motorista use o
acelerador e/ou freio para esterçar o veículo. Quando Nas ECUs de 12 V, a rotação do motor pode ser regulada
estiver pronto para retornar às operações de campo, o a partir de dois locais diferentes. A localização primária
operador acelera o motor para mais de 1300 rpm e ativa normalmente seria na cabine do veículo e é usada para
a função Cancelar/Retomar novamente para retornar à definir uma rotação constante do motor enquanto o
velocidade de cruzeiro. Um temporizador interno dá ao veículo estiver sendo dirigido. O controle de cruzeiro
operador um minuto para concluir o esterçamento. secundário normalmente é usado em um local que tenha
controle da rotação da TDP e é usado com o motor em
O controle de cruzeiro tem as funções normais de:
“neutro” ou desengrenado. Ambos os locais têm as
funções normais de controle de cruzeiro.
RG40854,00000EF ­54­15OCT07­1/1

Alimentação de Energia #1
Os sensores ativos do motor John Deere devem receber afetados por curtos em outros componentes, há vários
alimentação de 5V e o retorno do sensor (aterramento) conjuntos de retornos e alimentações de energia.
para funcionar corretamente. Há sensores demais
e apenas um retorno/alimentação de energia seria Os sensores a seguir usam a Alimentação de Energia #1:
insuficiente. Para evitar que componentes críticos seja • Sensor de Pressão da Linha de Combustível
DM80898,0000443 ­54­30MAY07­1/1

CTM507 (16JUL09) 03­140­43 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=177
Operação do Sistema de Controle Eletrônico

Alimentação de Energia #2
Os sensores ativos do motor John Deere devem receber
Saída com Fusível 1
alimentação de 5V e o retorno do sensor (aterramento)
para funcionar corretamente. Há sensores demais • Acelerador Analógico Secundário
e apenas um retorno/alimentação de energia seria • Acelerador Multiestado
insuficiente. Para evitar que componentes críticos seja • Interruptor de Comando Isócrono/Normal
afetados por curtos em outros componentes, há vários • Velocidade do Ventilador (algumas aplicações)
conjuntos de retornos e alimentações de energia. • Cancelamento do Desligamento (algumas aplicações)
Esta alimentação tem duas saídas com fusíveis Saída com Fusível 2
separadas ­ uma saída está no J1 e a outra no J2. Os
seguintes sensores usam a alimentação de energia #2: • Sensor de Pressão do Óleo
• Sensor de Pressão de Combustível (algumas
NOTA: Alguns sensores não estão disponíveis ou aplicações)
são opcionais para determinadas aplicações. • Pressão do Ar no Coletor (algumas aplicações)
Os sensores da lista a seguir podem não
estar disponíveis neste motor.
DM80898,0000444 ­54­30MAY07­1/1

Alimentação de Energia #3
Os sensores ativos do motor John Deere devem receber NOTA: Alguns sensores não estão disponíveis ou
alimentação de 5V e o retorno do sensor (aterramento) são opcionais para determinadas aplicações.
para funcionar corretamente. Há sensores demais Os sensores da lista a seguir podem não
e apenas um retorno/alimentação de energia seria estar disponíveis neste motor.
insuficiente. Para evitar que componentes críticos seja
afetados por curtos em outros componentes, há vários
conjuntos de retornos e alimentações de energia.
• Sensor do Acelerador Analógico Primário
• Acelerador Remoto (algumas aplicações)
Os sensores a seguir usam a Alimentação de Energia #3: • Rotação da TDP (algumas aplicações)
DM80898,0000445 ­54­30MAY07­1/1

CTM507 (16JUL09) 03­140­44 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=178
Seção 04
Diagnósticos
Conteúdo

Página Página

Grupo 150—Testes e Diagnósticos Observáveis F2 ­ Teste do Sistema de


Sobre este Grupo ........................................ 04­150­1 Abastecimento de Combustível
E1 ­ O Motor Gira/Não dá Partida ...............04­150­2 de Alta Pressão ..................................... 04­150­47
E1 ­ Procedimento de Diagnóstico de F2 ­ Procedimento de Diagnóstico
Motor Gira/Não dá Partida ......................04­150­2 do Teste do Sistema de
E2 – Falha / Funcionamento Irregular Abastecimento de Combustível
do Motor ..................................................04­150­7 de Alta Pressão.....................................04­150­47
E2 – Procedimento de Diagnóstico de F3 ­ Consumo Excessivo de
Falha / Funcionamento Irregular do Combustível ..........................................04­150­59
Motor .......................................................04­150­7 F4 ­ Combustível no Óleo.......................... 04­150­60
E3 ­ O Motor Não Desenvolve a E4 ­ Procedimento de Diagnóstico de
Potência Máxima...................................04­150­11 Combustível no Óleo.............................04­150­60
E3 ­ Procedimento de Diagnóstico D1 ­ ECU Não Se Comunica Com o
de Motor que Não Desenvolve Service ADVISOR ................................04­150­62
Potência Máxima...................................04­150­11 D1 ­ Procedimento de Diagnóstico
E4 ­ O Motor Emite Fumaça Branca de Para ECU Sem Comunicação Com
Escape em Excesso..............................04­150­16 o Service ADVISOR ..............................04­150­62
E4 ­ Procedimento de Diagnóstico de D2 ­ A ECU não se Comunica com
Motor com Emissão de Excesso de o Indicador de Diagnóstico ou
Fumaça Branca pela Exaustão .............04­150­16 o Indicador exibe um erro de
E5 ­ O Motor Emite Fumaça de Escape Barramento CAN...................................04­150­70
Preta ou Cinza em Excesso..................04­150­19 D2 ­ Procedimento de Diagnóstico
E5 ­ Procedimento de Diagnóstico de de ECU não se Comunica com
Motor Com Emissão de Fumaça o Indicador de Diagnóstico ou
de Escape Preta ou Cinza em o Indicador exibe um erro de
Excesso.................................................04­150­19 Barramento CAN...................................04­150­70
E6 ­ O Motor de Arranque não D5 ­ ECU Não Se Programa Com o
Gira .......................................................04­150­22 Service ADVISOR .................................04­150­74
E6 ­ Procedimento de Diagnóstico D5 ­ Procedimento de Diagnóstico,
de Motor de Arranque Não ECU Não Se Programa Com o
Girando .................................................04­150­22 Service ADVISOR .................................04­150­74
E7 ­ Mau Funcionamento da Marcha A1 ­ Verificar Aquecedor do Ar de
Lenta do Motor ......................................04­150­26 Admissão ..............................................04­150­76
E7 ­ Procedimento de Diagnóstico de A1 ­ Procedimento de Diagnóstico de
Marcha Lenta Ruim...............................04­150­26 Verificação do Aquecedor do Ar de
E8 ­ Ruído Anormal no Motor....................04­150­28 Admissão ..............................................04­150­76
E9 ­ Acelerador Analógico Primário Teste de Pressão Excessiva no Cárter
Não Responde ......................................04­150­30 do Motor (Blow­By) ...............................04­150­82
E9 ­ Acelerador Analógico Primário Procedimento de Diagnóstico de
Não Responde ......................................04­150­30 Pressão Excessiva no Cárter do
E10 ­ Acelerador Analógico Secundário Motor (Blow­By) ....................................04­150­83
Não Responde ......................................04­150­32 Verificar Qualidade da Alimentação
E10 ­ Acelerador Analógico Secundário de Combustível...................................... 04­150­86
Não Responde ......................................04­150­32 Procedimento de Diagnóstico de
F1 ­ Teste do Sistema de Verificação da Qualidade da
Abastecimento de Combustível Alimentação de Combustível ................04­150­86
de Baixa Pressão ..................................04­150­34 Testar Ar no Combustível .......................... 04­150­89
F1 – Procedimento de Diagnóstico do Verificar Obstrução na Linha de
Teste do Sistema de Abastecimento Retorno de Combustível........................ 04­150­91
de Combustível de Baixa Sangrar Sistema de Combustível.............. 04­150­92
Pressão .................................................04­150­34

Continua na página seguinte

CTM507 (16JUL09) 04­1 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=1
Conteúdo

Página Página

Verificar e Ajustar Sincronia Designações do Código do


Estática da Bomba de diagnóstico de falhas............................. 04­160­50
Combustível de Alta Pressão ................ 04­150­93 Designações do Indicador do Modo
Sistema de Ar de Carga ............................04­150­94 de Falha................................................. 04­160­53
Diagnóstico do Sistema de Ar de Diagnósticos DTC Intermitentes................ 04­160­55
Carga ....................................................04­150­94 Informações de Opções
Ajustáveis .............................................. 04­160­56
Grupo 160—Diagnósticos de Código de Instruções de Impressão dos
Problemas e Testes Resultados dos Testes
Sobre este Grupo ........................................ 04­160­1 Interativos e de Calibração.................... 04­160­56
Conceitos Elétricos...................................... 04­160­2 Teste Interativo de Coleta de
Uso do Multímetro Digital ............................ 04­160­2 Informações da Unidade de
Defeitos no Circuito Elétrico ........................ 04­160­2 Controle ................................................. 04­160­57
Detecção e Solução de Defeitos no Instruções de Atualização das
Circuito .................................................... 04­160­4 Horas do Motor usando o
Conexão ao Service ADVISOR ................... 04­160­8 Service ADVISOR ................................. 04­160­57
Ver Parâmetros de Dados com 000028.03 — Sinal do Acelerador
Indicador de Diagnóstico "Power Digital Fora da Faixa Alta......................04­160­58
View"...................................................... 04­160­14 000028.03 — Procedimento de
Instruções de Visualização do Diagnóstico do Sinal do Acelerador
DTC Ativo do Indicador de Digital Fora da Faixa Alta......................04­160­58
Diagnóstico............................................ 04­160­16 000028.04 — Sinal do Acelerador
Instruções de Visualização do DTC Digital Fora da Faixa Baixa ...................04­160­62
Armazenado do Indicador de 000028.04 — Procedimento de
Diagnóstico............................................ 04­160­18 Diagnóstico do Sinal do Acelerador
Instruções Para Limpeza de DTC Digital Fora da Faixa Baixa ...................04­160­62
Armazenados no Indicador de 000028.14 — Acelerador Digital
Diagnóstico............................................ 04­160­20 Inibido....................................................04­160­67
Descrição dos Parâmetros de 000029.03 — Sinal do Acelerador
Dados do Service Advisor ..................... 04­160­22 Analógico Secundário Fora da Faixa
Instruções de Informações Alta ........................................................04­160­68
Instantâneas .......................................... 04­160­24 000029.03 – Procedimento de
Instruções do Monitor de Dados Diagnóstico do Sinal do Acelerador
Interno ................................................... 04­160­25 Analógico Secundário Fora da Faixa
Teste de Terminais .................................... 04­160­26 Alta ........................................................04­160­68
Instruções para Teste de Falha na 000029.04 — Sinal do Acelerador
Ignição do Cilindro................................. 04­160­32 Analógico Secundário Fora da Faixa
Instruções de Teste do Motor – Baixa .....................................................04­160­74
Teste de Compressão............................ 04­160­33 000029.04 – Procedimento de
Instruções de Teste do Motor ­ Diagnóstico do Sinal do Acelerador
Teste de Corte de Cilindro ..................... 04­160­37 Analógico Secundário Fora da Faixa
Teste do Modo de Diagnóstico do Baixa .....................................................04­160­74
Chicote .................................................. 04­160­38 000029.14 — Acelerador Analógico
Kit de Bujões e Tampas da Linha Secundário Inibido ................................04­160­81
de Combustível...................................... 04­160­40 000084.31 — Incompatibilidade entre
Tabela de Alteração da Rotação do Velocidade do Veículo Calculada
Ventilador............................................... 04­160­42 pela ECU e pelo barramento
Download dos Arquivos CAN.......................................................04­160­82
de Calibração do Injetor 000091.03 — Sinal do Acelerador
Eletrônico............................................... 04­160­43 Analógico Primário Fora da Faixa
Calibração do Injetor Eletrônico ................ 04­160­44 Alta ........................................................04­160­83
Instruções para baixar o Arquivo 000091.03 – Procedimento de
de Payload............................................. 04­160­45 Diagnóstico do Sinal do Acelerador
Instruções de Reprogramação da Analógico Primário Fora da Faixa
Unidade de Controle do Motor Alta ........................................................04­160­83
(ECU)..................................................... 04­160­46 000091.04 — Sinal do Acelerador
Lista de Códigos de Diagnóstico Analógico Primário Fora da Faixa
de Falhas............................................... 04­160­47 Baixa .....................................................04­160­89

Continua na página seguinte

CTM507 (16JUL09) 04­2 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=2
Conteúdo

Página Página

000091.04 – Procedimento de 000100.18 — Sinal da Pressão do


Diagnóstico do Sinal do Acelerador Óleo do Motor Moderadamente
Analógico Primário Fora da Faixa Baixo ...................................................04­160­138
Baixa .....................................................04­160­89 000100.18 — Procedimento de
000091.14 — Acelerador Analógico Diagnóstico de Sinal de Pressão
Primário Inibido .....................................04­160­96 do Óleo do Motor Moderadamente
000094.03 — Sinal do Combustível de Baixo ...................................................04­160­138
Baixa Pressão Fora da Faixa Alto 000100.31 — Pressão do Óleo
..............................................................04­160­97 do Motor Detectada com Motor
000094.03 — Procedimento de Parado.................................................04­160­142
Diagnóstico de Sinal de Combustível 000100.31 — Procedimento de
a Baixa Pressão Fora da Faixa Diagnóstico de Pressão do Óleo
Baixa .....................................................04­160­97 do Motor Detectada com Motor
000094.04 — Sinal do Combustível de Parado.................................................04­160­142
Baixa Pressão Fora da Faixa Baixo 000105.00 — Sinal de Temperatura
............................................................04­160­103 do Ar do Coletor Extremamente
000094.04 — Procedimento de Alta ......................................................04­160­146
Diagnóstico do Sinal do Combustível 000105.00 — Procedimento
de Baixa Pressão Fora da Faixa de Diagnóstico do Sinal de
Baixa ...................................................04­160­103 Temperatura do Ar do Coletor
000094.17 — Sinal de Combustível Extremamente Alta..............................04­160­147
de Baixa Pressão Ligeiramente 000105.03 — Sinal da Temperatura
Baixo ...................................................04­160­109 do Ar do Coletor Fora da Faixa
000094.17 — Procedimento de Alta ......................................................04­160­152
Diagnóstico do Sinal do Combustível 000105.03 — Procedimento
de Baixa Pressão Ligeiramente de Diagnóstico dp Sinal de
Baixo ...................................................04­160­109 Temperatura do Ar do Coletor Fora
000097.03 — Sinal de Água no da Faixa Alta .......................................04­160­152
Combustível Fora da Faixa Alta..........04­160­113 000105.04 — Sinal de Temperatura
000097.03 — Procedimento de do Ar do Coletor Fora da Faixa
Diagnóstico do Sinal de Água no Baixa ...................................................04­160­157
Combustível Fora da Faixa Alta..........04­160­113 000105.04 — Procedimento
000097.04 — Sinal de Água no de Diagnóstico do Sinal de
Combustível Fora da Faixa Temperatura do Ar do Coletor Fora
Baixa ...................................................04­160­118 da Faixa Baixa ....................................04­160­157
000097.04 — Procedimento de 000105.15 — Sinal de Temperatura do
Diagnóstico do Sinal de Água Ar do Coletor Ligeiramente Alta ..........04­160­162
no Combustível Fora da Faixa 000105.15 — Procedimento
Baixa ...................................................04­160­118 de Diagnóstico do Sinal de
000097.16 — Água Detectada no Temperatura do Ar do Coletor
Combustível ........................................04­160­123 Ligeiramente Alta ................................04­160­162
000097.16 – Procedimento de 000105.16 — Sinal de Temperatura
Diagnóstico de Água Detectada no do Ar do Coletor Moderadamente
Combustível ........................................04­160­123 Alta ......................................................04­160­167
000100.01 — Sinal da Pressão do 000105.16 — Procedimento
Óleo do Motor Extremamente de Diagnóstico do Sinal de
Baixo ...................................................04­160­127 Temperatura do Ar do Coletor
000100.01 — Procedimento de Moderadamente Alta...........................04­160­167
Diagnóstico do Sinal de Pressão 000107.00 — Interruptor de Restrição
do Óleo do Motor Extremamente do Filtro de Ar Ativado.........................04­160­172
Baixo ...................................................04­160­128 000107.00 — Procedimento de
000100.04 — Sinal de Pressão do Diagnóstico de Interruptor Ativo de
Óleo do Motor Fora da Faixa Restrição do Filtro de Ar .....................04­160­172
Baixa ...................................................04­160­132 000108.02 — Sinal de Pressão
000100.04 — Procedimento de Barométrica do Ar Inválido..................04­160­177
Diagnóstico de Sinal de Pressão 000108.02 — Procedimento de
do Óleo do Motor Fora da Faixa Diagnóstico do Sinal de Pressão
Baixa ...................................................04­160­132 Barométrica do Ar Inválida..................04­160­177

Continua na página seguinte

CTM507 (16JUL09) 04­3 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=3
Conteúdo

Página Página

000110.00 — Sinal de Temperatura do Trilho de Combustível Fora da Faixa


Fluido Refrigerante Extremamente Baixa ...................................................04­160­218
Alta ......................................................04­160­179 000157.10 — Detectada Perda
000110.00 – Procedimento de de Pressão no Trilho de
Diagnóstico do Sinal de Combustível ........................................04­160­224
Temperatura do Líquido de 000157.10 — Procedimento de
Arrefecimento Extremamente Diagnóstico de Detecção de
Alta ......................................................04­160­180 Perda de Pressão do Trilho de
000110.03 — Sinal de Temperatura do Combustível ........................................04­160­224
Fluido Refrigerante Fora da Faixa 000157.17 — Pressão do Trilho de
Alta ......................................................04­160­185 Combustível não Desenvolvida...........04­160­229
000110.03 — Procedimento 000157.17 — Procedimento de
de Diagnóstico do Sinal de Diagnóstico de Pressão do
Temperatura do Líquido de Trilho de Combustível Não
Arrefecimento Fora da Faixa Desenvolvida.......................................04­160­229
Alta ......................................................04­160­185 000158.17 — Erro de Queda de
000110.04 — Sinal da Temperatura do Potência na ECU.................................04­160­234
Líquido de Arrefecimento Fora da 000158.17 — Procedimento
Faixa Baixa .........................................04­160­190 de Diagnóstico de Erro no
000110.04 — Procedimento Desligamento de Energia da
de Diagnóstico do Sinal de ECU.....................................................04­160­234
Temperatura do Líquido de 000160.02 — Sinal de Velocidade do
Arrefecimento Fora da Faixa Veículo Inválido ..................................04­160­236
Baixa ...................................................04­160­190 000174.00 — Sinal de Temperatura
000110.15 — Sinal de Temperatura do Combustível Extremamente
do Líquido de Arrefecimento Alta ......................................................04­160­237
Levemente Alta ...................................04­160­195 000174.00 — Procedimento
000110.15 — Procedimento de Diagnóstico do Sinal de
de Diagnóstico do Sinal de Temperatura do Combustível
Temperatura do Líquido de Extremamente Alta..............................04­160­238
Arrefecimento Ligeiramente 000174.03 — Sinal de Temperatura do
Alta ......................................................04­160­195 Combustível Fora da Faixa Alta..........04­160­243
000110.16 — Sinal de Temperatura do 000174.03 — Procedimento
Fluido Refrigerante Moderadamente de Diagnóstico do Sinal de
Alto ......................................................04­160­200 Temperatura do Combustível Fora
000110.16 — Procedimento da Faixa Alta .......................................04­160­243
de Diagnóstico de Sinal da 000174.04 — Sinal da Temperatura
Temperatura do Líquido de do Combustível Fora da Faixa
Arrefecimento Moderadamente Baixa ...................................................04­160­248
Alto ......................................................04­160­200 000174.04 — Procedimento
000111.01 — Nível do Líquido de de Diagnóstico de Sinal de
Arrefecimento Extremamente Temperatura do Combustível Fora
Baixo ...................................................04­160­205 da Faixa Baixa ....................................04­160­248
000111.01 — Procedimento de 000174.16 — Sinal da Temperatura
Diagnóstico de Nível Baixo do do Combustível Moderadamente
Líquido de Arrefecimento ....................04­160­205 Alto ......................................................04­160­253
000157.03 — Sinal de Pressão do 000174.16 — Procedimento
Trilho de Combustível Fora da Faixa de Diagnóstico de Sinal de
Alta ......................................................04­160­208 Temperatura Moderadamente Alta
000157.03 — Procedimento de do Combustível ..................................04­160­253
Diagnóstico do Sinal de Pressão do 000189.00 — Condição de Redução
Trilho de Combustível Fora da Faixa de Potência do Motor ..........................04­160­258
Alta ......................................................04­160­209 000190.00 — Rotação do Motor
000157.04 — Sinal de Pressão do Extremamente Alta..............................04­160­259
Trilho de Combustível Fora da Faixa 000190.00 — Procedimento de
Baixa ...................................................04­160­217 Diagnóstico de Rotação do Motor
000157.04 — Procedimento de Extremamente Alta..............................04­160­259
Diagnóstico do Sinal da Pressão do 000190.16 — Rotação do Motor
Moderadamente Alta...........................04­160­262

Continua na página seguinte

CTM507 (16JUL09) 04­4 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=4
Conteúdo

Página Página

000190.16 — Procedimento de 000636.06 — Circuito de Posição


Diagnóstico de Rotação do Motor do Eixo de Comando com Baixa
Moderadamente Alta...........................04­160­262 Resistência..........................................04­160­304
000237.02 — Dados de Segurança 000636.06 — Procedimento de
VIN Inválidos ......................................04­160­265 Diagnóstico do Circuito de Posição
000237.13 — Conflito de Dados de do Eixo de Comando com Baixa
Segurança do Código de Opção Resistência..........................................04­160­304
VIN .....................................................04­160­266 000636.08 — Sinal da Posição do Eixo
000237.31 — Sem Dados de de Comando Ausente .........................04­160­308
Segurança VIN....................................04­160­267 000636.08 — Procedimento de
000569.03 — Sinal do Bloqueio do Diagnóstico de Sinal Ausente de
Diferencial do Eixo Traseiro Acima Posição do Eixo de Comando.............04­160­308
do Limite Superior ...............................04­160­268 000636.10 — Taxa Anormal de
000569.04 — Sinal do Bloqueio do Mudança de Sinal de Posição do
Diferencial do Eixo Traseiro Abaixo Eixo de Comando................................04­160­313
do Limite Inferior .................................04­160­269 000636.10 — Procedimento de
000611.03 — Injetor em Curto com a Diagnóstico de Taxa Anormal de
Fonte de Tensão .................................04­160­270 Mudança do Sinal de Posição do
000611.03 — Procedimento de Eixo de Comando................................04­160­313
Diagnóstico do Injetor em Curto 000637.02 — Sinal Inválido de Posição
com a Fonte de Tensão.......................04­160­270 do Virabrequim....................................04­160­320
000611.04 — Injetor em Curto com o 000637.02 — Procedimento de
Terra ....................................................04­160­276 Diagnóstico de Sinal Inválido de
000611.04 — Procedimento de Posição do Virabrequim ......................04­160­320
Diagnóstico do Injetor em Curto 000637.05 — Circuito de Posição
com Terra ............................................04­160­276 do Virabrequim com Alta
000627.01 — Todos os Circuitos de Resistência..........................................04­160­326
Injetores com Alta Resistência............04­160­282 000637.05 — Procedimento de
000627.01— Procedimento de Diagnóstico do Circuito de
Diagnóstico para Todos os Circuitos Posição do Virabrequim com Alta
do Injetor com Alta Resistência...........04­160­282 Resistência..........................................04­160­326
000627.18 — Tensão da Alimentação 000637.06 — Circuito de Posição
do Injetor Fora da Faixa Baixa ............04­160­287 do Virabrequim com Baixa
000627.18 — Procedimento de Resistência..........................................04­160­330
Diagnóstico de Tensão da 000637.06 — Procedimento de
Alimentação do Injetor da ECU Fora Diagnóstico do Circuito de Posição
da Faixa Baixa ....................................04­160­287 do Virabrequim com Baixa
000629.12 — Erro ECU EEPROM ..........04­160­291 Resistência..........................................04­160­330
000629.12 — Procedimento de 000637.07 — Sinais da Posição do
Diagnóstico de Erro EEPROM da Eixo de Comando e do Virabrequim
ECU.....................................................04­160­291 Fora de Sincronia................................04­160­334
000629.13 — Erro no Bloqueio da 000637.07 — Procedimento de
Capa da ECU ......................................04­160­293 Diagnóstico de Sinais da Posição do
000629.13 — Procedimento de Eixo de Comando e do Virabrequim
Diagnóstico de Erro no Bloco de Fora de Sincronia................................04­160­334
Inicialização da ECU ...........................04­160­293 000637.08 — Sinal da Posição do
000636.02 — Sinal Inválido da Posição Virabrequim Ausente...........................04­160­339
do Eixo de Comando...........................04­160­294 000637.08 — Procedimento de
000636.02 — Procedimento de Diagnóstico de Ausência de Sinal
Diagnóstico de Sinal Inválido da de Posição do Virabrequim .................04­160­339
Posição do Eixo de Comando.............04­160­294 000637.10 — Taxa Anormal de
000636.05 — Circuito de Posição Mudança do Sinal de Posição do
do Eixo de Comando com Alta Virabrequim.........................................04­160­344
Resistência..........................................04­160­300 000637.10 — Procedimento de
000636.05 — Procedimento de Diagnóstico de Taxa Anormal de
Diagnóstico do Circuito de Posição Mudança do Sinal de Posição do
do Eixo de Comando com Alta Virabrequim.........................................04­160­345
Resistência..........................................04­160­300 000651.02 — Número de Peça do
Injetor 1 Inválido..................................04­160­351

Continua na página seguinte

CTM507 (16JUL09) 04­5 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=5
Conteúdo

Página Página

000651.02 — Procedimento de 000653.06 — Circuito do Injetor Nº 3


Diagnóstico de Número de Peça Com Resistência Baixa .......................04­160­403
Inválido de Injetor n° 1 ........................04­160­351 000653.06 — Procedimento de
000651.05 — Circuito do Injetor Nº 1 Diagnóstico do Circuito do Injetor Nº
Com Resistência Alta..........................04­160­355 3 com Baixa Resistência.....................04­160­403
000651.05 — Procedimento de 000653.07 — Injetor nº 3 não está
Diagnóstico do Circuito do Injetor N° respondendo .......................................04­160­409
1 com Alta Resistência........................04­160­355 000653.07 — Procedimento de
000651.06 — Circuito do Injetor Nº 1 Diagnóstico do Injetor Nº 3 Não
Com Resistência Baixa .......................04­160­360 Respondendo......................................04­160­409
000651.06 — Procedimento de 000653.13 — Falha na Calibração do
Diagnóstico do Circuito do Injetor N° Injetor Nº 3 ..........................................04­160­414
1 com Baixa Resistência.....................04­160­360 000653.13 — Procedimento de
000651.07 — Injetor nº 1 não está Diagnóstico de Falha na Calibração
respondendo .......................................04­160­365 do Injetor Nº 3 .....................................04­160­414
000651.07 — Procedimento de 000654.02 — Número de Peça Inválido
Diagnóstico de Injetor Nº 1 Não do Injetor Nº 4 .....................................04­160­416
Respondendo......................................04­160­365 000654.02 — Procedimento de
000651.13 — Falha na Calibração do Diagnóstico de Número de Peça
Injetor Nº 1 ..........................................04­160­370 Inválido do Injetor Nº 4 ........................04­160­416
000651.13 — Procedimento de 000654.05 — Circuito do Injetor Nº 4
Diagnóstico de Falha de Calibração Com Resistência Alta..........................04­160­420
do Injetor 1 ..........................................04­160­370 000654.05 — Procedimento de
000652.02 — Número de Peça do Diagnóstico do Circuito do Injetor Nº
Injetor 2 Inválido..................................04­160­372 4 com Alta Resistência........................04­160­420
000652.02 — Procedimento de 000654.06 — Circuito do Injetor Nº 4
Diagnóstico de Número de Peça Com Resistência Baixa .......................04­160­425
Inválido de Injetor 2.............................04­160­372 000654.06 — Procedimento de
000652.05 — Circuito do Injetor Nº 2 Diagnóstico do Circuito do Injetor Nº
Com Resistência Alta..........................04­160­376 4 com Baixa Resistência.....................04­160­425
000652.05 — Procedimento de 000654.07 — Injetor Nº 4 Não
Diagnóstico do Circuito do Injetor Nº Responde............................................04­160­431
2 com Alta Resistência........................04­160­376 000654.07 — Procedimento de
000652.06 — Circuito do Injetor Nº 2 Diagnóstico de Injetor Nº 4 Não
Com Resistência Baixa .......................04­160­381 Respondendo......................................04­160­431
000652.06 — Procedimento de 000654.13 — Falha na Calibração do
Diagnóstico do Circuito do Injetor N° Injetor Nº 4 ..........................................04­160­436
2 com Baixa Resistência.....................04­160­381 000654.13 — Procedimento de
000652.07 — Injetor nº 2 não está Diagnóstico de Falha na Calibração
respondendo .......................................04­160­387 do Injetor Nº 5 .....................................04­160­436
000652.07 — Procedimento de 000655.02 — Número de Peça Inválido
Diagnóstico do Injetor Nº 2 Não do Injetor Nº 5 .....................................04­160­438
Respondendo......................................04­160­387 000655.02 — Procedimento de
000652.13 — Falha na Calibração do Diagnóstico de Número de Peça
Injetor Nº 2 ..........................................04­160­392 Inválido do Injetor Nº 5 ........................04­160­438
000652.13 — Procedimento de 000655.05 — Circuito do Injetor Nº 5
Diagnóstico de Falha na Calibração Com Resistência Alta..........................04­160­442
do Injetor Nº 2 .....................................04­160­392 000655.05 — Procedimento de
000653.02 — Número de Peça do Diagnóstico do Circuito do Injetor Nº
Injetor 3 Inválido..................................04­160­394 5 com Alta Resistência........................04­160­442
000653.02 — Procedimento de 000655.06 — Circuito do Injetor Nº 5
Diagnóstico de Número de Peça Com Resistência Baixa .......................04­160­447
Inválido do Injetor Nº 3 ........................04­160­394 000655.06 — Procedimento de
000653.05 — Circuito do Injetor Nº 3 Diagnóstico do Circuito do Injetor Nº
Com Resistência Alta..........................04­160­398 5 com Baixa Resistência.....................04­160­447
000653.05 — Procedimento de 000655.07 — Injetor Nº 5 Não
Diagnóstico do Circuito do Injetor Nº Responde............................................04­160­452
3 com Alta Resistência........................04­160­398

Continua na página seguinte

CTM507 (16JUL09) 04­6 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=6
Conteúdo

Página Página

000655.07 — Procedimento de 001075.05 — Procedimento de


Diagnóstico do Injetor Nº 5 Não Diagnóstico de Circuito da Bomba
Respondendo......................................04­160­452 de Combustível de Baixa Pressão
000655.13 — Falha na Calibração do Com Alta Resistência..........................04­160­498
Injetor Nº 5 ..........................................04­160­457 001075.06 — Circuito da Bomba de
000655.13 — Procedimento de Combustível de Baixa Pressão com
Diagnóstico de Falha na Calibração Baixa Resistência................................04­160­502
do Injetor Nº 5 .....................................04­160­457 001075.06 — Procedimento de
000656.02 — Dados do Nº de Peça do Diagnóstico de Circuito da Bomba
Injetor Nº 6 Inválidos ...........................04­160­459 de Combustível de Baixa Pressão
000656.02 — Procedimento de com Baixa Resistência........................04­160­502
Diagnóstico de Número de Peça 001109.31 — Aproximação do
Inválido do Injetor Nº 6 ........................04­160­459 Desligamento de Proteção do
000656.05 — Circuito do Injetor Nº 6 Motor ...................................................04­160­506
Com Resistência Alta..........................04­160­463 001109.31 — Procedimento de
000656.05 — Procedimento de Diagnóstico da Aproximação do
Diagnóstico do Circuito do Injetor Nº Desligamento de Proteção do
6 com Alta Resistência........................04­160­463 Motor ...................................................04­160­506
000656.06 — Circuito do Injetor Nº 6 001110.31 — Desligamento de
Com Resistência Baixa .......................04­160­468 Proteção do Motor Ativo......................04­160­507
000656.06 — Procedimento de 001110.31 — Procedimento de
Diagnóstico do Circuito do Injetor Nº Diagnóstico do Desligamento de
6 com Baixa Resistência.....................04­160­468 Proteção do Motor Ativo......................04­160­507
000656.07 — Injetor Nº 6 Não 001136.00 — Sinal de Temperatura da
Responde............................................04­160­473 ECU Extremamente Alto .....................04­160­508
000656.07 — Procedimento de 001136.00 — Procedimento
Diagnóstico do Injetor Nº 6 Não de Diagnóstico do Sinal de
Respondendo......................................04­160­473 Temperatura da ECU Extremamente
000656.13 — Falha na Calibração do Alta ......................................................04­160­508
Injetor Nº 6 ..........................................04­160­478 001136.16 — Sinal de Temperatura da
000656.13 — Procedimento de ECU Moderadamente Alto ..................04­160­511
Diagnóstico de Falha de Calibração 001136.16 — Procedimento
do Injetor 6 ..........................................04­160­478 de Diagnóstico do Sinal de
000676.03 — Sinal do Auxílio de Temperatura Moderadamente Alta
Partida a Frio Recebido Quando da ECU................................................04­160­511
Não Esperado .....................................04­160­480 001321.05 — Circuito de Ativação do
000676.03 — Procedimento de Relé de Bloqueio do Solenóide de
Diagnóstico de Sinal do Auxiliar de Partida com Alta Resistência ..............04­160­514
Partida a Frio Recebido Quando 001321.06 — Circuito de Ativação do
Não Esperado .....................................04­160­480 Relé de Bloqueio do Solenóide de
000676.05 — Circuito do Auxiliar Partida com Baixa Resistência ...........04­160­515
de Partida a Frio com Alta 001321.30 — Circuito de Ativação do
Resistência..........................................04­160­485 Relé de Bloqueio do Solenóide de
000676.05 — Procedimento de Partida com Defeito.............................04­160­516
Diagnóstico do Circuito do Auxiliar 001347.03 — Sinal da Válvula de
de Partida a Frio com Alta Controle de Sucção Fora da Faixa
Resistência..........................................04­160­485 Alta ......................................................04­160­517
000898.09 — Mensagem CAN da 001347.03 — Procedimento de
Rotação do Motor Inválida ..................04­160­491 Diagnóstico do Sinal da Válvula de
000970.31 — Interruptor de Controle de Sucção Fora da Faixa
Desligamento Externo Ativado............04­160­492 Alta ......................................................04­160­517
000970.31 — Procedimento de 001347.05 — Circuito da Válvula
Diagnóstico do Interruptor de de Controle de Sucção com Alta
Desligamento Externo Ativado............04­160­492 Resistência..........................................04­160­521
001069.31 — Tamanho de pneu 001347.05 – Procedimento de
inválido ................................................04­160­497 Diagnóstico do Circuito da Válvula
001075.05 — Circuito da Bomba de de Controle de Sucção com Alta
Combustível de Baixa Pressão Com Resistência..........................................04­160­521
Alta Resistência ..................................04­160­498

Continua na página seguinte

CTM507 (16JUL09) 04­7 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=7
Conteúdo

Página Página

001347.07 — Incompatibilidade 003509.04 — Tensão de Alimentação


da Pressão Real do Trilho de do Sensor 1 Fora da Faixa
Combustível com a Desejada .............04­160­526 Baixa ...................................................04­160­561
001347.07 – Procedimento de 003509.04 — Procedimento de
Diagnóstico de Incompatibilidade Diagnóstico de Tensão da
da Pressão Real do Trilho de Alimentação do Sensor Nº 1
Combustível com a Desejada .............04­160­527 Fora da Faixa Baixa ............................04­160­561
001349.02 — Incompatibilidade dos 003510.03 — Tensão de Alimentação
Sinais de Pressão do Trilho de do Sensor 2 Fora da Faixa Alta ..........04­160­566
Combustível ........................................04­160­529 003510.03 — Procedimento do
001349.02 — Procedimento de Diagnóstico de Tensão da
Diagnóstico de Incompatibilidade Alimentação do Sensor 2 Fora
de Sinais de Pressão da Linha de da Faixa Alta .......................................04­160­566
Combustível ........................................04­160­530 003510.04 — Tensão de Alimentação
001349.03 — Sinal de Pressão do Sensor 2 Fora da Faixa
Redundante do Trilho de Baixa ...................................................04­160­570
Combustível Fora da Faixa 003510.04 — Procedimento de
Alta ......................................................04­160­535 Diagnóstico de Tensão da
001349.03 — Procedimento de Alimentação do Sensor Nº 2
Diagnóstico de Sinal de Pressão da Fora da Faixa Baixa ............................04­160­570
Linha de Combustível Redundante 003511.03 — Tensão de Alimentação
Acima do Limite Superior ....................04­160­536 de Sensor #3 Acima do Limite
001349.04 — Sinal de Pressão Superior...............................................04­160­575
Redundante do Trilho de 003511.03 — Procedimento de
Combustível Fora da Faixa Diagnóstico de Tensão da
Baixa ...................................................04­160­541 Alimentação do Sensor Nº 3
001349.04 — Procedimento de Alta e Fora de Faixa ...........................04­160­575
Diagnóstico de Sinal de Pressão da 003511.04 — Tensão da Alimentação
Linha de Combustível Redundante Nº 3 do Sensor Fora da Faixa
Abaixo do Limite Inferior .....................04­160­542 Baixa ...................................................04­160­579
001569.31 — Motor em Condição de 003511.04 — Procedimento de
Redução de Potência..........................04­160­548 Diagnóstico da Tensão da
002000.13 — ECU Incorreta para Alimentação Nº 3 do Sensor
Aplicação.............................................04­160­549 Fora da Faixa Baixa ............................04­160­579
002003.09 — Nenhuma Mensagem 524037.02 — Defeito no Circuito do
CAN Recebida do Endereço de Interruptor da TDM..............................04­160­584
Origem 3 .............................................04­160­550 524223.03 — Defeito no Circuito do
002004.09 — Nenhuma Mensagem Bloqueio do Diferencial do Eixo
CAN Recebida do Endereço de Traseiro ...............................................04­160­585
Origem 4 .............................................04­160­551 524225.31 — Desvio Detectado na
002023.09 — Nenhuma Mensagem Proteção da Partida do Motor .............04­160­586
CAN do Endereço de Origem 524235.03 — Sinal do Solenóide da
23 ........................................................04­160­552 TDM Fora da Faixa Alta ......................04­160­587
002033.09 — Nenhuma Mensagem 524235.04 — Sinal do Solenóide da
CAN Recebida do Endereço de TDM Fora da Faixa Baixa ...................04­160­588
Origem 33 ...........................................04­160­553
002033.14 — Mensagem CAN
Incorreta Recebida do Endereço de
Origem 33 ...........................................04­160­554
002033.19 — Problema de
Sincronização com Endereço
de Origem 33 ......................................04­160­555
002071.09 — Nenhuma Mensagem
CAN do Endereço de Origem
71 ........................................................04­160­556
003509.03 — Tensão de Alimentação
do Sensor 1 Fora da Faixa Alta ..........04­160­557
003509.03 — Procedimento de
Diagnóstico da Tensão da
Alimentação do Sensor 1 Fora
da Faixa Alta .......................................04­160­557

CTM507 (16JUL09) 04­8 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=8
Grupo 150
Testes e Diagnósticos Observáveis

Sobre este Grupo


Esta seção do manual contém as informações • F2 ­ Teste do Sistema de Alimentação de Combustível
necessárias para procedimentos de testes relacionados a Alta Pressão
a combustíveis e diagnósticos observáveis. Use estas • F3 ­ Consumo Excessivo de Combustível
informações junto com o Manual do Motor Base. • F4 ­ Combustível no Óleo
NOTA: siga o procedimento de diagnóstico de um DTC • D1 ­ ECU Sem Comunicação Com o SERVICE
ativo ou armazenado antes de buscar qualquer ADVISOR™
procedimento de diagnóstico observável. • D2 ­ Indicador de Diagnóstico Não Se Comunica Com
a ECU
• E1 ­ O Motor Rateia/Não dá Partida • D5 ­ ECU Não Se Programa Com o Service ADVISOR
• E2 ­ Falha/Funcionamento Irregular do Motor • A1 ­ Verificar Aquecedor do Ar de Admissão
• E3 ­ O Motor Não Desenvolve Potência Máxima
• E4 ­ O Motor Emite Fumaça de Escape Branca em • Procedimentos para o Sistema de Combustível:
Excesso ­ Verificar Qualidade da Alimentação de Combustível
• E5 ­ O Motor Emite Fumaça de Escape Preta ou Cinza ­ Testar Ar no Combustível
em Excesso ­ Verificar Obstrução na Linha de Retorno de
• E6 ­ O Motor de Arranque não Gira Combustível
• E7 ­ Mau Funcionamento da Marcha Lenta do Motor ­ Sangrar Sistema de Combustível
• E8 ­ Ruído Anormal no Motor ­ Verificar e Ajustar Sincronia Estática da Bomba de
• E9 ­ Acelerador Analógico (A) Não Responde Combustível de Alta Pressão
• E10 ­ Acelerador Analógico (B) Não Responde • Procedimentos para o Sistema de Escape e Admissão:
­ Testar Pressão Excessiva no Cárter do Motor (Fuga
• F1 ­ Teste do Sistema de Alimentação de Combustível de Compressão)
a Baixa Pressão
SERVICE ADVISOR é marca comercial da Deere & Company
DN22556,0000284 ­54­30AUG07­1/1

CTM507 (16JUL09) 04­150­1 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=187
Testes e Diagnósticos Observáveis

E1 ­ O Motor Gira/Não dá Partida


DN22556,0000285 ­54­02JUN08­1/17

E1 ­ Procedimento de Diagnóstico de Motor Gira/Não dá Partida


Referências Adicionais:
NOTA: Este procedimento deve ser seguido caso o motor de arranque gire sem dar partida. Se o motor de arranque
não girar, ver E6 ­ MOTOR DE ARRANQUE NÃO GIRA para diagnosticar o sistema de arranque.

NOTA: Os diagramas de fiação fornecidos referem­se a um típico chicote OEM fornecido para a John Deere.
Os jumpers, cores e números de fios não se referem a todas as aplicações.

Para obter informações sobre a fiação:


­ veja DIAGRAMA 1 DA FIAÇÃO DA ECU DE 12V DO MODELO DE 4,5L
­ veja DIAGRAMA 1 DA FIAÇÃO DA ECU DE 24V DO MODELO DE 4,5L
­ veja DIAGRAMA 1 DA FIAÇÃO DA ECU DE 12V DO MODELO DE 6,8L
­ veja DIAGRAMA 1 DA FIAÇÃO DA ECU DE 24V DO MODELO DE 6,8L
localizados na Seção 06, Grupo 210 neste manual.
Para informações sobre teste de terminais e conectores, ver TESTE DE TERMINAIS na Seção 04, Grupo 160 na
seqüência deste manual.
IMPORTANTE: Quando executar o TESTE DO MODO DE DIAGNÓSTICO DO CHICOTE ELÉTRICO a temperatura
do motor deve estar acima do ponto de congelamento. Recomenda­se que a temperatura do motor esteja
pelo menos conforme a temperatura ambiente de 20°C (68°F). Este teste encontra­se no Service ADVISOR.

IMPORTANTE: não force as sondas nos bornes do conector, ou haverá danos. Use o Kit de
Teste do Adaptador de Conector JT07328 para fazer medições nos conectores. Este
procedimento garantirá a não ocorrência de danos no borne.
DN22556,0000285 ­54­02JUN08­2/17

•1 Verificações
Preliminares
1. Verifique se há combustível suficiente no tanque de combustível.

2. Verifique se quaisquer interruptores remotos para desligar o motor estão na


posição FUNCIONAR.
3. Verifique se há restrições consideráveis no ar da admissão.
4. Verifique se há restrições consideráveis no escape.
5. Verifique a carga da bateria.
6. Verifique se a velocidade de arranque do motor é adequada para a partida. SIM: Problema corrigido.
Ver especificação de velocidade mínima do arranque do motor em TESTE DE
VELOCIDADE DE ARRANQUE DO MOTOR na seção 04, Grupo 150 do manual
do motor base.
O motor dá partida? NÃO: VÁ PARA 2.
DN22556,0000285 ­54­02JUN08­3/17

•2 Tentar Conexão da
ECU com o Service
ADVISOR
1. Ignição ligada, motor desligado.

2. Tente conectar a ECU com o Service ADVISOR. SIM: VÁ PARA 3.


Conseguiu conectar a ECU com o Service ADVISOR? NÃO: Interrompa este
teste e execute o teste D1.

Continua na página seguinte DN22556,0000285 ­54­02JUN08­4/17

CTM507 (16JUL09) 04­150­2 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=188
Testes e Diagnósticos Observáveis

•3 Verificar se há DTCs
Ativos
Há algum DTC ativo? SIM: Interrompa este teste
e execute o teste para o
DTC ativo.

NÃO: VÁ PARA 4.
DN22556,0000285 ­54­02JUN08­5/17

•4 Ler DTCs e Armazenar


Informações
Instantâneas
1. Anote qualquer DTC armazenado e a freqüência da ocorrência. Se quaisquer
DTCs tiverem informações de gravação de informações instantâneas ou captura
instantânea, salve a informação. Para obter instruções sobre como salvar e
usar as informações instantâneas, ver INSTRUÇÕES PARA INFORMAÇÕES
INSTANTÂNEAS na Seção 04, Grupo 160 em parte anterior deste manual.

NOTA: quando se apagam os DTCs, as informações instantâneas de


TODOS OS DTCs também são apagadas.
2. Apague os DTCs armazenados.
3. Gire o motor durante 15 segundos. SIM: Interrompa este teste
e execute o teste para o
DTC ativo ou armazenado.
Há algum DTC ativo ou armazenado após o arranque do motor? NÃO: VÁ PARA 5.
DN22556,0000285 ­54­02JUN08­6/17

•5 Teste do Modo de
Diagnóstico do
Chicote
1. Ignição ligada, motor desligado.

2. Execute o TESTE DO MODO DE DIAGNÓSTICO DO CHICOTE no Service SIM: Interrompa este teste
ADVISOR. e execute o teste para o
DTC ativo.
Algum DTC ativo foi gerado durante o Teste do Modo de Diagnóstico do Chicote? NÃO: VÁ PARA 6.
DN22556,0000285 ­54­02JUN08­7/17

•6 Teste do Sistema
de Alimentação de
Combustível a Baixa
Execute o F1 ­ TESTE DO SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO DE COMBUSTÍVEL A BAIXA SIM: Problema corrigido.
PRESSÃO descrito na seqüência deste manual. Use combustível comprovadamente
de boa qualidade para este teste.
Pressão

O motor deu partida? NÃO: VÁ PARA 7.

DN22556,0000285 ­54­02JUN08­8/17

•7 Teste do Sistema
de Alimentação de
Combustível a Alta
Execute o F2 ­ TESTE DO SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO DE COMBUSTÍVEL A ALTA
PRESSÃO descrito na seqüência deste manual.
SIM: Problema corrigido.

Pressão

O motor deu partida? NÃO: VÁ PARA 8.

DN22556,0000285 ­54­02JUN08­9/17

•8 Verifique a Qualidade
do Combustível
Execute o procedimento VERIFICAR QUALIDADE DA ALIMENTAÇÃO DE
COMBUSTÍVEL descrito na seqüência deste manual.
SIM: Problema corrigido.

O motor deu partida? NÃO: VÁ PARA 9.

Continua na página seguinte DN22556,0000285 ­54­02JUN08­10/17

CTM507 (16JUL09) 04­150­3 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=189
Testes e Diagnósticos Observáveis

•9 Teste de Posição do
Eixo de Comando e do
Sinal de Posição do
NOTA: Ver procedimentos para DTC 000636.02 e 000637.02 no Grupo 04,
Seção 160 na seqüência deste manual para mais informações sobre
pontos de informação do sensor de velocidade.
Eixo de Comando

1. Monitore e grave os seguintes pontos de informação no Service ADVISOR:

• Status do Sinal de Posição do Virabrequim


• Status do Sinal de Posição do Eixo de Comando
• Rotação do Motor Indicada pelo Sensor do Virabrequim
• Rotação do Motor Indicada pelo Sensor do Virabrequim
• Indicador de Padrão Incorreto do Sinal de Posição do Virabrequim
• Indicador de Padrão Incorreto do Sinal de Posição do Eixo de Comando
• Indicador de Ruído no Sinal de Posição do Virabrequim
• Indicador de Ruído do Sinal de Posição do Eixo de Comando
2. Gire o motor durante 15 segundos.
3. Repita gravando e recupere os pontos de informação gravados.
Os pontos de informação indicam os seguintes valores quando o motor está
arrancando em velocidade estável?
NOTA: Quando o motor começa o arranque, os pontos de informação podem
não indicar estes valores. Ignore os valores dos pontos de informação
até o motor ter completado ao menos duas revoluções.
• Status do Sinal de Posição do Virabrequim – O valor deve ser de 16 a 0 rpm, 63 com
o motor dando partida (abaixo de 400 rpm) e 47 com o motor funcionando acima
de 400 rpm.
• Status do Sinal de Posição do Eixo de Comando – O valor deve ser de 16 a 0 rpm,
63 com o motor dando partida (abaixo de 400 rpm) e 47 com o motor funcionando
acima de 400 rpm.
• Rotação do Motor Indicada pelo Sensor do Virabrequim ­ A velocidade de arranque
real (aproximadamente a mesma velocidade do sensor de posição do eixo de
comando).
• Rotação do Motor Indicada pelo Sensor do Eixo de Comando ­ A velocidade de
partida real (aproximadamente a mesma velocidade do sensor da posição da
manivela).
• Indicador de Padrão Incorreto do Sinal de Posição do Virabrequim ­ 0
• Indicador de Padrão Incorreto do Sinal da Posição do Eixo de Comando ­ 0
• Indicador de Ruído no Sinal de Posição do Virabrequim ­ 0 SIM: VÁ PARA 1.
• Indicador de Ruído no Sinal da Posição do Eixo de Comando ­ 0 NÃO: VÁ PARA 10.
DN22556,0000285 ­54­02JUN08­11/17

•10 Verificar Problema no


Padrão do Sensor do
Virabrequim
1. Ignição desligada, motor desligado.

2. Desconecte o sensor do virabrequim e prenda o conector afastando­o dos


componentes giratórios.
3. Ignição ligada, motor desligado.
4. Gire o motor durante 30 segundos.
5. Ignição desligada, motor desligado.
6. Reconecte o sensor do virabrequim. SIM: Execute o
procedimento de
diagnóstico para o
000637.02 como se o
DTC estivesse ativo.
O motor deu partida? NÃO: VÁ PARA 11.
Continua na página seguinte DN22556,0000285 ­54­02JUN08­12/17

CTM507 (16JUL09) 04­150­4 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=190
Testes e Diagnósticos Observáveis

•11 Verificar Problema no


Padrão do Sensor da
Posição da Bomba
1. Verifique se o sensor do virabrequim foi reconectado.

2. Desconecte o sensor de posição da bomba e prenda o conector afastado dos


componentes giratórios.
3. Ignição ligada, motor desligado.
4. Gire o motor durante 30 segundos.
5. Apague os DTCs.
6. Ignição desligada, motor desligado.
7. Reconecte o sensor de posição da bomba. SIM: Execute o
procedimento de
diagnóstico para o
000636.02 como se o
DTC estivesse ativo.
O motor deu partida? NÃO: VÁ PARA 12.
DN22556,0000285 ­54­02JUN08­13/17

•12 Teste de Compressão


do Service ADVISOR
NOTA: O Teste de Compressão do Service ADVISOR determina a compressão relativa
entre os cilindros. O problema que causa baixa compressão em todos os
cilindros não é identificado por este teste. Um motor com baixa compressão em
todos os cilindros produzirá som e sensação no arranque diferentes de um motor
com boa compressão devido à ausência de flutuação da velocidade do arranque.
1. Execute o Teste de Compressão do Service ADVISOR.
2. Ouça e sinta a flutuação da velocidade do arranque durante o Teste de SIM: Execute o teste
Compressão e compare com outro motor, se possível. de compressão usando
medidor mecânico.
Os resultados do Teste de Compressão indicam diferença considerável entre os NÃO: VÁ PARA 13.
cilindros ou o motor arrancou como se a compressão estivesse baixa em todos os
cilindros?
DN22556,0000285 ­54­02JUN08­14/17

•13 Inspecionar Trem


de Válvulas
1. Ignição desligada, motor desligado.

2. Remova a proteção do balancim.


3. Verifique se há danos visíveis ou válvulas desajustadas no trem de válvulas.
4. Gire o motor usando a Ferramenta de Giro do Volante do Motor JDG820 enquanto
observa se o trem de válvulas funciona corretamente.
5. Coloque o motor no PMS #1 do curso de compressão usando o Pino de
Sincronização JDE81­4.
6. Verifique se as válvulas de escape e admissão estão fechadas no cilindro 1.
7. Remova o pino de sincronização e a ferramenta de giro. SIM: O motor liga.
Problema corrigido.
Algum problema foi encontrado? NÃO: Reinstale a proteção
do balancim. VÁ PARA 14.
DN22556,0000285 ­54­02JUN08­15/17

•14 Reprogramar a ECU 1. Ignição desligada, motor desligado.

2. Baixe o payload de ECU mais recente e reprograme a ECU. SIM: Problema corrigido.
O motor deu partida? NÃO: VÁ PARA 15.

Continua na página seguinte DN22556,0000285 ­54­02JUN08­16/17

CTM507 (16JUL09) 04­150­5 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=191
Testes e Diagnósticos Observáveis

•15 Substituir ECU 1. Ignição desligada, motor desligado.

2. Substitua a ECU. SIM: Problema corrigido.


O motor deu partida? NÃO: Abra um caso DTAC.
DN22556,0000285 ­54­02JUN08­17/17

CTM507 (16JUL09) 04­150­6 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=192
Testes e Diagnósticos Observáveis

E2 – Falha / Funcionamento Irregular do


Motor
DN22556,0000286 ­54­02JUN08­1/15

E2 – Procedimento de Diagnóstico de Falha / Funcionamento Irregular do Motor


DN22556,0000286 ­54­02JUN08­2/15

•1 Verificação de DTCs
Ativos
Este teste foi indicado durante execução de procedimentos de diagnóstico para um
código de diagnóstico de falhas (DTC)?
SIM: VÁ PARA 2

NÃO: Verifique e solucione


quaisquer DTCs ativos
antes de executar este
teste. VÁ PARA 2
DN22556,0000286 ­54­02JUN08­3/15

•2 Itens Possivelmente
Confundidos Com
Falha de Ignição
Verifique os itens a seguir, que podem ser confundidos com falha de ignição:

ou Funcionamento
Irregular do Motor

• Acessórios do motor como embreagem do A/C ou acionamentos de ventiladores


ligando e desligando.
• Alterações no motor e/ou no chicote da máquina como rádios ou acessórios que não SIM: Problema reparado.
sejam da John Deere.
Ao desativar ou desligar temporariamente estes acessórios, o desempenho do motor NÃO: VÁ PARA 3
é restaurado?

DN22556,0000286 ­54­02JUN08­4/15

•3 Teste de Corte e Falha


de Ignição
1. Execute as INSTRUÇÕES DE TESTE DO MOTOR – TESTE DE FALHA DO
CILINDRO no Service ADVISOR.

2. Execute as INSTRUÇÕES DE TESTE DO MOTOR – TESTE DE CORTE DO SIM: VÁ PARA 5


CILINDRO no Service ADVISOR com o motor em marcha lenta.
A contribuição de cada cilindro está dentro do limite de 10 % dos outros durante o NÃO: VÁ PARA 4
Teste de Falha do Cilindro e o som do motor se altera por igual quando cada injetor é
desativado no Teste de Corte do Cilindro?

DN22556,0000286 ­54­02JUN08­5/15

•4 Verificação da
Compressão
Execute o Teste de Compressão do Service ADVISOR. SIM: Verifique a
compressão com medidor
mecânico.

A compressão no(s) cilindro(s) com baixa contribuição identificado(s) na Etapa 3 NÃO: Substitua o(s)
também é pelo menos 10% menor que a de outros cilindros? (compressão baixa e injetor(es) no(s) cilindro(s)
contribuição baixa no mesmo cilindro)?
com baixa contribuição.

Continua na página seguinte DN22556,0000286 ­54­02JUN08­6/15

CTM507 (16JUL09) 04­150­7 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=193
Testes e Diagnósticos Observáveis

•5 Verificação de Ar no
Combustível
Execute procedimento de TESTE DE AR NO COMBUSTÍVEL descrito adiante neste
grupo.
SIM: Problema reparado.

O desempenho do motor voltou ao normal? NÃO: VÁ PARA 6


DN22556,0000286 ­54­02JUN08­7/15

•6 Teste do Sistema
de Abastecimento
de Combustível de
Execute F1 ­ TESTE DO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE COMBUSTÍVEL DE
BAIXA PRESSÃO, descrito posteriormente neste grupo.
SIM: Problema reparado.

Baixa Pressão

O desempenho do motor voltou ao normal? NÃO: VÁ PARA 7


DN22556,0000286 ­54­02JUN08­8/15

•7 Teste do Sistema
de Abastecimento
de Combustível de
Execute F2 ­ TESTE DO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE COMBUSTÍVEL DE
ALTA PRESSÃO, descrito posteriormente neste grupo.
SIM: Problema reparado.

Alta Pressão

O desempenho do motor voltou ao normal? NÃO: VÁ PARA 8


DN22556,0000286 ­54­02JUN08­9/15

•8 Verificação da
Qualidade do
Combustível
Execute o procedimento VERIFICAÇÃO DA QUALIDADE DO ABASTECIMENTO DE
COMBUSTÍVEL descrito adiante neste grupo.
SIM: Problema reparado.

O desempenho do motor voltou ao normal? NÃO: VÁ PARA 9

Continua na página seguinte DN22556,0000286 ­54­02JUN08­10/15

CTM507 (16JUL09) 04­150­8 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=194
Testes e Diagnósticos Observáveis

•9 Teste do Sinal da
Posição do Eixo de
Comando e da Posição
NOTA: Veja os procedimentos para os DTCs do 000636.02 e 000637.02 no
Grupo 04, Seção 160 na seqüência deste manual para mais informações
sobre pontos de dados do sensor de velocidade.
do Virabrequim

1. Monitore e registre os seguintes pontos de dados no Service ADVISOR:

• Status do Sinal de Posição do Virabrequim


• Status do Sinal de Posição do Eixo de Comando
• Rotação do Motor Indicada pelo Sensor do Virabrequim
• Rotação do Motor Indicada pelo Sensor do Eixo de Comando
• Indicador de Padrão Incorreto do Sinal de Posição do Virabrequim
• Indicador de Padrão Incorreto do Sinal de Posição do Eixo de Comando
• Indicador de Ruído no Sinal de Posição do Virabrequim
• Indicador de Ruído no Sinal de Posição do Eixo de Comando
2. Opere o motor na rotação e carga nas quais o problema ocorre.
3. Repita o registro e analise os pontos de dados registrados.
Os pontos de dados indicaram os seguintes valores com o motor funcionando?
• Status do Sinal de Posição do Virabrequim ­ O valor deve ser de 16 a 0 rpm, 63 com
o motor dando partida (abaixo de 400 rpm) e 47 com o motor funcionando acima
de 400 rpm.
• Status do Sinal de Posição do Eixo de Comando ­ O valor deve ser de 16 a 0 rpm,
63 com o motor dando partida (abaixo de 400 rpm) e 47 com o motor funcionando
acima de 400 rpm.
• Rotação do Motor Indicada pelo Sensor do Virabrequim ­ A velocidade de arranque
real (aproximadamente a mesma velocidade do sensor de posição do eixo de
comando).
• Rotação do Motor Indicada pelo Sensor do Eixo de Comando ­ A velocidade de
partida real (aproximadamente a mesma velocidade do sensor da posição da
manivela).
• Indicador de Padrão Incorreto do Sinal de Posição do Virabrequim ­ 0
• Indicador de Padrão Incorreto do Sinal da Posição do Eixo de Comando ­ 0
• Indicador de Ruído no Sinal de Posição do Virabrequim ­ 0 SIM: VÁ PARA 13
• Indicador de Ruído no Sinal da Posição do Eixo de Comando ­ 0 NÃO: VÁ PARA 10
DN22556,0000286 ­54­02JUN08­11/15

•10 Verificação de
Problema no Padrão
de Posição do
1. Ignição desligada, motor desligado.

Virabrequim

2. Desconecte o sensor da manivela e prenda o conector afastando­o dos


componentes giratórios.
3. Ignição ligada, motor desligado.
4. Opere o motor na rotação e carga nas quais o problema ocorre.
5. Ignição desligada, motor desligado.
6. Reconecte o sensor da manivela. SIM: Execute o
procedimento de
diagnóstico para o
000637.02 como se o
DTC estivesse ativo.
O desempenho do motor voltou ao normal? NÃO: VÁ PARA 11
Continua na página seguinte DN22556,0000286 ­54­02JUN08­12/15

CTM507 (16JUL09) 04­150­9 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=195
Testes e Diagnósticos Observáveis

•11 Verificação de
Problema no Padrão
de Posição do Eixo
1. Verifique se o sensor da manivela foi reconectado.

de Comando

2. Desconecte o sensor de posição da bomba e prenda o conector afastando­o


dos componentes giratórios.
3. Ignição ligada, motor desligado.
4. Opere o motor na rotação e carga nas quais o problema ocorre.
5. Ignição desligada, motor desligado.
6. Reconecte o sensor de posição da bomba. SIM: Execute o
procedimento de
diagnóstico para o
000636.02 como se o
DTC estivesse ativo.
O desempenho do motor voltou ao normal? NÃO: VÁ PARA 12
DN22556,0000286 ­54­02JUN08­13/15

•12 Verificação do
Acelerador
1. Motor funcionando na rotação em que ocorrem falhas ou funcionamento irregular.

2. Acelerador mantido em posição estável.


3. Monitore o pontos de dados da Posição do Acelerador no Service ADVISOR. SIM: Verifique se ocorrem
problemas no circuito do
acelerador.
O ponto de dados da Posição do Acelerador indica alteração de mais de 3% no sinal NÃO: VÁ PARA 13
do acelerador?
DN22556,0000286 ­54­02JUN08­14/15

•13 Reprogramação da
ECU
Baixe o payload mais recente e reprograme a ECU. SIM: Problema reparado.

O desempenho do motor voltou ao normal? NÃO: Abra um caso DTAC.


DN22556,0000286 ­54­02JUN08­15/15

CTM507 (16JUL09) 04­150­10 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=196
Testes e Diagnósticos Observáveis

E3 ­ O Motor Não Desenvolve a Potência


Máxima
DN22556,0000287 ­54­02JUN08­1/21

E3 ­ Procedimento de Diagnóstico de Motor que Não Desenvolve Potência Máxima


DN22556,0000287 ­54­02JUN08­2/21

•1 Verificação de DTCs
Ativos
Este teste foi indicado durante execução de procedimentos de diagnóstico para um
código de diagnóstico de falhas (DTC)?
SIM: VÁ PARA 2

NÃO: Verifique e solucione


quaisquer DTCs ativos
antes de executar este
teste.
DN22556,0000287 ­54­02JUN08­3/21

•2 Teste do Modo de
Diagnóstico do
Chicote
1. Anote quaisquer DTCs armazenados e a contagem de ocorrências. Se
quaisquer DTCs tiverem captura ou registro de informações instantâneas, salve
as informações. Para instruções sobre como usar ou salvar as informações
instantâneas, veja INSTRUÇÕES SOBRE INFORMAÇÕES INSTANTÂNEAS na
seção 04, Grupo 160, posteriormente neste manual.

NOTA: Quando os DTCs são apagados, as informações instantâneas de


TODOS OS DTCs também são apagadas.
2. Execute o TESTE DO MODO DE DIAGNÓSTICO DO CHICOTE no Service SIM: Interrompa este teste
ADVISOR. e execute o teste para o
DTC ativo.
Algum DTC ativo foi gerado durante o Teste do Modo de Diagnóstico do Chicote? NÃO: VÁ PARA 3

DN22556,0000287 ­54­02JUN08­4/21

•3 Verificações
Preliminares
NOTA: Problemas de baixa potência no motor ocorrem normalmente devido às
expectativas do operador e não por causa de motores que não desenvolvem
efetivamente a potência especificada. Compare o desempenho do motor
suspeito com outra aplicação idêntica, se possível.
Verifique o seguinte, se aplicável, na aplicação.
• Problemas com a transmissão, superaquecimento ou patinagem.
• A carga no motor mudou.
• Transmissões auxiliares com cargas excepcionalmente altas.
• Problemas no sistema hidráulico que deixam o motor sobrecarregado.
• Motor de algum modo sobrecarregado. SIM: Problema reparado.
O desempenho do motor voltou ao normal? NÃO: VÁ PARA 4

Continua na página seguinte DN22556,0000287 ­54­02JUN08­5/21

CTM507 (16JUL09) 04­150­11 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=197
Testes e Diagnósticos Observáveis

•4 Verificação do Escape Opere o motor sob as condições em que ocorrem os problemas de baixa potência. SIM: Fumaça azul ­
Verifique se há danos
internos no motor. Execute
TESTE DE PRESSÃO
EXCESSIVA (BLOW­BY)
NO CÁRTER DO MOTOR.
O motor produz fumaça de escape azul, branca ou preta em excesso? SIM: Fumaça branca
­ Execute o teste E4 ­
MOTOR EMITE FUMAÇA
DE ESCAPE BRANCA EM
EXCESSO.
SIM: Fumaça preta ­
Execute o teste E5 ­
MOTOR EMITE FUMAÇA
DE ESCAPE PRETA OU
CINZA EM EXCESSO.
NÃO: VÁ PARA 5
DN22556,0000287 ­54­02JUN08­6/21

•5 Verificação de Falhas
de Ignição
Há falhas de ignição ou funcionamento irregular do motor? SIM: Execute o teste E2 ­
FALHA DE IGNIÇÃO/FUN­
CIONAMENTO IRREGU­
LAR DO MOTOR.
NÃO: VÁ PARA 6
DN22556,0000287 ­54­02JUN08­7/21

•6 Teste do Acelerador NOTA: Algumas aplicações podem ter sido projetadas com limite de percentual
máximo de aceleração. Consulte o distribuidor do motor para mais informações.

1. Ignição ligada, motor desligado.


2. Monitore o pontos de dados da Posição do Acelerador no Service ADVISOR.
3. Coloque a alavanca do acelerador no limite máximo de avanço. SIM: VÁ PARA 7
A Posição do Acelerador é de 97% ou mais? NÃO: Verifique se ocorrem
problemas no circuito do
acelerador.
DN22556,0000287 ­54­02JUN08­8/21

•7 Análise do Sistema
de Ar de Carga
Execute o PROCEDIMENTO DE DIAGNÓSTICO DO SISTEMA DO AR DE CARGA
descrito posteriormente neste grupo.
SIM: Problema reparado.

O desempenho do motor voltou ao normal? NÃO: VÁ PARA 8

DN22556,0000287 ­54­02JUN08­9/21

•8 Teste do Sistema
de Abastecimento
de Combustível de
Execute F1 ­ TESTE DO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE COMBUSTÍVEL DE
BAIXA PRESSÃO, descrito posteriormente neste grupo.
SIM: Problema reparado.

Baixa Pressão

O desempenho do motor voltou ao normal? NÃO: VÁ PARA 9

Continua na página seguinte DN22556,0000287 ­54­02JUN08­10/21

CTM507 (16JUL09) 04­150­12 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=198
Testes e Diagnósticos Observáveis

•9 Teste do Sistema
de Abastecimento
de Combustível de
Execute F2 ­ TESTE DO SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE COMBUSTÍVEL DE
ALTA PRESSÃO, descrito posteriormente neste grupo.
SIM: Problema reparado.

Alta Pressão

O desempenho do motor voltou ao normal? NÃO: VÁ PARA 10


DN22556,0000287 ­54­02JUN08­11/21

•10 Verificação da
Qualidade do
Combustível
Execute o procedimento VERIFICAÇÃO DA QUALIDADE DO ABASTECIMENTO DE
COMBUSTÍVEL descrito adiante neste grupo.
SIM: Problema reparado.

O desempenho do motor voltou ao normal? NÃO: VÁ PARA 11


DN22556,0000287 ­54­02JUN08­12/21

•11 Verificação do
Turbocompressor
Verifique se há danos no turbocompressor. SIM: Corrija o problema,
verifique novamente o
desempenho do motor.

Foi encontrado algum problema? NÃO: VÁ PARA 12


DN22556,0000287 ­54­02JUN08­13/21

•12 Teste de Vazamento


de Ar e Restrição no
Verifique se há obstruções e vazamentos de ar na admissão e no escape.
Veja VERIFICAÇÃO DE OBSTRUÇÕES NA ADMISSÃO E NO ESCAPE e
Escape e na Admissão VERIFICAÇÃO DE VAZAMENTOS DE AR NO ESCAPE (MOTORES COM
SIM: Corrija o problema,
verifique novamente o
desempenho do motor.
TURBOCOMPRESSOR) na Seção 04, Grupo 150 do manual do motor base.

Foi encontrado algum problema? NÃO: VÁ PARA 13

DN22556,0000287 ­54­02JUN08­14/21

•13 Reprogramação da
ECU
1. Baixe o payload mais recente da ECU.

2. Modifique as opções de ajuste do Custom Performance para os valores


especificados pelo distribuidor do motor, se aplicável.
3. Reprograme a ECU. SIM: Problema reparado.
O desempenho do motor voltou ao normal? NÃO: VÁ PARA 14

DN22556,0000287 ­54­02JUN08­15/21

•14 Verificação da Folga


da Válvula
Execute VERIFICAÇÃO E AJUSTE DA FOLGA DA VÁLVULA na Seção 02, Grupo
020 do manual do motor base.
SIM: Problema reparado.

O desempenho do motor voltou ao normal? NÃO: VÁ PARA 15

Continua na página seguinte DN22556,0000287 ­54­02JUN08­16/21

CTM507 (16JUL09) 04­150­13 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=199
Testes e Diagnósticos Observáveis

•15 Verificação de Carga


do Motor
1. Monitoramento da Carga do Motor no ponto de dados da Velocidade Atual no
Service ADVISOR.

2. Opere o motor com velocidade e carga nas quais o problema de baixa potência SIM: VÁ PARA 16
ocorre.
A Carga do Motor no ponto de dados da Velocidade Atual indica um valor de 95% NÃO: A ECU está limitando
ou mais? a potência do motor. Abra
um caso DTAC.
DN22556,0000287 ­54­02JUN08­17/21

•16 Verificação do Sensor


de Pressão da Linha
de Combustível
1. Ignição desligada, motor desligado.

2. Desconecte o conector P05 do sensor de pressão da linha de combustível.


3. Desconecte o conector J1 da ECU.
4. Execute o TESTE DE TERMINAIS no conector J1 e no conector do sensor de
pressão da linha de combustível.
5. No chicote, meça a resistência entre o sinal (P05­1) do sensor de pressão da linha
de combustível e o sinal (J1­E3) de pressão da linha na ECU.
6. No chicote, meça a resistência entre a alimentação (P05­3) de 5V do sinal do
sensor de pressão da linha de combustível e a alimentação (J1­D3) de 5V da ECU.
7. No chicote, meça a resistência entre o retorno (P05­2) do sensor de pressão da SIM: VÁ PARA 17
linha de combustível e o retorno (J1­E2) da ECU.
Os resultados do TESTE DE TERMINAIS foram bons e todas as medidas de NÃO: Repare o problema.
resistência estavam abaixo de 10 ohms? Teste novamente o
desempenho do motor.
DN22556,0000287 ­54­02JUN08­18/21

•17 Substituição do
Sensor de Pressão da
Linha de Combustível
1. Substitua o sensor de pressão da linha de combustível.

NOTA: Verifique se o sensor de pressão da linha de combustível de reposição


tem o número de peça correto para o motor de 6,8L/4,5L.

2. Reconecte todos os conectores elétricos.


3. Teste novamente o desempenho do motor. SIM: Problema reparado.
O desempenho do motor voltou ao normal? NÃO: VÁ PARA 18
DN22556,0000287 ­54­02JUN08­19/21

•18 Verificação no
Dinamômetro
Verifique a potência do motor em um dinamômetro certificado, se possível. SIM: O motor está
operando conforme
projetado.

O motor desenvolve potência nominal no dinamômetro? NÃO: VÁ PARA 19


NÃO: O motor não pode
ser testado em um
dinamômetro. Abra um
caso DTAC.

Continua na página seguinte DN22556,0000287 ­54­02JUN08­20/21

CTM507 (16JUL09) 04­150­14 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=200
Testes e Diagnósticos Observáveis

•19 Substituição de
Injetores
NOTA: Para instruções sobre a substituição de injetores, veja REMOVÇÃO DO
INJETOR ELETRÔNICO (IE) e INSTALAÇÃO DO INJETOR ELETRÔNICO
(IE) na seção 2, grupo 090 anteriormente neste manual.

Substitua os injetores. SIM: Problema reparado.


O motor desenvolve potência nominal no dinamômetro? NÃO: Abra um caso DTAC.
DN22556,0000287 ­54­02JUN08­21/21

CTM507 (16JUL09) 04­150­15 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=201
Testes e Diagnósticos Observáveis

E4 ­ O Motor Emite Fumaça Branca de


Escape em Excesso
DN22556,0000288 ­54­12OCT07­1/11

E4 ­ Procedimento de Diagnóstico de Motor com Emissão de Excesso de Fumaça Branca pela Exaustão
NOTA: Este procedimento deve ser usado se o motor emitir fumaça branca de escape em excesso. Se o
motor emitir uma fumaça azulada e menos pesada pela exaustão, veja 4.5L/6.8L ­ L1 ­ CONSUMO
EXCESSIVO DE ÓLEO na Seção 04 do Manual do Motor Base.
DN22556,0000288 ­54­12OCT07­2/11

•1 Verificar se há DTCs
Ativos
Este teste foi indicado durante execução de procedimentos de diagnóstico para um
DTC?
SIM: VÁ PARA 2

NÃO: Verifique e solucione


qualquer DTC ativo antes
de executar este teste. VÁ
PARA 2
DN22556,0000288 ­54­12OCT07­3/11

•2 Verificar Tipo de
Fumaça Branca
NOTA: A fumaça branca é causada por condensação de líquido no sistema de
escape. O líquido normalmente é diesel ou líquido de arrefecimento. Diesel
não queimado no escape tem um cheiro forte de diesel e causa sensação
SIM: Fumaça branca é
causada por combustível
no escape. VÁ PARA 3
de queimadura nos olhos. Diesel não queimado ocorre devido a falhas
de ignição ou combustão incompleta. Temperatura muito baixa do líquido
de arrefecimento pode resultar em fumaça branca devido à combustão
incompleta. ombustível de baixa qualidade ou não misturado para as condições
de operação também podem causar combustão incompleta.
Líquido de arrefecimento no escape provoca um odor "adocicado".
Fumaça branca acompanhada por perda de líquido de arrefecimento
e superaquecimento indica que a fumaça branca provavelmente é
gerada por líquido de arrefecimento no escape.
É possível determinar se a fumaça branca é causada por combustível ou líquido de SIM: Fumaça branca é
arrefecimento? causada por líquido de
arrefecimento no escape.
VÁ PARA 9
NÃO: Dúvida se é líquido
de arrefecimento ou
combustível. Execute
os passos 3­9. Abra um
caso DTAC se nenhum
problema for encontrado.

DN22556,0000288 ­54­12OCT07­4/11

•3 Verificar Desempenho
do Motor
A qualidade da marcha lenta e o desempenho do motor são bons? SIM: Reprograme a ECU
com o payload mais
recente. Se ainda houver
fumaça branca, VÁ PARA 4
NÃO: O desempenho do
motor não é aceitável. VÁ
PARA 4

Continua na página seguinte DN22556,0000288 ­54­12OCT07­5/11

CTM507 (16JUL09) 04­150­16 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=202
Testes e Diagnósticos Observáveis

•4 Teste de Corte e Falha NOTA: Se a fumaça branca diminuir substancialmente quando um cilindro é cortado, a
de ignição fumaça branca provavelmente é causada por falhas de ignição daquele cilindro.

1. Execute o TESTE DE FALHA DE IGNIÇÃO DE CILINDRO ­ INSTRUÇÕES DE


TESTE DO MOTOR no Service ADVISOR.
2. Execute o TESTE DE CORTE DE CILINDRO ­ INSTRUÇÕES DE TESTE DO SIM: VÁ PARA 6
MOTOR no Service ADVISOR com o motor em marcha lenta baixa.
A contribuição de cada cilindro difere no máximo 10 % da contribuição de cada um NÃO: VÁ PARA 5
dos outros durante o Teste de Falha de Ignição e o som do motor se altera por igual
quando cada injetor injetor é desativado no Teste de Corte do Cilindro?
DN22556,0000288 ­54­12OCT07­6/11

•5 Verificar Compressão Execute o Teste de Compressão do Service ADVISOR. SIM: Verifique novamente
a compressão com
manômetro mecânico.
Determine a causa da baixa
compressão.
A compressão no(s) cilindro(s) com baixa contribuição identificado(s) no Passo 4 NÃO: Substitua o(s)
também é pelo menos 10% menor que a de outros cilindros? (compressão baixa e injetor(es) no(s) cilindro(s)
contribuição baixa no mesmo cilindro)?
com baixa contribuição.
DN22556,0000288 ­54­12OCT07­7/11

•6 Qualidade do
combustível
Execute o procedimento VERIFICAR QUALIDADE DA ALIMENTAÇÃO DE
COMBUSTÍVEL descrito na seqüência deste manual.
SIM: VÁ PARA 7

Ainda há fumaça branca? NÃO: Problema reparado.


DN22556,0000288 ­54­12OCT07­8/11

•7 Verificar Sistema de
Arrefecimento
1. Opere o motor, se possível sob carga, até a temperatura do líquido de
arrefecimento superar 88°C (190°F).

2. Deixe o motor funcionar em marcha lenta baixa e sem carga por 10 minutos. SIM: VÁ PARA 8
É possível elevar a temperatura do líquido de arrefecimento para 88°C (190°F) e a NÃO: Substitua o(s)
temperatura do líquido de arrefecimento mantém­se acima de 80°C (175°F) após 10 termostato(s) e verifique
minutos de lenta baixa? se há fontes de perda
de calor do sistema de
arrefecimento.

DN22556,0000288 ­54­12OCT07­9/11

•8 Reprogramação da
ECU
Reprograme a ECU com o payload mais recente, se isto já não foi feito durante este
procedimento.
SIM: Abra um caso DTAC.

Ainda há fumaça branca? NÃO: Problema reparado.

Continua na página seguinte DN22556,0000288 ­54­12OCT07­10/11

CTM507 (16JUL09) 04­150­17 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=203
Testes e Diagnósticos Observáveis

•9 Verificar Falha na
Junta do Cabeçote
Verificar falha na junta do cabeçote. Ver VERIFICAR FALHAS NA JUNTA DO
CABEÇOTE na Seção 04 do manual do motor base.
SIM: Repare o problema.

Algum problema foi encontrado? NÃO: Localize a fonte de


vazamento de líquido de
arrefecimento na câmara
de combustão.
DN22556,0000288 ­54­12OCT07­11/11

CTM507 (16JUL09) 04­150­18 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=204
Testes e Diagnósticos Observáveis

E5 ­ O Motor Emite Fumaça de Escape Preta


ou Cinza em Excesso
DB92450,0000031 ­54­12OCT07­1/12

E5 ­ Procedimento de Diagnóstico de Motor Com Emissão de Fumaça de Escape Preta ou Cinza em Excesso
Referências Adicionais:
NOTA: Este procedimento deve ser usado se o motor emitir fumaça preta ou cinza em excesso pelo
escape. Se o motor emitir uma fumaça de escape azulada, ver 4,5L/6,8L ­ L1 ­ CONSUMO
EXCESSIVO DE ÓLEO na Seção 04 do Manual do Motor Base.

NOTA: Os diagramas de fiação fornecidos referem­se a um típico chicote OEM fornecido para a John Deere.
Os jumpers, cores e números de fios não se referem a todas as aplicações.

Para obter informações sobre a fiação:


­ veja DIAGRAMA 2 DA FIAÇÃO DA ECU DE 12V DO MODELO DE 4,5L
­ veja DIAGRAMA 2 DA FIAÇÃO DA ECU DE 24V DO MODELO DE 4,5L
­ veja DIAGRAMA 2 DA FIAÇÃO DA ECU DE 12V DO MODELO DE 6,8L
­ veja DIAGRAMA 2 DA FIAÇÃO DA ECU DE 24V DO MODELO DE 6,8L
localizados na Seção 06, Grupo 210 neste manual.
Para mais informações sobre teste do sistema de ar de carga, ver SISTEMA DE AR DE CARGA na seqüência
deste manual.
Para informações sobre teste de terminais e conectores, ver TESTE DE TERMINAIS na Seção 04, Grupo 160 na
seqüência deste manual.
IMPORTANTE: não force as sondas nos bornes do conector, ou haverá danos. Use o Kit de
Teste do Adaptador de Conector JT07328 para fazer medições nos conectores. Este
procedimento garantirá a não ocorrência de danos no borne.

IMPORTANTE: Quando executar o TESTE DO MODO DE DIAGNÓSTICO DO CHICOTE ELÉTRICO a temperatura


do motor deve estar acima do ponto de congelamento. Recomenda­se que a temperatura do motor esteja
pelo menos conforme a temperatura ambiente de 20°C (68°F). Este teste encontra­se no Service ADVISOR.
DB92450,0000031 ­54­12OCT07­2/12

•1 Verificar se há DTCs
Ativos
Este teste foi indicado durante execução de procedimentos de diagnóstico para um
DTC?
SIM: VÁ PARA 2.

NÃO: Verifique e solucione


qualquer DTC ativo antes
de executar este teste. VÁ
PARA 2.
DB92450,0000031 ­54­12OCT07­3/12

•2 Teste do Modo de
Diagnóstico do
Chicote
1. Ignição ligada, motor desligado.

2. Execute o TESTE DO MODO DE DIAGNÓSTICO DO CHICOTE no Service SIM: Interrompa este teste
ADVISOR. e execute o teste para o
DTC ativo.
Algum DTC ativo foi gerado durante o Teste do Modo de Diagnóstico do Chicote? NÃO: VÁ PARA 3.

Continua na página seguinte DB92450,0000031 ­54­12OCT07­4/12

CTM507 (16JUL09) 04­150­19 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=205
Testes e Diagnósticos Observáveis

•3 Verificar Sistema de
Ar de Carga
Execute o teste do SISTEMA DE AR DE CARGA. SIM: VÁ PARA 4.

Ainda há fumaça preta quando o motor é operado sob as condições em que a fumaça NÃO: Problema corrigido.
preta foi observada?
DB92450,0000031 ­54­12OCT07­5/12

•4 Verificar
Turbocompressor
Verifique se há danos no turbocompressor. SIM: Corrija o problema,
reavalie o desempenho do
motor.

Algum problema foi encontrado? NÃO: VÁ PARA 5.


DB92450,0000031 ­54­12OCT07­6/12

•5 Teste de Vazamento
de Ar e Restrição no
Verifique se há obstruções e vazamentos de ar no escape e na admissão.
Veja VERIFICAÇÃO DE OBSTRUÇÕES NO ESCAPE E ADMISSÃO e VERIFICAÇÃO
Escape e na Admissão DE VAZAMENTOS DE AR NO ESCAPE (MOTORES TURBOALIMENTADOS) na
SIM: VÁ PARA 6.

Seção 04, Grupo 150 do Manual do Motor Base.

Ainda há fumaça preta quando o motor é operado sob as condições em que a fumaça NÃO: Problema corrigido.
preta foi observada?
DB92450,0000031 ­54­12OCT07­7/12

•6 Teste de Corte Execute o TESTE DE CORTE DE CILINDRO ­ INSTRUÇÕES DE TESTE DO


MOTOR no Service ADVISOR e observe se há diminuição na fumaça do escape
quando cada cilindro é cortado.
SIM: Substitua o injetor no
cilindro afetado e verifique
novamente se há fumaça
preta.
A fumaça diminui substancialmente quando um cilindro é cortado? NÃO: VÁ PARA 7.

DB92450,0000031 ­54­12OCT07­8/12

•7 Qualidade do
Combustível
Execute o procedimento VERIFICAR QUALIDADE DA ALIMENTAÇÃO DE
COMBUSTÍVEL descrito na seqüência deste manual.
SIM: VÁ PARA 8.

Ainda há fumaça preta quando o motor é operado sob as condições em que a fumaça NÃO: Problema corrigido.
preta foi observada?

DB92450,0000031 ­54­12OCT07­9/12

•8 Reprogramar a ECU Reprograme a ECU com o payload mais recente, se isto já não foi feito durante este
procedimento.
SIM: VÁ PARA 9.

Ainda há fumaça preta quando o motor é operado sob as condições em que a fumaça NÃO: Problema corrigido.
preta foi observada?

Continua na página seguinte DB92450,0000031 ­54­12OCT07­10/12

CTM507 (16JUL09) 04­150­20 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=206
Testes e Diagnósticos Observáveis

•9 Verificar Sensor de
Pressão da Linha de
Combustível
1. Ignição desligada, motor desligado.

2. Desconecte o conector P05 do sensor de pressão da linha de combustível.


3. Desconecte o conector J1 da ECU.
4. Execute o TESTE DE TERMINAIS no conector do sensor de pressão da linha de
combustível e no conector J1.
5. No chicote, meça a resistência entre o sinal do sensor de pressão da linha de
combustível (P05­1) e o sinal de pressão da linha na ECU (J1­E3).
6. No chicote, meça a resistência entre a alimentação de 5V do sinal do sensor de
pressão da linha de combustível (P05­3) e a alimentação de 5V da ECU (J1­D3).
7. No chicote, meça a resistência entre o retorno do sensor de pressão da linha de SIM: VÁ PARA 10.
combustível (P05­2) e o retorno da ECU (J1­E2).
Os resultados do Teste de Terminais foram bons e todas as resistências mediram NÃO: Corrija o problema.
menos que 10 ohms? Teste novamente o
desempenho do motor.
DB92450,0000031 ­54­12OCT07­11/12

•10 Substituir Sensor de


Pressão da Linha de
Combustível
1. Substitua o sensor de pressão da linha de combustível.

NOTA: Verifique se o sensor de pressão da linha de combustível de reposição


tem o número de peça correto para motor 6,8L/4,5L.

2. Reconecte todos os conectores elétricos.


3. Teste novamente o desempenho do motor. SIM: Problema corrigido.
O desempenho do motor voltou ao normal? NÃO: Abra um caso DTAC.
DB92450,0000031 ­54­12OCT07­12/12

CTM507 (16JUL09) 04­150­21 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=207
Testes e Diagnósticos Observáveis

E6 ­ O Motor de Arranque não Gira


DN22556,000028A ­54­12OCT07­1/15

E6 ­ Procedimento de Diagnóstico de Motor de Arranque Não Girando


Resposta da Unidade de Controle:
A ECU não é parte do circuito de partida do motor.
Referências Adicionais:
NOTA: Os diagramas de fiação apresentados são para chicotes OEM fornecidos pela John Deere. Os números,
cores e conectores de ligação em ponte dos fios não são usados em todas as aplicações.

Para informações sobre a fiação:


­ ver DIAGRAMA 3, FIAÇÃO DA ECU 4,5L 12V, 5
­ ver DIAGRAMA 3, FIAÇÃO DA ECU 4,5L 24V, 5
­ ver DIAGRAMA 3, FIAÇÃO DA ECU 6,8L 12V, 5
­ ver DIAGRAMA 3, FIAÇÃO DA ECU 6,8L 24V, 5
na Seção 06, Grupo 210 na seqüência deste manual.
Para informações sobre teste de terminais e conectores, ver TESTE DE TERMINAIS na Seção 04, Grupo 160 na
seqüência deste manual.
IMPORTANTE: Não force as sondas nos terminais do conector ou poderão ocorrer danos. Use
o Kit de Teste do Adaptador do Conector JT07328 para fazer as medições nos conectores.
Este procedimento evitará a ocorrência de danos no terminal.
DN22556,000028A ­54­12OCT07­2/15

•1 Verificações
preliminares
1. Verifique se há maus contatos, terminais corroídos ou cabos desconectados nas
baterias, motor de arranque, solenóide do arranque, relé de partida e terra de
ponto único.

2. Verifique fusível F01.


3. Verifique se quaisquer interruptores remotos para desligar o motor estão na
posição FUNCIONAR.
4. Se a aplicação não tiver interruptores remotos, verifique se o jumper do interruptor SIM: Repare o problema.
remoto no conector C15 está presente. VÁ PARA 13
Algum problema foi encontrado? NÃO: VÁ PARA 2
DN22556,000028A ­54­12OCT07­3/15

•2 Verificar Carga da
Bateria
1. Ignição desligada, motor desligado.

2. Meça a voltagem do terminal da bateria. SIM: VÁ PARA 3


A voltagem está maior que 12,2V para sistemas de 12V ou 24,4V para sistemas de NÃO: Recarregar ou
24V? substituir baterias. VÁ
PARA 13

Continua na página seguinte DN22556,000028A ­54­12OCT07­4/15

CTM507 (16JUL09) 04­150­22 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=208
Testes e Diagnósticos Observáveis

•3 Verificar Voltagem
da Bateria Enquanto
Tenta Arrancar
1. Ignição ligada, motor desligado por 30 segundos.

2. Monitore a voltagem do terminal da bateria.


3. Mantenha a chave de contato na posição de partida por 3 segundos. SIM: VÁ PARA 5
A voltagem está maior que 11V para sistemas de 12V ou 22V para sistemas de 24V NÃO: VÁ PARA 4
enquanto tenta dar partida no motor?
DN22556,000028A ­54­12OCT07­5/15

•4 Teste de Carga das


Baterias
1. Ignição desligada, motor desligado.

2. Teste de carga das baterias. SIM: Verifique se há


problemas internos
no motor de arranque.
Verifique se há bloqueio
hidráulico ou no motor, ou
carga não desengatada.
As baterias foram aprovadas no teste de carga? NÃO: Recarregar ou
substituir baterias. VÁ
PARA 13
DN22556,000028A ­54­12OCT07­6/15

•5 Verificar Voltagem
de Alimentação da
Bateria do Relé de
1. Ignição desligada, motor desligado.

Partida

2. Meça a voltagem do terminal de alimentação de voltagem da bateria do relé de SIM: VÁ PARA 6


partida ao terra de ponto único.
A voltagem difere no máximo 1V da voltagem do terminal da bateria? NÃO: Repare o problema.
VÁ PARA 13
DN22556,000028A ­54­12OCT07­7/15

•6 Verificar Voltagem
na Bobina do Relé
de Partida
NOTA: Algumas aplicações podem ter interruptores de segurança ou outras
intertravas que interrompem o circuito de controle do relé de partida (lado
alto ou terra). Consulte as informações do fabricante do equipamento para
determinar se a aplicação tem alguma intertrava de partida.

1. Monitore a voltagem entre o terminal da parte alta da bobina do relé de partida (fio
entre chave de contato e relé) e o terra de ponto único.
2. Mantenha a chave de contato na posição de partida por 3 segundos. SIM: VÁ PARA 7
A voltagem difere no máximo 2V da voltagem do terminal da bateria quando se tenta NÃO: VÁ PARA 11
dar partida no motor?

Continua na página seguinte DN22556,000028A ­54­12OCT07­8/15

CTM507 (16JUL09) 04­150­23 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=209
Testes e Diagnósticos Observáveis

•7 Verificar Terra da
Bobina do Relé de
Partida
1. Monitore a voltagem entre o terminal da parte alta da bobina do relé de partida e o
terminal terra da bobina do relé de partida.

2. Mantenha a chave de contato na posição de partida por 3 segundos. SIM: VÁ PARA 8


A voltagem difere no máximo 2V da voltagem do terminal da bateria quando se tenta NÃO: Repare o circuito de
dar partida no motor? terra aberto. VÁ PARA 13
DN22556,000028A ­54­12OCT07­9/15

•8 Verificar Voltagem
de Saída do Relé
de Partida
1. Monitore a voltagem entre o terminal de saída do relé de partida e o terra de
ponto único.

2. Mantenha a chave de contato na posição de partida por 3 segundos. SIM: VÁ PARA 9


A voltagem difere no máximo 2V da voltagem do terminal da bateria quando se tenta NÃO: Substitua o relé de
dar partida no motor? partida. VÁ PARA 13
DN22556,000028A ­54­12OCT07­10/15

•9 Verificar Circuito de
Controle da Solenóide
da Partida
NOTA: Alguns motores de arranque com engrenagem de redução podem ter
um relé de partida adicional localizado perto do motor de partida que
controla a voltagem fornecida à solenóide de arranque. Consulte o
fabricante do motor de arranque para mais informações.

1. Monitore a voltagem entre o terminal "S" do solenóide de partida e o terra de


ponto único.
2. Mantenha a chave de contato na posição de partida por 3 segundos. SIM: VÁ PARA 10
A voltagem difere no máximo 2V da voltagem do terminal da bateria quando se tenta NÃO: Corrija circuito
dar partida no motor? aberto entre a saída do relé
de partida e a solenóide de
partida. VÁ PARA 13
DN22556,000028A ­54­12OCT07­11/15

•10 Verificar Cabos do


Sistema de Partida
1. Monitore a voltagem entre o terminal da bateria da solenóide de partida e o
terminal de terra da partida (conexões de cabo grande).

2. Mantenha a chave de contato na posição de partida por 3 segundos. SIM: Remova e teste na
bancada o motor de partida
e a solenóide de partida.
A voltagem difere no máximo 2V da voltagem do terminal da bateria quando se tenta NÃO: Verifique se há mau
dar partida no motor? contato e alta resistência no
cabos da partida. VÁ PARA
13

Continua na página seguinte DN22556,000028A ­54­12OCT07­12/15

CTM507 (16JUL09) 04­150­24 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=210
Testes e Diagnósticos Observáveis

•11 Verificar Voltagem de


Alimentação da Chave
de Contato
1. Ignição desligada, motor desligado.

2. Meça a voltagem entre o terminal de alimentação da bateria da chave de contato e SIM: VÁ PARA 12
o terra de ponto único.
A voltagem difere no máximo 2V da voltagem do terminal da bateria? NÃO: Corrija circuito
aberto entre a chave de
contato e o terminal positivo
da bateria. VÁ PARA 13
DN22556,000028A ­54­12OCT07­13/15

•12 Verificar Chave de


Contato
1. Monitore a voltagem entre o terminal de partida da chave de contato e o terra de
ponto único.

2. Mantenha a chave de contato na posição de partida por 3 segundos. SIM: Corrija o circuito
aberto entre a chave de
contato e o terminal do lado
alto da bobina do relé de
partida. VÁ PARA 13
A voltagem difere no máximo 2V da voltagem do terminal da bateria quando se tenta NÃO: Substitua a chave de
dar partida no motor? contato. VÁ PARA 13
DN22556,000028A ­54­12OCT07­14/15

•13 Verificação Tente dar partida no motor. SIM: Problema reparado.

O motor dá partida? NÃO: VÁ PARA 1


DN22556,000028A ­54­12OCT07­15/15

CTM507 (16JUL09) 04­150­25 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=211
Testes e Diagnósticos Observáveis

E7 ­ Mau Funcionamento da Marcha Lenta


do Motor
DB92450,0000061 ­54­12OCT07­1/13

E7 ­ Procedimento de Diagnóstico de Marcha Lenta Ruim


DB92450,0000061 ­54­12OCT07­2/13

•1 Verificar se há DTCs
Ativos
Este teste foi indicado durante execução de procedimentos de diagnóstico para um
DTC?
SIM: VÁ PARA 2

NÃO: Verifique e solucione


qualquer DTC ativo antes
de executar este teste. VÁ
PARA 2
DB92450,0000061 ­54­12OCT07­3/13

•2 Itens Possivelmente
Confundidos com
Marcha Lenta Ruim
Verifique os itens a seguir, que podem ser confundidos com marcha lenta ruim:

• Acessórios do motor como embreagem do A/C ou acionamentos de ventiladores


ligando e desligando.
• Alterações no chicote da máquina e/ou motor como rádios ou acessórios não SIM: Problema reparado.
originais.
Desativar ou desligar temporariamente estes acessórios restaura o desempenho do NÃO: VÁ PARA 3
motor?

DB92450,0000061 ­54­12OCT07­4/13

•3 Teste de Corte Execute o TESTE DE CORTE DE CILINDRO ­ INSTRUÇÕES DE TESTE DO


MOTOR no Service ADVISOR com o motor em marcha lenta baixa.
SIM: VÁ PARA 5

O som do motor se altera por igual quando cada injetor injetor é desativado no Teste NÃO: VÁ PARA 4
de Corte do Cilindro?

DB92450,0000061 ­54­12OCT07­5/13

•4 Verificar Compressão Execute o Teste de Compressão do Service ADVISOR. SIM: Verifique a


compressão com
manômetro mecânico.
A compressão no(s) cilindro(s) com baixa contribuição identificado(s) no Passo 3 NÃO: Substitua o(s)
também é pelo menos 10% menor que a de outros cilindros? (compressão baixa e injetor(es) no(s) cilindro(s)
contribuição baixa no mesmo cilindro)?
com baixa contribuição.
Verifique novamente a
qualidade da marcha lenta.

DB92450,0000061 ­54­12OCT07­6/13

•5 Verificar Ar no
Combustível
Execute procedimento de TESTE DE AR NO COMBUSTÍVEL descrito na seqüência
deste manual.
SIM: Problema reparado.

O desempenho do motor voltou ao normal? NÃO: VÁ PARA 6

Continua na página seguinte DB92450,0000061 ­54­12OCT07­7/13

CTM507 (16JUL09) 04­150­26 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=212
Testes e Diagnósticos Observáveis

•6 Teste do Sistema
de Alimentação de
Combustível a Baixa
Execute o F1 ­ TESTE DO SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO DE COMBUSTÍVEL A BAIXA SIM: Problema reparado.
PRESSÃO descrito na seqüência deste manual.

Pressão

O desempenho do motor voltou ao normal? NÃO: VÁ PARA 7


DB92450,0000061 ­54­12OCT07­8/13

•7 Teste do Sistema
de Alimentação de
Combustível a Alta
Execute o F2 ­ TESTE DO SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO DE COMBUSTÍVEL A ALTA
PRESSÃO descrito na seqüência deste manual.
SIM: Problema reparado.

Pressão

O desempenho do motor voltou ao normal? NÃO: VÁ PARA 8


DB92450,0000061 ­54­12OCT07­9/13

•8 Verificar Qualidade
do Combustível
Execute o procedimento VERIFICAR QUALIDADE DA ALIMENTAÇÃO DE
COMBUSTÍVEL descrito na seqüência deste manual.
SIM: Problema reparado.

O desempenho do motor voltou ao normal? NÃO: VÁ PARA 9


DB92450,0000061 ­54­12OCT07­10/13

•9 Verificar Acelerador 1. Acelerador em posição de marcha lenta baixa.

2. Monitore o pontos de informação da posição do acelerador no Service ADVISOR. SIM: Verifique se há


problemas no circuito do
acelerador.
O ponto de informação da posição do acelerador indica alteração de mais de 3% NÃO: VÁ PARA 10
no sinal do acelerador?

DB92450,0000061 ­54­12OCT07­11/13

•10 Verificar Ajuste de


Válvulas
Execute o ajuste de válvulas. SIM: Problema reparado.

O desempenho do motor voltou ao normal? NÃO: VÁ PARA 11

DB92450,0000061 ­54­12OCT07­12/13

•11 Reprogramação da
ECU
Baixe o payload mais recente e reprograme a ECU. SIM: Problema reparado.

O desempenho do motor voltou ao normal? NÃO: Abra um caso DTAC.

DB92450,0000061 ­54­12OCT07­13/13

CTM507 (16JUL09) 04­150­27 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=213
Testes e Diagnósticos Observáveis

E8 ­ Ruído Anormal no Motor


Sintoma Problema Solução

E8 ­ Ruído Anormal no Motor Ar no Combustível Execute o procedimento de TESTE


DE AR NO COMBUSTÍVEL na
seqüência desta seção.

Rolamentos principais ou bronzinas Determinar a folga dos rolamentos.


da biela gastos Ver ESPECIFICAÇÕES DE BLOCO
DE CILINDRO, CAMISAS, PISTÕES
E BIELAS na Seção 06, Grupo
200 ou ESPECIFICAÇÕES
DO VIRABREQUIM, MANCAIS
PRINCIPAIS E VOLANTE DO
MOTOR na Seção 06, Grupo 200 do
manual do motor base.

Folga excessiva na extremidade do Verificar a folga na extremidade do


virabrequim virabrequim. Ver VERIFICAR FOLGA
FINAL DO VIRABREQUIM na Seção
02, Grupo 040 do manual do motor
base.

Tampas do rolamento principal Verificar a folga dos rolamentos,


frouxas substituir os rolamentos e os
parafusos conforme necessário.
Ver ESPECIFICAÇÕES DO
VIRABREQUIM, MANCAIS
PRINCIPAIS E VOLANTE DO
MOTOR na Seção 06, Grupo 200 do
manual do motor base.

Buchas gastas nas hastes de conexão Inspecione as buchas e os pinos do


e nos pinos do pistão pistão. Ver INSPECIONAR PINOS
DO PISTÃO E BUCHAS na Seção 02,
Grupo 030 do manual do motor base.

Pistões marcados Inspecionar os pistões. Ver


INSPECIONAR PINOS DO PISTÃO
E BUCHAS na Seção 02, Grupo 030
do manual do motor base.

Engrenagens de sincronização gastas Verifique se há folga excessiva


ou com excesso de folga na engrenagem de distribuição.
Veja MEDIÇÃO DA FOLGA
FINAL DO COMANDO DE
VÁLVULAS e MEDIÇÃO DA
FOLGA DA ENGRENAGEM DE
SINCRONIZAÇÃO na Seção 02,
Grupo 050 do manual do motor base.

Folga excessiva na válvula Verificar e ajustar a folga da válvula.


Ver VERIFICAR E AJUSTAR FOLGA
DE VÁLVULAS na Seção 02, Grupo
020 do manual do motor base.

Continua na página seguinte DN22556,000028C ­54­12OCT07­1/2

CTM507 (16JUL09) 04­150­28 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=214
Testes e Diagnósticos Observáveis

Sintoma Problema Solução

Comando de válvulas gasto Inspecionar o eixo de comando. Ver


INSPEÇÃO VISUAL DO COMANDO
DE VÁLVULAS na Seção 02, Grupo
050 do manual do motor base.

Eixo(s) do braço oscilante gasto(s) Inspecione os eixos de balancim. Ver


DESMONTAR E INSPECIONAR
CONJUNTO DO EIXO DO
BALANCIM na Seção 02, Grupo
020 do manual do motor base.

Lubrificação insuficiente do motor Ver 4,5L/6,8L ­ L2 ­ BAIXA PRESSÃO


DO ÓLEO DO MOTOR na Seção 04,
Grupo 150 do manual do motor base.

Ruído no turbocompressor Ver INSPEÇÃO DO TURBOCOM­


PRESSOR na Seção 02, Grupo 080
no manual do motor base.

DN22556,000028C ­54­12OCT07­2/2

CTM507 (16JUL09) 04­150­29 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=215
Testes e Diagnósticos Observáveis

E9 ­ Acelerador Analógico Primário Não


Responde
DN22556,000028D ­54­12OCT07­1/8

E9 ­ Acelerador Analógico Primário Não Responde


DN22556,000028D ­54­12OCT07­2/8

•1 Leitura de DTCs e
Armazenamento
de Informações
1. Ignição ligada, motor desligado.

NOTA: Quando os DTCs são apagados, as informações instantâneas de


TODOS OS DTCs também são apagadas.
Instantâneas

2. Para se conectar ao Service ADVISOR, veja CONEXÃO AO SERVICE


ADVISOR anteriormente neste Grupo.
3. Anote todos os DTCs e a freqüência de ocorrência. Se quaisquer DTCs tiverem
informações de gravação ou de captura instantâneas, salve as informações.
Para instruções sobre como usar ou salvar as informações instantâneas, veja
INSTRUÇÕES SOBRE INFORMAÇÕES INSTANTÂNEAS anteriormente neste
Grupo.
4. Atualize os Códigos. SIM: Primeiro, solucione
esses códigos.
Há algum DTC ativo? NÃO: VÁ PARA 2
DN22556,000028D ­54­12OCT07­3/8

•2 Teste de Combustível
a Baixa Pressão
Execute o teste de combustível a baixa pressão, ver F1 ­ TESTE DO SISTEMA DE
ALIMENTAÇÃO DE COMBUSTÍVEL A BAIXA PRESSÃO na seqüência deste manual.
SIM: VÁ PARA 3

Aprovado no teste? NÃO: Retorne para


o procedimento F1 ­
TESTE DO SISTEMA
DE ALIMENTAÇÃO DE
COMBUSTÍVEL A BAIXA
PRESSÃO e execute os
testes.

DN22556,000028D ­54­12OCT07­4/8

•3 Teste de Combustível
a Alta Pressão
Execute o teste de combustível a alta pressão, ver F2 ­ TESTE DO SISTEMA DE
ALIMENTAÇÃO DE COMBUSTÍVEL A ALTA PRESSÃO na seqüência desta Seção.
SIM: VÁ PARA 4

Aprovado no teste? NÃO: Retorne para


o procedimento F2 ­
TESTE DO SISTEMA
DE ALIMENTAÇÃO DE
COMBUSTÍVEL A ALTA
PRESSÃO e execute os
testes.

Continua na página seguinte DN22556,000028D ­54­12OCT07­5/8

CTM507 (16JUL09) 04­150­30 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L
082709

PN=216
Testes e Diagnósticos Observáveis

•4 Teste de Resposta
do Acelerador
1. Ignição ligada, motor ligado.

2. Ajuste o acelerador em diferentes pontos de velocidade. SIM: Problema corrigido,


volte à manutenção.
O motor respondeu ao movimento do acelerador? NÃO: VÁ PARA 5
DN22556,000028D ­54­12OCT07­6/8

•5 Reprogramação da
ECU
1. Baixe o payload de software de ECU mais recente.

2. Programe a ECU e assegure que as corretas opções de acelerador estejam SIM: VÁ PARA 6
disponíveis na página de ajustes conforme é iniciada a seqüência de programação.
A programação foi bem sucedida? NÃO: Repita esta etapa.
Se a ECU ainda não foi
programada, ver D5­ A ECU
NÃO PROGRAMA COM
O SERVICE ADVISOR na
Seção 4, Grupo 160 na
seqüência deste manual.
DN22556,000028D ­54­12OCT07­7/8

•6 Teste de Resposta
do Acelerador
1. Ignição ligada, motor ligado.

2. Ajuste o acelerador em diferentes pontos de velocidade. SIM: Problema corrigido,


volte à manutenção.
O motor respondeu ao movimento do acelerador? NÃO: Abra um caso DTAC.
DN22556,000028D ­54­12OCT07­8/8

CTM507 (16JUL09) 04­150­31 Sistema Eletrônico de Combustível Nível 16


para motores 4,5 L e 6,8 L