Você está na página 1de 5

Portugal do século XX

Da Revolução Republicana de 1910 à Ditadura Militar de 1926

A 5 de Outubro de 1910 instaurou-se a República em Portugal, que


durou cerca de 16 anos.
Desde cedo, a 1.ª República começou a sentir alguma instabilidade e
agravam-se alguns problemas que não conseguia resolver.

Mas porquê??? O que contribuiu para


essa instabilidade?? Quais eram os
problemas??

 Instabilidade política: Portugal durante os 16 anos teve 8


 presidentes da republica e 45 governos, sendo que alguns
governos duravam apenas algumas semanas.
 Desordem social: Apesar das medidas que lançaram demoraram
muito tempo a serem postas em pratica – nas fabricas os operários
continuavam a viver em condições miseráveis. Por isso, as
manifestações e greves eram constantes e frequentes. O
analfabetismo, apesar de diminuir, não alcançaram os resultados
esperados – muitas crianças continuavam a trabalhar no campo e
fabricas. As medidas religiosas acabaram por não serem bem
vistas pelos portugueses que eram muito devotos e ligados á
igreja.
 Crise económica: A crise económica que vinha desde a monarquia
continuava e gravou-se devido à instabilidade politica, à desordem
social e à participação de Portugal na 1º Guerra Mundial. Neste
período, aumentaram os impostos e os preços, havia falta de
produtos essenciais.

Os portugueses tinham várias razões para estarem insatisfeitos com a


1ªRepública

O descontentamento social e o sentimento de que a República não arranjava solução


para os problemas que afetavam o país era cada vez maior.
A incapacidade dos governos republicanos em solucionar a crise instalada conduziu ao
golpe militar de 28 de maio de 1926, chefiado pelo o general Gomes da Costa iniciou
que se iniciou em Braga, com destino a Lisboa. Pelo caminho não encontrou resistência,
pois a população estava descontente. De forma simples o general Gomes da Costa saiu
vencedor e instaura uma Ditadura Militar. A 1ª República chega ao fim.
O Estado Novo (1933-1974): A ascensão de Salazar e a
construção do Estado Novo

Em 1928, o Presidente da República, Óscar Carmona, convidou António de


Oliveira Salazar para chefiar a pasta das Finanças.
Era urgente controlar as contas públicas, pois, mesmo depois do golpe militar
de 1926, a situação económico-financeira de Portugal continuava muito grave.
António Oliveira de Salazar aceitou o cargo, mas com algumas exigências.

Que medidas tomou Salazar para tirar o país da difícil situação


financeira em que se encontrava?

• aumentou os impostos, para garantir mais dinheiro ao Estado;


• diminuiu as despesas com saúde, educação e assistência social;
• reduziu os salários dos funcionários públicos;
• incentivou as exportações.
Qual o resultado??
Em pouco tempo, equilibrou as contas públicas e reduziu a dívida
portuguesa.
Como resultado do excelente trabalho realizado na área das Finanças, Salazar
passou a ocupar o cargo de Presidente do Conselho de Ministros. Passou assim
acumular dois cargos.
 Política de obras públicas
Do programa político de Salazar constava a implementação de um programa
de construção de grandes obras públicas.

Qual era o objetivo dessa medida? A realização de grandes obras


públicas, exigiria muita mão de obra. Desta forma, Salazar travava o
desemprego
Qual e melhorava
era o objetivo as condições de vida de milhares de portugueses.
desta medida?

PONTE DA ARRÁBIDA, NO PORTO. PONTE SALAZAR (ATUAL PONTE 25 DE ABRIL), EM LISBOA.


HOSPITAL SÃO JOÃO, NO PORTO.
FACULDADE DE LETRAS DA
UNIVERSIDADE DE LISBOA.

HOSPITAL SANTA MARIA, EM LISBOA.


ESTÁDIO NACIONAL DO JAMOR, EM
LISBOA.
Devido acumulação de algum dinheiro e de não participar na II Guerra
Mundial, Portugal não precisou de pedir dinheiro – empréstimos.
Para além das obras publicas, Salazar apostou também nas industrias,
nos transportes e na produção de energia elétrica.
Apesar do esforço para a modernização do País, muitos portugueses
continuavam a viver em condições difíceis. A emigração surgia como uma
possibilidade de vir a ter uma vida melhor. Para onde emigravam? Para França
e Alemanha.

 Constituição de 1933
Portugal tinha uma Constituição, contudo, António Oliveira de Salazar
reformulou-a. Assim, em 1933 foi aprovada a nova Constituição e com ela inicia-se
um período histórico que ficou conhecido por ESTADO NOVO.
Que mudanças foram introduzidas com a Constituição de 1933?

Salazar controlava o poder executivo. O poder legislativo cabia à Assembleia


Nacional, formada pelos deputados. O poder judicial era exercido pelos tribunais.
Mas o facto é que Salazar foi concentrado em si todos os poderes, não respeitando a
Constituição. Salazar controlava o Governo e a Assembleia Nacional (que apenas
aprovava as leis)
Assim, foram REFORÇADOS os poderes do chefe do Governo e LIMITADOS
os poderes do Parlamento.
O único partido a estar representado na Assembleia Nacional seria a partido da
UNIÃO NACIONAL.
Salazar estabeleceu em Portugal uma ditadura. Numa ditadura o chefe de
governo é um ditador que toma todas as decisões do país. Não respeita
liberdades e os direitos dos cidadãos, recorrendo à força para impor as suas
decisões.
Estado Novo toda a gente tem que obedecer e não por em causa nada

 Suportes da ditadura salazarista


Salazar controlava toda a sociedade e governava o país de forma autoritária,
não permitindo que qualquer tipo de oposição. Mas como fez isso???

1. Um Partido Único
Não autoriza a existência de partido políticos. Apenas existia a União
Nacional – partido único.

2. Proibição da Greve
Proibiu o direito á greve e à manifestação. Os sindicatos passaram a
ser controlados.

3. Censura prévia
Não havia liberdade de expressão. Foi criada uma comissão de
“censura previa” que tinha como função examinar todos os jornais,
revistas, filmes, teatros, … Para além disso, tinham que “cortar” tudo
aquilo que pudesse prejudicar o regime.

4. Policia politica - PIDE


Foi criada uma policia politica, que tinha informadores secretos e
perseguia todos aqueles que manifestassem ideias contra o governo
ou fossem considerados opositores do regime.
PIDE – Policia Internacional e de Defesa do Estado
5. Legião Portuguesa e Mocidade Portuguesa
O Estado Novo sempre teve muita atença à formação das crianças e
dos jovens, por isso foi exercida uma profunda vigilância nessas
camadas. Neste sentido, criou duas organizações:
 Mocidade portuguesa – faziam parte todos os estudantes do
ensino primário e secundário, onde se impunham os valores da
disciplina e obediência ao Estado Novo.
 Legião Portuguesa – organização militar para a defesa do
regime e combater a oposição.

6. Propaganda
Para garantir e manter o apoio da população portuguesa foi
organizado um sistema de propaganda:
 Existiam livros “obrigatórios” que as pessoas liam, onde
elogiavam Salazar e o seu governo.
 A imprensa (jornais, radio e televisão) e inúmeros cartazes
mentalizavam a população par as vantagens do Estado Novo,
escondendo aos portugueses a realidade.
 Organizavam-se comissões, cortejos históricos, congressos e
grandes exposições.
Existia um secretariado próprio para controlar a propaganda:
Secretariado da Propaganda Nacional.

 Os opositores do regime: resistência ao Estado Novo