Você está na página 1de 291

INSTRUÇÕES DE USO

Nome Técnico:
Ventilador Pressão e Volume

Nome Comercial:
Ventilador Pulmonar Servo-s,
marca MAQUET

Representante no Brasil: Fabricante/ Distribuidor/ Exportador:


Maquet do Brasil Equipamentos MAQUET Critical Care AB
Médicos Ltda. Rontgenvagen 2,
Rua Tenente Alberto Spicciati, 200 - SE-171 95, Solna
Barra Funda - CEP 01140-130 Suécia
São Paulo / SP - Brazil
Tel.: +55 11 2608-7386
Fax: +55 11 2608-7359
AFE/ANVISA: UW756M882LLH
CNPJ: 06.028.137/0001-30
Inscrição Estadual: 116.737.597.111

Responsável Técnico: Rogério Sanson R. da Silva


Registro CREA/SP nº. 5060771762D

Registro na ANVISA N.º: 80259110034

Versão 6.0
Servo-s
Índice

ÍNDICE

1. Manual do Utilizador do Servo-s V6.0 191 páginas

2. Anexo – Informações Complementares 94 páginas

Instruções de Uso
x

Manual do Utilizador

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1


| ÍNDICE |

ÍNDICE

1 Introdução | 5
2 Apresentação geral do sistema | 15
3 Fonte de alimentação | 35
4 Apresentação geral do funcionamento | 41
5 Controlar e gravar | 59
6 Ventilação, modos e funções | 67
7 Alarmes | 127
8 Acessórios opcionais | 137
9 Mensagens do sistema | 141
10 Configuração de inicialização | 151
11 Dados técnicos | 155
12 Definições | 171
13 Apêndice • Interface do utilizador | 175
14 Certificados | 187
15 Índice remissivo | 189

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 3


Infologic 1.42
| ÍNDICE |

4 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


Infologic 1.42
| Introdução | 1 |

1 INTRODUÇÃO
ÍNDICE

1.1 Descrição do dispositivo | 6


1.2 Advertências, precauções, informações | 8
importantes e notas
1.3 Versão e configurações | 13

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 5


| 1 | Introdução |

1.1 DESCRIÇÃO DO DISPOSITIVO 1.1.3 UTILIZAÇÃO PRETENDIDA

Esta seção fornece informações gerais sobre O SERVO-s Ventilator System foi concebido
o SERVO-s Ventilator System juntamente com para o tratamento e monitorização de pacientes,
as linhas de orientação para a utilização desde pacientes pediátricos a adultos, com
apropriada. falha respiratória ou insuficiência respiratória.

1.1.1 DIAGRAMA DO DISPOSITIVO 1.1.4 UTILIZADOR A QUE SE DESTINA

O SERVO-s Ventilator System só deve ser


utilizado por:
prestadores de cuidados de saúde
1
profissionais, e
pessoas que tenham recebido formação na
utilização deste sistema, e
2 pessoas que tenham experiência com o
tratamento por ventilação.

3
1.1.5 AMBIENTE DE UTILIZAÇÃO
SVS_0001_EN
PRETENDIDA

O SERVO-s Ventilator System só deve ser


1.1.2 COMPONENTES DO DISPOSITIVO utilizado:
em hospitais
O SERVO-s Ventilator System é constituído
pelos seguintes componentes: em centros cujo objetivo principal seja
1. Interface do utilizador—para definir os fornecer cuidados de saúde
modos de ventilação, ver os dados dos durante o transporte de um paciente dentro
pacientes e indicar alarmes dos hospitais ou dos centros de saúde
2. Unidade do paciente—para misturar gases
3. Sistema respiratório do paciente—para
1.1.6 LIMPEZA E MANUTENÇÃO
debitar e trocar gases
Consulte o Manual do Utilizador, Limpeza e
Manutenção do SERVO-i/s.

6 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Introdução | 1 |

1.1.7 DIRETRIZES PARA MANUTENÇÃO 1.1.8 RENÚNCIAS

Ambiente de utilização indevida


CUIDADOS:
A MAQUET não tem qualquer
Assistência regular: O SERVO-s
responsabilidade relativamente ao
Ventilator System tem de receber
funcionamento seguro do SERVO-s
assistência a intervalos regulares por
Ventilator System se os requisitos de
profissionais com formação
Ambiente de utilização pretendida
especializada autorizados pela MAQUET.
especificados neste documento não forem
Registros de assistência
seguidos.
completa:Todas as assistências
Manutenção não profissional
realizadas no SERVO-s Ventilator System
A MAQUET não se responsabiliza pelo
têm de ficar registradas num registro de
funcionamento seguro do SERVO-s
manutenção, de acordo com os
Ventilator System se a instalação,
procedimentos do hospital e com os
assistência ou os reparos forem
regulamentos locais e nacionais.
realizadas por outras pessoas, para além
Contrato de Assistência: do pessoal autorizado pela MAQUET.
Recomendamos vivamente que toda a
assistência ao SERVO-s Ventilator
System seja realizado como parte de um
contrato de assistência com a MAQUET.

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 7


| 1 | Introdução |

1.2 ADVERTÊNCIAS, PRECAUÇÕES, 1.2.1 GENERALIDADES


INFORMAÇÕES IMPORTANTES E
NOTAS Este manual resume as funções e
funcionalidades de segurança do SERVO-s
Siga estas orientações de segurança. Ao longo Ventilator System. Não é todo abrangente e
deste documento surgirão avisos adicionais não deve ser encarado como substituto da
ligados ao contexto. formação.

As informações estão realçadas com Aviso,


AVISO!
Cuidado, Importante ou Nota, onde:
Efetue sempre uma Verificação antes
da utilização antes de ligar o ventilador
AVISO! Indica informação vital sobre um a um paciente.
resultado potencial grave para o paciente
Se ocorrer algum dos seguintes,
ou para o utilizador.
interrompa a utilização do ventilador e
contate um técnico de assistência:
CUIDADO: Indica instruções que devem - Janelas de contexto desconhecidas
ser cumpridas de modo a assegurar o na tela.
adequado funcionamento do equipamento. - Alarmes não resolvidos
- Sons desconhecidos
Importante: Indica informações com o - Qualquer evento desconhecido ou
objetivo de o ajudar a trabalhar com o inexplicado
equipamento ou com os dispositivos Quando o ventilador está ligado a um
ligados a este de modo fácil e conveniente. paciente:
- Não levante nem desligue a cassete
Nota: Indica informações que requerem expiratória.
atenção especial. - Monitorize continuamente as
definições e medições apresentadas
na tela.

8 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Introdução | 1 |

O SERVO-s Ventilator System deve ser CUIDADOS:


operado apenas por pessoal autorizado, A legislação federal (EUA) estipula que a
devidamente formado na sua utilização. venda deste dispositivo só pode ser feita
Deve ser operado de acordo com as por um médico ou por sua indicação.
instruções fornecidas neste Manual de Quando o ventilador está ligado a um
utilização. paciente:
Não cubra o ventilador de nenhuma - Não deixe o paciente sozinho.
forma, dado que o funcionamento do - Certifique-se de que tem disponível
equipamento pode ser adversamente por perto um ressuscitador.
afetado.
Consulte as Instruções de instalação
Quando o ventilador é utilizado para para a montagem do sistema ou as
MCare Remote Service, use apenas opções para obter a montagem
equipamento de rede que seja seguro e mecânica adequada.
esteja em conformidade com os padrões
Quando levantar ou deslocar o sistema
elétricos e de EMC relevantes, tais
de ventilação ou peças do sistema, siga
como o IEC-60950.
as diretrizes ergonôôomicas
Nota: O cabo de rede está excluído estabelecidas, consulte a assistência
deste requisito. técnica e tome as devidas precauções
Desligue sempre o cabo de rede antes de segurança.
de iniciar a ventilação quando o Antes da utilização, assegure-se de que
ventilador for usado para MCare Remote a versão do sistema exibida por baixo
Service. de Estado corresponde à versão do
A ventilação da pressão positiva pode sistema descrita no Manual do Utilizador.
ser associada aos seguintes efeitos Deverão ter-se cuidados adicionais ao
adversos: barotrauma, hipoventilação, manusear tubos, conectores e outras
hiperventilação ou dificuldade peças do circuito do paciente.
circulatória. Recomenda-se a utilização do Support
O SERVO-s Ventilator System não se Arm para aliviar o paciente do peso do
destina a ser utilizado durante a sistema de tubagem.
radioterapia, uma vez que poderá causar Quando usar a função MCare Remote
a avaria do sistema. Service, instale o cabo de rede de forma
que não exista o risco de alguém
tropeçar neste.
Não modifique nem remova qualquer
peça original.
O canal expiratório e o gás expirado do
orifício de escape podem estar
contaminados.

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 9


| 1 | Introdução |

A MAQUET não tem qualquer Importante: Utilize sempre o auto


responsabilidade relativamente ao umidificador (HME) ou equipamento para
funcionamento seguro do SERVO-s evitar a desidratação dos tecidos
Ventilator System se os requisitos de pulmonares.
Utilização pretendida especificados neste
documento não forem seguidos.
Contate um representante da MAQUET
relativamente à retirada de serviço do
equipamento.
Apenas os acessórios, consumíveis e
equipamento auxiliar recomendados pela
MAQUET devem ser utilizados com o
sistema de ventilação. O uso de
quaisquer outros acessórios, peças
sobressalentes ou equipamento auxiliar
poderá degradar o desempenho e a
segurança do sistema.

10 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Introdução | 1 |

1.2.2 FONTE DE ALIMENTAÇÃO 1.2.3 PERIGO DE INCÊNDIO

AVISOS! AVISOS!
O cabo de alimentação só pode ser Mantenha o sistema e respectivos tubos
ligado a uma tomada elétrica de CA de gás afastados de todas as fontes de
devidamente ligada à terra. ignição.
Se só estiverem montadas baterias Não utilize o sistema com tubos gastos
incorporadas dentro da unidade do ou danificados em com tubos que
paciente, é ativado um alarme de tenham sido contaminados por materiais
prioridade alta caso uma ou mais destas combustíveis, como óleo ou gordura.
baterias estejam em falta. O gás enriquecido com oxigênio é
extremamente inflamável: se detectar um
cheiro a queimado, desligue a
CUIDADOS: alimentação de oxigênio, a alimentação
NÃO utilize tubagens anti-estáticas ou de rede e remova as baterias.
tubagens de condução elétrica com Certifique-se de que tanto a tomada de
este sistema. alimentação de rede como o conector
Evite tocar nos pinos do conector da fonte de alimentação estão
elétrico externo. acessíveis.

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 11


| 1 | Introdução |

1.2.4 GASES 1.2.5 EQUIPAMENTO AUXILIAR

CUIDADO: O sistema não se destina a ser CUIDADOS:


utilizado com qualquer tipo de agente Os acessórios, alimentação e
anestésico. equipamento auxiliar utilizados com o
ventilador devem:
- ser recomendados pela MAQUET
Importante:
Os gases fornecidos devem cumprir os - estar em conformidade com as
requisitos de gases de grau médico de normas IEC 60601-1-1
acordo com as normas aplicáveis. - estar em conformidade com as
Níveis máximos: normas IEC na qualidade de sistema
Ar integral
3
H2O < 7 g/m Se tiver um sistema de evacuação (ou
3 seja, evacuação de gases) ligado ao
Óleo < 0,5 mg/m
1 ventilador, este tem de estar em
Cloro: não deve ser detectável
conformidade com as orientações da
ISO8835-3 no que diz respeito à pressão
OxigÊênio
3 subatmosférica e ao fluxo induzido.
H2O < 20 mg/m
3 Valores das medições de parâmetros que
Óleo < 0,3 mg/m
foram processados pelo equipamento
auxiliar:
- podem ser imprecisas se utilizar
equipamento não autorizado pela
MAQUET
- devem ser descontados se estiverem
em conflito com as informações na
tela do ventilador
- não podem substituir decisões
terapêuticas ou de diagnóstico

1. Se o ar comprimido for produzido por um compressor de anel líquido, existe o potencial risco de cloro no ar
fornecido.
12 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador
| Introdução | 1 |

1.3 VERSÃO E CONFIGURAÇÕES


Este manual aplica-se à versão 6.1 do
SERVO-s Ventilator System.

1.3.1 GAMA DE PACIENTES (KG)

Peso 10 – 250 kg.

1.3.2 OPÇÕES DO SERVO-S VENTILATOR SYSTEM - LISTA DAS FUNÇÕES DISPONÍVEIS


E INDICA SE ESTÃO INCLUÍDAS OU SE SÃO OPCIONAIS

Configuração padrão PRVC

Opções SIMV (PRVC) + PS

Bi-Vent

Ventilação Não-invasiva (NIV)

Mecânica Pulmonar

VC (volume controlado)

PC (pressão controlada)

PS/CPAP

SIMV (VC) + PS

SIMV (PC) + PS

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 13


| 1 | Introdução |

14 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Apresentação geral do sistema | 2 |

2 APRESENTAÇÃO GERAL DO SISTEMA


ÍNDICE

2.1 Ventilador | 16
2.2 Interface do utilizador - Ligações, etiquetas e | 18
símbolos
2.3 Navegar na interface de utilizador | 21
2.4 Unidade do paciente - Ligações, etiquetas e | 28
símbolos
2.5 Transporte e armazenamento intra-hospitalar | 33

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 15


| 2 | Apresentação geral do sistema |

2.1 VENTILADOR
A Interface do Utilizador é utilizada para
controlar as definições do ventilador. As
definições podem ser ajustadas utilizando as
teclas de membrana da tela ou os botões
rotativos.

Os parâmetros respiratórios são medidos e


controlados continuamente. A diferença entre
o valor real de um parâmetro medido e o valor
predefinido ou calculado resulta no ajuste do
fornecimento de gás para conseguir o valor
pretendido.

O sistema tem dois módulos de gás, um para


ar e outro para O2. Os gases podem ser
fornecidos a partir de um sistema de tubagem
hospitalar, um compressor ou tanques de gás.

CUIDADO: Bloqueie as rodas se o


ventilador não for utilizado para transporte.

Certifique-se de que o ventilador está


posicionado na sua posição de bloqueio no
carrinho ou suporte utilizado, para evitar
movimentos inadvertidos.

16 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Apresentação geral do sistema | 2 |

2.1.1 DIAGRAMA DA APRESENTAÇÃO 2.1.2 COMPONENTES DO SISTEMA


GERAL DO SISTEMA
1. Alimentação de ar e de O2
2. Cabo de alimentação
3. Interface do utilizador
4. Unidade do Paciente
5. Entrada expiratória
2 5 6. Servo duo Guard, filtro
anti-viral/anti-bacteriano
4 7. Saída inspiratória
9 8. Sistema do paciente
9. Entrada de ar de emergência
1
6
8 7

SERVO-s_Overview

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 17


| 2 | Apresentação geral do sistema |

2.2 INTERFACE DO UTILIZADOR - 13. Mensagens de alarme


LIGAÇÕES, ETIQUETAS E 14. Área da curva—para monitorização de
SÍMBOLOS dois a três parâmetros escalados
individualmente, incluindo um laço de
A Interface do Utilizador inclui:
volume/pressão e um laço de
uma tela com teclas de membrana ativas
fluxo/volume
teclas fixas
15. Apresentação de valores medidos e
botões rotativos limites de alarme (personalizáveis)
16. Programações adicionais
2.2.1 COMPONENTE DA INTERFACE DO 17. Valores medidos adicionais
UTILIZADOR 18. Altofalante
19. Suporte para cabo do cabo de controle
Consulte o Diagrama da interface do utilizador
para saber a localização dos seguintes 20. Gaveta para a placa de circuito impresso
componentes numerados: com uma cobertura
1. Modo ativo de ventilação 21. Cabo de controle
2. Admitir paciente/Dados introduzidos do 22. Conector de assistência
paciente e data de admissão 23. Interruptor de ligar/desligar (na posição
3. Parâmetros do estado do sistema de Ligado; quando está na posição de
4. Teclas fixas Desligado, a bateria continua a carregar)
5. Botão Rotativo Principal—utilizado para 24. Braço de bloqueio para inclinação da
selecionar uma tecla de membrana ou tela
caixa de parâmetro do menu, para ajustar 25. Número do modelo
valores e para confirmar definições 26. Número de série
6. Teclas de Funções Especiais—utilizadas 27. Informação de fabricação
para iniciar funções ventilatórias especiais
7. Botões de Acesso Direto—utilizado para
ajuste imediato dos parâmetros
respiratórios
8. Indicador de energia CA (verde)
9. Indicador de modo Em Espera (amarelo)
10. Iniciar/Parar (Em espera) tecla de
ventilação
11. Detector de luminescência—para ajuste
automático do brilho da tela
12. Mensagens de texto informativas, que
incluem um símbolo púrpura quando o
triggering é feito pelo paciente

18 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Apresentação geral do sistema | 2 |

2.2.2 DIAGRAMA DA INTERFACE DO


UTILIZADOR

1 2 3 11

12 13

4
14 15

16 17 5

10 9 8 7 6

20
18
19

21 23

24
25
26

22 27
SVS-0013_XX

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 19


| 2 | Apresentação geral do sistema |

2.2.3 SÍMBOLOS DA INTERFACE DO


UTILIZADOR

Símbolos Descrição
Áudio em pausa - silenciar ou
confirmar um alarme. Nota: Este
símbolo pode ser diferente,
dependendo da versão do painel.
Áudio desligado

Áudio em pausa - todos os alarmes,


ativos e inativos são
pré-silenciados.
Tecla fixa reservada para utilização
futura
Atenção—consultar a documentação
Nota: Este símbolo pode ser
diferente, dependendo da versão do
painel

Em espera/Início da ventilação—a
cor amarela indica Em espera
Indicador de energia—a cor verde
indica que a alimentação de CA está
ligada
Bateria—indica que o ventilador está
a utilizar a energia da bateria, com a
previsão dos minutos restantes
Interruptor de ON/OFF (ligar/desligar)
Indicação do trigger—surge no
campo da mensagem/alarme quando
o paciente desencadeia uma
respiração
Volume controlado com adaptação
do fluxo
Volume controlado sem adaptação
do fluxo
Volume controlado com fluxo
desacelerante

Nota: Os símbolos da unidade do paciente


estão descritos mais à frente neste capítulo.

20 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Apresentação geral do sistema | 2 |

2.3 NAVEGAR NA INTERFACE DE Para ajustar as definições do ventilador:


UTILIZADOR 1. Ative o menu pretendido tocando numa
das teclas de membrana na parte superior
As subseções que se seguem fornecem os da tela.
procedimentos gerais para trabalhar com a
2. Ative o parâmetro desejado pressionando a
interface do utilizador. Mais à frente neste
respectiva tecla de membrana.
capítulo e no Apêndice irá encontrar
A tecla está agora realçada a branco com
procedimentos mais detalhados para tarefas
uma moldura azul e é possível introduzir
específicas.
um novo valor.
3. Gire o Botão Rotativo Principal até ao
2.3.1 ECRÃ SENSITIVO
valor ou linha pretendida.
4. Confirme a sua definição pressionando a tecla
de membrana de parâmetro ou pressionando
o Botão Rotativo Principal.
A tecla de membrana do parâmetro fica
novamente azul indicando que foi
introduzida a nova definição.
5. Toque em Aceitar para ativar as suas
definições ou em Cancelar para
recomeçar.

Importante: Não utilize ferramentas afiadas


na tela.

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 21


| 2 | Apresentação geral do sistema |

2.3.2 BOTÃO ROTATIVO PRINCIPAL 4. Confirme a definição pressionando o Botão


Rotativo Principal.
A tecla de membrana do parâmetro fica
novamente azul indicando que foi
introduzida uma nova definição.
5. Toque em Aceitar para ativar as suas
definições ou em Cancelar para
recomeçar.

Nota: Quando atingir os limites de


segurança definidos para um dado
parâmetro, o Botão Rotativo Principal deixa
SVS-6021_XX
de funcionar durante 2 segundos para
indicar que foi atingido um limite.

Utilizar um método alternativo para ajuste das


definições do ventilador depois de ativado o
menu pretendido:
1. Gire o Botão Rotativo Principal até a tecla
de membrana do menu pretendido
apresentar uma estrutura azul.
2. Pressione a o Botão Rotativo Principal para
confirmar.
A tecla de membrana do menu fica
realçada a branco com uma moldura azul,
indicando que pode introduzir um novo
valor.
3. Gire o Botão Rotativo Principal até ao
valor ou linha pretendida.

22 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Apresentação geral do sistema | 2 |

2.3.3 TECLAS FIXAS

Há dois grupos de teclas fixas na tela da


interface do utilizador:
1. As teclas no grupo 1 ativam as funções
da interface do utilizador, como a de
Salvar , e acessam várias telas, como
o do Menu.
2. As teclas no grupo 2 iniciam funções
ventilatórias especiais

Importante: As funções ventilatórias


especiais requerem uma supervisão
contínua.

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 23


| 2 | Apresentação geral do sistema |

2.3.4 BOTÕES DE ACESSO DIRETO


AVISO! Quando ajustar um parâmetro
Os quatro botões dispostos ao longo da base respiratório com um Botão de Acesso
da tela da interface do utilizador são os Direto, o parâmetro muda imediatamente
Botões de Acesso Direto. Permitem o a partir da respiração seguinte; não é
controle direto de quatro parâmetros necessária confirmação adicional.
respiratórios selecionados automaticamente
em função do modo de ventilação.

Utilização dos Botões de Acesso Direto

SVS-5089_EN

Para ajustar diretamente um parâmetro


respiratório:
1. Rode o Botão de Acesso Direto
correspondente ao parâmetro que
pretende alterar até o valor pretendido
estar apresentado na tela.

24 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Apresentação geral do sistema | 2 |

Botões de acesso direto - Segurança


Nota: Quando atingir os limites de
Os parâmetros dos quatro Botões de Acesso segurança definidos para um dado
Direto são apresentados no fundo da tela parâmetro, o Botão de Acesso Direto
com barras codificadas por cores que indicam deixa de funcionar durante 2 segundos para
se os valores do parâmetro estão dentro dos indicar que foi atingido um limite de
limites geralmente reconhecidos. segurança.

SVS-5003_XX

A figura acima mostra os seguintes


componentes.
1. Um Botão de Acesso Direto
2. Uma barra amarela indica que o valor do
parâmetro correspondente está fora dos
limites de segurança; são apresentadas
informações de aconselhamento.
3. Uma barra vermelha indica que o valor de
parâmetro correspondente está
significativamente fora dos limites de
segurança; é apresentado um aviso de
aconselhamento acompanhado por um
sinal sonoro.

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 25


| 2 | Apresentação geral do sistema |

2.3.5 TECLA MENU Pressione qualquer uma das seguintes teclas de


membrana.
4. Alarme
5. Analisar
6. Compensado
7. Biomed
8. Bloqueio do painel
8
Para mais informações, consulte Apêndice •
Interface do utilizador na página 175.

SVS-5019 XX

Para acessar as janelas da interface do


utilizador:
1. Pressione a tecla fixa Menu.
Aparecem teclas de membrana que levam
às janelas da interface do utilizador.
2. Se a tecla de membrana mostrar o ícone
de uma folha, pressione a tecla de membrana
para abrir uma janela da interface de
utilizador, OU
3. Se a tecla de membrana mostrar o ícone
de uma seta, pressione a tecla de membrana
para ver o submenu.

26 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Apresentação geral do sistema | 2 |

2.3.6 TECLA DE MEMBRANA DE ESTADO Pressione qualquer uma das seguintes teclas de
membrana.
2. Informação geral do sistema
3. Estado da célula de O2 / sensor de O2
4. Estado da cassete expiratória
5. Estado das baterias
6. Opções instaladas

7 7. Estado da Verificação antes da utilização

SVS-5008_XX

A tecla de membrana de Estado indica a fonte


de alimentação em utilização pelo ventilador
(alimentação CA, alimentação da bateria ou
alimentação externa de 12V CC). Se o
ventilador estiver funcionando com alimentação
da bateria, é apresentado, em minutos, o
tempo da bateria previsto restante.

Para acessar a janela de estado:


1. Pressione a tecla de membrana Estado.
Aparecem as teclas de membrana que
levam às janelas de estado.

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 27


| 2 | Apresentação geral do sistema |

2.4 UNIDADE DO PACIENTE - 16. Opção de ligação de saída de alarme


LIGAÇÕES, ETIQUETAS E 17. Conector RS232
SÍMBOLOS 18. Saída inspiratória
A unidade do paciente é constituída pelos 19. Entrada expiratória
seguintes componentes:
alimentações de gases e os seus
conectores
alimentações de energia e os seus
conectores
conectores para acessórios

2.4.1 COMPONENTES DA UNIDADE DO


PACIENTE

LIGAÇÕES E ETIQUETAS

Consulte o Diagrama da Unidade do Paciente


para saber a localização dos seguintes
componentes numerados:
1. Saída expiratória
2. Entrada de gás para ar
3. Número do modelo
4. Número de série
5. Informação de fabricação
6. Entrada de gás para O2
7. Ventoinha de refrigeração com filtro
8. Pressão do gás de entrada
9. Tensão da alimentação de CA
10. Etiqueta do fusível T 2.5AL
11. Terminal de equipotencialidade, etiqueta
12. Conector de alimentação de CA com
fusível
13. Conector da interface do utilizador
14. Fusível para fonte de alimentação de CC
externa
15. Externos +12V CC entrada

28 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Apresentação geral do sistema | 2 |

DIAGRAMA DA UNIDADE DO PACIENTE

- +
12V

SVS-0048_XX

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 29


| 2 | Apresentação geral do sistema |

FLUXO DE GÁS ATRAVÉS DA UNIDADE DO 9. O fluxo de gás através do canal


PACIENTE expiratório é medido por transdutores
ultra-sôonicos.
Consulte o diagrama de fluxo de gás da
10. A pressão expiratória é medida pelo
Unidade do Paciente para saber a localização
transdutor de pressão expiratória
dos seguintes componentes numerados:
(localizado dentro do ventilador). O
1. Entrada de gás para O2
transdutor está protegido por um filtro
2. Entrada de gás para ar bacteriológico existente na cassete
3. O fluxo de gás é regulado pelos módulos expiratória.
de gás para Ar e O2. 11. A pressão (pressão PEEP) no sistema do
4. Os gases são misturados na seção de paciente é regulada pela válvula expiratória.
mistura inspiratória. 12. O gás do sistema do paciente sai do
5. A concentração de oxigênio pode ser ventilador através da saída expiratória. A
medida com uma célula de O2 ou um saída contém uma válvula anti-retorno.
sensor de O2.
6. É apresentada aqui uma célula de O2. Nota: A cassete expiratória pode ser
A célula de O2 está protegida por um filtro trocada entre SERVO-s e SERVO-i
bacteriológico. Ventilator Systems diferentes. Faça sempre
uma verificação antes da utilização após a
A pressão do gás misturado alimentado
troca da cassete expiratória.
ao paciente é medida pelo Transdutor de
pressão inspiratória. O transdutor está
protegido por um filtro bacteriológico.
7. O canal inspiratório alimenta o gás
misturado às tubagens inspiratórias do
sistema do paciente. O canal inspiratório
também contém uma válvula de
segurança.
8. A tubagem expiratória do sistema
respiratório do paciente está ligada à
entrada expiratória. A entrada também
contém um copo de condensação.

30 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Apresentação geral do sistema | 2 |

GÁS DA UNIDADE DO PACIENTE-DIAGRAMA


DE FLUXO

3 4 5 6

2 7

to Patient

11 10 9

12 8

SVS-0099_EN

from Patient

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 31


| 2 | Apresentação geral do sistema |

2.4.2 SÍMBOLOS DA UNIDADE DO PACIENTE

Símbolos Explicação Símbolos Explicação


Etiqueta CE—indica conformidade Fusível de 10A para fonte de
com os requisitos da Diretiva alimentação de CC externa.
Comunitária relativa aos Dispositivos
Médicos 93/42/CEE. 12V CC / Bat ext. 12V—Entrada
externa de 12V CC
Etiqueta CSA—Indica conformidade Nota: Este símbolo pode ser
com as normas canadianas e dos diferente, dependendo da versão do
C US EUA painel
Equipamento de classe I, Tipo Etiqueta expiratória—fluxo de gás do
B—indica classificação em paciente.
conformidade com a IEC 60601-1/EN
60601-1
Etiqueta inspiratória—fluxo de gás
Tipo de peça aplicada. para o paciente.

Etiqueta do orifício de escape do


Terminal de equipotencialidade gás—fluxo do gás de escape do
Nota: O terminal de ventilador
equipotencialidade foi concebido Nota: Este orifício não deve estar
para a ligação de um condutor de ligado a um espir^^ometro porque o
equalização potencial em volume que atravessa o orifício de
conformidade com a norma escape não é igual ao volume
DIN 42 801 e EN/IEC 60601-1. A expirado pelo paciente.
função do terminal de
equipotencialidade consiste em Opção de ligação de saída de
equalizar os potenciais registrados alarme—comunicação de saída do
entre o sistema e outros dispositivos alarme externa
médicos elétricos que possam ser
tocados em simultâneo. O terminal Resíduos especiais. Este produto
de equipotencialidade não deve ser contém componentes eletronicos e
utilizado para proceder a uma ligação elétricos. Elimine os componentes
à terra de proteção. descartáveis, substituídos e que
sobrem em conformidade com as
RS 232 / Porta serial - conector para normas industriais e ambientais
comunicação de dados. adequadas.

Nota: Este símbolo pode ser Cuidado


diferente, dependendo da versão do
painel

Conector da Interface do Consulte as instruções de utilização


Utilizador/painel
Nota: Este símbolo pode ser
diferente, dependendo da versão do
painel

Conector opcional/expansão

Nota: Este símbolo pode ser


diferente, dependendo da versão do
painel

32 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Apresentação geral do sistema | 2 |

2.4.3 SÍMBOLOS NOS ACESSÓRIOS E 2.5 TRANSPORTE E


EMBALAGEM ARMAZENAMENTO
INTRA-HOSPITALAR
Símbolos Explicação
Não reutilizar. Para uma única 2.5.1 ANTES DO TRANSPORTE
utilização.
Reciclagem. As baterias gastas Antes de transportar o ventilador com ou sem
devem ser recicladas ou
adequadamente descartadas em um paciente ligado, siga as orientações do
conformidade com as normas centro de prestação de saúde e:
industriais e ambientais apropriadas. Certifique-se de que a unidade do paciente
Resíduos perigosos
(infecciosos)
Resíduos perigosos (infecciosos) O está fixa firmemente na unidade móvel e
dispositivo contém peças que não
podem ser eliminadas juntamente bloqueada.
com os resíduos normais. Certifique-se de que todos os acessórios
como as garrafas de gás e umidificador
estão fixos firmemente e bloqueados.
Certifique-se que as garrafas de gás estão
ligadas e têm gás suficiente.
Certifique-se que as baterias estão
completamente carregadas.
Inspecione o ressuscitador.
Inspecione o Mobile Cart quanto a danos.

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 33


| 2 | Apresentação geral do sistema |

2.5.2 DURANTE O TRANSPORTE 2.5.3 ARMAZENAMENTO

Quando transportar o ventilador com ou sem


CUIDADOS:
um paciente ligado, siga as orientações do
Quando o SERVO-s Ventilator System
centro de prestação de saúde e:
está em armazenamento, mantenha o
Utilize as alças no Mobile Cart.
ventilador ligado à corrente elétrica para
Transporte a cama e o ventilador manter a carga total nas baterias.
lentamente e observe cuidadosamente a
Não elimine os módulos da bateria e as
ligação do paciente para ver se não ocorrem
células de O2 junto com os resíduos
puxões ou outros movimentos.
normais.
Quando movimentar o Support Arm ou
Certifique-se de que o sistema não é
mudar de posição, observe a ligação ao
exposto a temperaturas abaixo dos
paciente cuidadosamente para confirmar que o o
-25 C ou acima dos +60 C.
não ocorre nenhum movimento de arrasto
ou de outro tipo. Certifique-se de que o sistema não é
exposto a uma umidade relativa
Tenha cuidado para não inclinar o Mobile
superior aos 95%.
Cart quando passar por um obstáculo,
como um degrau.

34 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Fonte de alimentação | 3 |

3 FONTE DE ALIMENTAÇÃO
ÍNDICE

3.1 Introdução | 36
3.2 Verificação do estado da bateria | 37
3.3 Alarmes e segurança | 39

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 35


| 3 | Fonte de alimentação |

3.1 INTRODUÇÃO 3.1.1 ESPECIFICAÇÕES DA FONTE DE


ALIMENTAÇÃO
O SERVO-s Ventilator System está equipado
com uma alimentação de CA com seleção Fonte de alimentação, seleção automática
automática. O ventilador funciona correta e 100-120V ±10%, 220-240V ±10%, CA
automaticamente utilizando tomadas 50-60Hz.
elétricas de 100-120V CA ou 220 - 240V CA.
Alimentação bateria
O ventilador está equipado com dois módulos Encontram-se instalados dois módulos fixos
de bateria que fornecem automaticamente de bateria que fornecem uma hora de
uma corrente de 12V CC caso haja uma falha funcionamento de reserva.
de alimentação elétrica CA, garantindo assim
que as definições do ventilador e os dados 12V CC externa
salvos permanecem intactos. 12,0V - 15,0V CC, 10A
O tipo de conector é referido no
O ventilador também está equipado com uma Manual de Assistência.
tomada de entrada para uma alimentação
externa de 12V CC. Esta alimentação é Consumo máximo de energia
automaticamente ativada caso haja uma falha A 110-120V: 2A, 190VA, 140W.
de energia, e as definições do ventilador e os A 220-240V: 1A, 190VA, 140W.
dados armazenados permanecem intactos.
Alarmes e mensagens
Consulte Alarmes e Segurança na página 39.

3.1.2 RESUMO DOS DADOS DA BATERIA

Resumo dos dados da bateria


Tempo de vida 2,5 anos a contar
da data de fabricação
Módulos instalados 2
Tempo de funcionamento 60 minutos
com módulos totalmente
carregados
Tempo de recarga 6 horas (até 12
horas se a bateria
estiver
completamente
descarregada)
Temperatura de 15 - 20°C (59 -
armazenamento 68°F)
recomendada (bateria
desligada)

36 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Fonte de alimentação | 3 |

3.2 VERIFICAÇÃO DO ESTADO DA 2. Pressione a tecla de membrana Baterias para


BATERIA ver a Janela de Estado da Bateria.

Quando está funcionando a partir das baterias,


é apresentado o tempo restante previsto das
baterias em minutos no canto superior direito
da tela, na tecla de membrana Estado.

AVISO! Se o tempo restante da bateria na


tecla de membrana Estado for apresentado
a vermelho, os módulos da bateria já não
têm muito tempo de funcionamento e os
módulos da bateria têm de ser substituídos.
SVS-9032
Se for possível, ligue o ventilador à fonte
de alimentação de CA.
As informações que se seguem são
apresentadas para cada módulo de bateria
Nota: O tempo total de alimentação por instalado:
bateria utilizável é a soma do tempo de Número de ranhura
funcionamento previsto indicado para cada
Número de série
módulo de bateria menos 10 minutos.
Indicador de carga, em que
0 caixas preenchidas = < 10% de carga
As informações detalhadas do estado da
relativa
bateria estão disponíveis através da Janela
Estado da bateria: 1 caixa preenchida = 10 a 25% de carga
1. Pressione a tecla de membrana de Estado relativa
no canto superior direito da interface do 2 caixas preenchidas = 26 a 50% de carga
utilizador para ver a Janela de Estado. relativa
3 caixas preenchidas = 51 a 75% de carga
relativa
4 caixas preenchidas = 76 a 100% de carga
relativa
Tempo de funcionamento restante em
minutos
Instruções de atividade—pode ser
apresentada uma instrução junto ao tempo
restante de funcionamento em minutos:

SVS-9033

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 37


| 3 | Fonte de alimentação |

Instruções de atividade Resposta


Validade expira em Encomende um módulo
breve de bateria novo.
Substitua a bateria A bateria já não é con-
fiável; substituir
imediatamente.

Nota: Se for apresentada a instrução de


atividade Substitua a bateria ou Validade
expira em breve, significa que a bateria já
não é confiável ou deixará de ser confiável
em breve, independentemente do tempo de
funcionamento apresentado na Janela de
Estado da Bateria. Neste caso, substitua a
bateria mesmo quando a janela de estado
indica que ainda existe um tempo de
funcionamento significativo.

38 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Fonte de alimentação | 3 |

3.3 ALARMES E SEGURANÇA 3.3.1 AVISOS

O ventilador controla continuamente o estado


AVISOS!
dos módulos de bateria. Se o estado não for
Para garantir uma alimentação de bateria
satisfatório, poderão ser apresentados quatro
confiável, deve instalar sempre dois mó-
tipos de mensagens na parte superior da
dulos de bateria totalmente carregados.
interface do utilizador:
Substitua sempre as baterias quando o
Mensagem de erro técnico
software do ventilador o notificar da
Mensagem de alarme de alta prioridade
expiração iminente ou da diminuição da
Mensagem de alarme de média prioridade capacidade de funcionamento.
Mensagem informativa de texto Elimine as baterias de acordo com os
regulamentos locais e nunca com os
Esta seção descreve a sequência de alarmes
resíduos normais.
dos quais é feito o triggering no caso de surgir
uma falha de corrente ou de o aparelho se Depois de instalar um novo módulo de
desligar da alimentação; avisos com os quais bateria, veja a Janela de Estado da
se deve ter cuidado para assegurar uma Bateria para assegurar o funcionamento
alimentação de reserva confiável; e as mensa- correto das baterias.
gens de estado relevantes para o funciona- No momento da entrega, os módulos de
mento da bateria. bateria poderão não estar totalmente
carregados. Verifique o estado das
AVISO! Se for apresentada uma mensagem baterias através da interface do utilizador
de estado da bateria na interface do e, se for necessário, carregue a bateria
utilizador, verifique o estado da bateria logo antes de a utilizar ligando o ventilador à
que possível. Se não for tomada qualquer fonte de alimentação.
medida, o ventilador pode, eventualmente, As baterias descarregadas devem ser
desligar-se. sempre carregadas.
Quando não estiver sendo utilizado, o
ventilador deverá estar sempre ligado a
uma fonte de alimentação para garantir
o carregamento completo das baterias.

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 39


| 3 | Fonte de alimentação |

3.3.2 MENSAGENS DE ESTADO

Mensagem (tipo de mensagem) Explicação


Erro técnico n.° 1 - 6, 29, 10001 (erro técnico) Falha de alimentação elétrica.
Verifique o estado das baterias (mensagem de texto Há um problema com os módulos da bateria. É
informativa) necessário substituir um ou mais módulos de
bateria.
Funcionamento com a bateria (alarme de média Alimentação desligada devido a uma falha de
prioridade) alimentação elétrica ou devido ao fato de a
alimentação elétrica ter sido desligada.
Capacidade de bateria limitada (alarme de alta Restam menos de 10 minutos de tempo de
prioridade) funcionamento da bateria.
Bateria sem carga (alarme de alta prioridade) Restam menos de 3 minutos de tempo de
funcionamento da bateria.
Voltagem das baterias baixa (alarme de alta Tensão da bateria muito baixa. Não é possível
prioridade) garantir o funcionamento continuado do ventilador.

3.3.3 FALHA DE ALIMENTAÇÃO


ELÉTRICA

Caso haja uma falha de alimentação elétrica


ou a alimentação seja desligada, o ventilador
muda para funcionamento da bateria e ativa
alarmes de média prioridade. Consulte a
Tabela acima, em Mensagens de Estado, para
mais detalhes.

40 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Apresentação geral do funcionamento | 4 |

4 APRESENTAÇÃO GERAL DO FUNCIONAMENTO


ÍNDICE

4.1 Resumo do fluxo de trabalho | 42


4.2 Verificação antes da utilização | 42
4.3 Teste do circuito do paciente | 49
4.4 Introduzir os dados do paciente | 49
4.5 Selecionar o tipo de ventilação (opções) | 51
4.6 Definir modo de ventilação | 52
4.7 Programar limites de alarme | 53
4.8 Iniciar ventilação | 54
4.9 Janela de definições adicional | 55
4.10 Utilizar a sucção assistida | 56
4.11 Reajustar a célula de oxigênio | 58
4.12 Desligar o paciente | 58

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 41


| 4 | Apresentação geral do funcionamento |

4.1 RESUMO DO FLUXO DE 4.2 VERIFICAÇÃO ANTES DA


TRABALHO UTILIZAÇÃO
O seguinte procedimento de resumo fornece A verificação pré-utilização inclui testes e
uma apresentação geral do funcionamento do medições de:
SERVO-s Ventilator System. funcionalidade técnica interna
1. Ligue o ventilador e faça uma verificação alimentação de gás
antes da utilização.
fuga interna
2. Introduza os dados do novo paciente,
transdutores de pressão
incluindo o peso e a altura.
válvula de segurança
3. Selecione o tipo de ventilação (opção).
Célula de O2/Sensor de O2
4. Defina o modo de ventilação.
transdutores de fluxo
5. Verifique e, se for necessário, ajuste o
perfil de alarme. módulos de bateria

6. Ligue o ventilador ao paciente e inicie a fuga no sistema respiratório do paciente


ventilação. compliance do circuito
7. Durante a ventilação pode:
- utilize as teclas de membrana AVISOS!
Programações adicionais e Perfil do Efetue sempre uma Verificação antes
alarme para rever e ajustar as da utilização antes de ligar o ventilador
programações a um paciente.
- ajustar a célula de O2 (apenas quando O volume do circuito do paciente utilizado
o sensor de O2 não estiver sendo durante a Verificação Antes da Utilização
utilizado) deve ser o mesmo e nunca deve ser
superior durante a ventilação, por
- utilizar a sucção assistida
exemplo, o umidificador ativo tem de
As seções que se seguem descrevem mais ser cheio antes da Verificação Antes da
detalhadamente cada um dos passos Utilização.
indicados acima. O Teste do Circuito do Paciente separado
que pode ser realizado em modo Em
Espera não substitui a Verificação Antes
da Utilização.

42 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Apresentação geral do funcionamento | 4 |

2. Ligue o ventilador.
AVISOS!
Se forem detectadas algumas avarias
durante o procedimento de inicialização,
consulte o capítulo Mensagens do
sistema para obter mais informações.
Não ligue o ventilador a um paciente se
a avaria persistir.
Não levante nem desligue a cassete
expiratória enquanto o ventilador estiver
a funcionar. Se for necessário, levante a
cassete no modo Em espera.

Importante: Se mudar o circuito


respiratório depois de concluir a verificação SVS-6096_XX

antes da utilização, realize uma nova


verificação antes da utilização ou um teste 3. Inicie a Verificação Antes da Utilização
de circuito do paciente. pressionando Sim.

4.2.1 INICIALIZAÇÃO

1. Ligue as alimentações de energia e


de gás:
Alimentação: tomada de CA
Gás: Ar e O2

SVS-5073_XX

4. Siga as instruções na tela.

CUIDADO: Certifique-se de que o cabo


para a interface do utilizador nunca se
desliga enquanto o SERVO-s Ventilator
System está ligado.

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 43


| 4 | Apresentação geral do funcionamento |

4.2.2 TESTE INTERNO 4.2.4 VERIFIQUE O SISTEMA


RESPIRATÓRIO DO PACIENTE

1. Ligue um sistema respiratório completo,


incluindo (se estiver disponível) um
umidificador e um Aeroneb Nebulizer.
Se for utilizado um umidificador ativo,
tem de o encher com água.
SVS-0082_XX

Ligue o tubo de teste azul entre a saída


inspiratória e a entrada expiratória.

Importante: Utilize apenas o tubo de teste


azul da MAQUET.
SVX-155a_XX

4.2.3 VERIFICAR A COMUTAÇÃO ENTRE


A ALIMENTAÇÃO DE CA E A BATERIA Importante: Quando bloquear a peça
em Y, certifique-se de que não há
A Verificação testa a capacidade do ventilador fugas. As fugas afetam o cálculo de
de mudar entre a alimentação de CA e a compensação da compliance do
alimentação da bateria, quando se perde e é sistema.
restaurada a alimentação de CA.
1. Quando aparecem as instruções na tela,
2. Bloqueie a peça em Y e siga as instruções
desligue o ventilador da fonte de
online. A compliance do circuito é medida
alimentação.
automaticamente. Vá para Compensar a
2. Quando aparecem as instruções na tela, compliance do circuito (ver a página 45).
volte a ligar o ventilador à fonte de
alimentação.

Nota: Este teste não será realizado se


houver menos de 10 minutos de tempo de
funcionamento da bateria disponível.

SVX-155b_XX

44 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Apresentação geral do funcionamento | 4 |

4.2.5 COMPENSAR A COMPLIANCE DO 4.2.6 TESTAR A LIGAÇÃO DE SAÍDA DE


CIRCUITO ALARME (OPÇÃO)

Se tiver instalada a opção de Ligação de saída


de alarme, aparece na tela uma caixa de
diálogo referente ao teste do sistema do
alarme externo.

Quando aparece a caixa de diálogo


Compensar a compliance do circuito? na tela,
tome uma das seguintes medidas:
Para adicionar a compensação, pressione Sim.
Para recusar a compensação, pressione Não.
Faça um dos seguintes:
Para realizar o teste, pressione Sim e siga as
Importante: Se o circuito do paciente for
instruções na tela.
alterado, tem de realizar um Teste do
Para cancelar o teste, pressione Não.
circuito do paciente.

Nota: A Compensação da compliance do


circuito não se encontra disponível nos
modos NIV (opção).

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 45


| 4 | Apresentação geral do funcionamento |

4.2.7 COMPLETE A VERIFICAÇÃO ANTES


DA UTILIZAÇÃO

Aparece uma mensagem na tela para cada


teste de Verificação antes da utilização,
conforme apropriado: Cancelado, Falha,
Incompleto, Aprovado ou Em curso.

SVS-5076_XX

Pressione OK para confirmar e para que os testes


de Verificação antes da utilização sejam
registrados. O ventilador volta agora ao modo
Em espera.

Nota: Depois de concluída (ou ignorada) a


Verificação antes da utilização, ser-lhe-á
pedido que salve ou elimine os dados
antigos relacionados com o paciente.

Nota: Acessando o menu Estado, são


exibidos os resultados das duas últimas
Verificações em Geral.

46 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Apresentação geral do funcionamento | 4 |

4.2.8 TESTES DE VERIFICAÇÃO ANTES DA


UTILIZAÇÃO

Teste Descrição Solução se o teste falhar


Teste interno Teste de áudio e outros testes internos Certifique-se de que a cobertura
(memórias e hardware relacionado com dianteira da unidade do paciente e a
a segurança). cobertura traseira da interface do
utilizador estão montadas corretamente.
Teste do barometro Verifica a pressão barométrica medida Verifique o valor da pressão Barométrica
pelo bar^^ôometro interno- na janela de Estado.
Teste de Verifica se as pressões de alimentação Verifique se a pressão de alimentação
alimentação do gás do gás (Ar e O2) medidas pelos de gás (Ar e O2) está dentro da gama
transdutores da pressão de alimentação especificada. Consulte a página 157
do gás estão dentro da gama quanto às especificações.
especificada.
Teste de fuga Verifica se há fugas internas, com o tubo Se aparecer a mensagem Fuga ou Fuga
interna de teste ligado, utilizando os excessiva:
transdutores da pressão inspiratória e verifique se o tubo de teste está
expiratória. ligado corretamente,
Fuga permitida: 10ml/min a 80 cmH2O. verifique todas as ligações para a
cassete expiratória e a seção
inspiratória,
Certifique-se de que a cassete
expiratória e o canal inspiratório estão
limpos e secos,
contate um técnico de assistência.
Teste do transdutor Calibra e verifica os transdutores de Se o teste de fuga interna passou (ver
de pressão pressão inspiratória e expiratória. acima):
verifique/substitua o transdutor de
pressão inspiratória ou expiratória
Certifique-se de que não existe
excesso de água na cassete
expiratória
Teste da válvula de Verifica e, se for necessário, ajusta a Verifique a seção inspiratória:
segurança pressão de abertura da válvula de verifique se a membrana da válvula
segurança para 117 ±3 cmH2O. de segurança está corretamente
assente no tubo inspiratório
verifique se o tubo inspiratório está
corretamente montado na seção
inspiratória
verifique se a válvula de segurança
fecha corretamente quando a
Verificação antes da utilização é
iniciada (ouve-se distintamente um
"clique" da válvula)

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 47


| 4 | Apresentação geral do funcionamento |

Teste Descrição Solução se o teste falhar


Teste à Calibra e verifica a célula/sensor de O2 Verifique se a pressão de alimentação
célula/sensor de O2 a 21% de O2 e a 100% de O2. do gás ligado (Ar e O2) está dentro da
Verifica se a célula de O 2 está gasta. gama especificada.
Este teste não será realizado se faltar um Substitua a célula de O2.
dos gases, uma vez que são necessárias Substitua os módulos de gás (Ar e/ou
várias misturas de gás para a sua O2).
realização.
Teste do transdutor Verifica os transdutores do fluxo Verifique se a pressão de alimentação
de fluxo inspiratório. Calibra e verifica o do gás ligado (Ar e O2) está dentro da
transdutor do fluxo expiratório. gama especificada.
Verifique se a cassete está
corretamente assente no
compartimento da cassete.
Teste de troca de Testes de comutação para a alimentação Verifique se o tempo restante total para
bateria da bateria quando se perde a os módulos de bateria ligados é de, pelo
alimentação de CA e de volta à menos, 10 minutos. Se não for, substitua
alimentação de CA quando é restaurada. a bateria descarregada por uma bateria
totalmente carregada e repita o teste.
Teste de fuga no Verifica a fuga no circuito do paciente, Se o teste de fuga interna passou, a fuga
circuito do paciente com a tubagem do paciente ligada, está localizada no circuito do paciente.
utilizando os transdutores de pressão Verifique se há fugas ou substitua o
inspiratória e expiratória. circuito do paciente.

Fuga permitida: 80 ml/min a 50 cmH2O.

Irá permitir que o sistema calcule uma


compensação para a compliance do
sistema (se forem reunidos os requisitos
de fuga).

Teste do estado de Verifica se não há alarmes de erro Consulte um técnico de assistência.


alarme técnico ativos durante a Verificação
antes da utilização.

48 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Apresentação geral do funcionamento | 4 |

4.3 TESTE DO CIRCUITO DO 4.4 INTRODUZIR OS DADOS DO


PACIENTE PACIENTE
Em modo Em espera, o Teste do circuito do
Importante:
paciente pode ser realizado separadamente da
Os pesos são em quilos.
Verificação antes da utilização. Isto é útil, por
O cálculo do volume corrente e do
exemplo, quando são feitas mudanças ao
volume minuto é baseado no peso
circuito ou quando se ligam acessórios
corporal introduzido. Se omitir estes
adicionais. O teste avalia as fugas no circuito
dados, os valores predefinidos serão
e mede a compliance do mesmo.
utilizados para ventilação. Só será feito
um cálculo automático do Volume
corrente (com base no peso corporal e
executado imediatamente) se o sistema
estiver configurado para Volume corrente
com base no peso corporal.

Pressione a tecla de membrana Teste do circuito


do paciente e siga as instruções na tela.

AVISOS!
Antes de se ligar o ventilador a um
paciente deve-se efetuar sempre uma
Verificação antes da utilização.
O Teste do circuito do paciente não
substitui a Verificação antes da
utilização.

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 49


| 4 | Apresentação geral do funcionamento |

1. Pressione a tecla de membrana Admitir DIAGRAMA DE PROCEDIMENTOS:


paciente. INTRODUZIR DADOS DO PACIENTE
2. Ative as teclas de membrana rodando e
pressionando o Botão rotativo principal ou
9 1
pressionando as teclas de membrana
apropriadas.

Introduza/edite as seguintes características:


3. Nome do paciente
4. Número de identificação
5. Data de nascimento
6. Data de admissão
7. Altura corporal
8. Peso corporal
9. Pressione, por exemplo, Nome para
12 2
introduzir o nome do paciente.
10. Pressione Fechar quando a introdução
está completa.
11. Quando se pressiona a tecla de membrana
de ID, aparece uma tecla de membrana
na janela.
12. Pressione Aceitar para confirmar os novos
dados ou Cancelar para cancelar os novos 10
dados.
11

SVS-6038_XX

50 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Apresentação geral do funcionamento | 4 |

4.5 SELECIONAR O TIPO DE


VENTILAÇÃO (OPÇÕES)

SVS-6107_XX

Tipo de ventilação - invasiva ou ventilação não


invasiva (NIV)

Nota: Os valores predefinidos de fábrica


podem ter sido alterados por um utilizador
anterior.

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 51


| 4 | Apresentação geral do funcionamento |

4.6 DEFINIR MODO DE DIAGRAMA DE PROCEDIMENTOS: DEFINIR


VENTILAÇÃO MODO DE VENTILAÇÃO

Para definir o modo de ventilação e os


parâmetros:
1. Pressione a tecla de membrana Modo.
2. Pressione a seta na tecla de membrana ativa,
Modo.
Aparecem os modos de ventilação
ativos.
3. Pressione a tecla de membrana para o
modo de ventilação desejado.

Nota: Se o tipo de ventilação estiver


definido para NIV (opção), os únicos
modos disponíveis são Pressão
Assistida NIV e Controle da Pressão
NIV.

4. Quando um modo de ventilação tiver sido


selecionado, todos os parâmetros
relacionados podem ser definidos na
mesma janela. Os cálculos também são
apresentados nesta janela.
5. Os valores são ajustados girando o Botão
Rotativo Principal.
6. Confirme cada definição pressionando a
tecla de membrana de parâmetro ou
pressionando o Botão Rotativo Principal.
7. Para ativar todas as programações na
janela, pressione Aceitar, ou para cancelar
as programações pressione Cancelar.

SVS-6032_XX

52 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Apresentação geral do funcionamento | 4 |

4.7 PROGRAMAR LIMITES DE 5. Pressione Regulagem automática se desejar,


ALARME para obter uma proposta para os limites
de alarme nos modos VC, PC e PRVC.

Importante: Antes de aceitar os


valores de Regulagem automática,
confirme se são os adequados para o
paciente. Caso contrário, introduza as
definições manualmente.

6. Pressione Aceitar para ativar os novos limites


de alarme.

Importante: Antes de aceitar os valores


de Regulagem automática, confirme se são
SVS-5087_XX os adequados para o paciente. Caso
contrário, introduza as definições
manualmente.
Para definir os limites do alarme:
1. Pressione a tecla fixa Perfil de alarmes.
Notas:
2. Pressione a tecla de membrana A Regulagem automática não é possível
correspondente ao limite de alarme que em modo Em espera porque o ventilador
pretende ajustar ou pressione a tecla de requer os valores do paciente para propor
membrana Nível de som de alarme. os limites do alarme.
3. Gire o Botão Rotativo Principal para A Regulagem automática não está
ajustar os valores. disponível nos modos suportados ou NIV
4. Confirme cada programação pressionando (opcional).
a tecla de membrana ou o Botão Rotativo Os atuais limites de alarme são
Principal. apresentados durante a ventilação, em
números menores à direita do
visor de parâmetros.
O Botão Rotativo Principal deixa de
funcionar durante 2 segundos quando o
utilizador atinge um limite de segurança
definido para o parâmetro que está sendo
ajustado.

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 53


| 4 | Apresentação geral do funcionamento |

4.8 INICIAR VENTILAÇÃO 4.8.2 INICIAR A VENTILAÇÃO


NÃO-INVASIVA (NIV) (OPÇÃO)
A tecla fixa Em espera é utilizada para iniciar
e parar a ventilação invasiva e não invasiva.

4.8.1 INICIAR VENTILAÇÃO INVASIVA


00:14

SVX-9028_EN

1. Quando a tecla Em espera é pressionada e o


SVS-5020_XX
SERVO-s Ventilator System é configurado
para NIV, é apresentada uma caixa de
1. Quando o sistema é configurado para a diálogo da posição de espera.
ventilação invasiva, pressione a tecla fixa Em
espera (1) para iniciar a ventilação. Nota: Todos os alarmes relacionados
com o paciente ficam desligados durante
120 segundos.

2. Pressione a tecla de membrana Iniciar


ventilação.

Nota: A ventilação começa


automaticamente com o esforço do
paciente.

54 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Apresentação geral do funcionamento | 4 |

4.9 JANELA DE DEFINIÇÕES 5. Uma barra vermelha (aviso) indica que a


ADICIONAL definição selecionada está
significativamente além dos limites
Para ajustar os parâmetros respiratórios geralmente reconhecidos como seguros
durante a ventilação, pressione a tecla de (este aviso é acompanhado por uma sinal
membrana Definições adicionais para abrir a de áudio e uma mensagem de texto).
Janela de definições adicionais.
6. Ao rodar e pressionar o Botão rotativo
principal pode selecionar as definições
e ajustar os valores.

Nota: As novas definições têm efeito a


partir da primeira respiração após o
ajuste (quando a tecla de membrana é
desativada).

7. As curvas e os valores medidos são


apresentados. Assim, os efeitos dos
ajustes efetuados podem ser verificados
imediatamente.
SVS_9001_XX 8. A tecla de membrana Fechar fecha a
Janela de Definições adicionais.

1. A tecla de membrana Definições Nota: A barra de sensibilidade trigger tem


adicionais está no canto inferior esquerdo cores diferentes consoante a programação.
da tela. Uma barra verde indica uma programação
2. São apresentados os valores derivados normal para o triggering do fluxo. O risco
de definições como o tempo de inspiração de self-triggering aumenta quando a barra
em segundos e o fluxo inspiratório está vermelha. Uma barra branca indica
calculado. que a pressão de triggering é necessária.

3. Uma barra branca indica que a definição


selecionada se encontra dentro dos
limites geralmente reconhecidos como
seguros.
4. Uma barra amarela (aconselhamento)
indica que a definição selecionada se
encontra além dos limites geralmente
reconhecidos como seguros.

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 55


| 4 | Apresentação geral do funcionamento |

4.10 UTILIZAR A SUCÇÃO Notas:


ASSISTIDA A Sucção assistida não está disponível
A Sucção assistida torna possível inibir em modo NIV ou quando a função
automaticamente o ventilador do ciclo durante Respirações de O2.
um procedimento de sucção traqueal sem Quando está ligado apenas um gás, não
ativar os alarmes. pode ser definido um nível de oxigênio
elevado durante a fase de preparação.
A sucção assistida inclui: Neste caso, será ignorada a fase
fase de preparação pós-oxigenação.
fase de desligado
fase de pós-oxigenação

AVISOS!
A Sucção assistida não se destina a ser
utilizada juntamente com sistemas de
sucção fechados.
O nível mínimo de PEEP durante a
sucção assistida é de 3 cm H2O. O
sistema Servo-s ajustará para o nível
mínimo se o nível de PEEP for inferior a
3 cm H2O, para detectar que o paciente
foi desligado.

Importante: Os alarmes estão desligados


durante a fase de desligado durante um
máximo de 60 segundos. Se o paciente não
tiver sido ligado novamente no espaço de
60 segundos, os alarmes são ativados.

56 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Apresentação geral do funcionamento | 4 |

4.10.1 FASE DE PREPARAÇÃO 4.10.2 FASE DE DESLIGADO

O sistema entra automaticamente na fase de


desligado quando o paciente é desligado
durante a fase de preparação.

Durante a fase de desligado, estão desligados


os seguintes alarmes até 60 segundos:
Apneia
Volume minuto
Frequência respiratória
PEEP

Quando se volta a ligar o paciente, o sistema


SVS-9000 XX entra automaticamente na fase
pós-oxigenação e reinicia a ventilação.

Para entrar na fase de preparação: Também é possível reiniciar manualmente a


1. Pressione a tecla fixa Acesso rápido. ventilação pressionando a tecla de membrana
Início da ventilação.
2. Pressione a tecla de membrana Sucção
assistida.
4.10.3 FASE DE PÓS-OXIGENAÇÃO
3. Programe o valor de pré-oxigenação
pretendido girando e pressionando o Depois de ter ligado novamente, o ventilador
Botão Rotativo Principal. fornecerá a mesma concentração de oxigênio
como na fase de preparação durante 60
O alarme Verificar tubagem está desligado: a
segundos.
duração máxima da fase de preparação é
120 segundos. Após 120 segundos, o sistema Após 60 segundos, o sistema volta
volta automaticamente à ventilação utilizando automaticamente à ventilação utilizando a
a definição de oxigênio anterior. definição de oxigênio anterior.

Nota: A tecla de membrana Cancelar


fechará o programa de Sucção assistida.

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 57


| 4 | Apresentação geral do funcionamento |

4.11 REAJUSTAR A CÉLULA DE


OXIGÉNIO
Se o ventilador tiver estado em utilização
contínua durante um período alargado, a
concentração de O2 medida poderá descer
devido à degradação normal da célula de
oxigênio. De forma a evitar interferências dos
alarmes nesta situação, é possível ajustar
temporariamente o O2 durante a ventilação.

Quando a função adaptação da célula de O2


está ativa, a célula de oxigênio é reajustada
para que a concentração de O2 medida
atualmente seja igual à concentração de O 2
definida pelo utilizador. Este ajuste temporário SVS-6089_XX

será válido até o ventilador ser desligado.

Nota: Isto não se aplica se o SERVO-s Para reajustar a célula de O2:


Ventilator System tiver instalado um sensor 1. Pressione a tecla fixa Menu.
de O2.
2. Pressione a tecla de membrana Biomed.
3. Pressione a tecla de membrana Adaptação
Importante: Antes de utilizar o SERVO-s da célula de O2.
Ventilator System, realize sempre uma 4. Pressione a tecla de membrana Sim para
Verificação antes da utilização para se efetuar a adaptação da célula de O 2.
certificar de que a célula de O2 está
calibrada corretamente.
4.12 DESLIGAR O PACIENTE
Para desligar e parar a ventilação:
1. Desligue fisicamente o paciente do
ventilador.
2. Pressione a tecla fixa Em espera.
3. Pressione Sim para parar.
4. Desligue o ventilador utilizando o
interruptor de Ligar/Desligar por trás da
Interface de utilizador.

58 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Controlar e gravar | 5 |

5 CONTROLAR E GRAVAR
ÍNDICE

5.1 Apresentação de valores medidos | 60


5.2 Apresentação da curva | 62
5.3 Mostrar Lista de eventos | 65
5.4 Mostrar laços | 65
5.5 Mostrar tendências | 66

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 59


| 5 | Controlar e gravar |

5.1 APRESENTAÇÃO DE VALORES 3. Os valores fora de escala são indicados


MEDIDOS por ***.
4. É possível alterar os valores apresentados
Durante a ventilação, são apresentados os
nas caixas dos valores medidos. (Ver o
valores medidos ou calculados dos
capítulo de Configuração)
parâmetros respiratórios. Esta seção
descreve a apresentação, dá o procedimento
para apresentação das páginas adicionais dos
5.1.2 APRESENTAR PÁGINAS ADICIONAIS
valores medidos e calculados, e lista todos
os valores visíveis.

5.1.1 DESCRIÇÃO

15
20
10

8.5 6.2
8.5
8.5
6.5
6.5

30
40

11
6
SVS.5092_EN

SVS-5011 XX
Para ver mais valores:
1. Pressione a tecla de membrana Valores
Os valores do parâmetro respiratório são adicionais no canto inferior direito da tela.
apresentados no sítio certo da tela. 2. Veja os valores pretendidos.
As unidades são apresentadas. 3. Pressione novamente a tecla de membrana
1. Os limites de alarme são apresentados. Valores adicionais para ver a página de
valores seguinte.
2. Uma seta para cima ou para baixo indica
se foi excedido o limite superior ou inferior
do alarme. Nota: Em modo NIV só existe uma página
Se for excedido o limite de um alarme de valores adicionais.
de alta prioridade, a caixa fica
vermelha.
Se for excedido o limite de um alarme
de média prioridade, a caixa fica
amarela.

60 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Controlar e gravar | 5 |

5.1.3 LISTA DE VALORES

Os valores em negrito são apresentados como predefinição na primeira página.

Ppico Pressão inspiratória máxima


Ppausa Pressão durante a pausa da inspiração final
Pmédia Pressão média das vias aéreas
PEEP Pressão expiratória final positiva
PEEP tot * Programar PEEP + PEEP intrínseca
F. Resp. Frequência Respiratória
O2 Concentração de oxigênio medido em vol.%
Ti Tempo de inspiração
Ct * Constante de tempo
I:E A relação de inspiração para expiração (durante a ventilação controlada)
Ti/Ttotal Ciclo de serviço ou relação do tempo de inspiração com o Tempo do ciclo respiratório
total (durante a respiração espontânea e Bi-Vent).
MVe esp. Volume minuto expiratório espontâneo (Bi-Vent)
MVe esp./MVe A relação entre o Volume minuto expiratório espontâneo e o Volume minuto expiratório
total (Bi-Vent).
MVi Volume Minuto Inspiratório
MVe Volume minuto expiratório
Fuga Fuga % (NIV)
VTi Volume Corrente Inspiratório
VTe Volume corrente expiratório

ee Fluxo expiratório final

C din * Características dinâmicas


C státic * Conformidade com níveis de eletricidade estática, sistema respiratório
E* Elastância
Ri * Resistência inspiratória
Re * Resistência expiratória
WOB v * Trabalho de respiração, ventilador
WOB p * Trabalho de respiração, paciente
P0.1 * Indicador do comando respiratório
SBI * Índice de respiração pouco profunda
* Estes valores são opcionais e estão incluídos na Mecânica Pulmonar.

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 61


| 5 | Controlar e gravar |

5.2 APRESENTAÇÃO DA CURVA


Esta seção descreve a apresentação da
curva e faculta procedimentos para ocultar e
ver as curvas de volume e para ajustar a
velocidade de varrimento e a escala das
curvas.

As seguintes curvas com códigos de cores


são apresentadas como padrão na tela da
interface de utilizador:
pressão vs. tempo
fluxo vs. tempo
volume vs. tempo

5.2.1 DESCRIÇÃO

A apresentação da curva predefinida tem as


seguintes características:
É apresentado o valor de uma parâmetro
medido vs. tempo.
O parâmetro e a escala apresentados estão
indicadas no eixo y.
A apresentação da pressão vs. tempo é
feita em amarelo escuro.
A apresentação do fluxo vs. tempo é feita
a verde.
A apresentação do volume vs. tempo é feita
a azul claro.

62 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Controlar e gravar | 5 |

5.2.2 MOSTRAR E OCULTAR


Notas:
A curva de pressão e de fluxo são
sempre apresentadas. A curva de volume
pode estar oculta. Deste modo, podem
ser apresentadas as curvas 2 ou 3.
Quando se oculta uma curva, as curvas
restantes são expandidas para utilizar
todo o espaço disponível na tela.

SVS-6029_XX

Para mostrar ou ocultar a apresentação da


curva de volume:
1. Pressione a tecla fixa Acesso rápido.
2. Pressione a tecla de membrana Configuração
de curva.
3. Pressione a tecla de membrana
correspondente à curva que pretende
mostrar ou ocultar.

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 63


| 5 | Controlar e gravar |

5.2.3 ESCALA DE AJUSTE/VELOCIDADE Para definir a velocidade de varrimento e a


DE VARRIMENTO amplitude para as curvas apresentadas:
1. Pressione a tecla fixa Acesso rápido.
2. Pressione a tecla de membrana Escalas dos
gráficos.
3. Pressione a tecla de membrana
correspondente à curva cuja escala
pretende alterar ou selecionar uma
velocidade de varrimento (5, 10 ou 20
mm/s).
4. Para ajustar a escala de uma curva, rode
o Botão rotativo principal para o valor
pretendido ou utilize a auto-escala (pressione
Auto).

Importante: A MAQUET não recomenda


a utilização da Auto-escala no modo
Bi-Vent, quando o paciente está respirando
espontaneamente em ambos os níveis.

SVS-6008_XX

64 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Controlar e gravar | 5 |

5.3 MOSTRAR LISTA DE EVENTOS 5.4 MOSTRAR LAÇOS


A função Laços fornece para uma
representação gráfica da relação entre
fluxo-volume e pressão-volume.

SVS-6004_XX

SVS-6079_XX

Para ver a Lista de eventos:


1. Pressione a tecla fixa Menu.
2. Pressione a tecla de membrana Analisar. Para ativar a função Laços:
3. Pressione a tecla de membrana Lista de 1. Pressione a tecla fixa Acesso rápido.
eventos para ver todos os eventos 2. Pressione a tecla de membrana Laços.
registrados. 3. Para fechar a janela, pressione Fechar.
4. Utilize as setas para percorrer.

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 65


| 5 | Controlar e gravar |

5.5 MOSTRAR TENDÊNCIAS 5. Ative o Cursor. Movimente-o para trás e


para a frente no eixo das horas utilizando
Os valores de tendência são armazenados de o Botão Rotativo Principal ou a tela
60 em 60 segundos e ficam retidos durante sensitiva.
um máximo de 24 horas. Os eventos
6. Hora válida para a posição do cursor.
armazenados e as alterações do sistema são
Para marcas de eventos, aparece uma
apresentados como marcas de eventos.
explicação.
7. Carimbos de eventos registrados.

SVS-5016_XX

Para ver as tendências:


1. Pressione a tecla fixa Tendências.
2. Utilize as setas para cima e para baixo
para percorrer entre os diferentes canais
de tendências.
3. Para sair da Janela Tendências, pressione
Fechar.
4. Para ajustar a resolução de tempo, pressione
a tecla de membrana Horas e rode o
Botão Rotativo Principal.

66 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Ventilação, modos e funções | 6 |

6 VENTILAÇÃO, MODOS E FUNÇÕES


ÍNDICE

6.1 Introdução | 68
6.2 Definições importantes | 73
6.3 Programações | 75
6.4 Ventilação controlada - PRVC | 82
6.5 Ventilação controlada – Volume Controlado | 85
6.6 Ventilação controlada – Pressão Controlada | 90
6.7 Ventilação assistida – Pressão assistida | 93
6.8 Espontânea/CPAP | 96
6.9 SIMV | 97
6.10 Bi-Vent | 107
6.11 Ventilação Não-invasiva | 110
6.12 Ventilação de reserva | 114
6.13 Parâmetros da ventilação - descrição geral | 119
6.14 Funções especiais | 123

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 67


| 6 | Ventilação, modos e funções |

6.1 INTRODUÇÃO 6.1.1 AVISOS

O SERVO-s Ventilator System pode funcionar


Nota: Nem todos os avisos se aplicam a
em diversos modos diferentes. Este capítulo
todos os modos.
descreve os modos, as suas definições e as
informações de segurança associadas.
AVISOS!
Também resume as funções ventilatórias Certifique-se de que define os limites de
especiais, a ventilação de reserva e os alarme como apropriado para cada
parâmetros respiratórios. modo. É especialmente
- Alarme de Volume minuto
Consulte no capítulo Dados técnicos os
valores predefinidos e gamas permitidas para - Alarme de Apneia
os parâmetros respiratórios. Deve evitar-se o auto-triggering. Não
defina a sensibilidade do trigger para um
Nota: valor muito elevado.
O SERVO-s Ventilator System é fornecido Para proteger os pulmões do paciente da
predefinido com as seguintes opções de pressão excessiva, é importante
configuração: programar o limite superior de pressão
Os parâmetros respiratórios baseiam-se para um valor adequado.
no Volume minuto ou Volume corrente. Os seguintes avisos aplicam-se apenas
Os parâmetros respiratórios baseiam-se à Ventilação Não Invasiva (NIV):
em Relação I:E ou Tempo de Inspiração. - Evite pressão inspiratória alta uma vez
que pode conduzir a sobredistensão
gástrica e a risco de aspiração.
Também pode causar uma fuga
excessiva.
- Não é recomendada a utilização do
Nebulizador.

68 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Ventilação, modos e funções | 6 |

6.1.2 APLICAÇÃO Permite também uma ventilação controlada


ou assistida combinada. Os esforços da
O SERVO-s Ventilator System também contém respiração espontânea são sentidos durante
ferramentas para ajudar o utilizador na a ventilação controlada, por exemplo, Volume
aplicação de metodologias de recrutamento Controlado. A ventilação obrigatória pode ser
pulmonar. utilizada durante a respiração
assistida/espontânea, por exemplo, a
6.1.3 ÂMBITO – NECESSIDADES funcionalidade SIMV melhorada.
VENTILATÓRIAS
6.1.4 IMPLEMENTAÇÃO

SVS-131_XX SVX-132_XX

O ventilador pode ser utilizado para:


1. ventilação controlada A ventilação pode ser utilizada e administrada
com incidência sobre:
2. ventilação assistida ou
A. pressão e volume
3. respiração espontânea/CPAP
B. pressão
C. fluxo/volume.

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 69


| 6 | Ventilação, modos e funções |

INCIDÊNCIA SOBRE A PRESSÃO E O VOLUME SINCRONIZAÇÃO

Nos modos orientados para a pressão e para Nos modos de ventilação controlada, a
o fluxo, é mantido um Volume corrente sincronização está relacionada com os valores
inspiratório constante. O nível de pressão pré-programados. Nos modos de ventilação
inspiratória é constante durante cada assistida, a sincronização está relacionada
respiração. (PRVC, Volume assistido). com o triggering do paciente e com a
programação Final ciclo insp.
INCIDÊNCIA SOBRE A PRESSÃO

Nos modos orientados para a pressão, é


mantido um nível de pressão pré-programado
constante durante a inspiração. (Pressão
Controlada, Pressão assistida)

INCIDÊNCIA SOBRE O FLUXO/VOLUME

Nos modos orientados para fluxo/volume é


utilizado um fluxo controlado para manter o
Volume corrente inspiratório programado.

FLUXO E RESPIRAÇÕES SUPLEMENTARES

Nos modos de ventilação orientados para o


fluxo/volume, pode ser desencadeado um
fluxo disponível adicional durante a inspiração.
As respirações adicionais podem ser sempre
desencadeadas entre as respirações normais
se forem reunidos os critérios de trigger
programados.

70 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Ventilação, modos e funções | 6 |

6.1.5 FUNCIONALIDADE BÁSICA - DESCRIÇÃO GERAL

SVS-133_XX

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 71


| 6 | Ventilação, modos e funções |

1. VOLUME CONTROLADO COM PRESSÃO 6.1.6 MODOS COMBINADOS - DESCRIÇÃO


REGULADA (PRVC) GERAL

As respirações são efetuadas VENTILAÇÃO OBRIGATÓRIA INTERMITENTE


obrigatoriamente para assegurar os SINCRONIZADA (SIMV)
volumes pré-programados, com uma
pressão inspiratória constante que se O ventilador fornece respirações obrigatórias
adapta continuamente ao estado do que estão sincronizadas com o esforço
paciente. O formato do fluxo fica espontâneo do paciente num determinado valor.
desacelerante. As respirações obrigatórias podem ser
respirações de Volume controlado, Pressão
2. VOLUME CONTROLADO controlada ou de PRVC.

Nos modos orientados para fluxo/volume


BI-VENT
é utilizado um fluxo controlado para
manter o Volume corrente inspiratório Bi-Vent é a respiração com pressão
programado. controlada, dando ao paciente a oportunidade
de respirar de forma espontânea sem
3. PRESSÃO CONTROLADA
restrição. Dois níveis de pressão são
As respirações são efetuadas programados juntamente com a duração
obrigatoriamente a um nível de pressão individualmente programada de cada nível.
pré-programado, causando um formato Os esforços espontâneos podem ser
de fluxo desacelerante. auxiliados por Pressão assistida.

4. PRESSÃO ASSIST.

A inspiração é assistida por uma pressão


pré-programada constante quando
ativada pelo esforço do paciente. O
paciente determina a frequência e a
duração das respirações, que exibem um
formato de fluxo desacelerante. A duração
da respiração inspiratória pode ser
influenciada através do ajuste dos critérios
Final ciclo insp.

5. RESPIRAÇÃO ESPONTÂNEA (CPAP)

A respiração espontânea real (CPAP)


ocorre quando o nível de pressão
inspiratória está regulado para zero na
Pressão assistida.

72 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Ventilação, modos e funções | 6 |

6.2 DEFINIÇÕES IMPORTANTES CURVA PRESSÃO-TEMPO. PONTOS E REGIÕES


DE INTERESSE
A visualização gráfica de pressão, fluxo e
volume é efetuada através de curvas. Os 1. Início da inspiração
modos de ventilação afetam diretamente 2. Pico da pressão da inspiração
os padrões de fluxo, pressão e volume.
3. Pressão inicial da pausa da inspiração
4. Pressão final da pausa da inspiração
6.2.1 VOLUME CONTROLADO
5. Pressão expiratória inicial

x y z
6. Pressão expiratória final
2
P 4
3
6 CURVA FLUXO-TEMPO. PONTOS E REGIÕES
1 5 DE INTERESSE
t

V 7. Pico do fluxo da inspiração


7
8. Fase fluxo zero
8 11
9. Pico do fluxo da expiração
t
10
10. Desaceleração em curva do membro
9
expiratório
14
V 11. Fluxo expiratório final
13
15
12 16
I:E t
CURVA VOLUME-TEMPO. PONTOS E REGIÕES
DE INTERESSE

X. Tempo de inspiração 12. Início da inspiração


Y. Tempo de pausa 13. A curva representa a entrega atual de
Z. Tempo de expiração volume corrente inspiratório
14. Inspiração final
15. A curva representa a entrega atual de
volume corrente expiratório ao paciente
16. Expiração final

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 73


| 6 | Ventilação, modos e funções |

6.2.2 PRESSÃO CONTROLADA CURVA PRESSÃO-TEMPO. PONTOS E REGIÕES


DE INTERESSE
X Z
P 2 1. Início da inspiração

3
2. Pico da pressão da inspiração
1
3. Pressão expiratória final
t
V 4

5 7 CURVA FLUXO-TEMPO. PONTOS E REGIÕES


t DE INTERESSE

6 4. Pico do fluxo da inspiração


9
V 5. Fluxo inspiratório final
6. Pico do fluxo da expiração
10
I:E 8 t 7. Fluxo expiratório final

X. Tempo de inspiração
CURVA VOLUME-TEMPO. PONTOS E REGIÕES
Z. Tempo de expiração DE INTERESSE

8. Início da inspiração
9. Inspiração final
10. Expiração final

74 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Ventilação, modos e funções | 6 |

6.3 PROGRAMAÇÕES Quando a sensibilidade trigger está


programada para mais de 0 (área verde e
6.3.1 FUNCIONALIDADE TRIGGER vermelha na barra), o triggering do fluxo é
programado, isto é, o montante de fluxo
Trigg. Flow Trigg. Pressure contínuo que o paciente tem de inalar para
5 -2
desencadear uma nova respiração. A
sensibilidade pode ser programada a partir
de 100% do fluxo contínuo (esquerda), até
0% do fluxo contínuo (direita).

AVISO! A barra de sensibilidade trigger tem


cores diferentes consoante a programação.
Uma barra verde indica uma programação
normal para o triggering do fluxo. O risco
Esta determina o nível de esforço do paciente de self-triggering aumenta quando a barra
para ativar o ventilador para a inspiração. está vermelha. Uma barra branca indica
que a pressão de triggering é necessária.
A sensibilidade do trigger pode ser
programada no triggering do fluxo (Trig. Fluxo)
ou no triggering da pressão (Trig. Pressão). Importante: Em NIV, não é possível regular
Normalmente, é preferível o triggering do fluxo a sensibilidade do trigger.
porque permite ao paciente respirar com menos
esforço.

A sensibilidade é programada para o valor


mais elevado possível sem self-triggering.
Desta forma assegura-se que o triggering é
iniciado pelo paciente e evita-se o auto-ciclo
por parte do ventilador.

O triggering da pressão pode ser programado


na gama de -20 a 0 cmH2O (em referência ao
nível PEEP programado, área branca na barra).
O ventilador fornece continuamente um fluxo
de gás durante a expiração, que é medido no
canal expiratório.

1. Inspiração.
2. Fluxo contínuo durante a expiração:
2 l/min

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 75


| 6 | Ventilação, modos e funções |

ESFORÇO FRACO POR PARTE DO PACIENTE ESFORÇO MAIS FORTE DO PACIENTE

Trigg. Flow Trigg. Pressure


5 -2

SVX-141_EN SVX-142_EN

1. Num Nível de sensibilidade trigger 1. Num Nível de sensibilidade trigger abaixo


superior a zero (0), o ventilador detecta de zero (0), o ventilador detecta as
os desvios no fluxo contínuo causados pressões negativas criadas pelo paciente.
pelos esforços de inspiração do paciente. A pressão negativa pré-programada
Quanto mais à direita na escala, mais necessária para iniciar uma respiração é
sensível é a função trigger. exibida numericamente. Quanto mais à
2. Esforço inspiratório fraco. esquerda na escala, maior o esforço
necessário para o trigger.
3. Esforço inspiratório muito fraco.
2. Esforço mais forte do paciente.
AVISO! Se a sensibilidade trigger estiver
programada com valores muito AVISO! A barra de sensibilidade trigger tem
elevados, poderá ocorrer uma situação de cores diferentes consoante a programação.
self-triggering (auto-triggering). Esta Uma barra verde indica uma programação
situação pode também ocorrer se houver normal para o triggering do fluxo. O risco
uma fuga no sistema respiratório. O de self-triggering aumenta quando a barra
triggering será então iniciado pelo sistema está vermelha. Uma barra branca indica
e não pelo paciente. Tal deverá ser sempre que a pressão de triggering é necessária.
evitado reduzindo a sensibilidade trigger.
Para mais informações, consulte a janela
Programações adicionais na página 55.

76 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Ventilação, modos e funções | 6 |

6.3.2 TEMPO DE RETARDO INSPIRATÓRIO O Tempo de retardo inspiratório (%) é


aplicável a Pressão Controlada, Volume
Controlado, PRVC, Volume Controlado SIMV,
Insp rise time
P Pressão Controlada SIMV, SIMV-PRVC. A
programação poderá ir de 0 a 20% do tempo
do ciclo respiratório.

0 O Retardo inspiratório programado em


t segundos é aplicável a Pressão assistida e
Bi-Vent. O intervalo é 0-0,4 segundos.

100 % Nota: Quando o ventilador está configurado


para Tempo de inspiração, a unidade para
o Tempo de retardo inspiratório muda
automaticamente para segundos em todos
0 os modos de ventilação.
t
SVX-644_EN

Normalmente, nos modos assistidos o valor


padrão do tempo de retardo inspiratório
Tempo até atingir o fluxo inspiratório máximo
deverá ser aumentado para maior conforto do
ou a pressão no início de cada respiração
paciente.
como uma percentagem do tempo do ciclo
respiratório ou em segundos. O tempo de
retardo inspiratório aumentado afetará a taxa
de aumento do fluxo/pressão e pode ser
avaliado pela forma das curvas de fluxo e de
pressão.

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 77


| 6 | Ventilação, modos e funções |

6.3.3 FINAL CICLO INSP 6.3.4 TEMPO DO CICLO RESPIRATÓRIO

SVX-205_XX

Final ciclo insp é o ponto em que a inspiração


comuta para expiração nos modos de
SVS-5033_XX
ventilação espontânea e assistida. A
diminuição do fluxo inspiratório para um nível
pré-programado faz com que o ventilador Esta é a duração da respiração, ou seja o
mude para expiração. Este nível tempo total do ciclo da respiração obrigatória
pré-programado é medido sob a forma de em SIMV (inspiração, pausa mais expiração).
percentagem do fluxo máximo durante a Esta é programada em segundos entre:
inspiração. A amplitude de Final ciclo insp é 1-15 segundos em passos de um segundo.
de 1 a 70%.
Nota: A tecla de acesso rápido Tempo do
Nota: Em NIV, a amplitude é de 10 a 70%. ciclo respiratório não é mostrada quando
o modo SIMV está selecionado e o tempo
de inspiração está configurado. Consulte o
título Relação I:E/Tempos de inspiração.

78 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Ventilação, modos e funções | 6 |

6.3.5 PEEP Quando o ventilador está configurado para


Tempo de inspiração, a unidade para o Tempo
de pausa e o Tempo de retardo inspiratório
muda automaticamente para segundos. A
relação I:E daí resultante para cada
PEEP configuração é mostrada na área de
SVX-646_EN
informação superior direita da janela do modo
de ventilação.

A Pressão de expiração final positiva (PEEP) Como o tempo de inspiração está programado
pode ser programada de 0 a 50 cmH2O. Uma explicitamente, uma alteração da Freq.
Pressão de expiração final positiva é mantida respiratória, por exemplo, afetará a Relação
nos alvéolos e pode impedir o colapso das I:E. Como precaução de segurança, será
vias aéreas. portanto indicado quando a Relação I:E
resultante exceder 1:1 em quaisquer das
Nota: Em NIV, a amplitude é de 2 a direções.
20 cmH2O.
Nota:
A tecla de acesso rápido Tempo do ciclo
6.3.6 RELAÇÃO I:E/TEMPO DE
respiratório não é mostrada quando o modo
INSPIRAÇÃO
SIMV está selecionado, uma vez que não
A programação de parâmetros respiratórios é necessário programar o Tempo do ciclo
no SERVO-s Ventilator System pode ser respiratório quando o Tempo de inspiração
configurada de duas formas diferentes com é configurado diretamente.
base em: A configuração é feita por um técnico de
Relação I:E (independente das alterações, manutenção com um cartão de assistência
por exemplo, da frequência respiratória), técnica.
ou
do tempo de inspiração em segundos
(independente das alterações, por exemplo,
da frequência respiratória), para melhor se
adaptar às exigências da criança.

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 79


| 6 | Ventilação, modos e funções |

6.3.7 AJUSTE DE VOLUME 6.3.9 CONCENTRAÇÃO DE O2

Dependendo da configuração do ventilador, A gama de programação para o misturador


o volume inspiratório pode ser programado de gás é desde 21% O2 até 100% O2. Os
como: limites de alarme são programados
Volume minuto ou, automaticamente para um valor de cerca de
Volume corrente 5% O2 acima ou abaixo do valor de
concentração programado. O alarme é
Nota: A configuração é feita por um técnico atrasado 40 segundos depois de alterar a
de manutenção com um cartão de programação da concentração de O2. Existe
assistência técnica. também um limite de alarme mínimo absoluto
de 18% de O2 que é independente das
configurações de funcionamento.
6.3.8 NÍVEL DE PRESSÃO
CONTROLADA/ASSISTIDA
6.3.10 FREQ. RESPIRATÓRIA/FREQ. SIMV
O PC (nível da Pressão Controlada) acima de
A Freq. respiratória é o número de respirações
PEEP é o nível de pressão inspiratória
obrigatórias controladas por minuto em modos
programado para cada respiração obrigatória
controlados excluído o SIMV. A frequência
na Pressão Controlada e na SIMV (PC) + PS,
respiratória é também usada para o cálculo
e também para Apneia de reserva na Pressão
do volume corrente se o ventilador estiver
assistida.
configurado para a programação Volume
O PS (nível da Pressão assistida) acima de minuto. A Freq. SIMV é o número de
PEEP é o nível de pressão inspiratória respirações obrigatórias controladas nos
assistida programado para respirações modos SIMV.
desencadeadas nos modos Pressão assistida,
SIMV e Bi-Vent.

80 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Ventilação, modos e funções | 6 |

6.3.11 MODO ANTERIOR


Notas:
A função do modo de ventilação anterior
não fica disponível após uma Verificação
antes da utilização, uma alteração da
categoria do paciente, uma admissão de
um paciente novo, a utilização do mesmo
modo de ventilação durante mais de 24
horas ou após a inicialização (inicialização
a frio) do sistema.
SVS-6072_XX
Quando "Modo Anterior" é ativado
durante a ventilação de reserva, o
ventilador volta ao modo que estava
1. Hora a que o modo anterior foi ativo antes do modo assistido se ter
desativado. iniciado.
2. Pressione a tecla de membrana Mostrar A chamada das configurações anteriores
modo anterior para chamar novamente o só é possível após uma alteração do
modo de ventilação anterior aceite. modo de ventilação.

SVS-6071_XX

3. Ative as configurações do modo de


ventilação utilizado anteriormente
pressionando a tecla de membrana Aceitar.

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 81


| 6 | Ventilação, modos e funções |

6.4 VENTILAÇÃO CONTROLADA - PRVC

6.4.1 DESCRIÇÃO FUNCIONAL PRVC

O modo de Volume controlado com pressão


regulada (PRVC) é um modo de respiração
controlado.

SVS-5035_XX

O ventilador debita um Volume corrente


pré-programado. A pressão é regulada
automaticamente para debitar um volume
SVS-5034_XX
pré-programado mas limitado a 5 cmH2O
abaixo do limite superior de pressão
programado.
O SERVO-s Ventilator System pode ser
configurado para programar o Volume O fluxo durante a inspiração desacelera. O
corrente ou o Volume minuto. Os parâmetros paciente pode desencadear respirações extra.
seguintes são programados:
1. Volume corrente (ml) ou Volume minuto
(l/min)
2. Freq. respiratória (resp./min)
3. PEEP (cmH2O)
4. Concentração de oxigênio (%)
5. Relação I:E/Tempo insp.
6. Tempo de retardo inspiratório (%/s)
7. Trig. Fluxo/Trig. Pressão

82 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Ventilação, modos e funções | 6 |

6.4.2 PRVC EM DETALHE

1 2 3

SVS-9006_XX

1. O PRVC assegura ao paciente uma A expiração começa:


ventilação minuto pretendida programada. Após o fim do tempo de inspiração
O volume pretendido é baseado nas pré-programado
programações do Volume corrente, da Se o limite de pressão superior for
frequência e do tempo de inspiração. excedido.
2. O nível de pressão inspiratória é constante
durante cada respiração, mas adapta-se
automaticamente em pequenos aumentos
respiração a respiração para coincidir com
as propriedades mecânicas dos pulmões
do paciente para a administração do
volume pretendido.
3. A inspiração começa de acordo com uma
frequência pré-programada ou quando o
paciente a desencadeia.

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 83


| 6 | Ventilação, modos e funções |

SVX-697_EN

A primeira respiração de uma sequência


iniciada é uma respiração de teste controlada
por volume com um Tempo de pausa
programado para 10%. A pressão de pausa
medida desta respiração é então utilizada
como o nível de pressão para a respiração
seguinte. Ativa-se um alarme se o nível de
pressão necessário para atingir o volume
pretendido programado não puder ser
fornecido devido a uma programação mais
baixa do limite superior de pressão
(- 5 cmH2O).

84 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Ventilação, modos e funções | 6 |

6.5 VENTILAÇÃO CONTROLADA – VOLUME CONTROLADO

6.5.1 DESCRIÇÃO FUNCIONAL VOLUME


CONTROLADO

A ventilação com Volume Controlado assegura


que o paciente recebe um determinado Volume
minuto/corrente pré-programado.

SVS-5037_XX

A pressão das vias aéreas depende do volume


corrente, do tempo de inspiração e da
resistência e compliance do sistema
respiratório. O volume corrente programado
será sempre debitado. Um aumento na
SVS-5036_XX
resistência e diminuição da compliance
levarão a uma pressão aumentada das vias
O Ventilador SERVO-s pode ser configurado aéreas. Para proteger os pulmões do paciente
para programar o Volume corrente ou o da pressão excessiva, é muito importante
Volume minuto. Os parâmetros seguintes são programar o limite superior de pressão para
programados: um valor adequado.
1. Volume corrente (ml) ou Volume minuto
(l/min)
2. Freq. respiratória (resp./min)
3. PEEP (cmH2O)
4. Concentração de oxigênio (%)
5. Relação I:E/Tempo insp.
6. Tempo de pausa (%s)
7. Tempo de retardo inspiratório (%/s)
8. Trig. Fluxo/Trig. Pressão

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 85


| 6 | Ventilação, modos e funções |

6.5.2 ADAPTAÇÃO DO FLUXO a terceira curva mostra uma situação em


que o paciente mantém uma velocidade de
É possível para o paciente desencadear fluxo superior ao valor pretendido
respirações suplementares se estas calculado. O Volume corrente programado
conseguirem sobrepor-se à sensibilidade é debitado quando o fluxo pretendido
pré-programada do trigger. Também é calculado é alcançado e a inspiração é
possível para o paciente, através dos seus prematuramente interrompida
próprios esforços inspiratórios, receber,
a curva inferior mostra uma situação em
durante uma inspiração, um fluxo inspiratório
que a velocidade de fluxo aumentada é
e um Volume corrente superiores aos
mantida no período expiratório. O paciente
pré-programados. O fluxo durante a inspiração
receberá um volume corrente superior ao
é constante. O paciente pode desencadear
programado devido a um consumo de
respirações extra.
fluxo/volume superior ao calculado.
A ventilação Volume Controlado tem, por
tradição, fornecido cada respiração com um
fluxo e tempos de inspiração e expiração
constantes, de acordo com as programações.
O SERVO-s Ventilator System dá ao paciente
a possibilidade de modificar a velocidade e a
sincronização do fluxo. Assim, se for
detectada uma queda de pressão de 3 cmH2O
durante a inspiração, o ventilador muda para
Pressão assistida, resultando num aumento
do fluxo inspiratório. Quando o fluxo diminui
para o nível alvo calculado, este fluxo será
mantido até o Volume corrente programado
ser fornecido.

As ilustrações das curvas mostram algumas


consequências práticas desta funcionalidade
melhorada.
a curva superior mostra o traço para uma
respiração normal de Volume Controlado SVS-652_EN Insp. time Pause time Exp.time

a segunda curva mostra uma situação em


que a inspiração é prematuramente
interrompida quando o volume corrente
programado é fornecido

86 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Ventilação, modos e funções | 6 |

6.5.3 VOLUME CONTROLADO EM


DETALHE

1 2 3 4

SVS-9002_XX

1. O Volume Controlado assegura um A expiração começa:


volume corrente pré-programado com Quando o volume corrente pré-programado
fluxo constante durante um tempo é fornecido e depois do tempo de pausa
inspiratório pré-programado a uma pré-programado.
frequência pré-programada. Quando o fluxo regressa ao valor
2. O fluxo inspiratório é constante e depende programado depois de fornecido o volume
da programação da Interface do corrente pré-programado e depois do
Utilizador. tempo de pausa pré-programado
3. A inspiração começa de acordo com a (assistência disponível). No entanto, o
frequência pré-programada ou quando o paciente tem sempre garantido um tempo
paciente a desencadeia. de expiração correspondente a, pelo
menos, 20% da respiração total.
4. Se o paciente fizer um esforço inspiratório
durante o período inspiratório, o ventilador Se o limite de pressão superior for
ligará a Pressão assistida para satisfazer excedido.
a necessidade de fluxo do paciente.

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 87


| 6 | Ventilação, modos e funções |

6.5.4 VOLUME CONTROLADO COM Para ventilar com Volume controlado com
PADRÕES DE FLUXO ALTERNATIVO adaptação do fluxo:
Pressione a tecla de membrana VC com AF.
Quando a opção Padrões de fluxo alternativo
Pressione Aceitar.
do volume controlado estiver ativada na
configuração de inicialização, ficam disponíveis Volume controlado sem adaptação do fluxo
novas teclas de membrana para definir O ventilador fornece o volume rigorosamente
padrões de fluxo alternativo em Volume de acordo com as definições.
Controlado e SIMV (VC) + PA.
Para ventilar com Volume controlado sem
adaptação do fluxo:
2 Pressione a tecla de membrana e VC sem AF.
1 3
Pressione Aceitar.

Nota: Defina a sensibilidade de trigger para


um nível adequado. Um paciente que
necessite de mais ventilação pode
aumentar a frequência respiratória em vez
4 de aumentar o fluxo durante a inspiração.

Volume controlado com fluxo desacelerante


O ventilador fornece um fluxo desacelerante
de acordo com as definições de Padrão de
1. Volume controlado com adaptação do fluxo.
fluxo
Para ventilar com fluxo desacelerante:
2. Volume controlado sem adaptação do
Pressione a tecla de membrana VC com FD.
fluxo
Pressione a tecla de membrana Padrão de fluxo
3. Volume controlado com fluxo
e defina o fluxo com o Botão Rotativo
desacelerante
Principal.
4. Padrão de fluxo
O padrão de fluxo pode se definido de
Consulte a seção Símbolos da interface do forma a que o fluxo inspiratório final
utilizador na página 20. corresponda a 75%, 50% (padrão), 25%
ou 0% do fluxo máximo.
Volume controlado com adaptação do fluxo Pressione Aceitar.
O ventilador funciona com o paciente e fornece
o volume adicional solicitado
independentemente das definições. Consulte
a seção Adaptação do fluxo na página 86.

88 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Ventilação, modos e funções | 6 |

Curva fluxo-tempo. Pontos e regiões de


interesse

x y z
V
1
2
3 6
t
5
4

X. Tempo de inspiração
Y. Tempo de pausa
Z. Tempo de expiração

1. Pico do fluxo da inspiração


2. Fluxo inspiratório final
3. Fase fluxo zero
4. Pico do fluxo da expiração
5. Desaceleração em curva do membro
expiratório
6. Fluxo expiratório final

Notas:
A adaptação do fluxo não está ativada
na opção VC com FD. Defina a
sensibilidade de trigger para um nível
adequado. Um pacientee que necessite
de mais ventilação pode aumentar a
frequência respiratória em vez de
aumentar o fluxo durante a inspiração.
A programação padrão do Tempo de
pausa é 0 segundos.

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 89


| 6 | Ventilação, modos e funções |

6.6 VENTILAÇÃO CONTROLADA –


PRESSÃO CONTROLADA
6.6.1 DESCRIÇÃO FUNCIONAL PRESSÃO
CONTROLADA

O modo de Pressão Controlada é um modo


de respiração controlada.

SVS-5039_XX

O volume fornecido depende da pressão


acima de PEEP, de compliance e resistência
dos pulmões no sistema do tubo do paciente
e vias aéreas. Isto significa que o Volume
corrente pode variar. O modo Pressão
Controlada é preferível quando existe uma
SVS-5038_XX fuga no sistema respiratório, por exemplo,
devido à utilização de um tubo endotraqueal
Os parâmetros seguintes são programados: sem punho ou a situações em que a pressão
1. PC (nível de Pressão Controlada) acima máxima das vias aéreas tem de ser
de PEEP (cmH2O) controlada. O fluxo durante a inspiração
desacelera. O paciente pode desencadear
2. Freq. respiratória (resp./min)
respirações extra. Se o paciente tentar exalar
3. PEEP (cmH2O)
durante a inspiração, a válvula expiratória
4. Concentração de oxigênio (%) permitirá a exalação desde que a pressão seja
5. Relação I:E/Tempo insp. superior a 3 cmH2O acima do nível de pressão
6. Tempo de retardo inspiratório (%/s) programado. Como o volume corrente pode
variar é muito importante que os limites dos
7. Trig. Fluxo/Trig. Pressão
alarmes programados para o Volume minuto
estejam nos níveis adequados.

90 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Ventilação, modos e funções | 6 |

6.6.2 PRESSÃO CONTROLADA EM


DETALHE

1 2 3

SVS-9003_XX

1. A Pressão Controlada assegura que o A expiração começa:


nível de pressão inspiratória Após o fim do tempo de inspiração
pré-programada é mantido pré-programado
constantemente durante toda a Se o limite de pressão superior for
inspiração. As respirações são fornecidas excedido.
de acordo com a frequência
pré-programada, com o tempo de
inspiração e com o nível de pressão
inspiratória resultando num fluxo
desacelerante.
2. O nível de pressão pré-programado é
controlado pelo ventilador. O volume
resultante depende do nível de pressão
programado, do tempo de inspiração e
das propriedades mecânicas dos pulmões
do paciente durante cada respiração com
um fluxo desacelerante.
3. A inspiração começa de acordo com a
frequência pré-programada ou quando o
paciente a desencadeia.

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 91


| 6 | Ventilação, modos e funções |

VÁLVULA EXPIRATÓRIA ATIVA

t
SVX-9008_XX

Se um paciente tentar expirar durante a


inspiração, a pressão aumenta. Quando
aumenta 3 cmH2O acima do nível programado
de pressão inspiratória, a válvula expiratória
abre e baixa a pressão para o nível
programado de pressão inspiratória.

Upper pressure
Limit

t
SVX-9009_EN

Se a pressão aumentar para o limite superior


de pressão programado, por exemplo, se o
paciente estiver tossindo, a válvula expiratória
abre e o ventilador comuta para expiração.

92 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Ventilação, modos e funções | 6 |

6.7 VENTILAÇÃO ASSISTIDA – PRESSÃO ASSISTIDA

6.7.1 DESCRIÇÃO FUNCIONAL PRESSÃO


ASSISTIDA

A Pressão assistida é um modo de respiração


iniciado pelo paciente no qual o ventilador
assiste o paciente com uma pressão constante
programada.

SVS-5044_XX

1 4 5 7
2 6 8
Durante a ventilação de Pressão assistida o
3 9 paciente regula a frequência respiratória e o
Volume corrente com a assistência do
ventilador. Quanto mais elevado for o nível de
pressão inspiratória pré-programado
proveniente do ventilador mais gás fluirá para
o paciente. À medida que o paciente se torna
mais ativo, o nível da pressão assistida pode
ser gradualmente reduzido. É importante
Os parâmetros seguintes são programados: programar o Tempo de retardo inspiratório
1. PS (nível de Pressão assistida) acima de para um valor confortável para o paciente. No
PEEP (cmH2O) modo de Pressão assistida o Tempo de
2. PEEP (cmH2O) retardo inspiratório deverá, normalmente, ser
3. Concentração de oxigênio (%) aumentado.

4. Tempo de retardo inspiratório (s)


5. Trig. Fluxo/Trig. Pressão
6. Final ciclo insp (%)
7. PC acima de PEEP (cmH2O) em ventilação
de reserva
8. Freq. Resp. (resp./min) em ventilação de
reserva.
9. I:E / Ti (s) em ventilação de reserva
(dependendo da configuração)

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 93


| 6 | Ventilação, modos e funções |

Programe sempre o tempo de apneia


Nota: É importante monitorizar os níveis de
apropriado à situação individual de cada
Volume corrente correspondentes.
paciente. Se o limite de alarme de apneia for
atingido, o ventilador comutará
Inspiração: quando o paciente desencadeia
automaticamente para ventilação de reserva.
uma respiração, o gás flúi para os pulmões a
É também muito importante programar o limite uma pressão constante. Dado que a pressão
inferior e superior do alarme para o Volume fornecida pelo ventilador é constante, o fluxo
minuto expirado. diminuirá até a Interrupção do ciclo
inspiratório ser atingida.

A expiração inicia-se quando:


O fluxo inspiratório desce para o nível de
Final ciclo insp pré-programado.
70%
Se o limite de pressão superior for
excedido.
Se o fluxo cair para uma gama de fluxo
entre 25% do fluxo máximo e o limite
inferior para o nível de fração do Final ciclo
insp e o tempo gasto dentro desta gama
exceder 50% do tempo gasto entre o início
da inspiração e a entrada nesta gama.
Final ciclo insp é importante para o conforto
do paciente e para a sincronização do ventilador O tempo máximo para inspiração é:
com o paciente. Final ciclo insp é o ponto em 2,5 segundos.
que a inspiração comuta para expiração. Por
exemplo, para um paciente com resistência
expiratória, o Final ciclo insp deve ser
programado para um valor elevado para
garantir a existência de tempo suficiente para
a expiração.

94 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Ventilação, modos e funções | 6 |

6.7.2 PRESSÃO ASSISTIDA EM


DETALHE

1 2 3

SVS-9004_XX

1. A Pressão assistida assegura que o nível A expiração começa:


de pressão inspiratória pré-programado Quando o fluxo inspiratório desce abaixo
é mantido com o esforço do paciente. de uma fração pré-programada do fluxo
2. O nível de pressão pré-programado é inspiratório máximo (Final ciclo insp)
controlado pelo ventilador, ao passo que Se o limite de pressão superior for
o paciente determina a frequência e o excedido.
tempo de inspiração. O tempo máximo para inspiração for
3. A inspiração começa quando o paciente a excedido.
desencadeia.

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 95


| 6 | Ventilação, modos e funções |

6.8 ESPONTÂNEA/CPAP
6.8.1 DESCRIÇÃO FUNCIONAL
RESPIRAÇÃO ESPONTÂNEA/CPAP

O modo Pressão das vias aéreas positiva


contínua é utilizado quando o paciente está
respirando espontaneamente.

SVS-5046_XX

Uma pressão positiva contínua é mantida nas


vias aéreas. Quando devidamente
programada, pode evitar o colapso das vias
aéreas. A inspiração começa com o esforço
do paciente. A expiração começa tal como a
Pressão assistida acima. Programe sempre o
SVS-5043_XX
tempo de apneia apropriado à situação
individual de cada paciente. Se o limite de
Os parâmetros seguintes são programados: alarme de apneia for atingido, o ventilador
1. PS (nível de Pressão assistida) acima de comutará automaticamente para ventilação
PEEP (cmH2O) de reserva.

2. PEEP (cmH2O) O alarme deverá alertar o pessoal para intervir,


3. Concentração de oxigênio (%) ou seja, regressar ao modo assistido ou mudar
4. Tempo de retardo inspiratório (s) para um modo de ventilação controlado.

5. Trig. Fluxo/Trig. Pressão É também muito importante programar o limite


6. Final ciclo insp (%) inferior e superior do alarme para o Volume
7. PC (nível da Pressão Controlada) acima minuto expiratório.
de PEEP (cmH2O).
O tempo máximo para inspiração é:
2,5 segundos.

96 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Ventilação, modos e funções | 6 |

6.8.2 RESPIRAÇÃO ESPONTÂNEA/CPAP 6.9 SIMV


EM DETALHE
6.9.1 DESCRIÇÃO FUNCIONAL SIMV
A respiração espontânea real irá ocorrer:
- Na Pressão assistida quando o nível de SIMV é um modo de combinação em que o
pressão inspiratória está programado para paciente recebe respirações obrigatórias
zero sincronizadas com os seus esforços
respiratórios e de acordo com o modo SIMV
A inspiração começa com o esforço do selecionado. O paciente pode respirar
paciente. espontaneamente entre as respirações
obrigatórias com Pressão assistida.
A expiração começa:
Quando o fluxo inspiratório desce abaixo Existem três modos SIMV diferentes,
de uma fração pré-programada do fluxo dependendo dos modos instalados:
inspiratório máximo (Final ciclo insp) SIMV (Volume Controlado) + Pressão
Se o limite de pressão superior for assistida
excedido. SIMV (Pressão Controlada) + Pressão
O tempo máximo para inspiração for assistida
excedido. SIMV (PRVC) + Pressão assistida

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 97


| 6 | Ventilação, modos e funções |

6.9.2 A RESPIRAÇÃO OBRIGATÓRIA

SIMV (VC) + PS SIMV (PRVC) + PS SIMV (PC) + PS

PC acima de PEEP X

Volume corrente/Volume X X
minuto

Freq. SIMV X X X
1 1 1
Tempo do ciclo X X X
respiratório

Relação I:E/Tempo de X X X
inspiração

Tempo de retardo X X X
inspiratório

Tempo de pausa X

1
Apenas quando o ventilador está configurado para a programação relação I:E.

98 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Ventilação, modos e funções | 6 |

A Resp. mandatória é definida pelas Durante o período SIMV a primeira respiração


programações básicas (tal como na tabela desencadeada será uma respiração
abaixo): Volume minuto/Volume corrente obrigatória. Se o paciente não tiver
(dependente da configuração), PC acima de desencadeado uma respiração dentro dos
PEEP, relação I:E/Tempo de inspiração primeiros 90% do Tempo do ciclo respiratório,
(dependente da configuração), Tempo de será fornecida uma respiração obrigatória.
pausa, Tempo de retardo inspiratório e Tempo
do ciclo respiratório. Nota: Se o ventilador estiver configurado
para configuração do Tempo de inspiração,
Nota: Na configuração de Volume minuto, será utilizada uma relação I:E de 1:2 para
o Volume corrente é determinado pelo calcular o Tempo do ciclo respiratório.
Volume minuto dividido pela Freq. SIMV.
As respirações espontâneas/de pressão
O Tempo do ciclo respiratório é a duração da assistida são definidas pela programação do
respiração obrigatória em segundos. nível da Pressão assistida acima de PEEP.

Por exemplo: uma Freq. SIMV de 6, um tempo


do ciclo respiratório de 3 segundos com uma
relação I:E de 1:2 significa que a inspiração
levará 1 segundo e a expiração 2 segundos.

SIMV Cycle

10 sec

3 7 3
SIMV Period Spon. Period SIMV Period
SVX-9010_EN

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 99


| 6 | Ventilação, modos e funções |

6.9.3 SIMV (VOLUME CONTROLADO) + PRESSÃO ASSISTIDA

11. PS (Pressão assistida) acima de PEEP


(cmH2O)

SVS-5052_XX

Os parâmetros seguintes são programados:


SVS-5059_XX
1. Volume corrente (ml)/Volume minuto
(l/min)
2. Freq. SIMV (resp./min)
3. PEEP (cmH2O)
4. Concentração de oxigênio (%)
5. Relação I:E/Tempo insp.
6. Tempo de pausa (%s)
7. Tempo de retardo inspiratório (%/s)
8. Tempo do ciclo respiratório (s)

Nota: A tecla de acesso rápido Tempo


do ciclo respiratório não é mostrada
quando o modo SIMV está
selecionado e o tempo de inspiração
está configurado.

9. Trig. Fluxo/Trig. Pressão


10. Final ciclo insp (%)

100 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Ventilação, modos e funções | 6 |

6.9.4 SIMV – EM DETALHE

P
SIMV SIMV
Breath cycle time Spont. period Breath cycle time
3 4
2

time
V 1 90%

time

SVX-9011_EN

1. Esta função combinada de controle e


pressão assistida/espontânea permite
respirações obrigatórias pré-programadas
sincronizadas com a respiração do
paciente.
2. Se não houver qualquer tentativa de
trigger numa janela de duração igual a
90% do Tempo do ciclo respiratório
programado, é fornecida uma respiração
obrigatória. (O Tempo do ciclo respiratório
é a duração total de uma respiração
obrigatória).
3. A respiração obrigatória é definida pelas
programações básicas (modo de
ventilação, tempo do ciclo respiratório,
padrão respiratório e volumes/pressões).
4. As respirações espontâneas/de pressão
assistida são definidas pela programação
da Pressão assistida.

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 101


| 6 | Ventilação, modos e funções |

SIMV (VC) + PA COM PADRÕES DE FLUXO


ALTERNATIVO

Quando a opção Padrões de fluxo alternativo


do volume controlado estiver ativada na
configuração de inicialização, ficam disponíveis
novas teclas de membrana para definir
padrões de fluxo alternativo em Volume
Controlado, Automode (VC) <--> VS e
SIMV (VC) + PA.

2
1 3

1. Volume controlado com adaptação do


fluxo
2. Volume controlado sem adaptação do
fluxo
3. Volume controlado com fluxo
desacelerante
4. Padrão de fluxo

Consulte a seção Volume controlado com


padrões de fluxo alternativo na página 88 para
mais informações.

102 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Ventilação, modos e funções | 6 |

6.9.5 SIMV (PRESSÃO CONTROLADA) + PRESSÃO ASSISTIDA

10. PS (nível de Pressão assistida) acima de


PEEP (cmH2O)

SVS-5050_XX

Os parâmetros seguintes são programados: SVS-5054_XX

1. PC (nível de Pressão Controlada) acima


de PEEP (cmH2O)
2. Freq. SIMV (resp./min)
3. PEEP (cmH2O)
4. Concentração de oxigênio (%)
5. Relação I:E/Tempo insp.
6. Tempo de retardo inspiratório (%/s)
7. Tempo do ciclo respiratório (s)

Nota: A tecla de acesso rápido Tempo


do ciclo respiratório não é mostrada
quando o modo SIMV está
selecionado e o tempo de inspiração
está configurado.

8. Trig. Fluxo/Trig. Pressão


9. Final ciclo insp (%)

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 103


| 6 | Ventilação, modos e funções |

6.9.6 SIMV – EM DETALHE

P
SIMV SIMV
3 Breath cycle Spont. period Breath cycle 2
time 4 time

time
V 1 90%

time

SVX-9027_EN

1. Esta função combinada de controle e


pressão assistida/espontânea permite
respirações obrigatórias pré-programadas
sincronizadas com a respiração do
paciente.
2. Se não houver qualquer tentativa de
trigger numa janela de duração igual a
90% do Tempo do ciclo respiratório
programado, é fornecida uma respiração
obrigatória. (O Tempo do ciclo respiratório
é a duração total de uma respiração
obrigatória).
3. A respiração obrigatória é definida pelas
programações básicas (modo de
ventilação, tempo do ciclo respiratório,
padrão respiratório e volumes/pressões).
4. As respirações espontâneas/de pressão
assistida são definidas pela programação
da Pressão assistida.

104 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Ventilação, modos e funções | 6 |

6.9.7 SIMV (PRVC) + PRESSÃO ASSISTIDA

10. PS (nível de Pressão assistida) acima de


PEEP (cmH2O)

SVS-5053_XX

Os parâmetros seguintes são programados:


SVS-5051_XX
1. Volume corrente (ml)/Volume minuto
(l/min)
2. Freq. SIMV (resp./min)
3. PEEP (cmH2O)
4. Concentração de oxigênio (%)
5. Relação I:E/Tempo insp.
6. Tempo de retardo inspiratório (%/s)
7. Tempo do ciclo respiratório (s)

Nota: A tecla de acesso rápido Tempo


do ciclo respiratório não é mostrada
quando o modo SIMV está
selecionado e o tempo de inspiração
está configurado.

8. Trig. Fluxo/Trig. Pressão


9. Final ciclo insp (%)

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 105


| 6 | Ventilação, modos e funções |

6.9.8 SIMV – EM DETALHE

P
SIMV SIMV
3 Breath cycle Spont. period Breath cycle 2
time 4 time

time
V 1 90%

time

SVX-9027_EN

1. Esta função combinada de controle e


pressão assistida/espontânea permite
respirações obrigatórias pré-programadas
sincronizadas com a respiração do
paciente.
2. Se não houver qualquer tentativa de
trigger numa janela de duração igual a
90% do Tempo do ciclo respiratório
programado, é fornecida uma respiração
obrigatória. (O Tempo do ciclo respiratório
é a duração total de uma respiração
obrigatória).
3. A respiração obrigatória é definida pelas
programações básicas (modo de
ventilação, tempo do ciclo respiratório,
padrão respiratório e volumes/pressões).
4. As respirações espontâneas/de pressão
assistida são definidas pela programação
da Pressão assistida.

106 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Ventilação, modos e funções | 6 |

6.10 BI-VENT Os parâmetros seguintes são programados:


1. Pressão alta (PAlta) para o nível de
6.10.1 DESCRIÇÃO FUNCIONAL pressão superior (cmH2O)
2. PEEP para o nível de pressão inferior
(cmH2O).
3. Concentração de oxigênio (%)
4. Tempo no nível de pressão superior
(TAlto) (s)
5. Tempo no nível de pressão inferior
(TPEEP) (s)
6. Tempo de retardo inspiratório (s)
7. Trig. Fluxo/Trig. Pressão
8. Final ciclo insp (%)

SVS-5056_XX
9. Nível de Pressão assistida superior à PAlta
(cmH2O)

Bi-Vent é a respiração com pressão 10. Nível de Pressão assistida superior à


controlada, dando ao paciente a oportunidade PEEP (cmH2O)
de respirar de forma espontânea sem
restrição. Dois níveis de pressão são
programados juntamente com a duração
individualmente programada de cada nível.
Os esforços de respiração espontânea podem
ser auxiliados por Pressão assistida.

SVS-5057_XX

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 107


| 6 | Ventilação, modos e funções |

No modo Bi-Vent o ventilador utiliza dois Com programações extremas, a atualização


níveis de pressão alternados, podendo o de valores e alarmes medidos apresentará
paciente respirar espontaneamente nestes uma dependência de frequência obrigatória,
dois níveis. mesmo quando a respiração espontânea se
mantém.
Dado que o Bi-Vent é, basicamente, um modo
de ventilação controlada, o alarme de apneia Como resultado da comutação entre dois
e a ventilação de reserva não se encontram níveis de pressão diferentes, os volumes
disponíveis. É também muito importante correntes podem variar significativamente
programar o limite inferior e superior do alarme entre respirações diferentes. Tal poderá ser
para o Volume minuto expirado. também o caso para a concentração de
etCO2.
Cada ciclo de Bi-Vent é considerado
autonomo e, consequentemente, a maioria Não se recomenda a utilização da Auto-escala
dos valores medidos são atualizados em no modo Bi-Vent, quando o paciente está
cada ciclo de Bi-Vent, isto é, volumes minuto, respirando espontaneamente em ambos os
frequência respiratória, pressão média e níveis.
pressão expiratória final. De acordo com isto,
os alarmes associados são também tratados
em cada ciclo de Bi-Vent.

108 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Ventilação, modos e funções | 6 |

6.10.2 BI-VENT EM DETALHE

5
3

4
2

SVX-184_XX

Esta função permite ventilação com respiração


espontânea/de Pressão assistida em dois
níveis de pressão diferentes. Estes níveis
básicos são programados individualmente,
bem como o tempo em segundos em cada
nível. O ventilador tenta sempre sincronizar-se
com a respiração do paciente.

1. Bi-Vent em detalher; TAlto + TPEEP


2. PEEP
3. PAlta
4. PS above PEEP
5. PS acima de PAlta

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 109


| 6 | Ventilação, modos e funções |

6.11 VENTILAÇÃO NÃO-INVASIVA

AVISOS!
6.11.1 VENTILAÇÃO NÃO-INVASIVA Evite pressão inspiratória alta uma vez
que pode conduzir a sobredistensão
Este capítulo refere-se a quando o SERVO-s
gástrica e a risco de aspiração. Também
Ventilator System é utilizado durante a
pode causar uma fuga excessiva.
Ventilação não-invasiva (NIV). A NIV refere-se
à ventilação em que o paciente não é sujeito a O espaço morto aumentará quando se
intubação nem a traqueostomia. Isto utilizar uma máscara.
consegue-se utilizando uma Máscara nasal, A NIV não se destina a ser utilizada em
Máscara facial ou máscara facial completa. pacientes intubados.
A medição de CO2 será afetada por
Nota: Em NIV, as curvas do fluxo e da fugas na máscara.
pressão e os valores medidos: VTi, VTe,
MVe, MVi são compensados para fuga.

A função de desligar NIV está disponível em


todos os modos NIV e pode ser programada
através da janela de configuração de inicialização
Biomed>Editar.

A programação pode ser utilizada para garantir


um fluxo de desconexão constante enquanto
a ventilação estiver em pausa (Fluxo elevado
e fluxo baixo) ou como forma de evitar a
interrupção da ventilação em caso de fuga
elevada (Desativado).

Adulto
Fluxo baixo: 7,5 l/min
Fluxo elevado: 40 l/min
Desativado: O ventilador continuará a
assegurar o suporte até mesmo em caso
de excesso de fuga.

110 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Ventilação, modos e funções | 6 |

CUIDADOS:
Não se recomenda a utilização de um
nebulizador durante a NIV, uma vez que
o fármaco nebulizado pode entrar em
contato com os olhos do paciente em
caso de fuga.
Uma fuga na máscara poderá afetar a
eficiência de um nebulizador.

Importante:
A máscara tem de ser aplicada
corretamente para evitar fugas.
A seleção da máscara tem de ter em
consideração o tamanho adequado e
uma adaptação perfeita ao paciente.
A reinalação de CO2 aumentará durante
a NIV e a utilização de uma máscara
facial.

Leia sobre as programações de alarme na


página 134.

Consulte também Programar modo de


ventilação na página 52.

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 111


| 6 | Ventilação, modos e funções |

6.11.2 DESCRIÇÃO FUNCIONAL PRESSÃO DIFERENÇAS DO MODO DE PRESSÃO


CONTROLADA CONTROLADA INVASIVA:

O modo de Pressão Controlada (NIV) é um Quando se pressiona a tecla Em espera,


modo de respiração controlada. aparece um diálogo de posição de espera.
Todos os alarmes relacionados com o
paciente ficam desligados durante
120 segundos. Pressione a tecla de membrana
Iniciar ventilação para iniciar a ventilação.
Durante a NIV, o ventilador adapta-se
automaticamente às variações de fugas
para manter o nível da pressão e de PEEP
exigido. Se a fuga for excessiva, o
ventilador emitirá um alarme de alta
prioridade e fornecerá um fluxo em
conformidade com as programações. A
SVS-9013_XX
ventilação irá ser retomada
automaticamente se a fuga diminuir. A
ventilação também pode ser iniciada
Os parâmetros seguintes são programados:
manualmente, pressionando a tecla de
1. PC (nível de Pressão Controlada) acima
membrana Retomar ventilação na caixa de
de PEEP (cmH2O)
diálogo.
2. Freq. respiratória (resp./min)
3. PEEP (cmH2O) A sensibilidade trigger não pode ser
programada em NIV.
4. Concentração de oxigênio (%)
A detecção da pressão abaixo de PEEP ou
5. Relação I:E/Tempo insp.
diminuição do volume expiratório iniciará
6. Tempo de retardo inspiratório (%/s) uma nova respiração.

Leia sobre as programações de alarme na


página 134.

Consulte também Programar modo de


ventilação na página 52.

112 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Ventilação, modos e funções | 6 |

6.11.3 DESCRIÇÃO FUNCIONAL PRESSÃO DIFERENÇAS DO MODO DE PRESSÃO


ASSISTIDA ASSISTIDA INVASIVA:

A Pressão assistida (NIV) é um modo de Quando se pressiona a tecla Em espera,


respiração iniciado pelo paciente no qual o aparece um diálogo de posição de espera.
ventilador assiste o paciente com uma pressão Todos os alarmes relacionados com o
constante programada. paciente ficam desligados durante
120 segundos. Pressione a tecla de membrana
Iniciar ventilação para iniciar a ventilação.
Durante a NIV, o ventilador adapta-se
automaticamente às variações de fugas
para manter o nível da pressão e de PEEP
1 4 5 6 exigido. Se a fuga for excessiva, o
2 7
ventilador emitirá um alarme de alta
3 8
prioridade e fornecerá um fluxo em
conformidade com as programações. A
ventilação irá ser retomada
automaticamente se a fuga diminuir. A
ventilação também pode ser iniciada
SVS-9014_XX manualmente, pressionando a tecla de
membrana Retomar ventilação na caixa de
Os parâmetros seguintes são programados: diálogo.
1. PS (nível de Pressão assistida) acima de
O ventilador não será bloqueado na
PEEP (cmH2O)
ventilação de reserva. Não existe nenhum
2. PEEP (cmH2O) limite no número de vezes que o ventilador
3. Concentração de oxigênio (%) pode comutar entre o modo assistido e de
reserva.
4. Tempo de retardo inspiratório (s)
5. Final ciclo insp (%) A sensibilidade trigger não pode ser
6. PC acima de PEEP (cmH2O) em ventilação programada em NIV.
de reserva
Leia sobre as programações de alarme na
7. Freq. Resp. (resp./min) em ventilação de página 134.
reserva.
8. I:E / Ti (s) em ventilação de reserva Consulte também Programar modo de
(dependendo da configuração) ventilação na página 52.

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 113


| 6 | Ventilação, modos e funções |

6.12 VENTILAÇÃO DE RESERVA 6.12.1 VENTILAÇÃO INVASIVA

DESCRIÇÃO FUNCIONAL
Espontâneo Controlado
A ventilação de reserva muda a Pressão
Pressão assistida/
Apneia Pressão controlada
CPAP, NIV PS assistida e CPAP para Pressão controlada.

A ventilação de reserva está disponível em


todos os modos assistidos. 1
2
O alarme de apneia pode ser programado 3
dentro do intervalo de 15-45 segundos. O nível
mínimo de pressão de reserva é 5 cmH2O.

Consulte as programações dos parâmetros


de respiração tabulados na página 167.

Os parâmetros seguintes são programados:


1. PC acima de PEEP (cmH2O) em ventilação
de reserva, Pressão assistida
2. Freq. Resp. (resp./min) em ventilação de
reserva.
3. I:E / Ti (s) em ventilação de reserva
(dependendo da configuração)

114 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Ventilação, modos e funções | 6 |

ESFORÇO DO PACIENTE NÃO DETECTADO ESFORÇO DO PACIENTE NÃO CONSISTENTE

Em caso de apneia, o ventilador irá mudar Se o paciente cumprir os critérios para o alarme
para ventilação de reserva em conformidade Esforço do paciente não consistente, o
com as programações de reserva no final do ventilador será bloqueado na ventilação de
tempo de apneia programado menos um reserva.
segundo. Consulte a seção Alarmes de alta prioridade.

O T. de apneia pode ser programado na janela É apresentada na tela uma caixa de diálogo
Perfil de alarmes. Está usando a ventilação de reserva. Reveja as
definições de ventilação ou continue no modo
Reserva é indicado na tecla de membrana de assistência. Esta caixa de diálogo irá
ativa Modo de ventilação e o alarme Esforço bloquear todas as outras caixas de diálogo,
do paciente não detectado é apresentado na exceto a caixa de diálogo Em espera.
tela.
O utilizador poderá selecionar uma das
Se o paciente desencadear uma respiração, o seguintes opções:
ventilador retorna automaticamente ao modo
assistido.

1 2

1. Analisar regul. de vent.


2. Continuar em Modo suporte

O ventilador permanecerá na ventilação de


reserva até que selecione uma opção.

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 115


| 6 | Ventilação, modos e funções |

ANALISAR REGUL. DE VENT. CONTINUAR EM MODO SUPORTE

Pressione Analisar regul. de vent. na janela Pressione Continuar em Modo suporte na janela
Ventilação de reserva para regressar à janela Ventilação de reserva para continuar no modo
Definir modo de ventilação. assistido. O tempo de apneia será reposto.

1 2 3

Estão disponíveis as seguintes funções:

1. Mostrar modo anterior - chama


novamente o modo de ventilação anterior
aceite.
2. Cancelar - fecha a janela Definir modo de
ventilação sem que as alterações sejam
aplicadas, ou seja, a ventilação continuará
como anteriormente.
3. Aceitar - aceita as programações e
continua no modo assistido com a
reposição do tempo de apneia.

116 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Ventilação, modos e funções | 6 |

6.12.2 VENTILAÇÃO NÃO-INVASIVA Em caso de apneia, o ventilador irá mudar


para ventilação de reserva em conformidade
DESCRIÇÃO FUNCIONAL com as programações de reserva no final do
tempo de apneia programado menos um
A ventilação de reserva muda a Pressão
segundo.
assistida NIV para Pressão controlada NIV.
Reserva é indicado na tecla de membrana
ativa Modo de ventilação e o alarme Esforço
do paciente não detectado é apresentado na
tela.
1
Se o paciente desencadear uma respiração, o
2
3
ventilador retorna automaticamente ao modo
assistido.

1. PC acima de PEEP (cmH2O) em ventilação


de reserva
2. Freq. Resp. (resp./min) em ventilação de
reserva.
3. I:E / Ti (s) em ventilação de reserva
(dependendo da configuração)

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 117


| 6 | Ventilação, modos e funções |

6.12.3 DESATIVAR VENTILAÇÃO DE Para desativar a ventilação de reserva:


RESERVA 1. Pressione a tecla de membrana Ventilação de
reserva .
É possível ou ativar ou desativar a
2. É apresentada uma caixa de diálogo de
ventilação de reserva através do menu
confirmação Pretende mesmo desativar
Biomed. Se esta escolha for feita, uma tecla
a ventilação de reserva?. Confirme
de membrana extra (Ventilação de reserva) (1),
pressionando Sim.
é exibida na janela Programar modo de
ventilação durante a ventilação. 3. Ventil. reserva deslig. é apresentado na
tecla de membrana Modo de ventilação.
Nota: Só é possível desativar a ventilação 4. Pressione Aceitar na janela Programar modo
de reserva no modo de execução, não no de ventilação.
modo Em espera.
A função de reserva é automaticamente
reativada se o utilizador:
1 Mudar para um modo controlado de
ventilação.
Colocar o ventilador no modo Em espera.
Desligar o sistema.

118 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Ventilação, modos e funções | 6 |

6.13 PARÂMETROS DA VENTILAÇÃO - DESCRIÇÃO GERAL


Quando um modo de ventilação é selecionado, os únicos parâmetros exibidos são os que
dizem respeito ao modo atual. Abaixo são apresentados todos os parâmetros relacionados
com esse modo.

SVX-202_EN

1. Freq. respiratória (RR) Taxa de 6. Relação I:E (I:E) (Tempo de inspiração +


respirações obrigatórias controladas ou Tempo de pausa): Tempo de expiração.
utilizadas para o cálculo do volume
pretendido (resp./min).
2. Volume corrente (VT) Volume por
respiração ou volume pretendido (ml).
Volume minuto (Vmin) Volume minuto ou
Volume minuto pretendido (ml/min ou
l/min). A apresentação pode ser
configurada quer para volume corrente
quer para volume minuto.
3. PC acima de PEEP Nível da pressão
inspiratória para cada respiração (cmH2O)
em Pressão Controlada.
4. PS acima de PEEP Nível da pressão
assistida inspiratória para respirações
desencadeadas (cmH2O) em Pressão
assistida.
5. Tempo de retardo inspiratório (T retardo
inspiratório) Tempo até atingir o fluxo ou
pressão inspiratórios máximos no início
de cada respiração, como uma
percentagem do tempo do ciclo
respiratório (%) ou em segundos (s).
SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 119
| 6 | Ventilação, modos e funções |

7. Tempo de inspiração (Ti) Tempo para o


fluxo ativo ou administração de pressão
ao paciente (s).
8. Tempo de pausa (Tpausa) Tempo durante
o qual não existe a administração de fluxo
ou de pressão (% ou s).
9. Sensibilidade do trigger
Abaixo de zero: A sensibilidade trigger
depende da pressão. É indicada a
pressão abaixo da PEEP que o paciente
deve criar para iniciar uma inspiração
(cmH2O).
Superior a zero: A sensibilidade trigger
depende do fluxo. À medida que o
indicador vai avançando para a direita
(sai da área verde em direção à área
vermelha) a sensibilidade trigger
aumenta, isto é, a fração inalada do
fluxo contínuo que leva ao triggering é
reduzida.

10. PEEP Pressão expiratória final positiva


(cmH2O).
11. Final ciclo insp Fração do fluxo máximo
na qual a inspiração deveria mudar para
expiração (%).

120 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Ventilação, modos e funções | 6 |

SVX-218_EN

12. Tempo do ciclo respiratório (T do ciclo


respiratório) Tempo total do ciclo por
respiração obrigatória em SIMV
(inspiratório + pausa + expiratório).
Programado em segundos.
13. Freq. SIMV Velocidade de respirações
obrigatórias controladas (resp./min).

Concentração de O2 (Conc. O2) O2 em gases


inspiratório (não ilustrado na figura).

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 121


| 6 | Ventilação, modos e funções |

SVS-204_XX

14. Tempo alto (TAlto) Tempo ao nível de


PAlta em Bi-Vent (s).
15. Tempo PEEP (TPEEP) Tempo ao nível de
PEEP em Bi-Vent (s).
16. Pressão assistida acima de Pressão alta
(PS acima de PAlta) Nível de pressão
assistida inspiratória para respirações
desencadeadas durante o período de
TAlto em Bi-Vent (cmH2O).
17. Pressão assistida acima de PEEP (PS
acima de PEEP) Nível de pressão assistida
inspiratória para respirações
desencadeadas durante o período de
TPEEP em Bi-Vent (cmH2O).
18. Pressão alta (PAlta) Pressão expiratória
final positiva ao nível superior em Bi-Vent
(cmH2O).
19. PEEP Pressão expiratória final positiva ao
nível inferior em Bi-Vent (cmH2O).

122 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Ventilação, modos e funções | 6 |

6.14 FUNÇÕES ESPECIAIS


6.14.1 TECLAS FIXAS

SVS-5021_XX

Podem ser selecionadas pressionando


manualmente a respectiva tecla fixa.
1. Iniciar respiração
2. Respirações de O2
3. Pausa expiratória
4. Pausa inspiratória

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 123


| 6 | Ventilação, modos e funções |

INICIAR RESPIRAÇÃO RESPIRAÇÕES DE O2

SVS-5029_XX SVS-5030_XX

O ventilador iniciará um novo ciclo de Esta função permite fornecer 100% de


respiração de acordo com as atuais oxigênio durante 1 minuto. Ao fim deste tempo
programações do ventilador. a concentração de oxigênio regressará ao
valor pré-programado. As respirações de
oxigênio podem ser interrompidas voltando a
pressionara tecla fixa O2 durante o intervalo de
1 minuto.

124 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Ventilação, modos e funções | 6 |

PAUSA EXPIRATÓRIA PAUSA INSPIRATÓRIA

SVS-5032_XX SVS-5031_XX

As válvulas expiratória e inspiratória fecham A Pausa inspiratória é ativada pressionando


depois de concluída a fase de expiração, manualmente a tecla fixa. O tempo máximo é
enquanto a tecla fixa estiver pressionada, até de 30 segundos. As válvulas inspiratória e
máximo de 30 segundos. A pausa expiratória expiratória fecham depois da inspiração. Esta
dá uma medição exata da pressão da pausa função pode fornecer uma medida exata da
expiratória final. Pode ser utilizada para medir pressão pulmonar inspiratória final. Pode ser
a compliance com os níveis de eletricidade utilizada durante o raio-x ou para determinar
estática e para determinar a PEEP total. A a pressão de Plateau ou o cálculo da
pressão dinâmica é mostrada no valor compliance com níveis de eletricidade
numérico da PEEP. estática.

Leia sobre as programações de alarme na


página 134.

Consulte também Programar modo de


ventilação na página 52.

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 125


| 6 | Ventilação, modos e funções |

126 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Alarmes | 7 |

7 ALARMES
ÍNDICE

7.1 Introdução | 128


7.2 Tratamento de alarmes | 130
7.3 Definições de alarme para os parâmetros | 134
respiratórios

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 127


| 7 | Alarmes |

7.1 INTRODUÇÃO AVISOS!


O SERVO-s Ventilator System está equipado A predefinição do alarme de pressão alta
com um sistema de alarme para ajudar a das vias aéreas é 40 cmH2O. É
assegurar a segurança do paciente. Os alarmes importante ajustar esta definição
visuais e sonoros avisam sobre: conforme apropriado para evitar
problemas respiratórios do paciente, por pressões excessivas das vias aéreas.
exemplo, apneia Pode ocorrer um problema se forem
problemas de energia, por exemplo, perda utilizadas diferentes predefinições de
de alimentação alarme em ventiladores ou equipamento
semelhante localizado na mesma
problemas com os gases, por exemplo,
unidade de cuidados intensivos ou em
pressão de alimentação baixa
blocos operatórios cardíacos.
problemas de hardware, por exemplo,
sobreaquecimento
problemas de software, por exemplo, falha Importante: As pessoas que respondem
de memória aos alarmes têm de ser profissionais de
saúde com experiência em tratamentos por
Este capítulo descreve as respostas gerais a ventilação e que tenham recebido formação
alarmes, fornece o procedimento para definir na utilização do SERVO-s Ventilator
os limites de alarme (consulte também o System.
capítulo Apresentação geral do
funcionamento) e lista as definições de alarme
relacionadas com a respiração junto com os
intervalos permitidos.

O capítulo Fonte de alimentação descreve os


alarmes relacionados com a fonte de
alimentação.

O capítulo Mensagens do sistema apresenta


uma lista de todos os alarmes juntamente com
as causas possíveis e soluções.

128 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Alarmes | 7 |

7.1.1 OPÇÃO DE LIGAÇÃO DE SAÍDA DO 7.1.2 ECRÃ PARA VISUALIZAÇÃO DE


ALARME ALARMES

Se o sistema estiver equipado com a opção


de ligação de saída do alarme, os alarmes de
prioridade alta e média podem ser transferidos
para um sistema de sinalização externo. O
sinal de saída do alarme está ativo desde
que o alarme áudio esteja ativo no ventilador.

AVISO! Nunca deixe o paciente sozinho. O


alarme externo foi concebido para alertar
os que já estão sendo assistidos.

CUIDADO: A saída do alarme é um alarme


SVS-6002_XX
não garantido de acordo com a IEC
60601-1-8 e recomenda-se que os
utilizadores estabeleçam uma rotina de Quando se ativa um alarme, são fornecidas
verificação antes da utilização para esta as seguintes informações na tela.
aplicação. 1. Surge uma mensagem de texto
intermitente na área para mensagens de
alarme explicando a causa do alarme. O
alarme com a prioridade mais elevada é
exibido primeiro.
2. Surge intermitentemente o valor medido
correspondente ou a caixa de valor
programada e uma seta aponta para o
volume excedido.

Nota: Dois símbolos de campainha na área


para mensagens de alarme indicam que foi
ativado mais do que um alarme.

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 129


| 7 | Alarmes |

7.2 TRATAMENTO DE ALARMES 2. Ver os alarmes atuais.


3. Pressione a tecla de membrana Histórico.
O sistema pode assinalar quatro tipos de
Os últimos 16 eventos dependentes de
alarmes:
alarmes são apresentados
Alta prioridade—fundo vermelho
cronologicamente com os eventos mais
Média prioridade—fundo amarelo recentes no fim.
Baixa prioridade—fundo amarelo
Técnico—código numérico Nota: Para ver mais do que os últimos
10 alarmes, use a Lista de eventos para ver
As seções que se seguem fornecem todos os alarmes registrados.
informações gerais sobre como ver,
responder, silenciar e desligar alarmes.
7.2.2 REPOR OS ALARMES BLOQUEADOS
7.2.1 VER A JANELA DE ALARMES
Os alarmes de alta prioridade estão
ATUAIS
“bloqueados”—a mensagem de alarme
permanece na tela mesmo que cesse a
condição de alarme. Os alarmes de média e
baixa prioridade não estão bloqueados. A
tecla fixa Áudio em pausa repõe os alarmes
bloqueados e limpa a mensagem de alarme
da tela.

A tecla Áudio em pausa é identificada pelo

símbolo .

Nota: Alarme NIV Fuga fora de gama não


está bloqueado.
SVS-6000_XX

Se estiver ativo mais de um alarme, veja a


Janela de alarmes atuais:
1. Pressione a tecla de membrana da(s)
campainha(s).
Todos os alarmes (até 10 listados por
prioridade) são apresentados numa janela
dinâmica que será atualizada caso
ocorram mais alarmes enquanto a janela
está aberta.

130 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Alarmes | 7 |

7.2.3 RESPONDER AOS ALARMES


Nota:
O procedimento para responder aos alarmes Os seguintes alarmes de Média prioridade
de Alta prioridade difere ligeiramente do dos apresentam a mensagem Áudio desligado?
alarmes de Média e Baixa prioridades. Para quando ativados:
ambos, consulte a figura Utilizar a tecla Áudio Pressão da alimentação de ar: Baixa
em pausa. Pressão de alimentação de O2: Baixa
Funcionamento da bateria
Para responder a um alarme de Alta ou Média
prioridade: Para estes alarmes, pode silenciar o sinal
1. Se assim o pretender, pressione a tecla fixa de áudio mesmo que o estado do alarme
Áudio em pausa durante menos de dois não esteja resolvido. No entanto, o sistema
segundos para silenciar o alarme durante irá, eventualmente, reativar o alarme.
dois minutos.
2. Tome medidas para resolver o estado do
alarme.
3. Pressione a tecla fixa Áudio em pausa para
repor os alarmes de alta prioridade
bloqueados e limpar a mensagem da tela.

Para responder a um alarme de Baixa


prioridade:
1. Se assim o pretender, pressione a tecla Áudio
em pausa durante menos de dois
segundos para repor o alarme mesmo que
a condição do alarme continue a existir.
2. Tome medidas para resolver o estado do
alarme.

O alarme é automaticamente posto logo que


a condição de alarme tenha terminado.

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 131


| 7 | Alarmes |

Utilizar a tecla Áudio em pausa 7.2.4 PRÉ-SILENCIAR ALARMES

Para silenciar a maioria dos alarmes (ativos


e inativos) durante dois minutos, mantenha
pressionada a tecla fixa Áudio em pausa durante
mais de dois segundos. Esta ação tem os
seguintes resultados:
1. Todos os alarmes, ativos e inativos, são
silenciados durante dois minutos desde
o momento em que se pressiona a tecla.
2. É exibido um símbolo de um sino com
uma cruz junto com o tempo restante no
período de silêncio na área para
mensagens de alarme.
SVX-5098_EN
3. Se pressionar novamente a tecla Áudio em
pausa durante menos de dois segundos
Se pressionar a tecla fixa Áudio em pausa dur- irá reiniciar o período de silêncio durante
rante menos de dois segundos terá os seguintes mais dois minutos desde a última vez que
resultados: o utilizador carregou no botão.
Os alarmes ativados são silenciados por 4. Os alarmes bloqueados são reiniciados
dois minutos. se a condição de alarme tiver cessado.
É exibido um símbolo de um sino cruzado
junto com o tempo restante no período de
silêncio na área para mensagens de alarme.
Sempre que pressionar a tecla Áudio em
pausa reinicia o período de silêncio de dois
minutos desde a última vez que o utilizador
carregou no botão.
Os alarmes bloqueados são reiniciados se
a condição de alarme tiver cessado.

Nota: O alarme Bateria sem carga e os


alarmes técnicos não podem ser
silenciados. SVX-5099_EN

Quando os alarmes estão pré-silenciados,


manter novamente a tecla Áudio em Pausa
pressionada durante mais de 2 segundos irá
reativar todos os alarmes sonoros.

132 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Alarmes | 7 |

7.2.5 SILENCIAR PERMANENTEMENTE OS


ALARMES

Para silenciar permanentemente alguns


alarmes em modo NIV:
1. Pressione a tecla fixa Perfil de alarmes.
2. Pressione a tecla de membrana
correspondente a um dos seguintes
alarmes:
Volume Minuto
Frequência Respiratória
PEEP
3. Pressione a tecla de membrana símbolo do
sino.
O símbolo muda para um sino cruzado
indicando que o som está desligado.

Nota: Se o sistema estiver programado no


modo em espera e for usado num modo
invasivo, os alarmes NIV voltam aos seus
estados predefinidos.

7.2.6 RESPONDER AOS ALARMES


TÉCNICOS

Em determinados casos, reiniciar o sistema


pode resolver um alarme técnico. No entanto,
os alarmes técnicos necessitam muitas vezes
de parar o funcionamento do ventilador para
que receba assistência técnica. Consulte o
capítulo Mensagens do Sistema, seção
Mensagens de erros técnicos na página 149
para mais detalhes.

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 133


| 7 | Alarmes |

7.3 DEFINIÇÕES DE ALARME PARA Limite superior—Estas programações


OS PARÂMETROS RESPIRATÓRIOS definem um limite superior numa condição
monitorizada pelo ventilador:
Esta seção discute a visualização e P. vias resp. alta (pressão das vias aéreas
programação dos limites de alarme, lista as muito elevada)
programações de alarme, explica as
Apneia (tempo máximo excedido)
condições em que os limites de alarme são
programados nos valores predefinidos e Alarmes dos parâmetros
fornece uma tabela de valores permitidos de respiratórios—Estas programações definem
definições de alarme. um intervalo permitido para um parâmetro
respiratório:
7.3.1 VER LIMITES DE ALARMES Volume minuto expirado (superior e inferior)
Frequência respiratória (inferior e superior)
Os limites de alarme podem ser vistos no Visor
de Valores Medidos no lado direito da tela. Pressão de fim de exp. (superior e inferior)
Consulte o capítulo Monitorização e Registro
para mais detalhes do Visor de Valor Medido.
7.3.4 CONDIÇÕES QUE LEVAM ÀS
PROGRAMAÇÕES DE ALARME
7.3.2 PROGRAMAR LIMITES DE ALARMES
PREDEFINIDAS
Para programar os limites de alarme, toque
Os limites de alarme são repostos nos seus
na tecla fixa Perfil de alarmes no canto
valores predefinidos quando:
superior direito da tela (consulte o capítulo
se reinicia o ventilador
Apresentação geral do funcionamento para
mais detalhes sobre como definir os limites). se admite um paciente novo
se muda o tipo de ventilação (opção)
7.3.3 LISTA DE PROGRAMAÇÕES DE O ventilador esteve totalmente sem energia
ALARME durante mais de 2 minutos.

Programado automaticamente—Estas
programações são determinadas
automaticamente pelo ventilador com base
nas programações do parâmetro relacionado:
Concentração alta de O2 (com base na
programação da concentração de O2)
Concentração baixa de O2 (com base na
programação da concentração de O2)
Pressão contínua elevada (com base nas
definições de PEEP)

134 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Alarmes | 7 |

7.3.5 INTERVALOS DE PREDEFINIÇÕES


DE ALARMES

Áudio desligado
a
Alarme (prioridade) Intervalo permitido; (Valor predefinido de fábrica) (apenas para
NIV)
Concentração alta (HP) de O2 NA; (valor definido + 5 vol%) Não
Concentração baixa (HP) de O2 NA; (valor definido - 5 vol% ou 18 vol%) Não
Pressão contínua elevada (HP) NA; (Programar nível de PEEP+15 cmH2O durante Não
> 15 seg.)
b
P. vias resp. alta (HP) 16 - 120 cmH2O; (40) Não
Pressão das vias respiratórias alta 16 - 40 cmH2O; (20) Não
b
em NIV (HP)
Apneia (HP) 15 - 45 seg;(20) Não
Volume minuto expirado elevado 0,5 - 60 l/min; (40) Sim
(HP)
Volume minuto expirado baixo 0,5 - 40 l/min; (5) Sim
(HP)
Frequência respiratória alta (MP) 1 - 160 resp./min; (30) Sim
Frequência respiratória baixa (MP) 1 - 160 resp./min; (5) Sim
Pressão de fim de exp. superior 0 a 55 cmH2O; (10) Sim
(MP)
Pressão de fim de exp. inferior 0 a 47 cmH2O; (2) Sim
c
(MP)

a. HP = Alarme de alta prioridade, MP = Alarme de média prioridade.


b. Se P.vias resp. subir 6 cmH2O acima do limite programado ou se a pressão do sistema exceder
117 ± 7 cmH2O, a válvula de segurança abre-se.
c. Programar o limite de alarme para 0 (zero) é o mesmo que desligar o alarme.

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 135


| 7 | Alarmes |

136 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Acessórios opcionais | 8 |

8 ACESSÓRIOS OPCIONAIS
ÍNDICE

8.1 Umidificadores ativos | 138


8.2 Aeroneb Nebulizer System | 139

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 137


| 8 | Acessórios opcionais |

8.1 UMIDIFICADORES ATIVOS Importante:


O uso de um umidificador é muitas vezes Se utilizar um único circuito respiratório
benéfico para os pacientes que recebem aquecido no sistema deve utilizar um
tratamento ventilatório. copo de condensação no tubo
expiratório para evitar condensação no
Com o SERVO-s Ventilator System podem ser sistema. Durante o funcionamento o
usados os seguintes umidificadores: copo de condensação deve ser
Umidificador Ficher & Paykel MR850 verificado regularmente e, se necessário,
Umidificador Aquecido Conchaterm esvaziado.
Neptune da Teleflex Medical Utilize apenas tubos recomendados pela
MAQUET. Os tubos flexíveis podem
Consulte o manual de funcionamento do afetar negativamente o desempenho do
fabricante relativamente às instruções de ventilador.
utilização.
Os acessórios ligados ao sistema de
tubagem podem provocar alterações na
AVISOS! pressão do paciente.
O umidificador ativo deve estar
Um teste de fuga prolongado durante a
desligado quando se utiliza o Servo Ultra
verificação antes da utilização deve ser
Nebulizer, caso contrário o tamanho das
efetuado quando utilizar um
partículas pode ser afetado.
umidificador Aquecido Conchaterm
Utilize apenas o umidificador ativo F&P
Neptune da Teleflex Medical. Isto pode
MR850 aprovado pela MAQUET com
ser ativado na janela Editar configuração
HeO2. A utilização de umidificadores
de inicialização
.
não aprovados pode dar origem a
temperaturas de gás mais elevadas.

CUIDADOS:
Se o nebulizador Aeroneb for usado com
umidificação ativa, o tamanho das
partículas do medicamento pode ser
afetado.

138 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Acessórios opcionais | 8 |

8.2 AERONEB NEBULIZER SYSTEM Substitua o filtro se a resistência expiratória


aumentar ou a cada 24 horas quando
Consulte ainda o Manual do Utilizador do estiver utilizando o nebulizador, o que chegar
Aeroneb Nebulizer System para obter primeiro.
instruções.
CUIDADO: O nebulizador não pode ser
8.2.1 DIRETRIZES PARA UTILIZAÇÃO DO deixado sem vigilância quando está ligado
NEBULIZADOR a um paciente.

Estas diretrizes são lembretes para os


profissionais de saúde que já receberam
formação para utilização do Aeroneb
Nebulizer.

AVISOS!
Desligue o Servo Humidifier/HME durante
a nebulização, caso contrário o
umidificador pode ficar bloqueado ou
o medicamento poderá ficar preso no
interior do umidificador.
Não utilize o nebulizador sem um filtro,
por exemplo, o Servo Duo Guard, ligado
à entrada expiratória do ventilador.
Desligue o umidificador aquecido
durante a nebulização; caso contrário o
tamanho das partículas por ser afetado.

Durante a nebulização, monitorize


cuidadosamente a pressão das vias
aéreas. Um filtro entupido poderá
provocar um aumento da pressão das
vias aéreas. Substitua o filtro se a
resistência expiratória aumentar ou a
cada 24 horas quando estiver utilizando
o nebulizador, o que chegar primeiro.

Durante a nebulização, monitorize


cuidadosamente a pressão das vias aéreas.
Um filtro entupido poderá provocar um
aumento da pressão das vias aéreas.

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 139


| 8 | Acessórios opcionais |

140 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Mensagens do sistema | 9 |

9 MENSAGENS DO SISTEMA
ÍNDICE

9.1 Introdução | 142


9.2 Alarmes de alta prioridade | 143
9.3 Alarmes de média prioridade | 146
9.4 Alarmes de baixa prioridade | 148
9.5 Mensagens de erros técnicos | 149

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 141


| 9 | Mensagens do sistema |

9.1 INTRODUÇÃO
Este capítulo lista e descreve os alarmes e as
mensagens de erro para problemas técnicos.
A lista sugere ainda ações em resposta às
mensagens.

Nota: Os erros mais técnicos requerem a


atenção de um técnico de assistência.

AVISO! Desligue sempre o paciente do


ventilador quando realizar operações que
aumentem o risco para o paciente, tal como
a substituição da célula O2.

CUIDADO: Não levante nem desligue a


cassete expiratória enquanto o ventilador
está funcionando. Se for necessário, faça-o
no modo Em espera.

142 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Mensagens do sistema | 9 |

9.2 ALARMES DE ALTA PRIORIDADE


Mensagem de
Causas possíveis Soluções
alarme
Apneia Limite pré-programado ou limite Verifique o paciente e o sistema
padrão do alarme excedido. respiratório.
O tempo entre dois esforços inspiratórios Verifique programações do ventilador.
consecutivos excede o limite de alarme
programado.

Verificar a tubagem Problemas com a tubagem ou com o Consulte um técnico de assistência.


transdutor de pressão expiratória do Retire a água da tubagem e verifique as
paciente. programações do umidificador, isto é,
Transdutor de pressão desligado a umidade relativa.
(expiratório ou inspiratório). Verifique os fios de aquecimento no
Transdutor de pressão bloqueado umidificador (se estiver presente).
(expiratório ou inspiratório). Verifique as ligações da tubagem e da
Água na conduta expiratória do cassete expiratória.
ventilador.
Filtro bacteriológico molhado ou
entupido.
Fuga excessiva.

Cassete expiratória A cassete expiratória está desligada ou Ligue a cassete expiratória.


desligada está mal ligada. Substitua a cassete expiratória.
Efetue uma verificação antes da
utilização se tiver inserido uma nova
cassete expiratória.

Volume Minuto Limite pré-programado ou limite Verifique o paciente e o sistema


Expiratório: Alta padrão do alarme excedido. respiratório.
Maior atividade do paciente. Verifique programação da sensibilidade
Auto-trigger do ventilador (auto-ciclo). trigger.
Programação de alarme inadequada. Verificar programações do limite de
alarme.

Volume Minuto Limite pré-programado ou limite Verifique o paciente


Expiratório: Baixo padrão do alarme excedido. Verifique a pressão do punho.
(Veja também a Nota: Este alarme também funciona
nota no final desta Verifique o sistema respiratório do
como alarme desligado pelo paciente. paciente (efetue teste de fuga, se for
tabela)
Reduzida atividade de respiração necessário). Verifique o tempo de pausa
espontânea do paciente. e os gráficos a verificar.
Fuga em torno do punho. Considere um maior suporte de
Fuga no sistema respiratório do paciente.ventilador para o paciente.
Programação de alarme inadequada.

Pressões de A alimentação de ar e de O2 é inferior a Verifique as ligações de gases.


alimentação de gás: 2,0 kPa x 100.
Baixa Tanto a alimentação de ar como de
gases O2 encontram-se desligadas.

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 143


| 9 | Mensagens do sistema |

Mensagem de
Causas possíveis Soluções
alarme
Pressão contínua Pressão alta constante das vias aéreas Verifique o paciente e o sistema
elevada durante mais de 15 segundos respiratório.
(PEEP +15 cmH2O). Verifique programações do ventilador.
Contate um técnico de assistência.

Fuga fora de escala Fuga muito alta. A máscara pode Verifique o paciente e o sistema
(Um alarme de alta não estar ajustada corretamente no respiratório.
prioridade quando paciente ou pode ter o tamanho errado. Verifique o tamanho da máscara e a
o fluxo de adaptação no paciente.
desconexão NIV é
ativado). Consulte
a seção Alarmes
de média
prioridade.
Capacidade de Apenas restam menos de 10 minutos de Ligue à alimentação de corrente.
bateria limitada tempo de funcionamento da bateria.
Baixa tensão da Tensão da bateria muito baixa. Não Se possível, ligue o ventilador à
bateria é possível garantir o funcionamento alimentação de corrente. Substitua e
continuado do ventilador. elimine todas as baterias se esta
mensagem aparecer quando as baterias
estão totalmente carregadas.
Bateria sem carga Restam menos de 3 minutos de tempo Ligue à alimentação de corrente.
de funcionamento da bateria.
Esforço do paciente O ventilador comutou entre ventilação Verifique o paciente e o sistema
não consistente assistida e de reserva quatro vezes em respiratório.
dois minutos. Verifique programações do ventilador.
O paciente só desencadeou uma única
respiração para interromper cada um dos
dois períodos de reserva consecutivos
Esforço do paciente Uma situação de apneia faz o ventilador Verifique o paciente e o sistema
não detectado comutar para ventilação de reserva. respiratório.
Verifique programações do ventilador.
Avaria da Falta de célula/sensor de O2 ou sensor Verifique a célula/sensor de O2 e a
célula/sensor de desligado. ligação.
OO2 Nota: Se o sensor de O2 estiver sendo
utilizado, certifique-se de que o software
do sensor de O2 está instalado.

Concentração de A concentração medida de O2 excede o Verifique a alimentação de ar.


O2: Alta valor regulado em mais de 5 Vol.%. Efetue uma Verificação antes da
Alimentação de gases ou linha de ar utilização
desligadas. Execute uma adaptação da célula O2
Falta de alimentação na tomada de
parede.
O módulo de gás de ar está desligado.
Se houver falta de gás, tanto como a
válvula expiratória como a de gás irão
abrir-se.

144 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Mensagens do sistema | 9 |

Mensagem de
Causas possíveis Soluções
alarme
Concentração de A concentração medida de O2 está Verifique a linha de alimentação de O2.
O2: Baixa abaixo do valor regulado em mais de 5 Efetue uma Verificação antes da
Vol.%, ou a concentração está abaixo utilização
dos 18 Vol.%, o que é independente das
configurações do operador. Execute uma adaptação da célula O2.
O gás fornecido na linha de alimentação
de O2 não é O2.
Avaria ou desgaste do sensor de O2.
Célula de O2 não calibrada.
Avaria do módulo de gás de O2/oxigênio.

P. vias resp. alta A pressão das vias aéreas excede o Verifique o paciente e o sistema
CUIDADO: Se a Limite superior de pressão respiratório.
pressão das vias pré-programado. Verifique as programações do ventilador
aéreas subir 6 Tubagem retorcida ou obstruída. e os limites do alarme.
cmH2O acima do Tampão mucoso ou de secreções no
limite superior da tubo endotraqueal ou nas vias aéreas.
pressão
Paciente tossindo ou debatendo-se com o
programado, a
ventilador.
válvula de
segurança abre. A Velocidade de fluxo inspiratório
válvula de muito elevada.
segurança também Programação de alarme inadequada.
abre se a pressão Filtro expiratório bloqueado.
do sistema exceder
117± 7 cmH2O.
Reiniciar ventilador! Erro do software. Reinicie o ventilador e faça uma
verificação antes da utilização.
Contate um técnico de assistência.
O teste da válvula Durante a verificação antes da utilização Contate um técnico de assistência.
de segurança o sistema detectou problemas com a
falhou pressão de abertura para a válvula de
segurança.
Programações Erro de software, memória corrupta. Reinicie o ventilador e faça uma
perdidas; Reiniciar verificação antes da utilização.
ventilador
Verifique programações do ventilador.

Erro técnico na Problema técnico com a cassete Efetue uma Verificação antes da
Cassete expiratória Expiratória. utilização
Substitua a cassete Expiratória e efetue
uma verificação antes da utilização.
Contate um técnico de assistência.
Erro técnico: Perderam-se as programações do Reinicie o ventilador, efetue uma
Reiniciar ventilador ventilador. Verificação antes da utilização e verifique
todas as programações.
Contate um técnico de assistência.

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 145


| 9 | Mensagens do sistema |

Mensagem de
Causas possíveis Soluções
alarme
O tempo na Excedeu-se o tempo na posição de Verifique o paciente e o sistema
posição de espera espera. respiratório.
excede 2 minutos. O paciente não está ligado ao ventilador
ou a fuga é excessiva.

9.3 ALARMES DE MÉDIA


PRIORIDADE
Mensagem de
Causas possíveis Soluções
alarme
Pressão da Pressão de alimentação de ar acima de Verifique as linhas de alimentação de
alimentação de ar: 6,5 kPa x 100 (94 PSI) gás. Efetue uma Verificação antes da
Alta A pressão do fornecimento de ar na utilização
entrada de gás está muito alta. Contate um técnico de assistência.
Pressão da Pressão de alimentação de ar abaixo de Verifique e ligue as linhas de alimentação
alimentação de ar: 2,0 kPa x 100 (29 PSI) de gases.
Baixa A pressão do fornecimento de ar na Efetue uma Verificação antes da
entrada de gás está muito baixa. utilização
Linha de alimentação de gases
desligada.
Nota: Quando ativado, este alarme
pode ser permanentemente silenciado
(Áudio desligado).
Erro na ligação de Problemas técnicos (hardware ou Contate um técnico de assistência.
saída do alarme software) com a função de alarme
externo.
Funcionamento da Alimentação elétrica interrompida. Verifique a ligação à fonte de
bateria alimentação.
Verificar limites de A memória persistente tem um conteúdo Verifique os limites de alarme.
alarme corrupto.
Verificar os limites Problemas na memória interna para Verifique os limites padrão de alarme.
de alarme padrão limites de alarme padrão.
Contate um técnico de assistência.
Cassete expiratória A cassete expiratória foi trocada durante Efetue uma Verificação antes da
substituída o funcionamento. Não foi efetuada uma utilização
Verificação antes da utilização após a
troca.
Fluxo inspiratório Combinação de programações Mude as programações do ventilador.
fora de escala ultrapassa a variação de fluxo de
inspiração permitida.
Temperatura A temperatura no interior do ventilador Verifique o funcionamento da ventoinha.
interna: Alta está muito elevada. Verifique a temperatura de
funcionamento.
Limpe o filtro da ventoinha na unidade
do paciente.

146 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Mensagens do sistema | 9 |

Mensagem de
Causas possíveis Soluções
alarme
Fuga fora de escala Fuga muito alta. A Verifique o paciente e o sistema
(Um alarme de máscara/capacete pode não estar respiratório.
prioridade média ajustado corretamente no paciente ou Verifique o tamanho da máscara e a
quando o fluxo de pode ter o tamanho errado. adaptação no paciente.
desconexão NIV é
desativado). Verifique se o capacete possui fugas.
Consulte a seção
Alarmes de alta
prioridade.
Pressão de Pressão de alimentação de O2 acima de Verifique as linhas de alimentação de
alimentação de O2: 6,5 kPa x 100. gás.
Alta A pressão de alimentação de O2 na Efetue uma Verificação antes da
entrada de gás está muito alta. utilização
Contate um técnico de assistência.
Pressão de Pressão de alimentação de O2 inferior a Verifique e ligue as linhas de alimentação
alimentação de O2: 2,0 kPa x 100. de gases.
Baixa A pressão do fornecimento de O2 na Efetue uma Verificação antes da
entrada de gás está muito baixa. utilização
Linha de alimentação de gases
desligada.
Nota: Quando ativado, este alarme
pode ser permanentemente silenciado
(Áudio desligado).

Painel desligado Não há comunicação entre a interface Verifique o cabo de controle.


do utilizador e a unidade do paciente. Contate um técnico de assistência.
PEEP alta A pressão expiratória final medida é Verifique o sistema respiratório do
superior ao limite pré-programado ou paciente.
padrão do alarme durante três Verifique a ligação do paciente (pressão
respirações consecutivas. do punho/tamanho do tubo traqueal).
Efetue uma Verificação antes da
utilização
Verifique programações do ventilador.
Verifique programações do alarme.
PEEP baixa A pressão expiratória final medida é Verifique o sistema respiratório do
inferior ao limite pré-programado ou paciente.
padrão do alarme durante três Verifique a ligação do paciente (pressão
respirações consecutivas. do punho/tamanho do tubo traqueal).
Programar o alarme para zero desliga o Efetue uma Verificação antes da
alarme. utilização
Fuga no sistema respiratório do paciente.Verifique programações do alarme.
Fuga na ligação do paciente (punho, tubo
traqueal).

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 147


| 9 | Mensagens do sistema |

Mensagem de
Causas possíveis Soluções
alarme
Regulagem de Não é possível alcançar o Volume Verifique programações do ventilador.
pressão limitada programado em PRVC, devido às
restrições impostas pelo limite superior
de pressão programado.
Programar o limite do alarme de pressão
alta, o que limita a pressão reguladora
utilizada no PRVC.
Frequência Frequência respiratória muito Preste assistência ao paciente.
respiratória: Alta elevada. Verifique programação de trigger.
Auto-triggering.
Frequência Frequência respiratória muito baixa. Preste assistência ao paciente.
respiratória: Baixa Programação da sensibilidade do trigger Verifique programação de trigger.
incorreta. Verifique programação do ciclo
Volume corrente elevado. inspiratório.
Volume corrente A programação provoca um volume Verifique o ajuste do Volume corrente
inspiratório fora de maior do que o permitido para a inspiratório.
escala categoria selecionada.
Regulagem limitada de volume corrente
excessivamente elevado.

9.4 ALARMES DE BAIXA


PRIORIDADE
Mensagem de
Causas possíveis Soluções
alarme
Tempo de pressão A tela ou o botão foi pressionado por Verifique a tela e os botões.
na tela sensitiva, mais de um minuto. Tempo esgotado Contate um técnico de assistência.
ou no botão, para o hardware da tela ou do botão.
ultrapassado

148 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Mensagens do sistema | 9 |

9.5 MENSAGENS DE ERROS


TÉCNICOS
Número do código
Causas Soluções
de erro
xxxx Problema técnico, identificado pelo Reinicie o ventilador e faça uma
(Generalidades) código de erro xxxx. verificação antes da utilização.
Contate um técnico de assistência.
1 - 6, 29, 10001 Erro interno da alimentação elétrica. Contate um técnico de assistência.
7, 10-12, 16 Erro do sistema de controle Contate um técnico de assistência.
43 Erro de informação da bateria Contate um técnico de assistência.
28, 20004 Erro do alarme sonoro/ alto-falante Verifique se a saída do alto-falante não
está obstruída. Reinicie o ventilador e
faça uma verificação antes da utilização.
Contate um técnico de assistência.
41 Erro interno do relógio Contate um técnico de assistência.
25, 33-35, 50, Erro interno de comunicação Contate um técnico de assistência.
10002, 20001
38-39 Erro de barometro Contate um técnico de assistência.
46 Erro na ligação de saída do alarme Contate um técnico de assistência.
47 Bateria fixa em falta Contate um técnico de assistência.
8-9, 48-49 Erro de tempo limite Contate um técnico de assistência.
22, 24, 27 Erro do alarme sonoro de reserva Reinicie o ventilador e faça uma
verificação antes da utilização.
Contate um técnico de assistência.
20002 Erro de retroiluminação Contate um técnico de assistência.
20003 Erro do botão de membrana Verifique os botões da interface do
utilizador.
Contate um técnico de assistência.

51 Problema técnico com o interruptor Contate um técnico de assistência.


Ligar/Desligar.
40001 Erro do medidor de fluxo exp. Contate um técnico de assistência.
40, 42, 44, 45, 50, Outro erro Reinicie o ventilador e faça uma
54, 10003, 20005 verificação antes da utilização.
Contate um técnico de assistência.

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 149


| 9 | Mensagens do sistema |

150 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Configuração de inicialização | 10 |

10 CONFIGURAÇÃO DE INICIALIZAÇÃO
ÍNDICE

10.1 Introdução | 152


10.2 Acessar à configuração de inicialização | 152
10.3 Editar a configuração de inicialização | 153
10.4 Iniciar MCare Remote Service | 154

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 151


| 10 | Configuração de inicialização |

10.1 INTRODUÇÃO 10.2 ACESSAR A CONFIGURAÇÃO


DE INICIALIZAÇÃO
Esta seção fornece instruções para acessar
e editar a configuração de inicialização e
mudar o tipo de ventilação.

O ventilador inicializa sempre com a


Configuração de inicialização memorizada. A
Configuração de inicialização pode ser
editada, copiada e salva.

Pode editar as seguintes programações da


Configuração de inicialização:
Tipo de ventilação - invasiva ou ventilação
não invasiva (NIV)
Ajuste de volume
SVS-9046
Programação do ciclo respiratório
Concentração pré/pós oxigenação acima
Nota: O ventilador deve estar no modo Em
da concentração definida de O2 (%)
espera.
Opção para desativar ventilação reserva
(Desativada ou ativada)
1. Pressione a tecla fixa Menu.
Função de desligar NIV (Fluxo baixo, fluxo
2. Pressione a tecla de membrana Biomed e
elevado ou desativado)
introduza o código de acesso (o valor
Teste fuga prolongado durante verificação programado de fábrica é 1973).
antes da utilização
Volume controlado com padrões de fluxo O submenu Biomed é composto pelas
alternativo seguintes teclas de membrana:
Assistência técnica
Editar configuração
Copiar configuração
Acertar a data e a hora
Alterar o código de acesso
Iniciar MCare Remote Service

Para alterar as programações do ventilador,


pressione a tecla de membrana apropriada e siga
as instruções na tela.

152 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Configuração de inicialização | 10 |

10.3 EDITAR A CONFIGURAÇÃO DE 10.3.1 DIAGRAMA DE PROCEDIMENTOS:


INICIALIZAÇÃO EDITAR A CONFIGURAÇÃO DE INICIALIZAÇÃO

Para editar a configuração de inicialização.


1. Pressione a tecla de membrana Editar
configuração no submenu Biomed.
2. Pressione a tecla de membrana
Configuração de . inicialização
3. Pressione a tecla de membrana para a
programação de inicialização pretendida.
4. Pressione a tecla de membrana Seguinte
para prosseguir para a programação do
modo de ventilação.
5. Pressione a tecla de membrana apropriada
para alterar a programação.
Nota: Pressione Restaurar def. de modo
para restaurar as programações
padrões.

6. Pressione Seguinte para visualizar um


resumo da Configuração de inicialização.
7. Pressione Aceitar para salvar as
programações de inicialização.

Nota: O ventilador terá de ser reiniciado


para ativar as novas programações.

SVS-9045_XX

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 153


| 10 | Configuração de inicialização |

10.4 INICIAR MCARE REMOTE


SERVICE 3

Ligue o cabo de rede entre o SERVO-s


Ventilator System (1) e a estação de
ancoragem.

AVISO! Use apenas equipamento de rede


que tenha sido instalado por um
representante da MAQUET.

CUIDADO: Quando usar a função MCare SVX-9042

Remote Service, instale o cabo de rede de 1


forma que não exista o risco de alguém
tropeçar neste. Quando a transferência terminar, é exibida a
mensagem Transferência de arquivo completa.
Ative a função MCare Remote Service O MCare Remote Service será desativado.
pressionando a tecla de membrana Start Desligue o cabo de rede.
MCare Remote Service (2) na janela Biomed.
Aceite a caixa de diálogo pressionando OK e o
MCare Remote Service fica desativado.
2
AVISO! Desligue sempre o cabo de rede
antes de iniciar a ventilação.

Nota: O SERVO-s Ventilator System está


preparado para a funcionalidade MCare
Remote service, embora seja necessário
equipamento adicional para utilizar esta
SVX-9045
função. Por favor, entre em contato com
o seu representante de vendas e
A mensagem seguinte aparece no modo Em assistência para mais detalhes.
Espera (3) - MCare Remote Service ativado.
Certificar-se de que o cabo de rede está ligado
e Evolução: Aguarda a transferência..., seguido
de A enviar arquivos de registro...

154 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Dados técnicos | 11 |

11 DADOS TÉCNICOS
ÍNDICE

11.1 Sistema | 156


11.2 Ventilador | 157
11.3 Especificação das condições padrão | 158
11.4 Canal inspiratório | 159
11.5 Canal expiratório | 159
11.6 Monitorização | 160
11.7 Alarmes | 160
11.8 Modos ventilatórios | 162
11.9 Função de tendência | 163
11.10 Função de registros | 163
11.11 Funções imediatas | 164
11.12 Comunicação/Interface | 164
11.13 Assistência técnica | 164
11.14 Acessórios | 165
11.15 Poluição controlada | 166
11.16 Parâmetros respiratórios: valores padrões | 167
e programações permitidas (configuração
padrão)
11.17 Limites de alarme: programações predefinidas | 169
e intervalos permitidos

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 155


| 11 | Dados técnicos |

11.1 SISTEMA 11.1.2 CONDIÇÕES DE FUNCIONAMENTO

11.1.1 GENERALIDADES Intervalo de temperatura de funcionamento:


+10 a +40°C
Este dispositivo está em conformidade com
Umidade relativa: 15 a 95% não
os requisitos da Diretiva Comunitária relativa
condensação
aos Dispositivos Médicos 93/42/CEE.
Pressão atmosférica: 660 a 1060hPa
Normas Pressão mais baixa no circuito do paciente:
EN/IEC 60601-1, GB9706.1 (Classe 1, Tipo -400 cmH2O
B), operação contínua
EN/IEC 60601-2-12, GB9706.28
Impacto
EN 794-1 Aceleração máxima: 15 g

Compatibilidade eletromagnética (EMC) Duração dos impulsos: 6 ms


De acordo com EN/IEC 60601-1-2, 2ª edição Número de impactos: 1000
(2001)

Imunidade 11.1.3 CONDIÇÕES DE NÃO


A declaração EMC: Informações para a FUNCIONAMENTO
organização responsável disponíveis através
da MAQUET. Temperatura de armazenamento: -25 a
+60°C (-13 a 140°F)
Gama de pacientes (kg) Umidade relativa de armazenamento:
Peso 10 – 250 kg. < 95%.
Classificação IP Pressão atmosférica de armazenamento:
IP 20 470 — 1060 hPa

156 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Dados técnicos | 11 |

11.1.4 FONTE DE ALIMENTAÇÃO 11.2 VENTILADOR


Fonte de alimentação, seleção automática 11.2.1 GENERALIDADES
100-120V, 220-240V, AC 50-60Hz
Dimensões (mm)
Flutuações permitidas ± 10% da voltagem Interface do utilizador: L 355 x P 53 x A 295
nominal.
Unidade do Paciente: L 380 x P 300 x A 210
Alimentação bateria
Peso, aproximado (kg)
2 módulos da bateria recarregáveis de 12 V,
18
5 A, 3.5 Ah cada.
Tempo de recarga de aproximadamente 6 Método de ativação
horas (até 12 horas se a bateria estiver Fluxo e pressão
completamente descarregada)
O tempo de alimentação por bateria é de
11.2.2 ALIMENTAÇÃO DE GASES
aproximadamente 1 hora.
Qualidade do gás
12V CC externa
Os gases fornecidos devem cumprir os
12,0V - 15,0V CC, 10A
requisitos de gases de grau médico de acordo
com as normas aplicáveis.

Níveis máximos
O tipo de conector é referido no Manual de Ar
Assistência. 3
H2O < 7 g/m
3
Consumo máx. de energia Óleo < 0,5 mg/m
2
A 110-120V: 2A, 190VA, 140W. Cloro: não deve ser detectável
A 220-240V: 1A, 190VA, 140W.
Oxigênio
3
H2O < 20 mg/m
3
Óleo < 0,3 mg/m

Gás de entrada
Pressão: 2,0 – 6,5 kPa x 100 (29 – 94 psi)
máx 60 l/min

Normas de ligação disponíveis


AGA, DISS, NIST ou French.

2. Se o ar comprimido for produzido por um compressor de anel líquido, existe o potencial risco de cloro no ar
fornecido.
SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 157
| 11 | Dados técnicos |

11.2.3 CONECTORES DO SISTEMA DO 11.3 ESPECIFICAÇÃO DAS


PACIENTE CONDIÇÕES PADRÃO
Encaixes côonicos (mm) As gamas de erro neste documento assumem
Macho 22 e fêmea 15, em conformidade com os seguintes padrões e para os piores casos,
a ISO 5356-1. isto é, todos os erros são tidos como
positivos. Estatisticamente, 95 % de todos os
Porta de saída dos gases (mm) valores encontram-se nos 2/3 do erro dado.
Cone macho 30.
Pressão ambiente: 101,3 kPa
Temperatura ambiente: 20 ºC
Gases secos no sistema do paciente
Pressão de entrada: 4,3 kPa x 100
Verificação antes da utilização feita num
ventilador aquecido
Programações padrões a menos que
especificado de outro modo
No SERVO-s Ventilator System, todas as
medições de fluxo e todos os volumes
pré-programados e indicados são
referenciados à pressão ambiente de +21
°C (AP21).
Verificação realizada com um conteúdo
99% de oxigênio num fornecimento de
O2.
Verificação realizada com um conteúdo de
21 ±0,5% de oxigênio num fornecimento
de ar.

158 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Dados técnicos | 11 |

11.4 CANAL INSPIRATÓRIO 11.5 CANAL EXPIRATÓRIO


Queda de pressão Queda de pressão
Máxima: 6 cmH2O com um fluxo de 1 l/s Máxima: 3 cmH2O com um fluxo de 1 litro/s

Fator compressível interno Fator compressível interno


Máxima: 0,1 ml/cmH2O Máxima: 0,1 ml/cmH2O

Sistema de fornecimento de gás Regulagem de PEEP


Válvulas controladas por microprocessador Válvula controlada por microprocessador

Dispositivo de fornecimento de gás Gama de programação PEEP:


Alcance do fluxo: 0 - 50 cmH2O
0 - 3,3 l/s Imprecisão: ± 5% ou ± 1 cmH2O
6

Imprecisão ±5 % ou ±0,1 ml/s


Medições do fluxo expiratório
Programação de pressão máxima Alcance do fluxo
120 cmH2O 0 - 3,2 l/s
3
Imprecisão ±5% ou ± 1 cmH2O Imprecisão: ± 5% ou ± 2,5 ml/s

Nível de compensação máximo de fuga de Tempo crescente (fluxo de 0,05 a 3,21 l/s):
NIV <12 ms para resposta 10 - 90%
65 l/min
Imprecisão: ± 5% ou ± 2,5 ml/s
Concentração de O2
Gama de programação: 21 - 100%
Imprecisão: ± 3 vol% O2

Volume Minuto Inspiratório


Gama de programação: 0,5 - 60 l/min
4
Imprecisão: ± 6%

Volume Corrente Inspiratório


Gama de programação: 100 – 2.000 ml
5
Imprecisão: ± 7%

3. a RR < 100 resp./min


4. a 2,5 - 60 l/min e programação I:E<1:1
5. a 400 - 2.000 ml e programação I:E<1:1
6. a RR < 66 resp./min
SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 159
| 11 | Dados técnicos |

11.6 MONITORIZAÇÃO 11.7 ALARMES


Volume minuto expiratório 11.7.1 PROGRAMAÇÕES DOS ALARMES
0 - 60 l/min PERMITIDOS
7
Imprecisão: ± 8% ou ± 0,15 l/min
Pressão das vias aéreas (Limite de alarme
8
NIV: ± 10% superior)
16 a 120 cmH2O
Volume corrente expiratório
0 – 2.000 ml Pressão das vias aéreas em NIV (Limite de
9
Imprecisão: ± 8% ou ± 15 ml alarme superior)
16 a 40 cmH2O
Concentração de O2
Intervalo: 0 – 100% Pressão contínua elevada (> 15 seg)
Imprecisão: ± 3 vol% O2 Nível PEEP programado + 15 cmH2O

A precisão da medição depende da qualidade Concentração de O2


do teor de oxigênio dos gases fornecidos Valor programado ±5 vol% ou < 18 vol%
durante a verificação antes da utilização.
Volume minuto expiratório (Limite de
Pressão das vias aéreas alarme superior)
-40 - 160 cmH2O 0,5 - 60 l/min.
Imprecisão: ± 5% ou ± 1 cmH2O
Volume minuto expiratório (Limite de
Pressão de alimentação alarme inferior)
0 - 7 bar 0,5 – 40 l/min.
Imprecisão: ± 5% do valor medido Apneia
15 a 45 s
Filtragem
Curva de pressão: Filtro passa-baixo Alimentação de gases
(constante de tempo 15 ms) Ar: < 2,0 kPa x 100 ou > 6,5 kPa x 100

7. a RR <100 resp./min
8. em fração de fuga constante <30%
9. em tempo de expiração < 4 s e RR <100 resp./min
160 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador
| Dados técnicos | 11 |

Frequência respiratória 11.7.2 REGULAGEM AUTOMÁTICA DOS


1 a 160 resp./min. LIMITES DE ALARMES - APENAS NOS
MODOS CONTROLADOS
Pressão expiratória final (Limite de alarme
superior) Pressão das vias aéreas
0 a 55 cmH2O Pressão máxima mediana +10 cmH2O ou pelo
menos 35 cmH2O
Pressão expiratória final (Limite de alarme
inferior) Volume minuto expiratório (Limite de
10
0 a 47 cmH2O alarme superior)
+ 50%

Volume minuto expiratório (Limite de


alarme inferior)
- 50%

Frequência respiratória (Limite de alarme


superior)
+ 40%

Frequência respiratória (Limite de alarme


inferior)
- 40%

Pressão expiratória final (Limite de alarme


superior)
Pressão média no final da expiração
+ 5 cmH2O

Pressão expiratória final (Limite de alarme


inferior)
Pressão média no final da expiração
- 3 cmH2O

11.7.3 DIVERSOS SOBRE ALARMES

Pausa de áudio (Silenciar / repor alarme)


Dois minutos de silêncio e repor os alarmes
bloqueados.

10. Programar o alarme para 0 (zero) é o mesmo que alarme desligado


SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 161
| 11 | Dados técnicos |

11.8 MODOS VENTILATÓRIOS 11.8.3 VENTILAÇÃO COMBINADA

11.8.1 VENTILAÇÃO CONTROLADA SIMV (VC) + PS


Ventilação obrigatória intermitente
Pressão controlada (PC) sincronizada com base na ventilação de
Ventilação de pressão controlada. volume controlado com pressão assistida.

Volume controlado (VC) SIMV (PC) + PS


Ventilação de volume controlado. Ventilação obrigatória intermitente
sincronizada com base na ventilação de
Volume controlado com pressão regulada
pressão controlada com pressão assistida.
(PRVC)
Ventilação de volume controlado regulado por SIMV (PRVC) + PS
pressão. Ventilação obrigatória intermitente
sincronizada com base na ventilação de
Pressão Controlada NIV
pressão regulada de volume controlado com
Ventilação de pressão controlada não invasiva.
pressão assistida.

11.8.2 VENTILAÇÃO ASSISTIDA Bi-Vent


Ventilação com pressão controlada que dá ao
Pressão assistida (PS)/CPAP
paciente a oportunidade de respirar de forma
Ventilação com pressão assistida / Ventilação
espontânea sem restrição.
com pressão positiva contínua das vias
aéreas. As medições de fluxo e todos os volumes
pré-programados e indicados no SERVO-s
Pressão Assistida NIV
Ventilator System são referenciados à pressão
Ventilação de pressão assistida não invasiva.
ambiente de +21 °C (AP21).

162 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Dados técnicos | 11 |

11.9 FUNÇÃO DE TENDÊNCIA 11.10 FUNÇÃO DE REGISTROS


Pressão máxima das vias
Ppico Registro de eventos
aéreas
Alarmes
Pressão de intervalo das vias Ppausa
aéreas Programação do ventilador
Pressão média das vias Pmédia Períodos de apneia
aéreas
Funções imediatas
Pressão expiratória final PEEP
positiva Registro de assistências
Respirações espontâneas por FRespont. Alarmes técnicos
minuto
Resultados dos ensaios
Frequência respiratória F. Resp.
Manutenção preventiva
Volume minuto Volume MVe esp.
Minuto Histórico do relatório de serviço
Volume minuto inspiratório MVi Registro de configuração
Volume minuto expiratório MVe
Fração de fuga (%) Fuga
Volume corrente inspirado VTi
Volume corrente expirado VTe
Fluxo expiratório final ee
Concentração de oxigênio O2
medida
Características dinâmicas C din
Compliance com níveis de C státic
eletricidade estática
Resistência inspiratória Ri
Resistência expiratória Re
Trabalho de respiração WOB v
ventilador
Trabalho de respiração WOB p
paciente
Elastância E
P0.1 P0.1
Índice de respiração pouco SBI
profunda

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 163


| 11 | Dados técnicos |

11.11 FUNÇÕES IMEDIATAS 11.13 ASSISTÊNCIA TÉCNICA


Respirações de oxigênio
AVISOS!
100 % durante 1 minuto.
A manutenção preventiva deve ser
Iniciar respiração efetuada por pessoal autorizado pelo
Início de 1 respiração em todos os modos. menos uma vez por ano ou a cada 5000
horas de funcionamento. O menu Estado
(No modo SIMV início de uma respiração
na interface do utilizador mostra o tempo
obrigatória).
de funcionamento atual.
Manter pausa As revisões, reparos e instalação
Inspiratória ou expiratória. devem ser efetuados apenas por
pessoal autorizado pela MAQUET.
11.12 COMUNICAÇÃO/INTERFACE Toda a documentação técnica está
disponível para utilização por pessoal
Porta serial autorizado pela MAQUET.
RS-232C – isolada. Para comunicação de
O modo de assistência só deve ser
dados através de Emulador de interface de
utilizado quando não estiver nenhum
comunicação (CIE).
paciente ligado ao ventilador.
Emulador de interface de comunicação
(CIE)
CUIDADO:
Um protocolo para a comunicação de dados
Só devem ser utilizadas peças de origem
com dispositivos externos. O software
da MAQUET.
SERVO-s Ventilator System v6.x utiliza a
versão 003 do Protocolo CIE. Este protocolo
é compatível com versões anteriores, embora
Substituição do módulo da bateria, consulte
exista a possibilidade de não estarem
a página 37.
disponíveis todos os dados.

Ligação de saída do alarme (opção)


Ligação modular isolada de 4 pinos para
comunicação de alarmes de alta e média
prioridade. A opção de ligação de saída de
alarme é um alarme não garantido em
conformidade com a IEC60601-1-8. Máx.
40 V CC, Máx. 500 mA, Máx. 20 W.

164 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Dados técnicos | 11 |

11.14 ACESSÓRIOS 11.14.3 COMPRESSOR MINI (OPÇÃO)

11.14.1 MOBILE CART (OPÇÃO) Dimensões (mm)


430 L x 330 D x 250 A
Peso (kg)
25 Peso (aproximado, kg/lbs)
26/70
Dimensões (mm)
L 500 x C 650 x A 830 Fonte de alimentação
com alças 1030 115 V CA, 60 Hz (monofásica).
220–240 V CA, 50/60 Hz (monofásica).
11.14.2 SHELF BASE (OPÇÃO)
Capacidade do compressor
Peso (kg) Fluxo contínuo à pressão atmosférica normal
0.1 (aproximadamente 1013 hPa) 30 l/min
(expandido para a pressão do ar ambiente) a
Dimensões (mm) 3,5 kPa x 100 (bar)/50 psi.
L 80 X C 160 X A 8

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 165


| 11 | Dados técnicos |

11.15 POLUIÇÃO CONTROLADA


Este produto cumpre o período de utilização de proteção ambiental, tal como definido na
norma de indústria eletronica da República Popular da China SJ/T11364-2006.

As substâncias tóxicas ou perigosas não


verterão nem se alterarão em condições de
funcionamento normal durante 50 anos.

11.15.1 SUBSTÂNCIAS PERIGOSAS

A tabela que se segue apresenta os nomes e o conteúdo das substâncias tóxicas ou perigosas
neste produto, tal como definido na norma da indústria eletronica da República Popular da
China SJ/T11364-2006.

Substâncias perigosas
6+
Peças Pb Hg Cd Cr PBB PBDE
Peças metálicas 0 0 0 X 0 0
Peças plásticas e poliméricas 0 0 0 0 0 0
Componentes elétricos X 0 0 0 0 0
Visor LCD 0 0 0 0 0 0
0: Indica que esta substância tóxica ou perigosa contida em todos os materiais homogêneos
desta peça está abaixo do limite e cumpre o requisito da norma SJ/T11363-2006.
X: Indica que esta substância tóxica ou perigosa contida em, pelo menos, um dos materiais
homogêneos desta peça está acima do limite imposto pela SJ/T11363-2006.

166 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Dados técnicos | 11 |

11.16PARÂMETROS RESPIRATÓRIOS: VALORES PADRÕES E


PROGRAMAÇÕES PERMITIDAS (CONFIGURAÇÃO PADRÃO)

Valor programado de Gama de


Parâmetro
fábrica programação

Fluxo contínuo (l/min) 2 -

Duração do ciclo respiratório, SIMV (s) 4 1 - 15

Frequência de CMV (resp./min) 15 4 - 100

Compensar a compliance DESLIGADO LIGADO / DES- LIGADO

Nível de sensibilidade trigger do fluxo (fração do 50% 0 - 100%


fluxo contínuo)

Relação I:E 1:2 1:10 - 4:1

Relação I:E em reserva 1:2 1:10 - 4:1

Interrupção do ciclo inspiratório (% de fluxo 30 1 - 70


máximo)

Interrupção do ciclo inspiratório (% de fluxo 50 10 - 70


máximo) em NIV

Retardo inspiratório (%) 5 0 - 20

Retardo inspiratório (s) 0,15 0 - 0,4

Retardo inspiratório (s) em NIV 0,2 0 - 0,4

Fluxo máximo inspiratório (l/s) 3,3 -

Pressão absoluta máxima permitida (cmH2O) 120 -

Pressão absoluta máxima permitida em NIV 32 -


(cmH2O)

Volume minuto (l/min) 7,5 0.5 - 60

Modo (Ventilação invasiva) VC -

Modo (Ventilação não invasiva) PS -

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 167


| 11 | Dados técnicos |

Valor programado de Gama de


Parâmetro
fábrica programação

Concentração de O2 (%) 40 21 - 100

PEEP (cmH2O) 5 0 - 50

PEEP em NIV (cmH2O) 5 2 - 20

Palto (cmH2O) 15 (PEEP+1) - 50

Nível de sensibilidade do trigger de pressão - -20 - 0


(cmH2O)

Nível de pressão superior à PEEP (cmH2O) 20 0 - (120-PEEP)

Nível da pressão acima de PEEP em NIV (cmH2O) 5 0 - (32-PEEP)

Nível da pressão acima de PEEP em reserva 20 5- (120 -PEEP)


(cmH2O)

Nível da pressão acima de PEEP em reserva NIV 5 5 - (32 – PEEP)


(cmH2O)

PS acima de PEEP em BiVent (cmH2O) 0 0 - (120-PEEP)

PS acima de P alta em BiVent (cmH2O) 0 0 - (120 - PAlta)

Freq. respiratória em reserva 15 4 - 100

Frequência de SIMV (resp./min) 5 1 - 60

Talto (s) 2 0,2 - 10

Ti (s) 0,9 0,1 - 5

Ti em reserva (s) 0,9 0,1 - 5

Volume corrente (ml) 500 100 - 2000

Volume corrente em reserva (ml) 500 100 - 2000

Tpausa (%) 10 0 - 30

Tpausa (s) 0,4 0 - 1,5

TPEEP (s) 2 0,2 - 10

Peso (kg) 50 10 - 250

168 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Dados técnicos | 11 |

11.17 LIMITES DE ALARME: PROGRAMAÇÕES PREDEFINIDAS E


INTERVALOS PERMITIDOS

Valor programado de Gama de


Parâmetro
fábrica programação

Pressão das vias aéreas, limite superior (cmH2O) 40 16 - 120

Pressão das vias aéreas, limite superior (cmH2O) 20 16 - 40


em NIV

Apneia, tempo até alarme (s) 20 15 - 45

Pressão expiratória final, limite alto (cmH2O) 10 0 - 55

Pressão expiratória final, limite inferior (cmH2O) 2 0 - 47


Nota: Programar o alarme para zero desliga o
alarme.

Volume minuto expirado, limite inferior (l/min) 5,0 0,5 - 40,0

Volume minuto expirado, limite superior (l/min) 40,0 0,5 - 60,0

Frequência respiratória, limite inferior (resp./min) 5 1 - 160

Frequência respiratória, limite superior (resp./min) 30 1 - 160

Os valores padrÕões são programados:


se reinicia o ventilador
se admite um paciente novo
se muda o tipo de ventilação (opção)
O ventilador esteve totalmente sem energia
durante mais de 2 minutos.

Certifique-se sempre de que os valores


relevantes são programados.

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 169


| 11 | Dados técnicos |

170 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Definições | 12 |

12 DEFINIÇÕES

resp./min—Respirações por minuto


Fluxo contínuo—O fluxo contínuo durante a fase de expiração
Duração do ciclo respiratório—Duração do ciclo total por respiração obrigatória em SIMV (inspiratório
+ pausa + expiratório). Programado em segundos.
C din—Características dinâmicas
CMV—Ventilação Mecânica Controlada.
CPAP—Pressão das vias aéreas positiva contínua.
Cstatic—Conformidade com níveis de eletricidade estática, sistema respiratório
E—Elastância
Pausa expiratória—Fechamento manual das válvulas expiratória e inspiratória após a expiração
(máx. 30 segundos). Mede a PEEP total.
Nível de trigger de fluxo — O fluxo que o paciente tem de inalar para ativar o ventilador de forma a
iniciar uma respiração (fração do fluxo contínuo).

HME—Auto umidificador.
I:E—Relação Inspiração/Expiração (apenas durante a ventilação controlada).
Pausa inspiratória—Fechamento manual das válvulas inspiratória e expiratória após a inspiração
(máx. 30 segundos). Mede a pressão de plateau.
Interrupção do ciclo de inspiração—Fração do fluxo máximo na qual a inspiração deveria mudar
para expiração (%).
Retardo inspiratório—Tempo até atingir o fluxo ou a pressão de inspiração no início de cada respiração,
exibido como uma percentagem ou em segundos da duração do ciclo respiratório (% ou s).
Fuga - fuga em relação ao fluxo inspiratório (%)
Volume minuto—Volume por minuto ou volume pretendido (l).
MVe—Volume minuto expiratório
MVe sp—Volume minuto expiratório espontâneo
MVe sp / MVe—A relação entre o Volume minuto expiratório espontâneo e o Volume minuto expiratório
total (apenas aplicável em Bi-Vent)
MVi—Volume minuto inspiratório
O2—Concentração de oxigênio por vol.%
O2 respirações—100 % de oxigênio num minuto.
Opção—Funcionalidade ou acessório opcional ou complementar.
NIV—Ventilação não-invasiva
P—Pressão
P0.1—Indicador do comando respiratório.
Tempo de pausa—Tempo em que não existe a administração de fluxo ou de pressão (%).
PC—Pressão controlada.
PEEP—Pressão positiva no final da expiração (cmH2O).
SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 171
| 12 | Definições |

PEEPtot— Programar PEEP + PEEP intrínseca


P vias resp. alta—Pressão das vias aéreas
Ppico—Pressão inspiratória máxima
Palta—Nível de pressão alta.
Pmédia—Pressão média das vias aéreas
Ppausa—Pressão durante a pausa da inspiração final
Nível de trigger de pressão — A pressão negativa que o paciente tem de criar para ativar o ventilador
de forma a iniciar uma respiração.

PRVC—Volume controlado com pressão regulada.


PS—Pressão assistida.
PS acima de PAlto—Nível da Pressão assistida inspiratória para respirações desencadeadas durante
o período de Talta em Bi-Vent (cmH2O).
PS acima de PEEP—Nível da Pressão assistida inspiratória para respirações desencadeadas durante
o período de PEEP em Bi-Vent (cmH2O).
Re—Resistência expiratória
RH—Umidade relativa
Frequência respiratória—Taxa de respirações obrigatórias controladas ou utilizadas para calcular o
volume pretendido (rep./min).
Ri—Resistência inspiratória
RR—Frequência respiratória
Cartão de assistência técnica—Cartão de software de assistência no local
SIMV—Ventilação obrigatória intermitente sincronizada
Velocidade SIMV—Velocidade de respirações obrigatórias controladas (resp./min).
Respiração inicial—Respiração programada desencadeada manualmente.
T—Tempo.
Tc—Constante de tempo
Ti—Tempo de inspiração
Ti/Ttot—Ciclo de serviço ou relação do tempo de inspiração com a duração do ciclo respiratório total
(apenas durante a respiração espontânea).
Volume corrente—Volume por respiração ou por volume pretendido (ml).
Talta—Tempo ao nível de Palta em Bi-Vent (s)
TPEEP—Tempo ao nível de PEEP em Bi-Vent (s)

—Fluxo

ee—Fluxo expiratório final

fuga—Fluxo de fuga (l/min)


VC—Volume controlado
VTe—Volume corrente expiratório

172 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Definições | 12 |

VTi—Volume Corrente Inspiratório

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 173


| 12 | Definições |

174 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Apêndice • Interface do utilizador | 13 |

13 APÊNDICE • INTERFACE DO UTILIZADOR


ÍNDICE

13.1 Teclas fixas | 176


13.2 Teclas para funções especiais | 177
13.3 Tecla de acesso rápido | 178
13.4 Tecla de Tela Principal | 179
13.5 Tecla Menu | 180
13.6 Menu Biomed (modo Em espera) | 182
13.7 Teclas de membrana do tela | 184

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 175


| 13 | Apêndice • Interface do utilizador |

13.1 TECLAS FIXAS

Áudio em pausa (Silenciar ou pré-silenciar alarmes)

Perfil de Programação do perfil de Ao pressionar a Regulagem automática nos modos


alarme alarmes. Seleções possíveis: controlados de ventilação, os limites de alarme são
Pressão (superior) automaticamente programados para:
Volume minuto (inferior e
superior) Pressão
Frequência respiratória (inferior Volume
e superior) Freq. resp.
Pressão expiratória final PEEP
(inferior e superior)
Nível de som de alarme Nos modos espontâneos existe uma programação
(10-100%) de alarme para o tempo de apneia.

Nota: Em NIV, o som do Nota: Reg. Auto. não é possível em NIV.


alarme pode ser
permanentemente silenciado
(áudio desligado).

Tendências O gráfico de tendências aparece quando a tecla fixa Tendência é pressionada. Os


dados podem ser registrados num período de tempo até 24 horas. A resolução de
tempo é apresentada no gráfico de tendência.

Tecla fixa reservada para utilização futura

176 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Apêndice • Interface do utilizador | 13 |

13.2 TECLAS PARA FUNÇÕES


ESPECIAIS

Iniciar respirações O ventilador iniciará um novo ciclo de respiração de acordo com as atuais
programações do ventilador.

Respirações de O2 Esta função permite dar 100 % de oxigênio durante 1 minuto. Ao fim deste tempo
a concentração de oxigênio regressará ao valor pré-programado. As respirações
de oxigênio podem ser interrompidas pressionando a tecla fixa O2 Resp. durante
o intervalo de 1 minuto.

Nota: Se O2 Resp. for ativada durante a fase de pré- ou pós-oxigenação em


Sucção assistida, o procedimento será interrompido.

Pausa expiratória A Pausa expiratória é ativada pressionando manualmente a tecla fixa Pausa expiratória.
O tempo máximo é de 30 segundos. As válvulas inspiratória e expiratória fecham
depois da expiração. Esta função pode fornecer uma medida exata da pressão
pulmonar expiratória final. Pode ser utilizada para medir a compliance com os
níveis de eletricidade estática e para determinar a PEEP total.

Pausa insp. A Pausa inspiratória é ativada pressionando manualmente a tecla fixa Pausa
inspiratória. O tempo máximo é de 30 segundos. As válvulas inspiratória e
expiratória fecham depois da expiração. Esta função pode fornecer uma medida
exata da pressão pulmonar inspiratória final. Pode ser utilizada durante o raio-x
ou para determinar a pressão de Plateau ou o cálculo da compliance com níveis
de eletricidade estática.

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 177


| 13 | Apêndice • Interface do utilizador |

13.3 TECLA DE ACESSO RÁPIDO

Acesso
rápido

Sucção assistida Esta função permite ao utilizador desligar o paciente do ventilador, bem como desliga
os alarmes (para apneia, volume minuto, alarme de frequência, verificar tubagem,
PEEP baixa) durante a aspiração assistida.

Nota: A sucção assistida não está disponível quando estão ativadas as


respiações NIV ou de O2.

Laços Os laços são gráficos que apresentam dois valores medidos: um valor medido
(eixo x) contra outro valor medido (eixo y). Os laços são atualizados respiração
a respiração.

Estão disponíveis dois laços:


volume-pressão
fluxo-volume

Escala dos Escala das curva


gráficos Escala de pressão
Escala de fluxo
Escala de volume

Estas três escalas são programadas como padrão para escala automática.

A velocidade de varrimento (mm/s) pode ser definida para 10 ou 20 mm/s


(padrão).

Configuração de Possibilidade de aumentar o espaço de visualização das curvas. Isto significa que
curva pode ser vista informação mais detalhada.

178 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Apêndice • Interface do utilizador | 13 |

13.4 TECLA DE ECRÃ PRINCIPAL

TtTela
principal

Tela Principal A tecla fica Tela principal fá-lo volar a Tela principal, cancelando o trabalho atual
a partir de onde quer que esteja nas janelas de Menu/diálogo.

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 179


| 13 | Apêndice • Interface do utilizador |

13.5 TECLA MENU

Menu

Alarme Programação do perfil de alarmes

Alarme:Perfil Programação do perfil de alarmes. Ao pressionar a Regulagem automática


Seleções possíveis: nos modos controlados de ventilação,
Pressão (superior) os limites de alarme são
Volume minuto (inferior e superior) automaticamente programados para:
Frequência respiratória (inferior e Pressão
superior) Volume
Pressão expiratória final (inferior e Freq. resp.
superior) PEEP
Nível de som de alarme (10-100%)
Nos modos espontâneos existe uma
programação de alarme para o tempo
Nota: Em NIV, o som do alarme de apneia.
pode ser permanentemente
silenciado (áudio desligado). Nota: Reg. Auto. não é possível em
NIV.

Alarme:Histórico Apresenta os alarmes que foram ativados. A lista está em ordem alfabética.

Áudio em pausa (Silenciar ou pré-silenciar alarmes)


Alarme:

Analisar

Analisar:Tendências Analisar tendências, registro de eventos ou configuração.


Analisar:Registro de
eventos
Analisar:Visualizar
configuração

180 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Apêndice • Interface do utilizador | 13 |

Compensado

Compensar:Compliance Em "Compliance" é possível ativar ou desativar a compensação da


compliance do circuito.

Biomed

Biomed:Adaptação da A concentração de O2 medida será adaptada em conformidade com o valor


célula de O2 programado.
(apenas durante a
ventilação)

Bloqueio do painel Bloqueia todas as funções de introdução de dados pelo utilizador na Interface
do Utilizador. Pressione a tecla fixa Tela principal para desbloquear.

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 181


| 13 | Apêndice • Interface do utilizador |

13.6 MENU BIOMED (MODO EM ESPERA)

Biomed

Introduza o código 1973 para acessar os menus Biomed. O


utilizador poderá alterar o código de acesso.

Assistência:Registro de eventos Apresentar os registros de eventos. Seleções possíveis:


Alarmes registros mais recentes
intervalo de tempo selecionado
Programações do ventilador
Funções

Assistência:Registro de assistências Apresentar os registros de assistências. Seleções possíveis:


Alarmes técnicos últimos 21 registros
intervalo de tempo selecionado
Resultados dos ensaios
Manutenção preventiva
Histórico do relatório de serviço
Histórico da configuração

Assitência:Relatório MP Introduz uma data da manutenção preventiva no Registro de


assistências.

Assistência:Membrana exp. Reinicialização do contador de respirações na cassete


substituída expiratória.

182 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Apêndice • Interface do utilizador | 13 |

Editar configuração Programação da configuração padrão do utilizador.


Nível de som de alarme
Limites alarmes
Valores apresentados
Alarmes NIV
Configuração de inicialização

Copiar configuração Copiar a configuração para/de a placa de PC.

Acertar a data e a hora Acerto da data e hora.

Alterar o código de acesso Alterar o código de acesso ao menu Biomed.

Iniciar MCare Remote Service Inicia a função MCare Remote Service

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 183


| 13 | Apêndice • Interface do utilizador |

13.7 TECLAS DE MEMBRANA DO


ECRÃ

Modo Xxxxx Quando se pressiona a tecla de membrana para um modo de ventilação


selecionado aparece uma janela com as programações válidas para este
modo. A janela possui uma tecla de membrana Aceitar e uma tecla de
membrana Cancelar. Quando a tecla de membrana Aceitar é pressionada, o
ventilador inicia a ventilação com os novos valores programados. Se a tecla
de membrana Cancelar for pressionada, esta janela irá desaparecer e o
ventilador continuará a ventilação com os valores programados original-
mente. Para ajudar o médico a ajustar as programações, alguns valores,
provenientes de programações, são apresentados no campo superior direi-
to da janela do modo de ventilação programado, por exemplo, tempo de
inspiração em segundos e o fluxo inspiratório calculado.

Admitir paciente Quando a função Admitir paciente é ativada, o médico pode introduzir ou
alterar detalhes do paciente:
nome do paciente data de admissão
número de identificação altura
data de nascimento peso

Estado Na função Estado, existe um ícone que indica qual a fonte de alimentação
Generalidades atualmente ativa, ou seja, Rede, Ext. 12 V ou bateria. Quando as baterias
estão sendo utilizadas, são também apresentadas informações sobre o tempo
Teste à célula/sensor restante. Quando a tecla de membrana Estado é ativada, aparece uma janela
de O2 que indica o estado de:
Cassete expiratória Informação geral do sistema Estado das baterias
Baterias Estado da célula/sensor de O2 Opções instaladas
Estado da cassete Expiratória Estado da Verificação antes da
Opções instaladas
utilização
Verificação antes da
utilização

184 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Apêndice • Interface do utilizador | 13 |

Programações adicionais

I:E/Tempo insp. Pressione a tecla de membrana Programações adicionais para ver as


programações disponíveis para o modo atual.
Os parâmetros vitais são programados utilizando os Botões de acesso direto.
A barra por baixo do valor numérico é uma representação gráfica do valor
selecionado e faculta informações sobre os intervalos dos parâmetros.
a barra é branca se a sua programação se encontrar dentro dos intervalos
que geralmente são considerados seguros
a barra muda para amarelo se a sua programação se encontrar ligeiramente
fora dos intervalos que geralmente são considerados seguros
a barra muda para vermelho se a sua programação se encontrar bastante
fora dos intervalos que geralmente são considerados seguros

Trigger A barra de sensibilidade trigger tem cores diferentes consoante a


programação:
a barra verde indica uma programação normal para o triggering do fluxo
a barra vermelha indica um risco de self-triggering
a barra branca indica a seleção do triggering da pressão.
Nota: Se houver uma fuga no sistema respiratório, por exemplo, se for
utilizado um tubo endotraqueal sem punho, o triggering será então iniciado
pelo sistema e não pelo paciente. Tal deverá ser sempre evitado reduzindo
a sensibilidade do trigger.

Ventilação de reserva Esta tecla de membrana só fica visível em modos de ventilação assistida.

Valores adicionais Trata-se de uma área da tela que mostra valores numéricos
medidos/calculados.
Estão disponíveis três páginas com valores. Pressionando Valores adicionais
é possível percorrer as páginas.

Nota: Em NIV, apenas está disponível uma página.

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 185


| 13 | Apêndice • Interface do utilizador |

186 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Certificados | 14 |

14 CERTIFICADOS
ÍNDICE

14.1 Canadá | 188


14.2 China | 188

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 187


| 14 | Certificados |

14.1 CANADÁ

Marca CSA

Os indicadores 'C' e 'US' adjacentes à Marca CSA


C US significam que o produto foi avaliado de acordo
com as normas CSA e ANSI/UL aplicáveis, para
utilização no Canadá e nos E.U.A.,
respectivamente.

Certificado: 1645057(LR56549C)

Projeto: 1645057

Contrato principal: 220375

Produtos: Servo Ventilator, modelos Servo-i e Servo-s, com


uma potência entre 100 a 240 V, 50/60 Hz, 190 VA,
Classe I, Tipo B.

14.2 CHINA

Número do certificado de registro: State Food and Drug Administration (Import) File
2011 No. 3541444

Número padrão para o produto registrado: YZB/SWE 1188-2011 (Ventilador)

Agente de assistência pós-venda: MAQUET (Shanghai) Medical Equipment Co., Ltd.

Morada do agente de assistência pós-venda: Suite D6 (01-21), D7, First floor, No. 4 Building, 56
Mei Sheng Road, Wai Gao Qiao Free Trade Zone,
Shanghai, China

Número de telefone do agente de assistência 800-820-0207


pós-venda:

188 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


| Índice remissivo | 15 |

15 ÍNDICE REMISSIVO
Canal inspiratório 30, 159
A Carro móvel 33–34, 165
Aeroneb Professional Nebulizer System 139 Cassete expiratória 30
Alarmes Categoria do paciente 156
Alarme (dados técnicos) 160 Cateter Aedi
Alarmes de alta prioridade 130–131, 143 Símbolos 33
Alarmes de baixa prioridade 130–131, 148 Célula de O2 30, 58
Alarmes de média prioridade 130–131, 146 Compressor Mini 165
Limite de alarme 169 Comunicação/Interface 164
Perfil de alarmes 53 Condições de funcionamento 156
Reg. autom. 53, 161 Condições de não funcionamento 156
Silenciar/Pré-silenciar 132 Configuração de inicializaçãoe 151
Silenciar permanentemente 133 Copiar configuração 152
Alarmes de alta prioridade 130–131, 143 Curva 62
Alarmes de baixa prioridade 130–131, 148
Alarmes de média prioridade 130–131, 146 D
Alimentação de bateria Dados do paciente 49
Reserva por bateria 157 Definições 171
Alimentação de gás 157 Descrição do dispositivo
Analisar 180 Carro móvel 165
Apêndice Compressor Mini 165
Tecla de acesso rápido 178 Dimensões 157
Tecla de Tela Principal 179
Tecla Menu 180 E
Teclas de membrana da tela 184 Tela sensitiva 21
Teclas fixas 176 EMC 156
Teclas para funções especiais 177 Em espera 18, 180, 182
Armadilha de água 138 Estado dos módulos 37
Aspiração assistida 56 12 V externos 27, 36, 157
Assistência técnica 7, 164
F
Avisos 8
Finalidade 6
B Fisher & Paykel
Biomed 26, 152, 182 Umidificador 138
Bi-Vent 72, 107 Fluxo de gás 30–31
Botão de acesso direto 24 Fluxo de trabalho 42
Botão rotativo principal 18, 22 Fonte de alimentação 35, 165
Braço de apoio 9, 34 Frequência respiratória 80

C G
Canal expiratório 75, 159 Gama de programação 167–169
SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 189
| 15 | Índice remissivo |

H PEEP 79, 120


Umidificador Perfil de alarmes
Fisher & Paykel 138 134
Teleflex Medical 138 ver Programar limites de alarme
Peso 13, 42, 49, 156
I Pressão assistida 72, 93
Incidência sobre a pressão e o volume 70 Pressão controlada 72, 74, 90, 162
Incidência sobre o fluxo/volume 70 Pressão controlada + Pressão assistida SIMV
Iniciar respiração 123–124, 164 97, 103, 162
Instrução de atividade 37 Programar limites de alarme 53
Interface com o utilizador PRVC 72, 82–83
Apêndice 175
Princípios básicos 16, 18, 21 R
Interrupção do ciclo inspiratório 78 Registro de assistências 163
Registro eventos 65, 130, 163
J Relação I:E 68, 79
Janela Estado da bateria 37, 39 Relação I:E/tempo de inspiração 79
Resolução de problemas
L
Alarmes de alta prioridade 130, 143
Laços 65, 178
Alarmes de baixa prioridade 148
Ligação de saída do alarme 129, 164
Alarmes de média prioridade 130, 146
M Erros técnicos 149
Máscara nasal 110 Mensagens de verificação antes da
Mensagem informativa de texto 18, 39 utilização 46
Mensagens de erros técnicos 149 Resp. mandatória 72, 98–99
Modo anterior 81 Respiração espontânea/CPAP 69, 72, 96–97
Módulo de bateria Respirações de O2 123–124
Tempo de carga 157 Retardo inspiratório 77, 119
Monitorização
S
Dados técnicos 160
Sensor de O2 30
N Shelf Base 165
NIV 54, 110 Símbolos
Interface com o utilizador 18, 20
O Unidade do paciente 32
Opções 51 SIMV 72, 97
O sistema Sincronização 70
Dados técnicos 155 Sistema respiratório do paciente 30, 44
Status (Estado) 27
P
Padrões 12, 156 T
Pausa expiratória 123, 125 Tecla de acesso rápido
Pausa inspiratória 123, 125
190 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador
| Índice remissivo | 15 |

Escalas 178 Respiração espontânea/CPAP 69, 72, 96–


Laços 178 97
Tecla de Tela Principal 179 SIMV 72, 97
Tecla Menu 26 Sincronização 70
Teclas fixas 18, 23, 123, 176 Tipo de ventilação 51
Tempo de carregamento/funcionamento 37 Ventilação assistida 93, 162
Tempo do ciclo respiratório 78 Ventilação controlada 162
Tempo pausa (T pausa) 120 Volume controlado 72–73, 85
Tendências 66 Ventilação de reserva 114
Teste do circuito do paciente 42, 49 Ventilação invasiva 54
Testes internos 44 Ventilação Não-invasiva 54, 110
Tipo de ventilação 51 Ventilador 16, 157
Trig. Fluxo 75 Ventilatório 69, 119
Trigger Verificação antes da utilização 42
Esforço fraco por parte do paciente 76 Volume controlado 72–73, 85, 162
Esforço mais forte do paciente 76 Volume controlado com pressão regulada
Funcionalidade 75 (PRVC) 72, 82–83, 162
Indicação 20 Volume corrente 119
Sensibilidade do trigger 75, 120 Volume minuto 68, 119

U
Unidade do paciente
Fluxo de gás 30
Ligações e etiquetas 28
Utilizador a que se destina 6

V
Valores medidos 60
Valor programado de fábrica 167–169
Ventilação
Bi-Vent 72, 107, 109
Definições 55, 75, 134, 167, 169
Definir modo de ventilação 52
Fluxo e respirações suplementares 70
Implementação 69
Modos de ventilação 73
Parâmetros 119
Pressão assistida 72, 93
Pressão controlada 74
PRVC 72, 82
Relação I:E/tempo de inspiração 79
Resp. mandatória 98

SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador 191


| 15 | Índice remissivo |

192 SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1, Manual do Utilizador


x
© Maquet Critical Care AB 2011. All rights reserved. • MAQUET reserves the right to modify the design and specifications contained herein without prior notice.
• Order No. 66 77 462 • Manual do Utilizador • Printed in Sweden • 111114 • Rev: 05 Portuguese •

Maquet Critical Care AB


Röntgenvägen 2
SE-171 54 Solna, Sweden
Phone: +46 (0) 8 730 73 00
www.maquet.com O GRUPO GETINGE é fornecedor mundial, líder em equipamentos
e sistemas que contribuem para a qualidade e a relação custo
benefício em tratamentos de saúde e ciências naturais. Trabalhamos
com as três marcas ArjoHuntleigh, GETINGE e MAQUET. A
ArjoHuntleigh mantêm em foco a mobilidade dos pacientes e provê
soluções para o cuidado de feridas. A GETINGE fornece soluções
For local contact: para o controle de infecções em tratamentos de saúde e na
prevenção da contaminação em ciências naturais. A MAQUET é
Please visit our website especializada em soluções, terapias e produtos para intervenções
www.maquet.com cirúrgicas, cardiologia intervencionista e cuidados intensivos.
SERVO-s VENTILATOR SYSTEM V6.1 Manual do Utilizador
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Anexo
Informações Complementares

Instruções de Uso 1
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

IDENTIFICAÇÃO DO EQUIPAMENTO

Visão Geral

Ventilador Pulmonar Servo-s, marca MAQUET.

Instruções de Uso 2
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Descrição Geral

O Ventilador Pulmonar Servo-s, marca MAQUET é


constituído pelos seguintes componentes:
1. Interface do Usuário – para definir os modos de
ventilação, ver os dados dos pacientes e indicar
alarmes.
2. Unidade do Paciente – onde são misturados e
administrados os gases, e
3. Sistema respiratório do paciente – para debitar e
trocar gases.

A Interface do Usuário é utilizada para controlar as definições do ventilador, através de interface com software
em português. As definições podem ser ajustadas utilizando as teclas de membrana da tela ou os botões
rotativos.
Os parâmetros respiratórios são medidos e controlados continuamente. A diferença entre o valor real de um
parâmetro medido e o valor predefinido ou calculado resulta no ajuste do fornecimento de gás para conseguir
o valor pretendido.
O sistema tem dois módulos de gás, um para Ar e outro para O 2 . Os gases podem ser fornecidos a partir de
um sistema de tubagem hospitalar, um compressor ou tanques de gás.

CUIDADO! Bloqueie as rodas se o ventilador não for utilizado para transporte.

O equipamento pode funcionar na presença de apenas um dos gases e, a comutação e compensação entre
eles é feita automaticamente na falha de fornecimento de algum dos mesmos.
O ventilador fornece respirações assistidas e controladas ao paciente, com fluxo ou pressão constantes,
utilizando uma concentração de oxigênio regular.
Todo o sistema Servo-s inclui uma vasta gama de acessórios opcionais, como por exemplo, o Carrinho Móvel
(Mobile Cart), sistemas respiratórios, compressores e umidificadores.
Certifique-se de que o ventilador está posicionado na sua posição de bloqueio no carrinho ou no suporte
utilizado, para evitar movimentos inadvertidos.
O Ventilador Servo-s é baseado na tecnologia comprovada Servo, garantindo uma ventilação segura,
confiável e de alta qualidade. Combinando sensibilidade e confiabilidade com a simplicidade, o Servo-s
garante alto desempenho para pacientes adultos e pediátricos em uma variedade de instalações do hospital
para tratamento intensivo de ventilação.
O Servo-s caracteriza-se por uma variação das ferramentas da interface do usuário, o que permite ao
ventilador estar adaptado a diversas situações clínicas. A facilidade de treinar, operar e manter são as
características chave do Servo-s.
O sistema de controle Servo Feedback disponível para o Servo-s é extremamente sensível às necessidades
de alteração de pressão e fluxo do paciente. Mesmo os menores desvios em relação aos valores definidos
são detectados, gerando retorno às válvulas servo-controladas e reguladas - várias centenas de vezes por
segundo. Desta forma, o sistema de controle Servo Feedback dá ao paciente a ventilação exatamente
selecionada.

Instruções de Uso 3
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Isto melhora a proteção do pulmão, a interação do paciente e promove a respiração espontânea,


proporcionando uma assistência adequada – e, portanto reduzindo o trabalho de respiração e melhorando o
conforto do paciente. O resultado é a melhoria na qualidade do tratamento e na operação com custo efetivo.
A interface gráfica do usuário intuitiva do Servo-s facilita o controle e a resposta rápida do sistema. Botões de
acesso direto asseguram alterações rápidas dos parâmetros vitais, quando necessário. O usuário será capaz
de tomar as decisões certas e escolher os parâmetros corretos - mesmo em momentos de grande pressão.

Características Principais

O Servo-s é um Ventilador eletrônico, micro-processado, ciclado a tempo, fluxo e volume e controlado à


pressão e volume:
 Para pacientes adultos e pediátricos.
 Opção SERVO-s Infantil pode ser utilizada em pacientes neonatais e pediátricos (dentro de um volume
corrente de 10 à 350 ml e na faixa de peso de 2 à 30 kg).
 Um ventilador pulmonar projetado para operar em uma variedade de instalações hospitalares para
tratamento intensivo de ventilação.
 Modos de Ventilação padrão:
Ventilação controlada:
− Pressão Controlada (PC)
− Volume Controlado (VC)
Ventilação Assistida:
− Pressão Assistida (PS) / CPAP com ventilação de reserva
Ventilação combinada:
− SIMV (VC) + PS
− SIMV (PC) + PS
 Modos de ventilação opcional:
Ventilação controlada:
− Volume Controlado com Pressão Regulada (PRVC)
Ventilação combinada:
− SIMV (PRVC) + PS (incluído no PRVC)
− Bi-Vent
 Função opcional:
− Conector de saída para chamada de enfermagem
− Mecânica Ventilatória (Mecânica Pulmonar)
 Suporta ventilação invasiva e a opção de Ventilação Não Invasiva (VNI) com compensação de fuga de 65
l/min pediátrico/adulto e de 25 l/min no modo Infantil.
 Alto nível de sensibilidade para o esforço de seu paciente
− Sistema preciso de fornecimento de gás.
− Velocidade extrema em sensibilidade e regulagem.
 Simples de aprender
− Interface do usuário intuitiva

Instruções de Uso 4
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

 Simples de operar
− Display de 12,1 polegadas, colorido, sensível ao toque, com apresentação gráfica clara de até 5
curvas simultaneamente.
− Selecionável através de tela sensível ao toque, botões de acesso direto ou indicadores.
− Procedimento de início rápido e simples, por exemplo, verificação automática antes do uso com
configurações pré-definidas do ventilador configuradas pelo usuário.
− Suporta função para procedimento de aspiração assistida.
− Funcionalidade de Modo Anterior.
− Formas de onda de alta resolução de pressão, fluxo e volume (possibilidade da exclusão da curva de
volume).
 Simples de manter / limpar.
− Parte permutável de uma peça para limpeza.
− Intervalo de manutenção estendido (5000 horas)
− Informação de manutenção dada através da interface gráfica do usuário.
 Seguro
− Suporte de bateria (por pelo menos 60 minutos).
− Suporte de apneia nas modalidades de ventilação espontânea.
− Botões de acesso direto para configurações vitais.
− Sistema de alarme aperfeiçoado.
 Tratamento ventilatório de qualidade a beira do leito ininterrupto durante o transporte no hospital com o
Carrinho Móvel (Mobile Cart).
 Possibilidade para montagem em prateleira.
 Ferramentas de tendência diagnóstica asseguram tempo preciso e detalhe no registro por até 24 horas
depois de um evento.
 “Loops” (Laços) de Volume/Pressão e Fluxo/Volume.
 Opção de Monitoração da Mecânica Pulmonar (Mecânica Ventilatória).
 Sensor de O 2 ultrassônico não-consumível e isento de manutenção, como opcional à célula de O 2
consumível.

Instruções de Uso 5
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Mecânica Ventilatória (Mecânica Pulmonar) (opcional)

A Mecânica Ventilatória (Mecânica Pulmonar) é uma série de medidas realizadas para avaliação do paciente.
O equipamento que possui essa opção de software apresenta todos esses valores naturalmente na lista de
valores apresentados.

Lista de Valores Apresentados (com mecânica ventilatória)

Ppico Pressão inspiratória máxima


Ppausa Pressão durante a pausa da inspiração final
Pmédia Pressão média das vias aéreas
PEEP Pressão expiratória final positiva
PEEP tot . Programar PEEP + PEEP intrínseca
F. Resp. Freqüência Respiratória
O2. Concentração de oxigênio medido em vol.%
Ti Tempo de inspiração
Ct Constante de tempo expiratório
I:E A relação de inspiração para expiração (durante a ventilação controlada)
Ciclo de serviço ou relação do tempo de inspiração com o Tempo do ciclo respiratório
Ti/Ttotal
total (durante a respiração espontânea e Bi-Vent).
MVe esp. Volume minuto expiratório espontâneo (Bi-Vent)
A relação entre o Volume minuto expiratório espontâneo e o Volume minuto expiratório
MVe esp./MVe
total (Bi-Vent).
MVi Volume Minuto Inspiratório
MVe Volume Minuto Expiratório
Fuga Fuga % (VNI)
VTi Volume Corrente Inspiratório
VTe Volume Corrente Expiratório
Vee Fluxo expiratório final
C din Complacência dinâmica
C státic Complacência estática
E Elastância
Ri Resistência inspiratória
Re Resistência expiratória
WOB v Trabalho de respiração, ventilador
WOB p Trabalho de respiração, paciente
P0.1 Pressão de oclusão nos 100 primeiros milisegundos
SBI Índice de respiração superficial

Instruções de Uso 6
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Lista de Valores Apresentados (sem mecânica ventilatória)

Ppico Pressão inspiratória máxima


Ppausa Pressão durante a pausa da inspiração final
Pmédia Pressão média das vias aéreas
PEEP Pressão positiva ao final da expiração
F. Resp. Freqüência Respiratória
O2. Concentração de oxigênio medido em vol.%
Ti Tempo de inspiração
I:E A relação de inspiração para expiração (durante a ventilação controlada)
Ciclo de serviço ou relação do tempo de inspiração com o Tempo do ciclo respiratório
Ti/Ttotal
total (durante a respiração espontânea e Bi-Vent).
MVe esp. Volume minuto expiratório espontâneo (Bi-Vent)
A relação entre o Volume minuto expiratório espontâneo e o Volume minuto expiratório
MVe esp./MVe
total (Bi-Vent).
MVi Volume Minuto Inspiratório
MVe Volume Minuto Expiratório
Fuga Fuga % (VNI)
VTi Volume Corrente Inspiratório
VTe Volume Corrente Expiratório
Vee Fluxo expiratório ao final da expiração

Instruções de Uso 7
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Componentes do Sistema

1. Alimentação de ar e de O 2 .
2. Cabo de alimentação.
3. Interface do usuário.
4. Unidade do Paciente.
5. Entrada expiratória.
6. Servo Duo Guard, filtro hidrofóbico, anti-viral /
anti-bacteriano.
7. Saída inspiratória.
8. Sistema do paciente.
9. Entrada de ar de emergência

Unidade Principal

O Servo-s foi configurado para pacientes adultos e pediátricos com um número de modos de ventilação
adequados para estas categorias de pacientes.
O Servo-s pode ser dividido nas seguintes unidades principais:
• Interface do Usuário: A Interface do Usuário contém todos os controles para ajustar os parâmetros de
ventilação e monitorização. Os parâmetros de ventilação bem como as outras informações importantes
são exibidas no display (LCD de 12,1 polegadas, sensível ao toque e colorido) da Interface do Usuário.
• Unidade do Paciente: A Unidade do Paciente contém sistemas pneumáticos e eletrônicos
(microprocessado) para fornecimento de gás para o paciente. A alimentação de energia e o suporte de
bateria também estão contidos na Unidade do Paciente.

Instruções de Uso 8
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

O Cabo de Controle conecta a Interface do Usuário à Unidade do Paciente.

Todas as programações do ventilador são feitas no painel da Interface do usuário. Poderá ser operado
através da tela sensível ao toque ou do Botão Rotativo Principal ou utilizando apenas o Botão Rotativo
Principal. O fluxo e a pressão são medidos continuamente pelos transdutores e controlados por um sistema
de retorno na Unidade do Paciente.
A informação é comparada com as programações da Interface do Usuário e uma diferença entre o valor
medido atual e os valores pré-programados/ calculados causará ajustes nas entregas de gás de acordo com
o fluxo/ volume/ pressão alvo.
O Ventilador Servo-s tem dois módulos de gás, um para ar e outro para O 2 . O gás poderá ser ligado a partir
de uma rede canalizada do hospital, um compressor ou tanques de gás.
Os valores padrões permitem uma inicialização rápida do sistema. Os valores programados do usuário
personalizam a gestão do ventilador. São enviados sinais para a Unidade do Paciente, que executa a
ventilação administrada pelo sistema de controle servo.

Instruções de Uso 9
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

O design interno da Unidade do Paciente permite a regulagem e medida da inspiração e expiração


verdadeiras. Os valores programados, medidos e calculados são visualizados no monitor respiração-a-
respiração.

1. Uma Interface do Usuário, onde são efetuadas


todas as programações e são monitorizados todos
os efeitos.
2. A Unidade do Paciente, onde os gases são
administrados.
3. Entrada expiratória.
4. Saída inspiratória.
5. A comunicação de dados para um Computador
Pessoal, ou outros equipamentos/monitores, é
possível através do Emulador da Interface de
Comunicação (CIE) utilizando o protocolo/interface
MIB e/ou da porta de comunicação em série (RS-
232C). (opcional)
6. Uma opção de ligação de saída de alarme
possibilita a ligação do ventilador a um sistema de
alarme para chamada de enfermagem (opcional).

Instruções de Uso 10
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Interface do Usuário

A Interface do Usuário inclui:


 Uma tela com teclas de membrana ativas.
 Teclas fixas.
 Botões rotativos.

Instruções de Uso 11
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

1. Modo de ventilação ativado.


2. Admitir paciente / Dados introduzidos do paciente e data de admissão
3. Parâmetros do estado do sistema.
4. Teclas fixas.
5. O Botão rotativo principal – utilizado para selecionar a tecla de membrana ou caixa de parâmetros do
menu, para ajustar valores e para confirmar definições.
6. Teclas de funções especiais – utilizadas para iniciar funções ventilatórias especiais.
7. Botões de acesso direto – utilizado para ajuste imediato dos parâmetros respiratórios
8. Indicador da energia CA (verde).
9. Indicador de modo Em Espera (amarelo).
10. Iniciar / Parar (Em Espera) tecla de ventilação.
11. Detector de luminescência – para ajustar automaticamente o brilho da tela.
12. Mensagem de texto informativas, que incluem um símbolo púrpura quando o triggering é feito pelo
paciente.
13. Mensagem de alarme.
14. Área da curva – para monitorização de dois a três parâmetros escalados individualmente, incluindo um
laço de volume/pressão e um laço de fluxo/volume.
15. Apresentação de valores medidos e os limites de alarme (personalizáveis).
16. Programações adicionais.
17. Valores medidos adicionais.
18. Alto-falante.
19. Suporte de cabo para cabo de controle.
20. Gaveta para placa de circuito impresso com uma cobertura.
21. Cabo de controle.
22. Conector de assistência
23. Interruptor de Ligar / Desligar (na posição de Ligado; quando está na posição de Desligado, a bateria
continua carregando).
24. Braço de bloqueio para inclinação da tela.
25. Número do modelo.
26. Número de série.
27. Informação de fabricação.

Instruções de Uso 12
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Unidade do Paciente

A unidade do paciente é constituída pelos seguintes componentes:


 Alimentações de gases e os seus conectores.
 Alimentações de energia e os seus conectores.
 Conectores para acessórios

1. Saída expiratória. 12. Conector de alimentação de CA com fusível.


2. Entrada de gás para Ar. 13. Conector da interface de usuário.
3. Número do modelo. 14. Fusível para fonte de alimentação de CC
4. Número de série. externa.
5. Informação de fabricação. 15. Entrada externa de +12 V CC.
6. Entrada de gás para O 2 . 16. Opção de ligação de saída de alarme.
7. Ventoinha de refrigeração com filtro. 17. Conector RS-232.
8. Pressão do gás de entrada. 18. Saída inspiratória.
9. Tensão da alimentação de rede. 19. Entrada expiratória.
10. Etiqueta para fusível T 2.5AL.
11. Terminal de equipotencialidade, etiqueta.

Instruções de Uso 13
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Cassete expiratória

Fluxo de gás através da unidade do paciente

1. Entrada de gás para O 2 .


2. Entrada de gás para ar.
3. O fluxo de gás é regulado pelos módulos de gás para Ar e O 2 .
4. Os gases são misturados na seção de mistura inspiratória (controle eletrônico).
5. A concentração de Oxigênio pode ser medida por uma célula de O 2 ou um sensor ultrassônico de O 2
(opcional).
É apresentada aqui uma célula de O 2 . A célula de O 2 está protegida por um filtro bacteriológico.
6. A pressão do gás misturado alimentado ao paciente é medida pelo Transdutor de pressão inspiratória. O
transdutor está protegido por um filtro bacteriológico.
7. O canal inspiratório alimenta o gás misturado às tubagens inspiratórias do sistema do paciente. O canal
inspiratório também contém uma válvula de segurança.
8. A tubagem expiratória do sistema respiratório do paciente esta ligada à entrada expiratória. A entrada
também contém um copo de condensação.
9. O fluxo de gás através do canal expiratório é medido por transdutores ultrassônicos.
10. A pressão expiratória é medida pelo transdutor de pressão expiratória (localizado dentro do ventilador). O
transdutor esta protegido por um filtro bacteriológico na cassete expiratória.
11. A pressão (PEEP) no sistema do paciente é regulada pela válvula expiratória.
12. O gás do sistema do paciente sai do ventilador através da saída expiratória. A saída contém uma válvula
anti-retorno.

Nota: A cassete expiratória pode ser trocada entre Sistemas de Ventilação Servo-s e Servo-i diferentes.
Execute sempre uma verificação antes da utilização após trocar uma Cassete expiratória

Instruções de Uso 14
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Sensor Ultrassônico de O 2 (opcional)

O dispositivo de medição de O 2 modificado se baseia em princípios ultrassônicos com a mesma ou maior


precisão que o dispositivo anterior, mas com uma corrente bem mais baixa. A corrente está “embutida” na
tecnologia no dispositivo de medição de O 2 anterior (célula de O 2 ).
O dispositivo de medição de O 2 opcional é muito mais amigável ao ambiente do que o modelo atual. O
dispositivo de medição de O 2 não interfere na ventilação, pois ele é um dispositivo de medição independente,
usado somente para supervisão durante a ventilação.
O oxigênio é medido independentemente da configuração de O 2 no respirador. O alarme de O 2 permanece
inalterado, e se baseia na diferença entre valores medidos e os ajustados.
Diferente da célula de O 2 que requer troca a cada 12 meses, o sensor de O 2 não é um artigo consumível, e
não requer manutenção. O fato de que o sensor de O 2 não requerer substituição também faz dele muito mais
amigável ao meio ambiente em comparação a células de O 2 .
O sensor ultra-sônico de O 2 pode ser utilizado durante transporte intrahospitalar, pois não sofre interferência
de vibrações.
Um novo tubo inspiratório garante mistura apropriada de O 2 e ar para proporcionar medição precisa da
concentração de O 2 , quando usar o sensor ultrassônico de O 2 . O sensor de O 2 SOMENTE se ajustará neste
novo tubo inspiratório – não no antigo. A célula de O 2 se ajusta em ambos os tubos inspiratórios – novo e
antigo.

Sensor de O 2 não-consumível Novo tubo inspiratório

O sensor O 2 usa o ultrassom como técnica de medição. Pela medição da velocidade do som e da
temperatura da mistura de gases é possível calcular as proporções dos gases (concentração de O 2 ). O
sensor está conectado ao canal de inspiração no ventilador. No sensor é incluída uma placa de computador
que faz os cálculos e a comunicação com o sistema principal. O ventilador precisa de um software, o qual é
adaptado ao sensor O 2 . A interface mecânica entre o ventilador e o sensor O 2 é a mesma da célula química
de O 2 .
Com o conector existente de 6 pinos, o sensor O 2 também tem a mesma interface elétrica do ventilador
Servo-s, e usa a mesma interface elétrica que a célula química de O 2 e utiliza o I2C como canal de
comunicação. O sensor O 2 modificado não tem qualquer influência sobre a segurança e a eficácia dos
ventiladores Servo-s.

Instruções de Uso 15
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Características

• Opcional (Célula ou Sensor)


• Nova tecnologia ultrassônica
• Fácil instalação
• Ecologicamente correto
• Não-Descartável
• Menor intervalo de Manutenção
• Melhor Custo Benefício (Aprox. 4 células de O 2 )
• Atualização da base instalada atual
• Vantagens em relação a célula paramagnética - Transporte

Instruções de Uso 16
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Acessórios

Cobertura dos botões

A cobertura dos botões protege os Botões de acesso


direto contra ativações inadvertidas. Levante a
cobertura para acessar aos Botões de acesso direto.

Tampa do painel da interface do usuário (opcional)

A cobertura do painel da Interface do Usuário protege a


tela contra a ativação inadvertida de programações e
contra danos mecânicos durante o transporte.
Enquanto estiver colocada, o usuário pode ainda
acessar as programações essenciais. Levante a
cobertura para acessar a tela.

Instruções de Uso 17
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Carrinho Móvel (Mobile Cart) (opcional)

Lado posterior e dianteiro


O Carrinho Móvel (Mobile Cart) do Servo-s
foi concebido para transporte da Interface
do Usuário, da Unidade do paciente e de
todo o equipamento opcional necessário.
O Carrinho Móvel (Mobile Cart) tem guias
laterais para acessórios tais como um
Suporte do braço do circuito ventilatório, e
encaixes na coluna para o umidificador,
etc. Duas das rodas podem ser
bloqueadas.

Suportes

Braço de Suporte 176 ou 177 (opcional)

O Braço de Suporte pode ser instalado no Carrinho


Móvel (177) ou em uma estativa (176).

Instruções de Uso 18
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Suporte do umidificador (opcional)

O suporte do umidificador pode ser instalado no


Carrinho Móvel (Mobile Cart).

Base da prateleira para Servo-s (opcional)

A Base da prateleira permite a colocação do Ventilador


Servo-s numa prateleira.

Suporte para cilindros de gás do Servo-s (opcional)

O suporte para cilindro de gás é montado sobre o


Carrinho Móvel (Mobile Cart).

Instruções de Uso 19
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Compressor Mini (opcional)

Princípios básicos

O Compressor Mini foi concebido para fornecer ar


medicinal, seco, filtrado e comprimido a um ventilador.
O Compressor Mini foi concebido para trabalhar em
conjunto com todos os ventiladores Maquet.
O Compressor Mini está equipado com uma função Em
espera. No modo Em espera, o compressor começará
a debitar ar comprimido para o ventilador se a
alimentação de ar comprimido central falhar. O
compressor pára automaticamente quando a
alimentação de ar central regressa.
O Compressor Mini está equipado com dois alarmes;
um alarme de temperatura que é ativado se o
compressor sobre-aquecer e um alarme de pressão
que é ativado se a pressão de ar cair ou aumentar para
fora da faixa aceitável. Os alarmes são audíveis e
visíveis, com apresentação de mensagens de erro.
A pressão de ar de saída e o tempo de funcionamento
são também indicados no visor.

Compressor Mini do Ventilador Servo-s no Carrinho Móvel (Mobile Cart)

Instruções de Uso 20
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Fonte de Alimentação

O Ventilador SERVO-s está equipado com uma alimentação de CA com seleção automática. O ventilador
funciona corretamente e automaticamente utilizando tomadas elétricas de 100 - 120 V CA ou 220 - 240 V CA.
O ventilador está equipado com dois módulos de bateria que fornecem automaticamente uma tensão de 12 V
CC caso haja uma falha de alimentação elétrica CA, garantindo assim que as definições do ventilador e os
dados salvos permanecem intactos.
O ventilador também está equipado com uma tomada de entrada para uma alimentação externa de 12 V CC.
Esta alimentação é automaticamente ativada caso haja uma falha de energia, e as definições do ventilador e
os dados armazenados permanecem intactos.

Especificações da Fonte de Alimentação

Fonte de alimentação, seleção automática


− 100 - 120 V ±10%, 220 - 240 V ±10%, CA, 50-60 Hz.

Alimentação bateria
Encontram-se instalados dois módulos fixos de bateria que fornecem pelo menos uma hora de funcionamento
de reserva.
12 V CC Externa
12,0 V - 15,0V CC, 10 A
Consumo máximo de energia
 A 110-120 V: 2 A, 190 VA, 140 W.
 A 220-240 V: 1 A, 190 VA, 140 W.

Importante:
 No momento da entrega, os módulos de bateria poderão não estar totalmente carregados. Verifique o
estado das baterias através da interface do usuário e, se necessário, substitua a bateria antes de
proceder a utilização clínica do ventilador.
 Carregue as baterias novas, ligando o ventilador a uma tomada de parede.
 As baterias descarregadas devem ser sempre carregadas.
 Quando não estiver a ser utilizado, o ventilador deverá estar sempre ligado a uma tomada de parede para
garantir o carregamento completo das baterias.

Importante:
Resíduos especiais
Este produto contém componentes eletrônicos e elétricos. Elimine os componentes
descartáveis, substituídos e que sobrem em conformidade com as normas industriais e
ambientais adequadas.
Reciclagem
As baterias gastas devem ser recicladas ou adequadamente descartadas em conformidade
com as normas industriais e ambientais apropriadas.

Instruções de Uso 21
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Softwares do Sistema

OBSERVAÇÃO
Todos os SOFTWARES do Ventilador Pulmonar Servo-s, marca MAQUET possuem
apenas uma versão:
Versão 6.1

O software do Servo-s instalado no Ventilador conterá todas as funcionalidades disponíveis do sistema. O


software do Servo-s é dividido nos seguintes subsistemas:
• Software de Respiração
• Software de Monitorização
• Software do Painel
• Software de ID do Sistema

Software de Respiração
O Software de Respiração controla a entrega de gases para o paciente. Este subsistema é responsável pelo
sistema de respiração, que é:
• Controle e regulagem da ventilação
• Canal Inspiratório
• Canal Expiratório

Software de Monitorização
O Software de Monitorização controla todas as funções de monitorização e de alarmes no sistema. Eventos,
tais como alarmes e alterações dos ajustes também serão registrados.

Software do Painel
O Software do Painel controla toda interação do usuário, bem como a atualização de softwares para todos os
subsistemas, através do cartão de interface para PC.

Software de ID do Sistema
O Software de ID do Sistema é um arquivo de configuração, armazenado na placa principal, que é único para
cada ventilador. O software de ID do Sistema habilitará as funções selecionadas para este Ventilador.

Instruções de Uso 22
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

VERSÃO 6.1 DO PROGRAMA DE VENTILADORES SERVO

A versão 6.1 do programa dos ventiladores Servo fornece uma quantidade de novas funções que abrangem o
desempenho clínico e favorecimento ao usuário dos ventiladores Servo-s da Maquet em tratamentos críticos.

Características Principais
 Configuração inicial a fim de ajustar o modo do ventilador e ajustes padrão.
 Checagem separada da fuga após mudanças no circuito do paciente.
 Inclusão de curvas de tendências para valores de FiO 2 .
 Uso da função do suporte de aspiração para procedimentos que requerem desconexão do ventilador por
um período mais longo.
A configuração inicial no menu Biomed torna possível aos utilizadores configurar cada ventilador ao iniciar em
um modo pré-determinado. O usuário pode decidir o modo do ventilador e os ajustes padrão para todos os
parâmetros relacionados ao modo. A configuração pode ser transferida a outros ventiladores ao utilizar a
função de cópia de configuração (Copy Configuration).
Teste do circuito do paciente: Quando o circuito do paciente é alterado durante a ventilação do mesmo, uma
checagem reduzida de uso prévio pode ser feita para avaliar a fuga do circuito e medição da compliance do
circuito.
Facilidade na atualização da funcionalidade mais recente: Os utilizadores dos ventiladores Servo podem estar
sempre certos que terão um ventilador com as funções mais recentemente disponíveis. Com a plataforma
Servo, é possível atualizar o ventilador com novos programas e instrumentos.

Software de Ventilação Não Invasiva (VNI) (opcional) (versão 6.1)


O Software VNI refere-se à ventilação em que o paciente não é sujeito a intubação nem a traqueostomia. Isto
se consegue utilizando uma máscara nasal, máscara facial ou máscara facial completa.

Opção de Software de Mecânica Ventilatória (opcional) (versão 6.1)


A Mecânica Ventilatória (Mecânica Pulmonar) é uma série de medidas realizadas para avaliação do paciente.
O equipamento que possui essa opção de software apresenta todos esses valores naturalmente na lista de
valores apresentados.

Software Base do Servo-s, (66 66 361) (versão 6.1)

Instruções de Uso 23
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Área de Aplicação

Utilização pretendida

O Ventilador Pulmonar Servo-s, marca MAQUET foi concebido para o tratamento e monitorização de
pacientes com falha respiratória ou insuficiência respiratória.

Grupo de pacientes:
Adulto / Pediátrico, invasivo e VNI Peso de 10 – 250 kg
Infantil, ventilação invasiva (opcional) Peso de 2 a 30 kg
Infantil VNI (opcional) Peso de 3 a 30 kg

Parâmetros Ventilatórios: Valores Padrões e Programações Permitidas


(Configuração Padrão)

Parâmetros Faixa de Configuração


Infantil Adulto / Pediátrico
Fluxo contínuo (l/min) 0,5 2,0
Duração do ciclo respiratório SIMV (s) 0,5 – 15 1 – 15
Frequência de CMV (respirações/min.) 4 – 150 4 – 100
Compensação da compliance Ligado/Desligado Ligado/ Desligado
Nível de sensibilidade trigger do fluxo (fração do 0 – 100% 0 – 100%
fluxo contínuo)
Relação I:E 1:50 – 50:1* 1:10 – 4:1
Relação I:E em reserva 1:10 – 4:1 1:10 – 4:1
Interrupção do ciclo inspiratório (% de fluxo 1 – 70 1 – 70
máximo)
Interrupção do ciclo inspiratório (% de fluxo 10 – 70 10 – 70
máximo) em VNI
Retardo inspiratório (%) 0 - 20 0 - 20
Retardo inspiratório (s) 0 – 0.2 0 – 0.4
Retardo inspiratório (s) em VNI 0 – 0.2 0 – 0.4
Fluxo máximo inspiratório (l/s) 0,55 ou 33 l/min 3,3 ou 198 l/min
Pressão absoluta máxima permitida (cmH 2 O) 80 120
Pressão absoluta máxima permitida em VNI 32 32
(cmH 2 O)
Volume minuto (l/min) 0,3 – 20 0,5 – 60
Concentração de O 2 (%) 21 – 100 21 – 100

Instruções de Uso 24
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Parâmetro Infantil Adulto/Pediátrico


PEEP (cmH 2 O) 0 – 50 0 – 50
PEEP em VNI (cmH 2 O) 2 – 20 2 – 20
P alto (cmH 2 O) (PEEP + 1)-50 (PEEP + 1)-50
Nível de sensibilidade trigger de pressão (cmH 2 O). -20 – 0 -20 – 0
Nível de pressão superior à PEEP (cmH 2 O) 0 – (80 - PEEP) 0 – (120 - PEEP)
Nível de pressão superior a PEEP em VNI 0 – (32- PEEP) 0 – (32 - PEEP)
(cmH 2 O)
Nível de pressão superior à PEEP em reserva 5 – (80-PEEP) 5 – (120-PEEP)
(cmH 2 O)
Nível de pressão superior à PEEP em reserva VNI 5 – (32-PEEP) 5 – (32-PEEP)
(cmH 2 O)
PS acima de PEEP em BiVent (cmH 2 O) 0 - (80 - PEEP) 0 - (120 - PEEP)
PS superior à P alta em BiVent (cmH 2 O) 0 – (80 - P alta ) 0 – (120 - P alta )
Freq. respiratória em reserva 4 – 150 4 – 100
Frequência de SIMV (respirações /min.) 1 – 60 1 – 60
T alta (s) 0.2 – 10 0.2 – 10
Ti (s) 0.1 – 5 0.1 – 5
Ti em reserva (s) 0.1 – 5 0.1 – 5
Volume corrente (ml) 10 – 350 100 – 2000
Volume corrente em reserva (ml) 10 – 350 100 – 2000
T pausa (%) 0 – 30 0 – 30
T pausa (s) 0 – 1,5 0 – 1,5
T PEEP (s) 0.2 – 10 0.2 – 10
Peso (kg) 2 – 30 10 – 250

Ventilação Não Invasiva (opcional)


Modos de ventilação Pressão assistida VNI
Pressão controlada VNI
Nível máximo de compensação de  Pediátrico / Adulto: 65 l/min.
fuga  Neonatal/ Pediátrico (opcional): 25 l/min.

Instruções de Uso 25
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Limites de Alarme

Parâmetro Faixa de configuração


Neonatal/ Pediátrico Adulto / Pediátrico
Pressão das vias aéreas, limite superior (cmH 2 O) 16 - 90 16 – 120
Pressão das vias aéreas, limite superior (cmH 2 O) 16 – 40 16 – 40
em VNI
Apneia, tempo até alarme (s). 5 – 45 15 – 45
Pressão expiratória final, limite superior (cmH 2 O) 0 – 55 0 – 55
Pressão expiratória final, limite inferior (cmH 2 O) 0 – 47 0 – 47
Nota: Programar o alarme para zero desliga o
alarme.
Volume minuto expirado, limite inferior (l/min.) 0,01 0,5 - 40,0
Volume minuto expirado, limite superior (l/min.) 30 0,5 - 60,0
Freqüência respiratória, limite inferior (resp./min.) 1 – 160 1 – 160
Freqüência respiratória, limite superior (resp./min.) 1 – 160 1 – 160

Usuário a que se destina

O Servo-s é um Ventilador Pulmonar com uma avançada funcionalidade. Só pode ser utilizado por:
 Prestadores de cuidados de saúde profissionais, e
 Pessoas que tenham recebido formação na utilização deste sistema, e
 Pessoas que demonstrem ter suficiente experiência em tratamento por ventilação.

Ambiente de Utilização Pretendida

O Ventilador Pulmonar Servo-s, marca MAQUET só deve ser utilizado:


 Em hospitais
 Em centros cujo objetivo principal seja fornecer cuidados de saúde.
 Durante o transporte de um paciente dentro dos hospitais ou dos centros de saúde.

Nota: O Ventilador Pulmonar Servo-s não se destina a ser utilizado com qualquer tipo de agentes
anestésicos.

ADVERTÊNCIA!
O Ventilador Pulmonar SERVO-s não se destina a ser utilizado durante a radioterapia, uma vez que poderá
causar a avaria do sistema.

Instruções de Uso 26
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

INSTALAÇÕES OU MONTAGEM DO EQUIPAMENTO

O Ventilador Pulmonar Servo-s, marca MAQUET, somente deve ser


instalado e montado pelo Serviço Técnico da MAQUET ou por seu
Representante.

A montagem e a instalação já estão incluídas na venda do equipamento.


A correta instalação do equipamento assegura ao cliente o direito à garantia do produto
contra defeitos de fabricação
A solicitação da instalação/montagem pode ser feita no seguinte endereço:

Representante no Brasil:
Maquet do Brasil Equipamentos Médicos Ltda.
Rua Tenente Alberto Spicciati, 200 - Barra Funda
CEP 01140-130 - São Paulo / SP - Brazil
Tel.: +55 11 2608-7386
Fax: +55 11 2608-7359

Instruções de Uso 27
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Requisitos mínimos para Instalação do Ventilador Pulmonar Servo-s,


marca MAQUET.

Requisitos de operação
Temperaturas de operação +10 a +40ºC
Umidade relativa 15 a 95% sem condensação
Pressão atmosférica 660 a 1060 hPa
Pressão mais baixa no circuito do -400 cmH 2 O
paciente:
Impacto
 Aceleração máxima: 15 g
 Duração dos impulsos: 6 ms
 Número de impactos: 1000.

Requisitos não-operacionais
Temperatura de armazenamento -25 a +60ºC
Umidade relativa de < 95%
armazenamento
Pressão atmosférica de 470 -1060 hPa
armazenamento

Requisitos Elétricos
Fonte de alimentação, seleção 100 - 120 V, 220 - 240 V, 50-60 Hz
automática da faixa.
 Flutuações permitidas ±10% da voltagem nominal.
Bateria interna 2 módulos da bateria recarregáveis de 12 V, 5 A, 3.5 Ah cada.
 Tempo de recarga 6 horas (até 12 h. se a bateria estiver completamente descarregada)
 O tempo de alimentação por Aprox. 1 hora
bateria
 Tempo de vida 2,5 anos a contar da data de fabricação
 Temperatura de armazenamento 15 - 20°C
recomendada (bateria desligada)
 Módulos instalados 2
Bateria externa de 12 V CC 12 V – 15 V DC, 10 A
Consumo máximo de energia 110-120 V: 2 A, 190 VA, 140 W
220-240 V: 1 A, 190 VA, 140 W.

Requisitos Físicos
Dimensões
 Interface do utilizador: L 355 x P 53 x A 295 mm
 Unidade do paciente L 380 x P 300 x A 210 mm
Peso Aproximadamente 18 kg.

Instruções de Uso 28
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Alimentação de gases
Fluxo contínuo
 Adulto/Pediátrico 2 l/min
 Infantil (opcional) 0,5 l/min
Qualidade do gás Os gases fornecidos devem cumprir os requisitos de gases de grau
médico de acordo com as normas aplicáveis.

3
 Níveis máximos: Ar H 2 O < 7 g/m .

3
Óleo < 0,5 mg/m .

2
Cloro: não deve ser detectável .

3
 Níveis máximos: Oxigênio H 2 O < 20 mg/m .

3
Óleo < 0,3 mg/m .
Gás de entrada
 Pressão 2,0 – 6,5 kPa x 100 (29 – 94 psi)
 Vmáx. 60 l/min.
Padrões de ligação disponíveis AGA, DISS, NIST ou French.
2
Se o ar comprimido for produzido por um compressor de anel líquido, existe o potencial risco de cloro no ar.

Acessórios

Carrinho Móvel (Mobile Cart) (opcional)


Peso 25 kg
Dimensões A 830 mm (com alças 1030 mm) x P 650 mm x L 500 mm

Base da prateleira (opcional)


Peso 0,1 kg
Dimensões A 8 mm x P 160 mm x L 80 mm

Compressor Mini (opcional)


Dimensões L 430, P 330, A 250 mm
Peso aproximado 26 kg
Fonte de alimentação 115 V CA, 60 Hz (monofásica); 220-240 V CA, 50/60 Hz (monofásica).

Servo Ultra Nebulizer 145 – unidade do paciente (opcional)


Peso Aprox. 125 g
Dimensões A 105 mm x P 108 mm x L 60 mm

Servo Ultra Nebulizer 145 – unidade de controle (opcional)


Peso Aprox. 1130 g
Dimensões A 330 mm x P 96 mm x L 60 mm
Alimentação de energia 100 – 240 VAC ±10%, 50 – 60 Hz
Consumo de energia Máx. de 25 W

Instruções de Uso 29
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Dimensões
Servo-s no Carrinho Móvel (Mobile Cart)

Servo-s na base de prateleira Carrinho Móvel (Mobile Cart)

Base da prateleira do Servo-s

Instruções de Uso 30
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Programações – Sistema respiratório do paciente

15 mm de diâmetro

1. Servo Duo Guard, filtro anti-viral / anti-bacteriano 9. Servo Humidifier - tem que estar desligado
- tem que estar sempre ligado durante a durante a nebulização.
nebulização. 10. Conector angulado para o tubo endotraqueal.
2. Braço de Suporte 11. Copo de condensação - obrigatório se estiver
3. Tubo do paciente. sendo utilizado um umidificador aquecido.
4. Conexão de bico para o nebulizador. 12. Conexão de bico.
5. Servo Ultra Nebulizer - tem que estar ligado 13. Umidificador (Fisher & Paykel) - não pode estar
apenas durante a nebulização e deve ser ativo durante a nebulização.
desligado imediatamente após a medicação ser 14. Aquecedor do tubo do paciente
administrada.
15. Tubo do paciente com cápsula de sonda
6. Ligação do tubo.
7. Peça em Y.
8. Sensor CO 2 . (externo)

Instruções de Uso 31
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

22 mm de diâmetro

1. Servo Duo Guard, filtro anti-viral / anti-bacteriano 7. Servo humidifier - tem que estar desligado
- tem que estar sempre ligado durante a durante a nebulização.
nebulização. 8. Conector angulado para o tubo endotraqueal.
2. Braço de Suporte 9. Copo de condensação - obrigatório se estiver
3. Tubo do paciente. sendo utilizado um umidificador aquecido.
4. Servo Ultra Nebulizer - tem que estar ligado 10. Conexão de bico.
apenas durante a nebulização e deve ser 11. Umidificador (Fisher & Paykel) - não pode estar
desligado imediatamente após a medicação ser ativo durante a nebulização.
administrada.
12. Aquecedor do tubo do paciente.
5. Peça em Y.
13. Cápsula da sonda.
6. Sensor CO 2 (externo)

Instruções de Uso 32
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Preparativos - Carrinho Móvel (Mobile Cart) / posicionamento (opcional)

Nota: Pressione os freios para travar as rodas.

1. Coloque o Servo-s na placa do console.


2. Empurre o Servo-s para os dispositivos de
montagem na parte de trás da placa do console,
até ouvir um clique.

Advertências:
 O ventilador deve ser usado apenas na posição
vertical.
 Certifique-se de que o ventilador esteja
posicionado na sua posição de bloqueio no
Carrinho Móvel (Mobile Cart) do Servo-s, para
evitar movimentos inadvertidos.
 Bloqueie as rodas se o ventilador não for utilizado
para transporte.

Instruções de Uso 33
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Preparativos - Braço de Suporte 177 (opcional)

1. Introduza o Braço de Suporte na calha lateral.


2. Aperte bem o parafuso.

Ajuste o Braço de Suporte e coloque o sistema


respiratório na calha.

Advertência:
 Utilize o Braço de Suporte para aliviar o paciente
do peso do sistema de tubagem.
 Assegure-se de que o Braço de Suporte esteja
firmemente fixo antes de prender a tubagem.
 Quando movimentar o Braço de Suporte ou mudar
de posição, observe a ligação ou paciente
cuidadosamente, para confirmar que não ocorra
nenhum movimento de arrasto ou de outro tipo
(bloqueio do circuito ventilatório do paciente).

Instruções de Uso 34
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Preparativos - Umidificador Fisher & Paykel MR730, MR850, MR810 ou Similar


(opcional)

A utilização de um umidificador é muitas vezes benéfica para os pacientes que recebem tratamento
ventilatório.

AVISO! O umidificador aquecido tem que estar desligado durante a nebulização. De outro modo, o tamanho
das partículas pode ser afetado.

Advertências:
 Se utilizar um umidificador ativo no sistema deve-se utilizar um copo de condensação no tubo
expiratório, para evitar condensação no sistema.
 Durante o funcionamento, o copo de condensação deve ser verificado regularmente e se necessário
esvaziado.

Importante: É recomendada a utilização de tubos originais da Maquet. Os tubos macios poderão afetar
negativamente o desempenho do ventilador.

Suporte do umidificador (opcional)

Um suporte especial permite o posicionamento para a


esquerda ou para a direita do umidificador aquecido.

Ligação

Sistema respiratório de 15 mm (opcional)

Sistema respiratório de 22 mm (opcional)

Instruções de Uso 35
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Preparativos - Servo Humidifier (HME) (opcional)

O uso de um umidificador (HME – filtro trocador de calor e umidade) é muitas vezes benéfico para os
pacientes que recebem tratamento ventilatório.

AVISO! O Humidifier / HME do Servo-S tem que ser desligado durante a nebulização. Caso contrário, o
umidificador pode ficar bloqueado.

Importante: É recomendada a utilização de tubos originais da Maquet. Os tubos macios poderão afetar
negativamente o desempenho do ventilador.

1. Ligue o umidificador entre o tubo endotraqueal ou


entre a máscara facial (ligação fêmea de 15 mm) e
a peça em Y.
2. Se quiser utilizar a conexão de amostra, ligue-a a
conexão Luer (conexão Luer padrão).

Preparativos – Servo Duo Guard, filtro hidrofóbico / anti-viral / anti-bacteriano


(opcional).

O filtro do Servo Guard pode ser utilizado nos membros


expiratórios e/ ou inspiratórios do circuito respiratório.
Ligue um filtro bacteriológico do Servo Guard à entrada
expiratória. Durante a nebulização, tem que estar
sempre ligado um filtro bacteriológico. A utilização do
filtro no lado expiratório também reduz a necessidade
de limpeza e de esterilização em autoclave da cassete
expiratória.

AVISO! Durante a nebulização, deve estar ligado um filtro bacteriológico à entrada expiratória do ventilador.
A pressão das vias aéreas deve ser sempre cuidadosamente controlada durante a nebulização. Um filtro
bacteriológico entupido poderá provocar um aumento da pressão das vias aéreas. O filtro bacteriológico
deve ser substituído se a resistência expiratória aumentar, ou cada 24 horas, quando estiver utilizando o
nebulizador.

Instruções de Uso 36
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

PRECAUÇÕES, RESTRIÇÕES E ADVERTÊNCIAS

Precauções Gerais
O Equipamento a que se refere este manual é um produto eletromédico. Sua utilização ou intervenção
técnica, realizada por pessoas não habilitadas, é perigosa e poderá expor a riscos pacientes, operadores e
terceiros. Leia atentamente este manual. Em caso de dúvidas, consulte a MAQUET ou seu Representante.
Para garantir a segurança funcional do produto, qualquer intervenção técnica, manutenção ou reparo no
mesmo, somente deverá ser realizada por técnicos credenciados pela MAQUET ou seu Representante. Em
caso de suspeita de mau funcionamento, contate imediatamente a MAQUET ou seu Representante mais
próximo.
A MAQUET ou seu Representante não se responsabiliza por quaisquer danos ou prejuízos decorrentes de,
ou causados por, manuseio, operação, manutenção ou utilização indevidas, incorretas ou realizadas por
pessoas não credenciadas.
Antes de se colocar em funcionamento, o usuário deve assegurar-se de que todos os dispositivos de
segurança funcionam corretamente e que o sistema está pronto para ser utilizado. Deve ser comprovado,
antes de tudo, o funcionamento correto de todos os indicadores e lâmpadas (controle visual).
As modificações ou ampliações do sistema devem satisfazer sempre às normas técnicas de instalação e de
segurança do equipamento, e devem ser comunicados com antecedência à MAQUET ou seu Representante.
Como fabricantes, mantenedores, instaladores ou importadores, não nos consideramos responsáveis pelas
conseqüências sobre a segurança, confiabilidade e potência do equipamento especialmente quando:
• Montagem, ampliações, novos ajustes, modificações ou reparos não tenham sido efetuados por
especialista encarregado por nós.
• Os componentes que influem na segurança do produto não tenham sido substituídos, em caso de avaria,
por peças originais.
• A instalação elétrica da respectiva sala de exames não satisfaça as correspondentes normas vigentes no
país.
• O equipamento não for utilizado em concordância com as instruções de uso.

Instruções de Uso 37
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Advertências, Precauções, Informações Importantes e Notas

Siga estas orientações de segurança. Ao longo deste documento surgirão avisos adicionais ligados ao
contexto. As informações estão realçadas com Aviso, Cuidado, Importante ou Nota, onde:

AVISOS!
Indica informação vital sobre um resultado potencial grave para o paciente ou para o usuário.

CUIDADO:
Indica instruções que devem ser cumpridas de modo a assegurar o adequado funcionamento do
equipamento.

Importante:
Indica informações com o objetivo de ajudá-lo a trabalhar com o equipamento ou com os dispositivos
ligados a este de modo fácil e conveniente.

Nota:
Indica informações que requerem atenção especial.

Generalidades

Este relatório resume as funções e funcionalidades de segurança do Ventilador SERVO-s. Não é todo
abrangente e não deve ser encarado como substituto da formação.

AVISOS!
 Efetue sempre uma Verificação antes da utilização antes de ligar o ventilador em um paciente.
 Se ocorrer algum dos seguintes, interrompa a utilização do ventilador e contate um técnico de
assistência:
− Janelas de contexto desconhecidas na tela.
− Alarmes não resolvidos
− Sons desconhecidos
− Qualquer evento desconhecido ou inexplicado
 Quando o ventilador está ligado a um paciente:
− Não levante nem desligue a cassete expiratória.
− Monitorize continuamente as definições e medições apresentadas na tela.

Instruções de Uso 38
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

AVISOS!
 O Ventilador SERVO-s deve ser operado apenas por pessoal autorizado, devidamente formado na sua
utilização. Deve ser operado de acordo com as instruções fornecidas no Manual de utilização.
 Não cubra o ventilador de nenhuma forma, dado que o funcionamento do equipamento pode ser
adversamente afetado.
 Quando o ventilador for utilizado para MCare Remote Service, use apenas equipamento de rede que
seja seguro e esteja em conformidade com os padrões elétricos e de EMC relevantes, tais como o IEC-
60950.
Nota: O cabo de rede está excluído deste requisito.
 Desligue sempre o cabo de rede antes de iniciar a ventilação quando o ventilador for usado para MCare
Remote Service.
 A ventilação da pressão positiva pode ser associada aos seguintes efeitos adversos: barotrauma,
hipoventilação, hiperventilação ou dificuldade circulatória.
 O Ventilador Pulmonar SERVO-s não se destina a ser utilizado durante a radioterapia, uma vez que
poderá causar a avaria do sistema.

CUIDADOS!
 A legislação federal estipula que a venda deste dispositivo só pode ser feita para um médico ou por sua
indicação.
 Quando o ventilador está ligado a um paciente:
− Não deixe o paciente sozinho.
− Certifique-se de que tem disponível por perto um ressuscitador.
 Consulte as Instruções de instalação para a montagem do sistema ou as opções para obter a
montagem mecânica adequada.
 Quando levantar ou deslocar o sistema de ventilação ou peças do sistema, siga as diretrizes
ergonômicas estabelecidas, consulte a assistência técnica e tome as devidas precauções de
segurança.
 Antes da utilização, assegure-se de que a versão do software exibida por baixo de Estado corresponde
à versão no Manual de utilização.
 Deverão ter-se cuidados adicionais ao manusear tubos, conectores e outras peças do circuito do
paciente.
Recomenda-se a utilização do Support Arm para aliviar o paciente do peso do sistema de tubagem.
 Quando usar a função MCare Remote Service, instale o cabo de rede de forma que não exista o risco
de alguém tropeçar neste.
 Não modifique nem remova qualquer peça original.
 O canal expiratório e o gás expirado do orifício de escape podem estar contaminados.
 A MAQUET não tem qualquer responsabilidade relativamente ao funcionamento seguro do Ventilador
SERVO-s se os requisitos de Utilização pretendida especificados neste documento não forem seguidos.
 Contate um representante da MAQUET relativamente à retirada de serviço do equipamento.
 Apenas os acessórios, consumíveis e equipamento auxiliar recomendados pela MAQUET devem ser
utilizados com o sistema de ventilação. O uso de quaisquer outros acessórios, peças sobressalentes ou
equipamento auxiliar poderá degradar o desempenho e a segurança do sistema.

Importante: Utilize sempre o auto umidificador (HME) ou equipamento para evitar a desidratação dos
tecidos pulmonares.

Instruções de Uso 39
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Fonte de Alimentação

AVISOS!
 O cabo de alimentação só pode ser ligado a uma tomada elétrica de CA devidamente ligada ao terra.
 Se só estiverem montadas baterias incorporadas dentro da unidade do paciente, é ativado um alarme
de prioridade alta caso uma ou mais destas baterias estejam em falta.

CUIDADOS!
 NÃO utilize tubagens anti-estáticas ou tubos de condução elétricas com este sistema.
 Evite tocar nos pinos do conector elétrico externo.

Perigo de Incêndio

AVISOS!
 Mantenha o sistema e respectivos tubos de gás afastados de todas as fontes de ignição.
 Não utilize o sistema com tubos gastos ou danificados em com tubos que tenham sido contaminados
por materiais combustíveis, como óleo ou gordura.
 O gás enriquecido com oxigênio é extremamente inflamável: se detectar um cheiro a queimado,
desligue a alimentação de oxigênio ao ventilador, a alimentação de rede e remova as baterias.
 Certifique-se de que tanto a tomada de alimentação de rede como o conector da fonte de alimentação
estão acessíveis.

Gases

CUIDADO!
O sistema não se destina a ser utilizado com qualquer tipo de agente anestésico.

Importante!
 Os gases fornecidos devem cumprir os requisitos de gases de grau médico de acordo com as normas
aplicáveis. Níveis máximos:
Ar:

3
H 2 O < 7 g/m .

3
Óleo < 0,5 mg/m .
− Cloro: não deve ser detectável .
1

Oxigênio:

3
H 2 O < 20 mg/m .

3
Óleo < 0,3 mg/m .

1. Se o ar comprimido for produzido por um compressor de anel líquido, existe o potencial risco de cloro no ar fornecido.

Instruções de Uso 40
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Equipamento Auxiliar

CUIDADOS!
 Os acessórios, alimentação e equipamento auxiliar utilizados com o ventilador devem:
− Ser recomendados pela MAQUET
− Estar em conformidade com as normas IEC 60601-1-1
− Estar em conformidade com as normas IEC na qualidade de sistema integral
 Se tiver um sistema de evacuação (ou seja, evacuação de gases) ligado ao ventilador, este tem de
estar em conformidade com as orientações da ISO 8835-3 no que diz respeito à pressão sub-
atmosférica e ao fluxo induzido.
 Valores das medições de parâmetros que foram processados pelo equipamento auxiliar:
− Podem ser imprecisas se utilizar equipamento não autorizado pela MAQUET
− Devem ser descontados se estiverem em conflito com as informações na tela do ventilador.
− Não podem substituir decisões terapêuticas ou de diagnóstico

Diretrizes Para Manutenção

CUIDADOS!
 Assistência regular: O Ventilador SERVO-s tem de receber assistência a intervalos regulares por
profissionais com formação especializada autorizados pela MAQUET.
 Registros de assistência completa: Todas as assistências realizadas no Ventilador SERVO-s têm de
ficar registradas num registro de manutenção, de acordo com os procedimentos do hospital e com os
regulamentos locais e nacionais.
 Contrato de Assistência: Recomendamos vivamente que toda a assistência ao Ventilador SERVO-s
seja realizado como parte de um contrato de assistência com a MAQUET.

 Manutenção não profissional


A MAQUET não se responsabiliza pelo funcionamento seguro do Ventilador SERVO-s se a instalação,
assistência ou os reparos forem realizados por outras pessoas, para além do pessoal autorizado pela
MAQUET.

Umidificadores Ativos

O uso de um umidificador é muitas vezes benéfico para os pacientes que recebem tratamento ventilatório.
Com o Ventilador SERVO-s podem ser usados os seguintes umidificadores:
 Umidificador Ficher & Paykel MR850
 Umidificador Aquecido Conchaterm Neptune da Teleflex Medical

AVISOS!
 O umidificador ativo deve estar desligado quando se utiliza o Servo Ultra Nebulizer, caso contrário o
tamanho das partículas pode ser afetado.
 Utilize apenas o Umidificador ativo F&P MR850 aprovado pela MAQUET com HeO 2 . A utilização de
umidificadores não aprovados pode dar origem a temperaturas de gás mais elevadas.

Instruções de Uso 41
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

CUIDADOS:
 Se o nebulizador Aeroneb for usado com umidificação ativa, o tamanho das partículas do medicamento
pode ser afetado.

Importante:
 Se utilizar um único circuito respiratório aquecido no sistema deve utilizar um copo de condensação no
tubo expiratório para evitar condensação no sistema. Durante o funcionamento o copo de condensação
deve ser verificado regularmente e, se necessário, esvaziado.
 Utilize apenas tubos recomendados pela MAQUET. Os tubos flexíveis podem afetar negativamente o
desempenho do ventilador.
 Os acessórios ligados ao sistema de tubagem podem provocar alterações na pressão do paciente.
 Um teste de fuga prolongado durante a verificação antes da utilização deve ser efetuado quando utilizar
um umidificador Aquecido Conchaterm Neptune da Teleflex Medical. Isto pode ser ativado na janela
Editar configuração de inicialização.

Aeroneb Nebulizer System

Diretrizes para Utilização do Nebulizador


Estas diretrizes são lembretes para os profissionais de saúde que já receberam formação para utilização do
Aeroneb Nebulizer.

AVISOS!
 Desligue o Servo Humidifier/HME durante a nebulização, caso contrário o umidificador pode ficar
bloqueado ou o medicamento poderá ficar preso no interior do umidificador.
 Não utilize o nebulizador sem um filtro, por exemplo, o Servo Duo Guard, ligado à entrada expiratória do
ventilador.
 Desligue o umidificador aquecido durante a nebulização; caso contrário o tamanho das partículas por
ser afetado.
 Durante a nebulização, monitorize cuidadosamente a pressão das vias aéreas. Um filtro entupido
poderá provocar um aumento da pressão das vias aéreas. Substitua o filtro se a resistência expiratória
aumentar ou a cada 24 horas quando estiver utilizando o nebulizador, o que chegar primeiro.

 Durante a nebulização, monitorize cuidadosamente a pressão das vias aéreas. Um filtro entupido poderá
provocar um aumento da pressão das vias aéreas.
Substitua o filtro se a resistência expiratória aumentar ou a cada 24 horas quando estiver utilizando o
nebulizador, o que chegar primeiro.

CUIDADO:
 O nebulizador não pode ser deixado sem vigilância quando está ligado a um paciente.

Instruções de Uso 42
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Avisos Gerais

 O Ventilador Servo-s deve ser operado apenas por pessoal autorizado devidamente formado na sua
utilização. Deve ser operado de acordo com as instruções fornecidas no Manual de Instruções de Uso.
 A saída expiratória na parte de trás do Servo-s não deverá ser coberta ou bloqueada.
 Depois de desembalar o sistema, efetue uma limpeza de rotina e uma verificação geral antes da
utilização.
 Para conferir uma segurança adequada do paciente, programe os limites do alarme para valores
relevantes.
 Para evitar o perigo de choque elétrico, ligue o cabo de alimentação a uma tomada de rede equipada
com uma ligação terra.
 No caso de se verificarem situações fora do comum, como o aparecimento de janelas na tela fora do
contexto, sons estranhos, alarmes da unidade do paciente ou alarmes de elevada prioridade técnica, o
ventilador deverá ser imediatamente verificado e, se necessário, substituído.
 Somente os acessórios e o equipamento auxiliar que satisfaçam as normas lEC atuais (por exemplo, a
lEC 60601-1-1) podem ser ligados ao Ventilador Servo-s. Se estiverem ligados equipamentos externos,
como é o caso de computadores, monitores, umidificadores ou impressoras, o sistema completo tem que
estar de acordo com a lEC 60601-1-1.
 O ventilador deve ser usado apenas na posição vertical.
 Quando usar um Servo Ultra Nebulizer, consulte sempre o fabricante do medicamento em relação a
adequação da nebulização ultra-sônica para uma determinada medicação.
 Todo o pessoal deve estar ciente do risco de infecção das peças durante a desmontagem e limpeza do
ventilador.
 O modo de assistência só pode ser utilizado quando nenhum paciente estiver ligado ao ventilador.
 A ventilação da pressão positiva pode ser associada aos seguintes efeitos adversos: barotrauma,
hipoventilação, hiperventilação ou dificuldade circulatória.
 O Ventilador Servo-s foi verificado de acordo com a lEC 60601-1-2 e satisfez os requisitos desta norma
em relação à compatibilidade eletromagnética. É da responsabilidade do usuário tomar as medidas
necessárias para assegurar que o ambiente clínico seja compatível com os limites especificados na lEC
60601-1-2. O fato de se exceder estes limites pode dificultar o desempenho e a segurança do sistema.
Estas medidas devem incluir, embora sem caráter limitativo:
− Precauções normais em relação à umidade relativa e as características condutoras do vestuário, de
modo a minimizar a acumulação de cargas eletrostáticas.
− Evitar a utilização de dispositivos emissores de ondas de rádio, tais como telefones móveis e
aparelhos de freqüências elevadas próximo do sistema.
 O Ventilador Servo-s não se destina a ser utilizado em ambiente de ressonância magnética durante os
exames desta natureza. Isto pode causar a desativação das funções do sistema e pode resultar em
danos permanentes ao Ventilador Servo-s.
 O Ventilador Servo-s não se destina a ser utilizado com qualquer tipo de agente anestésico. Para evitar o
risco de incêndio, os agentes inflamáveis, tais como o éter e o ciclopropano, não devem em circunstância
alguma ser utilizados com este dispositivo.
 Durante a nebulização, deve ser ligado um filtro bacteriológico à entrada expiratória do ventilador. A
pressão das vias aéreas deve ser sempre cuidadosamente controlada durante a nebulização. Um filtro
bacteriológico entupido poderá provocar um aumento da pressão das vias aéreas. O filtro bacteriológico
deve ser substituído se a resistência expiratória aumentar ou a cada 24 horas.

Instruções de Uso 43
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

 Para evitar o perigo de incêndio, mantenha todas as fontes de ignição afastadas do Ventilador Servo-s e
dos tubos de oxigênio. Não utilize tubos de oxigênio que estejam gastos, danificados ou contaminados
por materiais combustíveis tais como massa lubrificante ou óleos. Têxteis, óleos e outros combustíveis
são facilmente inflamáveis e incendeiam com grande intensidade em ar enriquecido com oxigênio. Se
detectar o cheiro de queimado, desligue imediatamente o ventilador de alimentação de oxigênio, da
alimentação de energia e das fontes de backup.

Advertências Gerais

 Como regra geral, evite sempre o contato com os pinos da ligação elétrica externa.
 O Ventilador Servo-s deve ser alvo de assistência técnica em intervalos regulares por pessoal
devidamente qualificado. Qualquer manutenção tem que ser registrada no livro de registro previsto para
esse efeito de acordo com as normas nacionais.
 A Maquet ou seu Representante não se responsabiliza pela operação correta do equipamento, se a
manutenção ou reparação prestada forem efetuadas por pessoas não qualificadas ou que não sejam
trabalhadores da Maquet ou seu Representante. É recomendado que a assistência técnica seja efetuada
como parte de um contrato de assistência com a Maquet ou seu Representante.
 A Maquet ou seu Representante não se responsabiliza pela operação segura do equipamento se este for
utilizado para outro fim, além daquele a que se destina, conforme especificado no Manual de Instruções
de Uso.
 O balão de reanimação deve estar sempre próximo para segurança extra.
 As informações apresentadas sobre a configuração e parâmetros de medição correspondente deverão
ser continuamente comparados pelo operador.
 Ao adicionar componentes ao circuito do paciente, a resistência poderá aumentar. Os tubos respiratórios
com alta resistência poderá aumentar. Os tubos respiratórios com alta resistência poderão causar
alarmes de alta pressão indesejados. Tal situação poderá ser evitada através do ajuste do retardo
inspiratório ou mudança para tubos respiratórios com baixa resistência.
 Quando ligado a um paciente, o sistema não deve nunca ser deixado sem vigilância.
 A cassete de expiração não deve ser levantada quando o ventilador estiver funcionando. Pode-se, no
entanto, fazê-lo quando está no modo Em Espera.
 Utilize sempre o Auto Umidificador (HME) ou equipamento adequado para evitar a desidratação dos
tecidos pulmonares.
 Consulte as instruções de instalação para a montagem do sistema ou as opções para obter a montagem
mecânica adequada.
 Quando levantar ou deslocar o Ventilador Pulmonar ou peças do sistema, siga as diretrizes ergonômicas
estabelecidas, consulte a assistência técnica e tome as devidas precauções de segurança.
 Os tubos de respiração antiestáticos ou de condução elétrica não devem ser utilizados com este sistema
de ventilação pulmonar.
 Qualquer sistema de evacuação (Evac de Gás) ligado tem que respeitar a ISO 8835-3 no que diz respeito
à pressão sub-atmosférica e ao fluxo induzido. Caso contrário, as funções do ventilador e a segurança do
paciente podem se degradar.
 Os valores medidos nas saídas de sinais do Ventilador Servo-s e que tenham sido processados pelo
equipamento auxiliar não devem ser utilizados como um substituto de decisões terapêuticas ou de
diagnóstico. Essas decisões só podem ser tomadas por pessoal com experiência médica, de acordo com
práticas aceitas e estabelecidas. Se utilizar equipamento auxiliar que não tenha sido fornecido pela
Maquet juntamente com o sistema, a Maquet ou seu Representante não se responsabiliza pela exatidão
do processamento dos sinais.

Instruções de Uso 44
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

 Se houver qualquer desvio entre a informação na interface do usuário do ventilador e a do equipamento


auxiliar, os parâmetros do ventilador na interface do usuário deverão ser considerados como principal
fonte de informação. Quando combinar o Ventilador Servo-s com acessórios e equipamento auxiliar que
não foram recomendados pela Maquet ou seu Representante, é da responsabilidade do usuário
assegurar a integridade da segurança e do desempenho do sistema. De modo a manter a segurança
elétrica do sistema, ou seja, o cumprimento da IEC 60601-1-1, apenas poderão ser ligados às entradas e
saídas de sinais do Ventilador Servo-s, acessórios e equipamento auxiliar que estejam de acordo com as
normas IEC (por exemplo, IEC 60601-1 e IEC 950).
 Só devem ser utilizadas peças originais da Maquet no sistema.
 No Ventilador Pulmonar só devem ser utilizados acessórios, consumíveis ou equipamento auxiliar
recomendados pela Maquet ou seu Representante. O uso de quaisquer outros acessórios, peças
sobressalentes ou equipamento auxiliar poderá degradar o desempenho e segurança do sistema.
 Quando são utilizados circuitos do paciente com uma resistência elevada, pode ocorrer uma interferência
do alarme de pressão elevada. Considere aumentar o retardo inspiratório ou trocar para um circuito do
paciente com resistência mais baixa.
 A declaração ambiental faz parte do manual de assistência.
 O Ventilador Servo-s não contém qualquer látex.
 Os dados sobre as pressões são dados em cmH 2 O, aonde temos:
− 1 kPa ~ 10 cm H 2 O

2 2
100 kPa = 1 bar ~ 1 atm ~ 1 kgf/cm (kp/cm )
− 100 kPa ~ 15 psi
 Todas as peças descartáveis devem ser eliminadas de acordo com a rotina hospitalar e de forma segura
a nível ambiental.
 Não exponha o compartimento da Cassete expiratória a quantidade de líquido excessivas, por exemplo,
durante a limpeza e desinfecção, uma vez que isso pode influenciar a funcionalidade do ventilador.
 Não utilize ferramentas afiadas na tela.

Importante:
Resíduos especiais: Este produto contém componentes eletrônicos e elétricos. Elimine os
componentes descartáveis substituídos e que sobrem, em conformidade com as normas
industriais e ambientais adequadas.

Reciclagem: As baterias gastas devem ser recicladas ou adequadamente descartadas em


conformidade com as normas industriais e ambientais adequadas.

Resíduos Perigosos (infecciosos): O dispositivo contém peças que não podem ser
eliminadas juntamente com os resíduos normais.

Instruções de Uso 45
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Funcionamento

 Deve-se desligar sempre o ventilador no caso de se pretender efetuar qualquer operação que possa
constituir um risco para o paciente, por exemplo, proceder à substituição de uma célula de O 2 ,
desmontagem, etc.
 Se a sensibilidade trigger estiver programada com valores muito elevados, pode-se dar uma situação de
self-triggering (auto-triggering). Esta situação pode também ocorrer se houver uma fuga no sistema
respiratório, por exemplo, se for utilizado um tubo endotraqueal sem punho. O triggering será então
iniciado pelo sistema e não pelo paciente. Sempre que possível, deve-se evitar esta situação através da
redução da sensibilidade trigger. Isto também é importante durante o transporte uma vez que o
movimento do corpo e do sistema respiratório pode levar a um falso triggering.
 Quando girar um botão de Controle de Acesso Direto, a ventilação será alterada nesse sentido a partir da
respiração seguinte sem nenhuma confirmação adicional.
 Se forem detectadas avarias, consulte a seção “Mensagens do Sistema”. Se a avaria persistir, o
ventilador não poderá ser ligado ao paciente.
 Para proteger o paciente contra pressões elevadas nas vias aéreas, o limite superior da pressão tem que
ser programado com o valor relevante para conferir a segurança adequada ao paciente.
Cuidado: Se a pressão das vias aéreas aumentar 6 cmH 2 O acima do limite superior da pressão
programado, a válvula de segurança abre. A válvula de segurança também abre se a pressão exceder
117 ±7 cmH 2 O.
 Para proporcionar uma segurança adequada ao paciente, programe os limites de alarme para valores
relevantes.

Limpeza

 Todo o pessoal deve estar ciente do risco de contaminação das peças durante a desmontagem e limpeza
do ventilador.
 Depois de retirar a cassete expiratória, não deixe qualquer fluido dentro do seu compartimento.

Substituição da célula de O 2

A unidade selada da célula de O 2 contém um líquido cáustico que pode provocar queimaduras graves na pele
e nos olhos. No caso de contato, lave imediata e continuamente com água durante pelo menos 15 minutos e
procure assistência médica especialmente se os olhos estiverem afetados.

Instruções de Uso 46
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Precauções de Segurança Integradas

Para a segurança do paciente, o Ventilador Servo-s também tem uma gama de precauções de segurança
integradas.

Ventilação de reserva

No caso de apnéia excessiva na Pressão assistida, o modo de reserva de segurança é ativado com a
freqüência de respiração padrão e com os valores programados padrões.

Falha da alimentação de rede e da bateria

No caso de haver uma falha de alimentação de rede o ventilador muda automaticamente para funcionamento
por bateria. A troca é indicada por um alarme de média prioridade. A capacidade restante da bateria é
apresentada no menu de estado na parte superior na tela.
No caso de falha de alimentação de rede e de não ter capacidade de bateria, será ativado um alarme de alta
prioridade. As válvulas inspiratórias e expiratórias são abertas para permitir a respiração através do
ventilador. Todas as programações são gravadas até que o ventilador seja novamente ligado.

Parâmetros e limites de alarmes

O sistema tem valores padrões para parâmetros e limites de alarmes. Estes são válidos até os ajustar antes/
depois de ligar a um paciente. Pode ainda introduzir novos valores padrões ou usar os valores aplicados
anteriormente.

Posição em espera

Todas as programações serão gravadas quando o ventilador é programado para a posição Em espera. O
ventilador poderá então ser preparado.

Alimentação de gases O 2 / Ar

Se a pressão de alimentação de ar ou de O 2 estiver muito baixa o fluxo de gás em falta é compensado


automaticamente. O paciente irá receber os volumes pré-programados e a pressão com O 2 / ar e será ativado
um alarme.

Não existe alimentação de gás

Se a pressão de ar e do O 2 for muito baixa, a válvula de segurança e a válvula expiratória serão abertas. Será
ativado um alarme simultaneamente.

Instruções de Uso 47
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Pressões altas

A válvula de segurança abre-se se a pressão no canal inspiratório for muito alta.


Advertência: Se a pressão das vias aéreas subir para 6 cmH 2 O acima do limite superior da pressão
programado, a válvula de segurança abre-se. A válvula de segurança também abre se a pressão do sistema
exceder 117 ±7 cmH 2 O.

Alarme de apneia

O alarme de apnéia é aplicável em Pressão assistida / CPAP.

Frequência VNI (Opcional)

Durante a Pressão assistida (VNI), o sistema garante uma Freqüência de reserva mínima e mantém o nível
de Pressão inspiratória e de PEEP programado. A Freqüência de reserva é ativada quando a freqüência de
respiração espontânea é inferior à Freqüência de reserva.

Instruções de Uso 48
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Informações Importantes para Utilização do Servo-s


AVISOS!
 Deve-se desligar sempre o ventilador no caso de se pretender efetuar qualquer operação que possa
constituir um risco para o paciente, como, por exemplo, preceder à substituição de uma célula de O 2 .
 No caso de se verificarem situações fora do comum, como o aparecimento de janelas na tela fora do
contexto, sons estranhos, alarmes da Unidade do Paciente ou alarmes de alta prioridade técnica, o
ventilador deverá ser imediatamente verificado e, se necessário, substituído.
 Verifique regularmente se a tubagem do paciente, os conectores e outras peças/ equipamentos estão
bem instalados.
 O Ventilador Servo-s não se destina a ser utilizado com qualquer tipo de agente anestésico. Para evitar o
risco de incêndio, os agentes inflamáveis, tais com éter e ciclopropano, não devem em circunstância
alguma ser utilizados com este dispositivo.

Advertências:
 Quando ligado a um paciente, o ventilador nunca deve ser deixado sem vigilância.
 Antes da utilização, assegure-se de que a versão do software exibida por baixo de Estado
correspondente à versão no Manual de utilização.
 Verifique os copos de condensação da água regularmente durante o funcionamento e esvazie-os se
necessário.
 Não utilize ferramentas afiadas na tela.
 Para segurança externa, o balão de reanimação deve estar sempre próximo.
 A cassete expiratória não deve ser levantada quando o ventilador estiver funcionando. (Pode, no entanto,
fazê-lo quando estiver no modo Em espera.).
 Os valores medidos nas saídas de sinal do Ventilador Servo-s e que foram processadas no equipamento
auxiliar não deverão ser utilizadas como um substituto para decisões terapêuticas ou diagnósticos. Tais
decisões poderão ser tomadas apenas por pessoal médico, de acordo com as práticas estabelecidas e
aceites. Se for utilizado material auxiliar não fornecido pela Maquet, a Maquet ou seu Representante não
se responsabiliza quanto à exatidão de tal processamento de dados.
 Quando combinar o Ventilador Servo-s com acessórios e equipamento auxiliar que não foram
recomendados pela Maquet ou seu Representante, é da responsabilidade do usuário assegurar a
integridade da segurança e do desempenho do sistema. De modo a manter a segurança elétrica do
sistema, ou seja, de forma que seja respeitada a IEC 60601-1-1, só se podem ligar acessórios e
equipamentos auxiliares às entradas e saídas de sinais do Ventilador Servo-s que estejam de acordo
com os padrões IEC (por exemplo, IEC 60601-1 e IEC 950).
 Se existir alguma divergência entre a informação exibida na Interface do Usuário do ventilador e aquela
exibida pelo equipamento auxiliar, devem-se considerar os parâmetros do ventilador na Interface do
Usuário como a principal fonte de informação.
 Quando se utilizar um sistema de aspiração fechado:
− Se o fluxo de aspiração for superior ao administrado pelo ventilador, poderá ser gerada uma pressão
negativa que será aplicada ao pulmão e ao sistema de respiração do ventilador.
− Não utilize a Pausa inspiratória nem a Pausa expiratória durante o procedimento de aspiração
fechado.
Importante: Quando é utilizado um umidificador ativo, o volume expirado medido pode ser maior do que o
vapor inspirado, uma vez que o volume de gás se expande quando é absorvido.

Instruções de Uso 49
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Transporte e Armazenamento Intra-Hospitalar

Antes do transporte

Antes de transportar o ventilador com ou sem o paciente ligado a este, siga as orientações do centro de
prestação de saúde e:
 Certifique-se de que a unidade do paciente está fixa firmemente na unidade móvel e bloqueada.
 Certifique-se de que todos os acessórios como as garrafas de gás e umidificador estão firmemente fixos
e bloqueados.
 Certifique-se que as garrafas de gás estão ligadas e têm gás suficiente.
 Certifique-se que as baterias estão completamente carregadas.
 Inspecione o ressuscitador.
 Verifique se o Carrinho Móvel (Mobile Cart) não está danificado.

Durante o transporte

Durante o transporte do ventilador com ou sem o paciente ligado a este, siga as orientações do centro de
prestação de saúde e:
 Utilize as travas no Carrinho Móvel (Mobile Cart).
 Transporte a cama e o ventilador lentamente e observe cuidadosamente a ligação do paciente para ver
se não ocorrem puxões ou outros movimentos.
 Quando movimentar o Braço de Suporte (Support Arm) ou mudar de posição, observe cuidadosamente a
ligação do paciente, para confirmar que não ocorre nenhum movimento de arrasto ou de outro tipo.
 Tenha cuidado para não inclinar o Carrinho Móvel (Mobile Cart) quando passar por um obstáculo, como
um degrau.

Armazenamento

CUIDADOS:
 Quando o Ventilador SERVO-s estiver em armazenamento, mantenha o ventilador ligado à corrente
elétrica para manter a carga total nas baterias.
 Não elimine os módulos da bateria e as células de O 2 junto com os resíduos normais.
 Certifique-se de que o sistema não é exposto a temperaturas abaixo dos -25ºC ou acima dos +60ºC.
 Certifique-se de que o sistema não é exposto a uma umidade relativa superior aos 95%.

Instruções de Uso 50
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

MANUTENÇÕES PREVENTIVA E CORRETIVA E CONSERVAÇÃO

A Manutenção e o Reparo do Ventilador Pulmonar Servo-s, devem ser


realizados por pessoal técnico especializado.

Para a segurança do paciente, do operador e de terceiros, é recomendado realizar a manutenção preventiva


do produto, em suas partes, módulos e acessórios, descritas a seguir, em intervalos regulares de no máximo
12 meses. Para efetuar a verificação das boas condições do produto sugerimos contatar o nosso Serviço
Técnico. Este serviço dispõe de pessoal qualificado, equipamentos de medição e testes calibrados, peças e
componentes originais, reunindo desta forma as melhores condições para promover alta confiabilidade de
funcionamento e prolongada vida útil do produto. Nos casos onde o produto trabalha sob condições
extraordinárias, intervalos menores de verificação podem ser sugeridos pelo Serviço Técnico da MAQUET ou
por seu Representante.
Para manter a segurança e a capacidade funcional do produto, aconselhamos manter um contrato de
manutenção com o Serviço Técnico da MAQUET ou seu Representante, garantindo assim que as
características originais do equipamento sejam mantidas. Em caso de uma falha técnica, também é garantido
a certeza de um rápido atendimento e a utilização de peças originais, assegurando um maior tempo de
funcionamento do produto.
Em caso de mau funcionamento, desconecte o equipamento e comunique o Serviço Técnico da
MAQUET ou seu Representante.
A solicitação de manutenção pelo serviço autorizado pode ser solicitada no seguinte endereço:

Representante no Brasil:
Maquet do Brasil Equipamentos Médicos Ltda.
Rua Tenente Alberto Spicciati, 200 - Barra Funda
CEP 01140-130 - São Paulo / SP - Brazil
Tel.: +55 11 2608-7386
Fax: +55 11 2608-7359

Instruções de Uso 51
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Manutenções Preventiva e Corretiva

Generalidades

A Maquet ou seu Representante recomenda que o equipamento seja inspecionado regularmente. A


declaração ambiental faz parte do manual de assistência técnica.

Importante:
Resíduos especiais
Este produto contém componentes eletrônicos e elétricos. Elimine os componentes
descartáveis substituídos e que sobrem, em conformidade com as normas industriais e
ambientais adequadas.
Reciclagem
As baterias gastas devem ser recicladas ou adequadamente descartadas em conformidade
com as normas industriais e ambientais adequadas.

Resíduos Perigosos (infecciosos)


O dispositivo contém peças que não podem ser eliminadas juntamente com os resíduos
normais.

Manutenção preventiva

Uma manutenção preventiva deverá ser efetuada por pessoal autorizado ao menos uma vez por ano desde
que o aparelho não seja utilizado mais do que o normal. Calcula-se que um tempo normal de funcionamento
no espaço de um ano corresponda a cerca de 5000 horas de funcionamento. O tempo de funcionamento
atual e o tempo até a manutenção preventiva seguinte vêm indicados no menu Estado na Interface do
Usuário.

Importante: Efetue sempre uma limpeza normal e uma limpeza profunda do Canal inspiratório antes de
proceder à manutenção preventiva. A limpeza profunda deve ser efetuada apenas por pessoal autorizado e
com uma formação adequada na sua utilização.

Peças descartáveis

Utilize apenas peças e peças descartáveis da Maquet. Todas as peças descartáveis devem ser eliminadas de
acordo com a rotina hospitalar e de forma segura a nível ambiental.

Ventilador

Cassete Expiratória
A Maquet ou seu Representante recomenda que a cassete expiratória seja trocada se aparecer uma
instrução na tela durante a Verificação antes da utilização: Trocar cassete expiratória.

Instruções de Uso 52
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Filtro bacteriológico para transdutor de pressão (Canal inspiratório)

O filtro bacteriológico pode ser trocado de acordo com a rotina hospitalar.

Sensor de O 2

Não é necessário efetuar regularmente revisões.

Célula de O 2 (se instalada)

Verifique regularmente o estado da célula no menu de


Estado. A célula de O 2 deve ser mudada se a
mensagem < 10% aparecer no menu de Estado.

AVISO! A unidade selada do sensor de O 2 contém um


líquido cáustico que pode provocar queimaduras
graves na pele e nos olhos. No caso de contato, lave
imediata e continuamente com água durante pelo
menos 15 minutos e procure assistência médica
especialmente se os olhos estiverem afetados.

Importante:
 Certifique-se de que a célula de O 2 é para o modelo Servo-s. O pacote da célula de O 2 tem que ter uma
etiqueta azul.
 A substituição da célula de O 2 e do filtro, bem como a limpeza profunda, deve ser efetuada apenas por
pessoal autorizado e com a formação adequada na sua utilização.

Filtro bacteriológico para célula de O 2


O filtro bacteriológico para célula de O 2 pode ser trocado quando a célula é substituída ou em outras
situações de acordo com a rotina hospitalar.

Instruções de Uso 53
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Substituição da Célula / Filtro de O 2

Preparativos e desmontagem

1. Retire a célula de O 2 da embalagem pelo menos


15 minutos antes de efetuar a substituição.
Coloque o ventilador na posição de desligado
(off) pressionando o botão na parte de trás da
tela.
2. Desligue o ventilador da alimentação da rede e
da alimentação de gás.

3. Desaperte o parafuso.
4. Retire a tampa.

Trocar apenas o filtro bacteriológico

1. Baixe o orifício de bloqueio.


2. Levante a célula de O 2 .
3. Retire e elimine o filtro bacteriológico.

Resíduos Perigosos (infecciosos)


O filtro não pode ser eliminado juntamente com os resíduos normais.

− Certifique-se de que a junta de borracha se encontra intacta e, em seguida, coloque com firmeza um
novo filtro bacteriológico na mesma.
4. Aperte muito bem a junta de borracha com o filtro.
5. Coloque a célula de O 2 na devida posição.
6. Feche o orifício de bloqueio.

Instruções de Uso 54
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Substituir a célula de O 2 incluindo o filtro bacteriológico e a junta de borracha

1. Baixe o orifício de bloqueio.


2. Desligue o conector.
− Levante e elimine a célula de O 2 com a junta de borracha.

Resíduos especiais
Este produto contém componentes eletrônicos e elétricos. Elimine os componentes
descartáveis substituídos e que sobrem, em conformidade com as normas industriais e
ambientais adequadas.

− Retire e elimine o filtro bacteriológico.

Resíduos Perigosos (infecciosos)


O dispositivo contém peças que não devem ser eliminadas juntamente com os resíduos
normais.

3. Certifique-se de que a junta de borracha nova não esteja danificada e, em seguida, coloque com firmeza
um novo filtro bacteriológico sobre a mesma.
4. Ligue o conector
− Aperte muito bem a junta de borracha com o filtro.
− Coloque a célula de O 2 na devida posição.
5. Feche o orifício de bloqueio.

Montagem

1. Coloque a tampa na posição.


2. Aperte o parafuso.

Instruções de Uso 55
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Limpeza Profunda do Canal Inspiratório

Efetue sempre uma limpeza normal e uma limpeza profunda do canal inspiratório antes de proceder a
manutenção preventiva. A limpeza profunda deve ser efetuada apenas por pessoal com a formação
adequada na sua utilização.

Preparativos

1. Coloque o ventilador na posição de desligado (off)


pressionando o botão na parte de trás da tela.
2. Desligue o ventilador da alimentação da rede e da
alimentação de gás.

3. Desaperte o parafuso.
4. Retire a tampa.

Remover a célula de O 2 / sensor de O 2 .

Se estiver instalada uma célula de O 2 .

1. Baixe o orifício do bloqueio.


2. Desligue o conector e levante a célula de O 2 .

Instruções de Uso 56
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Se estiver instalado um sensor de O 2 .

1. Desligue o conector e desbloqueie, cuidadosamente, os trincos.


2. Levante o sensor de O 2 .

Retirar / inserir o Canal inspiratório e o tubo

Retirar o Canal inspiratório e o tubo

1. Faça pressão nos trincos e levante o Canal


inspiratório.
2. Desligue o tubo e retire o filtro. Elimine o filtro
bacteriológico.

Resíduos perigosos (infecciosos)


O filtro não pode ser eliminado juntamente com os resíduos normais!

Instruções de Uso 57
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Processos de desinfecção / esterilização

Inserir o canal inspiratório e o tubo

1. Coloque o novo filtro bacteriológico na devida


posição e ligue o filtro ao tubo.
2. Coloque os punhos de silício na devida posição.
3. Faça pressão nos trincos e insira o canal
inspiratório.

Importante:
 Deve haver sempre uma folga entre os módulos
dos punhos e os módulos de gás.
 Certifique-se de que os trincos estão bloqueados
na devida posição

Instruções de Uso 58
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Inserir a célula de O 2 / sensor de O 2 .

Se for utilizada uma célula de O 2 .

1. Ligue o conector da célula de O 2 e ponha a célula de O 2 na devida posição.


2. Feche o orifício de bloqueio.

Se for utilizado um sensor de O 2 .

1. Coloque o sensor de O 2 na devida posição.


2. Levante o sensor de O 2 (ouve-se um clique).
3. Ligue o conector do sensor de O 2 .

Montagem

1. Coloque a tampa na posição.


2. Aperte o parafuso.

Depois da montagem:
Anote numa folha de registro que foi efetuada uma
limpeza profunda no canal inspiratório.
Ligue os tubos e acessórios do paciente.
• Efetue uma Verificação completa antes da
utilização.

Instruções de Uso 59
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Limpeza e Desinfecção

Higiene

O gás que atravessa o sistema inspiratório do ventilador também atravessa o filtro inspiratório e encontra-se
geralmente seco e limpo.

CUIDADOS:
 Todas as peças descartáveis devem ser eliminadas de acordo com a rotina do hospital e de modo
seguro para o ambiente.
 Todo o pessoal deve estar ciente do risco de infecção das peças durante a desmontagem e limpeza do
ventilador.

Importante:
 As bactérias do paciente aparecerão no ambiente úmido, do lado da expiração. A Maquet ou seu
Representante recomenda a utilização do filtro bacteriológico Servo Guard para reduzir a transmissão
das bactérias provenientes do paciente através do canal expiratório para a Cassete expiratória. Ao
utilizar o filtro recomendado, a necessidade de limpar regularmente pode ser reduzida e, desta forma, é
possível prolongar o tempo de vida da cassete. Ao substituir regularmente o filtro bacteriológico, irá
reduzir o risco de propagação da infecção ao pessoal e de haver infecções cruzadas entres pacientes.
 A esterilização não é normalmente necessária para a cassete expiratória, mas quando aplicada, utilize
somente processos validados.
 A desinfecção em autoclave reduzirá o tempo de vida da cassete. A redução do tempo de vida é maior
se a esterilização em autoclave for realizada em ciclos sucessivos (> 4 min.) a 134ºC.
 Quando manusear qualquer peça do Ventilador Servo-s, siga sempre as orientações do hospital para
tratamento de material infeccioso. As práticas de limpeza, esterilização e desinfecção variam muito de
uma instituição de saúde para outra. Desta forma, não é possível a Maquet ou seu Representante
indicar práticas específicas que vão ao encontro de todas as necessidades nem sequer ser responsável
pela eficácia dos processos de limpeza, esterilização e outros processos. A Maquet ou seu
Representante recomenda métodos validados neste manual, utilizando o equipamento específico e
processos descritos neste manual. Outros métodos poderão ser utilizados, mas não estarão cobertos
pela garantia, a não ser que a Maquet ou seu Representante tenha dado o consentimento por escrito.
 O resultado da limpeza / desinfecção pode ser afetado pela qualidade da água. A MAQUET recomenda
água potável como nível de qualidade mínimo.
 O passo mais importante na limpeza / desinfecção é a limpeza. É impossível desinfetar ou mesmo
esterilizar termicamente um instrumento limpo inadequadamente. A redução das cargas biológicas pela
limpeza é a chave de um bom resultado. Sempre que possível, a limpeza deve ser efetuada
imediatamente após a utilização. As partículas estranhas como saliva ou sangue não devem secar nos
dispositivos. Os filtros bacteriológicos como o Servo Guard podem ser utilizados para proteger a
cassete expiratória contra contaminação, uma prática recomendada pela MAQUET. Se forem utilizados
filtros e o respectivo intervalo de substituição for cumprido, apenas é necessário limpar o exterior. Caso
no sejam utilizados filtros bacteriológicos, a MAQUET recomenda a utilização de unidades de
desinfecção de equipamento medico para a limpeza /desinfecção.

Instruções de Uso 60
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Preparação e desmontagem

Preparativos

1. Coloque o ventilador em Desligado (OFF).


2. Desligue o ventilador da alimentação de rede e da alimentação de gás.
3. Desligue o equipamento opcional da alimentação de rede e do ventilador.

Cassete expiratória

1. Pressione o braço de bloqueio na parte de trás para inclinar a tela do monitor


2. Pressione o botão na Cassete expiratória, incline para cima e retire.

AVISO! Depois de retirar a Cassete expiratória, não entorne qualquer líquido para dentro do compartimento
da mesma. Evite o contato com conectores elétricos.

Importante:
 A Cassete expiratória é um instrumento de precisão e deve ser manuseada cuidadosamente.
 A Cassete expiratória pode ser trocada entre diferentes Ventiladores Servo-s e Servo-i. O ventilador
poderá ser utilizado imediatamente ligando uma Cassete expiratória limpa. Depois de trocar a Cassete
expiratória é preciso realizar uma Verificação antes da utilização.

Instruções de Uso 61
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Limpeza e eliminação

1. Limpe todas as travas com um pano macio sem pêlos umedecido em água e sabão ou desinfetante a
base de detergente.

Importante: Se o filtro Servo Duo Guard (ou equivalente) tiver sido utilizado, apenas é necessário limpar o
ventilador e acessórios com um pano macio sem pêlos, umedecido em água e sabão ou desinfetante á base
de detergente.

Nota: No caso de mais superfícies contaminadas, utilize álcool de etileno ou álcool isopropílico.

2. Eliminar:
− O Servo Guard (filtro hidrofóbico / anti-viral /
anti-bacteriano)
− Servo Humidifier / HME
− Tubagens descartáveis do paciente

Resíduos Perigosos (infecciosos). Estas peças não devem ser eliminadas juntamente com
os resíduos normais.

Importante: Em condições normais, o filtro da ventoinha de refrigeração não precisa ser limpo senão
durante a manutenção preventiva. Num ambiente quente e com pó, recomenda-se que se verifique
regularmente se o filtro parece limpo (isto é, preto). Se tiver pó pode ser retirado (retirar pressionando/
instalar pressionando) e lavado com água. Escorra e certifique-se de que o filtro não tem água em excesso.

Instruções de Uso 62
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Processos de desinfecção

Para desinfetar a Cassete expiratória, pode-se utilizar uma unidade de desinfecção ou um desinfetante de
equipamento médico.

Importante:
 Depois dos processos de desinfecção, todas as peças devem estar secas antes de serem utilizadas.
 A Cassete expiratória deve ser seca antes de ser utilizada. Se a Cassete expiratória não estiver seca o
suficiente, ela pode não funcionar na Verificação antes da utilização.
 Para evitar o crescimento bacteriano, quando não for utilizado um filtro bacteriológico, recomendamos a
limpeza do sistema ventilador o mais rápido possível.
 Não utilize ar comprimido para secar a cassete expiratória porque pode causar danos permanentes à
mesma.

Enxaguar antes da desinfecção

Lave as peças muito bem com água. Deixe a água


correr sobre as peças. Lave a cassete expiratória
com água (<35°C / 95°F) para retirar a matéria
orgânica, por exemplo, sangue e outros resíduos.

Instruções de Uso 63
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Unidade de desinfecção de equipamento médico

Lave as peças com água numa unidade de


desinfecção de equipamento médico a uma
temperatura máxima de 85 a 95 °C (185 a 203 °F). A
pressão da água não deve exceder os 1,5 bar. A
água tem que passar livremente através da cassete.
Coloque a Cassete expiratória ao lado com o
conector elétrico mais para cima, como indicado na
figura. O fluxo máximo de água e 10 l/min.

Desinfetante

Deixe as peças de molho num agente desinfetante


 Álcool (etileno ou álcool isopropílico)
 Cidex OPA
 Hexanios G+R, Aniosyme DD1 e Anioxide 1000.

Importante: Siga as instruções e as recomendações do fabricante do agente desinfetante. Caso contrário, a


cassete poderá ficar danificada.

Enxágüe após a desinfecção

 Enxágüe as peças abundantemente em água


para remover todos os vestígios de desinfetante.
Deixe a água correr pelas peças.
 Enxágüe a cassete mergulhando-a em água e
abane e incline cuidadosamente a cassete
segurando-a na vertical em ambas as direções.
Repita 3-4 vezes. Os depósitos de minerais na
cassete expiratória afetam o funcionamento. É
importante enxaguar a cassete expiratória
cuidadosamente. Os resíduos químicos podem
afetar o paciente, causar fuga e excesso de
esforço no material.

Instruções de Uso 64
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Processos de Esterilização

Para esterilizar a cassete expiratória, pode utilizar uma autoclave.

A desinfecção em autoclave reduz o tempo de


vida da cassete expiratória.
Não é necessário esterilizar a cassete expiratória
uma vez que não se trata de um instrumento
invasivo. A MAQUET possui indicações claras de
que a esterilização em autoclave reduzirá a tempo de
duração da cassete expiratória e, por conseguinte,
não a recomenda como método de limpeza.
Número de ciclos na autoclave
A cassete expiratória ira durar, no mínimo:
 100 ciclos de esterilização em autoclave com um
tempo de esterilização de 4 minutos a 134°C
 50 ciclos de esterilização em autoclave com um
tempo de esterilização de 18 minutos a 134°C.

Importante:
 Se a esterilização na autoclave for realizada em
diversos ciclos sucessivos (> 4 min.) a 134 °C, o
tempo de utilização restante estimado da
Cassete expiratória será afetado negativamente.
 Antes de colocar a Cassete expiratória numa
autoclave, elimine fora todo o excesso de água
segurando a cassete na vertical em ambas as
direções.
 A Cassete expiratória deve ser seca antes de ser
utilizada. Se a Cassete expiratória não estiver
seca o suficiente, ela poderá não passar no teste
de verificação da utilização.
Nota: Normalmente, não é necessário secar a
cassete expiratória após a esterilização, uma vez
que a maior parte das autoclaves por vapor tem
uma fase de secagem no final do ciclo de
autoclave. Se não existir fase de secagem, é
necessário secar a cassete expiratória antes da
utilização.
 Para evitar o crescimento bacteriano, quando
não for utilizado um filtro bacteriológico,
recomendamos a limpeza do sistema ventilador
o mais rápido possível.

Enxaguar
Lave as peças muito bem com água. Deixe a água correr sobre as peças. Lave a cassete expiratória com
água (< 35°C / 95°F) para retirar a matéria orgânica, por exemplo, sangue ou resíduos.

Instruções de Uso 65
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Secagem antes da esterilização em autoclave

Antes de colocar a Cassete expiratória numa


autoclave, certifique-se de que esta não contém
restos de água. Abane e incline cuidadosamente a
cassete segurando-a na vertical, em ambas as
direções. Repita este procedimento 5-7 vezes ou
utilize um pulmão de ensaio durante 10 min. Outros
métodos de secagem: cabine de secagem, 1 hora no
máximo, a 70 °C ou 12-24 horas a temperatura
ambiente, dependendo das condições do meio
exterior.

Cuidado: Nunca seque a cassete expiratória


aplicando ar a alta pressão, pois poderá danificar a
tubagem interna.

Autoclave
 As peças do instrumento devem ser colocadas numa autoclave num processo válido a uma temperatura
de 134°C (273°F). Normalmente 4 minutos a 134ºC (273°F).
 As peças de borracha devem ser colocadas numa autoclave num processo válido a uma temperatura de
121°C (250°F). Normalmente 15 minutos a 121ºC (250°F).

Secagem da Cassete Expiratória

Alternativas de secagem

Existem várias alternativas para a secagem da cassete expiratória:


 Abane / incline cuidadosamente a cassete (5-7 vezes)
 Faça funcionar a cassete num ventilador Servo-s com um pulmão de ensaio, durante 10 minutos.
 Cabine de secagem 1 hora no máximo a 70ºC
 Temperatura ambiente (12-24 horas a temperatura ambiente, dependendo das condições do meio
exterior.).

Cuidado: Nunca seque a cassete expiratória aplicando ar a alta pressão, pois poderá danificar a tubagem
interna.

Nota: O tempo de secagem pode ser inferior se a unidade de desinfecção de equipamento médico tiver
urna fase de secagem.

Nota: Normalmente não é necessário secar a cassete expiratória após a esterilização, uma vez que a maior
parte das autoclaves por vapor tem uma fase de secagem no final do ciclo de autoclave. Se não existir fase
de secagem, é necessário secar a cassete expiratória antes da utilização.

Instruções de Uso 66
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Posição recomendada

Posição recomendada em cabines de secagem


pequenas.

Posição recomendada à temperatura ambiente ou na


cabine de secagem.

Importante: Não utilize ar comprimido para secar a cassete expiratória porque pode causar danos
permanentes à mesma.

Montagem da Cassete Expiratória

1. Pressione o braço de bloqueio na parte de trás para inclinar a tela do monitor.


2. Prenda a Cassete expiratória e empurre-a firmemente para baixo até a posição de bloqueio. Verifique se
a cassete não pode ser movida para cima.

Cuidado: A Cassete expiratória deve ser pressionada completamente para baixo até ficar na sua posição
inferior. Certifique-se de que o botão na parte de cima da cassete esteja completamente para fora, de modo
a assegurar que a cassete fique bem presa.

Importante: Anote numa folha de registros que foi realizada uma limpeza de rotina. Consulte as diretrizes
do hospital.

Instruções de Uso 67
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

PARTES, PEÇAS, MÓDULOS E ACESSÓRIOS

IMPORTANTE!
Todas as Partes, Peças, Acessórios, Dispositivos, Módulos e Conjuntos que
compõem este Sistema somente serão comercializados para uso exclusivo com o
Ventilador Pulmonar Servo-s, marca MAQUET.

Partes, Peças e Módulos.

Interface do Usuário do Servo-s


Os itens acessíveis do lado de fora da Interface do Usuário são mostrados na figura abaixo:

1. Display com tela sensível ao toque. 10. Grade do alto falante.


2. Teclas fixas para acesso imediato a janelas 11. Carretel do cabo
especiais. 12. Encaixe para do cartão de PC com cobertura.
3. Botão giratório principal 13. Cabo de controle entre a Interface do Usuário e
4. Teclas de funções especiais. a Unidade do Paciente.
5. Botões de acesso direto 14. Conector de Serviço
6. Indicador de energia (verde) 15. Chave de Liga/ Desliga
7. Indicador de Standby (Modo de Espera) 16. Trava do braço, inclinação.
8. Tecla de Iniciar / Parar ventilação (Standby) 17. Etiqueta do número de série.
9. Detector de luminescência, ajusta o brilho do
display automaticamente.

Instruções de Uso 68
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Quando a seção do painel frontal é removida da cobertura de trás, as seguintes partes são acessíveis:

1. Montagem da tela sensível ao toque, com quadro da cobertura da frente incluído.


2. Display de TFT
3. Lâmpadas de iluminação de fundo
4. Inversor da iluminação de fundo da placa de circuito.
5. Painel da placa de circuito PC 1777 (PC 1777 controla as funções da interface do usuário), incluindo
encaixe para cartão de PC.
6. Alto falante
7. Botão giratório principal (codificador rotativo com tecla)
8. Controles de acesso direto (codificador rotativo)

Instruções de Uso 69
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Unidade do Paciente

Os itens acessíveis do lado de fora da unidade do paciente são mostrados na ilustração abaixo:

1. Saída expiratória 8. Conector para alimentação de energia externa


2. Módulo de gás para Ar de +12 V DC.
3. Módulo de gás para O 2 . 9. Fusível F1 para alimentação de energia externa
de +12 V DC.
4. Ventilador interno com filtro
10. Conector de alimentação da energia da rede
5. Conexão para cabo de controle da interface do
elétrica, incluindo fusíveis F11 e F12.
usuário
11. Terminal equipotencial
6. Porta serial para comunicação de dados (RS-
232) 12. Saída inspiratória
7. Conector da saída de alarme (opcional) 13. Entrada expiratória
14. Etiqueta do número de série.

Instruções de Uso 70
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Quando a cobertura principal da unidade do paciente


é aberta, as seguintes partes são acessíveis:
1. Parte interna dos dois módulos de gás, incluindo
as suas unidades de esguicho.
2. Proteção do conector
3. Tubo do transdutor de pressão inspiratória,
incluindo filtro de bactéria, para o transdutor de
pressão inspiratória.
4. Tubo inspiratório com alojamento para a célula
de O 2 e a válvula de segurança.
5. Célula de O 2 incluindo filtro de bactéria.
6. Plano de fundo da Placa Pneumática PC 1861
(coberta pela placa de metal). PC 1861 é uma
placa de interconexão, incluindo conectores para
os módulos de gás bem como cabos conectores
para a válvula de segurança e para a célula de
O 2 . Os módulos de gases, a célula de O 2 e o
imã de puxar da válvula de segurança são
conectados a placa PC 1861.

Instruções de Uso 71
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Quando a cobertura principal da Unidade do


Paciente é removida, as seguintes partes são
acessíveis:
7. Conversor AC/DC
8. Placa de monitorização PC 1772 (PC 1772
realiza os cálculos dos parâmetros e a
monitorização dos limites de alarmes com
controles de alarmes. Ele ativa a pressão
reduzindo mecanismos, incluindo ativação da
válvula de segurança, no caso de excessiva
pressão do sistema de respiração.).
9. Placa de controle PC 1771 (PC 1771 controla o
modelo de Respiração para todos os modos
diferentes de ventilação).
10. Placa de controle de energia PC 1863. (PC 1863
conecta e controla o carregamento dos módulos
da bateria)
11. Placa DC/DC PC 1862 & conectores padrões
(PC 1862 converte a voltagem interna de
alimentação DC +12V_Unreg nas voltagens
internas de alimentação: +24 V, ±12V, +5V e
+3.3V).
12. Plano de fundo da placa principal PC 1860 (PC
1860 é uma placa de interconexão para as
placas PC no lado esquerdo da unidade do
paciente). As placas PC listadas acima são
conectadas ao plano de fundo da placa principal
PC 1860.
13. Módulos da bateria
14. Ventilador interno.

Instruções de Uso 72
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Quando a cobertura lateral da Unidade do Paciente é


removida, as seguintes partes são acessíveis:
15. Placa do canal expiratório PC 1784 (PC 1784 faz
o controle para alcançar a medição do fluxo
expiratório) com os dois transdutores de pressão
inspiratório e expiratório conectados a placa PC
1781 (PC 1781 faz a medição da pressão).
16. Placa do conector do canal expiratório PC 1785
(PC 1785 é uma placa conectora incluindo filtros
de sinais)
17. Serpentina de tubos da válvula expiratória.

O cassete expiratório (18) é uma unidade completa e


não deve ser desmontada. Ela contém as seguintes
partes:
− Entrada expiratória com dispositivo de umidade
− Medidor de fluxo ultrassônico
− Folha metálica de aquecimento para manter uma
temperatura estável no gás expiratório
− Conexão do transdutor de pressão, incluindo
filtro de bactéria, para conectar o transdutor de
pressão expiratória.
− Válvula expiratória, incluindo membrana da
válvula.
− Válvula expiratória unilateral.

A serpentina de tubos da válvula expiratória,


montada sobre o compartimento do cassete
expiratório controla a membrana da válvula no
cassete.
O cassete expiratório é conectado eletricamente a
placa do canal expiratório PC 1784, através da placa
do conector do canal expiratório PC 1785 (16).

Instruções de Uso 73
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Acessórios
Servo Ultra Nebulizer 145 Umidificador Ativo

Servo Duo Guard (filtro hidrofóbico / viral / Tubos do paciente (diâmetro de 15 e 22 mm)
bacteriano)

Braço de Suporte 176 e 177 Suporte do Umidificador Ativo

Instruções de Uso 74
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Retentor do Cilindro de Gás Carrinho Móvel (Mobile Cart)

Cassete expiratória Compressor Mini

Tampa do painel da interface do usuário Cobertura dos Botões

Instruções de Uso 75
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Base da prateleira Conector da saída de alarme (chamada de


enfermagem)

Suporte para bolsa de água Sensor de O 2 não-consumível

Novo tubo inspiratório

Instruções de Uso 76
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Filtros de Ar

90 85 556 – Filtro de ar com


63 50 990 – Bicos de filtro de 90 85 564 – Bicos de filtro de
suporte de montagem sem
ar, 6 mm, 2 peças. ar, 8 mm, 2 peças.
bico

64 19 951 – Filtro de Ar,


montagem DISS F/F

Kit de País do SERVO-s

Kit de País

66 72 420 - Incluindo: conexões de entrada


de gás, cabo de energia da rede elétrica.

Carrinhos e Suportes

66 50 506 – Carro móvel 66 50 001 – Base de 93 58 193 – Braçadeira, 1


(Mobile Cart), Servo-s Prateleira, Servo-s abertura.

Instruções de Uso 77
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

60 38 801 – Braçadeira, Trilho SCA65 23 935 – Suporte de 65 23 935 – Suporte de


10 x 25 mm Umidificador (nacional) Umidificador.

66 50 514 – Retentor do 65 45 110 – Suporte de 64 81 738 – Haste de infusão,


cilindro de gás Umidificador, trilho. carrinho móvel (móbile cart).

64 05 976 – Braço de Suporte 64 81 720 – Braço de Suporte SCA66 50 506 – Carro móvel
176, trilho. 177, carro móvel. Servo-s

Conexões Externas

65 23 570 – Cabo de dados, Servo-s para PC 9 66 50 019 – Conector de saída de Alarme,


pinos, 2.4 m Servo-s

Instruções de Uso 78
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Alimentação de Gás

64 81 779 - Compressor Mini (115 V)


64 81 787 - Compressor Mini (230 V)

62 37 684 / 62 37 585 – Tubo, 62 37 692 / 62 37 601 – Tubo,


64 19 944 – Tubo, O 2 , fêmea/
O 2 , padrão French (branco), 3 Ar, padrão French
fêmea DISS (verde), 4.5 m
m/5m (preto/branco), 3 m / 5 m.

66 71 210 / 66 71 212 – Tubo, 66 71 157 / 66 71 160 – Tubo, 66 71 252 / 66 71 257 – Tubo,


Ar, Alemão/ NIST, M/F, Ar, NIST, fêmea/ fêmea, preto/ O 2 , NIST, fêmea/ fêmea,
marcações ISO, 3 m / 5 m branco, 1.5 m / 5 m. branco, 3 m / 5 m.

66 71 215 / 66 71 217 – Tubo, 62 37 189 – Tubo, O 2 (6 mm)


61 33 743 – Conector AGA,
O 2 , Alemão/ NIST, marcações com acoplamentos rápidos,
Ar, 6 mm, fêmea, angulado.
ISO, 3 m / 5 m AGA (branco), 3 m

61 33 016 – Conector AGA, 66 98 559 – Conector AGA,


Ar, 6 mm, fêmea, reto. Ar, 8 mm, fêmea, reto.

66 05 919 – Conector AGA,


Ar, 8 mm, Macho, reto.

93 17 736 – Conector AGA,


ar, 3-seções.

61 33 008 – Conector AGA, 65 95 396 – Kit de montagem


O 2 , Fêmea, Reto. autônoma.

66 50 514 – Suporte de
Cilindro de Gás, Servo-s.

Instruções de Uso 79
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

95 73 460 – Peça-T do Tubo,


Ar, 8 mm.

66 71 347 – Tubo, Ar, AGA,


diâmetro interno de 6 mm, 3
m.

90 30 677 – Tubo, Ar, 91 04 472 – Tubo, Ar, AGA,


diâmetro interno de 8 mm, 30 diâmetro interno de 8 mm, 3
m m

66 70 300 – Tubo, Ar, DISS 64 81 753 – Tubo, Ar, DISS 66 72 300 – Tubo, Ar, DISS
F/F, 1,5 m F/F, 4.5 m M/F, 1 m

64 19 787 – Tubo, Ar, DISS 62 37 692 – Tubo, Ar, French, 62 37 601 – Tubo, Ar, French,
M/F, 4.5 m 3m 5m

66 71 205 – Tubo, Ar,


66 83 942 – Tubo, Ar, 66 83 945 – Tubo, O2,
Alemão/NIST, M/M, marcação
AGA/DISS, F/M AGA/DISS, F/M
ISO, 5 m

64 55 070 – Tubo, Ar, 64 55 088 – Tubo, Ar,


Alemão/NIST, marcação ISO, Alemão/NIST, marcação ISO,
3m 5m

66 71 250 – Tubo, Ar, NIST 66 71 162 – Tubo, Ar, NIST


M/F, 3 m M/F, 5 m

Instruções de Uso 80
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

64 55 054 – Tubo, O 2 ,
64 19 944 – Tubo, O 2 , DISS, 62 37 585 – Tubo, O 2 , French,
Alemão/NIST, marcação de
F/F, 4.5 m 5m
texto, 3 m

66 71 252 – Tubo, O 2 , NIST, 3


m

64 55 062 – Tubo, O 2 ,
64 19 761 – Tubo, O 2 , DISS, 62 37 189 – Tubo, O 2 , AGA, 3
Alemão/NIST, marcação de
4.5 m m.
texto, 5 m

62 37 684 – Tubo, O 2 , French,


3 m.

Gancho

93 68 952 – Gancho com


suporte

Instruções de Uso 81
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Umidificadores

65 95 222 - Umidificador 66 47 569 - Umidificador 91 54 303 – Compartimento


Fisher & Paykel Humidifier Fisher & Paykel Humidifier para sonda Fisher & Paykel,
MR850 (230 V) MR850 (115 V) Infantil 15-10 mm

66 98 690 – Cobertura de 91 31 905 – Compartimento 61 50 754 - Câmara adulta


Silicone, Adulto para para sonda Fisher & Paykel, Fisher & Paykel autoclavável
Termômetro. Adulto

91 54 295 - Câmara Infantil


Fisher & Paykel autoclavável

65 95 206 – Cabo para uso


65 95 255 – Cabo de
65 95 057 – Kit de acessórios com circuito descartável
temperatura e fluxo, 1.5m,
para MR850, reutilizável simples de fio aquecido,
para MR850
MR850

Máscaras reutilizáveis tipo


full face
− 66 82 760 – Tamanho
65 95 214 – Cabo para uso pequeno, 20 peças
com circuito descartável
duplo de fio aquecido, MR850 − 66 82 762 – Tamanho
médio, 20 peças
− 66 82 764 – Tamanho
grande, 20 peças

MR810 ABU - Umidificador Fisher & Paykel MR810 JBU - Umidificador Fisher & Paykel
Humidifier MR 810 (220 V) Humidifier MR 810 (110 V)

Instruções de Uso 82
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Nebulizadores

66 75 742 (5 peças) / 66 75
66 75 667 – Kit inicial
745 (10 peças) Pacote de
Aeroneb Solo
acessórios do Aeroneb Solo
Inclui: Nebulizador Solo, 5/10
cada, adaptador-T Adulto com
plugue, 5/10 cada.

66 75 672 (5 peças) / 66 75 66 75 677 – T's do Aeroneb 66 75 680 – T's do Aeroneb


675 (10 peças) - Solo Adulto, descartável, 10 Solo Pediátrico, descartável,
Nebulizadores Aeroneb Solo peças. 10 peças.

66 47 759 (AG-AP-6000) - 66 47 825 (AG-AP1020) – T's


Sistema de Nebulizador do Aeroneb Pro Pediátrico, 5
Aeroneb ® Pro peças.

Inclui: Módulo de controle, cabo


do módulo de controle (1.7 m),
adaptador AC/DC de padrão
médico 100-240 V/ 9 V com
plugue de energia da rede
elétrica, unidade do nebulizador
com tampa, adaptador-T adulto
com plugue, suporte de
montagem universal, adaptador
de montagem do equipamento.

66 47 841 (AG-AP1000) – 66 47 874 (AG-AP-1005) –


66 47 866 (AG-AP-1030) –
Unidade Nebulizadora com Plug de silicone para
Aeroneb filler cap, 5 peças.
filler cap. Aeroneb Pro, 5 peças.

66 75 690 – Plugue de
66 75 677 – T's do Aeroneb
Silicone para adaptador-T, 10
Solo Adulto, 10 peças.
cada

Instruções de Uso 83
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

Conexão do Paciente

66 06 136 – Conjunto de Tubo 66 06 128 – Conjunto de Tubo 93 81 492 – Conjunto de Tubo


do Paciente, Hytrel 22/15 F&P do Paciente, Hytrel 22/15, do Paciente, Adulto Hytrel,
Reutilizável. SERVO Hum. F&P Reutilizável.

Inclui: Tubo do paciente (Hytrel)


infantil (conexões de 22/15
mm), 20 cm; Tubo do paciente
(Hytrel) infantil (conexões de
22/15 mm), 40 cm, 2 peças;
Tubo do paciente (Hytrel) Inclui: Tubo do paciente (Hytrel) Inclui: Tubo do paciente (Hytrel)
infantil (conexões de 22/15 infantil (conexões de 22/15 adulto (conexões de 22 mm),
mm), 60 cm, 2 peças; Tubo do mm), 20 cm; Tubo do paciente 30 cm; Tubo do paciente
paciente (Hytrel) infantil (Hytrel) infantil (conexões de (Hytrel) adulto (conexões de 22
(conexões de 22 mm), 60 cm; 22/15 mm), 150 cm, 2 peças; mm), 60 cm, 2 peças; Tubo do
Tubo do paciente (Hytrel) peça-Y infantil (conexões do paciente (Hytrel) adulto
infantil (conexões de 22/15 tubo do paciente de 15 mm), (conexões de 22), 110 cm;
mm) com compartimento de reto; adaptador angulado peça-Y adulto (conexões do
sonda, 116 cm; coletor de (cotovelo), diâmetro externo de tubo do paciente de 22 mm),
água, 1 cada, com adaptador 22-15 mm/ diâmetro interno de reto; coletor de água, 1 cada,
de diâmetro externo 15-10 mm 15 mm; adaptador de diâmetro com adaptador de diâmetro
com borda de gotejamento, 2 externo de 22-15 mm. externo 15-10 mm com borda
peças; peça-Y infantil de gotejamento, 2 peças.
(conexões do tubo do paciente
de 15 mm), reto; adaptador de
diâmetro externo de 15-15 mm;
adaptador de diâmetro externo
de 22-15 mm.

Instruções de Uso 84
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

93 18 056 – Conjunto de Tubo 93 80 510 – Conjunto de Tubo 93 18 064 – Conjunto de Tubo


do Paciente, Hytrel Adulto, do Paciente, Hytrel Infantil do Paciente, Hytrel Infantil
SERVO Hum. 10, F&P Reutilizável. 10, SERVO Hum.

Inclui: Tubo do paciente (Hytrel)


infantil (conexões de 10 mm),
20 cm; Tubo do paciente
(Hytrel) infantil (conexões de 10 Inclui: Tubo do paciente (Hytrel)
Inclui: Tubo do paciente (Hytrel) mm), 60 cm, 2 peças; Tubo do infantil (conexões de 10 mm),
adulto (conexões de 22 mm), paciente (Hytrel) infantil 150 cm, 2 peças; peça-Y
150 cm, 2 peças; peça-Y adulto (conexões de 10 mm), 110 cm; infantil (conexões do tubo do
(conexões do tubo do paciente peça-Y infantil (conexões do paciente de 10 mm), reto;
de 22 mm), reto; adaptador tubo do paciente de 10 mm), adaptador angulado (cotovelo),
angulado (cotovelo), diâmetro reto; coletor de água, 1 cada, diâmetro externo de 22-15 mm/
externo de 22-15 mm/ diâmetro com adaptador de diâmetro diâmetro interno de 15 mm;
interno de 15 mm. externo 15-10 mm com borda adaptador de diâmetro externo
de gotejamento, 2 peças; de 15-10 mm, 2 peças.
compartimento da sonda,
infantil, diâmetro interno de 15-
10 mm com adaptador de
diâmetro externo de 15-10 mm;
adaptador de diâmetro externo
de 15-10 mm, 4 peças.

Instruções de Uso 85
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

93 81 484 – Conjunto de Tubo 90 20 561 – Conjunto de Tubo 93 80 502 – Conjunto de Tubo


do Paciente, Adulto Silicone, do Paciente, Adulto Silicone, do Paciente, Infantil 10,
F&P Reutilizável. SERVO Hum. Silicone, F&P Reutilizável.

Inclui: Tubo do paciente


(borracha de silicone) infantil
(conexões de 10 mm), 20 cm;
Inclui: Tubo do paciente Tubo do paciente (borracha de
(borracha de silicone) adulto silicone) infantil (conexões de
(conexões de 22 mm), 30 cm; 10 mm), 60 cm, 2 peças; Tubo
Tubo do paciente (borracha de Inclui: Tubo do paciente do paciente (borracha de
silicone) adulto (conexões de (borracha de silicone) adulto silicone) infantil (conexões de
22 mm), 60 cm, 2 peças; Tubo (conexões de 22 mm), 150 cm, 10 mm), 110 cm; peça-Y infantil
do paciente (borracha de 2 peças; peça-Y adulto (conexões do tubo do paciente
silicone) adulto (conexões de (conexões do tubo do paciente de 10 mm), reto; coletor de
22 mm), 110 cm; peça-Y adulto de 22 mm), reto. água, 1 cada, com adaptador
(conexões do tubo do paciente de diâmetro externo 15-10 mm
de 22 mm), reto; coletor de com borda de gotejamento, 2
água, 1 cada, com adaptador peças; compartimento de
de diâmetro externo 15-10 mm sonda infantil de diâmetro
com borda de gotejamento, 2 interno de 15-10, com
peças. adaptador de diâmetro externo
de 15-10 mm; adaptador de
diâmetro externo de 15-10 mm,
4 peças.

Instruções de Uso 86
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

66 97 023 – Conjunto de Tubo 90 20 579 – Conjunto de Tubo 64 21 572 – Conjunto de Tubo


do Paciente, Infantil 10, do Paciente, Infantil 10, do Paciente, Adulto, Silicone,
Silicone, Heat Hum. Silicone, Heat Hum. Heat Hum.

Inclui: Tubo do paciente


(borracha de silicone) infantil
(conexões de 10 mm), 20 cm;
Tubo do paciente (borracha de
silicone) infantil (conexões de Inclui: Tubo do paciente
10 mm), 60 cm, 2 peças; peça- (borracha de silicone) adulto
Y infantil (conexões do tubo do Inclui: Tubo do paciente (conexões de 22 mm), 30 cm;
paciente de 10 mm), reto; (borracha de silicone) infantil Tubo do paciente (borracha de
coletor de água, 1 cada, com (conexões de 10 mm), 150 cm, silicone) adulto (conexões de
adaptador de diâmetro externo 2 peças; peça-Y infantil 22 mm), 60 cm, 4 peças; peça-
15-10 mm com borda de (conexões do tubo do paciente Y adulto (conexões do tubo do
gotejamento, 4 peças; de 10 mm), reto; adaptador de paciente de 22 mm), reto;
adaptador de diâmetro externo diâmetro externo de 15-10 mm, coletor de água, 1 cada, com
de 15-10 mm, 2 peças; 2 peças. adaptador de diâmetro externo
cobertura de borracha de 15-10 mm com borda de
silicone infantil, reto, com gotejamento, 4 peças.
adaptador de diâmetro externo
de 15-10 mm; cobertura de
borracha de silicone infantil,
angulado, com adaptador de
diâmetro externo de 15-10 mm.

68 88 127 – Tubo do paciente 66 06 230 – Tubo do paciente


91 26 970 – Tubo do paciente
Silicone Adulto, 22 mm, 150 Silicone Adulto, 22 mm, 30
Hytrel Infantil, 15 mm, 15 cm.
cm. cm.

66 06 248 – Tubo do paciente 67 34 479 – Cobertura de 66 97 270 – Cobertura de


Silicone Adulto, 22 mm, 60 silicone adulto angulado, 22- silicone infantil angulado, 22-
cm. 22 mm. 15 mm.

Instruções de Uso 87
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

66 97 262 – Cobertura de 66 97 205 – Cobertura de


90 85 614 – Conector de tubo
silicone infantil reto, 22-15 silicone para termômetro 10-
com plugue, 22-15, angulado.
mm. 15 mm

61 89 000 – Junção do tubo,


90 37 730 – Conector de tubo,
diâmetro externo de 15-10, 5
22-15, angulado, 5 peças.
peças.

65 62 610 – Junção do tubo,


diâmetro externo de 22-15.

61 89 018 – Junção do tubo 90 85 648 – Junção do tubo 66 96 744 – Junção do tubo,


infantil, diâmetro externo de infantil, diâmetro externo de diâmetro externo de 15-10
10 mm, 5 peças. 15 mm. mm, 5 peças.

64 25 581 – Junção do tubo,


63 50 438 – Junção do tubo, 66 97 585 – Coletor de água,
adulto, diâmetro
diâmetro externo de 22-15 22 mm, com 2 adaptadores
externo/diâmetro interno de
mm, 2 peças. de 10-15 mm.
22/15 mm.

Instruções de Uso 88
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

66 96 678 – Copo do coletor 64 87 248 – Peça-Y Adulto 22 66 06 743 – Peça-Y Infantil 10


de água. mm. mm.

64 87 586 – Peça-Y Infantil 15


mm.

Opções de Software

66 70 420 – Software Bi-Vent, 66 81 150 – Software Infantil,


Servo-s Servo-s

66 75 280 – Software de 66 50 019 – SW Alarm output


Mecânica Pulmonar, Servo-s conn. Servo-s

Instruções de Uso 89
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

66 67 286 – Software VNI, 66 70 925 – Software PRVC, 66 70 425 – Upgrade através


Servo-s Servo-s de E-delivery, Servo-s

Necessário para e-delivery de


atualizações de opção de
software através de download
do website
"http://swdownload.maquet.se".
Modos de ventilação não-
invasiva suportados: suporte de
pressão (PS) e controle de Inclui: SIMV (PRVC)+PS
pressão (PC).

66 47 999 – Upgrade através


de fretamento, Servo-s

Necessário para transferência


de atualizações de opção de
software quando atualizar
ventiladores Servo-s existentes.

Acessórios do Ventilador

66 47 890 – Proteção de
64 87 180 – Módulo de 64 47 960 – Cassete
isolamento com proteção de
bateria, Servo-i/s expiratória, Servo-s
gotejamento, 5 peças.

Instruções de Uso 90
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

66 66 593 – Amplificador de 66 51 280 – Amplificador de


alto falante. alto-falante, atualização.

66 71 467 – Sensor de O 2 66 70 600 – Sensor de O 2 ,


66 40 044 – Célula de O 2 ,
com canal inspiratório, atualização do Servo-s (à
atualização do Servo-s.
atualização (até o S/N 4000). partir do S/N 4001).

65 95 487 – Filtro viral/


66 71 775 – Servo Duo Guard,
66 70 680 – Sensor de O 2 . bacterial, Servo Guard, 50
60 peças.
peças.

Especialmente projetado para


uso durante nebulização.

65 67 130 – Cobertura do
64 87 941 – Tubo de Teste, 60 06 832 – Pulmão de Teste
Painel de Interface do
Azul. 190, Adulto.
Usuário

Instruções de Uso 91
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

66 87 855 - Kit de
demonstração com máscaras
de VNI

Filtros HME

64 19 357 – Umidificador 64 19 365 – Umidificador 64 19 373 – Filtro


SERVO Humidifier 162, 100 SERVO Humidifier 163, com umidificador SERVO
peças. tubo flexível, 100 peças. Humidifier 172, 100 peças.

64 19 381 – Filtro
64 19 340 – Umidificador
umidificador SERVO
SERVO Humidifier 161, 100
Humidifier 173, com tubo
peças.
flexível, 100 peças.

Instruções de Uso 92
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

GARANTIA DO EQUIPAMENTO

Segue abaixo o TERMO DE GARANTIA para o Ventilador Pulmonar Servo-s, marca


MAQUET.

TERMO LEGAL DE GARANTIA

A empresa Maquet do Brasil Equipamentos Médicos Ltda., CNPJ n°.


06.028.137/0001-30 e Inscrição Estadual n°. 116.737.597.111, situada a Rua
Tenente Alberto Spicciati n°. 200, bairro Barra Funda, CEP 01140-130, na cidade
de São Paulo – SP, vem por meio deste instrumento legal e em cumprimento ao
Art. 26 da Lei 8.078, de 11 de Setembro de 1990, garantir o direito do consumidor
em reclamar pelos vícios aparentes ou de fácil constatação de todos os produtos
por ela importados e comercializados, pelo prazo de 90 dias, a contar da data de
entrega efetiva dos produtos. Tratando-se de vício oculto, o prazo decadencial
inicia-se no momento em que ficar evidenciado o defeito, conforme disposto no
Parágrafo 3° do Art. 26 da Lei 8.078. Para que o presente Termo de Garantia
Legal surta efeito, o consumidor deverá observar as condições abaixo descritas:
− Não permitir que pessoas não autorizadas realizem a manutenção dos
materiais ou equipamentos em questão;
− Não permitir o uso indevido bem como o mau uso dos materiais ou
equipamentos em questão;
− Seguir detalhadamente todas as orientações de uso, bem como os cuidados
de limpeza e conservação descritos no Manual do Usuário ou Instruções de
Uso;
− As partes e peças que venham a sofrer desgaste natural pelo uso dos
materiais ou equipamentos, não estarão cobertas por este Termo de Garantia,
uma vez que o vício for reclamado após o prazo regular determinado pelo
fabricante para a substituição desses itens.

Instruções de Uso 93
Servo-s
Anexo – Informações Complementares

CANAIS DE COMUNICAÇÃO

Representante no Brasil:
Maquet do Brasil Equipamentos Médicos Ltda.
Rua Tenente Alberto Spicciati, 200 - Barra Funda
CEP 01140-130 - São Paulo / SP - Brazil
Tel.: +55 11 2608-7386
Fax: +55 11 2608-7359

NOMES E ASSINATURAS DOS RESPONSÁVEIS LEGAL E TÉCNICO

Nome do Responsável Legal Cargo


Norman Pierre Günther Diretor
Assinatura do Responsável Legal

Nome do Responsável Técnico Cargo


Rogério Sanson R. da Silva Gerente Comercial
Registro Assinatura do Responsável Técnico
5060771762D
CREA – SP

Instruções de Uso 94