Você está na página 1de 1

Qual a posição cristã sobre o suicídio?

A Posição Cristã sobre o SUICÍDIO

Nem sempre o suicídio tem sido considerado com algo ruim. Por exemplo, o filósofo grego
Sócrates tirou a própria vida ingerindo veneno, em um ato que inspirou um grupo
americano em favor da Eutanásia a denominar-se com o nome do veneno. Em Romeu e
Julieta, de Shakespeare, o suicídio é romantizado. Os soldados japonenes na 2a Guerra
Mundial praticaram o suicídio, jogando seus aviões contra navios inimigos; são lembrados
como heróis.
O que é, realmente, um suicídio? Será apenas quando alguém tira a própria vida? Ou
também na situação em que a pessoa deixa de proteger a própria vida, para morrer?
(Exemplo: não se medicar como deveria).
Uma das características básicas do ser vivo é lutar pela sobrevivência. O suicídio é
contrário a isto; por isso mesmo, muitas vezes é considerado um ato irracional. De fato,
muitas pessoas que tiram a própria vida, estão agindo em reação a situações em que
perderam o controle e estão sob intensa pressão psicológica.
Lembrar o 5o Mandamento (“Não matarás”) para as pessoas pode ser útil; no entanto, não
garante que a pessoa sempre respeitará a própria vida. A Lei por si só não dá forças à
pessoa, mas apenas aponta o erro.
Note como as passagens a seguir mostram o papel que Deus tem na vida de cada
indivíduo, mesmo quando a pessoa não está a par disto: Jó 10.12; 14.5; At 17.28.
Como as seguintes passagens bíblicas podem ajudar alguém que se sente desmotivado
para viver? Sl 42.5,6; Fp 4.12,13.
A presença e bom conselho do cristão são elementos preciosos junto àqueles que se
sentem sós, sem sentido, sem valor. Para alguém que sente-se assim, que tipo de
“orientação” deveria ser dada? Veja como a Palavra de Deus pode ser aplicada a questões
que suicidas em potencial se fazem:
– “Que razão posso ter eu para viver?” (Dt 30.19b,20; Tt 2.13,14; 2 Co 5.17)
– “Será que alguém se preocupa comigo?” (Jr 31.3; Ef 2.4,5)
– “Tenho medo de viver. Como posso ir em frente?” (Sl 27.1; Mt 11.28; Sl 119.105)
É realmente importante mostrar às pessoas (começando por nós mesmo) que a vida é um
dom de Deus e que tirar a vida (também a nossa) é pecado contra o 5o Mandamento. No
entanto, mais importante do que falar contra o suicídio é falar a favor da vida! Um dos
fatores que levam as pessoas a desesperarem de sua vida é que tem o foco das atenções
unicamente em si mesmas, nas suas dores, preocupações, angústias, fraquezas, pecado.
Valorizar a vida significa, antes de mais nada, por a atenção em Deus e no que Ele fez, faz
e fará por nós, para nos dar uma vida plena. Vejamos:
– Ele nos criou – não somos objetos do acaso; somos criaturas do Deus todo-poderoso,
sábio e que faz tudo muito bem;
– Ele nos redimiu – o Deus humanado, Jesus Cristo, assumiu nosso lugar e pagou a nossa
dívida – a vida dele foi dada pela nossa: que valor temos para Ele!
– Ele nos santifica – pelo Evangelho (Batismo, Palavra, Santa Ceia) nos leva à fé em
Cristo, nos faz nascer de novo (para Deus) e nos torna herdeiros da vida eterna!
De fato, Deus nos dá motivo para viver, com Ele, em confiança e alegria. Saibamos
testemunhar esta verdade para nós próprios e para aqueles que precisam de nosso
conselho.

Interesses relacionados