Você está na página 1de 26

ATUALIDADES DO MERCADO conseguiu frear a inflação e normalizar os preços do comércio in-

terno. Isso, seguido de uma valorização da moeda nacional, resul- tou


numa recuperação rápida da economia brasileira.
FINANCEIRO Quem pega no dinheiro todos os dias, paga as suas contas,
recebe seu salário, nem pensa no grande sistema que há por trás dessas
SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL operações. Na verdade, os salários são do valor que são, para que a
atual quantidade de dinheiro circule no país, para que a economia
brasileira seja como é, o Sistema Financeiro Nacional toma decisões
Uma das engrenagens mais importantes, se não a mais impor- tante, todos os dias, que são refletidas na nossa realidade.
para que o mundo seja do jeito que é, é o dinheiro. Ele com- pra carros,
casas, roupas, título e, segundo alguns, só não compra a felicidade. Sendo Sistema Financeiro Nacional
o dinheiro carregado com toda essa importância, cada país, cada estado e
cidade, se organiza de forma a ter seu pró- prio modo de ganhar dinheiro.
Definição
Essa organização, aliás, é formada de um jeito em que a maior
quantidade possível de dinheiro pos- sa ser adquirida. Há a muito tempo O Sistema Financeiro Nacional pode ser definido como o
que o mundo funciona dessa forma. Por isso todos os países já conjunto de instituições e órgãos que regulamentam, fiscalizam e
conhecem muitos caminhos e atalhos para que sua organização seja executam as operações relativas à circulação da moeda e do crédito.
elaborada para seu benefício.
Essa tal organização que busca o maior número possível de Origens e Aspectos Históricos
riquezas é definido por uma série de importantes órgãos do estado. No
Brasil, esse órgão formador da estratégia econômicas do país, Em 1920, foi criada a Inspetoria Geral de Bancos, que tinha como
é chamado de Sistema Financeiro Nacional. Tem, basicamente, a função objetivo exercer a fiscalização sobre as instituições financeiras. Não se
de controlar todas as instituições que são ligadas às ativida- des tratava, portanto, de um órgão destinado à normatização e ao controle
econômicas dentro do país. Mas esse sistema tem ainda muitas outras amplo do mercado financeiro.
funções. Tem também muitos componentes que o formam. Existem Apenas com a criação da Superintendência da Moeda e do
grupos, dentro do grupo do Sistema Financeiro Nacional. Crédito – SUMOC, em 1945, passou a existir um controle monetário
O mais importante dentro desse sistema é o Conselho Monetário mais amplo.
Nacional. Esse conselho é essencial por tomar as decisões mais Em 1952, foi fundado o atual Banco Nacional de Desenvolvi-
importantes, para a que o país funcione de forma sadia. O Conse- lho mento Econômico e Social – BNDES.
Monetário Nacional tem dentro de si muitos integrantes que são
Em 1964, ocorreu a “Reforma Bancária”, por intermédio da
importante, cada um na sua função. No entanto, o mais impor- tante
desses membros é o Banco Central do Brasil. Lei nº 4.595, que dispôs sobre:
O Banco Central do Brasil é o responsável pela produção de papel- - a criação do Conselho Monetário Nacional;
moeda e de moeda metálica, dinheiro que circula no país. Ele exerce, - a transformação da SUMOC no Banco Central da República do
junto ao Conselho Monetário Nacional, um trabalho de fiscalização Brasil, que, posteriormente, passou a ser denominado Banco Central
nas instituições financeiras do país. Além disso, tem diversas do Brasil;
utilidades, como realizar operações bancárias, como empréstimos, - a composição original do Sistema Financeiro Nacional: Con- selho
cobrança de créditos e outros, de outras instituições financeiras. O Banco Monetário Nacional, Banco Central da República do Brasil (atual Banco
central é considerado o banco mais impor- tante do Brasil, acima de Central do Brasil – BACEN), Banco do Brasil S.A., Banco Nacional do
todos os outros, uma espécie de “Banco dos Bancos”. Desenvolvimento Econômico (atual Banco Nacional de
O Sistema Financeiro Nacional, então, é uma forma de várias Desenvolvimento Econômico Social – BNDES) e de- mais instituições
entidades se organizarem, de modo a manter a máquina do gover- no financeiras públicas e privadas;
funcionando. Sua utilidade é o acompanhamento e também a Entre 1964 e 1965, foi criado o Sistema Financeiro da Habi- litação
coordenação de todas as atividades financeiras que acontecem no Brasil. – SFH, tendo como principal operador o Banco Nacional da Habitação
Esse acompanhamento acontece na forma de fiscalização. Já a – BNH. As principais fontes de recursos do SFH são
coordenação está na parte em que funcionários do Banco Cen- tral agem, o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço – FGTS e o Sistema
segundo suas responsabilidades, no cenário financeiro. Brasileiro de Poupança e Empréstimo – SBPE. Em 1986, o BNH foi
Esse sistema já sofreu várias mudanças ao longo dos anos. extinto, e suas atribuições foram transferidas para a Caixa Eco- nômica
O próprio Banco Central era uma outra entidade como nome di- Federal.
ferente: Superintendência da Moeda e do Crédito era o nome do órgão A Lei do Mercado de Capitais, nº 4.728/65, estabeleceu nor- mas
antes. A mudança ocorreu por meio da lei nº 4.595/64, no art.8º. A relativas ao mercado de investimentos.
moeda nacional, que também já mudou várias vezes ao longo da Em 1976, pela Lei nº 6.385, foi criada a Comissão de Valores
história brasileira e leva o nome de “Real” foi uma das grandes
Mobiliários, que também integra o Sistema Financeiro Nacional.
mudanças. A modificação de uma moeda nacional é, em qualquer
circunstancias, algo que causa muitas mudanças, mas no caso da Em 1986, foi encerrada a conta movimento do Banco do Bra- sil
mudança para a atual moeda (real), essa transformação foi grandiosa. perante o Banco Central, dando-se início ao processo de trans- ferência
Numa época em que a inflação era um grande terror para economia de todas as atribuições de autoridade monetária responsá- vel pela
brasileira, essa mudança, chamada de plano real, emissão de moeda ao BACEN.
Em 1988, foi autorizada a constituição dos “Bancos - Instituições do Sistema de Liquidação e Custódia de Títulos
Múltiplos”, permitindo-se que uma mesma pessoa jurídica opere e Valores Mobiliários;
com mais de uma das seguintes carteiras: comercial; de - Instituições Administradoras de Recursos de Terceiros;
investimento; de desenvolvimento; de crédito imobiliário; e de - Entidades Prestadoras de Serviços Financeiros Regulamen-
crédito, financia- mento e investimento. Posteriormente, pela tados;
Resolução nº 2.099/94, foi autorizada a operação, por essas - Instituições do Sistema Nacional de Seguros Privados e de
instituições, com a carteira de arrendamento mercantil. Previdência Complementar;
Em 1995, foi instituído o Programa de Estímulo à - Instituições Prestadoras de Serviços Financeiros Não Regu-
Reestruturação do Sistema Financeiro Nacional – PROER, lamentados.
tendo como principais objetivos assegurar a liquidez e solvência
Instituições Financeiras
do Sistema Financeiro Nacional e resguardar os interesses de
depositantes e investidores.
Consideram-se instituições financeiras, para os efeitos da le-
gislação em vigor, as pessoas jurídicas, públicas ou privadas, que
Estrutura do Sistema Financeiro Nacional tenham como atividade principal ou acessória a coleta,
intermedia- ção ou aplicação de recursos financeiros próprios ou
O Sistema Financeiro Nacional é dividido em dois de terceiros, em moeda nacional ou estrangeira, e a custódia de
Subsiste- mas: valor de pro- priedade de terceiro. Equiparam-se às instituições
- Subsistema de Supervisão; financeiras as pessoas físicas que exerçam qualquer dessas
- Subsistema Operativo. atividades, de forma permanente ou eventual.
As instituições financeiras somente podem funcionar no Bra-
sil mediante prévia autorização do Banco Central do Brasil
Subsistema de Supervisão
ou, quando estrangeiras, por intermédio de decreto do
presidente da República.
Função do Subsistema de Supervisão- O Subsistema É ilegal o desempenho de atividades de coleta, intermediação
de Supervisão tem como função editar normas que definam ou aplicação de recursos sem prévia autorização.
os parâmetros para transferência de recursos dos poupadores
aos tomadores e controlar o funcionamento das instituições e Instituições Financeiras Bancárias
entidades que efetuem atividades de intermediação financeira.
São as instituições financeiras autorizadas a captar
Composição do Subsistema de Supervisão- O recursos junto ao público sob a forma de depósitos à vista,
Subsistema de Supervisão tem a seguinte composição: podendo, por isso, criar moeda escritural:
- Conselho Monetário Nacional; - Bancos Comerciais;
- Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional; - Caixas Econômicas;
- Banco Central do Brasil S.A.; - Cooperativas de Crédito;
- Comissão de Valores Mobiliários; - Bancos Cooperativos;
- Conselho Nacional de Seguros Privados; - Bancos Múltiplos com Carteira Comercial.
- Superintendência de Seguros Privados;
- IRB – Brasil Resseguros; Instituições Financeiras Não Bancárias
- Conselho de Gestão da Previdência Complementar;
- Secretaria de Previdência Complementar. Instituições financeiras não bancárias ou não monetárias são
aquelas que não autorizadas a captar recursos sob a forma de de-
Subsistema Operativo pósitos à vista:
- Bancos de Investimento;
Função do Subsistema Operativo- O Subsistema - Bancos Estaduais de Desenvolvimento;
Operativo tem como função operacionalizar a transferência - Sociedades de Arrendamento Mercantil;
de recursos do poupador para o tomador, de acordo com as - Sociedades de Crédito, Financiamento e Investimento;
regras estabelecidas pelas entidades integrantes do - Companhias Hipotecárias;
Subsistema de Supervisão. - Bancos Múltiplos sem Carteira Comercial.

Composição do Subsistema Operativo- O Subsistema Instituições do SBPE


Operativo tem a seguinte composição:
- Instituições Financeiras Bancárias ou Monetárias;
Instituições do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo
- Instituições Financeiras Não Bancárias ou Não Monetárias; são aquelas autorizadas a captar recursos sob a forma de depósitos
- Instituições do Sistema Brasileiro de Poupança e em caderneta de poupança, cujos recursos são destinados princi-
Empréstimo; palmente ao financiamento habitacional:
- Agentes Especiais; - Sociedades de Crédito Imobiliário;
- Instituições do Sistema de Distribuição de Títulos e
Valores Mobiliários;
- Associações de Poupança e Empréstimo; c) Fundo de Aplicação em Quotas de Fundos de Investimento
- Caixas Econômicas (Estaduais); Financeiro;
- Bancos Múltiplos com Carteira de Crédito Imobiliário; d) Fundo de Renda Fixa – Capital Estrangeiro;
- Sociedade de Crédito Imobiliário; e) Fundo de Investimento no Exterior;
- Associação de Poupança e Empréstimo. f) Fundo de Investimento Extramercado.

Agentes Especiais 2- Fundos Mútuos de Investimentos Regulados pela CVM:


a) Fundos Mútuos de Investimento em Ações;
São instituições que executam funções atípicas, diferenciadas b) Fundos Mútuos de Investimento em Ações – Carteira Livre;
da espécie a que pertencem: c) Fundo de Investimento em Quotas de Fundos Mútuos de
- Banco do Brasil S.A.; Investimentos em Ações;
- Caixa Econômica Federal; d) Fundos Setoriais de Investimentos em Ações;
- Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social; e) Fundos Mútuos de Investimento em Empresas Emergentes;
- Banco do Nordeste do Brasil S.A.; f) Fundo de Investimento Cultural a Artístico;
- Banco da Amazônia S.A. g) Fundo de Privatização – Capital Estrangeiro;
h) Fundo de Conversão – Capital Estrangeiro;
Instituições do Sistema de Distribuição i) Fundo de Conversão – Capital Estrangeiro (Áreas Incenti-
vadas).
Instituições do Sistema de Distribuição de Títulos a
Valores Mobiliários são as que prestam serviços a poupadores e 3- Fundos Mútuos de Investimentos Regulamentados pelo
tomado- res, mediante compra e venda como intermediários, de BACEN em Conjunto com a CVM:
títulos e valores mobiliários e câmbio: a) Fundos de Investimento – Capital Estrangeiro;
- Sociedades Corretoras de Títulos e Valores Mobiliários;
b) Fundos Mútuos de Investimento em Ações do Setor de Mi-
- Sociedades Corretoras de Câmbio; neração;
- Sociedades Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários; c) Fundos Mútuos de Ações Incentivadas;
- Corretores de Mercadorias e Corretores de Mercadorias d) Fundos de Investimento Imobiliário;
Agrícolas; e) Fundos Mútuos de Privatização – Dívida Securitizada.
- Operadores Especiais de Mercadorias Agrícolas e Corretores
de Algodão; 4- Fundos Mútuos de Investimento Regulamentados pelo
- Agentes Autônomos de Investimentos. BACEN, CVM e SUSEP:
a) Fundo de Aposentadoria Programada Individual – FAPI.
Instituições do Sistema de Liquidação e Custódia
5- Outras:
Instituições do Sistema de Liquidação e Custódia de Títulos e
a) Clubes de Investimento;
Valores Mobiliários são aquelas que prestam serviços aos
b) Carteira de Títulos e Valores Mobiliários;
interme- diários financeiros, criando condições propícias de
mercado para c) Sociedade de Investimento – Capital Estrangeiro;
a emissão e circulação de títulos e valores mobiliários, sem, entre- d) Administrador de Consórcio.
tanto, efetuar operações de compra e venda:
- Bolsas de Valores; Entidades Prestadoras de Serviços Financeiros
- Entidades de Mercado de Balcão Organizado; Regulamentados
- Sociedades de Compensação e Liquidação de Operações;
- Bolsas de Mercadorias e Futuros; São entidades juridicamente definidas como não pertencentes
- Sistema Especial de Liquidação e Custódia – SELIC; à categoria de instituição financeira, mas que prestam serviço fi-
nanceiro regulamentado:
- Central de Custódia e Liquidação Financeira de Títulos.
- Agências de Fomento ou de Desenvolvimento.
Instituições Administradoras de Recursos de Terceiros
Instituições do Sistema Nacional de Seguros Privados e
Previdência Complementar
São instituições que proporcionam a reunião de diversos pou-
padores que tenham objetos comuns quanto à aplicação de seus
São instituições mantenedoras de seguros de coisas, pessoas,
recursos:
bens, responsabilidades, obrigações, direitos, garantias,
cosseguro, resseguro, retrocessão de seguros, planos de
1- Fundos Mútuos de Investimento Regulamentados pelo
benefícios complementares ou assemelhados aos da Previdência
BACEN: Social:
a) Fundo de Investimento Financeiro; - Sociedades Seguradoras;
b) Fundo de Investimento Financeiro – Dívida Estadual e/ou - Sociedades de Capitalização;
Municipal; - Entidades Abertas de Previdência Privada com Fins Lucra-
tivos;
- Entidades Abertas de Previdência Privada sem Fins Lucra- Autoridades do Sistema Financeiro Nacional
tivos;
- Entidades Fechadas de Previdência Privada; As autoridades do Sistema Financeiro Nacional podem ser:
- Sociedades Administradoras de Planos de Seguro-Saúde; - Autoridades Monetárias;
- Corretoras de Seguros. - Autoridades de Apoio.
Detentoras de volume significativo de poupança, as
As Autoridades Monetárias são responsáveis pela normatiza-
Entidades Fechadas de Previdência Privada são supervisionadas
ção e execução das operações de emissão de moeda:
pela Secre- taria de Previdência Complementar. As Entidades - Conselho Monetário Nacional – CMN;
Abertas de Pre- vidência Privada, pela SUSEP.
- Banco Central do Brasil – BACEN.

Instituições prestadoras de Serviços Financeiros Não Re-


As Autoridades de Apoio ou são instituições que, além
gulamentados de atuar como instituições financeiras normais, auxiliam as
autorida- des monetárias na execução da política monetária,
Não são instituições financeiras, apesar de desenvolverem ati- como é o caso do Banco do Brasil, ou são instituições com
vidades tipicamente financeiras: poderes de normatiza- ção limitado a um setor específico, como é
o caso da Comissão de Valores Mobiliários.
- Sociedades Administradoras de Cartões de Crédito;
As principais Autoridades de Apoio do Sistema Financeiro
- Sociedades de Fomento Mercantil. Nacional são:
Segundo o Banco Central do Brasil, o Sistema Financeiro Na- - Comissão de Valores Mobiliários;
cional é estruturado da seguinte forma: - Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social;
- Caixa Econômica Federal;
Órgãos Entidades - Banco do Brasil S.A..
Operadores
Normativos Su-
Instituições Financeiras Entidades e Órgãos Normativos e Supervisores do SFN
Conselho Mo- Banco Central Captadoras de Depósi-
netário do Brasil – BA- tos à Vista
Nacional CEN De acordo com o Banco Central do Brasil, as entidades e ór-
- CNM Demais Instituições gãos normativos e supervisores do Sistema Financeiro Nacional
Financeiras são os seguintes:
Outros Intermediários - Conselho Monetário Nacional – CMN;
Financeiros e Adminis- - Banco Central do Brasil – BACEN;
trativos de Recursos de - Comissão de Valores Mobiliários – CVM;
Terceiros - Conselho Nacional de Seguros Privados – CNSP;
Comissão de Bolsas de Mercadorias - Superintendência de Seguros Privados – SUSEP;
Valores Mobiliá- e Futuros - IRB – Brasil Resseguros;
rios - CVM Bolsas de Valores - Conselho de Gestão de Previdência Complementar – CGPC;
Superintendên- Sociedades Seguradoras - Secretaria de Previdência Complementar – SPC.
cia de Seguros Sociedades de Capita-
Conselho Nacio-
Privados – SU- lização Conselho Monetário Nacional
nal de Seguros
SEP e IRB Entidades Abertas de
Privados - CNSP
– Brasil Resse- Previdência Comple- O art. 2º da Lei nº 4.595/64 extinguiu o Conselho da Superin-
guros mentar tendência da Moeda e do Crédito e criou o Conselho Monetário
Coselho de Ges- Secretaria De Entidades Fechadas Nacional, com a finalidade de formular a política da moeda e do
tão da Previdên- Previdência de Previdência Com- crédito, objetivando o progresso econômico e social do País.
cia Complemen- Complementar plementar (fundos de Recebem o nome de RESOLUÇÕES as deliberações do
tar - CGPC - SPC pensão) CMN, cabendo ao BACEN a sua divulgação.
O Conselho Monetário Nacional é o órgão máximo do Siste-
O quadro apresentado em seguida demonstra a estrutura do ma Financeiro Nacional, com funções deliberativas, cujas normas
Sistema Financeiro Nacional de forma mais detalhada. são de observância obrigatória por todas as instituições do sistema
financeiro.

As classificações apresentadas em seguida foram organizadas Objetivos do CMN- A política do Conselho Monetário Na-
de acordo com a estrutura do Sistema Financeiro Nacional cional tem como objetivo:
prevista pelo Banco Central do Brasil. - adaptar o volume dos meios de pagamentos às reais neces-
sidades da economia nacional e seu processo de desenvolvimento;
- regular o valor interno da moeda, por meio da - aprovar o regimento interno e as contas do Banco Central
prevenção e correção dos surtos inflacionários ou do Brasil, sem prejuízo da competência do Tribunal de Contas da
deflacionários de origem interna ou externa, das depressões União;
econômicas e de outros desequilíbrios oriundos de fenômenos - aplicar aos bancos estrangeiros que funcionem no País
conjunturais; as mesmas vedações ou restrições equivalentes, que vigores, nas
- regular o valor externo da moeda e o equilíbrio no balanço praças de suas matrizes, em relação a bancos brasileiros ali
de pagamentos do País, tendo em vista a melhor utilização instalados ou que nelas desejam estabelecer-se;
dos recursos em moeda estrangeira; - fixar a orientação geral a ser observada pela CVM no exercí-
- orientar a aplicação dos recursos das instituições cio de suas atribuições;
financeiras, quer públicas, quer privadas, tendo em vista - regular a utilização do crédito no mercado de valores mo-
propiciar, nas dife- rentes regiões do País, condições favoráveis biliários;
ao desenvolvimento harmônico da economia nacional; - definir a política a ser observada na organização do mercado
- propiciar o aperfeiçoamento das instituições financeiras de valores mobiliários;
e dos instrumentos financeiros, com vistas à maior eficiência do - definir as atividades da CVM que devam ser exercidas de
sistema de pagamentos e de mobilização de recursos; forma coordenada com o Banco Central do Brasil;
- zelar pela liquidez e solvência das instituições financeiras;
- definir tipos de instituições financeiras que poderão exercer
- coordenar as políticas monetária e creditícia, orçamentária, atividades no mercado de valores mobiliários, bem como as espé-
fiscal e da dívida pública, interna e externa. cies de operações que poderão realizar e de serviços que poderão
prestar nesse mercado;
Funções do CMN- Entre outras, são funções privativas - fixar as diretrizes para a aplicação das reservas técnicas das
do Conselho Monetário Nacional: sociedades seguradoras, entidades abertas e fechadas de previdên-
- autorizar a emissão de papel-moeda; cia privada, podendo, no caso das últimas, estabelecer diretrizes
- aprovar os orçamentos monetários, que são preparados pela diferenciadas para uma determinada entidade, ou grupo de entida-
Banco Central e por meio dos quais são estimadas as des, levando em conta a existência de condições peculiares relati-
necessidades globais de moeda e crédito; vamente a suas patrocinadoras.
- fixar diretrizes e normas da política cambial e,
inclusive, compra e venda de ouro e quaisquer operações em Estrututa do CMN- O Conselho Monetário Nacional tem a
moeda estrangeira; seguinte composição:
- disciplinar o crédito em todas as suas modalidades e as ope- - ministro de Estado da Fazenda, na qualidade de presidente;
rações creditícias em todas as suas formas; - ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão;
- estabelecer normas relativas à fiscalização, constituição e - presidente do Banco Central do Brasil.
funcionamento das instituições financeiras;
- estabelecer normas sobre a política de taxas de juros, des- O CMN delibera mediante resoluções, por maioria dos votos,
contos, comissões e qualquer outra forma de remuneração de ope- cabendo ao seu presidente a prerrogativa de deliberar, nos casos
rações e serviços bancários; de urgência e relevante interesse, “ad referendum” dos demais
- disciplinar as operações de câmbio; mem- bros, devendo, nesse caso, submeter a decisão ao
- deliberar sobre a estrutura técnica e administrativa do Banco colegiado, na primeira reunião posterior à prática do ato.
Central;
- determinar as características gerais das cédulas e das moe-
das;
Comissão Técnica da Moeda e do Crédito- Junto ao Conse-
- determinar a percentagem máxima dos recursos que as ins-
tituições financeiras poderão emprestar a um mesmo cliente ou lho Monetário Nacional, funciona a Comissão Técnica da Moeda e
grupo de empresas; do Crédito, com a função básica de regulamentar algumas
- estipular índices e outras condições técnicas sobre encaixes, matérias de competência do Conselho Monetário Nacional,
imobilizações ou outras relações patrimoniais, a serem composta pelos seguintes membros:
observadas pelas instituições financeiras; - presidente e quatro diretores do Banco Central do Brasil;
- delimitar o capital mínimo das instituições financeiras; - presidente da Comissão de Valores Mobiliários;
- expedir normas gerais de contabilidade e estatística a serem - secretário executivo do Ministério do Planejamento, Orça-
observadas pelas instituições financeiras; mento e Gestão;
-determinar recolhimento de até 100% dos depósitos à vista - secretário do Tesouro Nacional;
e de até 60% do total dos demais depósitos e/ou títulos contábeis - secretário de Política Econômica;
das instituições financeiras, seja na forma de subscrição de letras - secretário executivo do Ministério da Fazenda.
ou obrigações do Tesouro Nacional ou compra de títulos da
Dívida Pública Federal, seja por meio de recolhimento em Comissões Consultivas do CMN- Junto ao CMN,
espécie, em ambos os casos entregues ao Banco Central; funcionam, ainda, as seguintes comissões consultivas:
- determinar os encaixes obrigatórios; - de Normas de Organização do Sistema Financeiro;
- regulamentar as operações de redesconto e de empréstimo, - do Mercado de Valores Mobiliários e de Futuros;
efetuadas com quaisquer instituições financeiras públicas ou
- de Crédito Rural;
priva- das de natureza bancária;
- de Crédito Industrial;
- de Endividamento Público; O Brasil, em sua Constituição Federal, cita qual o intuito do siste-
- de Política Monetária e Cambial; ma financeiro nacional: “O Sistema Financeiro Nacional, estrutu-
- de Processos Administrativos. rado de forma a promover o desenvolvimento equilibrado do país
e a servir aos interesses da coletividade, em todas as partes que o
Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional- compõem, abrangendo as cooperativas de crédito, será regulado
Criado pelo Decreto nº 91.152/85, o CRSFN julga, em segunda por leis complementares que disporão, inclusive, sobre a
participa- ção do capital estrangeiro nas instituições que o
e última instância administrativa, os recursos interpostos das de-
integram”.
cisões relativas a penalidades administrativas aplicadas pelo BA-
O Sistema Financeiro Nacional pode ser divido em duas
CEN, pela CVM e pela Secretaria de Comércio Exterior.
partes distintas: Subsistema de supervisão e subsistema
O CRSFN tem ainda como atribuição julgar os recursos de
operativo. O de supervisão se responsabiliza por fazer regras
ofício, interpostos pelos órgãos de primeira instância administra-
para que se definam parâmetros para transferência de recursos
tiva, das decisões que concluírem pela não aplicação das penali-
entre uma parte e outra, além de supervisionar o funcionamento
dades.
de instituições que façam atividade de intermediação monetária.
Estrutura do CRSFN- O Conselho de Recursos do Sistema Já o subsistema operativo torna possível que as regras de
Financeiro Nacional é integrado por oito Conselheiros, de reco- transferência de recursos, definidas pelo subsistema supervisão
nhecida competência e possuidores de reconhecimentos especiali- sejam possíveis. O subsistema de su- pervisão é formado por:
zados em assuntos relativos aos mercados financeiro, de capitais, Conselho Monetário Nacional, Conselho de Recursos do
de câmbio, de capitais estrangeiros e de crédito rural e industrial, Sistema Financeiro Nacional, Banco Central do Brasil,
e de consórcios, observada a seguinte composição; Comissão de Valores Mobiliários, Conselho Nacional de
- um representante do Ministério da Fazenda; Seguros Privados, Superintendência de Seguros Privados, Brasil
Resseguros (IRB), Conselho de Gestão da Previdência
- um representante do Banco Central do Brasil;
Complementar e Secretaria de Previdência Complementar.
- um representante da Secretaria de Comércio Exterior;
Dos que participam do subsistema de revisão, podemos des-
- Um representante da Comissão de Valores Mobiliários;
tacar as principais funções de alguns: O Banco Central (BACEN)
- quatro representantes das entidades de classe dos mercados
é a autoridade que supervisiona todas as outras, além de
afins, por estas indicados em lista tríplice. banco emissor de dinheiro e executor da política monetária. O
Conselho Monetário Nacional (CMN) funciona para a criação da
As entidades de classe que integram o CRSFN são as seguin- política de moeda e do crédito, de acordo com os interesses
tes: Abrasca (Associação Brasileira das Companhias Abertas), nacionais. A Comissão de Valores Mobiliários tem a função de
An- bid (Associação Nacional dos Bancos de Investimento), possibilitar a alta movimentação das bolsas de valores e do
CNBV (Comissão de Bolsas de Valores), Febraban (Federação mercado acionário ( isso inclui promover negócios relacionados à
Brasileira das Associações de Bancos), Abel (Associação bolsa de valores, proteger investidores e ainda outras medidas). O
Brasileira das Empresas de Leasing), Adeval (Associação das outro subsistema, o operativo, é composto por: Instituições
Empresas Distribuidoras de Valores) e AEB (Associação de Financeiras Bancarias, Sistema Brasileiro de Poupança e
Comércio Exterior do Brasil). Os representantes das quatro Empréstimo, Sistema de Pagamentos, Instituições Financeiras
primeiras entidades têm acesso no Conselho como membros- Não Bancárias, Agentes Especiais, Sistema de Distribuição de
titulares e os demais, como suplentes. TVM.
Os conselheiros titulares e seus respectivos suplentes são no- As partes integrantes do subsistema operativo, citados
meados pelo ministro da Fazenda, com mandatos de dois
acima, são grupo que compreendem instituições que são
anos, admitindo-se a recondução por uma única vez.
facilmente achadas em nosso dia a dia. As Instituições
Também fazem parte do Conselho de Recursos dois
Financeiras Bancárias, por exemplo, representam as Caixas
Procura- dores da Fazenda Nacional, designados pelo
Econômicas, Cooperativas de Crédito, Bancos comerciais e
procurador-geral da Fazenda Nacional, com a atribuição de zelar
Cooperativos. As instituições Financeiras Não Bancárias são, por
pela fiel observância da legislação aplicável, e um secretário-
exemplo, Sociedades de Crédito ao Microempreendedor,
executivo, nomeado pelo Ministério da Fazenda, responsável
Companhias Hipotecárias, Agências de Desenvolvimento. As
pela execução e coordenação dos trabalhos administrativos. Para
autoridades do Sistema Financeiro Nacional também podem ser
tanto, o Banco Central do Brasil, a Comissão de Valores
divididas em dois grupos: Autoridades Monetárias e Autoridades
Mobiliários e a Secretaria de Comércio Exterior proporcionam o
respectivo apoio técnico e administrativo. de Apoio. As autoridades monetárias são as responsáveis por
O representante do Ministério da Fazenda preside o Conselho, normatizar e executar as operações de produção de moeda. O
Banco Central do Brasil (BACEN) e o Conselho Monetário
e o vice-presidente é o representante designado pelo Ministério da
Nacional (CMN).
Fazenda entre os quatro representantes das entidades de classe
Já as autoridades de apoio são instituições que auxiliam as
que integram o CRSFN.
au- toridades monetárias na prática da política monetária. Um
exemplo desse tipo de instituição é o Banco do Brasil. Outro tipo
Conceito de Sistema Financeiro Nacional
de auto- ridade de apoio são instituições que têm poderes de
normatização limitada a um setor específico. O exemplo desse
O Sistema Financeiro Nacional é um conjunto de
tipo de autoridade
instituições, órgãos e afins que controlam, fiscalizam e fazem as
é a Comissão de Valores Mobiliários. As Instituições financeiras,
medidas que dizem respeito à circulação da moeda e de crédito
termo muito usado para definir algumas empresas, são definidas
dentro do país.
como as pessoas jurídicas, públicas ou privadas e que tenham sua
função principal ou secundária de guardar, intermediar ou aplicar
os recursos financeiros (tanto dos próprios recursos como recursos mento, isto é, alternativas para que a companhia possa se finan-
de terceiros), que sejam em moeda de circulação nacional ou de ciar mediante recursos financeiros de terceiros. Caso a companhia
fora do país e também a custódia de valor de propriedade de decida pelo mercado de capitais, vários procedimentos jurídicos
outras pessoas. e administrativos para a abertura do capital serão necessários. O
Pessoas físicas que façam atividades paralelas às característi- primeiro passo para isso é o registro de companhia aberta junto à
cas acima descritas também são consideradas instituições CVM. O intermediário financeiro irá pedir o registro em nome da
financei- ras, sendo que essa atividade pode ser de maneira companhia apresentando uma série de documentos que são
permanente ou não. No entanto, exercer essa atividade sem a especi- ficados pela CVM, entre eles os principais atos
prévia autorização devida do estado pode acarretar em ações societários, as úl- timas demonstrações financeiras, parecer de
contra essa pessoa. Essa autorização deve ser dada pelo Banco auditor independente, entre outros. Uma vez obtido o registro de
Central e, no caso de serem estrangeiras, a partir de um decreto companhia aberta junto
do presidente da república. à CVM, a empresa pode, por exemplo, emitir títulos representa-
As decisões tomadas pelo conselho monetário nacional, logo tivos de seu capital, as ações, ou representativos de empréstimos
pelo sistema financeiro nacional tem total ligação com o estado da tomados via mercado de capitais, como debêntures e notas comer-
economia do país. Suas mudanças são determinantes, para o fun- ciais (“commercial papers”).
cionamento do mercado financeiro. A chamada bolsa de valores ( Outros intermediários financeiros, por sua vez, irão oferecer
mercado onde as mercadorias são ações ou outros títulos financei- aos investidores, os valores mobiliários emitidos pela companhia
ros) tem empresas, produtos e ações que variam de acordo com o aberta. Em geral, os intermediários financeiros se associam,
que esse sistema faz. Considerando o alto valor de dinheiro inves- em consórcios, num esforço para vender todos os títulos ou
tido nesse mercado, a bolsa de valores é um espelho das grandes valores mobiliários emitidos pela companhia. A colocação
proporções que as decisões tomadas por esse sistema podem inicial desses títulos ou valores mobiliários se dá no chamado
afetar mercado primário, onde as ações e/ou debêntures, por exemplo,
a vida de todas as esferas da sociedade. são vendidas pela primeira vez e os recursos financeiros obtidos
são direcionados para a respectiva companhia. Finalizada essa
primeira etapa, os investidores que adquiriram esses títulos e
O mercado de capitais é o conjunto de mercados, instituições valores mobiliários podem revendê-los no chamado mercado
e ativos que viabiliza a transferência de recursos financeiros en- secundário, onde ocorre a sua negociação entre os investidores.
tre tomadores (companhias abertas) e aplicadores Os investidores podem negociar diretamente entre si para
(investidores) destes recursos. Essa transferência ocorre por comprar e vender ações e outros títulos
meio de operações financeiras que podem se dar diretamente e valores mobiliários. Contudo, na maioria dos casos, essa não é a
entre companhias e investidores ou através de intermediários forma mais eficiente porque implica em altos custos de transação:
financeiros. As operações que ocorrem no mercado de capitais, como encontrar outro investidor interessado numa
bem como seus participantes são reguladas pela Comissão de determinada ação? Como saber qual é o preço justo da ação
Valores Mobiliários (CVM). num determinado momento? Como garantir que outro investidor
As companhias abertas necessitam de recursos irá pagar pelas ações ou entregar aquelas que foram negociadas?
financeiros para realizar investimentos produtivos, tais como: Para facilitar a negociação desses títulos no mercado secun-
construção de novas plantas industriais, inovação tecnológica, dário, foram criadas instituições que têm por objetivo administrar
expansão da capacidade, aquisição de outras empresas ou mesmo sistemas centralizados, regulados e seguros para a negociação
o alongamento do prazo de suas dívidas. Os investidores, por des- ses títulos. A função básica dessas instituições é
outro lado, possuem recursos financeiros excedentes, que proporcionar li- quidez aos valores de emissão de companhias
precisam ser aplicados de maneira rentável e valorizar-se ao abertas, ou seja, possibilitar ao investidor que adquiriu esses
títulos vendê-los de forma eficiente e segura. São exemplos
longo do tempo, contribuindo para o aumento de capital do
destas instituições as bolsas de valores e as entidades
investidor. Existem companhias de diferentes portes, com
administradoras do mercado de balcão organizado.
necessidades financeiras variadas. Ao mesmo tempo, investidores
A atuação nas bolsas de valores e nos mercados de
podem aplicar com o objetivo de obterem retorno financeiro no
balcão, organizado e não organizado, é restrita aos integrantes do
curto, médio ou longo prazo, e com diferentes níveis de risco. sistema de distribuição de valores mobiliários, dentre estes as
Para compatibilizar os diversos interesses entre companhias e instituições financeiras e sociedades corretoras e distribuidoras
investidores, estes recorrem aos intermediários financeiros, que devidamente autorizadas a funcionar pela CVM e pelo Banco
cumprem a função de reunir investidores e companhias, Central do Brasil, que atuam em nome de seus clientes, os
propiciando a alocação eficiente dos recursos financeiros na investidores, comprando e vendendo ações, debêntures e outros
economia. O papel dos intermediários financeiros é harmonizar as títulos e valores mobiliários emitidos pelas companhias abertas.
necessidades dos investidores com as das companhias abertas. As bolsas de valores e as entidades do mercado de balcão or-
Por exemplo, uma companhia que necessita captar recursos para ganizado têm o status de autorreguladores, pois são responsáveis
inves- timentos, se desejar fazê-lo através do mercado de por estabelecer diversas regras relativas ao funcionamento
capitais, deve procurar os intermediários financeiros, que irão dos mercados por elas administrados e à atuação dos
distribuir seus tí- tulos para serem oferecidos a diversos intermediários que neles atuam. Ao mesmo tempo, as bolsas de
investidores, possibilitando mobilizar o montante de recursos valores e os mercados de balcão organizado são supervisionados
requerido pela companhia. pela CVM.
E como isso acontece? Primeiro, um intermediário financeiro
irá orientar a companhia sobre a melhor alternativa de financia-
Compreenda as terminologias usadas no Sistema Finan- Entidades Supervisoras
ceiro
Banco Central do Brasil
O Sistema Financeiro Brasileiro pode ser entendido como o
conjunto de instrumentos, mecanismos e instituições que assegu- O Banco Central do Brasil foi criado em 1964 com a
ram a canalização da poupança para o investimento, ou seja, dos promulgação da Lei da Reforma Bancária (Lei nº 4.595 de
setores que possuem recursos financeiros superavitários para 31.12.64). Antes da sua criação, as suas funções eram realizadas
os desejam ou necessitam de recursos (deficitários). O pela Superintendência da Moeda e do Crédito - SUMOC,
Sistema Financeiro Brasileiro é segmentado em quatro grandes pelo Banco do Brasil - BB e pelo Tesouro Nacional. Sua sede é
“mercados”, que são: em Brasília e possui representações regionais em Belém, Belo
- Mercado monetário: é o mercado onde se concentram as Horizonte, Curitiba, Fortaleza, Porto Alegre, Rio de Janeiro e
operações para controle da oferta de moeda e das taxas de juros São Paulo. É uma autarquia federal que tem como principal
de curto prazo com vistas a garantir a liquidez da missão institucional assegurar a estabilidade do poder de compra
economia. O Banco Central do Brasil atua neste mercado da moeda nacional e da solidez do SFN.
praticando a chamada Política Monetária.
- Mercado de crédito: atuam neste mercado diversas É o «banco dos bancos».
institui- ções financeiras e não financeiras prestando serviços de
interme- diação de recursos de curto e médio prazo para agentes A partir da Constituição de 1988, o BC passou a ter o exer-
deficitários que necessitam de recursos para consumo ou
cício exclusivo para emissão de moeda. O presidente do BC e os
capital de giro. O Banco Central do Brasil é o principal órgão
seus diretores são nomeados pelo Presidente da República após a
responsável pelo controle, normatização e fiscalização deste
aprovação prévia do Senado Federal, que é feita por uma arguição
mercado.
pública e posterior votação secreta.
- Mercado de capitais: tem como objetivo canalizar recur-
sos de médio e longo prazo para agentes deficitários, através das
É da competência do BC:
operações de compra e de venda de títulos e valores mobiliários,
efetuadas entre empresas, investidores e intermediários. A
Comis- são de Valores Mobiliários é o principal órgão - Assegurar a estabilidade do poder de compra da moeda na-
responsável pelo controle, normatização e fiscalização deste cional e da solidez do Sistema Financeiro Nacional;
mercado. - Formular a política monetária mediante utilização de títulos
- Mercado de câmbio: mercado onde são negociadas as tro- do Tesouro Nacional;
cas de moedas estrangeiras por reais. O Banco Central do Brasil - Fixar a taxa de referência para as operações compromissadas
é o responsável pela administração, fiscalização e controle de um dia, conhecida como taxa SELIC;
das operações de câmbio e da taxa de câmbio atuando através de - Controlar as operações de crédito das instituições que com-
sua Política Cambial. põe o Sistema Financeiro Nacional;
- Curto Prazo: Mercado Monetário, Crédito e Câmbio. - Formular, executar e acompanhar a política cambial e de re-
- Médio e Longo Prazo: Mercado de Capitais lações financeiras com o exterior;
- Mercado primário: As empresas ou o governo emitem tí- - Fiscalizar os bancos comerciais;
tulos e valores mobiliários para captar novos recursos diretamente - Emitir papel-moeda;
de investidores. - Executar os serviços do meio circulante para atender a de-
- Mercado secundário: é composto por títulos e valores mo- manda de dinheiro necessário às atividades econômicas;
biliários previamente adquiridos no mercado primário, ocorrendo - Adequar o volume dos meios de pagamento à real capacida-
apenas a troca de titularidade, isto é, a compra e venda. Não en- de da economia;
volve mais o emissor e nem a entrada de novos recursos de capi- - Manter o nível de preços (inflação) sobre controle;
tal para quem o emitiu. Seu objetivo é gerar negócios, isto é, dar
- Manter sobre controle a expansão da moeda e do crédito e a
liquidez aos títulos.
taxa de juros;
- Distribuição primária: corresponde à distribuição de
- Operar no mercado aberto, de recolhimento compulsório e
novas ações, sendo os recursos captados destinados a aumento de
de redesconto;
capital da companhia emissora.
- Executar o sistema de metas para a inflação;
- Distribuição secundária: corresponde à distribuição de
ações já emitidas e os recursos captados se destinam aos - Divulgar as decisões do Conselho Monetário Nacional;
acionistas vendedores, que podem ser investidores estratégicos - Manter ativos de ouro e de moedas estrangeiras para
tais como os Fundos de “Private Equity” (Fundo de atuação nos mercados de câmbio, objetivando a manutenção da
Investimento em Participações). paridade da moeda nacional;
- Mercado de bolsa: as negociações são abertas e realizadas - Regular o mercado de câmbio;
por sistema de leilão, ou seja, a venda acontece para quem - Administrar as reservas internacionais brasileiras;
oferece melhor lance. A arrematação e/ou a negociação é feita - Zelar pela liquidez e solvência das instituições financeiras
por pregão de viva-voz ou com auxílio de sistema informatizado.
nacionais;
- Mercado de balcão: a negociação ocorre diretamente entre
- Conceder autorização para o funcionamento das instituições
a instituição financeira e outra instituição financeira ou não finan-
ceira. Os valores são negociados apenas entre as partes envolvidas. financeiras;
- Manter e movimentar a chamada Conta Única do Tesouro - Evitar ou coibir modalidades de fraude ou de manipulação
Nacional, onde são contabilizadas as disponibilidades de caixa da que criem condições artificiais de demanda, oferta ou preço dos
União; valores mobiliários negociados no mercado;
- Regular, autorizar e fiscalizar as atividades das administra- - Assegurar o acesso do público a informações sobre os valo-
doras de consórcios para aquisições de bens; res mobiliários negociados e sobre as companhias que os tenham
- Normatizar, autorizar e fiscalizar as sociedades de emitido;
crédito imobiliário e as associações de poupança e empréstimos; - Assegurar o cumprimento de práticas comerciais equitativas
no mercado de valores mobiliários;
- Regular a execução dos serviços de compensação de
cheques e outros papéis. - Responsável por fazer cumprir a Lei nº 6.404 de 15 de de-
zembro de 1976 (Lei da Sociedade por Ações), em relação
aos participantes do mercado de valores mobiliários;
CVM - Comissão de Valores Mobiliários
- Realizar atividades de credenciamento e fiscalização de au-
ditores independentes, administradores de carteiras de valores
A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) foi criada em mo- biliários, agentes autônomos, entre outros;
07 de dezembro de 1976 pela Lei nº 6.385 para fiscalizar e - Fiscaliza e inspeciona as companhias abertas e os fundos de
desenvol- ver o mercado de valores mobiliários no Brasil. Até o investimento;
ano de 1976 não havia uma entidade que absorvesse a regulação e - Apura, mediante inquérito administrativo, atos legais e
a fiscalização do mercado de capitais, principalmente nos temas práti- cas não equitativas de administradores de companhias
relativos às sociedades de capital aberto. Por isso, a Lei nº 6.385 abertas e de quaisquer participantes do mercado de valores
ficou sendo conhecida como a Lei da CVM.A Comissão de mobiliários, apli- cando as penalidades previstas em lei;
Valores Mobiliários é uma autarquia federal vinculada ao - Fiscaliza e disciplina as atividades dos auditores indepen-
Ministério da Fazenda, porém sem subordinação hierárquica. dentes; consultores e analistas de valores mobiliários.
Com o objetivo de reforçar sua autonomia e seu poder fiscali-
zador, o governo federal editou, em 31.10.01, a Medida SUSEP - Superintendência de Seguros Privados
Provisória nº 8 (convertida na Lei nº 10.411 de 26.02.02) pela
qual a CVM passa a ser uma “entidade autárquica em regime Criada em 1996 no Decreto-Lei nº 73/66 que também institui
especial, vincula- da ao Ministério da Fazenda, com o Sistema Nacional de Seguros Privados e que fazem parte o CNSP
personalidade jurídica e patri- mônio próprio, dotada de [1.6.9] e o IRB [1.6.10].É uma autarquia vinculada ao Ministério
autoridade administrativa independente, ausência de subordinação da Fazenda administrada por um Conselho Diretor, composto
hierárquica, mandato fixo e estabilidade de seus dirigentes, e pelo Superintendente e por quatro Diretores. Também integram o
autonomia financeira e orçamentária” (art. 5º). Cole- giado, sem direito a voto, o Secretário-Geral e Procurador-
É administrada por um Presidente e quatro Geral.
Diretores, nomeados pelo Presidente da República e aprovados
pelo Senado Federal. Eles formam o chamado «colegiado» da As atribuições da SUSEP são:
CVM. Seus integrantes têm mandato de 5 anos e só perdem
seus mandatos - Fiscalizar a constituição, organização, funcionamento e
«em virtude de renúncia, de condenação judicial transitada em ope- ração das Sociedades Seguradoras, de Capitalização,
Entidades de Previdência Privada Aberta e Resseguradores, na
julgado ou de processo administrativo disciplinar» (art. 6º § 2º).
qualidade de executora da política traçada pelo CNSP;
O Colegiado define as políticas e estabelece as práticas a se- - Atuar no sentido de proteger a captação de poupança
rem implantadas e desenvolvidas pelas Superintendências, as ins- popular que se efetua através das operações de seguro,
tâncias executivas da CVM. Sua sede é localizada na cidade do previdência privada aberta, de capitalização e resseguro;
Rio de Janeiro, com Superintendências Regionais nas cidades de - Zelar pela defesa dos interesses dos consumidores dos mer-
São Paulo e Brasília. cados supervisionados;
- Promover o aperfeiçoamento das instituições e dos instru-
A CVM tem as seguintes atribuições: mentos operacionais a eles vinculados, com vistas à maior eficiên-
cia do Sistema Nacional de Seguros Privados e do Sistema Nacio-
- Estimular a formação de poupança e sua aplicação em valo- nal de Capitalização;
res mobiliários; - Promover a estabilidade dos mercados sob sua jurisdição,
- Promover a expansão e o funcionamento correto, eficiente assegurando sua expansão e o funcionamento das entidades que
neles operem;
e regular do mercado de ações, além de estimular as aplicações - Zelar pela liquidez e solvência das sociedades que integram
permanentes em ações do capital social de companhias abertas;
o mercado;
- Assegurar e fiscalizar o funcionamento eficiente das bolsas
- Disciplinar e acompanhar os investimentos daquelas entida-
de valores, do mercado de balcão e das bolsas de Mercadorias e
des, em especial os efetuados em bens garantidores de provisões
Futuros;
técnicas;
- Proteger os titulares de valores mobiliários e os investidores
- Cumprir e fazer cumprir as deliberações do CNSP e exercer
do mercado contra emissões irregulares de valores mobiliários e as atividades que por este forem delegadas;
contra atos ilegais de administradores e de companhias abertas ou - Prover os serviços de Secretaria Executiva do CNSP.
de carteira de valores mobiliários;
IRB-Brasil RE - Responsável por estabelece a meta para a inflação;
- Responsável pela aprovação dos orçamentos monetários pre-
Criado em 1939 para fortalecer o desenvolvimento do mer- parados pelo Banco Central do Brasil;
cado segurador nacional. Uma das novidades foi a criação - Responsável pela autorização de emissões de papel-moeda;
do mercado de resseguros brasileiros que possibilitou o aumento
da capacidade seguradora das sociedades nacionais, pela retenção Conselho Nacional de Seguros Privados - CNSP
de maior volume de negócios. Hoje é chamado IRB- Brasil Re. É
uma sociedade de economia mista com controle acionário da Foi criado em 1966 pelo Decreto-Lei nº 73 [1.6.42] que tam-
União, vinculada ao Ministério da Fazenda. Sua sede é bém instituiu o Sistema Nacional de Seguros Privado em
localizada na cidade do Rio de Janeiro, com filiais em Brasília, substitui- ção ao Departamento Nacional de Seguros Privados e
Porto Alegre, São Paulo, Nova York e Londres. Capitaliza- ção que havia sido criado em 1934.É composto por:
O Conselho de Administração é composto de 06 (seis) mem- - Ministro da Fazenda (Presidente)
bros, eleitos pela Assembleia Geral e por ela destituíveis a qual-
- Representante do Ministério da Justiça
quer tempo, sendo:
I - três membros indicados pelo Ministro de Estado da Fazen- - Representante do Ministério da Previdência Social
da, dentre eles: - Superintendente da Superintendência de Seguros Privados
a) o Presidente do Conselho; - Representante do Banco Central do Brasil
b) o Presidente da Sociedade, que será o Vice-Presidente do - Representante da Comissão de Valores Mobiliários
Conselho;
II - um membro indicado pelo Ministro de Estado do Planeja- O CNSP desempenha as seguintes funções:
mento, Orçamento e Gestão; - Regular a constituição, organização, funcionamento e
III - um membro indicado pelos acionistas detentores de ações fiscalização dos que exercem atividades subordinadas ao
preferenciais; Conselho, bem como a aplicação das penalidades previstas.
IV - um membro indicado pelos acionistas minoritários, de- - Fixar as características gerais dos contratos de seguro, previ-
tentores de ações ordinárias. dência privada aberta, capitalização e resseguro.
Resseguro é, em resumo, o seguro do seguro. O resseguro é - Estabelecer as diretrizes gerais das operações de resseguro.
um tipo de pulverização em que o segurador transfere a outrem, - Prescrever os critérios de constituição das Sociedades Segu-
total ou parcialmente, o risco assumido. Quando uma companhia radoras, de Capitalização, Entidades de Previdência Privada Aber-
assume um contrato de seguro superior à sua capacidade financei- ta e Resseguradores, com fixação dos limites legais e técnicos das
ra, ela repassa esse risco, ou parte dele, a uma resseguradora. respectivas operações e disciplinar a corretagem de seguros e
a profissão de corretor.
Conselho Monetário Nacional - CMN
Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social -
Foi criado pela Lei da Reforma do Sistema Financeiro Nacio- BNDES
nal (Lei nº 4.595/64) junto com o Banco Central do Brasil (BA-
CEN). Até 1964 a fixação das diretrizes das políticas monetária e Criado no ano de 1952 como autarquia federal, hoje é uma
fiscal eram atribuições da Superintendência da Moeda e do empresa pública vinculada ao Ministério de Planejamento
Crédito (SUMOC), do Banco Brasil, e o Tesouro Nacional. É o com personalidade jurídica de direito privado e patrimônio
órgão de cúpula do Sistema Financeiro Nacional O CMN não próprio. É responsável pela política de investimento a longo
desempenha função executiva, apenas tem funções normativas. prazo do Governo Federal, necessários ao fortalecimento da
Hoje em dia o CMN é composta por três membros: empresa privada nacional.
- Ministro da Fazenda (Presidente); Com o objetivo de fortalecer a estrutura de capital das
- Ministro do Planejamento Orçamento e Gestão; e empresas privadas e desenvolvimento do mercado de capitais, o
- Presidente do Banco Central. BNDES conta com linhas de apoio para financiamentos de
longo prazo a custos competitivos, para o desenvolvimento de
projetos de investimentos e para a comercialização de
Trabalhando em conjunto com CMN funciona a
máquinas e equipamentos novos, fabricados no país, bem como
Comissão Técnica da Moeda e do Crédito que tem como
para o incremento das exportações brasileiras. Os financiamentos
atribuições o assessoramento técnico na formulação da política da
são feitos com recursos próprios, empréstimos e doações de
moeda e do crédito do País. As matérias aprovadas são
entidades nacionais e estrangeiras e de organismos
regulamentadas por meio de Resoluções, normativo de caráter
internacionais, como o BID. Também recebe do PIS e PASEP.
público, sempre divulgado no Diário Oficial da União e na
Conta com duas subsidiárias integrais, a FINAME (Agência
página de normativos do Banco Central do Brasil. É da sua
Especial de Financiamento Industrial) e a BNDESPAR (BNDES
competência:
Participações), criadas com o objetivo, respectivamente, de finan-
- Responsável por formular a política da moeda e do crédito,
ciar a comercialização de máquinas e equipamentos; e de possi-
objetivando a estabilidade da moeda e o desenvolvimento econô-
bilitar a subscrição de valores mobiliários no mercado de
mico e social do País;
capitais brasileiro. As três empresas, juntas, compreendem o
- Responsável por zelar pela liquidez e pela solvência de todas
chamado “Sistema BNDES”.
as instituições financeiras brasileiras
Caixa Econômica Federal moedas referentes ao estado, do Banco do Brasil para o
Banco Central. Em 1988, entrou em vigor a nova constituição que
Criada em 12 de janeiro de 1861, por Dom Pedro II, com o bus- cava, entre outras coisas, o equilíbrio econômico. Essa fase foi
propósito de incentivar a poupança e de conceder empréstimos de crescimento do Sistema Financeiro Nacional, acompanhado de
um grande acrescimento da economia privada. Nesse mesmo ano,
sob penhor, é a instituição financeira responsável pela foi autorizado o que se chamou de “constituição dos bancos
operacionalização das políticas do Governo Federal para múltiplos”, que permitia a que a mesma pessoa jurídica pudesse
habitação popular e saneamento básico. A caixa é uma empresa operar com mais de uma carteira (como carteira comercial, de
100% pública e não possui ações em bolsas. Além das atividades investi- mento, de desenvolvimento.) ao mesmo tempo, o que
comuns de um banco comercial, a CEF também atende aos antes era proibido.
trabalhadores formais - por meio do pagamento do FGTS, PIS e Outro marco importante para a história aconteceu em 1995,
seguro-desemprego -, e aos beneficiários de programas sociais e quando foi criado o Programa de Estímulo à Reestruturação
apostadores das Loterias. As ações da Caixa priorizam setores do Sistema Financeiro Nacional (PROER), que, como o próprio
como habitação, saneamento básico, infraestrutura e prestação de nome diz, visava dar força ao sistema financeiro nacional. E em
serviços. 20 de junho de 1996 foi criado o Comitê da Politica Monetária
(COPOM), responsável por definir a taxa básica de juros aplicada
História em território nacional (taxa SELIC). Antes disso, em 1994, o
Brasil dava início ao “Plano Real”. Era uma série de medidas
Podemos apontar a vinda da família real portuguesa para que visavam uma recuperação da economia brasileira que estava
o Brasil como um inicio para o Sistema Financeiro Nacional. em baixa. Com a moeda desvalorizada e com uma inflação que
Com a vinda da realeza, em 1808, nasceu o Banco do Brasil, fugia do controle, o Brasil estava em uma complicada situação
primeira instituição financeira do país. Já um segundo marco veio financeira. Entre as medidas do plano, estava a troca da moeda de
circulação no país. Foi lançada a moeda Real que, junto às outras
acontecer mais de 100 anos depois: em 1920 quando foi fundada a
medidas tomadas pelo governo, conseguiram frear a inflação e
Inspetoria Geral dos Bancos. Seu objetivo era fiscalizar as
recuperar a economia bra- sileira. Fernando Henrique Cardoso,
instituições financeiras atuantes da época, que já eram bem mais
ex-presidente da república, era o ministro da Fazenda na época
do que apenas o Banco do Brasil. o lançamento do Plano Real, sendo que o projeto foi um trabalho
Depois da Segunda Guerra Mundial, ocorreu, no mundo seu.
todo, uma série de importantes acontecimentos para que a Em 1999, foi lançada a cédula de credito bancário. Essa
organiza- ção financeira mundial pudesse chegar ao que medi- da se deu para criar um título de credito que pudesse
vivenciamos hoje. Exemplos disso é a criação do Fundo facilitar, pa- dronizar medidas como empréstimos, financiamentos
Monetário Internacional (FMI) e o do Banco Mundial. Seguindo
ou repasses. Em 2002, ocorreram várias mudanças importantes
esse movimento, o Brasil criou a Superintendência da Moeda e
para o Sistema Financeiro Nacional: nasceu o novo Sistema de
do Crédito (SUMOC), no ano de 1945. O SUMOC, por sua vez,
Pagamento Bra- sileiro (SPB), criação de Sistema de
também tinha a missão de supervisionar a atividades das
Transferências de Reservas (STR) e também da Transferência
instituições financeiras, mas tinha um controle maior que a
Eletrônica Disponível (TED).
Inspetoria Geral dos Bancos.
Mais tarde, em 1964, o SUMOC mudaria de nome e viraria o
que conhecemos hoje como o Banco Central do Brasil. Essa mu- Conselho Monetário Nacional
dança ocorreu por meio da “Reforma Bancária” que, além dessa
mudança, criou o Conselho Monetário Nacional (em 31 de O Conselho Monetário Nacional é o órgão máximo do Siste-
dezem- bro de 1964). Esse conselho tem o poder máximo do ma Financeiro Nacional. Esse órgão é o sucessor do antigo Con-
Sistema Fi- nanceiro Nacional e é responsável por fazer as selho da Superintendência da Moeda e do Crédito, que foi extinto
regras e decidir o melhor caminho para que o sistema financeiro pelo art. 2º da lei nº 4.595/64, e passou suas
tenha o melhor de- sempenho possível. Também na “Reforma responsabilidades para o Conselho Monetário Nacional. É
Bancária” foi decidida composto pelo Ministro de Estado da Fazenda, Ministro de
a composição original do Sistema Financeiro Nacional. Essa Estado do Planejamento e Orçamento e pelo Presidente do Banco
com- posição ficou com: Conselho Monetário Nacional, Banco Central do Brasil (BACEN), sendo que os trabalhos de
Central do Brasil, o Banco do Brasil, o Banco Nacional do secretaria desse órgão são feitos pelo Banco Central.
Desenvolvi- mento Econômico ( BNDES) e as outras Suas funções são variadas. Incluem a autorização para a pro-
instituições financeiras, tanto privadas quanto públicas, do Brasil. dução de papel-moeda, a aprovação de relatórios orçamentários,
O Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico, produzidos pelo Banco Central, para se definir estratégias que di-
BNDES, foi fundado em 20 de junho de 1952. Seu objetivo é zem respeito à necessidade de moeda e crédito. Também é função
ajudar e fi- nanciar novos negócios, novos empreendimentos que do CMN mostrar planos da política cambial e também a compra e
possam con- tribuir com o crescimento nacional. No ano de venda de ouro ou qualquer transação que inclua moeda estrangei-
1965, se iniciou o Sistema Financeiro de Habitação (SFH), ra. Controlar a liberação e obtenção de crédito e traçar regras que
sendo que seu principal provedor seria o Banco Nacional da fiscalizem o funcionamento das instituições financeiras
Habitação (BNH). No entanto, em 1986, o BNH foi extinto e as também são ações que cabem ao Conselho Monetário Nacional.
suas atribuições foram passadas para Caixa Econômica Federal.
Outro integrante do Sistema Financeiro Nacional é a Comis-
são de Valores Mobiliários. Ele foi criado em 1976 e, dez
anos mais tarde, ocorreu a transferência da autoridade de
produção de
Além dessas, outras funções como: limitar o mínimo de ca- Os fundos mútuos de investimento regulamentados pelo Ban-
pital de Instituições Financeiras, fixar valores para utilização no co Central do Brasil (BACEN) são os fundos de investimento fi-
mercado mobiliário, definir as características da moeda nacional e nanceiro ( dívida estadual ou municipal), fundo de aplicação em
regular que os bancos estrangeiros que funcionam no país sigam quotas (de fundos de investimento financeiros). Também estão na
as regras nacionais. Esse conselho foi criado para satisfazer lista de investimento o fundo de renda fixa ( que é capital estran-
alguns objetivos que dizem respeito à organização financeira do geiro), o fundo de investimento no exterior e o fundo de investi-
país. O CMN, por exemplo, comanda as políticas monetárias e mento extra mercado.
ações que dizem respeito à dívida pública. Ele também controla São várias as funções do BACEN, algumas bem conhecidas,
o valor ex- terno e interno da moeda nacional de forma que se como a responsabilidade de emitir e produzir papel-moeda e moe-
possa usar, da melhor forma, o capital estrangeiro e que possa da metálica, levando sempre em consideração os limites
manter controlado os valores de inflação e deflação, que variam dados pelo Conselho Monetário Nacional e também realizar
o valor interno da moeda. Visa também fazer com que a seja operações tipicamente bancárias (como empréstimos, redescontos
mais acessível o sistema de pagamentos e de mobilização de às institui- ções financeiras bancárias). Outras funções que
recursos. Todos esses são ob- jetivos traçados para o CMN. cabem ao Banco Central são as de: ser depositário das reservas
O Conselho Monetário Nacional trabalha em conjunto oficiais de ouro e capital estrangeiro, receber os recolhimentos
com comissões consecutivas de Normas e Organizações do compulsórios e depósitos voluntários das instituições financeiras.
Sistema Financeiro, de Mercado de Valores Mobiliários e de Também são funções do Banco Central executar compras e
Futuros. Também a de Crédito Rural, de Crédito Industrial, de venda de títulos públicos
Endividamento Público, de Política Monetária e Cambial e de e federais de forma a facilitar a política monetária adotada pelo
Processos Administrativos. Outras funções do Conselho governo, fiscalizar as outras instituições financeiras e aplicar, se
Monetário Financeiro são determinar índices e outros dados necessário, penalidades às mesmas.
usados para instituições financeiras, determinar um valor Outra ligação entre as instituições financeiras com o Banco
limite que um banco pode emprestar para um mesmo cliente, Central é que o Banco tem de conceder autorização para que essas
determinar os tipos de empresas que poderão ter participação no instituições façam o país funcionar, instalar ou transferir suas se-
mercado mobiliário e suas respectivas funções e participações, des, ou dependência, ser transformadas, incorporadas ou encapa-
marcar as direções para aplicar reservas técnicas das sociedades das. O Banco Central é uma instituição extremamente importante
seguradoras, entidades abertas e fechadas de previdência privada, para o bom andamento da saúde econômica do país. Por seu uma
podendo também traçar planos diferentes para uma determinada instituição intimamente ligada ao governo, o Banco é um órgão
entidade, se considerarmos a existência de condições plausíveis que reflete as estratégias do governo no que dizem respeito à eco-
às suas patrocinadoras. nomia do país. Também por ser responsável pela emissão do di-
O Conselho Monetário Nacional tem, ainda, a comissão Téc- nheiro no país, ele é muito ligado às crises, ou pela prosperidade
nica da Moeda e do Crédito, que tem a utilidade de regulamentar econômica de um estado. Sendo assim, a importância do Banco
matérias de responsabilidade do CMN. Esse conselho engloba o Central, além de ser um gigante na parte prática do
presidente e quatro diretores do Banco Central do Brasil e o presi- andamento financeiro do país, tem também um grande valor
dente da comissão de Valores Mobiliários. Secretário executivo simbólico para imagem do país, para a formação da imagem da
do Ministério do planejamento, orçamento e gestão, secretário de parte econômica e também da imagem de grandeza de um país. O
po- litica econômica e o secretário executivo do ministério da governo e o Banco Central andam juntos e, geralmente, a
fazenda. imagem de um reflete na imagem do outro.

Banco Central do Brasil O Sistema Financeiro Nacional do Brasil é formado por um


conjunto de instituições, financeiras ou não, voltadas para a gestão
da política monetária do governo federal. É composto por entida-
O Banco Central do Brasil é um alto órgão do Sistema Finan-
des supervisoras e por operadores que atuam no mercado nacional
ceiro Nacional. Ele trabalha juntamente com o Conselho Mone-
e orientado por três órgãos normativos: o Conselho Monetário Na-
tário Nacional e tem funções que operam em conjunto com esses
cional (CMN), o Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP)
órgãos. Sua fundação foi a partir da lei nº 4.595/64, no art.8º, que
e o Conselho Nacional da Previdência Complementar (CNPC).
fez com que a Superintendência da Moeda e do Crédito virasse
De acordo com o art. 192 da Constituição Federal: “O sistema
uma autarquia federal, com sede na capital do país, com a defini-
finan- ceiro nacional, estruturado de forma a promover o
ção de Banco Central do Brasil. É ligado ao Ministério da desenvolvimen- to equilibrado do País e a servir aos interesses da
Fazenda coletividade, em todas as partes que o compõem, abrangendo
e funciona num nível acima de todos os outros bancos que atuam as cooperativas de crédito, será regulado por leis
em território nacional. Como um “rei dos Bancos”. Por ter patri- complementares que disporão, inclusive, sobre a participação do
mônio próprio, apesar de ser um órgão vinculado ao Ministério da capital estrangeiro nas instituições que o integram”.
Fazenda, os resultados do trabalho do Banco Central são
incluídos no seu patrimônio. Sua central é na capital do país Origem e evolução: A formação do sistema financeiro teve
(Brasília), mas tem “filiais” ou representações em Belém, Belo seu início com a vinda da Família Real portuguesa, em
Horizonte, Curi- tiba, Fortaleza, Porto Alegre, Recife, Rio de 1808, quando foi criado o Banco do Brasil. Com o tempo novas
Janeiro, São Paulo e Salvador. Apesar de não estar em todas as institui- ções foram surgindo, como a Inspetoria Geral dos
capitais brasileiras, o Banco Central é acessível a todos os Bancos (1920),
brasileiros, por meio de seu site, na internet.
a Câmara de Compensação do Rio de Janeiro (1921) e de São Pau- Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP) Conselho de
lo (1932), dentre outros bancos e instituições privadas e as Caixas Recursos do Sistema Nacional de Seguros Privados, de Previdên-
Econômicas fortalecendo o Sistema. cia Privada Aberta e de Capitalização (CRSNSP) Superintendên-
cia de Seguros Privados (Susep) Sociedades seguradoras.
Pós-Segunda Guerra: Após a Segunda Guerra Mundial, nas- - Sociedades capilizadoras.
cem novas instituições financeiras mundiais, como o FMI e o - Entidades abertas de previdências complementares
Ban- co Mundial. Em 1945 é criado no Brasil a - Sociedades resseguradoras.
Superintendência da Moeda e do Crédito (SUMOC), que
futuramente em 1964, pela lei Conselho Nacional de Previdência Complementar (CNPC)
4.595, daria lugar ao Banco Central do Brasil. Nas décadas de 50 Câmara de Recursos da Previdência Complementar (CRPC)
e 60, com a criação do BNDES, do Sistema Financeiro da Habi- Superintendência Nacional de Previdência Complementar
tação, do Banco Nacional da Habitação e do Conselho Monetário (Previc) Entidades fechadas de previdência complementar
Nacional, o país passa por um novo ciclo econômico e o Sistema (também conhecidos como fundos de pensão).
Financeiro Nacional passa a ser regulamentado através do CMN
e do Banco Central (BC ou BCB), que tornam-se os Sistema Financeiro do Brasil
principais órgãos do sistema.
O surgimento de bancos de investimento e a facilitação dada Conselho Monetário Nacional · Conselho
pelo CMN às empresas para obtenção de recursos exteriores pos- Órgãos
Nacional de Seguros Privados · Conselho
sibilitou um aumento no fluxo de capitais no país. Em 7-12-1976, normativos Nacional de Previdência Complementar
é criada a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), que facilita
Conselho de Recursos do Sistema Financeiro
a obtenção de recursos pelas empresas, e o Sistema Especial de Nacional · Conselho de Recursos do Sistema
Liquidação e Custódia (SELIC), criado em 1979, passou a realizar Órgãos de
Nacional de Seguros Privados, de Previdência
a custódia e liquidação com títulos públicos como as Letras do Te- recursos Privada Aberta e de Capitalização · Câmara de
souro Nacional e as Obrigações Reajustáveis do Tesouro Nacional. Recursos da Previdência Complementar.
Banco Central do Brasil · Comissão de Valores
Era da estabilidade: A Constituição de 1988, que busca es- Órgãos Mobiliários · Superintendência de Seguros
truturar o Sistema Financeiro Nacional de forma a promover fiscalizadores Privados · Superintendência Nacional de
o desenvolvimento e equilíbrio do país e a servir aos interesses Previdência Complementar
da coletividade, e a estabilidade econômica, dão nova cara ao
Agências de fomento · Associações de
SFN. Mercados, como o de previdência privada, passam a ganhar
poupança e empréstimo · Bancos comerciais
musculatura e exigir maior atenção. Em 1996, no Governo FHC
(Fernando Henrique Cardoso) é criado o Copom, ligado ao BCB, · Bancos cooperativos · Bancos de
que estabelece as diretrizes da política monetária, como a Taxa Instituições desenvolvimento · Bancos de investimento ·
SELIC. fiscalizadas Bancos múltiplos · Cooperativas de crédito
pelo BACEN · Sociedades de arrendamento mercantil
Composição do sistema financeiro brasileiro · Sociedades de corretoras de câmbio
· Sociedades de crédito, financiamento
- Conselho Monetário Nacional (CMN) Conselho de Recur- e investimento · Sociedades de crédito
imobiliário.
sos do Sistema Financeiro Nacional (CRSFN) Banco Central do BM&FBOVESPA · BVRJ · Corretoras de
Brasil (BCB) Agências de fomento Instituições
títulos · Corretoras de valores mobiliários ·
- Associações de poupança e empréstimo (APEs) fiscalizadas
Distribuidoras de títulos · Distribuidoras de
pela CVM
- Bancos comerciais valores mobiliários
- Bancos cooperativos Sociedades seguradoras · Sociedades
Instituições
- Bancos de desenvolvimento capilizadoras · Entidades abertas de
fiscalizadas
- Bancos de investimento previdências complementares · Sociedades
pelo SUSEP
- Bancos múltiplos resseguradoras
- Caixa Econômica Federal (CEF) Instituições
Entidades fechadas de previdência
- Cooperativas de crédito fiscalizadas
complementar
pelo Previc
- Sociedades de arrendamento mercantil (leasing)
Caixa Econômica Federal · Banco do Brasil
- Sociedades de corretoras de câmbio
Instituições · Banco Nacional de Desenvolvimento
- Sociedades de crédito, financiamento e investimento (CFIs).
Econômico e Social · Banco do Nordeste do
- Sociedades de crédito imobiliário especiais
Brasil · Banco da Amazônia · Banco Regional
de Desenvolvimento do Extremo Sul
Comissão de Valores Mobiliários (CVM) BM&FBOVESPA

- Corretoras de títulos
- Corretoras de valores mobiliários
- Distribuidoras de títulos
- Distribuidoras de valores mobiliários
Índices de
Ibovespa ·IBrX · IBrX50 · IBrX100 · IGC
ações
Secretaria de Previdência Complementar
Órgãos
· Conselho de Gestão da Previdência
extintos
Complementar · BM&F · Bovespa

DINÂMICA DO MERCADO

Investimentos, ações índices, taxas, bancos, inflações. Ouvi- mos essas palavras com frequência no dia a dia do noticiário e em
conversas por aí. O problema é que nem sempre sabemos exata- mente o que cada uma delas significa nem a função de cada coisa
dentro da economia. Neste programa você vai entender um pouco melhor todos esses assuntos que fazem parte de um grande merca-
do: o mercado financeiro. Todos os segmentos do mercado finan- ceiro mantêm relação muito próxima com as políticas monetárias,
fiscal, de rendas e de câmbio. Os mercados são afetados por elas
e refletem diretamente os resultados dessas políticas, sejam eles positivos ou negativos. É por isso que se costuma dizer que tudo
está intimamente ligado, como se fossem elos de uma corrente. Se um dos segmentos da economia fica desequilibrado, é melhor
esperar, pois é possível que num piscar de olhos os ventos mudem de rumo completamente.
Inflação é um fenômeno que resulta de um aumento constante nos preços dos produtos e dos serviços oferecidos no comércio. A
inflação é computada em uma série de produtos adquiridos pelas famílias, a cada semana ou a cada mês e de acordo com a renda.
Por isso, são conferidos pesos entre as diversas categorias de pre- ços para aferir a taxa de inflação. Com o aumento do preço dos
produtos, as pessoas passam a poder comprar menos coisas com a mesma quantidade de dinheiro, ou seja, a população perde o que
chamados de poder aquisitivo, o poder de adquirir os produtos. O resultado disso? As empresas vendem menos, têm lucros menores.
Como ninguém gosta de ter menos dinheiro no bolso, ou em caixa, as empresas reduzem seus gastos e, por isso, cortam despesas em
geral, inclusive parte de seus funcionários, um prejuízo muito gra- ve gerado indiretamente pela inflação.
A taxa de juros representa, portanto, o custo do dinheiro no mercado e é o Banco Central que estabelece, periodicamente, a
taxa de juros básica nacional. Quando essa taxa está alta, é sinônimo de falta de dinheiro no mercado ou que o governo quer que as
pessoas deixem de comprar produtos. Se a inflação é alta, o governo pode aumentar os juros. As pessoas fogem do crediário
e começam a comprar menos. As fábricas, para não perder clien- tes, evitam reajustar preços e ate concedem descontos, daí, a in-
flação tende a cair. Ao contrário, quando está baixa, é porque está “sobrando” dinheiro. A taxa de juros é uma das mais importantes
ferramentas da política monetária. A política de rendas é a parte da economia que acompanha o comportamento dos salários e o
poder aquisitivo. Isto significa o poder de compra do salário da população. Existem duas denominações para os salários: o salário
nominal, que é o valor total do salário, e o real, que é aquilo que
o salário será capaz de pagar depois de descontada a inflação do
período. É por isso que o governo precisa ficar de olho na renda da população: a inflação do país tira o poder de compra dos traba-
lhadores. O salário mínimo, que serve de base para empregados e empregadores, é regulado pelo governo.
Já a principal função da política fiscal é arrecadar dinheiro para oferecer serviços à população como Saúde, educação, transporte,
limpeza, iluminação e assim por diante. Trata-se de um conjunto de regras utilizadas para administrar o dinheiro público. O governo, por
meio do PIB que significa Produto Interno Bruto, calcula a soma de tudo o que é produzido no mercado de bens e serviços em certo
período de tempo. Dessa forma, é possível medir
a atividade econômica do país, isto é, sua riqueza. Quem faz esse cálculo é o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), que
também mede a renda per capita, que é a quantia de dinhei- ro que “cabe” a cada cidadão naquele período. Mas esse cálculo de renda
per capita não é totalmente correto, pois desconsidera o fato de que as pessoas têm rendas completamente diferentes. Por meio desse
cálculo, é como se todos os habitantes do país tivessem direito à mesma fatia de riqueza, o que, todos nós sabemos, não
é verdade: a riqueza é distribuída de forma muito desigual. Em países menos desenvolvidos, em que há má distribuição de renda,
como o Brasil, esse erro é comum. Hoje aprendemos um pouco sobre a dinâmica do mercado financeiro. É importante estarmos por
dentro do que os noticiários informam, de como o governo irá fixar as taxas, afetar a inflação, para que possamos na medida do possível
ficar dentro do nosso orçamento planejado para que nossa renda não seja abalada.

Mercado Primário: O mercado primário de ações é onde se negocia a subscrição (venda) de novas ações ao público, ou seja, no
qual a empresa obtém recursos para seus empreendimentos. Os lançamentos de ações novas no mercado, de forma ampla e não restrita à
subscrição pelos atuais acionistas, chamam-se lançamen- tos públicos de ações ou operações de underwriting. O underwri- ting é um
esquema de lançamento de uma emissão de ações para subscrição pública, no qual a empresa encarrega a um intermediá- rio financeiro a
colocação desses títulos no mercado.

Abertura de Capital: A empresa em fase de crescimento necessita de recursos financeiros para financiar seus projetos de expansão.
Mesmo que o retorno oferecido pelo projeto seja superior ao custo de um empréstimo, o risco do negócio recomenda que exista um
balanceamento entre o financiamento do projeto com recursos externos e próprios.

Fontes de Financiamentos para a empresa

Externas
- Passivo Circulantes
- Exigível a longo prazo
Próprias
- Capital

ATUALIDADES DO MERCADO FINANCEIRO


Aporte de capital dos atuais sócios

abertura do capital de uma companhia envolve custos que devem


Abertura de capital
ser considerados em seu processo decisório. Esses custos podem
- Ações preferenciais ser reunidos em quatro grupos:
- Ações ordinárias - custos legais e institucionais;
- custos de publicação, publicidade e marketing;
Lucros retidos - custos da prestação do serviço financeiro;
- custos internos da empresa.

Cabe-nos destacar que nem todas as necessidades podem ser também os custos envolvidos no processo de abertura de
satisfeitas com a abertura de capital. As necessidades capital. A
satisfeitas pela abertura de capital, normalmente, estão ligadas à
necessidade de financiamento dos projetos de expansão, como,
por exemplo: ampliação da produção; modernização da
empresa; criação de novos produtos; informatização etc.
Não existe regra para determinar o equilíbrio ou
balanceamento entre nível de capital de terceiros e de capital
próprio em- pregado. Portanto, a decisão de buscar capital
próprio por meio da emissão de novas ações para serem
adquiridas pelo público em geral envolve diversos fatores, alguns
de natureza objetiva e outros de natureza subjetiva. Esses
motivos podem ser sintetizados nos seguintes:
- Captação de recursos para realização de investimentos;
- Reestruturação financeira (ativos e passivos);
- Engenharia jurídica (reestruturação societária);
- Profissionalização da gestão;
- Melhoria da imagem institucional etc.

Decisão sobre abertura de capital

Antes da decisão sobre a abertura ou não do capital da


empre- sa, é necessário que algumas questões sejam bem
esclarecidas pela empresa. Em primeiro lugar, é necessário
proceder a alguns ajus- tamentos de ordem jurídica, societária e
de posicionamento, diante da condição que irá assumir como
empresa de capital aberto. Esses ajustes envolvem as seguintes
etapas preliminares:
- Adaptação dos estatutos sociais;
- Reorganização da estrutura societária;
- Criação do Conselho de Administração;
- Designação do Diretor de Relações com Mercado (DRM);
- Contratação de Auditoria Independente;
- Acerto de pendências fiscais;
- Definição do tipo de ação a ser lançada, montante e
preço; em princípio, o mercado de ações serve para a
captação de recursos em face de novos investimentos
previstos na empresa, incluindo parte fixa (investimento) e
capital de giro necessário, geralmente 8% do investimento. Para
tanto, a empresa fará projeções financeiras que contemplem a
realização de seus projetos de expansão, que deverão evidenciar:
- montante de recursos a serem aplicados;
- cronograma de desembolso ou da necessidade de recursos;
- qual o preço de lançamento de cada ação, acompanhado da
respectiva justificativa;
- quais ações serão emitidas, preferenciais e/ou ordinárias e
suas respectivas proporções.

Além desses ajustes preliminares, devem ser considerados


Outras considerações importantes a serem feitas sobre a con- - necessidade de divulgação de informações aos diversos pú-
veniência da abertura de capital são as vantagens e desvantagens blicos;
dessa decisão.Com a abertura de capital, as empresas auferem - necessidade da distribuição de dividendos;
muitas vantagens. Entre as principais vantagens, destacamos: - possível interferência dos novos acionistas na gestão da em-
- ampliação da base de captação de recursos financeiros e de presa.
seu potencial de crescimento;
- liquidez para o patrimônio dos acionistas; Após a decisão de abrir ou não o capital, a empresa deve se-
- maior flexibilidade nas decisões estratégicas sobre a estrutu- ra de guir uma série de etapas. Esse processo para se concretizar requer
capitais (relação entre capitais próprios e de terceiros); a aprovação da CVM, o que não representa que o lançamento pro-
- profissionalização da gestão; posto seja um investimento financeiramente conveniente. A apro-
- melhora da imagem institucional da empresa em função de vação significa apenas que as informações relevantes foram reali-
zadas de maneira adequada para o comprador em potencial.
sua profissionalização;
Para a abertura do capital, segundo a Lei nº 6.385/76, a empresa
- reestruturação societária; pode emitir os seguintes tipos de títulos de propriedade:
- melhora das relações institucionais com a criação do diretor de - ações;
relações com o mercado; - bônus de subscrição;
- melhor solução para o problema de sucessão no caso de em-
- debêntures;
presas familiares.
- partes beneficiárias; e
Além das vantagens para as empresas, existem também as - notas promissórias para distribuição pública.
vantagens para a economia. Ao investir, as empresas aumentam a
produção, geram empregos e renda, proporcionam aumento na No entanto, para o mercado só é considerada como uma aber-
arrecadação de impostos etc. Como principais desvantagens, temos tura de capital o processo no qual a empresa realiza um
as seguintes: lançamento público de ações. Esse fato pode ser explicado pelo
- elevação dos custos operacionais como consequência das volume de negócios resultante dessa operação e as
alterações estruturais; transformações que a
empresa sofre em função dos ajustes para essa modalidade. O pro- Algumas ações, em função do valor e tamanho das empresas
cesso de abertura de capital pode se realizar em duas que elas representam, recebem a designação de Blue Chips. Este
modalidades: por meio do mercado primário e do mercado termo originário das mesas de pôquer era utilizado para designar
secundário. Quando ocorre um lançamento público de ações via as fichas mais valiosas. No caso das ações refere-se às empresas
mercado primário, a empresa emissora oferece novas ações para de maior preferência pelos investidores no mercado.
obter recursos. Já o lançamento público via mercado secundário
ocorre por meio da oferta de um lote de ações que os atuais Ações Preferenciais
acionistas da empresa possuem. Nesse último caso não ocorre a
captação de recursos por parte da empresa, mas, pelos acionistas As ações preferenciais têm como característica fundamental
que se desfazem de suas ações e recebem em dinheiro suas à prioridade sobre as ações ordinárias no recebimento de dividen-
posições em ações. dos e de receber, no caso de dissolução da sociedade, a sua parte.
Para colocação de ações no mercado primário, a empresa Podem existir diversas classes de ações preferenciais (classe
con- trata os serviços de instituições especializadas, tais como: A, classe B etc.) dependendo das vantagens ou restrições que
bancos de investimento, sociedades corretoras e sociedades elas apresentam. As vantagens ou preferências, bem como as
distribuidoras, que formarão um pool de instituições financeiras restrições que essas ações possuem, devem constar claramente
para a realização de uma operação de underwriting. Essa nos estatutos da companhia. Conforme a cláusula de regras: são
operação pode ser conceituada como sendo um contrato firmado três preferências que os acionistas detentores de ações
entre a instituição financeira líder do lançamento de ações e a preferenciais adquirem, com suas ações:
sociedade anônima, que deseja abrir o capital.
Preferências:
Ações: As ações são títulos de participação negociáveis, - Na distribuição de resultados
que representam parte do capital social de uma sociedade - No reembolso de capital
econômica, que confere ao seu possuidor o direito de - Na acumulação das situações acima
participação nos resultados da mesma. Podem ser consideradas
como um certificado ou título de propriedade, representativo das Em caso de não distribuição de resultados por três exercícios
partes do capital social de uma sociedade econômica. O acionista consecutivos as ações preferenciais adquirem poder de voto,
é, portanto, proprietário de uma parcela da empresa, capaz de comprometer a situação do acionista controlador. O
correspondente ao número de ações que possui. As ações estatuto da companhia pode conferir poder de voto às
diferenciam-se segundo os seguintes critérios: preferenciais;
- empresa emissora; Os capitais dos controladores não ficam ociosos: podem ser
- espécie – ações ordinárias ou preferenciais; e aplicados na compra de mais companhias, criando os grandes
- classe – durante sua emissão as ações também podem con- glomerados empresariais. Em alguns casos, o controle
ter diferentes classes em função dos objetivos específicos a acionário não precisa de mais do que 5% do capital;
que se propõem ou de restrições quanto a sua posse. Algumas Em países de mercados desenvolvidos, as ações preferenciais
são conhecidas como widow stocks (ações das viúvas),
recebem letras para diferencia-las (A, B, C etc.).
porque têm conotação de rendas, de garantia de distribuição de
resultados econômicos oriundos da atividade da companhia. O
Em composição acionária de uma companhia aberta, algumas
lucro é mais importante do que o comando das decisões, o poder
considerações relevantes devem ser feitas pelo empresário
na companhia.
com respeito ao controle acionário da Sociedade Anônima. O
tipo das ações que serão emitidas e colocadas aos futuros Ações Ordinárias
acionistas é uma consideração importante para a manutenção do
controle acionário. Existem, basicamente, dois tipos de ações:
As ações ordinárias têm como característica principal o
Ações ordinárias ou comuns, que gozam, em toda a pleni-
direito ao voto. Numa sociedade anônima é por meio do voto que
tude, dos direitos de participação na administração da sociedade e
o acio- nista tem o direito legal de controle da organização.
nos resultados financeiros, portanto, têm como característica bási- O acionista ordinário, como proprietário, tem responsabilidade
ca o direito do voto; e obrigações
Ações preferenciais que em troca de determinados e as assume apenas no montante das ações que possui.
privilégios (preferência nos resultados da empresa) têm privado o Quando houver liquidação da empresa eles são os últimos em
seu direito de voto. prioridade de reclamação dos bens da mesma.

Antes da Lei nº 10.303/2001, o limite de emissão de Os sistemas de votos das ações ordinárias:
ações preferenciais sem direito de voto ou com restrição era de 2/3.
Após a Lei, o limite passou a ser 50%, ou seja, se o capital é - O número de votos confirma as decisões na companhia. O
dividido em 12.000 ações, 6.000 no máximo poderão ser aumento de poder por meio da compra de mais ações por um in-
preferenciais sem direito de voto. As demais ou serão todas vestidor ou um grupo pode ser intensificado por outros
ordinárias ou preferências com o direito de voto, nos termos do grupos, cujas ideias sejam contrárias às daquele que iniciou as
art. 15, §2º da Lei de Sociedade por Ações. compras;
- Estes deverão também reforçar suas posições em ações. O
aumento da procura vai gerar, inevitavelmente, movimento
nos preços das ações nos mercados em que são negociadas;
- Ao mesmo tempo, a pulverização das ações por grande nú- cujo nome as ações estão registradas em seus livros. Na maioria
mero de acionistas permite a um grupo que tenha pequena quan- dos casos as companhias reconhecem aos seus acionistas o direito
tidade das ações nos mercados em que são negociadas tem maior de converter suas ações de uma forma para outra, passando-as de
participação nas decisões. ações ao portador para ações nominativas ou nominativas
endossá- veis e vice-versa. Isso é feito mediante o pagamento de
As características dos direitos gerais de um acionista uma taxa.
ordinário são relativamente uniformes em muitos aspectos e
estão estabele- cidas por leis. Os mais importantes desses são: Já as ações ao portador são emitidas sem constar o nome do
- Adotar e corrigir o estatuto da companhia; comprador e são transferidas de uma pessoa a outra por
transferên- cia manual. Gozam de preferência de muitos
- Eleger a junta de dirigentes;
investidores, tendo geralmente curso mais amplo no mercado do
- Autorizar a fusão com outra companhia; que as ações nomi- nativas. No entanto, desde a proibição da
- Autorizar a venda do ativo fixo ou imobilizado; circulação de títulos ao portador durante o governo Collor, essa
- Mudar a quantia autorizada das ações ordinárias; forma de circulação está proibida no Brasil. Outra modalidade é
- Autorizar a emissão de ações preferenciais, debêntures e ou- a ação escritural que dispensa a emissão de título de propriedade,
tros tipos de títulos. funcionando como conta corrente. Nesse caso não ocorre a
movimentação física dos documentos sendo sua transferência
realizada por meio da empresa custodiante.
As decisões das companhias são tomadas pelo voto de seus
acionistas. Os votos são emitidos em reuniões de acionistas
Direitos dos Acionistas
de- nominadas assembleias gerais. As assembleias são
convocadas pelos administradores das companhias ou, em
Basicamente, o acionista tem apenas uma obrigação:
casos especiais, pelos próprios acionistas. As condições em
desde que tenha subscrito ações de um aumento de capital (a
que se farão essas convocações estão definidas em lei e
prova é o boletim de subscrição), é obrigado a integralizar sua
no estatuto de cada companhia. Nas sociedades por ações, a
parte no capi- tal (isto é, pagar o valor das ações que
autoridade maior é a assembleia dos acionistas. A elas cabe subscreveu). Entretanto, a Lei nº 6.404/76, que regulamenta o
auferir os direitos e resulta- dos, e cumprir com as obrigações funcionamento das sociedades anônimas, lhe confere uma série
societárias. Deliberam sobre a atividade da companhia, aprova de direitos, que nem o estatuto social nem a assembleia geral lhe
as contas patrimoniais, o destino dos lucros, a eleição dos podem tirar:
diretores e alterações estatutárias dos interesses da companhia. - Participação dos lucros sociais;
- Participação do acervo da companhia, em caso de liquida-
Forma de circulação das ações ção;
- Fiscalização, na forma prevista por lei, da gestão dos negó-
Além da classificação das ações segundo os direitos que ou- cios sociais;
torgam (ordinárias e preferenciais), podemos classificá-las - Preferência para subscrição das ações, partes beneficiárias
também segundo sua forma de circulação. Dessa forma, teremos conversíveis em ações, debêntures conversíveis em ações e
as ações nominativas, ao portador e escriturais. As ações bônus de subscrição: o acionista tem o direito, assegurado por lei,
nominativas são emitidas na forma de títulos de propriedade, de preferência para subscrição de ações, que consiste na
unitárias ou múltiplas, denominadas cautelas. A cautela identifica, prioridade comum a todos (acionistas ordinários e preferenciais)
entre os outros dados: de adquirir, pelo preço de emissão, uma parcela das novas ações
- Companhia; proporcionais às já possuídas. Normalmente, os aumentos de
capital por meio de subscrições ocorrem quando as condições do
- Proprietário; mercado se apresentam favoráveis, de modo que os acionistas,
- Tipo de ação; subscrevendo as ações novas, ganham a diferença entre seu preço
- Forma de emissão; de mercado e seu valor de emissão. O direito de preferência na
- Direitos já exercidos com menção às assembleias onde eles subscrição pode ser nego- ciado no pregão da bolsa;
foram decididos.
Retirada da sociedade nos casos previstos em lei, mediante o
reembolso do valor de suas ações. De acordo com a lei das socie-
Nas ações nominativas podem ser: dades anônimas, a aprovação das seguintes matérias pela assem-
bleia geral dá ao acionista o “direito de retirada”:
- Nominativas emitidas com o nome do comprador e só po- - criação de ações preferenciais ou aumento de classes exis-
dem ser transferidas mediante o termo de transferência assinado tentes sem guardar proporções com as demais, salvo se já
pelo comprador e pelo vendedor em livro próprio da companhia. previstas ou autorizadas pelo estatuto;
Essa transferência pode ser feita por procuração passada ao corre- - alterações nas preferências, vantagens e condições de
tor ou a outro agente, sendo mais fácil de transferir; resgate ou amortização de uma ou mais classes de ações
- Nominativas endossáveis que se transferem, na prática, por preferenciais ou criação de nova classe mais favorecida;
endosso, mas não dispensam o termo de transferência na compa- - alteração do dividendo obrigatório;
nhia, que continua a reconhecer como seu acionista aquele - mudança do objeto da companhia;
em
- incorporação da companhia em outra, sua fusão ou cisão; Valores das Ações
- dissolução da companhia ou cessação do estado de liquidação;
- participação em grupo de sociedade; Um dos aspectos mais importantes do mercado de ações é a
formação dos preços ou cotações das ações. As cotações das
- desapropriação de ações do controle da companhia em fun-
ações ou preço das empresas são resultantes das forças de oferta
cionamento por pessoa jurídica de direito público;
e de- manda desses papéis nas negociações diárias realizadas no
- aquisição, pela sociedade aberta, do controle de sociedade
merca- do. Essas forças são influenciadas pelas expectativas dos
mercantil se o preço pago superar determinados limites. O acio- compra- dores e vendedores com relação à empresa e suas
nista dissidente tem o direito de retirar-se da companhia mediante perspectivas de geração de resultados.
o reembolso do valor de suas ações, se o reclamar à companhia, Referência: PINHEIRO, Juliano Lima. Mercado de Capitais:
no prazo de 30 dias, contados da publicação da ata da assembleia fundamentos e técnicas. 2. ed. - São Paulo.
geral. O estatuto pode estabelecer normas para determinação do
valor do reembolso, que, em qualquer caso, não será inferior ao
valor patrimonial das ações, de acordo com o último balanço
apro- vado pela assembleia geral. MERCADO BANCÁRIO

Os direitos dos acionistas não se restringem apenas às distri-


A indústria bancária do Brasil passou por importantes
buições. A lei lhes assegura o acesso a todas as informações que
mudan- ças estruturais, do ambiente altamente inflacionário
dizem respeito à empresa e que possam afetar os seus interesses
experimenta- do nos anos 80 e início dos anos 90, para um
como sócios. A empresa é obrigada por lei a divulgar
ambiente de maior estabilidade monetária e macroeconômica, a
balanços, balancetes e diversos outros demonstrativos partir de 1994, após
contábeis, acompanhados de notas explicativas, do relatório da o lançamento do Plano Real. Anteriormente a 1994, os
diretoria, do parecer dos auditores independentes e do conselho bancos beneficiavam-se de altos ganhos inflacionários (que,
fiscal. Esse conjunto de informações deve ser divulgado ao segundo estimativas do Banco Central, atingiram o ápice de
público, amplamente. A periodicidade é estabelecida pela CVM. 35,0% do total das receitas do setor), e a indústria caracterizava-
se por uma for-
Resultados Econômicos das Ações te presença de bancos estatais, aliada às limitações regulatórias à
participação de instituições financeiras estrangeiras, resultando
As ações têm rendimentos e resultados distribuídos pela pró- em baixa competitividade no setor e estruturas de custo
pria companhia, e outros decorrentes dos movimentos de preços ineficientes.
dos mercados organizados. Normalmente, os investidores A estabilidade monetária alcançada em 1994 produziu
relacionam os resultados da companhia ao valor venal da ação, uma elevação permanente na demanda por crédito no Brasil.
para avaliação correta da lucratividade. Quanto à rentabilidade Tal ele- vação, aliada à perda dos ganhos inflacionários,
do investimento, independentes da valorização (ou pressionou a indústria bancária a aumentar sua eficiência
operacional, abrindo caminho para um período de
desvalorização) das ações nas bolsas, podem proporcionar os
racionalização e consolidação. O governo brasileiro monitorou
seguintes benefícios aos seus possuidores:
ativamente este processo, desenvol- vendo programas destinados
a proteger o interesse público, que incluíam medidas para
Dividendos: Os dividendos decorrem da distribuição de assegurar a solvência do sistema, reduzir
uma parcela da empresa aos acionistas e são pagos em dinheiro. o papel de instituições estaduais, e aumentar a concorrência entre
Permanecendo na empresa o dividendo é creditado ao acionista, bancos privados. O governo brasileiro também reduziu as restri-
mesmo que esse não vá recebê-lo. Passados cinco anos, caso o ções à entrada de bancos estrangeiros no mercado brasileiro e, em
acionista não tenha reclamado o recebimento, sua parcela de razão disto, verificou-se um significativo aumento da participação
dividendo será incorporada a um fundo de reserva da empresa. desses bancos na indústria.
Apesar do Brasil ainda possuir uma baixa taxa de penetração
Subscrição: É o direito que os acionistas têm de adquirir bancária (crédito/PIB) em comparação com outros países mais de-
novas ações emitidas pela sociedade anônima, por aumento de senvolvidos, esta taxa tem aumentado de modo significativo em
capital, com preço e prazo determinado. anos recentes. De acordo com o Banco Central, aproximadamente
40 milhões de brasileiros não têm acesso a qualquer serviço ban-
Bonificações: Consistem no recebimento gratuito de um cário. O Brasil ainda está atrás de outros mercados
nú- mero de ações proporcionais à quantia já possuída. emergentes comparáveis, em termos de crédito ao consumidor, e
Resultam do aumento de capital, por incorporação de reservas ou também atrás de outros países mais desenvolvidos, indicando a
lucros em sus- penso. Para o patrimônio da empresa nada existência de potencial para maior expansão das operações
representam uma vez que apenas há transferência de um valor bancárias.
inscrito em uma conta (do patrimônio líquido – reservas de O gráfico abaixo apresenta a evolução do crédito em circula-
ção nos balanços de empréstimos no sistema financeiro nacional,
lucros, reservas de reavaliações, etc.) para outra (de capital).
efetuados com fundos livres (não sujeitos a exigências de destina-
ção específica) durante os períodos indicados:
ceiras ligadas às montadoras de veículos. As taxas de juros nesse
mercado são extremamente competitivas e o acesso a um financia-
mento atraente representa uma importante vantagem. As institui-
ções menores que atendem a este mercado estão, em sua maioria,
focadas no segmento de veículos usados. As taxas de inadimplên-
cia são relativamente baixas e os empréstimos são garantidos pelo
veículo financiado, o qual pode ser retomado e leiloado em caso
de inadimplência do tomador do empréstimo.
O empréstimo via cartão de crédito é dominado por grandes
bancos de varejo, operando sob suas próprias bandeiras em asso-
ciação com bandeiras internacionais como MasterCard e Visa. As
taxas de inadimplência nesta modalidade de crédito são relativa-
mente elevadas assim como as taxas de juros cobradas dos consu-
midores.
O parcelamento via cartão de crédito oferecido por
cadeias de lojas varejistas envolve o financiamento de produtos
de consumo, incluindo bens duráveis, como materiais de
O Mercado de Crédito ao Consumidor construção e eletrodomésticos, assim como bens não duráveis,
como artigos de vestuário e gêneros alimentícios. O mercado de
De acordo com dados do Banco Central do Brasil, o balanço parcelamento via cartão de crédito é o mais fragmentado de
total do mercado de crédito ao consumidor cresceu, em média, a todos os segmentos do crédito ao consumidor no Brasil. Grandes
uma taxa composta de crescimento anual de 22,5%, entre 31 de cadeias varejistas têm tradicionalmente financiado as compras
dezembro de 2000 e 31 de dezembro de 2009, alcançando de seus consumidores, mas recentemente alguns acordos foram
R$319,4 bilhões, em 31 de dezembro de 2009, ou 44,5% de todo firmados entre cadeias de lojas e bancos interessados em assumir
o crédito em circulação no Brasil. estas operações de crédito.
O gráfico abaixo apresenta a tendência do crédito ao consumi-
dor em circulação, por produto: Expansão do Mercado de Empréstimos Consignados

O mercado de empréstimos consignados desenvolveu-se em


resposta à demanda do consumidor brasileiro por fontes alterna-
tivas de crédito. Historicamente, o custo de acesso às linhas mais
tradicionais de crédito tem sido muito elevado, por diversas
razões, incluindo o grau de competição do setor bancário, a
estrutura jurídica e institucional, e os riscos do crédito. De
acordo com dados do Banco Central do Brasil, em 31 de
dezembro de 2009, os bancos de varejo cobravam, em média,
taxas de juros anuais de 167,0% no crédito via cheque
especial e 45,6% em linhas de crédito pessoal (incluindo
O cheque especial, também chamado de conta garantida, empréstimos consignados). Além disso, na mesma data, as
é normalmente oferecido por instituições que aceitam taxas médias de juros em empréstimos para o financiamento de
depósitos à vista. Estas são em geral os principais bancos de veículos e no crédito via lojas varejistas correspondiam a 26,9%
varejo, incluindo grandes conglomerados estrangeiros. As taxas e 55,3%, ao ano, respectivamente. Em 31 de dezembro de 2009, a
de juros são relativamente elevadas e, em razão disto, o BMG taxa anual de juros média nos empréstimos consignados
acredita que os consumidores utilizem esta linha de crédito como correspondia a 27,9%. Os empréstimos consignados vieram
última alternativa. substituir os empréstimos pessoais diretos como a mais
Os empréstimos pessoais (empréstimos efetuados sem atraente alternativa de crédito ao consumidor sem garantia.
uma destinação específica) são caracterizados por taxas de juros
relativamente elevadas, destinadas a compensar as relativamente
elevadas taxas de inadimplência. Esta modalidade de
empréstimo é frequentemente utilizada por consumidores que
possuem disponibilidade limitada de crédito. Não existem
garantias, e os fundos não estão presos a qualquer destinação
específica. Os principais bancos de varejo oferecem
empréstimos pessoais à sua base de clientes por meio de sua
rede de agências, enquanto os bancos de pequeno e médio porte,
focados em certo nicho de mercado, operam por meio de
pequenos escritórios localizados nas principais cidades do
Brasil.
O mercado de financiamento de veículos é basicamente
domi- nado por grandes bancos de varejo, os quais passaram
gradativa- mente a ocupar as posições antes ocupadas por
instituições finan-
O quadro abaixo detalha o saldo dos créditos consignados para os mais antigos e utilizados títulos de captação de recursos pelos
funcionários do setor público e privado, assim como para aposen- Bancos Comerciais, Bancos de Investimentos, Bancos de Desen-
tados do INSS e pensionistas, em 31 de dezembro de cada ano: volvimento e Bancos Múltiplos que tenham uma destas carteiras,
sendo oficialmente conhecidos como depósito a Prazo. A partir de
02/08/99, os títulos pré ou com taxa flutuante – pós – deixaram de
Saldo pendente (R$ bilhões) ter prazo mínimo, mas ficaram sujeitos a uma tabela regressiva de
%
Empréstimos Comerciais IOF em função do prazo de aplicação. A liberdade de prazo
Setor Total Crédito dos CDB permitem que os Bancos emitam com taxa pré ou
Setor Crédito
Público Consig- ao Con- flutuante - pós, remunerados pela taxa DI,TR,TBF,TJLP. Não
e INSS Privado nado sumidor Pessoal podem ser prorrogados, mas renovados de comum acordo, por
2005 28,3 4,0 32,3 21,0 45,7 nova contrata- ção. A incidência de IOF ocorre quando o resgate
acontecer antes de 30 dias data da aplicação.
2006 42,1 6,0 48,1 25,3 54,3
2007 56,2 8,5 64,7 25,9 57,5 Certificado de Depósito Bancário – CDB over: Embora as
2008 68,2 10,7 78,9 27,7 54,9 aplicações de pessoas jurídica não financeiras no overnight
Jun/09 79,4 12,4 91,8 29,9 56,8 fossem proibidas pelo BC, desde março de 91, muitas empresas
tinham acesso a ela. Através de contratos de “gaveta”, as
conhecidas side letters, também não autorizados pelo BC,
Inclui créditos concedidos por cooperativas de crédito
clientes preferenciais conseguiam, em aplicações superiores a
Fonte: Banco Central do Brasil R$ 60.000,00, garantir liquidez diário aliada a uma boa
rentabilidade, pois a operação é lastreada em CDI que, em
Produtos de Captação muitos casos, remunera melhor que os CBD. Com a introdução
dos swaps, estas operações passaram a ser feitas vinculadas a
A porcentagem de empréstimos consignados no total de em- um contrato de swaps de pré para DI. Após
préstimos concedidos a pessoas físicas aumentou de 45,7%, em 02/08/99, com a eliminação do prazo mínimo de emissão, essas
31 de dezembro de 2005, para 56,8%, em 31 de dezembro de operações, em tese, não são mais necessárias.
2009. Os empréstimos consignados são a modalidade de crédito
ao con- sumidor que mais cresce no Brasil. Sua participação no Certificado de Depósito Bancário – CDB Rural: São
total de créditos ao consumidor aumentou de 21,0%, em 31 de títulos cuja captação é específica dos bancos Comerciais e
dezembro de 2005, para 29,9%, em 30 de junho de 2009, Múltiplos com carteira comercial e se destinam aos
de acordo com dados do Banco Central do Brasil. Os financiamentos agrícolas. Seus prazos mínimos são idênticos aos
empréstimos consignados podem ser disponibilizados à maior demais CDB, e as instituições financeiras têm de demonstrar ao
parte da população brasileira que não possui contas bancárias ou BC que os produtos agro- pecuários e/ou máquinas e
acesso aos canais tradicionais de distribuição bancária, a qual equipamentos agrícolas. A vinculação aqui é obrigatória e tem de
representa um contingente substancial. ser comprovada através de mapas enviados ao BC.
As modernas instituições financeiras criaram o conceito
de mesa de operações, onde centralizam a maioria das operações Certificado de Depósito Bancário – taxa flutuante PÓS:
de suas áreas de mercado, ou seja, suas operações comerciais Nas aplicações com prazo mínimo de 120 dias, existia (criada em
que envolvam a definição de taxas de juros e, portanto o mea- dos de agosto de 1992) a alternativa, para o investidor, de
conceito de Spread, que é a diferença entre o custo do dinheiro repactuar
tomado e o preço vendido, como, por exemplo, na forma de a cada 30 dias a taxa de remuneração do CDB que, dessa forma,
empréstimo. Suas principais funções são: formação de taxas para não deveria estar vinculada à TR. O rendimento deveria ser
captação através de CDB e RDB, cujo objetivo é tentar obter o basea- do em outras taxas de juros apuradas regularmente pelo
menor custo possível de captação e ainda ser competitivo com os mercado, desde que de conhecimento público e com critérios já
concorrentes com taxas atraentes aos clientes além da compra e definidos na data da assinatura do contrato, como, por exemplo,
venda de CDB de terceiros a taxa média mensal dos CDB prefixados na CETIP ou a taxa
e de prazos decorridos em mercado, bem como a formação de ta- média dos CDI, ou ainda a taxa média mensal dos CDB. Após
xas para clientela deste produto. 02/08/99, estes CDB deixaram de ter prazo mínimo, mas o
Jogador– Valoriza a intuição/concentra a carteira/busca liqui- rendimento ficou vinculado à tabela regressiva de IOF em função
do prazo de aplicação.
dez. Especulador– Valoriza a informação/busca rentabilidade/ta
Cédulas de Debêntures – CD: Instrumento de captação para
xeiro/diversifica. bancos Comerciais, de Investimentos, de desenvolvimento, Múl-
Investidor– Valoriza a informação/busca segurança e rentab./ tiplos, com objetivo de efetuar a troca (funding) de longo prazo.
diversifica. Suas características são: prazo de 60 dias, valor igual ou inferior a
90% do valor de face. Esses títulos permitem um mercado
Poupador– Busca segurança/concentra a carteira.
secundário, isto é, permite que pequenos investidores comprem
parte das debêntures, aumentando a liquidez no mercado. BC
Certificado de Depósito Bancário e Recibo de Depósito permite que as debêntures sejam resgatadas antecipadamente,
Ban- cário – CDB/RDB (Pré/Pós): O Certificado de Depósito pois seu principal atrativo é liquidez. Para os Bancos é vantajoso
Bancá- rio, o famoso CDB e o Recibo de Depósito Bancário, o pelo motivo deste
RDB, são
tipo de captação permitir a dedução das despesas de PIS e do Fin- Certificados de Depósito Cambial – CD: São os títulos emiti-
social. Porém não é permitida dupla remuneração as CD pagam dos pelos bancos através de suas agências no exterior e que
juros ou prêmios. permi- tem a captação de recursos no mercado externo. São
emitidos com prazos que variam de 90 a 360 dias, remunerados
Letras de Câmbio– LC: É o instrumento de captação pela correção cambial mais um Spread. Os títulos podem ser
específico das Sociedades de Crédito, Financiamentos e colocados através de uma instituição no exterior ou via sindicato
Investimentos (financeiras), sempre emitidos com base numa de bancos. Os recursos assim obtidos passam a fazer parte do
transação comercial, ou seja, quando elas emprestam algum caixa dos bancos que, por seu lado, pode aplica-los via mercado
valor para alguém, essa pessoa saca, por procuração, uma LC de câmbio, ou em títulos como Commercial Papers, por exemplo.
contra a financeira, que
a aceita e lança no mercado. Bônus/Eurobônus: São títulos emitidos pelos bancos
Seus prazos e condições são iguais ao CDB. através de instituições no exterior e que vão servir de troca
(funding) para operações de empréstimo no Brasil, nos moldes
Letras Hipotecárias– LH: As letras hipotecárias são títulos das antigas opera- ções 63. Os títulos podem ser emitidos com
emitidos pelas instituições financeiras autorizadas a conceder cré- prazos diferenciados de três a oito anos, com taxas de juros
ditos hipotecários mais especificamente, as Sociedades de Crédito fixas ou flutuantes e com ágio ou deságio, de acordo com a
Imobiliário – SCI e os Bancos Múltiplos com carteira de crédito procura de mercado.
imobiliário. Sua emissão pelo prazo de no mínimo 180 dias,
com juros flutuantes e fixos, sendo a garantia a caução de crédito Referências: FORTUNA, Eduardo. Mercado Financeiro:
hipotecário. produtos e serviços. 15. ed. – Rio de Janeiro: Qualitymark,
2010. 656 p.
Letras de Crédito Imobiliário – LCI: Podem ser
emitidas, na forma escritural, nominativa e endossável e,
QUESTÕES
identificando os créditos que lhes são caucionados, por bancos
comerciais, bancos múltiplos com carteira de crédito
imobiliário, Caixa Econômica Federal, sociedades de crédito 01- O Sistema Financeiro Nacional tem na sua composição,
imobiliário, associações de pou- pança e empréstimo, como entidade supervisora,
companhias hipotecárias ou outras institui- ções que venham a (A) a Caixa Econômica Federal.
ser autorizadas pelo BC. São títulos bastante semelhantes às (B) o Banco Central do Brasil.
Letras Hipotecárias, mas diferentes destas, que são emitidas única (C) o Banco da Amazônia.
e exclusivamente vinculadas à uma hipoteca, pois podem ser (D) o Banco do Nordeste.
lastreados por créditos imobiliários ligados ao instituto jurídico (E) o Banco do Brasil.
tanto da hipoteca quanto da alienação fiduciária de um
imóvel. Concedem aos seus tomadores o direito de crédito pelo
seu valor nominal, juros fixos ou flutuantes, e se for o caso, O art. 164 da Constituição Federal, em seu caput, diz que “a
atualização monetária por índice de preços setoriais ou gerais ou competência da União para emitir moeda será exercida exclusiva-
pelo índice de remuneração básica dos depósitos de poupança, mente pelo Banco Central”.
inclusive mensal, caso seu prazo mínimo de emissão seja de 36 É necessário definir alguns pontos e esclarecer algumas dú-
meses. vidas sobre o assunto. A Casa da Moeda é uma empresa pública
vinculada ao Ministério da Fazenda. Sua função é produzir ou fa-
Letras Imobiliárias – LI: São instrumentos de captação bricar a moeda que vai ser utilizada em alguns países e também
de Bancos Múltiplos com carteira Imobiliária, Sociedades de no Brasil. Enquanto isso, o Banco Central do Brasil (BACEN) é
Crédito Imobiliário. Prazo é por 12 meses, sua taxa de juros é uma autarquia vinculada ao Ministério da Fazenda. Uma de suas
pela TBF, podendo conter um ágio ou deságio, tem incidência funções é controlar a oferta de moeda na economia. Enquanto a
de IR, sendo sua remuneração a cada 3 meses. Casa da Moeda fabrica o papel-moeda que será utilizado
pelos brasileiros em suas transações comerciais, cabe ao BACEN
Títulos de Desenvolvimento Econômico– TDE: Captação definir
de recursos destinados ao financiamento do Programa de a quantidade que deverá ser colocada em circulação, ou seja,
Fomento à Competitividade Industrial, podendo ser emitidos por a quantidade que será emitida. Portanto, emitir moeda é o ato de
bancos de Investimentos, de desenvolvimento, Múltiplos com o BACEN colocar o papel-moeda em circulação. Não existe
uma destas carteiras e Caixa Econômica Federal. Sua forma é qual- quer relação entre o BACEN e a Casa da Moeda, a não
escritural e nominativa, sendo remunerado pela TR e tendo ser um contrato que define o papel-moeda fabricado pela Casa da
prazo de resgate compatível com o cronograma financeiro dos Moeda será “vendido” ao BACEN.
projetos que justificaram sua emissão, observando o mínimo de
um mês. 02- O Sistema Financeiro Nacional é integrado por
(A) Ministérios da Fazenda e do Planejamento, Orçamento e
Cédula Hipotecária – CH: É título nominativo, que Gestão.
caracteriza uma promessa de pagamento, com uma garantia
(B) Secretaria do Tesouro Nacional e Conselho Monetário
real de hipoteca. Este título exige-se um registro no Cartório de
Registro de Imóveis, seu prazo é sempre igual a do resgate Nacional.
da dívida, podendo ser total ou fracionária, isto é, parte do valor (C) órgãos normativos, entidades supervisoras e operadores.
do bem. São emitidas por bancos Múltiplos, de Desenvolvimento, (D) Receita Federal do Brasil e Comissão de Valores Mobi-
de Investimentos e Caixas Econômicas. liários.
(E) Secretarias estaduais da Fazenda e Ministério da Fazenda.
03- Para atuar no Sistema Financeiro Nacional os bancos es- ção no mercado primário. No recinto das bolsas de valores apenas
trangeiros dependem de as sociedades corretoras podem operar. Entretanto, nas bolsas de
(A) depósito prévio de garantias em dinheiro ou representado mercadorias e futuros tanto as sociedades corretoras quanto as so-
por títulos púbicos. ciedades distribuidoras podem operar.
A Lei nº 6.385, de 7 de dezembro de 1976, em seu artigo 2º,
(B) decreto do Poder Executivo.
define o que é considerado títulos e valores mobiliários, e inclui,
(C) autorização autônoma do Banco Central do Brasil.
em seu inciso I, as ações, debêntures e bônus de subscrição.
(D) decisão do ministro da Fazenda. O parágrafo 1º do mesmo artigo relaciona os itens que não são
(E) formalização de tratado tributário entre os países. considerados títulos e valores mobiliários e inclui os títulos da
dívida pública federal, estadual ou municipal. Sendo assim, o
As respostas para as questões de 04 a 27 são: (C) correta e item está errado, pois os títulos da dívida pública não são
(E) errada. considerados títulos e valores mobiliários.
A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) é o órgão fiscali-
04- (CESPE/BB/Escriturário/2011/Prova 3) zador e regulamentador do mercado de capitais, portanto, o item
c está correto.
O Sistema Financeiro Nacional (SFN) é composto por órgãos
de regulação e por instituições financeiras e auxiliares, públicas 07- (ESAF - Analista - Banco Central do Brasil)
e privadas, que atuam na intermediação de recursos dos agentes Com relação às funções e objetivos do Banco Central do Bra-
econômicos (pessoas, empresas, governo). Com relação ao SFN, sil, avalie as afirmações a seguir e assinale com V as verdadeiras
julgue os itens seguintes. e com F as falsas. Em seguida, assinale a opção que contém a se-
- São consideradas instituições financeiras as pessoas jurídi- quência correta de avaliações:
cas, públicas ou privadas, que tenham como atividade ( ) O Banco Central do Brasil cumpre e faz cumprir as normas
principal ou acessória a coleta, a intermediação ou a aplicação expedidas pelo Conselho Monetário Nacional.
de recursos financeiros próprios ou de terceiros, em moeda ( ) O Banco Central do Brasil possui a responsabilidade do
nacional ou estrangeira, e a custódia de valor de propriedade de financiamento à atividade agrícola.
terceiros. ( ) O Banco Central do Brasil é o depositário e administrador
das reservas internacionais do País.
05- (CESPE/BB/Escriturário/2010/Prova 3) ( ) O Banco Central do Brasil é o depositário e administrador
Tanto o CMN quanto o Conselho de Gestão da Previdência do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS).
Complementar são órgãos normativos do SFN. a) V, V, F, F
b) V, V, V,
06- (ESAF - Analista - Banco Central do Brasil) F c) V, F,
Com relação à estrutura do mercado de capitais, é correto afir- V, V d) V,
mar que: F, V, F e)
a) as bolsas de valores são instituições do governo que man- V, V, F, V
tém local ou sistema adequado à negociação de títulos e valores
mobiliários. 08- (CESPE/BB/Escriturário) O Sistema de Seguros
b) são considerados valores mobiliários e, portanto, estão su- Privados e Previdência Complementar são constituídos pelo Con-
jeitos à normatização pela CVM, os seguintes títulos, quando ofer- selho Nacional de Seguros Privados (CNSP), pela Superintendên-
tados publicamente: ações, debêntures e títulos da dívida pública. c) cia de Seguros Privados (SUSEP), pelo Instituto de Resseguros do
a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) é o órgão regu- Brasil (IRB-Brasil Re), pelas sociedades seguradoras autorizadas
lamentador e fiscalizador do mercado de capitais. a operar em seguros privados e pelos corretores de seguros
d) as negociações de títulos e valores mobiliários em bolsas habilita- dos. No que se refere ao SSPPC, julgue os itens a seguir.
de valores denominam-se usualmente de operações no - As entidades fechadas de previdência complementar corres-
mercado primário. pondem aos fundos de pensão. São organizadas sob a forma de
e) cabem às sociedades corretoras e distribuidoras de valores empresas privadas, sendo somente acessíveis aos empregados de
mobiliários as operações no recinto das bolsas de valores. uma empresa ou de um grupo de empresas ou aos servidores da
União, dos estados e dos municípios.
As bolsas de valores são associações civis sem - As entidades de previdência fechada devem seguir as dire-
finalidades lucrativas e não instituições do governo. Devem trizes do CMN quanto à aplicação de recursos dos planos de be-
manter local e sistema adequados à negociação de títulos e nefícios.
valores mobiliários. As negociações de títulos e valores
mobiliários em bolsas de valo- res podem acontecer tanto no 09- (CESPE/BB/Escriturário)
mercado primário quanto no secundário. Considera-se mercado Com referência à SUSEP, que é autarquia vinculada ao Minis-
primário quando a negociação dos títulos ocorre pela primeira tério da Fazenda, julgue os itens que se seguem.
vez e, nesse caso, os recursos iriam para o caixa da empresa - A SUSEP é dotada de personalidade jurídica de direito priva-
que emitiu o título. Qualquer negociação subsequente ocorre no do, com relativa autonomia administrativa e financeira.
mercado secundário. Sendo assim, o que normalmente ocorre
nas bolsas de valores é o mercado secundário, mas quando há
emissão de novas ações também ocorre a negocia-
- As entidades de previdência fechada são vinculadas ao Mi- 14- (ESAF/Banco Central/Analista) Em relação às condições
nistério da Previdência Social, enquanto as entidades abertas são para o Banco Central do Brasil conceder autorização para
vinculadas ao Ministério da Fazenda, por meio da SUSEP. funcionamento de instituições que pretendem atuar no Sistema
Financeiro Nacional, é correto afirmar que:
10- (CESPE/BB/Escriturário/Prova 1) a) a autorização para o funcionamento de instituições finan-
ceiras concedidas pelo Banco Central do Brasil independe da exis-
O Sistema Financeiro Nacional (SFN) é composto por
órgãos de regulação, instituições financeiras, instituições tência de restrições cadastrais por parte dos futuros controladores.
auxiliares públicas e privadas, que atuam na intermediação de b) a autorização para o funcionamento de instituições finan-
recursos dos agentes econômicos (pessoas, empresas, ceiras concedidas pelo Banco Central do Brasil é condicionada à
governo). Com relação ao SFN, julgue os itens a seguir. comprovação, por parte dos futuros administradores, de situação
- Há dois grandes grupos de entidades no SFN: o subsistema econômica compatível com o empreendimento.
normativo, que trata da regulação e da fiscalização, e o c) a autorização para o funcionamento de instituições finan-
subsistema operativo, que trata da intermediação, do suporte ceiras concedidas pelo Banco Central do Brasil independe da
operacional e da administração. com- provação da origem dos recursos utilizados pelos
- O SFN atua na intermediação financeira, processo pelo qual controladores para fazer face ao empreendimento.
os agentes que estão superavitários, com sobra de dinheiro, trans- d) a autorização para o funcionamento de instituições finan-
ferem esses recursos para aqueles que estejam deficitários, ceiras concedidas pelo Banco Central do Brasil é condicionada à
com falta de dinheiro. participação máxima de 50% de participação estrangeira no
- O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social capital do empreendimento.
(BNDES) é uma das principais entidades supervisoras do SFN. e) a autorização para o funcionamento de instituições finan-
ceiras concedidas pelo Banco Central do Brasil é condicionada à
11- (CESPE/BB/Escriturário/Prova 1) integralização de capital em valores iguais ou superiores aos limi-
O Conselho Monetário Nacional (CMN) é um órgão normati- tes mínimos definidos para cada tipo de instituição.
vo, responsável pelas políticas e diretrizes monetárias para a eco-
nomia do país. A respeito do CMN, julgue os itens: 15- (CESPE/BASA/Técnico Bancário) Com relação às
- Na sua mais recente composição, o CMN passou a ser in-
características e competências do Banco Central do Brasil (BA-
tegrado pelo ministro da Fazenda, como presidente do conselho,
CEN), ao qual compete cumprir e fazer cumprir as disposições
pelo ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão e pelo presi-
dente do Banco do Brasil. que lhe são atribuídas pela legislação em vigor e pelas normas
- Compete ao CMN fixar as diretrizes e normas da política expedi- das pelo CMN, julgue os itens subsequentes.
cambial, inclusive quanto a compra e venda de ouro e quaisquer - Compete ao BACEN a emissão de moeda-papel e
operações em direitos especiais de saque e em moeda estrangeira. moeda metálica, nas condições e limites autorizados pelo Banco
- São regulamentadas por meio de resoluções as do Brasil S.A.
matérias aprovadas pelo CMN, normativo de caráter público, - O BACEN é o representante do governo brasileiro perante as
sempre divulgado no Diário Oficial da União (DOU) e na página demais instituições financeiras internacionais.
de normativos do Banco Central do Brasil (BACEN). - É competência do BACEN conceder autorização às institui-
- Apenas a partir de reuniões consideradas não sigilosas do ções financeiras para que elas possam funcionar no Brasil ou no
CMN são lavradas atas, cujo extrato é publicado no DOU. exterior, instalar ou transferir suas sedes ou dependências e alterar
seus estatutos, entre outras atribuições.
12- (ESAF/Banco Central/Analista) - É função do BACEN receber os recolhimentos compulsó-
Entre as atribuições do Conselho Monetário Nacional, defini- rios, bem como os depósitos voluntários à vista das instituições
das pela Lei 4595/64 e legislações posteriores, não se inclui: financeiras.
a) disciplinar o crédito em todas as suas modalidades.
b) fixar as diretrizes e normas da política cambial. 16- (CESPE/BB/Escriturário/Prova 1) O BACEN, cria- do
c) executar a política monetária. pela Lei n.º 4.595/1964, é uma autarquia federal vinculada ao
Ministério da Fazenda, com sede e foro na capital da República e
d) expedir normas gerais de contabilidade e estatística a serem
atuação em todo o território nacional. Com relação ao BACEN,
observadas pelas instituições financeiras.
julgue os seguintes itens.
e) disciplinar as atividades das bolsas de valores.
- O BACEN executa a política cambial definida pelo Minis-
tério do Planejamento, Orçamento e Gestão, regulamentando
13- (ESAF - Analista - Banco Central do Brasil ) o mercado de câmbio e autorizando as instituições que nele
Na atual estrutura do sistema financeiro nacional, operam.
assinale, entre os órgãos abaixo indicados, aquele ao qual foi - As instituições financeiras estrangeiras podem funcionar no
concedido o exercício exclusivo da competência da União para
país somente mediante prévia autorização do BACEN ou decreto
a emissão de moeda.
do Poder Executivo.
a) Tesouro Nacional
- Compete ao BACEN autorizar e fiscalizar o funcionamento
b) Ministério do Planejamento
c) Casa da Moeda das administradoras de cartão de crédito.
d) Banco Central do Brasil
e) Superintendência da Moeda e do Crédito
17- (CESPE/BB/Escriturário/Prova 3) 22- Bancos múltiplos são instituições financeiras privadas
O Comitê de Política Monetária (COPOM) do BACEN tem ou públicas que realizam operações ativas, passivas e acessórias
como objetivos estabelecer as diretrizes da política monetária de diversas instituições financeiras, por intermédio das seguintes
e definir a taxa de juros. A criação desse comitê buscou
carteiras: comercial, de investimento e(ou) de desenvolvimento,
proporcionar maior transparência e ritual adequado ao processo
de crédito imobiliário, de arrendamento mercantil e de crédito,
decisório da instituição. No que se refere ao COPOM, julgue os
próximos itens. financiamento e investimento. Com relação aos bancos múltiplos,
- É objetivo do COPOM implementar as políticas econômica julgue os seguintes itens.
e tributária do governo federal. - A carteira de desenvolvimento pode ser operada por banco
- Desde a adoção da sistemática de metas para a inflação múltiplo e por banco público.
como diretriz de política monetária, as decisões do COPOM - Os bancos múltiplos devem ser constituídos com, no míni-
passaram a ter como objetivo cumprir as metas para a inflação mo, duas carteiras, sendo uma delas, obrigatoriamente, comercial
definidas pelo CMN. Se as metas não forem atingidas, cabe ao ou de investimento.
presidente do BA- CEN divulgar, em carta aberta ao ministro da
Fazenda, os motivos do descumprimento, bem como as 23- (CESPE/CEF/Téc. Bancário)
providências e o prazo para re- torno da taxa de inflação aos Julgue os itens a seguir, com base nos fundamentos do atual
limites estabelecidos. SPB.
- O SPB é operado pelo BACEN e as transferências de
18- (CESPE/BB/Escriturário) fundos interbancárias, que podem ser liquidadas em tempo real,
A taxa básica de juros SELIC, divulgada pelo Comitê de Po- têm cará- ter revogável e condicional.
lítica Monetária (COPOM), tem vital importância na - O atual SPB possibilita a redução dos riscos de liquidação
economia, pois as taxas de juros cobradas no mercado são nas operações interbancárias, com consequente redução do risco
balizadas por ela, que é referência para a política monetária. sistêmico, isto é, do risco de que a quebra de um banco provoque
a quebra em cadeia de outros bancos.
19- (ESAF/Banco Central/Analista) - Compete ao ministro da Fazenda definir quais sistemas de
Das opções abaixo, assinale aquela que contém um liquidação são considerados sistemicamente importantes.
participante do sistema financeiro nacional que não pode captar - No âmbito de um sistema de compensação e de liquidação,
recursos por meio de depósitos a vista. não é admitida compensação multilateral de obrigações.
a) Banco Múltiplo com carteira comercial - Na nova fase do SPB, a liquidação em tempo real passou a
b) Banco Comercial ser utilizada nas operações com títulos públicos federais
c) Caixa Econômica transacio- nados no Sistema Especial de Liquidação e de Custódia
d) Cooperativa de Crédito (SELIC).
e) Banco de Desenvolvimento
24-(CESPE/BB/Escriturário/Prova 1)
20-(CESPE/BASA/Técnico Bancário)
Com relação aos intermediários financeiros que operam no O SELIC é um grande sistema computadorizado que atua sob
SFN, julgue os itens a seguir. a responsabilidade do BACEN e da Associação Nacional das Ins-
- Bancos de investimento são especializados em operações fi- tituições dos Mercados Abertos (ANDIMA). Por intermédio dele,
nanceiras de curtíssimo prazo. os operadores registram as compras e vendas relativas a
- Os bancos comerciais, cuja denominação social deve conter títulos negociados pelas instituições participantes. No que se
refere ao SELIC, julgue os itens seguintes.
a expressão BANCO, captam principalmente depósitos à vista, li-
- O SELIC é o depositário central dos títulos da dívida
vremente negociáveis, e depósitos de poupança. Esses bancos são
pública federal externa, emitidos pelo Tesouro Nacional. O
tradicionais fornecedores de crédito para pessoas físicas e
sistema recebe os registros das negociações no mercado
jurídicas.
secundário e promove a respectiva liquidação, contando, ainda,
- Caixas econômicas captam depósitos à vista e depósitos de
com módulos complemen- tares por meio dos quais são
poupança e atuam mais fortemente no crédito habitacional.
efetuados os leilões de títulos pelo BACEN
- Empresas corretoras e distribuidoras atuam
- A taxa referencial do SELIC, de natureza
especialmente nos mercados de câmbio, de títulos públicos e
remuneratória, também conhecida por SELIC-META, é uma taxa
privados, de valores mobiliários e de mercadorias e futuros.
de juros, fixada pelo BACEN após a divulgação pelo Comitê de
Política Monetária (COPOM), aplicável pelas instituições
21-(CESPE/BB/Escriturário/Prova 2)
financeiras para os títulos públicos e adotada como taxa básica
Bancos comerciais são instituições financeiras privadas para a economia. Atualmente, essa taxa é divulgada pelo COPOM
ou públicas que têm como objetivo principal proporcionar exatamente a cada 45 dias.
suprimento de recursos necessários para financiar, a curto e a
médio prazos, 25- (ESAF/Banco Central/Analista) Tanto o SELIC (Sistema
o comércio, a indústria, as empresas prestadoras de serviços, as Especial de Liquidação e Custódia), quanto a CETIP (Central de
pessoas físicas e terceiros em geral. No que se refere aos bancos Custódia e Liquidação Financeira de Títulos) correspondem a
comerciais, julgue os itens a seguir. sistemas onde são feitas a custódia e liquidação de operações com
- Os bancos comerciais não podem captar depósitos a prazo. títulos. Sobre estes dois sistemas, assinale a opção correta.
- Na denominação dos bancos comerciais, é vedado o uso da
palavra “Central”.
a) A custódia e liquidação das operações com títulos públi- Tanto no Selic quanto na Cetip, os títulos são escriturais, fato
cos federais podem ser feitas tanto no SELIC, quanto na que elimina as chances de extravio, roubo ou falsificação dos pa-
CETIP, cabendo às partes envolvidas no negócio realizar a péis.
escolha do sis- tema a ser utilizado.
b) Os títulos negociados no SELIC são escriturais, o que pra- 26- (CESPE/BB/Escriturário/Provas 1)
ticamente elimina os riscos relativos a extravio, roubo ou O Sistema Especial de Liquidação e Custódia (SELIC) é o
falsifica- ção dos papéis negociados naquele sistema. de- positário central dos títulos emitidos pelo Tesouro Nacional e
c) A liquidação das operações realizadas na CETIP são feitas pelo BACEN e nessa condição processa, relativamente a esses
exclusivamente pela Centralizadora de Compensação de Cheques títulos, a emissão, o resgate, o pagamento dos juros e a custódia.
e Outros Papéis. Acerca do SELIC, julgue os itens seguintes.
d) Somente instituições com conta de reserva bancária - Foi alterado o modus operandi do SELIC, operado pelo BA-
junto ao Banco Central do Brasil podem registrar suas operações CEN, que passou a liquidar operações com títulos públicos fede-
rais em tempo real.
na CETIP.
- Nem todos os títulos dos quais o SELIC é depositário são
e) A CETIP custodia e promove a liquidação tanto dos CDB
escriturais, isto é, emitidos exclusivamente na forma
(Certificados de Depósito Bancário) ao portador quanto dos CDB
eletrônica. Cerca de 30% desses títulos são emitidos em papel.
nominativos.
- O SELIC é gerido pelo BACEN e é por ele operado em par-
ceria com a Andima. Os seus centros operacionais (centro princi-
Existe uma divisão dos títulos que podem ser registrados na
pal e centro de contingência) estão localizados na cidade de São
Central de Custódia e Liquidação Financeira de Títulos
Paulo.
(Cetip) daqueles que podem ser registrados no Sistema Especial
de Liquidação e Custódia (Selic). Estão registrados no Selic os
27- (CESPE/BB/Escriturário/ Prova 1) A Câmara de
seguintes títulos:
Custódia e Liquidação (CETIP) é a maior empresa de custódia e
- títulos públicos federais;
de liquidação financeira da América Latina. Sem fins lucrativos,
- títulos públicos estaduais e municipais emitidos antes de foi criada em 1984 pelas instituições financeiras em conjunto com
1992; o BACEN e iniciou suas atividades em 1986, para garantir maior
segurança e agilidade às operações do mercado financeiro
Estão registrados na Cetip os seguintes títulos: brasilei- ro. Com relação à CETIP, julgue os itens subsequentes.
- títulos privados; - A CETIP é depositária principalmente de títulos de
- derivativos; renda fixa privados, títulos públicos estaduais e municipais e
títulos representativos de dívidas de responsabilidade do Tesouro
- títulos públicos estaduais e municipais;
Nacional, de que são exemplos os títulos relacionados com
- títulos públicos federais utilizados como moeda de privati- empresas estatais extintas, com o Fundo de Compensação de
zação; Variação Salarial (FCVS), com o Programa de Garantia da
Atividade Agropecuária (PROAGRO) e com a dívida agrária
As instituições autorizadas a registrar suas operações no Se- (TDA).
lic são: BACEN, Tesouro Nacional, bancos, caixas econômicas, - Com poucas exceções, os títulos de renda fixa privada, tí-
sociedades corretoras de títulos e valores mobiliários, sociedades tulos públicos estaduais e municipais e títulos representativos de
distribuidoras de títulos e valores mobiliários, demais instituições dívidas de responsabilidade do Tesouro Nacional são emitidos es-
autorizadas a funcionar pelo BACEN, fundos, entidades crituralmente, isto é, sob a forma de registros eletrônicos. Esses
abertas e fechadas de previdência complementar, sociedades títulos emitidos em papel são fisicamente custodiados por bancos
seguradoras, resseguradores locais, operadoras de assistência à autorizados.
saúde, sociedades de capitalização e outras entidades a critério do - A CETIP utiliza a compensação bilateral, nas operações
administrador Selic. O BACEN e os participantes detentores de com títulos negociados no mercado secundário, e a liquidação
conta Reserva Bancária são, necessariamente, liquidantes, e o bruta em tempo real, na liquidação das operações com
restante é chamado de não liquidantes. derivativos.
As instituições autorizadas a registrar suas operações na
Cetip são: a própria Cetip, os bancos múltiplos com carteira Respostas: 01-B/ 02-C/ 03-B/ 04-C/ 05-C/ 06-C/ 07-D/ 08-E-
comercial e/ou investimento, bancos comerciais, bancos de C/ 09-E-C/ 10-C-C-E/ 11-E-C-C-E/ 12-C/ 13-C/ 14-D/ 15-E-C-E-
investimentos, sociedades corretoras de títulos e valores -C/ 16-E-E-E/ 17-E-C/ 18-C/ 19-C/ 20-E-C-C-C/ 21-E-C/ 22-E-C/
mobiliários, sociedades distribuidoras de títulos e valores 23-E-C-E-E-C/ 24-E-E/ 25-B/ 26-C-E-E/ 27-C-C-E/
mobiliários, outras instituições financeiras, instituições não
financeiras, tais como empresas de leasing, fundos de pensão,
seguradoras e fundos mútuos de investimento.
Cabe ressaltar que as contas Reserva Bancária são obrigató-
rias para bancos comerciais, bancos múltiplos com carteira
comer- cial e caixas econômicas, sendo facultativas para bancos
de inves- timento e bancos múltiplos sem carteira comercial.