Você está na página 1de 21

EME 802

Elementos de Máquinas

Dimensionamento
de Parafuso de
Fixação

Prof.Marcos Moura Galvão


IEM - Instituto de Engenharia Mecânica
Introdução

o Existem uma grande variedade de estilos de parafusos disponíveis, alguns


dos quais para aplicações específicas.
o Os parafusos de fixação podem ser classificados de diferentes maneiras:
por meio do uso pretendido, pelo tipo de rosca, pelo tipo de cabeça e por
sua resistência.
o Abaixo são mostrados os tipos mais comuns de montagens de parafusos.

UNIFEI – Universidade Federal de Itajubá


Tipos de Perfis dos Filetes das Roscas

Passo
Perfil Triangular

Tipo mais comum, utilizado em parafusos,


porcas, ligações de tubos etc.

Sistema Internacional Rosca Métrica – NB 97

Sistema Inglês Rosca Whitworth


O perfil triangular
existe em vários
padrões. UNC
American National
Sistema Americano UNF
SAE
NPT
Em todos os padrões existentes de perfil triangular existe a chamada “rosca fina” que é utilizada em equipamentos
UNIFEI – UniversidadeMecânicas
Zollern Transmissões Federal deLtda
Itajubá sujeitos a vibração. Isto é devido a ter um menor ângulo de hélice.
Tipos de Perfis dos Filetes das Roscas

Utilizada para transmissão de


Trapezoidal movimento em fusos, prensas etc.

Utilizada para grandes esforços em


Dente de Serra
uma só direção.

Utilizada para grandes esforços


Quadrado
( ex.: morsas).

Pouca utilização em máquinas e


Redondo equipamentos. Exemplo de utilização:
lâmpadas.

UNIFEI – UniversidadeMecânicas
Zollern Transmissões Federal deLtda
Itajubá
Rosca Direita e Rosca Esquerda

Rosca Direita: O avanço é obtido girando no sentido horário.

Rosca Esquerda: O avanço é obtido girando no sentido anti-horário.

UNIFEI – UniversidadeMecânicas
Zollern Transmissões Federal deLtda
Itajubá
Rosca Direita e Rosca Esquerda

Exemplo de parafuso e porca de rosca direita.

UNIFEI – UniversidadeMecânicas
Zollern Transmissões Federal deLtda
Itajubá
Dimensionamento de Roscas

Símbolo
TIPO DA ROSCA Utilizado COLOCAÇÃO NA COTA DESCRITIVO
Rosca Métrica com 20 mm de
diâmetro.

M20
Métrica M Se a rosca for esquerda, as letras RE
serão colocadas depois do diâmetro.
Ex.: M20RE

M50x2
Rosca Métrica com 50 mm de
Métrica fina M diâmetro e passo de 2 mm.

Rosca Whitworth com diâmetro


de 5/8” .
Se a rosca for esquerda, após o

5/8”
Whitworth NENHUM
valor do diâmetro coloca-se as
letras RE ou LH (left hand). Ex.:
5/8” LH

UNIFEI – UniversidadeMecânicas
Zollern Transmissões Federal deLtda
Itajubá
Dimensionamento de Roscas

Símbolo
TIPO DA ROSCA Utilizado COLOCAÇÃO NA COTA DESCRITIVO

W80x1/16”
Rosca Whitworth fina com
Whitworth W diâmetro de 80 mm e passo de
Fina 1/16”.

Whitworth Rosca para tubo cujo

BSP 1”
para Tubos BSP diâmetro nominal é 1”.
(canos)

UNIFEI – UniversidadeMecânicas
Zollern Transmissões Federal deLtda
Itajubá
Dimensionamento de Roscas

Símbolo
TIPO DA ROSCA Utilizado COLOCAÇÃO NA COTA DESCRITIVO

UNC 1”
UNC Rosca com diâmetro de 1”
com padrões da norma ANSI.

Rosca fina com diâmetro de

UNF3/4”
American National UNF 3/4” com padrões da norma
ANSI.

Rosca para tubo cujo diâmetro

NPT2”
NPT nominal é 2” com padrões da
norma ANSI.

UNIFEI – UniversidadeMecânicas
Zollern Transmissões Federal deLtda
Itajubá
Dimensionamento de Roscas

Símbolo
TIPO DA ROSCA Utilizado COLOCAÇÃO NA COTA DESCRITIVO

Rosca Trapezoidal com diâmetro


de 80 mm e passo de 10 mm

Tr80x10
(Todas as dimensões do perfil são
Trapezoidal Tr normalizadas).
Para a rosca esquerda deverão ser
acrescentadas as letras RE.

S48x8 Rosca Dente de Serra com


Dente de Serra diâmetro de 48 mm e passo de 8
S mm (Todas as dimensões do
perfil são normalizadas).

Rosca com filetes paralelos: deve ser indicado o número de entradas. Ex.: Tr 80x20 (2ent.).

UNIFEI – UniversidadeMecânicas
Zollern Transmissões Federal deLtda
Itajubá
Resistência de Parafusos Padronizados

Classificação de parafusos (grau ou classe) segundo sua


resistência de prova, conforme a SAE:

UNIFEI – Universidade Federal de Itajubá


Resistência de Parafusos Padronizados

Classificação de parafusos (grau ou classe) segundo sua


resistência de prova, conforme a ISO:

UNIFEI – Universidade Federal de Itajubá


Resistência de Parafusos Padronizados

Os valores apresentados para o grau ou classe do parafuso é determinado conforme abaixo:

UNIFEI – Universidade Federal de Itajubá


Torque no Parafuso de Fixação

W1 d m  tg  cos  n   
T    c W1 rc
2  cos  n   tg 
Equação do torque total em um parafuso de fixação, considerando uma carga
inicial W1 e a face da porca encostada durante o seu giro.

T = Torque total no parafuso de fixação; W1 = pré-carga ou carga inicial no parafuso;


dm = diâmetro médio da rosca do parafuso; λ = ângulo da hélice;
αn = ângulo da rosca no plano normal; μ = coeficiente de atrito entre a rosca do parafuso e da porca;
μc = coeficiente de atrito na face de encosto da porca; rc = raio médio da face de encosto da porca.

UNIFEI – Universidade Federal de Itajubá


Esforços nos Parafusos

o Tração nas uniões por parafusos é uma solicitação encontrada com


frequência neste tipo de ligação de peças.
o O parafuso é sujeito a um aperto inicial W1 , frequentemente, seguido pela
aplicação da carga externa W2, conforme figura abaixo.

UNIFEI – Universidade Federal de Itajubá


Esforços nos Parafusos
Aperto Inicial (W1) Aperto Inicial (W1) + Carga Externa (W2)

 m1  m2  m3  mn 
  W1  W2 
m 
Carga no parafuso  W  W1  W2    W1  W2 
 b  m1  m2  m3  mn   m  b 
UNIFEI – Universidade Federal de Itajubá
Esforços nos Parafusos – Análise Gráfica

m m
m0 0  W  W1 b0  1  W  W1  W2
mb mb

UNIFEI – Universidade Federal de Itajubá


Exemplo 1

A ligação dos dois elementos representados na figura abaixo é feita através de


um parafuso. Os elementos aparafusados e o parafuso são do mesmo material
e tem a mesma área da seção transversal. Determinar qual a carga externa W2
necessária a separação dos elementos se o aperto inicial for de 25.000 N.

Resultado:
W2 = 50.000 N

UNIFEI – Universidade Federal de Itajubá


Exemplo 2

Vários elementos são aparafusados de tal modo que a deformação por


unidade de força seja a mesma quer no parafuso, quer nos elementos
aparafusados, isto é, m = b ou m/(m+b) = 1/2. Determinar graficamente:

a). Que carga axial externa deve ser aplicada para separar os elementos
aparafusados, sabendo-se que o aperto inicial é de 50 kN?
b). Qual a carga resultante, se a carga externa for de 60 kN?
c). Qual a carga resultante, se a carga externa for de 120 kN?

Resultados:
a). A separação só ocorrerá no ponto D, para
W2 = 100 kN (W2 = W).
b). W = 80 kN.
c). W = 120 kN, pois já houve a separação.
UNIFEI – Universidade Federal de Itajubá
Exemplo 3

A ligação aparafusada, representada na figura abaixo, sofreu um aperto inicial


W1 = 540 kgf. Se a relação da deformação dos elementos aparafusados para a
do parafuso é 1/3, qual a carga sobre o parafuso, quando a força externa for
W2 = 900 kgf.

Resultados:
W = 765 kgf (valor calculado), mas o
valor correto é de 900 kgf, pois já houve
a separação dos elementos.
UNIFEI – Universidade Federal de Itajubá
Exemplo 4

Uma união por parafusos resulta em uma força de tração de 50 kN em cada


parafuso (após aperto inicial). Foram utilizados parafusos M24x3. O
coeficiente de atrito entre os filetes de rosca é igual a μ = 0,15. Calcule as
tensões no corpo do parafuso e no filete de rosca, admitindo-se 6 voltas em
contato parafuso/porca. Defina a classe do parafuso a ser usado, para um
C.S.(fator de segurança) de 2.

Resultados:
a). T = 120,73 N.m ;
b).
b.1. TENSÕES NO NÚCLEO DO PARAFUSO:
- TRAÇÃO: σ = 154,2 MPa.
- TORQUE: τ = 73,3 MPa.
- CISALHAMENTO MÁX. τmáx = 106,4 MPa.
b.2. TENSÕES NO FILETE DE ROSCA:
- FLEXÃO: σ = 195,1 MPa.
- CISALHAMENTO RAIZ: τ = 65,1 MPa.
- CISALHAMENTO MÁX. τmáx = 117,3 MPa.
c). Usar parafuso com classe de resistência 5.8 ;

UNIFEI – Universidade Federal de Itajubá

Você também pode gostar