Você está na página 1de 10

Prática do Aconselhamento Bíblico

Déficit de
Atenção/Hiperatividade:
O que você precisa saber

E d w a r d T. We l c h 1

Pais preocupados têm contribuído para juntar as peças aparentemente soltas em sua
que o Transtorno de Déficit de Atenção/ vida. A literatura sobre o assunto é campeã
Hiperatividade esteja entre os diagnósticos em promover a ideia de que “Então, esse é o
psiquiátricos mais investigados dos últimos meu problema!”.
tempos. Livros sobre o assunto não param Os cristãos devem assimilar essa in-
muito nas prateleiras. No esforço de en- formação com discernimento bíblico, à
tender melhor seus filhos e ajudá-los, os semelhança do que fazem com as demais
pais saem à procura de seminários sobre o informações que lêem e ouvem. O material
assunto e das últimas novidades divulgadas sobre Transtorno de Déficit de Atenção/
pelos meios de comunicação. A Internet tem Hiperatividade é geralmente interessante
aberto espaço considerável para o assunto. e útil, mas pode estar propenso a pressu-
Muitos adultos estão descobrindo que o posições não bíblicas e erros. Por exemplo,
Transtorno de Déficit de Atenção /Hipe- alguns livros sobre Transtorno de Déficit de
ratividade aplica-se a eles também, o que Atenção/Hiperatividade excluem as palavras
aumenta o interesse geral. Os adultos que são “mal” ou “pecaminoso”. Outros livros estão
intelectualmente capazes, mas “nunca atuam menos voltados para uma interpretação
à altura de seu potencial”, encontram no objetiva da pesquisa, e mais interessados
Transtorno de Déficit de Atenção/Hipera- em fazer todo o possível para elevar a auto-
tividade uma categoria que parece conseguir estima da criança. Outros ainda usam uma
abordagem biológica, reivindicando que o
funcionamento cerebral explica todo tipo
de comportamento. Daremos a seguir um
1
Tradução e adaptação de What you should know about
attention deficit disorder (ADD). Publicado em The Journal
panorama do assunto e algumas diretrizes
of Biblical Counseling. Glenside, Pa., v. 14, n. 2, Winter bíblicas para o entendimento do Transtorno
1996. p. 26-31. de Déficit de Atenção/Hiperatividade.

108 Coletânea de Aconselhamento Bíblico  Volume 1


Definições do Transtorno de (g) com frequência perde coisas
D­éficit de Atenção/Hiperativi- necessárias para tarefas ou ativida-
dade des (por ex., brinquedos, tarefas
A definição técnica do Transtorno de escolares, lápis, livros ou outros
Déficit de Atenção/Hiperatividade evoluiu materiais);
ao longo das últimas décadas. Sua forma (h) é facilmente distraído por estí-
atual destaca dois sintomas: desatenção e mulos alheios à tarefa;
hiperatividade-impulsividade2. (i) com frequência apresenta es-
A. Ou (1) ou (2) quecimento em atividades diárias;
(1) seis (ou mais) dos seguintes sin- (2) seis (ou mais) dos seguintes sin-
tomas de desatenção persistiram por tomas de hiperatividade persistiram
pelo menos 6 meses, em grau mal- por pelo menos 6 meses, em grau
adaptativo e inconsistente com o nível mal-adaptativo e inconsistente com o
de desenvolvimento: nível de desenvolvimento:
Desatenção Hiperatividade
(a) frequentemente deixa de prestar (a) frequentemente agita as mãos e
atenção a detalhes ou comete erros os pés ou se remexe na cadeira;
por descuido em atividades escola- (b) frequentemente abandona sua
res, de trabalho ou outras; cadeira em sala de aula ou outras
(b) com frequência tem dificuldades situações nas quais se espera que
para manter a atenção em tarefas ou permaneça sentado;
atividades lúdicas; (c) frequentemente corre ou escala
(c) com frequência parece não es- em demasia, nas situações em que
cutar quando lhe dirigem a palavra isso é inapropriado (em adolescentes
(d) com frequência não segue ins- e adultos, pode estar limitado a sen-
truções e não termina seus deveres sações subjetivas de inquietação);
escolares, tarefas domésticas e/ou (d) com frequência tem dificuldade
deveres profissionais (não devido para brincar ou se envolver silencio-
a comportamento de oposição ou samente em atividades de lazer;
incapacidade de compreender ins- (e) está frequentemente “a mil” ou
truções); muitas vezes age como se estivesse “a
(e) com frequência tem dificuldade todo vapor”;
para organizar tarefas e atividades; (f ) frequentemente fala em demasia;
(f ) com frequência evita, antipatiza Impulsividade
ou reluta a envolver-se em tarefas que (g) frequentemente dá respostas
exijam esforço mental constante (como precipitadas antes de as perguntas
tarefas escolares ou deveres de casa); terem sido completadas;
(h) com frequência tem dificuldade
2
A definição da American Psychiatric Association,
amplamente adotada no Brasil, é encontrada no
para aguardar a sua vez;
Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais. DSM- (i) frequentemente interrompe ou se
IV. Porto Alegre: Artes Médicas, 1995. p. 77-84. mete em assuntos de outros (por ex.,

Coletânea de Aconselhamento Bíblico  Volume 1 109


intromete-se em conversas ou brin- Elas podem provocar a mãe ou se envolver
cadeiras). em alguma atividade perigosa apenas para
B. Alguns sintomas de hiperativida- tornar a vida mais interessante. Quando
de/impulsividade ou desatenção que adultos, esses indivíduos são muitas vezes
causaram prejuízo estavam presentes caracterizados como pessoas que têm dificul-
antes dos 7 anos de idade. dade crônica para cumprir prazos, mudam
C. Algum prejuízo causado pelos de emprego com frequência (ficam ente-
sintomas está presente em dois ou diados ou são demitidos), tomam decisões
mais contextos (por ex., na escola [ou impulsivas, não têm uma percepção clara
trabalho] e em casa) de seus pontos fortes e fracos, e de como as
D. Deve haver claras evidências de outras pessoas reagem a eles.
prejuízo clinicamente significativo no Com esta descrição, é mais fácil enten-
funcionamento social, acadêmico ou der porque há tanto interesse no Transtorno
ocupacional. e Déficit de Atenção/Hiperatividade. Pais,
Estas crianças (e adultos) parecem bem como adultos que se enquadram nesse perfil,
ter bocas (e braços, mãos e pernas!) que estão em busca de algo que os possa ajudar.
correm à frente de seu pensamento. Ou seu
pensamento distrai-se e corre de um lugar Cautelas com o Transtorno de
para outro, e seu corpo tenta acompanhar. Déficit de Atenção / Hiperativi-
Cuidar de meninos que se encaixam nesta dade
descrição faz com que você se sinta como se Antes de esboçar um plano bíblico de
estivesse equilibrando uma dúzia de pratos ação, queremos destacar duas cautelas que
no ar. Os pais, frequentemente, administram devemos ter em mente com o Transtorno
o problema afastando seus filhos de situa- de Déficit de Atenção/ Hiperatividade. Em
ções que os poderiam colocar em apuros ou primeiro lugar, Transtorno de Déficit de
provocar acidentes com outras crianças. No Atenção/Hiperatividade não é um conjunto
caso das meninas, os sintomas tendem a ser de sintomas definido com precisão. O termo
menos perceptíveis, pois embora elas possam “frequentemente” está sempre presente nos
se distrair com muita facilidade, têm menor critérios de diagnóstico e revela a amplitude
probabilidade de serem hiperativas. Conse- dos contornos do Transtorno de Déficit de
quentemente, elas fixam o olhar nas janelas Atenção/Hiperatividade, além de explicar a
da sala de aula, não atrapalham os colegas, razão deste diagnóstico ser tão usado3. Quase
e passam despercebidas por anos.
Crianças mais velhas podem deixar os 3
As fronteiras amplas de diagnóstico do Transtorno
adultos exasperados, pois conseguem ficar de Déficit de Atenção/Hiperatividade são apenas um
diante da TV durante horas a fio, mas não dos motivos por que ele é tão popular nos Estados
Unidos. Outra razão é a cultura em si. Embora haja
conseguem se concentrar na lição de casa crianças ao redor do mundo que demonstram altos
nem mesmo por dez segundos (TV e Nin- níveis de atividade, dificuldade para concentrar
tendo oferecem a elas movimento rápido e a atenção e impulsividade, nem todas as culturas
consideram estas coisas problema. Em algumas
excitação; lições de casa não). Em outros sociedades, este comportamento pode ser um ponto
termos, sua atenção é melhor qualificada positivo. Nos Estados Unidos e em outras culturas
ocidentais, o sistema educacional é mais condizente
como inconsistente que como taxativamente com o ouvinte quieto que com o indivíduo ativo,
deficiente. Para estas crianças, tédio é morte. espontâneo, criativo.

110 Coletânea de Aconselhamento Bíblico  Volume 1


qualquer pessoa poderia ser enquadrada Déficit de Atenção/Hiperatividade pode lhe
nestes parâmetros - pelo menos em deter- revelar comportamentos que você não havia
minados dias. Devido à falta de precisão, considerado antes. Ainda assim, esta catego-
seria mais cuidadoso ver os comportamen- ria descritiva é limitada em sua utilidade. Ela
tos associados ao Transtorno de Déficit de não seria útil se alguém perguntasse: “Por que
Atenção/Hiperatividade como parte de um seu filho não pára quieto na cadeira?”. Se você
continuum, que fazer uma declaração de tudo respondesse “É porque ele tem Transtorno de
ou nada: “Sim, ele tem Transtorno de Déficit Déficit de Atenção/Hiperatividade”, isso não
de Atenção/Hiperatividade”ou “Não, ele seria diferente de dizer “Ele não pára quieto
não tem Transtorno de Déficit de Atenção/ na cadeira porque ele se mexe”. Você estaria
Hiperatividade”. Cada um pode se encontrar meramente descrevendo o comportamento
em algum ponto do continuum, embora não com palavras diferentes.
tenhamos como negar que algumas pessoas É importante distinguir entre descrição
estão de modo mais consistente em uma e explicação porque a literatura sobre Trans-
extremidade ou outra. torno de Déficit de Atenção/Hiperatividade,
Em segundo lugar, Transtorno de geralmente, não faz esta distinção. Muito
Déficit de Atenção/Hiperatividade é uma do debate sobre Transtorno de Déficit de
descrição de um comportamento, e não uma Atenção/Hiperatividade presume que a lista
explicação. A medicina, por meio do Ma- descritiva equivale ao estabelecimento de
nual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos um diagnóstico médico. A pressuposição
Mentais DSM-IV, tenta descrever sintomas popular de que há uma causa básica bioló-
e não explicar a causa desses sintomas. Tenta gica para os comportamentos é infundada.
responder à pergunta: “O que esta criança Embora haja dúzias de teorias biológicas para
está fazendo?”, mas não “Por que esta criança explicar o Transtorno de Déficit de Atenção/
está fazendo isso?”. Estas duas perguntas são Hiperatividade, não há até o momento in-
diferentes. Por exemplo, se você fosse um dicadores concretos para comprová-las; não
novato no mundo do automobilismo e per- há exames médicos que possam detectar sua
guntasse a respeito de um carro que acabara presença. Aditivos químicos em alimentos,
de passar em alta velocidade, uma resposta problemas de parto, problemas na audição,
descritiva seria “Este é um Ford Taurus verde diferenças cerebrais, são algumas das teorias
metálico, com motor 2.0”. Uma resposta ex- que têm deixado os pesquisadores intriga-
plicativa incluiria uma revisão dos conceitos dos, mas não há apoio evidente. Cada uma
de combustão do motor e de mecânica da pode ter algum mérito em casos específicos,
transmissão automática. mas não há uma teoria biológica que possa
A descrição do Transtorno de Déficit explicar consistentemente os sintomas. Até
de Atenção/Hiperatividade responde o que agora, não podemos dizer que alguém tem
a criança está fazendo, e não o porquê. Essas Transtorno de Déficit de Atenção/ Hipera-
descrições do que podem certamente ser tividade assim como dizemos que alguém
úteis. Por exemplo, se você quer compreen- tem uma virose.
der quais são os comportamentos específicos Por que então as explicações biológicas
que contribuem para que seu filho tenha estão tão entrelaçadas com as descrições?
um rendimento escolar sofrível, a lista de Em primeiro lugar, para algumas pessoas, as
sintomas associados ao termo Transtorno de explicações biológicas são presumivelmente a

Coletânea de Aconselhamento Bíblico  Volume 1 111


única explicação disponível para o compor- que consideramos como personalidade.
tamento. Elas desconhecem outras causas. O coração deixa evidente que vivemos
Em segundo lugar, os pesquisadores diante de Deus e adoramos a Deus em fé
estão preocupados com o fato de que um e obediência ou seguimos nossos próprios
julgamento moral possa prejudicar uma desejos. Quando adoramos e obedecemos a
criança, pois têm visto muitas delas agredidas Deus, nosso coração expressa-se em amor,
pela punição inconsistente (e não bíblica) alegria, paz, paciência, bondade, mansidão
aplicada a “crianças más”. Para elevar a “auto- e domínio próprio (Gl 5.19-23). Quando
estima” da criança, querem evitar qualquer estamos comprometidos com nossos desejos
sugestão de que ela seja responsável pelos pessoais e os adoramos, os atos da natureza
comportamentos descritos no Transtorno de pecaminosa tornam-se evidentes, incluindo
Déficit de Atenção/Hiperatividade. contendas, murmuração, ciúmes, explosões
Visto que há uma ligação tão íntima de ira, imoralidade sexual, desobediência
entre a classificação Transtorno de Déficit aos pais.
de Atenção/ Hiperatividade e as hipóteses Em muitos casos de crianças enqua-
biológicas, devemos estar atentos ao uso que dradas no Transtorno de Déficit de Aten-
fazemos desta expressão. ção/Hiperatividade, a arena do coração é
ignorada. É possível que algo daquilo que
Como ajudar identificamos como Transtorno de Déficit de
Se alguém diz que seu filho (ou você) Atenção/Hiperatividade seja autoindulgên-
apresenta comportamentos condizentes com cia e indolência pecaminosas? É possível que
o Transtorno de Déficit de Atenção/Hipe- uma causa significativa dos comportamentos
ratividade, não entre em pânico. Traduza a envolvidos seja um coração que exige que as
expressão Transtorno de Déficit de Atenção/ coisas aconteçam a seu modo? Certamente
Hiperatividade como “É hora de desenvolver é possível. A verdade é que o Transtorno de
um entendimento mais profundo a respeito Déficit de Atenção /Hiperatividade situa-
dessa pessoa”. se no ponto de interseção entre o físico e
Há pelo menos duas áreas que preci- o espiritual. A causa básica pode ser física
sam ser investigadas: a espiritual e a física. ou espiritual. Normalmente, ambas estão
Ambas devem ser levadas a sério. Se você presentes.
ignora o aspecto espiritual, nunca haverá Pode parecer duro afirmar que o
lugar para arrependimento e fé na vida de pecado seja uma das causas daquilo que é
seu filho. O comportamento pecaminoso identificado como Transtorno de Déficit
será desculpado. O poder do evangelho será de Atenção/Hiperatividade. Será que tal
ignorado. Se você ignora o aspecto físico ou explicação prejudicaria as crianças, como
os pontos fortes e fracos do funcionamento alguns pesquisadores seculares dizem? Não
cerebral, você nunca encontrará os métodos acreditamos nisso. Se o pecado é chamado de
criativos de que precisa para ajudar seu filho pecado, há esperança de mudança. E além do
a aprender. Ele ficará confuso e perderá a mais, muitas crianças têm uma consciência
esperança. alerta ao certo e ao errado. Dizer que algo
O aspecto espiritual é a arena do está errado, é contar-lhes algo de que já sus-
coração. É a verdadeira essência de nosso peitam. O que pode ser prejudicial e gerar
ser, mais profundo até mesmo que aquilo confusão é identificar pecado e erro naquilo

112 Coletânea de Aconselhamento Bíblico  Volume 1


que poderia ser chamado com mais precisão A fraqueza física, algumas vezes mani-
de limitação ou fraqueza física. festada na criança enquadrada no Transtor-
Uma maneira de evitar a confusão entre no de Déficit de Atenção/Hiperatividade,
pecado e limitação ou fraqueza física é fazer a inclui:
seguinte pergunta: “Estou certo de que este ŠŠmemórias auditiva e visual fracas (di-
comportamento transgride a lei de Deus?”. ficuldade para reter palavras lidas ou
Se a resposta for positiva, então o compor- ouvidas);
tamento tem uma raiz espiritual. Digamos,
ŠŠdificuldade para cumprir uma sequên-
por exemplo, que seu filho esteja batendo
cia de comportamentos ou estabelecer
em outra criança porque a outra criança está
passos para cumprir uma tarefa;
brincando com o brinquedo dele. Trata-se
claramente de um problema espiritual. Seu ŠŠdificuldade para estabelecer priorida-
filho pode também lutar com desatenção des;
e hiperatividade/impulsividade, mas estas
ŠŠdificuldade para manter a atenção
não são desculpas para tal comportamento.
quando as atividades não são intrinse-
Problemas físicos não forçam uma criança
camente interessantes;
a pecar, mas certamente eles influenciam o
comportamento. Além do mais, eles podem ŠŠdificuldade para filtrar estímulos irre-
ser confundidos com problemas espirituais. levantes;
Portanto, ao mesmo tempo que você procura
ŠŠdificuldade de mudar de uma maneira
compreender a orientação do coração do
de pensar para outra.
seu filho (orientado para Deus ou para si
mesmo), você também tentará entender as Um exemplo desta última limitação é
forças e fraquezas físicas (determinadas pelo a criança que é barulhenta e ativa em casa
cérebro) próprias de seu filho. e transporta o mesmo comportamento para
O físico é a pessoa material - músculos, a sala de aula. Essa criança tem dificuldade
ossos, cérebro, genes. Em certo sentido, quando as regras mudam. Ela pode ser es-
nosso corpo físico é um instrumento para o piritualmente sensível ao aprendizado, mas
nosso coração. Ele dá ao coração um meio mentalmente inflexível.
de se expressar no mundo físico. O físico Embora as categorias física e espiritual
diferencia-se do coração no sentido de que sejam distintas, discernir como cada uma
o coração é obediente ou pecaminoso, en- delas contribui para o comportamento
quanto o físico é forte ou fraco. inoportuno pode ser um desafio. Por exem-
Em crianças enquadradas no Transtor- plo, digamos que você peça a seu filho para
no de Déficit de Atenção/Hiperatividade, os arrumar o quarto. Quando você volta, vinte
pontos fortes físicos (talentos, habilidades) minutos mais tarde, ele ainda está brincan-
podem incluir: do em meio a um caos. É um problema
espiritual? À primeira vista, parece eviden-
ŠŠum alto nível de energia;
temente que sim. Seu filho transgrediu o
ŠŠcriatividade além do habitual; mandamento de obedecer aos pais. Ainda
assim, seu comportamento pode ter outras
ŠŠuma disposição para assumir riscos;
explicações. Talvez seu filho não saiba como
ŠŠuma personalidade extrovertida. “arrumar o quarto” - a ideia pode lhe parecer

Coletânea de Aconselhamento Bíblico  Volume 1 113


muito geral e abstrata. Talvez o quarto pareça para criar seu filho no temor do Senhor.
perfeitamente em ordem aos olhos dele, ou Independentemente dos pontos fortes ou
talvez ele começou a arrumar e depois se fracos de seu filho, ele tem os mesmos pro-
distraiu com seu brinquedo favorito. Em ou- blemas espirituais de qualquer pessoa: seu
tras palavras, o que você pode estar vendo é coração está em guerra entre o egocentrismo
uma fraqueza na habilidade de seu filho para e a obediência a Cristo. Com que armas ele
seguir instruções e completar uma tarefa, em luta? Com o conhecimento de Cristo e a
lugar de desobediência intencional. obediência a Cristo. O conhecimento de
Há uma diferença entre dizer a uma Cristo consiste em aprender sobre a grandeza
criança para “arrumar o seu quarto” e para da justiça e do amor de Deus revelados na
“não bater em seu irmão”. A criança possui morte e ressurreição de Jesus. A obediência
uma consciência ativa e sabe intuitivamente a Cristo é nossa resposta a estas boas novas.
que não deve bater em outros como expres- Ela consiste em praticar o mandamento de
são de sua ira. Tal ato seria errado até mesmo amar ao próximo como a si mesmo, um
se os pais não tivessem dito “não bata nele”. mandamento exemplificado nos Dez Man-
Mas a criança não tem uma consciência que damentos e em outros princípios claros das
lhe diz que é moralmente errado deixar o Escrituras.
quarto bagunçado. O quarto desarrumado é, Para as crianças que tendem a ser mais
tecnicamente, uma violação do mandamento impulsivas em suas palavras e ações, há
de obedecer aos pais, mas em alguns casos alguns princípios bíblicos que precisam me-
desobediência não é a categoria bíblica que se recer maior ênfase. A tarefa dos pais consiste
aplica em primeiro lugar. Um entendimento em estabelecer prioridades entre os vários
do coração da criança pode indicar que o princípios bíblicos e focalizar, primeiramen-
problema são as limitações físicas e a falta te, aqueles que são mais importantes para as
de entendimento, e não a rebeldia espiritu- necessidades espirituais de seu filho. É mais
al. Em outras palavras, a ira pecaminosa e sábio destacar um princípio e trabalhá-lo in-
o comportamento não amoroso para com tensivamente durante alguns meses, do que
o próximo nunca são desculpáveis, mas há trabalhar superficialmente dez princípios,
momentos em que há desculpas para não deixando-os sem desenvolvimento, sem o
arrumar o quarto. devido esclarecimento, e esquecendo de levá-
E se uma criança não se comportar bem los regularmente a Deus em oração.
durante uma refeição? Pode ser que ela seja Tiago 1.19 é o versículo que está no
naturalmente mais ativa, mas que também topo da lista de muitos pais. Ele é perfeito
não esteja disposta a ouvir as instruções dos para aqueles que tendem a lutar mais com
pais. Em tais casos, os pais devem saber como a desatenção e a impulsividade: “Todo ho-
abordar tanto o coração pecaminoso como a mem, pois, seja pronto para ouvir, tardio
natureza ativa. Ser pai tornase inesperada- para falar, tardio para se irar”. Esta tríade
mente complicado! Mas a perspectiva bíblica pode levar anos para ser aprendida. No
simplifica as coisas. Educar um filho exige entanto, se Deus requer este tipo de compor-
tempo, e requer ouvir conselhos de outros, tamento, Ele dará graça para praticá-lo.
mas não é necessariamente complicado. À medida que estas crianças alcançam a
Tendo em mente a distinção entre adolescência e a idade adulta, outros princí-
problemas físicos e espirituais, dê passos pios podem se tornar importantes. Visto que

114 Coletânea de Aconselhamento Bíblico  Volume 1


os adolescentes têm mentes que costumam estilo de pensamento caótico, desorganizado
voar de uma coisa para outra e preferem a es- e pouco confiável, a estrutura estabelece uma
pontaneidade ao planejado e ordeiro, é mui- compensação e oferece controle externo.
to importante que eles aprendam o princípio Sem estrutura, a mudança constante e as
bíblico da perseverança. Outros adolescentes expectativas ambíguas agravam as dificul-
e adultos podem ter extrema dificuldade para dades.
priorizar tarefas ou avaliar corretamente sua Estrutura significa ter regras previsíveis,
habilidade para cumpri-las. Estas pessoas claras, simples, por escrito. Essas regras preci-
precisam aprender o princípio bíblico de ser sam ser revistas semanalmente com a criança
sensível ao aprendizado e buscar o conselho e consistentemente reforçadas. Evite expli-
de outros: “Onde não há conselho fracassam cações longas e abstratas. Se você precisa de
os projetos, mas com os muitos conselheiros tempo para desenvolver um ensino específico
há bom êxito” (Pv 15.22). ou explicar uma forma de disciplina, tente
À medida que você se torna mais capa- dialogar com seu filho de modo a prender
citado a cuidar da vida espiritual de seu filho a sua atenção. Faça perguntas. Peça-lhe
e a discipulá-lo, volte sua atenção para os para ler a Bíblia em voz alta. Peça-lhe para
pontos fortes e fracos que lhe são caracterís- explicar em que ele desobedeceu. Quando
ticos. Comece por reunir a maior quantidade for dar instruções, assegure-se de que ele está
possível de informação a respeito de seu filho. ouvindo; peça-lhe que olhe para você e que
Não sinta constrangimento: converse com os repita as instruções. Não se esqueça de revisar
professores da escola que seu filho frequenta, com ele o plano de execução.
com os professores da escola dominical, com Estrutura significa que em lugar de
os amigos que convivem com ele. Submeta-o reagir constantemente a problemas, o que
a testes de avaliação educacional. Quanto pode aumentar o senso de caos, você vai
mais você puder compreender seus pontos antecipar os problemas. Embora seu filho
fortes e fracos, tanto maior será a criatividade possa ter dificuldade para perceber com an-
com que você poderá ensinar e aplicar os tecedência os problemas, você precisa estar
princípios bíblicos relevantes. Por exemplo, alerta aos pontos em que ele habitualmente
se seu filho trabalha melhor com imagens e tropeça. Pela experiência, você sabe onde
objetos, dê preferência a explicações visuais e estão as dificuldades. Se a situação difícil
não a instruções orais. Você pode dramatizar não pode ou não deve ser evitada, prepare
como ser bondoso com o irmão mais novo seu filho para enfrentá-la em oração e na
em lugar de lhe dizer: “seja bondoso”. “Ouça, prática. Depois, quando tudo tiver passado
veja, faça” é o método prático para os pais e (ex., lições de casa, tarefas domésticas), faça
os educadores. uma avaliação junto com ele para que ele
Muitas das sugestões práticas para lidar possa ver em que progrediu.
com aqueles que facilmente se distraem ou Para o adulto que tende a ter dificul-
tendem a mudar de uma atividade para outra dade para prestar atenção ou fazer planos,
podem ser resumidas na palavra estrutura. estrutura significa estabelecer rotinas tais
Estrutura diz respeito a fronteiras, orienta- como fazer três coisas difíceis, mas necessá-
ções, lembretes e limites. rias, antes de passar ao trabalho agradável.
É uma cerca que pode ajudar a conter e Significa estabelecer prazos razoáveis (sob a
a dirigir. Visto que algumas crianças têm um orientação de outros) e cumpri-los. Listas de

Coletânea de Aconselhamento Bíblico  Volume 1 115


“o que fazer”, estabelecendo prioridades, são está clara. A Ritalina não trata deficiência
um ótimo recurso. nenhuma no cérebro da criança. Ninguém
precisa de Ritalina. A analogia mais geral
Tratamento médico seria dizer que os medicamentos do tipo da
Se você colocou em prática diligente- Ritalina agem como a aspirina; eles elimi-
mente estas sugestões, mas ainda está tendo nam os sintomas em algumas pessoas, mas
problemas com o grau de severidade da não curam.
hiperatividade ou desatenção de seu filho, e Muitos especialistas concordam que
especialmente se estes comportamentos estão medicamentos do tipo da Ritalina são re-
afetando de modo significativo o rendimento ceitados em excesso. Eles sustentam que o
escolar, você precisa consultar um médico. próprio Transtorno de Déficit de Atenção/
Há alguns problemas orgânicos que provo- Hiperatividade é diagnosticado em demasia,
cam sintomas semelhantes aos do Transtorno que nossa cultura é rápida em tratar qualquer
de Déficit de Atenção/Hiperatividade. Por comportamento com medicamentos e que
exemplo, problemas de tiróide podem afetar os médicos são rápidos em receitar uma
o nível de energia, e a diminuição da capa- droga relativamente segura a crianças cujos
cidade auditiva ou visual pode prejudicar o pais estão em busca de uma solução rápida.
nível da atenção. Um bom exame médico Isso não significa que devemos evitar os
pode eliminar estas possibilidades. medicamentos. Significa, no entanto, que
A maioria das crianças enquadradas os medicamentos devem ser considerados
no Transtorno de Déficit de Atenção/Hipe- somente após avaliar outros fatores na vida da
ratividade apresenta resultados normais nos criança, conforme recomenda a Associação
exames clínicos, mas vários médicos indi- Americana de Pediatras.
cam mesmo assim o uso de medicamentos. Pais crentes devem levar em conta
Normalmente são usados medicamentos estes medicamentos no tratamento de seus
estimulantes como a Ritalina ou antidepres- filhos? Se fizermos uma pesquisa de opinião
sivos como o Norpramin (Desipramine) ou entre um grupo representativo da população
o Prozac4. evangélica, ouviremos “certamente que sim”,
O uso de drogas estimulantes parece e também “definitivamente não, em quais-
ser um paradoxo. Seria normal esperar que quer circunstâncias”, além de muitos outros
as crianças ficassem ainda mais excitadas pareceres intermediários. Tais diferenças de
física e mentalmente. No entanto, com as opinião entre crentes comprometidos e sérios
doses normais receitadas, todos tendem a ter indicam, no mínimo, que as Escrituras não
um melhor rendimento em certos tipos de dizem claramente “não”. Uma pergunta mais
tarefas mentais, e as crianças, em particular, apropriada seria “É sábio usá-los?”, em lugar
parecem ficar menos irrequietas. de “É errado usá-los?”.
Como age a Ritalina? Sabemos que ela Para fazer uma escolha sábia, há infor-
afeta determinadas áreas do cérebro, mas seu mações que você deve considerar. A Ritalina
modo de ação é incerto. Uma coisa, porém, é um dos medicamentos mais seguros. Foi
primeiramente usado em crianças hipera-
4
NT. No Brasil são usados com frequência o Tofranil tivas nos anos 30, tendo, portanto, uma
e o Cylert. longa história. Hoje em dia, é receitado a

116 Coletânea de Aconselhamento Bíblico  Volume 1


mais de dois milhões de pessoas, de modo crianças respondem pecaminosamente.
que estamos familiarizados com seus efeitos Quando a tentação é removida, a criança
colaterais. parece menos propensa a certos tipos de
Os efeitos colaterais mais comuns da pecado.
Ritalina são a supressão do apetite e a perda Se você decidiu provar o tratamento
do sono. Visto que estes efeitos estão relacio- com medicamentos, o mais importante é
nados à dose, eles podem ser controlados pela manter em mente que esta opção não deve
diminuição da quantidade de medicamento. eliminar a sua diligência no cuidado espi-
Outro efeito colateral incômodo, mas raro, ritual. Independentemente de uma maior
são as contrações musculares involuntárias. ou menor intensidade, as fraquezas físicas
Estas também podem desaparecer com a não podem impedir seu filho de crescer no
diminuição da dose. Caso contrário, desapa- conhecimento de Cristo e na obediência a
recerão quando o medicamento for retirado. Ele. Esse fato oferece-lhe esperança e enco-
Na melhor das hipóteses, a Ritalina pode rajamento no processo de educar seu filho,
ajudar uma pessoa a ganhar maior concen- bem como mantém em perspectiva adequada
tração, manter-se ocupada com uma tarefa as suas expectativas quanto àquilo que os
por uma período maior de tempo, manter medicamentos podem fazer por ele.
um humor estável e reduzir a desatenção. Alguns pais adotam outros tipos de
Na pior das hipóteses, ela pode ter efeitos tratamento como dietas ou o uso de vita-
colaterais e não trazer benefícios. minas. Sabedoria é novamente o critério. Se
Primeiramente, presumiu-se que a você seguir estes tratamentos, não deixe que
Ritalina aumentasse o rendimento escolar, eles substituam o cuidado espiritual, e seja
mas não há prova disso. Embora a Ritalina criterioso com relação ao tempo e dinheiro
seja elogiada por muitos professores, e al- investidos, lembrando que eles são de ajuda
gumas crianças demonstrem uma mudança apenas em alguns casos.
de comportamento significativa, há pouca Educar filhos com sintomas de Trans-
evidência de que ela eleve o desempenho na torno de Déficit de Atenção/Hiperatividade
escola. Depois de dois anos tomando Rita- é, afinal de contas, semelhante a educar
lina, muitas crianças apresentam o mesmo qualquer outra criança: você precisa adaptar
nível de rendimento das que não receberam os ensinos bíblicos à capacidade de seu filho
o medicamento. para recebê-los. Com crianças que não dife-
É imperativo destacar que os medi- rem muito de nós, trata-se de um processo
camentos não mudam o coração de uma relativamente imediato, pois entendemos de
criança. Se ela parece mais obediente quando modo instintivo quais são os pontos fortes e
toma Ritalina, é porque um fator de influên- fracos. As crianças cujos pontos fortes e fra-
cia em sua vida sofreu alteração. Ou seja, da cos estão fora do habitual exigem observação
mesma maneira como outros fatores podem mais cuidadosa e ensino criativo. Ao lidar
influenciar o coração, também o corpo pode com uma destas crianças, lembre-se de que
influenciar. O corpo produz prazer ou dor, ela também tem pontos fortes concedidos
clareza ou confusão mental, concentração ou por Deus, e quaisquer que sejam seus pontos
desatenção. Estas mudanças físicas podem fracos, estes não impedirão o seu crescimento
atuar como uma tentação à qual algumas naquilo que é mais importante.

Coletânea de Aconselhamento Bíblico  Volume 1 117