Contribuição da Antropologia, da Psicologia e da Sociologia para a Administração Introdução A melhor maneira de se iniciar um estudo a respeito da contribuição de cada uma

destas ciências – antropologia, psicologia e sociologia – para a administração é justamente se fazendo a distinção entre elas, mostrando qual o enfoque de cada uma destas ciências, o que poderia causar confusão a maioria dos leigos no assunto: A antropologia estuda os caracteres distintivos das condutas dos seres humanos pertencendo a uma mesma cultura. Atenta às descontinuidades, salienta a originalidade de tudo que devemos à sociedade à qual pertencemos. Diferenças significativas, decorrentes da cultura à qual pertencemos, podem ser encontradas nos menores detalhes dos nossos comportamentos, como numa forma de saudação que é vista como amigável para um inglês, mas considerada indecente para um japonês. Esta distinção de indivíduos de países diferentes é apenas um exemplo, visto que a cultura pode ser diferente até mesmo, por exemplo, entre bairros. A psicologia estuda a mente e os fenômenos e atividades mentais, com foco no indivíduo, principalmente como determinante de ação e comportamento. Entende-se como comportamento o conjunto de reações que resultam da experiência individual e que não se transmite à espécie. A sociologia estuda a as relações sociais que se desenvolvem entre os indivíduos, os grupos e as instituições sociais. Analisa, em especial, os diversos processos de relacionamento humano, as formas de organização social e as dinâmicas da mudança social. Em suma, pode-se dizer que a antropologia se preocupa com o comportamento do indivíduo em função do seu grupo de origem (cultural); a psicologia se preocupa com o comportamento deste indivíduo em função de sua mente (experiência individual); e a sociologia se preocupa com o comportamento do indivíduo em função do meio (relações sociais). Contexto Histórico A administração muito evoluiu no século XIX com o desenvolvimento da Administração Científica, do precursor Frederick Taylor, cujos avanços mais significativos foram na padronização de tarefas, especialização de funcionários, remuneração por produtividade que acarretavam considerável aumento de eficiência; e da Administração Clássica, do precursor Henri Fayol, que introduziu a estrutura formal da empresa e as funções do processo administrativo (gerência): Planejar, organizar, comandar, controlar e coordenar. Entretanto, estes modelos esbarravam na falta de consideração do elemento humano na empresa. O modelo de Homo Economicus introduzido por Taylor não reflete a realidade organizacional, o dinheiro não é a recompensa mais cara para o operário, pois o trabalho é, antes de ser apenas uma forma de sustentar a vida fora da organização, é parte considerável de sua vida. Abordagem Humanística Uma vez identificado que o modelo de operário como Homo Economicus não era perfeito, buscou-se o modelo ideal que traria um ganho maior de eficiência. Pesquisas revelaram que o nível de produtividade do trabalhador seria mais ligado a sua integração social do que a capacidade de

e a compreensão da natureza dessas relações humanas finalmente permitiriam que o administrador obtivesse melhores resultados de seus subordinados. é referente à motivação e liderança. como mostrado no filme Fábrica de Loucuras. Assim. onde o operário japonês trabalha com foco no resultado por tratar o fracasso organizacional como se pessoal fosse. Não é questão de lógica. Resumo de Administração. tradições. aprovação social e participação nas decisões. surgindo assim o conceito de Homem Social. São Paulo: Ed.execução de uma tarefa repetitiva num tempo pré-determinado. para a maioria dos operários. Adilson. Já a psicologia seria ferramenta importante para o entendimento de como se obtêm a colaboração dos operários. A antropologia cultural. os estímulos psicológicos e sociais são mais importantes do que as condições de ordem material ou econômica. Dessa forma. pois com ela o administrador poderia entender o comportamento das pessoas na organização. Laplastine. A colaboração é um fenômeno estritamente social. Outro aspecto importante para a administração. Essa necessidade provoca um estado de tensão em substituição ao anterior estado de equilíbrio. Um ciclo motivacional pode ser descrito da seguinte forma: O organismo humano permanece em estado de equilíbrio psicológico (equilíbrio de forças psicológicas) até que um estímulo o rompa e crie uma necessidade. até que outro estímulo sobrevenha. Brasiliense. 2003. expectativas e modos rotineiros de reagir às situações. A liderança é a característica ligada à capacidade de motivar em prol de um objetivo definido. François. Se satisfeita a necessidade. ilógico. tem grande influência para a administração. A tensão conduz a um comportamento ou ação capaz de atingir alguma forma de satisfação dessa necessidade. calcado inteiramente em códigos sociais. ligado a psicologia e a sociologia. convenções. enquanto que o operário americano não se importa que com a maior remuneração possível com o menor esforço. nesta disciplina. por sua importância na determinação do comportamento e na formação dos valores do indivíduo. Bibliografia: Rocha. Aprender Antropologia. conhecer as interações sociais surgidas dentro da organização. o organismo retorna a seu estado de equilíbrio inicial. aquele para quem a motivação econômica passa a ser secundária frente a outros aspectos como: reconhecimento. a sociologia passaria a ser ferramenta essencial para a administração. mas sim de psicologia. .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful