Você está na página 1de 44

Deus Regozijando-

se na Nova Criação

Sermão nº 2211

Por Charles H. Spurgeon (1834-1892)

Traduzido, Adaptado e
Editado por Silvio Dutra

Dez/2018
S772
Spurgeon, Charles H.- 1834-1892
Deus regozijando-se na nova criação / Charles
H. Spurgeon
Tradução e adaptação Silvio Dutra Alves – Rio
de Janeiro, 2018.
44p.; 14,8 x21cm

1. Teologia. 2. Pregação. 3. Alves, Silvio Dutra.


I. Título.

CDD 252

2
“Pois eis que eu crio novos céus e nova terra; e
não haverá lembrança das coisas passadas,
jamais haverá memória delas. Mas vós folgareis
e exultareis perpetuamente no que eu crio;
porque eis que crio para Jerusalém alegria e
para o seu povo, regozijo. E exultarei por causa
de Jerusalém e me alegrarei no meu povo, e
nunca mais se ouvirá nela nem voz de choro
nem de clamor.” (Isaías 65: 17-19)

Esta passagem, como o restante dos capítulos


finais de Isaías, terá completa realização nos
últimos dias, quando Cristo vier, quando toda a
companhia de Seus eleitos tiver sido recolhida
do mundo, quando toda a criação tiver sido
renovada, quando novos céus e uma nova terra
serão o produto do poder do Salvador, quando,
para todo o sempre, os santos perfeitos de Deus
contemplarão o Seu rosto e se alegrarão e se
regozijarão nEle.

Espero e creio que os versos seguintes


descrevam realmente a condição dos remidos
durante o reinado de Cristo sobre a terra; pois:

“20 Não haverá mais nela criança para viver


poucos dias, nem velho que não cumpra os seus;
porque morrer aos cem anos é morrer ainda
3
jovem, e quem pecar só aos cem anos será
amaldiçoado.

21 Eles edificarão casas e nelas habitarão;


plantarão vinhas e comerão o seu fruto.

22 Não edificarão para que outros habitem; não


plantarão para que outros comam; porque a
longevidade do meu povo será como a da árvore,
e os meus eleitos desfrutarão de todo as obras
das suas próprias mãos.

23 Não trabalharão debalde, nem terão filhos


para a calamidade, porque são a posteridade
bendita do SENHOR, e os seus filhos estarão
com eles.

24 E será que, antes que clamem, eu


responderei; estando eles ainda falando, eu os
ouvirei.

25 O lobo e o cordeiro pastarão juntos, e o leão


comerá palha como o boi; pó será a comida da
serpente. Não se fará mal nem dano algum em
todo o meu santo monte, diz o SENHOR.”

Mas a obra de que se fala no texto já começou


entre nós. Haverá uma nova criação literal, mas
essa nova criação já começou, e penso, portanto,
que mesmo agora devemos manifestar uma
parte da alegria. Se somos chamados a nos
4
alegrar com a realização da obra, regozijemo-
nos até mesmo no começo dela. O próprio
Senhor se alegrará e se regozijará, e nós, que
somos solidários com Ele, somos exortados e até
ordenados a sermos felizes; não nos deixemos
negligenciar neste dever celestial. Você sabe o
que é essa obra da criação, que está aqui três
vezes prometida nas palavras: “Eu crio. . . Eu crio
. . . Eu crio"? É evidentemente uma segunda
criação, que deve eclipsar totalmente a
primeira, e tirá-la da memória. Devo contar a
história?

A primeira criação foi tão justa que, quando o


Senhor olhou para ela, com o homem como
clímax e coroa, Ele disse: “É muito bom”, mas
falhou no homem o que deveria ter sido sua
glória. O homem pecou, e em seu pecado ele
estava tão ligado a toda a terra, que ele arrastou-
a para baixo com ele. O lodo da serpente passou
por cima de tudo. A mancha do pecado
prejudicou toda a obra de Deus neste mundo
inferior. A criação foi feita sujeita à vaidade, e
gemem de dor juntos até agora. Mas o
Infinitamente Abençoado não seria derrotado e,
em infinita condescendência, determinou que
Ele faria uma nova criação que se levantaria
sobre as ruínas da primeira. Ele resolveu que,
sob um segundo Adão, algo mais do que o
Paraíso deveria ser restaurado no universo. Ele
5
propôs que Ele iria desfazer, através de Jesus
Cristo, a Semente da mulher, todo o mal que
havia sido trabalhado pela serpente. Ele
começou a desfazer esse mal, e a trabalhar essa
nova criação, e assim começou que Ele nunca
retirará Sua mão até que o trabalho esteja
terminado. Ele começou assim; colocando
novos corações em tantos quantos Ele chamou
pelo Seu Espírito, regenerando-os e fazendo-os
se tornarem novas criaturas em Cristo Jesus.
Estes o apóstolo nos diz que são uma espécie de
primícias desta nova criação. Nós somos o
começo do futuro ajuntamento. Nossos
espíritos recém-nascidos são as primeiras
espigas maduras de milho de uma colheita
maravilhosa que virá por aí. Os espíritos dos
santos são, em primeiro lugar, recém-criados,
mas suas partes corporais permanecem na
velha criação. Por isso, sofremos dores, pois
embora o Espírito seja vida por causa da justiça,
“o corpo está morto por causa do pecado”. Mas
seus corpos serão recém-criados, quando, dos
leitos de poeira e argila silenciosa, eles se
levantarem na beleza imortal. A ressurreição
será para o corpo o que a regeneração é para a
alma. Quando corpo e alma são assim criados de
novo, toda a terra ao redor deles, na qual eles
devem habitar, será, ao mesmo tempo,
renovada também, e assim Deus fará os
espíritos, as mentes, os corpos, e as moradas de
6
homens, todos novos. Esses corpos, estimulados
pelo Seu Espírito que habita em nós e unidos às
almas purificadas e refinadas, pisarão em uma
terra liberta da maldição, e serão cobertos sob
novos céus.

Eles não têm novos desejos? Todos acima deles


não deveriam ser novos? Eles devem pisar uma
nova terra, porque eles têm novos caminhos. Na
medida em que isso deve ser motivo de alegria,
e o texto nos convida a isso, eu venho pressionar
sobre você o doce dever do deleite presente.

Oh, quando a felicidade é feita como um


preceito, quando a alegria é feita uma ordem,
não posso deixar de esperar que o povo de Deus,
a quem eu estou falando agora, responda ao
chamado! A alegria se tornou um dever? Então
estaremos felizes. A alegria se tornou um
preceito? Então, de bom grado, obedeceremos e
nosso coração dançará de alegria.

Eu vou ler o texto novamente, e então vamos


considerar que tipo de alegria é que surge da
obra da graça divina na nova criação. “Pois eis
que eu crio novos céus e nova terra; e não haverá
lembrança das coisas passadas, jamais haverá
memória delas. Mas vós folgareis e exultareis
perpetuamente no que eu crio; porque eis que
crio para Jerusalém alegria e para o seu povo,
7
regozijo. E exultarei por causa de Jerusalém e
me alegrarei no meu povo, e nunca mais se
ouvirá nela nem voz de choro nem de clamor.”

I. Primeiro, então, acerca da alegria a que somos


chamados, diríamos: É ALEGRIA NA CRIAÇÃO:
“Eis que crio novos céus e uma nova terra. Eu
crio Jerusalém em júbilo, e seu povo é uma
alegria”. Devo confessar que acho uma coisa
muito certa e excelente que você e eu devamos
nos regozijar na criação natural de Deus. Não
creio que qualquer homem esteja
completamente além da esperança, que não
possa se deleitar nos céus noturnos enquanto
observa as estrelas, e sinta a alegria ao pisar nos
prados, enfeitados com taças e margaridas. Ele
não está perdido para coisas melhores que, nas
ondas, alegram-se nas coisas rastejantes
inumeráveis retiradas das vastas profundezas,
ou que, nas florestas, se encantam com os doces
cânticos dos menestréis emplumados. O
homem que é completamente mau raramente
se deleita na natureza, mas se afasta no artificial
e no sensual. Ele se preocupa com o suficiente
com os campos, exceto que ele pode caçá-los,
pouco o suficiente em ter terras, a menos que
possa arrendar o aluguel delas; pouco o
suficiente para viver coisas exceto para abate ou
para venda. Ele recebe a noite apenas pela
indulgência de seus pecados, mas as estrelas
8
não são uma metade tão brilhantes para ele
quanto as luzes que os homens acenderam, para
ele, de fato, as constelações brilham em vão.
Uma das mais puras e inocentes alegrias, além
das coisas espirituais, nas quais um homem
pode se entregar, é uma alegria nas obras de
Deus.

Confesso que não tenho simpatia pelo bom


homem que, quando desceu o Reno, mergulhou
na cabana para não ver o rio e as montanhas, a
fim de não ser absorvido neles, e esquecer seu
Salvador. Eu gosto de ver meu Salvador nas
colinas e nas margens do mar. Ouço a voz do
meu pai no trovão e ouço os sussurros do Seu
amor na cadência das ondas iluminadas pelo sol.
Estas são as obras de meu Pai e, portanto, eu as
admiro, e pareço estar mais perto dele quando
estou entre elas.

Se eu fosse um grande artista, eu acharia um


pequeno elogio se meu filho entrasse em minha
casa e dissesse que não notaria os quadros que
eu havia pintado, porque ele só queria pensar
em mim. Ele ali condenaria minhas pinturas,
pois se elas fossem boas para qualquer coisa, ele
ficaria feliz em ver minha mão nelas. Oh, mas
com certeza, tudo o que vem da mão de um
Mestre Artista como Deus tem algo de Si
mesmo! O Senhor se regozija em Suas obras, e
9
não fará o Seu povo assim? Ele disse do que ele
havia feito: "É muito bom", e não pode ser muito
bom a si mesmo quem pensa que aquilo que
Deus faz não é muito bom. Nisso ele contradiz
seu Deus. É um mundo maravilhoso em que
vivemos - “Toda perspectiva agrada, e somente
o homem é vil”. Há belos pontos neste belo
mundo que deve fazer até mesmo um devoto
blasfemo.

Eu disse, entre as montanhas: “Aquele que não


vê a Deus aqui é louco.” Há coisas que Deus fez
que se sobrepõem com um senso de Sua
Onipotência; como os homens podem vê-los e
duvidar da existência da Deidade? Quer você
considere a anatomia do corpo, ou a
conformação dos poderosos céus, você é um
observador das maravilhas de Deus. Imagino
que o escarnecedor não abaixe a cabeça - pelo
menos em silêncio, e possua a infinita
supremacia de Deus. Bem, agora, se houver, e
tenho certeza de que há algo puro e elevado em
alegria em Deus como o Criador das coisas
comuns; como o Criador de toda esta primeira
criação; muito mais há algo brilhante, puro e
espiritualmente estimulante, regozijando-se
nas obras superiores de Deus, nas obras
espirituais de Deus, na nova criação de Deus. Eu
penso, se um homem sente dentro dele um
novo coração, e se alegra em seu novo
10
nascimento; se ele vê em outras vidas novas e
santas, e se alegra nelas; se ele ouve a pregação
do evangelho e descobre nela novos e melhores
princípios, como o velho e desgastado mundo
jamais poderia ter descoberto - por que esse
homem é um homem gracioso. O olho que pode
ver a nova natureza é um olho que a graça deu, e
foi recém aberto para a nova luz. O coração que
pode se alegrar na nova criação é um coração
que se renova, ou então não compreenderia as
coisas espirituais e não se regozijaria nelas.
Convido-os, portanto, queridos amigos - vocês
que veem, conhecem e apreciam um pouco a
nova criação em seus primórdios - a se
alegrarem e se regozijarem nesta noite. É uma
coisa deliciosa que Deus faça uma árvore, e
lance-a na primavera com toda a sua verdura. É
uma coisa muito melhor que Deus tenha um
coração espinhoso como o seu e o meu, e o
transforme até que ele se torne como a palmeira
para o Seu louvor.

É uma visão encantadora quando as lâmpadas


que dormem debaixo da terra durante o
inverno, seguram suas taças douradas para
serem preenchidas com a glória do sol que
retorna. Mas quão melhor é que os corações que
se deitaram em transgressões e pecados sejam
movidos pelo toque secreto do Espírito de Deus
para receber o Sol da justiça e regozijar-se nEle!
11
Quão glorioso ver uma favela se tornar um
santuário, um covil de ladrões uma casa de
Deus! Isso é ainda mais maravilhoso do que a
escuridão se tornar luz, e o caos se render à
ordem. A nova criação de Deus, mesmo em seus
primórdios aqui, e agora, é algo para deleitar a
alma de alguém. Eu oro para que vocês se
deleitem.

Veja, na criação de um novo coração, o dedo


manifesto de Deus! Que poder para transformar
a vontade humana? Para subjugar paixões
ferozes; para mudar o próprio núcleo e centro
do coração! Isso é poder no mundo moral e
espiritual tão grande quanto qualquer coisa que
possa ser vista até mesmo nas convulsões dos
terremotos.

Aqui está a sabedoria também! Falamos da


sabedoria de Deus como se vê na anatomia, na
botânica ou na astronomia; ainda esta sabedoria
é ainda mais vista na regeneração; na criação do
pecador que se afastou de Deus, para se tornar
um santo que segue a santidade, na vinda do
opositor de Cristo para se tornar Seu amigo e
advogado. Para governar a vontade e ainda
deixá-la livre; para guiar o coração, e ainda
deixar que ele escolha; reverter a lei do ser e, no
entanto, não violar nenhuma lei da natureza
humana - aqui está a sabedoria do Altíssimo. Os
12
atributos de Deus devem ser vistos na criação
visível, mas devem ser vistos em uma luz mais
brilhante e superior na nova criação. Não existe
um dos atributos de Deus que não tenha sua
ilustração sob a economia da graça, e abençoado
será todo o seu ser se você puder se alegrar
plenamente naquilo que Deus cria. Há uma
razão pela qual você é chamado a se alegrar nela,
ou seja, que você é uma parte dela. Quando os
anjos viram Deus fazendo este mundo, eles
cantaram juntos e gritaram de alegria, mas eles
não faziam parte deste mundo inferior. Eles não
tinham nada a ver com a propriedade do
homem, salvo por uma questão de simpatia.

Mas, quanto a essa nova criação de nosso


gracioso Deus, você e eu, amados, que cremos
em Jesus, somos parte disso. Essa mesma graça,
que estimulou os outros a uma nova vida, nos
estimulou. O mesmo Espírito, que deu novos
princípios e novos desejos aos outros, também
os deu a nós. O Pai nos gerou novamente pela
ressurreição de Jesus Cristo, dentre os mortos.
Nós somos os seres centrais da nova criação, e
então nos deixe nos alegrar e nos regozijar nela
com toda a nossa alma, mente e força.

Eu sei, quando eu adoecia gravemente e estando


atormentado no corpo, parecia sempre ser uma
alegria para mim que eu, meu eu interior, meu
13
espírito, tivesse sido recém-criado, e que minha
parte mais nobre pudesse se elevar acima do
sofrimento. e subir aos céus puros do reino
espiritual, e eu disse deste pobre corpo: “Você
ainda não foi recém-criado. Ainda o veneno da
velha serpente te contamina, mas você ainda
será libertado. Você ressuscitará se morrer e for
sepultado, ou será mudado se o Senhor vier de
repente. Você, pobre corpo, você que me arrasta
até o pó em dor e tristeza, você mesmo se
levantará, e será feito de novo na adoção, a
saber, a redenção do corpo, pois a nova criação
começou em mim até mesmo o sincero do
Espírito.” Ó amado, você não pode se alegrar
com isso? Eu o incitaria a fazê-lo. Alegre-se com
o que Deus está fazendo nesta nova criação!
Deixe todo o seu espírito estar feliz! Transbordar
de alegria! Solte as torrentes de louvor! Salte
para baixo, você catarata de alegria! Bem, esse é
o nosso primeiro ponto. É uma alegria na
criação.

II. E, em segundo lugar, É UMA ALEGRIA QUE


ECLIPSA TODA QUE FOI ANTES. Agora, meu
texto é: “E os primeiros não serão lembrados,
nem virão à mente.” A grande obra nova de Deus
deve nos encher de tanta alegria que nos faça
esquecer a velha criação, como se disséssemos
a nós mesmos— “O que são o sol e a lua? Não
teremos necessidade dessas luzes variáveis na
14
perfeição da nova criação, pois no céu, "Eles não
precisam de vela, nem de luz do sol". O que é o
mar, embora seja o próprio espelho da beleza?
Nessa nova criação não haverá mais mar e as
tempestades e tempestades serão todas
desconhecidas. Quais são esses luxos da visão e
da audição? Não os quereremos quando nossos
olhos contemplarem o Rei em Sua beleza na
terra que está muito longe. A alegria do
espiritual é tal que, embora admita a alegria do
natural, no entanto, ele engole a vara de Arão,
tragando as varas dos magos. Naqueles últimos
dias, estaremos em sintonia com o Dr. Watts
quando ele cantou –

“Oh! Que visão gloriosa

aparece aos nossos olhos crentes!

A terra e os mares se foram

E os velhos céus ondulantes.

Do terceiro céu, onde Deus reside,

Aquele lugar santo e feliz,

A nova Jerusalém desce,

Adornada com graça resplandecente.


15
O Deus da glória até os homens

Remove Sua abençoada morada,

Os homens, os objetos queridos de Sua graça,

E Ele, seu Deus amoroso.

Sua própria mão macia enxugará as lágrimas

De todo olho choroso

E dores e gemidos e aflições e medos

E a própria morte morrerá.”

Como um exemplo do poder expulsivo de um


novo deleite, todos nós sabemos como a
memória da antiga dispensação se foi de nós.

Irmãos, algum de vocês alguma vez chorou


porque não se sentou na Páscoa? Você já se
arrependeu do cordeiro pascal? Oh, nunca,
porque você se alimentou de Cristo! Houve
algum homem que conhecesse seu Senhor que
lamentasse nunca ter tido o sinal do antigo
pacto abraâmico em sua carne? Não, ele
alegremente dispensa os ritos da antiga aliança,
já que ele tem a plenitude de seu significado em
seu Senhor. O crente é circuncidado em Cristo,
sepultado em Cristo, ressuscitado em Cristo e
16
em Cristo exaltado aos lugares celestiais. Você já
se arrependeu da ausência do holocausto, da
novilha vermelha ou de algum dos sacrifícios e
ritos dos judeus? Você já desejou a festa dos
tabernáculos ou a da dedicação? Não, porque,
embora aqueles fossem como os antigos céus e
terra para os crentes judeus, eles já passaram, e
agora vivemos sob novos céus e uma nova terra,
no que diz respeito à dispensação do
ensinamento divino. A substância chegou e a
sombra se foi, e não nos lembramos disso.
Agora, quero que você se sinta o mesmo em
relação a toda a sua vida anterior, como agora
sente em relação a essa antiga dispensação. O
mundo está morto para você e você para o
mundo. Os costumes e as atrações carnais são
abolidos, assim como os antigos sacrifícios são
abolidos. Quais foram seus pecados? Eles são
apagados; as profundezas os cobriram; você
nunca mais os verá para sempre. Não busque
por eles como se você tivesse uma estima
prolongada por eles. Não lhes venha à mente
senão para vos excitar ao arrependimento.
Quais foram os seus prazeres quando você viveu
em pecado? Esqueça eles. Eles eram males
insípidos, enganosos e destrutivos. Você tem
um prazer maior agora que encanta sua alma.
Quais foram as tristezas de sua vida passada,
especialmente suas tristezas ao vir a Cristo?
Você não precisa se lembrar deles, mas, como a
17
mulher que não se lembra mais de seu trabalho
pela alegria que um homem nasce ao mundo, o
seu nascimento na nova criação faz com que
você esqueça todos os sofrimentos do seu
espírito ao chegar lá. “Coisas antigas já
passaram; eis que todas as coisas se tornaram
novas!”. Gostaria que Deus, para que a alegria da
nova criação nos enchesse até a borda, não
deveríamos imaginar nenhuma outra alegria.
Isso coloca toda a outra alegria como o sol
esconde todas as estrelas. Vão todas embora;
deixe tudo ir; enrolado como os céus e a terra
devem ser, como vestimentas todas gastas, que
toda a minha vida passada seja deixada de lado.
Agora ponho a minha nova vestimenta de
alegria cintilante e me deleito nas coisas novas,
pois Cristo não fez todas as coisas novas para
mim? Uma nova canção está em minha boca, até
mesmo louvor a Ele para sempre; uma nova lei
está em meu coração; e um novo culto envolve
todos os meus poderes. Há grande possibilidade
de ampliação aqui, mas não me demorei, para
não afastar sua alegria falando sobre isso até o
cansaço.

III. Em terceiro lugar, é uma alegria presente e


duradoura: "Alegre-se e regozije-se para sempre
naquilo que eu criei". Agora, fique feliz e agora
regozije-se; é uma alegria presente. Tenha um
interesse delicioso naquilo que Deus está
18
criando agora no reino espiritual; embora o
trabalho seja apenas no fazer, ainda assim fique
feliz com isso. Seja feliz em qualquer coisa que o
Senhor tenha criado em você. Ele criou em você
tanto da nova vida que produziu convicção,
arrependimento, fé em Cristo, esperança na
promessa, desejo de santidade? Seja feliz nisto
mesmo se você tiver outras circunstâncias
pressionando você, e fazendo com que você seja
pesado de coração. Embora você possa estar de
luto por estar tão doente, ainda assim, fique feliz
por ter nascido de novo. Se está um pouco
angustiado porque, você é tão pobre, ainda seja
feliz que você é um filho de Deus, e tem um lugar
na nova família de amor. Deixe as coisas velhas
irem, e segure o novo, o celestial.

A velha criação; carrega com ela um pouco


mais, pois o tempo de tua redenção de sua
escravidão se aproxima. Encontre sua alegria
onde Deus quer que você a encontre, a saber,
naquela parte de sua natureza que é nova, nos
novos princípios, nas novas promessas, na nova
aliança e no sangue da nova aliança, que são
seus; todos eles. Não olhe mais para os que
vivem entre os mortos, mas deixe que seu
coração habite no mundo dos vivos com seu
Senhor vivo e seja feliz. O reino de Deus está
dentro de você, regozije-se nele.
19
E também quero que você encontre sua alegria
na nova criação de Deus, como você a vê nos
outros. Os anjos se alegram com um pecador
que se arrepende; certamente você e eu
devemos fazer isso! Tente e faça o bem e leve
outros a Cristo, e quando uma alma mostrar
sinais de voltar-se para o seu Deus, que isso seja
a sua alegria. "Seja feliz e se regozije naquilo que
eu criei." Eu tive muitos rascunhos ricos deste
cálice. Não sei de nada que tenha me feito tão
feliz, centenas e milhares de vezes em minha
vida, a ponto de ver Deus trabalhando no
coração dos homens; e, sem exagero, ouvir
deste e daquele trazido a Cristo através da
audição ou da leitura dos meus sermões tem
sido um paraíso para mim!

Oh, você pode beber o quanto quiser desta taça


de simpatia com Deus em Seu novo trabalho de
criação! Não há intoxicação sobre isso -
encontrar uma alegria na obra de Deus nos
corações dos outros é um prazer saudável e
altruísta.

Conheço algumas pessoas que, se ouvem falar


de alguém que está sendo convertido, dizem que
“esperam que seja genuíno”, o que,
interpretado, significa que eles não acreditam, e
quase esperam que não seja. "Oh, mas", dizem
eles, se há um ótimo trabalho feito em qualquer
20
lugar, "eu nunca gostei de emoção! Quando
ouço muitas conversões, espero muitos
retrocessos.” Peixes frios e mortos que são,
excitação não os machucaria. Um pouco de
ebulição talvez possa lhe fazer bem. Sim, mas se
eles se encontrarem com um cristão eminente,
e cujo caráter público for o mais próximo, eles
dirão: “Ah, bem! Nós não sabemos como ele é
em casa”, e assim eles sempre têm alguma
palavra astuta para dizer contra a obra de Deus,
assim como a serpente no Éden chegando, e
sibilando: “Sim, Deus disse?” Eu preferiria ser
um daqueles que podem ver a beleza da obra de
Deus em meus companheiros cristãos, do que
aquele que pode espionar seus defeitos. Eu acho
que é muito bonito onde John Bunyan
representa Cristão e Misericórdia admirando
um ao outro. Ambos tinham se deliciado com
aquele maravilhoso banho de beleza, e
Misericórdia disse a Cristã: “Como você é linda!
Eu nunca vi ninguém tão bonita como você.”
Mas Cristã disse que ela não era nada bonita; ela
não podia ver nada sobre si mesma para
admirar, enquanto em Misericórdia ela via tudo
para estimar e amar. Oh, que tenhamos um olho
para a obra de Deus em outras pessoas e para se
alegrar nela! Tal olho não vê a si mesmo e, no
entanto, é em si uma das obras mais adoráveis
de Deus. “Alegre-se e regozije-se”, diz Deus,
“naquilo que crio”. Podemos recusar o convite
21
sagrado? Não, pelo contrário, vamos felizmente
entrar na alegria de nosso Senhor. Seja grato
pelo que Deus fez por si mesmo; Seja grato pelo
que Deus está fazendo em outras pessoas, e
lembre-se que, se você começar essa alegria,
você nunca precisará renunciar a ela, pois o
texto diz: "Alegre-se e regozije-se para sempre."

Todos os dias, esta luz de alegria está brilhando,


pois o Criador não retira Sua mão. Enquanto
você viver, haverá algo na nova criação que será
para você uma fonte de alegria e deleite. O céu
só aumentará essa alegria. Seja feliz para
sempre, porque Deus estará sempre criando
algo novo em que você possa estar feliz.

IV. Novamente, em quarto lugar, pode-se dizer


da alegria que devemos sentir, que é uma
alegria que Deus quer para nós , "porque eis que
crio para Jerusalém alegria e para o seu povo,
regozijo." Deus fez a nova cidade, o novo povo, o
novo mundo ser uma fonte de alegria. Tome
Jerusalém como o emblema da igreja de Deus.
Deus sempre intencionou que o Seu povo
escolhido, chamado e convertido fosse uma
alegria. Ele criou você com o propósito de você
mesmo, ser feliz e trazer felicidade para os
outros. Você não sabe que o nome dele é o Deus
feliz, e nada lhe dá maior felicidade do que dar
felicidade a suas criaturas? Você acha que foi
22
escolhido para ser um gemido todos os seus
dias? Você foi chamado à miséria, querido
irmão? Jesus Cristo diz: “Vinde a mim, todos os
que estais cansados e sobrecarregados e eu vos
aliviarei”? Ele diz: "Tomai o meu jugo sobre vós
e aprendei de mim que sou manso e humilde de
coração e achareis descanso para vossas
almas.”? Não; mas Ele fala sobre descanso, paz,
alegria e bem-aventurança. Um deles escreveu
para mim, alguns anos atrás, e disse que ele veio
a essa congregação e sentiu imediatamente que
devia estar no lugar errado, porque encontrou
uma assembleia tão grande. O povo de Deus, ele
disse, é um pequeno remanescente; há poucos
que serão salvos. Ele havia resolvido essa
questão em sua própria alma expandida. Mas ele
ainda estava mais certo de que ele estava no
lugar errado quando olhou para mim, porque eu
parecia feliz, e no seu julgamento, se eu
soubesse alguma coisa sobre a experiência de
um filho de Deus experimentado, meu rosto
teria sido muito mais longo, mais enrugado e
mais tristemente sério. Confesso que meu rosto
traia às vezes o fato de que sou feliz e não posso
evitar. Mas quando esse bom homem olhou em
volta da grande congregação; vocês não estavam
todos aqui então, mas quando ele olhou em volta
para a vasta congregação, e os viu parecendo tão
felizes, ele sentiu que deveria sair do prédio o
mais rápido que pudesse, pois pessoas tão
23
sorridentes não poderiam ser o afligido povo de
Deus. Ele caminhou, disse ele, a alguma
distância de nossas ruas, sentindo-se pesado no
coração por causa da alegria que testemunhou,
mas finalmente chegou a um pequeno lugar. O
próprio aspecto da capela lhe dava esperança -
era tão pequena e tão oculta. Ele entrou e, para
sua satisfação, encontrou na congregação
poucos fiéis. De qualquer forma, ele poderia
dizer isso: "Não é um pouco?" O ministro era tão
lúgubre quanto poderia ser desejado, e o
assunto estava cheio de lamentação. Ele me diz
que se sentou lá em paz, porque se viu em casa.
Fico feliz que ele tenha sido adequado. Pessoas
diferentes têm maneiras diferentes, você sabe,
e alguns amam ser confortavelmente
miseráveis. Mas me sinto miserável somente
quando me afasto do meu Senhor e da Sua obra
de nova criação. Sempre achei que, quando
posso ficar sob a sombra de Suas asas, minha
alma está em repouso, e vejo o repouso e a
felicidade como obra e fruto do Espírito: “o fruto
do Espírito é alegria e paz.” Minha impressão é
que não estou certo quando cedo à depressão e
à melancolia. Eu certamente não deveria ir a um
local de adoração em busca de dúvida e
desânimo. Tampouco devo concluir que devo
estar a caminho do céu, porque senti em meu
próprio coração algumas das misérias do
inferno. Quando estou desanimado, digo a mim
24
mesmo: “Por que você está abatida, ó minha
alma?” Eu provavelmente sei tanto sobre a
depressão do espírito quanto qualquer homem
que vive, mas eu me considero tolo e culpável,
um tolo por saber muita escuridão, e eu não
quero mais sentir isso. Eu gostaria de me afastar
disso de uma vez por todas, se pudesse, pois
devemos nos alegrar eternamente naquilo que
Deus cria. Ele criou Seu povo como uma alegria;
sim, seu povo para ser uma alegria. A nossa é
uma herança de alegria e paz. Meus queridos
irmãos e irmãs, se alguém no mundo deve ser
feliz, nós somos o povo. Quão grandes são nossas
obrigações! Quão ilimitados nossos privilégios!
Quão brilhantes são as nossas esperanças! –

"Brilho a perspectiva

que logo nos saúda

Do dia nupcial desejado,

Quando nosso Noivo celestial nos encontrar

Do seu modo de conquista real;

Na glória, a noiva e o noivo

reinam para sempre!”


25
O que deve nos tornar infelizes? Porventura as
filhas da câmara de noiva se lamentarão
enquanto o Noivo estiver com elas? Pecado?
Isso é perdoado. Aflição? - isso está funcionando
para o bem. Corrupções internas? Elas estão
condenadas a morrer. Tentações satânicas? -
vestimos uma armadura que elas não podem
penetrar. Temos todos os motivos para nos
deleitarmos e, além disso, temos este
mandamento: “Regozijai-vos também no
Senhor e Ele cumprirá os desejos do seu
coração”. Deus nos conduz a essa condição
abençoada e nos mantém lá! Deus intencionou
não apenas que devemos ter alegria, mas que
devemos espalhá-la entre outros. Ele pretende
que, onde quer que vamos, devemos ser
portadores de luz e colocar outras lâmpadas a
brilhar.

Por que alguns têm tanto medo de alegria? Eles


parecem, onde quer que vão, estar ocupados em
expulsar os cordeiros. A primeira coisa a ser
feita é: “Tire essa criança”. Querida criancinha,
com sua tagarelice agradável, tão feliz aos seus
pés! - por que manda embora? Se houver um
hino muito feliz no livro, não o cante; seria
presunçoso. Cante: “Senhor, que terra
miserável é esta!” Metro torto, chave triste,
sintonia dolorosa. Eu temo que certos cristãos
passem por este mundo, tornando-o miserável
26
enquanto passam por ele. Oh, que eles
pudessem ver que Cristo veio para destruir as
obras do diabo e nos alegrar na nova criação do
nosso Deus! Infelizmente, há pessoas
inebriantes e de coração duro que, por sua
vontade e orgulho, esmagariam todas as flores
do jardim sob seus pés! Onde quer que eles vão,
tudo é desprezado, ridicularizado e chutado por
eles! Este é o espírito do maligno. Oh, não faça
isso! Povo cristão, você não ousa ser assim; você
não será assim; Deus não vai deixar você ser
assim; você deve ser gentil, compassivo,
generoso e gracioso. Onde quer que você vá,
tente fazer os outros felizes, pois Deus cria uma
alegria para Jerusalém, e de Seu povo uma
alegria; uma alegria para os outros que não têm
alegria, uma fonte de felicidade para os mais
tristes da nossa raça. Ajudai a viúva, consolai os
órfãos, socorrei os pobres, animai os
desalentadores, contai as boas novas ao cansado
coração.

Nas mãos do Pai, nas mãos de Cristo, nas mãos


do Espírito, procurem quebrar os grilhões do
prisioneiro e trazê-lo para a luz da liberdade;
vocês também são ungidos para proclamar
liberdade aos cativos. Que o Deus da infinita
misericórdia te ajude e me ajude a fazê-lo!
27
Agora, queridos amigos, só por um minuto
sobre esta criação. Eu quero mostrar como a
obra de Deus cria pessoas que fazem a alegria.
Assim que nos convertemos, qual é uma das
primeiras coisas que vem disso? Por que alegria!
Na manhã em que encontrei Cristo, nevou
muito forte. Os flocos de neve flutuaram ao meu
redor, como pombas brancas, quando eu fui
para casa, e me senti tão leve quanto aqueles,
pois minha alma estava mais branca do que a
neve. Não era um dia de inverno sombrio para
mim, mas toda a natureza usava o vestido de
noiva em solidariedade com o meu deleite. Não
foi assim com você no dia do seu novo
nascimento? Você não estava tão feliz como
sempre poderia estar quando encontrou o
Salvador? Até agora, você vê, o Senhor criar
alegria, e é melhor ainda mais adiante. Quando
a criação de Deus continua, e um homem é
ajudado a vencer o pecado, quando a obra da
graça em sua alma cresce e aumenta, ele clama:
"Graças a Deus, que nos dá a vitória", e ele recebe
mais alegria em sua alma sobre todo pecado
vencido. Quando você e eu vemos o pecado
subjugado, não nos sentimos felizes? Sempre
que a notícia me chega de que um homem foi
resgatado da embriaguez, ou uma mulher é
salva das ruas, ou quando ouço falar de um
pecador de coração duro se arrependendo, eu
me regozijo no Senhor. Os dias de conversão são
28
os nossos feriados mais altos. Reavivamentos
são nossos jubileus. Assim, o Senhor nos dá
oportunidades de alegria e regozijo à medida
que Seu trabalho de nova criação progride passo
a passo.

Dias melhores estão reservados, pode ser, e


confio que nos próximos anos veremos mais e
mais Deus trabalhando e nos regozijaremos
nele.

Mas, aos poucos, haverá uma alegria ainda


maior. Nós entraremos no céu, e haverá alegria
entre os anjos e alegria em nosso coração sobre
a obra da nova criação de Deus, que procederá a
um ritmo glorioso. Então as nações serão
convertidas a Deus. Eu não sei quando ou
exatamente como, mas o dia virá em que Cristo
reinará de polo a polo. E que alegria isso será! De
fato, nos alegraremos naquilo que Deus cria,
como as ilhas do mar ressoarão Seu louvor!
Então Cristo, o Senhor, virá, e que alegria e
regozijo haverá no dia em que Ele tiver formado
totalmente a nova terra e os novos céus! Seu
povo antigo, a semente de Abraão, será reunido
com exultação. Nós bateremos palmas quando a
nação errante se converter ao verdadeiro Deus
e possuir o Messias rejeitado da casa de Davi! Os
gentios não serão ciumentos. Eles se regozijarão
quando o judeu entrar, e então os judeus se
29
regozijarão sobre os gentios, como eles veem
eles adorando o Deus de Abraão. Tudo o que há
de vir no futuro eterno lança luz nos olhos dos
crentes e os convida a se alegrar em
antecipação. Nada profetizado deve ser temido
por nós. Não há nada predito por vidente, ou
contemplado em visão, que possa alarmar o
cristão. Ele pode ficar serenamente à beira da
grande eternidade e dizer: “Venha! Que todo
evento anunciado se torne um fato! Derramem
seus frascos, anjos! Caia, sua estrela chamada
Verme da Madeira! Venha, Gogue e Magogue,
até a última grande batalha do Armagedom!
”Nada deve ser temido por aqueles que são um
com Jesus. Para nós, nada mais é do que alegria
e regozijo, porque Deus fez de Seu povo alegria.

V. Termino com o último ponto, É UMA


ALEGRIA QUE COMPARTILHAMOS COM
DEUS. Suavemente, minha língua! Tímida e
cautelosamente fale aqui! Aqui está sua
autorização para supor uma comunhão com
Deus e o homem nesta alegria: “E exultarei por
causa de Jerusalém e me alegrarei no meu povo,
e nunca mais se ouvirá nela nem voz de choro
nem de clamor.” O maravilhoso vem aqui. O
próprio Deus, o sempre abençoado, encontra
alegria em sua nova criação. Aqui é motivo de
maravilha. Eu tenho dito muitas vezes a você
que quando o Senhor fez o mundo material, não
30
havia muito nele para tocar Sua natureza
espiritual, e assim Ele simplesmente falou e
disse, em prosa simples: “Isto é bom”. Isso era
tudo; Ele disse que era bom. Mas quando o
Senhor tiver feito novos céus e nova terra,
quando Ele tiver terminado, quando a noiva de
Cristo for trazida a Ele - você conhece a palavra
“Ele descansará em Seu amor, Ele se alegrará
com ela cantando.” Você já teve em seus
corações a ideia do Senhor Deus cantando?
Deus cantando sobre a sua igreja, sobre a sua
Jerusalém, sobre sua nova criação! Deus
cantando! Eu posso entender os anjos cantando
de alegria sobre a obra de Deus, mas aqui está
Deus cantando sobre seu próprio trabalho. Eu
lhe direi algo mais maravilhoso que isso; é que
você deve fazer parte desse trabalho e que Deus
deveria cantar sobre você. E, no entanto, isso
não é muito uma maravilha, pois Ele não é o Pai,
e o Pai não canta sobre Seu filho pródigo que
vagou e voltou? Ele não é o Salvador que nos
comprou com o Seu sangue, e cantará sobre nós
que somos a aquisição de Suas agonias? Ele é o
Espírito, e não é o Espírito, que tem lutado
conosco e operado todas as nossas obras em
nós, quando a Sua obra está feita, e nós somos
santificados? Pai, quando todos os seus
propósitos eternos forem cumpridos, você se
alegrará com o seu povo! Filho de Deus,
Redentor quando todas as Suas agonias tiverem
31
recebido sua recompensa na salvação de Seus
remidos, Você se regozijará com os Seus
escolhidos! Espírito Santo, quando todos os Seus
condescendentes que habitam em nós tiverem
cumprido seu desígnio, Você se regozijará em
Seu povo!

Venha agora, amado, regozije-se com o coração


divino! Quando o pai encontrou seu filho, ele fez
toda a família feliz, e não seremos nós? Quando
a mulher encontrou seu dinheiro, ela convocou
seus amigos e vizinhos e disse: “Regozijem-se
comigo; porque achei a moeda que havia
perdido”. Não nos regozijaremos com o Espírito
pelas peças de prata perdidas?

Quando o pastor trouxe suas ovelhas para casa,


ele disse: “Alegrai-vos comigo; porque
encontrei a minha ovelha que se perdeu”.

Vinde, pois, regozijai-vos com o Pai, alegrai-vos


com o Filho, alegrai-vos com o Espírito, e se o
Senhor Deus, como a Trindade na Unidade, nos
convida a sermos felizes e nos regozijarmos
naquilo que Ele cria, não nos detenhamos, mas
vamos cantar Seu incomparável amor, e poder
de nova criação, e sabedoria infinita.

Tenho certeza que você vai cantar, você deve


cantar mesmo agora, se você se conhece como
32
parte disso. E agora eu fecho com esta
observação. Ninguém jamais se regozijará nesta
nova obra criadora de Deus enquanto se regozija
em suas próprias obras, confiando em si mesmo
e ostentando seus próprios méritos. É um sinal
de graça quando um homem está cansado de si
mesmo e está em harmonia com Deus. Quando
ele deixa de se alegrar com o que ele pode fazer,
e se regozija com o que Deus fez e está fazendo,
então uma mudança foi trabalhada sobre ele.

Alguns de vocês estão tentando salvar a si


mesmos e se endireitar diante de Deus; assim
também os mortos poderiam tentar encontrar
vida para si mesmos. Isso não pode ser feito.
Você deve ser renovado por um poder que não
possui dentro de si - por um poder divino. Você
deve nascer de novo e esta é a obra de Deus; não
o seu trabalho.

Saberemos quando esta obra celestial é iniciada


em você quando você deixar de se alegrar com
qualquer coisa que você é ou pode ser de si
mesmo, e então você deve se alegrar com aquilo
que Deus cria em você.

Toque os sinos do céu! Sintonize suas vozes,


filhos da terra! Aquele que faz todas as coisas
novas está no trono, trabalhando em Seu santo
prazer. Aleluia! Aleluia! Amém.
33
PORÇÕES DAS ESCRITURAS LIDAS ANTES DO
SERMÃO - ROMANOS 8: 19-28; 2 Pedro 3: 3-13.

O Sr. SPURGEON esteve gravemente doente,


mas as orações do povo do Senhor, no
Tabernáculo e em outros lugares, foram
graciosamente respondidas em seu favor. A
sincera ação de graças deve ser prestada ao
Senhor por sua recuperação parcial,
juntamente com súplicas sinceras por sua
completa restauração à saúde e força. Sr. e Sra.
SPURGEON são profundamente gratos pela
simpatia generalizada que se manifestou
durante esta temporada de grave provação.

Nota do Tradutor: Este sermão foi pregado por


Spurgeon quando se encontrava muito
enfermo, e esta enfermidade seria a causa de
sua morte não mais do que um ano depois de ter
pregado. Ele sempre falou de nos alegrarmos
em Deus até o seu último momento aqui neste
mundo, e não foram poucas as perseguições,
enfermidades e vicissitudes que ele teve que
enfrentar durante toda a sua jornada terrena.

Nós, devemos seguir o seu exemplo, para que


não nos deixemos abater, especialmente em
dias tão turbulentos e iníquos como os nossos,
em que o pecado se espalha por todas as partes
34
da terra, trazendo aflições para todos aqueles
que pretendem viver de modo piedoso e santo.

A Verdade Maior e Eterna

Que está por detrás de outras verdades.

É verdade que Deus tem se levantado muitas


vezes na história da humanidade para prover
libertação de opressões e injustiças, e punir
grandes transgressores que fazem mal ao seu
próximo.

Isto é feito especialmente em relação a


governantes e juízes opressores. As páginas da
história estão cheias destes testemunhos em
que Deus operou livramentos, especialmente
no Velho Testamento, e certamente ainda
continua operando.

Mas uma outra verdade que é permanente e


eterna se levanta em meio a tais livramentos, a
saber, a de que isto não significa
necessariamente que Deus esteja satisfeito com
todos os que são assim libertados, pois isto é
feito por pura graça e misericórdia no sentido
temporal, e não por causa de qualquer mérito
35
quanto à satisfação da justiça eterna por parte
dos que foram livrados do mal opressor da
corrupção governamental.

Há somente um meio pelo qual se pode agradar


a Deus de forma a se atender às demandas de
Sua justiça e santidade, que é pela obtenção do
perdão e justificação relativos aos nossos
pecados por meio da cobertura da justiça de
Jesus Cristo, a qual é obtida somente por meio
do arrependimento e da fé nEle.

Se assim não fosse, poder-se-ia pensar que o


próprio Deus estivesse omisso e fosse injusto
em permitir que pessoas que amam a justiça
sejam oprimidas e governadas neste mundo por
aqueles que amam e praticam o mal. Tal não é o
caso porque através destas opressões a fé dos
justos é fortalecida e aperfeiçoada, e eles
aprendem de modo definitivo que este mundo é
de fato um mundo de trevas e que a natureza
terrena é inimizade contra Deus, e assim,
aprendem a vigiar por si mesmos, para que eles
também não sejam vencidos pelo mal, vindo a
serem praticantes da injustiça, agindo contra os
mandamentos de Deus.

36
Romanos– 8

1 Agora, pois, já nenhuma condenação há para


os que estão em Cristo Jesus.

2 Porque a lei do Espírito da vida, em Cristo


Jesus, te livrou da lei do pecado e da morte.

3 Porquanto o que fora impossível à lei, no que


estava enferma pela carne, isso fez Deus
enviando o seu próprio Filho em semelhança de
carne pecaminosa e no tocante ao pecado; e,
com efeito, condenou Deus, na carne, o pecado,

4 a fim de que o preceito da lei se cumprisse em


nós, que não andamos segundo a carne, mas
segundo o Espírito.

5 Porque os que se inclinam para a carne


cogitam das coisas da carne; mas os que se
inclinam para o Espírito, das coisas do Espírito.

6 Porque o pendor da carne dá para a morte, mas


o do Espírito, para a vida e paz.

7 Por isso, o pendor da carne é inimizade contra


Deus, pois não está sujeito à lei de Deus, nem
mesmo pode estar.

8 Portanto, os que estão na carne não podem


agradar a Deus.
37
9 Vós, porém, não estais na carne, mas no
Espírito, se, de fato, o Espírito de Deus habita em
vós. E, se alguém não tem o Espírito de Cristo,
esse tal não é dele.

10 Se, porém, Cristo está em vós, o corpo, na


verdade, está morto por causa do pecado, mas o
espírito é vida, por causa da justiça.

11 Se habita em vós o Espírito daquele que


ressuscitou a Jesus dentre os mortos, esse
mesmo que ressuscitou a Cristo Jesus dentre os
mortos vivificará também o vosso corpo mortal,
por meio do seu Espírito, que em vós habita.

12 Assim, pois, irmãos, somos devedores, não à


carne como se constrangidos a viver segundo a
carne.

13 Porque, se viverdes segundo a carne,


caminhais para a morte; mas, se, pelo Espírito,
mortificardes os feitos do corpo, certamente,
vivereis.

14 Pois todos os que são guiados pelo Espírito de


Deus são filhos de Deus.

15 Porque não recebestes o espírito de


escravidão, para viverdes, outra vez,
atemorizados, mas recebestes o espírito de
adoção, baseados no qual clamamos: Aba, Pai.
38
16 O próprio Espírito testifica com o nosso
espírito que somos filhos de Deus.

17 Ora, se somos filhos, somos também


herdeiros, herdeiros de Deus e co-herdeiros
com Cristo; se com ele sofremos, também com
ele seremos glorificados.

18 Porque para mim tenho por certo que os


sofrimentos do tempo presente não podem ser
comparados com a glória a ser revelada em nós.

19 A ardente expectativa da criação aguarda a


revelação dos filhos de Deus.

20 Pois a criação está sujeita à vaidade, não


voluntariamente, mas por causa daquele que a
sujeitou,

21 na esperança de que a própria criação será


redimida do cativeiro da corrupção, para a
liberdade da glória dos filhos de Deus.

22 Porque sabemos que toda a criação, a um só


tempo, geme e suporta angústias até agora.

23 E não somente ela, mas também nós, que


temos as primícias do Espírito, igualmente
gememos em nosso íntimo, aguardando a
adoção de filhos, a redenção do nosso corpo.
39
24 Porque, na esperança, fomos salvos. Ora,
esperança que se vê não é esperança; pois o que
alguém vê, como o espera?

25 Mas, se esperamos o que não vemos, com


paciência o aguardamos.

26 Também o Espírito, semelhantemente, nos


assiste em nossa fraqueza; porque não sabemos
orar como convém, mas o mesmo Espírito
intercede por nós sobremaneira, com gemidos
inexprimíveis.

27 E aquele que sonda os corações sabe qual é a


mente do Espírito, porque segundo a vontade de
Deus é que ele intercede pelos santos.

28 Sabemos que todas as coisas cooperam para


o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que
são chamados segundo o seu propósito.

29 Porquanto aos que de antemão conheceu,


também os predestinou para serem conformes
à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o
primogênito entre muitos irmãos.

30 E aos que predestinou, a esses também


chamou; e aos que chamou, a esses também
justificou; e aos que justificou, a esses também
glorificou.
40
31 Que diremos, pois, à vista destas coisas? Se
Deus é por nós, quem será contra nós?

32 Aquele que não poupou o seu próprio Filho,


antes, por todos nós o entregou, porventura, não
nos dará graciosamente com ele todas as coisas?

33 Quem intentará acusação contra os eleitos de


Deus? É Deus quem os justifica.

34 Quem os condenará? É Cristo Jesus quem


morreu ou, antes, quem ressuscitou, o qual está
à direita de Deus e também intercede por nós.

35 Quem nos separará do amor de Cristo? Será


tribulação, ou angústia, ou perseguição, ou
fome, ou nudez, ou perigo, ou espada?

36 Como está escrito: Por amor de ti, somos


entregues à morte o dia todo, fomos
considerados como ovelhas para o matadouro.

37 Em todas estas coisas, porém, somos mais


que vencedores, por meio daquele que nos
amou.

38 Porque eu estou bem certo de que nem a


morte, nem a vida, nem os anjos, nem os
principados, nem as coisas do presente, nem do
porvir, nem os poderes,
41
39 nem a altura, nem a profundidade, nem
qualquer outra criatura poderá separar-nos do
amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso
Senhor.

2Pedro– 3

1 Amados, esta é, agora, a segunda epístola que


vos escrevo; em ambas, procuro despertar com
lembranças a vossa mente esclarecida,

2 para que vos recordeis das palavras que,


anteriormente, foram ditas pelos santos
profetas, bem como do mandamento do Senhor
e Salvador, ensinado pelos vossos apóstolos,

3 tendo em conta, antes de tudo, que, nos


últimos dias, virão escarnecedores com os seus
escárnios, andando segundo as próprias paixões

4 e dizendo: Onde está a promessa da sua vinda?


Porque, desde que os pais dormiram, todas as
coisas permanecem como desde o princípio da
criação.

5 Porque, deliberadamente, esquecem que, de


longo tempo, houve céus bem como terra, a qual
surgiu da água e através da água pela palavra de
Deus,
42
6 pela qual veio a perecer o mundo daquele
tempo, afogado em água.

7 Ora, os céus que agora existem e a terra, pela


mesma palavra, têm sido entesourados para
fogo, estando reservados para o Dia do Juízo e
destruição dos homens ímpios.

8 Há, todavia, uma coisa, amados, que não


deveis esquecer: que, para o Senhor, um dia é
como mil anos, e mil anos, como um dia.

9 Não retarda o Senhor a sua promessa, como


alguns a julgam demorada; pelo contrário, ele é
longânimo para convosco, não querendo que
nenhum pereça, senão que todos cheguem ao
arrependimento.

10 Virá, entretanto, como ladrão, o Dia do


Senhor, no qual os céus passarão com
estrepitoso estrondo, e os elementos se
desfarão abrasados; também a terra e as obras
que nela existem serão atingidas.

11 Visto que todas essas coisas hão de ser assim


desfeitas, deveis ser tais como os que vivem em
santo procedimento e piedade,

12 esperando e apressando a vinda do Dia de


Deus, por causa do qual os céus, incendiados,
43
serão desfeitos, e os elementos abrasados se
derreterão.

13 Nós, porém, segundo a sua promessa,


esperamos novos céus e nova terra, nos quais
habita justiça.

14 Por essa razão, pois, amados, esperando estas


coisas, empenhai-vos por serdes achados por
ele em paz, sem mácula e irrepreensíveis,

15 e tende por salvação a longanimidade de


nosso Senhor, como igualmente o nosso amado
irmão Paulo vos escreveu, segundo a sabedoria
que lhe foi dada,

16 ao falar acerca destes assuntos, como, de fato,


costuma fazer em todas as suas epístolas, nas
quais há certas coisas difíceis de entender, que
os ignorantes e instáveis deturpam, como
também deturpam as demais Escrituras, para a
própria destruição deles.

17 Vós, pois, amados, prevenidos como estais de


antemão, acautelai-vos; não suceda que,
arrastados pelo erro desses insubordinados,
descaiais da vossa própria firmeza;

18 antes, crescei na graça e no conhecimento de


nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. A ele seja
a glória, tanto agora como no dia eterno.
44

Interesses relacionados