Você está na página 1de 77

O Administrador Fiel

EDITORIAL:
Autor: Michael Aboud
1ª Edição: Julho 2012
2ª Edição:
Projeto Gráfico: Paulo Roberto Silva
Capa: Maicom França
Diagramação: Paulo Roberto Silva
Coordenação Editorial: Gabriella Farina Ramos
Revisão Ortográfica: Gabriella Farina Ramos e Giselle Peters

A76a Aboud, Michael, 1971-


O administrador fiel / Michael Aboud. – 1. ed. - Balneário Camboriú
(SC) : New life, 2012.
p. ; 75
1. Administração. 2. Administração financeira. 3. Controle
financeiro 4. Prestação de contas. 5. Desperdício (Economia). I. Título.

ISBN: 978-85-63841-08-7
CDU: 658.3

Ficha catalográfica elaborada por Marli Machado – CRB 14/785

As citações bíblicas utilizadas neste livro são da versão Almeida


Revista e Corrigida e tem como objetivo incentivar a leitura das
Sagradas Escrituras.
É proibida a reprodução total ou parcial da presente obra em
qualquer de suas formas: gráfica, eletrônica ou audiovisual, sem
autorização prévia ou escrita do autor.
Este livro está de acordo com as mudanças propostas pelo novo
Acordo Ortográfico que passou a valer em janeiro de 2009.
Sumário
Prefácio 5
Introdução 7
Oportunidade 19
Multiplicação 23
Prestação de Contas 31
Desperdício 39
Dinheiro é Algo Espiritual 49
Conclusão 67
Prefácio
Esse livro foi um marco na minha vida que
trouxe um resultado surpreendente em todas as áreas.
Quando eu estive pela primeira vez em Israel, fui para
cumprir um voto que havia feito com a Igreja que
pastoreio e estive em Israel por três dias apenas, mas
foram os três dias que mudaram a minha vida.
E no primeiro deles, pela manhã em que acordei
em Jerusalém, fui diretamente orar pelos mais de
4.250 pedidos de oração dos membros da igreja. Eu
tinha o propósito de orar por cada um deles e logo
depois deste período de oração eu abri a Bíblia para
ler Lucas capítulo 16 e me deparei com a parábola
do Administrador Infiel. Ali, naquela manhã, Deus

5
começou a ministrar no meu coração sobre tudo o
que essa passagem fala e representa e como ela fazia
conexões com outras parábolas bíblicas. Foi neste
momento que o Senhor trouxe um dos maiores
ensinamentos da minha vida.
Primeiramente, essa palavra foi para mim, pois ela
mudou a minha vida, meus conceitos, pensamentos,
meu ministério e a forma como conduzo todas as
coisas, a partir de então.
Israel e, principalmente, Jerusalém se tornou um
lugar muito especial para mim, mas entenda que não
é nenhum misticismo, porém, todas as vezes que fui à
Cidade Santa com um propósito de buscar ao Senhor,
Ele me impactou trazendo palavras, unção, revelação
e milagres tremendos.
Por isso, quero dedicar este livro a Israel e,
principalmente, a Jerusalém, a cidade que o Senhor
escolheu para chamar de Sua, pois aquela é a terra
que mana leite e mel até os dias de hoje, lugar de
prosperidade e abundância. Sei também que Deus
fala em qualquer lugar e de várias formas, mas este
ensinamento Ele me deu em Jerusalém.
E que o Senhor Deus fale com você da mesma
forma que falou comigo e que você seja fiel em
cumprir o propósito estabelecido por Ele para a sua
vida.
Deus te abençoe a partir de agora!

6
Introdução
Há algum tempo tenho desejado escrever sobre
esse assunto – O Administrador Fiel. E se você
verdadeiramente entender essa mensagem e a receber
em seu coração, poderá experimentar um mover de
crescimento sobrenatural da parte de Deus, porque eu
creio que esse livro será a chave para o início de uma
grande multiplicação na sua vida!
Você gostaria de ganhar mais dinheiro do que
tem ganhado? Com certeza! Todas as pessoas assim
prefeririam. Gostaria de ter um casamento melhor do
que tem tido? Talvez o seu casamento já seja muito

7
bom, mas sempre pode melhorar.
O desejo de todo homem é ter mais do que já possui.
Ter uma casa melhor, um carro mais novo, roupas
melhores, mais saúde, mais alegria, um rendimento
maior, etc. Isso é natural do homem – querer mais
coisas, e ainda melhores do que as que já possui.
Crescer e multiplicar são um desejo muito pulsante
no coração de todos nós. E cometemos muitos erros
pelo ímpeto de querer crescer. Nos submetemos a
grandes loucuras em busca desse crescimento. Até
investindo no Reino de Deus podemos cometer alguns
excessos, como manipulações, ou até mesmo, passar
por cima dos nossos limites físicos.
Mas o fato é que não existe desejo maior na vida de
um homem do que crescer e multiplicar. Isso é verdade
ou não? Certamente que sim! E essa obra fará você
entender que é sua a responsabilidade de administrar
bem tudo o que Deus te dá, e ainda, mostrar-se fiel
nesse cuidado. Por isso, quero compartilhar alguns
princípios para que você se torne um administrador
fiel daquilo que Deus coloca em suas mãos.

8
Capítulo 01

Oportunidade
Existe um princípio na palavra de Deus que
nos ensina que Deus proporciona oportunidades
iguais para todas as pessoas. Isto não é apenas um
versículo bíblico ou um ditado popular, é muito mais,
é um princípio sobre o qual devemos caminhar para
experimentarmos a prosperidade de Deus.
Porém, muitas pessoas caem no pecado da
murmuração por não terem tido sucesso em algumas
áreas, mas você precisa entender que Deus nos
proporciona as oportunidades para que cresçamos.
Você apenas não observou esse princípio, por isso,
vive lamentando a sua situação.

11
Em Lucas 19:12-23 Jesus propõe uma parábola
muito interessante:
“Disse pois: Certo homem nobre partiu para
uma terra remota, a fim de tomar para si
um reino e voltar depois. E, chamando dez
servos seus, deu-lhes dez minas, e disse-
lhes: Negociai até que eu venha. Mas os seus
concidadãos odiavam-no, e mandaram após
ele embaixadores, dizendo: Não queremos que
este reine sobre nós. E aconteceu que, voltando
ele, depois de ter tomado o reino, disse que lhe
chamassem aqueles servos, a quem tinha dado
o dinheiro, para saber o que cada um tinha
ganhado, negociando. E veio o primeiro,
dizendo: Senhor, a tua mina rendeu dez
minas. E ele lhe disse: Bem está, servo bom,
porque no mínimo foste fiel, sobre dez cidades
terás autoridade. E veio o segundo, dizendo:
Senhor, a tua mina rendeu cinco minas. E
a este disse também: Sê tu também sobre
cinco cidades.E veio outro, dizendo: Senhor,
aqui está a tua mina, que guardei num
lenço; Porque tive medo de ti, que és homem
rigoroso, que tomas o que não puseste, e segas
o que não semeaste. Porém, ele lhe disse: Mau
servo, pela tua boca te julgarei. Sabias que eu

12
sou homem rigoroso, que tomo o que não pus,
e sego o que não semeei; Por que não puseste,
pois, o meu dinheiro no banco, para que eu,
vindo, o exigisse com os juros? E disse aos que
estavam com ele: Tirai-lhe a mina, e dai-a
ao que tem dez minas. (E disseram-lhe eles:
Senhor, ele tem dez minas.) Pois eu vos digo
que a qualquer que tiver ser-lhe-á dado, mas
ao que não tiver, até o que tem lhe será tirado.
E quanto àqueles meus inimigos que não
quiseram que eu reinasse sobre eles, trazei-os
aqui, e matai-os diante de mim.”

Primeiramente, aprenda que somos


mordomos daquilo que Deus confia em
nossas mãos.

Tudo o que temos não é nosso, mas está conosco


porque Ele permitiu – nossa vida, casamento, dinheiro,
negócios, ministérios, enfim, tudo o que temos foi o
Senhor que permitiu que tivéssemos e somos apenas
mordomos, administradores daquilo que Ele confiou
em nossas mãos.
Essa parábola nos revela um grande ensinamento
– quem é fiel no pouco, sobre o muito será colocado,

13
ou seja, aquilo que Deus permite você administrar, se
o fizer direito, Ele te dará mais. Entenda que receber
mais depende de como você administra o pouco que
está em suas mãos hoje.
A maioria dos cristãos já conhece essa parábola
e talvez a leem constantemente. Alguns até fazem
relação com a parábola dos talentos que também fala
sobre a questão da fidelidade. Mas uma nada tem a
ver com a outra. As histórias até são realmente muito
parecidas, mas a parábola dos talentos fala a respeito
de capacidade. Vejamos ela:
“Porque isto é também como um homem que,
partindo para fora da terra, chamou os seus
servos, e entregou-lhes os seus bens. E a um
deu cinco talentos, e a outro dois, e a outro
um, a cada um segundo a sua capacidade, e
ausentou-se logo para longe. E, tendo ele
partido, o que recebera cinco talentos negociou
com eles, e granjeou outros cinco talentos. Da
mesma sorte, o que recebera dois, granjeou
também outros dois. Mas o que recebera um,
foi e cavou na terra e escondeu o dinheiro do
seu senhor. E muito tempo depois veio o senhor
daqueles servos, e fez contas com eles. Então
aproximou-se o que recebera cinco talentos,
e trouxe-lhe outros cinco talentos, dizendo:
Senhor, entregaste-me cinco talentos; eis aqui

14
outros cinco talentos que granjeei com eles. E
o seu senhor lhe disse: Bem está, servo bom
e fiel. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito
te colocarei; entra no gozo do teu senhor. E,
chegando também o que tinha recebido dois
talentos, disse: Senhor, entregaste-me dois
talentos; eis que com eles granjeei outros
dois talentos. Disse-lhe o seu senhor: Bem
está, bom e fiel servo. Sobre o pouco foste fiel,
sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu
senhor. Mas, chegando também o que recebera
um talento, disse: Senhor, eu conhecia-te,
que és um homem duro, que ceifas onde não
semeaste e ajuntas onde não espalhaste. E,
atemorizado, escondi na terra o teu talento;
aqui tens o que é teu. Respondendo, porém, o
seu senhor, disse-lhe: Mau e negligente servo;
sabias que ceifo onde não semeei e ajunto onde
não espalhei? Devias então ter dado o meu
dinheiro aos banqueiros e, quando eu viesse,
receberia o meu com os juros. Tirai-lhe pois
o talento, e dai-o ao que tem os dez talentos.
Porque a qualquer que tiver será dado, e terá
em abundância; mas ao que não tiver até o
que tem ser-lhe-á tirado. Lançai, pois, o servo
inútil nas trevas exteriores; ali haverá pranto
e ranger de dentes.” Mateus 25:14-30

15
Para um dos servos o senhor deu cinco talentos,
ao outro, concedeu-lhe dois e ao terceiro, deu somente
um. Cada um recebeu conforme a sua capacidade. Já
a parábola das minas, essa que acabamos de ler em
Lucas 19 nada tem a ver com capacidade e sim, com
oportunidade. Ela conta que o senhor chamou dez
servos e entregou-lhes dez minas - uma para cada
um, ou seja, deu de forma igual a todos.
Você percebe as diferenças? As diferenças já
começam com a quantidade distribuída. Na dos
talentos foram chamadas 3 pessoas – o primeiro
recebeu um talento, o outro, dois e para o último foi
entregue cinco talentos. E na parábola das minas,
foram envolvidos 10 servos e dado uma mina para
cada um. Na parábola dos talentos o primeiro homem
dobrou o seu talento, já na parábola das minas, o
primeiro servo conseguiu multiplicar dez vezes. E qual
foi a recompensa do homem que mais multiplicou na
parábola dos talentos? Ele recebeu estar na presença
do seu senhor, desfrutar do conforto da sua casa e
também recebeu mais um talento. Já a recompensa do
que multiplicou as dez minas foi ter 10 cidades para
governar, ser a autoridade maior dessas localidades.

16
Portanto, entenda que a parábola dos
talentos fala a respeito de capacidade
e a parábola das minas trata sobre
oportunidade.

Este é um princípio que todos nós devemos


observar para não vivermos uma vida medíocre
e fracassada, achando que as pessoas prosperam
por sorte, predestinação ou por recebem melhores
oportunidades, aquelas que nunca aparecem no
nosso caminho. Saiba que a todos são dadas as
mesmas oportunidades e, por isso, a prosperidade, o
crescimento e o sucesso dependem muito mais de nós
do que de Deus.
Mas o que significa ganhar uma mina, exatamente
como conta o texto? Significa estar de frente com uma
oportunidade e esse texto fala sobre a oportunidade
que Deus proporciona a todos nós e de forma igual.
E é sobre as Oportunidades que iremos tratar
nesse primeiro princípio. Esse texto fala sobre a
oportunidade que Deus proporciona a todos e de
forma igual. Nesse exato momento, você que está
lendo este livro tem tido a oportunidade de viver e
respirar, trabalhar, se relacionar, conquistar e está de
frente a muitas outras situações que são dadas de

17
forma igual a todos.

Entenda que Deus presenteia as pessoas de


acordo com a sua capacidade, mas a todos
Ele proporciona as mesmas oportunidades.

“Porque faz que o seu sol se levante sobre maus


e bons, e a chuva desça sobre justos e injustos.”
Mateus 5:45.

Você tem hoje a oportunidade de estar vivo, de se


casar, de trabalhar e fazer a obra Dele. Desta forma,
somos indesculpáveis por não prosperarmos. Deus dá
oportunidades iguais a todas as pessoas da terra, basta
você ser fiel e diligente.
O homem que pegou a sua mina e a negociou teve
que fazer muito esforço, trabalhar duro, correr, entrar
em contato com muitas pessoas. Ele se desdobrou
para poder devolver ao seu senhor outras dez minas.
E, por conta de todo o seu esforço, ele foi merecedor
de receber o reconhecimento e a recompensa. Foi
lhe dado muito mais do que o que ele devolveu
ao seu senhor. Ele alcançou o favor e a bênção da
multiplicação!

18
Mas nesse mesmo texto encontramos outro perfil
de servo - aquele que não fez absolutamente nada
para render algo a mais ao seu senhor. Ele não teve a
capacidade de fazer nem mesmo o mínimo. Você pode
pensar que, talvez esse que nada rendeu não era uma
pessoa de muita capacidade. Mas posso te dizer que,
com certeza, ele poderia ter feito ao menos o mínimo,
poderia ter depositado no banco e ter rendido algum
dinheiro ao seu senhor.
No versículo 23 deste capítulo o patrão dele disse:
Você poderia pelo menos ter colocado no banco e
quando eu voltasse receberia de volta os juros, ou seja,
você é indesculpável por não ter multiplicado o que eu
te dei, mesmo que fosse o mínimo. Ou seja, se ele não
tinha capacidade para fazer que, pelo menos, usasse a
oportunidade para ir um pouco além.

E aí vai um recado: se não sabe o que fazer,


procure quem saiba.

Saiba ainda que, talvez você não será o maior nem


o melhor na sua área, nem mesmo o mais rico, mas
também não precisa ser o menor, o pior ou o mais
pobre. Deus tem te dado as mesmas oportunidades
das quais muitos aproveitaram e se tornaram

19
conquistadores de grandes coisas, portanto é possível
sim, uma mudança para a sua vida.
Fato é que não encontraremos nenhuma desculpa
para justificar a ausência de atitude e esforço desse
homem. Por isso, ele não foi digno de confiança, nem
pode cuidar de nada que pertencesse ao seu senhor.
Esse homem, além de perder o pouco que possuía,
nunca será digno de receber algo maior do seu senhor.
Aquilo que você tem em sua mão, o pouco ou o
muito, precisa ser multiplicado. Quando você pega o
que Deus te deu e multiplica, está executando o plano
correto para que a multiplicação Dele venha até a sua
vida. E sabe por que o ímpio prospera e o justo quebra?
Por que o ímpio empresta e o justo toma emprestado?
Você já aprendeu que a oportunidade Deus dá a todos
de forma igual, a diferença é que tem muito ímpio
administrando com responsabilidade, em contra
partida, tem muito crente sentado, sem trabalhar, sem
fazer nada achando que todo dia o maná cairá do céu.
Entenda que o maná foi só para um tempo específico
e, quando terminou esse período, o povo teve que
trabalhar, teve que plantar e se esforçar para colher.

20
Deus está trazendo um tempo de
oportunidades, mas é um tempo para você
trabalhar, se esforçar, crer e lutar pela
conquista da promessa.

É um tempo em que você deve buscar ajuda nas


áreas em que é fraco ou não entende, pois quando
começar a multiplicar o mínimo, Deus começará a
acrescentar cada vez mais.

21
Capítulo 02

Multiplicação
O segundo princípio que trataremos é a Lei
da Multiplicação. Aquilo que você possui hoje, não
importa o que é - grande ou pequeno, muito ou pouco,
precisa ser multiplicado. Talvez você até tenha mais
do que outras pessoas por causa da sua capacidade,
mas esse texto fala que a oportunidade é igual para
todos e que o objetivo é sempre o mesmo: multiplicar.
Existem leis imutáveis sobre a terra, um exemplo é
a Lei da Gravidade, que diz que todos os objetos com
massa se atraem entre si, ou seja, o de maior massa
atrai o de menor. Qualquer objeto que você soltar na
superfície da terra será atraído para o seu centro. É

25
por isso que, na terra, tudo vai ao chão.
E a nossa vida também é regida por leis, querendo
ou não, gostando ou não, somos dirigidos por leis
imutáveis, e uma delas é a poderosa Lei da Semeadura,
que diz que tudo o que semeamos, colhemos. E não
podemos fazer relação somente com plantas ou frutos,
mas em tudo somos monitorados por esta lei – no
amor, nas amizades, no dinheiro, na agressividade e
também na honra.
Mas agora entraremos na questão de outra lei
também muito forte, a Lei da Multiplicação, que
ensina que o que você conseguir multiplicar, te será
acrescentado ainda mais. Você já deve ter ouvido
essas expressões: “Dinheiro chama dinheiro”. “Quem
mais tem, mais ganha”. “O rio sempre corre para o
mar”. Mas posso afirmar que não são apenas ditados
populares, e sim a popularização de uma lei muito
poderosa - a Lei da Multiplicação.
Deus diz, em Marcos 4 no versículo 25:
“Pois eu vos digo que a qualquer que tiver ser-
lhe-á dado, mas ao que não tiver até o que tem
lhe será tirado.”
E essa passagem é a explicação e a confirmação de
como essa Lei existe e é aplicada por Deus, porque

26
todos nós temos a oportunidade de pegar o que nos
foi dado e multiplicar, pelo menos, o mínimo, para aí
sim, começarmos a receber mais e, sendo fieis nessa
multiplicação, seremos colocados no muito, no além,
no algo a mais.
E ainda existem aquelas pessoas que vivem
dizendo que não guardam por que não tem. Deixa
eu te dar outro exemplo: Você é dizimista fiel?
Provavelmente antes de conhecer ao Senhor você
não praticava esse princípio e, por isso, nunca tinha
dinheiro sobrando para tirar 10%. Agora você retira
o dízimo do seu salário e, provavelmente, continua
não sobrando nada, mas agora você consegue separar
um valor nunca antes retirado e continua tendo suas
necessidades supridas. É assim ou não é?
Porém, se um dia, além de separar os 10% do
seu salário para o dízimo e retirar uma parte para
investir na poupança ou guardar, nem que seja um
valor mínimo, você vai perceber que, novamente se
ajustará, e ainda pagará suas contas em dia.

Porque este é o resultado da sua fidelidade


ao que lhe foi dado: você será achado
como alguém fiel e digno de confiança,
então será colocado sobre o muito.

27
A parábola que estamos estudando diz que
ninguém tem a justificativa de não fazer nada, nem
que seja o mínimo, que é aplicar no banco e deixar o
dinheiro valorizar. Ninguém tem a desculpa para não
multiplicar o que já existe na sua mão. Entenda que
Deus não pediu, Ele ordenou que multipliquemos
aquilo que Ele coloca nas nossas mãos:
“E, chamando dez servos seus, deu-lhes
dez minas, e disse-lhes: Negociai até que
eu venha.” Lucas 19:18
O Senhor ordenou: NEGOCIAI! Isto é
imperativo, é uma ordem, não um desejo.
Sabe por que a maioria das pessoas não toma essa
atitude de investir ao menos o mínimo? Porque são
pessoas infieis, infieis a si mesmas. Não cuidam do que
Deus tem entregue a elas, porque sempre encontram
algo novo para gastar. Sua prioridade é gastar e não
investir o que tem.
Se nós, que somos imperfeitos, regulamos o que
dar a um filho que não valoriza o que tem, imagine se
Deus, que é perfeito em tudo, daria mais a alguém que
não é fiel no pouco? Muitos não entendem por que
Deus não faz um milagre na sua vida financeira, mas
posso garantir que acontece desse jeito porque Ele
não passa por cima dos princípios. E se você não for

28
fiel em multiplicar o seu pouco, Ele nunca te colocará
no muito.

Porque quando passamos a multiplicar,


uma unção de crescimento faz com
que experimentemos novidades jamais
imaginadas.

E aquilo que é o maior desejo de todo homem,


o crescimento extraordinário, passa a acontecer da
noite para o dia.
O servo fiel, que conseguiu a multiplicação das
minas, começou a experimentar cargos, funções
que jamais imaginou, ele passou a ter dinheiro,
responsabilidade, favor e presentes. Tudo isso porque
trabalhou para o crescimento do pouco que estava na
sua mão. Ele multiplicou o pouco que havia recebido
independente de sua capacidade, agindo apenas com
fidelidade diante da oportunidade que teve.
A Lei da Multiplicação é tão poderosa quanto a
Lei da Semeadura, assim como você se esforça para
plantar boas sementes, você também deve se esforçar
para dar crescimento e multiplicar tudo aquilo que
Deus colocar na sua mão, porque se você sempre
gastar tudo, Deus irá tirar até o que você não tem e

29
dará àquele que multiplicou e foi fiel, pois tudo aquilo
que você multiplicar no pouco, Deus te colocará no
muito, afinal, a quem mais tem, mais será dado.

30
Capítulo 03

Prestação de Contas
Jesus citou várias passagens onde Ele aborda uma
questão que, a maioria das pessoas não observa com
clareza, que trata sobre a prestação de contas daquilo
que fazemos. Muitos pensam que somente prestaremos
contas a Deus das nossas atitudes depois da morte, mas
isso é um engano. Saiba que Deus sempre vem, de tempos
em tempos, pedir aos seus servos uma prestação de contas
daquilo que Ele colocou em nossas mãos. Seja dinheiro,
casamento, trabalho, igreja, rebanho, família, etc. Ele vem
para nos recompensar daquilo que fizemos com o que Ele
nos deu:
“E aconteceu que, voltando ele, depois de ter

33
tomado o reino, disse que lhe chamassem aqueles
servos, a quem tinha dado o dinheiro, para saber
o que cada um tinha ganhado, negociando.” Lucas
19:15
Jesus sempre foi claro sobre a prestação de contas.
Na parábola do administrador infiel, quando o patrão
descobriu que um dos seus servos estava desperdiçando,
chamou-o para uma prestação de contas. Na parábola
das minas, da mesma forma e, na parábola dos talentos,
também. E Jesus vai ainda além, Ele declarou que a nossa
recompensa está ligada à nossa fidelidade nas pequenas
coisas:
“O que é, já foi; e o que há de ser, também já foi; e
Deus pede conta do que passou.” Eclesiastes 3:15
Algumas pessoas vivem enganadas, pensando que só
diante do trono branco de Deus prestarão contas. Mas
nós somos mordomos, administradores daquilo que Ele
confia em nossas mãos e a lei da multiplicação consiste
em administrar de forma fiel e multiplicar, fazer crescer,
provando assim, nosso caráter, determinação e integridade.

Quer prosperar na vida? Pegue o que você tem


e administre bem! Deus acrescentará ainda
mais.

O que você tem na mão é o suficiente para ser

34
administrado, multiplicado e abençoado por Deus. E se
você provar para Deus que tem administrado fielmente o
que Ele te deu, o Senhor virá e acrescentará mais e mais.
Encontro por aí muitos líderes se questionando o
porquê da sua igreja e ministério pessoal não crescerem,
mas entendo que essas pessoas não administram
corretamente e, consequentemente, não produzem
crescimento. Outras vivem afligidas pensando por que
suas finanças não crescem. E isso acontece porque não
administram para guardar um mínimo, provando que são
infieis. Entenda que só experimentará o muito, o mais que
o bastante, aquele que gerar um mínimo de crescimento
daquilo que está em sua mão.
Veja que no versículo 23 de Lucas 19 o patrão
questiona o porquê daquele empregado não ter colocado
o dinheiro no banco para que gerasse, pelo menos, um
mínimo de juros e ganhos.
“Porque não puseste, pois, o meu dinheiro no
banco, para que eu, vindo, o exigisse com juros?”
Um multiplicou, o outro também, mas ele teve medo
e guardou. Ele não perdeu, mas também não multiplicou,
não administrou. A ordem era negociar até que o senhor
voltasse. O fato é que, se ele não sabia multiplicar,
que aplicasse no banco. Você é indesculpável por não
multiplicar aquilo que Deus colocou na sua mão. Se
você não sabe como, peça ajuda, busque orientação com
pessoas experientes e capacitadas na área em que você está
com deficiência.

35
Outra situação bastante recorrente é a transferência
de responsabilidade. Desde Adão, o homem age com
transferência de responsabilidade, mas ninguém pode
transferir a responsabilidade daquilo que Deus colocou
na sua mão para ser administrado. Ou você faz ou
busca ajuda, mas tem que multiplicar, dar crescimento e
administrar o que está em suas mãos. E a responsabilidade
é totalmente sua.
Se o Senhor está dizendo que você é indesculpável por
não ter multiplicado, então todos têm que multiplicar. As
oportunidades nos são dadas e todos nós temos condições
de multiplicar. Se você não sabe como fazer, busque ajuda
com pessoas capacitadas, porque nesta parábola o banco
significa os profissionais na área em que temos deficiência.
Saiba que se o casamento acabar, a responsabilidade é sua
de não ter buscado ajuda e aconselhamento. Mas aquele
que busca ajuda e multiplica os bens do seu senhor, na
prestação de contas, será colocado sobre o muito.
No versículo 26 está dito:
“Pois eu vos digo que a qualquer que tiver ser-
lhe-á dado, mas ao que não tiver, até o que tem
lhe será tirado.”
Tem muita gente que crê na primeira parte: ao
que tiver, será dado ainda mais. Mas se esquecem que a
segunda parte também se cumpre: ao que não tiver, até o
pouco que possui, também será tirado.

36
Portanto, quanto mais crescimento você
der ao que Deus colocou nas suas mãos, mais
Ele te dará.

O servo fiel multiplicou dez vezes e do outro que não


foi um bom administrador, o senhor tirou até o pouco
que tinha e deu para o que tinha mais. Se você começar
a administrar tudo o que Deus colocou na sua mão, por
mais difícil que esteja, Deus virá para uma prestação de
conta e quebrará o ciclo de ganhar e perder. Porque o que
Deus confia a você, também cobrará a responsabilidade
de prestar contas.
Entenda que você não só tem que prestar contas a
Deus do dízimo, como também dos outros 90% que
foram dados por Ele. A sua fidelidade em multiplicar as
finanças que Deus confiou em sua mão, fala sobre você.
Demonstra seu CARÁTER, DETERMINAÇÃO,
FIDELIDADE e INTEGRIDADE. A multiplicação
de suas finanças, ainda que seja pouco, mostra que você
é uma pessoa de caráter, que não faz nada que possa
dar prejuízo ou causar danos a ninguém, fala de sua
determinação, que não perde o foco mesmo em tempos
difíceis, fala também sobre sua fidelidade, de como você
é fiel a Deus, às pessoas e às suas coisas, e fala sobre sua
integridade com Deus e com você mesmo.
Agora reflita: na próxima prestação de contas, Deus te
achará um Administrador Fiel ou Infiel?

37
Capítulo 04

Desperdício
Muitas pessoas não entendem que os
pecados geram muitas consequências, porém, cada
pecado gera uma consequência diferente. E não
podemos pensar que o desperdício é algo comum,
até mesmo insignificante aos olhos de Deus, e que
não traz consequência alguma para a nossa vida,
principalmente se você é uma pessoa abastada e
que possui muito dinheiro e bens. Neste capítulo
veremos como o Senhor Deus nos avalia pela forma
como administramos e desperdiçamos nossos bens e
dinheiro.
Entenda e passe a reconsiderar a questão do
desperdício, porque ele foi um erro cometido pelo

41
administrador da parábola que estamos estudando,
sendo ele avaliado e levado a sofrer as consequências
do seu desperdício. O patrão do administrador
infiel pediu para que o seu funcionário organizasse
tudo para uma prestação de contas, porque, a partir
daquele momento, ele não administraria mais os seus
bens. Veja qual foi a resposta do senhor para o seu
empregado: “Por que tenho ouvido que você anda
desperdiçando os meus bens.”
“E ele, chamando-o, disse-lhe: Que é isto
que ouço de ti? Dá contas da tua mordomia,
porque já não poderás ser mais meu mordomo.”
Lucas 16:2
Saiba que o desperdício é o maior motivo para a
retirada dos bens das mãos de um administrador. Nós
somos administradores dos bens que Deus confia em
nossas mãos e é nossa obrigação trabalhar e produzir
para que haja crescimento e não desperdício. Porque
se você usa cem por cento do seu dinheiro sem guardar
nada, sem investir em nada, sem economizar nada,
não receberá de Deus a bênção de ser colocado sobre
o muito.
O texto de Lucas 16:1 diz:
“E dizia também aos seus discípulos: Havia
um certo homem rico, o qual tinha um
mordomo; e este foi acusado perante ele de
desperdiçar os seus bens.”

42
Entenda que esse mordomo não era infiel porque
roubava, mas porque desperdiçava, gastava demais,
não dava valor ao que tinha e quando perdia algo,
ou gastava de forma errada, não se preocupava. E
da mesma forma existem muitos cristãos gastando a
vida, seu casamento, os filhos e o dinheiro de forma
errada, desperdiçando aquilo que Deus confiou na
sua mão para administrar.

Desperdício é igual à infidelidade, e


infidelidade é pecado.

Portanto, se você desperdiça, está pecando contra


o Senhor. Você não pode gastar mais do que ganha,
porque quando você desperdiça, não é digno de
receber mais. Sempre ouvimos muitas histórias de
pessoas que tiveram muito e perderam tudo, e nunca
mais conseguiram se reerguer e recuperar o que foi
perdido. Isso acontece porque o dono, O Senhor de
toda a terra, está vendo que essa pessoa não é fiel em
administrar o que foi por Ele dado.
Saiba que Deus coloca coisas em nossas mãos,
principalmente o dinheiro, e observa o que fazemos
com o que Ele nos confiou, para nos recompensar
dando mais ainda para administrarmos, ou, segundo a
Sua palavra, para retirar e dar àquele que foi mais fiel

43
em multiplicar. Se iremos gastar e desperdiçar, ou se
retemos pelo menos um pouco é a forma que Ele tem
para provar nosso caráter, fidelidade, determinação e
integridade.
A sua fidelidade em administrar o seu pequeno
salário e ainda guardar um pouco, trará favor de Deus
em sua vida, porque aquele que é fiel no pouco, Deus
coloca sobre o muito. E ao desperdiçar as mínimas
coisas, você mostra que não é fiel e não respeita aquilo
que Deus colocou em suas mãos.
Você pode comprar o que deseja, comer o que
quiser, pode gastar com carro, viagens, supérfluos, mas,
desde que, gaste menos do que ganha, e ainda assim,
guarde todos os meses uma parte como herança.

Ou seja, podemos usufruir de uma boa vida,


nos realizando com os prazeres sadios que
o dinheiro pode nos proporcionar, desde
que, não haja desperdício.

Entenda que apagar as luzes de sua casa, não te faz


um mesquinho, e sim, o torna uma pessoa responsável
com o patrimônio que Deus te deu. Porque o desperdício
está nas mínimas coisas e são esses pequenos cuidados
que te tornarão uma pessoa muito próspera.

44
E por que, às vezes, semeamos no Reino e não
colhemos? Isso ocorre porque não temos dado a devida
atenção ao crescimento e ao administrar aquilo que de
graça temos recebido. Esses são uns dos critérios que
Deus avalia para poder nos abençoar mais. A colheita
sempre vem, mas segundo o livro de Ageu, nós a
guardamos em um saquitel furado, causando o não
aproveitamento desta colheita e a impossibilidade de
desfrutarmos dela.
Outra questão é que, muitos cristãos anseiam pelo
crescimento ministerial, mas por detrás, tem levado
uma vida de dívidas e subtrações. Atrasam suas contas
pessoais, sem o menor problema, mesmo tendo o valor
para pagar, preferem investir em algo que, naquele
momento, não é necessário, fazendo com que as contas
básicas da sua família fiquem em atraso. E o Senhor
Deus te vê agindo assim e sabe que quanto mais te der,
pior administrador você será.
Fato é que, mostrar ao Senhor que Ele pode confiar
em você no administrar as coisas desse mundo, às vezes,
exige dor e desprendimento, mas fará com que Ele o
observe e o considere digno de administrar as coisas
celestiais e cuidar do seu maior tesouro – as vidas.
Se você gasta tudo o que ganha, com certeza, na
maioria dos casos, existe desperdício. Portanto, corte
o que for preciso, e não gaste tudo o que você ganha.
Entenda que Deus não é responsável pelo seu futuro
financeiro, Ele te deu a oportunidade para que você

45
construa o seu futuro. Essa obra depende somente de
você, e Ele saberá como te recompensar.
Economize energia, corte gastos e despesas
desnecessárias. Ninguém precisa almoçar fora todos
os dias, gastar seu dinheiro com roupas e acessórios
caríssimos. Toda casa – por mais humilde que seja –
pode ter seu orçamento revisado e, com certeza, algum
corte desnecessário poderá ser feito.
Pare de pensar que você só terá que prestar conta
a Deus dos seus dízimos - que depois de entregues
não são mais de sua responsabilidade. Quem presta
contas sobre a aplicação do dízimo é o sacerdote, mas
os outros noventa por cento quem prestará contas será
você. Se não cuidar direito destes noventa por cento
e não guardar um pouco, você será um administrador
infiel, pois é mediante essa prestação de contas que Ele
te colocará sobre o muito, ou removerá tudo e entregará
àquele que for fiel.

Porque todo desperdício destrói o favor


de Deus.

Quanto mais você administrar bem, quanto mais


você economizar, mais o favor de Deus será atraído
sobre a sua vida. Não importa quanto você ganha,
desperdiçar é um erro que destrói a sua prosperidade
e crescimento. E você pode sim, ser a pessoa mais rica
do mundo e, mesmo assim, não desperdiçar. Tal atitude

46
será determinada pela sua consciência em valorizar e
cuidar de tudo o que você possui hoje.
Agora quero compartilhar um testemunho que
lhe mostrará, efetivamente, como Deus honra quem
administra bem o que ganha, quem é fiel e não age
com desperdício.
Certa vez eu estava conversando com uma manicure,
ela frequentava a igreja em que pastoreio. Ela era
funcionária de um salão, ganhava um salário razoável,
tinha um filho adolescente e morava de aluguel com
ele.
Neste dia, ela estava me contando sobre suas
dificuldades financeiras e me perguntou o que deveria
fazer. Eu disse que a ajudaria, mas ela teria que se
comprometer em fazer tudo o que eu dissesse e ela,
prontamente, concordou. Então, anotei num pedaço
de papel todos os seus gastos e fui mostrando onde ela
poderia cortar e economizar.
Mostrei como ela sempre gastava na rua com
coisas pequenas e desnecessárias e que, a partir daquele
mês, aquele valor desperdiçado poderia se tornar uma
boa quantia para ser guardada. Mostrei ainda que ela
poderia guardar R$ 400,00 por mês, e que, com aquele
valor, dentro de dois anos ela poderia comprar sua casa
própria dando uma entrada e pagando de prestação
menos do que pagava de aluguel.
Passados dois anos, ela havia guardado um valor

47
bem maior por mês e conseguiu comprar um sobrado
novo, melhor que a casa em que morava de aluguel,
além de pagar um valor mensal menor que o seu antigo
aluguel. Ela ainda decorou a casa como sonhava e se
tornou dona do próprio salão.
Essa moça conseguiu juntar quase R$ 15.000,00
com aquela quantia que separava por mês, além de juntar
outros extras que ia ganhando, mas, principalmente, por
não desperdiçar e sair esbanjando o que havia ajuntado.
Entenda que ela ganhava o mesmo valor de antes,
dava o mesmo dízimo e ainda ofertava, mas agora, o
desperdício foi removido e na prestação de contas,
Deus pôde tirar ela do pouco e a colocar sobre o muito.
Outra situação muito interessante foi que algumas
pessoas a procuraram e tiveram o prazer de ajudá-la
a mobiliar a casa nova. Ou seja, ela atraiu o Favor de
Deus e o dos homens.
Você pode mudar o seu futuro com aquilo que ganha.

Faça uma revisão dos seus gastos pessoais


e profissionais e verá que poderá cortar
muita coisa.

Isso trará o Favor de Deus sobre a sua vida.

48
Capítulo 05

Dinheiro é Algo
Espiritual
Dinheiro é muito mais espiritual do que você
pensa. E quero começar este capítulo te mostrando
que a forma como você lida com o seu dinheiro
determina sua prosperidade material e espiritual.
Vou ainda te mostrar, não somente em um
versículo isolado, mas em um contexto, que o próprio
Senhor Jesus fala sobre o dinheiro de uma forma
que fará com que, nós, cristãos, revejamos nossos
conceitos sobre finanças.
O administrador infiel pegou o dinheiro do seu
senhor e desperdiçou, gastou onde não deveria ter

51
gasto e perdeu, não multiplicou como seu patrão
esperava. Consequentemente, ele foi tirado da
administração, perdeu o que tinha e tudo foi entregue
a outra pessoa, mais fiel e prudente. Observe então,
como o Senhor Jesus trata a forma como lidamos
com o dinheiro.
“E louvou aquele senhor o injusto mordomo
por haver procedido prudentemente, porque os
filhos deste mundo são mais prudentes na sua
geração do que os filhos da luz.” Lucas 16:8
“O senhor elogiou o administrador desonesto,
porque agiu prudentemente. Pois os filhos deste
mundo são mais prudentes no trato entre si do
que os filhos da luz.” Lucas 16:8 NVI
Essas, com certeza, são algumas perguntas que
frequentemente invadem o pensamento de muitos
cristãos: Por que o ímpio ganha e o justo perde? Por
que o ímpio prospera e o justo retrocede? Por que o
ímpio cresce e muitos justos diminuem?
Por um único motivo: Nós, cristãos, achamos
que podemos fazer o que quisermos, da forma
que desejarmos e Deus é obrigado a nos abençoar
porque servimos a Ele. A maioria dos cristãos lida
com dinheiro de forma irresponsável e os ímpios
sabem negociar, administrar, têm zelo, sabem ajuntar,

52
multiplicar, são muito mais responsáveis com a forma
com que lidam com o dinheiro do que muitos crentes.
Muitos cristãos pensam que, por entregarem
seus dízimos e ainda ofertarem, Deus é obrigado a
abençoá-los, mas entenda algo: os princípios de Deus
sempre se cumprirão, portanto, quem semeia, colhe,
mas se não administra, perde.
“Semeais muito, e recolheis pouco; comeis,
porém não vos fartais; bebeis, porém não vos
saciais; vesti-vos, porém ninguém se aquece; e
o que recebe salário, recebe-o num saco furado.”
Ageu 1:6
Neste versículo o profeta Ageu traz a revelação e
descreve que muitos de nós tem andado corretamente
no princípio da semeadura e, por isso, recebem de
Deus a colheita da sua oferta, porque Deus sempre
cumpre o que promete, mas por não andarem em
outro princípio, acabam perdendo o que receberam.
Veja esta outra comprovação: o cristão no ocidente
vai à igreja porque está necessitado, por isso, vai para
pedir e buscar. Já o judeu e o oriental vão para a igreja
para adorar e levar oferendas a Deus. Eles vão com
um espírito doador e sentem prazer na liberalidade.

53
Portanto, não basta ser cristão, tem que
ser prudente e respeitar os princípios
que foram estabelecidos por Deus para
nos orientar e nos fazer prósperos,
principalmente sobre como lidar com o
dinheiro.

Agora, observe o que diz Lucas 16:9


“Por isso, eu lhes digo: usem a riqueza deste
mundo ímpio para ganhar amigos, de forma
que, quando ela acabar, estes os recebam nas
moradas eternas.”
O que é a riqueza desse mundo ímpio? Sem dúvida,
é o dinheiro. E este texto está falando sobre dinheiro.
Entenda que Jesus disse isso para que aprendêssemos a
pegar nosso dinheiro, guardá-lo e depois administrá-lo
bem, além de usá-lo para fazer amigos.
Essa parábola fala que devemos usar o dinheiro
para conquistar amigos, ganhar pessoas para o Reino
de Deus, pois quando tudo aqui na terra acabar, quando
as coisas deste mundo terminarem, nós encontraremos
essas pessoas salvas nos céus. E isso realmente é
profundo e maravilhoso.
Realmente parece um conselho muito estranho que
o Senhor Jesus está nos dando. Algo como – convide as

54
pessoas para jantar, sirva-as muito bem, invista nesses
relacionamentos através do dinheiro que você tem e
conquiste-as.
Dê a elas presentes, socorra as pessoas quando
estiverem necessitadas com o seu dinheiro. Use o seu
dinheiro para ganhar as vidas para Jesus e mesmo que
o seu patrimônio um dia acabe – quando você subir aos
céus também as encontrará na glória. Por causa do seu
investimento financeiro.
Eu tive uma experiência muito forte com meu filho
mais velho. Ele tinha uns 9 anos e nós o mudamos de
colégio, ele saiu de um colégio cristão e foi para um
outro secular, e quando entrou lá, tomou um choque
muito grande, pois todos os alunos falavam palavrões e
a postura dos professores era bem diferente do colégio
anterior e isso fez com que ele tomasse a atitude de se
afastar de todos.
Aquilo tudo foi muito difícil, pois ele ficou sem
nenhum amigo na nova escola. Passava sozinho os
intervalos, ninguém o chamava para fazer nada, era
sempre o último a ser escolhido para algum jogo, era
alvo de crítica das outras crianças, fazendo com que
ele se afastasse ainda mais. Foram 10 meses de muita
dificuldade, pois ele estava ficando profundamente
triste e depressivo, e tudo que nós tentávamos fazer

55
para resolver, não funcionava.
Até que um dia na mesa do almoço, ele me fez um
pergunta: Pai você vai me dar dinheiro essa semana? E
eu respondi que sim, mas perguntei o que ele pretendia
fazer com aquele dinheiro e ele me disse que estava
guardando tudo o que recebia, para que, naquela
semana, depois de juntar R$ 50.00, ele ofertaria no
culto pedindo a Deus que lhe desse amigos.
Eu não preciso dizer como eu e minha esposa
ficamos, tivemos que fazer um grande esforço para não
chorar diante dele na mesa, mas a minha resposta foi
imediata: Filho, você está sendo sábio, Deus nos ensina
que podemos usar nosso dinheiro para ganharmos
amigos. Faça isso e também use o que você tem, seu
IPod, jogos, lanche e compartilhe com as outras crianças,
ganhe elas pelas coisas que você possui.
Foi difícil, mas foi uma das maiores experiências
da vida do meu filho. Um mês depois, foi o aniversário
dele e comemoramos em uma pizzaria. Naquela
noite estávamos apreensivos, pois não sabíamos se as
crianças da escola viriam, porém, para a nossa surpresa,
todos vieram e também os amigos da igreja e ouvimos
de todas as crianças que o meu filho era muito legal, e
que era uma pena que só tinham se aproximado dele
no último mês. Alguns o elogiavam, outros disseram

56
que ele era o seu melhor amigo, naquele mês meu
filho ganhou quase todas as crianças da sua sala como
amigo e alguns são amigos dele até hoje, mesmo
tendo sido transferidos de sala ou mudado para outro
colégio.
A semente dele foi poderosa para fazer amigos,
mas também eu o ensinei que ele deveria convidar
os colegas para jogar no seu IPod, a dividir seu lanche
com eles, que ele poderia fazer aquilo que os amigos
não tinham condições. E o interessante foi que o
Miguel me fez uma pergunta: Pai, você quer que eu
compre os meus amigos? E eu disse que não, mas
que esta era uma excelente oportunidade para que ele
usasse o que tinha para ganhar novos amigos.
Jesus está dizendo que Ele tem prazer em nos dar
dinheiro para investirmos em salvar vidas. Quando
você tiver muito, use-o para ganhar vidas para o Reino
de Deus, porque um dia o dinheiro vai acabar, um dia
você vai morrer e ao entrar no céu verá as pessoas
salvas te agradecendo porque foram ganhas por causa
do seu dinheiro, do seu investimento no Reino.

Use seu dinheiro para ganhar vidas, para


arrebanhar almas.

57
E este é um dos motivos pelo qual precisamos
multiplicar nosso dinheiro e sempre ter, para que, no
momento da necessidade dos outros, você possa usar
para salvá-los.
Continuando em Lucas 16:10 diz:
“Quem é fiel no pouco, também é fiel no
muito, e quem é desonesto no pouco, também é
desonesto no muito.”
O dinheiro que Deus colocou nas suas mãos
é a forma que Ele tem, na prestação de contas, de
provar o seu caráter, sua fidelidade, integridade e
determinação. Perceba que eu tenho repetido essas
quatro características sempre, pois elas devem ser
observadas continuamente por você.
E se você provar a sua fidelidade, no mínimo, será
colocado sobre o muito, mas se você não for fiel no
mínimo, até ele te será tirado. Tem gente que acha
que ser fiel no mínimo, significa apenas dizimar e
ofertar, mas isso é um engano, porque essa questão
abrange o multiplicar, o não desperdiçar e o ajuntar.
Ser fiel no pouco está relacionado à sua fidelidade em
tudo o que tem administrado.

58
Você quer crescer? Basta usar o que tem
hoje. Ele é suficiente para abrir as portas da
prosperidade e da abundância.

“Pois, se nas riquezas injustas não fostes fiéis,


quem vos confiará as verdadeiras riquezas?”
Lucas 16:11

Quando eu digo que dinheiro é muito mais


espiritual do que você imagina, é porque ele é muito
mais que a moeda corrente de um pais, é muito mais
do que a nota que você usa para comprar comida.
Jesus disse que se você não sabe administrar o seu
dinheiro, não sabe multiplicar, economizar, usá-lo de
forma fiel, Ele não poderá te entregar as verdadeiras
riquezas celestiais. Afinal, a forma como você usa
seu dinheiro mostra para Deus como você vai lidar
com os dons espirituais, com a unção, o poder e as
verdadeiras riquezas que Ele poderá lhe entregar.
Mas se você conseguir provar que é merecedor,
através da sua fidelidade nas finanças, Ele acrescentará
favor e você receberá muito mais Dele. Essa é a lei
da administração. Mas existe um detalhe, Ele vai
acrescentar também dons celestiais, unção, profecia,
revelação, poder e autoridade espiritual. Ele vai

59
acrescentar as verdadeiras riquezas.
Reflita: se você não sabe cuidar das coisas naturais,
como cuidará das espirituais, que são as verdadeiras
riquezas? Um avivamento só virá sobre a sua vida
quando aprender a administrar o pouco dinheiro que
hoje você tem.
Muitas bênçãos espirituais estão retidas porque
você não sabe administrar o seu dinheiro, pois ele
fala do seu CARÁTER, DETERMINAÇÃO,
FIDELIDADE e INTEGRIDADE.
Deus não vai liberar bênçãos espirituais para
pessoas que vão desonrar Seu nome. E ainda tem
mais: Jesus continua ensinando em Lucas 16:12:
“E se vocês não forem dignos de confiança em
relação ao que é dos outros, quem lhes dará o
que é de vocês?”
Esse texto é um dos mais sérios que os cristãos
precisam ter como regra de vida: ser fiel também
naquilo que é dos outros. Se você não é fiel naquilo que
pertence a outras pessoas, se você não é de confiança
quando se trata daquilo que pertence aos outros, você
não poderá receber o que é seu.
O que essa sequência de versículos está relatando
é sobre como devemos lidar com nosso dinheiro, mas

60
esse versículo, especificamente, está falando sobre sua
fidelidade em lidar com o dinheiro que pertence aos
outros. Aquilo que não é seu, se você não devolver,
não pagar, não cumprir com o que foi acordado e
reter, por algum motivo, um dinheiro que pertence a
outros, você não receberá aquilo que é seu por direito.
Se você não paga sua conta de água, luz, telefone,
cartão de crédito, se sua conta no banco está acima do
limite que lhe foi dado, se você tomou emprestado e
não devolveu no tempo estipulado, você está sendo
infiel no que é alheio, não está sendo de confiança no
que é dos outros.
Esse versículo coloca uma condição: quem lhe
dará aquilo que é seu? Veja que aqui ocorrem duas
situações:
Primeiro: Você terá problemas para receber o
dinheiro que te pertence. Você já percebeu que pessoas
endividadas sempre dizem que estão com dificuldades
de pagar porque não receberam o que tinham para
receber? Na verdade, elas estão com dificuldades de
receber o que lhes pertencem por que não estão sendo
fieis em pagar o que é dos outros.
Segundo: Tem gente que semeia muito, porém
está repleto de colheitas retidas no mundo espiritual
e não recebem por que suas dívidas estão retendo as

61
suas bênçãos espirituais. Aquilo que é seu tem sido
retido, porque você não está cumprindo com o que
deve, com aquilo que pertence aos outros.
Não pense você que pode justificar-se dizendo
que não paga os outros porque não tem dinheiro. Se
você deve, é por que administrou mal e não cuidou
em ajuntar para o tempo de escassez. Não culpe
ninguém pelas suas dívidas, elas são fruto de sua
má administração, não transfira a responsabilidade
daquilo que você deveria ter cuidado.

Um avivamento só vem com fidelidade e


caráter, você pode até ver a movimentação
espiritual, mas o verdadeiro Avivamento,
aquele que produz crescimento só
acontece quando estamos com a vida
financeira equilibrada e estável.

Se uma pessoa ou um ministério está vivendo


de dívidas constantes, algo está errado e precisa ser
consertado imediatamente, pois aquilo que é seu por
direito também será retido.
Entenda que a companhia de telefone não é sua, o
banco não é seu, a companhia de energia também não
te pertence. Se você comprou em uma loja e fez um

62
carnê, a loja não é sua, a empresa do carro que você
comprou também não lhe pertence e, se você não a
paga, ou paga atrasado, está sendo infiel com aquilo
que pertence aos outros, e, consequentemente, está
retendo na sua própria vida aquilo que é seu.
No verso 13 de Lucas 16, Jesus faz uma colocação
sobre dinheiro que nos leva a adotar uma postura
firme de como devemos usá-lo.
“Nenhum servo pode servir dois senhores;
porque, ou há de aborrecer um e amar o outro,
ou se há de chegar a um e desprezar o outro.
Não podeis servir a Deus e a Mamom.”
Jesus continuava falando sobre finanças, pois
Mamom era o Deus do dinheiro, da ganância ou da
avareza. Veja esta explicação do site Wikipédia:
“Mamon é um termo, derivado da Bíblia, usado
para descrever riqueza material ou cobiça, na maioria
das vezes, mas nem sempre, personificado como uma
divindade. A própria palavra é uma transliteração
da palavra hebraica “Mamom” (‫)ןֹומָמ‬, que significa
literalmente “dinheiro”. Como ser, Mamon representa
o terceiro pecado, a Ganância ou Avareza, também o
anticristo, devorador de almas, e um dos sete príncipes
do Inferno. Sua aparência é normalmente relacionada
a um nobre de aparência deformada, que carrega

63
um grande saco de moedas de ouro, e “suborna” os
humanos para obter suas almas. Em outros casos é
visto com uma espécie de pássaro negro (semelhante
ao Abutre), porém com dentes capazes de estraçalhar
as almas humanas que comprara.”
Quando Jesus estava falando sobre servir a Deus
ou ao dinheiro, não significa que quem serve a Deus
não pode ter dinheiro, a verdade é que você não pode
ser servo do dinheiro.
E aqui Ele é ainda mais claro, demonstrando que é
seu desejo levar todos a uma vida financeira próspera
e abundante.
“Porque vocês já conhecem o grande amor do
nosso Senhor Jesus Cristo: ele era rico, mas, por
amor a vocês, ele se tornou pobre a fim de que
vocês se tornassem ricos por meio da pobreza
dele.” 2 Coríntios 8:9
Deus tem um propósito de levar todos os seus
servos a uma vida de prosperidade financeira, mas
muitos nessa jornada se tornaram gananciosos,
avarentos e são reconhecidos como servos do dinheiro,
e por isso, Jesus faz a colocação de que você não pode
servir a Deus e ao dinheiro.
Porque a natureza de Deus é doadora e não tem

64
como servir a Deus e ser avarento, mesquinho, e reter
aquilo que Ele confiou em sua mão, indiscutivelmente,
para ser usado por você para abençoar os outros e
principalmente Sua obra na face da terra.

Quando você se torna servo do dinheiro,


perde a graça de Deus, perde o Favor Dele.

Se você começar a ser controlado pelo dinheiro,


com certeza, a sua vida espiritual vai entrar em um
declínio. Entenda que dinheiro é muito mais espiritual
do que você imagina, ele é a forma que Deus analisa seu
caráter, sua fidelidade, sua integridade e determinação.
Neste mesmo capítulo, a partir do versículo 19 Jesus
começa a contar outra parábola: A do Rico e de Lázaro
e essa parábola fala que os dois morrem, porém, o Rico
foi para o inferno, mas Lázaro foi para o céu. Só que o
rico não foi para o inferno por ter tido muito dinheiro,
e sim por ser avarento. O texto diz que Lázaro ficava
na sua porta e desejava comer das migalhas que caía de
sua mesa, mas o rico não dava nada a ele.
“Havia também um certo mendigo, chamado
Lázaro, que jazia cheio de chagas à porta
daquele. E desejava alimentar-se com as
migalhas que caíam da mesa do rico; e os
próprios cães vinham lamber-lhe as chagas. E

65
aconteceu que o mendigo morreu, e foi levado
pelos anjos para o seio de Abraão; e morreu
também o rico, e foi sepultado. E no inferno,
ergueu os olhos, estando em tormentos, e viu
ao longe Abraão, e Lázaro no seu seio. E,
clamando, disse: Pai Abraão, tem misericórdia
de mim, e manda a Lázaro, que molhe na
água a ponta do seu dedo e me refresque a
língua, porque estou atormentado nesta chama.
Disse, porém, Abraão: Filho, lembra-te de que
recebeste os teus bens em tua vida, e Lázaro
somente males; e agora este é consolado e tu
atormentado.” Lucas 16:20-25
Se você não é fiel a Deus no seu dinheiro, se você
não é fiel às pessoas nas suas relações comerciais, se
é ganancioso, avarento, mesquinho, é governado pelo
dinheiro ou não sabe administrá-lo e vive endividado,
com certeza, a sua vida espiritual está muito
comprometida.
O Talmude é o livro de regras dos Judeus e lá diz
que quando Deus dá muito dinheiro a uma pessoa Ele
não está lhe dando um favor, e sim, um encargo, para
que ela tenha a responsabilidade de usar para socorrer
e ajudar as pessoas, além de aplicá-lo na Sua obra.
Se você entender isso, sua vida financeira mudará
radicalmente.

66
Conclusão
Aprenda isso: se você não desperdiçar e ajuntar
mesmo que um mínimo todos os meses, ao longo de
20 ou 30 anos terá construído um patrimônio e será
uma pessoa rica, mesmo que guarde R$ 150,00 por
mês. O problema é que as pessoas querem tudo de
forma imediata, mas a vida passa e se você não fizer
nada, continuará apenas com seus projetos, sem vê-
los realizados, porque foi um administrador infiel,
desejando que as coisas, simplesmente, aconteçam
instantaneamente. Sabe por que os judeus são muito
prósperos? Porque guardam a vida toda e deixam
herança para seus filhos que, da mesma forma,
continuam guardando.

69
Dinheiro é muito mais espiritual do que
imaginamos. Dinheiro é um meio pelo qual Deus
libera dons espirituais. Dinheiro é um mecanismo
para recebermos mais. E é ele também que pode
reter as bênçãos celestiais. Dinheiro pode salvar as
pessoas. Dinheiro é um poder sobre a terra, que traz
avivamento e colheita de almas.
“Para rir se fazem convites, e o vinho alegra
a vida, e por tudo o dinheiro responde.”
Eclesiastes. 10:19
Deus nos deu o dinheiro para usarmos em nosso
benefício, fazê-lo transbordar na Sua obra e na vida
das pessoas, pois assim Ele nos dará muito mais.
E a chave da multiplicação em todas as áreas é o
cuidado de gerar crescimento em cada uma delas.
Trabalhe com todas as suas forças e faça tudo crescer.
Mais cedo ou mais tarde o Dono de todas as coisas te
considerará justo e digno de receber a extraordinária
multiplicação.
Agora pense: Se você usa cem por cento do seu
dinheiro sem guardar nada, sem investir em nada,
não receberá da parte de Deus unção, dom, poder e
autoridade, as verdadeiras bênçãos espirituais, afinal se
você não é digno de lidar com confiança das riquezas
desse mundo – quem te confiará as verdadeiras
riquezas, as celestiais?

70
Se você precisar de um dinheiro nesse exato
momento para ganhar uma pessoa para Jesus – você
teria? Se precisar socorrer alguém da sua família –
teria alguma economia? Quem lhe deu a sua vida? A
sua saúde e força para adquirir riquezas nessa terra?
Quem lhe deu a sua família? Tudo veio de Deus.
Assim como a lei da semeadura gera uma colheita,
a Lei da Multiplicação gera FAVOR. E a prestação
de contas é a forma de Deus continuar acrescentando
ou retirando de quem não multiplica.
A mudança radical que você espera ter na sua
vida financeira, depende somente de você e de mais
ninguém, nem Deus fará nada por você se você não
entrar firme nos princípios Dele. Não culpe ninguém
pelos seus fracassos financeiros, reveja as suas atitudes
e você vai descobrir que se mudar, tudo também
mudará à sua volta.
A partir de hoje, não lide com o dinheiro de forma
irresponsável, administre bem, guarde uma parte,
seja fiel na parte que Deus pede para você devolver
a Ele, multiplique tudo o que está na sua mão, seja
fiel com as pessoas e você será reconhecido como um
ADMINISTRADOR FIEL.

71