Você está na página 1de 4

1

LABORATÓRIO DE ENGENHARIA QUÍMICA II - Segundo Semestre de 2012

SEPARAÇÃO DINÂMICA DE SÓLIDOS NUM SISTEMA DE ELUTRIADORES

SISTEMA DE ELUTRIADORES

1 – caixa de sucção;

2 – bomba;

3 – by pass;

4, 5 – registro de gaveta;

6 – alimentador;

7, 8, 9, 10, 11 – elutriadores;

12 – mangueira de descarga;

13 – caixa de decantação.
2

Procedimento Experimental
1a Parte: Determinar a densidade da areia
-Pesar aproximadamente 20 g de areia (ms) num béquer de 50 mL na balança analítica
-Transferir cuidadosamente a areia para balão de 100 ml
-Pesar o conjunto balão+areia (mbalão+areia) na balança analítica
-Completar o balão com água destilada (ajustar cuidadosamente o menisco da água no risco do balão) e pesá-
lo (mtotal)
- Medir a temperatura da água
-Determinar a densidade da areia, realizando os seguintes cálculos:

Sendo:
Vs=Vtotal-Vágua
Vtotal=100 ml
mágua=mtotal-mbalão+areia
Com a temperatura medida obter a densidade da água em Manuais de engenharia (  H2O ). Com  H2O e
mágua calcular o volume da água.

2a Parte: Regime permanente do sistema de elutriadores

- Encher a caixa de decantação e a caixa de sucção do equipamento e o interior da bomba com água da
torneira.
- Abrir completamente a válvula do by-pass (válvula número 4) e fechar completamente a válvula dos
elutriadores (válvula número 5 ).
- Colocar a bomba em operação.
- Tampar com a palma de uma mão a alimentação e abrir a válvula dos elutriadores (válvula número 5) até
abertura completa.
- Fechar LENTAMENTE a válvula do by-pass (válvula número 4 ) em TRÊS voltas da sua posição original.
- Retirar a mão da alimentação com muito cuidado, verificando que não há saída de água (vácuo).
- Uma vez alcançado o regime permanente determina-se a vazão que circula pelo sistema de separação
medindo-se o volume de água numa proveta de 1000 ml e tempo gasto com cronômetro. A vazão deve ter um
valor próximo de 0,1 L/s.

Ensaios Volume (ml) Tempo (s) Q (ml/s)

Média

3a Parte: Separação de partículas sólidas de uma amostra de areia, por densidade, no sistema
de elutriadores
- Pesar num béquer de plástico uma amostra de aproximadamente 30 gramas de areia.
Massa exata=_________
- Introduzir LENTAMENTE e AOS POUCOS a amostra no tubo de alimentação do sistema de elutriadores. -
Lavar com uma pisseta os restos que ficaram na parede do tubo de alimentação.
- Deixar o equipamento classificar as partículas durante aproximadamente 15 minutos.
Tempo exato = _______________
- Desligar a bomba.
- Retirar, com muito cuidado, cada uma das frações de amostra em um béquer de plástico de 600 mL.
- Pesar 5 papéis de filtro e anotar.
- Filtrar cada uma das frações obtidas num sistema de filtração (kitassato+funil de Buchner + papel de filtro).
- Retirar o papel de filtro com muito cuidado sobre um vidro de relógio identificado e deixar secar na estufa
até o dia seguinte.
3
- Pesar as amostras e sem misturar e identificadas deixar no Lab. 4.

E1 E2 E3 E4 E5
mpapel de filtro
mpapel de filtro+areia
mareia

Tubos de vidro utilizados no Elutriador:


São cinco elutriadores, suas dimensões estão relacionadas abaixo:
Tubo  externo (mm) Altura (mm) Parede (mm)  interno (mm)
1 20 612 2,5
2 26 606 2,8
3 32 606 2,8
4 50 606 5,0
5 60 572 5,0

2. DADOS EXPERIMENTAIS

Mostrem de forma organizada (em tabelas) TODOS os seus dados coletados. Comentem os valores e
escrevam as observações que acharem relevantes.

3. CÁLCULOS
3.1 Complete a Tabela 1 de Propriedades físicas e Velocidade terminal.
TABELA 1
Elutriador número 1 2 3 4 5
Vazão (L/s)
Vazão (m3/s)
Densidade da partícula (g/cm3)
Densidade da Partícula (kg/m3)
Diâmetro interno tubo (mm)
Diâmetro interno tubo (m)
Área Transversal (m2)
Velocidade terminal (m/s)*
Densidade fluido (kg/m3)
g (m/s2)
viscosidade do fluido (kg/m.s)
*
Considerar a velocidade terminal da partícula com sendo a velocidade do fluído.

3.2 Método de cálculo 1


-Com a equação a seguir determinar o valor de CD/Re para cada tubo do elutriador:

Sendo: s=densidade da areia


=densidade do fluído
g=aceleração da gravidade
=viscosidade dinâmica do fluído
U=velocidade do fluido → U=Q/A
- Calcula-se o log de C D/Re e considerando a esfericidade das partículas de areia igual a 0,7, determina-se o
valor do Re através da tabela 1 da aula teórica:
-Se Re<0,1, utiliza-se a equação em destaque para o cálculo de d p (regime de Stokes).

-Se Re>1000, utiliza-se a equação em destaque para o cálculo de d p (regime de Newton).


4

3.3 Método de cálculo 2 (método iterativo com gráfico)


- Considerando partículas esféricas determine a equação de A, área da partícula projetada na direção normal
do escoamento, e de V, volume da partícula, em termos de D P, diâmetro da partícula.
- Substituir essa duas equações na equação 7 da aula teórica.
- Admita um valor para DP e calcule Re.
- Com Re e Ø=0,7 use a Figura 1 (Gráfico de Comings) e determinar C D.
- Com o valor de CD e a equação deduzida, calcular DP.
- Repetir este processo iterativo até obter valores de D P, entre uma e outra iteração, muito próximos.
- Mostre os cálculos de forma detalhada para a o elutriador com menor D P.
- Mostre os resultados das iterações na Tabela 2

TABELA 2 – Iterações
1 2 3 4 5
DP-chute inicial
Re
CD
DP-calculado
∆DP
.
.
.
.
DP

3.4 Preencher a Tabela 3 com os valores de DP obtidos utilizando os 2 métodos.

TABELA 3 – Diâmetro da partícula retida


1 2 3 4 5
DP método 1 (m)
DP método 2 (m)

3.5. Com as massas coletadas determinadas gere as tabelas e gráficos de distribuição normal e distribuição
acumulativa do tamanho das partículas.

3.6. Liste as observações e conclusões que achar relevantes neste trabalho.