Você está na página 1de 12

UNIVERSIDADE ANHANGUERA UNIDERP

CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

PRÉ-MOLDADOS

LINCOLN MENDELSON MENDES MATRICARDI – RA: 1299518180 (D91)


MARCELO DE SOUZA OLIVEIRA – RA: 5945263006 (D81)
MARCUS VINÍCIUS DE LIMA – RA: 0316563651 (D91)

CAMPO GRANDE – MS, 21 DE JUNHO DE 2017.


LINCOLN MENDELSON MENDES MATRICARDI - RA: 1299518180
MARCELO DE SOUZA OLIVEIRA – RA: 5945263006
MARCUS VINÍCIUS DE LIMA – RA: 0316563651 (D91)

PRÉ-MOLDADOS

O desenvolvimento técnico do trabalho é


abordado sobre Pré-Moldado na
Construção Civil apresentado na
disciplina de Estruturas Especiais e Pré-
moldados, como quesito de avaliação do
curso de Engenharia Civil.

Professor: Ricardo

CAMPO GRANDE – MS, 21 DE JUNHO DE 2017.


INTRODUÇÃO

O quesito utilização do pré-moldado, nos últimos tempos, vem sendo o diferencial


quanto a formação de novas construções, seja elas de pequeno porte ou grande. O que se
fala que tempo é dinheiro coisa que em um gerenciamento eficaz é possível obter uma
boa edificação sendo ela de construção rápida e econômica. Mas para a inserção do
trabalho a ser feito será mais voltado para as caracterizações desses elementos pré-
moldados.

Um assunto muito importante no tema são as ligações feitas na realização da


execução das peças pré-moldadas. As ligações são importantíssimas pois elas constituem
a concepção do sistema estrutural. São vários os tipos de ligações e devido a
caracterizações diferentes, cada uma delas devem ser bem avaliadas na hora de serem
empregadas, pois podem influenciar em vários fatores como tempo de obra ou
comportamento na estrutura, de acordo com Ebeling, 2006.

Para este trabalho escolhemos uma obra construída com elementos pré-moldados
para analisarmos cada característica relacionada principalmente em suas ligações.
PRÉ-MOLDADOS

LIGAÇÕES EXECUTADAS ENTRE ELEMENTOS

Cada projeto de realização de peças pré-fabricadas deve ser feito um bom estudo
de como será executada as ligações. Pois essas ligações podem ser relacionadas ao bom
desempenho estrutural na edificação.

O que se deve ter muito cuidado é com erros ou incompatibilidade entre peças que
serão executadas na obra. Na hora de realizar as ligações chegam com esses tipos de
problema ocasionando atrasos e muitas das vexes dificuldades para reparar os erros.

De acordo com Albarraan (1984) e Santos (2008), são vários os tipos de realização
de religações que poderão ser executadas em uma obra. Os principais são:

- Ligação pilar-fundação, entre a base do pilar e a fundação;

- Ligação pilar-pilar, entre o topo do pilar e a base de outro, geralmente realizado em


elementos de grande altura;

- Ligação pilar-laje, entre a seção do pilar e a face transversal da laje;

- Ligação viga-pilar, entre as extremidades da viga e o apoio dos pilares, geralmente na


região dos consolos;

- Ligação viga-viga, entre extremidades de vigas ou vigas principais e secundárias;

- Ligação laje-viga, entre as extremidades de laje e apoio das vigas que recebem as lajes;

- Ligação laje-laje, entre painéis pré-fabricados.

LIGAÇÕES EXECUTADAS ENTRE ELEMENTOS DENTRO DA OBRA


SELECIONADA

Com vários exemplos de ligações já expostos acima podemos tirar um


entendimento melhor sobre as ligações executadas nessa obra.

A utilização de ligações não articuladas entre os pilares e as vigas permite:

- definir pórticos muito mais rígidos em relação aos obtidos com a utilização de ligações
articuladas;

- obter menor deslocabilidade horizontal;


- obter menores efeitos de segunda ordem sobre os pilares;

- viabilizar a execução de edifícios de Concreto Pré-moldado;

Como os painéis de fachada podem funcionar como vigas de grande altura, foi
adotado que algumas das ligações com os pilares fossem soldadas no topo e na base dos
painéis através de grampas e cantoneiras. Na execução dessas ligações não apresentam
dificuldades além da própria solda em campo e garante a transmissão de momentos de
flexão tanto com tração na região superior (momento negativo) quanto de tração na região
inferior (positivo). Esta característica foi de grande importância estrutural visto que o
modelo considerando esta ligação como rígida pode ser utilizado para a aplicação da ação
do vento em dois sentidos opostos. Para o caso das vigas sobre apoios tipo dente Gerber,
a ligação rígida com alguns pilares foi adotada com luvas para emendas de barras de aço
CA-50. A altura final da viga na obra ficou acrescida da espessura da laje alveolar
utilizada e da espessura do capeamento.

As luvas foram posicionadas na produção do pilar na face superior final da viga e


as barras foram emendas na obra através de rosca. A solidarização da ligação foi efetuada
durante a concretagem do capeamento no local e respectivo preenchimento da parte
superior da viga entre as lajes alveolares.
E, ainda, algumas características dessa ligação são:

- A possível transmissão de apenas fletores negativos;

- Quando a atuação do vento está em um determinado sentido, as vezes, é necessário a


consideração da ligação rígida em algumas posições particulares;

- Será considerada como articulada quando o vento atua no sentido contrário, neste caso
a mesma ligação não é capaz de transmitir o momento fletor.
ETAPAS DA ANÁLISE ESTRUTURAL

1º - Aplicação das ações do peso próprio da estrutura e do capeamento sobre as lajes


alveolares: Todas ligações foram consideradas como perfeitamente articuladas.

2º - Aplicação das ações acidentais e as demais ações permanentes após a consolidação


das ligações: Todas ligações rígidas foram restringidas.

3º - Aplicação das ações horizontais de vento com direção de 0°: Todas as ligações rígidas
entre pilares e painéis foram restringidas. Foram restringidas as ligações rígidas entre
pilares e vigas que absorvem momentos negativos.

4º - Aplicação das ações de vento com direções de 90°, 180° e 270° de modo semelhante
à anterior.

5º - Consolidação da estrutura com aplicação dos momentos de engastamentos obtidos


em cada etapa independente sobre o modelo com ligações totalmente articuladas:
Superposição de todos os carregamentos aplicados com os momentos corretos nas
ligações.
CONCLUSÕES
Como visto, é notável a simplicidade da construção em si, devido ao uso de pré-
moldados, auxiliando assim na velocidade e padronização da mesma, de forma a ser
erguida uma estrutura, de menor custo, mais rápido que uma estrutura padrão.
Observa-se também a simplicidade no projeto, assim, não limitando as escolhas
para mão de obra inexperiente e instruída, permitindo assim maior capacitação da
mesma já em campo.
E, finalizando, deve-se relevar também o custo da obra, visto que, por meio do
uso de pré-moldados padronizados na mesma, o custo por peça cai, mais uma vez,
aumentando a simplicidade, velocidade de construção e reduzindo os gastos.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
DOS SANTOS, Carlos Henrique; CIRILO, Rogério Eustáquio; SOUZA, Ronilson
Flávio. ESTUDO DAS LIGAÇÕES DE MONTAGEM EM ESTRUTURAS PRÉ-
FABRICADAS DE CONCRETO. jan/2014. Disponível
em:<http://revistapensar.com.br/engenharia/pasta_upload/artigos/a120.pdf>. Acesso
em: 17 jun. 2017.
MIGLIORE JUNIOR, Angelo Rubens. Edifício Pré-moldado com Ligação
Rígida. 2005. Disponível em: <http://rubens.migliore@terra.com.br>.Acesso em: 19
jun. 2017.