Você está na página 1de 6

MUROS DE ARRIMO

1) Tipos

· muro tipo gravidade


· muro tipo flexão:
em balanço
com contrafortes

contraforte
s

gravidad em balanço com


e contrafortes
Figura 1

2) Muro em balanço
hp @ h/20

Gp
Es
Gs
b1 @
B/3

G pa
hb @ B/10
B = (0,4 h a 0,65 h) b

Figura 2.1

pa = gs h tg2 (45 - f / 2)
gs =peso específico do solo
f = ângulo de atrito interno do solo
E s = pa h / 2
Gp = 25 hp(h - hb)
Gb = 25 hb B
Gs = (B - b1 - hp)(h - hb ) gs

Exemplo: calcular e detalhar um muro de arrimo em balanço.

MURO - 1
Dados:
gs = 18 kN/m3 ; sadm = 100 kN/m2 ; f = 30o ; c = 25 kN/m2 (coesão)
h = 3,0 m ; fck = 15 MPa ; CA50A

“Predimensionamento”:

B = 0,5 h = 1,5 m ; b1 = B/3 = 50 cm


hp = h/20 = 15 cm ; hb = B/10 = 15 cm

a) cargas

pa = 18×3×tg2 (45 - 30/2) = 18 kN/m2


Gp = 0,15×(3,0 - 0,15) ×25 = 10,69 kN/m
Gb = 0,15×1,5×25 = 5,62 kN/m
Gs = (1,5 - 0,5 - 0,15) ×(3,0 - 0,15) ×18 = 43,6 kN/m
Es = pa h / 2 = 18×3 / 2 = 27 kN/m

Tensão normal (base do muro):


17, 75-85/2=32,5
5

Es
e = M/N
Gs
Gp
h/3 = N
100
M

Ponto A
N e
B/2=7
5
s Caso em
s
N b que e £
1m a B/6
M
N e
B = 1,5 m
Caso em
s que e >
B/6
a

Figura 2.2

Quando e £ B/6 tem-se:

N  6e  N  6e 
sa  1 ; sb  1
B  B  B  B 

e, deve-se verificar

N  3e 
sc  1  B  £ s adm .
B  

Quando e > B/6, a máxima tensão é dada por:

MURO - 2
2 N
sa 
3 B/2e

devendo ser limitada a (4/3) sadm , isto é:

4
sa £ s adm .
3

No caso, tem-se:

N = Gs + Gb + Gp = 43,6 + 5,62 + 10,69 = 59,91 kN/m


M = Gp×0,175 + Es×1,0 - Gs×0,325
= 10,69×0,175 +27,0×1,0 - 43,6×0,325 = 14,7 kN.m/m

e = M/N = 14,7/59,91 = 0,245 m < B/6 = 0,25 m.

Logo

N  6e  59,91  6 × 0,245  2
sa  1  B   1,5 1  1,5   79,08kN / m
B    
N  6e  59,91  6 × 0,245  2
sb  1  B   1,5 1  1,5   0,80kN / m
B    
N  3e  59,91  3 × 0,245  2 2
sc  1  B   1,5 1  1,5   59,51kN / m £ s adm  100kN / m
B    

b) estabilidade global

b.1. tombamento

Mt = momento de tombamento (calculado em relação ao ponto A)


= 27,0×1,0 = 27 kN.m/m

Mest = momento estabilizante (calculado em relação ao ponto A)


= Gp (b1 + hp / 2) + Gs [B - (B - b1 - hp) / 2] + Gb B/2
= 10,69×(0,5 + 0,15/2) + 43,6×[1,5 - (1,5 - 0,5 - 0,15)/2] + 5,62×1,5/2
= 57,23 kN.m/m

FS = fator de segurança = Mest / Mt = 57,23 / 27,0 = 2,12 (deve ser ³ 1,5).

b.2. escorregamento
Es

desprezado
N

MUROH - 3
est
Figura 2.3

Hest = força horizontal estabilizante


= B×cd + N tg fd = B (c / 2) + N×tg(2×f / 3)
= 1,5×25 / 2 + 59,91×tg(2×30 / 3) = 40,6 kN/m

FS = fator de segurança = Hest / Es = 40,6 / 27,0 = 1,502 (deve ser > 1,5).

c) dimensionamento (armadura de flexão)

2,85×18=51,3kN/m
2
0,15×25=3,75kN/m
2

285

15 85
50

1 2

27,0/1,5=18kN/ 18,0kN/ 17,1kN/m2


m2 4 m2
3

0,8
45,1 0
52,99 6
79,08 (kN/m2
) Figura 2.4

c.1. seção 1-2

m = 17,1×2,852 / 6 = 23,15 kN.m/m


n = Gp = 10,69 kN/m (compressão)

d @ 15 - 3,5 = 11,5 cm
ms = m + n (h/2 - 0,035) = 23,15 + 10,69×(0,15/2 - 0,035) = 23,57 kN.m/m

MURO - 4
 m sd   1,4 × 2357 
x  1,25d 1  1    1,25 × 11,51  1   =
 0,425bd 2 f cd   0,425 × 100 × 11,5 2 × 1,5 / 1,4 
4,71 cm
m sd n 1,4 × 2357 1,4 × 10,69
As   d    7,89  0,34 = 7,55
f yd (d  0,4 x) f yd 43,48(11,5  0,4 × 4,71) 43,48
cm2/m
(f10c/10)

Obs.: A excentricidade da força normal e = m/n = 23,15 / 10,69 = 2,17 m. Trata-se de


uma grande excentricidade pois a força normal “cai” bem longe da seção. A sua
influência no ELUlt. é tanto menor quanto maior for esta excentricidade. Nestes casos
pode-se, em geral, deprezar a força normal no dimensionamento da seção. Assim, no
presente caso, se for desprezada a influência da força normal, tem-se: x = 4,61 cm e
As = 7,72 cm2 (f10c/10), valor este, a favor da segurança (pequeno acréscimo de 2,2%
sobre a armadura realmente necessária).

c.2. seção 2-4

m = (51,3 +3,75 - 0,8) 0,852/2 - (45,16 - 0,8) 0,852/6 = 14,26 kN.m/m


n = 18,0×0,85 - (17,1 + 18,0) ×0,15/2 = 12,67 kN/m (tração)

d @ 15 - 3,5 = 11,5 cm
ms = m - n (h/2 - 0,035) = 14,26 - 12,67×(0,15/2 - 0,035) = 13,75 kN.m/m
 m sd   1,4 × 1375 
x  1,25d 1  1  2
  1,25 × 11,51  1  2  =
 0,425bd f cd   0,425 × 100 × 11,5 × 1,5 / 1,4 
2,52 cm
m sd n 1,4 × 1375 1,4 × 12,67
As   d    4,22  0,41 = 4,63
f yd ( d  0,4 x) f yd 43,48(11,5  0,4 × 2,52) 43,48
cm2/m
(f8c/10)

Obs.: A excentricidade da força normal e = m/n = 14,26 / 12,67 = 1,13 m. Trata-se de


uma grande excentricidade pois a força normal “cai”bem longe da seção A sua
influência no ELUlt. é tanto menor quanto maior for esta excentricidade. No presente
caso, se for desprezada a influência da força normal, tem-se: x = 2,62 cm e As = 4,39
cm2 (f8c/11), valor este, contra a segurança (5,2% a menos do que a armadura
realmente necessária). Nestes casos, costuma-se, ainda, assimilar esta pequena redução
na verificação da segurança, desprezando-se a influência da força normal de tração de
grande excentricidade.

c.3. seção 1-3

m = (52,99 - 3,75)×0,52/2 + (79,08 - 52,99) 0,52/3 = 8,33 kN.m/m

MURO - 5
n = 18,0×0,5 = 9,0 kN/m (compressão)

d @ 15 - 3,5 = 11,5 cm
ms = m + n (h/2 - 0,035) = 8,33 + 9,0×(0,15/2 - 0,035) = 8,69 kN.m/m
 msd   1,4 × 869 
x  1,25d 1  1    1,25 × 11,51  1   =
 0,425bd 2 fcd   0,425 × 100 × 11,52 × 1,5 / 1,4 
1,53 cm
msd n 1,4 × 869 1,4 × 9,0
As   d    2,57  0,29 = 2,28
fyd ( d  0,4 x) f yd 43,48(11,5  0,4 × 1,53) 43,48
cm2/m
(f8c/20)

Malha de armadura superficial mínima:

0,10% b h = 0,0010×100×15 = 1,5 cm2/m (f6,3c/20)

d) detalhamento

MURO - 6

Você também pode gostar