Você está na página 1de 3

                                                                                                               

 
Celbook:  O  Futuro  dos  Celulares  e  dos  Netbooks  

 
por  Luiz  Otavio  da  Silva  Nascimento  

Esqueçam  os  celulares,  os  notebooks  e  os  netbooks!  No  mundo  da  TI  –  Tecnologia  
da  Informação  continua  valendo  a  Lei  de  Moore1  criada  em  1965  e  que  dizia:  “o  número  de  
transistores  num  determinado  espaço   irá  dobrar  a  cada  ano   enquanto  que  o  custo  de  cada  
transistor  cairá  e  sua  velocidade  aumentará”.  Ou  seja,  a  capacidade  dessa  indústria  de  criar  
propiciará   produzir   dispositivos   cada   vez   mais   rápidos   e   potentes,   a   um   custo   cada   vez  
menor.  

Com   a   convergência   da   TI   com   as   Telecomunicações   e,   principalmente,   com   a  


entrada   das   grandes   corporações   de   TI   no   mundo   das   Telecomunicações,   estamos  
presenciando  a  cada  instante  o  surgimento  de  novos  aparelhos  celulares  que  transcendem  
em  muito  o  que  podíamos  esperar  de  um  telefone  móvel.  Por  outro  lado,  a  aceitação  e  a  
penetração   dos   celulares   em   todas   as   classes   sociais   estão   gerando   um   volume   que  
viabiliza  ainda  mais  a  pregação  da  Lei  de  Moore.  

Hoje,  com  o  advento  dos  smartphones,  estamos  diante  de  um  aparelho  que  é  um  
intercomunicador   pessoal   móvel   e   está   tornando-­‐se   também   um   processador   individual  
móvel,  pois  as  tecnologias  colocadas  num  Iphone  4  associadas  àquelas  inseridas  num  Ipad,  
por   exemplo,   em   conjunto   com   o   “cloud   computing”   (a   computação   via   Internet),   já  
permitem  transformá-­‐lo  num  dispositivo  do  tipo  “All-­‐in-­‐One”.  

O     dispositivo   resultante,   necessariamente   compacto   como   o   Iphone   4,   seria  


conectável  via  wireless  a  qualquer  monitor  e  teclado,  criando  maior  conveniência.  Assim,  
você  o  utilizaria  na  empresa,  acessando  via  Internet  (“cloud  computing”)  aos  seus  arquivos  
–   particulares   e/ou   profissionais   –   e   aos   aplicativos   necessários   (e-­‐mail,   editor   de   texto,  
planilhas,   etc.).   Ao   encerrar   o   expediente,   você   poderia   ir   a   um   happy-­‐hour   no   seu   bar  

                                                                                                                         
1
 Gordon  Earle  Moore  (www.moore.org)  
 

favorito  e  usá-­‐lo  como  um  smartphone  ou,  então,  se  o  seu  bar  disponibilizar  monitores  e  
teclados  nas  mesas,  poderia  conectá-­‐los  e  usar  o  seu  dispositivo  como  um  celbook.  

O   mesmo   conceito   se   aplicaria   ao   chegar   em   casa,   gerando   conveniência   e  


segurança  nunca  vistos,  pois  os  riscos  de  perda  de  arquivos  seriam  reduzidos  e  tudo  que  
você  precisaria  seria  ter  um  celbook  e  acesso  à  Internet,  via  3G  ou  banda  larga.  Poderia,  até  
mesmo,   usar   o   celbook   de   um   amigo,   uma   vez   que   o   acesso   aos   arquivos,   aplicativos   e  
dados  se  dará  através  de  senhas  pessoais.  

O  mote  para  este  novo  dispositivo  poderia  ser:  não  saia  sem  ele!  

Em  suma,  tudo  vai  mudar  e  muito,  para  melhor.  A  democratização  digital  nos  levará  
a  um  novo  mundo,  com  um  enorme  contingente  de  pessoas  conectadas  e  que  rapidamente  
se   tornarão   cada   vez   mais   ricas   em   termos   de   informação   e   mais   pobres   em   termos   de  
tempo.  

Quem  viver,  verá!  

Luiz   Otavio   da   Silva   Nascimento.   Engenheiro,   especializado   em   Marketing   pela   Fundação   Getúlio   Vargas.  
Mestre  em  Administração  de  Empresas  pela  Universidade  Federal  do  Rio  Grande  do  Sul  (UFRGS),  com  cursos  
nos  Estados  Unidos  (Darden  Business  School  da  University  of  Virginia)  e  na  França  (L’École  des  Hautes  Etudes  
Commerciales  –  HEC  –  Paris).  Tem  mais  de  25  anos  de  experiência  na  geração  de  resultados  e  na  gestão  de  
empresas   varejistas   e   industriais,   dentre   as   quais   Perrier,   Cisper-­‐Owens   Illinois,   Smuggler,   Carrier   e   Lojas  
Renner.    

Atualmente  é  Sócio-­‐Diretor  Geral  da  Merita  Consultoria  Empresarial,  Sócio-­‐Diretor  e  Membro  do  Conselho  de  
Administração   da   PBS   –   People   &   Business   Solutions,   Diretor   Comercial   do   Grupo   Simus,   especializado   em  
soluções  em  Processos  e  em  Tecnologia  da  Informação  para  o  varejo.  É  membro  do  IBGC  –  Instituto  Brasileiro  
de  Governança  Corporativa  e  do  Retail  Council  do  GLG  –  Gerson  Lehrman  Group.  É  professor  da  cadeira  de  
Inteligência  Competitiva  e  Conhecimento  do  Consumidor  do  Mestrado  em  Gestão  de  Marketing  em  Serviços  
e  Varejo  da  Universidade  Anhembi-­‐Morumbi  (Laureate  International  Universities).    

 
2  
 

Foi   um   dos   fundadores   do   IPDV   –   Instituto   de   Pesquisa   e   Desenvolvimento   do   Varejo   e   Sócio-­‐Diretor   da  


Gouvêa   de   Souza   &   MD.   Palestrante   nacional   e   internacional,   tem   diversos   artigos   publicados   e   é   autor   do  
livro  “Êxodo  –  da  visão  à  ação  –  uma  proposta  para  o  varejo  brasileiro”.  Também  é  co-­‐autor  do  livro  “Varejo:  
Administração  de  Empresas  Comerciais”,  ambos  publicados  pela  Editora  Senac  São  Paulo.  Seu  próximo  livro  
“Gestor   Eficaz   –   práticas   para   ser   bem   sucedido   num   ambiente   empresarial   competitivo”   será   lançado   em  
outubro  deste  ano  pela  Editora  Novo  Conceito  (Book  Business).  

 
3