Você está na página 1de 4

Cálculo II – Profª Elizabete Silva

LIMITE

Definição: Seja uma função de duas variáveis cujo domínio D contem os pontos
arbitrários . Dizemos que o limite de é um número L, e escrevemos

se para todo tal que se e

√ | |

Ou seja, o limite de é um número L, desde que o valor de da função em


tende a L, quando tende a ( sobre todos os caminhos que estão no
domínio de .

Propriedades:
Se e existam, então:
Cálculo II – Profª Elizabete Silva

a) [ ]

b)

c) [ ]

d) , desde que

A definição acima diz que a distância entre e L pode ser feita


arbitrariamente pequena se tomarmos a distância de para suficientemente
pequena. A definição refere-se somente a distância entre e , ela não se
refere à direção da abordagem. Portanto, se o limite existe, deve se aproximar
do mesmo valor-limite, independente de como se aproxima de . Assim, se
acharmos dois caminhos diferentes de aproximação ao longo dos quais tenha

limites diferentes, então não existe.

Regra dos dois caminhos: Se quando ao longo do


caminho e quando ao longo do caminho , com
, então não existe.

Exemplos:

1) Calcule , caso exista.

2) Se , será que existe?

Como nos dá uma indeterminação do tipo , vamos usar a regra dos dois

caminhos. Primeiramente, vamos considerar ao longo do eixo x (ou seja,

Então, se , temos:

, para todos
Cálculo II – Profª Elizabete Silva

Agora, nos aproximando ao longo do eixo y (ou seja, , temos:

, para todo

Como caminhos diferentes levaram a valores diferentes, o limite não existe.

3) Se , será que existe?

Como nos dá uma indeterminação do tipo , vamos usar a regra dos dois

caminhos.

Ao longo do eixo x, temos:

, para todos Portanto,

Ao longo do eixo y, temos:

, para todos Portanto,

Apesar de termos encontrado valores iguais ao longo dos eixos, não podemos
garantir ainda que o limite é 0. Vamos nos aproximar então por outro caminho diferente
das origens, ou seja,

Ao longo de temos:

, para todos

Como caminhos diferentes levaram a valores diferentes, o limite não existe.

4) Se , será que existe?

Como nos dá uma indeterminação do tipo , vamos usar a regra dos dois

caminhos. Para facilitar, vamos generalizar e economizar tempo para não termos que
fazer o mesmo que fizemos no exemplo anterior.

Vamos aproximar ao longo de qualquer reta não vertical através da origem.


Tomemos , onde m é a inclinação da reta. Então:
Cálculo II – Profª Elizabete Silva

Mas, isso ainda não garante que o limite seja 0. Tomemos agora .Então:

Como caminhos diferentes levaram a valores diferentes, o limite não existe.

______________________________________________________________________

Exercícios:

1) Calcular √ , caso exista.

2) Calcular , caso exista.

3) Calcular , caso exista.

4) Calcular ( ) , caso exista.

5) Calcular , caso exista.

6) Calcular , caso exista.


7) Calcular , caso exista.

______________________________________________________________________

Gabarito:

1) √ 2) 3) 4) 0

5) Não existe, pois ao longo do eixo x deu 0, ao longo do eixo y deu 0 e ao longo
da reta deu .

6) 0, pois ao longo do eixo x deu 0, ao longo do eixo y deu 0 e ao longo da reta


deu
7) 0, pois ao longo do eixo x deu 0, ao longo do eixo y deu 0 e ao longo da reta
deu