Você está na página 1de 2

Reprodução Assexuada

Nesta reprodução não há trocas de gametas entre os indivíduos e


os organismos formados são geneticamente idênticos ao organismo
que os gerou. Caso ocorra uma mutação no DNA, estes organismos
apresentarão diferenças em relação ao progenitor. Existem vários
tipos de reprodução assexuada: divisão binária, brotamento,
regeneração e esporulação.

• Divisão binária, bipartição ou cissiparidade: é o processo em


que uma célula se divide em duas, por mitose, e origina duas
células geneticamente idênticas. Ocorre por exemplo em
bactérias e protozoários.
• Brotamento ou gemiparidade: um broto se desenvolve no
indivíduo e após um tempo se desprende, passando a ter uma
vida independente. Exemplos de organismos que se
reproduzem por brotamento são os fungos, as hidras, as
esponjas e até certas plantas.
• Regeneração: alguns organismos possuem uma capacidade de
regeneração muito grande. Quando algum fragmento é
retirado, ao encontrar condições ideais de sobrevivência, pode
se regenerar e dar origem a um novo indivíduo. Isto pode
acontecer nas planárias, esponjas e algumas plantas.
• Esporulação: é o processo de reprodução onde os organismos
produzem esporos que são liberados no ambiente e quando
encontram condições favoráveis, germinam. Encontramos este
tipo de reprodução em fungos e algas.

Reprodução sexuada

É o processo que envolve fusão de gametas de organismos de


uma mesma espécie, originando um ou mais organismos
geneticamente diferente dos progenitores.
Esta diferença ocorre porque no processo de formação dos gametas
ocorre a meiose, e nela ocorre a recombinação gênica. Quando dos
gametas se unem, somam suas características e dão origem a um
novo indivíduo. Este processo aumenta a variabilidade genética entre
os organismos, possibilitando assim uma diversidade maior entre eles
e propiciando sempre organismos capazes de se adaptar ao meio
onde vivem. As trocas de gametas podem ocorrer entre organismos
diferentes da mesma espécie ou até mesmo entre um mesmo
indivíduo.
Um caso particular de reprodução sexuada é a
partenogênese, pois mesmo que não haja fecundação, envolve a
participação do gameta feminino. A partenogênese é o
desenvolvimento do óvulo em um novo indivíduo sem a ocorrência de
fecundação.
Animais dióicos são aqueles que possuem em sua espécie indivíduos
do sexo feminino e outros do sexo masculino, ou seja, os sexos são
separados. A fecundação entre eles pode ser interna ou externa. Ex:
Seres Humanos (possuem fecundação interna).

Animais hermafroditas ou monóicas são aqueles que possuem em


sua espécie indivíduos que apresentam os dois sexos em um mesmo
organismo. Estes produzem tanto gametas masculinos quanto
femininos. Podem fazer autofecundação ou fecundação cruzada. Ex:
Minhocas.

http://www.infoescola.com/biologia/reproducao-sexuada/
http://www.infoescola.com/biologia/reproducao-assexuada/