Você está na página 1de 4

Aconselhamento

O Rio do Discipulado

Steve Viars1

Muitos pastores e líderes de igrejas lo- cuidadosos quando se trata de adicionar um


cais hesitam em dar início a um ministério novo ministério ou atividade, e não estão
de aconselhamento bíblico, por diversas ra- errados ao agirem assim. Segundo, acredi-
zões. Primeiro, preocupam-se com o fato do tam que o aconselhamento requer uma fon-
aconselhamento exigir um tempo que po- te de conhecimento diferente e um con-
deria ser investido em evangelismo e disci- junto de métodos distintos. Logo, o acon-
pulado. Por quererem ser parte de uma igreja selhamento é visto como algo que escapa ao
missionária, estes líderes cristãos são muito discipulado e, portanto, um terreno alheio.

1
Tradução e adaptação de The Discipleship River.
Publicado em The Journal of Biblical Counseling, v.
20, n.3, Spring 2002. p. 58-60.
Steve Viars é pastor de Faith Baptist Church em
Lafayette, Indiana. É doutor em Aconselhamento
Pastoral pelo Westminster Theological Seminary.

Coletânea de Aconselhamento Bíblico Š Volume 3 27


O diagrama do rio do discipulado pro- Escolhemos a ideia de um rio pensan-
cura responder às duas preocupações, aju- do no objetivo do nosso ministério, que é
dando a perceber como os diferentes aspec- glorificar a Deus tendo o máximo de pes-
tos do ministério se complementam e tra- soas possível no centro deste rio, onde a
balham juntos. A parte central do diagrama corrente é mais rápida, crescendo na velo-
representa o discipulado normal. Ele inclui cidade desejada por Deus. Os problemas
tudo quanto a igreja faz para ajudar homens são tratados e resolvidos. As pessoas en-
e mulheres a se tornarem seguidores fiéis de contram respostas para os problemas do
Cristo. Com certeza, os cultos de adoração cotidiano e têm suas vidas transformadas.
cabem aqui, bem como a escola dominical. Elas crescem espiritualmente e se tornam
Aqui também estão incluídos os pequenos cada vez mais semelhantes a Jesus Cristo.
grupos de estudo bíblico, grupos de presta- O discipulado normal, quando bem
ção de contas, programas de discipulado, conduzido, pode ser excelente na igreja lo-
grupos familiares e ministérios com jovens. cal. Entretanto, as igrejas também preci-
Cada igreja possui uma variedade de minis- sam se preocupar com outro aspecto do
térios que visam ao discipulado normal. discipulado: a questão de ajudar homens e
mulheres a encontrarem o rio. Podemos
identificar este aspecto como discipulado
preparatório. Ele abrange tudo quanto a
igreja faz na tentativa de ganhar pessoas para
Jesus, ou seja, o evangelismo. Incluem-se
aqui também os ministérios na área social,
que atingem pessoas carentes. A razão de o
discipulado preparatório fazer parte do rio
do discipulado é que a mesma fonte de ver-
dade é usada no discipulado propriamente
dito e também no evangelismo. A mesma

28 Coletânea de Aconselhamento Bíblico Š Volume 3


verdade e amor estão em ação. Também jas que são ótimas em ganhar pessoas para
os mesmos obreiros estão envolvidos. Os Cristo, mas ficam para trás em prover mi-
ministérios se encaixam perfeitamente, nistérios que promovam a santificação pro-
como luva. gressiva. Por outro lado, há igrejas que fa-
Nosso diagrama pode ser usado tam- lam muito sobre mudança e crescimento,
bém como um instrumento de avaliação. mas estão indiferentes ao evangelismo. É
De modo geral, algumas igrejas parecem raro encontrarmos igrejas que atuam bem
ser mais efetivas em um dos aspectos do em ambos.
que no outro. Todos nós conhecemos igre- No entanto, uma outra questão as-
soma-se. O que fazer com aquelas pes-
soas que não estão sendo beneficiadas
pelos meios e métodos do discipulado
normal na igreja? O que devemos fazer
pelo indivíduo que cai em pecado e não
consegue se desvencilhar, ou a pessoa que
tem dúvidas que precisam de respostas
vindas da Palavra de Deus? No nosso
diagrama do rio, esta é a pessoa que não
sabe muito bem remar. Ela rema em cír-
culos ou acaba presa por galhos de árvo-
res à margem do rio. Várias igrejas, mes-
mo entre aquelas que atuam bem nos
outros dois aspectos do discipulado, fa-
lham para com seus membros neste as-
pecto. Não há ministérios para ajudar

Coletânea de Aconselhamento Bíblico Š Volume 3 29


tais pessoas ou não há ministérios intei- uma fonte de verdade diferente nem um
ramente compatíveis com os compromis- conjunto de métodos completamente dis-
sos doutrinários da igreja. tinto. A beleza também está no fato de ser
A esta altura, surge uma lagoa no rio temporário. A pessoa recebe aconselha-
do discipulado. É uma parte mais ampla mento até estar pronta para retornar ao
no leito do rio, onde a corrente não é tão curso normal do rio do discipulado.
forte. Homens e mulheres podem ser con- As igrejas precisam ter ministérios ade-
duzidos para lá e ensinados a remar. É aqui quados para ajudar homens e mulheres que
que encontramos o aconselhamento bíbli- não estão prontos para se beneficiarem dos
co. Para aqueles que não gostam da pala- meios e métodos do discipulado normal.
vra aconselhamento, não há problema. Use o nome que preferir, mas tenha certe-
Podem chamá-lo de um discipulado corre- za de que este ministério está a postos. Por
tivo ou discipulado concentrado. É o disci- favor, certifique-se também de que ele con-
pulado intensivo. O importante é que ele diga de modo natural com tudo quanto a
continua a ser parte do rio. Não requer igreja crê e pratica.

30 Coletânea de Aconselhamento Bíblico Š Volume 3