Dos crimes contra a administração pública 05/05/2009-13:30 Autor: Danilo Fernandes Christófaro;

Resolução da questão 23 23 - Sobre os crimes praticados contra a administração em geral, assinale a alternativa correta. (A) Comete o delito de desobediência o delegado de policia que, em razão de amizade com o autor do delito, não atende a requisição de Ministério Publico para fins de instauração de inquérito policial. (B) O crime de corrupção ativa, para se configurar na forma consumada, deve ter causado prática funcional a infringir dever por parte do servidor público. (C) Constitui crime de prevaricação a conduta de policial civil que retarda, indevidamente, a prática de ato de ofício, para satisfazer interesse ou sentimento pessoal. (D) A conduta do servidor fazendário, que, em razão de seu cargo, exige ou solicita, para si ou para outrem, vantagem indevida, constitui o crime de concussão previsto no art.316 do Código Penal. (E) Constitui crime de advocacia administrativa a conduta de advogado particular que patrocina, direta ou indiretamente, interesse privado perante a administração pública. NOTAS REDAÇÃO A questão em comento trata dos crimes contra a administração pública em geral, e exigiu que o candidato assinalasse a alternativa CORRETA, que de acordo com o gabarito divulgado, é a alternativa (C). Vejamos: (A) Comete o delito de desobediência o delegado de policia que, em razão de amizade com o autor do delito, não atende a requisição de Ministério Publico para fins de instauração de inquérito policial. A primeira alternativa está incorreta, pois o delito de desobediência tem como sujeito ativo qualquer pessoa (particular contra a administração), mesmo sendo funcionário público. No entanto, para que o funcionário público figure como sujeito ativo deste tipo, é indispensável que seja fora de sua função, logo, como se tratava de delegado de polícia (funcionário público) em exercício de sua função, enquadra-se no tipo penal do artigo 319 do CP, prevaricação: "retardar ou deixar de praticar, indevidamente, ato de ofício, ou praticá-lo contra disposição expressa de lei, para satisfazer interesse ou sentimento pessoal". No caso, o delegado deixou de atender requisição do Ministério Público em razão de amizade com o autor do delito (sentimento pessoal). (B) O crime de corrupção ativa, para se configurar na forma consumada, deve ter causado prática funcional a infringir dever por parte do servidor público. Outra alternativa errônea, uma vez que a forma consumada deste crime (corrupção ativa) se dá no momento do oferecimento ou prometimento da vantagem indevida ao funcionário público, não necessitando que ocorra prática funcional a infringir dever por parte do servidor público para consumação do crime. O que ocorre em algumas situações, é o funcionário simular o recebimento da quantia para que possa ocorrer à prisão em flagrante (flagrante esperado) e, como o crime já está consumado, não há nada de irregular nisso. (C) Constitui crime de prevaricação a conduta de policial civil que retarda, indevidamente, a prática de ato de ofício, para satisfazer interesse ou sentimento pessoal. A alternativa C é a que o candidato deveria ter assinalado como sendo a CORRETA, haja vista tratar-se de crime de prevaricação, que já exposto na alternativa A, refere-se, realmente, ao ato de "retardar ou deixar de praticar, indevidamente, ato de ofício, ou praticá-lo contra disposição expressa de lei, para satisfazer interesse ou sentimento pessoal", é o que se extrai do artigo 319 do Código Penal, ou seja, bastava o conhecimento da literalidade de lei para identificar que esta afirmativa era a correta, podendo descartar-se as demais. Contudo, analisemos as alternativas restantes para dirimir eventuais dúvidas. (D) A conduta do servidor fazendário, que, em razão de seu cargo, exige ou solicita, para si ou para outrem, vantagem indevida, constitui o crime de concussão previsto no art. 316 do Código Penal.

O crime de "advocacia administrativa" é aquele em que um funcionário público favorece.embora seja denominado como "advocacia administrativa". em outro artigo. pode ser praticado por qualquer pessoa (advogado ou não). direta ou indiretamente."patrocinar. vantagem indevida". para si ou para outrem. mas em razão dela. defende. favorecendo-se da sua condição e usando das suas amizades com os outros funcionários. todavia. . direta ou indiretamente. Logo.Conhecendo o teor do artigo 316 do CP . desde que seja funcionário público. O artigo 321 do CP . direta ou indiretamente. fala-se de advogado particular que patrocina. ainda que fora da função ou antes de assumi-la. interesse privado perante a administração pública. direta ou indiretamente. O examinador misturou o verbo do artigo 316 (exigir) com o do 317 (solicitar) ambos do CP. é constante atribuição dos advogados patrocinarem causas contra a administração pública. o que é mais do que normal. Na alternativa em exame. o que na alternativa (erroneamente) constou como sendo parte integrante do mencionado artigo. (E) Constitui crime de advocacia administrativa a conduta de advogado particular que patrocina. ora. justamente para confundir o candidato. O ato de solicitar vantagem indevida aparece tipificado também no rol dos crimes contra a administração pública. valendo-se da qualidade de funcionário" . outros particulares etc. facilita. notamos que em momento algum o legislador inseriu em seu texto o verbo solicitar. interesse privado perante a administração pública. esta alternativa também está incorreta."exigir. um interesse alheio. interesse privado perante a administração pública.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful