Você está na página 1de 14

UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ

CURSO DE ENGENHARIA
CIVIL / PRODUÇÃO / ELÉTRICA

FÍSICA TEÓRICA E EXPERIMENTAL I

Turma 3051 2° Semestre – 2018

Experimento nº 004

Nome do Experimento: Movimento de rotação puro (MCU) e a força centrípeta


num MCU.

Alunos: NELSON VAGNER SILVA DE MOURA 201707122211


MATEUS DE SOUZA MARINHO 201802158073
THAMARA THABATA O. ORNELLAS 201802157905
THIAGO GENTIL B. DOS SANTOS 201801229872
FELIPE GOMES XAVIER 201803478111
TIAGO F. DOS SANTOS 201803156791 REPOSIÇÃO
MIGUEL ARCANJO A. DE OLIVEIRA 201305045981
SILAS FREITAS DOS SANTOS 201803567856
Sumário

1 Objetivo..........................................................................................................02

2 Introdução Teórica ........................................................................................02

3 Procedimento.................................................................................................08

4 Resultados.....................................................................................................08

5 Discussão.......................................................................................................11

6 Conclusão.......................................................................................................11

7 Bibliografia......................................................................................................13

1
1 - Objetivo
Com o auxílio de um aparelho rotacional, estudar o comportamento do
MCU em pontos diferentes. Estudar as variações da força centrípeta sobre o
objeto, ocasionadas pela mudança de massa do objeto e do raio da trajetória.

2- Introdução Teórica

Movimento Circular Uniforme (MCU)

Definição

Um corpo está em Movimento Circular Uniforme, se sua trajetória for


descrita por um círculo com um "eixo de rotação" a uma distância R, e sua
velocidade for constante, ou seja, a mesma em todos os pontos do percurso.

A importância do estudo desse movimento está na compreensão do


funcionamento de motores, sistemas compostos por engrenagens e roldanas,
podendo ser aplicado até no movimento de satélites naturais e artificiais. A
velocidade de um móvel constante e linear é representada pela equação a
seguir:
θ é o ângulo da trajetória;
R é o raio da trajetória;
ΔS é o deslocamento angular.
É importante destacar que o valor do ângulo da trajetória deve ser
medido em radianos e não em graus, onde:

Período e Frequência
Há grandezas importantes que devem ser consideradas na realização
desse movimento, cuja orientação da velocidade é angular. São elas o período
e a frequência.

2
O Período, que é o tempo necessário para que um objeto em movimento
circular complete um giro e medido em segundos, é o intervalo de tempo. A
frequência, que é o número de voltas executadas em um intervalo de tempo,
medida em hertz, é a sua continuidade, ou seja, ela determina quantas vezes a
rotação acontece. Importa referir que a velocidade tangencial é perpendicular à
aceleração que, neste caso, é centrípeta. Isso porque ela aponta sempre para
o centro da trajetória e é não nula.
Matematicamente, o período é o inverso da frequência, e a frequência é
o inverso do período.

Grandezas Escalares
Medidas em radianos, a saber:
Espaço ou Posição Angular: representado pela letra grega phi (φ), a posição
angular descreve o arco de um trecho da trajetória indicada por determinado
ângulo. É calculado por:

Deslocamento Angular: representado por Δφ (delta phi), o deslocamento


angular define a posição angular final e a posição angular inicial da trajetória.
Podemos calcular:

Sendo:

Por convenção:
 No sentido anti-horário o deslocamento angular é positivo.
 No sentido horário o deslocamento angular é negativo.

Velocidade Angular: Representada pela letra grega ômega (ω), a velocidade


angular indica o deslocamento angular pelo intervalo de tempo do movimento
na trajetória. Sendo:

Sua unidade no Sistema Internacional é: rad/s

3
Sendo também encontradas: rpm, rev/min, rev/s.
Também é possível definir a velocidade angular instantânea como o
limite da velocidade angular média quando o intervalo de tempo tender a zero:

Aceleração Angular: representada pela letra grega alpha (α), aceleração


angular determina o deslocamento angular sobre o intervalo de tempo da
trajetória.

Força centrípeta
Definição
A força centrípeta está relacionada com o movimento circular
desenvolvido pelos corpos em determinada trajetória curvilínea.

Dessa maneira, a força centrípeta designa a força resultante dos corpos


que realizam uma trajetória circular (movimento curvilíneo uniforme - MCU),
atraindo-os para o centro.
Primeiramente devemos discutir como o objeto começou a mover-se
pelo trajeto circular. A 1ª lei de Newton nos diz que um objeto irá continuar seu
movimento em um trajeto contínuo a não ser que sofra a ação de uma força
externa. A força externa neste caso é a força centrípeta. É importante
compreender que a força centrípeta não é uma força fundamental, mas apenas
um rótulo dado para a força resultante que faz o objeto mover-se em um trajeto
circular. A força de tensão em uma bola amarrada em uma corda e a força
gravitacional mantendo um satélite em órbita são ambos exemplos de forças
centrípetas. Múltiplas forças individuais podem ser relacionadas desde que elas
se adicionem (por adição vetorial) para dar a força resultante para o centro de
um trajeto circular.
Começando com a 2ª lei de Newton:

4
Os termos da equação da força centrípeta são:
FCP = Força centrípeta (N – newtons)
m = Massa do corpo (kg)
V = Velocidade do corpo (m/s)
R = Raio da trajetória circular (m)
Então:

A natureza desta força pode ser de origem elástica, gravitacional,


elétrica, entre outras. Num corpo preso a um alfinete através de um cordão
sobre uma mesa sem atrito, girando, a força centrípeta é a tensão. Segue
exemplos abaixo:
Quando a pista é horizontal e plana a força de atrito é a única força que
contribui para que o carro faça a curva. Veja:

O trem da montanha russa não cai devido à força centrípeta. A resultante


das forças que atuam sobre o corpo, gerando uma aceleração:

Podemos observar a atuação de duas forças, uma de componente


tangencial (responsável pela variação do módulo da velocidade) sempre
tangente à trajetória e outra de componente centrípeta (responsável pela
variação da trajetória). Num sistema onde atuam força centrípeta e força
tangencial, a decomposição da força resultante é dada como mostra abaixo.

5
Observe que Ft = Fr.cosθ, e que Fc = Fr.senθ
Quando o movimento é uniforme, Ft é zero.

Força Centrífuga
Definição
A força centrífuga é um referencial de força utilizado em trajetórias
curvas. Ela não é considerada força porque não cumpre os requisitos de força
apresentados na segunda Lei de Newton, um dos quais a aceleração.
Por esse motivo, é também chamada de força inercial, fictícia ou, ainda, de
pseudo força.

O conceito da força centrífuga foi criado pelo matemático e astrônomo


holandês Christiaan Huygens no ano de 1659, ao elaborar o seu trabalho De Vi
Centrifuga, tratando de movimentos e leis físicas.
A força centrífuga não pode ser observada de longe pelo fato de que não
existe aceleração que a torne perceptível. O que muitos chamam de força, na
verdade, é a inércia. Durante a execução da curva, o corpo de um passageiro
tende, por inércia, a manter o movimento na direção anterior e, assim, surge a
sensação de ser empurrado para fora da trajetória circular.
Ela é calculada pela formula matemática: Fc = m.v²/r onde:
Fc = Força centrifuga; m = massa do corpo;
v = velocidade tangencial do corpo;
r = raio da curva do movimento.
O efeito da força centrífuga, no mundo cotidiano, é aplicado nas
máquinas centrifugas com o intuito de separar materiais de acordo com a sua
massa, bem como nos reguladores centrífugos com o objetivo de efetuar a
regulagem da velocidade dos seus motores.
Um tambor de raio r gira rapidamente para expulsar a água do tecido
das peças de roupa. Depois de atingida uma rotação constante, o vetor

6
velocidade V de cada peça de roupa não muda mais de valor (ou módulo) no
decorrer do tempo. Mas muda constantemente em direção/sentido.

A força centrífuga apresenta algumas características:


– Direção: É perpendicular em relação à curva pelo ponto onde se encontra o
objeto.
– Sentido: É para fora do centro da circunferência.

Aplicações nas Engenharias


Nas Engenharias Elétrica e de Telecomunicações, o MCU está presente
nos campos elétricos e magnéticos, onde os movimentos das cargas estão
sujeitos a forças de intensidades elétricas e magnéticas, essa força de
intensidade é centrípeta direcionada ao centro do campo. Esses campos estão
presentes em praticamente todas as aplicações dessas engenharias, uma
simples carga passando por um fio condutor gera um campo magnético e o
fenômeno já se encontra presente. Componentes diversos também utilizam o
conceito, como os indutores e solenoides. Na união dos dois campos temos
diversas outras aplicações, sendo a mais utilizada nos dias atuais as Redes
sem fio. Podemos citar como exemplo equipamentos como celulares,
roteadores wi-fi, antenas e transmissores que utilizam as ondas
eletromagnéticas para propagação e recepção de sinais.
Na Engenharia Civil, a gente tem aplicação nas betoneiras que misturam
o concreto.
Na Engenharia Química, a força centrífuga é muito utilizada em
equipamentos responsáveis por separação de misturas.
Na Engenharia de Mecânica a força centrífuga está presente na
produção de máquinas de lavar.

7
3 - Procedimentos:

No experimento de MCU:
1. Anotar 5 tempos de rotação para o referencial interno (R3).

2. Anotar 5 tempos de rotação para o referencial externo (próximo ao ponto


A).
3. Faça medição das seguintes distâncias:
 Centro-Ponto interno
 Centro-Ponto externo
 Ponto interno- Ponto externo
4. Montar uma tabela com os tempos, tempo médio e distância.
5. Pesquisar o MCU e calcular:
 Frequência
 Velocidade tangencial em função do período.

No experimento de Força Centrípeta e Centrífuga:

1. Verifique se o fio vertical, que dependura a massa no pilar, está


perpendicular ao fio conectado ao dinamômetro;
2. Segurando a massa m (A+B), suba o dinamômetro de modo a aplicar
uma força conhecida sobre esta massa;
3. Puxe (com a mão) a massa perpendicular para que o fio fique
alinhado sobre a linha gravada na torre. Nestas condições, a massa
perpendicular irá se posicionar na distância R do centro; a força que
a solicita em direção ao centro, força centrípeta, terá seu valor
indicado pelo dinamômetro.
4. Repetir o experimento com a aplicação de 3 forças diferentes.
5. Monte uma tabela e pesquise Força Centrípeta e Força Centrífuga.

4 – Resultados:

Segue resultados do experimento do MCU.


Tempos (Período) de rotação para o referencial externo (próximo ao ponto A).
1º Período 1,41s
2º Período 1,43s
3º Período 1,44s
4º Período 1,41s
5º Período 1,46s

Média: 1,43s

Tempos (Período) de rotação para o referencial interno (R3).


1º Período 1,16s
8
2º Período 1,12s
3º Período 1,12s
4º Período 1,18s
5º Período 1,16s

Média: 1,15s

Medição das distâncias: CENTRO/PONTO INTERNO/PONTO EXTERNO.


Centro-Ponto interno (R3) 0,048m
Centro-Ponto externo (próximo ao ponto A) 0,097m
Ponto interno-Ponto externo (R3  Próximo ao ponto A) 0,144m

 Cálculo da frequência no Referencial interno (R3).

Período (T)= 1,15s

Frequência (f)=

Logo,

Frequência (f) = 0,87Hz

 Cálculo da velocidade tangencial em função do período no referencial interno


(R3):

T = 1,15s
R = 0,048m
V = 2 . 3,14 . 0,048  V ≅ 0,26 m/s.
1,15

 Cálculo da frequência no Referencial externo (próximo ao ponto A).

Período= 1,15s

Frequência (f) =

Logo,

Frequência (f) ≅ 0,7Hz

 Cálculo da velocidade tangencial em função do período no referencial externo


(próximo ao ponto A):

T = 1,43s
R = 0,097m
V = 2 . 3,14 . 0,097  V ≅ 0,43 m/s.
1,43
Segue resultados do experimento da força centrípeta.

Tabela com os resultados obtidos no experimento da força centrípeta.

9
Força conhecida = 2 Resultado Força centrípeta, em Newtons.
1ª medição 2 0,04N
2ª medição 2 0,04N
3ª medição 2 0,04N

Força conhecida = 4 Resultado Força centrípeta, em Newtons.


1ª medição 4 0,08N
2ª medição 4 0,08N
3ª medição 4 0,08N

Força conhecida = 6 Resultados Força centrípeta, em Newtons.


1ª medição 8 0,16N
2ª medição 8 0,16N
3ª medição 8 0,16N

 Acima temos a foto do aparelho rotacional utilizado no experimento do MCU.







 Acima temos a foto do aparelho de dinâmica rotacional utilizado para o
experimento da força centrípeta.

5 - Discussão:

10
No primeiro experimento foi usado o aparelho Rotacional é destinado ao
estudo do movimento circular uniforme, sistemas de referência(relatividade do
movimento segundo um referencial), período e frequência; corpos em órbitas;
estudo da transmissão da velocidade; movimento harmônico simples
(expressão senoidal do MHS a partir do MCU), determinação de velocidade
escalar, velocidade vetorial, velocidade angular e aceleração centrípeta. O
grupo não teve dificuldade para manusear o equipamento, as medições foram
sempre dentro dos limites, sem muitas alterações.
No segundo experimento, foi usado o Aparelho para Dinâmica das
rotações, destinado ao estudo do movimento em duas dimensões, movimento
periódico, força centrípeta, movimento circular uniforme, aceleração centrípeta,
período, frequência, relação entre força centrípeta, a massa, o raio e a
frequência num MCU, velocidade angular, conservação do momentum angular,
pêndulo cônico, etc. Neste experimento o grupo teve alguns contratempos, pois
o equipamento no primeiro e segundo testes, funcionou perfeitamente, já nos
seguintes o equipamento não iniciava e tivemos que proceder de outras formas
para que iniciasse. Tivemos problemas também para documentar o
experimento, pois as fotos, devido ao movimento do equipamento não saiam
nítidas, mas, após encontrar a forma correta de registro, não tivemos mais
problemas.

6- Conclusão:
Através do experimento de MCU poderemos observar a
frequência será inversamente proporcional a distância entre o centro do círculo
e o ponto marcado (raio). Ao dar uma volta completa do centro até o ponto R3
(0,048m) foi necessário um tempo de 1,15s tendo como resultado de
frequência 0,87Hz, já o raio maior, do ponto central até o ponto A (0,097m), que
levou 1,43s para dar uma volta completa foi alcançado uma frequência de
0,7Hz.
A velocidade tangencial, segundo verificado no experimento é
aumentada conforme o raio e consequentemente o tempo aumentam, segundo
verificado no teste o ponto de maior raio (do centro ao ponto A), contou com
uma velocidade tangencial de 0,43m/s contra 0,26m/s do menor raio (do centro
ao ponto R3). O segundo experimento em sua íntegra foi realizado com o
aparelho de dinâmica rotacional, diferentes configurações sobre os discos de
11
massa. Com o experimento é possível determinar a força centrípeta de um
corpo; força esta que mantém o corpo em movimento circular. Para isso foi
utilizado uma plataforma rotacional, também foram calculadas a força
centrípeta.
Ao observar os resultados obtidos no experimento:
f = 2, R = 2 e força centrípeta = 0,04N
f = 4, R = 4 e força centrípeta = 0,08N
f = 6, R = 8 e força centrípeta = 0,016N
Nota-se que estão dentro do esperado teoricamente e estão em uma
margem de erro aceitável.

12
7- Bibliografia:
Toda matéria. Disponível:<https://www.todamateria.com.br/movimento-
circular/>Acesso em 03/11/2018.

Portal São Francisco.


Disponível:<https://www.portalsaofrancisco.com.br/fisica/movimento-circular-
uniforme> Acesso em 03/11/2018.

Mundo Educação.
Disponível:<https://mundoeducacao.bol.uol.com.br/fisica/movimento-circular-
uniforme-ou-mcu-1.htm> Acesso em 03/11/2018.

Só Física.
Disponível:<https://www.sofisica.com.br/conteudos/Mecanica/Cinematica/mc.ph
p> Acesso em 03/11/2018.

Khan Academy.
Disponível:<https://pt.khanacademy.org/science/physics/centripetal-force-and-
gravitation/centripetal-forces/a/what-is-centripetal-force> Acesso em
05/11/2018.

Info Escola. Disponível:<https://www.infoescola.com/fisica/forca-centripeta-e-


centrifuga/> Acesso em 05/11/2018.

Brasil Escola. Disponível:<https://brasilescola.uol.com.br/o-que-e/fisica/o-que-


e-forca-centripeta.htm> Acesso em 05/11/2018.

Física Moderna. Disponível:<http://fisicamoderna.blog.uol.com.br/arch2007-07-


22_2007-07-28.html> Acesso em 05/11/2018.

Resumo Escolar. Disponível:<https://www.resumoescolar.com.br/fisica/forca-


centrifuga/>Acesso em 05/11/2018.

13