Você está na página 1de 12

Ritual Maior do Pentagrama

Primeiramente, faça o Ritual Menor do Pentagrama usando os pentagramas


banindo:http://bruxariasemdogmas.blogspot.com.br/2015/08/ritual-menor-do-pentagrama-rmp.html

Para saber como traçar os pentagramas, link


aqui:http://bruxariasemdogmas.blogspot.com.br/2015/06/entendendo-os-pentagramas-de-
invocacao.html

Após o Ritual Menor do Pentagrama, faça-se o Ritual Maior do Pentagrama. Essa é uma maneira de
abrir um círculo mágico ou se alinhar com as forças angélicas. Após o termino do trabalho, faça o
Ritual Maior do Pentagrama Banindo e o Ritual Menor do Pentagrama Banindo.

Vamos ao rito: Ritual Maior do Pentagrama!

A- De frente para o leste faça a cruz cabalista:

(1) Toque sua testa e diga Atho (tu és)

(2) Toque o centro do peito e diga Malkuth (o reino)

(3) Toque o ombro direito e diga Ve-Geburah (o poder)

(4) Toque o ombro esquerdo e diga Ve-Gedulah (a glória)

(5) Junte as mãos em forma de palma, como em oração, no centro do peito e diga Le Olahm
(sempre)

(6) Pegue a arma mágica com a mão direita, aponte para cima, segure com as duas mãos e diga
Amém (assim está feito)

B- Trace o pentagrama invocatório do espírito ativo:


B1- Vibre (diga) Exarp enquanto traça o pentagrama

B2- Vibre Eheieh enquanto traça a roda do centro, que está no desenho do pentagrama acima

B3- Faça o sinal do adepto menor, siga a sequência:

Lembrete: Observe a posição dos pés, das mãos (direita e esquerda) e da cabeça. Clique na
imagem para ela ficar maior.

C- Trace o pentagrama invocatório do ar:

C1- Vibre Oro Ibah Aozpi enquanto traça o pentagrama

C2- Vibre YhVh (Yod He Vau He) enquanto traça o símbolo de aquário, que está no centro do
desenho do pentagrama

C3- Faça o sinal do ar:

D- Vire-se para o sul

D1- Trace o pentagrama invocatório do espírito ativo como desenhado acima.

D2- Vibre Bitom enquanto traça o pentagrama

D3- Vibre Eheieh enquanto traça a roda do centro do pentagrama

E- Trace o pentagrama invocatório do fogo:


E1- Vibre Oip Teaa Pedoce enquanto traça o pentagrama

E2- Vibre Elohim enquanto traça o símbolo de leão, que está no centro do desenho do pentagrama

E3- Faça o sinal do fogo:

F- Vire-se para o oeste

F1- Trace o pentagrama invocatório do espírito passivo:

F2- Vibre Hcoma enquanto traça o pentagrama

F3- Vibre Agla enquanto traça a roda do centro do pentagrama

G- Trace o pentagrama invocatório da água:

G1- Vibre Empeh Arsel Gaiol enquanto traça o pentagrama


G2- Vibre Al enquanto traça a cabeça da águia alquímica, que está no centro do desenho do
pentagrama

G3- Faça o sinal da água:

H- Vire-se para o norte

H1- Trace o pentagrama invocatório do espírito passivo como desenhado acima.

H2- Vibre Nanta enquanto traça o pentagrama

H3- Vibre Agla enquanto traça a roda do centro do pentagrama

I- Trace o pentagrama invocatório da terra:

I1- Vibre Emor Dial Hectega enquanto traça o pentagrama

I2- Vibre Adonai enquanto traça o símbolo de touro, que está no centro do desenho do pentagrama

I3- Faça o sinal da terra:

J- Vire-se para o leste, abra os braços em forma de cruz e diga:

Na minha frente Raphael (‘ph’ tem som de ‘f’)

Atrás de mim Gabriel

Na minha direita Miguel

Na minha esquerda Auriel

Diga:
Na minha frente flameja o pentagrama

Atrás de mim brilha a estrela de seis raios

K- Faça o sinal do adepto de novo olhando para o leste:

L- Faça a cruz cabalística novamente, que está no início do texto.


Para banir: Faça o mesmo rito usando os pentagramas de banimento. Você poderá fazer em
sentido anti-horário se for do seu feitio. Como fizemos do leste, sul, oeste e norte, invocando
(sentido horário), pode-se banir no sentido inverso, norte, oeste, sul, leste (sentido anti-horário).
Mas, a cruz cabalística do início e do fim, deve ser feita sempre no leste, assim como o rito dos
quatro arcanjos (Rafael, Gabriel, Miguel, Auriel).

(Esse texto foi elaborado, traduzido, ordenado e editado com base no livro “The Complete Golden
Dawn System Of Magic” do autor Israel Regardie. Se for reproduzir, cite a fonte, minha e do livro
que tirei como base. Obrigado!)

Fonte: http://bruxariasemdogmas.blogspot.com.br/2015/08/ritual-maior-do-pentagrama.html

“Nada seduz mais um anjo do que um demônio e nada seduz mais um demônio do que um anjo.
Porém, ambos são seduzidos pelos homens e mulheres.” (Eosphorus Pluto)
Postado por Eosphorus Pluto às 18:16

Enviar por e-mailBlogThis!Compartilhar no TwitterCompartilhar no FacebookCompartilhar com o


Pinterest

Ritual Menor do Pentagrama


O Ritual menor do pentagrama foi criado pela “Golden Dawn”, uma
ordem de estilo Maçônica/Rosacruciana com graus e iniciações. Esta
Ordem foi devotada ao estudo da magia cerimonial ocidental e ao
estudo do oculto, passando por estudos de Kabbalah, de Tarot,
Tattwas (símbolos que representam os cinco elementos), viagem nos
planos, entre outros. Apesar de não ter tido uma vida muito longa,
esta ordem foi a base para a maioria das ordens mágicas conhecidas
hoje, e teve entre seus membros os maiores expoentes da magia da
época, S.L. MacGregor Mathers, Aleister Crowley, Austim Osman
Spare, Israel Regardie, Dion Fortune, W.B. Yeats, entre outros tantos.
Este ritual era o primeiro a ser ensinado a seus membros, ainda
neófitos. Isto porque ele o introduzia a invocação, e servia como
meditação, centralização e proteção. Este ritual é utilizado por várias
ordens hoje em dia, e possui grande número de variações.

O RMP é o mais eficaz método de “desinfetar” um ambiente astral e é recomendado antes de


qualquer consagração ou operação mágica. Versões modificadas (e mais fracas) dele são usadas
na Wicca, OTO, Maçonaria e Rosacruz, além de trocentos filhotes destas ordens. Porém, antes de
você começar a praticá-lo, tem uma série de exercícios, que eu já passei no blog, que deverão ser
dominados:
– Cruz Cabalística.
– Exercício de Visualização dos 4 Pentagramas.
É importante que você não “imagine” toda a estrutura do RMP, mas VISUALIZE toda a estrutura. Há
uma grande (e vital) diferença entre estes dois verbos… quando eu falo em visualizar, significa ter a
CERTEZA de que tudo aquilo que você traçou está realmente ali; que a luz emanada pelas chamas
está iluminando e dando um tom azulado ao local, só ofuscado pela luminescência da cruz sobre o
altar; que o seu sigilo pessoal está flamejante no centro de cada um dos quatro pentagramas e que
os Anjos estão dispostos ao lado de fora do local, de espadas em punho.
VISUALIZAR significa que estas construções estarão firmes e cristalizadas no Astral. Com o tempo
e a repetição, você tornará aquele recinto impenetrável a qualquer entidade com Força de Vontade
menor que a sua (e eis o por quê os magos devem dominar TODAS as esferas da Árvore… Yesod
para a visualização, Hod para a Vontade e Netzach para a cristalização). Pode-se utilizar uma vela
no altar (que será acesa logo na finalização do ritual) para ajudar o inconsciente nestas
visualizações (enquanto a vela estiver acesa, estará atrelada ao ritual).
O Ritual
Parte 1 – A Cruz Cabalística (ou Rosa Cruz)
Deve ser feita diante do altar onde ficará o Livro da Lei, o Coração do Templo, voltado para o Leste
(Oriente). Visualizar a cruz projetada sobre o altar. Traçado com os dedos indicador e médio
estendidos e os outros dedos fechados.
1 – Toque a testa e diga “ATEH” (dedo indicador e médio estendidos, os outros fechados)
Visualize a luz divina descendo do alto de Keter até o magista e o altar.
2 – Toque o sexo e diga “MALKUTH” (com a mão na posição de “figa” – Imagine a energia vinda do
cósmico fecundando a mãe-terra a seus pés e fincando as bases da cruz luminosa que protegerá o
ambiente). Neste momento, deverá estar visualizado um pilar de luz no centro do templo.
3 – Toque o ombro direito e diga “VE – GEBURAH” (dedo indicador e médio estendidos, os outros
fechados)
4 – Toque o ombro esquerdo e diga “VE – GEDULAH” (dedo indicador e médio estendidos, os
outros fechados)
Conforme for traçando os braços da cruz, imagine que esta energia luminosa se espalha pelos
lados do Rigor e Misericórdia, formando a estrutura da Cruz no centro do templo/altar.
5 – Trace o seu Sigilo Pessoal (se tiver) no centro da cruz.
Imagine o traço em dourado brilhante (Tiferet).
6 – Junte as mãos no peito e diga “LE – OLAHM AMEN”
Visualize a energia divina projetando-se para dentro do Templo, iluminando toda a Sala
Capitular/Templo e afastando qualquer interferência ruim do mundo profano.
Parte 2 – Os Pentagramas
1 – De frente para o Leste (o Oriente), com as mãos na forma do Kubera-Mudra (dedos polegar,
indicador e médio unidos, como se estivesse segurando um giz invisível) desenhe um pentagrama
visualizando-o em chamas azuladas muito fortes.
Comece a traçar o Pentagrama de acordo com a figura ao lado.
No centro visualize o primeiro nome de Deus, IHVH e inspirando-o,
sentindo passar pelo peito até os pés e sentindo-o à sua volta; trace
o Sigilo Pessoal com os dedos no centro do pentagrama, e depois
toque o símbolo, espalhando a energia pelo pentagrama, ao mesmo
tempo em que vibra o nome (pronuncia-se “Iod Rê Vav Rê”) com
energia, visualizando toda a estrutura flamejante. Trace com os
dedos o Círculo de Proteção, no sentido horário, do Leste para o Sul,
circundando o meridiano do Templo.
2 – De frente para o Sul, repita o processo anterior trocando o nome
por “ADONAI”. Continue o Círculo para o Oeste
3 – De frente para o Oeste, repita o processo anterior trocando o
nome por “EHEIEH” (pronuncia-se “É-Ré-Iée”. Continue o Círculo para o Norte
4 – De frente para o Norte, repita o processo anterior trocando o nome por “AGLA”. Continue o
Círculo para o Leste, fechando todo o conjunto.
Parte 3 – Invocação dos Arcanjos
1 – Na posição de Cruz (os braços abertos e os pés juntos), o estudante repetirá:
“A minha frente RAPHAEL” (vibre todos os nomes)
2 – “Atrás de mim GABRIEL”
3 – “A minha direita MICHAEL”
4 – “A minha esquerda AURIEL”
5 – “Pois ao meu redor flamejam os Pentagramas”
Sempre imaginando os Arcanjos nas suas respectivas posições, fora do Templo, guardando-o e
protegendo-o, e os pentagramas em chamas. Cada um está relacionado a um elemento: Raphael
(Ar), Michael (Fogo), Gabriel(Água) e Auriel (Terra), na seqüência. Como os elementos são 4, o
magista, ao centro, será a 5ª parte do pentagrama, o espírito.
6 – “E na coluna do meio, brilha a estrela de seis raios”.
Que o estudante visualize dois Hexagramas, um em cima e o outro projetado embaixo, com uma
faixa de luz estendendo-se na vertical, envolvendo-o e formando uma espécie de “grade” ao redor
do local.
Parte 4 – Repita a Cruz Cabalística
Quando terminar, os Pentagramas e a proteção ficarão por ali tanto tempo quanto sua vontade for
capaz de manter a Visualização.
UPDATE: este vídeo no Youtube tem uma boa base para as pronúncias corretas:
http://www.youtube.com/watch?v=qQWsnAUCcmw
Entendendo os pentagramas de invocação e de banimento

Nessa postagem, você terá uma fonte de consulta e poderá tirar dúvidas sobre como traçar
pentagramas. Você poderá traçar em qualquer superfície. Vou me ater à traçar pentagramas no ar
durante rituais. Normalmente, e o que vejo de mais comum, é que no norte está o quadrante da
terra, no leste do ar, no sul do fogo, e no oeste da água.

O próprio pentagrama tem em si os 4 elementos e o quinto elemento chamado de espírito ou éter.


Esse é o pentagrama:

Note que o Triangulo pra cima representa o elemento masculino, ou melhor o espírito ativo. O
triangulo em pé é uma figura fálica, e portanto, representa o masculino. Representamos o Ar e o
Fogo com triângulos para cima.

Note que o triangulo para baixo representa o elemento feminino, ou melhor o espírito passivo. O
triângulo para baixo lembra os pelos pubianos da mulher. Representamos a terra e a água com
triângulos para baixo.

Aquele pentagrama lá de cima não deve te orientar sobre as posições dos elementos no círculo ou
no altar pois se trata de uma figura de cinco pontas. Nele, o elemento oposto à terra é a água. O
que é não é real nos pontos cardeais se você considerar que a terra fica no norte e o fogo no sul,
assim sendo, o elemento oposto à terra é o fogo e não a água.
Como invocar ou banir usando os pentagramas:

Vamos usar o exemplo do pentagrama invocatório da terra:

Obs: 1- Você deverá traçar no sentido da seta inicial e seguir o traçado como se estivesse traçando
um pentagrama no ar.

Obs: 2- Quando formar o pentagrama completo você deverá fazer mais um traço (6) que foi o
primeiro traçado que você fez, assim completa-se a abertura do portal.

Obs: 3- Depois deverá traçar uma figura circular ao entorno do seu pentagrama traçado, se for
invocatório deverá ser no sentido horário, se de banimento deverá ser no sentido anti-horário.

Vamos ao exemplo de pentagrama invocatório da terra (siga a sequência):


Os espíritos ativos e passivo deverão ser traçados antes dos pentagramas dos elementos. Assim,
o pentagrama ativo invocatório deverá ser traçado antes dos pentagramas invocatórios do ar e do
fogo. O pentagrama ativo de banimento deverá ser traçado antes dos pentagramas de banimento
do ar e do fogo.

O pentagrama passivo invocatório deverá ser traçado antes dos pentagramas invocatórios da água
e da terra. O pentagrama passivo de banimento deverá ser traçado antes dos pentagramas de
banimento da água e da terra.

Os pentagramas ativos e passivos podem deixar de serem traçados, dependendo do ritual e se o


ritual não exigir.

Agora vamos aos pentagramas dos elementos:


Depois de traçar cada um dos pentagramas pode-se traçar um círculo em volta de cada um dos
pentagramas. Exemplo: Tracei o pentagrama invocatório da terra, depois traço o círculo no sentido
horário. Se tracei o pentagrama de banimento da terra, depois traçarei o círculo no senti anti-
horário. Essa etapa também pode ser omitida.

Traçar um círculo ao entorno do pentagrama pode significar várias coisas, entre elas, o infinito, o
ciclo, a roda do ano, a união dos quatro elementos com o espírito, entre outras interpretações.
Portanto, eu utilizo essa técnica, mas nada impede de você não usar. Assim sendo aqui estão:

Agora vamos entender a lógica dessas setas indicando para onde devemos começar o traçado dos
pentagramas dos elementos. Vou usar como exemplo o pentagrama da terra. Observe:

Note que quando invocamos vamos em direção ao elemento (terra neste caso), quando banimos
saímos do elemento pelo mesmo sentido da seta invocatória. Note também que os dois elementos
da extremidade e ponta da seta possuem natureza opostas. Neste caso o espírito e a terra. Vamos
ver com outro elemento:
Note que a lógica continua, invocando vamos ao elemento (ar neste caso), quando banimos saímos
do elemento pelo mesmo sentido da seta invocatória. Note novamente, que os elementos da
extremidade e ponta da seta possuem natureza opostas. Neste caso, um elemento ativo (triângulo
pra cima) e um elemento passivo (triângulo para baixo).

Agora vamos analisar o traçado dos espíritos passivos e ativos:

Note que a extremidade e a ponta da seta dos traçados do pentagrama ativo vêm e vão entre dois
elementos semelhantes (ativos - triângulo para cima). E a extremidade e a ponta da seta dos
traçados do pentagrama passivo vêm e vão entre dois elementos semelhantes (passivos - triângulo
para baixo).

Obs 1- Assim, fica mais fácil de decorar esses traçados se você usar essa lógica.

Obs 2- Além de você não precisar, necessariamente, de traçar os pentagramas dos espíritos antes
dos pentagramas dos elementos, e além de você não precisar necessariamente de traçar os
círculos envolta dos pentagramas, você poderá só decorar o pentagrama invocatório e de
banimento da terra para usá-los em substituição a todos os outros pentagramas. Você poderá usar
apenas o pentagrama da terra para traçar nos quadrantes. Porém, seria interessante usar os
pentagramas direitinho da terra, ar, fogo e água.

Obs 3- Costuma-se utilizar os pentagramas da terra também para:

 Abençoar (invocatório) alimentos e bebidas em rituais.


 Consagrar (invocatório) e purificar (banimento) objetos.
Fonte: http://bruxariasemdogmas.blogspot.com.br/2015/06/entendendo-os-pentagramas-de-invocacao.html

Vídeo sobre o assunto e com informações além no canal do youtube do Bruxaria Sem Dogmas.
Vídeo:
Postado por Eosphorus Pluto às 17:18

Você também pode gostar