Você está na página 1de 7

UNIVERSIDADE NOVE DE JULHO

UNINOVE

UTILIZAÇÃO DE METODOLOGIA ATIVA PBL NO ENSINO DE


CONCEITOS MATEMÁTICOS AOS ALUNOS DO ENSINO MÉDIO NA
ESCOLA PÚBLICA

RODRIGO RODRIGUES MARTINS


5º SEMESTRE

São Paulo - SP
2018
2

RODRIGO RODRIGUES MARTINS

UTILIZAÇÃO DE METODOLOGIA ATIVA PBL NO ENSINO DE


CONCEITOS MATEMÁTICOS AOS ALUNOS DO ENSINO MÉDIO
NA ESCOLA PÚBLICA

Projeto de TCC apresentada como exigência para a


obtenção da disciplina TCC do Curso de Matemática, a
Universidade Nove de Julho – UNINOVE, sob a
orientação do Prof. Me Janice Natera Gonçalves.

São Paulo - SP
2018
3

SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO ........................................................................................................ 4
2. JUSTIFICATIVA...................................................................................................... 5
3. PROBLEMATIZAÇÃO ............................................................................................ 5
4. HIPÓTESE .............................................................................................................. 5
5. OBJETIVO GERAL ................................................................................................. 5
5.1. Objetivo específico ................................................................................... 6
6. METODOLOGIA ..................................................................................................... 6
7. RELEVÂNCIA TEÓRICA ........................................................................................ 6
8. BIBLIOGRAFIA ...................................................................................................... 6
4

1. INTRODUÇÃO

O mundo que nós vivemos está mudando cada vez mais rápido e os problemas
que enfrentamos estão cada vez mais complexos, exigindo que saber analisar,
representar, comunicar e prever eventos, onde o conhecimento matemático
predomina, seja cada vez mais requisitado. Saber aplicar estes conceitos a sua vida
profissional tornou-se um diferencial competitivo.
Diante dos novos desafios impostos, há a necessidade de revisão dos
currículos educacionais e metodologias de ensino nas escolas, pois devem estar
alinhados com as demandas e desafios de um mundo globalizado, entretanto,
observa-se que esta mudança não ocorre na mesma velocidade em que é requisitada.
No mundo, muitos professores ainda utilizam o método tradicional no ensino de
matemática, onde a aula é conduzida de forma expositiva, com o aluno absorvendo o
conhecimento que o professor reproduz, de forma passiva, sem uma real reflexão da
razão daquele aprendizado e ao final recebendo lições onde apenas reproduz a
informação (R.D.Padmavathy, 2013).
Neste método tradicional, há falta de articulação entre esses conceitos de teoria
e prática, ocasionando dificuldades, já que os conteúdos são apresentando sem
contexto nem relação com a vida do aluno. Claramente, o desafio das escolas é a
busca por uma metodologia de ensino inovadora, que garanta a “práxis pedagógica
capaz de ultrapassar os limites do treinamento puramente técnico e tradicional, para
efetivamente alcançar a formação do sujeito como um ser ético, histórico, crítico,
reflexivo, transformador e humanizado” (GEMIGNANI, 2012, p.1). Uma metodologia
ativa como PBL (Problem Based Learning - Aprendizagem Baseada em Problemas)
apresenta-se como uma alternativa viável.
O PBL utiliza um ambiente onde uma situação-problema direciona o
aprendizado. Então, este começa com um problema a ser solucionado, e este
problema é colocado aos alunos de tal forma que eles precisam obter o conhecimento
antes que eles possam resolver o problema. Ao invés de procurarem por uma simples
resposta, os alunos interpretam o problema, levantam informações, identificam
possíveis soluções, avaliam opções e apresentam conclusões.
Portanto, trabalhar conceitos matemáticos por meio da PBL, pode ajudar no
ensino e aprendizagem.
5

2. JUSTIFICATIVA

A escolha deste tema foi devido à dificuldade dos professores em transmitir


seus conhecimentos matemáticos aos alunos do ensino médio da rede pública de
escolas. Nas aulas de matemática, é perceptível a dificuldade do aluno em relacionar
o assunto tratado com a matéria. A ideia desse trabalho é mostrar uma solução que
auxilie os professores quanto a esse problema.

3. PROBLEMATIZAÇÃO

De acordo com pesquisas (Tokarnia, 2017), no ensino médio, somente 7,3%


dos alunos atingem aprendizado adequado em Matemática. Resultado disso, índices
ruins são cada vez mais noticiados em mídias tradicionais e digitais (Chade, 2016).
Ao observar a forma como este conhecimento é transmitido nas escolas públicas,
percebe-se que são utilizados métodos tradicionais que já não condizem com a
necessidade atual de aprendizado, um mundo cada vez mais rápido e dinâmico. Com
essa necessidade em vista, começaram a aparecer novas metodologias que
remoldam a forma como o conhecimento é transmitido ao aluno. Será que uma dessas
novas metodologias, em específico o PBL (Problem Based Learning), é capaz de
melhorar a absorção de conhecimento e o engajamento por parte dos alunos? Qual é
a vantagem em se utilizar uma metodologia dessa em relação ao método tradicional?

4. HIPÓTESE

A hipótese desse trabalho é que os alunos aprendem mais quando os conceitos


matemáticos são relacionados à problemas encontrados em sua vida cotidiana.
Quanto mais situações reais são mostradas para que os alunos resolvam utilizando o
que está sendo ensinado, mais conhecimento será construído por eles e,
consequentemente, uma melhora nos índices de aprendizado.

5. OBJETIVO GERAL
6

Analisar o impacto da utilização de metodologia ativa PBL no ensino dos


alunos de ensino médio na escola.

5.1. Objetivo específico

Comparar os índices de aprendizado dos conceitos matemáticos entre o


método tradicional e a metodologia ativa PBL.

6. METODOLOGIA

Este trabalho tem caráter analítico, utilizando métodos comparativos e do


estudo de casos, desenvolvido através da coleta, seleção e utilização de documentos
como livros, artigos científicos, teses e materiais disponíveis na internet, recorrendo-
se a sites de busca como Scielo e o Google Acadêmico. Ao usar os referidos sites,
foram empregadas as palavras-chaves: pbl, problem based learning, metodologia
ativa, aprendizagem, métodos de ensino. O material encontrado data entre 1985 e
2017.

7. RELEVÂNCIA TEÓRICA

XXXXXXXXXXXXXXX

8. BIBLIOGRAFIA

ABDULLAH, Nur Izzati; TARMIZI, Rohani Ahmad; ABU, Rosini. The Effects of Problem Based
Learning on Mathematics Performance and Affective Attributes in Learning Statistics at Form Four
Secondary Level. Procedia - Social And Behavioral Sciences, [s.l.], v. 8, p.370-376, 2010. Elsevier
BV. http://dx.doi.org/10.1016/j.sbspro.2010.12.052. Disponível em:
<https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1877042810021579>. Acesso em: 23 set. 2018.

BARBOSA, Eduardo Fernandes; MOURA, Dácio Guimarães de. Metodologia ativas de aprendizagem
na educação profissional e tecnológica. Boletim Técnico do Senac: a revista da educação
profissional, Rio de Janeiro, v. 39, p.48-67, maio 2013. Trimestral. Disponível em:
<http://www.bts.senac.br/index.php/bts/article/view/349/333>. Acesso em: 23 set. 2018.

CHADE, Jamil. Brasil é um dos piores em qualidade de matemática e ciências. 2016. Disponível
em: <https://educacao.estadao.com.br/noticias/geral,brasil-e-um-dos-piores-em-qualidade-de-ensino-
de-matematica-e-ciencias,10000061150>. Acesso em: 23 set. 2018.
7

CONGRESSO CIENTÍFICO DA SEMANA NACIONAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA NO IFSP, 7.,


2017, Bragança Paulista. O ENSINO DE CONCEITOS MATEMÁTICOS POR MEIO DA
APRENDIZAGEM BASEADA EM PROBLEMAS EM UM CURSO TÉCNICO INTEGRADO AO
ENSINO MÉDIO. Bragança Paulista: Instituto Federal de São Paulo, 2017. 6 p. Disponível em:
<http://bra.ifsp.edu.br/eventos/index.php/concistec/concistec17/paper/view/822/161>. Acesso em: 23
set. 2018.

ENCONTRO DE PRODUÇÃO DISCENTE EM ENSINO DE CIêNCIAS E MATEMÁTICA, 4., 2014,


São Paulo. A IMPORTÂNCIA DA METODOLOGIA PBL- APRENDIZAGEM BASEADA EM
PROBLEMAS NO APRENDIZADO DOS ALUNOS E NA FORMAÇÃO DOS PROFESSORES. São
Paulo: Universidade Cruzeiro do Sul, 2015. 10 p. Disponível em:
<http://revistapos.cruzeirodosul.edu.br/index.php/epd/article/view/976>. Acesso em: 23 set. 2018.

GEMIGNANI, E. Y. M. Y. Formação de professores e metodologias ativas de ensino


aprendizagem: ensinar para a compreensão. Fronteiras da Educação [online], Recife, v. 1, n. 2,
2012. Disponível em: <http://www.fronteirasdaeducacao.org/index.php/fronteiras/article/view/14/22>.
Acesso em: 21 abr. 2017.

OLIVEIRA, Wenderson Alves de. Práticas Instrucionais de aprendizagem ativa em física para o
ensino médio. 2014. 104 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Programa de Pós-graduação em
Ensino de Ciências Naturais, If – Instituto de FÍsica, Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá,
2014. Disponível em:
<http://ri.ufmt.br/bitstream/1/402/1/diss_2014_wenderson%20alves%20de%20oliveira.pdf>. Acesso
em: 23 set. 2018.

PBL2018 INTERNATIONAL CONFERENCE, 2018, Santa Clara, California, Eua. As metodologias


ativas aplicadas ao ensino médio. [s. L.]: Pbl2018 International Conference, 2018. 14 p. Disponível
em: <http://pbl2018.panpbl.org/wp-content/uploads/2018/02/AS-METODOLOGIAS-ATIVAS-
APLICADAS-AO-ENSINO-ME%C>. Acesso em: 23 set. 2018.

ROH, Kyeong Ha. Problem-Based Learning in Mathematics. ERIC Digest. 2003. Disponível em:
<https://www.ericdigests.org/2004-3/math.html>. Acesso em: 23 set. 2018.

SANTOS, Robson José dos; SASAKI, Daniel G.g.. Uma metodologia de aprendizagem ativa para o
ensino de mecânica em educação de jovens e adultos. Revista Brasileira de Ensino de Física, [s.l.],
v. 37, n. 3, p.3506-1, set. 2015. FapUNIFESP (SciELO). http://dx.doi.org/10.1590/s1806-
11173731955. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1806-
11172015000300506&lng=pt&tlng=pt>. Acesso em: 23 set. 2018.

VALENTE, José Armando; ALMEIDA, Maria Elizabeth Bianconcini de; GERALDINI, Alexandra Flogi
Serpa. Metodologias ativas: das concepções às práticas em distintos níveis de ensino. Revista
Diálogo Educacional, [s.l.], v. 17, n. 52, p.455-479, 26 jun. 2017. Pontificia Universidade Catolica do
Parana - PUCPR. http://dx.doi.org/10.7213/1981-416x.17.052.ds07. Disponível em:
<https://periodicos.pucpr.br/index.php/dialogoeducacional/article/view/9900/12386>. Acesso em: 23
set. 2018.