Você está na página 1de 25

Planejamento Estratégico na

Gestão Pública – Aula 3

Tema 01 – Concepções e
atuação do Estado.
Prof. Dr. José Antonio da Costa Fernandes
Objetivos

O objetivo desta aula é avaliar o


planejamento estratégico e o papel do estado
na sua implementação. Neste sentido serão
abordadas análises que avaliam o
neoliberalismo, a globalização e os modelos
de gerenciamento público.
Estado = contrato social

• Rousseau "o primeiro que, cercando um


terreno, se lembrou de dizer: 'isto é
meu' e encontrou pessoas bastante
simples para o acreditar, foi o verdadeiro
fundador da sociedade civil.”
• Boaventura de Sousa Santos: “metáfora
fundadora da racionalidade social e política
da modernidade ocidental”
Liberalismo

• Liberalismo: ausência ou pequena


participação do Estado na economia,
sociedade e política
• Conceito originário do século XIX que teve
seu auge no final do século XIX e início do
XX.
Keynesianismo
• Keynes: economista inglês que influenciou
diversos países capitalistas, principalmente após a
Segunda Guerra.
• Basicamente sua teoria concebe uma organização
política econômica fundamentada na condição do
Estado como principal elemento na regulação e
controle da economia. Tendo como perspectiva a
condução a um sistema de pleno emprego.
• Participação do Estado no apoio ao Mercado
• Estado de Bem Estar Social
• Hegemonia da lógica do Estado de Bem Estar
Social
Tema 02 – Crise do modelo
fordista, globalização e novos
tipos de gerenciamento e
planejamento.

Prof. Dr. José Antonio da Costa Fernandes


Anos 70

• Crise do modelo fordista de produção.


• Crise do petróleo: 1973 e 1978.
• Questionamentos ao modelo de Estado de
bem estar social na Europa.
• Eleição de Tatcher na Inglaterra: retorno a
concepção liberal na regulação do Estado.
Anos 80

• Eleição de Reagan nos EUA.


• Ampliação do modelo liberal. Definido
como neoliberalismo.
• Revolução Tecnológica (Adam Schaff)
- robótica
- informática
- transportes
- comunicação
Novas formas de organização da produção
Fordismo x Toyotismo
• Fordismo: organização da produção em
série e da “linha de produção” = Tempos
Modernos (Chaplin)
• Toyotismo: flexibilidade de funções,
ausência de estoque, extensa utilização de
tecnologia informática e da robótica,
participação dos trabalhadores e
dinamismo produtivo (SANDRI, 1994)
Queda do Muro de Berlim (1989) e
derrocada dos regimes do leste europeu
“a queda do muro de Berlim fez derrubar a
relação de forças e a reestruturação do modo
de acumulação do capital” (HOUTART e
POLET, 2002, p. 70), mesmo porque “é
preciso lembrar que é a existência do bloco
socialista, com suas ambigüidades que, ao
menos indiretamente, impeliu as sociedades
ocidentais a estabelecer os pactos sociais do
pós-guerra” (idem)
Tema 03 – Neoliberalismo

Prof. Dr. José Antonio da Costa Fernandes


Neoliberalismo

• Basicamente podemos definir que é um


concepção de estado na qual há uma
diminuição do estado como regulador da
economia.
• Foi concebida para realizar a
“desregulação” do estado sobre a atividade
econômica.
CONSENSO DE WASHIGTON (por Santos)
“Nas seguintes exigências e orientações: as economias nacionais devem se
abrir ao mercado mundial e os preços locais devem tendencialmente
adequar-se aos preços internacionais; deve ser dada prioridade à economia
de exportação; as políticas monetárias e fiscais devem ser orientadas para a
redução da inflação e da dívida pública e para a vigilância sobre a balança de
pagamentos; os direitos de propriedade devem ser claros e invioláveis; o
setor empresarial do Estado deve ser privatizado; a tomada de decisão
privada, apoiada por preços estáveis, deve ditar os padrões nacionais de
especialização, a mobilidade dos recursos, dos investimentos e dos lucros; a
regulação estatal da economia deve ser mínima; deve reduzir-se o peso das
políticas sociais no orçamento do Estado, reduzindo o montante das
transferências sociais, eliminando sua universalidade, e transformando-as em
meras medidas compensatórias em relação aos estratos sociais
equivocadamente vulnerabilizados pela atuação do mercado (2001, p. 35).

13
Neoliberalismo passa a ser hegemônico

“evangelho da economia de mercado”


(STIGLITZ, 2002: 180)
Neoliberalismo na América Latina

• México
• Argentina
Neoliberalismo no Brasil

• Collor: privatização e abertura de mercado


• FHC: privatização, abertura de mercado,
flexibilização de direitos, financeirização da
economia, rigidez fiscal.
Neoliberalismo no Brasil e Administração
Pública.
• Este processo neoliberal conduziu a certa
inquietação na própria concepção da
gestão pública e nos questionamento do
modelo de Administração pública.
• O Brasil inicia um processo de
questionamento do modelo burocrático
legal, ao mesmo tempo, que insere
mecanismos de controle e planejamento
por meio da CF.
Tema 04 – Planejamento
Estratégico

Prof. Dr. José Antonio da Costa Fernandes


Planejamento estratégico nas
organizações:

• missão,
• área de atuação,
• propósito final e
• administração.
Planejamento estratégico.
Desenvolvimento.

• O desenvolvimento do processo de
planejamento estratégico envolve quatro
atividades:
• diagnóstico do aspecto interno,
• diagnóstico do ambiente,
• análise comparativa da missão com o
campo de atuação e
• estabelecimento da estratégia atual.
Planejamento estratégico. Uma leitura
para a Administração Pública: Escola de
poder.

• Considerar os elementos da disputa de


poder, ou seja, da política.
• Equilibrar vontades e orçamento.
• Considerar variáveis não diagnosticadas no
planejamento estratégico.
Instrumentos de planejamento do Estado
Brasileiro:
• PPA – Planejamento Plurianual
• LDO - Lei de Diretrizes Orçamentárias
• LOA – Lei Orçamentária anual
Outras leis que contribuem ao
planejamento do Estado Brasileiro:
• Estatuto das cidades que disciplina a
organização territorial entre outros por
meio do Plano Diretor.
• Lei de Responsabilidade Fiscal que
disciplina os gastos do executivo e
legislativo.
Próxima aula

• Nova Gestão Pública


• Reforma Gerencial
• pós neoliberalismo
• participação social na elaboração de
políticas públicas