Você está na página 1de 20

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2008/2010

NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: TO000054/2008


DATA DE REGISTRO NO MTE: 03/10/2008
NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR015564/2008
NÚMERO DO PROCESSO: 46525.000039/2008-74
DATA DO PROTOCOLO: 15/09/2008

SINDICATO DOS TRAB. EM ELETRICIDADE NO EST DO TOCANTINS, CNPJ n.


25.061.748/0001-25, neste ato representado(a) por seu Presidente, Sr(a). SERGIO
APARECIDO FERNANDES, CPF n. 062.094.338-63;
E
COMPANHIA DE ENERGIA ELETRICA DO ESTADO DO TOCANTINS - CELTINS,
CNPJ n. 25.086.034/0001-71, neste ato representado(a) por seu Presidente, Sr(a). JORGE
QUEIROZ DE MORAES JUNIOR, CPF n. 005.352.658-91 e por seu Diretor, Sr(a).
CARMEM CAMPOS PEREIRA, CPF n. 111.333.448-79;
celebram o presente ACORDO COLETIVO DE TRABALHO, estipulando as condições
de trabalho previstas nas cláusulas seguintes:

CLÁUSULA PRIMEIRA - VIGÊNCIA E DATA-BASE


As partes fixam a vigência do presente Acordo Coletivo de Trabalho no período de 01 de
maio de 2008 a 30 de abril de 2010 e a data-base da categoria em 01 de maio.
CLÁUSULA SEGUNDA - ABRANGÊNCIA
O presente Acordo Coletivo de Trabalho, aplicável no âmbito da(s) empresa(s)
acordante(s), abrangerá a(s) categoria(s) Eletricitários, empregados da CELTINS
pertencentes à base territorial representada pelo SINDICATO. Parágrafo Único:
Serão discutidas em primeiro de maio de 2009 somente as cláusulas econômicas,
sendo que as demais permanecerão ratificadas e inalteradas., com abrangência
territorial em TO.

Salários, Reajustes e Pagamento

Piso Salarial

CLÁUSULA TERCEIRA - PISO SALARIAL


VIGÊNCIA DA CLÁUSULA: 01/05/2008 a 30/04/2009

A partir de 1º de maio de 2008, o piso salarial da CELTINS será fixado em


R$628,11 (seiscentos e vinte e oito reais e onze centavos).
Reajustes/Correções Salariais

CLÁUSULA QUARTA - REAJUSTE SALARIAL


VIGÊNCIA DA CLÁUSULA: 01/05/2008 a 30/04/2009

A CELTINS concederá aos empregados constantes na folha de pagamento do


mês de maio/2008, um reajuste salarial 7,14% (sete inteiros e quatorze
centésimos por cento) sobre os salários do mês de abril/2008.

Pagamento de Salário – Formas e Prazos

CLÁUSULA QUINTA - PAGAMENTO DE SALARIOS

Será mantido o atual sistema de pagamento praticado pela CELTINS, ou seja,


adiantamento salarial de 40% (quarenta por cento) do salário-base do mês
corrente, a ser pago até o dia 15 (quinze) e pagamento do restante da
remuneração até o dia 30 (trinta) do mês em curso.

Descontos Salariais

CLÁUSULA SEXTA - DESCONTOS DE BENEFÍCIOS

Os descontos em folha de pagamento dos benefícios odontológico e reembolso


do valor excedente de farmácia, não poderão ser superior a:

- 10% (dez por cento) da remuneração do empregado, no caso de utilização


de 01 (um) dos benefícios acima descritos; e
- 15% (quinze por cento) da remuneração do empregado, no caso de
utilização de 02 (dois) dos benefícios acima descritos.
- O desconto deverá incidir em tantas parcelas quantas forem necessários
para quitar o valor.

Parágrafo Único: Havendo reajuste salarial, o empregado terá seu


saldo devedor, no período de resgate, corrigido pelo
percentual do reajuste salarial ou pelo INPC- IBGE,
prevalecendo o menor destes dois índices. Esses
cálculos terão por base o mês do faturamento das
despesas.

CLÁUSULA SÉTIMA - COBRANÇA DE DANOS EM VEÍCULOS E AO


PATRIMÔNIO DA EMPRESA

A CELTINS tratará os casos de cobrança de danos nos veículos de acordo com


normas e sindicância interna e notificará o SINDICATO, que não terá direito a
voto, com antecedência de 72 (setenta e duas) horas, para participar ou
acompanhar reunião de processo de sindicância, condição sem a qual a decisão
não produzirá efeito.

Parágrafo Único: O desconto em Folha de Pagamento que trata a presente


Cláusula, não poderá ser superior a 10% (dez por cento) da
remuneração do empregado, por mês. Caso o cálculo da
participação ultrapasse esse limite, o empregado será
comunicado pelo Departamento Pessoal de sua localidade,
podendo escolher uma das alternativas abaixo:

a) Quitar o valor excedente com cheque nominal à empresa;


b) Autorizar o desconto total do valor excedente no próximo pagamento;
c) Autorizar o desconto parcelado, no limite do desconto mensal de 10% (dez
por cento) de sua remuneração, em tantas parcelas quantas forem necessárias
para quitar o valor.

CLÁUSULA OITAVA - DESCONTOS RESCISÓRIOS DIVERSOS

Este pacto coletivo outorga aos empregados e seus dependentes, benefícios não
previstos na legislação trabalhista vigente. Prevê ainda, o direito da CELTINS se
ressarcir de eventuais prejuízos, inclusive aqueles relacionados a acidentes de
trânsito, cuja culpa fora imputado ao empregado.

Desta forma, caso o empregado demitido tenha eventuais débitos para com a
Celtins, fica a mesma autorizada a compensar a totalidade do saldo devedor, no
Termo de Rescisão do Contrato de Trabalho, podendo ser excedido o limite
previsto no § 5º do artigo 477 da CLT.

Gratificações, Adicionais, Auxílios e Outros

13º Salário

CLÁUSULA NONA - ADIANTAMENTO DO 13º SALARIO


salário ao empregado que entrar de Férias.

Adicional de Hora-Extra

CLÁUSULA DÉCIMA - HORAS EXTRAS

As horas extras prestadas a partir de 1º de maio de 2008, inclusive, serão


remuneradas com acréscimo de 75% (setenta e cinco por cento) em relação à
hora normal.

Parágrafo Único:Dada a natureza da prestação do serviço da concessionária ser


contínuo e ininterrupto, em caso de eventual situação
emergencial, acordam as partesque, ficará facultado ao
empregador, convocar seus empregados para jornada
suplementar, podendo ser excedido o limite previsto no
artigo 59 da CTL, remunerando-se conforme o
estipulado no caput desta cláusula.

Adicional de Periculosidade

CLÁUSULA DÉCIMA PRIMEIRA - ADICIONAL DE


PERICULOSIDADE/INSALUBRIDADE

Os adicionais de periculosidade e insalubridade serão mantidos e pagos a quem


de direito, na forma da lei.

Adicional de Sobreaviso

CLÁUSULA DÉCIMA SEGUNDA - HORAS DE SOBREAVISO

As horas de sobreaviso serão remuneradas à razão de 1/3 (um terço) do salário-


base, desde que o empregado, inclusive os Agentes ou quem o venha a
substituir, figure na escala semanal de sobreaviso e durante o período previsto
nas cidades que não tenham plantão.

Outros Adicionais
CLÁUSULA DÉCIMA TERCEIRA - SUBSTITUIÇÃO DE EMPREGADO

A empresa pagará salário substituição ao empregado que vier a substituir outro


de salário superior, no impedimento deste, a partir de 20 (vinte) dias corridos,
obrigando-se acumular sua função com a do substituído.

Parágrafo Primeiro: O valor da gratificação concedido será calculado de


forma proporcional aos dias substituídos, tendo sua
base limite de cálculo, o valor de 30% do salário base
do empregado afastado.

Parágrafo Segundo:Ocorrendo necessidade de substituição, a chefia imediata


deverá comunicar, com antecedência mínima de 30
dias a Superintendência Regional/Diretoria para fins de
aprovação e comunicação a área de Gestão de
Pessoas.

CLÁUSULA DÉCIMA QUARTA - DUPLA FUNÇÃO


VIGÊNCIA DA CLÁUSULA: 01/05/2008 a 30/04/2009

Aos empregados que por decorrência das suas atividades operacionais e


credenciados para tal função, quando em efetivo exercício estejam dirigindo
(CARRO OU MOTO) da CELTINS, será atribuído no período, abono salarial por
dupla função equivalente a 15% (quinze por cento) do salário inicial de Motorista,
cujo valor é de R$ 628,11 (seiscentos e vinte e oito reais e onze centavos).

Participação nos Lucros e/ou Resultados

CLÁUSULA DÉCIMA QUINTA - PROGRAMA DE PARTICIPAÇÃO NOS


RESULTADOS - PPR
VIGÊNCIA DA CLÁUSULA: 01/05/2008 a 30/04/2009

A CELTINS e o SINDICATO, em comissão paritária composta por até dois


representantes do SINDICATO e até dois representantes da CELTINS, discutirão,
analisarão e aprovarão um Programa de Participação nos Resultados - PPR para 2008, de
acordo com o previsto na Lei 10.101, de 19 de Dezembro de 2000.

Parágrafo Primeiro: Tal comissão elaborará, em conjunto, a estrutura do programa,


incluindo conceitos, procedimentos, metas, indicadores e
respectivos pesos e valores a serem distribuidos.

Parágrafo Segundo: Os trabalhos da comissão terão início no dia 01/07/2008 e se


estenderão até 31/07/2008, e o programa será oficialmente
implantado em 01/06/2008, com vigência até 31/12/2008.

Parágrafo Terceiro: Fica estabelecido que o Acordo do Programa de


Participação nos Resultados (“PPR”) elaborado pela
Comissão de Negociação será em instrumento
desvinculado do Acordo Coletivo de Trabalho.

Parágrafo Quarto: Serão discutidas em 2009 somente os itens econômicos,


sendo que os demais itens do Acordo de Participação
nos Resultados permanecerão ratificados e inalterados.

Auxílio Alimentação

CLÁUSULA DÉCIMA SEXTA - VALE ALIMENTAÇÃO


VIGÊNCIA DA CLÁUSULA: 01/05/2008 a 30/04/2009

A CELTINS concederá a seus empregados, a partir de 1º de maio de 2008, um


cartão alimentação eletrônico com crédito mensal, no valor de R$260,00
(duzentos e sessenta reais).

Parágrafo Único: Em consonância com a legislação vigente, os


empregados da CELTINS participarão com um valor a
ser descontado em folha de pagamento, conforme
enquadramento na tabela abaixo:

- Empregado com salário-base até R$ 900,00 = 2,5% do valor total do benefício;

- Empregado com salário-base acima de R$ 900,00 até R$1.500,00 = 5% do valor do


benefício;
- Empregado com salário-base acima de R$ 1.500,00 até R$ 2.075,00 = 7,5% do valor do
benefício;
- Empregado com salário-base acima de R$ 2.075,00 = 10% do valor total do benefício.
CLÁUSULA DÉCIMA SÉTIMA - REFEIÇÕES

A CELTINS adota o sistema do reembolso para os empregados em serviço, para


refeições e hospedagem, quando autorizado, respeitados os limites em vigor.

Auxílio Transporte

CLÁUSULA DÉCIMA OITAVA - VALE TRANSPORTE

Nas localidades onde exista serviço público de transporte, será observado o


regramento aplicável ao vale transporte, conforme estabelece a Lei 7.418 de
16.12.85 e regulamentada pelo Decreto 95.247 de 17.11.87.

Parágrafo Único: Nas localidades que não contam com transporte


coletivo e que possuem subestações fora do perímetro
urbano, será fornecido veículo apropriado para o
transporte dos empregados.

Auxílio Educação

CLÁUSULA DÉCIMA NONA - BOLSA DE ESTUDOS

Fica previsto o deferimento de bolsa de estudo para os cursos de médio, pós-


médio, 3º grau e pós-graduação, equivalente a 50% (cinqüenta por cento) das
despesas com matrícula e mensalidades, condicionado ao aproveitamento e
normas internas existentes.

Auxílio Saúde

CLÁUSULA VIGÉSIMA - REEMBOLSO DE MEDICAMENTOS


VIGÊNCIA DA CLÁUSULA: 01/05/2008 a 30/04/2009

A CELTINS reembolsará os empregados das despesas com medicamentos,


desde que amparadas com receita médica e respectiva nota fiscal de aquisição,
até o valor de R$ 67,50 (sessenta e sete reais e cinqüenta centavos), por mês,
considerando o titular ou dependente.
Parágrafo Primeiro: Os valores não utilizados pelo empregado poderão
acumular por até 3 meses, desde que dentro do
mesmo ano, facultando-se sua utilização em uma única
vez ou parcelado, desde que dentro do trimestre.

Parágrafo Segundo: Para reembolso de medicamentos serão considerados,


para efeito de apuração dos valores, os empregados da
CELTINS e seus dependentes legais, devidamente
regularizados perante a área de Gestão de Pessoas da
CELTINS.

CLÁUSULA VIGÉSIMA PRIMEIRA - ASSISTENCIA MEDICO-HOSPITALAR

A CELTINS proporcionará, a partir do dia 1º de maio de 2008, a todos os


empregados e seus dependentes legais, um novo Plano de Assistência Médica,
Hospitalar e Laboratorial na modalidade de pré-pagamento firmado com a
CENTRAL NACIONAL UNIMED, que deverá obedecer à forma da tabela e regras
próprias.

Parágrafo Primero: Para utilização da Assistência Médica, Hospitalar


e Laboratorial, haverá a partir do dia 1º de maio de 2008,
uma participação mensal por vida familiar conforme tabela
abaixo:

TABELA DE REFERÊNCIA CUSTO POR VIDA/EMPREGADO

SALARIAL/CELTINS (%) ENFERMARIA APARTAMENTO DIFERENCIADO

Até R$690,99 5% R$ 3,12 R$ 23,24 R$ 100,69


Acima de R$690,99 até 15% R$ 9,37 R$ 29,49 R$ 106,94
R$1.346,41
Acima de R$1.346,41 até 25% R$ 15,62 R$ 35,74 R$ 113,19
R$1.971,29
Acima de R$1.971,29 até 35% R$ 21,87 R$ 41,99 R$ 119,44
R$3.841,44
Acima de R$ 3.841,44 45% R$ 28,12 R$ 48,24 R$ 125,69
ENFERMARIA APARTAMENTO DIFERENCIADO
CUSTO DO PLANO MÉDICO
R$ 62,49 R$ 82,61 160,06
Parágrafo Segundo:Conforme negociação entabulada entre oSINDICATOe
aCELTINS, cada vida integrante do grupo familiar terá
direito a 5 (cinco) consultas médicas por ano(1º de
maio de2008 a30 de abril de 2009)não cumulativas.
Como fator moderador, a partir da sexta consulta anual
por cada vida integrante do grupo familiar, será
descontado em folha de pagamento do empregado, o
valor de R$8,40 (oito reais e quarenta centavos), o que
equivale a 20% (vinte por cento) do custo de cada
consulta. O valor atual da consulta é de R$42,00
(quarenta e dois reais).
Parágrafo Terceiro:O disposto no Parágrafo Segundo, não se aplicará nos casos de
tratamento que requeira acompanhamento médico continuado
com prescrição médica.
Parágrafo Quarto:Os valores das mensalidades e inscrições serão reajustados
anualmente, no mês de maio baseados no IGP-M (Índice de
Preços de Mercado da Fundação Getúlio Vargas)
correspondente ao período, ou se este índice deixar de ser
publicado, pelo mesmo índice de correção monetária adotado
no contrato celebrado entre aCELTINSe aCENTRAL
NACIONAL UNIMED. Se eventualmente a
legislaçãovenha a autorizar o reajustamento do plano de
saúde em período inferior a doze meses, a mesma terá
aplicação imediata sobre as contribuições acima definidas.
Parágrafo Quinto:Além da atualização prevista neste artigo, o cálculo atuarial
poderá ser revisto anualmente, em conformidade com
a legislação em vigor, se houver utilização comprovada
acima da média normal ou aumento dos custos dos
insumos que compõe a assistência médica e
hospitalar, acréscimo de novos métodos de elucidação
diagnóstica e tratamentos, buscando sempre recompor
o equilíbrio econômico – financeiro do contrato
celebrado entreCELTINSe aCENTRAL NACIONAL
UNIMED. Após a primeira vigência anual, aCENTRAL
NACIONAL UNIMEDconsiderará a utilização recebida,
referente ao período dos últimos 6 (seis) meses, para a
realização da primeira avaliação, sendo para as demais
recomposições, será analisado sucessivamente cada
período de 12 (doze) meses.
Parágrafo Sexto:Os empregados atualmente afastados do trabalho para
tratamento de saúde, bem como seus dependentes
legais, poderão optar por este Plano de Assistência
Médica, Hospitalar e Laboratorial nos mesmos moldes
dos empregados em atividade, que serão descontados
da seguinte forma:
Forma de pagamento para empregados afastados:
Os empregados afastados farão o repasse da participação mensal por vida, todo 5º dia útil
através de cheque nominal àCELTINS. Em caso de inadimplência por parte do empregado
afastado, esta não poderá ultrapassar o prazo de 60 (sessenta) dias, sob pena de ser
suspenso o atendimento do plano de saúde até a total liquidação do débito.

Forma de pagamento quando do retorno dos empregados à atividade:


A partir do momento do retorno dos empregados afastados às suas atividades, a
participação financeira destes no plano de saúde, será alterada para a forma de
pagamento com desconto em folha, como os demais empregados ativos.
Parágrafo Sétimo:Os empregados que eventualmente tenham saldo devedor do Plano de
Auto Gestão, deverá quitar o saldo remanescente da seguinte
forma:
a)-10%(dez por cento) da remuneração do empregado,
quando o laborista possuir débitos proveniente da utilização
de apenas um dos benefícios referente a assistência médica,
odontológica e reembolso do valor excedente de farmácia;

b)–15%(quinze por cento) da remuneração do empregado,


quando o laborista possuir débitos provenientes da utilização
de apenas dois dos benefícios acima mencionados;

c)–20%(vinte por cento) da remuneração do empregado, quando o laborista


possuir débitos provenientes da utilização dos 03
benefícios acima descritos.
Parágrafo Oitavo:Parautilização doPlanodeAssistênciaMédica, Hospitalar e Laboratorial
(cobertura contratada junto àCENTRAL
NACIONALUNIMED), dentro do padrão escolhido pelo
empregado, não incidirá qualquer despesa extra, além das
previstas nos Parágrafos Primeiro e Segundo.
Parágrafo Nono:Aos aposentados é facultada a utilização do Plano de Saúde
firmado pelaCELTINScom aCENTRAL NACIONAL
UNIMED, pagando o preço integral da mensalidade
contratada. O pagamento da mensalidade será feito
diretamente a UNIMED pelo aposentado, cabendo
aCELTINSapenas a informação que o trabalhador se
desligou da empresa por meio da aposentadoria.
CLÁUSULA VIGÉSIMA SEGUNDA - ASSISTÊNCIA ODONTOLÓGICA

A CELTINS proporcionará a todos os empregados e seus dependentes legais, um


Plano Odontológico com cobertura nacional através da modalidade de pré-
pagamento.

Parágrafo Primeiro: São considerados como dependentes legais do empregado:

a) Cônjuge;
b) os filhos solteiros, até 24 anos de idade incompletos;
c) o enteado, o menor sob a guarda por força de decisão
judicial e o menor tutelado que ficam equiparados aos
filhos;
d) o convivente, havendo união estável, na forma da lei,
sem eventual concorrência com o cônjuge, salvo por
decisão judicial;
e) os filhos comprovadamente inválidos;

Parágrafo Segundo: Os empregados da CELTINS terão uma participação de


forma “per capita” mensal, considerados para tanto, por
vida familiar, conforme seu enquadramento na referência
salarial abaixo:

Custo para o Empregado Custo para a CELTINS


Faixa Salarial
Titular Por Dependente Por Vida

Até R$ 1.429,96 R$ 2,42 R$ 2,42 R$ 6,56

De R$ 1.429,97 à R$ 2.144,94 R$ 3,14 R$ 3,14 R$ 5,84

Acima de R$ 2.144,94 R$ 3,86 R$ 3,86 R$ 5,12

O custo de participação do empregado tem como base o valor pago pela


CELTINS à OdontoPrev, por beneficiário inscrito no plano, que atualmente é
de R$ 8,98 (oito reais e noventa e oito centavos).
Parágrafo Terceiro: Os empregados poderão inscrever no plano
odontológico, firmado especificamente para esse
fim: (i) os pais, (ii) filho igual ou maior de 24 anos
de idade e (iii) irmãos, sogro, sogra, sobrinho,
sobrinha. Para tanto, se responsabilizarão pelo
pagamento de forma “per capita” mensal,
considerados, por vida familiar, 100% (cem por
cento) do custo do plano, sendo este, R$ 10,50 (dez
reais e cinqüenta centavos).

Parágrafo Quarto: Os valores de participação dos empregados, previstos nos


parágrafos segundo e terceiro desta cláusula, deverão
sofrer reajuste na mesma época e no mesmo percentual
negociado entre a Odontoprev e a CELTINS.

Parágrafo Quinto: Para utilização das coberturas previstas no Plano de


Assistência Odontológica, não incidirá qualquer despesa
extra além das previstas nos parágrafos segundo e
terceiro.

Parágrafo Sexto: Os empregados atualmente afastados ou que venham a se


afastar do trabalho para tratamento de saúde, bem como
seus dependentes legais, poderão optar por este Plano de
Assistência Odontológica nos mesmos moldes dos
empregados da CELTINS em atividade. Contudo, a
participação financeira deverá ser quitada nas formas
abaixo:

a) Os empregados afastados em benefício previdenciário farão o repasse da


sua participação mensal até o 5º dia útil do mês subseqüente à CELTINS. Em caso de
inadimplência por parte do empregado afastado, esta não poderá ultrapassar o prazo
de 60 (sessenta) dias, sob pena de ter o atendimento do Plano de Assistência
Odontológica suspenso até a total liquidação do débito.

b) A partir do momento que os empregados afastados retornarem às


suas atividades, a participação financeira do Plano Odontológico passará a
ser descontada em folha de pagamento.

Auxílio Doença/Invalidez
CLÁUSULA VIGÉSIMA TERCEIRA - AUXÍLIO DOENÇA/ACIDENTE

A CELTINS concederá a seus empregados, através da REDEPREV – Fundação


Rede de Previdência, uma complementação do “Auxílio Doença e Acidente no
Trabalho”, a partir do décimo sexto dia, de forma que o empregado continue
recebendo seu salário integral, desde que apresente atestado médico fornecido
pelo INSS, conforme legislação em vigor.

Auxílio Creche

CLÁUSULA VIGÉSIMA QUARTA - AUXÍLIO CRECHE


VIGÊNCIA DA CLÁUSULA: 01/05/2008 a 30/04/2009

A partir de 1º de maio de 2008, a CELTINS concederá a toda empregada-mãe,


um auxílio-creche mensal no valor de R$ 214,28 (duzentos e quatorze reais e
vinte e oito centavos).

Parágrafo Primeiro: O valor deste benefício será pago a título de


indenização, independentemente de qualquer
comprovação de despesas.

Parágrafo Segundo: O benefício previsto no “caput” desta cláusula será


devido somente até o sexto mês de vida da criança.

Parágrafo Terceiro: O auxílio creche será extensivo aos pais separados ou


viúvos que detenham a guarda do filho.

Seguro de Vida

CLÁUSULA VIGÉSIMA QUINTA - SEGURO DE VIDA

A CELTINS, a partir de 1º de maio de 2008, concederá a todos os seus empregados um


plano de seguro de vida em grupo com cobertura básica de R$ 25.500,00 (vinte e cinco mil
e quinhentos reais) por morte natural ou invalidez permanente e de R$ 51.000,00
(cinqüenta e um mil reais) por morte decorrente de acidente de qualquer natureza.

Parágrafo Único:ACELTINSdisponibilizará uma opção de cobertura complementar aos


valores acima citados, desde que o custo mensal com a
complementação seja custeada inteiramente pelo empregado.
Aposentadoria

CLÁUSULA VIGÉSIMA SEXTA - GRATIFICAÇÃO POR APOSENTADORIA

A CELTINS pagará a todo empregado que se aposentar, após efetivo


desligamento, em função do contrato de trabalho e do tempo de serviço a ela
prestado, desde que observadas as formalidades abaixo transcritas, a seguinte
gratificação.

De 05 a 10 anos – 2,0 (dois) salários base;


De 11 a 15 anos – 2,5 (dois e meio) salários base;
De 16 a 20 anos – 3,0 (três) salários base;
De 21 a 25 anos – 3,5 (três e meio) salários base;
De 26 a 30 anos – 5,0 (cinco) salários base e
De 31 a 35 anos – 5,5 (cinco e meio) salários base.

Parágrafo Primeiro: Comprovem à CELTINS o requerimento de


aposentadoria junto ao INSS, em prazo máximo de 90
(noventa) dias, a contar da assinatura do presente
acordo, caso já tenha o tempo de serviço suficiente
para a aposentadoria.

Parágrafo Segundo: Caso o empregado, à época da assinatura do presente,


não conte com o tempo necessário para aposentadoria
por tempo de serviço, completando o período deverá
em 90 (noventa) dias requerer a aposentadoria junto
ao INSS, dando ciência à CELTINS.

Parágrafo Terceiro: Com o deferimento da aposentadoria, deverão


imediatamente informar a CELTINS para ser
providenciado o desligamento e pagamento respectivo.

Parágrafo Quarto: A não observância das condições estabelecidas nos


parágrafos anteriores, acarretará ao empregado perda
do benefício ora concedido.

Parágrafo Quinto: Os empregados admitidos após 1º de maio de 1.997,


não farão jus à respectiva gratificação.
Contrato de Trabalho – Admissão, Demissão, Modalidades

Aviso Prévio

CLÁUSULA VIGÉSIMA SÉTIMA - AVISO PRÉVIO

Na hipótese de rescisão do contrato de trabalho de empregado originário das


Centrais Elétricas de Goiás – CELG, com idade superior a 45 (quarenta e cinco)
anos, será concedido aviso prévio de 60 (sessenta) dias.

Relações de Trabalho – Condições de Trabalho, Normas de Pessoal e Estabilidades

Estabilidade Aposentadoria

CLÁUSULA VIGÉSIMA OITAVA - ESTABILIDADE PARA APOSENTADORIA

Fica assegurada a estabilidade dos empregados, em um período de doze meses


anteriores ao preenchimento do tempo necessário a aposentadoria, por tempo de
serviço, salvo hipótese de justa causa.

Jornada de Trabalho – Duração, Distribuição, Controle, Faltas

Turnos Ininterruptos de Revezamento

CLÁUSULA VIGÉSIMA NONA - TURNO ININTERRUPTO DE REVEZAMENTO

Conforme previsão do artigo 7º, inciso XIV, segunda parte da Constituição


Federal, que permite a maior flexibilização das condições de trabalho ajustadas
mediante acordo coletivo que prevalecem sobre o disposto em lei, desde que não
contrariem a Constituição Federal, fica a CELTINS autorizada a implantar turnos
ininterruptos de revezamento com jornada de 8 (oito) horas, escala de
revezamento composta por 4 (quatro) empregados, na área de operação de
subestações da CELTINS, conforme escala em anexo, aprovada pela maioria dos
empregados submetidos a tal jornada.

Parágrafo Primeiro: Ante a impossibilidade de se conceder o intervalo para


repouso e alimentação de 1 (uma) hora, nos turnos
ininterruptos de 8 horas, a CELTINS remunerará o
período correspondente, com um acréscimo de 100%
(cem por cento) sobre o valor da remuneração da hora
normal de trabalho, a título de indenização, pela
supressão do intervalo intrajornada, segundo a dicção
do parágrafo 4.º artigo 71 da CLT.

Parágrafo Segundo: Ainda como forma de compensar a supressão do


intervalo para o almoço e cumprir com as medidas de
higiene, saúde e segurança no trabalho, garantido por
norma de ordem pública (art. 71 da CLT e art. 7º,
inciso XXII da CF/88), oferecerá a CELTINS aos
operadores, condições físicas para o preparo das
refeições, disponibilizando nas usinas e subestações
onde o turno de 8 horas for implantado, um fogão e
água potável para o preparo de suas refeições, com
higiene e segurança.

Parágrafo Terceiro: Reconhecendo a CELTINS que durante o turno


ininterrupto ora implantado, possui o trabalhador
condições de preparar as suas refeições face as
existência de folgas suficientes para tanto, autoriza aos
operadores a fazer suas refeições nos intervalos
existentes entre as atividades desempenhadas.

Parágrafo Quarto: As medidas acima descritas nesta cláusula serão


realizadas com o conhecimento doSINDICATO.

Outras disposições sobre jornada

CLÁUSULA TRIGÉSIMA - EMPREGADO ESTUDANTE

Em dias de comprovada realização de provas escolares será pela chefia imediata


analisada a possibilidade de liberação ou não dos empregados estudantes, no
horário de referidas provas, bem assim para estágio curricular, sendo certo que,
no caso de liberação, haverá compensação das horas utilizadas.

Parágrafo Único: Considerando a existência de empregados que


trabalham em turno de revezamento, não superiores a
90 km de Palmas-TO, estudando na Escola Técnica
Federal em Palmas, em horário que não se adequar a
escala de revezamento da empresa, fica pactuado a
prorrogação da jornada de trabalho dos demais
empregados que compõe a equipe de tal maneira que
possibilite a freqüência dos servidores no referido
curso, não se caracterizando as horas trabalhadas em
extraordinária, limitando-se tal benefício a apenas 02
(dois) empregados por posto de trabalho.

Férias e Licenças

Remuneração de Férias

CLÁUSULA TRIGÉSIMA PRIMEIRA - GRATIFICAÇÃO DE FERIAS E ABONO


CONSTITUCIONAL DE FERIAS
VIGÊNCIA DA CLÁUSULA: 01/05/2008 a 30/04/2009

A Gratificação de Férias, somada com o Abono Constitucional, será igual a 100%


(cem por cento) do salário base, para os empregados que ganham até
R$1.644,00 (mil, seiscentos e quarenta e quatro reais).

Parágrafo Primeiro: Para os empregados com salário superior a R$1.644,00 (mil,


seiscentos e quarenta e quatro reais) será devida Gratificação
de Férias de 60% do salário base, garantido, no entanto, para
esses empregados, um mínimo igual ao valor de R$1.644,00
(mil, seiscentos e quarenta e quatro reais) já somado com o
valor devido do Abono Constitucional de Férias.
Parágrafo Segundo: O valor da Gratificação de Férias será reajustado de
acordo com as correções salariais da categoria.

Saúde e Segurança do Trabalhador

Equipamentos de Proteção Individual

CLÁUSULA TRIGÉSIMA SEGUNDA - UNIFORME E EPI

A CELTINS fornecerá quando necessário aos empregados, quando de uso


obrigatório, jogos de uniforme completo, compreendendo calça, camisa, calçado e
equipamento de proteção individual, sem ônus para os empregados.
Readaptação do Acidentado e/ou Portador de Doença Profissional

CLÁUSULA TRIGÉSIMA TERCEIRA - READAPTAÇÃO FUNCIONAL

A CELTINS promoverá a readaptação funcional dos empregados reconhecidos


inaptos pela perícia técnica do INSS para o exercício da função contratada,
adaptando-o em outra função caso exista vaga no quadro funcional da empresa,
sendo tal empregado readaptado incluído no percentual exigido pelo artigo 93 da
lei nº 8.213 de 24.07.91, que dispõe sobre a contração de trabalhadores com
necessidades especiais.

Relações Sindicais

Liberação de Empregados para Atividades Sindicais

CLÁUSULA TRIGÉSIMA QUARTA - REPRESENTANTE SINDICAL

Concorda a CELTINS em colocar a disposição do SINDICATO, 1 (um)


empregado, ou seja, seu Diretor Presidente, sem qualquer ônus para o mesmo.

Outras disposições sobre relação entre sindicato e empresa

CLÁUSULA TRIGÉSIMA QUINTA - REUNIÕES BIMESTRAIS

A CELTINS realizará reuniões bimestrais com o SINDICATO para tratar de


assuntos de interesse mútuo.

CLÁUSULA TRIGÉSIMA SEXTA - HOMOLOGAÇÃO DE RESCISÃO

As demissões efetuadas pela CELTINS serão preferencialmente homologadas


pelo SINDICATO.

Disposições Gerais

Mecanismos de Solução de Conflitos

CLÁUSULA TRIGÉSIMA SÉTIMA - JUIZO COMPETENTE


divergências surgidas na aplicação do presente Acordo Coletivo de Trabalho.

Descumprimento do Instrumento Coletivo

CLÁUSULA TRIGÉSIMA OITAVA - MULTA

Fica estabelecida multa de 1% (um por cento) incidente sobre o valor do salário-
base da CELTINS, já atualizado em maio/2008, por descumprimento de
quaisquer das cláusulas deste Acordo, por infração e por empregado, devida pela
parte infratora à inocente.

Renovação/Rescisão do Instrumento Coletivo

CLÁUSULA TRIGÉSIMA NONA - REVISÃO

A revisão, denúncia, prorrogação total ou parcial do presente Acordo Coletivo de


Trabalho ficará subordinada às normas do artigo 615 da C.L.T.

Outras Disposições

CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA - COMPROMISSO

As partes se comprometem sob as penas da lei, reciprocamente, a observar os


dispositivos ora pactuados, bem assim, os outorgados pela Constituição e
Legislação vigente aplicável à espécie.

CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA PRIMEIRA - NORMATIZAÇÃO

Todas as cláusulas do presente Acordo Coletivo são auto-aplicáveis, de eficácia


imediata para fins de execução e cumprimento.

SERGIO APARECIDO FERNANDES


Presidente
SINDICATO DOS TRAB. EM ELETRICIDADE NO EST DO TOCANTINS

JORGE QUEIROZ DE MORAES JUNIOR


Presidente
COMPANHIA DE ENERGIA ELETRICA DO ESTADO DO TOCANTINS - CELTINS

CARMEM CAMPOS PEREIRA


Diretor
COMPANHIA DE ENERGIA ELETRICA DO ESTADO DO TOCANTINS - CELTINS

A autenticidade deste documento poderá ser confirmada na página do Ministério do


Trabalho e Emprego na Internet, no endereço http://www.mte.gov.br .