Você está na página 1de 6

A TECNOLOGIA NA SALA DE AULA

“ S E M P R E A C R E D I T E I Q U E Q U A L Q U E R F E R R A M E N TA Q U E
APRIMORE A COMUNICAÇÃO TEM EFEITOS PROFUNDOS EM
COMO AS PESSOAS PODEM APRENDER UMAS COM AS
OUTRAS, E COMO ELAS PODEM ALCANÇAR A LIBERDADE NA
QUAL ESTÃO INTERESSADAS.”
( I D E M , D I G I TA L D I V I D E N D S CONFERENCE, 18 DE OUTUBRO DE
2 0 0 0 , S E AT T L E , E U A) .
AS NOVAS TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO
A tecnologia não precisa necessariamente revolucionar a aula: pode ser usada para ajudar professores e alunos a
trabalhar conteúdos mais abstratos, por exemplo, ou facilitar o aprendizado.

"Tudo indica que de nada adianta continuar promovendo um uso da internet sem estrutura e orientação adequadas,
que não evita que a maioria dos estudantes confie na primeira informação que encontre para sua tarefa, assim como
não os ajuda a evitar as distrações da própria rede", diz o documento da Unesco.
O COMPUTADOR
Os primeiros computadores ligados em rede datam da década de 60, na Guerra-fria9 . Um
computador denominado “master” ou ”chefe” enviava informações para os EUA sobre planos dos
inimigos e ao mesmo tempo guardava documentos sigilosos da chamada superpotência.
O seu uso promoveu uma revolução no processo de formação da culturalidade e na comunicação
humana, generalizando-se rapidamente a todos os sectores da vida social e profissional, de entre os
quais se salienta o da educação.
Neste domínio, o computador constituiu desde o início um instrumento de apoio às estratégias de
desenvolvimento da competência comunicativa, ganhando relevância quando tanto os professores
como os aprendentes começaram a otimizar a sua utilização em sala de aula ou fora dela. Neste
contexto, tornou-se um importante instrumento ao serviço da educação, uma vez que permite
possibilidades de escolhas, promove a autonomia e a construção da própria aprendizagem, na
medida em que propicia a utilização de recursos de forma individual e respeitadora dos ritmos
individuais de aprendizagem.
Do ponto de vista pedagógico-didático, é possível enunciar múltiplas vantagens do uso do
computador, mas há também algumas questões problemáticas que se colocam a esse uso, que, não
desvirtuando a sua produtividade, merecem ser de igual forma equacionadas.
De forma geral, o uso do computador promoveu uma modernização rápida e devastadora, que
alterou conceitos, formas de pesquisa, métodos de ensino e até mesmo a maneira como as relações
humanas são integradas.
O PROFESSOR E AS NOVAS TECNOLOGIAS

A utilização cada vez mais frequente do computador e da Internet no domínio do


ensino-aprendizagem levanta uma questão basilar na discussão das
potencialidades destes instrumentos em contexto pedagógico-didáctico, a saber:
qual é o papel do professor? Parece evidente que o trabalho do docente é
fundamentalmente preparar os estudantes para serem cidadãos activos e
produtivos das novas sociedades da informação, promovendo o desenvolvimento
das competências fundamentais para esse exercício. E a sua presença parece ser
essencial. De facto, mesmo que a máquina substitua o homem presencialmente,
haverá um professor para direcionar o seu uso. Isto relaciona-se, segundo Leffa
(2003)20, com um dos maiores desafios do ensino à distância mediado por
computador, no âmbito do qual tornar o professor presente é essencial.
Há que se considerar previamente a necessidade de um processo de capacitação
voltado diretamente para o professor no sentido de possibilitar a sua familiarização
com esta ferramenta. “Concluímos ser de fundamental importância que haja uma
preocupação com a capacitação dos professores, uma vez que constatamos como
sendo quase total o desconhecimento dos professores do que seja informática ao
iniciarem-se neste projeto" (OLIVEIRA, 1997, p.163).
A AULA DE PORTUGUÊS E O USO DA TECNOLOGIA
O papel do professor no processo de ensino da Língua Portuguesa é introduzir no ambiente dos
alunos elementos capazes de provocar uma situação conflitual, que poderá levá-los a aprender,
dependendo do modo que agirão a partir desse conflito. A ação pedagógica deve caracterizar-se por
atividades didáticas que auxiliem os alunos a se apropriarem do saber e não apenas a recebê-lo,
pois receber não implica necessariamente em aprender.
O uso da informática na Língua Portuguesa passa a ser uma ciência onde há a busca pela descrição,
pela explicitação, pela análise e decomposição dos comportamentos inteligentes em pequenos
módulos. O ensino pode ser considerado como sendo mais do que uma simples ferramenta de
transmissão de conhecimentos.
Com as transformações tecnológicas, que ganham cada vez mais dinamismo e velocidade, e das
relações humanas, as quais também contemplam os chamados nativos digitais, o processo de
ensino e aprendizagem do idioma pode e deve ser facilitado. Para aproveitar as tendências
digitais em favor do ensino e da aprendizagem, listamos algumas soluções educacionais que
podem complementar ainda mais o desempenho dos alunos em relação ao domínio da Língua
Portuguesa. Conheça quais são elas!
• Linha Aprimora: uma plataforma educacional que possibilita a aprendizagem adaptativa da Língua
Portuguesa, de acordo com o ritmo de cada aluno. Disponível para o Ensino Fundamental e Ensino
Médio, incluindo a versão para a Produção de Textos.
• Aurélio Aplicativo e Eletrônico: o dicionário mais vendido do Brasil ajuda na compreensão e na
aplicação das regras da Nova Ortografia da Língua Portuguesa.
• Mesa Educacional Mundo das Descobertas: desenvolvida para enriquecer a Educação Infantil,
apresenta atividades interativas multimídia e uma variedade de materiais manipuláveis, como
blocos lógicos e tapetes de atividades, que trabalham a Linguagem Oral e Escrita.
• Mesa Educacional Alfabeto: com recursos de realidade aumentada, proporciona aos alunos o
aprendizado e reconhecimento das letras, além da construção e associação de palavras. Auxilia a
leitura, a criação e a interpretação de textos.
• Mesa Educacional TOQ Língua Portuguesa: permite que os alunos manipulem conteúdos
educacionais digitais de forma interativa, por meio do toque. Com conteúdos digitais interativos
contextualizados que possibilitam que os alunos expressem suas opiniões com autonomia,
efetivando a compreensão de textos e a reflexão sobre o conteúdo abordado em cada uma das
propostas linguísticas: cotidiana, lúdica, literária, científica e jornalística.
• Soluções LEGO® Education: auxiliam no desenvolvimento da linguagem com experiências de
aprendizagem lúdicas por meio de construção de histórias. Com os conjuntos da EI ao EF1, os
alunos podem expressar pensamentos, ideias e colocar em prática sua imaginação construindo
personagens, cenários, contos e histórias. Tudo isso ajuda na compreensão do mundo,
desenvolvimento soco emocional, exploração criativa, expressão e reflexão.