Você está na página 1de 3

NÃO ENTREGAR DÍZIMOS E OFERTAS, OU É FALTA DE FÉ OU É IDOLATRIA...

Presbítero Marcos Soares da Silva.


Não me lembro de ter parado para escrever um artigo sobre este tema até hoje, mas
entendo que não podemos negligenciar este aspecto tão importante do nosso relacionamento com
Deus. Já de início enfatizo que o texto escrito é para cristãos, então se você não é um, se não
acredita na Bíblia, não adianta continuar lendo, pois vai achar que sou apenas mais um
estelionatário querendo arrancar dinheiro de trouxas o que, com certeza não é minha intenção
pois apenas farei uma explanação pautada na Bíblia Sagrada que é (deveria ser) a regra de fé dos
cristãos, inclusive não transcrevo o texto, apenas cito as referências propositadamente para que
você confira os textos. Inicio dizendo que, segundo as escrituras, o Dízimo, a décima parte, é o
mínimo que devemos entregar, mas as ofertas devem fazer parte da nossa adoração também. Se
você não fica confortável em ouvir isto, talvez seja porque você pense que teu dinheiro não
pertence a Deus, ou a forma que você gasta teu dinheiro não diz respeito à Deus. A questão é
que, se pensa que teu dinheiro não pertence à Deus, então você não é servo de Deus.
Primeiramente quero dizer que contribuir é uma questão de fé, mesmo que você esteja
em um momento financeiramente difícil, entenda que se for fiel à Deus ele suprirá todas as tuas
necessidades, (II Coríntios 9.10) Então se você não tem dinheiro, se está endividado e muitas
vezes até passando necessidade você precisa ter fé que Deus pode te tirar desta situação, mas
isso depende de você, um passo de fé, a partir do momento que você der este passo de fé então
eu posso mudar a frase e dizer: Deus vai te tirar desta situação! A troca do “pode” pelo “vai” não
depende de Deus, depende de você. Depende da fé que você tem em Deus, de que ele existe e
abençoa os que o buscam. Lembre-se que se você não tiver (exercitar) tua fé nele, você não pode
agradar à Deus (Hebreus 11.6)
No entanto, não quero discutir dízimos e ofertas somente à luz do que isto pode te
beneficiar, o principal não é o que você vai ganhar, mas porque deve contribuir. Contribuir com
o dízimo é fé, mas também é mandamento e faz parte da tua entrega à Deus, faz parte do teu
culto, ou seja, da tua adoração. (Provérbios 3:9; Filipenses 4:18). Será que você adora a Deus ou
ao dinheiro? Você não pode servir a dois senhores, ou a Deus ou a Mamom1. (Mateus 6:24).
Se você tem dinheiro e talvez uma “gorda” conta bancária, ou mesmo que não tenha
muito, mas consegue pagar tuas contas todo mês, e não contribui, talvez pense que esta questão
de contribuir para ser abençoado é mentira pois você não entrega o dízimo e é abençoado. Então

1
A grafia do nome varia dependendo da versão da Bíblia. O termo é traduzido como riquezas ou dinheiro em
algumas dessas versões, mas pela análise do contexto a ideia que se passa é realmente de um deus, neste caso um
espírito maligno que atua nas mentes das pessoas fomentando a avareza e diminuindo, ou extinguindo, a fé em Deus.
conclui: Não existe esse papo de gafanhoto (Joel 1.4). Primeiramente é necessário esclarecer que
a Bíblia não diz que o ímpio será pobre e miserável, pelo contrário, existem textos que deixam
claro que o ímpio pode prosperar, ele também está debaixo da benção de Deus por causa da sua
infinita Graça (Mateus 5.45; Salmo 73.12). É claro que, por conta da Justiça de Deus haverá
consequências sobre o ímpio, mas não estamos abordando o destino dos maus e sim a conduta
dos santos. Em segundo lugar reafirmo o que já disse anteriormente, não estamos falando de
prosperidade financeira e sim de vida cristã, de fé, de obediência, de adoração. Os dízimos e
ofertas que você entrega à Deus mostram quem você é, demostram o seu caráter. É por isso que
Malaquias (3.8) escreveu que quem não entrega o dízimo é ladrão, justamente porque entregar o
dízimo é uma questão de caráter.
Se você consegue ver teu irmão ou tua igreja passando necessidade e não se compadece
e, às vezes, ainda justifica: Vou fazer o quê? Não tenho como ajudar todo mundo. Mas será que
tem feito pelo menos o mínimo do que Deus tem te pedido? Ou tem se apegado aos bens
materiais, ao teu dinheiro? Saiba que a Bíblia chama isso de idolatria. Sim! Se você dá mais
importância ao teu dinheiro do que à vontade de Deus, você é avarento. Podemos encontrar
vários versículos na Bíblia que tratam deste pecado e é muito comum ele ser citado junto a outros
que consideramos piores, como soberba, adultério, etc. A avareza é classificada como idolatria.
(Mateus 6.21; Colossenses 3:5) O dinheiro é o teu Deus! Ele é teu refúgio e tua segurança. Sim,
o avarento é idólatra, não há outra palavra, você pode dizer o que quiser, você pode espernear,
você pode até me xingar de neopentecostal e falar que eu tenho que colocar um chapéu ou um
manto e ir para outra igreja pedir dinheiro, mas o que nós precisamos entender é que Deus nos
chama para obter obediência para exclusividade. Se você dar mais importância para o teu
dinheiro do que para Deus e para os filhos de Deus e palavra de Deus diz que você é idólatra.
Aí talvez alguém diga: Eu estou passando necessidade então eu estou em posição
melhor, não sou idólatra. Às vezes existem pessoas que passam necessidade, não tem dinheiro,
mas mesmo assim são avarentas. Quando você recebe qualquer valor precisa entregar o mínimo
que é do Senhor, o Dízimo, a décima parte, e não interessa se é sobre dez reais ou dez mil reais,
a atitude de obediência é a mesma. Quando o valor é pequeno o diabo pode nos levar a pensar
que esse valor não vai resolver o problema da igreja e por isso não há necessidade de entregar.
Tome cuidado, primeiramente, neste caso, você não deve pensar no problema financeiro da
igreja, você deve pensar em ser obediente e adorar a Deus com seus recursos, se vai ser um real
ou vai ser cinco mil reais, isso não vai aumentar ou diminuir a obediência e adoração a Deus, é
só olhar para oferta da viúva (Marcos 12.42-44). Em segundo lugar, se você não contribui é
desobediente e se não se arrepende e permanece no erro é rebelde, se orientado a corrigir-se e
não o faz é obstinado, orgulhoso. Rebelião e obstinação são coisas comuns no mundo hoje em
dia, recentemente, nas eleições presidenciais, tinha até um partido político sob o slogan Rebelião.
Mas a Bíblia trata como pecados extremamente nocivos, dizendo que que rebelião e obstinação
são como pecados de feitiçaria e idolatria respectivamente (I Samuel 15:23).
Se você pensa, em relação à contribuição, que é um peso, então você não é um adorador,
não adianta cantar Tenho adoração em meu DNA ou Nasci Para Te Adorar porque você está
mentindo. Alguém pode dizer que estou sendo sentimentalista, que estou usando o sentimento
das pessoas para arrancar dinheiro delas. Não, apenas estou explicando a realidade, não se trata
de sentimento, você não tem que esperar sentir para entregar teu dízimo e tuas ofertas, dízimos
e ofertas tem que ser entregues com racionalidade, o dízimo é tão racional que o valor é defino
por uma razão matemática, é só dividir o valor recebido por dez. Quanto as ofertas também
precisam ser pensadas, você não deve doar aquilo que fará você entrar em dificuldades
financeiras, mas também não deve reter se espelhando nas pessoas que estão a tua volta, você
deve analisar e decidir, quem tem mais deve doar mais, você deve doar proporcionalmente ao
que tem ganhado (I Coríntios 6.2; II Coríntios 8.14; 9.7).
Ouço de alguns que o Novo Testamento não fala sobre entregarmos o dízimo, que isto
é da Lei. Talvez tal pessoa não tenha lido ainda o primeiro livro da Bíblia, antes de ser instituída
a Lei Mosaica, quando Abrão deu o dízimo do que ganhou (Gênesis 14.20). Já ouvi alguém dizer
que ele deu o dízimo dos despojos de uma guerra e não do que produzia então não precisamos
entregar o dízimo. Realmente temos alguns problemas pois não há detalhes de como Abrão
ofertava, mas o texto citado dá ideia de algo que seria normal, tanto que posteriormente seu neto,
Jacó fez a promessa de dar o dízimo de tudo que ganhasse (Gênesis 28.22), corroborando a ideia
de que aprendeu a importância disto com seus pais. Ainda temos a orientação de Jesus para
manter o dízimo (Lucas 11.42). Mas geralmente, quando afirmam que o Novo Testamento não
ratifica o dízimo, prefiro responder, ao meu estilo: Concordo contigo, então esqueça o dízimo e
oferte como os cristãos adoradores da Igreja Primitiva de Atos dos Apóstolos, vende tudo e
traga aos pés dos teus líderes. Você quem sabe, se você prefere dessa forma por mim está ótimo.
É claro que entendo que dízimo, como já disse, é apenas a décima parte, o que passa disso é
oferta, mas não sei se perceberam, a resposta tem tom de ironia e, é claro, não é original, alguém
já disse algo parecido antes (Mateus 19.21). É uma resposta para aqueles que tem o coração nos
seus bens materiais e ainda se acha perfeito. Então concluo dizendo que, se você vai entregar tua
vida à Cristo, se você realmente quer ser servo, se quer ser um adorador, saiba que tua vida inclui
teu dinheiro.
Cascavel/Pr, 23 de novembro de 2018.

Você também pode gostar