Você está na página 1de 11

CURSO DE ENGENHARIA QUÍMICA

Primeiro Semestre 2018

Quarto ano académico

Engenharia Bioquímca

TRABALHO INVESTIGATIVO

Título: SAIS MINERAIS E VITAMINAS

Turma_EQM7-M1

Elaborado por:

1. Dian Dasala-20151547

Profº. Benevides Pessela

Luanda aos 19 de Maio de 2018

Índice

VITAMINAS E SAIS MINERAIS................................................................................3

Vitaminas............................................................................................................................3
Sais minerais......................................................................................................................7

V-BIBLIOGRAFIA...................................................................................................10

2
VITAMINAS E SAIS MINERAIS

Os nutrientes são substâncias utilizadas pelo metabolismo do organismo


essenciais ao seu funcionamento
As vitaminas e os sais minerais recebem o nome de micronutrientes. São
essenciais para o bom funcionamento do corpo e para a manutenção da saúde.
Diferentemente dos macronutrientes (carboidratos, proteínas e gorduras) são
necessários em quantidade reduzida, obtida por meio da alimentação.
Estes micronutrientes não podem ser sintetizados na nossa alimentação e
portanto devem ser adquiridos com base na alimentação. Os micronutrientes
juntamente com a água e a fibra constituem o grupo de nutrientes reguladores
a passo que as biomoléculas / macronutrientes constituem os nutrientes
energéticos.

Vitaminas

As vitaminas são micronutrientes orgânicos que o nosso organismo não


consegue produzir. Necessárias em pequenas quantidades e obtidas através de
uma alimentação equilibrada, as vitaminas são essenciais ao nosso organismo,
atuando em conjunto com algumas enzimas, controlando atividades das
células e diversas funções do corpo.( LOUREDO,2008)
No ser humano, a quantidade a ser ingerida pode variar conforme idade,
sexo, estado de saúde e atividade física do indivíduo.
As doses devem ser aumentadas em gestantes e lactantes, em indivíduos
em crescimento ou com saúde debilitada, e mesmo trabalhadores em funções
que exijam muito esforço físico.
Mas, é um engano pensar que os alimentos podem ser trocados pelas
vitaminas, pois, sem a ingestão da comida, o organismo simplesmente não
consegue absorvê-las.1

3
Consideradas como elementos essenciais à saúde dos animais e ao
adequado funcionamento de seus organismos, as vitaminas diferem entre si
quanto à sua estrutura química, sendo da mesma forma diversas suas funções.
Dividem-se em dois grupos principais: lipossolúveis (A, D, E, K) e hidrossolúveis
(complexo B, C, H) (PEREIRA,2007)
O comportamento químico dos dois grupos é distinto, tal como as suas
fontes. As primeiras possuem uma estrutura química semelhante a alguns
lípidos (esteróides) e são armazenadas pelo organismo com relativa facilidade.
O processo é contudo energeticamente dispendioso uma vez que exige a
síntese se gorduras de reserva. A sua eliminação é também mais complexa. As
vitaminas do segundo grupo referido - hidrossolúveis - são, por seu lado,
facilmente eliminadas pelo organismo, dai que situações de excesso sejam
pouco frequentes. No entanto, isso significa que a sua estabilidade química é
menor que as anteriores e não são armazenadas no organismo com facilidade,
necessitando de uma reposição constante. Quase todas as vitaminas deste tipo
são enzimas ou co-enzimas essenciais. (PEREIRA,2007)

As vitaminas desempenham uma grande variedade de funções no nosso


organismo: algumas são co-factores em actividades enzimáticas, algumas são
antioxidantes (ajudam a proteger o corpo dos danos adjuvantes da presença
do oxigénio) e uma (vitamina D) é uma pro-hormona. Cada uma das vitaminas
desempenha uma função específica, apesar de muitas vezes as suas acções se
complementarem. Podem também interagir com outros nutrientes, como os
minerais, os hidratos de carbono e as proteínas. Assim, e resumidamente, as
vitaminas asseguram o funcionamento adequado do organismo, em todos os
aspectos. Por isso, são essenciais para o crescimento e para a saúde. 2

As tabelas abaixo apresentam a classificação das vitaminas bem como as


suas principais fontes, funções consequências em caso de carência:

4
Tab.1. Vitaminas lipossolúveis e suas características.
LIPOSSOLÚVEIS( SOLÚVEIS EM LÍPIDOS OU SOLVENTES APOLARES)
VITAMINA FONTE FUNÇÕES CONSEQUÊNCIA
DEVIDO A CARÊNCIA
A- Retinol Fígado de boi,Cenoura, Visão (adaptação visual no Cegueira nocturna,lesões na
salsa, escuro), Pele( regeneração córnea, baixa imunidade,
beterrabas,ovos,alface da pele e mucuosas), alopecia (queda de cabelos)
Sistema imunológico e pele seca
D Salmão, Fígado de boi, Metabolismo mineral e Deformações dos ossos,
atum, sardinha, gema absorção intestinal (Ca e P) cáries dentárias, Fraquesa
de ovo, soja. Protecção contra IV muscular e câimbras,
raquitismo e osteoporose
E- α - Margarina, Abacate, Membranas celulares, Fraqueza muscular, cabelos
Tocoferol gema de ovo, óleo de Coagulação do sangue, sem brilho
cozinha, brócolis sistema imunológico,
Retarda efeitos de
envelhecimento
K Couve, repolho, batata, Coagulaçã do sangue: Hemorragias, diarréia
algas, alface, fígado, fundamental para a
gema de ovo, nozes, coagulação normal do
nabo. sangue.

Tab.2. Vitaminas hidrossolúveis e suas características.


HIDROSSOLÚVEIS ( SOLÚVEIS EM ÁGUA OU SOLVENTES APOLARES)
VITAMINA FONTE FUNÇÕES CONSEQUÊNCIA
DEVIDO A CARÊNCIA
B1-Tiamina Levedura de cerveja, Metabolismo de Perda de apetite, náuseas e
trigo, caju,fígado de carbohidratos, sistema cosntipação, depressão e
boi, açaí muscular e nervoso dificuldade de
(combate à dor) concentração, redução da
força e resistência
muscular
B2-Riboflavina Fígado de boi, rim de Metabolismo de Inflamação de língua e
boi, feijão carbohidratos. lábios, alopecia,
branco,carne fundamental a pele e sensibilidade a luz,
vermelha, peixe. mucosas saudáveis vertigens e insônia
B3- Niacina- Fígado de boi frito, Metabolismo do colesterol, Anorexia, náuseas,
Nicotinamida rim de boi, caranguejo, regulação do apetite, diarreias e úlceras gastro-
lagosta, ervilha , peixe glândulas supra-renais intestinais, cefália, insônia,
depressão, demência, etc.
B5- Àcido Presente na maioria Metabolismo de Consequênicas raras
Pantotênico dos alimentos. carbohidratos.
fundamental a pele e

5
mucosas saudávei, sistema
imunológico.
B6- Piridoxina Presente na maioria Sistema imunológico, Consequênicas raras
(Piridoxol) dos alimentos Sangue: participa na
formação das hemácias
(células sangüíneas
vermelhas)
B9- Ácido fólico Fígado de boi, Sangue: em associação Anemia, cansaço e
espinafre, brócolos, com a vitamina B12 fraqueza. Irritabilidade,
ovo, laranja. promove a formação de confusão mental e insônia.
hemácias (células
vermelhas do sangue).
Metabolismo de proteínas
e gorduras:
B12- Ovo,carne vermelha, SangueMetabolismo de Perda de apetite. Anemia e
Cianocobalamina peixe,levedura de proteínas e gorduras: fadiga. Irritabilidade e
cerveja gorduras. Proteção das
células
B-Ácido Couve,brócolos, Pele e mucosas: Hemorragias nas gengivas.
ascórbico limão, melão,morango CicatrizaçãoSistema Queda dos dentes. Baixa
imunológico,. resistência às infecções.
Metabolismo do colesterol Anemia e fadiga.
Escorbuto: forma grave de
deficiência.
(PINHEIRO ETA AL,2005)

OBS: . A maioria das vitaminas não podem ser sintetizadas pelo nosso
corpo, por isso têm de ser obtidas a partir da alimentação. As excepções são:
1. Vitamina D (sintetizada a nível cutâneo), -
2. Vitamina K (síntese a partir da flora bacteriana intestinal,
proporcionando grande parte das necessidades diárias)
3. Niacina (síntese no fígado, a partir do aminoácido triptofano)
4. Riboflavina (síntese a partir da flora bacteriana do intestino grosso),
5. Biotina (síntese a partir da flora bacteriana do intestino grosso).

6
Sais minerais

Os minerais, como as vitaminas, não podem ser sintetizados pelo


organismo e, por isso, devem ser obtidos através da alimentação. Não
fornecem calorias, mas se encontram no organismo desempenhando diversas
funções, como:
 regulação do metabolismo enzimático;
 manutenção do metabolismo ácido-básico;
 irritabilidade muscular e pressão osmótica;
 Facilitam a transferência de compostos pelas membranas
celulares e composição de tecidos orgânicos.
Uma outra função é que o excesso ou a deficiência de um interfere no
metabolismo de outro. Actuam, também, na forma iônica e na composição de
diferentes substâncias (enzimas, hormônios, secreções e proteínas teciduais).
Os minerais são importantes na prática esportiva, uma vez que durante o
exercício físico a perda de água pelo suor é sempre acompanhada pela perda
de minerais (eletrólitos, de sais, especialmente) como o sódio, cloreto,
potássio, magnésio e cálcio. A falta destes minerais pode levar ao
aparecimento de cãibras musculares. As quantidades específicas de cada
mineral variam de microgramas a gramas por dia. Então é importante dizer
que o excesso na ingestão de um pode acarretar prejuízos na absorção e
utilização de outro. Por exemplo, a absorção de zinco pode ser afetada por
suplementação de ferro, enquanto a ingestão em excesso de zinco pode
reduzir a absorção de cobre. O consumo de uma alimentação balanceada, com
o fornecimento adquado de alimentos, tanto de origem animal quanto vegetal,
normalmente é suficiente para suprir as necessidades nutricionais de minerais.
(PINHEIRO et al,2005)

7
Actualmente conhecem-se centenas de elementos minerais, mas 21 são
considerados essenciais: cálcio, fósforo, potássio, enxofre, sódio, cloro,
magnésio, ferro, zinco, selénio, manganésio, cobre, iodo, molibdénio, cobalto,
crómio, flúor, vanádio, níquel, estanho e silício.
É de lembrar que existem na natureza diversos minerais que podem
actuar como tóxicos, por exemplo: cádmio, mercúrio, chumbo, alumínio, etc. A
toxicidade pode surgir por um consumo de pequenas quantidades durante
largos períodos de tempo, ou por uma ingestão elevada numa só dose.
(CANDEIAS,2006)

As imagens abaixo aprsentam de forma similar as vitaminas, a


classificação dos minerais e suas características.

Fig.1. Classificação dos minerais(PINHEIRO et al,2005)

8
Fig.2. Fontes e funções dos minerais. .(CANDEIAS,2006)

9
V-BIBLIOGRAFIA

1. -CANDEIAS, V. MINERAIS. 2006.p.3


2. PINHEIRO,D . A química dos alimentos: carboidratos, lipídios,
proteínas e minerais. Maceió : EDUFAL, 2005. 52p. : il. -
(Conversando sobre ciências em Alagoas)
3. PAPAS,M. Vitaminas e minerais. JORNAL ESCOLA SAUDÁVEL.
Brasília. Setembro de 2006. Observatório de políticas de segurança
alimentar e nutrição.
4. MORAES, Paula Louredo. "Vitaminas"; Brasil Escola. Disponível em
<https://brasilescola.uol.com.br/saude-na-escola/vitaminas.htm>.
Acesso em 19 de Maio de 2018.
5. Vitaminas. Saúde. Disponível em < http://saude.ig.com.br/vitaminas/
>Acesso em 19 de Maio de 20181
6. Vitaminas. Nutribrinca: nutrição na escola, São Paolo, V1, p.18.
20122

10
11