Você está na página 1de 37

Ferramentas da

Qualidade Aplicadas a
Engenharia de Produção

Profa Alessandra Lopes Carvalho


Unidade 2
Ferramentas do Controle
Estatístico da Qualidade
Sete Ferramentas Básicas da Qualidade

1) Folha de Verificação
2) Histograma
3) Diagrama de Dispersão- Correlação
4) Estratificação
5) Diagrama de Causa e Efeito
6) Diagrama de Pareto
7) Gráficos de Controle
1) Folha de Verificação

Formulário físico ou virtual utilizado para


tabular dados de uma observação amostral
identificando a frequência de eventos
previamente selecionados em um determinado
período.
Objetivo
Registro e agrupamento logicamente organizado
de dados e informações a respeito de uma tarefa
ou processo estudado.

Alguns tipos de Folha de Verificação:


1- Distribuição de um item de controle de
um processo produtivo
2- Localização de defeitos
3- Identificação de causas de defeitos
Exemplo folha de verificação:

Problemas seg. ter. qua. qui. sex. sab. dom. Total

Evento A III II I III III - - 12

Evento B II I II I II I I 10

Evento C IIII - IIIII III III - II 17

Evento D I II I I I II I 9

Total 10 5 9 8 9 3 4 48

Fonte: Elaborado pela autora


Exemplo:

Fonte: Toledo( 2013)


2) Histograma

O histograma é um gráfico composto por


retângulos justapostos em que a base de cada um
deles corresponde ao intervalo de classe e a sua
altura à respectiva frequência (representação
gráfica da distribuição de frequências)
Objetivo

Representação gráfica do número de vezes que


Determinada característica ou fenômeno ocorre
(distribuição de frequência) no processo estudado
Passos para elaboração de um histograma:
1- coletar dados
2- ordenar os dados em escala crescente
3- calcular a amplitude total da amostra (subtrair
o menor valor coletado do maior valor coletado)
4- Definir o número de classes

Onde NC: número de classes


NC = N N: tamanho da amostra
5- Definir a amplitude e limites de cada classe
X max − X min
AC =
NC
6- Desenhar o histograma de forma que cada
barra tenha uma altura proporcional à frequência
com que o valor ocorre. Todas as barras devem
ser unidas e de larguras (amplitude de classe)
iguais
Exemplo: Elaborar o histograma que representa
o banco de dados:
76 123 145 154 163 172 181 200
87 131 146 156 163 174 183 201
97 133 148 157 165 174 184 207
101 133 149 158 167 175 186 208
105 134 149 158 167 176 190 218
110 135 150 158 168 176 193 221
115 135 150 158 169 178 194 228
118 141 151 160 170 180 196 229
120 142 153 160 171 180 199 237
121 143 154 160 171 181 199 245
Valor mínimo: 76
Valor máximo: 245
Tamanho da amostra: 80
Número de classes e amplitude de cada classe:

NC = 80 ≅ 9
245 − 76
AC = = 18 , 77 ≅ 20
9
Intervalo de
Classe (psi) Marcação Freq.
Freqüência
Relativa
Freqüência
Relativa 2/80
Acumulada
3/80
70 ≤ x < 90

90 ≤ x < 110
II

III
2

3
0,0250

0,0375
0,0250

0,0625
.
100 ≤ x < 130 IIIII I 6 0,0750 0,1375 .
130 ≤ x < 150 IIIII IIIII IIII 14 0,1750 0,3125 .
150 ≤ x < 170 IIIII IIIII IIIII IIIII II 22 0,2750 0,5875

170 ≤ x < 190 IIIII IIIII IIIII II 17 0,2125 0,8000

190 ≤ x < 210 IIIII IIIII 10 0,1250 0,9250

210 ≤ x < 230 IIII 4 0,0500 0,9750

230 ≤ x < 250 II 2 0,0250 1,0000


Freq. 25

20

15

10

0
70-90 90-110 110-130 130-150 150-170 170-190 190-210 210-230 230-250
amostras
Fonte: Elaborado pela autora
Alguns formatos comuns de histogramas:

Fonte: Toledo( 2013)


Tendências assimétricas

Fonte: Toledo( 2013)


Análise de Dispersão

Fonte: Toledo( 2013)


3) Diagrama de Dispersão

Identificação de relações potenciais entre duas


variáveis

Objetivo
Estabelecimento da relação ou associação entre
dois fenômenos, parâmetros, fatores ou variáveis
de um processo estudado
a) Correlação positiva
b) Correlação fracamente positiva
c) Sem correlação

Fonte: Toledo( 2013)


d) Correlação negativa
e) Correlação fracamente negativa
f) Correlação não linear

Fonte: Toledo( 2013)


4) Estratificação

Consiste em tomar um conjunto de dados e


dividi-lo em grupos significativos

Objetivo
Agrupamento ou organização de dados de um
processo em grupos significativos representativos
de segmentos (estratos)da população de dados
Exemplo de estratificação de dados:

Fonte: Elaborado pela autora


5) Diagrama de Causa e Efeito (Ishikawa)

Consiste em uma representação gráfica que


organiza de forma lógica e em ordem de
importância, as causas potenciais que
contribuem para um efeito ou problema.

Objetivo
Identificação de fatores ou causas que geram
determinado problema ou efeito
MATÉRIA-PRIMA MÁQUINA MEDIDA

EFEITO

O processo é controlado
MEIO MÃO-DE-OBRA MÉTODO através de seus efeitos!
AMBIENTE

CAUSAS
Fonte: Elaborado pela autora
Etapas para elaboração:
1- Definir a característica da qualidade ou o
problema a ser analisado:
2- Relacione, dentro de retângulos, como
espinhas grandes, as causas primárias que
afetam a característica da qualidade (6 M’s);
3- Relacione, como espinhas médias, as causas
secundárias que afetam as causas primárias
4- Relacione, como espinhas pequenas, as causas
terciárias que afetam as causas secundárias;

Fonte: Elaborado pela autora


5- Identifique no diagrama as causas que
parecem exercer um efeito mais significativo
sobre a característica da qualidade ou
problema. Nesta etapa, utilize todo
conhecimento disponível sobre o processo.
Considere os históricos de produção, dados
coletados, colete novos dados – disponha de
todas as informações possíveis e relevantes
6- Registre outras informações que devam
constar no diagrama:

Título
Data da elaboração do diagrama
Responsável pela elaboração do diagrama
Exemplo:

Fonte: Toledo( 2013)


6) Diagrama de Pareto

Seu fundamento parte da consideração de que


uma pequena porcentagem das causas (20%)
produz a maioria dos defeitos (80%)

Objetivo
Identificação de causas prioritárias
Exemplo:

Fonte: Toledo( 2013)


7) Gráfico de Controle

Objetivo
Sinalização do comportamento temporal de
variáveis relacionadas à dinâmica de um processo
Exemplo ( MONTGOMERY, 2004)

Em uma fábrica de anéis de pistão para


automóveis, uma característica crítica de
qualidade é o diâmetro interno do anel.
O processo pode ser controlado considerando
um diâmetro interno médio de 74mm e desvio
padrão de 0,01 mm. A cada hora extrai-se uma
amostra aleatória de 5 aneis, e calcula-se a
média para “plotar” no gráfico.
O pistão ou êmbolo de
um motor é uma peça
cilíndrica normalmente
feita de alumínio ou
liga de alumínio, que se
move no interior do
cilindro dos motores de
explosão.

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Pist%C3%A3o
-
74,0180-
74,0135- LSC
74,0090- LSA
74,0045-
74,0000-
73,9955-
73,9910- LIA
LIC
73,9865-
73,9820-
-
0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16
Fonte: MONTGOMERY (2004)
Referências bibliográficas
TOLEDO, José Carlos et al. Qualidade. Gestão e Métodos.
LTC, Rio de Janeiro, 2013.

MONTGOMERY, D.C. Introdução ao Controle Estatístico da


Qualidade. LTC, Rio de Janeiro, 2004.