Você está na página 1de 5

1 CONDUTIVIDADE TÉRMICA

Os materiais possuem uma propriedade que caracteriza a sua


habilidade de transmissão de calor, conhecida como condutividade térmica, é o
fenômeno segundo o qual ocorre o transporte de calor das regiões com
maiores temperaturas para as regiões com menor temperatura.
Em termos matemáticos podemos expressar na seguinte formula:
𝑑𝑇
𝑞 = −𝑘
𝑑𝑥
Onde, q é o fluxo de calor por unidade de tempo por unidade de
área perpendicular ao fluxo (W/m2) k é a condutividade térmica (W/m-K) e
dT/dx é o gradiente de temperatura (K/m)
Como podemos observar na imagem abaixo, mostra moléculas
em dois corpos com temperaturas diferentes. O mecanismo de transferência
de energia como calor que ocorre devido à transferência de energia das
partículas mais agitadas (a maior temperatura) para as mais lentas (a menor
temperatura). As partículas mais agitadas propagam a agitação às partículas
vizinhas havendo assim transferência de energia sem transporte de matéria.
E é essa transferência de calor entre dois objetos em contato que
chamamos de condução térmica.

Imagem 1

Em geral, bons condutores de eletricidade (metais como cobre,


alumínio, ouro e prata) também são bons condutores de calor, enquanto
isolantes de eletricidade (madeira, plástico e borracha) são maus condutores
de calor.

1
2 Mecanismos da Condução de Calor

O calor é transportado nos materiais sólidos tanto por meio das


ondas de vibração da rede (fônons) quanto por elétrons livres. Uma
condutividade térmica está associada a cada um desses mecanismos e a
condutividade total é a soma das duas contribuições, ou seja

K = Kr+Ke

Em que kr e ke representam, as condutividades térmicas devido à


vibração da rede (fônons) e aos elétrons.

2.2 Condutividade térmica por fônons (kr)


A condução de calor pode ocorrer através de vibrações da rede
atômica. O transporte de energia térmica associada aos fônons se dá na
mesma direção das ondas de vibração, é transportada na direção de seus
movimentos.

2.1 Condutividade térmica por elétrons (ke)


Os elétrons livres que se encontram em regiões quentes ganham
energia cinética e migram para regiões mais frias. Em consequência de
colisões com fônons, parte da energia cinética dos elétrons livres é transferida
(na forma de energia vibracional) para os átomos contidos nessas regiões frias,
o que resulta em aumento da temperatura.
Quanto maior a concentração de elétrons livres, maior a condutividade
térmica.

3 Metais
Nos metais de alta pureza, o mecanismo eletrônico de4 transporte de
calor é muito mais eficiente do que a contribuição dada pelos fônos, pois os
elétrons não são tão facilmente espalhados como os fônons e possuem maior
velocidade. Além disso, os metais são condutores de calor extremamente bons,
pois há um número relativamente grande de elétrons livres que praticam na
condução térmica.

2
De acordo com a lei de Wiedemann-Franz
𝒌
𝑳=
𝝈𝑻
Em que 𝜎 é a condutividade elétrica, T é a temperatura absoluta e L é
uma constante.
A formação de ligas metálicas pela adição de impurezas resulta em uma
redução na condutividade térmica, pela mesma razão que a condutividade
elétrica é diminuída, qual seja, os átomos de impurezas, especialmente se
estiverem em solução solida, atual como centros de espalhamento, reduzindo a
eficiência do movimento dos elétrons. Um gráfico da condutividade térmica em
função da composição para ligas cobre-zinco mostra esse efeito.

Gráfico 1

4 Cerâmicas

Os cerâmicos são materiais que por não apr4esentarem grande


quantidade de elétrons livres, se tornam ótimos isolantes térmicos, dessa
forma, os fônons são os principais responsáveis pela condutividade térmica
(Kr>Ke), os fônons não são tão eficientes como os elétrons livres no transporte
da energia térmica.
O vidro e outras cerâmicas amorfas apresentam condutividades
menores que as cerâmicas cristalinas, já que o espalhamento dos fônons é

3
muito mais efetivo quando a estrutura atômica é altamente desordenada e
irregular.

Gráfico 1

A porosidade dos materiais cerâmicos tem grande influência


sobre a condutividade térmica, o aumento do volume dos poros resultará na
diminuição da condutividade térmica. A transferência de calor através dos
poros é normalmente lenta e ineficiente, pois os poros contem ar estagnado
que tem condutividade térmica extremamente baixa.

5 Polímeros
Para esses materiais a transferência de energia é realizada por
vibrações e rotação das moléculas da cadeia. A magnitude da condutividade
térmica depende do grau de cristalinidade. Um polímero com estrutura
altamente cristalina e ordenada terá maior condutividade que o material amorfo
equivalente. Isso se deve à vibração coordenada mais efetiva das cadeias
moleculares no estado cristalino. Os polímeros são frequentemente usados
como isolantes térmicos, em razão de suas baixas condutividades térmicas.

4
REFERENCIAS

CALLISTER, William. RETHWISCH, David. Ciência e Engenharia de


Materiais: uma introdução. 9ª Ed. Editora LTC. Rio de Janeiro, 2016.