Você está na página 1de 4

Este documento foi assinado digitalmente por Cesar Augusto Borges de Andrade. Se impresso, para conferência acesse o site http://esaj.tjba.jus.br/esaj, informe o processo 0502429-52.2017.8.05.0039 e o código 459AB1B.

o processo 0502429-52.2017.8.05.0039 e o código 459AB1B. fls. 224 PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA BAHIA Comarca

fls. 224

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA BAHIA Comarca de Camaçari 1ª Vara da Fazenda Pública

Centro Adm. de Camaçari, Sala 000 do Fórum de Camaçari, Centro Administrativo - CEP 42800-000, Fone: 71 3621-8700, Camacari-BA - E-mail: a@a.com a@a.com

DECISÃO INTERLOCUTÓRIA

Processo nº:

0502429-52.2017.8.05.0039

Classe Assunto:

Procedimento Comum - Equivalência salarial SINDICATO DOS SERVIDORES OÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE CAMAÇARI - SINDISEC Município de Camaçari

Autor:

Requerido:

Vistos etc.

O SINDICATO DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE CAMAÇARI, ingressou com a presente AÇÃO ORDINÁRIA COM PEDIDO LIMINAR, contra o MUNICÍPIO DE CAMAÇARI, com pedido de pagamento da revisão geral e anual da remuneração dos servidores públicos da municipalidade, correspondente ao percentual da inflação do ano de 2015, 10,67%, com amparo legal na Lei Municipal 1085/2010 e Lei 1448/2016, que majorou a remuneração do magistério público municipal.

O Sindicato requerente trouxe aos autos doutrina e jurisprudência sobre a matéria, bem como discorreu sobre a sua legitimidade ativa, para a presente demanda, para obtenção do percentual mínimo do reajuste de vencimento da categoria profissional, equivalente ao índice do ano anterior da inflação oficial, conforme lei orçamentaria anual, com amparo no inciso X do artigo 37 da Constituição Federal em vigor, bem como no artigo 5º da Lei Municipal n. 1085/2010.

Segundo o Sindicato requerente nos autos, o magistério municipal recebeu o referido o reajuste em duas parcelas, portanto, segundo a parte autora, trata- se de revisão salarial que possui natureza geral, nos termos do dispositivo constitucional acima referido, que por sua vez assegura revisão geral anual, na mesma data e sem distinção de índices.

A parte autora transcreveu o artigo 5º da Lei Municipal de Camaçari, 1085/2010, que assegura o mês de janeiro de cada ano, como referência para revisão dos valores do vencimentos do servidores, dispositivo legal não cumprindo pelo gestor público em razão de que a Lei 1448/2016, concedeu revisão de vencimentos para somente uma parte da categoria profissional, no caso o magistério.

Em razão da matéria de direito acima exposta, de natureza constitucional, referendada pela legislação municipal, bem como nos precedentes judiciais e pareceres do Tribunal de Contas dos Muncípio do Estado da Bahia, no sentido de que a revisão anual da remuneração dos servidores públicos é assegurada constitucionalmente,

Este documento foi assinado digitalmente por Cesar Augusto Borges de Andrade. Se impresso, para conferência acesse o site http://esaj.tjba.jus.br/esaj, informe o processo 0502429-52.2017.8.05.0039 e o código 459AB1B.

o processo 0502429-52.2017.8.05.0039 e o código 459AB1B. fls. 225 PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA BAHIA Comarca

fls. 225

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA BAHIA Comarca de Camaçari 1ª Vara da Fazenda Pública

Centro Adm. de Camaçari, Sala 000 do Fórum de Camaçari, Centro Administrativo - CEP 42800-000, Fone: 71 3621-8700, Camacari-BA - E-mail: a@a.com a@a.com

bem como, na Lei de Responsabilidade Fiscal, pediu a concessão de antecipação de tutela para obtenção dos efeitos da Lei 1448/2016, no sentido de garantir o dispositivo legal do artigo 5º da Lei Municipal 1085/2010, trazendo aos autos prova documental em

fls.14/68.

Regulamente citado o representante legal do ente público requerido, contestou os termos da presente ação, alegando, em síntese, de que os pedidos articulados na petição inicial, são de competência privativa do Prefeito Municipal de Camaçari, através de projeto de lei, que dispõe sobre remuneração dos servidores públicos municipais, conforme decisão prolatada em ação desta natureza sob a forma de Mandado de Injunção, e de que não compete ao Poder Judiciário promover reajuste de vencimento dos servidores públicos sob a forma de revisão geral anual, haja vista, que não possui função legislativa, nos termos da Súmula Vinculante nº 37.

O ente público requerido trouxe aos autos doutrina e jurisprudência

sobre a matéria, bem como discorreu de que a revisão geral requerida pelo Sindicato requerente depende de previsão orçamentária e financeira, e que as despesas com pessoal do Município de Camaçari encontram-se acima do limite prudencial estabelecido pela Lei Complementar nº 101/2000, Lei de Responsabilidade Fiscal, trazendo aos autos planilhas de valores com despesas de pessoal, e prova documental em fls.119/211.

Realizadas audiências para tentativa de conciliação entres partes, conforme termos de fls.72 e 80, estas não resultaram na possibilidade de acordo, razão pela qual foi determinada a abertura de vista dos autos ao Promotor de Justiça com atribuições na defesa do Patrimônio público que manifestou-se parcialmente favorável as pretensões do Sindicato requerente.

É RELATÓRIO. DECIDO.

Após apreciação da prova documental que instrumentaliza a presente AÇÃO ORDINÁRIA, incluindo os dispositivos do artigo 5º da Lei Municipal n. 1085/2010, que por sua vez, encontra respaldo no inciso X do artigo 37 da Constituição Federal em vigor, restou demostrado de que a legislação municipal assegura no mês de Janeiro de que cada ano, como referência para revisão dos valores dos vencimentos do servidores públicos municipais, portanto, conclui-se pela interpretação gramatical do referido artigo, de que o gestor público encontra-se obrigado a promover a revisão geral e anual dos valores dos vencimentos dos servidores municipais, considerando ainda que a Lei Municipal n. 1448/2016 promoveu o referido reajuste salarial somente em favor do

Este documento foi assinado digitalmente por Cesar Augusto Borges de Andrade. Se impresso, para conferência acesse o site http://esaj.tjba.jus.br/esaj, informe o processo 0502429-52.2017.8.05.0039 e o código 459AB1B.

o processo 0502429-52.2017.8.05.0039 e o código 459AB1B. PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA BAHIA Comarca de Camaçari

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA BAHIA Comarca de Camaçari 1ª Vara da Fazenda Pública

Centro Adm. de Camaçari, Sala 000 do Fórum de Camaçari, Centro Administrativo - CEP 42800-000, Fone: 71 3621-8700, Camacari-BA - E-mail: a@a.com a@a.com

magistério municipal.

fls. 226

No processo de suspensão de execução de sentença Nº 8000203-15.2015.8.05.0000, junto ao Tribunal Pleno, o Município de Camaçari informou a existência de 652 servidores comissionados, tratando-se de número exorbitante para a administração de 15 Secretarias Municipais, bem como, trata-se de conhecimento público e notário nesta comarca que a municipalidade mantém milhares de servidores contratados precariamente em diversas secretarias, fatos que podem ser constados junto ao Tribunal de Contas dos Municípios, concluindo-se desta forma, que o ente público requerido possui capacidade orçamentária para reajuste de vencimentos do quadro geral dos servidores público municipais, considerando ainda que esta comarca possui arrecadação anual superior a um bilhão e trezentos mil reais.

O Mandado de Injunção enumerado na contestação do ente público requerido não teve como objeto a pretensão requerida na presente Ação Ordinária, conforme aduziu o Município de Camaçari, haja vista que tal ação, de natureza constitucional, assegura direito declarado constitucionalmente, pendente de norma regulamentadora, não criada pelo órgãos competentes, ao contrário da espécie relatada nos autos, considerando a existência da legislação acima transcrita sobre a matéria, que regulamenta o inciso X do artigo 37 da Constituição Federal em vigor.

Em fls 221/222, o Promotor de Justiça com atribuições nos autos, manifestou-se como devidas as recomposições de vencimentos, requeridas na petição inicial, com exclusão das gratificações referentes a alimentação e transporte.

Em razão dos exposto, presentes os requisitos de lei para CONCESSÃO PARCIAL DA ANTECIPAÇÃO DE TUTELA requerida pelo SINDICATO DOS SERVIDORES PÚBLICO DE CAMAÇARI, tendo como objeto verbas trabalhistas, portanto, em caráter alimentar, para fins de notificação do representante legal do ente público, para que no prazo máximo de trinta dias contínuos, a contar do conhecimento da presente decisão, promova a revisão geral anual, como requerido nos autos, nos limites e nos termos da lei de regência, que dispõe sobre o reajuste da remuneração do quadro geral dos servidores públicos municipais de Camaçari, com amparo legal no artigo 5º da Lei Municipal 1085/2010, que constitui-se como norma impositiva, tratando-se de obrigação legal do gestor público, até ulterior decisão judicial, portanto, não se trata de norma programática.

Intime-se o representante legal de Camaçari para conhecimento e

Este documento foi assinado digitalmente por Cesar Augusto Borges de Andrade. Se impresso, para conferência acesse o site http://esaj.tjba.jus.br/esaj, informe o processo 0502429-52.2017.8.05.0039 e o código 459AB1B.

o processo 0502429-52.2017.8.05.0039 e o código 459AB1B. fls. 227 PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA BAHIA Comarca

fls. 227

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA BAHIA Comarca de Camaçari 1ª Vara da Fazenda Pública

Centro Adm. de Camaçari, Sala 000 do Fórum de Camaçari, Centro Administrativo - CEP 42800-000, Fone: 71 3621-8700, Camacari-BA - E-mail: a@a.com a@a.com

cumprimento da presente decisão interlocutória no prazo acima fixado, bem como, para

que demonstre a este juízo, o devido cumprimento, em favor dos servidores públicos

municipais do quadro geral do funcionalismo municipal, para ulterior prosseguimento da

presente ação.

Cumpra-se e demais intimações na forma da lei.

Camacari(BA), 27 de abril de 2018.

César Augusto Borges de Andrade Juiz de Direito