Você está na página 1de 42

2018

(Ano-Base 2017)

Atlas da Eficiência
Gestão Judiciária

I3GS
3
Tribunal de Justiça Estadual
Atlas da Eficiência
Gestão Judiciária

Autoria

Alexandre Maduro-Abreu
Kayton Fernandes de Ávila

Brasília - 2018
AUTORIA
Alexandre Maduro-Abreu
Kayton Fernandes de Ávila

PROJETO GRÁFICO

Danyel Carvalho

DIAGRAMAÇÃO

Danyel Carvalho

APOIO TÉCNICO

Francisco Wanderson

REVISÃO

Rosana de Oliveira Guimarães Ávila

Atlas da Eficiência na Gestão Judiciária. Alexandre Maduro-Abreu e Kayton Fernandes de Ávila


(Autores) Editora IABS, Brasília-DF, Brasil - 2018. ISBN 978-85-64478-75-6, 41 p.1. Atlas da
Eficiência: Gestão Judiciária. 2. Gestão Pública; Gestão por Eficiência. I. Título. II. Editora
IABS. CDU: 340.1
I3GS Atlas da Eficiência

APOIO

4
I3GS Atlas da Eficiência

Quem Somos
O I3GS foi criado para gerar inteligência no campo da gestão pública e corporativa, para atuar como
uma Think Tank tecnológica, produzindo e difundindo conhecimentos com o objetivo de influenciar
transformações sociais, políticas, econômicas, ambientais, culturais e científicas. Este, inclusive, é o
DNA do I3GS, que nasceu para apoiar as pesquisas realizadas na Universidade de Brasília, em
especial, no âmbito do grupo de pesquisa Gestão por Eficiência, certificado pelo Conselho Nacional de
Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPq (desde 2015).

Com a necessidade de criar uma base de dados robusta - com diferentes organizações - para realizar
as pesquisas as quais o grupo se propõe, surgiu a ideia de criar uma plataforma que viabilizasse a
aproximação com o mercado e com as instituições públicas. Por um lado, receber e armazenar as
informações cedidas pelas organizações, por outro, processá-las e devolver o cálculo individualizado de
eficiência e, principalmente, explicar os níveis de eficiência correlacionando-os com outras variáveis
organizacionais e ambientais.

Para isso, buscou-se apoio especializado em tecnologia da informação. Após dois anos de muito
trabalho, uma primeira versão, aplicada ao setor agropecuário, foi concluída. Neste momento, ficou
claro que o desenvolvimento, atualização e manutenção de novos modelos exigiriam a disponibilidade
de recursos financeiros, humanos e materiais. Diante da impossibilidade de acesso a esses recursos,
no âmbito da Universidade, surgiu a ideia de se criar, considerando a legislação vigente, o I3GS, como
forma de viabilizar a implementação e manutenção de novos modelos.

Para assegurar a sua sustentabilidade financeira e garantir o cumprimento de sua missão, o I3GS tem
investido no desenvolvimento de novas tecnologias de Data Science e, também, em ações de
transformações da sociedade. Em especial, com o movimento (amplo e apartidário) "Por um Brasil mais
Eficiente", como forma de provocar mudanças de paradigmas na gestão pública e privada e,
diretamente influenciar transformações no processo de desenvolvimento do País.

5
I3GS Atlas da Eficiência

Por um Brasil mais Eficiente


Por um Brasil mais Eficiente é um movimento que nasce no ambiente acadêmico, em decorrência de
estudos e pesquisas realizados para compreender o contexto e as condições que favorecem a eficiência
na gestão, denominado Gestão por Eficiência. A causa deste movimento, que deve ser compartilhado
com todos os segmentos da sociedade, é de transformar paradigmas, divulgando e promovendo os
conceitos e práticas de Eficiência como fundamentos imperiosos para a gestão pública e corporativa.

A busca pela eficiência passa pela comparação entre unidades produtivas (concorrência) que obriga os
gestores a gerarem novas combinações, que produzam inovações e, por conseguinte, progresso
tecnológico e novas fronteiras de eficiência. Este progresso, na visão de Shumpeter¹, gera mudanças
estruturais e ganhos de competitividade que são, em última instância, condições necessárias para o
desenvolvimento do País.

Para isso, devemos ir além do discurso e propiciar condições para aplicação prática dos conceitos que
fundamentam a proposta de Gestão por Eficiência, permitindo que as organizações, municípios,
estados, ou quaisquer unidades produtivas, possam estimar seu índice de eficiência - IEfi e obter
parâmetros de melhorias necessários para atingí-la.

Os alicerces de sustentação do movimento são:

a) Do ponto de vista teórico-conceitual e metodológico – os resultados (em construção contínua) dos


estudos e pesquisas realizados no âmbito do Projeto Gestão por Eficiência, certificado pelo Diretório
dos Grupos de Pesquisa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq,
desde 2015;

b) Do ponto de vista institucional - a criação do I3GS para garantir a operacionalização das ações
necessárias para viabilizar o movimento, em especial, o Programa Nacional de Certificação da
Eficiência na Gestão e a Plataforma Gestão por Eficiência;

c) Do ponto de vista técnico-instrumental – a criação da plataforma Gestão por Eficiência que permite -
de forma interativa ou a partir de banco de dados abertos - estimar os índices de eficiência da gestão de
organizações (públicas ou privadas), municípios, ou quaisquer unidade produtiva em estudo, além dos
parâmetros de melhorias e georreferenciamento;

d) Do ponto de vista da certificação – criação do Programa Nacional de Certificação em Eficiência na


Gestão - PNCEG. O Programa de certificação é gerido pelo I3GS e operacionalizado via Plataforma
Gestão por Eficiência.

6
I3GS Atlas da Eficiência

Por um Brasil mais Eficiente


f) Do ponto de vista da viabilidade econômica – Pretende-se contar com o apoio institucional de entes
públicos diretamente ligados com a avaliação e controle da gestão pública e com os temas de
interesses que serão avaliados e certificados. Além do apoio financeiro de empresas e organização
privadas e/ou sem fins lucrativos que tenham interesse em apoiar o movimento, assim como de
internalizar a perspectiva da eficiência na própria gestão.

¹ Joseph Schumpeter foi um economista austríaco e um dos principais pensadores a considerar as inovações tecnológicas
como motor do desenvolvimento.

7
I3GS Atlas da Eficiência

Gestão por Eficiência


Gestão por Eficiência é uma proposta teórico-conceitual e metodológica que está em processo de
elaboração a partir dos trabalhos realizados pelo Grupo de Pesquisa certificado pelo diretório do CNPq.
"O projeto de pesquisa Gestão por Eficiência tem trabalhado com objetivo de avaliar a eficiência das
organizações públicas e privadas e sua relação com os componentes organizacionais (pessoas,
estratégias, processos, políticas/padrões de comportamento, valores/cultura, certificações etc),
considerando a interdependência da organização com o ambiente externo.

Com isso, tem se esforçado para construir um arcabouço teórico para fundamentar uma proposta de
Gestão por Eficiência, contrastando e debatendo com outras propostas. Metodologicamente, estima-se
a eficiência de grupos de organizações e/ou projetos organizacionais, determinando as melhores
práticas de um mesmo segmento, a partir da Análise Envoltória de Dados e Fronteiras Estocásticas. A
partir de modelagens estatísticas busca-se compreender e explicar a eficiência organizacional a partir
da utilização de seus recursos e componentes".

A plataforma Gestão por Eficiência surge como ferramental tecnológico para que as organizações
possam estimar sua eficiência. O objetivo é que as organizações internalizem um novo conceito de
gestão que tenha como referência a busca por melhores práticas que conduzam a novas fronteiras de
eficiência. Isso só é possível a partir da: i) comparação de uma unidade em um mesmo segmento, ii)
comparação de uma mesma unidade ao longo do tempo ou iii) comparação de unidades de um mesmo
grupo. Esta comparação permite uma dinâmica de concorrência/competição que induz o surgimento de
novas tecnologias/inovações organizacionais que irão conduzir as unidades comparadas a novos níveis
de eficiência, criando um ciclo virtuoso de evolução.

Na esteira dos estudos organizacionais, as pesquisas e outros trabalhos associados foram estendidos
para a gestão municipal. Seguindo os procedimentos metodológicos e a fim de se construir, também,
um arcabouço teórico, têm-se envidado esforços no sentido de compreender os fatores que afetam
diretamente os resultados e a eficiência da gestão dos municípios brasileiros.

Com o objetivo de divulgar o desempenho municipal e permitir que os interessados possam comparar a
eficiência da gestão dos municípios brasileiros, foi possível criar a coleção ATLAS DA EFICIÊNCIA. A
ideia é que na medida em que as pesquisas avancem e se tenha acesso às diversas bases de dados
necessárias para se calcular a eficiência, que se produzam Atlas de Eficiência para diversos setores da
administração pública, tais como: judiciário, legislativo, empresas públicas, entre outras.

8
I3GS Atlas da Eficiência

Metodologia
A eficiência é um conceito relativo, pois só pode ser estimada a partir da comparação entre unidades
produtivas. A Eficiência é alcançada quando uma unidade produtiva consegue aumentar a produção
e/ou diminuir os recursos utilizados. Para calcular a eficiência a partir da comparação entre unidades
produtivas, a principal metodologia utilizada é nomeada de Análise Envoltória de Dados – DEA. A partir
desta metodologia é possível estimar índices de eficiência - IEfi (scores entre 0 e 1) de unidades
produtivas, utilizando múltiplos insumos e produtos. Os modelos podem ser calculados para mensurar a
produção máxima, considerando os insumos constantes (orientados aos produtos), ou, para estimar os
valores mínimos de insumos, considerando os produtos constantes (orientados aos insumos).

Prioritariamente, pode-se estimar modelos com retorno constante ou variável de escala. O primeiro
modelo parte do princípio de que o conjunto de unidades avaliadas é homogêneo e se diferenciam
apenas nas quantidades de insumos utilizadas e produtos gerados. O modelo com retorno variável de
escala permite a comparação entre unidades produtiva com diferentes dimensões.

Para a estimativa dos modelos que compõem os Atlas da Eficiência elaborados pelo I3GS, são
realizados inicialmente um levantamento bibliográfico para identificar os principais componentes e
procedimentos dos modelos disponíveis na literatura da área de estudo específica de cada Atlas. Assim,
são realizados:

1. Definição das variáveis de insumo e produto do modelo específico (as variáveis selecionadas são
preferencialmente de bases de dados abertas de órgãos oficiais – DATASUS, INEP, SNIS, IPEA, IBGE
etc);

2. Definição do tipo de retorno;

3. Agrupamento das variáveis nas mesmas unidades geográficas;

4. Cálculo do modelo em dois sentidos, com orientação à maximização de produtos e orientado à


minimização de insumos - permitindo ao leitor a comparação entre os resultados aferidos e os caminhos
possíveis para tornar a gestão do município mais eficiente quanto à utilização de seus recursos.

5. O índice de eficiência - IEfi é classificado em:


Ineficiência Extrema – 0 a 0,599
Ineficiência Crítica – 0,600 a 0,799
Ineficiência Moderada – 0,800 a 0,999
Eficiência (benchmark) - 1.

9
I3GS Atlas da Eficiência

Metodologia
6. Elaboração do ATLAS DA EFICIÊNCIA: Gestão Judiciária

Após os estudos prévios o modelo do Atlas da Eficiência da Gestão Judiciária foi elaborado com 3
inputs e 1 output, lembrando que os valores das variáveis selecionadas para o modelo (Tabela 1) estão
restritas à atuação da unidade.

Tabela 1: Variáveis selecionadas para o modelo

Classificação Variável Unidade Fonte Descrição


Despesa (Exceto gastos com inativos e obras) Total das despesas (exceto gastos com inativos e obras)
input R$ CNJ 2017 dividido pelo total de processos tramitados
por Processo Tramitado
Número de Magistrados por 100 mil Número total de magistrados na ativa dividido pelo total
input Magistrados CNJ 2017 de processos tramitados (multiplicado por 100.000)
Processos Tramitados
Número de Servidores por 100 mil Processos Número total de servidores na ativa dividido pelo total de
input Servidores CNJ 2017 processos tramitados (multiplicado por 100.000)
Tramitados
(1 - taxa de congestionamento líquida)*100. A taxa de
Taxa de Fluídez (Processos congestionamento calcula-se dividindo-se o número de
output % CNJ 2017 processos pendentes por número de processos
Baixados/Tramitados)
tramitados
Fonte: Elaborado por I3GS (2018).

10
I3GS Atlas da Eficiência

Programa Nacional de Certificação em Eficiência na Gestão – PNCEG


O Programa Nacional de Certificação em Eficiência na Gestão – PNCEG é a chancela com o Selo IEfi
às empresas (públicas e privadas) e municípios que atingiram e mantiveram, dentro do ciclo de
avaliação, níveis de eficiência, comparado com outras unidades ou consigo mesmo em um determinado
período de tempo.

Objetivo
O principal objetivo do PNCEG é provocar mudanças de paradigmas na gestão que impactem
diretamente o desenvolvimento do País. Isso é possível priorizando um modelo de gestão que tenha
como referência a busca por melhores práticas que conduzam a novas fronteiras de eficiência, a partir
da comparação de desempenho entre unidades produtivas. Esta comparação permite uma dinâmica de
concorrência/competição que induz o surgimento de novas tecnologias/inovações que irão conduzir as
unidades comparadas a novos níveis de eficiência, criando um ciclo virtuoso de evolução e
desenvolvimento.

Categorias de Certificação
O PNCEG está dividido em três categorias de certificação, com metodologias de avaliação distintas:
i) Gestão Pública;
ii) Gestão Empresarial;
iii) e Ecoeficiência.

Metodologia para Gestão Pública


O Selo IEfi é atribuído a partir de um processo inteligente. Utilizando-se a plataforma de Gestão por
Eficiência é possível comparar o desempenho das unidades produtivas da seguinte forma: comparação
de uma unidade em um mesmo segmento, comparação de uma mesma unidade ao longo do tempo ou
comparação de unidades de um mesmo grupo.

Gestão Pública - prioriza-se a certificação de unidades que permitam a comparação entre elas, em
especial, atividades municipais e estaduais. A partir de bases de dados oficiais são elaborados modelos
de áreas e temas de interesses do País, comparando o desempenho entre municípios, entre estados da
federação ou entre unidades públicas de um mesmo segmento que possam ser comparadas. A
plataforma permite a elaboração do modelo de análise das áreas de interesse e estima o IEfi das
unidades analisadas. Posteriormente, são elaborados os ATLAS DA EFICIÊNCIA, por tema e unidades
analisados.

Os municípios ou unidades analisados são automaticamente certificados com o Selo IEfi 10.001 e
registrados no ATLAS DA EFICIÊNCIA. A documentação e registros são enviados às prefeituras ou
unidades que obtiveram o selo, para que possam dar publicidade além daquela propiciada pela

11
I3GS Atlas da Eficiência

Programa Nacional de Certificação em Eficiência na Gestão – PNCEG


divulgação do próprio atlas e meios de comunicação utilizados pelo I3GS. O Ciclo de avaliação nesta
categoria depende diretamente de cada tema analisado e da periodicidade da disponibilização dos
dados pelos órgãos oficiais.

Selo IEfi 10.000 é um conjunto de normas e práticas para certificação da Gestão por Eficiência. Para
conhecer mais detalhadamente acesse o Manual de Certificação Efi 10.000. O Selo IEfi 10.001 trata
exclusivamente da Gestão Pública.

Figura 1: Selo Efi 10.000 - Gestão por Eficiência

Fonte: Elaborado por I3GS (2018).

12
I3GS Atlas da Eficiência

Mapa com a estimativa da Eficiência da Gestão Judiciária dos estados brasileiros.

Fonte: Elaborado por I3GS (2018)

Abrangência Eficiente (Benchmark) Ineficiência Moderada

2 3
Tribunais Tribunais

Ineficiência Crítica Ineficiência Extrema

7 15
No Brasil há 27 Tribunais de Justiça Tribunais Tribunais
Estaduais e todos estão disponíveis no
atlas.

13
I3GS Atlas da Eficiência

TJ - Acre
Ranking
Acre tem uma população de 816.687 habitantes. Para atender esta população, há

22º 71 magistrados e 1.344 servidores. A despesa total (exceto gastos com inativos e
obras) foi de R$ 250.668.104,90, no ano de 2017. A taxa de congestionamento de
processos é de 60,9%, sendo que no período tramitaram 195.484 processos e
foram baixados 76.424 processos.
Do total de 27 Tribunais de
Justiça Estaduais, TJ - Acre
ocupa a 22º posição no
ranking de eficiência.

IEfi - Judiciário Localização/Referências

Ineficiência extrema

De acordo com a estimativa, baseada na


relação insumos/produtos do(s)
benchmark(s), essa unidade produz 43,9%
do que poderia produzir considerando os
insumos disponíveis. Fonte: Elaborado por I3GS (2018)

Redução de Insumos Aumento da Produção


Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo a sua produção Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo os insumos
atual, ele deve reduzir os insumos utilizados conforme os utilizados, ele deve aumentar a sua produção conforme os
ajustes indicados abaixo: ajustes indicados abaixo:

1. Despesa (Exceto gastos com inativos e obras) por Processo 1. Taxa de Fluídez (Processos Baixados/Tramitados) (%)
Tramitado (R$)
Valor atual Valor desejado Ajuste
Valor atual Valor desejado Ajuste
39,09 88,93 + 127,5%
1.282,29 563,63 - 56,1%
2. Número de Magistrados por 100 mil Processos Tramitados
(Magistrados)
Valor atual Valor desejado Ajuste
36 16 - 56,1%
3. Número de Servidores por 100 mil Processos Tramitados
(Servidores)
Valor atual Valor desejado Ajuste
688 205 - 70,2%
Obs: quando se tem um baixo nível de eficiência, é possível que os valores desejados para aumento da produção ultrapassem a
própria demanda. Neste caso, é fundamental considerar a necessidade de se reduzir insumos.

14
I3GS Atlas da Eficiência

TJ - Alagoas
Ranking
Alagoas tem uma população de 3.358.963 habitantes. Para atender esta

12º população, há 150 magistrados e 1.739 servidores. A despesa total (exceto gastos
com inativos e obras) foi de R$ 387.519.837,57, no ano de 2017. A taxa de
congestionamento de processos é de 76,9%, sendo que no período tramitaram
777.513 processos e foram baixados 179.796 processos.
Do total de 27 Tribunais de
Justiça Estaduais, TJ -
Alagoas ocupa a 12º posição
no ranking de eficiência.

IEfi - Judiciário Localização/Referências

Ineficiência crítica

De acordo com a estimativa, baseada na


relação insumos/produtos do(s)
benchmark(s), essa unidade produz 60,1%
do que poderia produzir considerando os
insumos disponíveis. Fonte: Elaborado por I3GS (2018)

Redução de Insumos Aumento da Produção


Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo a sua produção Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo os insumos
atual, ele deve reduzir os insumos utilizados conforme os utilizados, ele deve aumentar a sua produção conforme os
ajustes indicados abaixo: ajustes indicados abaixo:

1. Despesa (Exceto gastos com inativos e obras) por Processo 1. Taxa de Fluídez (Processos Baixados/Tramitados) (%)
Tramitado (R$)
Valor atual Valor desejado Ajuste
Valor atual Valor desejado Ajuste
23,12 38,44 + 66,3%
498,41 299,80 - 39,9%
2. Número de Magistrados por 100 mil Processos Tramitados
(Magistrados)
Valor atual Valor desejado Ajuste
19 11 - 39,8%
3. Número de Servidores por 100 mil Processos Tramitados
(Servidores)
Valor atual Valor desejado Ajuste
224 122 - 45,5%
Obs: quando se tem um baixo nível de eficiência, é possível que os valores desejados para aumento da produção ultrapassem a
própria demanda. Neste caso, é fundamental considerar a necessidade de se reduzir insumos.

15
I3GS Atlas da Eficiência

TJ - Amapá
Ranking
Amapá tem uma população de 782.295 habitantes. Para atender esta população,

27º há 78 magistrados e 1.245 servidores. A despesa total (exceto gastos com inativos
e obras) foi de R$ 359.306.912,97, no ano de 2017. A taxa de congestionamento
de processos é de 57,3%, sendo que no período tramitaram 181.485 processos e
foram baixados 77.465 processos.
Do total de 27 Tribunais de
Justiça Estaduais, TJ -
Amapá ocupa a 27º posição
no ranking de eficiência.

IEfi - Judiciário Localização/Referências

Ineficiência extrema

De acordo com a estimativa, baseada na


relação insumos/produtos do(s)
benchmark(s), essa unidade produz 34,9%
do que poderia produzir considerando os
insumos disponíveis. Fonte: Elaborado por I3GS (2018)

Redução de Insumos Aumento da Produção


Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo a sua produção Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo os insumos
atual, ele deve reduzir os insumos utilizados conforme os utilizados, ele deve aumentar a sua produção conforme os
ajustes indicados abaixo: ajustes indicados abaixo:

1. Despesa (Exceto gastos com inativos e obras) por Processo 1. Taxa de Fluídez (Processos Baixados/Tramitados) (%)
Tramitado (R$)
Valor atual Valor desejado Ajuste
Valor atual Valor desejado Ajuste
42,68 100,00 + 185,9%
1.979,82 651,63 - 67,1%
2. Número de Magistrados por 100 mil Processos Tramitados
(Magistrados)
Valor atual Valor desejado Ajuste
43 15 - 65,0%
3. Número de Servidores por 100 mil Processos Tramitados
(Servidores)
Valor atual Valor desejado Ajuste
686 224 - 67,4%
Obs: quando se tem um baixo nível de eficiência, é possível que os valores desejados para aumento da produção ultrapassem a
própria demanda. Neste caso, é fundamental considerar a necessidade de se reduzir insumos.

16
I3GS Atlas da Eficiência

TJ - Amazonas
Ranking
Amazonas tem uma população de 4.001.667 habitantes. Para atender esta

11º população, há 207 magistrados e 1.982 servidores. A despesa total (exceto gastos
com inativos e obras) foi de R$ 664.894.280,64, no ano de 2017. A taxa de
congestionamento de processos é de 80,4%, sendo que no período tramitaram
1.175.479 processos e foram baixados 230.073 processos.
Do total de 27 Tribunais de
Justiça Estaduais, TJ -
Amazonas ocupa a 11º
posição no ranking de
eficiência.

IEfi - Judiciário Localização/Referências

Ineficiência crítica

De acordo com a estimativa, baseada na


relação insumos/produtos do(s)
benchmark(s), essa unidade produz 60,6%
do que poderia produzir considerando os
insumos disponíveis. Fonte: Elaborado por I3GS (2018)

Redução de Insumos Aumento da Produção


Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo a sua produção Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo os insumos
atual, ele deve reduzir os insumos utilizados conforme os utilizados, ele deve aumentar a sua produção conforme os
ajustes indicados abaixo: ajustes indicados abaixo:

1. Despesa (Exceto gastos com inativos e obras) por Processo 1. Taxa de Fluídez (Processos Baixados/Tramitados) (%)
Tramitado (R$)
Valor atual Valor desejado Ajuste
Valor atual Valor desejado Ajuste
19,57 32,27 + 64,9%
565,64 298,79 - 47,2%
2. Número de Magistrados por 100 mil Processos Tramitados
(Magistrados)
Valor atual Valor desejado Ajuste
18 7 - 61,7%
3. Número de Servidores por 100 mil Processos Tramitados
(Servidores)
Valor atual Valor desejado Ajuste
169 102 - 39,4%
Obs: quando se tem um baixo nível de eficiência, é possível que os valores desejados para aumento da produção ultrapassem a
própria demanda. Neste caso, é fundamental considerar a necessidade de se reduzir insumos.

17
I3GS Atlas da Eficiência

TJ - Bahia
Ranking
Bahia tem uma população de 15.276.566 habitantes. Para atender esta população,

5º há 585 magistrados e 7.642 servidores. A despesa total (exceto gastos com


inativos e obras) foi de R$ 2.746.723.750,09, no ano de 2017. A taxa de
congestionamento de processos é de 70,4%, sendo que no período tramitaram
3.991.455 processos e foram baixados 1.180.051 processos.
Do total de 27 Tribunais de
Justiça Estaduais, TJ - Bahia
ocupa a 5º posição no
ranking de eficiência.

IEfi - Judiciário Localização/Referências

Ineficiência moderada

De acordo com a estimativa, baseada na


relação insumos/produtos do(s)
benchmark(s), essa unidade produz 81,0%
do que poderia produzir considerando os
insumos disponíveis. Fonte: Elaborado por I3GS (2018)

Redução de Insumos Aumento da Produção


Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo a sua produção Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo os insumos
atual, ele deve reduzir os insumos utilizados conforme os utilizados, ele deve aumentar a sua produção conforme os
ajustes indicados abaixo: ajustes indicados abaixo:

1. Despesa (Exceto gastos com inativos e obras) por Processo 1. Taxa de Fluídez (Processos Baixados/Tramitados) (%)
Tramitado (R$)
Valor atual Valor desejado Ajuste
Valor atual Valor desejado Ajuste
29,56 36,47 + 23,4%
688,15 451,32 - 34,4%
2. Número de Magistrados por 100 mil Processos Tramitados
(Magistrados)
Valor atual Valor desejado Ajuste
15 10 - 30,5%
3. Número de Servidores por 100 mil Processos Tramitados
(Servidores)
Valor atual Valor desejado Ajuste
191 155 - 19,0%
Obs: quando se tem um baixo nível de eficiência, é possível que os valores desejados para aumento da produção ultrapassem a
própria demanda. Neste caso, é fundamental considerar a necessidade de se reduzir insumos.

18
I3GS Atlas da Eficiência

TJ - Ceará
Ranking
Ceará tem uma população de 8.963.663 habitantes. Para atender esta população,

18º há 445 magistrados e 4.268 servidores. A despesa total (exceto gastos com
inativos e obras) foi de R$ 985.678.825,55, no ano de 2017. A taxa de
congestionamento de processos é de 75,2%, sendo que no período tramitaram
1.549.620 processos e foram baixados 383.877 processos.
Do total de 27 Tribunais de
Justiça Estaduais, TJ -
Ceará ocupa a 18º posição
no ranking de eficiência.

IEfi - Judiciário Localização/Referências

Ineficiência extrema

De acordo com a estimativa, baseada na


relação insumos/produtos do(s)
benchmark(s), essa unidade produz 49,8%
do que poderia produzir considerando os
insumos disponíveis. Fonte: Elaborado por I3GS (2018)

Redução de Insumos Aumento da Produção


Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo a sua produção Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo os insumos
atual, ele deve reduzir os insumos utilizados conforme os utilizados, ele deve aumentar a sua produção conforme os
ajustes indicados abaixo: ajustes indicados abaixo:

1. Despesa (Exceto gastos com inativos e obras) por Processo 1. Taxa de Fluídez (Processos Baixados/Tramitados) (%)
Tramitado (R$)
Valor atual Valor desejado Ajuste
Valor atual Valor desejado Ajuste
24,77 49,70 + 100,7%
636,08 317,02 - 50,2%
2. Número de Magistrados por 100 mil Processos Tramitados
(Magistrados)
Valor atual Valor desejado Ajuste
29 13 - 56,9%
3. Número de Servidores por 100 mil Processos Tramitados
(Servidores)
Valor atual Valor desejado Ajuste
275 131 - 52,4%
Obs: quando se tem um baixo nível de eficiência, é possível que os valores desejados para aumento da produção ultrapassem a
própria demanda. Neste caso, é fundamental considerar a necessidade de se reduzir insumos.

19
I3GS Atlas da Eficiência

TJ - Distrito Federal
Ranking
Distrito Federal tem uma população de 2.977.216 habitantes. Para atender esta

26º população, há 389 magistrados e 7.342 servidores. A despesa total (exceto gastos
com inativos e obras) foi de R$ 2.223.922.750,48, no ano de 2017. A taxa de
congestionamento de processos é de 60,3%, sendo que no período tramitaram
1.118.174 processos e foram baixados 443.636 processos.
Do total de 27 Tribunais de
Justiça Estaduais, TJ -
Distrito Federal ocupa a 26º
posição no ranking de
eficiência.

IEfi - Judiciário Localização/Referências

Ineficiência extrema

De acordo com a estimativa, baseada na


relação insumos/produtos do(s)
benchmark(s), essa unidade produz 39,9%
do que poderia produzir considerando os
insumos disponíveis. Fonte: Elaborado por I3GS (2018)

Redução de Insumos Aumento da Produção


Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo a sua produção Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo os insumos
atual, ele deve reduzir os insumos utilizados conforme os utilizados, ele deve aumentar a sua produção conforme os
ajustes indicados abaixo: ajustes indicados abaixo:

1. Despesa (Exceto gastos com inativos e obras) por Processo 1. Taxa de Fluídez (Processos Baixados/Tramitados) (%)
Tramitado (R$)
Valor atual Valor desejado Ajuste
Valor atual Valor desejado Ajuste
39,68 99,30 + 150,3%
1.988,89 605,83 - 69,5%
2. Número de Magistrados por 100 mil Processos Tramitados
(Magistrados)
Valor atual Valor desejado Ajuste
35 14 - 60,0%
3. Número de Servidores por 100 mil Processos Tramitados
(Servidores)
Valor atual Valor desejado Ajuste
657 208 - 68,4%
Obs: quando se tem um baixo nível de eficiência, é possível que os valores desejados para aumento da produção ultrapassem a
própria demanda. Neste caso, é fundamental considerar a necessidade de se reduzir insumos.

20
I3GS Atlas da Eficiência

TJ - Espírito Santo
Ranking
Espírito Santo tem uma população de 3.973.697 habitantes. Para atender esta

13º população, há 343 magistrados e 3.440 servidores. A despesa total (exceto gastos
com inativos e obras) foi de R$ 1.012.348.684,03, no ano de 2017. A taxa de
congestionamento de processos é de 70,7%, sendo que no período tramitaram
1.326.148 processos e foram baixados 388.357 processos.
Do total de 27 Tribunais de
Justiça Estaduais, TJ -
Espírito Santo ocupa a 13º
posição no ranking de
eficiência.

IEfi - Judiciário Localização/Referências

Ineficiência extrema

De acordo com a estimativa, baseada na


relação insumos/produtos do(s)
benchmark(s), essa unidade produz 59,2%
do que poderia produzir considerando os
insumos disponíveis. Fonte: Elaborado por I3GS (2018)

Redução de Insumos Aumento da Produção


Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo a sua produção Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo os insumos
atual, ele deve reduzir os insumos utilizados conforme os utilizados, ele deve aumentar a sua produção conforme os
ajustes indicados abaixo: ajustes indicados abaixo:

1. Despesa (Exceto gastos com inativos e obras) por Processo 1. Taxa de Fluídez (Processos Baixados/Tramitados) (%)
Tramitado (R$)
Valor atual Valor desejado Ajuste
Valor atual Valor desejado Ajuste
29,28 49,46 + 68,9%
763,38 447,04 - 41,4%
2. Número de Magistrados por 100 mil Processos Tramitados
(Magistrados)
Valor atual Valor desejado Ajuste
26 10 - 60,3%
3. Número de Servidores por 100 mil Processos Tramitados
(Servidores)
Valor atual Valor desejado Ajuste
259 153 - 40,8%
Obs: quando se tem um baixo nível de eficiência, é possível que os valores desejados para aumento da produção ultrapassem a
própria demanda. Neste caso, é fundamental considerar a necessidade de se reduzir insumos.

21
I3GS Atlas da Eficiência

TJ - Goiás
Ranking
Goiás tem uma população de 6.695.855 habitantes. Para atender esta população,

9º há 419 magistrados e 5.577 servidores. A despesa total (exceto gastos com


inativos e obras) foi de R$ 1.295.750.917,27, no ano de 2017. A taxa de
congestionamento de processos é de 72,4%, sendo que no período tramitaram
2.318.803 processos e foram baixados 640.016 processos.
Do total de 27 Tribunais de
Justiça Estaduais, TJ - Goiás
ocupa a 9º posição no
ranking de eficiência.

IEfi - Judiciário Localização/Referências

Ineficiência crítica

De acordo com a estimativa, baseada na


relação insumos/produtos do(s)
benchmark(s), essa unidade produz 68,0%
do que poderia produzir considerando os
insumos disponíveis. Fonte: Elaborado por I3GS (2018)

Redução de Insumos Aumento da Produção


Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo a sua produção Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo os insumos
atual, ele deve reduzir os insumos utilizados conforme os utilizados, ele deve aumentar a sua produção conforme os
ajustes indicados abaixo: ajustes indicados abaixo:

1. Despesa (Exceto gastos com inativos e obras) por Processo 1. Taxa de Fluídez (Processos Baixados/Tramitados) (%)
Tramitado (R$)
Valor atual Valor desejado Ajuste
Valor atual Valor desejado Ajuste
27,60 40,54 + 46,9%
558,80 380,42 - 31,9%
2. Número de Magistrados por 100 mil Processos Tramitados
(Magistrados)
Valor atual Valor desejado Ajuste
18 12 - 31,9%
3. Número de Servidores por 100 mil Processos Tramitados
(Servidores)
Valor atual Valor desejado Ajuste
241 145 - 39,7%
Obs: quando se tem um baixo nível de eficiência, é possível que os valores desejados para aumento da produção ultrapassem a
própria demanda. Neste caso, é fundamental considerar a necessidade de se reduzir insumos.

22
I3GS Atlas da Eficiência

TJ - Maranhão
Ranking
Maranhão tem uma população de 6.954.036 habitantes. Para atender esta

14º população, há 328 magistrados e 4.498 servidores. A despesa total (exceto gastos
com inativos e obras) foi de R$ 1.304.220.640,42, no ano de 2017. A taxa de
congestionamento de processos é de 69,3%, sendo que no período tramitaram
1.646.438 processos e foram baixados 505.003 processos.
Do total de 27 Tribunais de
Justiça Estaduais, TJ -
Maranhão ocupa a 14º
posição no ranking de
eficiência.

IEfi - Judiciário Localização/Referências

Ineficiência extrema

De acordo com a estimativa, baseada na


relação insumos/produtos do(s)
benchmark(s), essa unidade produz 58,8%
do que poderia produzir considerando os
insumos disponíveis. Fonte: Elaborado por I3GS (2018)

Redução de Insumos Aumento da Produção


Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo a sua produção Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo os insumos
atual, ele deve reduzir os insumos utilizados conforme os utilizados, ele deve aumentar a sua produção conforme os
ajustes indicados abaixo: ajustes indicados abaixo:

1. Despesa (Exceto gastos com inativos e obras) por Processo 1. Taxa de Fluídez (Processos Baixados/Tramitados) (%)
Tramitado (R$)
Valor atual Valor desejado Ajuste
Valor atual Valor desejado Ajuste
30,67 52,12 + 69,9%
792,15 466,14 - 41,2%
2. Número de Magistrados por 100 mil Processos Tramitados
(Magistrados)
Valor atual Valor desejado Ajuste
20 11 - 45,3%
3. Número de Servidores por 100 mil Processos Tramitados
(Servidores)
Valor atual Valor desejado Ajuste
273 161 - 41,2%
Obs: quando se tem um baixo nível de eficiência, é possível que os valores desejados para aumento da produção ultrapassem a
própria demanda. Neste caso, é fundamental considerar a necessidade de se reduzir insumos.

23
I3GS Atlas da Eficiência

TJ - Mato Grosso
Ranking
Mato Grosso tem uma população de 3.305.531 habitantes. Para atender esta

10º população, há 290 magistrados e 4.681 servidores. A despesa total (exceto gastos
com inativos e obras) foi de R$ 1.222.996.138,56, no ano de 2017. A taxa de
congestionamento de processos é de 66,1%, sendo que no período tramitaram
1.551.585 processos e foram baixados 525.558 processos.
Do total de 27 Tribunais de
Justiça Estaduais, TJ - Mato
Grosso ocupa a 10º posição
no ranking de eficiência.

IEfi - Judiciário Localização/Referências

Ineficiência crítica

De acordo com a estimativa, baseada na


relação insumos/produtos do(s)
benchmark(s), essa unidade produz 64,8%
do que poderia produzir considerando os
insumos disponíveis. Fonte: Elaborado por I3GS (2018)

Redução de Insumos Aumento da Produção


Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo a sua produção Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo os insumos
atual, ele deve reduzir os insumos utilizados conforme os utilizados, ele deve aumentar a sua produção conforme os
ajustes indicados abaixo: ajustes indicados abaixo:

1. Despesa (Exceto gastos com inativos e obras) por Processo 1. Taxa de Fluídez (Processos Baixados/Tramitados) (%)
Tramitado (R$)
Valor atual Valor desejado Ajuste
Valor atual Valor desejado Ajuste
33,87 52,25 + 54,3%
788,22 510,98 - 35,2%
2. Número de Magistrados por 100 mil Processos Tramitados
(Magistrados)
Valor atual Valor desejado Ajuste
19 12 - 35,2%
3. Número de Servidores por 100 mil Processos Tramitados
(Servidores)
Valor atual Valor desejado Ajuste
302 177 - 41,2%
Obs: quando se tem um baixo nível de eficiência, é possível que os valores desejados para aumento da produção ultrapassem a
própria demanda. Neste caso, é fundamental considerar a necessidade de se reduzir insumos.

24
I3GS Atlas da Eficiência

TJ - Mato Grosso do Sul


Ranking
Mato Grosso do Sul tem uma população de 2.682.386 habitantes. Para atender

16º esta população, há 215 magistrados e 3.450 servidores. A despesa total (exceto
gastos com inativos e obras) foi de R$ 977.398.023,99, no ano de 2017. A taxa de
congestionamento de processos é de 73,5%, sendo que no período tramitaram
1.211.739 processos e foram baixados 321.760 processos.
Do total de 27 Tribunais de
Justiça Estaduais, TJ - Mato
Grosso do Sul ocupa a 16º
posição no ranking de
eficiência.

IEfi - Judiciário Localização/Referências

Ineficiência extrema

De acordo com a estimativa, baseada na


relação insumos/produtos do(s)
benchmark(s), essa unidade produz 51,9%
do que poderia produzir considerando os
insumos disponíveis. Fonte: Elaborado por I3GS (2018)

Redução de Insumos Aumento da Produção


Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo a sua produção Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo os insumos
atual, ele deve reduzir os insumos utilizados conforme os utilizados, ele deve aumentar a sua produção conforme os
ajustes indicados abaixo: ajustes indicados abaixo:

1. Despesa (Exceto gastos com inativos e obras) por Processo 1. Taxa de Fluídez (Processos Baixados/Tramitados) (%)
Tramitado (R$)
Valor atual Valor desejado Ajuste
Valor atual Valor desejado Ajuste
26,55 51,07 + 92,4%
806,61 405,36 - 49,8%
2. Número de Magistrados por 100 mil Processos Tramitados
(Magistrados)
Valor atual Valor desejado Ajuste
18 9 - 48,0%
3. Número de Servidores por 100 mil Processos Tramitados
(Servidores)
Valor atual Valor desejado Ajuste
285 139 - 51,2%
Obs: quando se tem um baixo nível de eficiência, é possível que os valores desejados para aumento da produção ultrapassem a
própria demanda. Neste caso, é fundamental considerar a necessidade de se reduzir insumos.

25
I3GS Atlas da Eficiência

TJ - Minas Gerais
Ranking
Minas Gerais tem uma população de 20.997.560 habitantes. Para atender esta

7º população, há 1.040 magistrados e 15.443 servidores. A despesa total (exceto


gastos com inativos e obras) foi de R$ 3.764.120.107,64, no ano de 2017. A taxa
de congestionamento de processos é de 69,0%, sendo que no período tramitaram
5.984.223 processos e foram baixados 1.853.772 processos.
Do total de 27 Tribunais de
Justiça Estaduais, TJ -
Minas Gerais ocupa a 7º
posição no ranking de
eficiência.

IEfi - Judiciário Localização/Referências

Ineficiência crítica

De acordo com a estimativa, baseada na


relação insumos/produtos do(s)
benchmark(s), essa unidade produz 71,8%
do que poderia produzir considerando os
insumos disponíveis. Fonte: Elaborado por I3GS (2018)

Redução de Insumos Aumento da Produção


Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo a sua produção Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo os insumos
atual, ele deve reduzir os insumos utilizados conforme os utilizados, ele deve aumentar a sua produção conforme os
ajustes indicados abaixo: ajustes indicados abaixo:

1. Despesa (Exceto gastos com inativos e obras) por Processo 1. Taxa de Fluídez (Processos Baixados/Tramitados) (%)
Tramitado (R$)
Valor atual Valor desejado Ajuste
Valor atual Valor desejado Ajuste
30,98 43,11 + 39,2%
629,01 451,98 - 28,1%
2. Número de Magistrados por 100 mil Processos Tramitados
(Magistrados)
Valor atual Valor desejado Ajuste
17 12 - 28,1%
3. Número de Servidores por 100 mil Processos Tramitados
(Servidores)
Valor atual Valor desejado Ajuste
258 163 - 37,0%
Obs: quando se tem um baixo nível de eficiência, é possível que os valores desejados para aumento da produção ultrapassem a
própria demanda. Neste caso, é fundamental considerar a necessidade de se reduzir insumos.

26
I3GS Atlas da Eficiência

TJ - Pará
Ranking
Pará tem uma população de 8.263.872 habitantes. Para atender esta população,

25º há 344 magistrados e 4.702 servidores. A despesa total (exceto gastos com
inativos e obras) foi de R$ 1.037.005.070,78, no ano de 2017. A taxa de
congestionamento de processos é de 77,5%, sendo que no período tramitaram
1.368.598 processos e foram baixados 308.208 processos.
Do total de 27 Tribunais de
Justiça Estaduais, TJ - Pará
ocupa a 25º posição no
ranking de eficiência.

IEfi - Judiciário Localização/Referências

Ineficiência extrema

De acordo com a estimativa, baseada na


relação insumos/produtos do(s)
benchmark(s), essa unidade produz 40,6%
do que poderia produzir considerando os
insumos disponíveis. Fonte: Elaborado por I3GS (2018)

Redução de Insumos Aumento da Produção


Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo a sua produção Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo os insumos
atual, ele deve reduzir os insumos utilizados conforme os utilizados, ele deve aumentar a sua produção conforme os
ajustes indicados abaixo: ajustes indicados abaixo:

1. Despesa (Exceto gastos com inativos e obras) por Processo 1. Taxa de Fluídez (Processos Baixados/Tramitados) (%)
Tramitado (R$)
Valor atual Valor desejado Ajuste
Valor atual Valor desejado Ajuste
22,52 55,43 + 146,1%
757,71 307,84 - 59,4%
2. Número de Magistrados por 100 mil Processos Tramitados
(Magistrados)
Valor atual Valor desejado Ajuste
25 10 - 59,4%
3. Número de Servidores por 100 mil Processos Tramitados
(Servidores)
Valor atual Valor desejado Ajuste
344 119 - 65,5%
Obs: quando se tem um baixo nível de eficiência, é possível que os valores desejados para aumento da produção ultrapassem a
própria demanda. Neste caso, é fundamental considerar a necessidade de se reduzir insumos.

27
I3GS Atlas da Eficiência

TJ - Paraíba
Ranking
Paraíba tem uma população de 3.999.415 habitantes. Para atender esta

23º população, há 277 magistrados e 4.014 servidores. A despesa total (exceto gastos
com inativos e obras) foi de R$ 863.954.072,30, no ano de 2017. A taxa de
congestionamento de processos é de 71,3%, sendo que no período tramitaram
882.707 processos e foram baixados 253.813 processos.
Do total de 27 Tribunais de
Justiça Estaduais, TJ -
Paraíba ocupa a 23º posição
no ranking de eficiência.

IEfi - Judiciário Localização/Referências

Ineficiência extrema

De acordo com a estimativa, baseada na


relação insumos/produtos do(s)
benchmark(s), essa unidade produz 40,7%
do que poderia produzir considerando os
insumos disponíveis. Fonte: Elaborado por I3GS (2018)

Redução de Insumos Aumento da Produção


Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo a sua produção Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo os insumos
atual, ele deve reduzir os insumos utilizados conforme os utilizados, ele deve aumentar a sua produção conforme os
ajustes indicados abaixo: ajustes indicados abaixo:

1. Despesa (Exceto gastos com inativos e obras) por Processo 1. Taxa de Fluídez (Processos Baixados/Tramitados) (%)
Tramitado (R$)
Valor atual Valor desejado Ajuste
Valor atual Valor desejado Ajuste
28,75 70,60 + 145,6%
978,76 398,56 - 59,3%
2. Número de Magistrados por 100 mil Processos Tramitados
(Magistrados)
Valor atual Valor desejado Ajuste
31 13 - 59,3%
3. Número de Servidores por 100 mil Processos Tramitados
(Servidores)
Valor atual Valor desejado Ajuste
455 151 - 66,8%
Obs: quando se tem um baixo nível de eficiência, é possível que os valores desejados para aumento da produção ultrapassem a
própria demanda. Neste caso, é fundamental considerar a necessidade de se reduzir insumos.

28
I3GS Atlas da Eficiência

TJ - Paraná
Ranking
Paraná tem uma população de 11.242.720 habitantes. Para atender esta

3º população, há 902 magistrados e 8.103 servidores. A despesa total (exceto gastos


com inativos e obras) foi de R$ 2.327.469.749,87, no ano de 2017. A taxa de
congestionamento de processos é de 67,1%, sendo que no período tramitaram
4.279.928 processos e foram baixados 1.407.579 processos.
Do total de 27 Tribunais de
Justiça Estaduais, TJ -
Paraná ocupa a 3º posição
no ranking de eficiência.

IEfi - Judiciário Localização/Referências

Ineficiência moderada

De acordo com a estimativa, baseada na


relação insumos/produtos do(s)
benchmark(s), essa unidade produz 91,1%
do que poderia produzir considerando os
insumos disponíveis. Fonte: Elaborado por I3GS (2018)

Redução de Insumos Aumento da Produção


Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo a sua produção Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo os insumos
atual, ele deve reduzir os insumos utilizados conforme os utilizados, ele deve aumentar a sua produção conforme os
ajustes indicados abaixo: ajustes indicados abaixo:

1. Despesa (Exceto gastos com inativos e obras) por Processo 1. Taxa de Fluídez (Processos Baixados/Tramitados) (%)
Tramitado (R$)
Valor atual Valor desejado Ajuste
Valor atual Valor desejado Ajuste
32,89 36,07 + 9,7%
543,81 495,90 - 8,8%
2. Número de Magistrados por 100 mil Processos Tramitados
(Magistrados)
Valor atual Valor desejado Ajuste
21 12 - 43,0%
3. Número de Servidores por 100 mil Processos Tramitados
(Servidores)
Valor atual Valor desejado Ajuste
189 172 - 8,8%
Obs: quando se tem um baixo nível de eficiência, é possível que os valores desejados para aumento da produção ultrapassem a
própria demanda. Neste caso, é fundamental considerar a necessidade de se reduzir insumos.

29
I3GS Atlas da Eficiência

TJ - Pernambuco
Ranking
Pernambuco tem uma população de 9.410.336 habitantes. Para atender esta

15º população, há 540 magistrados e 7.752 servidores. A despesa total (exceto gastos
com inativos e obras) foi de R$ 1.530.164.729,47, no ano de 2017. A taxa de
congestionamento de processos é de 76,9%, sendo que no período tramitaram
2.619.620 processos e foram baixados 604.967 processos.
Do total de 27 Tribunais de
Justiça Estaduais, TJ -
Pernambuco ocupa a 15º
posição no ranking de
eficiência.

IEfi - Judiciário Localização/Referências

Ineficiência extrema

De acordo com a estimativa, baseada na


relação insumos/produtos do(s)
benchmark(s), essa unidade produz 52,3%
do que poderia produzir considerando os
insumos disponíveis. Fonte: Elaborado por I3GS (2018)

Redução de Insumos Aumento da Produção


Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo a sua produção Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo os insumos
atual, ele deve reduzir os insumos utilizados conforme os utilizados, ele deve aumentar a sua produção conforme os
ajustes indicados abaixo: ajustes indicados abaixo:

1. Despesa (Exceto gastos com inativos e obras) por Processo 1. Taxa de Fluídez (Processos Baixados/Tramitados) (%)
Tramitado (R$)
Valor atual Valor desejado Ajuste
Valor atual Valor desejado Ajuste
23,09 44,07 + 90,9%
584,12 306,06 - 47,6%
2. Número de Magistrados por 100 mil Processos Tramitados
(Magistrados)
Valor atual Valor desejado Ajuste
21 11 - 47,6%
3. Número de Servidores por 100 mil Processos Tramitados
(Servidores)
Valor atual Valor desejado Ajuste
296 122 - 58,9%
Obs: quando se tem um baixo nível de eficiência, é possível que os valores desejados para aumento da produção ultrapassem a
própria demanda. Neste caso, é fundamental considerar a necessidade de se reduzir insumos.

30
I3GS Atlas da Eficiência

TJ - Piauí
Ranking
Piauí tem uma população de 3.212.180 habitantes. Para atender esta população,

20º há 179 magistrados e 2.255 servidores. A despesa total (exceto gastos com
inativos e obras) foi de R$ 585.997.896,35, no ano de 2017. A taxa de
congestionamento de processos é de 74,4%, sendo que no período tramitaram
719.000 processos e foram baixados 184.453 processos.
Do total de 27 Tribunais de
Justiça Estaduais, TJ - Piauí
ocupa a 20º posição no
ranking de eficiência.

IEfi - Judiciário Localização/Referências

Ineficiência extrema

De acordo com a estimativa, baseada na


relação insumos/produtos do(s)
benchmark(s), essa unidade produz 44,1%
do que poderia produzir considerando os
insumos disponíveis. Fonte: Elaborado por I3GS (2018)

Redução de Insumos Aumento da Produção


Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo a sua produção Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo os insumos
atual, ele deve reduzir os insumos utilizados conforme os utilizados, ele deve aumentar a sua produção conforme os
ajustes indicados abaixo: ajustes indicados abaixo:

1. Despesa (Exceto gastos com inativos e obras) por Processo 1. Taxa de Fluídez (Processos Baixados/Tramitados) (%)
Tramitado (R$)
Valor atual Valor desejado Ajuste
Valor atual Valor desejado Ajuste
25,65 58,16 + 126,7%
815,02 359,43 - 55,9%
2. Número de Magistrados por 100 mil Processos Tramitados
(Magistrados)
Valor atual Valor desejado Ajuste
25 11 - 55,9%
3. Número de Servidores por 100 mil Processos Tramitados
(Servidores)
Valor atual Valor desejado Ajuste
314 135 - 57,0%
Obs: quando se tem um baixo nível de eficiência, é possível que os valores desejados para aumento da produção ultrapassem a
própria demanda. Neste caso, é fundamental considerar a necessidade de se reduzir insumos.

31
I3GS Atlas da Eficiência

TJ - Rio de Janeiro
Rio de Janeiro tem uma população de 16.635.996 habitantes. Para atender esta
população, há 901 magistrados e 14.295 servidores. A despesa total (exceto
gastos com inativos e obras) foi de R$ 4.176.807.182,88, no ano de 2017. A taxa
de congestionamento de processos é de 80,1%, sendo que no período tramitaram
13.775.053 processos e foram baixados 2.736.410 processos.
Confere-se ao TJ - Rio de
Janeiro o Selo IEfi -
Judiciário considerando seu
desempenho na Gestão
Judiciária.

IEfi - Judiciário Localização/Referências

Eficiente (benchmark)

De acordo com a estimativa, essa unidade


consegue maximizar sua produção levando
em consideração os recursos disponíveis.

Fonte: Elaborado por I3GS (2018)

Redução de Insumos Aumento da Produção


Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo a sua produção Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo os insumos
atual, ele deve reduzir os insumos utilizados conforme os utilizados, ele deve aumentar a sua produção conforme os
ajustes indicados abaixo: ajustes indicados abaixo:

1. Despesa (Exceto gastos com inativos e obras) por Processo 1. Taxa de Fluídez (Processos Baixados/Tramitados) (%)
Tramitado (R$)
Valor atual Valor desejado Ajuste
Valor atual Valor desejado Ajuste
19,86 19,86 0,0%
303,22 303,22 0,0%
2. Número de Magistrados por 100 mil Processos Tramitados
(Magistrados)
Valor atual Valor desejado Ajuste
7 7 0,0%
3. Número de Servidores por 100 mil Processos Tramitados
(Servidores)
Valor atual Valor desejado Ajuste
104 104 0,0%
Obs: quando se tem um baixo nível de eficiência, é possível que os valores desejados para aumento da produção ultrapassem a
própria demanda. Neste caso, é fundamental considerar a necessidade de se reduzir insumos.

32
I3GS Atlas da Eficiência

TJ - Rio Grande do Norte


Ranking
Rio Grande do Norte tem uma população de 3.474.998 habitantes. Para atender

17º esta população, há 247 magistrados e 3.016 servidores. A despesa total (exceto
gastos com inativos e obras) foi de R$ 1.114.124.061,30, no ano de 2017. A taxa
de congestionamento de processos é de 62,9%, sendo que no período tramitaram
782.945 processos e foram baixados 290.159 processos.
Do total de 27 Tribunais de
Justiça Estaduais, TJ - Rio
Grande do Norte ocupa a
17º posição no ranking de
eficiência.

IEfi - Judiciário Localização/Referências

Ineficiência extrema

De acordo com a estimativa, baseada na


relação insumos/produtos do(s)
benchmark(s), essa unidade produz 50,4%
do que poderia produzir considerando os
insumos disponíveis. Fonte: Elaborado por I3GS (2018)

Redução de Insumos Aumento da Produção


Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo a sua produção Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo os insumos
atual, ele deve reduzir os insumos utilizados conforme os utilizados, ele deve aumentar a sua produção conforme os
ajustes indicados abaixo: ajustes indicados abaixo:

1. Despesa (Exceto gastos com inativos e obras) por Processo 1. Taxa de Fluídez (Processos Baixados/Tramitados) (%)
Tramitado (R$)
Valor atual Valor desejado Ajuste
Valor atual Valor desejado Ajuste
37,06 73,52 + 98,4%
1.422,99 565,83 - 60,2%
2. Número de Magistrados por 100 mil Processos Tramitados
(Magistrados)
Valor atual Valor desejado Ajuste
32 13 - 59,2%
3. Número de Servidores por 100 mil Processos Tramitados
(Servidores)
Valor atual Valor desejado Ajuste
385 194 - 49,6%
Obs: quando se tem um baixo nível de eficiência, é possível que os valores desejados para aumento da produção ultrapassem a
própria demanda. Neste caso, é fundamental considerar a necessidade de se reduzir insumos.

33
I3GS Atlas da Eficiência

TJ - Rio Grande do Sul


Rio Grande do Sul tem uma população de 11.286.500 habitantes. Para atender
esta população, há 813 magistrados e 8.302 servidores. A despesa total (exceto
gastos com inativos e obras) foi de R$ 2.008.883.440,62, no ano de 2017. A taxa
de congestionamento de processos é de 70,3%, sendo que no período tramitaram
5.281.336 processos e foram baixados 1.569.442 processos.
Confere-se ao TJ - Rio
Grande do Sul o Selo IEfi -
Judiciário considerando seu
desempenho na Gestão
Judiciária.

IEfi - Judiciário Localização/Referências

Eficiente (benchmark)

De acordo com a estimativa, essa unidade


consegue maximizar sua produção levando
em consideração os recursos disponíveis.

Fonte: Elaborado por I3GS (2018)

Redução de Insumos Aumento da Produção


Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo a sua produção Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo os insumos
atual, ele deve reduzir os insumos utilizados conforme os utilizados, ele deve aumentar a sua produção conforme os
ajustes indicados abaixo: ajustes indicados abaixo:

1. Despesa (Exceto gastos com inativos e obras) por Processo 1. Taxa de Fluídez (Processos Baixados/Tramitados) (%)
Tramitado (R$)
Valor atual Valor desejado Ajuste
Valor atual Valor desejado Ajuste
29,72 29,72 0,0%
380,37 380,37 0,0%
2. Número de Magistrados por 100 mil Processos Tramitados
(Magistrados)
Valor atual Valor desejado Ajuste
15 15 0,0%
3. Número de Servidores por 100 mil Processos Tramitados
(Servidores)
Valor atual Valor desejado Ajuste
157 157 0,0%
Obs: quando se tem um baixo nível de eficiência, é possível que os valores desejados para aumento da produção ultrapassem a
própria demanda. Neste caso, é fundamental considerar a necessidade de se reduzir insumos.

34
I3GS Atlas da Eficiência

TJ - Rondônia
Ranking
Rondônia tem uma população de 1.787.279 habitantes. Para atender esta

19º população, há 176 magistrados e 3.008 servidores. A despesa total (exceto gastos
com inativos e obras) foi de R$ 583.781.860,57, no ano de 2017. A taxa de
congestionamento de processos é de 65,0%, sendo que no período tramitaram
533.257 processos e foram baixados 186.926 processos.
Do total de 27 Tribunais de
Justiça Estaduais, TJ -
Rondônia ocupa a 19º
posição no ranking de
eficiência.

IEfi - Judiciário Localização/Referências

Ineficiência extrema

De acordo com a estimativa, baseada na


relação insumos/produtos do(s)
benchmark(s), essa unidade produz 45,1%
do que poderia produzir considerando os
insumos disponíveis. Fonte: Elaborado por I3GS (2018)

Redução de Insumos Aumento da Produção


Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo a sua produção Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo os insumos
atual, ele deve reduzir os insumos utilizados conforme os utilizados, ele deve aumentar a sua produção conforme os
ajustes indicados abaixo: ajustes indicados abaixo:

1. Despesa (Exceto gastos com inativos e obras) por Processo 1. Taxa de Fluídez (Processos Baixados/Tramitados) (%)
Tramitado (R$)
Valor atual Valor desejado Ajuste
Valor atual Valor desejado Ajuste
35,05 77,68 + 121,6%
1.094,75 493,99 - 54,9%
2. Número de Magistrados por 100 mil Processos Tramitados
(Magistrados)
Valor atual Valor desejado Ajuste
33 15 - 54,9%
3. Número de Servidores por 100 mil Processos Tramitados
(Servidores)
Valor atual Valor desejado Ajuste
564 184 - 67,3%
Obs: quando se tem um baixo nível de eficiência, é possível que os valores desejados para aumento da produção ultrapassem a
própria demanda. Neste caso, é fundamental considerar a necessidade de se reduzir insumos.

35
I3GS Atlas da Eficiência

TJ - Roraima
Ranking
Roraima tem uma população de 514.229 habitantes. Para atender esta população,

23º há 53 magistrados e 875 servidores. A despesa total (exceto gastos com inativos e
obras) foi de R$ 211.940.875,25, no ano de 2017. A taxa de congestionamento de
processos é de 50,6%, sendo que no período tramitaram 116.952 processos e
foram baixados 57.734 processos.
Do total de 27 Tribunais de
Justiça Estaduais, TJ -
Roraima ocupa a 23º
posição no ranking de
eficiência.

IEfi - Judiciário Localização/Referências

Ineficiência extrema

De acordo com a estimativa, baseada na


relação insumos/produtos do(s)
benchmark(s), essa unidade produz 40,7%
do que poderia produzir considerando os
insumos disponíveis. Fonte: Elaborado por I3GS (2018)

Redução de Insumos Aumento da Produção


Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo a sua produção Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo os insumos
atual, ele deve reduzir os insumos utilizados conforme os utilizados, ele deve aumentar a sua produção conforme os
ajustes indicados abaixo: ajustes indicados abaixo:

1. Despesa (Exceto gastos com inativos e obras) por Processo 1. Taxa de Fluídez (Processos Baixados/Tramitados) (%)
Tramitado (R$)
Valor atual Valor desejado Ajuste
Valor atual Valor desejado Ajuste
49,37 100,00 + 102,6%
1.812,20 738,56 - 59,3%
2. Número de Magistrados por 100 mil Processos Tramitados
(Magistrados)
Valor atual Valor desejado Ajuste
45 18 - 59,2%
3. Número de Servidores por 100 mil Processos Tramitados
(Servidores)
Valor atual Valor desejado Ajuste
748 259 - 65,4%
Obs: quando se tem um baixo nível de eficiência, é possível que os valores desejados para aumento da produção ultrapassem a
própria demanda. Neste caso, é fundamental considerar a necessidade de se reduzir insumos.

36
I3GS Atlas da Eficiência

TJ - Santa Catarina
Ranking
Santa Catarina tem uma população de 6.910.553 habitantes. Para atender esta

8º população, há 493 magistrados e 6.537 servidores. A despesa total (exceto gastos


com inativos e obras) foi de R$ 1.887.906.225,03, no ano de 2017. A taxa de
congestionamento de processos é de 78,8%, sendo que no período tramitaram
4.122.066 processos e foram baixados 874.516 processos.
Do total de 27 Tribunais de
Justiça Estaduais, TJ - Santa
Catarina ocupa a 8º posição
no ranking de eficiência.

IEfi - Judiciário Localização/Referências

Ineficiência crítica

De acordo com a estimativa, baseada na


relação insumos/produtos do(s)
benchmark(s), essa unidade produz 69,9%
do que poderia produzir considerando os
insumos disponíveis. Fonte: Elaborado por I3GS (2018)

Redução de Insumos Aumento da Produção


Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo a sua produção Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo os insumos
atual, ele deve reduzir os insumos utilizados conforme os utilizados, ele deve aumentar a sua produção conforme os
ajustes indicados abaixo: ajustes indicados abaixo:

1. Despesa (Exceto gastos com inativos e obras) por Processo 1. Taxa de Fluídez (Processos Baixados/Tramitados) (%)
Tramitado (R$)
Valor atual Valor desejado Ajuste
Valor atual Valor desejado Ajuste
21,22 30,34 + 43,0%
458,00 320,29 - 30,1%
2. Número de Magistrados por 100 mil Processos Tramitados
(Magistrados)
Valor atual Valor desejado Ajuste
12 8 - 35,8%
3. Número de Servidores por 100 mil Processos Tramitados
(Servidores)
Valor atual Valor desejado Ajuste
159 111 - 30,1%
Obs: quando se tem um baixo nível de eficiência, é possível que os valores desejados para aumento da produção ultrapassem a
própria demanda. Neste caso, é fundamental considerar a necessidade de se reduzir insumos.

37
I3GS Atlas da Eficiência

TJ - São Paulo
Ranking
São Paulo tem uma população de 44.749.699 habitantes. Para atender esta

4º população, há 2.651 magistrados e 43.812 servidores. A despesa total (exceto


gastos com inativos e obras) foi de R$ 10.622.778.186,54, no ano de 2017. A taxa
de congestionamento de processos é de 77,6%, sendo que no período tramitaram
26.545.317 processos e foram baixados 5.953.352 processos.
Do total de 27 Tribunais de
Justiça Estaduais, TJ - São
Paulo ocupa a 4º posição no
ranking de eficiência.

IEfi - Judiciário Localização/Referências

Ineficiência moderada

De acordo com a estimativa, baseada na


relação insumos/produtos do(s)
benchmark(s), essa unidade produz 83,6%
do que poderia produzir considerando os
insumos disponíveis. Fonte: Elaborado por I3GS (2018)

Redução de Insumos Aumento da Produção


Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo a sua produção Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo os insumos
atual, ele deve reduzir os insumos utilizados conforme os utilizados, ele deve aumentar a sua produção conforme os
ajustes indicados abaixo: ajustes indicados abaixo:

1. Despesa (Exceto gastos com inativos e obras) por Processo 1. Taxa de Fluídez (Processos Baixados/Tramitados) (%)
Tramitado (R$)
Valor atual Valor desejado Ajuste
Valor atual Valor desejado Ajuste
22,43 26,80 + 19,5%
400,18 334,94 - 16,3%
2. Número de Magistrados por 100 mil Processos Tramitados
(Magistrados)
Valor atual Valor desejado Ajuste
10 8 - 16,3%
3. Número de Servidores por 100 mil Processos Tramitados
(Servidores)
Valor atual Valor desejado Ajuste
165 118 - 28,7%
Obs: quando se tem um baixo nível de eficiência, é possível que os valores desejados para aumento da produção ultrapassem a
própria demanda. Neste caso, é fundamental considerar a necessidade de se reduzir insumos.

38
I3GS Atlas da Eficiência

TJ - Sergipe
Ranking
Sergipe tem uma população de 2.265.779 habitantes. Para atender esta população,

6º há 152 magistrados e 2.981 servidores. A despesa total (exceto gastos com


inativos e obras) foi de R$ 538.701.346,54, no ano de 2017. A taxa de
congestionamento de processos é de 54,7%, sendo que no período tramitaram
649.879 processos e foram baixados 294.326 processos.
Do total de 27 Tribunais de
Justiça Estaduais, TJ -
Sergipe ocupa a 6º posição
no ranking de eficiência.

IEfi - Judiciário Localização/Referências

Ineficiência crítica

De acordo com a estimativa, baseada na


relação insumos/produtos do(s)
benchmark(s), essa unidade produz 79,0%
do que poderia produzir considerando os
insumos disponíveis. Fonte: Elaborado por I3GS (2018)

Redução de Insumos Aumento da Produção


Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo a sua produção Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo os insumos
atual, ele deve reduzir os insumos utilizados conforme os utilizados, ele deve aumentar a sua produção conforme os
ajustes indicados abaixo: ajustes indicados abaixo:

1. Despesa (Exceto gastos com inativos e obras) por Processo 1. Taxa de Fluídez (Processos Baixados/Tramitados) (%)
Tramitado (R$)
Valor atual Valor desejado Ajuste
Valor atual Valor desejado Ajuste
45,29 57,28 + 26,5%
828,93 655,43 - 20,9%
2. Número de Magistrados por 100 mil Processos Tramitados
(Magistrados)
Valor atual Valor desejado Ajuste
23 18 - 20,9%
3. Número de Servidores por 100 mil Processos Tramitados
(Servidores)
Valor atual Valor desejado Ajuste
459 238 - 48,2%
Obs: quando se tem um baixo nível de eficiência, é possível que os valores desejados para aumento da produção ultrapassem a
própria demanda. Neste caso, é fundamental considerar a necessidade de se reduzir insumos.

39
I3GS Atlas da Eficiência

TJ - Tocantins
Ranking
Tocantins tem uma população de 1.532.902 habitantes. Para atender esta

21º população, há 129 magistrados e 1.905 servidores. A despesa total (exceto gastos
com inativos e obras) foi de R$ 558.567.251,75, no ano de 2017. A taxa de
congestionamento de processos é de 65,6%, sendo que no período tramitaram
465.822 processos e foram baixados 160.418 processos.
Do total de 27 Tribunais de
Justiça Estaduais, TJ -
Tocantins ocupa a 21º
posição no ranking de
eficiência.

IEfi - Judiciário Localização/Referências

Ineficiência extrema

De acordo com a estimativa, baseada na


relação insumos/produtos do(s)
benchmark(s), essa unidade produz 44,0%
do que poderia produzir considerando os
insumos disponíveis. Fonte: Elaborado por I3GS (2018)

Redução de Insumos Aumento da Produção


Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo a sua produção Para o Tribunal se tornar eficiente, mantendo os insumos
atual, ele deve reduzir os insumos utilizados conforme os utilizados, ele deve aumentar a sua produção conforme os
ajustes indicados abaixo: ajustes indicados abaixo:

1. Despesa (Exceto gastos com inativos e obras) por Processo 1. Taxa de Fluídez (Processos Baixados/Tramitados) (%)
Tramitado (R$)
Valor atual Valor desejado Ajuste
Valor atual Valor desejado Ajuste
34,44 78,10 + 126,8%
1.199,10 525,83 - 56,2%
2. Número de Magistrados por 100 mil Processos Tramitados
(Magistrados)
Valor atual Valor desejado Ajuste
28 12 - 56,6%
3. Número de Servidores por 100 mil Processos Tramitados
(Servidores)
Valor atual Valor desejado Ajuste
409 180 - 55,9%
Obs: quando se tem um baixo nível de eficiência, é possível que os valores desejados para aumento da produção ultrapassem a
própria demanda. Neste caso, é fundamental considerar a necessidade de se reduzir insumos.

40
I3GS Atlas da Eficiência

41
I3GS Atlas da Eficiência

Fique em contato:
www www.i3gs.com

@ contato@i3gs.com

42

Interesses relacionados