Você está na página 1de 9

unesp UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA

CAMPUS DE GUARATINGUETÁ
FACULDADE DE ENGENHARIA

PONTES DE CONCRETO

Notas de aulas

Prof. Yzumi Taguti

2002
1. 1

ÍNDICE

páginas

Capítulo I -Critérios de avaliação e bibliografia do curso ........................................... 1.2


Capítulo II - Introdução ao curso de pontes................................................................... 2.1
Capítulo III - Elementos de Projetos ........................................................................... 3.1
Capítulo IV - Cargas em Pontes...................................................................................... 4.1
Capítulo V - Exemplo de Pontes em Vigas Independentes ........................................... 5.1
Capítulo VI - Cálculo das Vigas Principais .................................................................... 6.1
Capítulo VII - Cálculo das Transversinas ........................................................................ 7.1
Capítulo VIII - Cálculo das Lajes ...................................................................................... 8.1
Capítulo IX - Cálculo dos Pilares ................................................................................... 9.1
1. 2
CAPÍTULO I (2002)

CURSO DE PONTES E CONCRETO PROTENDIDO


AVALIAÇÃO

NA = Nota de aproveitamento
NA = MP MP = Média das 4 melhores notas entre as 4 Provas e a MT
MT = Média das 05 melhores notas de testes

Pontes: 2 provas e 3 testes


Protendido: 2 provas e 3 testes

Calendário de Pontes:
a) provas : P1 ; P2 ; 1a. época: ; 2a. época:
b) testes : T1 ; T2 ; T3

Calendário de Protendido:
a) provas : P3 ; P4 ; 1a. época: ; 2a. época:
b) testes : T4 ; T5 ; T6

Bibliografia

Normas: NBR-7188 - Carga móvel em pontes rodoviárias e passarelas de pedestres - 1984.


NBR-7189 - Carga móvel em pontes ferroviárias - 1985
NBR-6118 - Projeto e execução de obras de concreto armado - 1978
NBR-7187 - Projeto e execução de pontes de concreto armado e protendido -
1986 (revisão)
NBR-8681 - Ações e segurança nas estruturas - 1984

Livros: -LEONHARDT, F. Construções de concreto, vol 6 1979


-PFEIL, N. Pontes de concreto armado, 2v. 1979
-O'CONNOR C. Pontes, 2 vol, 1975
-MASON, J. Pontes em concreto armado e protendido 1977

Apostilas: -EL DEBS, M.K. & TAREYA, T. Pontes de concreto - notas de aula - 5
fascículos - EESC-USP-1990.
-MARTINELLI, D.A.D. Pontes de concreto - EESC-USP-1971.
-FREITAS, M. Introdução Geral. Pontes - EPUSP-1981
-BERNARDO, GRAULO - Pontes - Grêmio Politécnico-1980.
-HANAI, J.B. - Fundamentos do Concreto Protendido - Notas de Aulas, EESC-
USP, 1991
2.1
CAPÍTULO II (2002)

2. CONCEITOS GERAIS

2.1. Definições

Ponte: obra necessária para manter a continuidade de uma via qualquer, através de um
obstáculo natural ou artificial.

PONTE, VIADUTO, GALERIA, PASSARELAS

2.2. Requisitos
a) Funcionalidade . permitir tráfego atual com previsões para seu incremento.
. escoamento das águas sob ponte com o mínimo de perturbação.
b) Segurança . considerar as tensões, deformações e duração.
c) Estética . atender a boa aparência sem criar grandes contrastes com o ambiente.
d) Economia . objetivo da engenharia, apresentar uma solução de menor custo.

2.3. Elementos Constituintes


estrutura principal
• Superestrutura
estrutura secundária

• Aparelhos de apoios
suportes { pPilares
• Infra-estrutura eEncontros
fundações

a) Superestrutura: elemento suporte direto ( ver Fig. 2.1)


.Estrutura principal: - função de vencer o vão livre
- recebe as cargas que atuam na ponte
Ex: vigas, lajes, pórticos, arcos, pênseis estaiadas
.Estrutura secundária: .Recebe a ação direta das cargas e a transmite à estrutura principal

Ex: tabuleiro, pendurais, tímpanos, passeios


2.2
b) Aparelhos de apoio . Elementos colocados entre a infra e a superestrutura. Transmite
reações de apoio e permite determinados movimentos da
superestrutura. Fixo e móvel.
superestrutura

aterro
encontro
aterro aparelhos de
pilar apoio
VISTA LONGITUDINAL
(infra e superestrutura)

fundação infra-estrutura

viaduto de acesso ponte viaduto de acesso

guarda-corpo
estrado = laje superfície de rolamento passeio
defensa
. . . . . . . .. . . . . .
. . . . .

CORTE TRANSVERSAL
laje em balanço
(superestrutura)

transversina longarina viga principal

Fig. 2.1 - Elementos constituintes de uma ponte

l1 l2

hc

aterro
aterro hl
l3 l4
l5
pista de rolamento
N.A.

Fig. 2.2 - Elementos geométricos de uma ponte

c) Infra-estrutura . Recebe as cargas e as transmite ao solo


2.3
Fundações - tem por finalidade transmitir ao solo as reações provenientes dos
diversos carregamentos da ponte.

2.4. Elementos Geométricos ( ver Fig. 2.2 )

2.5. Sistema Estrutural

a) Isostática ou Hiperestática (estr. principal)

c / balanço
- Simplesmente apoiada s / balanço
−Vigas - Contínua
- Gerber

c / balanço
- Simplesmente apoiada s / balanço
− Lajes - Contínua
- Em pórtico

- Pórtico
- Arcos e abóbodas

- Pontes com sustentação por cabos


{ pênseis
estaiadas

b) Seção Transversal

- maciça - atá 15m


- Lajes
- vazada - protendida até 35m
2.4
- fácil execução formas e montagem das armaduras
- peso próprio elevado

- aberta { -- vigas
grelha −−−> tabuleiro solidário
- Viga - celular −−−> láminas solidárias e rígido à torção
- treliça (metálica)
3.1
CAPÍTULO III (2002)

3. ELEMENTOS NECESSÁRIOS PARA A ELABORAÇÃO DO PROJETO DE UMA PONTE

3.1. Introdução

A elaboração de um projeto de pontes envolve o conhecimento de uma série de dados sobre


as particularidades locais, tais como, condições topográficas, hidrológicas e geotécnicas.

Tais informações são fundamentais no processo de escolha do local de colocação dos pontos,
as quais devem respeitar algumas normas gerais. Estas visam:

a) alcançar o menor custo para a obra


b) obter condições de boas fundações
c) não interferir no regime líquido ou, se preciso, alterar o mínimo possível
d) travessia perpendicular ao eixo do rio e sem pilares intermediários
e) escolher o local de modo que o rio tenha a menor largura

3.2 - Fases principais para a elaboração do Projeto

Projeto de uma ponte é um conjunto de estudos, cálculos e gráficos que permitem definir,
justificar e construir uma ponte: definir, quanto ao sistema estático e materiais a empregar;
justificar, quanto às dimensões adotadas para o vão, outras partes da estrutura e o custo; construir,
de acordo com os detalhes gráficos e especificações do memorial descritivo.

As fases, em geral, dos projetos são as seguintes:

a) Estudos preliminares

Fundamentados nos estudos geológicos, hidrológicos e topográficos, definem-se o


vão da ponte e sua localização.

b) Ante-projeto

Aqui são formuladas as várias soluções técnicas que permitam respeitar as condições
indicadas nos estudos preliminares. Estas soluções são acompanhadas de orçamento
estimativo e do tempo necessário para a execução. Nesta fase a experiência, o conhecimento
de outras obras e a intuição profissional do projetista exercem significativa relevância.

c) Projeto definitivo

Entre os diversos ante-projetos procede-se a escolha daquele que melhor atenda os


aspectos de economia, estética e execução.

3.3 Documentos de Projeto

Em geral são os seguintes:

a) Planta de situação do local da travessia, indicando as cidades ou regiões habitadas mais


próximas (1:1000 a 1:2000);
b) Corte do conjunto estrada-ponte com escalas diferentes: alturas (1:100) e comprimentos
(1:1000);
3.2
c) Corte transversal indicando o sub-solo, com detalhes de sondagens;
d) Elevação da ponte, podendo ser metade em vista e metade em corte longitudinal (1:50 a
1:100);
e) Seções transversais da superestrutura e plantas das mesmas (1:20 a 1:50);
f) Plantas e elevações da mesoestrutura e infra-estrutura;
g) Detalhes de construção (plantas de forma, de ferragem etc.);
h) Memorial descritivo acompanhado da parte de cálculos estáticos e hidráulicos etc.)
i) Orçamento
j) Projeto de execução