Você está na página 1de 6

Bromatologia, alimentos e nutrição animal I

CÁLCULO DE PREMIX DE MINERAIS


Conversão de grandezas numéricas

Microminerais geralmente aparecem em p.p.m. ou mg/kg*


*Miligramas por quilo
P.p.m. – partes por milhão
Se for dito que a necessidade nutricional for em p.p.m., deverá ser convertido para mg/kg.

Exemplo 1: 400 p.p.m. = 400 mg/kg*


*Pode ser apresentado em peso vivo ou matéria seca ingerida
Exemplo 2: animal de 10kg precisa de 400 p.p.m. por dia de um mineral X.
(Deve-se multiplicar a necessidade nutricional pelo peso do animal)
400 x 10 = 4000 mg ou 4 g

Macrominerais geralmente aparecem em % ou g/kg


Se for dito que a necessidade nutricional for em %, deverá ser convertido para g/kg.
400 p.p.b. = 400 μg/kg*
*microgramas por quilo
P.p.b. – partes por bilhão
Exemplo 3:
Deverá ser convertido por não serem as mesmas grandezas matemáticas - 1g/1000g ≠ 1g/100g
(que é referente à porcentagem).
𝟐𝟎 𝟐
20g/kg de Ca = 2% =
𝟏𝟎𝟎𝟎 𝟏𝟎𝟎
𝟐˟¹⁰ 𝟐𝟎
2% de Ca = = = 20g/kg
𝟏𝟎𝟎˟¹⁰ 𝟏𝟎𝟎𝟎

Como será trabalhado em quilos e não gramas (para animais de grande porte), essa conversão
sempre deverá ser feita. Para animais de pequeno porte é preferível que use mg.

Tabela 2: Cálculo de conversão de unidades

Débora Souza Matos | Medicina Veterinária Unisa


Bromatologia, alimentos e nutrição animal I

Questão 1: Um bovino de 400kg consome 2% do peso vivo em matéria seca por dia. Ele
necessita, por kg de matéria seca, de 2% de Ca, 1% de P, 0,3% de Mg e 300 p.p.m. de Zn. A dieta
fornece 5g de Ca, 2g de P, 0,1g de Mg e 100 p.p.m. de Zn por matéria seca. Calcule a deficiência
nutricional desse animal.
Resolução:
- Antes de mais nada, deve ser calculado, em kg, o que o animal consome diariamente:
𝟒𝟎𝟎𝒌𝒈 × 𝟐% = 𝟖𝒌𝒈/𝒎𝒔
*Multiplica-se o peso do animal pela quantidade de matéria seca ingerida.
**Isso informa que a soma de tudo que o animal ingere durante o dia é igual a 8kg.
- Agora deve ser calculado a necessidade diária de cada um dos minerais do enunciado. Como
eles estão sendo informados em %, então tem que ser convertido para g/kg.
𝟐˟¹⁰ 𝟐𝟎𝒈
Ca – 2% = = 20g/kg
𝟏𝟎𝟎˟¹⁰ 𝟏𝟎𝟎𝟎𝒈

- Após converter o valor em g/kg, multiplique o resultado pela quantidade de alimento que o
animal consome diariamente:
𝟐𝟎𝒈/𝒌𝒈 × 𝟖𝒌𝒈/𝒎𝒔 = 𝟏𝟔𝟎𝒈 𝑪𝒂
*O resultado significa que esse animal precisa de 160g de cálcio em cada quilo de
alimento que ele ingerir.
- Repetir essa operação para cada um dos minerais citados no enunciado.
𝟏 𝟏𝟎
P – 1% = = 10g/kg
𝟏𝟎𝟎 𝟏𝟎𝟎𝟎
10g x 8kg = 80g P

𝟎,𝟑 𝟑
Mg – 0,3% = = 3g/kg
𝟏𝟎𝟎 𝟏𝟎𝟎𝟎
3g x 8kg = 24g/kg Mg
- Para o zinco, como ele foi indicado em p.p.m., não é necessário realizar o cálculo de conversão
de medidas, já que 1 p.p.m. = 1mg/kg:
Zn – 300 p.p.m. = 300mg/kg
300mg x 8kg = 2400mg
- Como devemos manter tudo na mesma unidade, transformar o resultado do cálculo do zinco
de mg para g:
2400mg ÷ 1000 = 2,4g Zn
*Verifique a tabela 2 para compreender melhor a conversão feita.
- Esses cálculos foram feitos para verificar a necessidade nutricional diária de cada um dos
minerais apresentados. Assim, temos:
Ca – 160g P – 80g Mg – 24g Zn – 2,4g

Débora Souza Matos | Medicina Veterinária Unisa


Bromatologia, alimentos e nutrição animal I

- Agora deveremos calcular o quanto de cada mineral a dieta fornece diariamente:


Ca – 5g 5g x 8kg = 40g
*O resultado significa que a dieta fornece diariamente 40g de Ca.
- Realizar os demais cálculos:
P – 2g 2g x 8kg = 16g
Mg – 0,1g 0,1g x 8kg = 0,8g
- No caso do zinco, a mesma conversão deverá ser realizada:
Zn – 100 p.p.m. 100p.p.m. ÷ 1000 = 0,1g
0,1g x 8kg = 0,8g
-Esses cálculos foram feitos para descobrir a quantidade de cada mineral que a dieta fornece
diariamente.
Por fim, deverá ser calculado a deficiência nutricional do animal, que é resultado do quanto ele
necessita de um determinado mineral pelo quanto a dieta fornece diariamente.
160g – 40g = 120g Ca
80g – 16g = 64g P
24g – 0,8g = 23,2g Mg
2,4g – 0,8 = 1,6g Zn
- O resultado desses últimos cálculos evidencia a deficiência de cada um dos minerais e deverá
ser suplementado na dieta.
Assim, temos:
Ca P Mg Zn
Necessidade
160g 80g 24g 2,4g
nutricional
Qtd. Fornecida
40g 16g 0,8g 0,8g
pela dieta
Deficiência 120g 64g 23,2g 1,6g

Agora que já sabemos fazer a conta básica, o próximo passo é aprender a fazer a suplementação
das deficiências, seguindo o exemplo abaixo:

Questão 2. Um cavalo de 300kg necessita de 0,1g de Ca, 0,8g de P, 0,03g de Mg e 10 p.p.m. de


Cu por kg de peso vivo, a dieta fornece 10g de Ca, 8g de P, 6g de Mg e 1g de Cu por dia. Utilize
fosfato de cálcio com 23% Ca e 18% P; óxido de magnésio com 62% Mg; sulfato de cobre com
35% Cu e, se necessário, calcário 42% ou fosfato monoamônico com 53% P. Calcule a fórmula e
a quantidade de premix de minerais para suprir a demanda nutricional.
Fosfato de cálcio - Ca3(PO4)2 Óxido de magnésio - MgO
Sulfato de cobre - CuSO4 Fosfato monoamônico - NH4H2PO4

Débora Souza Matos | Medicina Veterinária Unisa


Bromatologia, alimentos e nutrição animal I

- O cálculo deverá ser iniciado normalmente, assim como no exemplo anterior. Deve-se observar
que, a necessidade deverá ser calculada baseando-se no peso vivo do animal, não na matéria
seca ingerida, ou seja:
300kg x 0,1g Ca = 30g
300kg x 0,08g P = 24g
300kg x 0,03g Mg = 9g
300kg x 10ppm Cu = 3000mg Cu = 3g

- O cálculo realizado foi a multiplicação do peso vivo do animal pela necessidade de cada um dos
minerais e, posteriormente, a conversão dos valores para gramas, como no caso do Cu.
- Como a quantidade de minerais fornecido pela dieta já está em gramas, não é necessário
realizar nenhuma conversão:
Ca – 10g P – 8g Mg – 6g Cu – 1g

- Agora deve ser feita a subtração para obter a deficiência nutricional.


Ca → 30g – 10g = 20g
P → 24g – 8g = 16g
Mg → 9g - 6g = 3g
Cu → 3g – 1g = 2g

- Como no enunciado foi informado suplementos a serem utilizados, o cálculo ainda não
terminou.
- É importante saber que, existe uma ordem para a suplementação, o cálcio deverá ser o
primeiro a ser suplementado, logo após o fósforo, depois os Macrominerais e, por último, os
microminerais.
Ca > P > Macrominerais > Microminerais
- Com essa informação, iniciaremos a suplementação do Ca. O enunciado informou que temos
duas opções para suplementar esse mineral: o calcário e o fosfato de cálcio [Ca3(PO4)2].
- Antes de escolher uma das opções, devemos lembrar que também existe uma deficiência de
fósforo na dieta, então, por questões financeiras (incluindo reduzir a quantidade de
suplementos), deveremos avaliar qual será a melhor opção.
- Nesse caso, a melhor opção será o fosfato de cálcio, pois ele fornece cálcio e fósforo,
suplementando assim dois minerais de uma só vez, enquanto o calcário suplementaria apenas
um (de acordo com o enunciado).
- O enunciado informa que, fosfato de cálcio [Ca3(PO4)2] possui 23% de Ca, isso é o mesmo que
.

- Com essas informações, iremos montar uma regra de três simples.

Débora Souza Matos | Medicina Veterinária Unisa


Bromatologia, alimentos e nutrição animal I

100g Ca3(PO4)2 – 23g Ca


X – 20g Ca
- Lê-se: “em 100g de Ca3(PO4)2, temos 23g de cálcio (referente à porcentagem, explicado acima),
quanto de Ca3(PO4)2 é necessário para suprir 20g de deficiência de Ca?”
- Assim, deverá ser resolvido normalmente a regra de três:
23X = 100 x 20
23X = 2000
𝟐𝟎𝟎𝟎
X= 𝟐𝟑

X = 86,95652174 = 86,96g Ca3(PO4)2


- Agora que temos a informação de quando fosfato de cálcio é necessário para suplementar o
cálcio, não podemos esquecer que, apesar de estarmos suplementando apenas o Ca com esse
cálculo, o fosfato de cálcio também possui P.
- Devemos agora calcular quanto de P obtivemos pela suplementação do Ca, antes de seguir
para as próximas suplementações.
86,96 Ca3(PO4)2 x 18% P = 15,6528 = 15,65g
- Foi utilizado o resultado da suplementação de Ca (que é o que entrará na dieta) pela
quantidade de P que existe no fosfato de cálcio (informado no enunciado).
- A deficiência de P na dieta é de 16g, o fosfato de cálcio só conseguirá suplementar 15,65g, ou
seja, ainda haverá uma deficiência de 0,35g de P (16g – 15,65g).
- Conforme a ordem apresentada anteriormente, agora devemos suplementar o P. Não
poderemos aumentar a quantidade de fosfato de cálcio, senão iremos influenciar na
suplementação do Ca, e, de acordo com o enunciado, apenas o fosfato monoamônico
(NH4O2PO4) possui fósforo para suplementar. Devemos então, seguir o mesmo exemplo que o
Ca:
𝟓𝟑
53% NH4O2PO4 = 𝟏𝟎𝟎

100g NH4O2PO4 – 53g P


X – 0,35 P *Baseando-se no cálculo anterior, essa é a nova
deficiência de P.
53X = 100 X 0,35
53X = 35
𝟑𝟓
X = 𝟓𝟑

X = 0,660377358 = 0,66g NH4O2PO4


- Isso irá suplementar a deficiência de P na dieta.
- Agora, deve ser calculado o restante dos Macrominerais que forem informados no enunciado
e em seguida, os microminerais, da mesma forma.

Débora Souza Matos | Medicina Veterinária Unisa


Bromatologia, alimentos e nutrição animal I

𝟔𝟐
62% MgO = 𝟏𝟎𝟎

100g MgO – 62g Mg


X – 3g Mg
62X = 100 x 3
62X = 300
𝟑𝟎𝟎
X= 𝟔𝟐

X = 4,84g Mg

𝟑𝟓
35% CuSO4 = 𝟏𝟎𝟎

100g CuSO4 – 35g Cu


X – 2g Cu
35X = 100 x 2
35X = 200
𝟐𝟎𝟎
X= 𝟑𝟓

X = 5,71g Cu

- Após isso, devemos calcular a fórmula do premix de minerais. Essa fórmula é a que será enviada
à fábrica para confecção da nova ração.
- Esse cálculo é uma regra de três simples, baseia-se na soma de todos os minerais que serão
utilizados na suplementação pelo valor de cada mineral.
86,96 Ca + 0,66 P + 5,71 Cu + 4,84 Mg = 98,17g de premix de minerais totais que irão suprir a
demanda nutricional.
- Após isso, deve ser feito o cálculo da fórmula, que é basicamente descobrir a porcentagem de
cada mineral no premix:
Ca 98,17g – 100%
86,96g – X
98,17X = 86,96 x 100
98,17X = 8,696
𝟖𝟔𝟗𝟔
X = 𝟗𝟖,𝟏𝟕

X = 88,58

- Realizar a mesma operação com todos os outros minerais.


P = 0,67% Mg = 4,93% Cu = 5,81%

Débora Souza Matos | Medicina Veterinária Unisa