Você está na página 1de 10
Manifestações da actividade geológica
Manifestações da actividade geológica
Manifestações da actividade geológica
Manifestações da actividade geológica
Manifestações da actividade geológica

Manifestações da actividade geológica

MÉTODOS UTILIZADOS NA GEOLOGIA PLANETÁRIA  Estrutura interna dos planetas - estudos de densidade, campos

MÉTODOS UTILIZADOS NA

GEOLOGIA PLANETÁRIA

Estrutura interna dos planetas - estudos de densidade, campos gravitacionais e magnético, sismologia, temperatura e meteoritos;

Cartografia fotografias, imagens de radar,

comparação com as estruturas da Terra e albedo (poder reflector das rochas);

Composição análises laboratoriais directas e

espectrais remotas (corpos distantes);

Cronologia relativa métodos radiométricos.

Conhecendo-se as estruturas da Terra e a sua formação pode-se aplicar o mesmo nos outros
Conhecendo-se as estruturas da Terra e a sua formação pode-se aplicar o mesmo nos outros
Conhecendo-se as estruturas da Terra e a sua formação pode-se aplicar o mesmo nos outros
Conhecendo-se as estruturas da Terra e a sua formação pode-se aplicar o mesmo nos outros

Conhecendo-se as estruturas da Terra e a sua formação

pode-se aplicar o mesmo nos outros planetas, assim:

Estruturas endógenas resultam de processos e forças que actuam no interior dos planetas (dobras,

falhas, fissuras, cones vulcânicos, filões…)

Estruturas exógenas processos superficiais (rios, dunas, ravinamentos).

Estruturas exóticas origem exterior ao planeta (impacto de meteoritos)

Planetas Telúricos  Geologicamente activos – detecta-se ou mesmo observa-se sinais de dinâmica externa e/
Planetas Telúricos  Geologicamente activos – detecta-se ou mesmo observa-se sinais de dinâmica externa e/
Planetas Telúricos  Geologicamente activos – detecta-se ou mesmo observa-se sinais de dinâmica externa e/
Planetas Telúricos  Geologicamente activos – detecta-se ou mesmo observa-se sinais de dinâmica externa e/

Planetas Telúricos

Geologicamente activos detecta-se ou mesmo observa-se sinais de dinâmica externa e/ ou interna (erupções, sismos escorrências de água) Vénus Geologicamente inactivos não existe sinais de dinâmica externa ou interna. Mercúrio e Marte

A energia necessária para a actividade geológica interna provém:  Da radioactividade – propriedades
A energia necessária para a actividade geológica interna provém:  Da radioactividade – propriedades
A energia necessária para a actividade geológica interna provém:  Da radioactividade – propriedades
A energia necessária para a actividade geológica interna provém:  Da radioactividade – propriedades

A energia necessária para a actividade geológica interna provém:

Da radioactividade propriedades radioactivas de certos elementos das rochas (urânio, tório e potássio), a sua desintegração liberta muita energia;

Efeito das marés posição combinada da Terra, Sol e dos efeitos das marés da Lua interfere nos campos gravíticos destes astros, na Terra

este efeito origina ciclos alternados de contracções e dilatações e logo

libertação de energia;

Do bombardeamento primitivo durante a fase de acreção, ocorreu a acumulação de energia no seu interior que tem vindo a ser libertada

Da contracção gravitacional durante a formação do planeta os

materiais envolventes do núcleo metálico foram atraídos para o centro

da Terra. Esta atracção implicou um aumento de pressão e temperatura. Transforma a energia gravítica em térmica

A energia necessária para a actividade geológica externa provém:  Do Sol – introduz a
A energia necessária para a actividade geológica externa provém:  Do Sol – introduz a
A energia necessária para a actividade geológica externa provém:  Do Sol – introduz a
A energia necessária para a actividade geológica externa provém:  Do Sol – introduz a

A energia necessária para a actividade geológica externa provém:

Do Sol introduz a energia necessária para a “activar” os agentes

modeladores da Terra;

Da actividade vulcânica o calor que se liberta nas cristas médio- oceânicas induz o aquecimento da água do mar, que por sua vez

condiciona o aquecimento da atmosfera e alterações climáticas;

Do impactismo bombardeamento de corpos vindos do espaço.

Sistema Terra - Lua
Sistema Terra - Lua
Sistema Terra - Lua
Sistema Terra - Lua
Sistema Terra - Lua

Sistema Terra - Lua

Factores que proporcionam a que a Terra tenha uma grande BIODIVERSIDADE:  VALORES MÉDIOS DE
Factores que proporcionam a que a Terra tenha uma grande BIODIVERSIDADE:  VALORES MÉDIOS DE
Factores que proporcionam a que a Terra tenha uma grande BIODIVERSIDADE:  VALORES MÉDIOS DE
Factores que proporcionam a que a Terra tenha uma grande BIODIVERSIDADE:  VALORES MÉDIOS DE

Factores que proporcionam a que a Terra tenha uma grande

BIODIVERSIDADE:  VALORES MÉDIOS DE DISTÂNCIA AO SOL ;  TEMPERATURA SUPERFICIAL;  EXISTÊNCIA DE
BIODIVERSIDADE:
 VALORES MÉDIOS DE DISTÂNCIA AO SOL ;
 TEMPERATURA SUPERFICIAL;
 EXISTÊNCIA DE ÁGUA NO ESTADO LÍQUIDO;
 DENSIDADE DA ATMOSFERA;
 CAMADA DE OZONO.
LUA:  130 O C durante o dia e – 200 o C durante a
LUA:  130 O C durante o dia e – 200 o C durante a
LUA:  130 O C durante o dia e – 200 o C durante a
LUA:  130 O C durante o dia e – 200 o C durante a
LUA:  130 O C durante o dia e – 200 o C durante a
LUA:
 130 O C durante o dia e – 200 o C durante a noite;
 Não tem atmosfera – massa e força gravítica reduzida;
 Erosão reduzida – não tem vento nem água no estado líquido;
 Não tem há milhões de anos qualquer erupção vulcânica;
 Planeta geologicamente inactivo.
 Principais relevos:   
Principais relevos:

Mares lunares - mais escuros. Relevo plano. Reflectem 7% da luz solar, constituídos por BASALTO;

Continentes lunares mais claros. Relevo acentuado, constituídos por

ANORTOSITO. Reflectem 18% da luz solar;

Crateras de impacto - forma circular e diâmetro variável. São depressões existentes nos mares e continentes.


e diâmetro variável. São depressões existentes nos mares e continentes.  Vales e Sulcos – antigos

Vales e Sulcos antigos rios de lava.