Você está na página 1de 31

Reações

 de  Hipersensibilidade  

Rafael  Cardoso  Tren4n  


MSc.   PhD  Student  -­‐  Seminários  PAE  
© Immunapp © Bioidea - Laboratório de Imunofisiopatologia ICB USP.
 
Função  básica  das  respostas  imunes:  
 
§  Combater  e  eliminar  ameaças  ao  organismo.    
 

 
Entretanto,  em  algumas  situações:  
 
Próprios  mecanismos  da  Resposta  Imune  causam:  
•  lesão  tecidual      
•  Doença  
 
© Immunapp © Bioidea - Laboratório de Imunofisiopatologia ICB USP.
Algumas  definições  iniciais  …  

Reações  de  Hipersensibilidade:  


 
Ø  Respostas  imunes  que    causam  lesão  ao  organismo.  
 
Ø  Desencadeadas  pela  Resposta  Imune  Adapta8va:  
 
•  Inadequadamente  direcionada;  
 
•  Inadequadamente  controlada.  

© Immunapp © Bioidea - Laboratório de Imunofisiopatologia ICB USP.


Exemplos  de  causas  de  reações  de  hipersensibilidade:  
 
 
•  Reações  contra  anMgenos  próprios  –  Autoimunidade  

•  Reações  contra  micróbios  p    ersistente  


 
o u   e xagerada  

•  AnMgenos  ambientais  inofensivos:  


•  Pólen  
•  Comida  
•  Medicamentos  

© Immunapp © Bioidea - Laboratório de Imunofisiopatologia ICB USP.


Classificação  das  Reações  de  Hipersensibilidade:  

§  Modelo  Gell-­‐Coombs  (1963);  


 
§  Divide  em  4  grupos:  
 
Hipersensibilidade  Tipo  I        
Robin  Coombs    
Hipersensibilidade  Tipo  II   Philip  Gell    

Hipersensibilidade  Tipo  III  


Hipersensibilidade  Tipo  IV  
 
*  De  acordo  com  o  mecanismo  imune  causador  da  lesão  
tecidual.  
© Immunapp © Bioidea - Laboratório de Imunofisiopatologia ICB USP.
Os  4  4pos  de  Reações  de  Hipersensibilidade  
tipo l tipo ll
alérgeno antigeno superfície celular
lgG
cél.
NK alvo

lgE
ação  citotóxica

Receptor Fc anticorpo
cél.
complemento
alvo
degranulação de mastócitos lise  Mediada  
liberação de mediadores  por  Complemento  

tipo lll tipo lV

deposição  de
antígenos
imunocomplexos
complemento T

mediadores citocinas
Inflamatórios

tecido
vaso
ativação  de  macrófagos
sanguíneo
© Immunapp © Bioidea - Laboratório de Imunofisiopatologia ICB USP.
Hipersesibilidade Tipo I

Reações mediadas por anticorpos IgE  

© Immunapp © Bioidea - Laboratório de Imunofisiopatologia ICB USP.


Caracterís8cas  iniciais:  
 
 
Ø  Reação  imune  comum  das  alergias.  
Ø  Produção  de  an8corpos  IgE  contra  anMgenos  inócuos  
(alérgenos)  
Ø  Desgranulação  de  mastócitos  mediada  por  an4corpos  IgE.  
Ø  Liberacão  de  produtos  citotóxicos  e  inflamatórios  (i.e.  
histamina)  

Na  resposta  normal:  
•  IgE  -­‐  proteção  normal  contra  vermes  parasitas.    
© Immunapp © Bioidea - Laboratório de Imunofisiopatologia ICB USP.
Manifestações  podem  depender  da  via  de  entrada  e  dose:  
 
Intravenosa  (direta  ou  indireta/oral):    
Anafilaxia  sistêmica:  oclusão  de  traquéia,  colapso  circulatório,  morte.  
Ex.  Medicamentos,  venenos,  alimentos    
 
Subcutânea  
Ur4cária  aguda:  inflamação  local  
Ex. picadas  de  inseto,  testes  de  alergia.    
 
Inalada  
Rinite  alérgica:  edema  e  iriitação  da  mucosa  nasal.  
Asma:  constrição  do  bronquios.  aumento  produção  muco,  inflamação  vias  
respiratórias.    
Ex.  Pólen,  Fezes  de  Ácaros,  Pêlos.  
 
Oral  
Alergia  a  alimentos:  vômitos,  diarréia,  coceira,  ur4cária,  anafilaxia.  
Ex.   Crustáceos,  
© Immunapp Leite,  Ademendoim,  
© Bioidea - Laboratório etc.  
Imunofisiopatologia ICB USP.
1   Sensbilização ao Ag

proliferação de com produção de IgE


(IL-4 no processo)

IgE se liga na superfície de mastócitos

2   Segunda exposição ao Ag

Ag se liga a IgE que está na superfície do mastócito

Desgranulação de mediadores inflamatórios/lesivos


(ex. histamina, mediadores lipídicos, proteases, citocinas)
© Immunapp © Bioidea - Laboratório de Imunofisiopatologia ICB USP.
© Immunapp © Bioidea - Laboratório de Imunofisiopatologia ICB USP.
Hipersensibilidade Tipo II

Lesão celular e tecidual mediada por anticorpos


(antígenos celulares ou matriz tecidual)

© Immunapp © Bioidea - Laboratório de Imunofisiopatologia ICB USP.


Imunofisiopatologia
•  Ligação de anticorpos (IgG e IgM) em membranas
celulares ou antígenos teciduais.
•  Efeitos citotóxicos por outros componentes imunes.

–  Membrana de Eritrócitos - anemias hemolíticas


–  Menbrana de Plaquetas – trombocitopenia
–  Tireóide - Tireoidite de Hashimoto

© Immunapp © Bioidea - Laboratório de Imunofisiopatologia ICB USP.


Mecanismos Imunes

•  Fagocitose dependente de opsonização.


•  Ativação de Proteínas do Complemento
•  ADCC - Citotoxicidade Celular dependente
de anticorpo

* Todos dependem do anticorpo.

© Immunapp © Bioidea - Laboratório de Imunofisiopatologia ICB USP.


© Immunapp © Bioidea - Laboratório de Imunofisiopatologia ICB USP.
Revisão:  Mecanismos  efetores  Proteínas  do  Complemento.  
 
Sistema  de  Proteínas  sanguíneas  que  par4cipam  da  resposta  
imune.  
 
 Opsonização    
 Formação  do  Complexo  de  Ataque  a  Membrana  (MAC)  
 
 Produtos  liberados  durante  a  cascata  de  reações  são  
inflamatórios.  (C3a  e  C5a)  
 
-­‐  podem  ligar  direto  no  patógeno  (C3b)  
-­‐  Podem  ligar  aonde  tem  an8corpo  
 

© Immunapp © Bioidea - Laboratório de Imunofisiopatologia ICB USP. MAC  


 Incompa4bilidade  de  Fator  Rh  em  recém-­‐nascidos    
 (Anemia  Hemolí4ca)  

Sensitized during birth of


Rh+ First child

Pregnant woman
Rh-

2nd pregnancy forms circulating


Rh+ child lgG antibody (Anti-D)

IgG crosses placenta

RBC Hemolise/fagocitose

© Immunapp © Bioidea - Laboratório de Imunofisiopatologia ICB USP.


Hipersensibilidade Tipo III

Lesão celular e tecidual mediada por


imunocomplexos (antígenos solúveis)

© Immunapp © Bioidea - Laboratório de Imunofisiopatologia ICB USP.


Imunocomplexos  
AnMgenos  solúveis  
+  
An4corpo  

§  São  formados  naturalmente  nas  respostas  imunes;  

§  Em  condições  normais  são  removidos  (baço  e  


kgado);  

§  Em  condições  patológicas,  se  acumulam  nos  leitos  


vasculares.  
§  Inflamação  e  dano  tecidual.  (doença)  
© Immunapp © Bioidea - Laboratório de Imunofisiopatologia ICB USP.
 
De  acordo  com  a  região  que  se  acumula  causa  
infllamações  locais:  
 
 
Ø  Artrite      nas articulações    

Ø  Vasculite      nos vasos sanguíneos

Ø  Nefrite          nos glomérulos renais  

© Immunapp © Bioidea - Laboratório de Imunofisiopatologia ICB USP.


Condições  patológicas  que  levam  a  lesão  tecidual  por  
imunocomplexos  :  
 
 
Condições  autoimunes:  
 
§  Artrite  Reumatóide    
§  Lupus  Eritematosos  Sistêmico  

Infecções    persistentes:    
 
•  Streptocos  
•  Malaria  
•  Hepa4tes  
 
© Immunapp © Bioidea - Laboratório de Imunofisiopatologia ICB USP.
Mecanismos Imunes

•  Neutrófilos
–  Reconhecem anticorpos - Receptor para Fc (FcR)
– Liberam material lisossomal(ROS, RNS, enzimas)
- Dano tecidual.
•  Proteínas do Complemento
–  produtos levam a inflamação local (mais
neutrófilos)
© Immunapp © Bioidea - Laboratório de Imunofisiopatologia ICB USP.
© Immunapp © Bioidea - Laboratório de Imunofisiopatologia ICB USP.
© Immunapp © Bioidea - Laboratório de Imunofisiopatologia ICB USP.
Hipersesibilidade Tipo IV

Reações mediadas por Linfócitos T  

© Immunapp © Bioidea - Laboratório de Imunofisiopatologia ICB USP.


Caracterís8cas  principais:  
 
 
Não  é  mediada  por  an4corpos;  
Lesão  tecidual  causada  por  linfócitos  T    
 
•    CD4+  auxilares  
         (citocinas  inflamatórias)  
 
•    CD8+  citotóxicos    
 (ataque  direto  as  células/citocinas)  
 

© Immunapp © Bioidea - Laboratório de Imunofisiopatologia ICB USP.


© Immunapp © Bioidea - Laboratório de Imunofisiopatologia ICB USP.
Exemplos de doenças:

-  Dermatites de contato

Modificação de proteínas próprias por exposição


cutânea a um alérgeno.
Ex. Níquel / Hera venenosa

-  Diabetes melito tipo 1


Destruíção das células β pancreáticas
(produtoras de insulina)

© Immunapp © Bioidea - Laboratório de Imunofisiopatologia ICB USP.


Derma8te de Contato
(Ex. Hera Venenosa)

Substância química da folha modifica


proteínas própias.

1º contato – sensibilização
2º contato – doença

© Immunapp © Bioidea - Laboratório de Imunofisiopatologia ICB USP.


Diabetes  Melitus  Tipo  I      (H.  Tipo  IV)    

Ilhotas  de  Langerhans  


 

Células  T  reconhecem  células   Glucagon→  Células  α  


(pâncreas)   ß   Somatosta8na      →Células  δ  
-­‐  sem  insulina-­‐  
 
 

insulina  
somatosta4na  
glucagon  

 
Célula  α   Célula  ß Célula  δ  

© Immunapp © Bioidea - Laboratório de Imunofisiopatologia ICB USP.


 Obrigado  !!!  

© Immunapp © Bioidea - Laboratório de Imunofisiopatologia ICB USP.

Você também pode gostar