Você está na página 1de 9

1

Comentário de James Burton Coffman. Isaías 53.

Verso 1

JESUS CRISTO ; O servo de Deus

Não deveríamos nos surpreender com este título atribuído ao Santo Messias
nas Sagradas Escrituras, porque existe uma magnífica profusão de nomes e
títulos concedidos ao Filho de Deus pelos escritores inspirados da Bíblia. Um
simples olhar para estes não pode deixar de impressionar qualquer aluno
pensativo.

NOMES E TÍTULOS : Isaías se referiu profeticamente a Jesus como Emanuel


( Isaiah 7:13 Isaías 7:13Isaías 9: 6 Isaías 52:13 Gênesis 3:15 Gênesis
28:14 Gálatas 3:16 Gênesis 49:10 Números 24:17 Deuteronômio 18:15 2
Samuel 7:12 , 14 Miquéias 5: 2-4 Zacarias 9: 9 Malaquias 4: 2 Mateus 1:
1 Lucas 1:78 Lucas 2:11 Lucas 2:21 Mateus 27:37 Marcos 1: 1 Marcos 5:
7 João 1: 1 , 18 Mateus 3:17 Romanos 8: 1 , 2 1 Timóteo 1:12 1 Timóteo
6:14 , 15 1 Coríntios 10: 4 Cântico de Salomão 2: 1 Apocalipse 22:16 Salmos
89:27 ); Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da
Paz ( Isaías 9: 6 ); Servo de Deus ( Isaías 52:13 ). Moisés se referiu a ele como
A Semente da Mulher ( Gênesis 3:15 ); A semente (singular) de Abraão
( Gênesis 28:14 e Gálatas 3:16 ); Shiloh ( Gênesis 49:10 ); A Estrela de Jacó,
O Cetro de Israel ( Números 24:17 ); Que o profeta gosta de Moisés
( Deuteronômio 18:15 ); O filho de Davi ( 2 Samuel 7: 12,14); O Senhor de
Davi, O Sacerdote Para Sempre Depois da Ordem de Melquisedeque ( Salmos
110,4 ); O Juiz de Israel, o Governante em Israel, cujos Passos são
Conhecidos de Velho, de Eterno ( Mq 5: 2-4 ); O rei de Israel ( Zacarias 9:
9 ); O Sol da Justiça ( Malaquias 4: 2 ); O Filho de Davi, o Filho de Abraão
( Mateus 1: 1 ); O orlaro do alto ( Lucas 1:78 ); Salvador, Cristo, o Senhor
( Lucas 2:11 ); Jesus ( Lucas 2:21 ); Jesus de Nazaré, o rei dos judeus
( Mateus 27:37 ); Jesus Cristo, o Filho de Deus ( Marcos 1: 1 ); Filho do Deus
Altíssimo ( Marcos 5: 7); Deus (10 referências do Novo Testamento usam este
título para Cristo; veja João 1: 1,18 ; 20:24, etc), Meu Filho Amado ( Mateus
3:17 ); Cristo Jesus ( Romanos 8: 1,2 ); Cristo Jesus nosso Senhor ( 1 Timóteo
1:12 ); nosso Senhor Jesus Cristo, O Abençoado e Único Potentado, o Rei dos
reis e Senhor dos senhores ( 1 Timóteo 6: 14,15 ); A Rocha ( 1 Coríntios 10:
4 ); A Rosa de Sharon, O Lírio do Vale ( Cantares de Salomão 2: 1 ); A estrela
brilhante e matutina, a raiz de Davi ( Apocalipse 22:16 ); O Primogênito dos
Reis da Terra ( Salmos 89:27 ; Hebreus 12:23 ); a estrela do dia (Hebreus
12:23 2 Pedro 1:19 1 Timóteo 2: 5 Efésios 1:22 João 10:11 Hebreus 3: 1 1
Pedro 5: 4 1 Pedro 1:25 Zacarias 3: 8 Hebreus 3: 9 Hebreus 12: 2 Daniel 7 :
15 Apocalipse 1:11 Apocalipse 1:18 Apocalipse 2:142 Pedro 1:19 ); Nosso
Sumo Sacerdote, Nosso Fiador, Nosso Advogado, Nosso Intercessor ( Hebreus
7 ); Cristo nossa justiça (romanos); O Mediador da Nova Aliança ( 1 Timóteo 2:
5 ); Cabeça por todas as coisas, cabeça da igreja que é o seu corpo ( Efésios
1:22 ); O Bom Pastor ( João 10:11 ); O Pão da Vida, A Água da Vida, A Água
Viva, O Caminho, A Verdade, A Vida, A Luz do Mundo, A Videira Verdadeira, A
Ressurreição e a Vida (do Evangelho de João), O Apóstolo e o Alto Sacerdote
de nossa confissão ( Hebreus 3: 1 ); O pastor-chefe ( 1 Pedro 5: 4 ); O pastor e
2

bispo de nossas almas ( 1 Pedro 1:25 ); O ramo (Zacarias 3: 8 ; 6:12); O Autor


da Salvação Eterna ( Hebreus 3: 9 ); O Autor e Consumador (Aperfeiçoador) de
nossa Fé ( Hebreus 12: 2 ); O Filho do Homem ( Daniel 7:15 ); O Alfa e o
Ômega ( Apocalipse 1:11 , KJV); O Vivo ( Apocalipse 1:18 , ASV); e o Amém
( Apocalipse 2:14 ), etc.

É claro que a lista acima não é de modo algum todos os nomes e títulos que as
Escrituras associam ao Salvador e Redentor da humanidade; mas estes são
suficientes para indicar a extensão abrangente deles.

Este capítulo trata apenas das profecias relativas a esse Servo Ideal, o
Verdadeiro Israel de Deus, o Semente Singular de Abraão, o único que traria a
promessa de redenção à humanidade caída e pecadora e proporcionaria um
caminho para a renovação de sua comunhão perdida. Com Deus. Nele está a
vida eterna, e "Ninguém vem a Deus" senão por ele ( João 14: 6João 14: 6 ).

Não nos empenharemos em qualquer defesa da interpretação deste capítulo,


que por consentimento unânime de todos os estudiosos, judeus e gentios, foi
entendido como descritivo dos sofrimentos de Cristo pelos primeiros 1.150
anos da era cristã, quando então, Escritores judeus começaram os esforços
para atribuí-lo a algum outro; e desde então, muito poucos escritores ditos
"cristãos" aceitaram algumas das postulações judaicas. [1] No entanto, essa
deserção dos comentaristas nominalmente cristãos para a interpretação
judaica é absolutamente indigna de qualquer estudo. A verdadeira
interpretação é tão óbvia, tão irrespondível, tão absolutamente certa, que é
uma perda de tempo explorar as alegações de Satanás e seus seguidores em
contrário.

Todo o cântico do servo inclui os últimos três versículos de Isaías 52 e doze


versos deste capítulo ( Isaías 53 ).

"É incomumente simétrico. Existem cinco parágrafos de três versos cada.


Começa e termina com a exaltação do Servo (primeira e quinta estrofes), e
dentro desta está a história da rejeição de Cristo nas seções dois e quatro, que
por sua vez enquadram a peça central (estrofe 3, Isaías 53: 4-6 Isaías 53: 4-6 ),
onde a significância expiatória é exposta. Deus e homem, reconciliados,
compartilham o dito. Note o 'meu' e 'nosso' das seções externas (um e cinco) e
o "nós" e "nosso" de Isaías 53: 1-6Isaías 53: 1-6 . " [2]

"A palavra 'nosso' em Isaías 53: 1Isaías 53: 1 levanta a questão de quem são
os proclamadores. Hailey deu a mesma resposta a isso que Kidner deu na
citação acima:" A mensagem deve ser identificada como a mensagem
messiânica de Deus através de Isaías. " [3]

Isaías 53: 1-3Isaías 53: 1-3

O SEGUNDO STANZA

"Quem acreditou em nossa mensagem? E a quem foi revelado o braço de


Jeová? Porque cresceu diante dele como uma planta tenra e como raiz de
3

uma terra seca; não tem forma nem formosura; e quando o vemos Não há
beleza que possamos desejar a Ele. Ele foi desprezado e rejeitado pelos
homens, homem de dores e familiarizado com a dor; e como alguém de
quem os homens escondem a face, era desprezado, e não o estimamos.

Como Cheyne apontou, há uma peculiaridade nestes três versos que uma
palavra em cada um dos três versos é citada na segunda metade de cada
verso. "Assim: em (1), a palavra é 'quem', 'quem'; em (2) a palavra é 'ele'; e em
(3) a palavra é 'desprezada'" [4].

Neste parágrafo, a glória suprema do Senhor Jesus Cristo está escondida por
trás da obscuridade, pobreza, humilhação, miséria e vergonha; e esse é o
grande exemplo de que "os pensamentos de Deus e os caminhos de Deus são
tão mais elevados do que os dos homens quanto os céus são mais elevados
do que a terra", como Isaías elaboraria mais detalhadamente em Isaías 55:
8Isaías 55: 8 .

Em Isaías 53: 1 Isaías 53: 1 , a linguagem sugere que "ninguém" acreditou no


relato ou ouviu a Palavra de Deus; mas a palavra do apóstolo Paulo mostra
que as declarações aqui são hipérboles; porque ele disse: "Nem todos deram
ouvidos às boas novas" ( Romanos 10:16 Romanos 10:16 ). Aqueles que
deram ouvidos foram os apóstolos da Igreja do Novo Testamento e aqueles
que seguiram sua liderança. No entanto, a porcentagem muito pequena do
Velho Israel que acreditava e obedecia ao Filho de Deus justificava plenamente
a hipérbole. Um uso semelhante desta figura de linguagem é visto em Lucas 7:
29-30 Lucas 7: 29-30 , em comparação com Mateus 3: 5Mateus 3: 5 .

"Como uma planta tenra, e como uma raiz de terra seca ..." ( Isaías 53:
2Isaías 53: 2 ), Aqui são dadas as condições do ambiente terrestre de Jesus,
que parecem ser reveladas como a razão pela qual ele não tinha beleza ou
beleza isso faria com que ele fosse desejado pelos homens.

Não podemos crer que a falta de atrativos físicos ou a fealdade do Filho de


Deus sejam entendidos pela falta de beleza ou de conforto de sua parte. A
tremenda atratividade de Jesus para as grandes mulheres da época que o
conheciam nega absolutamente qualquer negação do poder e magnetismo de
sua personalidade ( Lucas 7: 37,38 ; 8: 1-4, etc.). Da mesma forma, o apelo
que Jesus tinha para os pescadores acidentados da Galileia, e a autoridade de
seu braço direito forte com os chicotes quando ele expulsou os cambistas do
templo; Nenhum desses fatos se harmonizará com um semblante pouco
atraente ou qualquer forma de "fealdade" pessoal. Não! O que se quer dizer é
que nenhuma das armadilhas da riqueza, cargo, status social ou qualquer outra
coisa que seja tão honrada entre os homens, pertencia a Jesus. Lucas
7:37 , 38

"Como raiz do solo seco ..." ( Isaías 53: 2Isaías 53: 2 ). Qual é o "solo seco"
aqui? "Isso se refere a uma era corrupta e nação, e o solo árido da
humanidade." [5] Tanto a nação de Israel como todas as nações do mundo
gentio pré-cristão foram neste momento judicialmente endurecidas pelo próprio
Deus; e nada poderia parecer mais impossível para os cidadãos daquela idade
4

dissoluta do que o fato de que o Santo Messias de Deus nasceria para pais
humildes em alguma aldeia obscura, e que a salvação de todo o mundo estaria
disponível somente através daquela Criança!

A falta de beleza e de comicidade falada aqui tem sido a ocasião de todos os


tipos de declarações depreciativas sobre Cristo. Por exemplo, Wardle afirmou
que a passagem significa: "Ele foi desprezado, atormentado e doente, de modo
que os homens se afastaram dele em repulsa". [6] Nenhuma palavra em toda a
Bíblia justifica tal declaração como esta. A ênfase na falta de beleza e beleza
não se refere de modo algum à aparência física de Jesus, exceto durante
aquelas cenas terríveis da Semana Santa, durante as quais ele foi negado
dormir, espancado impiedosamente por um castigo romano, ridicularizado
cerca de seis vezes ao todo, coroado. com uma coroa de espinhos, torturado
até a morte na cruz, obrigado a carregar a cruz até desmaiar, ser atingido no
rosto por uma cana, insultado e cuspido! Esta foi a época em que seu rosto
estava marcado, e os últimos vestígios de sua beleza física pereceram sob o
tratamento desumano e venenoso de Satanás e seus filhos que o mataram.

"Desprezado e rejeitado pelos homens ..." ( Isaías 53: 3 ). Archer interpretou


isso como "falta de homens distintos como seus apoiadores". [7] Isso se
harmoniza com o fato de que um cobrador de impostos e pescadores comuns
estavam entre seus apóstolos, enquanto pessoas distintas como o jovem rico
se afastaram dele. "Os homens ainda persistem em evitar enfrentar o
'verdadeiro Jesus', preferindo o que chamam de 'o Jesus histórico' que não os
incomodaria com a cruz." [8]

Verso 4

O TERCEIRO STANZA

"Seguramente ele suportou as nossas tribulações e levou as nossas


dores; todavia, nós o estimamos ferido, ferido de Deus e afligido. Mas ele
foi ferido pelas nossas transgressões, moído pelas nossas iniqüidades; o
castigo da nossa paz estava sobre ele e com as suas feridas ficamos
curados. Todos nós, como ovelhas, nos desviamos, tornamo-nos todos
para o seu caminho, e o Senhor colocou sobre ele a iniqüidade de todos
nós.

Este é o coração da Canção do Servo; aqui aprendemos porque Jesus sofreu,


que não foi por ele mesmo, mas por nós que ele sofreu. Observe a recorrência
enfática da palavra "nosso", como em nossas aflições, nossas tristezas, nossas
transgressões, nossa paz e nossa cura. "O significado expiatório do sofrimento
é exposto aqui". [9]

Bem aqui está o coração vital do cristianismo: o caso da raça de Adão era sem
esperança. Todos pecaram e ficaram aquém da glória de Deus. A penalidade
do pecado é a morte, e a justiça de Deus requer que a penalidade seja
paga; do contrário, toda a raça humana teria se perdido para sempre. Mas não
havia ninguém que pudesse pagá-lo. Qual foi a solução? O próprio Deus entrou
5

na raça humana; e, na pessoa de seu Filho, pagou a penalidade na


cruz! Graças a Deus por seu dom indescritível! Não é de admirar que Satanás
tenha executado toda a crueldade possível sobre Jesus; porque sem o
sacrifício de Jesus em pagar a penalidade das transgressões humanas,
Satanás teria alcançado seu propósito de destruição total da raça de Adão.

As palavras "levaram nossas dores" em Isaías 53: 4 no hebraico são


literalmente "levadas nossas doenças"; [10] mas isto não é uma referência ao
sofrimento de Jesus de todas as nossas doenças, mas a sua cura todas as
doenças. Foi para deixar claro este ponto que os tradutores traduziram a
palavra "pesar". Assim, "as dores da rendição são justificáveis". [11]

"Considerámo-lo ferido de Deus e afligido ..." ( Isaías 53: 4 ). Há uma


condenação inadvertida de toda a raça humana nisso. Nenhuma tendência
entre os homens é mais prevalente do que a de atribuir todas as tristezas da
terra à culpa e aos pecados das pessoas que sofrem. Esse traço infeliz dos
homens é freqüentemente observado nas escrituras. Os pais do cego de
nascença perguntaram: "Quem pecou este homem, ou seus pais, por ele ter
nascido cego?" ( João 9 ); e os cidadãos de Malta atribuíram a picada de cobra
de Paulo à suposta criminalidade do apóstolo ( Atos 28.4). Isso indica que as
punições terríveis e ilegais, até mesmo a morte, que aconteceram a Jesus
foram consideradas pelo povo como sendo o resultado natural dos pecados de
Jesus. Quão errado e mal orientado foram as pessoas!

"Castigo ..." ( Isaías 53: 5 ). Pilatos pouco sabia, quando ele ordenou o castigo
de Jesus que seu comando causou o cumprimento desta profecia específica do
Cristo. Que o castigo foi realmente por "nossos pecados" e por "nossa paz" é
certo; porque o Procurador Romano declarou, por ocasião de sua ordem, que
não era de fato para qualquer coisa que Jesus era culpado; e ele declarou
inocente naquela ocasião!

"Listras ..." ( Isaías 53: 5) é outra referência ao castigo; e o tratamento


moderno dos criminosos não tem qualquer indicação sobre a brutalidade
terrível e sádica que acompanhou tais "brigas". Escavações do antigo tribunal
de Pilatos descobriram o pilar muito truncado sobre o qual nosso Senhor
poderia ter sido acorrentado, enquanto dois soldados romanos, de pé um de
cada lado, com os chicotes brutais tornados letais e sangrentos por pequenos
pedaços de ossos ou pedaços de vidro. presa às cordas dos chicotes, aplicava
a terrível punição, primeiro nas costas, e depois de virar a vítima para o peito e
o rosto, cada soldado ferindo a vítima com toda a sua força e levando tempo
com seus golpes, torturou a vítima dentro de uma polegada de sua vida. Não é
de admirar que o Senhor desmaiou sob o peso da cruz. Depois daquele
castigo, Jesus apresentou um espetáculo tão lamentável, que Pilatos realmente
achava que os judeus declarariam que ele não precisava de mais punição; e
então ele trouxe Jesus para fora e o apresentou à multidão, dizendo: "Eis o
homem"! Quão lamentável foi a subestimação de Pilatos do ódio sádico
daquela turba judia gritando por sua crucificação!

"Jeová colocou nele a iniqüidade de todos nós ..." ( Isaías 53:


6 ). Nenhuma maior declaração de Jeová foi dada do que esta afirmação de
6

que Jesus Cristo sofreu pelos pecados de todos os homens. A vida perfeita e
sem pecado de Jesus foi um sacrifício suficientemente adequado para expiar
os pecados de toda a humanidade.

Observe aqui que a profecia declara que Jeová pôs os pecados de todos os
homens sobre Jesus. Isto corresponde à afirmação de Paulo de que "Deus
propôs a seu filho para ser uma propiciação, pela fé, em seu sangue"
( Romanos 3:25 ). Assim, a iniciativa está com Deus nos sofrimentos de Jesus
na cruz. (1) Deus amou o mundo de tal maneira que ELE DEU UM ÚNICO
FILHO ENGANADO . Deus não foi o único, porém, que teve uma parte no
sacrifício de Jesus na cruz. (2) Satanás de fato feriu o calcanhar da Semente
da Mulher. (3) Cristo mesmo projetou sua morte no Calvário ( Lucas 9:31). (4)
Os judeus o crucificaram. (5) os romanos o crucificaram. (6) A raça humana o
crucificou. (7) Todo homem o crucificou. Você estava lá quando eles
crucificaram meu Senhor? Veja a extensa discussão destes sete sob a
pergunta "Quem Crucificou a Cristo?" em vol. 6 (Romanos) da minha série de
comentários do Novo Testamento, pp. 117-122.

Verso 7

O QUARTO STANZA

"Ele foi oprimido, mas quando foi afligido, ele não abriu a boca; como um
cordeiro que é levado ao matadouro, e como uma ovelha que antes de
seus tosquiadores é mudo, assim ele não abriu a boca. Pela opressão e
juízo ele foi tirado, e quanto a sua geração, que entre eles considerou que
ele foi cortado da terra dos viventes pela transgressão do meu povo a
quem o golpe foi devido, e eles fizeram a sua sepultura com o ímpio, e
com um homem rico em sua morte, embora ele não tivesse cometido
violência, nem havia qualquer engano em sua boca ".

Esta estrofe é um retorno ao tema do sofrimento por parte do Servo,


enfatizando no primeiro verso ( Isaías 53: 7 ) seu silêncio diante dos
acusadores, escarnecedores e dos "juízes" dos tribunais diante dos quais ele
estava. denunciado.

"A Septuaginta (LXX) faz parte desta passagem, como segue: Ele foi conduzido
como uma ovelha para o matadouro, e como um cordeiro antes do tosquiador é
mudo, então ele não abre sua boca. Em sua humilhação, seu julgamento foi
tomado. que declarará a sua geração, porque a sua vida foi tirada da terra: por
causa das iniqüidades do meu povo foi levado à morte. [12]

É imediatamente evidente que as declarações da nossa versão (American


Standard Version) e da Septuaginta (LXX) variam consideravelmente. Isaías
53: 8 , por exemplo, na Septuaginta (LXX) declara que foi o julgamento de
Jesus da inocência pronunciado por Pilatos que foi "tirado" através da violência
da multidão e da humilhação de Jesus; mas na versão padrão americana é
Jesus quem é levado embora. Acreditamos que ambas as versões estão
corretas, porque ambas são verdadeiras. Quando Felipe encontrou o eunuco
7

etíope no caminho para Gaza ( Atos 8:29 e segs.), A porção de Isaías que o
eunuco estava lendo e que formava a base da pregação de Filipe, Jesus para
ele, evidentemente, veio da LXX .

"Como um cordeiro que é levado ao matadouro ..." ( Isaías 53: 7 ). Este é


um símile agrícola baseado na verdade de que uma cabra abatida da maneira
tradicional responde com gritos de gelar o sangue que podem ser ouvidos a
uma milha de distância; mas uma ovelha se submete à faca do açougueiro em
silêncio. O mesmo fenômeno ocorre quando os animais são cortados. Jesus se
submeteu aos ultrajes perpetrados contra si mesmo, não oferecendo mais
resistência do que um cordeiro, seja cortado ou abatido.

"Em sua humilhação ... seu julgamento foi tirado ..." ( Isaías 53: 7 , como
em LXX ), O veredicto de Pilatos foi de inocência; mas, influenciado pelos
gritos da turba sanguinária, Pilatos tirou seu julgamento e ordenou sua
crucificação.

"Sua geração, quem deve declarar?" ( Isaías 53: 7 , LXX) Há dois


entendimentos disso, ambos os quais podem estar certos, pois ambos são
verdadeiros. (1) "Quem deve declarar o número daqueles que compartilham
sua vida, e são, como foram, brotou dele? Quem pode contar seus fiéis
seguidores?" [13]

(2) Bruce, no entanto, fez a passagem: "Quem pode descrever sua


geração?" [14] Quem de fato poderia descrever aquela geração perversa que
desprezou e assassinou o Filho de Deus? Que crescente vergonha foi
alcançada por aquela companhia maligna que resistiu a todas as palavras do
Salvador da humanidade, zombou dele, odiou-o, negou os sinais que ele
realizou diante de seus olhos, subornou testemunhas para jurar mentiras em
suas provações, rejeitou e gritou de tribunal o veredicto de inocência anunciado
pelo governador da nação, e através de chantagem política, violência da turba
e intimidação pessoal do Procurador, exigiu e alcançou sua
crucificação? Quem poderia descrever a idiotice moral de uma geração que
provocou a vítima indefesa até mesmo na cruz, que se regozijou com sua
morte, e que, quando ressuscitou dos mortos, subornou as dezesseis
testemunhas com ouro para negar que realmente ocorrera. ? Quem de fato
pode descrever essa geração?

Bruce afirmou ainda que entre os tempos do prometido "Emanuel"


de Isaías ( Isaías 7:14 ) e "Filho do Homem" de Daniel ( Daniel 7:15 ), e o
ministério pessoal de Cristo, "Ninguém identificou o Servo Sofredor de Isaías
com o Messias davídico, exceto Jesus ". [15]

Cristo realmente se identificou como o Servo Sofredor de Isaías. "Um Servo ...
que daria a sua vida em resgate por muitos" ( Marcos 10:45 ). "Como está
escrito do Filho do Homem que ele deveria sofrer muitas coisas e ser
desprezado"? ( Marcos 9:12 ) "Como de fato, a menos que o Filho do Homem
seja também o Servo do Senhor"? [16] Assim, o próprio Jesus Cristo afirmou
que o Filho do Homem e o Servo Sofredor são um e o mesmo!
8

Em nossa opinião, Isaías 53: 8 , como na American Standard Version, é muito


mais fraco que a Septuaginta (LXX); e isso pode ter explicado o fato da citação
do Novo Testamento seguir a LXX . Em nossa versão,Isaías 53: 8 torna-se
uma sentença bastante longa, enfatizando o fato de que Cristo morreu em vez
do Velho Israel, a quem o golpe foi devido. Claro, isso é verdade o
suficiente; mas se esta é realmente a versão correta, por que a natureza vicária
da morte de Jesus não foi declarada na estrofe anterior? São os "sofrimentos"
que são discutidos aqui? Podemos ler de qualquer maneira; e é verdade de
qualquer maneira!

"E eles fizeram a sua sepultura com o ímpio e com um homem rico na sua
morte ..." ( Isaías 53: 9 ). Esta é a profecia mais surpreendente em Isaías. O
fato significativo é que a palavra "perverso" aqui é plural, e as palavras "homem
rico" são singulares. [17]

"Aqueles que condenaram Cristo a ser crucificado com dois malfeitores no


campo de execução comum," o lugar de uma caveira "significavam que seu
túmulo estava com os ímpios (claro, essa é a razão pela qual tantos soldados
foram designados para a tarefa de crucificação; eles cavariam as sepulturas. -
JBC), com quem naturalmente teria sido, mas pela interferência de José de
Arimatéia. Os romanos sepultaram pessoas crucificadas com suas cruzes perto
do local de sua crucificação. " [18]

Isto não profetiza que Cristo seria enterrado em duas sepulturas, mas que
"eles" fariam duas sepulturas. Não há como essa profecia ter sido cumprida por
uma sepultura; dois são absolutamente necessários!

Há muito mais do que aparece nas linhas aqui. Jonas também, o grande tipo
de Jesus do Antigo Testamento, sendo o único do Antigo Testamento
especificamente citado e identificado como um tipo de Si mesmo pelo Senhor,
tinha dois túmulos. Não há espaço em um trabalho desse tipo para um relato
completo disso; mas o leitor é referido ao vol. 1 (Joel, Amós, Jonas) em nossa
série de comentários sobre os profetas menores, pp. 345-347.

Verso 10

O QUINTO STANZA

Ainda assim, aprouve a Jeová feri-lo, e ele o magoou. Quando tu fizeres


de sua alma uma oferta pelo pecado, ele verá sua semente, prolongará
seus dias, e o prazer de Jeová prosperará em sua mão. Ele verá do
trabalho de sua alma, e ficará satisfeito: pelo conhecimento de si mesmo,
o meu servo justo justificará a muitos, e ele levará as suas iniqüidades.
Portanto, eu vou dividir-lhe uma porção com os grandes, e ele deve
dividir o mimai com os fortes, porque ele derramou sua alma até a morte,
e foi contado com os transgressores; contudo, ele revelou o pecado de
muitos e intercedeu pelos transgressores.
9

"Ele prolongará os seus dias ..." ( Isaías 53:10 ). Para alguém que realmente
foi morto, isso é inegavelmente uma profecia de sua ressurreição dentre os
mortos. De nenhum outro meio, qualquer coisa, poderia ser dito que aquele
que derramou sua alma até a morte, que ele "prolongaria seus dias". Como o
próprio Cristo declarou: "Eu sou o primeiro e o último e o vivo; e eu estava
morto, e eis que estou vivo para sempre mais, e tenho as chaves da morte e do
inferno" ( Apocalipse 1:18). ).

Esta estrofe aponta para a glorificação que Deus designou para o Servo
Sofredor depois que os sofrimentos terminaram, constituindo o problema que
permaneceu insolúvel para os profetas pré-cristãos. Veja 1 Pedro 1; 10-
12 . Adicionado à exaltação profetizada na primeira estrofe, a eternidade do
Senhor Jesus Cristo é claramente visível.

Esta última estrofe faz do sucesso mundial de Cristo a maravilha de todas as


idades. Ele verá sua semente, numerará seus seguidores nos incontáveis
milhões; ele prolongará os seus dias, ressuscitará dos mortos; o prazer do
SENHOR prosperará em sua mão, e a justiça prosperará no mundo; ele
justificará muitos, 1e, incontáveis milhões serão salvos de seus pecados
através dele; Eu dividir-lhe-ei uma porção com o grande, Jesus Cristo
alcançará a "grandeza" mundial e perpétua. Em conexão com isto, deve ser
lembrado que toda a história cai em AD e BC, e que mais grandes e belos
edifícios foram construídos e dedicados à sua glória em um único século do
que foram erigidos e dedicados a todos os reis e potentados que sempre viveu
nos milênios anteriores da história humana, etc.

"Ele foi contado com os transgressores e intercedeu pelos


transgressores" ( Isaías 53:12 ). Esta profecia foi cumprida pelo próprio
Salvador quando ele orou por aqueles que o pregaram na cruz: "Pai, perdoa-
lhes, porque não sabem o que fazem" ( Lucas 23:34 ).

Certa vez, quando este escritor viajou para o sul, no Missouri-Pacífico, de St.
Louis para Little Rock, um unitarista percebeu minha leitura do Novo
Testamento; e ele disse: "Vocês cristãos têm toda a sua aritmética errada.
Como poderia o sacrifício expiatório de um homem eliminar os pecados de
bilhões de homens"?

A resposta foi: "De fato, você está certo. O sacrifício de um homem não
eliminaria nem mesmo os pecados daquele homem, muito menos os pecados
de todos os homens. Seu erro, Senhor, é sua falha em ver que Jesus Cristo
estava em não faz sentido o que quer que seja apenas um homem. Ele era e é
o Filho de Deus, Deus manifestado na carne; e o sacrifício expiatório do Ser
Sagrado foi mais que suficiente para eliminar os pecados de todas as miríades
de homens que já viveram. Esta resposta deixou o questionador sem resposta.