Você está na página 1de 25

POR QUE A

JURIMETRIA É
ESSENCIAL PARA O
SEU NEGÓCIO?
ÍNDICE
1. Vivemos a Quarta Revolução
Industrial

2. O Direito está realmente usando


inteligência artificial?

3. O problema de engenharia

4. A solução da ciência de dados

5. O que é Jurimetria

6. Para que usar Jurimetria

7. De que forma a Jurimetria melhora


os resultados profissionais

8. Como escolher a plataforma ideal


de Jurimetria

9. Sobre o Lab da Justiça


da Softplan

10. Sobre a Softplan


vivemos a quarta
1
revolução industrial

Nunca se falou tanto na Quarta Revolução


Industrial, na Inteligência Artificial e no
quanto isso tudo faz parte da nossa vida. Por
todos os cantos, discute-se cada vez mais a
aplicação da inteligência artificial em diversos
segmentos. O comportamento da sociedade
mudou de diversas formas e isso serve de
exemplo para fortalecer os argumentos e
explicar várias ações dessa nova Revolução.

Para o Gartner, a principal empresa de
consultoria em tecnologia do mundo, a
inteligência artificial é a tecnologia mais
disruptiva dos próximos dez anos. Ela tem
papel fundamental na mudança das profissões,
por exemplo. De acordo com estudo do Fórum
Econômico Mundial, 65% das crianças de
hoje vão atuar em profissões que ainda não
existem.

O relatório The future of Jobs (“O futuro


dos trabalhos”, em tradução livre) identifica
o crescimento no poder de computação e
Big Data, e a inteligência artificial como
alguns dos grandes fatores de mudanças nas
profissões no futuro.

Apesar de a inteligência das máquinas ter


começado na década de 50, é no momento
atual que as máquinas estão em pleno
aprendizado, segundo dados da Singularity
University.

A previsão da instituição é a de que entre


2015 e 2023, a capacidade acumulada
das máquinas irá ultrapassar os níveis de
inteligência humana.

A Justiça também vive um momento singular.


Em 2018, estima-se que 95% dos novos
processos adentrarão nos 92 Tribunais
do Brasil em sua forma digital, sem papel.
Os dados provenientes desses processos
constituem a matéria-prima fundamental
das tecnologias baseadas em inteligência,
transformando completamente as atividades
dos operadores do Direto.
o direito está
realmente
2 utilizando
inteligência
artificial?
Alexandre Zavaglia Coelho

Que a tecnologia está revolucionando


a prestação de serviços jurídicos, não
há dúvida. Especialmente em função
do volume de processos e da demanda
para a análise de quantidade massiva
de informações, das mais variadas
fontes. Mas, ainda existe uma curva de
aprendizado relevante sobre a aplicação
correta das diferentes ferramentas, sobre
o uso de Big Data e inteligência artificial.
Antes de tudo isso, os profissionais
precisam entender quais problemas
querem resolver, quais são os conceitos
relacionados ao uso das novas tecnologias
e, só depois, buscar as ferramentas e as
técnicas mais adequadas. O primeiro
passo é organizar os dados internos
usando automações e técnicas de business
intelligence e analytics. Os dados já
cadastrados são chamados de dados
estruturados e ter estes registros já ajuda
na resolução de muitas questões.
Nesse cenário, é importante compreender
a diferença entre dados estruturados (já
lançados em algum tipo de sistema) e não
estruturados. O avanço da tecnologia,
nos últimos anos, e a diminuição do custo
de armazenamento e processamento,
impulsionaram a possibilidade de
transformar textos escritos em papel
escaneado, áudios, vídeos, entre outros
registros, em um formato numérico com
linguagem computacional. Esse é um
dos principais fatores dessa revolução
digital, uma vez que 80% dos dados
produzidos no mundo são considerados
desestruturados.

E qual é o impacto de tudo isso no


Direito? Os dados estruturados nos
sistemas disponibilizados pelo Poder
Judiciário e nos sistemas de gestão de
processos, muitas vezes, não permitem
pesquisas mais avançadas para o suporte
à decisão de problemas jurídicos.
Se buscamos pelo termo “erro médico” e
o sistema só tem capacidade para filtrar
“ação indenizatória”, por exemplo, não
conseguimos:
- delimitar a quantidade;
de casos sobre o mesmo motivo;
- onde estão e o tempo de duração desse
tipo de processo em uma vara ou comarca;
- como os juízes estão decidindo essa
questão;
- demais variáveis necessárias para sugerir
a chance de ganho ou o valor ideal de
acordo.

Assim, temos usado inteligência artificial,


numa primeira camada, para buscar as
informações nos próprios documentos
(petições iniciais, por exemplo), para a
organização da base de dados de forma
mais precisa.

Recentemente, colaboramos em um
estudo, com a utilização da tecnologia
e as demais técnicas, desenvolvido pelo
Convex, da Softplan.
Com este sistema, lemos documentos
de mais de 65 milhões de processos
e encontramos cerca de 13 mil casos
(agulhas no palheiro) relacionados a
determinados temas, com o objetivo de
demonstrar a satisfação dos requisitos
objetivos para a aplicação de recursos
repetitivos perante o Superior Tribunal
de Justiça. Certamente, este é o primeiro
caso em nosso país a usar essas técnicas
para essa finalidade.

Também está em andamento um outro


importante projeto para monitorar a
aplicação da nova legislação trabalhista
na Justiça em tempo real, assim
como diversos outros para organizar
informações nos departamentos
jurídicos e escritórios especializados
em Contecioso, a fim de avaliar a
performance, afinar políticas de provisão
e de acordos, etc..
Só depois de organizar os casos exatos
para popular a pesquisa, de enriquecer
esses dados com todas as informações
relacionadas e classificá-los de forma
pormenorizada, é que, na última camada
desses projetos, é possível inferir com alta
acurácia as famosas predições, sempre
usando refinados modelos matemáticos.

É fácil produzir gráficos e dashboards


bonitos. Difícil é ter uma informação
precisa e correta, com a segurança
cognitiva desejada. E tudo isso depende
igualmente das pessoas porque, mesmo
utilizando o que existe de mais avançado,
nada é automático como as manchetes
sensacionalistas propagam.

Por tudo isso, precisamos desmistificar


essas questões e entender que os robôs
sempre vão ser mais eficientes para
ler milhares de documentos, organizar,
classificar informações, recomendar,
sugerir. Mas, nunca vão substituir
a importância dos profissionais do
Direito porque o que foi feito para
um estudo não é facilmente replicável
para outros (as variáveis sempre
mudam), especialmente em função da
imprevisibilidade das sempre mutantes
dinâmicas sociais e da insubstituível
inteligência humana para navegar no
incerto.

A formação do profissional do Direito


para essas novas habilidades e
competências é essencial para ter acesso
a essas oportunidades. Quem entender
isso rápido, vai ganhar mercado e
ascensão profissional. Esse é o momento
certo para quem conseguir enxergar
além dos conceitos equivocados e, com
o devido respeito, da replicação de
opiniões e textos produzidos por quem
não conhece realmente o dia a dia desses
projetos. Aproveite!

Alexandre Zavaglia Coelho é advogado


especializado em direito e tecnologia.
CEO da Legal Science, empresa de análise
de dados para o suporte à decisão, cliente
do Convex e parceiro no desenvolvimento
de projetos de pesquisa para o universo
jurídico. É também Head de Educação
da Future Law, criador e coordenador
do primeiro curso de Ciência de Dados
aplicada ao Direito.

o problema
3
de engenharia
A virada de chave para o aumento da
produtividade e para o ganho de qualidade
do trabalho dos profissionais do Direito
vem com a estruturação dos dados. A partir
do momento em que os advogados têm em
mãos informações detalhadas, confiáveis
e no nível de granularidade que precisam,
podem se dedicar à produção de peças
mais densas e à tomada de decisões mais
assertivas.

A estruturação de dados corresponde


a aproximadamente 80% do esforço
de projetos relacionados à inteligência
artificial. Para a Justiça, esse percentual é
ainda maior. Existem mais de 200 sistemas
diferentes gerenciando os 90 Tribunais do
Brasil. Eles não se falam, têm requisitos de
segurança, layout e nível de detalhamento
de dados bastante distintos. Isso sem
falar no imenso volume que esses dados
representam.

Só no Tribunal de Justiça de São Paulo,


entram em torno de 20 mil novos processos
por dia! Imagine 20 mil novas petições
iniciais, com 15 páginas em cada processo,
cada página “pesando” 60KB.

Estamos diante de um dilema clássico de


Big Data, ilustrado pelos problemas dos 3
“Vs” que o definem:
VOLUME
VARIEDADE
E VELOCIDADE DOS DADOS.

Uma solução adequada a esse problema


deve garantir uma capacidade de coleta e
disponibilização, alcançando abrangência
(todos os dados das peças processuais,
todos os Tribunais) e qualidade (dados
higienizados, normalizados e que façam
sentido aos advogados).

a solução da
4
ciência de dados

Dados bem organizados e confiáveis são


os insumos fundamentais para análises
baseadas em Ciência de Dados. Aqui, temos
dois conjuntos de disciplinas que podem ser
aplicadas.

A primeira é a de PROCESSAMENTO,
ENTENDIMENTO E GERAÇÃO DE
LINGUAGEM NATURAL. Essas técnicas
permitem a definição e a extração
automatizada de tópicos, etiquetas e
extratos de texto diretamente das peças
processuais. Podem ser organizados, por
exemplo, os dados do preâmbulo das
iniciais, os pedidos do autor, o núcleo
da argumentação jurídica que embasa os
pedidos ou a decisão do magistrado, o
tema de negócio a que se refere a petição
(exemplo: dano moral por extravio de
bagagem). Ou seja, estamos falando de uma
estruturação dos dados não estruturados.

O segundo grupo de técnicas de ciência


são as ANÁLISES PREDITIVAS E
PRESCRITIVAS. Elas são construídas
a partir do encontro entre a estatística,
a programação e o conhecimento
aplicado ao universo jurídico. A partir do
reconhecimento de padrões, correlações
e similaridades, criam-se modelos
matemáticos, utilizando algoritmos de
diferentes níveis de complexidade, para
prever ou antecipar ocorrências futuras,
baseado no histórico. E aqui entramos na
Jurimetria.
o que é
5
jurimetria
A Jurimetria é a aplicação das análises
baseadas em Ciência de Dados no ramo do
Direito. A partir da aplicação das técnicas
que detalhamos no capítulo anterior,
é possível estabelecer previsões sobre
eventos jurídicos. Por exemplo: o tempo
de duração de um processo, ou um marco
processual, a propensão de um réu aceitar
um valor proposto em audiência ou a
decisão que será proferida por determinado
magistrado.

São estas estatísticas criadas com base na


análise massiva de dados que dão forma à
Jurimetria.

O conjunto de técnicas indispensáveis


para o exercício estratégico da advocacia
engloba VOLUMETRIA, JURIMETRIA E
LEGAL ANALYTICS.
“[A VOLUMETRIA] Consiste em saber o
número de processos de determinada
pessoa ou empresa, qual a sua causa
raiz, os pedidos principais e subsidiários,
os valores envolvidos, dentre outras
informações”. Alexandre Zavaglia Coelho

A partir dos dados organizados,


agrupados e classificados por técnicas
de processamento de linguagem natural
e da construção de análises preditivas,
o advogado se torna mais produtivo e
assertivo em suas análises e
proposições.

“[A JURIMETRIA é a] Aplicação de


métodos de estatística e da probabilidade
ao estudo e elucidação dos fenômenos
jurídicos”. Marcelo Guedes Nunes

A volumetria e a jurimetria estão inseridas


no legal analytics, ou seja, no estudo e
análise de dados, estruturados ou não,
que visam à extração de conhecimento ou
de insights para a tomada de decisão no
Direito.
para que usar
6
jurimetria

A Jurimetria permite a análise de grandes


volumes de dados. Isso elimina tarefas
repetitivas e possibilita que o profissional se
dedique a outras atividades estratégicas que
exigem mais do seu conhecimento.

Uma solução tecnológica que usa a inteligência


artificial e a Jurimetria auxilia no trabalho de
escritórios de advocacia e empresas que contam
com departamentos jurídicos.
É possível, por exemplo, visualizar de
forma simples e clara os processos por
classe e apontar padrões. No caso de
uma instituição bancária que responde
por centenas de ações de indenização,
a Jurimetria cria estatísticas e indica os
índices de ganho e perda desses processos
a partir do histórico de decisões já
proferidas em processos do mesmo tipo.

de que forma
a jurimetria
7
melhora resultados
profissionais

O acesso a dados extremamente


detalhados e confiáveis permite traçar
estratégias mais assertivas.

Muitos dos profissionais que aplicam a


Jurimetria em seu dia a dia dispõem de
mais tempo para direcionar à atividades
intelectuais, já que as tarefas burocráticas
ficam a cargo das soluções tecnológicas.

o altíssimo nível de informações sobre


processos ativos, legado e concorrentes
geram vantagem competitiva para o
escritório de advocacia ou departamento
jurídico que utiliza a Jurimetria.

As análises preditivas, que indicam


as possibilidades de futuro, reduzem
consideravelmente a probabilidade de

o advogado ser surpreendido com o


resultado de algum processo.

A Jurimetria permite maior compreensão


sobre a tramitação de um processo, a
ponto de possibilitar que o escritório ou
departamento se organize em relação
às causas que preditivamente são
identificadas como perdidas, no sentido de
minimizar os prejuízos.

como escolher
8 a plataforma ideal
de jurimetria

Escritórios de advocacia e departamentos


jurídicos que planejam tornarem-se mais
eficientes a partir da tomada de decisão
orientada por dados precisam dispor de
profissionais com amplo conhecimento em
inovação na Justiça e dispostos a conduzir
os profissionais do Direito durante todo o
processo de implantação da solução.

É importante que haja uma equipe de


cientistas de dados multidisciplinar,
especializada na aplicação de Analytics,
Big Data, Machine Learning e Computação
Cognitiva para suporte e operacionalização
das demandas.
As melhores soluções de Jurimetria são
as totalmente personalizáveis, capazes de
acompanhar o dinamismo do escritório e/
ou departamento.

O sócio do escritório ASBZ, João Biazzo,


avaliza o Convex como uma solução
capaz de prover uma assitência jurídica
diferenciada.

“O Convex foi a primeira solução onde vi uma


aplicação real de inteligência artificial no Direito.
Com ele, estamos provendo um serviço diferenciado
aos nossos clientes. O Convex antecipa eventos e
decisões nos processos e me permite visualizar, de
forma intuitiva e instintiva, todas as movimentações
e marcos processuais.” João Biazzo, sócio do
escritório ASBZ

Os cientistas de dados e especialistas em


Justiça do Laboratório de Ciência de Dados
desenvolvem o Convex de forma totalmente
personalizada para suprir as demandas de cada
cliente. O resultado são análises preditivas e
prescritivas, e projeção de cenários em tempo
real, destaca a advogada do escritório Telini
& Falk Advogados Associados, Rafaela Maria
Zandavalli.
“O Convex fornece uma visão estratégica
da carteira de processos dos nossos clientes,
permitindo, assim, a tomada de decisões
mais assertivas. Por meio de análises
preditivas e prescritivas, conseguimos antever
desdobramentos do processo e projetar
cenários em tempo real. Ele contribui para
uma gestão jurídica moderna.” Rafaela
Maria Zandavalli, advogada no Telini & Falk
Advogados Associados
sobre
9 o lab da justiça
da softplan

O Laboratório de Ciência de Dados da


Justiça (Lab da Justiça) é composto por
uma equipe multidisciplinar especializada
em Analytics, Big Data, Machine Learning e
Computação Cognitiva.

Com foco em análises preditivas e


prescritivas, a missão do Lab é apoiar as
instituições que compõem o ecossistema
da Justiça, de forma a melhorar
significativamente o processo de tomada
de decisão estratégica.

10 sobre a softplan

A Softplan é a empresa líder em


transformação digital, analytics e inteligência
artificial para o ecossistema da Justiça.

Consolidada como a maior lawtech da


América Latina, desenvolve soluções para
Tribunais, Ministérios Públicos, Procuradorias
Jurídicas e escritórios de advocacia.

O Sistema de Automação da Justiça (SAJ),


desenvolvido pela empresa que está
no mercado há quase 30 anos, atende
diretamente a sete Tribunais de Justiça
Estadual: Acre, Alagoas, Amazonas, Mato
Grosso do Sul, Santa Catarina e São Paulo, a
maior Corte da América Latina.

O SAJ promove a gestão de todo o fluxo


processual e por ele tramitam cerca de 50%
de todos os processos judiciais do Brasil.

www.convex.la
convex@softplan.com.br