Você está na página 1de 19

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM RURAL

Técnico em Agronegócio

Uniceasa - Contagem

Fernando Anastácio Moreira

Volnei dos Santos

DESAFIOS NA CRIAÇÃO E COMERCIALIZAÇÃO DA


GALINHA CAIPIRA

Contagem - MG

2017
Fernando Anastácio Moreira

Volnei dos Santos

Projeto final apresentado como trabalho de


conclusão do Curso Técnico em Agronegócio, do Serviço
Nacional de Aprendizagem Rural - SENAR, Regional Minas
Gerais, polo de Contagem - MG, orientado pelo tutor Célio
Gomes Floriano, como requisito para obtenção do diploma
de habilitação técnica.

Contagem - MG

2017
RESUMO

A criação da galinha caipira é muito relevante na propriedade familiar, possibilitando um aumento em


sua renda. Essa atividade é de grande importância social, proporcionado oportunidades e agregação
de valor aos insumos e da mão de obra disponível das famílias que nela habitam. No entanto, exige
um planejamento adequado e seriedade para transformar a atividade em um negócio lucrativo, sendo
necessária a adequação na propriedade para o manejo e uma efetiva comercialização de ovos e
carne, que geralmente, são feitas de formas incorretas, gerando prejuízos e desgaste. Todavia a
criação das aves domésticas, conhecidos como galinhas caipiras nos quintais das pequenas
propriedades, não acompanhou o avanço tecnológica e, por esta razão vem apresentando baixa
produtividade e aumento na mortalidade, em decorrência da baixa qualidade de seu manejo, falta de
cuidados higiênico e sanitários, deficiência alimentar e pouco ou nenhuma experiência dos
produtores. Contudo, torna-se necessário adquirir conhecimentos das técnicas de manejo utilizadas
para alcançar êxito na sua criação.

Palavras-chave: Desafios, Criação e Comercialização.


SUMÁRIO

1. INTRODUÇÃO ................................................................................................................................ 1

2. OBJETIVO ....................................................................................................................................... 2

2.1 Metodologia ................................................................................................................................... 2

3. INÍCIO DA EXPLORAÇÃO DE AVES ............................................................................................. 2

3.1 Segmentos da avicultura brasileira ............................................................................................... 2

4. IMPORTÂNCIA SÓCIO ECONÔMICA PARA AGRICULTURA FAMILIAR ......................................

5. OS DESAFIOS ENCONTRADOS EM SUA CRIAÇÃO................................................................... 5

6. COMO INICIAR A CRIAÇÃO .......................................................................................................... 6

6.1. A escolha da galinha e do galo .................................................................................................... 6

6.1.1 Instalações do galinheiro............................................................................................................ 7

6.1.2 Seleção das aves de linhagens comerciais ............................................................................... 8

6.1.3 Cuidados com alimentação ........................................................................................................ 9

6.1.4 Cuidado na higiene .................................................................................................................. 10

7. A COMERCIALIZAÇÃO E SEUS DESAFIOS ............................................................................... 11

7.1 Tendências e oportunidades ....................................................................................................... 12

7.1.1 Público diferenciado ................................................................................................................. 12

7.1.3 Dicas de produção e comercialização ..................................................................................... 13

8. MARKETING ................................................................................................................................. 14

9. CONCLUSÃO. ............................................................................................................................... 14

10. REFERÊNCIAS ............................................................................................................................ 15


1. INTRODUÇÃO

O presente estudo aborda os desafios enfrentados pela agricultura familiar, ao aplicar boas
práticas de manejo e comercialização da galinha caipira, considerando o grande crescimento em sua
demanda, e a falta de aplicabilidade de técnicas adequadas para que o produtor tenha uma produção
que otimize seus lucros.

Segundo (MENDES, 2017), a criação de aves “é uma boa alternativa de renda para o
pequeno produtor, especialmente com a tendência dos consumidores preferirem produtos, como
carne e ovos de galinha caipira, que recebe uma alimentação alternativa, obtida na própria
propriedade”. Podemos considerar e destacar que entre as diversas atividades que o produtor rural
tem em sua propriedade, “a criação de animais de pequeno porte, possui muitas vantagens com a
possibilidade de se obter alta produção em pequenas áreas, rápida recuperação do capital investido e
trabalho leve, podendo ser realizado com a mão de obra familiar”. (MURAD e SILVA, 2014, p. 8)

A criação de galinha caipira é uma tradição no Brasil, motivo pelo qual vem favorecendo as
pequenas propriedades, dando a oportunidade para ampliação de sua produção e comercialização.
Porém a falta de técnicas adequadas para o manejo na criação é um dos grandes osbstáculos para
os pequenos produtores, resultando em pouco resultado e lucro.

Conforme (CANCHERINI, et al.) nos últimos dez anos, o mercado começou a se interessar
novamente por galinhas criadas no sistema artesanal, essa atividade se apresenta com excelentes
perspectivas, pois se trata de um mercado específico.

1
2. OBJETIVO

Este trabalho tem como objetivo, identificar as dificudades na criação da galinha caipira na
agricultura familiar, dando o suporte necessário em seu manejo e comercialização.

2.1 Metodologia

Visando melhor entendimento vamos elaborar o trabalho, com pesquisas científicas, coleta de
dados em pequenas propriedades, identificando os pontos fortes e fracos, para que possamos fazer
um diagnóstico que atenda às necessidades do pequeno produtor.

3. INÍCIO DA EXPLORAÇÃO DE AVES

É necessário conhecermos um pouco mais sobre, segundo (MURAD e SILVA, 2014, p. 9). “o
início da exploração racional das aves no Brasil até os dias atuais. Com a sua criação em sítios e
fazendas, sendo muita representativa como uma fonte de renda”. No entanto, só a partir de 1930 é
que passou a ser vista como uma atividade lucrativa visando à produção avícola para venda de carne
e ovos. Então, em decorrência os avicultores ficaram entusiasmado pelo aspecto econômico
iniciaram às tentativas de promoverem novos acasalamentos entre as diferentes raças de galinhas,
visando aprimorar a espécie.

3.1 Segmentos da avicultura brasileira

A avicultura brasileira se dividiu em quatro segmentos básicos:


1º segmento: criação em escala comercial (frangos de corte e poedeiras comerciais) com objetivo
de abastecer o mercado com produção de carne e ovos, utilizando material genético de alta
produtividade.

2º segmento: criação de outras espécies avícolas como peru, marreco, pato, ganso, codorna, galinha
d'angola e avestruz, criados em sistemas intensivos de cunho empresarial ou não.

3º segmento: criação de aves caipiras (frangos e poedeiras) em regimes semi-intensivo e extensivo,


caracterizados como criações de fundo de quintal, com o objetivo de abastecer um nicho de mercado
(propriedades, vilas e povoados) com carnes e ovos, alcançando grande desenvolvimento nos
últimos anos como é o caso da criação caipira.

4º segmento: criação de aves silvestres e ornamentais como: canários, periquitos, pombos, cisnes,
entre outros.
Podemos percebe que houve uma evolução na criação de aves de pequeno porte. Vamos dar
atenção a galinha caipira, que se destaca no terceiro seguimento.

Segundo MALAVAZZI (1982), “para um melhor desempenho, quanto à exploração


socioeconômica das aves no Brasil, é preciso conhecer os períodos de desenvolvimento da avicultura
brasileira e salientar os principais fatos que o marcam”.
2
Além dos seguimentos já mencionados, a avicultura passou por períodos que colaboraram
para evolução da sua espécie:

a) Período romântico - de 1900 a 1930

 A atividade avícola era mais utilizada como hobby do que como fonte de renda.
 As instalações avícolas eram bastante melindrosas, consistindo de poleiros feitos de forma
precária.
 Os avicultores tinham pouco ou nenhum conhecimento técnico e tinha como distração o
cruzamento entre as raças, com o objetivo de obter aves.
 Ocorreu a importação das primeiras galinhas de raça pura, sendo que a primeira a ser
introduzida no país foi à raça Minorca.
Figura 1 Raça Minorca.

Fonte: fazendavisconde.com.br

b) Período comercial - de 1930 a 1960

 Os criadores abandonaram o romantismo da exibição da linhagem ornamentais, partindo para


o início de uma avicultura voltada para área comercial.
 Com a criação do Instituto Biológico1, órgão do governo, foi possível o desenvolvimento de
vacinas contra a Bouba Aviária e a Cólera.
 A instalação da primeira fábrica de ração, em 1941, dando a oportunidade ao atendimento
aos avicultores que procuravam adquirir rações balanceadas.
 Com o aval do governo, foi permitida a importação de equipamentos avícolas como as
incubadoras automáticas, possibilitando a produção e comercialização.
 Com o aparecimento das primeiras associações avícolas e cooperativas iniciou-se às
operações em prol do setor.

1
O Instituto Biológico (IB) é um centro de pesquisa vinculado à Secretaria de Agricultura e
Abastecimento do Estado de São Paulo, voltado à produção, difusão e transferência de tecnologias e
conhecimento científico nas áreas de agronegócio, biossegurança e atividades correlatas.
3
c) Período industrial - de 1960 a 1970

• As importações de várias linhagens estrangeiras de alta qualidade genética contribuíram para


a rápida evolução da avicultura brasileira.
• O aperfeiçoamento dos técnicos brasileiros concorreram para a melhoria das de manejo e
nutrição das aves.
• Ocorreu a implantação dos grandes complexos avícolas como, por exemplo, o da Granja
Rezende, além de outros.
• A predominância do senso econômico marcou todas as atividades avícolas.

d) Períodos super. Industrial - de 1970 aos nossos dias

• Passamos a utilizar da nossa própria tecnologia.


• Os primeiros sistemas de integrações entre produtores e agroindústrias deram novo rumo ao
setor.
• Incrementaram as exportações de frangos de corte, inteiro e em partes, como as do Grupo
Sadia e outros.
• Houve a consolidação propriamente dita da exploração avícola econômica industrial.
Nota-se uma grande evolução entre os períodos de criação das aves param o
consumo humano.

4. IMPORTÂNCIA SÓCIO ECONÔMICA PARA AGRICULTURA FAMILIAR

Além de ser uma atividade alternativa, é uma excelente fonte geradora de renda, alguns
pontos positivos devem ser observados na sua criação:
• Contribui para a fixação do homem no campo.
• É compatível com propriedades de pequeno porte.
• Necessita de uma pequena área de terra a ser usada na instalação do aviário.
• Utiliza normalmente terras fracas e desvalorizadas, onde a agricultura mecanizada e
impraticável.
• Concorre para a recuperação de terras pelo uso de estercos produzidos pelas aves.
• Apresenta bom rendimento, proporcionando rápido giro de capital.
• Aproveita a mão de obra ociosa, geralmente familiar.
• Fornece proteína de alta qualidade.

Com tanto benefício, podemos dizer que a atividade é um exemplo produtivo de sucesso,
além de gerar renda, a avicultura melhora o nível social da população, e ainda pode ser uma boa
fonte para o pequeno produtor.

A galinha caipira se destaca como uma das espécies mais explorada na avicultura, pois tem
como principal atividade a produção de carne e de ovos, sendo que, a sua exploração é conhecida
por: avicultura de corte e avicultura de postura.
4
5. OS DESAFIOS ENCONTRADOS EM SUA CRIAÇÃO

Percebemos então que a comercialização da espécie é um atrativo para a agricultura familiar,


porém existem grandes desafios encontrados pelo pequeno produtor ao iniciar o seu negócio, como:
• A falta de técnica em sua criação e manejo.
• A inexperiência do produtor.
• Falta de planejamento.
• Dificuldades para o manejo e criação.
• Falta de controle de custos na produção.
• Falta de conhecimento da espécie mais indicada.
• A precariedade da divulgação de seu produto.

Além dos fatores acima devemos salientar, que uma das grandes barreiras para o
crescimento da sua comercialização (galinha caipira) está na sua forma rústica em que é criada, de
forma solta e sem controle, este modelo é muito criticada pelas organizações sanitárias, pois a forma
antiga e tradicional que nossos avós ou antepassados criavam em fundos de seus quintais, ou em
áreas rurais sem o devido controle, e totalmente soltos.

Segundo Senhor (Moreira, 2017), entrevistado e proprietário de uma pequena propriedade


rural localizada na cidade de Santa Luzia, Minas Gerais, “gosto de criar a galinha caipira, porém acho
que estou tendo prejuízo, e muitas galinhas e frangos estão morrendo em seu manejo, tendo pouca
produtividade e rentabilidade”. É notória a falta de uso de técnicas pelo produtor, na criação e
manejo, sendo necessário um acompanhamento de uma assistência técnica desde o início da criação
até a sua comercialização, aplicando técnicas que possam aprimorar o seu negócio, e deixá-lo
rentável. Para isso é necessário que o produtor siga etapas, em seu manejo para o atingir os
resultados esperados.
Figura 2 Criação de Galinha

Fonte: (MOREIRA)2017
5
O planejamento é fundamental para que se tenha êxito em sua criação e na obtenção de
lucro. Possivelmente o produtor irá necessitar de assessoria técnica, para implementar ações que
envolva a disponibilidade de recursos na implantação de seu negócio, evitando os erros e gastos
desnecessários, podem serem reduzidos ou até mesmo eliminados.

6. COMO INICIAR A CRIAÇÃO

O sistema de criação de galinha caipira pode ser de uma maneira diversificada, tendo a
disponibilidade de opções na produção, destas podemos destacar: a produção de ovos, frangos de
corte, pintinhos e frangas de reposição. Cabe ao produtor fazer a avaliação do mercado para
implementar ao seu negócio o produto que mais aceito em sua região.

Muitas dúvidas surgem ao iniciar um projeto, sendo necessário seguir alguns itens, para tornara-
lo\ viável e reduzir custos. Tais procedimentos podem ser vistos a seguir:

• A escolha da galinha e do galo.

• Instalações do galinheiro.

• Cuidado com alimentação.

• Cuidado na higiene.

• Raças disponíveis.

• Preferência na escolha da raça.

6.1. A escolha da galinha e do galo

Um dos pontos importantes a serem a observados é a escolha das matrizes e raças a serem
criadas. Segundo a Embrapa - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, a escolha deve ser
entre aquelas aves já presente no seu quintal ou na vizinhança, mas observe a idade, os hábitos, a
mansidão, a produção, a beleza e a saúde. Selecione fêmeas de seis a vinte e quatro meses de
idade que não tenham adoecido e que sejam: excelente poedeiras ou filhas de boas poedeiras,
excelente criadeiras, dócil e de bom tamanho. Depois de selecionada a matriz, está na hora da
escolha do galo.

O galo tem que ser de outra origem, mesmo sendo da mesma comunidade. Isso evita o grau
de parentesco próximo entre espécies, prevenindo o nascimento de pintos fracos, com defeitos
físicos ou pouco produtivos. Adota-se os seguintes critérios na escolha: filho de galinhas com boa
qualidade, esperto e valente, com idade próxima à idade da galinha, nem gordo nem magro, mas que
seja carnudo.
6
,

Figura 3 Galo para cria

Fonte: Pixabay

A criação se inicia com 1 (um) galo e12 (doze) galinhas. Quando o número de galinhas é
maior que 12 (doze) por galo, começam a aparecer ovos que não chocam (inférteis), podendo levar a
criação ao fracasso.

6.1.1 Instalações do galinheiro.

Segundo a Embrapa - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, para fazer as


instalações de maneira adequada que possa atender as boas práticas na criação, é necessário seguir
os processos:

• Um galpão com cobertura de quatro águas e 2,10 metros de pé-direito com cinco divisões,
sendo:

• Uma para galinhas em postura e para o galo, com ninhos.

• Uma para incubação dos ovos.

• Uma para pintos de até trinta dias de nascido (cria).

• Uma para pintos de trinta e um até sessenta dias de idade (recria).

• Uma para frangos e frangas em terminação.


7
Figura 4 Área do galpão com 5 divisões

Fonte: Robério dos Santos Sobreira

Não podendo esquecer-se do cercado, onde vai ficar as subdivisões para as acomodações
de sua criação.

• Uma para galos e galinhas em reprodução e postura.

• Uma para cria de pintos de até trinta dias de nascidos.

• Uma para recria de pintos de trinta e um a sessenta dias de idade.

• Uma para terminação (engorda) de frangos e frangas.

• Os piquetes são de tamanho variado e ficam ligados às divisões do galpão de acordo


com a fase de criação e a utilidade do produtor. Sendo mais indicado para sua construção próximo a
residência, em torno de trinta a cinquenta metros de distância, para facilitar o manejo.

6.1.2 Seleção das aves de linhagens comerciais

Conforme (Valdir, 2014) “existem mundialmente mais de 300 raças de espécies de galinhas
domésticas”. Podem distinguir-se três categorias principais de raças de galinhas: raças puras para
fins comerciais e raças híbridas que resultam de cruzamentos, destas podemos citar: Embrapa 051,
Gigante Negra de Jersey, Rhodia Island. Red., Plymouth Rock Barrada, Caipira de Pescoço Pelado,
Orpington, Caipira Comum, Shano, Embrapa 041, Garnisés, Paraíso Pedrês, etc. Cabendo ao
produtor a escolha da raça ideal para sua produção, e possivelmente será necessária uma
assistência técnica que possa orienta-lo na escolha.
8
Figura 5 Frango e Galinha Caipira - Frango Paraíso Pedrês

Fonte: (www.cpt.com.br/)2017

De uma maneira empírica podemos dividir as raças para fins comerciais de acordo com o seu
principal objetivo de produção: postura, principalmente as raças de galinhas leves, e produção de
carne, principalmente pelas raças mais pesadas ou de frangos de corte. As galinhas que são criadas
para produção de ovos e carne, são as chamadas raças de duplo objetivo.

Segundo (Edvaldo, Vieira, de A. Neto, & Sobreira, 2007), “é necessário que ao selecionar as
aves para serem criadas em sistema caipira, procurar encontrar um ponto de estabilidade entre a
rusticidade e a produtividade, e apresentar, aves com potencial de postura de 200 a 220 ovos” ao ano
e também aves especializadas para produção de carne. Por essa razão ao se criar tais galinhas,
recomenda-se a aves de pura raça, que são as raças americanas, inglesas e as linhagens caipiras
melhoradas.

A premissa básica de uma galinha caipira, tanto para corte como de ovos, é que a ave se
adapte à criação e apresente pele amarela e plumagem colorida. O sabor da carne da galinha caipira
deve ser mais natural, apresentar textura mais firme e possibilitar uma mastigação mais devagar e
saborosa, a cor da pele dos frangos e da gema dos ovos deve ser bem pigmentada.

6.1.3 Cuidados com alimentação

Segundo a Emater-MG Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado Minas


Gerais podem ser usadas as seguintes alimentações:
a) Grãos: milho, girassol, soja, feijão-guandu, arroz quebradinho, sorgo, etc.
b) Folhagem: folhas de couve, repolho, alface, chicória, mostarda, mamão, goiaba, banana,
mandioca, abóbora, inhame, capins, etc. As frutas e os legumes fornecem vitaminas e sais
minerais às aves, além de aumentar a pigmentação (cor) da gema.
9
c) Sais minerais: manter os comedouros com calcário calcifico, cascas de ovos moídos servem
também como fonte de cálcio.
Podendo obter a mistura de rações para melhor nutrição da criação, conforme mostra a
ilustração baixo.
Figura 6 Ração A e B

Fonte: Emater MG

Figura 7 Ração C / Sugestão de mistura mineral

Fonte: Emater MG

Percebe-se então, uma grande variedade na alimentação, possibilitando ao produtor reduzir


ainda mais o custo em sua produção, uma vez que muitos destes produtos podem ter em sua
propriedade.

6.1.4 Cuidado na higiene

Para ter um manejo adequado que possa atender as necessidades básicas na criação, é
necessário ter uma boa higienização do local, pois caso contrário, pode gerar muitas mortalidades
nos plantéis, devido a sua má conservação. A prática de higiene sanitária tem que ser rotineira,
mantendo limpos e desinfetados os equipamentos e as instalações de criação:
a) Os Bebedouros: é necessário a sua limpeza diária com água limpa e sabão e, eventualmente,
desinfetar com solução de água sanitária.
b) Os comedouros: fazer a limpeza das fezes, no mínimo uma vez por mês, e com frequência
esterilizar com solução de água sanitária.
c) Evitar a comida vencida e rançosa nos comedouros.
d) Os Ninhos: devem pulverizar contra mucuranas com produtos apropriados, observando as
especificações técnicas dos fabricantes, caso necessite fazer a troca da cama
10
e) O Piso: caso for de chão ou tijolos, retirar a cama e pulverizar com solução de creolina ou
benzocreol de três em três meses. Se for de cimento, após a retirada da cama, pulverizar
com solução de cal e creolina.
f) Poleiros: raspar periodicamente os poleiros para retirar as crostas de fezes e pincelar com
solução de cal e creolina, periodicamente. Pulverizar com esta solução as laterais do
galinheiro se for de madeira, bambu ou alvenaria.
g) Água: deve ser de boa qualidade.
h) Animais mortos: não deixá-los na área do parque ou dentro do galinheiro. Devem ser
queimados ou enterrados em fossas apropriadas.
i) Área do parque: mantê-la sem a presença de lixo e material orgânico.
j) Vermífugos: fornecer vermífugos às aves pelo menos de 90 em 90 dias ou cascas de
sementes de abóbora, regularmente.

Algumas das doenças podem ser prevenidas com a vacinação, como são os casos da
Newcastle e da bouba aviária. As demais devem ser prevenidas com as práticas higiênico-
sanitárias.
Figura 8 Doença, característica e vacinação

Fonte: Emater MG

O manejo adequado em todas as fases é essencial, pois oferece a qualidade e estrutura


necessária para o bom andamento da sua criação.

7. A COMERCIALIZAÇÃO E SEUS DESAFIOS

Segundo SEBRAE - Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas, trata-se de


“uma das atividades agropecuárias com perfil mais apropriado para os agricultores familiares, pois
além de estar enraizada na tradição cultural dos produtores, requer baixos investimentos, proporciona
boa lucratividade e tem uma importância fundamental para a segurança alimentar das famílias”. A
galinha caipira não disputa, em grandeza de produção e custo, com o frango industrial, mas em
11
peculiaridade e sabor da carne, atendendo a uma parte de mercado que paga mais por essas
características de apelo ecológico.

7.1 Tendências e oportunidades

O frango caipira também é uma opção atrativa de mercado na produção alternativa, com os
alimentos diferenciados e fabricados em menor quantidade e por pequenas propriedades. Por meio
desse tipo de produção, é possível obter produtos mais saborosos e naturais e com menor
quantidade de aditivos químicos.

7.1.1 Público diferenciado

O mercado de produtos avícolas é composto por consumidores mais exigentes, que


demandam produtos mais saborosos, com sabor diferenciado. Com a mudança de hábitos
alimentares desses consumidores, que a cada dia vêm dando preferência a produtos mais naturais,
considerados saudáveis, não podendo perder de vista que a produção, dentro das restrições
impostas pelo mercado, deve utilizar técnicas apropriadas para gerar produtos com as características
demandadas pelo consumidor, principalmente no tocante à segurança do alimento associada a um
retorno econômico adequado para atender às expectativas dos produtores.

Na região de Santa luzia - MG, coletamos dados de pequenos produtores para avaliar onde,
como e quanto é vendido a galinha caipira. Nota-se que a grande maioria vende sua produção de
porta em porta, na própria propriedade ou em pequenos comércios, e sua produção não são de raças
puras, resultado do cruzamento de várias raças, e os produtos que mais comercializados são, os
ovos e a galinha viva para o abate. A sua procura é grande na região, principalmente nos fins de
semana.

Através da pesquisa em campo obtivemos os seguintes:


Tabela 1 Tabela de preço

Fonte: Fonte: (MOREIRA)2017


12
Note-se uma variação significativa dos preços, por haver desconhecimento do custo de
produção e não agregar o devido valor ao produto. Como já vimos, a criação da galinha caipira é um
excelente alternativa comercial, porém sua escala de produção é pequena, por problemas de
logística, pouco conhecimento do produtor e divulgação, que muitas das vezes são comercializadas
em locais isolados, dentro de gaiolas ou em pequenas propriedades onde poucos têm o
conhecimento de criação e comercialização do seu negócio, dificultando assim, o manejo e venda de
seu produto.

Figura 8 Galinha Caipira em gaiola

Fonte: (MOREIRA)2017

Deve-se adotar mecanismo para obter resultados positivos, e ir de encontro do cliente,


elaborando estratégias na divulgação e formação de preços. A ajuda técnica será de fundamental
importância para que o pequeno produtor tenha resultados positivos no escoamento de sua
produção.

7.1.3 Dicas de produção e comercialização

Considerando as características do sistema de produção necessário para atender esta


demanda, a pequena propriedade familiar, são as que melhor se enquadram. Além disso, para serem
viáveis na atual competição de mercado, necessitam diversificar as atividades e associar-se entre
elas para obter uma melhor escala de produção e preço no mercado consumidor. Se não for
conduzida corretamente, a etapa comercialização pode inviabilizar bons projetos.

Os pontos preferenciais de comercialização, nesse caso, são os de varejo e com venda direta
ao consumidor, como as feiras livres e mercados públicos, onde a organização disponha de ponto de
venda. Quando se pretende abastecer casas especializadas, mercados, quitandas, supermercados,
13
padarias, ou vender no atacado, as margens de lucro são drasticamente reduzidas e todo o trabalho
será pouco remunerado.

8. MARKETING

Para entendemos melhor a importância do marketing na atuação como ferramenta de


melhoria para comercialização da produção, temos que entender o seu significado, segundo
Chiavenato (2007) Marketing “é o ato de satisfazer as necessidades dos clientes, administrando
relacionamentos lucrativos com os mesmos”.

Um dos maiores problemas enfrentados pelos pequenos produtores, e o meio pelo qual
divulgam seus produtos. É necessário investimento para que se possa mudar este cenário, que hoje
na maioria das pequenas propriedades o produto é divulgado de forma precária, através placas em
poste ou no famoso boca a boca. Não obtendo resultado satisfatório na grande demanda pela
procura da galinha caipira, que muitas das vezes a compra é realizada pelos consumidores em
grandes supermercados por desconhecerem o produto oferecido pelo pequeno produtor.

Para alavancar sua comercialização, muitos pequenos produtores buscam investir em


produtos diversificados com novos mecanismos de divulgação, destacando destaquem suas
qualidades nutritivas, buscando um mercado de produtos mais saudáveis, com embalagens
modernas e explicativas.

9. CONCLUSÃO.

Concluímos que a criação das aves de pequeno porte mais conhecida como galinha caipira,
vem se tornando um grande negócio para a agricultura familiar, gerando uma renda extra em suas
atividades, que pequenos erros em seu manejo e criação podem levar a grandes perdas de capital.
Para que isto não aconteça temos que levar em consideração a escolha da raça para obter
uma boa produção e lucros satisfatórios. Devemos sempre considerar o consumo de carne e ovos.
Temos que escolher raças com duplas aptidões que produzem carne e ovos com quantidade e
qualidade. Muitas vezes o pequeno produtor não tem em sua propriedade alimentação certa e
balanceada para a sua produção, sendo necessário investir em suprimentos para balancear sua
alimentação, aumentando o custo de produção.
Uma das alternativas para viabilizar e reduzir o custo de produção é o produtor utilizar
insumos de sua própria propriedade, onde todo excesso de folhagem e outros nutrientes sejam
direcionados para a criação das galinhas. Verificamos que devemos dá prioridade as raças poedeiras
como Paraíso Pedrês podendo produzir até 350 ovos se confinadas, podendo chegar até 7 Kg, viva.
Contudo, é necessário que o produtor utilize em sua propriedade boas técnicas de manejo, se
capacitando ou buscando ajuda técnica, utilizando sempre recursos descartáveis como alternativa de
alimentos, para que se tenha uma redução com custo de produção, tonando-se o negócio viável.

14
10. REFERÊNCIAS

BERTOLI, M. A. Galinha caipira - Avicultura familiar responsável. Portal do Agronegocio, 2017.


Disponivel em: <http://www.portaldoagronegocio.com.br/artigo/galinha-caipira-avicultura-familiar-
responsavel>.

CRIAÇÃO DE ANIMAIS. /criacaodeanimais.blogspot.com.br. Processamento e Mercado da Galinha


caipira, 23 nov. 2017. Disponivel em:
http://criacaodeanimais.blogspot.com.br/search/label/GALINHA%20CAIPIRA>.

DE SANTANA FILHO, E. et al. CRIAÇÃO DE AVES. Bahia: Selenê Cristina Badaró e Jacqueline C.
C. do Amaral, 2012.

ÉDEN ROCHA, F. D. Apostila de Criação de Frangos e Galinhas Caipiras. Fortaleza : [s.n.], 2006.
FAZENDA VISCONDE. /fazendavisconde.com.br. Minorca. Disponivel em:
<http://fazendavisconde.com.br/inicial_detalhes.asp?ref=649>. Acesso em: 27 nov. 2017.

G. V. O novo contexto da produção da Galinha Caipira. http: //opresenterural.com.br, 29 ago. 2016.


Disponivel em: <http://opresenterural.com.br/artigo/o-novo-contexto-da-producao-da-galinha-
caipira/8267/>. Acesso em: 21 nov. 2017.

MENDES, F. C. Demanda estimula criação de frangos e galinhas caipiras. http: //sna.agr.br, 2017.
Disponivel em: <http://sna.agr.br/demanda-estimula-criacao-de-frangos-e-galinhas-caipiras/>. Acesso
em: 16 Outubro 2017.

MURAD, J. C. B.; SILVA, B. D. S. Animais de Pequenos Portes. Brasilia: NT, 2014.

PIXABAY. pixabay.com. Pixabay. Disponivel em: <https://pixabay.com/pt/galinha-galo-ro%C3%A7a-


caipira-1287182/>. Acesso em: 23 nov. 2017.

R. K. et al. Manual da Produção de Aves Caipiras. [S.l.].

SEBRAE. A ASCENSÃO DA GALINHA CAIPIRA. http: //www.sebraemercados.com.br. Disponivel


em: <http://www.sebraemercados.com.br/a-ascensao-da-galinha-caipira/>. Acesso em: 28 Otubro
2017.

V. R. criargalinha. Raças de galinhas: conheça algumas para iniciar a sua criação, 12 set. 2014.
Disponivel em: <http://www.criargalinha.com.br/manejo/racas-de-galinhas/>.

15