Você está na página 1de 3

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA

PROGRAMA DE DISCIPLINA

DEPARTAMENTO:

ENGENHARIA AMBIENTAL

IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA:
CÓDIGO NOME (T-P)

EAM 1034 TRATAMENTO DE ÁGUAS RESIDUÁRIAS (6-0)

OBJETIVOS - ao término da disciplina o aluno deverá ser capaz de :

Conhecer os processos de tratamentos de águas residuárias.

PROGRAMA:
TÍTULO E DISCRIMINAÇÃO DAS UNIDADES

UNIDADE 1 - CARACTERIZAÇÃO E OBJETIVOS DO TRATAMENTO DAS ÁGUAS RESIDUÁRIAS

1.1 - Características Físico-Químicas e Biológicas das Águas Residuárias.


1.3 - Quantificação das Águas Residuárias.
1.4 - Objetivos do Tratamento das Águas Residuárias.
1.5 - Tratamento das Águas Residuárias.
1.7 - Padrão de lançamento e de emissão (Legislação Ambiental).

UNIDADE 2 – INTRODUÇÃO AOS PROCESSOS E GRAU DE TRATAMENTO DE ÁGUAS RESIDUÁRIAS

2.1 - Processos de tratamento.


2.1.1 - Processos físicos.
2.1.2 - Processos biológicos.
2.1.3 - Processos químicos.
2.2 - Classificação dos processos.
2.2.1 - Em função da remoção.
2.2.1.1 - Sólidos grosseiros.
2.2.1.2 - Sólidos sedimentáveis.
2.2.1.3 - Óleos, graxas e materiais flutuantes.
2.2.1.2 - Sólidos em suspensão.
2.2.1.2 - Substâncias orgânicas dissolvidas.
2.2.2 - Em função da eficiência.
2.2.2.1 - Tratamento preliminar.
2.2.2.2 - Tratamento primário.
2.2.2.3 - Tratamento secundário.
2.2.2.4 - Tratamento terciário.
2.3 - Tratamento da fase sólida.
2.3.1 - Características quantitativas.
2.3.2 - Características qualitativas.
2.3.3 - Tipos de tratamentos.
PROGRAMA: (continuação)

UNIDADE 3 – TRATAMENTO PRELIMINAR

3.1 - Unidades para remoção de sólidos grosseiros.


3.2 - Unidades para remoção de areia.
3.3 - Unidades para remoção de gorduras.

UNIDADE 4 – TRATAMENTO PRIMÁRIO

4.1 - Unidades de sedimentação.


4.2 - Unidades de flotação.

UNIDADE 5 – TRATAMENTO BIOLÓGICO

5.1 - Introdução ao tratamento biológico.


5.2 - lodos ativados.
5.3 - Filtros biológicos.
5.4 - Disposição no solo.
5.5 - Lagoas de estabilização.
5.6 - Processos anaeróbiocos.
5.6.1 - Filtro anaeróbico.
5.6.2 - Tanques Sépticos.
5.6.3 - Reator anaeróbico de manto de lodo.
5.6.4 - Outros tratamentos anaeróbicos.

UNIDADE 6 – TRATAMENTO TERCIÁRIO

6.1 - Remoção de nitrogênio e fósforo.


6.2 - Desinfecção das águas residuárias.
6.3 - Outros tratamentos terciários.

UNIDADE 7 – TRATAMENTO E DISPOSIÇÃO FINAL DE LODOS.

UNIDADE 8 - REUSO DAS ÁGUAS RESIDUÁRIAS

8.1 - Potencial e limitações do reuso da água.


8.2 - Utilização de águas residuárias.
8.3 - Reuso industrial.
8.4 - Introdução à utilização de águas residuárias em aqüicultura.
8.5 - Reciclagem de biosólidos.
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA

BIBLIOGRAFIA

BIBLIOGRAFIA:
BIBLIOGRAFIA BÁSICA E COMPLEMENTAR

BIBLIOGRAFIA BÁSICA

JORDÃO, E,P.; PESSOA, C.A. Tratamento de Esgotos Domésticos. 5ª Ed. Rio de


Janeiro: ABES, 2009. 941 p.

NUVOLARI, A. (coord). Esgoto Sanitário: Coleta, Transporte, Tratamento e Reúso


Agrícola. 1ª Ed. São Paulo: Edgard Blücher, 2003.

METCALF & EDDY - Inc. Wastewater Engineering: Treatment, Disposal and Reuse. 3th
Ed. New York, USA: Metcalf & Eddy, Inc. 1991. 1334p.

VON SPERLING, M. Introdução à Qualidade das Águas e ao Tratamento de Esgotos


(Princípios do Tratamento Biológico de Águas Residuárias; V.1). 2ª Ed. Rev. Belo
Horizonte: UFMG/DESA, 1996.

VON SPERLING, M. Princípios Básicos do Tratamento de Esgotos. (Princípios do


Tratamento Biológico de Águas Residuárias; V.2). Belo Horizonte: UFMG/DESA,
1996.

VON SPERLING, M. Lodos Ativados. (Princípios do Tratamento Biológico de Águas


Residuárias, V.4) Belo Horizonte: UFMG/DESA, 1997.

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR

ABNT . NBR12.209: Projeto de Estações de Tratamento de Esgoto Sanitário. Rio de


Janeiro, 1992.

ANDRADE NETO., C. O. Sistemas Simples para Tratamento de Esgotos Sanitários:


Experiência Brasileira. Rio de Janeiro: ABES. 1997.

ANDREOLI, C.V.; VON SPERLING, M. Lodos de esgotos: tratamento e disposição


final. Belo Horizonte: DESA-UFMG/SANEPAR, 2001.

APHA – American Public Health Association. Standard Methods for the Examination
of Water and Wastewater. 19 ed. Washington: APHA-AWWA-WEF. 1995.

CAMPOS, J.R. Tratamento de Esgotos Sanitários por Processo Anaeróbio e


Disposição Controlada no Solo. São Carlos: USP. 2000 (PROSAB)

CHERNICHARO, C.A.L. Pós-Tratamento de Efluentes de Reatores Anaeróbios. Belo


Horizonte: Segrac, 2001 (PROSAB).

Data: ____/____/____ Data: ____/____/____

______________________ ___________________________
Coordenador do Curso Chefe do Departamento