Você está na página 1de 18

Sistemas e Componentes

 Sistema
 Arranjo de partes menores (componentes) de
forma específica e predeterminada.

 Tipos principais de sistemas

 Série Mistos

 Paralelo Complexos
Confiabilidade de Sistemas

 Depende

 da Confiabilidade dos componentes

 da configuração do sistema
Exemplo de Sistema
 Cardan
 6 componentes
 Configuração: série
Ponteira Tubo

Luva Garfo Cruzeta


Cruzeta
Confiabilidade de Sistemas
 A confiabilidade de um sistema depende das
confiabilidades de seus componentes

 Em uma configuração em série, a


confiabilidade do sistema tenderá a ser menor
ou igual seu componente mais fraco.

 Em uma configuração em paralelo,


a confiabilidade do sistema tenderá
a ser maior ou igual seu
componente mais forte.
Sistemas em Série
 Na prática, esta é a configuração mais comum.

 Num sistema em série, todos os componentes


devem funcionar para que o sistema funcione.

 O diagrama de blocos p/ este sistema é:

R i (t) R 1 (t).R 2 (t)...R n (t)


Sistemas em Série
 Confiabilidade do sistema decresce rapidamente a medida que o n°
de componentes aumenta.
 Exemplo: Suponha componentes c/ R = 0.9 num determinado tempo.

Limite superior de Rs = confiabilidade do componente mais fraco.


Exemplo 1: impressora a laser

Impressora a laser
Diagrama de blocos
Confiabilidade dos componentes: impressora a laser
Exemplo 2: telefone sem fio
 Sistema em série composto por fonte, base e telefone.

 Componentes apresentam taxas de falha constantes:

Determine confiabilidade p/ 1000 horas de uso.


RESPOSTA:
Exercício Exemplo 2 telefone sem fio
 Um sistema em série é constituído por três
componentes eletrônicos. Todos apresentam
um MTTF de 105 horas. Qual o MTTF do
sistema? Qual a confiabilidade do sistema para
103 horas de uso?
Sistemas em Paralelo
 Componentes em operação simultânea; falhas não
afetam desempenho dos componentes sobreviventes.

 Se n componentes forem montados em paralelo e


funcionarem independentemente, então a
Confiabilidade do sistema será dada por:

Rs = 1 – [(1 – R¹(t)) x (1 – R²(t)) x ... (1 – Rn(t))]


Exemplo:
ExercícioSistema em paralelo
 Considere sistema c/ 3 componentes em paralelo:

Rs é maior que a confiabilidade do melhor componente.

Quando comp. apresentam somente dois modos de falha,


Rs aumenta com o n° de componentes
Confiabilidade de Sistemas
 Sistemas Série-Paralelo
1. Calcula-se a confiabilidade de cada subsistema em paralelo (“menor”)
2. Calcula-se a confiabilidade do sistema, como uma série (“maior”)

 Sistemas Paralelo-Série
1. Calcula-se a confiabilidade de cada subsistema em série (“menor”)
2. Calcula-se a confiabilidade do sistema, como um paralelo (“maior”)
Combinações Paralelo-Série
 Dois exemplos:

 Análise feita decompondo sistemas em subsistemas


em série e paralelo.
Exemplo: Série-Paralelo
Exemplo: Paralelo-Série
Exercício
 Para os sistemas a seguir, calcule sua confiabilidade:
0,7 0,7

0,7 0,7

0,8 0,7 0,8 0,9 0,7 0,7

0,9 0,7

(a) (b) (c)

 Se fosse possível alocar um incremento de 0,05 de confiabilidade a apenas


um dos componentes de cada sistema, qual deveria ser contemplado de
modo a maximizar a confiabilidade dos conjuntos?
 E se fosse possível trocar apenas um dos componentes de cada sistema
por outro melhor, com R = 0,9, qual deveria ser contemplado de modo a
maximizar a confiabilidade dos conjuntos?
Exercício
 Determine a confiabilidade de um sistema com a configuração
dada.
C

A C

B C E

D D

 Cada componente tem os seguintes valores mínimos de


confiabilidade para o tempo de missão: A = 0,9; B = 0,87; C = 0,92;
D = 0,95; E = 0,85.