Você está na página 1de 2

Resenha: Um Golpe do Destino

Nome: Felipe Perilo de Rezende Miranda

Data de entrega: 28/09/2018

Professora: Kátia Poles

Um golpe do destino retrata a vida de um renomado cirurgião: Dr. Jack Mackee,

que têm seu comportamento e ideologia como profissional, marido e pessoa

drasticamente alterados após ser diagnosticado com um câncer nas cordas vocais.

Logo no início do filme, Jack se mostra arrogante e insensível na mesa de cirurgia

ao brincar com o corpo do paciente e com o motivo de sua fatalidade. Posteriormente, ele

ainda reforça a alguns residentes a importância de não se envolver com questões pessoais

dos pacientes e focar apenas nos procedimentos cirúrgicos. As atitudes do personagem

são reflexo da realidade encontrada nos nossos hospitais e até mesmo na atenção primária,

com um olhar médico focado mais na doença do que no paciente.

Contudo, é preciso compreender que o comportamento frio e distante do Dr.

Mackee poderia estar relacionado não à sua personalidade, mas à um distúrbio psíquico

associado a seu estilo de vida. Ele se apresenta constantemente focado no seu trabalho,

atendendo chamadas de pacientes em suas horas vagas com a esposa e, mesmo após o

diagnóstico de câncer, procurando continuar a exercer sua profissão. Esse tipo de atitude

reflete uma condição conhecida como Síndrome de Burnout, na qual o indivíduo sente a

necessidade intensa de dedicação a um trabalho e acaba por desconsiderar suas próprias

necessidades e a das outras pessoas.

Com o início da radioterapia, o personagem se coloca no lugar de paciente e passa

a enfrentar a realidade daqueles que antes menosprezava. Durante esse período, inicia
uma amizade com June, paciente com tumor cerebral de difícil tratamento, que se esforça

para se manter na radioterapia dada gravidade de sua situação. Jack se sensibiliza e passa

a enxergar a dor, carências e desejos pelas quais os pacientes e ele próprio estava

passando. Assim, Mackee sofre uma transformação e passa a valorizar outros aspectos da

vida, se dedicando mais à esposa e ao filho, além de enxergar o paciente de forma mais

humanizada.

Enfim, Jack realiza com sucesso uma cirurgia para retirar seu tumor e, após algum

tempo, consegue retornar a falar e exercer sua profissão. Sua ética no trabalho muda

completamente, assim como sua didática com seus residentes, que são colocados no papel

de pacientes como forma de torná-los mais humanizados. É essencial a compreensão do

paciente em sua integralidade e de suas necessidades para e, isso, a experiência de

inversão de papéis revelou ser extremamente construtiva para o entendimento da vida,

ética e solidariedade.

Você também pode gostar