Você está na página 1de 1399

110-01-1 Geral (Linha Pesada, 07/2010) 110-01-1

SEÇÃO 110-01
Geral

Aplicação nos Modelos: Linha Pesada

Índice

Assunto

INTRODUÇÃO

Apresentação

Como Consultar o Manual de Serviços

Segurança

Técnicas Adequadas de Serviços em Oficinas

Tabela Genérica de Torques Recomendados para Parafusos e Porcas

Unidades Técnicas

Produtos Químicos para Travamento e Vedação

Tintas Especificadas para Repintura do Trator

A Política Ambiental da AGCO

Reciclagem Obrigatória de Baterias


110-01-2 Geral (Linha Pesada, 07/2010) 110-01-2

INTRODUÇÃO
Apresentação
O objetivo deste Manual de Serviço é dar assistência às
Concessionárias para execução de uma eficiente
manutenção dos tratores Valtra Série.
Um bom suporte ao produto assume importância cada vez
maior. Além de vender um bom produto, é indispensável
uma boa assistência, pois só assim é possível atingir o
objetivo maior, que é a satisfação do Cliente.
Nesse contexto, a estrutura de manutenção prestada pela
Concessionária é de fundamental importância e portanto,
deve ser executada somente por pessoal treinado e
perfeitamente familiarizado com os diferentes componentes
do trator.

Portanto, além de realizar cursos periódicos de atualização numa das Unidades de Treinamento da
AGCO do Brasil, CONSULTE este Manual antes de executar o serviço, sempre que tiver alguma
dúvida.
Para isso o Manual deve estar sempre à disposição da oficina.
Além de conservá-lo sempre em condições de uso, o Departamento de Serviços deve ficar atento
para as atualizações que venham a ser introduzidas nos tratores e portanto, no Manual.

Como Consultar o Manual de Serviços


Este manual foi dividido em sistemas (1, 2, 3, 4, 5, etc.),
cada qual descrevendo um sistema específico do trator.
Exemplos: Motor e Equipamentos, Elétrica, Transmissão,
Eixo Dianteiro e Direção, Chassi, etc.
Cada sistema é dividido em grupos (10, 20, 30, 40, 50, etc.),
cada qual descrevendo o grupo específico. Exemplos: Motor,
Transmissão, Sistema Hidráulico, Chassi, Pneus e Rodas,
etc.

Cada grupo é dividido em seções (01, 02, 03, 04, 05, etc.) cada qual descrevendo uma seção
específica. Exemplos: no caso de Motores: Introdução, o motor propriamente dito, Sistema de
Arrefecimento, Sistema de Lubrificação, etc. Outros exemplos: Transmissão: Caixa de Mudanças,
Embreagem, Tomada de Potência, etc.
Cada página das seções possui um número sequencial, iniciando por 01.
110-01-3 Geral (Linha Pesada, 07/2010) 110-01-3

Segurança
A sua segurança e a dos outros, deve ser a primeira preocupação quando da execução dos trabalhos
de manutenção. Para que isto se efetive, são necessários três itens: consciência, uso correto das
ferramentas e adoção de equipamentos de proteção, individual e coletivo, EPI e EPC
respectivamente.
No que se refere à consciência, esta depende cada indivíduo, ou seja, cada um deve, por si mesmo
obtê-la, com base nos riscos a que está sujeito no trabalho. Ao tomar conhecimento de alguma regra
de segurança, esta não pode ser interpretada como “Não faça isso, não faça aquilo...”. Antes
PROCURE refletir sobre o que pode acontecer em caso de não observar determinada regra. Não
seja partidário da idéia ultrapassada de que “é preciso errar para aprender”, pois as consequências
de um erro podem ser irremediáveis. LEMBRE-SE: após um acidente, o primeiro pensamento que
surge é o de que se faria tudo – se ainda estivesse em tempo – para evitar aquele dano. Caminhar
vinte metros para buscar “aquela ferramenta adequada” pode ser cansativo, mas nunca tão
desastroso quanto um acidente com danos pessoais e/ou materiais.
Com relação às regras em si, é impossível reunir todas. São inúmeras as situações de risco. Assim,
enumeramos algumas regras básicas para efeito ilustrativo.

• UTILIZE sempre ferramentas e dispositivos adequados


no trabalho, especialmente quando lidar com conjuntos
inteiros e/ou peças pesadas. CERTIFIQUE-SE de que o
macaco hidráulico, a talha, a corrente estejam em
perfeitas condições, e com capacidade compatível com a
carga.

• Sempre que utilizar um aparelho elétrico, CERTIFIQUE-


SE de que o mesmo está aterrado e que não há fio
desencapado.

• DESLIGUE sempre o cabo negativo da bateria, evitando


que alguém provoque o acionamento acidental ou
inadvertido do motor de partida.
110-01-4 Geral (Linha Pesada, 07/2010) 110-01-4

• Para realizar soldas, além de desligar a bateria, USE as


devidas proteções: máscara ou óculos especiais, luvas e
avental. A falta de proteção dos olhos por exemplo, afeta
a visão em pouco tempo, muitas vezes de forma
irreversível.

• Ao abrir o trator, é fundamental o uso de trilhos e


carrinhos adequados. Isto proporciona, além de
segurança um serviço rentável e de qualidade. USE
sempre calços de madeira em cunha para calçar as
rodas que não serão deslocadas para a abertura.

• Não permita que o piso da oficina fique encharcado de


óleo; isto é causa para escorregamento e quedas, além
de comprometer a aparência da oficina. LEMBRE-SE: a
organização é o espelho da qualidade do profissional que
ali atua.

• Jamais permaneça sob cargas suspensas. Por mais


seguro que seja o equipamento de levante, não convém
arriscar.

• Não deixe o motor funcionar em ambiente fechado e não


ventilado. Os gases tóxicos podem asfixiá-lo em poucos
minutos.
• Não fume no local de trabalho: há sempre o risco de
incêndio devido à grande variedade de produtos
inflamáveis.
110-01-5 Geral (Linha Pesada, 07/2010) 110-01-5

• Não use cabelos compridos ou soltos, bem como roupas


soltas e folgadas. Estas partes, ao entrar em contato com
peças em movimento podem ocasionar acidentes sérios.

• Antes de acionar o motor de algum trator, CERTIFIQUE-


SE de que não haja ninguém trabalhando nele.
VERIFIQUE também, se não há ferramentas ou outros
utensílios sob o trator.
• UTILIZE um cartão de advertência, fixado no painel, para
evitar que alguém acione o motor estando este com
partes removidas.

Técnicas Adequadas de Serviços em Oficinas


A maioria dos procedimentos de reparos e serviços recomendados nas distintas partes deste Manual,
está descrita considerando que o conjunto a reparar está completamente desmontado e retirado da
máquina.
Muitos serviços, de certas peças em particular, podem ser feitos sem sacar o conjunto completo da
máquina. O mecânico determinará a necessidade de sacá-lo ou não, ao levar em consideração o
grau e extensão dos serviços necessários e o grau de dificuldade de acesso.
Os seguintes são pontos importantes que devem ser lembrados e postos em prática:

• IDENTIFIQUE a avaria e LIMPE a máquina antes de


desmontá-la.
Se for possível fazer um diagnóstico completo para
determinar a extensão do reparo que deve ser feito,
TOME todas as precauções necessárias para evitar com
segurança que qualquer material estranho entre nos
sistemas hidráulicos, de alimentação de combustível ou
ar.
110-01-6 Geral (Linha Pesada, 07/2010) 110-01-6

• SEPARE as peças.
FIQUE atento durante a desmontagem, observando as
peças especiais que não podem ser trocadas de posição.
SEPARE os diferentes parafusos e porcas em “bandejas”
com divisórias e tela inferior para permitir o escoamento
do óleo e da água de lavagem.
• INSPECIONE as peças durante a desmontagem
limpando-as bem.
• FIXE etiquetas nas peças e PROTEJA as superfícies
de precisão ou polidas.

Uso de Peças de Reposição Originais MF

A utilização de peças de reposição não recomendadas podem ser fonte de grandes problemas. Não
acredite que todas as peças que se parecem são iguais. Algumas peças têm propriedades especiais,
conhecidas unicamente pelo fabricante. São o resultado de requisitos especiais estabelecidos por
intensas investigações e provas de engenharia e da experiência de campo.
A AGCO mantém um programa constante de melhorias nas peças. Muitas destas melhorias não
podem ser detectadas por comparação visual. Por isso, é vital que se utilize unicamente peças de
reposição legítimas.

Regra de Tensionamento de Correias e Correntes em Geral

Para verificar o tensionamento de correias, SIGA sempre a


seguinte regra:
Aplica-se uma carga de 10 a 15 Kg no centro da maior
distância entre apoios.
A deflexão encontrada nas correias ou correntes deverá ser
de 1 a 2% desta distância.
No caso de correntes, APLIQUE uma força suficiente para
trazer toda a deflexão para um dos lados: a deflexão
também deve ser de 1 a 2% da distância entre centros.

Montagem de Buchas, Anéis Retentores e Rolamentos com Interferência

UTILIZE sempre a ferramenta especial para esta finalidade.


Sempre que necessário, APLIQUE o esforço, através de
prensa.
A improvisação nestes casos resulta, além da perda de
tempo, na danificação das peças, que fatalmente
apresentarão problemas na operação.
No caso das buchas, após a montagem VERIFIQUE o
diâmetro interno (ou externo se for o caso) e FAÇA o ajuste
se necessário, com base nas especificações técnicas de
folga para cada caso.
110-01-7 Geral (Linha Pesada, 07/2010) 110-01-7

• USE sacadores apropriados para sacar polias, cubos


e engrenagens.
O uso de marretas e alavancas, além do risco de
danificar as peças, pode exigir muito mais tempo na
operação.
NOTA: USE sempre um protetor para a extremidade
do eixo.

• UTILIZE sempre a ferramenta correta para cada caso.


Poupar alguns passos para buscar a chave certa pode
resultar em perdas de tempo bem maiores, após
danificar um sextavado, uma fenda, etc.

• Para remover um prisioneiro que quebrou dentro do


furo:
FAÇA um furo com diâmetro aproximadamente a metade
do diâmetro do prisioneiro quebrado e USE um extrator
como o da figura, com rosca contrária à do prisioneiro.
Em seguida, REMOVA o prisioneiro, girando o extrator
no sentido anti-horário (caso de rosca direita).
NOTA: ao montar prisioneiros ou parafusos em furos
não passantes, CERTIFIQUE-SE de que não haja óleo
ou outras impurezas no furo. O óleo forma um calço
hidráulico que pode trincar a carcaça.

• Para remover uma porca engripada:


Há diversas formas, dependendo da situação. Em qualquer caso, não devem ser causados danos
às peças vizinhas.
110-01-8 Geral (Linha Pesada, 07/2010) 110-01-8

Item Descrição

1 Usando talhadeira

2 Com “spliter”

3 Aquecimento

4 Óleo penetrante

5 Corte com serra

6 Chave de impacto

Travamento Correto de Porcas e Parafusos

Contrapinos, cupilhas e outros meios sempre que removidos


devem ser substituídos.
110-01-9 Geral (Linha Pesada, 07/2010) 110-01-9

• Como impedir que parafusos ou porcas se afrouxem com a vibração normal que o trabalho
impõe:

Há diversas formas, o bom senso e a prática indicarão a melhor forma para cada caso.

Item Descrição

1 Adesivo de travamento

2 Arruela de pressão

3 Contra porca

4 Chapas de travamento

• Sempre EXERÇA força nas chaves no sentido de


puxar a alavanca.
EVITE empurrar, pois nos casos em que a chave escape,
você pode sofrer ferimentos nas mãos.
110-01-10 Geral (Linha Pesada, 07/2010) 110-01-10

• USE as chaves de boca de forma correta.


Trabalhando com a chave invertida, ocorre um esforço
maior em sua estrutura.
Não improvise utilizando outro tipo de ferramenta.

Somente no caso de remover parafusos de difícil acesso,


USE a chave de boca nas duas posições (ângulos)
alternadamente, até soltar o parafuso ou porca.

• Para soltura das porcas das conexões dos tubos


injetores:
UTILIZE uma chave especial ou uma chave tipo “estrela”.
Mas para isto, FAÇA uma abertura (corte) de passagem
para o tubo, reservando esta chave somente para este
fim.

• Para montar peças com interferência:


PROCURE sempre fazer o aquecimento das peças
externas (rolamentos, cubos) e/ou o resfriamento das
peças internas (eixos, sedes e guias de válvulas, etc.).
Este procedimento, além de facilitar a montagem, evita a
danificação das peças, uma vez que frias estas se
contraem e aquecidas se expandem (dilatam).
O aquecimento nunca deve ser feito sob a ação de fogo
direto sobre as peças, pois isto as torna frágeis.

USE óleo aquecido a 80 a 90 graus centígrados ou


aquecimento por indução elétrica.
O resfriamento das peças pode ser feito num freezer ou
colocando a peça num recipiente contendo gelo seco ou
gelo comum.
110-01-11 Geral (Linha Pesada, 07/2010) 110-01-11

• Ao realizar soldas:
Além de desconectar a bateria, ATENTE para o seguinte
detalhe: FIXE o terminal negativo (–) do aparelho de
solda na própria peça que está sendo soldada (+). Isto é
para evitar que a elevada corrente atravesse
componentes como rolamentos, que sofrem danos com
este procedimento.

• Na montagem de retentores, USE sempre uma


ferramenta especial para este fim, para assegurar
uma montagem em posição correta e evitar danos ao
anel retentor.
Do contrário, haverá risco de vazamento após as
primeiras horas de trabalho.
Além disso, o alojamento do retentor precisa estar isento
de impurezas. LUBRIFIQUE o lábio do anel retentor com
graxa universal E-P2.
TOME cuidado durante a montagem quando o anel
retentor é atravessado por um eixo estriado, um rasgo de
chaveta, etc. Ao menor sinal de corte no lábio, surgem
vazamentos posteriores.

Remoção e Instalação de Rolamentos

Para remover rolamentos, UTILIZE sacadores especiais ou


adequados. É importante que o sacador se apóie sempre na
pista que se encontra montada com interferência (interna ou
externa), evitando que as esferas ou roletes sejam
danificados.

Na montagem:
• Não bata diretamente com o martelo sobre o rolamento
na sua montagem. UTILIZE uma ferramenta especial ou
adequada em forma de copo ou disco.
• Na montagem de rolamentos sobre eixos, PRESSIONE a
pista interna e na montagem de rolamentos em furos,
PRESSIONE a pista externa.
110-01-12 Geral (Linha Pesada, 07/2010) 110-01-12

Proteção de Conjuntos Desmontados

Se a máquina tiver que permanecer desmontada por algum


tempo, ORGANIZE as peças e PROTEJA-AS contra o pó e
umidade.
MANTENHA as peças novas em suas embalagens até o
momento em que forem utilizadas.
Na montagem, CERTIFIQUE-SE de que as peças estão
perfeitamente limpas, sem nenhum furo ou galeria obstruída.
As conexões, tubos e terminais da bomba injetora e bicos
devem ser tampados para evitar a entrada de impurezas.
O mesmo tratamento deve ser dado ao turbocompressor,
coletores de admissão e escape, etc.

Precisão e Garantia nos Ajustes

Na montagem, COMPLETE cada passo da montagem.


TERMINE a montagem de uma peça ou componente antes
de partir para a seguinte.
FAÇA todos os ajustes recomendados.
VERIFIQUE quantas vezes for necessário, para certificar-se
da exatidão dos procedimentos efetuados.

Calços de Ajuste

Quando remover calços de ajuste de rolamentos,


MANTENHA-OS juntos e identificados quanto a sua
localização, além de limpos e desempenados para a
reinstalação.
110-01-13 Geral (Linha Pesada, 07/2010) 110-01-13

Cabos Elétricos

Quando remover ou desconectar um grupo de cabos ou fios,


IDENTIFIQUE-OS quanto à posição de montagem, com fita
crepe, para evitar inversões na montagem.

Remoção de Anéis-trava

Para retirar e instalar anéis-trava ou anéis elásticos, UTILIZE


sempre alicates de pontas adequados.
Mas OBSERVE: os furos de engate (1) para o alicate de
pontas normalmente são cônicos, com o objetivo de facilitar
a fixação do alicate, ao retirar e montar os anéis.
Mas para que isso ocorra, os anéis devem ser montados de
forma que o diâmetro menor dos furos cônicos fique voltado
para o lado do alicate.

Para manusear um anel virado ao contrário, haverá dificuldade, pois as pontas do alicate tendem a
ser empurradas para fora do anel. VEJA o detalhe da figura.
Além de dificultar a operação, com possíveis danos ao anel, há sério risco de o anel ser arremessado
de forma violenta, causando graves ferimentos.
Sempre UTILIZE óculos de proteção.

Ferramentas Especiais Valtra

Devem ser guardadas em seus quadros,devidamente


identificadas com os seus números.
NOTA: todas as ferramentas de medição de precisão
devem ser submetidas a um procedimento de aferição.
Sem isso, as medidas de precisão, como desgaste do
virabrequim, não serão confiáveis e podem conduzir a erros
graves.
110-01-14 Geral (Linha Pesada, 07/2010) 110-01-14

Procedimento de Diagnóstico de Falhas

Esta é uma tarefa normalmente exige alguma experiência. Mesmo assim, o ideal é que seja seguido
um procedimento metódico, que em muitas ocasiões se mostra valioso.
Este procedimento consiste em seguir uma ordem definida na solução do problema, obedecendo ao
princípio “início, meio e fim”.
Basicamente, podemos ordenar as etapas da seguinte maneira:

a) DETERMINE o problema, através do sintoma apresentado.

b) RELACIONE as possíveis causas.

c) ANOTE as verificações feitas.

d) CONDUZA as verificações em ordem lógica, para determinar a causa real do problema.


NOTA: é de fundamental importância um diálogo com o próprio operador da máquina, com
o objetivo de obter a descrição mais detalhada possível sobre os sintomas.

e) FAÇA um levantamento do tempo e das peças necessárias no serviço.

f) EXECUTE o reparo necessário.

g) Após o reparo e antes da entrega, FAÇA uma verificação final e se necessário, um teste prático,
simulando condições de operação.

h) Se for o caso, INSTRUA o Operador para que o problema apresentado seja evitado.

Tabela Genérica de Torques Recomendados para Parafusos e Porcas


Orientações Para o Uso das Tabelas

Somente UTILIZE estas tabelas quando não for especificado um torque.


Quando usar as tabelas 1A e 2A para torque BAIXO:
• Quando há possibilidade de danos nos componentes unidos pelo parafuso.
• Quando há juntas grossas e/ou compressíveis entre os componentes.
• Quando superfícies de junção não-planas ou não-paralelas são encontradas;
A figura abaixo mostra que o aperto correto é fundamental, pois determina a tensão submetida aos
parafusos (ou prisioneiros) e em consequência, a compressão dos componentes unidos.
Superfícies não-planas, sem fresar, para a cabeça do parafuso (ou porca).

Quando usar as tabelas 1B e 2B para torque NORMAL:


• Quando não há possibilidade de danos nos componentes.
• Quando é necessário um aperto que assegure maior garantia de fixação do parafuso ou porca.
• Quando a rosca não é lubrificada antes da montagem.
A bitola das porcas e parafusos, em milímetros (ISO) ou em polegadas, é o diâmetro “D” conforme
desenho abaixo e não a largura “s” da cabeça.
110-01-15 Geral (Linha Pesada, 07/2010) 110-01-15

A figura abaixo mostra que o aperto correto é fundamental, pois determina a tensão submetida aos
parafusos (ou prisioneiros) e em consequência, a compressão dos componentes unidos.

E1A – Tabela Genérica de Torques de Aperto de Parafusos e Porcas, em N.m

Rosca Métrica ISO, Torque BAIXO

Classe ISO 4,6 = SAE 1 Classe ISO 8,8 = SAE 5 Classe ISO 10,9 = SAE 8

Bitola Nom. Máx. Mín. Nom. Máx. Mín. Nom. Máx. Mín.

M3 0,5 0,6 0,4 1,2 1,4 1,0 1,7 1,9 1,5

M4 1,15 1,3 1,0 2,9 3,3 2,5 4,0 4,6 3,4

M5 2,1 2,4 1,8 5,6 6,4 4,8 8,0 9,2 6,8

M6 3,6 4,0 3,2 9,5 11,0 8,0 14,0 16,0 12,0


110-01-16 Geral (Linha Pesada, 07/2010) 110-01-16

Rosca Métrica ISO, Torque BAIXO

Classe ISO 4,6 = SAE 1 Classe ISO 8,8 = SAE 5 Classe ISO 10,9 = SAE 8

Bitola Nom. Máx. Mín. Nom. Máx. Mín. Nom. Máx. Mín.

M8 8,8 10,0 7,6 24,0 28,0 20,0 33,0 37,0 29,0

M10 17,5 20,0 15,0 48,0 56,0 40,0 67,0 77,0 57,0

M12 30,0 34,0 26,0 84,0 96,0 72,0 115,0 130,0 100,0

M16 78,0 88,0 68,0 185,0 210,0 160,0 280,0 320,0 240,0

M20 150,0 170,0 130,0 395,0 450,0 340,0 560,0 640,0 480,0

M24 260,0 290,0 230,0 670,0 770,0 570,0 920,0 1040,0 800,0

M30 500,0 570,0 430,0 1300,0 1400,0 1100,0 1950,0 2200,0 1700,0

M36 800,0 1000,0 760,0 2300,0 2600,0 2000,0 3350,0 38,00 2900,0

E1B – Tabela Genérica de Torques de Aperto de Parafusos e Porcas, em N.m

Rosca Métrica ISO, Torque Normal

Classe ISO 4,6 = SAE 1 Classe ISO 8,8 = SAE 5 Classe ISO 10,9 = SAE 8

Bitola Nom. Máx. Mín. Nom. Máx. Mín. Nom. Máx. Mín.

M3 0,6 0,7 0,5 1,5 1,7 1,3 2,1 2,4 1,8

M4 1,4 1,6 1,2 3,6 4,1 3,1 5,0 5,7 4,3

M5 2,6 3,0 2,2 7,0 8,0 6,0 10,0 11,5 8,5

M6 4,5 5,0 4,0 12,0 14,0 10,0 17,0 20,0 14,0

M8 11,0 12,5 9,5 30,0 35,0 25,0 41,0 46,0 36,0

M10 22,0 25,0 19,0 60,0 70,0 50,0 84,0 96,0 72,0

M12 38,0 43,0 33,0 105,0 120,0 90,0 140,0 160, 120,

M16 97,0 110,0 84,0 230,0 260,0 200,0 350,0 400,0 300,0

M20 185,0 210,0 160,0 490,0 560,0 420,0 700,0 800,0 600,0

M24 320,0 360,0 280,0 840,0 960,0 720,0 1150,0 1300,0 1000,0

M30 630,0 720,0 540,0 1600,0 1800,0 1400,0 2450,0 2800,0 2100,0

M36 1100,0 1250,0 950,0 2900,0 3300,0 2500,0 4200,0 4800,0 3600,0
110-01-17 Geral (Linha Pesada, 07/2010) 110-01-17

Unidades Técnicas
Tabela de Conversão

1. Distância

Para obter:

– 1 metro MULTIPLIQUE por 39,37 polegadas (pol. ou ”)

– 1 metro MULTIPLIQUE por 1,094 jardas (jd)

– 1 centímetro MULTIPLIQUE por 0,3937 polegadas (pol. ou ”)

– 1 milímetro MULTIPLIQUE por 0,03937 polegadas (pol. ou ”)

– 1 quilômetro MULTIPLIQUE por 0,622 milhas

– 1 pé MULTIPLIQUE por 30,48 centímetros (cm)

– 1 pé MULTIPLIQUE por 0,3048 metros (m)

– 1 pé MULTIPLIQUE por 12,0 polegadas (pol. ou ”)

– 1 polegada MULTIPLIQUE por 25,4 milímetros (mm)

– 1 polegada MULTIPLIQUE por 0,0833 pés (ou ”)

– 1 jarda MULTIPLIQUE por 0,914 metros (m)

– 1 milha (legal) MULTIPLIQUE por 1.609,0 metros (m)

– 1 milha (náutica) MULTIPLIQUE por 1.853,0 metros (m)

– 1 nó MULTIPLIQUE por 21,938 metros (m)

– 1 braça MULTIPLIQUE por 1,828 metros (m)

– 1 légua (brasileira) MULTIPLIQUE por 6.600,0 metros (m)

2. Massa

Para obter:

– 1 quilograma MULTIPLIQUE por 35,27 onças (oz.)

– 1 quilograma MULTIPLIQUE por 1000 gramas (g)

– 1 quilograma MULTIPLIQUE por 2,205 libras massa (lb.)

– 1 ton. MULTIPLIQUE por 1000 quilogramas (kg)

– 1 libra massa MULTIPLIQUE por 0,453 quilogramas (kg)

– 1 onça MULTIPLIQUE por 28,35 gramas (g)


110-01-18 Geral (Linha Pesada, 07/2010) 110-01-18

– 1 arroba MULTIPLIQUE por 14,7 quilogramas (kg)

3. Força

Para obter:

– 1 kgf. MULTIPLIQUE por 9,81 Newton (N)

– 1 kgf. MULTIPLIQUE por 2,205 libras força (lbf.)

– 1 libras força MULTIPLIQUE por 0,453 quilograma força (kgf.)

– 1 Newton MULTIPLIQUE por 0,102 quilograma força (kgf.)

– 1 libras força MULTIPLIQUE por 4,448 Newton (N)

4. Velocidade

Para obter:

– 1 km/h MULTIPLIQUE por 0,6214 milhas por hora (mph)

– 1 km/h MULTIPLIQUE por 0,2778 metros por segundo (m/s)

– 1 mph MULTIPLIQUE por 1,6093 quilômetros por hora (km/h)

5. Volume

Para obter:

– 1 metro cúbico MULTIPLIQUE por 1000 litros (l)

– 1 metro cúbico MULTIPLIQUE por 35,31 pés cúbicos (pé³)

– 1 litro MULTIPLIQUE por 1000 centímetros cúbicos (cm³)

– 1 litro MULTIPLIQUE por 0,001 metros cúbicos (m³)

– 1 litro MULTIPLIQUE por 0,264 galões americanos (gal)

– 1 litro MULTIPLIQUE por 2,12 pintas (pt)

– 1 polegada cúbica MULTIPLIQUE por 16,387 centímetros cúbicos (cm³)

– 1 pé cúbico MULTIPLIQUE por 0,02832 metros cúbicos (m³)

– 1 pé cúbico MULTIPLIQUE por 28,32 litros (l)

– 1 galão americano MULTIPLIQUE por 3,785 litros (l)

– 1 galão inglês MULTIPLIQUE por 4,546 litros (l)


110-01-19 Geral (Linha Pesada, 07/2010) 110-01-19

– 1 pinta MULTIPLIQUE por 0,47 litros (l)

– 1 quart (UK–qte.) MULTIPLIQUE por 1,137 litros (l)

– 1 quart (US–líquido) MULTIPLIQUE por 0,946 litros (l)

– 1 buschel MULTIPLIQUE por 35,24 litros (l)

– 1 onça MULTIPLIQUE por 30,0 mililitros (ml)

6. Área

Para obter:

– 1 polegada quadrada MULTIPLIQUE por 6,452 centímetros quadrados (cm²)

– 1 metro quadrado MULTIPLIQUE por 10000 centímetros quadrados (cm²)

– 1 metro quadrado MULTIPLIQUE por 10,76 pés quadrados (pé²)

– 1 pé quadrado MULTIPLIQUE por 144,0 polegadas quadradas (pol.²)

– 1 pé quadrado MULTIPLIQUE por 929,03 centímetros quadrados (cm²)

– 1 jarda quadrada MULTIPLIQUE por 0,836 metros quadrados (m²)

– 1 metro quadrado MULTIPLIQUE por 1,196 jardas quadradas (jd²)

– 1 acre MULTIPLIQUE por 4.047,0 metros quadrados (m²)

– 1 hectare MULTIPLIQUE por 4.046,86 metros quadrados (m²)

– 1 alqueire MULTIPLIQUE por 2,4 hectares (ha)

7. Pressão

Para obter:

– 1 kgf/cm² MULTIPLIQUE por 0,981 bar

– 1 bar MULTIPLIQUE por 1,019 quilogramas por centímetro


quadrado (kgf/cm²) = 1 atmosfera (atm)

– 1 atm MULTIPLIQUE por 1,0132 bar

– 1 kgf/cm² MULTIPLIQUE por 101.325,0 pascal (Pa)

– 1 kgf/cm² MULTIPLIQUE por 14,22 libras por pol. quadr. (lbf/pol.²


= PSI)

– 1 bar MULTIPLIQUE por 14,50 libras por pol. quadr. (lbf/pol.²


= PSI)
110-01-20 Geral (Linha Pesada, 07/2010) 110-01-20

– 1 MPa MULTIPLIQUE por 145,038 libras por pol. quadr.


(lbf/pol.² = PSI)

– 1 PSI MULTIPLIQUE por 0,00689 mega pascal

8. Vazão, Fluxo

Para obter:

– 1 l/min. MULTIPLIQUE por 0,264 galões por minuto (gpm)

– 1 gpm MULTIPLIQUE por 3,788 litros por minuto (l/min.)

9. Torque

Para obter:

– 1 N.m MULTIPLIQUE por 8,851 libras-força x polegada


(lbf.pol.)

– 1 N.m MULTIPLIQUE por 0,738 libras-força x pé (lbf.pé)

– 1 N.m MULTIPLIQUE por 10,0 quilogramas-força x centímetro


(kgf.cm)

– 1 lbf.pol. MULTIPLIQUE por 0,113 Newton x metro (N.m)

– 1 lbf.pé MULTIPLIQUE por 1,356 Newton x metro (N.m)

– 1 kgf.m MULTIPLIQUE por 7,239 libras-força x pé (lbf.pé)

– 1 kgf.m MULTIPLIQUE por 86,8 libras-força x polegada (lbf.pol.)

– 1 kgf.m MULTIPLIQUE por 9,81 Newton x metro (N.m)

– 1 N.m MULTIPLIQUE por 10,0 quilos-força x centímetro


(kgf.cm)

– 1 kgf.cm MULTIPLIQUE por 0,10 Newton x metro (N.m)

– 1 N.m MULTIPLIQUE por 0,102 quilogrâmetros (kgf.m)

– 1 N.m MULTIPLIQUE por 8,851 libras-força (lbf.pol.)

– 1 lbf.in MULTIPLIQUE por 0,113 Newton x metro (N.m)

10. Potência

Para obter:
110-01-21 Geral (Linha Pesada, 07/2010) 110-01-21

– 1 cv MULTIPLIQUE por 735,7 watts (W)

– 1 cv MULTIPLIQUE por 0,9863 horse power (hp)

– 1 hp MULTIPLIQUE por 1,014 cv (ou PS)

– 1 hp MULTIPLIQUE por 746 watts (W)

– 1 kW MULTIPLIQUE por 1,36 cv (ou PS)

– 1 kW MULTIPLIQUE por 1,341 horse power (hp)

– 1 kW MULTIPLIQUE por 1000 watts (W)

11. Temperatura

Para obter:

– °F (Fahrenheit) = (°C x 1,8) + 32


Exemplos: 50°C = 122°F; 10°C = 50°F

– °C (Celsius) = 5/9 x (°F – 32)


Exemplos: 60°F = 15,5°C; 49°F = 9,44°C

OBSERVE a coincidência: – 40°F = – 40°C

Equivalência entre Unidades – Sistema Inglês (Imperial) e SI

Unidades

Grandezas Sistema Inglês Sistema Internacional (SI) Práticas ou Derivadas

Distância pé m mm, cm, km

mm², cm², km², há,


Área pé² m²
alqueire...

Volume pé³ m³ mm³, cm³, l, galão

Massa lb kg g

Massa específica lb/pé³ kg/m³ g/cm³, g/l, kg/l

Volume específico pé³/lb m³/kg cm³/g, l/kg

Força lbf Newton (N) kgf, dina

Velocidade pé/s m/s km/h, m/min

Rotação grad/s rad/s rpm, rps


110-01-22 Geral (Linha Pesada, 07/2010) 110-01-22

Unidades

Sistema Internacional
Grandezas Sistema Inglês Práticas ou Derivadas
(SI)

Torque lbf.pé N.m m.kgf, cm.kgf

kgf/m², kgf/cm²,
Pressão lbf.pé² N/m² (ou Pa)
kgf/mm²

Vazão pé³/s m³/s m³/h, l/h, l/min, l/s

Tempo s s min, h

Trabalho lb.pé J kgf.m

Potência Btu W hp, cv

Prefixos das Unidades Técnicas

Para formar o múltiplo ou submúltiplo de uma unidade, basta colocar o nome do prefixo desejado na
frente da unidade. O mesmo se dá com o símbolo.

Para multiplicar a unidade volt por 1000: quilo + volt = quilovolt e k + V = kV.

Para dividir a unidade volt por 1000: mili + volt = milivolt e m + V = mV.

Estes prefixos também podem ser empregados com unidades fora do SI: milibar; quilocaloria;
megatonelada; hectolitro, etc.

Por motivos históricos, o nome da unidade de massa, contém um prefixo: quilograma. Por isso, os
múltiplos e submúltiplos dessa unidade são formados a partir do grama.

Nome de Prefixos

Nome Símbolo Fator de Multiplicação da Unidade

yotta Y 1024 = 1 000 000 000 000 000 000 000 000

zetta Z 1021 = 1 000 000 000 000 000 000 000

exa E 1018 = 1 000 000 000 000 000 000


Símbolos em
peta P 1015 = 1 000 000 000 000 000 Múltiplos
maiúsculo
tera T 1012 = 1 000 000 000 000

giga G 109 = 1 000 000 000

mega M 106 = 1 000 000


110-01-23 Geral (Linha Pesada, 07/2010) 110-01-23

Nome Símbolo Fator de Multiplicação da Unidade

quilo k 103 = 1 000

hecto h 102 = 100 Múltiplos

deca da 10

deci d 10-1 = 0,1

centi c 10-2 = 0,01

mili m 10-3 = 0,001


Símbolos em
micro μ 10-6 = 0,000 001
minúsculo
nano n 10-9 = 0,000 000 001
Sub-múltiplos
pico p 10-12 = 0,000 000 000 001

femto f 10-15 = 0,000 000 000 000 001

atto a 10-18 = 0,000 000 000 000 000 001

zepto z 10-21 = 0,000 000 000 000 000 000 001

yocto y 10-24 = 0,000 000 000 000 000 000 000 001

Produtos Químicos para Travamento e Vedação


Loctite 241/242: Trava de média resistência para
parafusos e porcas.
Trava de média resistência à desmontagem para parafusos
e porcas. Facilita a montagem, elimina sistemas mecânicos
de travamento, evita afrouxamento por vibração, impede
corrosão e ferrugem, impede vazamentos, elimina reapertos
e permite desmontagem com ferramentas convencionais.
Loctite 277: Trava de alta resistência à desmontagem
para parafusos, porcas e prisioneiros.
Facilita a montagem, elimina sistemas mecânicos de
travamento, evita afrouxamento por vibração, impede
corrosão e ferrugem, impede vazamentos, elimina reapertos.
Permite desmontagem com ferramentas convencionais.
Loctite 290: Trava e veda parafusos após a montagem.
Penetra por capilaridade preenchendo todos os espaços
vazios. Elimina sistemas mecânicos de travamento, evita
afrouxamento por vibração, impede corrosão e ferrugem,
impede vazamentos, elimina reapertos e veda
microporosidades. Permite desmontagem com ferramentas
convencionais.
110-01-24 Geral (Linha Pesada, 07/2010) 110-01-24

Loctite 567: Veda roscas com Teflon®.


Para qualquer conjunto rosqueado. Evita entupimentos, não contamina o sistema, veda
instantaneamente conexões NPT até 17 bar (250 psi). Facilita o posicionamento das peças como
conexões.
Loctite 601: Fixação de rolamentos, buchas e outras peças cilíndricas.
Permite a montagem por deslizamento e previne corrosão entre as partes. Dispensa acabamento
polido das peças; desmontagem com ferramentas convencionais.
Loctite 660: Fixação de rolamentos e buchas com grandes folgas, chavetas, etc.
Preenche grandes folgas, não necessitando de superfícies retificadas. Fixa e veda as peças. Permite
desmontagem com ferramentas convencionais.

Juntas Líquidas

Em caso de não haver risco de contaminação de óleo, pode-se utilizar Loctite 515, 598, 599 ou
Three Bond.

Porém, na junção de carcaças contendo óleo, recomenda-se aplicar desengraxante Loctite 7070 em
toda a superfície e somente após, aplicar um filete contínuo de junta líquida Loctite 509 ao longo de
toda a superfície.

A não observação destas recomendações causará a contaminação do óleo e até o entupimento dos
filtros.

Exemplos: tampa hidráulica (sobre a carcaça da caixa de câmbio) e união da carcaça da caixa de
câmbio com as carcaças do multiplicador de velocidades e da tomada de potência.

Métodos de Aplicação dos Produtos LOCTITE

a) REMOVA todos os vestígios de colas antigas, impurezas, graxas e oxidação. Para isso, UTILIZE
escovas de aço ou lixa ou produto para decapagem química.

b) PASSE um pano seco sobre os pontos de aplicação do adesivo.

c) DESENGRAXE os componentes com solvente adequado, tal como LOCTITE 706.

d) PERMITA que o solvente se evapore completamente.

e) APLIQUE o produto recomendado para a aplicação, utilizando um pincel limpo. Para aplicar
adesivo em forma de filete, UTILIZE o bico da própria embalagem.
110-01-25 Geral (Linha Pesada, 07/2010) 110-01-25

NOTAS:
Após a aplicação do produto, FAÇA a montagem tão logo seja possível. Não utilize excesso de
produto, para evitar:
• Bloqueio de componentes adjacentes.
• Dificuldade no processo de cura, que normalmente só ocorre na ausência de oxigênio.
• Contaminação do óleo no interior de conjuntos mecânicos e/ou obstrução de circuitos
hidráulicos ou de lubrificação.
• O aperto dos parafusos e junção das partes deve ser feito logo. Após a “cura” (secagem)
do adesivo, não faça novos reapertos, sob pena de quebrar o filme de vedação ou
travamento.

Tintas Especificadas para Repintura do Trator


Componentes Especificação de Cor (Valtra)

• Monobloco (powertrain = eixo dianteiro, motor, Cinza Fent


tanque de combustível, transmissão e eixo
traseiro)
• Suporte do controle remoto
• Suporte dos estabilizadores
• Suporte dos pesos dianteiros
• Pesos dianteiros
• Proteções do motor
• Contrapeso transversal
• Sistema de levante (braços, estabilizadores,
niveladores, etc.)
• Controle remoto
• Barra de tração
• Suporte pára-lamas dianteiro
• Chassis e proteções do cardan
• Suporte do tubo de escapamento
• Tela da grade dianteira
• Aplicação parcial nas tampas laterais do
compartimento do motor
• Escadas
• Soleiras
• Suporte do tanque reserva
• Caixa da bateria
110-01-26 Geral (Linha Pesada, 07/2010) 110-01-26

Componentes Especificação de Cor (Valtra)

• Filtro de ar, pré-filtro e suporte do filtro Preto Brilhante


• Alavancas em geral
• Coluna direção
• Hastes dos espelhos
• Caixa de ferramentas
• Frame do assento
• Frame da cabine
• Fechamento da coluna de direção (metal)
• Plataforma
• Console
• Estrutura da direção e pedais em geral
• Tubos do sistema de admissão e
arrefecimento

• Rodas Branco
• Contrapesos traseiros

• Capuz do motor Amarelo


• Tampas laterais do compartimento do motor
• Teto da cabine climatizada
• Grade dianteira
• Moldura do teto (filete) da cabine simples
• Moldura (filete) nos pára-lamas traseiros

• Peças plásticas cinzas em geral (sem pintura) Cinza Fosco


• Coberturas e forrações do painel de
instrumentos
• Consoles, painéis, coberturas e forrações de
acabamentos internos (plataformados e
cabinados)

• Peças plásticas pretas em geral (sem pintura) Preto Fosco


• Pára-lamas dianteiros e traseiros
• Tanque de combustível (adicional)
• Molduras de acabamento e de fixação dos
faróis dianteiros e traseiros na cabine;
climatizada
• Braço e palheta do limpador do pára-brisa e
vidro traseiro
110-01-27 Geral (Linha Pesada, 07/2010) 110-01-27

Componentes Especificação de Cor (Valtra)

• Silencioso e tubos do sistema de escape Preto Alta Temp.


• Proteções do silencioso
• Defletores da turbina
• Ejetores (Venturi)

A Política Ambiental da AGCO


A AGCO do Brasil Comércio e Indústria LTDA., em sua fábrica de Mogi das Cruzes - SP, está
comprometida em desenvolver, produzir e comercializar produtos destinados a atender as
necessidades de mecanização da agroindústria, nos mercados interno e externo, sempre
considerando e implementando as mais adequadas alternativas de preservação do Meio Ambiente.

Diretrizes Principais

1. Atender à Legislação e Normas aplicáveis, procurando acompanhar as novas tendências de


regulamentações.

2. Realizar a melhoria contínua do desempenho ambiental; adotar práticas de prevenção da


poluição, através de ações que visem à redução contínua da geração de resíduos sólidos,
efluentes líquidos, emissões atmosféricas e níveis de ruído, bem como do uso racional dos
recursos naturais.

3. Ser pró-ativa com a comunidade interna e externa, mantendo canal de comunicação aberto para
informações quanto às suas preocupações e ações ambientais.

4. Promover o senso de responsabilidade com relação à proteção do meio ambiente, através da


capacitação de seus colaboradores e da sensibilização dos prestadores de serviços e
fornecedores.

Como atingir estes objetivos?

Apostar na parceria da empresa com o meio ambiente é assegurar a sua permanência no futuro.

Acreditando nesta sentença, é que a AGCO estipulou sua Política Ambiental e implementações para
a sua concretização, através da implantação de um sistema de Gerenciamento Ambiental e de um
Programa de Produção mais Limpa.

O que quer dizer ISO 14000?

É um conjunto de normas definidas pela Organização Internacional de Normalização (ISO) para


padronizar o gerenciamento ambiental. A série ISO 14000 é composta por 6 grupos de Normas, cada
um abordando um assunto específico da questão ambiental.

No caso da AGCO, vale a Norma 14001, que trata do sistema de gestão ambiental.
110-01-28 Geral (Linha Pesada, 07/2010) 110-01-28

Sistema de Gestão Ambiental – SGA

É um conjunto de procedimentos para gerir ou administrar


uma empresa, de forma a obter o melhor relacionamento
com o meio ambiente.
A implantação deste sistema, visa analisar por completo as
atividades, produtos e serviços da empresa no que se refere
a sua influência sobre o meio ambiente e assumir um
compromisso contínuo com a qualidade ambiental.

Questões Ambientais

Efeito Estufa

É o aumento da temperatura da terra devido ao acúmulo de


gás carbônico (CO) e gás metano (CH4) na atmosfera. O
excesso de gás carbônico é produzido através de processos
industriais, consumo de combustíveis fósseis, queimadas.
“O aquecimento elevado do planeta pode derreter as calotas
polares e provocar inundações”.

Redução na Camada de Ozônio

O ozônio (O3) atua como um filtro solar nas altas camadas da atmosfera, protegendo-nos contra a
ação dos raios danosos. Alguns gases, como os clorofluorcarbonos (CFCs), utilizados na indústria de
refrigeração, destroem o ozônio, provocando um “buraco” na camada de ozônio.

“Como consequência, estima-se que 100.000 pessoas em todo mundo apresentem câncer de pele, a
cada ano.”
110-01-29 Geral (Linha Pesada, 07/2010) 110-01-29

Explosão Populacional

Estima-se que no ano 2020 poderemos ser 8 bilhões a mais de habitantes em relação à população
atual. Sendo que a maioria desta população vive em condições precárias, sem saneamento básico,
educação e assistência médica.

“O crescimento populacional aliado às condições adversas impõe ao planeta uma situação


insustentável.”

Desenvolvimento Sustentável

É um novo tipo de desenvolvimento, que busca compatibilizar o atendimento das necessidades


sociais e econômicas do ser humano com a necessidade de preservação do meio ambiente e dos
recursos naturais, de modo a assegurar a sustentabilidade da vida na terra.

Acredita-se que o desenvolvimento sustentável será a única maneira de enfrentarmos a miséria,


desperdícios, degradação ambiental e problemas sociais.

Recomendações aos Clientes e Usuários dos Tratores Valtra

Diante da questão ecológica exposta acima, reunimos algumas sugestões abaixo, buscando também
a sua conscientização para esta questão, que envolve o uso e a manutenção do trator, durante toda
a sua vida útil.

1. PROCURE adotar práticas agrícolas adequadas, buscando um mínimo de agressão ao meio


ambiente.

2. UTILIZE o seu trator com a máxima eficiência possível: regulando corretamente os implementos,
utilizando implementos adequados, operando nas condições adequadas (marcha, rotação,
velocidade, etc.) conforme exposto neste manual.

3. TIRE o máximo de proveito do seu trator, durante o máximo de tempo possível. Isto se consegue
através da manutenção preventiva adequada, conforme descrito no Manual do Operador.

4. FAÇA o manejo integrado de pragas, que consiste de uma série de procedimentos e


monitoramento da lavoura, no sentido de aplicar defensivos agrícolas somente quando necessário
e na medida certa.

5. Não permita quaisquer desperdícios, de fertilizantes, sementes, defensivos, etc. UTILIZE os


produtos sempre na dose certa.

6. EVITE as queimadas a todo custo, adotando práticas de cultivo adequadas, a exemplo do “plantio
na palha” ou Plantio Direto.

7. DÊ as peças e fluidos trocados em seu trator, o destino previsto em lei. VEJA alguns exemplos:

Metais:
A reciclagem dos metais oferece muitas vantagens. Cada tonelada de aço reciclado representa uma
economia de 1.140 kg de minério de ferro, 454 kg de carvão e 18 kg de cal.
110-01-30 Geral (Linha Pesada, 07/2010) 110-01-30

Óleos e Fluidos:
Durante o seu uso na lubrificação do equipamento, ocorre a degradação termoxidativa e o acúmulo
de contaminantes, o que torna necessária a sua troca. Jamais jogue-os diretamente na natureza,
mas sim, RECOLHA-OS e LEVE ao posto de combustíveis de onde compra estes produtos. Os óleos
podem ser refinados e em último caso, ser incinerados em aterros industriais regularizados por lei.

Baterias:
Abandonados na natureza, estes componentes causam efeitos devastadores. Por isso, ENCAMINHE
as baterias usadas para empresas que fazem a sua reciclagem ou DEVOLVA-AS ao respectivo
fornecedor que tem a obrigação de dar-lhes o destino previsto em lei.

Pneus:
A geração de energia e a recauchutagem foram as primeiras formas de reciclagem destes itens.
Com o avanço tecnológico surgiram novas alternativas, como a mistura com asfalto. Apesar do alto
índice de recauchutagem praticado atualmente, o que prolonga a vida útil dos pneus em 40%, a
maior parte dos pneus gastos ainda acaba sendo depositada nos lixões, na beira de rios e estradas e
até no quintal das casas, atraindo insetos transmissores de doença.

Plásticos:
Sua matéria-prima é o petróleo e, quando reciclado, consome somente 10% da energia consumida
para produzir igual quantidade pelo processo convencional.
O plástico, assim como o vidro, não é biodegradável pela natureza e, dada a sua crescente
utilização, torna-se inevitável sua reciclagem.

Vidros:
A sucata de vidro encontra várias aplicações, como: composição do asfalto, produção de espuma e
fibra de vidro, bijuterias e tintas reflexivas.

Papelão:
Cada 50 quilos de papel usado transformado em papel novo evita que uma árvore seja cortada.

Reciclagem Obrigatória de Baterias


NOTA: DEVOLVA sua bateria ao revendedor no ato da troca. Conforme resolução CONAMA
257/99 de 30/06/99.

Resolução CONAMA

O CONAMA – Conselho Nacional do Meio Ambiente – na Resolução 257 de 30 de junho de 1999,


define regras e responsabilidades referentes ao descarte e gerenciamento de baterias usadas. Esta
resolução determina ainda, que todos os estabelecimentos que distribuem ou revendem estes
produtos devem estar conscientes sobre tal resolução e devem receber informações e propagandas
capazes de orientar o usuário final das suas responsabilidades em retornar as baterias usadas aos
fabricantes, através dos estabelecimentos que as comercializam e/ou prestam serviço de assistência
técnica.
110-01-31 Geral (Linha Pesada, 07/2010) 110-01-31

PREZADO CLIENTE:

Todo consumidor/usuário final é obrigado a devolver a sua bateria usada a um ponto de venda. Não
descarte no lixo.

Os Pontos de Venda são obrigados a aceitar a devolução de sua bateria usada, bem como
armazená-la em local adequado e devolvê-la ao fabricante para reciclagem.

Riscos de Contato com a Solução Ácida e com o Chumbo

A solução ácida e o chumbo contidos na bateria se


descartados na natureza de forma incorreta poderão
contaminar o solo, o subsolo e as águas.
O consumo de águas contaminadas pode causar
hipertensão arterial, anemia, desânimo, fraqueza, dores nas
pernas e sonolência.
O contato da solução ácida com os olhos causa conjuntivite
química; e com a pele, dermatite de contato.
No caso de contato acidental com os olhos ou com a pele,
LAVE imediatamente com água corrente e PROCURE
orientação médica.
110-02-1 Identificação (Linha Pesada, 07/2010) 110-02-1

SEÇÃO 110-02
Identificação

Aplicação nos Modelos: Linha Pesada

Índice

Assunto

CÓDIGOS DE IDENTIFICAÇÃO

Visão Geral

Localização da Numeração de Identificação do Veículo (PIN)

Códigos de Identificação

Posições 1, 2 e 3 – Código do Fabricante Mundial

Posição 4 – Código Descritivo da Máquina

Posições 5, 6, 7 e 8 – Códigos Relativos aos Grupos de Máquina

Posição 9 – Dígito de Verificação, Código de uma Letra Calculada por uma Fórmula do
Sistema ISO

Posição 10 – Ano de Fabricação

Posição 11 – Planta da Construção

Posições 12 a 17 – Número Serial


110-02-2 Identificação (Linha Pesada, 07/2010) 110-02-2

CÓDIGOS DE IDENTIFICAÇÃO
Visão Geral
O Número de Identificação do Produto (PIN) está previsto no Código de Trânsito Brasileiro.

O órgão responsável por estabelecer os critérios de identificação de veículos é o Conselho Nacional


de Trânsito – CONTRAN, sendo que a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) elaborou a
norma (NBR’S), que define a estrutura do PIN, baseada nos critérios definidos pelo CONTRAN.

A estrutura do PIN é composta pela combinação de 17 caracteres, estruturados em 4 seções, que


estão descritas abaixo:

• WMC – Identificador Internacional do Fabricante, composto pelos caracteres de 1 a 3 do PIN (1º


ao 3º).

• MDS – Seção Descritiva do Veículo, composta pelos caracteres de 4 a 9 (4º ao 9º), que fornecem
informações descritivas das características gerais do veículo e são preenchidos a critério do
fabricante / montadora.

• MIS – Seção Indicadora do Veículo, composta pelos caracteres de 10 a 17 (10º ao 17º), sendo
que deverão identificar o ano de fabricação, o local onde o veículo foi produzido e a ordem de
seqüência de produção.

A junção das seções MDS + MIS deve assegurar a unicidade do PIN, de todos os veículos
produzidos por um fabricante / montadora por um período de 30 anos.

Localização da Numeração de Identificação do Veículo (PIN)


O veículo completo e os diversos componentes são identificados pelos números estampados no
chassi, nas etiquetas e placas de identificação. É essencial que o número de identificação do veículo
(PIN) seja mencionado juntamente com o número de identificação do componente envolvido durante
o preenchimento das solicitações de garantia ou relatórios de campo e de produto.
110-02-3 Identificação (Linha Pesada, 07/2010) 110-02-3

Item Descrição

1 Gravação principal (PIN)


Gravado em baixo relevo no chassi na parte dianteira do lado direito do trator,
contendo 17 dígitos

2 Plaqueta de Identificação (PIN)


Localizado abaixo da porta, junto ao chassi e na parte traseira da cabine

3 Numero de série da bomba injetora:


Gravado em uma plaqueta fixada na própria bomba

4 Numero de série do eixo dianteiro:


Gravado em uma plaqueta no lado direito do eixo, parte traseira
110-02-4 Identificação (Linha Pesada, 07/2010) 110-02-4

Item Descrição

5 Numero de série do motor:


Adesivo colado no lado direito do motor

6 Numero de série da transmissão:


Plaqueta localizada no lado esquerdo da caixa de câmbio

Códigos de Identificação
110-02-5 Identificação (Linha Pesada, 07/2010) 110-02-5

Item Descrição

a Posições 1, 2 e 3 – código do fabricante mundial

b Posição 4 – descritivo da máquina

c, d, e, f Posição 5, 6, 7 e 8 – códigos relativos aos grupos de máquina

g Posição 9 – código de uma letra calculada por uma formula do sistema da ISO

h Posição 10 – ano de fabricação

i Posição 11 – planta da construção

j Posições 12 a 17 – número serial

Posições 1, 2 e 3 – Código do Fabricante Mundial

Código Fabricante

AAA AGCO do BRASIL

Posição 4 – Código Descritivo da Máquina

Código Fabricante

T Trator

C Colheitadeira

P Plataforma

Posição 5, 6, 7 e 8 – Códigos Relativos aos Grupos de Máquina

Linha Leve

585 2001

685 ATS 2002

685 2002

785 2003

BF65 2004

BF75 2004

A650 2005
110-02-6 Identificação (Linha Pesada, 07/2010) 110-02-6

Linha Leve (Continuação)

A750 2005

A850 2005

A750L 2006

A950 2006

Linha Média

BF75 2004

A650 2005

A750 2005

A850 2005

A750L 2006

A950 2006

Linha Pesada

1280R 2009

BH145 2010

BH165 2010

BH180 2010

BH185i 2010

BH205i 2010

1780 2011

BT150 2012

BT170 2012

BT190 2013

BT210 2013

Outros Grupos

Pré-Série 2777

Importado 2888

Protótipos 2999
110-02-7 Identificação (Linha Pesada, 07/2010) 110-02-7

Posição 9 – Dígito de Verificação, Código de uma Letra Calculada por uma Fórmula do
Sistema ISO

P (gerado pelo computador)

Posição 10 – Ano de Fabricação

Código Modelo

A 2010

B 2011

C 2012

D 2013

Posição 11 – Planta da Construção

Código Planta

M Mogi das Cruzes

S Santa Rosa

I Ibirubá

Posições 12 a 17 – Número Serial


110-03-1 Especificações Técnicas (Linha Pesada, 07/2010) 110-03-1

SEÇÃO 110-03
ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

Tabela de Torque de Parafuso Norma ISO


Rosca Normal

Momento de Aperto (N.m)

4,8 5,8 8,8


Tamanho
tolerância tolerância tolerância
do parafuso
zincado zincado oleado

M4 1 0,1 1,8 0,2

M5 2,8 0,3 3,5 0,4 6,4 0,6

M6 5 0,5 6 0,5 11 1

M8 12 1 15 1,5 25 2

M10 23 2 30 3 50 5

M12 50 5 90 10

M14 80 8 140 15

M16 120 10 220 20

M18 170 15 300 30

M20 240 25 430 40

M22 320 30 570 60

M24 400 40 740 70

M27 600 60 1100 100

M30 800 80 1500 150

M33 1100 100 2000 200

M36 1400 150 2500 250

M39 1800 180 3200 300

M42 2300 200 4000 400


110-03-2 Especificações Técnicas (Linha Pesada, 07/2010) 110-03-2

8,8 8,8
Tamanho
tolerância tolerância
do parafuso
zincado * Znk

M4

M5 5,7 0,5

M6 10 1 12 1,2

M8 23 2 30 3

M10 45 5 60 5

M12 80 8 100 10

M14 125 10 160 15

M16 195 20 250 25

M18 270 30 350 35

M20 380 40 480 50

M22 500 50 650 65

M24 660 70 830 80

M27 950 100 1200 120

M30 1300 130 1600 160

M33 1700 170 2200 220

M36 2200 220 2800 280

M39 2900 300 3700 370

M42 3600 350 4500 450


110-03-3 Especificações Técnicas (Linha Pesada, 07/2010) 110-03-3

10,9 12,9
Tamanho
tolerância tolerância
do parafuso
oleado oleado

M4

M5 9 1 11 1

M6 15 1,5 18 2

M8 35 4 45 5

M10 70 7 90 10

M12 125 10 151 15

M14 200 20 240 20

M16 300 30 370 40

M18 430 40 510 50

M20 600 60 720 70

M22 800 80 970 100

M24 1030 100 1250 120

M27 1500 150 1800 180

M30 2040 200 2500 250

M33 2800 280 3300 330

M36 3500 400 4300 430

M39 4500 500 5500 500

M42 5700 600 6800 680

* Znk = zincado eletrolítico

NOTA: tolerância é mais ou menos o valor indicado, em (N.m).


110-03-4 Especificações Técnicas (Linha Pesada, 07/2010) 110-03-4

Rosca Fina

Momento de Aperto (N.m)

Tamanho 5,6 8,8 8,8


por passe tolerância tolerância tolerância
de rosca oleado oleado zincado

M5 por 0,5 3,2 0,3 6,8 0,6 6 0,5

M6 por 0,75 5,4 0,5 12 1 10 1

M8 por 1 13 1,3 28 3 25 3

M10 por 1,25 25 2,5 55 5 45 5

M12 por 1,25 45 5 95 10 80 10

M14 por 1,5 70 7 150 15 130 15

M16 por 1,5 105 10 230 25 200 20

M18 por 1,5 150 15 330 35 300 30

M20 por 1,5 210 20 450 50 400 40

M22 por 1,5 280 25 600 60 540 50

M24 por 2 360 35 770 80 680 70

M27 por 2 520 50 1100 100 980 100

M 30 por 2 720 70 1500 150 1360 130

M33 por 2 960 100 2050 200 1800 180

M36 por 3 1200 120 2600 260 2300 230

M 39 por 3 1560 150 3300 300 3000 300

M42 por 3 1960 200 4200 400

M45 por 3 2400 240 5200 520


110-03-5 Especificações Técnicas (Linha Pesada, 07/2010) 110-03-5

Tamanho 10,9 12,9


por passe tolerância tolerância
de rosca oleado oleado

M5 por 0,5 9,6 1 11 1

M6 por 0,75 16 2 20 2

M8 por 1 40 4 46 5

M10 por 1,25 75 10 90 10

M12 por 1,25 130 13 160 20

M14 por 1,5 210 20 250 30

M16 por 1,5 300 30 380 40

M18 por 1,5 460 50 550 50

M20 por 1,5 630 60 760 80

M22 por 1,5 850 80 1000 100

M24 por 2 1100 100 1300 130

M27 por 2 1600 150 1900 200

M 30 por 2 2200 200 2600 250

M33 por 2 2900 300 3500 350

M36 por 3 3600 360 4400 450

M 39 por 3 4700 500 5600 560

M42 por 3

M45 por 3

NOTA: tolerância é mais ou menos o valor indicado, em (N.m).


110-05-1 Separação do Trator (Linha Pesada, 07/2010) 110-05-1

SEÇÃO 110-05
Separação do Trator

Aplicação nos Modelos: Linha Pesada

Índice

Assunto

ABERTURA E FECHAMENTO

Abertura do Trator entre o Motor e o Tanque de Combustível

Abertura do Trator entre o Multiplicador de Velocidades e o Tanque de Combustível


110-05-2 Separação do Trator (Linha Pesada, 07/2010) 110-05-2

ABERTURA E FECHAMENTO
Abertura do Trator entre o Motor e o Tanque de Combustível

NOTA: esta operação de separação entre o motor e o tanque de combustível é utilizada


principalmente para ter acesso ao conjunto da embreagem e remoção do motor.

NOTA: todos os procedimentos envolvendo abertura do trator devem ser executados de


acordo com as devidas precauções e normas de segurança.

NOTA: antes e durante a abertura, CERTIFIQUE-SE de que todas as conexões foram


devidamente desligadas entre a parte móvel (parte dianteira do trator) e a parte fixa (parte
traseira).

NOTA: a cabine ou plataforma de operação permanece fixa ao tanque de combustível durante


todo o procedimento.

NOTA: a ilustração acima mostra a referida separação do trator.

NOTA: o procedimento apresentado a seguir considera a cabine ou plataforma apoiada sobre o


tanque de combustível (parte traseira) e o motor e eixo dianteiro apoiados sobre o cavalete e
vigas laterais (parte dianteira), que será deslocado para frente na separação.
110-05-3 Separação do Trator (Linha Pesada, 07/2010) 110-05-3

NOTA: para esta abertura, é necessário remover as tampas laterais superiores, inferiores e a
capota do motor.

NOTA: para mais informações sobre componentes relacionados ao sistema do condicionador


de ar e aquecimento, CONSULTE as Seções 882-02 e 882-03.

Abertura

ATENÇÃO: para a realização das operações a seguir devem ser utilizados todos os
equipamentos de segurança de trabalhos necessários (EPI’s), exemplo: luvas, óculos, sapatos,
protetores auriculares, etc.

ATENÇÃO: ao manusear peças volumosas e pesadas, TOME todas as precauções de


segurança necessárias.

NOTA: todo o óleo lubrificante usado deverá ser recolhido e armazenado adequadamente para
posterior reciclagem.

NOTA: FAÇA as desconexões no ponto mais adequado para cada caso e IDENTIFIQUE as
mangueiras e tubos para evitar dificuldades na montagem.

NOTA: todas as mangueiras e conexões soltas em geral deverão ser tampadas para evitar
contaminações e vazamentos.

1. CALCE a viga do eixo dianteiro com cunhas de madeira


(seta) em ambos os lados, para assegurar o equilíbrio
lateral do conjunto frontal que será deslocado.

2. ACIONE o freio de estacionamento e CALCE as rodas


traseiras com cunhas de madeira.
110-05-4 Separação do Trator (Linha Pesada, 07/2010) 110-05-4

3. REMOVA as tampas laterais e a capota do motor. Para


mais informações, CONSULTE o item “Tampas Laterais
Superiores, Inferiores e Capota do Motor – Remoção e
Instalação”, na Seção 881-01.
4. REMOVA as porcas de fixação (setas) da tampa de
proteção (1) da bateria e REMOVA-A.

5. SOLTE e DESCONECTE os cabos (setas) positivo e


negativo da bateria.

6. REMOVA as hastes (setas) e o fixador (1) da bateria.


REMOVA a bateria (2).
7. DRENE o sistema do condicionador de ar. Para mais
informações, CONSULTE o item “Sistema do
Condicionador de Ar – Drenagem”, na Seção 882-03.

8. DESCONECTE as mangueiras (1 e 2) de alimentação e


retorno de água do sistema de aquecimento (calefação)
da cabine e TAMPE os orifícios no motor e mangueiras.

ATENÇÃO: a operação mencionada acima deve


ser efetuada com o motor frio para evitar acidentes
com queimaduras.

9. DRENE o óleo do sistema hidráulico. Para mais


informações, CONSULTE o item “Sistema Hidráulico –
Drenagem e Abastecimento”, na Seção 990-01.
110-05-5 Separação do Trator (Linha Pesada, 07/2010) 110-05-5

10. DRENE o tanque de combustível. Para mais


informações, CONSULTE o item “Tanque de Combustível
– Drenagem e Abastecimento”, na Seção 770-03.

11. REMOVA a grade dianteira (1) e lateral (2) de proteção


de mangueiras removendo os parafusos de fixação
(setas).

12. DESCONECTE as conexões das mangueiras das linhas


de alta pressão (1) no filtro secador e de baixa pressão
(2) no compressor do sistema do condicionador de ar.
CORTE as braçadeiras de fixação e DESLOQUE as
respectivas mangueiras de seus alojamentos.
NOTA: TAMPE todas as conexões para evitar a
contaminação e o escorrimento de óleo refrigerante.
110-05-6 Separação do Trator (Linha Pesada, 07/2010) 110-05-6

13. SOLTE e DESCONECTE as mangueiras da direção (1 e


2) esquerda e direita do eixo dianteiro e as mangueiras
de alimentação e retorno (3 e 4) na unidade hidrostática.

14. SOLTE a haste de acionamento (1) da embreagem


removendo a porca e contraporca (seta) de fixação.

15. REMOVA a mola (1) de retorno do cabo do acelerador,


RETIRE o pino (2) de travamento da haste, SOLTE as
porcas de fixação e de regulagem (setas) e
DESENCAIXE o respectivo cabo do suporte.

16. SOLTE e DESACOPLE a mangueira de retorno de óleo


diesel para o tanque junto à bomba injetora (seta).

17. SOLTE todos os terminais elétricos (setas) do motor de


partida.
110-05-7 Separação do Trator (Linha Pesada, 07/2010) 110-05-7

18. DESCONECTE o conector máster (1) do chicote elétrico


dianteiro principal na parte frontal da cabine, girando-o no
sentido anti-horário para soltá-lo.

19. REMOVA a proteção das mangueiras (1) da cabine


removendo os parafusos de fixação (setas) em ambos os
lados.

20. SOLTE a conexão da mangueira de entrada de óleo


diesel no filtro sedimentador (seta).

21. SOLTE a fixação da extremidade da mangueira de


lubrificação da bucha guia do sistema da embreagem
junto à chapa divisória (seta).
110-05-8 Separação do Trator (Linha Pesada, 07/2010) 110-05-8

22. REMOVA o tanque de combustível adicional esquerdo


conforme a seguir:
a) REMOVA o estribo (escada) (1) removendo os
parafusos de fixação (setas).

b) DESCONECTE a mangueira de respiro (2) do tanque


de combustível adicional e REMOVA o parafuso
superior (1) da cinta de fixação dianteira do respectivo
tanque.

c) REMOVA o parafuso superior (1) da cinta de fixação


traseira do tanque de combustível adicional.

d) REMOVA as porcas de fixação inferior (setas) de


ambas as cintas de fixação do tanque.

e) SOLTE as braçadeiras (setas) da mangueira de


ligação de combustível entre o tanque principal e o
adicional.
f) REMOVA o tanque de combustível adicional esquerdo
(1) de seu alojamento desencaixando-o da mangueira
de ligação.
110-05-9 Separação do Trator (Linha Pesada, 07/2010) 110-05-9

g) REMOVA a chapa plataforma (1) do tanque de


combustível adicional que está somente apoiada
sobre os suportes.

23. REMOVA o tanque de combustível adicional direito


conforme a seguir:
a) CORTE a braçadeira de plástico (seta) de fixação dos
cabos da bateria junto à cinta de fixação do tanque de
combustível adicional.
b) REMOVA o parafuso superior (1) da cinta de fixação
traseira do respectivo tanque.

c) DESCONECTE a mangueira de respiro (1) do tanque


de combustível adicional e REMOVA o parafuso
superior (2) da cinta de fixação dianteira do respectivo
tanque.

d) REMOVA as porcas de fixação inferior (setas) de


ambas as cintas de fixação do tanque e REMOVA as
cintas.

e) SOLTE as braçadeiras (setas) da mangueira de


ligação de combustível entre o tanque principal e o
adicional.
f) REMOVA o tanque de combustível adicional direito
(1) de seu alojamento desencaixando-o da mangueira
de ligação.
110-05-10 Separação do Trator (Linha Pesada, 07/2010) 110-05-10

g) REMOVA a chapa plataforma (1) do tanque de


combustível adicional que está somente apoiada
sobre os suportes.

24. SOLTE a conexão da mangueira de retorno (1) de óleo


do sistema hidráulico junto ao corpo da válvula de
compensação (seta) fixado na viga do lado esquerdo de
apoio do motor.

25. Pela parte debaixo do trator SOLTE e DESACOPLE o


tubo de sucção da bomba hidráulica dianteira da
mangueira inferior (seta) de ligação com o filtro de
sucção.

26. Também pela parte debaixo do trator SOLTE e


DESACOPLE o tubo de sucção da bomba hidráulica
lateral da mangueira inferior (seta) de ligação com o filtro
de sucção.
110-05-11 Separação do Trator (Linha Pesada, 07/2010) 110-05-11

27. REMOVA a porca de fixação (seta) da chapa defletora de


calor (1) da bomba hidráulica e REMOVA a chapa.
28. SOLTE a conexão (2) da mangueira de alta pressão de
alimentação do sistema hidráulico, junto à saída da
bomba lateral.

29. REMOVA a braçadeira (seta) de fixação de vários tubos e


mangueiras.
30. SOLTE a conexão (1) de ligação dos tubos de alta
pressão de alimentação do sistema hidráulico, da bomba
dianteira.

31. REMOVA a grade lateral (1) de proteção de mangueiras


removendo os parafusos de fixação (setas).
32. SOLTE as conexões (2 e 3) das mangueiras de
arrefecimento do óleo hidráulico da caixa de câmbio.

33. REMOVA o protetor dianteiro do cardan (1), removendo


os parafusos de fixação (setas).

34. FAÇA uma marca de referência (seta) de posicionamento


nos flanges do cardan e do pinhão do diferencial da
tração dianteira para que sejam montados na mesma
posição.
110-05-12 Separação do Trator (Linha Pesada, 07/2010) 110-05-12

35. REMOVA os parafusos de fixação (setas) do flange


dianteiro do cardan à tração dianteira e DESACOPLE-O.
36. REMOVA a tampa da embreagem. Para mais
informações, CONSULTE o item “Tampa da Embreagem
– Remoção e Instalação”, na Seção 440-03.

37. COLOQUE um trilho (Equipamento “A”) embaixo do trator


e UTILIZE 2 carrinhos (1 e 2) com regulagens de altura
sobre os trilhos.

38. POSICIONE o carrinho (1) embaixo do motor e o carrinho


(2) embaixo do tanque de combustível, ajustando-os até
encostar na carcaça dos componentes.

39. Caso o trator estiver equipado com pesos e contrapesos


dianteiros, COLOQUE um macaco (1) hidráulico (tipo
jacaré) (10t) apoiado sob os contrapesos.
NOTA: nunca remova os parafusos de fechamento
dos conjuntos antes de certificar-se que as carcaças
estão devidamente calçadas.

40. REMOVA todos os parafusos de fixação (setas) do bloco


motor/carcaça do volante com o tanque de combustível
em toda a sua volta.
NOTA: antes da separação FAÇA mais uma
verificação se todos os componentes foram
desligados, tais como: chicotes elétricos,
mangueiras, tubulações, alavancas, cabos, etc.
110-05-13 Separação do Trator (Linha Pesada, 07/2010) 110-05-13

41. Utilizando alavancas, SEPARE inicialmente o trator entre


o motor (1) e o tanque de combustível (2). Em seguida
DESLOQUE cuidadosamente a parte dianteira para
frente, com 2 auxiliares girando as rodas ao mesmo
tempo e observando sempre o equilíbrio perfeito do
conjunto dianteiro que está sendo deslocado juntamente
com o carrinho de apoio e o macaco hidráulico (jacaré).

Limpeza

ATENÇÃO: para a realização das operações a seguir devem ser utilizados todos os
equipamentos de segurança de trabalhos necessários (EPI’s), exemplo: luvas, óculos,
sapatos, protetores auriculares, etc. A não utilização desses equipamentos pode resultar em
acidentes graves.

NOTA:
• Não utilize gasolina para limpeza de peças.
• Nunca descarte óleo lubrificante de transmissão usado, agentes de limpeza, resíduos
químicos, etc. na rede de esgotos ou em qualquer outro local que possa agredir o meio
ambiente. OBEDEÇA a legislação local do município.
• Todo o solvente usado para limpeza deverá ser recolhido e armazenado adequadamente
para posterior reciclagem.

LIMPE todas as peças e componentes externos removidos do motor e do tanque de combustível.

LIMPE a região de assentamento da carcaça do motor no tanque de combustível.


110-05-14 Separação do Trator (Linha Pesada, 07/2010) 110-05-14

LIMPE os adesivos de trava química dos orifícios com rosca dos parafusos de fixação do motor na
carcaça do tanque, utilizando um macho com a mesma medida dos respectivos parafusos.

LIMPE a rosca de todos os parafusos que receberam adesivo de trava química.

ATENÇÃO: EVITE arranhões na pele, riscos de incêndio e a inalação de vapores ao usar


líquidos solventes e inflamáveis.

Inspeção

INSPECIONE todas as peças e componentes externos removidos e desmontados do conjunto do


motor e do tanque de combustível quanto a:

a) Carcaças com trincas, rupturas, riscos, empenamentos, deformações, etc.

b) Parafusos e porcas com roscas danificadas.

c) Mangueiras em geral com fissuras, dobradas, deformadas ou ressecadas.

d) Tubos e conexões amassados, trincados ou com filetes de roscas danificadas.

e) Chicotes elétricos, terminais ou conectores danificados.

SUBSTITUA as peças que apresentarem qualquer anomalia.

NOTA: cupilhas, contrapinos, parafusos e porcas autotravantes sempre que removidos devem
ser substituídos.

Fechamento

ATENÇÃO: ao manusear peças volumosas e pesadas, TOME todas as precauções de


segurança necessárias.

NOTA: antes de acoplar o eixo acionador da caixa de câmbio no cubo do disco da embreagem,
LUBRIFIQUE moderadamente o entalhado do respectivo eixo com graxa EP-2 à base de
dissulfeto de molibdênio.
110-05-15 Separação do Trator (Linha Pesada, 07/2010) 110-05-15

1. FAÇA a união do trator entre o motor (1) e o tanque de


combustível (2), deslocando cuidadosamente a parte
dianteira para trás em direção ao tanque de combustível
com 2 auxiliares girando as rodas ao mesmo tempo e
observando sempre o equilíbrio do conjunto dianteiro que
está sendo deslocado, juntamente com o carrinho de
apoio e o macaco hidráulico (jacaré).
NOTA: CERTIFIQUE-SE de que ambos os carrinhos
estejam regulados de modo a assegurar o perfeito
alinhamento entre o estriado do eixo acionador da
caixa de câmbio com o entalhado do disco da
embreagem (seta).

2. TERMINE de acoplar o conjunto do motor no tanque de


combustível, APLIQUE trava química (LOCTITE 271) nos
parafusos de fixação do conjunto do motor e INSTALE-
OS em toda a volta da carcaça (setas). APERTE os
parafusos da carcaça do motor alternadamente com o
torque de 210 N.m (21 kgf.m).

3. RETIRE os carrinhos de apoio que tinham sido instalados


para sustentar o conjunto do motor/tanque de
combustível e o trilho (equipamento) de alojamento dos
carrinhos de apoio.
4. INSTALE a tampa da embreagem. Para mais
informações, CONSULTE o item “Tampa da Embreagem
– Remoção e Instalação”, na Seção 440-03.
110-05-16 Separação do Trator (Linha Pesada, 07/2010) 110-05-16

5. ACOPLE o cardan à tração dianteira, observando as


marcas de referência efetuadas nos flanges do cardan e
da tração dianteira no momento da desmontagem.
INSTALE os parafusos de fixação (setas). APERTE os
parafusos dos flanges com o torque de 60 N.m (6 kgf.m).

6. INSTALE o protetor dianteiro do cardan (1) instalando os


parafusos de fixação (setas).
APERTE os parafusos do protetor com o torque de 60
N.m (6 kgf.m).

7. LIGUE as conexões (2 e 3) das mangueiras de


arrefecimento do óleo hidráulico da caixa de câmbio.
APERTE as conexões. Para informações de torque,
CONSULTE a Seção 110-03.
8. INSTALE a grade lateral (1) de proteção de mangueiras,
instalando os parafusos de fixação (setas). APERTE os
parafusos da grade com o torque de 15 N.m (1,5 kgf.m).

9. LIGUE a conexão (1) de ligação dos tubos de alta


pressão de alimentação do sistema hidráulico da bomba
dianteira. APERTE a conexão. Para informações de
torque, CONSULTE a Seção 110-03.
10. INSTALE e FIXE a braçadeira (seta) de fixação de vários
tubos e mangueiras.

11. LIGUE a conexão (2) da mangueira de alta pressão de


alimentação do sistema hidráulico junto à saída da
bomba lateral. APERTE a conexão com o torque de 72
N.m (7,2 kgf.m).
12. POSICIONE chapa defletora de calor (1) da bomba
hidráulica e INSTALE a porca de fixação (seta). APERTE
a porca da chapa com o torque de 50 N.m (5 kgf.m).
110-05-17 Separação do Trator (Linha Pesada, 07/2010) 110-05-17

13. Pela parte debaixo do trator ACOPLE e FIXE o tubo de


sucção da bomba hidráulica lateral na mangueira inferior
(seta) de ligação com o filtro de sucção, apertando
adequadamente a braçadeira.

14. Também pela parte debaixo do trator ACOPLE e FIXE o


tubo de sucção da bomba hidráulica dianteira na
mangueira inferior (seta) de ligação com o filtro de
sucção, apertando adequadamente a braçadeira.

15. LIGUE a conexão da mangueira de retorno (1) de óleo do


sistema hidráulico junto ao corpo da válvula de
compensação (seta) fixado na viga do lado esquerdo de
apoio do motor. APERTE a conexão com o torque de 90
N.m (9 kgf.m).

16. INSTALE o tanque de combustível adicional direito,


conforme a seguir:
a) INSTALE a chapa plataforma (1) do tanque de
combustível adicional apoiando-a corretamente sobre
os suportes.
110-05-18 Separação do Trator (Linha Pesada, 07/2010) 110-05-18

b) POSICIONE a mangueira de ligação entre os tanques


combustível no tanque principal e INSTALE o tanque
de combustível adicional direito (1) em seu
alojamento, encaixando-o na mangueira de ligação.
c) POSICIONE e APERTE adequadamente as
braçadeiras (setas) de fixação da mangueira de
ligação de combustível entre o tanque principal e o
adicional.

d) INSTALE a cinta de fixação dianteira do tanque e o


parafuso superior (2) de fixação da cinta e CONECTE
a mangueira de respiro (1) do tanque de combustível
adicional, apertando adequadamente a braçadeira.

e) INSTALE a cinta de fixação traseira do tanque de


combustível e o parafuso superior (1) de fixação da
cinta e FIXE com uma nova braçadeira de plástico
(seta) os cabos da bateria junto à cinta de fixação do
tanque.
APERTE os parafusos superiores das cintas de
fixação do tanque com o torque de 50 N.m (5 kgf.m).

f) POSICIONE ambas as cintas de fixação do tanque na


parte inferior do suportes e INSTALE as porcas de
fixação (setas).
APERTE as porcas das cintas com o torque de 40
N.m (4 kgf.m) de ambas as cintas de fixação do
tanque.

17. INSTALE o tanque de combustível adicional esquerdo,


conforme a seguir:
a) INSTALE a chapa plataforma (1) do tanque de
combustível adicional, apoiando-a corretamente sobre
os suportes.
110-05-19 Separação do Trator (Linha Pesada, 07/2010) 110-05-19

b) POSICIONE a mangueira de ligação entre os tanques


combustível no tanque principal e INSTALE o tanque
de combustível adicional esquerdo (1) em seu
alojamento, encaixando-o na mangueira de ligação.
c) POSICIONE e APERTE adequadamente as
braçadeiras (setas) de fixação da mangueira de
ligação de combustível entre o tanque principal e o
adicional.

d) INSTALE a cinta de fixação dianteira do tanque e o


parafuso superior (2) de fixação da cinta e CONECTE
a mangueira de respiro (1) do tanque de combustível
adicional apertando adequadamente a braçadeira.

e) INSTALE a cinta de fixação traseira do tanque de


combustível e o parafuso superior (1) de fixação da
cinta. APERTE os parafusos superiores das cintas de
fixação do tanque com o torque de 50 N.m (5 kgf.m).

f) POSICIONE ambas as cintas de fixação do tanque na


parte inferior do suportes e INSTALE as porcas de
fixação (setas).
APERTE as porcas das cintas com o torque de 40
N.m (4 kgf.m) de ambas as cintas de fixação do
tanque.

g) POSICIONE o estribo (escada) (1) em seu alojamento


e INSTALE os parafusos de fixação (setas). APERTE
os parafusos do estribo com o torque de 50 N.m (5
kgf.m).
110-05-20 Separação do Trator (Linha Pesada, 07/2010) 110-05-20

18. POSICIONE e FIXE a extremidade da mangueira de


lubrificação da bucha guia do sistema da embreagem
junto à chapa divisória (seta).

19. LIGUE a conexão da mangueira de entrada de óleo


diesel no filtro sedimentador (seta) utilizando novos anéis
de vedação. APERTE a conexão. Para informações de
torque, CONSULTE a Seção 110-03.

20. INSTALE a proteção das mangueiras (1) da cabine,


instalando os parafusos de fixação (setas) em ambos os
lados.
110-05-21 Separação do Trator (Linha Pesada, 07/2010) 110-05-21

21. CONECTE o conector master (1) do chicote elétrico


dianteiro principal na parte frontal da cabine girando-o no
sentido horário para fixá-lo.

22. INSTALE e FIXE todos os terminais elétricos (setas) do


motor de partida.

23. ACOPLE e FIXE a mangueira de retorno de óleo diesel


para o tanque junto à bomba injetora (seta).

24. ENCAIXE o cabo do acelerador no suporte, encostando


as porcas de fixação e de regulagem (setas). INSTALE o
pino (2) de travamento da haste e INSTALE a mola (1) de
retorno do cabo.
NOTA: no final dos trabalhos regule o curso do pedal
do acelerador.

25. FIXE a haste de acionamento (1) da embreagem


instalando a porca e contraporca (seta) de fixação.
NOTA: no final dos trabalhos REGULE a folga do
pedal da embreagem. Para mais informações,
CONSULTE o item “Verificação e Ajuste da Folga do
Pedal da Embreagem – Ajustes, Regulagens e
Verificações”, na Seção 440-03.
110-05-22 Separação do Trator (Linha Pesada, 07/2010) 110-05-22

26. POSICIONE e CONECTE as mangueiras da direção (1 e


2) esquerda e direita do eixo dianteiro e as mangueiras
de alimentação e retorno (3 e 4) na unidade hidrostática.
APERTE as porcas das conexões das mangueiras com o
torque de 72X N.m (7,2 kgf.m).

27. POSICIONE as mangueiras do sistema do condicionador


de em seus alojamentos e CONECTE as conexões das
linhas de alta pressão (1) no filtro secador e de baixa
pressão (2) no compressor do condicionador de ar
apertando as conexões corretamente.
FIXE as mangueiras em todo o percurso removido,
instalando braçadeiras novas de plástico.

28. INSTALE a grade dianteira (1) e lateral (2) de proteção,


instalando e apertando os parafusos de fixação (setas).
110-05-23 Separação do Trator (Linha Pesada, 07/2010) 110-05-23

29. CONECTE as mangueiras (1 e 2) de alimentação e


retorno de água do sistema de aquecimento (calefação)
da cabine.
30. Com o seletor do sistema de aquecimento da cabine todo
aberto (posição QUENTE), COMPLETE o sistema de
arrefecimento do motor com líquido aditivado na
proporção indicada em “Especificações”, na Seção 220-
02.

31. INSTALE a bateria (1) em seu alojamento.


32. INSTALE o quadro fixador (2) da bateria e as hastes
laterais de fixação (3) prendendo a extremidade das
hastes na parte inferior do suporte (seta) e apertando
adequadamente as porcas de fixação.

33. CONECTE os cabos (setas) positivo e negativo da


bateria.
110-05-24 Separação do Trator (Linha Pesada, 07/2010) 110-05-24

34. INSTALE a tampa de proteção (1) da bateria e as porcas


de fixação (setas).
35. RETIRE as cunhas de madeira de calço da viga do eixo
dianteiro em ambos os lados.
36. REPROGRAME todos os componentes que possuem
memória volátil.

37. LIGUE o motor e VERIFIQUE o funcionamento:

• de todo o sistema hidráulico, do levantamento dos braços, da sensibilidade, da velocidade de


descida, do corpo de comando de 3 válvulas e válvula Hiflow, ocorrência de vazamentos, etc;

• dos engates das marchas da caixa de câmbio, dos engates da TDP e da tração dianteira;

• dos acionamentos dos freios de serviços e de estacionamento;

• do acionamento do sistema de bloqueio;

• dos componentes elétricos em geral.

FAÇA a regulagem da folga do pedal da embreagem e do cabo do acelerador.

REGULE todos os cabos e alavancas de acionamento dos componentes mencionados acima, se


for necessário.

CORRIJA os vazamentos e irregularidades.


110-05-25 Separação do Trator (Linha Pesada, 07/2010) 110-05-25

ABERTURA E FECHAMENTO
Abertura do Trator entre o Multiplicador de Velocidades e o Tanque de
Combustível

NOTA: esta operação de separação entre o multiplicador de velocidades e o tanque de


combustível é utilizada principalmente para ter acesso ao tanque de combustível principal e o
multiplicador de velocidades. Todos os procedimentos envolvendo aberturas do trator devem
ser executados de acordo com as devidas precauções e normas de segurança.

NOTA: antes e durante a abertura, CERTIFIQUE-SE de que todas as conexões foram


devidamente desligadas, entre a parte móvel (parte dianteira do trator) e a parte fixa (parte
traseira).

NOTA: a ilustração ao lado mostra a referida separação do trator.


110-05-26 Separação do Trator (Linha Pesada, 07/2010) 110-05-26

Abertura

ATENÇÃO: para a realização das operações a seguir devem ser utilizados todos os
equipamentos de segurança de trabalhos necessários (EPI’s), exemplo: luvas, óculos, sapatos,
protetores auriculares, etc.

ATENÇÃO: ao manusear peças volumosas e pesadas, TOME todas as precauções de


segurança necessárias.

NOTA: todo o óleo lubrificante usado deverá ser recolhido e armazenado adequadamente para
posterior reciclagem.

NOTA: FAÇA as desconexões no ponto mais adequado para cada caso e IDENTIFIQUE as
mangueiras e tubos para evitar dificuldades na montagem.

NOTA: todas as mangueiras e conexões soltas em geral deverão ser tampadas para evitar
contaminações e vazamentos.

1. CALCE a viga do eixo dianteiro com cunhas de madeira


(1) em ambos os lados, para assegurar o equilíbrio lateral
do conjunto frontal que será deslocado.

2. ACIONE o freio de estacionamento e CALCE as rodas


dianteiras com cunhas de madeira (setas).
3. REMOVA a cabine climatizada. Para mais informações,
CONSULTE o item “Cabine Climatizada (BH) – Remoção
e Instalação”, na Seção 880-01.

4. REMOVA o protetor traseiro (1) do cardan removendo os


parafusos de fixação (setas).
5. FAÇA uma marca de referência (seta) de posicionamento
nos flanges do cardan e do multiplicador de velocidades,
para que sejam montados na mesma posição.
110-05-27 Separação do Trator (Linha Pesada, 07/2010) 110-05-27

6. REMOVA os 8 parafusos de fixação (setas) do flange


traseiro de fixação do cardan da tração dianteira e
DESACOPLE-O.

7. COLOQUE um trilho (Equipamento “A”) embaixo do trator


e UTILIZE 2 carrinhos (1 e 2) com regulagens de altura
sobre os trilhos.
8. POSICIONE o carrinho (1) embaixo da caixa de câmbio e
o carrinho (2) embaixo do tanque de combustível,
ajustando-os até encostar na carcaça dos componentes.

9. SOLTE o engate da haste de acionamento do


multiplicador de velocidades, removendo a cupilha e o
pino de fixação (seta).

10. SOLTE as conexões (setas) das mangueiras de óleo do


sistema de arrefecimento do óleo da caixa de câmbio na
carcaça.

11. SOLTE as conexões (1 e 2) das mangueiras de alta


pressão de alimentação do sistema hidráulico junto à
entrada dos filtros de óleo.
12. REMOVA os parafusos de fixação (setas) do suporte dos
filtros de óleo do sistema hidráulico e DESLOQUE-OS
para trás juntamente com o suporte, prendendo-os
adequadamente.
110-05-28 Separação do Trator (Linha Pesada, 07/2010) 110-05-28

13. FAÇA uma marca de referência no eixo e na alavanca de


acionamento do multiplicador de velocidades (seta) para
facilitar na montagem e REMOVA a respectiva alavanca,
removendo o parafuso de fixação (1).

14. SOLTE o engate da haste de acionamento do bloqueio


removendo o pino elástico de travamento (seta) com
auxílio de um sacapino adequado e um martelo.

15. REMOVA os parafusos de fixação (setas) do suporte das


alavancas de mudanças e DESLOQUE-AS para trás
juntamente com o suporte.

16. SOLTE e DESACOPLE as mangueiras de sucção (setas)


do sistema hidráulico.

17. REMOVA os parafusos de fixação (setas) da tampa (1)


de proteção do eixo acionador e REMOVA-A.
110-05-29 Separação do Trator (Linha Pesada, 07/2010) 110-05-29

18. DESTRAVE e REMOVA os parafusos de fixação (setas)


da luva de acoplamento do eixo acionador.

19. DESLOQUE a luva de acoplamento (1) para trás até


desacoplar do eixo piloto do multiplicador de velocidades.
RETIRE a bucha estriada (2) e o anel espaçador (3).
20. DESLOQUE todas as mangueiras desconectadas da
região de separação das carcaças.

21. REMOVA os parafusos de fixação (setas) do multiplicador


de velocidades com o tanque de combustível em toda a
sua volta.
NOTA: nunca remova os parafusos de fechamento
dos conjuntos antes de certificar-se que as carcaças
estão devidamente calçadas.
NOTA: antes da separação VERIFIQUE se todos os
componentes foram desligados, tais como: chicotes
elétricos, mangueiras, tubulações, alavancas, cabos,
etc.
110-05-30 Separação do Trator (Linha Pesada, 07/2010) 110-05-30

22. Utilizando alavancas SEPARE inicialmente o trator entre


o multiplicador de velocidades (2) e o tanque de
combustível (1). Em seguida, DESLOQUE
cuidadosamente a parte traseira para trás com 2
auxiliares girando as rodas ao mesmo tempo e,
observando sempre o equilíbrio perfeito do conjunto
traseiro que está sendo deslocado juntamente com o
carrinho de apoio.

Limpeza

ATENÇÃO: para a realização das operações a seguir devem ser utilizados todos os
equipamentos de segurança de trabalhos necessários (EPI’s), exemplo: luvas, óculos, sapatos,
protetores auriculares, etc. A não utilização desses equipamentos pode resultar em acidentes
graves.

NOTA:
• Não utilize gasolina para limpeza de peças.
• Nunca descarte óleo lubrificante de transmissão usado, agentes de limpeza, resíduos
químicos, etc. na rede de esgotos ou em qualquer outro local que possa agredir o meio
ambiente. OBEDEÇA a legislação local do município.
• Todo o solvente usado para limpeza deverá ser recolhido e armazenado adequadamente
para posterior reciclagem.

LIMPE todas as peças e componentes externos removidos da caixa de câmbio e do tanque de


combustível.

LIMPE a região de assentamento do multiplicador de velocidades no tanque de combustível.

LIMPE os adesivos de trava química dos orifícios com rosca dos parafusos de fixação do tanque de
combustível com o multiplicador de velocidades na carcaça do tanque, utilizando um macho com a
mesma medida dos respectivos parafusos.

LIMPE a rosca de todos os parafusos que receberam adesivo de trava química.


química.

ATENÇÃO: EVITE arranhões na pele, riscos de incêndio e a inalação de vapores ao usar


líquidos solventes e inflamáveis.
110-05-31 Separação do Trator (Linha Pesada, 07/2010) 110-05-31

Inspeção

INSPECIONE todas as peças e componentes externos removidos e desmontados da caixa de câmbio


quanto a:

a) Carcaças com trincas, rupturas, riscos, empenamentos, deformações, etc.

b) Parafusos e porcas com roscas danificadas.

c) Mangueiras em geral com fissuras, dobradas, deformadas ou ressecadas.

d) Tubos e conexões amassados, trincados ou com filetes de roscas danificadas.

SUBSTITUA as peças que apresentarem qualquer anomalia.

NOTA: cupilhas, contrapinos, parafusos e porcas autotravantes sempre que removidos devem
ser substituídos.

Fechamento

ATENÇÃO: ao manusear peças volumosas e pesadas, TOME todas as precauções de


segurança necessárias.

NOTA: CERTIFIQUE-SE de que ambos os carrinhos estejam regulados de modo a assegurar o


perfeito alinhamento entre o entalhado dos eixos: acionador da TDP e da caixa de câmbio com
a luva de acoplamento.

1. FAÇA a união do trator entre o multiplicador de


velocidades (2) e o tanque de combustível (1),
deslocando cuidadosamente a parte traseira para frente
em direção ao tanque de combustível com 2 auxiliares
girando as rodas ao mesmo tempo e observando sempre
o equilíbrio do conjunto traseiro que está sendo
deslocado.
110-05-32 Separação do Trator (Linha Pesada, 07/2010) 110-05-32

2. TERMINE de acoplar o multiplicador de velocidades no


tanque de combustível, APLIQUE trava química
(LOCTITE 271) nos parafusos de fixação do multiplicador
de velocidades e INSTALE-OS em toda a volta da
carcaça (setas). APERTE os parafusos do multiplicador
alternadamente com o torque de 210 N.m (21 kgf.m).

3. INSTALE o anel espaçador (3) e a bucha estriada (2) no eixo


da TDP, DESLOQUE e ACOPLE a luva de acoplamento (1)
no eixo piloto do multiplicador de velocidades.
NOTA: antes de acoplar os eixos acionador da TDP e
da caixa de câmbio com a luva, LUBRIFIQUE
moderadamente o entalhado dos respectivos eixos
com graxa de múltiplas aplicações EP 2.
NOTA: CERTIFIQUE-SE de que o espaçador de
plástico que fica entre a bucha estriada e o eixo
acionador esteja dentro da luva.

4. INSTALE os parafusos de fixação (setas) da luva de


acoplamento do eixo acionador utilizando novas travas.
APERTE os parafusos da luva com o torque de 40 N.m (4
kgf.m). TRAVE os respectivos parafusos dobrando as
travas.

5. INSTALE a da tampa (1) de proteção do eixo acionador e


os parafusos de fixação (setas). APERTE os parafusos
da tampa como torque de 10 N.m (1 kgf.m).
6. RETIRE os carrinhos de apoio que tinham sido instalados
para sustentar a caixa de câmbio/tanque de combustível
e o trilho (equipamento) de alojamento dos carrinhos de
apoio.
110-05-33 Separação do Trator (Linha Pesada, 07/2010) 110-05-33

7. ACOPLE as mangueiras de sucção (setas) na conexão


“Y” do sistema hidráulico, apertando adequadamente as
braçadeiras de fixação.

8. POSICIONE o conjunto das hastes com suporte da


alavanca de mudanças na lateral do tanque de
combustível e INSTALE os parafusos de fixação (setas).
APERTE os parafusos do suporte das alavancas com o
torque de 50 N.m (5 kgf.m).

9. ACOPLE o engate da haste de acionamento do bloqueio


e INSTALE um novo pino elástico de travamento (seta)
com auxílio de um sacapino adequado e um martelo.

10. INSTALE a alavanca do multiplicador de velocidades em


seu eixo sincronizando as marcas de referência
efetuadas na desmontagem (seta). INSTALE o parafuso e
a porca de fixação (1). APERTE a porca da alavanca com
o torque 80 N.m (8 kgf.m).

11. POSICIONE os filtros de óleo do sistema hidráulico


juntamente com o suporte e INSTALE os parafusos de
fixação (setas). APERTE os parafusos do suporte com o
torque de 50 N.m (5 kgf.m).
12. LIGUE as conexões (1 e 2) das mangueiras de alta
pressão de alimentação do sistema hidráulico junto à
entrada dos filtros de óleo. APERTE as conexões (1 e 2).
Para informações de torque, CONSULTE a Seção 110-
03.
110-05-34 Separação do Trator (Linha Pesada, 07/2010) 110-05-34

13. LIGUE as conexões (setas) das mangueiras de óleo do


sistema de arrefecimento do óleo da caixa de câmbio na
carcaça. APERTE as conexões. Para informações de
torque, CONSULTE a Seção 110-03.

14. ACOPLE o engate da haste de acionamento do


multiplicador de velocidades e INSTALE o pino de fixação
(seta) com uma nova cupilha.

15. ACOPLE o flange traseiro de fixação do cardan da tração


dianteira e INSTALE 8 parafusos de fixação (setas).
APERTE os parafusos de fixação do flange do cardan
com o torque de 60 N.m (6 kgf.m).

16. INSTALE o protetor traseiro do cardan (1) e os parafusos


de fixação (setas). APERTE os parafusos de fixação do
protetor com o torque de 60 N.m (6 kgf.m).
17. INSTALE a cabine climatizada. Para mais informações,
CONSULTE o item “Cabine Climatizada (BH) – Remoção
e Instalação”, na Seção 880-01.
18. RETIRE as cunhas de madeira de calço da viga do eixo
dianteiro.

19. REPROGRAME todos os componentes que possuem memória volátil.

20. LIGUE o motor e VERIFIQUE o funcionamento:

• de todo o sistema hidráulico, do levantamento dos braços, da sensibilidade, da velocidade de


descida, do corpo de comando de 3 válvulas e válvula Hiflow, ocorrência de vazamentos, etc.;

• dos engates das marchas da caixa de câmbio, dos engates da TDP e da tração dianteira;

• dos acionamentos dos freios de serviços e de estacionamento;


110-05-35 Separação do Trator (Linha Pesada, 07/2010) 110-05-35

• do acionamento do sistema de bloqueio;

• dos componentes elétricos em geral.

REGULE todos os cabos e alavancas de acionamento dos componentes mencionados acima se


for necessário.

CORRIJA os vazamentos e irregularidades se houver.


220-01-1 Introdução (Linha Pesada, 07/2010) 220-01-1

SEÇÃO 220-01
Introdução

Aplicação nos Modelos: Linha Pesada

Índice

Assunto

DESCRIÇÃO E OPERAÇÃO

Motor SISU

Bloco de Cilindro

Camisas dos Cilindros

Eixo do Comando de Válvulas

Carcaça do Volante

Virabrequim

Volante do Motor

Biela

Pistão

Injetor de Resfriamento dos Pistões

Cabeçote

Mecanismo das Válvulas

Engrenagens de Distribuição

Sistema de Lubrificação

Resfriador de Óleo

Sistema de Arrefecimento

Sistema de Filtragem de Ar na Admissão

Sistema de Admissão e de Escape (com Turbocompressor)

Sistema de Admissão e de Escape (Turbocompressor e Trocador de Calor)


220-01-2 Introdução (Linha Pesada, 07/2010) 220-01-2

Sistema de Injeção

Bomba Injetora

Bico Injetor

Identificação do Motor

REMOÇÃO E INSTALAÇÃO

Cobertura Frontal do Motor

MANUTENÇÃO PREVENTIVA

Substituição do Filtro de Óleo Lubrificante do Motor

Verificação do Nível e Troca do Óleo Lubrificante do Motor

Verificação do Nível do Líquido de Arrefecimento

Limpeza e Substituição dos Filtros de Ar


220-01-3 Introdução (Linha Pesada, 07/2010) 220-01-3

DESCRIÇÃO E OPERAÇÃO
Motor SISU
Os motores Sisu Diesel série 20 de 6 cilindros em linha, são
refrigerados a água. Todos os motores são produzidos com
as opções de naturalmente aspirados ou turbinados.
O motor tem um bloco do cilindro robusto e um virabrequim
projetado para turboalimentação. Camisas úmidas do
cilindro apoiadas centralmente, parafusos do cabeçote do
cilindro alongados e um fluxo cruzado no cabeçote com
canais para otimização da admissão e do escape.

Bloco do Cilindro

O bloco do cilindro forma o corpo do motor onde todos os


outros componentes são acoplados.
220-01-4 Introdução (Linha Pesada, 07/2010) 220-01-4

Camisas dos Cilindros


As camisas dos cilindros substituíveis também são
suportadas no meio do bloco do cilindro. Esta construção
minimiza as vibrações das camisas e direciona a circulação
da água de arrefecimento para passar no topo dos cilindros
onde é necessário.
Entre a parte inferior da camisa do cilindro e o bloco do
cilindro, existem três anéis retentores colocados nas
canaletas da camisa. Na parte superior da camisa é vedada
com a junta do cabeçote entre a camisa e o cabeçote.

Eixo do Comando de Válvulas


O eixo do comando de válvulas está colocado diretamente
no bloco do cilindro, o ponto de apoio frontal é montado e
os demais pontos de apoio são usinados diretamente no
bloco.
A parte de traseira do eixo de comando é tampada com um
tampão tipo capa.
Ambos os lados do mancal principal traseiro tem locais para
a fixação dos casquilhos de encosto (mancais axiais do
virabrequim).

Carcaça do Volante
A carcaça do volante está fixada na parte traseira do bloco
de cilindros. O retentor traseiro do eixo do virabrequim está
montado em um alojamento usinado na carcaça. A carcaça
do volante possui também um lugar para montagem do
motor de partida. Entre a face inferior da carcaça do volante
e o cárter é montada com uma junta.
Portanto essa face não difere muito da face inferior do
bloco de cilindros. A posição correta de montagem da
carcaça do volante é assegurada durante a fabricação da
mesma, usando-se pinos guias.
As carcaças do volante devem ser selecionadas de acordo
com as exigências e tipo de motor e suas respectivas
aplicações.
220-01-5 Introdução (Linha Pesada, 07/2010) 220-01-5

Virabrequim

O virabrequim é forjado com uma liga de aço cromo


especial e recebe tratamento térmico por indução nos
pontos de vedação e de contato com os mancais.
Isto torna possível que o eixo passe por quatro
recondicionamentos sem novo tratamento térmico.
As engrenagens que acionam a engrenagem intermediária
e a bomba de óleo são montadas à quente na parte frontal
do virabrequim.

A parte frontal do virabrequim possui também estrias para montagem do cubo onde é fixada a polia
V.

Entre o cubo e as engrenagens há um defletor de óleo e uma tampa protetora do pó para o retentor
montado no cubo.

Os mancais do virabrequim estão fixados no bloco entre os cilindros, o que significa que há um ponto
de apoio a mais do que os cilindros no motor. Os mancais de encosto do virabrequim estão
localizados em ambos os lados do mancal traseiro.

Volante do Motor

No volante existe cremalheira, que é montada à quente, e


instalado na parte traseira do virabrequim.

Biela

A seção transversal da biela é forjada num perfil em I. O


alojamento do mancal da biela, na ponta maior, é partida
horizontalmente e a capa do mancal é fixada com dois
parafusos e porcas especiais. A ponta menor da biela tem
um alojamento em forma de cunha com a bucha do mancal
montada a quente.
220-01-6 Introdução (Linha Pesada, 07/2010) 220-01-6

Pistão

O pistão é feito de uma liga de alumínio.


Têm em seu topo uma câmara de combustão projetada
para uma eficiente mistura ar/combustível. Há três anéis em
cada pistão. O anel superior revestido de molibdênio, tem a
seção transversal na forma cônica. O anel do meio, tem um
formato que quando montado na canaleta o leve cone
formado elimina o jogo na canaleta. O anel de óleo está
equipado com uma mola de expansão e tem uma aresta
raspadora cromada em 2 estágios.
O pistão do motor turbinado tem a canaleta do anel do topo
feita em ferro fundido. Este pistão tem também um
revestimento de grafite nos lados para facilitar seu período
de amaciamento.

Injetor de Resfriamento dos Pistões

Item Descrição

1 Entrada de óleo lubrificante pressurizado

2 Jato de óleo para o pistão

3 Válvula limitadora (esfera e mola)

Este dispositivo é instalado na parte inferior do bloco do motor, com o bico de saída direcionado para
o interior do cilindro (um para cada cilindro).

Em regimes de altas rotações, o aumento da pressão do sistema de lubrificação “vence” a força da


mola, abrindo uma passagem de lubrificante que será espargido diretamente sobre a saia do pistão,
facilitando a sua refrigeração.

A válvula de esfera é regulada para abrir a uma pressão de 3 +/- 0,25 bar.
220-01-7 Introdução (Linha Pesada, 07/2010) 220-01-7

Cabeçote

O motor possui dois cabeçotes, cada cilindro tem seus


canais para admissão e para o escape em cada lado do
cilindro. Os canais estão situados de tal maneira que, entre
as válvulas de escape, há uma válvula de admissão fria
para reduzir as cargas térmicas.
Os parafusos do cabeçote são chamados de “parafusos
alongados”, apertados em ângulos até o ponto máximo.
Devido à larga tensão, as forças de pressão são mantidas
constantes durante toda a vida útil e qualquer reaperto é
desnecessário.
Os alojamentos dos injetores são usinados diretamente no
cabeçote.
As guias das válvulas de admissão e de escape são
idênticas e podem ser substituídas. Os assentos das
válvulas de escape também podem ser substituídos.

Mecanismo das Válvulas

O mecanismo das válvulas é acionado pelo eixo de


comando de válvula através de tuchos e da haste do
balancim.
A engrenagem é fixada no eixo de comando de válvula e é
ajustada a quente e posicionada com uma chaveta.
Cada mancal é lubrificado através de canais perfurados no
bloco de cilindros.
220-01-8 Introdução (Linha Pesada, 07/2010) 220-01-8

Engrenagens de Distribuição

O conjunto de engrenagens de distribuição é composto por


engrenagens usinadas helicoidalmente e temperadas com
precisão. Estas engrenagens estão inseridas na carcaça de
distribuição montada na parte frontal do bloco de cilindros.
O eixo do comando de válvulas, a bomba injetora de
combustível e a bomba de óleo são acionadas por essas
engrenagens.
Se o motor estiver equipado com uma bomba hidráulica, a
mesma é acionada por uma engrenagem ou por uma
unidade acionadora separada.

A engrenagem intermediária é apoiada em uma bucha / rolamentos de esferas e está montada em


um eixo fixado na parte frontal do bloco de cilindro.

São usados dois tamanhos diferentes de engrenagens e eixos.

Sistema de Lubrificação

Item Descrição

1 Bomba de óleo lubrificante

2 Válvula de alívio de pressão

3 Filtro de óleo
220-01-9 Introdução (Linha Pesada, 07/2010) 220-01-9

Item Descrição

4 Turbocompressor

5 Galeria principal

6 Sensor de pressão de óleo

O motor tem um sistema de lubrificação pressurizado com uma bomba de óleo (bomba de
engrenagem) instalada na parte inferior do bloco de cilindro. A bomba succiona o óleo do cárter.
Pressurizado, o óleo é conduzido para o filtro de óleo. Após a passagem pelo filtro, o óleo flui para
dentro da galeria principal de distribuição, que possui canais de óleo que se ramificam e levam aos
mancais principais do virabrequim. Através dos canais no virabrequim o óleo é conduzido dos
mancais principais para os mancais da biela e todos os outros pontos do motor que requerem
lubrificação. Para mais informações, CONSULTE a Seção 220-05.

Resfriador de Óleo

Item Descrição

1 Resfriador de óleo

2 Entrada e saída de água

3 Filtro de óleo

O resfriador de óleo está instalado entre o filtro de óleo e o bloco do motor.


Por este componente circula água do sistema de arrefecimento, provocando o resfriamento do óleo
lubrificante, auxiliando assim a refrigeração do motor.
220-01-10 Introdução (Linha Pesada, 07/2010) 220-01-10

Sistema de Arrefecimento

Item Descrição

1 Bomba d’água

2 Válvula(s) termostática(s)

3 Carcaça da(s) válvula(s)

4 Radiador

5 Tanque de expansão de água

6 Resfriador do óleo

A bomba d’água acionada por correia, é do tipo centrífuga e está fixada na face frontal do bloco de
cilindros, o alojamento do termostato está localizado no topo da mesma. O sistema tem a circulação
interna do líquido refrigerante feita através do tubo de alivio controlado por um termostato de duas
vias.

Desta maneira o aquecimento por igual do motor é alcançado em todas as circunstâncias.

A bomba d’água pode ser equipada com rolamentos de esferas separados ou com os rolamentos e o
eixo montado como uma unidade.
220-01-11 Introdução (Linha Pesada, 07/2010) 220-01-11

Item Descrição

1 Válvula termostática 1 (79 °C)

2 Válvula termostática 2 (83 °C)

A Fluxo de água para a bomba d’água

B Fluxo de água da primeira válvula


termostática

C Fluxo de água para o radiador

O termostato abre com 79 °C. Durante o inverno um outro termostato abre com 83 °C.

Em alguns motores há dois termostatos separados, onde um deles controla o líquido refrigerante por
uma válvula by pass.

Os termostatos diferem em sua abertura por tipos de temperaturas. Quando a temperatura de


arrefecimento está com 79 °C, abre o termostato menor permitindo a passagem do líquido por um
orifício existente na bomba de arrefecimento, deixando uma parte do refrigerante no radiador.
Seguindo o aumento da temperatura, atingindo 83 °C, abre o outro termostato. Funciona como se
fosse um tipo suplente que fecha o furo de entrada e remete o líquido refrigerante para o radiador.
Estes modelos de motores não possuem termostato tipo – inverno em separado.

Sistema de Filtragem de Ar na Admissão

Item Descrição

1 Carcaça do filtro de ar

2 Elemento filtrante de segurança

3 Elemento filtrante principal

4 Pré-filtro

5 Válvula

6 Sensor indicador de restrição

7 Tampa e parafuso de fixação

O sistema de filtragem do motor para a entrada de ar consiste principalmente de um ciclone atuando


como um pré-filtro e o elemento de papel como filtro principal.
No ciclone, o ar que entra é centrifugado, o qual separa a maioria das impurezas principais e as
deposita em um recipiente apropriado. O filtro de papel pode ter um ou dois cartuchos substituíveis,
que são dobrados (enrugados) para obter uma área adequada de filtragem, e são montados com um
suporte de metal.
220-01-12 Introdução (Linha Pesada, 07/2010) 220-01-12

As impurezas na entrada de ar ficam acumuladas na superfície externa do cartucho, as quais são


facilmente removidas. O filtro interno ou o chamado filtro de segurança evita que impurezas sejam
levadas para dentro do motor, se o filtro primário entupir ou se no conjunto do filtro ocorrer algum
defeito.
Um indicador de manutenção mecânico ou elétrico pode ser montado na carcaça do filtro ou no tubo
de entrada, para mostrar quando o cartucho do filtro está entupido.

Sistema de Admissão e de Escape (com Turbocompressor)

O sistema de entrada compreende também a tubulação


entre o filtro de ar e o turbo, a tubulação entre o turbo e
coletor de admissão.
O coletor de escape está montado no cabeçote do cilindro
sem junta de vedação e com parafusos alongados. Desta
maneira é alcançada uma boa vedação e a necessidade de
reaperto é minimizada.

Sistema de Admissão e de Escape (Turbocompressor e Trocador de Calor)

Nos motores equipados com turbocompressor, o gás de


escape é empurrado para frente. O projeto compacto do
turbocompressor é bastante sensível e reage até mesmo
durante baixas rotações. O sistema de lubrificação e
arrefecimento do turbocompressor e composto por motores
DW/DWI que são equipados com válvula by pass,
altamente pressurizado e ajustado pela passagem do ar.
O ar comprimido é resfriado pelo princípio fundamental do
ar e água. O ar que vem do turbocompressor tem uma
temperatura aproximada de 150 °C que é arrefecido através
do liquido refrigerante até aproximadamente 95 °C.

Uma célula refrigerante é instalada na entrada do coletor e é conectada ao motor no sistema de


arrefecimento. Envia ar comprimido estabilizando a combustão, independente da temperatura, calor
térmico e mecânico dos motores, e este, minimiza a produção dos óxidos de nítrico (ONx)
poluidores.

Sistema de Injeção

O sistema de injeção pode ser dividido em dois grupos distintos:


220-01-13 Introdução (Linha Pesada, 07/2010) 220-01-13

• Linha de Baixa Pressão

Item Descrição

1 Filtro decantador

2 Bomba de transferência

3 Filtro primário

4 Filtro secundário

5 Bomba injetora

O combustível vai do tanque até a bomba de transferência, passando antes em um filtro decantador,
que retém as impurezas maiores e eventualmente uma pequena quantidade de água.

Saindo da bomba de transferência, o combustível passa por dois filtros montados em série onde a
maior parte de impurezas fica retida (mesmo as de dimensões mínimas). Em seguida, o combustível
é levado até a entrada da bomba injetora.
220-01-14 Introdução (Linha Pesada, 07/2010) 220-01-14

• Linha de Alta Pressão

Item Descrição

1 Bomba injetora

2 Entrada de combustível (baixa pressão)

3 Tubos de distribuição para os injetores (alta pressão)

4 Injetores

5 Linha de retorno (baixa pressão)

Esta linha é composta pela bomba injetora, responsável pela pressurização e a dosagem do
combustível e pelo seu direcionamento para os injetores.

Durante a dosagem do combustível, ocorre o fornecimento de uma pequena quantidade a mais do


que o necessário para a alimentação do motor. Este excesso é direcionado para a linha de retorno e
tem a função de refrigerar os bicos injetores e o cabeçote da bomba injetora, antes de retornar ao
tanque de combustível.
220-01-15 Introdução (Linha Pesada, 07/2010) 220-01-15

Bomba Injetora

A bomba injetora é do tipo rotativa.


Este tipo de bomba distribui o combustível para os cilindros
num processo semelhante ao do distribuidor de corrente
para as velas utilizadas nos motores de ciclo Otto.
A instalação de uma bomba injetora é feita segundo um
procedimento que sincroniza o seu funcionamento com os
movimentos da árvore de manivelas do motor. Ao processo
de instalação da bomba injetora no motor dá-se o nome de
calagem da bomba.

A coincidência de marcas existentes na engrenagem de acionamento da bomba com as marcas


existentes na engrenagem acionadora é suficiente para que a bomba funcione corretamente. Para
mais informações sobre este processo, CONSULTE o item “Remoção e Instalação - Bomba Injetora
– Motores Tier 0” ou “Remoção e Instalação - Bomba Injetora – Motores Tier II”, na Seção 220-05.

Bico Injetor

Item Descrição

1 Entrada do combustível sob alta pressão

2 Retorno de combustível (baixa pressão)

Os bicos injetores são componentes de extrema precisão, responsáveis por pulverizar finamente o
combustível na câmara de combustão do motor.

Quanto melhor for a pulverização, maior será o rendimento do motor. Em consequência, se obtém
mais economia de combustível com menor emissão de gases poluentes.

Neste motor os bicos injetores que devem injetar combustível sob pressões e temperaturas
elevadas, tudo para que o veículo obtenha a maior potência possível. A combustão deve ser o mais
completa possível, para que os gases não contaminem o ar.
220-01-16 Introdução (Linha Pesada, 07/2010) 220-01-16

Identificação do Motor

O número de série do motor está gravado no lado direito do


bloco do motor, em uma área inclinada com relação à face
de assentamento dos cabeçotes.
Este número é composto por uma série de 9 dígitos, que
definem as características e a aplicação do motor, mais
uma letra, que define o ano de fabricação e por uma
sequência de 5 dígitos, onde o primeiro dígito é sempre o
numero “8”, para motores fabricados no Brasil.
220-01-17 Introdução (Linha Pesada, 07/2010) 220-01-17

REMOÇÃO E INSTALAÇÃO
Cobertura Frontal do Motor
Remoção

1. REMOVA as tampas laterais superiores do conjunto


motor.
• SOLTE o parafuso trava.
• DESACOPLE os pinos dos coxins de borracha.
• LEVANTE a tampa para remover.

2. REMOVA as tampas laterais inferiores do conjunto


motor.
• SOLTE os parafuso trava.
• DESACOPLE os pinos dos coxins de borracha na
parte traseira e EMPURRE a tampa para trás para
liberar os pinos localizadores na dianteira.

3. REMOVA a parte superior do duto de admissão de


ar.

4. NOTA: PROTEJA a saída do abafador com um


tampão adequado para evitar contaminação com
resíduos, óleo ou poeira.
REMOVA o tubo de escapamento.
220-01-18 Introdução (Linha Pesada, 07/2010) 220-01-18

5. REMOVA a tampa superior do motor.


• DESACOPLE os pinos dos coxins de borracha na
parte dianteira e traseira da tampa superior do
motor.

6. REMOVA a tampa frontal do veículo.


• REMOVA os parafusos de fixação da tampa frontal.
220-01-19 Introdução (Linha Pesada, 07/2010) 220-01-19

Instalação

1. INSTALE a tampa frontal do veículo.


• INSTALE os parafusos de fixação da tampa frontal.

2. INSTALE a tampa superior do motor.


• ACOPLE os pinos dos coxins de borracha na parte
dianteira e traseira da tampa superior do motor.

3. INSTALE o tubo de escapamento.


220-01-20 Introdução (Linha Pesada, 07/2010) 220-01-20

4. INSTALE a parte superior do duto de admissão de ar.

5. INSTALE as tampas laterais inferiores do conjunto


motor.
• ACOPLE os pinos dos coxins de borracha na parte
traseira e EMPURRE a tampa para frente para
encaixar os pinos localizadores na dianteira.
• INSTALE os parafusos trava.

6. INSTALE as tampas laterais superiores do conjunto


motor.
• APOIE a tampa na canaleta da tampa superior do
motor.
• ACOPLE os pinos dos coxins de borracha.
• INSTALE o parafuso trava.
220-01-21 Introdução (Linha Pesada, 07/2010) 220-01-21

MANUTENÇÃO PREVENTIVA

Substituição do Filtro de Óleo Lubrificante do Motor

ATENÇÃO: o manuseio de derivados de petróleo deve ser feito com cautela. USE os
equipamentos de proteção adequados para realizar este tipo de manuseio e evite usar roupa
contaminada.

ATENÇÃO: USE um recipiente adequado para colher o óleo. EVITE provocar poças de
óleo ou descartar óleo de forma ou em local inadequado.

Óleo lubrificante é RECICLÁVEL.

O filtro de óleo deve ser trocado periodicamente. Para mais informações sobre o período de troca,
CONSULTE o Manual do Operador.

1. LIMPE os elementos e o motor nas proximidades, evitando contaminação do sistema de


lubrificação.

2. REMOVA o filtro com o auxílio de uma ferramenta


universal adequada, girando o mesmo na direção anti-
horária.

3. LIMPE com atenção o assentamento da guarnição.

4. LUBRIFIQUE o anel vedador com uma fina camada de


óleo lubrificante limpo.
220-01-22 Introdução (Linha Pesada, 07/2010) 220-01-22

5. NOTA: não use ferramentas para apertar o novo


filtro de óleo. APERTE apenas com as mãos.
INSTALE um novo filtro de óleo.
• ROSQUEIE, girando o mesmo no sentido horário, o
novo filtro em seu alojamento.
• FUNCIONE o motor por alguns minutos e
VERIFIQUE quanto a vazamento de óleo.
220-01-23 Introdução (Linha Pesada, 07/2010) 220-01-23

MANUTENÇÃO PREVENTIVA

Verificação do Nível e Troca do Óleo Lubrificante do Motor

Os motores aplicados aos tratores MF atendem às Normas de Emissão vigentes.


A qualidade dos fluidos utilizados nos motores, bem como a observância dos planos de manutenção
preventiva estabelecidos, são condições fundamentais para que os níveis de emissões sejam
mantidos em conformidade com as Normas, além de assegurar o desempenho e proporcionar a vida
útil dos tratores prevista em projeto.

ATENÇÃO: o manuseio de derivados de petróleo deve ser feito com cautela. USE os
equipamentos de proteção adequados para realizar este tipo de manuseio e EVITE usar roupa
contaminada.

ATENÇÃO: USE um recipiente adequado para colher o óleo. EVITE provocar poças de
óleo ou descartar óleo de forma ou em local inadequado.

Óleo lubrificante é RECICLÁVEL.

A verificação do nível de óleo lubrificante deve ser feita diariamente pelo operador do equipamento.

Para verificação de nível, o trator deve estar sobre uma superfície plana e nivelada.

Esta verificação deve ser executada antes do primeiro funcionamento do motor.

Já a troca do óleo lubrificante do motor deve ser feita periodicamente.

Este período depende de vários fatores, entre eles, o tipo de uso e trabalho executado pelo
equipamento.

A troca de óleo, ao contrário da verificação do nível, deve ser feita com o motor já em temperatura
normal de funcionamento para facilitar o escoamento do fluido.
fluido. O trator deverá estar em local plano e
nivelado.

Para mais informações sobre o período de troca, CONSULTE o Manual do Operador.

1. LIMPE as áreas próximas ao bocal de abastecimento e à vareta de medição do nível de óleo e


em torno do bujão de drenagem sob o motor para evitar contaminação do sistema de lubrificação.

2. CUIDADO: EVITE contato com o óleo quente. O


óleo aquecido pode provocar queimaduras.
NOTA: durante o processo de drenagem, remova a
tampa do bocal de abastecimento para facilitar o
escoamento.
DRENE todo o óleo, removendo o bujão existente na
parte inferior do cárter do motor.
• RECOLHA todo o óleo em um recipiente adequado.
220-01-24 Introdução (Linha Pesada, 07/2010) 220-01-24

3. INSTALE o bujão de drenagem no carter. AVALIE a


necessidade do uso de um novo anel de vedação.

4. ATENÇÃO: USE SOMENTE óleo que obedeça


às especificações de qualidade indicadas.

O óleo utilizado deve atender aos seguintes requisitos:


• Aspirado naturalmente e motores turbinados.
• Motores (E) baixa emissão.
API CF-4, CG-4, CH-4.
API CG-4, CH- 4.
ACEA E2/E3-96, E4-98, E5-99.
ACEA E3-96, E4-98, E5-99.
ABASTEÇA o cárter com o óleo especificado. Para mais
informações, CONSULTE o Manual do Operador.

5. ATENÇÃO: nunca opere o motor com nível de


óleo abaixo da marca mínima ou acima da marca
máxima.

VERIFIQUE o nível de óleo lubrificante com auxílio da


vareta de nível.
220-01-25 Introdução (Linha Pesada, 07/2010) 220-01-25

MANUTENÇÃO PREVENTIVA

Verificação do Nível do Líquido de Arrefecimento

Os motores aplicados aos tratores MF atendem às Normas de Emissão vigentes.


A qualidade dos fluidos utilizados nos motores, bem como a observância dos planos de manutenção
preventiva estabelecidos, são condições fundamentais para que os níveis de emissões sejam
mantidos em conformidade com as Normas, além de assegurar o desempenho e proporcionar a vida
útil dos tratores prevista em projeto.

ATENÇÃO: com o motor á temperatura normal de funcionamento, o líquido do sistema


de arrefecimento está sob pressão e temperatura próxima de 100 °C. Em contato com a pele,
pode provocar queimaduras. USE sempre os Equipamentos de Proteção Individual (EPI)
recomendados.

O líquido de arrefecimento é uma mistura de água com Etileno Glicol. Esta solução não deve ser
descartada na natureza.
O descarte deve ser feito por meio de empresa qualificada.

ATENÇÃO: para substituir o líquido de arrefecimento, nunca use


use somente água, a
mistura deve sempre conter aditivo.

O líquido de arrefecimento usado tem que satisfazer aos


padrões ASTM D 3306 ou BS 6580:1992.
• A proporção de mistura deverá ser de 40 a 60% de
etileno/propileno-glicol dissolvido com água. A melhor
relação é 50/50%.
• Em climas amenos a mistura poderá ter a relação de
30% que dá uma boa proteção e evita a corrosão.
• Água utilizada deve ser limpa e se possível filtrada e
não deverá conter metais ou sais em seu conteúdo.
• CONFIRA a resistência dos aditivos a ser usados em
locais frios, e deve ser com bastante freqüência.
TROQUE a cada dois anos. Os aditivos
recomendados são standard ASTM D 3306 ou BS
6580:1992.

ATENÇÃO: AVALIE a causa de abaixamento do nível do líquido de arrefecimento.


VERIFIQUE o nível do líquido de arrefecimento observando as marcas no reservatório de
expansão.
Se o nível foi alterado por evaporação, CORRIJA usando água desmineralizada.
Se o nível foi alterado por vazamento, após a correção, o nível dever ser corrigido com adição
de solução de água e etileno glicol na proporção adequada. Para mais informações,
CONSULTE a Seção 220-03.

ATENÇÃO: o líquido de arrefecimento deve ser totalmente substituído a cada 1.000


horas de funcionamento do motor ou após 1 ano (o que primeiro ocorrer).
220-01-26 Introdução (Linha Pesada, 07/2010) 220-01-26

MANUTENÇÃO PREVENTIVA

Limpeza e Substituição dos Filtros de Ar


O sistema de filtragem do ar conta com um dispositivo que alerta o operador quando o nível de
restrição à passagem do ar está atingindo o nível crítico.

Neste caso, o próprio Operador deve intervir, removendo as tampas laterais do motor e limpar a
válvula de pó.

A válvula de pó é um dispositivo de borracha que se mantém fechado, não permitindo entrada de ar,
mas uma vez pressionado, permite a saída da poeira acumulada no corpo do alojamento dos filtros.

APERTE a válvula de pó para eliminar a poeira acumulada


dentro do alojamento dos filtros.

Se apenas esta providência não for suficiente para eliminar a restrição no filtro de ar, o sistema
deverá ser limpo ou os filtros trocados da seguinte forma:

1. REMOVA a porca borboleta e a tampa do alojamento


dos filtros.

2. ATENÇÃO: o elemento filtrante, juntamente


com o filtro de segurança, deve ser trocado a cada
ano ou a cada duas operações de limpeza.

REMOVA o elemento filtrante principal.


220-01-27 Introdução (Linha Pesada, 07/2010) 220-01-27

3. ATENÇÃO: NÃO APLIQUE jato de ar


direcionado diretamente para o elemento filtrante e a
pressão NÃO DEVE ultrapassar 5 bas (70 lb/pol2).

EFETUE a limpeza do elemento filtrante aplicando ar


comprimido seco de dentro para fora ou use um
aspirador de pó.

4. AVALIE visualmente o elemento filtrante com auxílio de


uma lâmpada. LOCALIZE eventuais furos ou rupturas
no papel. VERIFIQUE o estado das juntas de vedação
do elemento filtrante. SUBSTITUA o elemento filtrante
se constatar qualquer uma destas irregularidades.

5. CUIDADO:
• O elemento primário não deve sofrer limpezas: a sua
troca será feita a cada duas operações de limpeza
do elemento filtrante principal ou a cada ano, o que
primeiro ocorrer.
• NÃO REMOVA o elemento sem ser para a troca do
mesmo. Este procedimento pode afetar a vedação,
bem como, permitir a entrada de impurezas no
motor.
• Periodicamente FAÇA o teste do indicador de
restrição conforme descrito na próxima página.
• REMOVA o elemento filtrante de segurança.

6. REMOVA o ciclone e LIMPE internamente o alojamento


dos filtros com o auxílio de um pano umedecido em
água.
220-01-28 Introdução (Linha Pesada, 07/2010) 220-01-28

7. INSTALE o elemento filtrante de segurança.

8. INSTALE o elemento filtrante principal.

9. INSTALE a porca borboleta e a tampa do alojamento


dos filtros.
220-02-1 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-1

SEÇÃO 220-02
Motor

Aplicação nos Modelos: Linha Pesada

Índice

Assunto

ESPECIFICAÇÕES

Motor

Dados do Motor

Especificações Técnicas

DIAGNÓSTICO E VERIFICAÇÕES

Informações Gerais do Motor

Inspeção e Verificação

Tabela de Sintomas – Falhas em Motores Diesel

Tabela de Sintomas – Falhas em Turbocompressores

Verificações dos Componentes

REMOÇÃO E INSTALAÇÃO

Motor

Cabeçote

Cárter

Cabo do Acelerador

Pedal do Acelerador

Alavanca de Aceleração Manual

DESMONTAGEM E MONTAGEM

Motor

Remoção das Buchas do Eixo de Comando de Válvulas


220-02-2 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-2

Remoção dos Amortecedores de Vibrações

Remoção dos Pistões do Bloco do Motor

Remoção das Camisas dos Cilindros

Remoção da Bomba D’água

Remoção das Engrenagens de Sincronismo

Remoção das Engrenagens Dianteiras do Virabrequim e da Caixa das Engrenagens de


Sincronismo

Remoção da Capa do Volante

Remoção do Vedador Traseiro

Remoção do Virabrequim

Avaliação do Bloco de Cilindros

Instalação de Selos, Tubos da Vareta Medidora de Óleo e dos Injetores de Arrefecimento

Instalação e Verificação de Folgas do Virabrequim

Instalação da Capa do Volante

Instalação do Vedador Traseiro do Virabrequim

Reparos e Instalação do Volante do Motor

Instalação das Engrenagens Dianteiras do Virabrequim e da Caixa das Engrenagens de


Sincronismo

Instalação das Buchas do Eixo de Comando de Válvulas

Instalação do Tampão Traseiro do Alojamento do Eixo de Comando de Válvulas

Instalação do Tampão Traseiro de Árvore de Comando de Válvulas (Buchas Sobremedida)

Instalação do Eixo de Comando de Válvulas

Instalação das Engrenagens de Sincronismo

Instalação da Engrenagem de Acionamento da Bomba Hidráulica (Engrenagens de Tomada


de Força – TOP)

Recondicionamento da Engrenagem Intermediária

Instalação do Vedador Dianteiro do Virabrequim

Instalação da Bomba D’água

Instalação das Camisas dos Cilindros

Avaliação de Desgaste, Ovalização e Conicidade das Camisas dos Cilindros


220-02-3 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-3

Avaliação das Bielas e Substituição dos Casquilhos das Bielas

Inspeção do Pistão

Instalação do Amortecedor de Vibrações e Polia da Correia de Acessórios

Sincronização da Polia com a Posição dos Pistões

Instalação da Bomba de Óleo

Instalação do Cárter

Instalação do Volante do Motor

Instalação do Motor no Trator


220-02-4 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-4

ESPECIFICAÇÕES
Motor
Dados do Motor

Modelo 620 DS

Nº de cilindros 6

Sentido de rotação Sentido horário

Diâmetro do cilindro 108 mm

Curso do pistão 120 mm

Cilindrada por cilindro 1,1 / 6,6 Lts

Relação de compressão 16,5: 1

Potência Varia conforme modelo


de trator

Sequência de combustão, VEJA nota 1 1.5.3.6.2.4

Pressão de compressão, VEJA nota 2 24 bar

Tipo de admissão Vortex espiral, fluxo


cruzado

Tipo de bomba injetora Bosch VE

Ponto de injeção 5° ou 0,294 mm APMS.

Peso, VEJA Nota 3 519 Kg

NOTA:
1. Contando do lado da bomba da água para o volante.
2. Valor mínimo com temperatura normal de regime de trabalho e rotação de partida.
3. Sem volante e equipamentos elétricos.
4. Todas as medidas mencionadas estão em milímetros e válidas para a temperatura de
+20°C, valor diferente deste, está destacado.
220-02-5 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-5

Especificações Técnicas
Bloco de Cilindros

Descrição Valores (mm)

Furos para pinos guias 13,250 a 13,320

Diâmetro do mancal principal 91,000 a 91,025

Diâmetro do mancal principal (com mancal 8361 40950) 92,000 a 92,025

Posição do cabeçote:

Superior 124,514 a 124,554

Inferior 123,000 a 123,040

Diâmetro interno da bucha do eixo de comando (montado) 50,010 a 50,070

Altura do bloco de cilindros 428,170 a 428,430

Camisas de Cilindro

Descrição Valores (mm)

Posição da camisa do cilindro acima da face superior do bloco de cilindros 0,030 a 0,080

Máxima diferença permitida de altura entre as camisas 0,02

Diâmetro externo da camisa do cilindro:

Revestimento parte superior 124,475 a 124,500

Revestimento parte inferior 122,961 a 122,986

Altura da flange da camisa do cilindro 9,03 a 9,05

Altura da flange da camisa, 1º reparo peça n.º 8366 47933 9,08 a 9,10

Altura da flange da camisa, 2º reparo peça n.º 8366 47934 9,13 a 9,15

Altura da flange da camisa, 3º reparo peça n.º 8366 47935 9,23 a 9,25

Diâmetro externo da flange da camisa 131,700 a 131,800

Cabeçote

Descrição Valores (mm)

Altura de cabeçote 104,800 a 105,000

Altura de cabeçote depois da retífica (mínimo) 104,000


220-02-6 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-6

Descrição Valores (mm)

Diâmetro do anel da sede da válvula de escape 44,070 a 44,132

Diâmetro do anel da sede da válvula de escape (intervalo) 44,000 a 44,025

Diâmetro do anel da sede da válvula de escape (retificado 836652 269) 44,270 a 44,332

Diâmetro do anel da sede da válvula de escape (intervalo retificado


44,200 a 44,225
836652269)

Diâmetro do anel da sede da válvula de admissão (836647936) 44,570 a 44,632

Diâmetro do anel da sede da válvula de admissão (intervalo) 44,500 a 44,525

Diâmetro do anel da sede da válvula de admissão (retificado 836855347) 44,770 a 44,832

Diâmetro do anel da sede da válvula de admissão (intervalo retificado


44,700 a 44,725
836855347)

Válvulas, Balancim e Tuchos

Descrição Valores

Sincronização da válvula com uma folga de 1,0 mm:

Válvula de admissão aberta 0°±2° A.P.M.S.

Válvula de admissão fechada 16°±2° D.P.M.I.

Válvula de escape aberta 39°±2° A.P.M.I.

Válvula de escape fechada 1°±2° D.P.M.S.

Folga da válvula quente e fria:

Válvula de admissão 0,35 mm

Válvula de escape 0,35 mm

Ângulo do assento da válvula:

Válvula de admissão 35° + 20’

Válvula de escape 45° + 20’

Diâmetro externo da cabeça da válvula:

Válvula de admissão 48 mm

Válvula de escape 41 mm
220-02-7 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-7

Descrição Valores

Abertura máxima da válvula:

Válvula de admissão 10,9 mm

Válvula de escape 12,1 mm

Folga da haste da válvula de admissão (com a guia já montada no


0,025 a 0,055 mm
cabeçote)

Limite de rejeição (folga da haste da válvula de admissão) 0,30 mm

Folga da haste da válvula de escape (com a guia já montada no


0,060 a 0,090 mm
cabeçote)

Limite de rejeição (folga da haste da válvula de escape) 0,35 mm

Diâmetro interno do guia da válvula antes de ajustar 9,000 a 9,015 mm

Diâmetro externo do guia da válvula 1 6,028 a 16,039 mm

Diâmetro interno do guia no cabeçote 21 mm

Saliência do guia da válvula acima da parte superior do cilindro:

0,7±0,05 mm (máx. 2,20


Válvula de admissão
mm)

0,6±0,05 mm (máx. 2,20


Válvula de escape
mm

Comprimento da mola da válvula 69,8 mm

Força da mola quando comprimida para um comprimento de:

48,6 mm 327 ± 17 N

37,4 mm 500 ± 23 N

Diâmetro do eixo do balancim 19,959 a 19,980 mm

Diâmetro interno da bucha do mancal do balancim:

Quando montado 19,990 a 20,010 mm

Diâmetro externo da bucha do mancal do balancim 23,035 a 23,075 mm

Diâmetro do furo do balancim 23,000 a 23,021 mm

Deflexão máxima permitida na haste da válvula (quando livre) 0,4 mm

Força da mola quando comprimida para um comprimento de 58 mm 80 a 100 N

Diâmetro externo do tucho 29,939 a 29,960 mm

Diâmetro do furo de alojamento do tucho no bloco de cilindros 30,000 a 30,043 mm


220-02-8 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-8

Eixo de Comando de Válvulas

Descrição Valores (mm)

Diâmetro do mancal do moente n.º 1 49,925 a 49,950

Diâmetro do mancal dos moentes (exceto n.º 1) 49,885 a 49,910

Diâmetro do mancal dos moentes n.º 2, 3 e 4 49,865 a 49,890

Diâmetro interno das buchas do mancal do eixo 50,010 a 50,070

Diâmetro dos furos dos mancais do eixo (exceto n.º 1) 50,000 a 50,025

Folga do eixo (mancal n.º 1) 0,060 a 0,145

Folga do eixo (exceto o n.º 1) 0,090 a 0,140

Folga dos mancais dos n.º 2, 3 e 4 0,110 a 0,160

Tolerância do mancal no bloco de cilindros 0,025 a 0,080

Diâmetro do mancal montado no bloco de cilindros 55,620 a 55,650

Folga axial do eixo de comando de válvulas com uma junta de 0,5 mm


entre o bloco de cilindros e a carcaça de distribuição e entre a carcaça de 0,5 a 1,0
distribuição e a tampa dianteira

Altura do excêntrico (medida entre a parte traseira e a parte dianteira):

Válvula de admissão 41,180 a 41,430

Válvula de escape 40,080 a 40,330

Elevação do excêntrico:

Válvula de admissão 7,38

Válvula de escape 8,28

Deflexão máxima permitida no eixo de comando (variação máxima) 0,03

Virabrequim

Descrição Valores (mm)

Diâmetro do moente (biela):

Standard 67,981 a 68,000

1º reparo 0,25 mm 67,731 a 67,750

2º reparo 0,50 mm 67,481 a 67,500


220-02-9 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-9

Descrição Valores (mm)

3º reparo 1,00 mm 66,981 a 67,000

4º reparo 1,50 mm 66,481 a 66,500

Comprimento do moente 40,000 a 40,160

Diâmetro do munhão (fixo):

Standard 84,985 a 85,020

1º reparo 0,25 mm 84,735 a 84,770

2º reparo 0,50 mm 84,485 a 84,520

3º reparo 1,00 mm 83,985 a 84,020

4º reparo 1,50 mm 83,485 a 83,520

Diâmetro da carcaça do mancal principal 91,000 a 91,025

Espessura do mancal principal:

Standard 2,955 a 2,965

1º reparo 0,25 mm 3,080 a 3,090

2º reparo 0,50 mm 3,205 a 3,215

3º reparo 1,00 mm 3,455 a 3,465

4º reparo 1,50 mm 3,705 a 3,715

Mancal 836140950 3,705 a 3,71

Folga no mancal principal 0,050 a 0,127

Comprimento do mancal de encosto do munhão próximo ao volante:

Comprimento standard (2 placas de encosto std) 45,000 a 45,080

Primeira retífica (usando 1 placa de encosto std e uma placa de


45,100 a 45,180
encosto com mais de 0,1 mm de espessura

Segunda retífica (usando 1 placa de encosto std e uma placa de


45,200 a 45,280
encosto com mais 0,2 mm de espessura)

Terceira retífica (usando 1 placa de encosto com mais 0,1 mm de


45,300 a 45,380
espessura e uma placa de encosto com mais 0,2 mm de espessura)

Quarta retífica (usando 2 placas de encosto com mais 0,2 mm de


45,400 a 45,480
espessura)

Os outros munhões do virabrequim não podem ser retificados:


220-02-10 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-10

Descrição Valores (mm)

Jogo axial do virabrequim 0,100 a 0,380

Ovalização máxima permitida / outras deformidades dos munhões /


0,03
moentes

Desbalanceamento máximo do virabrequim 1,0 Ncm Max

Volante

Descrição Valores

Número de dentes da cremalheira do volante 133

Interferência da cremalheira no volante 0,425 a 0,600 mm

Temp. de aquecimento para montagem da cremalheira no volante 150 a 200°C

Desbalanceamento do volante 1,0 Ncm Máx

Oscilação axial máxima permitida na superfície de apoio da embreagem


0,06 mm
(diâmetro de 200)

Folga dos dentes entre as engrenagens:

Cremalheira do virabrequim – Engrenagem do compensador de


0,1 a 0,3 mm
massas

Entre as engrenagens do compensador de massas 0,05 a 0,25 mm

Jogo axial do compensador de massas 0,1 a 0,5 mm

Diâmetro do eixo no mancais 36,000 a 36,016 mm

Diâmetro interno da bucha do compensador de massas (montada) 36,050 a 36,075 mm

Diâmetro do furo traseiro na carcaça para alojamento do eixo 36,058 a 36,083 mm

Diâmetro do furo dianteiro na carcaça para alojamento do eixo 35,958 a 35,983 mm

Espessura de um calço, entre o compensador de massas e o bloco 0,2 mm

Engrenagens

Descrição Valores

Folga entre dentes:

Virabrequim – Engrenagem intermediária 0,05 a 0,25 mm

Engrenagem intermediária – Eixo de comando de válvulas 0,05 a 0,25 mm


220-02-11 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-11

Descrição Valores

Engrenagem intermediária – Bomba injetora 0,05 a 0,25 mm

Oscilação lateral máxima permitida das engrenagens 0,05 mm

Eixo da engrenagem intermediária, diâmetro 54,951 a 54,970 mm

Diâmetro interno da engrenagem intermediária do mancal (fixo) 55,000 a 55,030 mm

Diâmetro do furo da engrenagem intermediária 60,000 a 60,030 mm

Diâmetro do furo da engrenagem do eixo de comando 32,000 a 32,025 mm

Diâmetro da ponta do eixo de comando de válvulas 32,043 a 32,059 mm

Marcas de sincronização:
As marcas de sincronização estão alinhadas quando o pistão do primeiro cilindro está no ponto morto
superior entre os cursos de compressão e explosão.

Na engrenagem do virabrequim 2 pontos no dente

Na engrenagem intermediária:

Oposto a marca no dente da engrenagem do virabrequim “0” no dente

Oposto a marca na engrenagem do eixo de comando de válvulas 1 ponto no dente

Oposto a marca na engrenagem da bomba injetora 1 ponto no entalhe

Na engrenagem do eixo de comando de válvulas 1 ponto no entalhe

Na engrenagem da bomba injetora 1 ponto no entalhe

Bielas

Descrição Valores

Diâmetro interno da bucha do anel do pistão (bucha prensada na biela) 40,025 a 40,040 mm

Diâmetro externo da bucha do pistão 44,080 a 44,120 mm

Diâmetro externo da bucha do pistão 44,580 a 44,620 mm

Interferência da bucha do mancal na biela 0,057 a 0,120 mm

Furo menor da biela (pistão) 44,000 a 44,025 mm

Furo menor da biela bucha desproporcional (pistão) 44,500 a 44,525 mm

Furo maior da biela (mancal) 71,730 a 71,749 mm


220-02-12 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-12

Descrição Valores

Espessura da bronzina:

Standard 1,835 a 1,842 mm

1º reparo 0,25 mm 1,960 a 1,967 mm

2º reparo 0,50 mm 2,085 a 2,092 mm

3º reparo 1,00 mm 2,335 a 2,342 mm

4º reparo 1,50 mm 2,585 a 2,592 mm

Folga no mancal maior 0,046 a 0,098 mm

Jogo axial da biela no virabrequim (na direção axial do VB) 0,200 a 0,410 mm

Desalinhamento vertical dos furos da biela contra o comprimento axial da


0,15:100
biela

Paralelismo dos furos da biela 0,05:100

Peso estampado no lado maior do mancal da biela: diferença máxima de


20 g
peso permitida entre as bielas de um mesmo motor

Posição da biela: a letra de classificação do peso deve ficar no mesmo lado do mecanismo das
válvulas (câmara de combustão do pistão, no lado oposto).

Pistões, Anéis e Pinos de Pistão

Descrição Valores

Distância mínima entre o pistão e o cabeçote, medido com um fio de


0,900 a 1,150 mm
chumbo, através do furo do bico injetor

Diâmetro do pistão (alturas medidas da parte inferior):

Na altura de 17,0 mm 107,873 a 107,887 mm

Diâmetro do furo no pistão para o pino 40,003 a 40,009 mm

Diâmetro do pino do pistão 39,991 a 40,000 mm

Largura das canaletas dos anéis:

1ª canaleta (anel de perfil reto) 2,560 a 2,580 mm

2ª canaleta 2,520 a 2,540 mm

3ª canaleta 4,040 a 4,060 mm


220-02-13 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-13

Descrição Valores

Folga lateral dos anéis em suas canaletas:

1ª canaleta (anel de perfil reto) 0,07 a 0,102 mm

2ª canaleta 0,03 a 0,062 mm

3ª canaleta 0,05 a 0,082 mm

Limite de rejeição 0,15 mm

Altura dos anéis do pistão (na direção do cilindro):

1ª canaleta (anel liso) 2,478 a 2,490 mm

2ª canaleta 2,478 a 2,490 mm

3ª canaleta 3,975 a 3,990 mm

Abertura dos anéis (com o pistão já montado no cilindro):

1ª canaleta (anel no formato cunha) 0,40 a 0,55 mm

1ª canaleta (anel de perfil reto) 0,30 a 0,45 mm

2ª canaleta 0,60 a 0,80 mm

3ª canaleta 0,30 a 0,60 mm

Limite de rejeição, anéis I e III 1,00 mm

Limite de rejeição, anel II 1,50 mm

Diferença máxima de peso permitida entre pistões do mesmo motor 25 g

Pino do pistão deve ser aquecido até 100 °C antes da montagem.


Posição do pistão no cilindro: a câmara de combustão do pistão deve estar voltada para o injetor.

Bomba de Óleo

Descrição Valores

Folga de dentes entre as engrenagens quando o virabrequim é mantido firmemente contra a parte
inferior de seus mancais:

Entre as engrenagens acionadora do virabrequim e acionadora da


0,05 a 0,25 mm
bomba de óleo

Entre as engrenagens da bomba de óleo 0,16 a 0,26 mm

Diâmetro do eixo de acionamento nos mancais da carcaça / tampa 17,966 a 17,984 mm


220-02-14 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-14

Descrição Valores

Diâmetro dos furos de alojamento do eixo na carcaça / tampa 18,000 a 18,018 mm

Diâmetro do furo da engrenagem do eixo fixo 18,060 a 18,078 mm

Diâmetro do eixo da engrenagem fixa 17,966 a 17,984 mm

Diâmetro interno da engrenagem propulsora 18,000 a 18,018 mm

Corpo do eixo fixo da bomba, diâmetro 20,035 a 20,048 mm

Saliência do eixo fixo na parte inferior da carcaça da bomba 0,5 a 1,0 mm

Espessura da junta da tampa 0,06 a 0,08 mm

Diâmetro externo das engrenagens 43,486 a 43,525 mm

Diâmetro da carcaça 43,650 a 43,750 mm

Espessura das engrenagens 32,000 a 32,027 mm

Folga das engrenagens 0,03 a 0,11 mm

Profundidade de alojamento 32,000 a 32,043 mm

Número de dentes da engrenagem motriz 46

Bomba D’água

Descrição Valores

Diâmetro externo do rolamento 52 mm

Diâmetro do alojamento do rolamento 51,979 a 52,009 mm

Diâmetro do eixo no mancal 19,980 a 19,993 mm

Diâmetro do eixo no rotor 15,907 a 15,920 mm

Diâmetro do furo do rotor 15,881 a 15,899 mm

Diâmetro do selo do corpo da bomba 36,450 a 36,489 mm

Distância do impulsor montado entre a face traseira e o corpo da bomba 0,8 a 1,2 mm

Precisão do balanceamento do ventilador 0,3 Ncm máx.

Tensão da correia do ventilador no meio da correia de flexão 15 a 20 mm

Bomba equipada com reforço no rolamento:

Diâmetro externo na parte dianteira 95 mm


220-02-15 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-15

Descrição Valores

Diâmetro do mancal da bomba de água 95,000 a 95,035 mm

Diâmetro externo do mancal da carcaça da bomba 59,991 a 60,009 mm

Termostato

Peça n.º Tipo Abertura Inicial Abertura Total Abertura em mm

8361 15646 Diâmetro 67/79°C 79±2°C 94°C 8

8361 15718 Diâmetro 67/83°C 83±2°C 97°C 8

8366 59685 Diâmetro 67/86°C 86±2°C 99°C 8

Turboalimentador

Descrição Valores

Turbina Schwitzer S2B

Folga axial da extremidade do eixo máx. 0,14 mm

Folga radial do eixo do eixo1 máx. 0,95 mm

Torque de aperto do parafuso de fixação do suporte da turbina 17 N.m

Torque de aperto da porca com fenda – extremidade do eixo 15,6 N.m


1
Medida na porca na extremidade do eixo

Torques

Descrição Valores (N.m)

Parafusos do cabeçote 80 N.m+ 90°+ 90°

Prisioneiros do cabeçote para o bloco de cilindros 30

Parafusos do mancal principal 200

Parafusos da biela 40 N.m + 90°

Parafusos do volante 1000

Parafusos da polia do eixo de manivela 30

Parafusos do volante 10.9 140


220-02-16 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-16

Descrição Valores (N.m)

Parafusos do volante 12.9 150

Parafusos do alojamento do volante:

Anel externo M 12, 8.8 10

Anel externo M 12, 12.9 50

Anel interno M 10, 8.8 60

Anel interno M 10, 12.9 80

Parafusos da engrenagem intermediária:

M10 60

M14 200

Parafusos de fixação da engrenagem intermediária (com rolamento de esferas):

Para parafusos compridos 18

Para parafusos de fixação do rolamento 22

Válvula do pistão de arrefecimento 30

Parafusos de fixação da bomba de óleo 60

Peça de ligação do óleo refrigerante 60

Porca da polia da bomba de arrefecimento 120

Parafusos da hélice 30

Parafusos do coletor de escape 50

Parafusos de fixação do tubo de aspiração 30

Pressão da válvula da bomba injetora 45

Porca de fixação da engrenagem da bomba injetora 90

Porca de fixação da engrenagem da bomba injetora (Bosch – P) 200

Porca de fixação do injetor (nos pinos) 15

Luva do bico injetor 60


220-02-17 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-17

USE sempre os valores de torques especificados na tabela.


USE arruelas de alumínio onde possível.

M8 M10

Ferro fundido 35±5 N.m 70±5 N.m

Alumínio 25±5 N.m 50±5 N.m

Parafusos do Cárter Banhados em Óleo

1 M8 12,9 30 N.m

2 M10 12,9 90 N.m

3 M14 10,9 200 N.m

4 M20 10,9 700 N.m

5 M16 10,9 300 N.m

6 M20 10,9 700 N.m

6 M22 10,9 700 N.m


220-02-18 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-18

DIAGNÓSTICO E VERIFICAÇÕES
Informações Gerais do Motor
Inspeção e Verificação

1. VERIFIQUE a reclamação do Operador.

2. INSPECIONE visualmente quanto a sinais óbvios de danos mecânicos ou elétricos.

Tabela de Inspeção Visual

Mecânica Elétrica

• Vazamento do líquido de arrefecimento • Fusíveis


• Vazamento de óleo • Conexões soltas ou corroídas
• Vazamentos de combustível • Conector(es) danificados ou desgastados
• Peças visivelmente danificadas ou
desgastadas
• Parafusos e porcas frouxas ou faltantes

3. Se for encontrada uma causa óbvia para um problema observado ou relatado, CORRIJA a causa
(se possível) antes de passar para a próxima etapa.

4. Se o problema não é visualmente evidente, VERIFIQUE o sintoma e CONSULTE a “Tabela de


Sintomas”.

Tabela de Sintomas – Falhas em Motores Diesel

Condições Possíveis Causas Ações

Baixa rotação de partida • Bateria com carga baixa • CARREGUE a bateria e


TESTE em equipamento
apropriado, SUBSTITUA se
necessário.

• Mau contato nas conexões • LIMPE e REAPERTE as


elétricas conexões.

• Motor de partida defeituoso • CORRIJA o motor de


partida. Para testes,
CONSULTE o item “Motor –
Remoção e Instalação”,
nesta seção.

• Óleo lubrificante de • USE óleo de viscosidade


viscosidade inadequada correta.
220-02-19 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-19

Condições Possíveis Causas Ações

Motor não pega • Baixa rotação de partida • VERIFIQUE conexões,


bateria e motor de partida.

• Tanque de combustível • ABASTEÇA com


vazio combustível.

• Estrangulador de • VERIFIQUE controles,


combustível defeituoso solenóide (se equipado), etc.

• Tubo de alimentação de • LIMPE o sistema.


combustível obstruído

• Bomba alimentadora de • SUBSTITUA a bomba


combustível defeituosa alimentadora.

• Filtros de combustível • SUBSTITUA o(s)


obstruído elemento(s).

• Ar no sistema de • FAÇA sangria no sistema.


combustível

• Bomba injetora defeituosa • ENVIE a um posto de


serviço do fabricante.

• Injetores defeituosos ou • VERIFIQUE o tipo de


incorretos injetores ou CORRIJA-OS.

• Bomba injetora fora do ponto • CORRIJA o ponto de injeção


da bomba injetora.

• Sincronismo das • ACERTE sincronismo


engrenagens do eixo comando de válvulas
incorreto

• Baixa compressão • MEÇA a compressão e


CORRIJA a falha.

• Respiro do tanque de • DESOBSTRUA o respiro.


combustível obstruído

• Combustível inadequado • USE combustível


recomendado.

• Desgaste dos cilindros • SUBSTITUA os kits de


cilindros.

• Válvulas e sedes de válvulas • SUBSTITUA.


queimadas

• Anéis quebrados, gastos ou • SUBSTITUA.


presos
220-02-20 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-20

Condições Possíveis Causas Ações

Partida difícil – Motor custa a • Baixa rotação de partida • VERIFIQUE conexões,


pegar bateria e motor de partida.

• Estrangulador de • VERIFIQUE controles,


combustível defeituoso solenóide (se equipado), etc.

• Tubo de alimentação de • LIMPE o sistema.


combustível obstruído

• Bomba alimentadora de • SUBSTITUA a bomba


combustível defeituosa alimentadora.

• Filtros de combustível • SUBSTITUA o(s)


obstruído elemento(s).

• Restrição no sistema de • DESOBSTRUA o sistema de


admissão de ar admissão ou SUBSTITUA o
elemento do filtro de ar.

• Ar no sistema de • FAÇA sangria no sistema.


combustível

• Bomba injetora defeituosa • ENVIE a um posto de


serviço do fabricante.

• Injetores defeituosos ou • VERIFIQUE o tipo de


incorretos injetores ou CORRIJA-OS.

• Bomba injetora fora do ponto • CORRIJA o ponto de injeção


da bomba injetora.

• Sincronismo das • ACERTE o sincronismo


engrenagens do eixo comando de válvulas
incorreto.

• Baixa compressão • MEÇA a compressão e


CORRIJA falha.

• Respiro do tanque de • DESOBSTRUA o respiro.


combustível obstruído

• Combustível inadequado • USE o combustível


recomendado.

• Escapamento obstruído • DESOBSTRUA tubos,


silenciosos, etc.

• Válvulas presas • CORRIJA a operação das


válvulas.

• Desgaste dos cilindros • SUBSTITUA kits de cilindros.

• Válvulas e sedes de válvulas • SUBSTITUA.


queimadas.
220-02-21 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-21

Condições Possíveis Causas Ações

Partida difícil – Motor custa a • Anéis quebrados, gastos ou • SUBSTITUA.


pegar (Continuação) presos

Falta de potência • Tubo de alimentação de • LIMPE o sistema.


combustível obstruído

• Bomba alimentadora de • SUBSTITUA a bomba


combustível defeituosa alimentadora.

• Filtros de combustível • SUBSTITUA o(s)


obstruído elemento(s).

• Restrição no sistema de • DESOBSTRUA o sistema de


admissão de ar admissão ou SUBSTITUA o
elemento do filtro de ar.

• Ar no sistema de • FAÇA sangria no sistema.


combustível

• Bomba injetora defeituosa • ENVIE a um posto de


serviço do fabricante.

• Injetores defeituosos ou • VERIFIQUE o tipo de


incorretos injetores ou CORRIJA-OS.

• Bomba injetora fora do ponto • CORRIJA o ponto de injeção


da bomba injetora.

• Sincronismo das • ACERTE o sincronismo


engrenagens do eixo comando de válvulas
incorreto.

• Baixa compressão • MEÇA compressão e


CORRIJA a falha.

• Respiro do tanque de • DESOBSTRUA o respiro.


combustível obstruído

• Combustível inadequado • USE o combustível


recomendado.

• Acelerador preso ou com • LIBERE ou REGULE as


movimento limitado ligações do acelerador.

• Escapamento obstruído • DESOBSTRUA tubos,


silenciosos, etc.

• Vazamento na junta do • SUBSTITUA a junta e


cabeçote VERIFIQUE as causas do
vazamento.
220-02-22 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-22

Condições Possíveis Causas Ações

Falta de potência • Superaquecimento • VERIFIQUE o sistema de


arrefecimento, ponto do
motor e condições de
operação e manutenção.

• Motor demasiadamente frio • VERIFIQUE a válvula


termostática.

• Desgaste dos cilindros • SUBSTITUA os kits de


cilindros.

• Válvulas e sedes de válvulas • SUBSTITUA.


queimadas

• Anéis quebrados, gastos ou • SUBSTITUA.


presos

• Bronzinas danificadas ou • SUBSTITUA.


gastas

• Vazamentos pelos • CORRIJA.


retentores de óleo do Turbo

• Pressão de • VERIFIQUE o
sobrealimentação de ar turbocompressor. CORRIJA
baixa vazamentos.

• Vazamentos externos • CORRIJA.


(juntas, retentores, etc.)

Motor falhando • Tubo de alimentação de • LIMPE o sistema.


combustível obstruído

• Bomba alimentadora de • SUBSTITUA a bomba


combustível defeituosa alimentadora.

• Filtros de combustível • SUBSTITUA o(s)


obstruído elemento(s).

• Ar no sistema de • FAÇA sangria no sistema.


combustível

• Bomba injetora defeituosa • ENVIE a um posto de


serviço do fabricante.

• Injetores defeituosos ou • VERIFIQUE o tipo de


incorretos injetores ou CORRIJA-OS.

• Bomba injetora fora do ponto • CORRIJA o ponto de injeção


da bomba injetora.

• Sincronismo das • ACERTE o sincronismo


engrenagens do eixo comando de válvulas
incorreto.
220-02-23 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-23

Condições Possíveis Causas Ações


Motor falhando (Continuação) • Baixa compressão • MEÇA a compressão e
CORRIJA a falha.
• Vazamento na junta do • SUBSTITUA a junta e
cabeçote VERIFIQUE as causas do
vazamento.
• Superaquecimento • VERIFIQUE sistema de
arrefecimento, ponto do
motor e condições de
operação e manutenção.
• Folga de válvulas incorreta • REGULE a folga das
válvulas.
• Válvulas presas • CORRIJA a operação das
válvulas.
• Tubos de alta pressão • SUBSTITUA.
incorretos
• Válvulas e sedes de válvulas • SUBSTITUA.
queimadas
Consumo excessivo de • Restrição no sistema de • DESOBSTRUA o sistema de
combustível admissão de ar admissão ou SUBSTITUA o
elemento do filtro de ar. Para
mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
06.
• Bomba injetora defeituosa • ENVIE a um posto de
serviço do fabricante.
• Injetores defeituosos ou • VERIFIQUE o tipo de
incorretos injetores ou CORRIJA-OS.
• Bomba injetora fora do ponto • CORRIJA o ponto de injeção
da bomba injetora. Para
mais informações,
CONSULTE o item “Bomba
Injetora – Motores Tier 0 –
Remoção e Instalação” ou
“Bomba Injetora – Motores
Tier II – Remoção e
Instalação”, na Seção 220-
05.
• Sincronismo das • ACERTE o sincronismo
engrenagens do eixo comando de válvulas
incorreto. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-02.
• Baixa compressão • MEÇA a compressão e
CORRIJA falha. Para mais
informações, CONSULTE o
item “Teste de Compressão
dos Cilindros”, nesta seção.
220-02-24 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-24

Condições Possíveis Causas Ações

Consumo excessivo de • Combustível inadequado • USE o combustível


combustível (Continuação) recomendado. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-05.

• Acelerador preso ou com • LIBERE ou REGULE as


movimento limitado ligações do acelerador.

• Escapamento obstruído • DESOBSTRUA tubos,


silenciosos, etc. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Vazamento na junta do • SUBSTITUA a junta e


cabeçote VERIFIQUE as causas do
vazamento. Para mais
informações, CONSULTE o
item “Motor – Desmontagem
e Montagem”, nesta seção.

• Motor demasiadamente frio • VERIFIQUE a válvula


termostática. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-03.

• Folga de válvulas incorreta • REGULE a folga das


válvulas. Para mais
informações, CONSULTE o
item “Cabeçote – Remoção e
Instalação”, nesta seção.

• Válvulas presas • CORRIJA a operação das


válvulas.

• Desgaste dos cilindros • SUBSTITUA os kits de


cilindros. Para mais
informações, CONSULTE o
item “Motor – Desmontagem
e Montagem”, nesta seção.

• Válvulas e sedes de válvulas • SUBSTITUA-AS. Para mais


queimadas informações, CONSULTE o
item “Cabeçote – Remoção e
Instalação”, nesta seção.

• Anéis quebrados, gastos ou • SUBSTITUA-OS. Para mais


presos informações, CONSULTE o
item “Motor – Desmontagem
e Montagem”, nesta seção.

• Vazamentos externos • CORRIJA.


(juntas, retentores, etc.)
220-02-25 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-25

Condições Possíveis Causas Ações

Fumaça preta • Restrição no sistema de • DESOBSTRUA o sistema de


admissão de ar admissão ou SUBSTITUA o
elemento do filtro de ar. Para
mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
06.

• Bomba injetora defeituosa • ENVIE a um posto de


serviço do fabricante.

• Injetores defeituosos ou • VERIFIQUE o tipo de


incorretos injetores ou CORRIJA-OS.

• Assentamento irregular dos • SUBSTITUA. Para mais


anéis informações, CONSULTE o
item “Motor – Desmontagem
e Montagem”, nesta seção.

• Sincronismo das • ACERTE o sincronismo


engrenagens do eixo comando de válvulas
incorreto. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-02.

• Baixa compressão • MEÇA a compressão e


CORRIJA a falha. Para mais
informações, CONSULTE o
item “Teste de Compressão
dos Cilindros”, nesta seção.

• Combustível inadequado • USE o combustível


recomendado. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-05.

• Escapamento obstruído • DESOBSTRUA tubos,


silenciosos, etc. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Vazamento na junta do • SUBSTITUA a junta e


cabeçote VERIFIQUE as causas do
vazamento. Para mais
informações, CONSULTE o
item “Motor – Desmontagem
e Montagem”, nesta seção.

• Motor demasiadamente frio • VERIFIQUE a válvula


termostática. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-03.
220-02-26 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-26

Condições Possíveis Causas Ações

Fumaça preta (Continuação) • Folga de válvulas incorreta • REGULE a folga das


válvulas. Para mais
informações, CONSULTE o
item “Cabeçote – Remoção e
Instalação”, nesta seção.

• Válvulas presas • CORRIJA a operação das


válvulas. Para mais
informações, CONSULTE o
item “Cabeçote – Remoção e
Instalação”, nesta seção.

• Desgaste dos cilindros • SUBSTITUA os kits de


cilindros. Para mais
informações, CONSULTE o
item “Motor – Desmontagem
e Montagem”, nesta seção.

• Válvulas e sedes de válvulas • SUBSTITUA-AS. Para mais


queimadas informações, CONSULTE o
item “Cabeçote – Remoção e
Instalação”, nesta seção.

• Anéis quebrados, gastos ou • SUBSTITUA-OS. Para mais


presos informações, CONSULTE o
item “Motor – Desmontagem
e Montagem”, nesta seção.

• Vazamentos pelos • CORRIJA. Para mais


retentores de óleo do Turbo informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

Fumaça branco-azulada • Óleo lubrificante de • USE óleo de viscosidade


viscosidade inadequada correta. Para mais
informações, CONSULTE o
item “Especificações”, nesta
seção.

• Óleo lubrificante de • USE óleo de viscosidade


viscosidade inadequada correta. Para mais
informações, CONSULTE o
item “Especificações”, nesta
seção.

• Sincronismo das • ACERTE o sincronismo


engrenagens do eixo comando de válvulas
incorreto. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-02.
220-02-27 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-27

Condições Possíveis Causas Ações

Fumaça branco-azulada • Baixa compressão • MEÇA a compressão e


(Continuação) CORRIJA a falha. Para mais
informações, CONSULTE o
item “Teste de Compressão
dos Cilindros”, nesta seção.

• Vazamento na junta do • SUBSTITUA a junta e


cabeçote VERIFIQUE as causas do
vazamento. Para mais
informações, CONSULTE o
item “Motor – Desmontagem
e Montagem”, nesta seção.

• Motor demasiadamente frio • VERIFIQUE a válvula


termostática. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-03.

• Desgaste dos cilindros • SUBSTITUA os kits de


cilindros. Para mais
informações, CONSULTE o
item “Motor – Desmontagem
e Montagem”, nesta seção.

• Anéis quebrados, gastos ou • SUBSTITUA-OS. Para mais


presos informações, CONSULTE o
item “Motor – Desmontagem
e Montagem”, nesta seção.

• Hastes e guias de válvulas • SUBSTITUA-AS. Para mais


desgastadas informações, CONSULTE o
item “Cabeçote – Remoção e
Instalação”, nesta seção.

• Bronzinas danificadas ou • SUBSTITUA-AS. Para mais


gastas informações, CONSULTE o
item “Motor – Desmontagem
e Montagem”, nesta seção.

• Altura do pistão em relação • CORRIJA. Para mais


à face usinada do bloco informações, CONSULTE o
incorreta item “Motor – Desmontagem
e Montagem”, nesta seção.

• Coletor de escape ligado ao • SUBSTITUA as juntas. Para


turbocompressor vazando mais informações,
pelas juntas. CONSULTE a Seção 220-
06.
220-02-28 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-28

Condições Possíveis Causas Ações

Baixa pressão de óleo • Óleo lubrificante de • USE óleo de viscosidade


viscosidade inadequada correta. Para mais
informações, CONSULTE o
item “Especificações”, nesta
seção.

• Nível baixo de óleo do cárter • COMPLETE. Para mais


informações, CONSULTE a
Seção 220-04.

• Instrumento indicador de • SUBSTITUA-O. Para mais


pressão deficiente informações, CONSULTE a
Seção 220-04.

• Bomba de óleo lubrificante • SUBSTITUA ou


com desgaste RECONDICIONE a bomba.
Para mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
04.

• Válvula de alívio de pressão • LIBERE e CORRIJA. Para


da bomba de óleo travada mais informações,
aberta CONSULTE a Seção 220-
04.

• Válvula de alívio de pressão • LIBERE-A e CORRIJA-A


da bomba travada fechada. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-04.

• Tubo de sucção da bomba • CORRIJA. Para mais


de óleo defeituoso informações, CONSULTE a
Seção 220-04.

• Filtro de óleo lubrificante • SUBSTITUA o elemento.


obstruído Para mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
04.

• Pistão engripado • REPARE os cilindros. Para


mais informações,
CONSULTE o item “Motor –
Desmontagem e Montagem”,
nesta seção.

• Mola da válvula quebrada • SUBSTITUA-A. Para mais


informações, CONSULTE o
item “Cabeçote – Remoção e
Instalação”, nesta seção.
220-02-29 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-29

Condições Possíveis Causas Ações

Motor com batidas internas • Injetores defeituosos ou • VERIFIQUE o tipo de


incorretos injetores ou CORRIJA-OS.

• Bomba injetora fora do ponto • CORRIJA o ponto de injeção


da bomba injetora. Para
mais informações,
CONSULTE o item “Bomba
Injetora – Motores Tier 0 –
Remoção e Instalação” ou
“Bomba Injetora – Motores
Tier II – Remoção e
Instalação”, na Seção 220-
05.

• Sincronismo das • ACERTE o sincronismo


engrenagens do eixo comando de válvulas
incorreto. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-02.

• Combustível inadequado • USE o combustível


recomendado. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-05.

• Superaquecimento • VERIFIQUE sistema de


arrefecimento, ponto do
motor e condições de
operação e manutenção.
Para mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
03.

• Folga de válvulas incorreta • REGULE a folga das


válvulas. Para mais
informações, CONSULTE o
item “Cabeçote – Remoção e
Instalação”, nesta seção.

• Folga de válvulas incorreta • REGULE a folga das


válvulas. Para mais
informações, CONSULTE o
item “Cabeçote – Remoção e
Instalação”, nesta seção.

• Desgaste dos cilindros • SUBSTITUA os kits de


cilindros. Para mais
informações, CONSULTE o
item “Motor – Desmontagem
e Montagem”, nesta seção.

• Anéis quebrados, gastos ou • SUBSTITUA-OS. Para mais


presos informações, CONSULTE o
item “Motor – Desmontagem
e Montagem”, nesta seção.
220-02-30 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-30

Condições Possíveis Causas Ações

Motor com batidas internas • Nível baixo de óleo do cárter • COMPLETE. Para mais
(Continuação) informações, CONSULTE a
Seção 220-04.

• Altura do pistão em relação • CORRIJA. Para mais


à face usinada do bloco informações, CONSULTE o
incorreta item “Motor – Desmontagem
e Montagem”, nesta seção.

• Ventilador danificado • SUBSTITUA-O. Para mais


informações, CONSULTE a
Seção 220-03.

• Turbocompressor danificado • SUBSTITUA ou LIMPE. Para


ou necessitando de limpeza mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
06.

Funcionamento irregular • Estrangulador de • VERIFIQUE controles,


combustível defeituoso solenóide (se equipado), etc.

• Tubo de alimentação de • LIMPE o sistema. Para mais


combustível obstruído informações, CONSULTE a
Seção 220-05.

• Bomba alimentadora de • SUBSTITUA a bomba


combustível defeituosa alimentadora. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-05.

• Filtros de combustível • SUBSTITUA o(s)


obstruído elemento(s). Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Restrição no sistema de • DESOBSTRUA o sistema de


admissão de ar admissão ou SUBSTITUA o
elemento do filtro de ar. Para
mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
06.

• Ar no sistema de • FAÇA sangria no sistema.


combustível Para mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
05.

• Bomba injetora defeituosa • ENVIE a um posto de


serviço do fabricante.
220-02-31 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-31

Condições Possíveis Causas Ações

Funcionamento irregular • Baixa compressão • MEÇA a compressão e


(Continuação) CORRIJA falha. Para mais
informações, CONSULTE o
item “Teste de Compressão
dos Cilindros”, nesta seção.

• Respiro do tanque de • DESOBSTRUA o respiro.


combustível obstruído Para mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
05.

• Acelerador preso ou com • LIBERE ou REGULE as


movimento limitado ligações do acelerador.

• Superaquecimento • VERIFIQUE sistema de


arrefecimento, ponto do
motor e condições de
operação e manutenção.
Para mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
03.

• Folga de válvulas incorreta • REGULE a folga das


válvulas. Para mais
informações, CONSULTE o
item “Cabeçote – Remoção e
Instalação”, nesta seção.

• Válvulas presas • CORRIJA a operação das


válvulas. Para mais
informações, CONSULTE o
item “Cabeçote – Remoção e
Instalação”, nesta seção.

• Tubos de alta pressão • SUBSTITUA-OS. Para mais


incorretos informações, CONSULTE a
Seção 220-05.

• Anéis quebrados, gastos ou • SUBSTITUA-OS. Para mais


presos informações, CONSULTE o
item “Motor – Desmontagem
e Montagem”, nesta seção.

• Bronzinas danificadas ou • SUBSTITUA-AS. Para mais


gastas informações, CONSULTE o
item “Motor – Desmontagem
e Montagem”, nesta seção.

• Altura do pistão em relação • CORRIJA. Para mais


à face usinada do bloco informações, CONSULTE o
incorreta item “Motor – Desmontagem
e Montagem”, nesta seção.
220-02-32 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-32

Condições Possíveis Causas Ações

Funcionamento irregular • Turbocompressor danificado • SUBSTITUA ou LIMPE. Para


(Continuação) ou necessitando de limpeza mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
06.

Vibração excessiva • Bomba injetora defeituosa • ENVIE a um posto de


serviço do fabricante.

• Injetores defeituosos ou • VERIFIQUE o tipo de


incorretos injetores ou CORRIJA-OS.

• Baixa compressão • MEÇA a compressão e


CORRIJA a falha. Para mais
informações, CONSULTE o
item “Teste de Compressão
dos Cilindros”, nesta seção.

• Acelerador preso ou com • LIBERE ou REGULE as


movimento limitado ligações do acelerador.

• Vazamento na junta do • SUBSTITUA a junta e


cabeçote VERIFIQUE as causas do
vazamento. Para mais
informações, CONSULTE o
item “Motor – Desmontagem
e Montagem”, nesta seção.

• Superaquecimento • VERIFIQUE sistema de


arrefecimento, ponto do
motor e condições de
operação e manutenção.
Para mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
03.

• Válvulas presas • CORRIJA a operação das


válvulas. Para mais
informações, CONSULTE o
item “Cabeçote – Remoção e
Instalação”, nesta seção.

• Tubos de alta pressão • SUBSTITUA-OS. Para mais


incorretos informações, CONSULTE a
Seção 220-05.

• Anéis quebrados, gastos ou • SUBSTITUA-OS. Para mais


presos informações, CONSULTE o
item “Motor – Desmontagem
e Montagem”, nesta seção.

• Altura do pistão em relação • CORRIJA. Para mais


à face usinada do bloco informações, CONSULTE o
incorreta item “Motor – Desmontagem
e Montagem”, nesta seção.
220-02-33 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-33

Condições Possíveis Causas Ações

Vibração excessiva • Coxins de suporte do motor • SUBSTITUA/CORRIJA. Para


(Continuação) defeituosos mais informações,
CONSULTE o item “Motor –
Remoção e Instalação”,
nesta seção.

• Carcaça do volante ou • ALINHE. Para mais


volante desalinhado informações, CONSULTE o
item “Motor – Remoção e
Instalação”, nesta seção.

• Válvula termostática • SUBSTITUA-A. Para mais


defeituosa informações, CONSULTE a
Seção 220-03.

Alta pressão de óleo • Óleo lubrificante de • USE óleo de viscosidade


viscosidade inadequada correta. Para mais
informações, CONSULTE o
item “Especificações”, nesta
seção.

• Bomba de óleo lubrificante • SUBSTITUA ou


com desgaste RECONDICIONE a bomba.
Para mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
04.

• Mola da válvula de alívio de • SUBSTITUA-A. Para mais


pressão quebrada informações, CONSULTE a
Seção 220-04.

Superaquecimento • Restrição no sistema de • DESOBSTRUA o sistema de


admissão de ar admissão ou SUBSTITUA o
elemento do filtro de ar. Para
mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
06.

• Bomba injetora defeituosa • ENVIE a um posto de


serviço do fabricante.

• Injetores defeituosos ou • VERIFIQUE o tipo de


incorretos injetores ou CORRIJA-OS.

• Bomba injetora fora do ponto • CORRIJA o ponto de injeção


da bomba injetora. Para
mais informações,
CONSULTE o item “Bomba
Injetora – Motores Tier 0 –
Remoção e Instalação” ou
“Bomba Injetora – Motores
Tier II – Remoção e
Instalação”, na Seção 220-
05.
220-02-34 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-34

Condições Possíveis Causas Ações

Superaquecimento • Sincronismo das • ACERTE o sincronismo


(Continuação) engrenagens do eixo comando de válvulas
incorreto. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-02.

• Escapamento obstruído • DESOBSTRUA tubos,


silenciosos, etc. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Vazamento na junta do • SUBSTITUA a junta e


cabeçote VERIFIQUE as causas do
vazamento. Para mais
informações, CONSULTE o
item “Motor – Desmontagem
e Montagem”, nesta seção.

• Altura do pistão em relação • CORRIJA. Para mais


à face usinada do bloco informações, CONSULTE o
incorreta item “Motor – Desmontagem
e Montagem”, nesta seção.

• Restrição nas galerias • LIMPE o sistema. Para mais


d’água/camisa de cilindro informações, CONSULTE a
com crostas Seção 220-03.

• Correias do ventilador • TENSIONE. Para mais


frouxas informações, CONSULTE a
Seção 220-03.

• Radiador entupido externa • LIMPE. Para mais


ou internamente informações, CONSULTE a
Seção 220-03.

• Radiador entupido externa • LIMPE. Para mais


ou internamente informações, CONSULTE a
Seção 220-03.

• Tubo de respiro do cárter • LIMPE. Para mais


entupido informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Peneira do tubo de sucção • LIMPE. Para mais


da bomba de óleo entupida informações, CONSULTE a
Seção 220-04.
220-02-35 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-35

Condições Possíveis Causas Ações

Excessiva pressão no cárter • Vazamento na junta do • SUBSTITUA a junta e


com possíveis vazamentos de cabeçote VERIFIQUE as causas do
óleo vazamento. Para mais
informações, CONSULTE o
item “Motor – Desmontagem
e Montagem”, nesta seção.

• Desgaste dos cilindros • SUBSTITUA os kits de


cilindros. Para mais
informações, CONSULTE o
item “Motor – Desmontagem
e Montagem”, nesta seção.

• Anéis quebrados, gastos ou • SUBSTITUA-OS. Para mais


presos informações, CONSULTE o
item “Motor – Desmontagem
e Montagem”, nesta seção.

• Hastes e guias de válvulas • SUBSTITUA-AS. Para mais


desgastadas informações, CONSULTE o
item “Cabeçote – Remoção e
Instalação”, nesta seção.

• Altura do pistão em relação • CORRIJA. Para mais


à face usinada do bloco informações, CONSULTE o
incorreta item “Motor – Desmontagem
e Montagem”, nesta seção.

• Vazamento no • CORRIJA. Para mais


intercambiador de óleo informações, CONSULTE a
lubrificante Seção 220-04.

Baixa compressão • Restrição no sistema de • DESOBSTRUA o sistema de


admissão de ar admissão ou SUBSTITUA o
elemento do filtro de ar. Para
mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
06.

• Restrição no sistema de • DESOBSTRUA o sistema de


admissão de ar admissão ou SUBSTITUA o
elemento do filtro de ar. Para
mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
06.

• Vazamento na junta do • SUBSTITUA a junta e


cabeçote VERIFIQUE as causas do
vazamento. Para mais
informações, CONSULTE o
item “Motor – Desmontagem
e Montagem”, nesta seção.
220-02-36 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-36

Condições Possíveis Causas Ações

Baixa compressão • Folga de válvulas incorreta • REGULE a folga das


(Continuação) válvulas. Para mais
informações, CONSULTE o
item “Cabeçote – Remoção e
Instalação”, nesta seção.

• Válvulas presas • CORRIJA a operação das


válvulas. Para mais
informações, CONSULTE o
item “Cabeçote – Remoção e
Instalação”, nesta seção.

• Desgaste dos cilindros • SUBSTITUA os kits de


cilindros. Para mais
informações, CONSULTE o
item “Motor – Desmontagem
e Montagem”, nesta seção.

• Válvulas e sedes de válvulas • SUBSTITUA-AS. Para mais


queimadas informações, CONSULTE o
item “Cabeçote – Remoção e
Instalação”, nesta seção.

• Hastes e guias de válvulas • SUBSTITUA-AS. Para mais


desgastadas informações, CONSULTE o
item “Cabeçote – Remoção e
Instalação”, nesta seção.

• Ventilador danificado • SUBSTITUA. Para mais


informações, CONSULTE a
Seção 220-03.

• Turbocompressor danificado • SUBSTITUA ou LIMPE. Para


ou necessitando limpeza mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
06.

Motor pega e morre • Vazamento na junta do • SUBSTITUA a junta e


cabeçote VERIFIQUE as causas do
vazamento. Para mais
informações, CONSULTE o
item “Motor – Desmontagem
e Montagem”, nesta seção.

• Desgaste dos cilindros • SUBSTITUA os kits de


cilindros. Para mais
informações, CONSULTE o
item “Motor – Desmontagem
e Montagem”, nesta seção.
220-02-37 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-37

Condições Possíveis Causas Ações

Motor pega e morre • Anéis quebrados, gastos ou • SUBSTITUA-OS. Para mais


(Continuação) presos informações, CONSULTE o
item “Motor – Desmontagem
e Montagem”, nesta seção.

• Hastes e guias de válvulas • SUBSTITUA-AS. Para mais


desgastadas informações, CONSULTE o
item “Cabeçote – Remoção e
Instalação”, nesta seção.

• Altura do pistão em relação • CORRIJA. Para mais


à face usinada do bloco informações, CONSULTE o
incorreta item “Motor – Desmontagem
e Montagem”, nesta seção.

• Vazamento no • CORRIJA. Para mais


intercambiador de óleo informações, CONSULTE a
lubrificante Seção 220-04.

Motor dispara • Estrangulador de • VERIFIQUE controles,


combustível defeituoso solenóide (se equipado), etc.

• Bomba injetora defeituosa • ENVIE a um posto de


serviço do fabricante.

Alto consumo de óleo • Óleo lubrificante de • USE óleo de viscosidade


lubrificante viscosidade inadequada correta. Para mais
informações, CONSULTE o
item “Especificações”, nesta
seção.

• Assentamento irregular dos • SUBSTITUA. Para mais


anéis informações, CONSULTE o
item “Motor – Desmontagem
e Montagem”, nesta seção.

• Nível elevado de óleo no • VERIFIQUE se há presença


cárter de água no óleo, CORRIJA o
nível se necessário. Para
mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
04.

• Baixa compressão • MEÇA a compressão e


CORRIJA falha. Para mais
informações, CONSULTE o
item “Teste de Compressão
dos Cilindros”, nesta seção.
220-02-38 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-38

Condições Possíveis Causas Ações

Alto consumo de óleo • Desgaste dos cilindros • SUBSTITUA os kits de


lubrificante (Continuação) cilindros. Para mais
informações, CONSULTE o
item “Motor – Desmontagem
e Montagem”, nesta seção.

• Anéis quebrados, gastos ou • SUBSTITUA-OS. Para mais


presos informações, CONSULTE o
item “Motor – Desmontagem
e Montagem”, nesta seção.

• Hastes e guias de válvulas • SUBSTITUA-AS. Para mais


desgastadas informações, CONSULTE o
item “Cabeçote – Remoção e
Instalação”, nesta seção.

• Vazamento no • CORRIJA. Para mais


intercambiador de óleo informações, CONSULTE a
lubrificante Seção 220-04.

• Ângulo de inclinação do • CORRIJA. Para mais


motor inadequado informações, CONSULTE o
item “Motor – Remoção e
Instalação”, nesta seção.

• Tipo de anel utilizado • VERIFIQUE os Boletins de


Serviço vigentes.

Água misturada ao óleo • Ar no sistema de • FAÇA sangria no sistema.


lubrificante combustível Para mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
05.

• Vazamento na junta do • SUBSTITUA a junta e


cabeçote VERIFIQUE as causas do
vazamento. Para mais
informações, CONSULTE o
item “Motor – Desmontagem
e Montagem”, nesta seção.

• Falta de água no sistema de • COMPLETE o nível. Para


arrefecimento mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
03.
220-02-39 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-39

Tabela de Sintomas – Falhas em Turbocompressores

Condições Possíveis Causas Ações

Falta de potência • Elemento do filtro de ar sujo • SUBSTITUA os elementos


filtrantes. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Distorção interna ou • VERIFIQUE e CORRIJA a


restrição na tubulação entre instalação da linha de
filtro de ar e ligação entre o filtro e o
Turbocompressor turbocompressor. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Restrição ou dano na • VERIFIQUE e CORRIJA a


tubulação entre Turbo e instalação da linha de
coletor de admissão ligação entre o
turbocompressor e o coletor
de admissão. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Restrição entre filtro de ar e • VERIFIQUE e CORRIJA a


Turbo instalação da linha de
ligação entre o
turbocompressor e o coletor
de admissão. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Restrição no sistema de • VERIFIQUE e CORRIJA o


escapamento sistema de escapamento e a
instalação da linha de
ligação entre o coletor de
escapamento e o
turbocompressor. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Turbocompressor solto, • VERIFIQUE e APERTE, se


braçadeiras e/ou porcas necessário. Para mais
soltas informações, CONSULTE o
item “Especificações”, nesta
seção.

• Coletor de admissão • SUBSTITUA o coletor de


trincado, solto ou com admissão ou CORRIJA
distorção nos flanges de distorções. Para mais
fixação ao cabeçote informações, CONSULTE a
Seção 220-06.
220-02-40 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-40

Condições Possíveis Causas Ações

Falta de potência • Coletor de escape trincado, • SUBSTITUA o escapamento.


(Continuação) solto ou com distorção nos Para mais informações,
flanges de fixação ao CONSULTE a Seção 220-
cabeçote 06.

• Alojamento da turbina • AVALIE a instalação.


danificado ou com restrição SUBSTITUA juntas e
acoplamentos danificados

• Mancais flutuantes com • AVALIE o sistema de


desgaste lubrificação. SUBSTITUA, se
localizada a causa, os
mancais flutuantes. Para
mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
04.
• AVALIE folgas no eixo da
turbina. Se localizada a
causa, EFETUE a
substituição da peça
causadora e dos mancais.
Para mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
06.
• AVALIE contaminação por
carvão no lado quente da
turbina. Se localizada a
causa, EFETUE a
substituição da peça
causadora e dos mancais.
Para mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
06.

• Acúmulo de impurezas no • EFETUE a limpeza conforme


alojamento do compressor necessário.

• Depósito de carvão atrás do • AVALIE a bomba injetora


rotor da turbina com débito incorreto.
ENCAMINHE a bomba para
regulagem.
• AVALIE o combustível. Se
inadequado, SUBSTITUA
combustível.
• AVALIE regulagem dos
injetores. CORRIJA se
necessário.
220-02-41 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-41

Condições Possíveis Causas Ações

Falta de potência • Vazamento na junta do • SUBSTITUA a junta e


(Continuação) cabeçote VERIFIQUE as causas do
vazamento. Para mais
informações, CONSULTE o
item “Motor – Desmontagem
e Montagem”, nesta seção.

• Superaquecimento • VERIFIQUE sistema de


arrefecimento, ponto do
motor e condições de
operação e manutenção.
Para mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
03.

• Válvulas e sedes de válvulas • SUBSTITUA-AS. Para mais


queimadas informações, CONSULTE o
item “Cabeçote – Remoção e
Instalação”, nesta seção.

• Anéis quebrados, gastos ou • SUBSTITUA-OS. Para mais


presos informações, CONSULTE o
item “Motor – Desmontagem
e Montagem”, nesta seção.

• Em caso de filtro a banho de • LIMPE o sistema de


óleo: restrição excessiva, filtragem, SUBSTITUA o óleo
elemento sujo, viscosidade e AVALIE restrições nos
muito baixa ou muito alta de dutos.
óleo

• Atuador da válvula Waste- • SUBSTITUA o conjunto do


gate com falha ou danificado atuador da válvula Waste-
gate.

• Válvula Waste-gate não se • AVALIE a causa da


movimenta livremente dificuldade. CORRIJA ou
SUBSTITUA, se necessário.

Fumaça preta • Elemento do filtro de ar sujo • SUBSTITUA os elementos


filtrantes. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Distorção interna ou • VERIFIQUE e CORRIJA a


restrição na tubulação entre instalação da linha de
filtro de ar e ligação entre o filtro e o
Turbocompressor turbocompressor. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.
220-02-42 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-42

Condições Possíveis Causas Ações

Fumaça preta (Continuação) • Restrição ou dano na • VERIFIQUE e CORRIJA a


tubulação entre Turbo e instalação da linha de
coletor de admissão ligação entre o
turbocompressor e o coletor
de admissão. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Restrição entre filtro de ar e • VERIFIQUE e CORRIJA a


Turbo instalação da linha de
ligação entre o
turbocompressor e o coletor
de admissão. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Restrição no sistema de • VERIFIQUE e CORRIJA o


escapamento sistema de escapamento e a
instalação da linha de
ligação entre o coletor de
escapamento e o
turbocompressor. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Restrição no sistema de • VERIFIQUE e CORRIJA o


escapamento sistema de escapamento e a
instalação da linha de
ligação entre o coletor de
escapamento e o
turbocompressor. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Coletor de admissão • SUBSTITUA o coletor de


trincado, solto ou com admissão ou CORRIJA
distorção nos flanges de distorções. Para mais
fixação ao cabeçote informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Coletor de escape trincado, • SUBSTITUA o coletor de


solto ou com distorção nos escapamento ou CORRIJA
flanges de fixação ao distorções. Para mais
cabeçote informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Alojamento da turbina • AVALIE a instalação.


danificado ou com restrição SUBSTITUA juntas e
alojamentos danificados.
220-02-43 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-43

Condições Possíveis Causas Ações

Fumaça preta (Continuação) • Mancais flutuantes com • AVALIE o sistema de


desgaste lubrificação. SUBSTITUA, se
localizada a causa, os
mancais flutuantes. Para
mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
04.

• AVALIE folgas no eixo da


turbina. Se localizada a
causa, EFETUE a
substituição da peça
causadora e dos mancais.
Para mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
06.

• AVALIE contaminação por


carvão no lado quente da
turbina. Se localizada a
causa, EFETUE a
substituição da peça
causadora e dos mancais.
Para mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
06.

• Acúmulo de impurezas no • AVALIE a causa do acúmulo


alojamento do compressor de impurezas. CORRIJA e
EFETUE a limpeza.

• Depósito de carvão atrás do • AVALIE a bomba injetora


rotor da turbina com débito incorreto.
ENCAMINHE a bomba para
regulagem.

• AVALIE o combustível. Se
inadequado, SUBSTITUA o
combustível.

• AVALIE a regulagem dos


injetores. CORRIJA se
necessário.

• Falha na bomba injetora de • ENVIE a um posto de


combustível serviço do fabricante.

• Mau funcionamento dos • AVALIE, LIMPE e REGULE


bicos injetores os injetores. SUBSTITUA se
necessário. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-05.
220-02-44 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-44

Condições Possíveis Causas Ações

Fumaça preta (Continuação) • Válvulas e sedes de válvulas • SUBSTITUA-AS. Para mais


queimadas informações, CONSULTE o
item “Cabeçote – Remoção e
Instalação”, nesta seção.

• Anéis quebrados, gastos ou • SUBSTITUA-OS. Para mais


presos informações, CONSULTE o
item “Motor – Desmontagem
e Montagem”, nesta seção.

• Em caso de filtro a banho de • LIMPE o sistema de


óleo: restrição excessiva, filtragem, SUBSTITUA o óleo
elemento sujo, viscosidade e AVALIE restrições nos
muito baixa ou muito alta de dutos.
óleo

• Atuador da válvula Waste- • SUBSTITUA o conjunto do


gate com falha ou danificado atuador da válvula Waste-
gate.

• Válvula Waste-gate não se • AVALIE a causa da


movimenta livremente dificuldade. CORRIJA ou
SUBSTITUA, se necessário.

Fumaça azul • Elemento do filtro de ar sujo • SUBSTITUA os elementos


filtrantes. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Respiro do cárter bloqueado • LIMPE-O. Para mais


informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Distorção interna ou • VERIFIQUE e CORRIJA a


restrição na tubulação entre instalação da linha de
filtro de ar e ligação entre o filtro e o
Turbocompressor turbocompressor. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Restrição entre filtro de ar e • VERIFIQUE e CORRIJA a


Turbo instalação da linha de
ligação entre o
turbocompressor e o coletor
de admissão. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.
220-02-45 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-45

Condições Possíveis Causas Ações

Fumaça azul (Continuação) • Restrição no sistema de • VERIFIQUE e CORRIJA o


escapamento sistema de escapamento e a
instalação da linha de
ligação entre o coletor de
escapamento e o
turbocompressor. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Coletor de admissão • SUBSTITUA o coletor de


trincado, solto ou com admissão ou CORRIJA as
distorção nos flanges de distorções. Para mais
fixação ao cabeçote informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Restrição excessiva no tubo • AVALIE danos físicos e/ou


de retorno (dreno) de óleo entupimento. LIMPE ou
aos mancais SUBSTITUA, conforme
necessário.

• Vazamento nos vedadores • SUBSTITUA os vedadores


do eixo ou ENCAMINHE a turbina
para a assistência técnica.

• Mancais flutuantes com • AVALIE o sistema de


desgaste lubrificação. SUBSTITUA, se
localizada a causa, os
mancais flutuantes. Para
mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
04.

• AVALIE folgas no eixo da


turbina. Se localizada a
causa, EFETUE a
substituição da peça
causadora e dos mancais.
Para mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
06.

• AVALIE contaminação por


carvão no lado quente da
turbina. Se localizada a
causa, EFETUE a
substituição da peça
causadora e dos mancais.
Para mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
06.

• Acúmulo de impurezas no • AVALIE a causa do acúmulo


alojamento do compressor. de impurezas. CORRIJA e
EFETUE a limpeza.
220-02-46 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-46

Condições Possíveis Causas Ações

Fumaça azul (Continuação) • Depósito de carvão atrás do • AVALIE a bomba injetora


rotor da turbina com débito incorreto.
ENCAMINHE a bomba para
regulagem.

• AVALIE combustível. Se
inadequado, SUBSTITUA
combustível.

• AVALIE regulagem dos


injetores. CORRIJA se
necessário.

• Excessiva retenção e • Combustível contaminado.


acúmulo de líquido (na DRENE o reservatório ou
partida do motor) SUBSTITUA o combustível.

• Tempo excessivo de • ORIENTE o operador quanto


funcionamento em marcha ao uso abusivo da marcha
lenta lenta.

• Restrição no alojamento dos • AVALIE as causas e


mancais do Turbo CORRIJA.

• Em caso de filtro a banho de • LIMPE o sistema de


óleo: restrição excessiva, filtragem, SUBSTITUA o óleo
elemento sujo, viscosidade e AVALIE restrições nos
muito baixa ou muito alta de dutos.
óleo

Consumo excessivo de • Respiro do cárter bloqueado • LIMPE. Para mais


lubrificante informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Restrição no sistema de • VERIFIQUE e CORRIJA o


escapamento sistema de escapamento e a
instalação da linha de
ligação entre o coletor de
escapamento e o
turbocompressor. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Suprimento incorreto de óleo • AVALIE nível e pressão de


óleo. AVALIE restrições nos
tubos. CORRIJA se
necessário. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-04.
220-02-47 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-47

Condições Possíveis Causas Ações

Consumo excessivo de • Restrição excessiva no tubo • AVALIE danos físicos e/ou


lubrificante (Continuação) de retorno (dreno) de óleo entupimento. LIMPE ou
aos mancais SUBSTITUA, conforme
necessário.

• Vazamento nos vedadores • SUBSTITUA os vedadores


do eixo ou ENCAMINHE a turbina
para a assistência técnica.

• Mancais flutuantes com • AVALIE o sistema de


desgaste lubrificação. SUBSTITUA, se
localizada a causa, os
mancais flutuantes. Para
mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
04.

• AVALIE folgas no eixo da


turbina. Se localizada a
causa, EFETUE a
substituição da peça
causadora e dos mancais.
Para mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
06.

• AVALIE contaminação por


carvão no lado quente da
turbina. Se localizada a
causa, EFETUE a
substituição da peça
causadora e dos mancais.
Para mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
06.

• Anéis quebrados, gastos ou • SUBSTITUA-OS. Para mais


presos informações, CONSULTE o
item “Motor – Desmontagem
e Montagem”, nesta seção.

• Vazamento de óleo no tubo • AVALIE junções e


de fornecimento de óleo ao vedadores. SUBSTITUA o
Turbo conjunto, se necessário.

• Tempo excessivo de • ORIENTE o operador quanto


funcionamento em marcha ao uso abusivo da marcha
lenta lenta e CORRIJA os efeitos.

• Restrição no alojamento dos • AVALIE as causas e


mancais do Turbo CORRIJA.
220-02-48 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-48

Condições Possíveis Causas Ações

Consumo excessivo de • Em caso de filtro a banho de • LIMPE o sistema de


lubrificante (Continuação) óleo: restrição excessiva, filtragem, SUBSTITUA o óleo
elemento sujo, viscosidade e AVALIE restrições nos
muito baixa ou muito alta de dutos.
óleo

Presença de óleo no rotor da • Respiro do cárter bloqueado • LIMPE. Para mais


turbina informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Restrição no sistema de • VERIFIQUE e CORRIJA o


escapamento sistema de escapamento e a
instalação da linha de
ligação entre o coletor de
escapamento e o
turbocompressor. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Restrição no sistema de • VERIFIQUE e CORRIJA o


escapamento sistema de escapamento e a
instalação da linha de
ligação entre o coletor de
escapamento e o
turbocompressor. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Restrição excessiva no tubo • AVALIE danos físicos e/ou


de retorno (dreno) de óleo entupimento. LIMPE ou
aos mancais. SUBSTITUA, conforme
necessário.

• Vazamento nos vedadores • SUBSTITUA vedadores ou


do eixo ENCAMINHE turbina para a
assistência técnica.

• Mancais flutuantes com • AVALIE o sistema de


desgaste lubrificação. SUBSTITUA, se
localizada a causa, os
mancais flutuantes. Para
mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
04.

• AVALIE folgas no eixo da


turbina. Se localizada a
causa, EFETUE a
substituição da peça
causadora e dos mancais.
Para mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
06.
220-02-49 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-49

Condições Possíveis Causas Ações

Presença de óleo no rotor da • AVALIE contaminação por


turbina (Continuação) carvão no lado quente da
turbina. Se localizada a
causa, EFETUE a
substituição da peça
causadora e dos mancais.
Para mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
06.

• Depósito de carvão atrás do • AVALIE a bomba injetora


rotor da turbina com débito incorreto.
ENCAMINHE a bomba para
regulagem.

• AVALIE o combustível. Se
inadequado, SUBSTITUA
combustível.

• AVALIE regulagem dos


injetores. CORRIJA se
necessário.

• Anéis quebrados, gastos ou • SUBSTITUA-OS. Para mais


presos informações, CONSULTE o
item “Motor – Desmontagem
e Montagem”, nesta seção.

• Excessiva retenção e • Combustível contaminado.


acúmulo de líquido (na DRENE o reservatório ou
partida do motor) SUBSTITUA o combustível.

• Tempo excessivo de • ORIENTE o operador quanto


funcionamento em marcha ao uso abusivo da marcha
lenta lenta e corrija os efeitos.

• Restrição no alojamento dos • AVALIE as causas e


mancais do Turbo CORRIJA.

Presença de óleo no rotor do • Elemento do filtro de ar sujo • SUBSTITUA os elementos


compressor filtrantes. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Respiro do cárter bloqueado • LIMPE. Para mais


informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Distorção interna ou • VERIFIQUE e CORRIJA a


restrição na tubulação entre instalação da linha de
filtro de ar e ligação entre o filtro e o
Turbocompressor turbocompressor. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.
220-02-50 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-50

Condições Possíveis Causas Ações

Presença de óleo no rotor do • Restrição ou dano na • VERIFIQUE e CORRIJA a


compressor (Continuação) tubulação entre Turbo e instalação da linha de
coletor de admissão ligação entre o
turbocompressor e o coletor
de admissão. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Restrição entre filtro de ar e • VERIFIQUE e CORRIJA a


Turbo instalação da linha de
ligação entre o
turbocompressor e o coletor
de admissão. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Restrição no sistema de • VERIFIQUE e CORRIJA o


escapamento sistema de escapamento e a
instalação da linha de
ligação entre o coletor de
escapamento e o
turbocompressor. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Vazamento nos vedadores • SUBSTITUA os vedadores


do eixo ou ENCAMINHE a turbina
para a assistência técnica.

• Mancais flutuantes com • AVALIE o sistema de


desgaste lubrificação. SUBSTITUA se
localizada a causa, os
mancais flutuantes. Para
mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
04.

• AVALIE folgas no eixo da


turbina. Se localizada a
causa, EFETUE a
substituição da peça
causadora e dos mancais.
Para mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
06.

• AVALIE contaminação por


carvão no lado quente da
turbina. Se localizada a
causa, EFETUE a
substituição da peça
causadora e dos mancais.
Para mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
06.
220-02-51 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-51

Condições Possíveis Causas Ações

Presença de óleo no rotor do • Acúmulo de impurezas no • AVALIE a causa do acúmulo


compressor (Continuação) alojamento do compressor de impurezas. CORRIJA e
EFETUE a limpeza.

• Anéis quebrados, gastos ou • SUBSTITUA. Para mais


presos informações, CONSULTE o
item “Motor – Desmontagem
e Montagem”, nesta seção.

• Tempo excessivo de • ORIENTE o operador quanto


funcionamento em marcha ao uso abusivo da marcha
lenta lenta e CORRIJA os efeitos.

• Restrição no alojamento dos • AVALIE as causas e


mancais do Turbo CORRIJA.

Lubrificação deficiente, falta • Restrição no sistema de • VERIFIQUE e CORRIJA o


de pressão escapamento sistema de escapamento e a
instalação da linha de
ligação entre o coletor de
escapamento e o
turbocompressor. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Atraso no suprimento de • AVALIE a pressão do


óleo ao Turbo após a partida sistema de lubrificação. Para
do motor mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
04.

• Óleo sujo, de má qualidade • SUBSTITUA o óleo


ou período de troca vencido lubrificante. SUBSTITUA o
filtro de óleo. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-04.

• Suprimento incorreto de óleo • AVALIE o nível e pressão de


óleo. AVALIE restrições nos
tubos. CORRIJA se
necessário. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-04.

• Restrição excessiva no tubo • AVALIE danos físicos e/ou


de fornecimento de óleo aos entupimento. LIMPE ou
mancais SUBSTITUA, conforme
necessário.

• Rotação do motor • ORIENTE o operador quanto


aumentada de forma muito ao uso abusivo da marcha
rápida logo após a partida lenta e CORRIJA os efeitos.
220-02-52 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-52

Condições Possíveis Causas Ações

Lubrificação deficiente, falta • Tempo insuficiente de • ORIENTE o Operador e


de pressão (Continuação) marcha lenta, após partida CORRIJA os efeitos.
ou antes de desligar o motor

• Vazamento de óleo no tubo • AVALIE junções e


de fornecimento de óleo ao vedadores. SUBSTITUA o
Turbo conjunto, se necessário.

• Restrição no alojamento dos • AVALIE as causas e


mancais do Turbo CORRIJA.

• Restrição excessiva no filtro • SUBSTITUA o filtro.


de óleo

• Motor desligado de maneira • ORIENTE o Operador e


repentina, ao funcionar em CORRIJA os efeitos.
alta rotação

• Lubrificação insuficiente • MEÇA e COMPLETE se


necessário o nível de óleo
lubrificante. AVALIE a
pressão do sistema de
lubrificação. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-04.

Presença de óleo no coletor • Respiro do cárter bloqueado • LIMPE. Para mais


de escape informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Restrição no sistema de • VERIFIQUE e CORRIJA o


escapamento sistema de escapamento e a
instalação da linha de
ligação entre o coletor de
escapamento e o
turbocompressor. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Restrição excessiva no tubo • AVALIE danos físicos e/ou


de retorno (dreno) de óleo entupimento. LIMPE ou
aos mancais SUBSTITUA, conforme
necessário.

• Alojamento da turbina • AVALIE a instalação.


danificado ou com restrição SUBSTITUA juntas e
acoplamentos danificados.

• Vazamento nos vedadores • SUBSTITUA vedadores ou


do eixo ENCAMINHE a turbina para
a assistência técnica.
220-02-53 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-53

Condições Possíveis Causas Ações

Presença de óleo no coletor • Mancais flutuantes com • AVALIE o sistema de


de escape (Continuação) desgaste lubrificação. SUBSTITUA, se
localizada a causa, os
mancais flutuantes. Para
mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
04.

• AVALIE folgas no eixo da


turbina. Se localizada a
causa, EFETUE a
substituição da peça
causadora e dos mancais.
Para mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
06.

• AVALIE contaminação por


carvão no lado quente da
turbina. Se localizada a
causa, EFETUE a
substituição da peça
causadora e dos mancais.
Para mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
06.

• Depósito de carvão atrás do • AVALIE a bomba injetora


rotor da turbina com débito incorreto.
ENCAMINHE a bomba para
regulagem.

• AVALIE o combustível. Se
inadequado, SUBSTITUA o
combustível.

• AVALIE a regulagem dos


injetores. CORRIJA se
necessário.

• Anéis quebrados, gastos ou • SUBSTITUA. Para mais


presos informações, CONSULTE o
item “Motor – Desmontagem
e Montagem”, nesta seção.

• Tempo excessivo de • ORIENTE o operador quanto


funcionamento em marcha ao uso abusivo da marcha
lenta lenta e CORRIJA os efeitos.

• Restrição no alojamento dos • AVALIE as causas e


mancais do Turbo CORRIJA.
220-02-54 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-54

Condições Possíveis Causas Ações

Interior do coletor de • Elemento do filtro de ar sujo • SUBSTITUA os elementos


admissão úmido filtrantes. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Elemento do filtro de ar sujo • SUBSTITUA os elementos


filtrantes. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Elemento do filtro de ar • VERIFIQUE e CORRIJA a


instalado de maneira instalação dos filtros e a
incorreta, não vedando linha de ligação entre o filtro
corretamente no fundo do e o turbocompressor. Para
alojamento. Conexão de ar mais informações,
frouxa entre filtro de ar e CONSULTE a Seção 220-
Turbocompressor 06.

• Distorção interna ou • VERIFIQUE e CORRIJA a


restrição na tubulação entre instalação da linha de
filtro de ar e ligação entre o filtro e o
Turbocompressor turbocompressor. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Restrição ou dano na • VERIFIQUE e CORRIJA a


tubulação entre Turbo e instalação da linha de
coletor de admissão ligação entre o
turbocompressor e o coletor
de admissão. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Restrição entre filtro de ar e • VERIFIQUE e CORRIJA a


Turbo instalação da linha de
ligação entre o
turbocompressor e o coletor
de admissão. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Restrição no sistema de • VERIFIQUE e CORRIJA o


escapamento sistema de escapamento e a
instalação da linha de
ligação entre o coletor de
escapamento e o
turbocompressor. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.
220-02-55 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-55

Condições Possíveis Causas Ações

Interior do coletor de • Restrição no sistema de • VERIFIQUE e CORRIJA o


admissão úmido (Continuação) escapamento sistema de escapamento e a
instalação da linha de
ligação entre o coletor de
escapamento e o
turbocompressor. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Restrição excessiva no tubo • AVALIE danos físicos e/ou


de retorno (dreno) de óleo entupimento. LIMPE ou
aos mancais SUBSTITUA, conforme
necessário.

• Alojamento da turbina • AVALIE a instalação.


danificado ou com restrição SUBSTITUA juntas e
acoplamentos danificados.

• Vazamento nos vedadores • SUBSTITUA vedadores ou


do eixo ENCAMINHE a turbina para
a assistência técnica.

• Mancais flutuantes com • AVALIE o sistema de


desgaste lubrificação. SUBSTITUA, se
localizada a causa, os
mancais flutuantes. Para
mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
04.

• AVALIE folgas no eixo da


turbina. Se localizada a
causa, EFETUE a
substituição da peça
causadora e dos mancais.
Para mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
06.

• AVALIE a contaminação por


carvão no lado quente da
turbina. Se localizada a
causa, EFETUE a
substituição da peça
causadora e dos mancais.
Para mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
06.

• Acúmulo de impurezas no • AVALIE a causa do acúmulo


alojamento do compressor de impurezas. CORRIJA e
EFETUE a limpeza.
220-02-56 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-56

Condições Possíveis Causas Ações

Interior do coletor de • Anéis quebrados, gastos ou • SUBSTITUA. Para mais


admissão úmido (Continuação) presos informações, CONSULTE o
item “Motor – Desmontagem
e Montagem”, nesta seção.

• Restrição no alojamento dos • AVALIE as causas e


mancais do Turbo CORRIJA.

• Em caso de filtro a banho de • LIMPE o sistema de


óleo: restrição excessiva, filtragem, SUBSTITUA o óleo
elemento sujo, viscosidade e AVALIE restrições nos
muito baixa ou muito alta de dutos.
óleo

Interior do coletor de • Elemento do filtro de ar sujo • SUBSTITUA os elementos


admissão úmido filtrantes. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Respiro do cárter bloqueado • LIMPE. Para mais


informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Elemento do filtro de ar • VERIFIQUE e CORRIJA a


instalado de maneira instalação dos filtros e a
incorreta, não vedando linha de ligação entre o filtro
corretamente no fundo do e o turbocompressor. Para
alojamento. Conexão de ar mais informações,
frouxa entre filtro de ar e CONSULTE a Seção 220-
Turbocompressor 06.

• Distorção interna ou • VERIFIQUE e CORRIJA a


restrição na tubulação entre instalação da linha de
filtro de ar e ligação entre o filtro e o
Turbocompressor turbocompressor. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Restrição ou dano na • VERIFIQUE e CORRIJA a


tubulação entre Turbo e instalação da linha de
coletor de admissão ligação entre o
turbocompressor e o coletor
de admissão. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Restrição entre filtro de ar e • VERIFIQUE e CORRIJA a


Turbo instalação da linha de
ligação entre o
turbocompressor e o coletor
de admissão. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.
220-02-57 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-57

Condições Possíveis Causas Ações

Interior do coletor de • Restrição no sistema de • VERIFIQUE e CORRIJA o


admissão úmido (Continuação) escapamento sistema de escapamento e a
instalação da linha de
ligação entre o coletor de
escapamento e o
turbocompressor. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Coletor de escape trincado, • SUBSTITUA o escapamento.


solto ou com distorção nos Para mais informações,
flanges de fixação ao CONSULTE a Seção 220-
cabeçote 06.

• Restrição excessiva no tubo • AVALIE danos físicos e/ou


de retorno (dreno) de óleo entupimento. LIMPE ou
aos mancais SUBSTITUA, conforme
necessário.

• Alojamento da turbina • AVALIE a instalação.


danificado ou com restrição SUBSTITUA juntas e
acoplamentos danificados.

• Vazamento nos vedadores • SUBSTITUA vedadores ou


do eixo ENCAMINHE a turbina para
a assistência técnica.

• Mancais flutuantes com • AVALIE o sistema de


desgaste lubrificação. SUBSTITUA, se
localizada a causa, os
mancais flutuantes. Para
mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
04.

• AVALIE folgas no eixo da


turbina. Se localizada a
causa, EFETUE a
substituição da peça
causadora e dos
mancais.Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• AVALIE contaminação por


carvão no lado quente da
turbina. Se localizada a
causa, EFETUE a
substituição da peça
causadora e dos mancais.
Para mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
06.
220-02-58 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-58

Condições Possíveis Causas Ações

Interior do coletor de • Acúmulo de impurezas no • AVALIE a causa do acúmulo


admissão úmido (Continuação) alojamento do compressor de impurezas. CORRIJA e
EFETUE a limpeza.

• Anéis quebrados, gastos ou • SUBSTITUA-OS. Para mais


presos informações, CONSULTE o
item “Motor – Desmontagem
e Montagem”, nesta seção.

• Restrição no alojamento dos • AVALIE as causas e


mancais do Turbo CORRIJA.

• Em caso de filtro a banho de • LIMPE o sistema de


óleo: restrição excessiva, filtragem, SUBSTITUA o óleo
elemento sujo, viscosidade e AVALIE restrições nos
muito baixa ou muito alta de dutos.
óleo

Rotor do compressor • Elemento do filtro de ar • VERIFIQUE e CORRIJA a


danificado instalado de maneira instalação dos filtros e a
incorreta, não vedando linha de ligação entre o filtro
corretamente no fundo do e o turbocompressor. Para
alojamento. Conexão de ar mais informações,
frouxa entre filtro de ar e CONSULTE a Seção 220-
Turbocompressor 06.

• Distorção interna ou • VERIFIQUE e CORRIJA a


restrição na tubulação entre instalação da linha de
filtro de ar e ligação entre o filtro e o
Turbocompressor turbocompressor. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Distorção interna ou • VERIFIQUE e CORRIJA a


restrição na tubulação entre instalação da linha de
filtro de ar e ligação entre o filtro e o
Turbocompressor turbocompressor. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Restrição no sistema de • VERIFIQUE e CORRIJA o


escapamento sistema de escapamento e a
instalação da linha de
ligação entre o coletor de
escapamento e o
turbocompressor. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.
220-02-59 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-59

Condições Possíveis Causas Ações

Rotor do compressor • Atraso no suprimento de • AVALIE a pressão do


danificado (Continuação) óleo ao Turbo após a partida sistema de lubrificação. Para
do motor mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
04.

• Suprimento incorreto de óleo • AVALIE nível e pressão de


óleo. AVALIE restrições nos
tubos. CORRIJA se
necessário. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-04.

• Restrição excessiva no tubo • AVALIE danos físicos e/ou


de fornecimento de óleo aos entupimento. LIMPE ou
mancais SUBSTITUA, conforme
necessário.

• Mancais flutuantes com • AVALIE o sistema de


desgaste lubrificação. SUBSTITUA, se
localizada a causa, os
mancais flutuantes. Para
mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
04.

• AVALIE folgas no eixo da


turbina. Se localizada a
causa, EFETUE a
substituição da peça
causadora e dos mancais.
Para mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
06.

• AVALIE contaminação por


carvão no lado quente da
turbina. Se localizada a
causa, EFETUE a
substituição da peça
causadora e dos mancais.
Para mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
06.

• Acúmulo de impurezas no • AVALIE a causa do acúmulo


alojamento do compressor de impurezas. CORRIJA e
EFETUE a limpeza.

• Rotação do motor • ORIENTE o Operador e


aumentada de forma muito CORRIJA os efeitos.
rápida logo após a partida
220-02-60 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-60

Condições Possíveis Causas Ações

Rotor do compressor • Tempo insuficiente de • ORIENTE o Operador e


danificado (Continuação) marcha lenta, após partida CORRIJA os efeitos.
ou antes de desligar o motor

• Vazamento de óleo no tubo • AVALIE junções e


de fornecimento de óleo ao vedadores. SUBSTITUA o
Turbo conjunto, se necessário.

• Restrição no alojamento dos • AVALIE as causas e


mancais do Turbo CORRIJA.

• Restrição excessiva no filtro • SUBSTITUA o filtro.


de óleo

• Motor desligado de maneira • ORIENTE o Operador e


repentina, ao funcionar em CORRIJA os efeitos.
alta rotação

• Motor desligado de maneira • ORIENTE o Operador e


repentina, ao funcionar em CORRIJA os efeitos.
alta rotação

Rotor da turbina danificado • Restrição no sistema de • VERIFIQUE e CORRIJA o


escapamento sistema de escapamento e a
instalação da linha de
ligação entre o coletor de
escapamento e o
turbocompressor. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Restrição no sistema de • VERIFIQUE e CORRIJA o


escapamento sistema de escapamento e a
instalação da linha de
ligação entre o coletor de
escapamento e o
turbocompressor. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Atraso no suprimento de • AVALIE a pressão do


óleo ao Turbo após a partida sistema de lubrificação. Para
do motor mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
04.

• Lubrificação insuficiente • MEÇA e COMPLETE se


necessário o nível de óleo
lubrificante. AVALIE a
pressão do sistema de
lubrificação. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-04.
220-02-61 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-61

Condições Possíveis Causas Ações

Rotor da turbina danificado • Óleo sujo, de má qualidade • SUBSTITUA o óleo


(Continuação) ou período de troca vencido lubrificante. SUBSTITUA o
filtro de óleo. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-04.

• Suprimento incorreto de óleo • AVALIE nível e pressão de


óleo. AVALIE restrições nos
tubos. CORRIJA se
necessário. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-04.

• Restrição excessiva no tubo • AVALIE danos físicos e/ou


de fornecimento de óleo aos entupimento. LIMPE ou
mancais SUBSTITUA, conforme
necessário.

• Alojamento da turbina • AVALIE a instalação.


danificado ou com restrição SUBSTITUA juntas e
acoplamentos danificados.

• Mancais flutuantes com • AVALIE o sistema de


desgaste lubrificação. SUBSTITUA se
localizada a causa, os
mancais flutuantes. Para
mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
04.

• AVALIE folgas no eixo da


turbina. Se localizada a
causa, EFETUE a
substituição da peça
causadora e dos mancais.
Para mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
06.

• AVALIE contaminação por


carvão no lado quente da
turbina. Se localizada a
causa, EFETUE a
substituição da peça
causadora e dos mancais.
Para mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
06.
220-02-62 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-62

Condições Possíveis Causas Ações

Rotor da turbina danificado • Depósito de carvão atrás do • AVALIE a bomba injetora


(Continuação) rotor da turbina com débito incorreto.
ENCAMINHE a bomba para
regulagem.

• AVALIE o combustível. Se
inadequado, SUBSTITUA
combustível.

• AVALIE a regulagem dos


injetores. CORRIJA se
necessário.

• Rotação do motor • ORIENTE o Operador e


aumentada de forma muito CORRIJA os efeitos.
rápida logo após a partida

• Tempo insuficiente de • ORIENTE o Operador e


marcha lenta, após partida CORRIJA os efeitos.
ou antes de desligar o motor

• Falha na bomba injetora de • ENVIE a um posto de


combustível serviço do fabricante.

• Válvulas e sedes de válvulas • SUBSTITUA. Para mais


queimadas informações, CONSULTE o
item “Cabeçote – Remoção e
Instalação”, nesta seção.

• Vazamento de óleo no tubo • AVALIE junções e


de fornecimento de óleo ao vedadores. SUBSTITUA
Turbo conjunto, se necessário.

• Restrição no alojamento dos • AVALIE as causas e


mancais do Turbo CORRIJA.

• Restrição excessiva no filtro • SUBSTITUA o filtro.


de óleo

• Motor desligado de maneira • ORIENTE o Operador e


repentina, ao funcionar em CORRIJA os efeitos.
alta rotação

• Motor desligado de maneira • ORIENTE o Operador e


repentina, ao funcionar em CORRIJA os efeitos.
alta rotação
220-02-63 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-63

Condições Possíveis Causas Ações

Componentes rotativos não • Elemento do filtro de ar • VERIFIQUE e CORRIJA a


giram livres instalado de maneira instalação dos filtros e a
incorreta, não vedando linha de ligação entre o filtro
corretamente no fundo do e o turbocompressor. Para
alojamento. Conexão de ar mais informações,
frouxa entre filtro de ar e CONSULTE a Seção 220-
Turbocompressor 06.

• Restrição entre filtro de ar e • VERIFIQUE e CORRIJA a


Turbo instalação da linha de
ligação entre o
turbocompressor e o coletor
de admissão. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Restrição no sistema de • VERIFIQUE e CORRIJA o


escapamento sistema de escapamento e a
instalação da linha de
ligação entre o coletor de
escapamento e o
turbocompressor. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Restrição no sistema de • VERIFIQUE e CORRIJA o


escapamento sistema de escapamento e a
instalação da linha de
ligação entre o coletor de
escapamento e o
turbocompressor. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Atraso no suprimento de • AVALIE a pressão do


óleo ao Turbo após a partida sistema de lubrificação. Para
do motor mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
04.

• Lubrificação insuficiente • MEÇA e COMPLETE se


necessário o nível de óleo
lubrificante. AVALIE a
pressão do sistema de
lubrificação. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-04.

• Óleo sujo, de má qualidade • SUBSTITUA o óleo


ou período de troca vencido lubrificante. SUBSTITUA o
filtro de óleo. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-04.
220-02-64 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-64

Condições Possíveis Causas Ações

Componentes rotativos não • Suprimento incorreto de óleo • AVALIE nível e pressão de


giram livres (Continuação) óleo. AVALIE restrições nos
tubos. CORRIJA se
necessário. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-04.

• Restrição excessiva no tubo • AVALIE danos físicos e/ou


de fornecimento de óleo aos entupimento. LIMPE ou
mancais SUBSTITUA, conforme
necessário.

• Alojamento da turbina • AVALIE a instalação.


danificado ou com restrição SUBSTITUA juntas e
acoplamentos danificados.

• Mancais flutuantes com • AVALIE o sistema de


desgaste lubrificação. SUBSTITUA se
localizada a causa, os
mancais flutuantes. Para
mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
04.

• AVALIE folgas no eixo da


turbina. Se localizada a
causa, EFETUE a
substituição da peça
causadora e dos mancais.
Para mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
06.

• AVALIE contaminação por


carvão no lado quente da
turbina. Se localizada a
causa, EFETUE a
substituição da peça
causadora e dos mancais.
Para mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
06.

• Acúmulo de impurezas no • AVALIE a causa do acúmulo


alojamento do compressor de impurezas. CORRIJA e
EFETUE a limpeza.

• Depósito de carvão atrás do • AVALIE a bomba injetora


rotor da turbina com débito incorreto.
ENCAMINHE a bomba para
regulagem.
220-02-65 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-65

Condições Possíveis Causas Ações

Componentes rotativos não • AVALIE combustível. Se


giram livres (Continuação) inadequado, SUBSTITUA
combustível.

• AVALIE regulagem dos


injetores. CORRIJA se
necessário.

• Rotação do motor • ORIENTE o Operador e


aumentada de forma muito CORRIJA os efeitos.
rápida logo após a partida

• Tempo insuficiente de • ORIENTE o Operador e


marcha lenta, após partida CORRIJA os efeitos.
ou antes de desligar o motor

• Vazamento de óleo no tubo • AVALIE junções e


de fornecimento de óleo ao vedadores. SUBSTITUA o
Turbo conjunto, se necessário.

• Restrição no alojamento dos • AVALIE as causas e


mancais do Turbo CORRIJA.

• Restrição excessiva no filtro • SUBSTITUA o filtro.


de óleo

• Motor desligado de maneira • ORIENTE o Operador e


repentina, ao funcionar em CORRIJA os efeitos.
alta rotação

• Lubrificação insuficiente • MEÇA e COMPLETE se


necessário o nível de óleo
lubrificante. AVALIE a
pressão do sistema de
lubrificação. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-04.

Mancais flutuantes do rotor • Restrição entre filtro de ar e • VERIFIQUE e CORRIJA a


com desgaste Turbo instalação da linha de
ligação entre o
turbocompressor e o coletor
de admissão. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.
220-02-66 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-66

Condições Possíveis Causas Ações

Mancais flutuantes do rotor • Restrição no sistema de • VERIFIQUE e CORRIJA o


com desgaste (Continuação) escapamento sistema de escapamento e a
instalação da linha de
ligação entre o coletor de
escapamento e o
turbocompressor. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Restrição no sistema de • VERIFIQUE e CORRIJA o


escapamento sistema de escapamento e a
instalação da linha de
ligação entre o coletor de
escapamento e o
turbocompressor. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Atraso no suprimento de • AVALIE a pressão do


óleo ao Turbo após a partida sistema de lubrificação. Para
do motor mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
04.

• Lubrificação insuficiente • MEÇA e COMPLETE se


necessário o nível de óleo
lubrificante. AVALIE a
pressão do sistema de
lubrificação. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-04.

• Óleo sujo, de má qualidade • SUBSTITUA o óleo


ou período de troca vencido lubrificante. SUBSTITUA o
filtro de óleo. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-04.

• Suprimento incorreto de óleo • AVALIE nível e pressão de


óleo. AVALIE restrições nos
tubos. CORRIJA se
necessário. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-04.

• Restrição excessiva no tubo • AVALIE danos físicos e/ou


de fornecimento de óleo aos entupimento. LIMPE ou
mancais SUBSTITUA, conforme
necessário.

• Rotação do motor • ORIENTE o Operador e


aumentada de forma muito CORRIJA os efeitos.
rápida logo após a partida
220-02-67 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-67

Condições Possíveis Causas Ações

Mancais flutuantes do rotor • Tempo insuficiente de • ORIENTE o Operador e


com desgaste (Continuação) marcha lenta, após partida CORRIJA os efeitos.
ou antes de desligar o motor

• Vazamento de óleo no tubo • AVALIE junções e


de fornecimento de óleo ao vedadores. SUBSTITUA o
Turbo conjunto, se necessário.

• Restrição excessiva no filtro • SUBSTITUA o filtro.


de óleo

• Motor desligado de maneira • ORIENTE o Operador e


repentina, ao funcionar em CORRIJA os efeitos.
alta rotação

• Lubrificação insuficiente • MEÇA e COMPLETE se


necessário o nível de óleo
lubrificante. AVALIE a
pressão do sistema de
lubrificação. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-04.

Ruído anormal do turbo • Elemento do filtro de ar sujo • SUBSTITUA os elementos


filtrantes. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Respiro do cárter bloqueado • LIMPE. Para mais


informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Elemento do filtro de ar • VERIFIQUE e CORRIJA a


instalado de maneira instalação dos filtros e a
incorreta, não vedando linha de ligação entre o filtro
corretamente no fundo do e o turbocompressor. Para
alojamento. Conexão de ar mais informações,
frouxa entre filtro de ar e CONSULTE a Seção 220-
Turbocompressor 06.

• Distorção interna ou • VERIFIQUE e CORRIJA a


restrição na tubulação entre instalação da linha de
filtro de ar e ligação entre o filtro e o
Turbocompressor turbocompressor. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Restrição ou dano na • VERIFIQUE e CORRIJA a


tubulação entre Turbo e instalação da linha de
coletor de admissão ligação entre o
turbocompressor e o coletor
de admissão. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.
220-02-68 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-68

Condições Possíveis Causas Ações

Ruído anormal do turbo • Restrição entre filtro de ar e • VERIFIQUE e CORRIJA a


(Continuação) Turbo instalação da linha de
ligação entre o
turbocompressor e o coletor
de admissão. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Restrição no sistema de • VERIFIQUE e CORRIJA o


escapamento sistema de escapamento e a
instalação da linha de
ligação entre o coletor de
escapamento e o
turbocompressor. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Restrição no sistema de • VERIFIQUE e CORRIJA o


escapamento sistema de escapamento e a
instalação da linha de
ligação entre o coletor de
escapamento e o
turbocompressor. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Coletor de admissão • SUBSTITUA o coletor de


trincado, solto ou com admissão ou CORRIJA
distorção nos flanges de distorções. Para mais
fixação ao cabeçote informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Coletor de escape trincado, • SUBSTITUA o escapamento.


solto ou com distorção nos Para mais informações,
flanges de fixação ao CONSULTE a Seção 220-
cabeçote 06.

• Atraso no suprimento de • AVALIE a pressão do


óleo ao Turbo após a partida sistema de lubrificação. Para
do motor mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
04.

• Lubrificação insuficiente • MEÇA e COMPLETE se


necessário o nível de óleo
lubrificante. AVALIE a
pressão do sistema de
lubrificação. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-04.
220-02-69 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-69

Condições Possíveis Causas Ações

Ruído anormal do turbo • Óleo sujo, de má qualidade • SUBSTITUA o óleo


(Continuação) ou período de troca vencido lubrificante. SUBSTITUA o
filtro de óleo. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-04.

• Suprimento incorreto de óleo • AVALIE nível e pressão de


óleo. AVALIE restrições nos
tubos. CORRIJA se
necessário. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-04.

• Restrição excessiva no tubo • AVALIE danos físicos e/ou


de fornecimento de óleo aos entupimento. LIMPE ou
mancais SUBSTITUA, conforme
necessário.

• Alojamento da turbina • AVALIE a instalação.


danificado ou com restrição SUBSTITUA juntas e
acoplamentos danificados.

• Mancais flutuantes com • AVALIE o sistema de


desgaste lubrificação. SUBSTITUA se
localizada a causa, os
mancais flutuantes. Para
mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
04.

• AVALIE folgas no eixo da


turbina. Se localizada a
causa, EFETUE a
substituição da peça
causadora e dos mancais.
Para mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
06.

• AVALIE contaminação por


carvão no lado quente da
turbina. Se localizada a
causa, EFETUE a
substituição da peça
causadora e dos mancais.
Para mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
06.

• Acúmulo de impurezas no • AVALIE a causa do acúmulo


alojamento do compressor de impurezas. CORRIJA e
EFETUE a limpeza.
220-02-70 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-70

Condições Possíveis Causas Ações

Ruído anormal do turbo • Depósito de carvão atrás do • AVALIE a bomba injetora


(Continuação) rotor da turbina com débito incorreto.
ENCAMINHE a bomba para
regulagem.

• AVALIE o combustível. Se
inadequado, SUBSTITUA o
combustível.

• AVALIE a regulagem dos


injetores. CORRIJA se
necessário.

• Rotação do motor • ORIENTE o Operador e


aumentada de forma muito CORRIJA os efeitos.
rápida logo após a partida

• Tempo insuficiente de • ORIENTE o Operador e


marcha lenta, após partida CORRIJA os efeitos.
ou antes de desligar o motor

• Anéis quebrados, gastos ou • SUBSTITUA-OS. Para mais


presos informações, CONSULTE o
item “Motor – Desmontagem
e Montagem”, nesta seção.

• Restrição no alojamento dos • AVALIE as causas e


mancais do Turbo CORRIJA.

• Restrição excessiva no filtro • SUBSTITUA o filtro.


de óleo

• Em caso de filtro a banho de • LIMPE o sistema de


óleo: restrição excessiva, filtragem, SUBSTITUA o óleo
elemento sujo, viscosidade e AVALIE restrições nos
muito baixa ou muito alta de dutos.
óleo

• Motor desligado de maneira • ORIENTE o Operador e


repentina, ao funcionar em CORRIJA os efeitos.
alta rotação

• Lubrificação insuficiente • MEÇA e COMPLETE se


necessário o nível de óleo
lubrificante. AVALIE a
pressão do sistema de
lubrificação. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-04.
220-02-71 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-71

Condições Possíveis Causas Ações

Camada de carvão depositado • Respiro do cárter bloqueado • LIMPE. Para mais


no alojamento do mancal informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

• Lubrificação insuficiente • MEÇA e COMPLETE se


necessário o nível de óleo
lubrificante. AVALIE a
pressão do sistema de
lubrificação. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-04.

• Óleo sujo, de má qualidade • SUBSTITUA o óleo


ou período de troca vencido lubrificante. SUBSTITUA o
filtro de óleo. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-04.

• Suprimento incorreto de óleo • AVALIE nível e pressão de


óleo. AVALIE restrições nos
tubos. CORRIJA se
necessário. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-04.

• Restrição excessiva no tubo • AVALIE danos físicos e/ou


de retorno (dreno) de óleo entupimento. LIMPE ou
aos mancais SUBSTITUA, conforme
necessário.

• Alojamento da turbina • AVALIE a instalação.


danificado ou com restrição SUBSTITUA juntas e
acoplamentos danificados.

• Tempo insuficiente de • ORIENTE o Operador e


marcha lenta, após partida CORRIJA os efeitos.
ou antes de desligar o motor

• Vazamento de óleo no tubo • AVALIE junções e


de fornecimento de óleo ao vedadores. SUBSTITUA o
Turbo conjunto, se necessário.

• Restrição excessiva no filtro • SUBSTITUA o filtro.


de óleo

• Motor desligado de maneira • ORIENTE o Operador e


repentina, ao funcionar em CORRIJA os efeitos.
alta rotação

• Lubrificação insuficiente • MEÇA e COMPLETE se


necessário o nível de óleo
lubrificante. AVALIE a
pressão do sistema de
lubrificação. Para mais
informações, CONSULTE a
Seção 220-04.
220-02-72 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-72

Verificações dos Componentes

Nesta seção é descrito o procedimento de teste, ajuste e revisão dos componentes passíveis de
avaliação individual. Os valores de ajuste recomendados para cada motor são especificados nas
respectivas seções.

Bicos Injetores – Teste de Atomização e Pressão

ATENÇÃO: MANTENHA o corpo afastado dos jatos de óleo provenientes dos injetores. O
fluido pode penetrar na pele, entrar na corrente sanguínea, causar envenenamento e
possivelmente, a morte.

1. REMOVA o bico injetor. Para mais informações, CONSULTE o item “Porta-injetor de Combustível
– Remoção e Instalação”, na Seção 220-05.

2. INSTALE o bico injetor no equipamento de teste.


a) ABRA a válvula (2) do dispositivo de teste;
b) ACIONE a alavanca (3) do dispositivo na frequência
de uma bombeada por segundo;
c) EFETUE a leitura da pressão de abertura no instante
em que se inicia a pulverização, através do
manômetro (1).

3. O ajuste da pressão é feito pela variação de espessura


de calço(s) (4) sobre a mola atuadora (5): aumentando-
se a espessura do(s) calço(s), aumenta a pressão e vice-
versa.
NOTA: as figuras ao lado são apenas ilustrativas,
pois a construção dos bicos injetores, além da
variação de marcas, varia de acordo com o modelo e
aplicação do motor.
(6) Agulha
(7) Porta-injetor
(8) Alojamento, parte inferior
220-02-73 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-73

Bicos Injetores – Teste de Estanqueidade

ATENÇÃO: MANTENHA o corpo afastado dos jatos de óleo provenientes dos injetores. O
fluido pode penetrar na pele, entrar na corrente sangüínea, causar envenenamento e
possivelmente, a morte.

1. REMOVA o bico injetor. Para mais informações, CONSULTE o item “Porta-injetor de Combustível
– Remoção e Instalação”, na Seção 220-05.

2. NOTA: quando o motor apresentar falha no


funcionamento em função de um dos bicos
defeituosos, pode-se descobrir em qual deles está o
problema: DEIXE o motor em marcha lenta e SOLTE a
conexão de entrada de todos os injetores, um de
cada vez: no(s) bico(s) em que o motor não
apresentar uma diminuição da rotação, há
irregularidades.
INSTALE o bico injetor no equipamento de teste.
a) ABRA a válvula do dispositivo de teste.
b) APLIQUE uma pressão controlada de 20 bar abaixo
da pressão recomendada para abertura do bico
injetor.

c) Nenhuma gota de óleo deverá sair da ponta do bico


antes de 10 segundos.

Bicos Injetores – Teste de Atomização e Ruído

ATENÇÃO: MANTENHA o corpo afastado dos jatos de óleo provenientes dos injetores. O
fluido pode penetrar na pele, entrar na corrente sangüínea, causar envenenamento e
possivelmente, a morte.

1. REMOVA o bico injetor. Para mais informações, CONSULTE o item “Porta-injetor de Combustível
– Remoção e Instalação”, na Seção 220-05.

2. INSTALE o bico injetor no equipamento de teste.


220-02-74 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-74

3. VERIFIQUE se a atomização ocorre com as seguintes


características:
• A atomização deve ser bem fina, em forma de névoa.
• A atomização deve ocorrer de forma homogênea, ou
seja, deve ser obtido o mesmo resultado em todos os
furos: qualidade da nebulização e ângulo dos jatos.
4. OBSERVE o ruído característico que deve ocorrer
durante a atomização.
Este ruído, semelhante a um “ronco”, indica a liberdade
de movimento da agulha no interior do porta-injetor.

Teste de Compressão de Cilindros

Compressão é a pressão atingida no final do curso de


compressão dos pistões.
Em virtude de vários fatores que podem interferir no valor da
pressão obtida nos testes, não é usual especificar pressões
exatas: estado da bateria e sistema de partida, pressão
atmosférica, temperatura ambiente, tipo de manômetro
utilizado, podem causar variações de leitura para um dado
motor.
Para os motores DS 620, CONSIDERE o especificado no
item “Especificações Técnicas”, nesta seção.
Um teste de compressão pode revelar problemas de
vedação nos anéis dos pistões, nas válvulas ou na junta do
cabeçote ou cabeçote trincado, determinando a abertura do
motor.
A maior justificativa para o teste de compressão, é permitir a
análise comparativa entre cilindros: diferenças acentuadas
nas leituras acusam irregularidades de forma bem evidente.
Considera-se como limite aceitável na diferença de pressão
entre cilindros em torno de 350 kPa (50 lbf/ pol.²) ou 3,5
kgf/cm².

Procedimento de teste:
a) VERIFIQUE se o sistema de partida encontra-se em
perfeitas condições.
b) REMOVA o elemento primário do filtro de ar, para
diminuir ao máximo a restrição na admissão de ar.
c) CERTIFIQUE-SE de que todas as válvulas estão
reguladas: uma válvula enforcada, por exemplo, interfere
na leitura.
d) LIMPE a parte superior do motor e REMOVA todos os
bicos injetores, protegendo os orifícios de alojamento
contra entrada de sujeira.
220-02-75 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-75

e) INSTALE o manômetro (1) em um dos cilindros conforme ilustrado.


f) ACIONE o motor de partida e FAÇA a leitura indicada no manômetro (1). ANOTE o valor.
g) PROCEDA da mesma forma com os demais cilindros.

Avaliação do Desgaste e Ovalização das Camisas dos Cilindros

1. MEÇA o desgaste e a ovalização da camisa do cilindro.


a) AJUSTE o relógio comparador para zero com auxílio
de um micrômetro ou com uma camisa de cilindro
nova, indicando o diâmetro de uma camisa não
desgastada (108,0 mm).
b) LIMPE cuidadosamente a superfície interna da
camisa do cilindro antes de efetuar a medição.
c) FAÇA a medição transversal nas partes superior,
inferior e no meio da camisa.
d) VERIFIQUE a leitura no relógio comparador quanto
ao desgaste máximo e a ovalização (COMPARE com
os valores especificados).
Para mais informações, CONSULTE o item
“Especificações”, nesta seção.
220-02-76 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-76

REMOÇÃO E INSTALAÇÃO
Motor
Remoção

Separação do Motor e Eixo Dianteiro

A separação entre eixo dianteiro e motor geralmente precisa ser feita para manutenção em conjuntos
internos do motor ou na parte frontal do mesmo, como caixa de distribuição, por exemplo, ou para a
remoção total do próprio motor.

NOTA: todos os procedimentos envolvendo aberturas do trator, devem ser executados de


acordo com as devidas precauções de segurança.

CUIDADO: antes e durante a abertura, CERTIFIQUE-SE de que todas as conexões foram


devidamente desligadas entre a parte móvel (parte dianteira do trator) e a parte fixa (parte
traseira).

1. REMOVA as tampas laterais superiores do conjunto


motor.
• SOLTE o parafuso trava.
• DESACOPLE os pinos dos coxins de borracha.
• LEVANTE a tampa para remover.

2. REMOVA as tampas laterais inferiores do conjunto


motor.
• SOLTE os parafuso trava.
• DESACOPLE os pinos dos coxins de borracha na
parte traseira e EMPURRE a tampa para trás para
liberar os pinos localizadores na dianteira.

3. REMOVA a parte superior do duto de admissão de ar.


220-02-77 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-77

4. NOTA: PROTEJA a saída do abafador com um


tampão adequado para evitar contaminação com
resíduos, óleo ou poeira.
REMOVA o tubo de escapamento.

5. REMOVA a tampa superior do motor.


• DESACOPLE os pinos dos coxins de borracha na
parte dianteira e traseira da tampa superior do motor.

6. REMOVA os parafusos de fixação da tampa frontal do


trator (3 de cada lado – mostrado o lado direito).

7. NOTA: DESCONECTE o cabo negativo da bateria ou


DESLIGUE a chave geral.
DESCONECTE:
(1) o sensor de restrição do filtro de ar e;
(2) o chicote;
(3) DESCONECTE a mangueira do ejetor de poeira.
220-02-78 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-78

8. NOTA: PROTEJA a saída do Turbocompressor com


um tampão adequado para evitar contaminação com
resíduos, óleo ou poeira.
REMOVA o filtro de ar

9. NOTA: ACIONE o freio de estacionamento e/ou calce


as rodas traseiras com cunhas de madeira.
CALCE a viga do eixo dianteiro com cunhas de madeira
em ambos os lados, para assegurar o equilíbrio lateral do
conjunto frontal que será deslocado.

10. NOTA: PROTEJA os orifícios e as pontas das


mangueiras com tampões adequados para evitar
contaminação do fluido da direção.
DESCONECTE as mangueiras na caixa de direção.

11. REMOVA:
(1) as mangueiras superior e inferior do radiador.
(2) reservatório de expansão.
SOLTE o reservatório da respectiva base e DESLOQUE
o mesmo para frente, sobre o radiador.
12. Nos tratores com cabine, REMOVA o condensador do ar
condicionado e seus respectivos componentes. Para
mais informações, CONSULTE a Seção 882-03.
220-02-79 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-79

13. DESCONECTE as mangueiras do trocador de calor do


óleo da transmissão e hidráulicos.

14. REMOVA:
(1) a calha de proteção e;
(2) em seguida, a árvore de transmissão de força.

15. Para soltar a árvore, REMOVA o pino elástico duplo da


luva dianteira e DESLOQUE-A para trás.
16. VERIFIQUE a existência de outros itens de interligação
entre a parte dianteira e traseira do trator.
17. POSICIONE os carrinhos e o trilho para assegurar o
equilíbrio do eixo dianteiro.

18. NOTA: se o trator não estiver equipado com pesos


frontais, que permitam o apoio para o carrinho
UTILIZE uma talha para equilibrar o conjunto ou
POSICIONE o carrinho sob o suporte (bandejão)
atrás do eixo.
19. NOTA: nunca solte parafusos de junção antes de
calçar devidamente as carcaças.
SOLTE as porcas de junção entre motor e suporte frontal
em ambos os lados.

20. Com alavancas tipo espátula, SEPARE as partes,


observando sempre o perfeito equilíbrio do conjunto do
eixo dianteiro.
220-02-80 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-80

21. SUSTENTE o motor e a parte posterior do veículo com


os suportes adequados.

22. NOTA: com auxílio de uma talha, SUSTENTE o


conjunto do motor sem tentar levantar o conjunto.
MANTENHA o motor sustentado por uma talha antes de
remover os parafusos de fixação ao tanque de
combustível central.

23. NOTA: nunca solte os parafusos de fechamento


antes de calçar devidamente as carcaças.
REMOVA todos os parafusos de fixação da junção entre
motor e tanque de combustível central.

24. UTILIZE alavancas se necessário e DESLOQUE


cuidadosamente o motor para frente, observando sempre
o perfeito equilíbrio do conjunto dianteiro que está sendo
deslocado.
REMOVA o motor.
220-02-81 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-81

Instalação
1. DESLOQUE cuidadosamente o motor em direção ao
trator, observando o alinhamento com a superfície do
tanque central de combustível.
POSICIONE o motor junto ao tanque de combustível
observando o acoplamento dos pinos guia.

2. NOTA: APLIQUE cola de travamento LOCTITE 277


nos 2 ou 3 primeiros filetes de rosca dos parafusos.
INSTALE sem aplicar o torque, todos os parafusos e
porcas de junção entre motor e tanque de combustível
central.
3. Com todos os parafusos instalados, APLIQUE o torque
especificado aos parafusos. Para informações de torque,
CONSULTE a Seção 110-03.

4. APROXIME o eixo dianteiro do motor, observando


sempre o perfeito equilíbrio do conjunto do eixo dianteiro.

5. NOTA: se o trator não estiver equipado com pesos


frontais, que permitam o apoio para o carrinho
UTILIZE uma talha para equilibrar o conjunto ou
POSICIONE o carrinho sob o suporte (bandejão)
atrás do eixo.
INSTALE as porcas de junção entre motor e suporte
frontal em ambos os lados.
APLIQUE o torque especificado. Para informações de
torque, CONSULTE a Seção 110-03.

6. NOTA: para fixar a árvore, INSTALE um novo pino


elástico duplo na luva dianteira.
INSTALE:
(1) a árvore de transmissão de força e;
(2) em seguida, a calha de proteção.
220-02-82 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-82

7. CONECTE as mangueiras do trocador de calor do óleo


da transmissão e hidráulicos.

8. INSTALE:
(1) as mangueiras superior e inferior do radiador;
(2) reservatório de expansão.
9. Nos tratores com cabine, INSTALE o condensador do ar
condicionado e seus respectivos componentes. Para
mais informações, CONSULTE a Seção 882-03.

10. NOTA: após a montagem, SANGRE o sistema da


direção hidráulica. Para mais informações,
CONSULTE a Seção 665-01.
CONECTE as mangueiras na caixa de direção.

11. NOTA: ACIONE o freio de estacionamento e/ou


CALCE as rodas traseiras com cunhas de madeira.
REMOVA os calços de madeira da viga do eixo dianteiro
em ambos os lados.
220-02-83 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-83

12. INSTALE o filtro de ar. Para mais informações,


CONSULTE o item “Sistema de Escapamento”, na Seção
220-06.

13. INSTALE os seis parafusos (mostrado o lado direito) de


fixação da tampa frontal do veículo. Para informações de
torque, CONSULTE a Seção 110-03.
NOTA: antes de instalar as tampas dianteiras,
CERTIFIQUE-SE de que todas as conexões foram
devidamente ligadas entre a parte móvel (parte
dianteira do trator) e a parte fixa (parte traseira).
• VERIFIQUE se o chicote foi devidamente acoplado.
• INSTALE a bateria ou LIGUE a chave geral.
• VERIFIQUE se todos os fluidos foram repostos ou
completados (óleo do motor, água de arrefecimento,
etc.)
• FUNCIONE o trator e VERIFIQUE todos os
acoplamentos quanto a vazamento ou entrada
indevida de ar.

14. INSTALE a tampa superior do motor.


• ACOPLE os pinos dos coxins de borracha na parte
dianteira e traseira da tampa superior do motor.

15. INSTALE o tubo de escapamento. Para informações de


torque, CONSULTE a Seção 110-03.
220-02-84 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-84

16. INSTALE a parte superior do duto de admissão de ar.

17. INSTALE as tampas laterais inferiores do conjunto motor.


• ACOPLE os pinos dos coxins de borracha na parte
traseira e EMPURRE a tampa para frente para
encaixar os pinos localizadores na dianteira.
• INSTALE os parafuso trava.

18. INSTALE as tampas laterais superiores do conjunto


motor.
• APOIE a tampa na canaleta da tampa superior do
motor.
• ACOPLE os pinos dos coxins de borracha.
• INSTALE o parafuso trava.
220-02-85 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-85

REMOÇÃO E INSTALAÇÃO
Cabeçote
Ferramenta(s) Especial(ais)

9101 66000
Retífica do alojamento do bico injetor

9051 71300
Extrator do bico injetor

910166200
Alavanca para abaixar a mola da válvula

Remoção

Este processo é válido tanto para o motor instalado no trator como para o motor removido.
Com o motor instalado, INICIE o processo desligando a bateria ou a chave geral.

1. REMOVA as tampas laterais e a superior do conjunto


motor.
220-02-86 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-86

2. LIMPE o motor externamente e DRENE o líquido de


arrefecimento. Para mais informações, CONSULTE a
Seção 220-03.

3. DESCONECTE as mangueiras do cabeçote e do suporte


do termostato.

4. NOTA: PROTEJA a abertura de entrada ar filtrado no


turbocompressor, para evitar entrada de resíduos,
poeira ou qualquer objeto estranho.
REMOVA as mangueiras de sucção entre o
turboalimentador e o filtro de ar, e entre o
turboalimentador e o cano do coletor de admissão. Para
mais informações, CONSULTE a Seção 220-06.

5. NOTA: USE um recipiente adequado para colher o


óleo. EVITE provocar poças de óleo ou descartar óleo
de forma ou em local inadequado.
DESCONECTE os tubos de pressão e retorno de óleo do
turboalimentador. Para mais informações, CONSULTE a
Seção 220-06.

6. DESCONECTE os conectores elétricos do filtro de ar e


do sensor de temperatura no alojamento da válvula
termostática.
220-02-87 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-87

7. REMOVA o suporte do filtro de ar. Para mais


informações, CONSULTE a Seção 220-06.

8. ATENÇÃO: o manuseio de combustível deve ser


feito com cautela. Além de ser passível de incêndio, o
óleo Diesel penetra na pele através dos poros,
podendo causar lesões ou danos à saúde. USE os
equipamentos de proteção adequados para realizar
este tipo de manuseio.
NOTA: os dutos de saída da bomba injetora para os
injetores contêm combustível sob pressão.
9. NOTA: COLOQUE tampões nas conexões dos tubos
de combustível.
REMOVA os tubos de distribuição e injeção e os tubos de
retorno de combustível. Para mais informações,
CONSULTE a Seção 220-05.

10. NOTA: TAMPE todas as conexões abertas.


REMOVA os injetores do cabeçote do cilindro. Caso não
consiga extrair o injetor com a mão, USE a ferramenta
especial.

11. REMOVA o coletor de admissão, escape e a carcaça de


termostato (a ilustração mostra o coletor de admissão).
Para mais informações, CONSULTE a Seção 220-06.

12. REMOVA as tampas das válvulas e a mangueira de


respiro.
220-02-88 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-88

13. REMOVA o mecanismo do balancim e em seguida as


hastes de comando.

14. NOTA: SOLTE os parafusos de cada uma das


metades do cabeçote obedecendo à seqüência
indicada ao lado.
NOTA: DESCARTE as juntas e se necessário, os
parafusos do cabeçote.
Primeiro SOLTE todos os parafusos do cabeçote com 1/4
de volta e em seguida REMOVA-OS.
REMOVA o cabeçote.

15. Com auxílio da ferramenta especial, REMOVA as


válvulas.

16. Com auxílio da ferramenta especial, REMOVA os


resíduos de carvão acumulados no alojamento dos
injetores.
17. REMOVA os depósitos de carbono dos pontos de
exaustão, LIMPE as superfícies de vedação e LAVE o
cabeçote.

18. AVALIE cuidadosamente verificando se não existem


rachaduras ou outras falhas no cabeçote.
19. Com auxílio de uma régua de aço retificada e uma fonte
de luz, VERIFIQUE as superfícies de contato do cabeçote
quanto a empenamento. Qualquer defeito apresentado
deve ser corrigido. A altura do cabeçote, depois de
polida, não deve ser menor que 104,00 mm. A
profundidade do assento da válvula até a superfície do
cabeçote deve ser 0,60 mm para as válvulas de escape e
0,70 mm para as válvulas de admissão.
220-02-89 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-89

20. AVALIE também o estado dos alojamentos dos injetores, a folga das hastes das válvulas, estado
geral e linha de contato das sedes de válvulas e demais componentes montados no cabeçote.
Se constatar a necessidade, SUBSTITUA o cabeçote.

Instalação

1. NOTA: USE novas juntas e se necessário, novos


parafusos e prisioneiros do cabeçote.
AVALIE o comprimento dos parafusos e prisioneiros de
fixação do cabeçote ao bloco do motor. Se necessário,
USE novos parafusos.

2. Com auxílio da ferramenta especial, INSTALE as


válvulas.

3. NOTA: APLIQUE trava química (Loctite 567) na rosca


do prisioneiro antes da instalação.
INSTALE no bloco do motor, os prisioneiros de fixação do
cabeçote para servir como guia durante a montagem.

4. NOTA: USE uma nova junta na montagem do


cabeçote.
INSTALE o cabeçote aplicando o torque em 3 fases e
obedecendo sempre a sequência indicada na figura ao
lado.
• Fase 1: APLIQUE 80 N.m.
• Fase 2: GIRE o parafuso ou porca por 90°.
• Fase 3: GIRE o parafuso ou porca por mais 90°.
220-02-90 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-90

5. INSTALE as hastes de comando e em seguida o


mecanismo do balancim.
• REGULE a folga das válvulas.

6. INSTALE as tampas das válvulas e a mangueira de


respiro.

7. INSTALE os injetores. Para mais informações,


CONSULTE a Seção 220-05.

8. NOTA: USE NOVA junta.


POSICIONE o coletor de escapamento e a nova junta.
INSTALE as porcas de fixação do coletor de
escapamento. Para mais informações, CONSULTE a
Seção 220-06.
220-02-91 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-91

9. NOTA: USE uma nova junta do coletor de admissão


durante a instalação.
INSTALE os parafusos de fixação do coletor de admissão
ao cabeçote do motor. Para mais informações,
CONSULTE a Seção 220-06.

10. NOTA: USE NOVAS juntas.


INSTALE os tubos de entrada e saída de óleo lubrificante
no turbocompressor. Para mais informações, CONSULTE
a Seção 220-04. Para informações de torque,
CONSULTE a Seção 110-03.

11. CONECTE:
(1) os tubos de distribuição;
(2) os tubos de retorno e;
(3) as porcas de fixação dos injetores.
AJUSTE o suporte de fixação e APERTE as porcas com
15 N.m. Para mais informações, CONSULTE a Seção
220-05.

12. INSTALE o suporte do filtro de ar. Para mais


informações, CONSULTE a Seção 220-06.

13. CONECTE os conectores elétricos do filtro de ar e do


sensor de temperatura no alojamento da válvula
termostática.
220-02-92 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-92

14. INSTALE as mangueiras de sucção entre o


turboalimentador e o filtro de ar, e entre o
turboalimentador e o cano do coletor de admissão. Para
mais informações, CONSULTE a Seção 220-06.

15. CONECTE as mangueiras do cabeçote e do suporte do


termostato.

16. REINSTALE a mangueira inferior do radiador.

17. ABASTEÇA o sistema de arrefecimento com a solução


adequada. Para mais informações, CONSULTE a Seção
220-03.
18. EFETUE a sangria do sistema de alta pressão de
combustível. Para mais informações, CONSULTE a
Seção 220-05.
19. FUNCIONE o motor até a abertura do termostato ou, com
o equipamento adequado, PRESSURIZE o sistema e
OBSERVE se não ocorrem vazamentos. CORRIJA se
necessário.
220-02-93 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-93

20. INSTALE as tampas laterais e a superior do conjunto


motor.
220-02-94 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-94

REMOÇÃO E INSTALAÇÃO
Cárter
Remoção

NOTA: esta operação pode ser executada com o motor removido, obedecendo à mesma
sequência.

1. LIMPE os elementos e o motor nas proximidades, evitando contaminação do sistema de


lubrificação.

2. REMOVA o bujão e esgote o óleo do cárter. Para mais informações, CONSULTE a Seção 220-04.

3. NOTA: este passo só é necessário quando o motor


está instalado no trator.
CALCE o trator, principalmente na parte traseira, para
evitar acúmulo de tensão sobre o bloco do motor.

4. NOTA: este passo só é necessário quando o motor


está instalado no trator.
REMOVA a árvore de transmissão para o diferencial
dianteiro. Para mais informações, CONSULTE a Seção
440-01.

5. NOTA: este passo só é necessário quando o motor


está instalado no trator.
REMOVA os parafusos de fixação do cárter ao tanque de
combustível (três de cada lado).
220-02-95 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-95

6. NOTA: para o motor instalado no trator, REMOVA


também os dois parafusos destacados com o círculo.
REMOVA os parafusos dianteiros de fixação do cárter ao
suporte do eixo dianteiro.

7. REMOVA os demais parafusos de fixação do cárter ao


bloco do motor.

8. REMOVA o cárter.

Instalação

1. LIMPE cuidadosamente todos os resíduos de silicone deixados pela remoção da junta antiga.

2. NOTA: o silicone deverá ser aplicado sobre a


superfície de contato do bloco (entre a junta e o bloco
do motor).
APLIQUE um filete de silicone com aproximadamente 3
mm de espessura nas áreas assinaladas na figura ao
lado.
220-02-96 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-96

3. NOTA: USE como guia de montagem, dois parafusos


adequados com a cabeça removida.
INSTALE uma junta de cárter nova.
POSICIONE o cárter em seu alojamento de trabalho.

4. NOTA: não aperte os parafusos neste momento.


INSTALE os parafusos de fixação lateral do cárter ao
bloco do motor.

5. NOTA: não aperte os parafusos neste momento.


NOTA: para o motor no trator, INSTALE também os
dois parafusos destacados com o círculo.
INSTALE os parafusos dianteiros de fixação do cárter ao
suporte do eixo dianteiro.

6. NOTA: não aperte os parafusos neste momento.


NOTA: este passo só é necessário quando o motor
está instalado no trator.
INSTALE os parafusos de fixação do cárter ao tanque de
combustível (três de cada lado).

7. APLIQUE torque aos parafusos obedecendo à tabela


abaixo:
220-02-97 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-97

Parafusos Normais (7): 22 a 29 N.m

Parafusos Especiais (Estruturais):

Referência Rosca Especificação Torque

1 M8 12.9 30 N.m

2 M10 12.9 90 N.m

3 M14 10.9 200 N.m

4 M20 10.9 600 N.m

5 M16 10.9 300 N.m

6 M20 10.9 600 N.m

6 M22 10.9 700 N.m

8. NOTA: este passo só é necessário quando o motor


está instalado no trator.
INSTALE a árvore de transmissão para o diferencial
dianteiro. Para mais informações, CONSULTE a Seção
440-01.

9. NOTA: este passo só é necessário quando o motor


está instalado no trator.
REMOVA os calços usados sob o trator para segurança
durante a remoção do cárter.

10. ABASTEÇA o cárter com o óleo lubrificante especificado.


Para mais informações, CONSULTE a Seção 220-04.
• Após a instalação, FUNCIONE o motor e VERIFIQUE
se ocorrem vazamentos de lubrificante.
220-02-98 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-98

REMOÇÃO E INSTALAÇÃO
Cabo do Acelerador
Remoção

1. REMOVA a mola (1), o pino de trava de fixação do garfo


(2) do cabo no suporte de aceleração da bomba injetora.
SOLTE as porcas (setas) de fixação do conduíte do cabo
do acelerador no suporte.

2. REMOVA o pino de trava do garfo (1) fixado no suporte


do pedal do acelerador, a mola (2).
SOLTE a porca de fixação (3) do cabo e o suporte de
fixação da mola (4).
REMOVA a coifa e o cabo do acelerador.

Instalação

1. INTRODUZA o cabo do acelerador no furo da parede do


painel com a coifa e a porca externa de fixação. No lado
interno INSTALE o suporte da mola (4), a arruela lisa e a
porca de fixação (3).
ENCAIXE a coifa interna, POSICIONE o garfo (1) no
pedal do acelerador, INSTALE a trava de fixação do
garfo, e a mola (2).

2. POSICIONE o garfo (2) do cabo no suporte de


aceleração da bomba injetora, INSTALE a mola (1).
INSTALE o conduíte no suporte de fixação e APERTE as
porcas (setas) regulando a rotação mínima do motor de
700 a 800 TPM.
220-02-99 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-99

REMOÇÃO E INSTALAÇÃO
Pedal do Acelerador
Remoção

1. REMOVA o pino elástico (setas) de fixação da haste do


pedal do acelerador no suporte, utilizando martelo e saca
pino.

Instalação

1. ENCAIXE a haste do pedal do acelerador no suporte e INSTALE o pino elástico (seta) utilizando
um martelo.
220-02-100 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-100

REMOÇÃO E INSTALAÇÃO
Alavanca de Aceleração Manual
Remoção

1. REMOVA a moldura do painel de instrumentos. Para maiores informações, CONSULTE o item


“Moldura do Painel de Instrumentos – Remoção e Instalação”, na Seção 883-01.

2. RETIRE a lente e SOLTE a porca de fixação da


manopla (1) e REMOVA-A. REMOVA a coifa (2) da
alavanca, desencaixando-a da lateral esquerda do
painel.
3 SOLTE os parafusos de fixação (setas) da lateral
esquerda do painel e REMOVA-A.

4. SOLTE a porca de fixação do terminal (1) da haste


superior de ligação na alavanca de aceleração.
5. SOLTE a contra-porca (2) a porca (3) de fixação da
alavanca no suporte da estrutura. REMOVA a mola (4)
arruela de trava (5). REMOVA a alavanca.
220-02-101 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-101

Instalação

1. INSTALE a alavanca no suporte da estrutura com uma


arruela de cada lado, POSICIONE a arruela de trava (5)
a mola (4). INSTALE a porca (3) a contra-porca (2) e
APERTE-AS.
2. INSTALE o terminal (1) da haste superior de ligação na
alavanca de aceleração, a porca de fixação e APERTE-
A.

3. POSICIONE a lateral esquerda do painel e INSTALE os


parafusos de fixação (setas).
4. ENCAIXE a coifa (2) da alavanca na lateral. INSTALE a
manopla (1) e a porca de fixação na alavanca e
ENCAIXE a lente.
220-02-102 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-102

DESMONTAGEM E MONTAGEM
Motor
Ferramenta(s) Especial(ais)

Extrator para a camisa do cilindro


9051 73100

Escareador de correção para instalar as camisas


9101 65600

Bucha para centralizar a carcaça do volante


9052 46400

Ferramenta para instalar o retentor traseiro do virabrequim


9052 46300

Ferramenta para instalar o retentor dianteiro do virabrequim


9030 15200

Dispositivo para colocar a tampa de 40 mm


9052 46620

Dispositivo para colocar a tampa de 16 mm


9052 46650
220-02-103 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-103

Ferramenta(s) Especial(ais)

Dispositivo para colocar a tampa da árvore de comando de válvulas


9025 87400

Grampo para segurar a camisa do cilindro


9101 66300

Relógio calibrador para medição da altura da camisa do cilindro


9025 79200

Dispositivo para colocar a tampa de 36 mm


9052 46660

Chave castelo para retirar porca do virabrequim/motor


9024 55800

Chave castelo para porca do virabrequim


9101 65700

Extrator de engrenagens do virabrequim


9052 48800
220-02-104 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-104

Ferramenta(s) Especial(ais)

Camisa cônica para montagem do pistão


9020 01100

Alicate para anéis de pistão


9052 46900

Dispositivo para colocação da tampa protetora de pó


9025 98900

Dispositivo para colocação do pino elástico na caixa das engrenagens


9025 98800

Dispositivo para colocação do pino elástico na caixa das engrenagens/volante


9025 98700

Desmontagem

1. REMOVA o motor no trator. Para mais informações,


CONSULTE o item “Motor – Remoção e Instalação”,
nesta seção.
220-02-105 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-105

2. REMOVA o volante do motor. Para mais informações,


CONSULTE a Seção 665-01.

3. REMOVA o carter. Para mais informações, CONSULTE


o item “Cárter – Remoção e Instalação”, nesta seção.

4. REMOVA o sistema de alimentação de combustível no


motor (dutos de alimentação e retorno, filtros, bomba de
baixa e de alta pressão). Para mais informações,
CONSULTE a Seção 220-05.

5. REMOVA o cabeçote. Para mais informações,


CONSULTE o item “Cabeçote – Remoção e Instalação”,
nesta seção.
6. REMOVA as varetas e os tuchos. MANTENHA os
conjuntos identificados para que se reusados, sejam
montados na mesma posição original.

7. REMOVA o trocador de calor e o filtro de óleo. Para mais


informações, CONSULTE a Seção 220-04.
220-02-106 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-106

8. REMOVA os componentes da válvula de alívio


(reguladora de pressão de óleo). Para mais informações,
CONSULTE a Seção 220-04.

9. REMOVA o tubo de ligação da galeria de líquido de


arrefecimento com o trocador de calor do filtro de óleo e
o bujão de vedação da galeria do bloco.

10. NOTA: DESCARTE as juntas.


REMOVA os parafusos de fixação da bomba de óleo ao
bloco do motor e REMOVA a bomba de óleo. Para mais
informações, CONSULTE a Seção 220-04.

Remoção das Buchas do Eixo de Comando de Válvulas

11. REMOVA a bucha do mancal com um extrator interno


adequado. A bucha também pode ser removida através
de leves batidas com um punção, após ter sido retirado o
bujão de capa na parte traseira do eixo de comando.
• LIMPE cuidadosamente o alojamento do mancal no
bloco de cilindros.
220-02-107 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-107

Remoção do Amortecedor de Vibrações

12. Com auxílio de um multiplicador de torque e da


ferramenta especial, REMOVA a porca de fixação do
cubo dianteiro do virabrequim.

Remoção dos Pistões do Bloco do Motor

13. RASPE a fuligem da borda superior da camisa do cilindro. Se necessário, USE um escareador
para remover os cantos vivos causado pelo desgaste dos anéis do pistão na altura do ponto
morto superior.

14. NOTA: se as bielas não forem descartadas,


OBSERVE que a posição e ordem de desmontagem
deverão ser obedecidas durante a montagem.
NOTA: DESCARTE os parafusos de fixação das
capas das bielas.
REMOVA os parafusos de fixação das capas dos
mancais das bielas.

15. PRESSIONE a biela e o pistão para fora do cilindro usando o cabo de madeira de um martelo ou
equivalente.

16. NOTA: se o pino não sair com a pressão manual,


AQUEÇA o pistão uniformemente a 100 °C antes de
removê-lo.
REMOVA os anéis de segurança do pino do pistão,
EMPURRE para fora o pino do pistão manualmente,
usando um punção apropriado.
220-02-108 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-108

17. VERIFIQUE visualmente as condições do pistão e do


pino do pistão. PRESTE atenção especial às possíveis
trincas na cabeça do pistão e no furo do pino. MEÇA o
diâmetro do pistão no ponto indicado na figura.
COMPARE o resultado com os valores tabelados e
SUBSTITUA o pistão por um novo, se necessário.

Remoção das Camisas dos Cilindros

18. NOTA: se as camisas dos cilindros forem


reutilizadas, MARQUE-AS de maneira que depois
possam ser colocadas na suas posições originais no
bloco de cilindros.
Com auxílio da ferramenta especial, REMOVA as
camisas dos cilindros.

Remoção da Bomba D’água

19. REMOVA a bomba d’água e a junta. Para mais


informações, CONSULTE a Seção 220-03.
220-02-109 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-109

20. REMOVA o bocal de abastecimento do cárter.

Remoção das Engrenagens de Sincronismo

21. REMOVA o radiador de arrefecimento (para instalação com o motor instalado), alternador e a
correia do ventilador (caso não removidos anteriormente). Se o motor estiver equipado com
compressor de ar ou ar condicionado, estes também necessitam ser removidos.

22. REMOVA os parafusos de fixação da capa do


revestimento da engrenagem de distribuição.
• REMOVA a tampa das engrenagens de sincronismo.

23. REMOVA a unidade do mecanismo de acionamento da


bomba hidráulica (se instalada).

24. REMOVA a engrenagem de acionamento da bomba de


combustível. Para mais informações, CONSULTE a
Seção 220-05.
220-02-110 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-110

25. REMOVA:
(1) os parafusos de fixação do cubo da engrenagem
intermediária de sincronismo.
(2) e o anel defletor.

26. NOTA: CERTIFIQUE-SE de que os tuchos foram


removidos.
REMOVA:
(1) o eixo de comando das válvulas e;
(2) o cubo da engrenagem intermediária.

Remoção das Engrenagens Dianteiras do Virabrequim e da Caixa das Engrenagens de


Sincronismo

27. REMOVA os parafusos de fixação da caixa das


engrenagens de sincronismo.

28. NOTA: caso não seja necessária a remoção para


serviço, MANTENHA a bomba de combustível
instalada.
REMOVA a caixa das engrenagens de sincronismo.
220-02-111 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-111

29. REMOVA a bomba de combustível da caixa das


engrenagens de sincronismo (se necessário – VEJA nota
na operação anterior).

30. Como auxílio da ferramenta especial, REMOVA as duas


engrenagens frontais do virabrequim.

Remoção da Capa do Volante

31. REMOVA os parafusos de fixação da capa do volante.

32. REMOVA a capa do volante.


220-02-112 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-112

Remoção do Vedador Traseiro

33. CUIDADO: durante a remoção, não danifique o


alojamento do vedador, para evitar vazamentos.
NOTA: com o motor instalado, REMOVA o retentor e
o anel de vedação com cuidado para não danificar a
superfície de trabalho do retentor no virabrequim.
Com um punção adequado, REMOVA o retentor traseiro
juntamente com o anel de vedação.

Remoção do Virabrequim

34. REMOVA os parafusos de cada uma das capas dos


mancais. SOLTE os mancais das extremidades para o
centro do bloco do motor.

35. REMOVA as capas dos mancais.


• REMOVA o virabrequim.

36. REMOVA os injetores de arrefecimento dos pistões.


220-02-113 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-113

37. REMOVA todos os selos e plugues de vedação das galerias de óleo e de líquido de arrefecimento
para limpeza das mesmas.
38. REMOVA o tubo guia da vareta medidora do nível de óleo.

Montagem

Avaliação do Bloco de Cilindros

Antes de iniciar a montagem, AVALIE a necessidade de se retificar a superfície superior do bloco de


cilindros.
• LIMPE o bloco de cilindros, inclusive os canais de óleo.
• VERIFIQUE os canais de arrefecimento, e REMOVA toda a crosta para garantir a arrefecimento
do motor.
• VERIFIQUE o aperto de todos os tampões do bloco do cilindro, como também todas as
superfícies de vedação.
• MEÇA o desgaste dos mancais do eixo de comando de válvulas comparando os valores
especificados (COMPARE com as taxas).

Instalação de Selos, Tubo da Vareta Medidora de Óleo e dos Injetores de


Arrefecimento dos Pistões

1. LIMPE cuidadosamente todas as peças, principalmente as que forem ser reutilizadas.

2. NOTA: OBSERVE a altura correta do tubo. Instalação


com altura incorreta irá provocar leituras erradas no
nível de lubrificante.
INSTALE o tubo suporte da vareta medidora do nível de
óleo lubrificante no cárter.
a. APLIQUE na extremidade inferior do tubo, trava
química (LOCTITE 601).
b. INSTALE o tubo até a posição indicada na ilustração
ao lado.

3. NOTA: UNTE os selos com composto vedador


(LOCTITE 638).
Com o auxílio das ferramentas especiais adequadas ao
diâmetro das peças, INSTALE os selos de vedação das
galerias do bloco do motor.
220-02-114 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-114

Diâmetro do selo Número da ferramenta

40 mm 905246620

16 mm 905246650

36 mm 905246660

4. NOTA: se for instalada uma peça removida do


próprio motor, UNTE a rosca do parafuso de fixação
com trava química (LOCTITE 242) antes da
instalação.
NOTA: OBSERVE a posição de instalação.
INSTALE os injetores de arrefecimento dos pistões. Para
informações de torque, CONSULTE a Seção 110-03.

Instalação e Verificação de Folgas do Virabrequim

NOTA: para a remoção, CONSULTE o item “Remoção do Virabrequim”, nesta seção.

5. NOTA: LIMPE os canais de óleo, os alojamentos dos


mancais e a localização. VERIFIQUE se o virabrequim
está bem limpo.
NOTA: OBSERVE a posição correta do furo de
lubrificação (1) e do ressalto de posicionamento (2)
do casquilho.
INSTALE os casquilhos do virabrequim.

6. MONTE o mancal com furos de óleo/ranhura (A) no bloco


de cilindros e o mancal sem furo (B) em direção a sua
extremidade. ASSEGURE que a capa do casquilho seja
montada como se fosse garras de encaixe e na direção
dos entalhes de tal maneira que a casca se ajuste no
bloco de cilindros e que os furos coincidam com a
entrada do óleo.
220-02-115 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-115

7. POSICIONE o virabrequim em sua posição de trabalho.

8. NOTA: nesta fase, não lubrifique os casquilhos.


COLOQUE sobre o colo de um dos mancais e além
deste, também no mancal de escora (último). Um
pequeno pedaço de fio plástico deformável
(PLATIGAGE).

9. APERTE os parafusos de cada uma das capas dos


mancais. APERTE os mancais do centro para as
extremidades do bloco do motor.
REMOVA as capas dos mancais.

10. NOTA: os casquilhos dos mancais e as laterais dos


mancais de apoio nunca devem ser alargados ou
desgastados. O ajuste deve ser feito por substituição
da peça.
COMPARE a largura do fio plástico deformado com a
escala existente no envelope que embala o fio plástico. A
folga deve estar dentro do valor especificado.

11. LUBRIFIQUE o mancal superficialmente e AJUSTE o


eixo de manivela. EMPURRE o mancal com o
revestimento de entalhe lubrificando.
220-02-116 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-116

12. COLOQUE as principais capas dos mancais de acordo


com sua numeração, os mancais axiais traseiros são
fornecidos com uma trava de guia.
INSTALE as capas dos mancais, observando a
numeração gravada na sua parte superior. O mancal de
apoio é o último, montado na parte traseira do bloco.
ENCOSTE todos os parafusos manualmente.

13. APERTE os parafusos de cada uma das capas dos


mancais. APERTE os mancais do centro para as
extremidades do bloco do motor.
VERIFIQUE se o virabrequim gira livremente.

14. NOTA: os casquilhos dos mancais e as laterais dos


mancais de apoio nunca devem ser alargados ou
desgastados. O ajuste deve ser feito por substituição
da peça.
Com o auxílio de um relógio comparador, AVALIE a folga
longitudinal (axial) do virabrequim:
• INSTALE o relógio comparador como mostrado na
ilustração ao lado.
• GIRE o mostrador até que o ponteiro indique “zero”.
• Com o auxílio de uma alavanca, EMPURRE o
virabrequim para cima e REGISTRE a leitura do
relógio comparador.
A leitura deve estar entre 0,10 a 0,35 mm. Leituras
maiores ou menores do que o valor especificado indica a
necessidade de substituir o mancal de escora.

Instalação da Capa do Volante


NOTA: para a remoção, CONSULTE o item “Remoção da Capa do Volante”, nesta seção.

15. LIMPE a superfície de contato do bloco do cilindro e a


carcaça do volante.
APLIQUE vedante de silicone nos pontos ilustrados na
figura ao lado.
220-02-117 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-117

16. NOTA: a carcaça do volante está posicionada no


bloco de cilindros com dois pinos guia. As carcaças
são fornecidas como peças de reposição e também
possuem furos para os pinos guia.
Com auxílio da ferramenta especial (para auxiliar a
centralização da carcaça), POSICIONE a carcaça do
volante em sua posição de trabalho.

17. INSTALE os parafusos de fixação da carcaça do volante.

Parafusos de Fixação da Carcaça do Volante

Posição Especificação Torque (N.m)

Anel externo M 12, 8.8 10

Anel externo M 12, 12.9 50

Anel interno M 10, 8.8 60

Anel interno M 10, 12.9 80

18. NOTA: estes dois pinos elásticos servirão de “pinos


de centralização” em futuros serviços em que a
carcaça do volante seja removida mas não
substituída.
Com auxílio da ferramenta especial, INSTALE os dois pinos
elásticos.
220-02-118 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-118

Instalação do Vedador Traseiro do Virabrequim


NOTA: para a remoção, CONSULTE o item “Remoção do Vedador Traseiro do Virabrequim”,
nesta seção.

19. NOTA: se o virabrequim apresentar desgaste


significativo no local de instalação do vedador, este
deverá ser instalado juntamente com um anel
distanciador. Este anel tem a espessura de 2 mm e
deve ser instalado antes do vedador. O anel
espaçador tem o número de peça 836020054.
AVALIE o estado do colo de assentamento do lábio de
vedação do retentor traseiro do virabrequim.

20. NOTA: LIMPE a área do retentor na carcaça do


volante e USE uma lixa para remover possíveis
arestas na ponta traseira do virabrequim. Não
lubrifique o eixo.
AJUSTE o retentor como segue:
• Não remova a capa de com a mão.
• COLOQUE o retentor contra o eixo de manivela na
parte traseira, de forma que, o retentor fique na parte
chanfrada do eixo.
• EMPURRE o anel de vedação por cima da capa do
eixo e mais adiante contra o alojamento do volante.
– O: Luva.
– T: Anel.

21. Com auxílio da ferramenta especial, INSTALE o retentor


e o anel de vedação.

Reparos e Instalação do Volante do Motor

NOTA: antes de instalar o volante, é importante avaliar o estado geral tanto do volante como
da cremalheira. Estas duas peças são fornecidas individualmente.
220-02-119 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-119

22. AVALIE a superfície de contato (1) com o disco da


transmissão: desgaste, sulcos, riscos, trincas ou micro-
trincas (fadiga) e sinais de superaquecimento (coloração
azulada), determinam a necessidade de tornear a
superfície ou, dependendo das medidas encontradas,
substituir o volante.

Remoção e Instalação da Cremalheira

23. AVALIE os dentes da cremalheira: desgaste ou quebra


nos dentes, em especial na região de engrenamento com
o pinhão do motor de partida, determinam a substituição
da cremalheira.
24. USE uma escova de aço para limpar o conjunto do
volante, incluindo os pontos de assentamento com o
virabrequim e com o flange. Em caso de reutilização,
LIMPE também a cremalheira.

25. NOTA: a remoção da cremalheira é destrutiva.


USANDO uma broca adequada, FAÇA um furo na
cremalheira. Em seguida, com uma talhadeira, CORTE e
REMOVA a cremalheira.

26. Para a instalação, AQUEÇA a cremalheira nova até


aproximadamente 150 a 200 °C em um forno.
INSTALE a cremalheira no volante com cuidado,
observando que o lado chanfrado fique voltado para o
motor.
DEIXE esfrias lentamente, sem utilizar líquidos
refrigerantes ou água.
220-02-120 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-120

Instalação das Engrenagens Dianteiras do Virabrequim e da Caixa das Engrenagens


de Sincronismo

27. NOTA: para a remoção, CONSULTE o item “Remoção das Engrenagens Dianteiras do
Virabrequim”, nesta seção.

28. CUIDADO: nunca use maçarico ou bico de solda


para aquecer as engrenagens. Este procedimento
provoca deformações e alterações na estrutura da
peça.
NOTA: para a instalação AQUEÇA as engrenagens de
acionamento da bomba de óleo e engrenagem de
sincronismo até aproximadamente 200 °C em um
forno.
INSTALE a chaveta e POSICIONE a engrenagem em
sua local de trabalho. Com auxílio de um tubo adequado,
DESLOQUE a engrenagem de acionamento da bomba
de óleo até a posição final de trabalho.

29. NOTA: OBSERVE se a marca de sincronismo está


perfeitamente visível no lado externo da engrenagem.
POSICIONE a engrenagem de sincronismo. DESLOQUE
a engrenagem de sincronismo até a posição final de
trabalho.

30. NOTA: USE 5 parafusos com a cabeça removida


como guia para a instalação da junta e da caixa de
engrenagens.
INSTALE uma nova junta de vedação da caixa das
engrenagens dianteiras sobre a superfície do bloco do
motor.

31. INSTALE os prisioneiros de fixação.


220-02-121 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-121

32. INSTALE a bomba injetora de combustível. Para


informações de torque, CONSULTE a Seção 110-03.

33. INSTALE a caixa das engrenagens em seu local de


trabalho.

34. NOTA: estes pinos servirão de guia nas futuras


montagens da caixa das engrenagens de
sincronismo deste motor.
Com o auxílio da ferramenta especial, INSIRA os pinos
elásticos no bloco do motor.
• REMOVA os parafusos usados como guias.

35. NOTA: todos os parafusos devem ser instalados com


trava química (LOCTITE 567).
INSTALE os parafusos de fixação da caixa das
engrenagens de sincronismo.

Instalação das Buchas do Eixo de Comando de Válvulas

NOTA: para a remoção, CONSULTE o item “Remoção das Buchas do Eixo de Comando de
Válvulas”, nesta seção.
220-02-122 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-122

Para Tratores Anteriores ao de Número de Série L83998

36. NOTA: LIMPE cuidadosamente o alojamento do


mancal no bloco de cilindros.
INSTALE nova bucha do mancal no seu devido lugar.
PRESSIONE de forma uniforme e ASSEGURE-SE da
posição correta do furo do óleo.
Não é necessário alterar a dimensão nominal da bucha
quando for montada, e não deve ser usinada.

Para Tratores a Partir do Número de Série L83998

37. Nos motores a partir do número de série L83998, todos os pontos de apoio do eixo de comando
de válvula vem com uma bucha montada.
Ao desmontar ou montar as buchas, OBSERVE a diferença dos diâmetros externo entre elas.

38. A bucha frontal do eixo de comando de válvula vem com


uma ranhura do óleo no diâmetro externo da bucha. Nos
motores anteriores a ranhura estava no eixo de
comando. Caso seja necessário substituir esta bucha,
sempre SUBSTITUA por outra compatível com esta
alteração.
Durante a instalação VERIFIQUE se os furos de
passagem do óleo estão com ângulo de 30° em relação
ao plano horizontal (VIDE ilustração).

39. NOTA: as buchas são fornecidas com diâmetro


corretos, portanto, não há necessidade em alargar o
furo.
220-02-123 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-123

Ordem No da peça Diâmetro externo*

1 836322610 55,62 a 55,65

2 836852460 55,42 a 55,45

3 836852459 55,22 a 55,25

4 836852460 55,42 a 55,45

5 836852461 55,64 a 55,67

* Medida do orifício onde a bucha vai ser instalada.

INSTALE as buchas nos mancais da árvore de comando das válvulas, obedecendo à posição
indicada na figura acima.

Buchas de Reparo dos Mancais do Eixo de Comando de Válvulas

40. NOTA: são disponíveis para o bloco de cilindros


buchas com 0,4 mm de sob medida.
Se necessário, INSTALE buchas de sob medida.
Na figura são indicados os números de ordem e os
diâmetros dos furos para instalação das buchas.
OBSERVE a posição dos furos de passagem de óleo nas
buchas. Não há necessidade de usinagem após a
montagem.
Para as buchas do mancal de reparo do eixo de
comando de válvulas a numeração está posicionada na
extremidade frontal do motor.

Ordem No da peça Diâmetro externo*

1 8363 24661 56,02 a 56,05

2 8368 52466 55,62 a 55,65

3 8368 52460 55,42 a 55,45

4 8368 52466 55,62 a 55,65

5 8368 52467 55,84 a 55,87


220-02-124 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-124

Instalação do Tampão Traseiro do Alojamento do Eixo de Comando de Válvulas

41. NOTA: não coloque o tampão muito profundamente,


isto afetará a folga axial do eixo de comando de
válvulas.
Com auxílio da ferramenta especial, INSTALE o tampão
traseiro do alojamento da árvore de comando de
válvulas.

Instalação do Tampão da Traseira de Árvore de Comando de Válvulas (Buchas


Sobremedida)

42. Após a retífica dos mancais da árvore de comando o


tampão traseiro da árvore de comando de válvulas é
substituído pelo tampão 8363 24391 (1) e anel de
vedação 6146 05125 (2). UTILIZE a placa 8361 24210
(3) nos motores em que a carcaça do volante não
retenha o tampão.

Instalação Eixo de Comando de Válvulas

43. LIMPE todas as peças que serão reinstaladas.


220-02-125 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-125

44. INSTALE a chaveta na sua ranhura.

45. CUIDADO: nunca use maçarico ou bico de solda


para aquecer as engrenagens. Este procedimento
provoca deformações e alterações na estrutura da
peça.
NOTA: AQUEÇA em um forno a engrenagem do
virabrequim a uma temperatura entre 180° e 200°C.
INSTALE a engrenagem no eixo de comando de
válvulas.

46. INSTALE o cubo da engrenagem de sincronismo


intermediária.

47. NOTA: nos casos em que somente o eixo de


comando foi removido do motor e a engrenagens de
sincronismo permaneceram montadas, CERTIFIQUE-
SE de que as marcas de alinhamento das
engrenagens coincidam.
LUBRIFIQUE a superfície do mancal e INSIRA o eixo no
bloco de cilindros.
220-02-126 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-126

Instalação das Engrenagens de Sincronismo


48. NOTA: OBSERVE as marcas de sincronismo nas
engrenagens.
A engrenagem do virabrequim possui marca em um
dente, que deve coincidir com os dois dentes marcados
na engrenagem intermediária. A engrenagem da árvore
de comando de válvulas possui uma marca no rebaixo
entre dois dentes, que deve coincidir com um dente
marcado na engrenagem intermediária.
O sincronismo da bomba injetora é feito durante a
instalação da bomba injetora. Para mais informações,
CONSULTE a Seção 220-05.

49. NOTA: OBSERVE as marcas de sincronismo nas


engrenagens.
NOTA: a engrenagem intermediária é passível de
recondicionamento. Para mais informações,
CONSULTE o item “Recondicionamento da
Engrenagem Intermediária”, nesta seção.
INSTALE a engrenagem intermediária de sincronismo.
As marcas de sincronismo deverão estar coincidindo.

50. INSTALE:
(1) os parafusos de fixação do cubo da engrenagem
intermediária de sincronismo;
(2) e o anel defletor.

51. NOTA: OBSERVE as marcas de sincronismo nas


engrenagens.
INSTALE a engrenagem de acionamento da bomba de
combustível. Para informações sobre a “calagem” da
bomba de combustível, CONSULTE a Seção 220-05.
220-02-127 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-127

52. Com o auxílio de um calibre de lâminas, AVALIE a folga


entre dentes das engrenagens.

Instalação da Engrenagem de Acionamento da Bomba Hidráulica (Engrenagem de


Tomada de Força – TOP)

53. NOTA: esta engrenagem não tem marcas de


sincronismo.
INSTALE a engrenagem de acionamento da unidade de
força (bomba hidráulica) no lado direito superior do motor
(engrenagem TPO).

54. Após a instalação da tampa da caixa das engrenagens


de sincronismo, AJUSTE os rolamentos da engrenagem
TPO.
• APLIQUE em sua face exterior LOCTITE 601 e
MONTE o eixo de forma que possa alojar a superfície
traseira da engrenagem no mesmo nível.
• AJUSTE o rolamento e a engrenagem de forma que o
entalhe fique alinhado com o anel externo. LEMBRE-
SE também dos anéis de trava. AJUSTE o anel até
encostar e APERTE os parafusos.

55. USE 4 parafusos com a cabeça removida como guia para


a instalação da junta e da tampa da caixa de
engrenagens.
INSTALE a junta e a tampa da caixa das engrenagens de
sincronismo.
220-02-128 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-128

56. INSTALE os pinos elásticos e REMOVA os parafusos


guia.

57. NOTA: CERTIFIQUE-SE de que o indicador de


referência para a marca da polia está instalado.
APERTE os parafusos de fixação da tampa da caixa das
engrenagens de sincronismo. Para informações de
torque, CONSULTE a Seção 110-03.

Recondicionamento da Engrenagem Intermediária

58. INSTALE uma nova a bucha na engrenagem


intermediária e AJUSTE o diâmetro interno na para o
valor correto.
Como este ajuste deve ser feito em um torno, OBSERVE
na ilustração ao lado, a forma de se prender a
engrenagem no mandril sem danificar os dentes da
mesma.
(1) Placa (mandril) de torno.
(2) Roletes: diâmetro 5 mm.
220-02-129 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-129

59. CERTIFIQUE-SE que ao instalar a nova bucha, esta


deverá estar afastada do final (parte traseira) da
engrenagem entre 0,1 e 0,25 mm.
• OBSERVE que existem diferentes larguras de
engrenagens intermediárias. VERIFIQUE a largura da
engrenagem do motor em serviço e AJUSTE o
diâmetro interno da bucha conforme as medidas da
ilustração ao lado.
• Após a instalação da engrenagem recondicionada,
MEÇA a folga entre dentes, que deve estar dentro
dos valores especificados.

Instalação do Vedador Dianteiro do Virabrequim

60. INSTALE o espaçador e com auxílio da ferramenta


especial, INSTALE o vedador dianteiro do virabrequim.

61. NOTA: INSTALE a placa de referência do ajuste de


ponto do motor.
INSTALE os parafusos de fixação da tampa da caixa das
engrenagens de distribuição. Para informações de
torque, CONSULTE a Seção 110-03.
220-02-130 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-130

62. Após a instalação da tampa da caixa das engrenagens


de sincronismo, AJUSTE os rolamentos da engrenagem
TPO.
• APLIQUE em sua face exterior LOCTITE 601 e
MONTE o eixo de forma que possa alojar a superfície
traseira da engrenagem no mesmo nível.
• AJUSTE o rolamento e a engrenagem de forma que o
entalhe fique alinhado com o anel externo. LEMBRE-
SE também dos anéis de trava. AJUSTE o anel até
encostar e APERTE os parafusos.

Instalação da Bomba D’água

NOTA: para informações sobre a remoção, CONSULTE a Seção 220-03.

63. Com auxílio de dois parafusos com a cabeça removida


usados como guia, INSTALE a junta e o flange da bomba
d’água.

64. INSTALE a junta e a bomba d’água. Para mais


informações, CONSULTE a Seção 220-03.
220-02-131 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-131

65. INSTALE o bocal de abastecimento do cárter.

Instalação das Camisas dos Cilindros

NOTA: para a remoção, CONSULTE o item “Remoção das Camisas dos Cilindros”, nesta
seção.

66. LIMPE cuidadosamente a camisa do cilindro e o local de montagem no bloco de cilindros. A


camisa deve girar livremente em seu encaixe, sem os anéis.

NOTA: CERTIFIQUE-SE de que o bloco não tenha sido submetido à retífica da parte superior.
Caso isto tenha acontecido, os pistões também devem ser reduzidos na mesma dimensão.

OBSERVE se existem marcas das válvulas no topo dos pistões removidos do motor. Este é um
bom indicativo de montagem sem se levar em conta a retífica executada.

67. APLIQUE uma fina camada de tinta marcadora na parte inferior do flange da camisa e COLOQUE
a camisa na sua posição sem os anéis “O”. GIRE a camisa durante esta operação.

68. Com auxílio das ferramentas especiais e um relógio


comparador, AVALIE a altura do excedente da camisa
com relação à face do bloco de cilindros.
69. Para efetuar a medição, PRESSIONE a camisa do
cilindro no lugar usando os grampos para segurar a
camisa do cilindro (ferramenta especial 9101 66300).

70. CUIDADO: a diferença máxima


máxima de altura entre as camisas instaladas o mesmo bloco
não pode ultrapassar 0,02 mm e as camisas do centro não devem estar mais baixas que as
das extremidades.

71. Usando o suporte para relógio comprador (ferramenta especial 9025 79200), MEÇA a altura da
camisa.
• ZERE o relógio comparador com a superfície já cuidadosamente limpa do bloco de cilindros.
• MOVA o relógio comparador sobre o topo da flange da camisa e FAÇA a leitura.
• FAÇA a medição em quatro lugares diferentes.

A posição da camisa acima do bloco de cilindros deve estar entre 0,03 e 0,08 mm.
220-02-132 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-132

72. NOTA: o polimento não é um método de ajuste. Se a


posição da camisa do cilindro tiver que ser ajustada,
USE o escareador.
Se a face de contato estiver danificada, ou se a posição
da camisa do cilindro estiver acima da superfície, o bloco
de cilindros requer usinagem.
USE o escareador de correção (ferramenta especial 9101
65600).
Após escareamento, se necessário, deve ser feito um
leve polimento na camisa. APLIQUE a pasta para
polimento entre o flange da camisa e o bloco do motor,
GIRE a camisa com uma ferramenta especial.

73. Se a altura de uma camisa não estiver correta, INSTALE


um flange sob-medida.

Número de ordem H Marcas de estrias peças

8366 47420 9,03+0,02 - (std.)

8366 47933 9,08+0,02 1

8366 47934 9,13+0,02 2

8366 47935 9,23+0,02 3

Um flange sob-medida, é marcada com o número de entalhes usinado na circunferência externa,


como a seguir:

1º de reparo, 0,05 mm = 1 ranhura de marcação.


2º de reparo, 0,10 mm = 2 ranhuras de marcação.
3º de reparo, 0,20 mm = 3 ranhuras de marcação.

74. NOTA: a profundidade do encaixe deve ser ajustada sempre com o escareador (ferramenta
especial 9101 65600).
Se a altura da camisa não é a mesma em todos os pontos, VERIFIQUE a flange da camisa e a
superfície de montagem da mesma no bloco de cilindros.
Se a flange estiver defeituosa, TROQUE-A por uma nova. CORRIJA a posição da camisa no
bloco de cilindros comum usando um escareador de correção.
220-02-133 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-133

75. CUIDADO: não estique demais os anéis durante


a instalação, pois a capacidade máxima de
estiramento deles é de 6%.
INSTALE os anéis retentores na base das camisas.
OBSERVE que o anel mais claro (verde) deve ser
instalado na canaleta mais próxima da base da camisa.

76. UNTE a região de instalação dos anéis com uma camada


de sabão líquido neutro e não oleoso.

77. CUIDADO: as camisas devem ser montadas na


posição em que foram ajustadas.
INSTALE as camisas no bloco do motor. A instalação
deve ser feita sem grande esforço.
220-02-134 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-134

Avaliação de Desgaste, Ovalização e Conicidade das Camisas dos Cilindros

78. Com as camisas instaladas e com auxílio de um relógio


comparador acoplado a um apalpador de diâmetro
interno, AVALIE as camisas quanto à ovalização e
conicidade.
• AJUSTE o relógio comparador para zero com auxílio
de um micrômetro ou com uma camisa de cilindro
nova, indicando o diâmetro de uma camisa não
desgastada (108,0 mm).
• LIMPE cuidadosamente a superfície interna da
camisa do cilindro antes de efetuar a medição.
• FAÇA a medição transversal nas partes superior,
inferior e no meio da camisa.
• VERIFIQUE a leitura no relógio comparador quanto
ao desgaste máximo e a ovalização (COMPARE com
os valores especificados).

Avaliação das Bielas e Substituição dos Casquilhos das Bielas

Munhão do Pino do Pistão

79. AVALIE o casquilho da cabeça da biela (do pino do


pistão):
• LIMPE cuidadosamente a biela e os casquilhos.
• MEÇA a folga do mancal com um relógio comparador
e verificando a medida cilíndrica.
• Se a bucha do pino do pistão estiver muito
desgastada, REMOVA-A pressionando com um
punção apropriado.

• PRESSIONE a nova bucha para o seu lugar.


CERTIFIQUE-SE de que o furo do óleo coincide com
o respectivo furo da biela. Depois AJUSTE com uma
broca escareadora de D= 5 mm até atingir o furo no
diâmetro adequado.
NOTA: a biela pode ser aumentada com D= 5 mm.
Para mais informações, CONSULTE o item
“Especificações – Bielas”, nesta seção.
220-02-135 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-135

Munhão do Virabrequim

80. As bielas usadas nos motores Sisu tem a cabeça com zona de fratura pré-programada. As
cabeças são forjadas como peça única e são separadas (fraturadas) antes da instalação. A linha
de ruptura criada é única para cada biela. Desta forma, não é possível haver troca de capas entre
bielas e nem a rotação da capa na própria biela. Por este motivo, a cabeça da biela tem marcas.

81. NOTA: se a biela for desgastada prematuramente,


esta deverá ser substituída por um novo tipo número
L11212.
INSTALE os casquilhos da biela no munhão do
virabrequim.
• AJUSTE a capa do munhão, aplicando o torque
recomendado.

82. MEÇA o diâmetro interno usando um relógio comparador


com adaptador para diâmetros internos que deve ser
zerado para o diâmetro do respectivo munhão. Se a folga
exceder 0,14 mm, RETIFIQUE o munhão e USE
casquilhos sobre medida fornecidos para reposição.
CERTIFIQUE-SE de que o raio da extremidade do
mancal não tenha sido alterado quando polido

83. A biela pode ser verificada em um dispositivo especial,


destinado para o propósito.
• INSTALE o indicador no topo do pino do pistão com o
pino indicador na posição horizontal e AVALIE a
torção da biela.
220-02-136 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-136

• Com os pinos de teste na posição vertical, AVALIE a


deflexão da biela.

• AVALIE também alguma deflexão em forma de “S” na


biela. Isto é feito usando-se um paquímetro para
medir a distância entre a borda externa da bucha do
pino e a superfície plana do dispositivo de inspeção.
VIRE então, a biela para o outro lado e MEÇA a
mesma distância novamente. A diferença não pode
exceder a 0,6 mm.

NOTA: é recomendável que os parafusos sejam


substituídos, cada vez que a biela for desmontada.
MEÇA o comprimento dos parafusos da biela e
COMPARE com o comprimento máximo que deve ser de
86,50 mm. Se o comprimento de algum parafuso exceder
o limite máximo, SUBSTITUA-O por um outro com a
dimensão correta.

84. Bielas avulsas não são intercambiáveis. Ao substituir por novas, SOLICITE o jogo completo,
PEÇA pelo número de conjunto.
220-02-137 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-137

85. As bielas estão divididas em classes de peso com


intervalos de 20 gramas. Uma letra indicando a classe de
peso está marcada na face lateral da biela.
Todas as bielas em um mesmo motor precisam ser da
mesma classe de peso, portanto, a diferença máxima de
peso permitida é de 20 g.

Letras que Indicam as Classes de Peso:

Letra Nº.Peça Peso (g) Letra Nº.Peça Peso

X 8366 47460 2150 a 2169 O 8366 52116 2410 a 2429

A 8366 52104 2170 a 2189 P 8366 52117 2430 a 2449

B 8366 52105 2190 a 2209 R 8366 52118 2450 a 2469

C 8366 52106 2210 a 2229 S 8366 52119 2470 a 2489

D 8366 52107 2230 a 2249 T 8366 52120 2490 a 2509

E 8366 52108 2250 a 2269 U 8366 52121 2510 a 2529

H 8366 52109 2270 a 2289 F 8366 66430 1935 a 1954

I 8366 52110 2290 a 2309 V 8366 66431 1955 a 1974

J 8366 52111 2310 a 2329 X 8366 66432 1975 a 1994

K 8366 52112 2330 a 2349 Y 8366 66433 1995 a 2014

L 8366 52113 2350 a 2369 W 8366 66434 2015 a 2034

M 8366 52114 2370 a 2389 Z 8366 66435 2035 a 2054

N 8366 52115 2390 a 2409 G 8366 66436 2055 a 2074


220-02-138 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-138

Inspeção do Pistão

86. VERIFIQUE visualmente as condições do pistão e do


pino do pistão. PRESTE atenção especial às possíveis
trincas na cabeça do pistão e no furo do pino. MEÇA o
diâmetro do pistão no ponto indicado na figura.
COMPARE o resultado com os valores tabelados e
substitua o pistão por um novo, se necessário.

Inspeção e Instalação dos Anéis dos Pistões

NOTA: USE alicate para anéis de pistão 9052 46900 para


remover os anéis. Não abra os anéis mais do que o
necessário para removê-los. Se os anéis forem
reutilizados, CERTIFIQUE-SE de que eles serão
colocados em suas posições originais.
MEÇA a folga lateral do anel em sua canaleta. A folga deve
ser menor que 0,15 mm. DETERMINE se a folga lateral é
devida ao desgaste do anel ou da canaleta e SUBSTITUA os
anéis ou o pistão, se necessário.
• LIMPE cuidadosamente as canaletas dos anéis.

87. COLOQUE o anel no cilindro, ajustando-o


perpendicularmente ao sentido eixo do cilindro, e MEÇA
a folga do anel. Esta folga não pode exceder a 1 mm no
1º e no 3º anel e 1,5 mm no 2º anel.
220-02-139 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-139

88. INSTALE os anéis do pistão utilizando alicate de anéis.


CERTIFIQUE-SE de que os anéis estão instalados em
seus lugares corretos e que a marca TOP, ou outra
marca do fabricante, esteja voltada para cima nos anéis.

Instalação do Pino do Pistão

89. NOTA: OBSERVE a seta gravada na cabeça do pistão


(indica a frente do motor) e a marca de massa da
biela (com a letra direcionada para frente do
virabrequim).
90. POSICIONE a biela dentro do pistão e EMPURRE o pino
de pistão para o seu alojamento.

91. NOTA: CERTIFIQUE-SE de que os anéis trava estão


encaixados em suas canaletas e que suas
extremidades estejam voltadas para cima.
INSTALE os anéis trava do pino do pistão em sua
posição de trabalho.
220-02-140 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-140

Instalação dos Pistões no Bloco do Motor

92. AJUSTE a capa do mancal para que as travas das guias


fiquem do mesmo lado.
93. LUBRIFIQUE a extremidade maior do munhão e as dos
mancais.
LUBRIFIQUE os colos do virabrequim.

94. Com auxílio da ferramenta especial e o cabo de madeira


de um martelo, EMPURRE o pistão para dentro da
camisa até que a parte superior do munhão se apoie
sobre o virabrequim.

95. NOTA: USE parafusos novos durante a instalação.


INSTALE as capas dos munhões e APLIQUE o torque
recomendado.

Instalação do Cubo da Polia do Virabrequim

NOTA: para a remoção, CONSULTE o item “Remoção das Engrenagens Dianteiras do


Virabrequim e da Caixa das Engrenagens de Sincronismo”, nesta seção.
220-02-141 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-141

96. NOTA: ao instalar o cubo frontal do virabrequim,


OBSERVE a marca em um dos dentes do entalhado
do virabrequim. Esta marca deve ser coincidente
com os dois dentes marcados do entalhado do cubo.

97. CUIDADO: nunca use maçarico ou bico de solda


para aquecer as engrenagens. Este procedimento
provoca deformações e alterações na estrutura da
peça.
NOTA: AQUEÇA em um forno a engrenagem do
virabrequim a uma temperatura entre 180° e 200° C.
Com auxílio de um tubo adequado, INSTALE o cubo do
virabrequim.

Instalação do Amortecedor de Vibrações e Polia da Correia de Acessórios

NOTA: para a remoção, CONSULTE o item “Remoção do Amortecedor de Vibrações e Polia da


Correia de Acessórios”, nesta seção.

98. NOTA: o amortecedor de vibrações deve ser trocado


a cada 4.000 horas de funcionamento do motor.
VERIFIQUE o alinhamento entre as marcas (marca A).
Qualquer deslocamento superior a 1,5 mm para qualquer
um dos dois lados, indica a necessidade de substituição
do conjunto amortecedor de vibrações.
220-02-142 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-142

99. CONFIRA também as condições do elemento de


borracha. Se observar a ocorrência de pedaços soltos,
se está muito apertado, a profundidade está superior a
3,5 mm, o diâmetro externo está frouxo, ou se está
deslocado em relação à direção do eixo, TROQUE o
amortecedor de vibrações.

100. CUIDADO: qualquer tipo de deformação,


amassamento ou entalhe tona o amortecedor de
vibrações inoperante. Ao remover, EVITE pancadas.
No caso da necessidade de se marcar o ponto de
injeção, USE um lápis elétrico. Nunca use punção
para fazer a marca.
101. POSICIONE o amortecedor de vibrações sobre o cubo
dianteiro do virabrequim. USE como referência o pino
elástico instalado no cubo do virabrequim.

102. POSICIONE a polia da correia dos acessórios sobre o


amortecedor de vibrações.
No caso da instalação de um novo conjunto, com
auxílio da ferramenta especial, INSTALE um novo pino
elástico batendo cuidadosamente.

103. INSTALE os parafusos de fixação da polia da correia


dos acessórios e do amortecedor de vibrações.
220-02-143 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-143

INSTALE a porca-castelo de fixação do cubo dianteiro


do virabrequim.
• INSTALE a ferramenta especial de aperto da porca-
castelo.

104. Com auxílio de um multiplicador de torque e da


ferramenta especial, APLIQUE o aperto especificado à
porca de fixação do cubo dianteiro do virabrequim.

Sincronização da Polia com a Posição dos Pistões


NOTA: as polias novas não são fornecidas sem marca de sincronismo.

CUIDADO: ao efetuar a marca na polia nunca use punção ou outro equipamento ou


dispositivo que necessite de impacto. USE um lápis elétrico para imprimir a marca de
sincronismo. O não cumprimento desta recomendação danificará permanentemente o
amortecedor de vibrações.

105. POSICIONE o pistão do primeiro cilindro no ponto


morto superior. Para garantir a posição correta do
pistão, USE um relógio comparador.
• OBSERVE o ponteiro do relógio comparador. A
inversão do sentido de giro do ponteiro indicará a
mudança de movimento do pistão.
• Ao observar a inversão, GIRE o motor em sentido
inverso para que o ponteiro atinja o ponto exato de
parada do pistão.
• Com o pistão no ponto morto superior, “ZERE” o
relógio comparado.
• GIRE lentamente o motor no sentido contrário à sua
direção de trabalho, observando a indicação do
relógio comparador. PARE quando o relógio
comparador indicar o deslocamento correspondente
ao valor de sincronização de injeção.
• USE a tabela adiante para correspondência de
deslocamento do virabrequim e ângulo da árvore de
manivelas.
220-02-144 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-144

A tabela indica a relação entre a distância do pistão até o ponto morto superior e o ângulo de
deslocamento do virabrequim:

Deslocamento Ângulo Deslocamento Ângulo Deslocamento Ângulo


(mm) (graus) (mm) (graus) (mm) (graus)

0,013 1 1,624 11 5,841 21

0,054 2 1,931 12 6,399 22

0,121 3 2,264 13 6,980 23

0,216 4 2,623 14 7,585 24

0,337 5 3,007 15 8,214 25

0,485 6 3,417 16 8,865 26

0,660 7 3,852 17 9,539 27

0,861 8 4,312 18 10,235 28

1,089 9 4,797 19 10,952 29

1,344 10 5,307 20 11,692 30

106. CUIDADO: não use ferramenta de impacto


para marcar o amortecedor de vibrações.
Com auxílio de um lápis elétrico, FAÇA a marca de
referência no amortecedor de vibrações, coincidindo
com o “indicador de referência” instalado na tampa das
engrenagens de sincronismo.

Sincronização da Polia com a Posição dos Pistões com o Motor Instalado

107. GIRE o motor até que o pistão do primeiro cilindro


alcance o seu ponto morto superior.
108. DEIXE a válvula cair até a cabeça do pistão. AJUSTE o
relógio comparador no topo da haste da válvula e
ZERE no ponto morto superior do pistão. GIRE o motor
no sentido contrário à sua direção de trabalho, até que
o relógio do comparador mostre o valor correspondente
ao de sincronização de injeção (VEJA tabela abaixo).
109. FAÇA a marca da sincronização de injeção na
extremidade do indicador com uma caneta elétrica (não
bata).
220-02-145 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-145

Instalação da Bomba de Óleo

110. POSICIONE a bomba de óleo e os dutos (de ligação com a galeria principal e o pescador) em
sua rota de trabalho.

111. NOTA: USE novas juntas nas conexões.


INSTALE os parafusos de fixação da bomba de óleo ao
bloco do motor. Para mais informações, CONSULTE a
Seção 220-04.

112. NOTA: UNTE a rosca com LOCTITE 567.


(1) INSTALE o tubo de ligação da galeria de líquido de
arrefecimento com o trocador de calor do filtro de
óleo.
(2) INSTALE o bujão de vedação da galeria do bloco.

INSTALE os componentes da válvula de alívio


(reguladora de pressão de óleo). Para mais
informações, CONSULTE a Seção 220-04.

113. INSTALE o trocador de calor e o filtro de óleo. Para


mais informações, CONSULTE a Seção 220-04.
220-02-146 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-146

Instalação do Cabeçote

114. CUIDADO: USE uma nova junta na montagem


do cabeçote.
INSTALE o cabeçote aplicando o torque em 3 fases e
obedecendo sempre a sequência indicada na figura ao
lado.
Fase 1  APLIQUE 80 N.m.
Fase 2  GIRE o parfuso ou porca por 90°.
Fase 3  GIRE o parfuso ou porca por mais 90°.
Para mais informações, CONSULTE o item “Cabeçote
– Remoção e Instalação”, nesta seção.

Instalação dos Dutos de Alimentação Filtros e Dutos de Retorno de Combustível

115. INSTALE o sistema de alimentação de combustível no


motor. Para mais informações, CONSULTE a Seção
220-05.

Instalação do Cárter

116. LIMPE cuidadosamente todos os resíduos de silicone deixados pela remoção da junta antiga.

117. NOTA: o silicone deverá ser aplicado sobre a


superfície de contato do bloco (entre a junta e o
bloco do motor).
APLIQUE um filete de silicone com aproximadamente 3
mm de espessura nas áreas assinaladas na figura ao
lado. Para mais informações, CONSULTE o item
“Remoção e Instalação – Cárter”, nesta seção.
220-02-147 Motor (Linha Pesada, 07/2010) 220-02-147

Instalação do Volante do Motor

118. INSTALE o volante do motor.

Instalação do Motor no Trator

119. INSTALE o motor no trator. Para mais informações,


CONSULTE o item “Motor – Remoção e Instalação”,
nesta seção.
220-03-1 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-1

SEÇÃO 220-03
Sistema de Arrefecimento

Aplicação nos Modelos: Linha Pesada

Índice

Assunto

ESPECIFICAÇÕES

Bomba D’água

Válvulas Termostáticas (Termostato)

Torques

DESCRIÇÃO E OPERAÇÃO

Sistema de Arrefecimento

Visão Geral – Sistema Típico

DIAGNÓSTICO E VERIFICAÇÕES

Diagnóstico de Falhas no Sistema de Arrefecimento

Avaliação do Sistema de Arrefecimento Sob Pressão

SERVIÇOS NO VEÍCULO

Drenagem e Abastecimento do Sistema de Arrefecimento

REMOÇÃO E INSTALAÇÃO

Reservatório de Expansão

Mangueiras do Radiador

Válvulas Termostáticas

Alojamento das Válvulas Termostáticas


220-03-2 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-2

Bomba D’água

Radiador

DESMONTAGEM E MONTAGEM

Bomba D’água
220-03-3 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-3

ESPECIFICAÇÕES
Bomba D’água
Descrição Especificação

Diâmetro externo do rolamento 52 mm

Diâmetro do alojamento do rolamento 51,979 a 52,009 mm

Diâmetro do eixo no mancal 19,980 a 19,993 mm

Diâmetro do eixo no rotor 15,907 a 15,920 mm

Diâmetro do furo do rotor 15,881 a 15,899 mm

Diâmetro do selo do corpo da bomba 36,450 a 36,489 mm

Distância do impulsor montado entre a face traseira e o corpo da bomba 0,8 a 1,2 mm

Precisão do balanceamento do ventilador 0,3 Ncm máx.

Excentricidade máxima permitida para o ventilador ± 0,3 mm

Tensão da correia do ventilador no meio da correia de flexão 15 a 20 mm

Bomba equipada com reforço no rolamento:

Diâmetro externo na parte dianteira 95 mm

Diâmetro do mancal da bomba de água 95,000 a 95,035 mm

Diâmetro externo do mancal da carcaça da bomba 59,991 a 60,009 mm

Válvulas Termostáticas (Termostato)


Peça Nº Tipo Abertura Inicial Abertura Total Abertura (mm)

8361 15646 Diâmetro 67/79 °C 79±2 °C 94 °C 8

8361 15718 Diâmetro 67/83 °C 83±2 °C 97 °C 8

8366 59685 Diâmetro 67/86 °C 86±2 °C 99 °C 8


220-03-4 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-4

Torques
Descrição Valores (N.m)

Porca da polia da bomba de arrefecimento 120

Parafusos da hélice 30

Parafusos de fixação da bomba d’água ao bloco do motor CONSULTE a Seção


110-03.

Parafusos de fixação do alojamento das válvulas termostáticas CONSULTE a Seção


110-03.

Parafusos de fixação da tampa das válvulas termostáticas CONSULTE a Seção


110-03.

Porca do flange do tubo de ligação com o resfriador de óleo CONSULTE a Seção


110-03.

Parafusos de fixação do radiador ao suporte CONSULTE a Seção


110-03.

Parafusos de fixação do radiador do resfriador de ar CONSULTE a Seção


110-03.
220-03-5 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-5

DESCRIÇÃO E OPERAÇÃO
Sistema de Arrefecimento
Visão Geral – Sistema Típico

Item Descrição

1 Radiador

2 Resfriador de óleo

3 Bomba d’água

4 Válvulas termostáticas

5 Ventilador do radiador

6 Mangueira inferior do radiador

7 Mangueira superior do radiador

8 Reservatório de expansão

9 Tampa do reservatório de expansão


220-03-6 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-6

Item Descrição

10 Mangueira do tubo-ladrão

11 Mangueira superior do reservatório de expansão (conectada ao topo do radiador –


tanque superior)

12 Mangueira inferior do reservatório de expansão (conectada à base do radiador –


tanque inferior)

Bomba D’água

A bomba d’água acionada por correia é do tipo centrífuga e


está fixada na face frontal do bloco do cilindro.
O alojamento do termostato está localizado no topo da
mesma. O sistema tem a circulação interna de líquido
refrigerante feita através do tubo de alívio controlado por um
termostato de duas vias. Desta maneira, o aquecimento por
igual do motor é alcançado em todas as circunstâncias.
A bomba d’água pode ser equipada com rolamentos de
esferas separados ou com os rolamentos e o eixo montado
como uma unidade.

Válvula Termostática

A válvula termostática executa duas funções:

Impedir a circulação de líquido de arrefecimento para o radiador, acelerando o processo de


aquecimento do motor, até que a temperatura ideal de funcionamento seja atingida;

Atingida esta temperatura, a válvula controla o fluxo, mantendo a temperatura estável;

Manter a refrigeração em altas velocidades, quando a válvula termostática não abre.

Esta função é conseguida, quando a pressão gerada pela bomba d’água vence a pressão da mola da
válvula, abrindo passagem do líquido do arrefecimento diretamente para o radiador (sem passar pela
caixa do aquecedor).

Nesta série de motores, são usadas várias configurações de válvulas termostáticas, dependendo do
tipo de aplicação do mesmo.

Em motores para aplicação em colheitadeiras há dois termostatos separados, onde um deles controla
o líquido refrigerante por uma válvula by pass.

Os termostatos diferem em sua abertura por tipos de temperaturas. Quando a temperatura de


arrefecimento está com 79 °C abre o termostato menor permitindo a passagem do líquido por um furo
existente na bomba de arrefecimento, deixando uma parte do refrigerante no radiador.

Seguindo o aumento da temperatura, atingindo 83 °C abre o outro termostato.

Funciona como se fosse um tipo suplente que fecha o furo de entrada e remete o líquido refrigerante
para o radiador. Estes modelos de motores não possuem termostato tipo inverno em separado.
220-03-7 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-7

(A) Passagem de derivação: permite a circulação da


água entre a bomba e o bloco enquanto as válvulas
mantêm a passagem ao radiador fechada.
(B) Fluxo da válvula menor (a).
(C) Saída para o radiador.
(a) Válvula primária: abre em temperatura menor.
(b) Válvula secundária, maior: abre alguns graus após a
válvula (a).

.ATENÇÃO: o motor NUNCA DEVE OPERAR sem as


válvulas termostáticas instaladas.

Com motor frio, o líquido irá levar mais tempo para atingir a
temperatura correta de funcionamento, em função da
passagem (C) aberta ao radiador.
Quando o motor aquece, há risco de superaquecimento,
pois parte do líquido irá fluir pela passagem mais curta, ou
seja, pela derivação (C) ao invés de ir para o radiador

Já para veículos usados como tratores, a configuração mais


comum é de uma única válvula termostática.
220-03-8 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-8

Resfriador de Óleo

O resfriador de óleo é um dispositivo que permite o resfriamento do óleo lubrificante do motor pela
troca de calor com o líquido de arrefecimento que circula em seu interior.

Em caso de recondicionamento do motor, REMOVA o filtro


de óleo e em seguida o tubo fixador.
FAÇA uma limpeza química do trocador e TESTE-O quanto
a estanqueidade.
Se o trocador apresentar oxidação, empenamento ou sinais
de vazamento, deve ser substituído.
Na montagem, TROQUE o anel vedador entre o trocador e o
bloco e OBSERVE o torque correto para o tubo fixador.
Para mais informações sobre manutenção deste dispositivo,
CONSULTE a Seção 220-04.

Radiador

Esta peça é a responsável pela troca de calor entre o líquido


de arrefecimento e o ambiente, permitindo a manutenção da
temperatura a níveis seguros no motor.
Para que esta troca de calor seja eficiente, as aletas do
radiador devem ser mantidas limpas e sem deformações
mecânicas.
Além disso, para a conservação do radiador e todo o
sistema de arrefecimento, é fundamental a utilização de
aditivo anticorrosivo no sistema, conforme proporção,
frequência e procedimentos recomendados no Manual do
Operador.
220-03-9 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-9

Existem oficinas especializadas na manutenção de


radiadores. Caso seja observada uma queda progressiva de
eficiência na troca de calor, o radiador deverá passar por
manutenção em uma destas oficinas, que basicamente
consiste em:
• limpeza química;
• desmontagem: separação dos tanques, superior e
inferior, dos tubos verticais (colméia);
• limpeza interna dos tubos: o “vareteamento”;
• montagem dos tanques com a utilização de vedações
novas;
• teste de estanqueidade.

Tanque de Expansão

Um sistema selado (com reservatório de expansão), em


condição normal não deve apresentar abaixamento
frequente do nível de líquido.
Isso porque, a eliminação de excessos de líquido é mínima,
normalmente só acontecendo em caso de se abastecer o
reservatório com nível acima do recomendado.
A expansão da água, ao aquecer, é acomodada no espaço
vazio no reservatório, por esta razão denominado de
“reservatório de expansão”.

Tampa do Tanque de Expansão

A tampa (10) mantém a pressão adequada no sistema de arrefecimento, evitando a fervura do


líquido.

Ao manter uma pressão mais elevada que a pressão atmosférica, retarda-se o ponto de fervura.

Desta forma, uma tampa em mau estado (que perde a


pressão), pode ser causa suficiente para superaquecimento
do motor.
• A válvula (A) libera o excesso de pressão, funcionando
como válvula de alívio.
• A válvula menor (B) limita a pressão mínima, evitando a
formação de vácuo no sistema quando a água esfria.
O vácuo provoca o encolhimento das mangueiras.
220-03-10 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-10

DIAGNÓSTICO E VERIFICAÇÕES
Diagnóstico de Falhas no Sistema de Arrefecimento
Inspeção e Verificação

1. VERIFIQUE a reclamação do Operador.

2. INSPECIONE visualmente quanto a sinais óbvios de danos mecânicos ou elétricos.

Tabela de Inspeção Visual

Mecânica Elétrica

• Vazamento de líquido de arrefecimento • Fusível


• Mangueiras visivelmente danificadas, • Conexão solta ou corroída
ressecadas ou desgastadas
• Conector(es) danificados ou desgastados
• Parafusos e porcas frouxas ou faltantes

3. Se uma causa óbvia for encontrada para um problema observado ou relatado, CORRIJA a causa
(se possível) antes de passar para a próxima etapa.

4. Se o problema não é visualmente evidente, VERIFIQUE o sintoma e CONSULTE a “Tabela de


Sintomas”.

Tabela de Sintomas

Condições Possíveis Causas Ações

Nível de fluido baixando de • Tampa do reservatório de • AVALIE a pressão de


forma anormal expansão funcionamento da tampa do
reservatório de expansão.
SUBSTITUA se necessário.

• Mangueiras trincadas ou • AVALIE o estado das


ressecadas mangueiras. SUBSTITUA se
necessário.
NOTA: SUBSTITUA o jogo
de mangueiras
completo.

• Selos de vedação do bloco • VERIFIQUE vazamento


do motor pelos selos de vedação.
SUBSTITUA se necessário.
NOTA: SUBSTITUA todos
os selos para
prevenir futuros
vazamentos.
220-03-11 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-11

Condições Possíveis Causas Ações

Nível de fluido baixando de • Vazamento pela bomba • EFETUE o reparo na bomba.


forma anormal (Continuação) d’água Para mais informações,
CONSULTE o item
“Desmontagem e Montagem
– Bomba D’água”, nesta
seção.

• Vazamento pelo resfriador • AVALIE o estado geral do


de óleo resfriador de óleo.
SUBSTITUA se necessário.
Para mais informações,
CONSULTE a Seção 220-
03.

• Não se observa vazamento • CONSULTE o item


externo “Diagnósticos e Verificações
– Avaliação do Sistema de
Arrefecimento Sob Pressão”,
nesta seção.

Motor demora a atingir a • Válvulas termostáticas • AVALIE as válvulas


temperatura normal de travadas abertas termostáticas. SUBSTITUA
funcionamento se necessário.

• AVALIE o líquido de
arrefecimento quanto à
diluição e quanto à
contaminação.

Motor superaquece • Tampa do reservatório de • AVALIE a pressão de


expansão funcionamento da tampa do
reservatório de expansão.
SUBSTITUA se necessário.

• Radiador com baixa • AVALIE a limpeza externa


eficiência do radiador.

• AVALIE interferências no
fluxo de ar pelo radiador.
AVALIE o líquido de
arrefecimento quanto à
diluição e quanto à
contaminação. SUBSTITUA.
Se necessário, REMOVA o
radiador e ENCAMINHE
para manutenção
especializada.

• Mangueira deformadas, • AVALIE o estado geral das


dobradas ou entupidas mangueiras. SUBSTITUA se
necessário.
220-03-12 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-12

Condições Possíveis Causas Ações

Motor superaquece • Outras causas não ligadas • AVALIE combustível


(Continuação) ao sistema de arrefecimento inadequado, regulagem
inadequada na bomba
injetora, regulagem do
turbocompressor, regime de
trabalho, etc.

Avaliação do Sistema de Arrefecimento Sob Pressão

Ferramenta(s) Especial(ais)

Conjunto de avaliação (pressurização) do sistema de arrefecimento

Teste 1: Tampa do Reservatório de Expansão

1. REMOVA a tampa do reservatório de expansão.


2. INSTALE a tampa do reservatório na bomba de
pressurização usando um adaptador adequado
(fornecido no conjunto).
3. APLIQUE pressão acionando a bomba até que a válvula
da tampa abra, impedindo a pressão de subir.

4. COMPARE o valor obtido com o valor especificado na tampa.

5. Se a pressão atingida for diferente da especificada, SUBSTITUA a tampa do reservatório de


expansão.
Caso contrário, VÁ para o Teste 2.
220-03-13 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-13

Teste 2: Avaliação Estática do Sistema de Arrefecimento

1. NOTA: para este teste, o motor deverá estar à


temperatura ambiente.
REMOVA a tampa do reservatório de expansão.
2. INSTALE, usando um adaptador adequado, a bomba de
pressurização no alojamento da tampa do reservatório de
expansão.

3. BOMBEIE até que a pressão atinja um valor entre 7 e 10 PSI (libras por polegadas quadrada).

4. OBSERVE o manômetro por aproximadamente 1 minuto. A pressão indicada deverá permanecer


estática. Se houver queda de pressão, BOMBEIE até que a pressão atinja o valor registrado na
tampa do reservatório de expansão e tente localizar visualmente o vazamento. CORRIJA o
vazamento.
Caso não seja constatado vazamento, VÁ para o Teste 3.

Teste 3: Vazamentos Internos

1. NOTA: para este teste, o motor deverá estar à


temperatura ambiente.
REMOVA a tampa do reservatório de expansão.
2. INSTALE, usando um adaptador adequado, a bomba de
pressurização no alojamento da tampa do reservatório de
expansão.

3. LIGUE o motor em marcha lenta. A pressão indicada deverá se estabilizar num valor próximo do
especificado na tampa do reservatório de expansão.
Caso ocorra oscilação no ponteiro do manômetro, existe fuga de ar do cilindro para o sistema de
arrefecimento.
220-03-14 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-14

4. NOTA: a causa deste vazamento pode ser junta do


cabeçote queimada ou trincada, cabeçote empenado
ou falha nos vedadores das camisas.
Para definir em que cilindro está ocorrendo a falha,
EFETUE o teste de compressão dos cilindros. Para mais
informações, CONSULTE a Seção 220-02.
Ao remover o porta injetor para instalar o manômetro,
OBSERVE a coloração desta peça. Alteração na cor
poderá ser uma boa indicação de falha de combustão no
cilindro em avaliação.
VERIFIQUE também se o óleo lubrificante apresenta
sinais se contaminação. Em caso positivo, AVALIE o
empenamento do cabeçote do motor ou a junta do
cabeçote. Para mais informações, CONSULTE a Seção
220-02.
220-03-15 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-15

SERVIÇOS NO VEÍCULO

Drenagem e Abastecimento do Sistema de Arrefecimento


Inspeção e Verificação

ATENÇÃO: com o motor à temperatura normal de funcionamento, o líquido do sistema de


arrefecimento está sob pressão e temperatura próxima de 100 °C. Em contato com a pele,
pode provocar queimaduras. USE sempre os equipamentos de proteção individual (EPI’s)
recomendados.

1. REMOVA as tampas do conjunto motor. Para mais


informações, CONSULTE a Seção 110-01.

2. ATENÇÃO: USE um pano grosso e SOLTE a


tampa lentamente para evitar queimaduras com o
vapor do liquido de arrefecimento.

REMOVA a tampa do reservatório de expansão.

3. DESCONECTE a mangueira superior do reservatório de


expansão (conectada ao tanque superior do radiador).
220-03-16 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-16

4. NOTA: o sistema de arrefecimento completamente


abastecido contém cerca de 26 litros de solução.
(1) SOLTE a braçadeira na extremidade inferior da
mangueira que liga a bomba d’água ao tanque inferior
do radiador.
(2) Em seguida, DESCONECTE a extremidade superior
da mangueira.
(3) DIRECIONE a mesma para um recipiente adequado.

5. NOTA: nos tratores equipados com sistema de


arrefecimento do óleo lubrificante, o bujão foi
substituído pela conexão de entrada do arrefecedor
de óleo. Neste caso, REMOVA o dreno do
arrefecedor.
REMOVA o bujão de drenagem existente no bloco do
motor.
ESGOTE a bomba d’água girando o motor por algumas
voltas com o bujão do bloco aberto.

6. Se houver necessidade de fazer uma lavagem interna do


circuito, DESCONECTE a mangueira superior e
INTRODUZA uma mangueira com água limpa sob
pressão:
• no radiador;
• no motor;
• no bocal do reservatório de expansão.

7. INSTALE todas as mangueiras, AJUSTE as braçadeiras,


deixando sem acoplar somente a mangueira de entrada
na caixa superior do radiador.
PREPARE a solução para reabastecer o sistema.
A solução é composta de água desmineralizada e etileno
glicol, na proporção de aproximadamente 50% de cada
componente. Para garantir a proporção correta, INICIE a
preparação colocando o etileno glicol total e
posteriormente a água, até completar os 26 litros
necessários para o abastecimento completo do sistema.
Para mais informações, CONSULTE a Seção 220-01.
220-03-17 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-17

8. ABASTEÇA lentamente o sistema, despejando a solução


no tanque de expansão, até que pela abertura da caixa
superior do radiador comece a vazar líquido de
arrefecimento isento de bolhas de ar.

9. ACOPLE a mangueira superior do radiador e AJUSTE a


braçadeira.
10 FUNCIONE o motor até a abertura do termostato ou, com
o equipamento adequado, PRESSURIZE o sistema e
OBSERVE se não ocorrem vazamentos. CORRIJA se
necessário.

11. COMPLETE o nível de líquido de arrefecimento se


necessário.
220-03-18 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-18

REMOÇÃO E INSTALAÇÃO

Reservatório de Expansão
Remoção

ATENÇÃO: com o motor à temperatura normal de funcionamento, o líquido do sistema de


arrefecimento está sob pressão e temperatura próxima de 100 °C. Em contato com a pele,
pode provocar queimaduras. USE sempre os equipamentos de proteção individual (EPI’S)
recomendados.

O líquido de arrefecimento é uma mistura de água com etileno glicol. Esta solução não deve ser
descartada na natureza.
O descarte deve ser feito por meio de empresa qualificada.

1. REMOVA as tampas do conjunto motor.

2. ATENÇÃO: USE um pano grosso e SOLTE a


tampa lentamente para evitar queimaduras com o
vapor do liquido de arrefecimento.

REMOVA a tampa do reservatório de expansão.

3. NOTA: RECOLHA o líquido de arrefecimento em um


vasilhame adequado.
DESCONECTE a mangueira inferior do reservatório de
expansão (conectada ao tanque inferior do radiador).
220-03-19 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-19

4. DESCONECTE a mangueira superior do reservatório de


expansão no lado do reservatório de expansão
(conectada ao tanque superior do radiador).
5. REMOVA os parafusos de fixação da cinta de retenção
do reservatório de expansão ao suporte.
REMOVA o tanque de expansão.

Instalação

1. INSTALE o reservatório de expansão em seu suporte.


INSTALE os parafusos de fixação da cinta de retenção
do tanque de expansão ao suporte e APERTE-OS. Para
informações de torque, CONSULTE a Seção 110-03.
2. CONECTE a mangueira superior do reservatório de
expansão (conectada ao tanque superior do radiador).

3. CONECTE a mangueira inferior do reservatório de


expansão (conectada ao tanque inferior do radiador).

4. ABASTEÇA o sistema. Para mais informações,


CONSULTE o item “Drenagem e Abastecimento do
Sistema de Arrefecimento”, nesta seção.
220-03-20 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-20

5. INSTALE a tampa do reservatório de expansão.


6. FUNCIONE o motor e VERIFIQUE se ocorrem
vazamentos.

7. INSTALE as tampas do conjunto motor.


220-03-21 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-21

REMOÇÃO E INSTALAÇÃO
Mangueiras do Radiador
Remoção

ATENÇÃO: com o motor à temperatura normal de funcionamento, o líquido do sistema de


arrefecimento está sob pressão e temperatura próxima de 100 °C. Em contato com a pele,
pode provocar queimaduras. USE sempre os equipamentos de proteção individual (EPI’S)
recomendados.

O líquido de arrefecimento é uma mistura de água com etileno glicol. Esta solução não deve ser
descartada na natureza.

1. REMOVA as tampas do conjunto motor.

2. CUIDADO: USE um pano grosso e SOLTE a


tampa lentamente para evitar queimaduras com o
vapor do líquido de arrefecimento.
REMOVA a tampa do reservatório de expansão.

3. REMOVA as braçadeiras da mangueira inferior do


radiador no lado do radiador e no lado do corpo da
bomba d’água.
DRENE o sistema de arrefecimento. Para mais
informações, CONSULTE o item “Drenagem e
Abastecimento do Sistema de Arrefecimento”, nesta
seção.
REMOVA a mangueira inferior do radiador.
4. REMOVA a braçadeira da mangueira inferior do
reservatório de expansão no lado do radiador.
220-03-22 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-22

5. REMOVA as braçadeiras da mangueira superior do


radiador no lado do radiador e no lado da saída do
alojamento das válvulas termostáticas.
6. REMOVA a mangueira superior do radiador.

7. REMOVA o parafuso de conexão do tubo de retorno do


líquido de arrefecimento que circula no resfriador de óleo.

8. REMOVA a braçadeira do flexível de ligação do


resfriador do óleo e o tubo de retorno.

9. NOTA: o parafuso de fixação da alça de sustentação


do tubo de retorno é um dos parafusos de fixação do
coletor de admissão.
REMOVA o parafuso de fixação da alça de sustentação
do tubo de retorno do líquido de arrefecimento ao bloco
do motor.
10. REMOVA o tubo de retorno do líquido de arrefecimento.
220-03-23 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-23

11. REMOVA a braçadeira da mangueira inferior do


reservatório de expansão no lado reservatório de
expansão.
REMOVA a mangueira inferior do reservatório de
expansão.

12. DESCONECTE a mangueira superior do reservatório de


expansão no lado do reservatório de expansão.

13. DESCONECTE a mangueira superior do reservatório de


expansão no lado do radiador.

14. DESCONECTE a mangueira superior do reservatório de


expansão no acoplamento com a válvula termostática.
REMOVA a mangueira superior do reservatório de
expansão.
220-03-24 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-24

Instalação

1. POSICIONE a mangueira superior do reservatório de


expansão em sua rota de trabalho.
CONECTE a mangueira superior do reservatório de
expansão no acoplamento com a válvula termostática.

2. CONECTE a mangueira superior do reservatório de


expansão no lado do radiador.

3. CONECTE a mangueira superior do reservatório de


expansão no lado do reservatório de expansão.

4. POSICIONE a mangueira inferior do reservatório de


expansão em sua rota de trabalho.
INSTALE a braçadeira da mangueira inferior do
reservatório de expansão no lado reservatório de
expansão.
220-03-25 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-25

5. POSICIONE o tubo de retorno do líquido de


arrefecimento em sua rota de trabalho.
6. NOTA: o parafuso de fixação da alça de sustentação
do tubo de retorno é um dos parafusos de fixação do
coletor de admissão.
INSTALE o parafuso de fixação da alça de sustentação
do tubo de retorno do líquido de arrefecimento ao bloco
do motor. Para mais informações, CONSULTE a Seção
220-02.

7. INSTALE a braçadeira do flexível de ligação do resfriador


do óleo e o tubo de retorno.

8. INSTALE o parafuso de conexão do tubo de retorno do


líquido de arrefecimento que circula no resfriador de óleo.

9. INSTALE a mangueira superior do radiador.


220-03-26 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-26

10. INSTALE a mangueira inferior do radiador.


11. INSTALE a braçadeira da mangueira inferior do
reservatório de expansão no lado do radiador.

12. ABASTEÇA o sistema de arrefecimento com a solução


adequada. Para mais informações, CONSULTE o item
“Drenagem e Abastecimento do Sistema de
Arrefecimento”, nesta seção.
13. FUNCIONE o motor até a abertura do termostato ou,
com o equipamento adequado, PRESSURIZE o sistema
e OBSERVE se não ocorrem vazamentos. CORRIJA se
necessário.
220-03-27 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-27

REMOÇÃO E INSTALAÇÃO
Válvulas Termostáticas
Remoção

ATENÇÃO: com o motor à temperatura normal de funcionamento, o líquido do sistema de


arrefecimento está sob pressão e temperatura próxima de 100 °C. Em contato com a pele,
pode provocar queimaduras. USE sempre os equipamentos de proteção individual (EPI'S)
recomendados.

1. REMOVA as tampas do conjunto motor.

2. CUIDADO: USE um pano grosso e SOLTE a


tampa lentamente para evitar queimaduras com o
vapor do liquido de arrefecimento.

O líquido de arrefecimento é uma mistura de água


com etileno glicol. Esta solução não deve ser descartada
na natureza.
DRENE o sistema de arrefecimento. Para mais
informações, CONSULTE o item “Drenagem e
Abastecimento do Sistema de Arrefecimento”, nesta
seção.

4. REMOVA:
(1) a braçadeira e a mangueira superior do radiador, na
tampa do alojamento da válvula termostáticas.
(2) a braçadeira e a mangueira superior do reservatório
de expansão na tampa do alojamento da válvula
termostáticas.
(3) DESCONECTE o conector elétrico do sensor de
temperatura do motor.
220-03-28 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-28

Procedimento para Remoção da Válvula Termostática Dupla

5. REMOVA os parafusos de fixação do alojamento da


válvula termostática ao cabeçote do motor.

6. REMOVA os parafusos de fixação da tampa das válvulas


termostáticas.

7. REMOVA a junta e as válvulas termostáticas.

Procedimento para Remoção da Válvula Termostática Única

8. REMOVA os parafusos de fixação da tampa das válvulas


termostáticas.
9. REMOVA a válvula termostática.
220-03-29 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-29

Instalação

Procedimento para Instalação da Válvula Termostática Dupla

1. NOTA: USE uma junta nova.


POSICIONE a junta e as válvulas termostáticas.

2. INSTALE os parafusos de fixação da tampa das válvulas


termostáticas. Para informações de torque, CONSULTE
a Seção 110-03.

Procedimento para Instalação da Válvula Termostática Única

3. NOTA: USE uma junta nova.


POSICIONE a junta e as válvulas termostáticas.
4. INSTALE os parafusos de fixação da tampa das válvulas
termostáticas.
220-03-30 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-30

Procedimento para Instalação de Todas as Válvulas termostáticas

4. INSTALE:
(1) a braçadeira e a mangueira superior do radiador, na
tampa do alojamento da válvula termostáticas.
(2) a braçadeira e a mangueira superior do reservatório
de expansão na tampa do alojamento da válvula
termostáticas.
(3) CONECTE o conector elétrico do sensor de
temperatura do motor.

4. COMPLETE o nível do líquido de arrefecimento com a


solução adequada. Para mais informações, CONSULTE
o item “Drenagem e Abastecimento do Sistema de
Arrefecimento”, nesta seção.
5. INSTALE a tampa do reservatório de expansão.
6. FUNCIONE o motor e VERIFIQUE se ocorrem
vazamentos.

7. INSTALE as tampas do conjunto motor.


220-03-31 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-31

REMOÇÃO E INSTALAÇÃO

Alojamento das Válvulas Termostáticas


Remoção

ATENÇÃO: com o motor à temperatura normal de funcionamento, o líquido do sistema de


arrefecimento está sob pressão e temperatura próxima de 100 °C. Em contato com a pele,
pode provocar queimaduras. USE sempre os equipamentos de proteção individual (EPI’S)
recomendados.

O líquido de arrefecimento é uma mistura de água com etileno glicol. Esta solução não deve ser
descartada na natureza.
O descarte deve ser feito por meio de empresa qualificada.

1. REMOVA as tampas do conjunto motor.

Procedimento para Remoção da Válvula Termostática Dupla

2. REMOVA as válvulas termostáticas. Para mais


informações, CONSULTE o item “Válvulas Termostáticas
– Remoção e Instalação”, nesta seção.

3. CUIDADO: EVITE que os parafusos caiam


dentro da bomba d’água.
REMOVA os dois parafusos internos de fixação do
alojamento das válvulas termostáticas ao corpo da
bomba d’água.
220-03-32 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-32

4. GIRE o conjunto da carcaça das válvulas termostáticas


no sentido anti-horário. Deslocando o mesmo para fora
do encaixe na caixa de ligação entre as válvulas
termostáticas e o bloco do motor.
5. REMOVA o suporte das válvulas termostáticas.

Procedimento para Remoção da Válvula Termostática Única

6. REMOVA os dois parafusos de fixação da carcaça da


válvula termostática.

7. REMOVA a carcaça da válvula termostática puxando o


conjunto para cima.

Instalação

Procedimento para Instalação da Válvula Termostática Dupla

1. NOTA: INSTALE novos anéis de vedação no


acoplamento da carcaça das válvulas à caixa de
ligação entre as válvulas termostáticas e o bloco do
motor.
NOTA: LUBRIFIQUE os anéis de vedação.
POSICIONE a carcaça das válvulas termostáticas.
2. GIRE o conjunto da carcaça das válvulas termostáticas
no sentido horário empurrando o mesmo para dentro do
encaixe na caixa de ligação entre as válvulas
termostáticas e o bloco do motor.
220-03-33 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-33

3. NOTA: USE uma nova junta no acoplamento entre a


carcaça das válvulas e a bomba d’água.
APOIE a carcaça das válvulas termostática sobre a
bomba d’água e INSTALE os parafusos de fixação. Para
informações de torque, CONSULTE a Seção 110-03.
4. INSTALE as válvulas termostáticas e a tampa da
carcaça. Para mais informações, CONSULTE o item
“Válvulas Termostáticas – Remoção e Instalação”, nesta
seção.

Procedimento para Instalação da Válvula Termostática Única

5. NOTA: LUBRIFIQUE os anéis de vedação do inserto


de acoplamento da carcaça ao alojamento da carcaça
da válvula termostática na bomba d’água.
EMPURRE a carcaça da válvula termostática para dentro
de seu alojamento na bomba d’água.

6. INSTALE os dois parafusos de fixação da carcaça da


válvula termostática.

Procedimento para Instalação de Todas as Carcaças de Válvulas Termostáticas

7. INSTALE:
(1) a braçadeira e a mangueira superior do radiador, na
tampa do alojamento da válvula termostáticas.
(2) a braçadeira e a mangueira superior do reservatório
de expansão na tampa do alojamento da válvula
termostáticas.
(3) CONECTE o conector elétrico do sensor de
temperatura do motor.
220-03-34 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-34

8. COMPLETE o nível do líquido de arrefecimento com a


solução adequada. Para mais informações, CONSULTE
o item “Drenagem e Abastecimento do Sistema de
Arrefecimento”, nesta seção.
9. INSTALE a tampa do reservatório de expansão.
10. FUNCIONE o motor e VERIFIQUE se ocorrem
vazamentos.

11. INSTALE as tampas do conjunto motor.


220-03-35 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-35

REMOÇÃO E INSTALAÇÃO
Bomba D’água
Remoção

ATENÇÃO: com o motor à temperatura normal de funcionamento, o líquido do sistema de


arrefecimento está sob pressão e temperatura próxima de 100 °C. Em contato com a pele,
pode provocar queimaduras. USE sempre os equipamentos de proteção individual (EPI’S)
recomendados.

O líquido de arrefecimento é uma mistura de água com etileno glicol. Esta solução não deve ser
descartada na natureza.
O descarte deve ser feito por meio de empresa qualificada.

1. REMOVA as tampas do conjunto motor.

2. REMOVA as braçadeiras da mangueira inferior do


radiador no lado do radiador e no lado do corpo da
bomba d’água.
DRENE o sistema de arrefecimento. Para mais
informações, CONSULTE o item “Drenagem e
Abastecimento do Sistema de Arrefecimento”, nesta
seção.
REMOVA a mangueira inferior do radiador.

3. REMOVA a carcaça da válvula termostática. Para mais


informações, CONSULTE o item “Válvulas Termostáticas
– Remoção e Instalação”, nesta seção.
220-03-36 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-36

4. REMOVA o parafuso de conexão do tubo de retorno do


líquido de arrefecimento que circula no resfriador de óleo.

5. REMOVA os parafusos de fixação da hélice ao flange e


os parafusos de fixação do flange à polia da bomba
d’água.

6. REMOVA:
(1) o parafuso inferior de fixação do alternador
(2) e as correias de acionamento de acessórios.

7. REMOVA todos os parafusos de fixação da bomba


d’água ao cabeçote do motor (a ilustração mostra apenas
os parafusos inferiores).
8. REMOVA a bomba d’água.
220-03-37 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-37

Instalação

1. NOTA: USE novas juntas durante a instalação.


POSICIONE a bomba d’água em seu local de trabalho.
Para facilitar a localização, poderão ser usados como
“guias” dois parafusos longos com a cabeça removida

2. INSTALE todos os parafusos de fixação da bomba


d’água ao cabeçote do motor (a ilustração mostra apenas
os parafusos inferiores). Para informações de torque,
CONSULTE a Seção 110-03.

3. NOTA: a tensão das correias é determinada pela


deflexão máxima na parte central (entre as polias da
bomba e alternador) e deve estar entre 15 e 20 mm.
REMOVA:
(1) as correias de acionamento de acessórios;
(2) e o parafuso inferior de fixação do alternador.

4. INSTALE os parafusos de fixação da hélice ao flange e


os parafusos de fixação do flange à polia da bomba
d’água. Para informações de torque, CONSULTE a
Seção 110-03.
220-03-38 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-38

5. INSTALE o parafuso de conexão do tubo de retorno do


líquido de arrefecimento que circula no resfriador de óleo.

6. INSTALE as braçadeiras da mangueira inferior do


radiador no lado do radiador e no lado do corpo da
bomba d’água.
INSTALE a mangueira inferior do radiador.

7. INSTALE a carcaça da válvula termostática. Para mais


informações, CONSULTE o item “Válvulas Termostáticas
– Remoção e Instalação”, nesta seção. Para informações
de torque, CONSULTE a Seção 110-03.

8. COMPLETE o nível do líquido de arrefecimento com a


solução adequada. Para mais informações, CONSULTE
o item “Drenagem e Abastecimento do Sistema de
Arrefecimento”, nesta seção.
9. INSTALE a tampa do reservatório de expansão.
10. FUNCIONE o motor e VERIFIQUE se ocorrem
vazamentos.

11. INSTALE as tampas do conjunto motor.


220-03-39 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-39

REMOÇÃO E INSTALAÇÃO
Radiador
Remoção

ATENÇÃO: com o motor à temperatura normal de funcionamento, o líquido do sistema de


arrefecimento está sob pressão e temperatura próxima de 100 °C. Em contato com a pele,
pode provocar queimaduras. USE sempre os equipamentos de proteção individual (EPI’S)
recomendados.

O líquido de arrefecimento é uma mistura de água com etileno glicol. Esta solução não deve ser
descartada na natureza.
O descarte deve ser feito por meio de empresa qualificada.

1. REMOVA as tampas do conjunto motor.

2. REMOVA os parafusos de fixação da tampa frontal do


trator (3 de cada lado – mostrado o lado direito).
220-03-40 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-40

3. REMOVA a tampa superior da cobertura do motor.


• REMOVA a entrada de ar.

4. DESCONECTE os conectores elétricos dos faróis.


REMOVA a tampa frontal.

5. REMOVA as braçadeiras da mangueira inferior do


radiador no lado do radiador e no lado do corpo da
bomba d’água.
DRENE o sistema de arrefecimento. Para mais
informações, CONSULTE o item “Drenagem e
Abastecimento do Sistema de Arrefecimento”, nesta
seção.
REMOVA a mangueira inferior do radiador.

6. REMOVA as braçadeiras da mangueira superior do


radiador no lado do radiador e no lado da saída do
alojamento das válvulas termostáticas.
7. REMOVA a mangueira superior do radiador.

8. REMOVA a mangueira superior do radiador (da bomba


d’água ao radiador).
220-03-41 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-41

9. DESCONECTE a mangueira superior do reservatório de


expansão (conectada ao tanque superior do radiador).

10. REMOVA os tubos de ligação do intercooler com a saída


do turbocompressor e do intercooler com o coletor de
admissão. Para mais informações, CONSULTE o item
“Tubo de Ligação Entre o Coletor de Admissão e o
Turbocompressor (Trator com Intercooler) – Remoção e
Instalação”, na Seção 220-06.

11. REMOVA os parafusos de fixação do defletor do


radiador. DESLOQUE o defletor para o lado da bomba
d’água.

12 REMOVA os parafusos de fixação da grade lateral em


ambos os lados do suporte do suporte do radiador.
REMOVA as grades laterais.
220-03-42 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-42

13. REMOVA os quatro parafusos de fixação do intercooler


na estrutura frontal do suporte do radiador (nos tratores
com estrutura frontal do suporte do radiador fechada).

14. REMOVA o intercooler. Para mais informações,


CONSULTE a Seção 220-06.

15. REMOVA em ambos os lados:


(1) o segundo parafuso (de cima para baixo) de fixação
do radiador;
(2) o reforço da estrutura do radiador (se disponível) e;
(3) o parafuso superior de fixação do radiador.
220-03-43 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-43

16. REMOVA os três parafusos inferiores de fixação do


radiador em ambos os lados.

17. REMOVA o radiador, puxando o conjunto para cima.

18. Para substituição do radiador, REMOVA os parafusos de


fixação dos reforços externos (direito e esquerdo) e
REMOVA os reforços.

Instalação

1. Para a instalação de um radiador novo, INSTALE os


reforços externos. INSTALE os parafusos de fixação dos
reforços externos.
220-03-44 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-44

2. INSTALE o radiador em seu alojamento, deslocando o


conjunto para baixo.

3. INSTALE os três parafusos inferiores de fixação do


radiador em ambos os lados.

4. INSTALE em ambos os lados:


(1) o segundo parafuso (de cima para baixo) de fixação
do radiador;
(2) o reforço da estrutura do radiador (se disponível) e;
(3) o parafuso superior de fixação do radiador.

5. INSTALE o intercooler. Para mais informações,


CONSULTE a Seção 220-06.
220-03-45 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-45

6. INSTALE os quatro parafusos de fixação do intercooler


na estrutura frontal do suporte do radiador (nos tratores
com estrutura frontal do suporte do radiador fechada).

7 INSTALE as grades laterais.


INSTALE os parafusos de fixação da grade lateral em
ambos os lados do suporte do suporte do radiador.

8. POSICIONE o sobre o seu alojamento. INSTALE os


parafusos de fixação do defletor do radiador.

9. INSTALE os tubos de ligação do intercooler com a saída


do turbocompressor e do intercooler com o coletor de
admissão. Para mais informações, CONSULTE o item
“Tubo de Ligação Entre o Coletor de Admissão e o
Turbocompressor (Trator com Intercooler) – Remoção e
Instalação”, na Seção 220-06.
220-03-46 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-46

10. CONECTE a mangueira superior do reservatório de


expansão (conectada ao tanque superior do radiador).

11. INSTALE a mangueira superior do radiador (da bomba


d’água ao radiador).

12. INSTALE as braçadeiras da mangueira superior do


radiador no lado do radiador e no lado da saída do
alojamento das válvulas termostáticas.
13. INSTALE a mangueira superior do radiador.

14. INSTALE a mangueira inferior do radiador.


INSTALE as braçadeiras da mangueira inferior do
radiador no lado do radiador e no lado do corpo da
bomba d’água.

15. CONECTE os conectores elétricos dos faróis.


INSTALE a tampa frontal.
220-03-47 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-47

16. INSTALE a tampa superior da cobertura do motor.


• INSTALE a entrada de ar.

17. INSTALE os parafusos de fixação da tampa frontal do


trator (3 de cada lado – mostrado o lado direito).

18. INSTALE as tampas do conjunto motor.

19. ABASTEÇA o sistema de arrefecimento com a solução


adequada. Para mais informações, CONSULTE o item
“Drenagem e Abastecimento do Sistema de
Arrefecimento”, nesta seção.
20. FUNCIONE o motor até a abertura do termostato ou,
com o equipamento adequado, PRESSURIZE o sistema
e OBSERVE se não ocorrem vazamentos. CORRIJA se
necessário.
220-03-48 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-48

DESMONTAGEM E MONTAGEM
Bomba D’água
Ferramenta(s) Especial(ais)

Ferramenta para remoção da polia da bomba injetora (neste caso, aplicada ao


flange de fixação da polia da bomba d’água)
905248900

Ferramenta para remoção do rotor da bomba d’água


910193200

Ferramenta para instalação do vedador (peça Nº. 835339425)


905179300

Ferramenta para instalação do vedador (peça Nº. 835331202)


905140200

Ferramenta para instalação do eixo da bomba d’água


905164900

Desmontagem

ATENÇÃO: com o motor à temperatura normal de funcionamento, o líquido do sistema de


arrefecimento está sob pressão e temperatura próxima de 100 °C. Em contato com a pele,
pode provocar queimaduras. USE sempre os equipamentos de proteção individual (EPI’S)
recomendados.

O líquido de arrefecimento é uma mistura de água com etileno glicol. Esta solução não deve ser
descartada na natureza.
O descarte deve ser feito por meio de empresa qualificada.
220-03-49 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-49

1. DRENE o sistema de arrefecimento. Para mais informações, CONSULTE o item “Drenagem e


Abastecimento do Sistema de Arrefecimento”, nesta seção.

2. REMOVA a bomba d’água.


• REMOVA a placa traseira (flange) e as juntas.
EXAMINE as superfícies de contato para vedação.
Para mais informações, CONSULTE o item “Bomba
D’água – Remoção e Instalação”, nesta seção.

3. Com auxílio da ferramenta especial, com o flange fixado


em uma morsa, REMOVA o flange de fixação da polia da
bomba d’água.
4. REMOVA o anel trava do corpo da bomba.

5. Com auxílio da ferramenta especial, REMOVA o rotor da


bomba d’água.
6. PRESSIONE o eixo da bomba para fora do corpo com
auxílio de uma prensa hidráulica. APOIE o corpo da
bomba de tal forma que os rolamentos saiam junto com o
eixo.

7. Com auxílio de um pino adequado, REMOVA o vedador. REMOVA os resíduos, oxidações e


contaminações do corpo da bomba d’água.
220-03-50 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-50

Montagem

1. NOTA: se houver necessidade de substituição do


eixo da bomba ou dos rolamentos, recomenda-se a
montagem do “kit” completo de reparo da bomba
d’água.
NOTA: durante a montagem, USE SEMPRE novas
juntas e novo vedador.
Com auxílio de uma prensa e da ferramenta especial,
INSTALE o eixo da bomba d’água.
• INSTALE o anel trava.

2. NOTA: podem ser usados dois vedadores diferentes


(de acordo com o corpo da bomba). IDENTIFIQUE a
ferramenta especial pelo número da peça a ser
instalada.
Com auxílio da ferramenta especial, INSTALE o vedador
da bomba d’água.

3. NOTA: ao instalar os rolamentos, PRESSIONE de tal


forma que não seja aplicada força dobre as esferas,
ou seja, PRESSIONE com um tubo adequado de tal
forma que tanto a pista externa como a interna
recebam igual pressão.
INSTALE os rolamentos da bomba d’água.
INSTALE a trava dos rolamentos.
220-03-51 Sistema de Arrefecimento (Linha Pesada, 07/2010) 220-03-51

4. NOTA: CERTIFIQUE-SE que a rosca dianteira do eixo


não seja danificada.
APOIE o eixo e com auxílio de um tubo adequado e uma
prensa hidráulica, PRESSIONE o rotor até a sua posição
de trabalho.
A folga de montagem do rotor deve estar entre 0,8 e 1,2
mm. Após a montagem, VERIFIQUE se o eixo está
virando livremente.

5. INSTALE todos os parafusos de fixação da bomba


d’água ao cabeçote do motor (a ilustração mostra apenas
os parafusos inferiores). Para mais informações,
CONSULTE o item “Bomba D’água – Remoção e
Instalação”, nesta seção.
6. INSTALE o flange e a polia, sem entretanto, aplicar o
torque final à porca de fixação.

7. INSTALE as correias e em seguida APLIQUE o torque


recomendado à porca de fixação do flange.
8. INSTALE as mangueiras e conexões.

8. ABASTEÇA o sistema de arrefecimento com a solução


adequada. Para mais informações, CONSULTE o item
“Drenagem e Abastecimento do Sistema de
Arrefecimento”, nesta seção.
9. FUNCIONE o motor até a abertura do termostato ou,
com o equipamento adequado, PRESSURIZE o sistema
e OBSERVE se não ocorrem vazamentos. CORRIJA se
necessário.
220-04-1 Sistema de Lubrificação (Linha Pesada, 07/2010) 220-04-1

SEÇÃO 220-04
Sistema de Lubrificação

Aplicação nos Modelos: Linha Pesada

Índice

Assunto

ESPECIFICAÇÕES

Sistema de Lubrificação

Bomba de Óleo

Especificações de Torque

DESCRIÇÃO E OPERAÇÃO

Sistema de Lubrificação

Visão Geral – Sistema Típico

Válvula de Alívio

DIAGNÓSTICO E VERIFICAÇÕES

Sistema de Lubrificação

Inspeção e Verificação

Tabela de Sintomas

Medição de Pressão de Óleo

SERVIÇOS NO VEÍCULO

Filtro de Óleo

REMOÇÃO E INSTALAÇÃO

Tubos de Lubrificação do Turbocompressor

Bomba de Óleo

Válvula de Alívio

Injetor de Arrefecimento dos Pistões


220-04-2 Sistema de Lubrificação (Linha Pesada, 07/2010) 220-04-2

Resfriador de Óleo

DESMONTAGEM E MONTAGEM

Bomba de Óleo
220-04-3 Sistema de Lubrificação (Linha Pesada, 07/2010) 220-04-3

ESPECIFICAÇÕES
Sistema de Lubrificação
Descrição Especificação

Pressão do óleo na temperatura normal de trabalho:

Marcha lenta (mínima) 100 kPa (1,0 Kp/cm²)

Rotação de trabalho 400 kPa (2,5 – 4,0


Kp/cm²)

Comprimento livre da mola da válvula de pressão do óleo 80 mm

Força de pressão quando a mola da válvula é comprimida para um comprimento de 52 mm 54 + 5


N (5,4 + 0,5 kp):

Diâmetro do êmbolo da válvula de pressão do óleo 19,602 a 19,635 mm

Diâmetro do cilindro da válvula de pressão do óleo 19,700 a 19,752 mm

Diferença de pressão para abertura da válvula de alívio 2 +/- 0,5 Kp/cm

Bomba de Óleo
Descrição Especificação

Folga de dentes entre as engrenagens quando o virabrequim é mantido firmemente contra a parte
inferior de seus mancais:

Entre as engrenagens: acionadora do virabrequim e acionadora da bomba


0,05 a 0,25 mm
de óleo

Entre as engrenagens da bomba de óleo 0,16 a 0,26 mm

Diâmetro do eixo de acionamento nos mancais da carcaça/tampa 17,966 a 17,984 mm

Diâmetro dos furos de alojamento do eixo na carcaça/tampa 18,000 a 18,018 mm

Diâmetro do furo da engrenagem do eixo fixo 18,060 a 18,078 mm

Diâmetro do eixo da engrenagem fixa 17,966 a 17,984 mm

Diâmetro interno da engrenagem propulsora 18,000 a 18,018 mm

Corpo do eixo fixo da bomba, diâmetro 20,035 a 20,048 mm

Saliência do eixo fixo na parte inferior da carcaça da bomba 0,5 a 1,0 mm

Espessura da junta da tampa 0,06 a 0,08 mm

Diâmetro externo das engrenagens 43,486 a 43,525 mm


220-04-4 Sistema de Lubrificação (Linha Pesada, 07/2010) 220-04-4

Descrição Especificação

Diâmetro da carcaça 43,650 a 43,750 mm

Espessura das engrenagens 32,000 a 32,027 mm

Folga das engrenagens 0,03 a 0,11 mm

Profundidade de alojamento 32,000 a 32,043 mm

Número de dentes da engrenagem motriz 46

Especificações de Torque
Descrição Valores (N.m)

Porca da engrenagem da bomba de óleo 60

Parafusos de fixação da bomba de óleo ao bloco do motor CONSULTE a Seção


110-03.

Parafusos dos dutos da bomba ao bloco do motor CONSULTE a Seção


110-03.
220-04-5 Sistema de Lubrificação (Linha Pesada, 07/2010) 220-04-5

DESCRIÇÃO E OPERAÇÃO
Sistema de Lubrificação
Visão Geral – Sistema Típico

Item Descrição

1 Bomba de óleo lubrificante

2 Válvula de alívio de pressão

3 Filtro de óleo

4 Turbocompressor

5 Galeria principal

6 Bico de refrigeração do pistão

7 Sensor de pressão de óleo


220-04-6 Sistema de Lubrificação (Linha Pesada, 07/2010) 220-04-6

O motor tem um sistema de lubrificação pressurizado com uma bomba de óleo (bomba de
engrenagem) instalada na parte inferior do bloco de cilindro.

A bomba succiona o óleo do cárter através de uma peneira de sucção.

Depois da bomba, o óleo é conduzido para o canal de óleo e mais adiante para válvula de regulagem
de pressão e para o filtro de óleo. Após a passagem pelo filtro o óleo flui para dentro da galeria
principal de distribuição, que possui canais de óleo que se ramificam e levam aos mancais principais
do virabrequim.

Através dos canais no virabrequim o óleo é conduzido dos mancais principais para os mancais da
biela.

O óleo é então direcionado da galeria principal para todos diferentes equipamentos como a bomba
injetora, turboalimentador. Também o mancal da engrenagem intermediária, os mancais do eixo de
comando de válvulas e o mecanismo dos balancins são todos lubrificados via galeria principal de
óleo.

Nos motores com grande potência nominal, o fundo do pistão é arrefecido sempre com óleo spray
quando a pressão estiver maior que 3 bar.

Válvula de Alívio
A válvula de regulagem de pressão do óleo está localizada
abaixo do filtro de óleo no lado esquerdo do motor.
A válvula de regulagem mantém a pressão de óleo
lubrificante para que ela permaneça constante,
independente da velocidade do motor.
Na velocidade de trabalho, a pressão do óleo é
aproximadamente 2,5 – 4 bar, dependendo da temperatura e
da qualidade do óleo lubrificante.
Em marcha lenta, a pressão mínima é de 1,0 bar.

Item Descrição

1 Assento da válvula

2 Chapo ou corpo da válvula

3 Mola

4 Junta

5 Tampa da válvula

6 Parafusos de fixação
220-04-7 Sistema de Lubrificação (Linha Pesada, 07/2010) 220-04-7

O filtro de óleo é do tipo descartável de fluxo direto e é encaixado no lado esquerdo do motor. Ele
tem um cartucho substituível e uma válvula de alívio é localizada na base do filtro para assegurar a
partida a frio ou possíveis entupimentos do filtro. O filtro também está equipado com um defletor que
evita o esvaziamento do filtro quando o motor ficar parado.

Os motores estão equipados com um resfriador de óleo lubrificante localizado entre o bloco de
cilindros e o filtro de óleo.
220-04-8 Sistema de Lubrificação (Linha Pesada, 07/2010) 220-04-8

DIAGNÓSTICO E VERIFICAÇÕES
Sistema de Lubrificação
Inspeção e Verificação
1. VERIFIQUE a reclamação do Operador.

2. INSPECIONE visualmente quanto a sinais óbvios de danos mecânicos ou elétricos.

Tabela de Inspeção Visual

Mecânica Elétrica

• Vazamento de lubrificante • Fusíveis


• Peças visivelmente danificadas ou • Conexões soltas ou corroídas
desgastadas • Conector(es) danificados ou desgastados
• Parafusos e porcas frouxas ou faltantes

3. Se uma causa óbvia for encontrada para um problema observado ou relatado, CORRIJA a causa
(se possível) antes de passar para a próxima etapa.

4. Se o problema não é visualmente evidente, VERIFIQUE o sintoma e CONSULTE a “Tabela de


Sintomas”.

Tabela de Sintomas
Condições Possíveis Causas Ações

Pressão de óleo lubrificante • Restrição no filtro de óleo • SUBSTITUA os filtros.


baixa
• Falha na válvula de alívio • AVALIE o funcionamento da
válvula de alívio.
SUBSTITUA se necessário.

• Sensor de pressão de óleo • TESTE o sensor de pressão


com defeito de óleo. SUBSTITUA se
necessário.

• Fuga de óleo interna no • Desgaste excessivo de


motor mancais, casquilhos, eixos,
etc. AVALIE e CORRIJA o
necessário.

• Óleo com viscosidade • SUBSTITUA o lubrificante.


alterada AVALIE a qualidade do óleo
aplicado.

• Falha nos injetores de • SUBSTITUA o(s) injetor(es)


arrefecimento dos pistões com defeito.
220-04-9 Sistema de Lubrificação (Linha Pesada, 07/2010) 220-04-9

Condições Possíveis Causas Ações

Pressão de óleo muito alta • Falha na válvula de alívio • AVALIE o funcionamento da


válvula de alívio.
SUBSTITUA se necessário.

• Sensor de pressão de óleo • TESTE o sensor de pressão


com defeito de óleo. SUBSTITUA se
necessário.

Medição de Pressão de Óleo

Ferramenta(s) Especial(ais)

905247800
Manômetro para avaliação de pressão de óleo

ATENÇÃO: o manuseio de lubrificante deve ser feito com cautela. O contato prolongado
com a maioria dos derivados de petróleo pode causar lesões ou danos à
saúde. USE os equipamentos de proteção adequados e MANTENHA a roupa
de trabalho limpa.

NOTA: a limpeza durante todos os serviços executados no sistema de lubrificação é


fundamental para o sucesso do reparo e para a durabilidade do motor.

1. LIMPE cuidadosamente toda a área onde o trabalho será efetuado.

2. REMOVA o sensor de pressão de óleo.


3. INSTALE o manômetro no orifício de instalação do
sensor de pressão de óleo.
4. FUNCIONE o motor em marcha lenta até que a pressão
lida no manômetro se estabilize. COMPARE a leitura
com os valores especificados.
5. FUNCIONE o motor em rotação normal de trabalho.
COMPARE a leitura com os valores especificados. Para
mais informações, CONSULTE o item “Especificações”,
nesta seção.
EFETUE as medições com o motor frio e à temperatura
normal de funcionamento. COMPARE os resultados.
220-04-10 Sistema de Lubrificação (Linha Pesada, 07/2010) 220-04-10

SERVIÇOS NO VEÍCULO

Filtro de Óleo

ATENÇÃO: o manuseio de derivados de petróleo deve ser feito com cautela. USE os
equipamentos de proteção adequados para realizar este tipo de manuseio e EVITE usar roupa
contaminada.

CUIDADO: USE um recipiente adequado para colher o óleo. EVITE provocar poças de
óleo ou descartar óleo de forma ou em local inadequado.

Óleo lubrificante é RECICLÁVEL.

1. LIMPE os elementos e o motor nas proximidades, evitando contaminação do sistema de


lubrificação.

2. Com auxílio de ferramenta adequada, REMOVA o filtro


de óleo.

3. LIMPE eliminando todo o tipo de resíduo da superfície de


contato dom o anel de vedação do novo filtro. APLIQUE
uma fina camada de óleo lubrificante nesta superfície.
4. NOTA: não use ferramentas para apertar o novo filtro
de óleo.
• INSTALE um novo filtro de óleo.
• LUBRIFIQUE o anel vedador com uma fina camada
de óleo lubrificante limpo.
• ROSQUEIE o novo filtro em seu alojamento.
5. FUNCIONE o motor por alguns minutos e VERIFIQUE
quanto a vazamento de óleo.
220-04-11 Sistema de Lubrificação (Linha Pesada, 07/2010) 220-04-11

REMOÇÃO E INSTALAÇÃO

Tubos de Lubrificação do Turbocompressor


Remoção

ATENÇÃO: o manuseio de derivados de petróleo deve ser feito com cautela. USE os
equipamentos de proteção adequados para realizar este tipo de manuseio e EVITE usar roupa
contaminada.

CUIDADO: USE um recipiente adequado para colher o óleo. EVITE provocar poças de
óleo ou descartar óleo de forma ou em local inadequado.

Óleo lubrificante é RECICLÁVEL.

1. LIMPE os elementos e o motor nas proximidades,


proximidades, evitando contaminação do sistema de
lubrificação.

2. SOLTE a porca de fixação do flange do tubo rígido de


entrada de óleo no turbo compressor.

3. REMOVA os dois parafusos de fixação do tubo rígido de


entrada de óleo ao turbocompressor.
4. REMOVA o tubo.

5. REMOVA as braçadeiras do tubo flexível entre o tubo


rígido de saída de óleo e a entrada do retorno de óleo no
cabeçote.
220-04-12 Sistema de Lubrificação (Linha Pesada, 07/2010) 220-04-12

6. REMOVA o parafuso de fixação do tubo de retorno de


óleo do turbocompressor.

Instalação

1. INSTALE o parafuso de fixação do tubo de retorno de


óleo do turbocompressor. Para informações de torque,
CONSULTE a Seção 110-03.

2. INSTALE as braçadeiras do tubo flexível entre o tubo


rígido de saída de óleo e a entrada do retorno de óleo no
cabeçote.

3. POSICIONE o tubo em sua rota de trabalho.


4. INSTALE os dois parafusos de fixação do tubo rígido de
entrada de óleo ao turbocompressor. Para informações
de torque, CONSULTE a Seção 110-03.
220-04-13 Sistema de Lubrificação (Linha Pesada, 07/2010) 220-04-13

5. INSTALE a porca de fixação do flange do tubo rígido de


entrada de óleo no turbo compressor. Para informações
de torque, CONSULTE a Seção 110-03.
220-04-14 Sistema de Lubrificação (Linha Pesada, 07/2010) 220-04-14

REMOÇÃO E INSTALAÇÃO
Bomba de Óleo

ATENÇÃO: o manuseio de derivados de petróleo deve ser feito com cautela. USE os
equipamentos de proteção adequados para realizar este tipo de manuseio e EVITE usar roupa
contaminada.

CUIDADO: USE um recipiente adequado para colher o óleo. EVITE provocar poças de
óleo ou descartar óleo de forma ou em local inadequado.

Óleo lubrificante é RECICLÁVEL.

NOTA: esta operação pode ser executada com o motor removido, obedecendo à mesma
seqüência.

1. LIMPE os elementos e o motor nas proximidades, evitando contaminação do sistema de


lubrificação.

2. REMOVA o bujão e ESGOTE o óleo do cárter.

3. CALCE o trator, principalmente na parte traseira, para


evitar acúmulo de tensão sobre o bloco do motor.

4. REMOVA o cárter. Para mais informações, CONSULTE


a Seção 220-02.

5. REMOVA os parafusos de fixação do tubo de ligação


entre a bomba de óleo e a entrada da galeria de óleo no
bloco do motor no lado do bloco.
220-04-15 Sistema de Lubrificação (Linha Pesada, 07/2010) 220-04-15

6. REMOVA o parafuso de fixação do suporte do pescador


e do suporte do tubo de ligação entre a bomba de óleo e
a entrada da galeria de óleo ao bloco do motor.

7. SOLTE os parafusos de fixação:


(1) do tubo de ligação entre a bomba de óleo e a entrada
da galeria de óleo no bloco do motor no lado da
bomba,
(2) e do pescador à bomba de óleo.
8. REMOVA a bomba juntamente com o pescador e com o
tubo de ligação à galeria de óleo do bloco.
(3) REMOVA os parafusos de fixação da bomba de óleo
no motor.

Instalação

1. POSICIONE a bomba de óleo e os dutos (de ligação com a galeria principal e o pescador) em sua
rota de trabalho.

2. NOTA: USE novas juntas nas conexões.


INSTALE os parafusos de fixação da bomba de óleo ao
bloco do motor sem contudo, aplicar o torque final.

3. NOTA: um calço aumenta/reduz a folga entre dentes


em 0,07 mm.
NOTA: quando estiver medindo a folga entre dente, o
motor deve estar em posição de trabalho, porque o
jogo do mancal afeta a folga entre dentes.
MONTE a bomba na sua posição (na parte inferior do
bloco de cilindros), e VERIFIQUE a folga entre dentes
das engrenagens do virabrequim e da bomba (0,05...0,25
mm) com um relógio comparador. Se necessário,
ALTERE a quantidade de calços entre a carcaça da
bomba e o bloco de cilindros. (Calço de 0,2 mm, nº
836007871).
220-04-16 Sistema de Lubrificação (Linha Pesada, 07/2010) 220-04-16

4. APLIQUE o torque recomendado aos parafusos de


fixação da bomba ao bloco do motor.

5. NOTA: USE uma junta nova na instalação.


INSTALE os parafusos de fixação do tubo de ligação
entre a bomba de óleo e a entrada da galeria de óleo no
bloco do motor no lado do bloco.

6. INSTALE os parafusos de fixação do tubo de ligação


entre a bomba de óleo e a entrada da galeria de óleo no
bloco do motor no lado da bomba, e do pescador à
bomba de óleo.

7. INSTALE o parafuso de fixação do suporte do pescador


e do suporte do tubo de ligação entre a bomba de óleo e
a entrada da galeria de óleo ao bloco do motor.

8. INSTALE a junta do cárter, aplicando silicone na


superfície de contato com o bloco de cilindros (cárter
fundido e estrutural).
INSTALE o cárter. Para mais informações, CONSULTE a
Seção 220-02.
220-04-17 Sistema de Lubrificação (Linha Pesada, 07/2010) 220-04-17

9. APERTE os parafusos segundo a tabela abaixo:


Parafusos normais (7): 22 a 29 N.m.

Parafusos Especiais (Estruturais)

No. Parafuso Comp. (mm) Torque (N.m)

1 M8 12.9 30

2 M10 12.9 90

3 M14 10.9 200

4 M20 10.9 600

5 M16 10.9 300

6 M20 10.9 600

6 M22 10.9 700


220-04-18 Sistema de Lubrificação (Linha Pesada, 07/2010) 220-04-18

REMOÇÃO E INSTALAÇÃO
Válvula de Alívio

ATENÇÃO: o manuseio de derivados de petróleo deve ser feito com cautela. USE os
equipamentos de proteção adequados para realizar este tipo de manuseio e EVITE usar roupa
contaminada.

CUIDADO: USE um recipiente adequado para colher o óleo. EVITE provocar poças de
óleo ou descartar óleo de forma ou em local inadequado.

Óleo lubrificante é RECICLÁVEL.

1. LIMPE os elementos e o motor nas proximidades, evitando contaminação do sistema de


lubrificação.

2. REMOVA os parafusos de fixação da tampa da válvula


de alívio.

3. REMOVA a mola, o corpo e o assento da válvula.

4. LIMPE as peças e VERIFIQUE se o corpo da válvula


desliza suavemente e se a superfície de vedação não
está danificada.
Danos menores podem ser arrumados, mas geralmente,
peças danificadas devem ser trocadas. RASPE todo
resquício da junta.

Para os motores sem injetor de arrefecimento dos pistões, a válvula de alívio tem construção
diferente, com idêntica função e funcionamento.
220-04-19 Sistema de Lubrificação (Linha Pesada, 07/2010) 220-04-19

5. REMOVA a tampa da válvula e mola.


Esteja atento com a arruela que fica entre a tampa e a
mola. DESMONTE o inserto da válvula junto com o
êmbolo e CERTIFIQUE-SE de que o anel de vedação
também tenha sido removido.
6. LIMPE as peças e VERIFIQUE se o êmbolo da válvula
desliza suavemente no inserto e se a superfície de
vedação não está danificada.
As peças danificadas devem ser trocadas. REMOVA
totalmente partes coladas da junta antiga.

7. NOTA: OBSERVE que a tampa da válvula de alívio


não é simétrica. A maior distância entre o suporte da
mola e do parafuso deve ser montada para baixo.
INSTALE um novo anel de vedação e INSIRA-O no bloco
de cilindros. COLOQUE a arruela e a mola no
revestimento e MONTE com uma nova junta.
220-04-20 Sistema de Lubrificação (Linha Pesada, 07/2010) 220-04-20

REMOÇÃO E INSTALAÇÃO

Injetor de Arrefecimento dos Pistões

ATENÇÃO: o manuseio de derivados de petróleo deve ser feito com cautela. USE os
equipamentos de proteção adequados para realizar este tipo de manuseio e EVITE usar roupa
contaminada.

CUIDADO: USE um recipiente adequado para colher o óleo. EVITE provocar poças de
óleo ou descartar óleo de forma ou em local inadequado.

Óleo lubrificante é RECICLÁVEL.

NOTA: esta operação pode ser executada com o motor removido, obedecendo à mesma
sequência.

1. REMOVA a bomba de óleo. Para mais informações,


CONSULTE o item “Remoção e Instalação – Bomba de
Óleo”, nesta seção.

2. REMOVA o virabrequim. Para mais informações,


CONSULTE a Seção 220-02.

3. REMOVA os injetores de arrefecimento dos pistões.


220-04-21 Sistema de Lubrificação (Linha Pesada, 07/2010) 220-04-21

4. NOTA: o injetor tem uma válvula de esfera regulada a


uma pressão de abertura de 3 +/- 0,25 bar.
SEPARE a válvula do tubo.
SUBSTITUA a válvula se necessário.

Instalação

1. NOTA: APLIQUE trava química na rosca das válvulas


(Loctite 242 – Torque médio).
INSTALE o tubo e a válvula, sem aplicar torque.
POSICIONE o tubo do injetor em um ângulo de 90° da
linha central do virabrequim, conforme ilustração ao lado.

2. NOTA: OBSERVE se os tubos dos injetores não


interferem nos pistões ou nas bielas quando o motor
funcionar.
APLIQUE o torque especificado à válvula.
CERTIFIQUE-SE de que a posição do tubo não foi
alterada.

3. INSTALE o virabrequim. Para mais informações,


CONSULTE a Seção 220-02.
220-04-22 Sistema de Lubrificação (Linha Pesada, 07/2010) 220-04-22

4. INSTALE a bomba de óleo. Para mais informações,


CONSULTE o item “Remoção e Instalação – Bomba de
Óleo”, nesta seção.
220-04-23 Sistema de Lubrificação (Linha Pesada, 07/2010) 220-04-23

REMOÇÃO E INSTALAÇÃO
Resfriador de Óleo

ATENÇÃO: o manuseio de derivados de petróleo deve ser feito com cautela. USE os
equipamentos de proteção adequados para realizar este tipo de manuseio e EVITE usar roupa
contaminada.

CUIDADO: USE um recipiente adequado para colher o óleo. EVITE provocar poças de
óleo ou descartar óleo de forma ou em local inadequado.

Óleo lubrificante é RECICLÁVEL.

1. LIMPE os elementos e o motor nas proximidades, evitando contaminação do sistema de


lubrificação.

2. ESCOE todo o líquido de arrefecimento.


REMOVA o bujão de escoamento localizado no
resfriador de óleo e ESCOE.

3. Com auxílio de ferramenta adequada, REMOVA o filtro


de óleo.

4. REMOVA as braçadeiras de fixação dos tubos de


entrada e saída de líquido de arrefecimento.
220-04-24 Sistema de Lubrificação (Linha Pesada, 07/2010) 220-04-24

5. REMOVA a porca de fixação do resfriador de óleo.

6. NOTA: DESCARTE o anel vedador.


REMOVA o resfriador de óleo e REMOVA as
mangueiras.

7. REMOVA o tubo de conexão com a galeria de óleo.

Instalação

1. INSTALE o tubo de conexão dentro do resfriador de óleo.


220-04-25 Sistema de Lubrificação (Linha Pesada, 07/2010) 220-04-25

2. INSTALE as mangueiras e as braçadeiras.

3. NOTA: USE sempre um anel vedador novo.


• INSTALE um anel vedador novo. APLIQUE uma leve
camada de óleo lubrificante no anel vedador antes da
instalação.
• APLIQUE uma camada de trava química (Loctite –
271) na rosca do tubo de conexão, do lado do bloco
do motor.

4. NOTA: OBSERVE que o resfriador de óleo só pode


ser montado se o localizador superior estiver
devidamente alojado.
INSTALE o resfriador de óleo, fixando o tubo de
conexão. ROSQUEIE o tubo com a mão até o fim da
rosca.

5. APERTE a porca de fixação do resfriador de óleo,


pressionando o mesmo contra o anel de vedação e o
bloco do motor.

6. INSTALE as braçadeiras de fixação dos tubos de entrada


e saída de líquido de arrefecimento.
220-04-26 Sistema de Lubrificação (Linha Pesada, 07/2010) 220-04-26

7. NOTA: não use ferramentas para apertar o novo filtro


de óleo.
INSTALE um novo filtro de óleo.
• LUBRIFIQUE o anel vedador com uma fina camada
de óleo lubrificante limpo.
• ROSQUEIE o novo filtro em seu alojamento.
Para mais informações, CONSULTE o item “Filtro de
Óleo”, nesta seção.

8. INSTALE o bujão de drenagem do resfriador de óleo.


9. ABASTEÇA o sistema de arrefecimento. Para mais
informações, CONSULTE a Seção 220-03.
• COMPLETE o nível de óleo.
• FUNCIONE o motor por alguns minutos e VERIFIQUE
quanto a vazamento de óleo e/ou líquido de
arrefecimento.
220-04-27 Sistema de Lubrificação (Linha Pesada, 07/2010) 220-04-27

DESMONTAGEM E MONTAGEM
Bomba de Óleo
Desmontagem

ATENÇÃO: o manuseio de derivados de petróleo deve ser feito com cautela. USE os
equipamentos de proteção adequados para realizar este tipo de manuseio e EVITE usar roupa
contaminada.

CUIDADO: USE um recipiente adequado para colher o óleo. EVITE provocar poças de
óleo ou descartar óleo de forma ou em local inadequado.

Óleo lubrificante é RECICLÁVEL.

1. DRENE o óleo do cárter.

2. REMOVA a bomba de óleo. Para mais informações,


CONSULTE o item “Remoção e Instalação – Bomba de
Óleo”, nesta seção.

3. REMOVA a tampa da bomba e AJUSTE-A. REMOVA a


engrenagem no eixo neutro.
4. PRENDA a engrenagem da bomba pelos dentes com o
uso de uma morsa com mandíbulas macias, SOLTE a
engrenagem do eixo. Para sacar a engrenagem bata no
final do eixo usando um martelo de cobre.
5. LIMPE as partes e CONFIRA se existem pontos
danificados. COMPARE com as especificações.
TROQUE todos os anéis de vedação.

6. Nos motores os mancais são construídos com buchas separadas. Permite substituir as buchas de
forma individual mudando a dimensão
dimensão de 18,000 a 18,018 mm, depois de ajustar. TRACIONE e
EMPURRE o eixo engrenagem.
220-04-28 Sistema de Lubrificação (Linha Pesada, 07/2010) 220-04-28

7. NOTA: motores de número C1133 a conexão entre a


engrenagem (1) e o eixo (2) da bomba é do tipo
cônica sem chaveta.
Como parte do processo de padronização, todos os
motores de 6 cilindros são montados com a mesma
bomba de óleo.
Nos motores usa-se a bomba 8368 52607.

A nova bomba também poderá ser montada nos motores mais antigos, quando for necessário
substituir os tubos de sucção e tubos de pressão, em função da localização das conexões diferentes
em relação ao virabrequim.

Montagem

1. COLOQUE as engrenagens no seu alojamento.


2. SUBSTITUA a junta entre a carcaça e a tampa.
APERTE levemente os parafusos da tampa. GIRE o eixo
e BATA na tampa lateralmente até encontrar a posição
na qual o eixo gire o mais livre possível. APERTE os
parafusos da tampa e VERIFIQUE se o eixo ainda gira
suavemente.
3. COLOQUE a chaveta e a engrenagem de acionamento
no eixo. APLIQUE Loctite 242 na rosca da porca e
APERTE-A com um torque de 60 N.m. Não esqueça da
arruela de pressão embaixo da porca.
220-04-29 Sistema de Lubrificação (Linha Pesada, 07/2010) 220-04-29

4. FIXE a bomba de óleo em uma morsa com lingüetas de


proteção. VERIFIQUE a folga axial entre a engrenagem e
a carcaça com um relógio comparador.
A folga deve estar entre (0,03 a 0,11 mm), se necessário
AJUSTE-A, alterando a quantidade de juntas entre a
tampa e a carcaça.

5. NOTA: quando estiver medindo a folga entre dentes,


o motor deve estar em posição de trabalho, porque o
jogo do mancal afeta a folga entre dentes.
NOTA: um calço aumenta/reduz a folga entre dentes
em 0,07 mm.
MONTE a bomba na sua posição (na parte inferior do
bloco de cilindros), e VERIFIQUE a folga entre dentes
das engrenagens do virabrequim e da bomba (0,05...0,25
mm) com um relógio comparador. Se necessário,
ALTERE a quantidade de calços entre a carcaça da
bomba e o bloco de cilindros. (Calço de 0,2 mm, nº
836007871).

6. COMPLETE a instalação da bomba de óleo. Para mais informações, CONSULTE o item


“Remoção e Instalação – Bomba de Óleo”, nesta seção.
220-05-1 Sistema de Combustível (Linha Pesada, 07/2010) 220-05-1

SEÇÃO 220-05
Sistema de Combustível

Aplicação nos Modelos: Linha Pesada

Índice

Assunto

ESPECIFICAÇÕES

Bomba Injetora

Bomba Alimentadora (de Transferência)

Bicos Injetores

Tanque de Combustível

Filtros de Combustível

Especificações de Torques

DESCRIÇÃO E OPERAÇÃO

Sistema de Combustível

Visão Geral – Sistema Típico

Tanque de Combustível

Pré-filtro Decantador

Bomba de Transferência

Filtro Duplo de Combustível

Bomba Injetora

Porta-injetor de Combustível

Controle de Aceleração

DIAGNÓSTICO E VERIFICAÇÕES

Sistema de Combustível

Inspeção e Verificação
220-05-2 Sistema de Combustível (Linha Pesada, 07/2010) 220-05-2

Tabela de Sintomas

Verificação de Componentes

SERVIÇOS NO VEÍCULO

Sincronismo da Bomba Injetora

Sangria do Sistema de Combustível

Circuito de Baixa Pressão

Circuito de Alta Pressão

Filtros

Pré-filtro Sedimentador

Filtro Duplo de Combustível

Controle de Aceleração

REMOÇÃO E INSTALAÇÃO

Bomba Injetora – Motores Tier 0

Bomba Injetora – Motores Tier II

Porta-injetor de Combustível

Tubos da Linha de Combustível

Linha de Sucção

Linha de Baixa Pressão

Linha de Alta Pressão

Linha de Retorno de Combustível

DESMONTAGEM E MONTAGEM

Porta-injetor de Combustível
220-05-3 Sistema de Combustível (Linha Pesada, 07/2010) 220-05-3

ESPECIFICAÇÕES
Bomba Injetora
Descrição Especificação

Fabricante da bomba Bosch

Tipo de bomba Rotativa Bosch VE (“VE”


vem do alemão Verteiler,
que significa distribuidor).

Posição de ajuste estático - graus APMS 5°

Distância do pistão e da bomba de injeção (na montagem) 0,50 mm

Sentido de rotação, visto pela frente do motor Horário

Ordem de injeção 1-5-3-6-2-4

Combustível O combustível deve estar


de acordo com norma E
N 5 9 0.

Bomba Alimentadora (de Transferência)


Descrição Especificação

Tipo de bomba De diafragma, separada,


com alavanca manual

Pressão de alimentação do combustível (estático) 0,48 bar

Pressão mínima de alimentação do combustível 0,20 bar / sob máxima


rotação

Bicos Injetores
Descrição Especificação

Número de furos 5

Pressão de trabalho 23 Mpa (230 Kp/cm²)


220-05-4 Sistema de Combustível (Linha Pesada, 07/2010) 220-05-4

Tanque de Combustível
Descrição Especificação

Capacidade 362 litros

Filtros de Combustível
Descrição Especificação

Pré-filtro Stanadyne 30 µ

Filtros Stanadyne 5 µ

Especificações de Torques
Descrição Valores (N.m)

Porcas M8 de fixação da bomba injetora 30

Parafusos de fixação da engrenagem da bomba 35

Porcas de fixação do flange 92,5

Porca de fixação dos tubos de alta pressão da bomba 25


220-05-5 Sistema de Combustível (Linha Pesada, 07/2010) 220-05-5

DESCRIÇÃO E OPERAÇÃO
Sistema de Combustível
Visão Geral – Sistema Típico

Item Descrição

1 Tanque de combustível

2e3 Pré-filtro decantador

4 Bomba de transferência (baixa pressão)

5 Filtro principal

6 Bomba injetora rotativa (tipo distribuidor)

7 Porta-injetor de combustível

8 Retorno para o tanque

9 Parafuso de sangria
220-05-6 Sistema de Combustível (Linha Pesada, 07/2010) 220-05-6

Tanque de Combustível

O conjunto dos tanques de combustível, tem capacidade de 362 litros, o que garante grande
autonomia de trabalho.

O tanque principal faz parte da estrutura do veículo, e está


localizado sob a cabine.

Lateralmente são acoplados dois tanques (um de cada lado)


protegidos na parte de baixo por um resistente suporte
metálico.
O bocal de abastecimento único dispõe de um filtro
composto por tela metálica, o que dificulta a entrada de
contaminantes durante o abastecimento.

Pré-filtro Decantador

Montado entre o tanque de combustível e a bomba de


transferência, este conjunto tem a função de efetuar uma
primeira filtragem do combustível, decantando em seu
reservatório inferior, partículas de impurezas e toda a água
que porventura venha a se condensar no tanque.
Este decantador deverá ser drenado sempre que o nível de
água em seu interior for igual ou superior a 15 mm.
220-05-7 Sistema de Combustível (Linha Pesada, 07/2010) 220-05-7

Bomba de Transferência

Esta bomba de diafragma é a responsável pela transferência


do combustível do tanque até a entrada da bomba injetora,
sendo responsável inclusive pela geração de pressão
necessária para vencer a resistência dos filtros principais.
Seu acionamento é mecânico, por meio do levantamento de
uma alavanca, feita pelo eixo de comando das válvulas.
Ela possui uma alavanca externa, para acionamento
manual, durante o processo.

Filtro Duplo de Combustível

Saindo da bomba de transferência, o combustível passa por


dois filtros montados em série onde a maior parte de
impurezas fica retida (mesmo as de dimensões mínimas).
Estes dois filtros são montados em série. O primeiro, retém
impurezas maiores e o segundo, retém partículas
micrométricas, de tal forma que ao chegar à bomba injetora,
o risco de danos ou entupimentos por impurezas no
combustível é mínino.
Isso resulta numa necessidade de atenção para este
conjunto, já que seu entupimento pode provocar inclusive a
redução de eficiência do motor.

Bomba Injetora

A bomba rotativa tipo distribuidora executa três funções


fundamentais no sistema:
a) elevar rapidamente a pressão do combustível;
b) direcionar este combustível para o bico injetor que está
terminando o curso de compressão de ar.
c) medir e enviar para o injetor, a quantidade de
combustível compatível com a rotação do motor e com a
posição do acelerador.
Esta alta pressão vence a resistência da mola do injetor,
debitando o combustível para dentro da câmara de
combustão.
220-05-8 Sistema de Combustível (Linha Pesada, 07/2010) 220-05-8

Porta-injetor de Combustível

O porta-injetor de combustível, instalado no cabeçote dos


cilindros, tem uma parte de seu corpo dentro da câmara de
combustão.
Por este motivo, necessita sofrer durante todo o tempo um
processo efetivo de arrefecimento.
Quando a bomba injetora envia a dosagem de combustível
para o injetor, há sempre uma pequena quantidade a mais
do que a necessária, que vai circular pelo dentro do corpo
do injetor e retornar para o tanque de combustível. Esta
circulação tem a função de propiciar a necessária
refrigeração dos bicos injetores.
O mecanismo que permite a injeção e a sobra é a junção da
mola do porta-injetor de combustível em contraposição com
o desenho do injetor.
Quando o combustível chega ao bico, a pressão a que está
submetido, vence a força da mola, abrindo o jato para a
câmara. Esta abertura provoca uma queda de pressão.
Então o porta-injetor de combustível se fecha e o
combustível não injetado retorna ao reservatório.

Controle de Aceleração

Identificação dos Componentes


220-05-9 Sistema de Combustível (Linha Pesada, 07/2010) 220-05-9

Item Descrição

1 Mola de retorno, junto à bomba injetora

2 Suporte regulável do cabo

3 Porcas de regulagem do cabo

4 Acelerador manual

5 Mola e porcas de regulagem da alavanca do acelerador manual

6 Cabo do acelerador manual: aciona o articulador (8) através da barra (7)

7 Barra atuadora: inicia a atuação quando o pino frontal (7a) atinge o articulador (8)

8 Articulador: interliga os aceleradores de pedal e manual com o cabo final (13), que
vai até a bomba injetora

9 Tirante do pedal

10 Suporte do pedal

11 Coifa de vedação

12 Pedal

13 Cabo final: controla a aceleração na bomba injetora

A atuação do acelerador manual (4) ocorre a partir do ponto em que se posiciona o acelerador de
pedal (12).
Por exemplo: ao manter o acelerador de pedal a meio curso, o acelerador manual só começa a atuar
sobre o cabo final (13) a partir da posição de média aceleração.
Por outro lado, ao mover o acelerador manual (4) para uma determinada posição, o pedal (12) será
deslocado simultaneamente.
Ao deixar o acelerador manual numa dada posição, o acelerador de pedal só terá atuação a partir
deste ponto, ou seja, ao soltá-lo, ele retorna só até a posição correspondente em que se encontra o
acelerador manual.
220-05-10 Sistema de Combustível (Linha Pesada, 07/2010) 220-05-10

DIAGNÓSTICO E VERIFICAÇÕES
Sistema de Combustível
Inspeção e Verificação

1. VERIFIQUE a reclamação do Operador.

2. INSPECIONE visualmente quanto a sinais óbvios de danos mecânicos ou elétricos.

Tabela de Inspeção Visual

Mecânica Elétrica

• Vazamentos de combustível • Fusíveis


• Peças visivelmente danificadas ou • Conexões soltas ou corroídas
desgastadas
• Conector(es) danificados ou desgastados
• Parafusos e porcas frouxas ou faltantes

3. Se uma causa óbvia for encontrada para um problema observado ou relatado, CORRIJA a causa
(se possível) antes de passar para a próxima etapa.

4. Se o problema não é visualmente evidente, VERIFIQUE o sintoma e CONSULTE a “Tabela de


Sintomas”.

Tabela de Sintomas

Condições Possíveis Causas Ações

Pressão de alimentação baixa • Entupimento dos filtros de • SUBSTITUA os filtros.


combustível

• Funcionamento de modo • TESTE o desempenho da


falho da bomba de bomba. SUBSTITUA se
alimentação necessário.

• Tubulação de sucção • AVALIE o aperto e


entupida ou entrada de ar estanqueidade das
conexões. No caso de
entupimento, LIMPE ou
substitua a tubulação.

• Tanque de combustível • ABASTEÇA com


vazio ou combustível combustível adequado ou
inadequado SUBSTITUA o combustível
se necessário.
220-05-11 Sistema de Combustível (Linha Pesada, 07/2010) 220-05-11

Condições Possíveis Causas Ações

Bomba injetora não injeta • Solenóide de corte sem • AVALIE integridade do


combustível alimentação elétrica ou com fusível e a continuidade do
cabo ou fusível interrompido cabo de ligação.
SUBSTITUA se necessário.

• Tensão cai excessivamente • AVALIE o estado de carga


durante a partida: bateria da bateria. CARREGUE se
fraca ou problemas no necessário. AVALIE o
sistema de partida) sistema de carga da bateria
(alternador, regulador de
voltagem, etc.)

Ruído “áspero” do motor • Sistema de avanço de • AVALIE o fusível e os cabos


partida a frio (KSB) sem de alimentação do sistema.
alimentação elétrica SUBSTITUA se necessário

• Mola quebrada do • REMOVA a bomba injetora e


dispositivo de avanço do ENCAMINHE para um posto
ponto de injeção de assistência técnica do