Você está na página 1de 3

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS SOCIAIS

DISCIPLINA: DEMOCRACIA E O DIREITO À CIDADE: TERRITÓRIOS EM DISPUTA


PROFESSOR RESPONSÁVEL: Rodrigo Alberto Toledo
DATA INÍCIO DA DISCIPLINA: 14/03/2018.
DIA E HORÁRIO: quartas-feiras, das 14h00 às 18h00.
CRÉDITOS: 06

Ementa:
Repensar a esfera pública a partir da conceituação da teoria democrática como uma necessidade de se
abordar a questão urbana. Produzir reflexões sobre o desenvolvimento de projetos de renovação urbana que
fizeram emergir conflitos e dinâmicas que apontam para uma crise do urbanismo nas últimas décadas do
século XX. Relações entre o desenho e formas urbanas na consolidação dos subúrbios, das periferias e da
especulação fundiária no Brasil e no mundo. Análises do planejamento urbano no Brasil e das lutas sociais
no processo de produção do solo urbano.

Objetivos:
Território e planejamento são temas fundamentais na ação do Estado. A busca de uma estrutura organizativa
e funcional para o território em prol do desenvolvimento econômico, social e ambiental é parte fundamental
da administração pública em qualquer realidade nacional, regional ou local. Análise do processo de
formulação e institucionalização das políticas de planejamento territorial, particularmente urbano, das
disciplinas urbanas e dos planos diretores, através de referências teóricas e empíricas para o debate de
aspectos centrais da conceituação. Análise das correntes teóricas democráticas, a hegemônica democrática
liberal e a deliberativa democrática radial, com o objetivo de produzir reflexões sobre os processos
metodológicos de elaboração dos Planos Diretores. Produzir reflexões sobre as relações entre diferenciação
socioespacial e as cidades. Analisar as escalas, diferenças e desigualdades socioespaciais na sociedade
contemporânea. Interpretar a cidade a partir dos conceitos de centralidade, fragmentação socioespacial e do
direito à cidade para compreender as atuais dinâmicas de produção do espaço urbano.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO E REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:


1. Planejamento e urbanismo no Brasil: uma análise sociológica da questão urbana
- FERNANDES, Florestan. Cap. 5 – A concretização da revolução burguesa. (IN) A revolução burguesa
no Brasil: ensaio de interpretação sociológica. Rio de Janeiro: Guanabara, 1987.
- FREITAG, Barbara. 5 - Teorias da cidade: a recepção no Brasil. (IN) Teorias da cidade. Campinas, SP:
Papirus, 2006.
- GITAHY, Maria Lucia Caira (org.). Cap. 1 – Planejando antes do planejamento: território e cidade em
São Paulo, 1880-1910. São Carlos: RiMa, Fapesp, 2005.
- JACOBS, Jane. Morte e vida de grandes cidades. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2011.
- MARICATO, Ermínia. As ideias fora do lugar e o lugar fora das ideias. (IN) ARANTES, Otília;
VAINER, Carlos; MARICATO, Ermínia. A cidade do pensamento único: desmanchando consensos.
Petrópolis, RJ: Vozes, 2000.
2. Democracia e representação: os limites da participação democrática
- MIGUEL, Luís Felipe (Org). Desigualdades e democracia: o debate da teoria política. São Paulo:
Editora Unesp, 2016.
- MIGUEL, Luis Felipe. Consenso e conflito na teoria democrática: para além do agonismo. São Paulo:
Lua Nova. Revista de Cultura e Política, número 92: 13-43, 2014.
3. A esfera pública e a teoria democrática: o Estado e as formas de interação com os cidadãos.
- HABERMAS, Jürgen. I. Introdução: delimitação propedêutica de um tipo de esfera pública burguesa
(p.93-134); V – Mudança da estrutura social da esfera pública (327-393). (IN) Mudança estrutural da
esfera pública: investigações sobre uma categoria da sociedade burguesa. São Paulo: Editora Unesp,
2014.
- HABERMAS, Jürgen. Volume IV – Teoria Política: Jürgen Habermas: obras escolhidas. Lisboa,
Portugal: Edições 70, 2015.
- HABERMS, Jürgen. Capítulo VII – Teoria da sociedade de Talcot Parsons: problemas de construção e
Capítulo VIII – Consideração final: De Parsons a Marx, pela mediação de Weber. (IN) Teoria do agir
comunicativo, vol.2: sobre a crítica da razão funcionalista. São Paulo: Martins Fontes, 2012.
- MELO, Rúrion. Repensando a esfera pública: esboço de uma teoria crítica da democracia. São Paulo:
Lua Nova. Revista de Cultura e Política, número 94: 11-39, 2015.
- TAVARES, Francisco Mata Machado. O Estado na democracia deliberativa: as raízes de uma
antinomia. São Paulo: Lua Nova. Revista de Cultura e Política, número 95: 225-257, 2015.
4. Conceitos de justiça e democracia em John Rawls, Jürgen Habermas e Chantal Mouffe
- WERLE, Luís Denilson. Justiça e democracia: ensaios sobre Jon Rawls e Jürgen Habermas.São
Paulo: Singular, Esfera Pública, 2008.
- MOUFFE, Chantal. Sobre o político. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2015.
- TAVARES, Francisco Mata Machado. O Estado na democracia deliberativa: as raízes de uma
antinomia. São Paulo: Lua Nova. Revista de Cultura e Política, número 95: 225-257, 2015.
5. O direito à cidade como perspectiva utópica: espoliação, segregação e vulnerabilidade urbana
- HARVEY, David. Cidades rebeldes: do direito à cidade à revolução urbana. São Paulo: Martins
Fontes, 2015.
- KOWARICK, Lúcio. Escritos urbanos. São Paulo: Ed. 34, 2000.
- VILLAÇA, Flávio. Reflexões sobre as cidades brasileiras. São Paulo: Studio Nobel, 2012. (pp.43-71).
- SOUZA, Marcelo Lopes. 2 – Planejamento urbano alternativo?. (IN) O Desafio metropolitano – um
estudo sobre a problemática sócio-espacial nas metrópoles brasileiras. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2000.
- TOLEDO, Rodrigo Alberto. Do projeto ao plano: a corrente urbanística paulista. São Carlos: Rima,
2017.
6. Debates sobre teoria política: desigualdades e democracia.
- MIGUEL, Luis Felipe. Democracia e representação: territórios em disputa. São Paulo: Editora Unesp,
2014.
- SORJ, Bernardo. brasil@povo.com: a luta contra a desigualdade na Sociedade da Informação. Rio de
Janeiro: Jorge Zahar Ed.; Brasília, DF: Unesp, 2003.
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
1. FERNANDES, Florestan. Cap. 5 – A concretização da revolução burguesa. (IN) A revolução
burguesa no Brasil: ensaio de interpretação sociológica. Rio de Janeiro: Guanabara, 1987.
2. HABERMAS, Jürgen. Volume IV – Teoria Política: Jürgen Habermas: obras escolhidas. Lisboa,
Portugal: Edições 70, 2015.
3. __________________. I. Introdução: delimitação propedêutica de um tipo de esfera pública
burguesa (p.93-134); V – Mudança da estrutura social da esfera pública (327-393). (IN) Mudança
estrutural da esfera pública: investigações sobre uma categoria da sociedade burguesa. São
Paulo: Editora Unesp, 2014.
4. _________________. Capítulo VII – Teoria da sociedade de Talcot Parsons: problemas de
construção e Capítulo VIII – Consideração final: De Parsons a Marx, pela mediação de Weber. (IN)
Teoria do agir comunicativo, vol.2: sobre a crítica da razão funcionalista. São Paulo: Martins
Fontes, 2012
5. HARVEY, David. Cidades rebeldes: do direito à cidade à revolução urbana. São Paulo: Martins
Fontes, 2015.
6. VILLAÇA, Flávio. São Paulo: segregação urbana e desigualdade. (IN) Reflexões sobre as cidades
brasileiras. São Paulo: Studio Nobel, 2012. (pp.43-71).
7. FREITAG, Barbara. 5 - Teorias da cidade: a recepção no Brasil. (IN) Teorias da cidade.
Campinas, SP: Papirus, 2006.
8. GITAHY, Maria Lucia Caira (org.). Cap. 1 – Planejando antes do planejamento: território e
cidade em São Paulo, 1880-1910. São Carlos: RiMa, Fapesp, 2005.
9. JACOBS, Jane. Morte e vida de grandes cidades. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2011.
10. KOWARICK, Lúcio. Escritos urbanos. São Paulo: Ed. 34, 2000.
11. MARICATO, Ermínia. As ideias fora do lugar e o lugar fora das ideias. (IN) ARANTES, Otília;
VAINER, Carlos; MARICATO, Ermínia. A cidade do pensamento único: desmanchando consensos.
Petrópolis, RJ: Vozes, 2000.
12. MIGUEL, Luís Felipe (Org.). Desigualdades e democracia: o debate da teoria política. São
Paulo: Editora Unesp, 2016.
13. _______________________. Consenso e conflito na teoria democrática: para além do agonismo.
São Paulo: Lua Nova. Revista de Cultura e Política, número 92: 13-43, 2014.
14. _______________________. Democracia e representação: territórios em disputa. São Paulo:
Editora Unesp, 2014.
15. MOUFFE, Chantal. Sobre o político. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2015.
16. MELO, Rúrion. Repensando a esfera pública: esboço de uma teoria crítica da democracia. São
Paulo: Lua Nova. Revista de Cultura e Política, número 94: 11-39, 2015.
17. SOUZA, Marcelo Lopes. 2 – Planejamento urbano alternativo?. (IN) O Desafio metropolitano –
um estudo sobre a problemática sócio-espacial nas metrópoles brasileiras. Rio de Janeiro: Bertrand
Brasil, 2000.
18. TAVARES, Francisco Mata Machado. O Estado na democracia deliberativa: as raízes de uma
antinomia. São Paulo: Lua Nova. Revista de Cultura e Política, número 95: 225-257, 2015.
19. TOLEDO, Rodrigo Alberto. Do projeto ao plano: a corrente urbanística paulista. São Carlos:
Rima, 2017.
20. WERLE, Luís Denilson. Justiça e democracia: ensaios sobre Jon Rawls e Jürgen Habermas.São
Paulo: Singular, Esfera Pública, 2008.
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
1. BASSET, Edward M.;WILLIAMS, Frank B.; BETTAMAN, Alfred e WHITTEN, Robert. Harvard
City Planning Studies, v.VIII. Cambridge: Harvard University Press, 1935.
2. BENEVOLO, Leonardo. Ultimo capítulo da arquitetura moderna. Lisboa: Edições 70, 2009.
3. BERMAN, Marshall. Tudo que é sólido desmancha no ar. São Paulo: Companhia das Letras, 1986.
4. BORDENAVE, Juan E. D. O que é participação. 7. ed. São Paulo: Brasiliense, 1992.
5. BÓRON, A. Estado, capitalismo e democracia na América Latina. São Paulo: Paz e Terra, 1994.
6. BRANDÃO, Carlos. Transformar a provisão de bens e serviços públicos e coletivos nos espaços
urbanos e regionais do Brasil (Transforming the provision of goods and collective and public
services in urban and regional spaces in Brazil), nº 23 ▪ ano 6 | dezembro de 2015 ▪ e-metropolis.
7. BUZZAR, Miguel Antonio. A arquitetura moderna brasileira (pp.133-168). (IN) João Batista
Vilanova Artigas: elementos para a compreensão de um caminho da arquitetura brasileira,
1938-1967. São Paulo: Editora Unesp; Editora Senac São Paulo, 2014.
8. BOURDIEU, Pierre. A economia das trocas simbólicas. São Paulo: Perspectiva, 2013.
9. BRITO, Saturnino Rodrigues. Tracé sanitaire des Villes. Paris: Imprimerie Chaix, 1916.
10. CANO, Wilson. Subsídios para a reformulação das políticas de descentralização industrial e de
urbanização no Estado de São Paulo. IN: A interiorização do desenvolvimento econômico no
Estado de São Paulo. São Paulo, SEADE, p.p. 107-31, 1988. (Coleção Economia Paulista, v. 1, 1).
11. COSTA, Luiz Augusto Maia. Planejamento antes do planejamento. Cidade e território em São Paulo,
1886-1903. In: GITAHY, M. L. C. Desenhando a cidade do século XX. Estudos de história e
fundamentos sociais da arquitetura e do urbanismo em São Paulo, 1870-1970. São Carlos:
Rima/FAPESP, 2005.
12. DAGNINO, Evelina (Org.). Sociedade civil e espaços públicos no Brasil. São Paulo: Paz e Terra,
2002. 364p.
13. DEÁK, Csaba. Apresentação: Reorganização capitalista e reordenação espacial na crise. Espaço
& Debates, 1988, 25:7-8.
14. FAORO, Raymundo. Os donos do poder: formação do patronato político brasileiro. São Paulo:
Globo, 2008.
15. FREYRE, Gilberto. Sobrados e Mucambos: decadência do patriarcado rural e desenvolvimento
do urbano. Volumes 1, 2, e 3. 2ª Edição. Rio de Janeiro: Livraria José Olympio Editora, 1951.
16. RAWS, John. O liberalismo político. São Paulo: Editora WMF Martins Fontes, 2011.
17. ABREU, Maurício. Evolução Urbana do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Iplanrio/Jorge Zahar
Editor, 1988.

PROCESSO AVALIATIVO
Elaboração de artigo sobre algum tema debatido durante o curso. O artigo poderá estabelecer relações entre
a pesquisa desenvolvida pelo (a) aluno (a) e os temas tratados na disciplina.
Círculos de debates sobre as referências bibliográficas, temas tratados e realização de seminários.